A place to share and follow research Submit an Article or Content File →
Home  » 

Conteúdo - Pró-Reitoria de Pesquisa - Unicamp

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

IX CONGRESSO INTERNO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

27 a 28 de setembro de 2001

Realização

Pró-Reitoria de Pesquisa

Pró-Reitoria de Graduação

Serviço de Apoio ao Estudante ? SAE

PIBIC/CNPq

Responsável pela coordenação do PIBIC/CNPq na Pró-Reitoria de Pesquisa

Cleonice M. Salvador Bassi

Responsável pela coordenação das Bolsas de IC no Serviço de Apoio ao Estudante

Marco Antonio Garófalo

Comitê Organizador do Congresso

Profa. Dra. Afira Vianna Ripper (Faculdade de Educação)

Profa. Dra. Carola Dobrigkeit Chinellato (Instituto de Física "Gleb Wataghin")

Prof. Dr. Eduardo Tavares Costa (Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação)

Prof. Dr. Eusébio Lobo da Silva (Instituto de Artes)

Profa. Dra. Fosca Pedini Pereira Leite (Instituto de Biologia)

Prof. Dr. João Frederico da Costa Azevedo Meyer (Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica)

Prof. Dr. José Roberto de França Arruda (Faculdade de Engenharia Mecânica)

Profa. Dra. Maria Helena Baena de Moraes Lopes (Faculdade de Ciências Médicas)

Profa. Dra. Meuris Gurgel Carlos da Silva (Faculdade de Engenharia Química)

Prof. Dr. Oscar Antonio Braunbeck (Faculdade de Engenharia Agrícola)

Prof. Dr. Rodney Carlos Bassanezi (Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica)

Prof. Dr. Sérgio Tonini Button (Faculdade de Engenharia Mecânica)

Projeto Gráfico

Luciane Raquel Gardesani e Adageisa Rodrigues

Centro de Comunicação

Edição do Livro de Resumos

Maura Regina Garcia

Centro de Computação

Campinas

2001

IX Congresso Interno de Iniciação Científica da UNICAMP, 27 a 28 de setembro de 2001

FICHA CATALOGRÁFICA ELABORADA PELA

BIBLIOTECA CENTRAL DA UNICAMP

Congresso Interno de Iniciação Científica, 9., Campinas,

C76c 2001

Caderno de Resumos. Campinas, S.P.: UNICAMP/Pró-Reitoria de Pesquisa, 2001.

1. Pesquisa - Congressos. I. Título

20.CDD - 507.2

Índice para Catálogo Sistemático.

1. Pesquisa - Congressos 507.2

UNICAMP

Pró-Reitoria de Pesquisa/PIBIC/CNPq Pró-Reitoria de Graduação/SAE

Cidade Universitária "Zeferino Vaz" Cidade Universitária "Zeferino Vaz"

Prédio da Reitoria Prédio do Ciclo Básico

( 6197 ( 6137

( (0xx19)3788-4891 ( (0xx19)3788-7016

CEP 13.083-970 ? Campinas - S.P. - Brasil

Reitor da Universidade Estadual de Campinas

Hermano M. F. Tavares

Coordenador Geral da Universidade

Fernando Galembeck

Pró-Reitor de Desenvolvimento Universitário

Álvaro Penteado Crosta

Pró-Reitor de Extensão e Assuntos Comunitários

Roberto Teixeira Mendes

Pró-Reitor de Pesquisa

Ivan E. Chambouleyron

Pró-Reitor de Pós-Graduação

José Cláudio Geromel

Pró-Reitor de Graduação

Angelo Luiz Cortelazzo

Apresentação

A realização do nono Congresso Interno de Iniciação Científica da UNICAMP consolida a atividade de pesquisa entre os alunos do ensino de graduação em todas as grandes áreas do conhecimento.Tal atividade vem aumentando em qualidade e quantidade de forma sistemática, o que demonstra o crescente interesse despertado tanto no corpo discente quanto entre os professores. Os docentes cada vez mais valorizam a Iniciação Científica devido à maior capacitação para a pós-graduação que esta experiência proporciona aos estudantes envolvidos. Além disso, uma evidente conseqüência da Iniciação Científica é a melhor assimilação pelo alunado dos conteúdos disciplinares de graduação, independentemente de posterior ingresso na pós-graduação.

No que se refere especificamente ao Congresso, o número de participantes tem crescido continuamente nos últimos anos, refletindo o incremento da atividade de iniciação na Unicamp. No corrente ano, contamos com a exposição de cerca de 659 trabalhos científicos, com significativa presença de expositores beneficiários de bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do PIBIC/CNPq, do Serviço de Apoio ao Estudante ? SAE/UNICAMP e da FAPESP e ainda a participação de inúmeros alunos de graduação que, mesmo sem bolsa, estarão apresentando seus trabalhos de pesquisa. Esta presença ilustra o interesse dos estudantes em prestigiar o evento, devido à sua ressonância no âmbito da Universidade e mesmo externamente a esta.

A realização anual do Congresso Interno de Iniciação Científica tem, historicamente, recebido entusiástico estímulo da Administração da Universidade, que nesta oportunidade agradece o apoio efetivo e a confiança depositada pelo CNPq no trabalho desenvolvido.

A tabela abaixo apresenta os números do processo seletivo do programa integrado de bolsas de Iniciação Científica, englobando o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica ? PIBIC/CNPq e as bolsas pesquisa do Serviço de Apoio ao Estudante ? SAE, neste ano de 2001.

Demanda

Demanda Qualificada

Excelentes

Boas

Boas com Reservas

Concessões PIBIC/CNPq

Concessões SAE

Artes

28

25

9

8

8

12

9

Biomédicas

145

119

16

63

40

59

41

Exatas

164

135

16

92

27

67

47

Humanas

107

91

21

45

25

45

31

Tecnológicas

240

207

26

112

69

103

72

Todos os projetos estão sujeitos a um criterioso acompanhamento, mesmo após sua aprovação. Durante a vigência da bolsa, cada bolsista deve apresentar dois relatórios, que são analisados por seu orientador e pelos assessores do Comitê Assessor das Pró-Reitorias de Pesquisa e de Graduação, o que garante a qualidade e o cumprimento das metas propostas.

As Pró-Reitorias de Pesquisa e de Graduação manifestam os agradecimentos aos orientadores e alunos que contribuem para a valorização do nome da UNICAMP no desenvolvimento de seus projetos de pesquisa. Não poderiam deixar também de agradecer fortemente a cada um dos membros efetivos do Comitê Assessor das Pró-Reitorias de Pesquisa e de Graduação e aos assessores ?ad-hoc? que participaram do processo de seleção de bolsistas, pelo precioso tempo dedicado às várias atividades que viabilizam o abrangente programa de iniciação científica de nossa Universidade. Da mesma forma, aproveitam o ensejo para externar seus agradecimentos ao Comitê Organizador deste IX Congresso Interno de Iniciação Científica da UNICAMP.

Universidade Estadual de Campinas, setembro de 2001.

Prof. Dr. Ivan Chambouleyron

Pró-Reitor de Pesquisa

Prof. Dr. Angelo Luiz Cortelazzo

Pró-Reitor de Graduação

Comitê Assessor PRP/PRG nomeado em 14 de abril de 2000 pela Portaria Interna PRP Nº 01/2000, com representantes das Áreas de Artes, Biológicas, Exatas, Humanas e Tecnológicas, sob a coordenação das Pró-Reitorias de Pesquisa e de Graduação, responsável pela seleção de orientadores, bolsistas e projetos e pelo acompanhamento e avaliação do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC/CNPq (administrado pela Pró-Reitoria de Pesquisa) e pelo Programa de Bolsas Pesquisa do Serviço de Apoio ao Estudante (administrado pela Pró-Reitoria de Graduação), referente às quotas de bolsas vigentes no período de 01 de agosto de 2000 a 31 de julho de 2001.

I. ÁREA DE ARTES

Assessor(a) - Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

Eusébio Lobo da Silva

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES CORPORAIS

Helena Jank

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE MUSICA

Paulo Mugayar Kuhl

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES PLASTICAS

Sara Pereira Lopes

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES CENICAS

II. ÁREA DE BIOLÓGICAS

Assessor(a) - Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

Heitor Moreno Júnior

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE FARMACOLOGIA

José Antonio Rocha Gontijo

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLINICA MEDICA

Kleber Gomes Franchini

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLINICA MEDICA

Ricardo de Lima Zollner

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLINICA MEDICA

Sigisfredo Luís Brenelli

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLINICA MEDICA

Paulo Ferreira de Araújo

Faculdade de Educação Física

DEPTO.DE ESTUDOS DA ATIVIDADE FISICA ADAPTADA

Ricardo Machado Leite de Barros Neto

Faculdade de Educação Física

DEPARTAMENTO DE EDUCACAO MOTORA

Roseli Golfetti

Faculdade de Educação Física

DEPTO.DE ESTUDOS DA ATIVIDADE FISICA ADAPTADA

Luiz André Freire Pimenta

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO ODONTO-RESTAURADORA

Oswaldo Di Hipólito Júnior

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO DE DIAGNOSTICO ORAL

Thales Rocha de Mattos Filho

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO DE CIENCIAS FISIOLOGICAS

Kikyo Yamamoto

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BOTANICA

Ladaslav Sodek

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA VEGETAL

Maria Alice da Cruz Hofling

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

Paulo Sérgio M. Carvalho de Oliveira

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA

III. ÁREA DE EXATAS

Assessor(a) - Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

Célio Cardoso Guimarães

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE COMPUTACAO

Ricardo Dahab

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE TEORIA DA COMPUTACAO

Ricardo de Oliveira Anido

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE COMPUTACAO

Francisco das Chagas Marques

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE FISICA APLICADA

Iris Concepcion Linares de Torriani

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE FISICA DE ESTADO SOLIDO

José Augusto Chinellato

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE RAIOS COSMICOS

Regina Célia Bega dos Santos

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIENCIAS APLICADAS AO ENSINO

Saul Barisnick Suslick

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE ADMINIST.E POLITICA RECURSOS MINERAIS

Ana Friedlander de Martinez Perez

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMATICA APLICADA

Francesco Mercuri

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMATICA

Martin Tygel

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMATICA APLICADA

Reinaldo Charnet

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE ESTATISTICA

Edvaldo Sabadini

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FISICO-QUIMICA

Maria Izabel Maretti Silveira Bueno

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUIMICA ANALITICA

Paulo José Samenho Moran

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUIMICA ORGANICA

Paulo Mitsuo Imamura

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUIMICA ORGANICA

Ulf Friedrich Schuchardt

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUIMICA INORGANICA

IV. ÁREA DE HUMANAS

Assessor(a) - Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

Ana Luiza Bustamante Smolka

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA EDUCACIONAL

Antonio Carlos Macedo e Silva

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLITICA E HISTORIA ECONOMICA

Cláudio Schuller Maciel

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE TEORIA ECONOMICA

Francisco Luiz Cazeiro Lopreato

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLITICA E HISTORIA ECONOMICA

Lígia Maria Osório Silva

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLITICA E HISTORIA ECONOMICA

Eleonora Cavalcante Albano

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUISTICA

Márcia Azevedo de Abreu

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE TEORIA LITERARIA

Maria Augusta Bastos de Mattos

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUISTICA APLICADA

Alcides Hector Rodriguez Benoit

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA

Bruno Whilhelm Speck

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE CIENCIA POLITICA

Célia Maria Marinho Azevedo

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE HISTORIA

Márcio Bilharinho Naves

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA

Maria Conceição da Costa

Instituto de Geociências

DEPTO.DE POLITICA CIENTIFICA E TECNOLOGICA

V. ÁREA DE TECNOLÓGICAS

Assessor(a) - Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

Irenilza de Alencar Naas

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE CONSTRUCOES RURAIS

Kil Jin Park

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPTO.DE PRE-PROCES.DE PROD. AGRO-PECUARIOS

Oscar Antonio Braunbeck

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE MAQUINAS AGRICOLAS

Paulo Sérgio G. Magalhães

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE MAQUINAS AGRICOLAS

Eglé Novaes Teixeira

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE SANEAMENTO E AMBIENTE

Evaldo Miranda Coiado

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE RECURSOS HIDRICOS

Leandro Palermo Júnior

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ESTRUTURAS

Maria Cecília Amorim T. da Silva

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ESTRUTURAS

Antonio José de Almeida Meirelles

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Luiz Antonio Viotto

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Satoshi Tobinaga

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Alice Maria Bastos Hubinger Tokarnia

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPTO.DE ENGENHARIA COMPUTACAO AUTOMACAO INDUSTRIAL

Ivan Luiz Marques Ricarte

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPTO.DE ENGENHARIA COMPUTACAO AUTOMACAO INDUSTRIAL

João Bosco Ribeiro do Val

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMATICA

Pedro Luís Dias Peres

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMATICA

Reginaldo Palazzo Júnior

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMATICA

Celso Kazuyuki Morooka

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DO PETROLEO

Franco Giuseppe Dedini

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE PROJETO MECANICO

Kamal Abdel Radi Ismail

Faculdade de Engenharia Mecânica

COMISSAO DE POS-GRADUACAO

Maria Helena Robert

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE FABRICACAO

Renato Pavanello

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE MECANICA COMPUTACIONAL

Liliane Maria F. Lona Batista

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS QUIMICOS

Maria Regina Wolf Maciel

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS

Meuris Gurgel Carlos da Silva

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINAMICA

Osvaldir Pereira Taranto

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINAMICA

Theo Guenter Kieckbusch

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINAMICA

Comitê Assessor PRP/PRG nomeado em 27 de julho de 2001 pela Portaria Interna PRP Nº 01/2001, com representantes das Áreas de Artes, Biológicas, Exatas, Humanas e Tecnológicas, sob a coordenação das

Pró-Reitorias de Pesquisa e de Graduação, responsável pela seleção de orientadores, bolsistas e projetos e pelo acompanhamento e avaliação do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC/CNPq (administrado pela Pró-Reitoria de Pesquisa) e pelo Programa de Bolsas Pesquisa do Serviço de Apoio ao Estudante (administrado pela Pró-Reitoria de Graduação), referente às quotas de bolsas vigentes no período de 01 de agosto de 2001 a 31 de julho de 2002.

I ? ÁREA DE ARTES (06 membros)

Assessor(A) ? Prof.(A) Dr.(A)

Unidade

Departamento

Aci Taveira Meyer

IA

Depto. de Musica

Antonio Rafael Carvalho Dos Santos

IA

Depto. de Musica

Eusébio Lobo Da Silva

IA

Depto. de Artes Corporais

Helena Jank

IA

Depto. de Musica

Paulo Mugayar Kuhl

IA

Depto. de Artes Plasticas

Sara Pereira Lopes

IA

Depto. de Artes Cenicas

II ? ÁREA DE BIOLÓGICAS (29 membros)

Assessor(A) ? Prof.(A) Dr.(A)

Unidade

Departamento

Fernando Cendes

FCM

Depto. de Neurologia

Heitor Moreno Júnior

FCM

Depto. de Farmacologia

Iscia Teresinha Lopes Cendes

FCM

Depto. de Genetica Medica

José Antonio Rocha Gontijo

FCM

Depto. de Clinica Medica

Kleber Gomes Franchini

FCM

Depto. de Clinica Medica

Laura Sterian Ward

FCM

Depto. de Clinica Medica

Luis Guillermo Bahamondes

FCM

Depto. de Tocoginecologia

Ricardo de Lima Zollner

FCM

Depto. de Clinica Medica

Sigisfredo Luís Brenelli

FCM

Depto. de Clinica Medica

Elizabeth Paoliello Machado de Souza

FEF

Depto. de Educacao Motora

Paulo Ferreira de Araújo

FEF

Depto.deEstudos da Atividade Fisica Adaptada

Ricardo Machado Leite de Barros Neto

FEF

Depto. de Educacao Motora

Roseli Golfetti

FEF

Depto. de Estudos da Atividade Fisica Adaptada

Silvana Venancio

FEF

Depto. de Educacao Motora

Fabricio Batista Teixeira

FOP

Depto. Odonto-Restauradora

Luiz André Freire Pimenta

FOP

Depto. Odonto-Restauradora

Oswaldo Di Hipólito Júnior

FOP

Depto. de Diagnostico Oral

Thales Rocha de Mattos Filho

FOP

Depto. de Ciencias Fisiologicas

Antonio Ari Goncalves

IB

Depto. de Fisiologia E Biofisica

Eliana Maria Zanotti Magalhaes

IB

Depto. de Parasitologia

Hernandes Faustino De Carvalho

IB

Depto. de Biologia Celular

Ione Salgado Martins

IB

Depto. de Bioquimica

Jose Camillo Novello

IB

Depto. de Bioquimica

Kikyo Yamamoto

IB

Depto. de Botanica

Luis Antonio Violin Dias Pereira

IB

Depto. de Histologia e Embriologia

Maria Alice Da Cruz Hofling

IB

Depto. de Histologia e Embriologia

Paulo Sérgio M. Carvalho de Oliveira

IB

Depto. de Zoologia

Sandra Maria Carmello Guerreiro

IB

Depto. de Botanica

Sarah Arana

IB

Depto. de Histologia e Embriologia

III ? ÁREA DE EXATAS (27 membros)

Assessor(A) ? Prof.(A) Dr.(A)

Unidade

Departamento

Célio Cardoso Guimarães

IC

Depto. de Sistemas de Computacao

Luiz Marcos Garcia Goncalves

IC

Depto. de Sistemas de Computação

Maria Beatriz Felgar de Toledo

IC

Depto. de Sistemas de Computacao

Ricardo Dahab

IC

Depto. de Teoria da Computacao

Ricardo Pannain

IC

Depto. de Sistemas de Computacao

Anderson Campos Fauth

IFGW

Depto. de Raios Cosmicos

Antonio Vidiella Barranco

IFGW

Depto. de Eletronica Quantica

Francisco das Chagas Marques

IFGW

Depto. de Fisica Aplicada

Iris Concepcion Linares de Torriani

IFGW

Depto. de Fisica da Materia Condensada

José Augusto Chinellato

IFGW

Depto. de Raios Cosmicos

Newton Cesario Frateschi

IFGW

Depto. de Fisica Aplicada

Luci Hidalgo Nunes

IG

Depto. de Geociencias Aplicadas ao Ensino

Saul Barisnick Suslick

IG

Depto. de Administ. e Politica Recursos Minerais

Ana Friedlander De Martinez Perez

IMECC

Depto. de Matematica Aplicada

Antonio Paques

IMECC

Depto. de Matematica

Martin Tygel

IMECC

Depto. de Matematica Aplicada

Paulo Roberto Brumatti

IMECC

Depto. de Matematica

Plamen Emilov Kochloukov

IMECC

Depto. de Matematica

Reinaldo Charnet

IMECC

Depto. de Estatistica

Samuel Rocha de Oliveira

IMECC

Depto. de Matematica Aplicada

Claudio Airoldi

IQ

Depto. de Quimica Inorganica

Joao Carlos de Andrade

IQ

Depto. de Quimica Analitica

Maria Izabel Maretti Silveira Bueno

IQ

Depto. de Quimica Analitica

Munir Salomao Skaf

IQ

Depto. de Fisico-Quimica

Paulo José Samenho Moran

IQ

Depto. de Quimica Organica

Paulo Mitsuo Imamura

IQ

Depto. de Quimica Organica

Ulf Friedrich Schuchardt

IQ

Depto. de Quimica Inorganica

IV ? ÁREA DE HUMANAS (31 membros)

Assessor(A) ? Prof.(A) Dr.(A)

Unidade

Departamento

Anna Regina Lanner De Moura

FE

Depto. de Metodologia de Ensino

Guilherme do Val Toledo Prado

FE

Depto. de Metodologia de Ensino

Heloisa Helena Pimenta Rocha

FE

Depto. de Filosofia e Historia da Educacao

Luci Banks Leite

FE

Depto. de Psicologia Educacional

Regina Maria de Souza

FE

Depto. de Psicologia Educacional

Roberta Gurgel Azzi

FE

Depto. de Psicologia Educacional

Roseli Aparecida Cacao Fontana

FE

Depto. de Metodologia de Ensino

Antonio Carlos Macedo e Silva

IE

Depto. de Politica e Historia Economica

Cláudio Schuller Maciel

IE

Depto. de Teoria Economica

Francisco Luiz Cazeiro Lopreato

IE

Depto. de Politica e Historia Economica

Jose Ricardo Barbosa Goncalves

IE

Depto. de Politica e Historia Economica

Lígia Maria Osório Silva

IE

Depto. de Politica e Historia Economica

Angel Humberto Corbera Mori

IEL

Depto. de Linguistica

Eleonora Cavalcante Albano

IEL

Depto. de Linguistica

Flavio Ribeiro de Oliveira

IEL

Depto. de Linguistica

Márcia Azevedo de Abreu

IEL

Depto. de Teoria Literaria

Maria Augusta Bastos de Mattos

IEL

Depto. de Linguistica Aplicada

Matilde Virginia Ricardi Scaramucci

IEL

Depto. de Linguistica Aplicada

Miriam Viviana Garate

IEL

Depto. de Teoria Literaria

Monica Graciela Zoppi Fontana

IEL

Depto. de Linguistica

Orna Messer Levin

IEL

Depto. de Teoria Literaria

Alcides Hector Rodriguez Benoit

IFCH

Depto. de Filosofia

Bruno Whilhelm Speck

IFCH

Depto. de Ciencia Politica

Célia Maria Marinho Azevedo

IFCH

Depto. de Historia

Eliane Moura da Silva

IFCH

Depto. de Historia

Rosana Aparecida Baeninger

IFCH

Depto. de Sociologia

Carlos Alberto Lobao da Silveira Cunha

IG

Depto. de Geociencias Aplicadas ao Ensino

Maria Margaret Lopes

IG

Depto. de Geociencias Aplicadas ao Ensino

Maria Tereza Duarte Paes Luchiari

IG

Depto. de Geociencias Aplicadas ao Ensino

Regina Célia Bega dos Santos

IG

Depto. de Geociencias Aplicadas ao Ensino

Ricardo Abid Castillo

IG

Depto. de Geociencias Aplicadas ao Ensino

V - ÁREA DE TECNOLÓGICAS (47 membros)

Assessor(A) ? Prof.(A) Dr.(A)

Unidade

Departamento

Antonio Ludovico Beraldo

FEAGRI

Depto. de Construcoes Rurais

Edson Eiji Matsura

FEAGRI

Depto. de Agua e Solo

Elaine Borghi

FEAGRI

Depto. de Planej. e Desenv. Rural Sustentavel

Irenilza de Alencar Naas

FEAGRI

Depto. de Construcoes Rurais

Kil Jin Park

FEAGRI

Depto. de Pre-Proces. de Prod. Agro-Pecuarios

Mariangela Amendola

FEAGRI

Depto. de Planej. e Desenv. Rural Sustentavel

Paulo Sérgio G. Magalhães

FEAGRI

Depto. de Maquinas Agricolas

Doris Catharine C K Kowaltowski

FEC

Depto. de Construcao Civil

Eglé Novaes Teixeira

FEC

Depto. de Saneamento e Ambiente

Leandro Palermo Júnior

FEC

Depto. de Estruturas

Maria Cecília Amorim T. da Silva

FEC

Depto. de Estruturas

Edir Nepomuceno da Silva

FEA

Depto. de Tecnologia de Alimentos

Enrique Ortega Rodriguez

FEA

Depto. de Engenharia de Alimentos

Fernanda Elizabeth Xidieh Murr

FEA

Depto. de Engenharia de Alimentos

Flavia Maria Netto

FEA

Depto. de Planejamento Alimentar e Nutricao

Hélia Harumi Sato

FEA

Depto. de Ciencia de Alimentos

Luiz Antonio Viotto

FEA

Depto. de Engenharia de Alimentos

Rosiane Lopes Da Cunha

FEA

Depto. de Engenharia de Alimentos

Satoshi Tobinaga

FEA

Depto. de Engenharia de Alimentos

Alice Maria Bastos Hubinger Tokarnia

FEEC

Depto. de Engenharia Computacao Automacao Industrial

Ernesto Ruppert Filho

FEEC

Depto. de Sistemas e Controle De Energia

João Bosco Ribeiro Do Val

FEEC

Depto. de Telematica

Paulo Morelato Franca

FEEC

Depto. de Engenharia De Sistemas

Pedro Luís Dias Peres

FEEC

Depto. de Telematica

Reginaldo Palazzo Júnior

FEEC

Depto. de Telematica

Celia Marina De Alvarenga Freire

FEM

Depto. de Engenharia de Materiais

Celso Kazuyuki Morooka

FEM

Depto. de Engenharia do Petroleo

Eugenio Jose Zoqui

FEM

Depto. de Engenharia de Fabricacao

Franco Giuseppe Dedini

FEM

Depto. de Projeto Mecanico

Joao Mauricio Rosario

FEM

Depto. de Projeto Mecanico

Kamal Abdel Radi Ismail

FEM

Comissao de Pos-Graduacao

Maria Clara Filippini Ierardi

FEM

Depto. de Engenharia de Materiais

Pablo Siqueira Meirelles

FEM

Depto. de Mecanica Computacional

Renato Pavanello

FEM

Depto. de Mecanica Computacional

Rezende Gomes dos Santos

FEM

Depto. de Engenharia De Materiais

Robson Pederiva

FEM

Comissao de Graduacao

Sergio Nascimento Bordalo

FEM

Comissao de Pos-Graduacao

Sergio Tonini Button

FEM

Depto. de Engenharia de Materiais

Angela Maria Moraes

FEQ

Depto. de Processos Biotecnologicos

Elizabete Jordao

FEQ

Depto.De Engenharia de Sistemas Quimicos

Everson Alves Miranda

FEQ

Depto. de Processos Biotecnologicos

Joao Sinezio de Carvalho Campos

FEQ

Depto. de Tecnologia de Polimeros

Liliane Maria Ferrareso Lona

FEQ

Depto. de Processos Quimicos

Marco Aurelio Cremasco

FEQ

Depto. de Termofluidodinamica

Maria Regina Wolf Maciel

FEQ

Depto. de Processos Químicos

Meuris Gurgel Carlos da Silva

FEQ

Depto. de Termofluidodinamica

Osvaldir Pereira Taranto

FEQ

Depto. de Termofluidodinamica

Conteúdo

TOC o "1-3" PROJETOS DA ÁREA DE ARTES................................................................................................ PAGEREF _Toc522521696 h 1

Instituto de Artes............................................................................................................................................................. PAGEREF _Toc522521697 h 2

IDENTIDADE PESSOAL E CULTURA POPULAR BRASILEIRA DO DEFICIENTE VISUAL COMUNICADAS ATRAVÉS DA DANÇA  PAGEREF _Toc522521698 h 2

A OBRA DE ARTE INTERATIVA ? OS BICHOS DE LYGIA CLARK  PAGEREF _Toc522521699 h 2

LEITURA E ANÁLISE DO TRATADO "A COMPLETE TREATISE ON THE ART OF SINGING" DE MANUEL P. R. GARCIA  PAGEREF _Toc522521700 h 2

O ESTILO DE IMPROVISAÇÃO DE HÉLIO DELMIRO  PAGEREF _Toc522521701 h 3

MOVIMENTO DA MÚSICA, MÚSICA DO MOVIMENTO: UM ESTUDO DA RELAÇÃO ESTRUTURAL ENTRE COMPOSIÇÃO MUSICAL E CONSTRUÇÃO COREOGRÁFICA  PAGEREF _Toc522521702 h 3

LEITURA CONTEMPORÂNEA DOS PROCEDIMENTOS DE ATUAÇÃO EM ARTAUD E GROTOWSKI  PAGEREF _Toc522521703 h 3

DIÁLOGO COM NARCISO: UMA INTERPRETAÇÃO PLÁSTICA DE BACHELARD  PAGEREF _Toc522521704 h 3

ESTUDO DAS TÉCNICAS IMPROVISATÓRIAS DO SÉCULO XVII AO CRAVO, ATRAVÉS DOS ?Préludes non Mesurés? DE LOUIS COUPERIN  PAGEREF _Toc522521705 h 4

A EXPERIÊNCIA DO SELO SOM DA GENTE  PAGEREF _Toc522521706 h 4

ANÁLISE DAS OBRAS DE TEMAS RELIGIOSOS DE JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA DO ACERVO DA FAMÍLIA E DA CIDADE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO  PAGEREF _Toc522521707 h 4

A CONCEPÇÃO DE HERALDO DO MONTE NA IMPROVISAÇÃO EM SAMBA  PAGEREF _Toc522521708 h 5

INSTALAÇÃO: INTERRELAÇÃO ENTRE CORPO E MÍDIA  PAGEREF _Toc522521709 h 5

O PROCESSO DE MUDA VOCAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA COM ÊNFASE NA BIBLIOGRAFIA EM LÍNGUA PORTUGUESA.  PAGEREF _Toc522521710 h 5

ETAPAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE UM MÉTODO PROGRESSIVO, PARA EDUCAÇÃO MUSICAL ATRAVÉS DO VIOLINO  PAGEREF _Toc522521711 h 5

A MARGEM NO CENTRO, COM E PELO CORPO  PAGEREF _Toc522521712 h 5

A CRÍTICA DE FERREIRA GULLAR NOS ANOS 60: DO NEOCONCRETISMO AO FIM DAS VANGUARDAS.  PAGEREF _Toc522521713 h 6

EXPERIÊNCIA TEATRAL COM O GRUPO DE ASSENTADOS DO M.S.T. DO HORTO DO VERGEL  PAGEREF _Toc522521714 h 6

COMUNICAÇÃO VISUAL: ADEQUAÇÃO DE CONTEÚDOS ATRAVÉS DE ILUSTRAÇÕES DIDÁTICAS  PAGEREF _Toc522521715 h 6

NO HIP HOP: "A BUSCA DE UM CORPO POETICAMENTE CRÍTICO"  PAGEREF _Toc522521716 h 7

O ESTUDO DO GESTO SOB O PONTO DE VISTA BRECHTIANO: UMA PESQUISA DIRECIONADA AO ATOR  PAGEREF _Toc522521717 h 7

JOGOS DE IMPROVISAÇÃO NO PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO  PAGEREF _Toc522521718 h 7

O PITORESCO E O SUBLIME NA PAISAGEM BRASILEIRA: A CACHOEIRA DE PAULO AFONSO - PERNAMBUCO DE E. F. SCHUTE  PAGEREF _Toc522521719 h 7

CORREDORES URBANOS ? A TRAJETÓRIA DO OLHAR EM GRANDES VIAS  PAGEREF _Toc522521720 h 8

NICS  PAGEREF _Toc522521721 h 8

NA BUSCA DE ESTRATÉGIAS PARA O DESIGN EM INTERNET  PAGEREF _Toc522521722 h 8

PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS  PAGEREF _Toc522521723 h 9

CBMEG  PAGEREF _Toc522521724 h 10

ANÁLISE MOLECULAR DO GENE HSD3B2, REGIÕES EXÔNICAS E INTRÔNICAS  PAGEREF _Toc522521725 h 10

Faculdade de Ciências Médicas  PAGEREF _Toc522521726 h 10

GRUPO DE ESPERA - CARACTERÍSTICAS DE USUÁRIOS DEFICIENTES VISUAIS  PAGEREF _Toc522521727 h 10

A CONTRIBUIÇÃO DE UM NOVO MARCADOR TUMORAL, A DESGAMACARBOXIPROTROMBINA, NO DIAGNÓSTICO DO CARCINOMA HEPATOCELULAR  PAGEREF _Toc522521728 h 10

ALTERAÇÃO DE SINAL HIPOCAMPAL EM PACIENTES COM EPILEPSIA DE LOBO TEMPORAL MESIAL (ELTM) SUBMETIDOS A TRATAMENTO CIRÚRGICO  PAGEREF _Toc522521729 h 11

INFECÇÃO PUERPERAL EM MULHERES ATENDIDAS NO CAISM/UNICAMP  PAGEREF _Toc522521730 h 11

ESTUDO DO EMPREGO DA ANTISSEPSIA DAS MÃOS PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM EM UMA UNIDADE DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR  PAGEREF _Toc522521731 h 11

AS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM E SEUS POSSÍVEIS EFEITOS TERAPÊUTICOS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE MENTAL EM PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO  PAGEREF _Toc522521732 h 12

QUIMIOTERAPIA PRIMÁRIA NO CARCINOMA DA MAMA RESSECÁVEL ? AVALIAÇÃO DO IMPACTO NA CIRURGIA CONSERVADORA E SOBREVIDA  PAGEREF _Toc522521733 h 12

DETECÇÃO DE MUTAÇÕES NO GENE P-53 EM PACIENTES COM NEUTROPENIA ADQUIRIDA TÓXICA  PAGEREF _Toc522521734 h 12

MIOCARDIOPATIA INDUZIDA POR BLOQUEIO DA TUBULINA EM CORAÇÕES DE RATOS SUBMETIDOS À SOBRECARGA PRESSORA  PAGEREF _Toc522521735 h 13

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO CARCINOMA MICROINVASOR CERVICAL ESTÁDIO Ia1 TRATADO COM CONIZAÇÃO CIRÚRGICA  PAGEREF _Toc522521736 h 13

CARACTERIZAÇÃO DO POLIMORFISMO DO GENE CYP17 E O RISCO DE CÂNCER DE PRÓSTATA  PAGEREF _Toc522521737 h 13

AVALIAÇÃO DA EXCREÇÃO URINÁRIA DE PROTEÍNAS EM INDIVÍDUOS COM EXPOSIÇÃO AMBIENTAL A METAIS PESADOS  PAGEREF _Toc522521738 h 14

IMPORTÂNCIA DOS DEFEITOS CONGÊNITOS (DC) NA MORTALIDADE PERINATAL PRECOCE-UMA AVALIAÇÃO PROSPECTIVA DURANTE UM PERÍODO DE 18 MESES NA MATERNIDADE DO CAISM  PAGEREF _Toc522521739 h 14

MÉTODOS DE DETECÇÃO DA INFECÇÃO PELO CMV EM PACIENTES SUBMETIDOS A TMO  PAGEREF _Toc522521740 h 14

PARALISIA CEREBRAL TETARAPARÉTICA: ASPECTOS CLÍNICOS, ETIOLÓGICOS E DE NEUROIMAGEM  PAGEREF _Toc522521741 h 15

AS FAMÍLIAS DAS PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS E O DIREITO À INCLUSÃO  PAGEREF _Toc522521742 h 15

CARACTERIZAÇÃO IMUNO-HISTOQUÍMICA DO INFILTRADO LINFÓIDE NA VILOSITE DE ETIOLOGIA DESCONHECIDA (VED)  PAGEREF _Toc522521743 h 16

ESTUDO DE 200 CASOS DE EPILEPSIA NO HC DA UNICAMP E SUA RELAÇÃO COM A NEUROCISTICERCOSE  PAGEREF _Toc522521744 h 16

CONDUTAS DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM NA MEDIDA DA PRESSÃO ARTERIAL  PAGEREF _Toc522521745 h 16

ESTUDO DOS ESTEREÓTIPOS DA ENFERMEIRA: RELAÇÕES ENTRE SEXUALIDADE E DESEMPENHO PROFISSIONAL  PAGEREF _Toc522521746 h 16

SÉRIE HISTÓRICA DE MORTALIDADE NEONATAL PRECOCE NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS NA DÉCADA DE 90  PAGEREF _Toc522521747 h 17

FATORES QUE INFLUENCIAM A PRÁTICA DO AUTO-EXAME DE MAMAS E DO EXAME PREVENTIVO DE CÂNCER ENTRE ENFERMEIRAS E MÉDICAS  PAGEREF _Toc522521748 h 17

EDUCAÇÃO CONTINUADA E REESTRUTRURAÇÃO PRODUTIVA EM SETORES TERCEIRIZADOS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO  PAGEREF _Toc522521749 h 17

EFEITO DA CROTAPOTINA NA PANCREATITE AGUDA INDUZIDA PELA CERULEÍNA EM RATOS  PAGEREF _Toc522521750 h 18

O "CUIDAR" DO ENFERMEIRO NOS PACIENTES COM DOR: APROXIMAÇÕES E AFASTAMENTOS  PAGEREF _Toc522521751 h 18

METANÁLISE DA ASSOCIAÇÃO ENTRE A INFECÇÃO POR Helicobacter pylori E O CÂNCER GÁSTRICO  PAGEREF _Toc522521752 h 19

PRESENÇA E UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE PACIENTES EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO  PAGEREF _Toc522521753 h 19

ACOMPANHAMENTO DE FAMíLIAS DE BEBÊS COM SUSPEITA DE SURDEZ  PAGEREF _Toc522521754 h 19

COMPARAÇÃO DA ANTIGENEMIA (PP65) E NESTED-PCR PARA DETECÇÃO DO HCMV EM PACIENTES COM SIDA APÓS TERAPIA ANTIRETROVIRAL ALTAMENTE EFICAZ (HAART)  PAGEREF _Toc522521755 h 19

RESULTADOS GESTACIONAIS DE MULHERES COM PATOLOGIAS DE TIREÓIDE ATENDIDAS EM UM SERVIÇO DE PRÉ-NATAL ESPECIALIZADO DURANTE DEZ ANOS  PAGEREF _Toc522521756 h 20

ESTUDO VOLUMÉTRICO DO LOBO TEMPORAL EM PACIENTES COM EPILEPSIA DE LOBO TEMPORAL MESIAL FAMILIAR (ELTMF)  PAGEREF _Toc522521757 h 20

EFEITO MODULADOR DA ÓXIDO NITRICO SINTASE (NOS) NA AÇÃO INTRACEREBROVENTRICULAR (I.C.V.) DE INSULINA SOBRE A FUNÇÃO RENAL DE RATOS  PAGEREF _Toc522521758 h 20

RELAÇÃO ENTRE O USO CRÔNICO DE FENITOÍNA E VOLUME CEREBELAR: ESTUDO VOLUMÉTRICO POR RM  PAGEREF _Toc522521759 h 21

DIAGNÓSTICO DE INFECÇÃO ATIVA E DOENÇA POR CITOMEGALOVÍRUS (CMV) EM TRANSPLANTADOS HEPÁTICOS  PAGEREF _Toc522521760 h 21

AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO E DA COMPOSIÇÃO CORPORAL COM TRAMENTO POR 18 MESES DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (rhGH): RELAÇÃO COM AS ALTERAÇÕES DO EIXO GH/IGF/IGFBP EM CRIANÇAS PORTADORAS DE INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC)  PAGEREF _Toc522521762 h 22

AVALIAÇÃO SOBRE O USO DE MEDICAMENTOS DURANTE A GESTAÇÃO: UM ESTUDO PROSPECTIVO A PARTIR DE GESTANTES ACOMPANHADAS NOS AMBULATÓRIOS DE PRÉ-NATAL DA UNICAMP  PAGEREF _Toc522521763 h 22

AFASTAMENTOS E CAPACIDADE PARA O TRABALHO - REFERENCIAL PARA TRABALHADORES EM UNIVERSIDADE  PAGEREF _Toc522521764 h 22

EXPRESSÃO MOLECULAR DE mRNA DAS QIMIOCINAS RANTES E MCP-1 EM CÉLULAS MONONUCLEARES PROVENIENTES DE INDIVÍDUOS ATÓPICOS E ESTIMULADAS IN VITRO COM ALÉRGENOS DOS ÁCAROS Dermatophagoides Pteronyssinus (Dp) E Tyrophagus Putrescentiae (Tp)  PAGEREF _Toc522521765 h 23

FONOAUDIOLOGIA E SURDEZ: POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO NA LINGUAGEM ESCRITA  PAGEREF _Toc522521766 h 23

EXPRESSÃO DAS ISOFORMAS DE ÓXIDO NÍTRICO SINTETASE (NOS) NO MIOCÁRDIO DE RATOS SUBMETIDOS À SOBRECARGA PRESSORA  PAGEREF _Toc522521767 h 23

PREVALÊNCIA DE AUTO-MEDICAÇÃO ENTRE MÃES DE CRIANÇAS MENORES DE 1 ANO DE IDADE EM ALEITAMENTO MATERNO  PAGEREF _Toc522521768 h 23

ESTUDO DA MORTALIDADE ENTRE TUBERCULOSOS. CAMPINAS-SP, 1993-1999  PAGEREF _Toc522521769 h 24

IDENTIFICAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO GENE SOD1 EM PACIENTES BRASILEIROS COM ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA FAMILIAL  PAGEREF _Toc522521770 h 24

CONCENTRAÇÃO SÉRICA DE LEPTINA APÓS USO DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO RECOMBINANTE HUMANO EM CRIANÇAS COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA  PAGEREF _Toc522521771 h 24

EXERCÍCIO FÍSICO EM GRÁVIDAS DIABÉTICAS E RESULTADOS PERINATAIS  PAGEREF _Toc522521772 h 25

DIAGNÓSTICO PRECOCE DA INFECÇÃO ATIVA POR CITOMEGALOVÍRUS APÓS TRANSPLANTE RENAL. COMPARAÇÃO ENTRE ANTIGENEMIA E ?NESTED PCR?  PAGEREF _Toc522521773 h 25

CORRELAÇÃO DOS ASPECTOS CLÍNICOS E MAMOGRÁFICOS DE NÓDULOS MAMÁRIOS PALPÁVEIS COM OS ACHADOS HISTOPATOLÓGICOS  PAGEREF _Toc522521774 h 25

CRENÇAS E ATITUDES DE PACIENTES VALVOPATAS SOBRE SUA DOENÇA E TRATAMENTO  PAGEREF _Toc522521775 h 26

INFORMAÇÕES PARA ANÁLISE DA COBERTURA VACINAL EM NÍVEL LOCAL  PAGEREF _Toc522521776 h 26

ESTUDO DOS NOVOS PARÂMETROS RELACIONADOS AOS RETICULÓCITOS NAS ANEMIAS MICROCÍTICAS. AVALIAÇÃO DAS FUNÇÕES DISCRIMINANTES NA DISTINÇÃO ENTRE ANEMIA FERROPRIVA E ( TALASSEMIA HETEROZIGOTA.  PAGEREF _Toc522521777 h 27

MULHERES LACTANTES E USO DE MEDICAMENTOS PSICOTRÓPICOS E SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS LÍCITAS  PAGEREF _Toc522521778 h 27

ESTUDO DO SISTEMA GLUTATIONA s-TRANSFERASE EM TUMORES DA TIREÓIDE HUMANA  PAGEREF _Toc522521779 h 27

O EMPREGO DE CORTICOESTERÓIDE ASSOCIADO A DILATAÇÕES ESOFÁGICAS EM ESTENOSES SECUNDÁRIAS À INGESTÃO DE SUBSTÂNCIAS CORROSIVAS  PAGEREF _Toc522521780 h 27

ANÁLISE QUANTITATIVA DE TEXTURA EM IMAGENS DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO MÉTODO DE LATERALIZAÇÃO EM EPILEPSIA DE LOBO TEMPORAL  PAGEREF _Toc522521781 h 28

NÍVEIS SÉRICOS DO ÍON MAGNÉSIO EM CRIANÇAS CONSTIPADAS EM TRATAMENTO COM HIDRÓXIDO DE MAGNÉSIO  PAGEREF _Toc522521782 h 28

MORTALIDADE POR ACIDENTES DE TRANSPORTE EM CAMPINAS:TENDÊNCIA TEMPORAL  PAGEREF _Toc522521783 h 28

VIVENCIANDO O CUIDAR DE MULHERES COM CÂNCER DE MAMA: A VISÃO DE TÉCNICOS E AUXILIARES DE ENFERMAGEM  PAGEREF _Toc522521784 h 29

A CONTRIBUIÇÃO DE UM NOVO MARCADOR TUMORAL, A DESGAMACARBOXIPROTROMBINA, NO DIAGNÓSTICO DO CARCINOMA HEPATOCELULAR  PAGEREF _Toc522521785 h 29

TRIAGEM DE DISTÚRBIOS MENTAIS EM CRIANÇAS DE 1A E 2A SÉRIE DO 1O. GRAU EM UMA ESCOLA DE BARÃO GERALDO ? CAMPINAS ? SÃO PAULO  PAGEREF _Toc522521786 h 29

AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DE PACIENTES OPERADOS DE MEGAESÔFAGO CHAGÁSICO  PAGEREF _Toc522521787 h 30

ESTUDO DOS FATORES DIETÉTICOS PREDISPONENTES PARA OCORRÊNCIA DE ANEMIA FERROPRIVA E PREVALÊNCIA DE CONSUMO DE ALIMENTOS SUPÉRFLUOS EM UMA POPULAÇÃO DE LACTENTES DA CIDADE DE CAMPINAS - SUBSÍDIOS A INTERVENÇÕES EDUCATIVAS  PAGEREF _Toc522521788 h 30

O ESTUDO DA EXPRESSÃO DO GENE NIS EM TECIDOS TIROIDIANOS  PAGEREF _Toc522521789 h 30

TIPIFICAÇÃO POR DNA DOS ALELOS DE HISTOCOMPATIBILIDADE CLASSE I EM PACIENTES COM ANEMIA APLÁSTICA  PAGEREF _Toc522521790 h 31

ESTUDO DO PAPEL DA ÓXIDO NÍTRICO SINTASE (NOS) DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL SOBRE A MANIPULAÇÃO RENAL DE SÓDIO EM RATOS HIPERTENSOS E NORMOTENSOS  PAGEREF _Toc522521791 h 31

ACIDENTES DE TRANSPORTE EM CAMPINAS : DIFERENÇAS SÓCIO - ESPACIAIS  PAGEREF _Toc522521792 h 31

PERFIL DOS PRESTADORES DE CUIDADOS AO IDOSO EM INSTITUIÇÕES TOTAIS DE UM MUNICÍPIO DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO  PAGEREF _Toc522521793 h 32

LITÍASE BILIAR EM NECRÓPSIAS ? RELAÇÃO COM DISPLASIA DA VESÍCULA BILIAR  PAGEREF _Toc522521794 h 32

DESENVOLVIMENTO DA ESPECIALIDADE DE SAÚDE E TRABALHO DO DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM NO HOSPITAL VIRTUAL BRASILEIRO  PAGEREF _Toc522521795 h 32

NEUROCISTICERCOSE COMO PRINCIPAL CAUSA DE EPILEPSIA EM PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO ?  PAGEREF _Toc522521796 h 33

SOLUÇÕES ADOTADAS POR OSTOMIZADOS EM SEU CONVÍVIO COM UM OSTOMA DEFINITIVO  PAGEREF _Toc522521797 h 33

ESTUDO PROSPECTIVO DA FUNÇÃO TIROIDIANA EM PACIENTES CHAGÁSICOS EM USO PROLONGADO DE AMIODARONA  PAGEREF _Toc522521798 h 33

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EM CRIANÇAS DE 0 A 12 MESES E AMAMENTAÇÃO  PAGEREF _Toc522521799 h 34

INFECÇÃO BACTERIANA HOSPITALAR EM PACIENTES TRANSPLANTADOS DE MEDULA ÓSSEA NO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNICAMP  PAGEREF _Toc522521800 h 34

MORTALIDADE PERINATAL NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS NO BIÊNIO 1998-99  PAGEREF _Toc522521801 h 34

FUNÇÃO RENAL DE RATOS APÓS A ADMINISTRAÇÃO INTRACEREBROVENTRICULAR (I.C.V.) AGUDA DE INSULINA :INFLUÊNCIA DA ESTREPTOZOTOCINA (STZ)  PAGEREF _Toc522521802 h 35

ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO DA CADEIA GAMA DA HEMOGLOBINA FETAL EM PACIENTE COM SÍNDROMES FALCIFORMES (SF) EM USO DE HIDROXIURÉIA  PAGEREF _Toc522521803 h 35

DESENVOLVIMENTO DE UMA TÉCNICA DE AGLUTINAÇÃO PARA O IMUNODIAGNÓSTICO DA NEUROCISTICERCOSE  PAGEREF _Toc522521804 h 35

AVALIAÇÃO ASSISTIDA: TAREFAS DE CONTAGEM EM CRIANÇAS EM RISCO DE DESENVOLVIMENTO  PAGEREF _Toc522521805 h 35

O QUE PROPICIA O SURGIMENTO DO COMPARTILHAR/AJUDAR NAS CRIANÇAS EM RISCO DE DESENVOLVIMENTO?  PAGEREF _Toc522521806 h 36

MOTILIDADE DO ESÔFAGO NA FASE CRÔNICA DA ESOFAGITE CÁUSTICA EM CRIANÇAS.  PAGEREF _Toc522521807 h 36

O ESTUDO DE ANGIOGÊNESE COM O USO DE HEPARINA COMO FATOR PROPICIADOR  PAGEREF _Toc522521808 h 36

EFEITOS DA TRIAMCINOLONA EM PACIENTES COM ESTENOSE DE ANASTOMOSE DE ESOFAGO: UM ESTUDO PROSPECTIVO RANDOMIZADO  PAGEREF _Toc522521809 h 37

ANÁLISE DA CONDUTA EM RELAÇÃO AOS PACIENTES INTERNADOS NO HC/UNICAMP APÓS DIAGNÓSTICO DE SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA ALCOÓLICA COM POSTERIOR PROPOSIÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE TRATAMENTO PARA ESTA CONDIÇÃO.  PAGEREF _Toc522521810 h 37

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: PROBLEMAS IDENTIFICADOS PELOS ENFERMEIROS  PAGEREF _Toc522521811 h 37

ESTUDO DE UTILIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS EM CONTEXTO HOSPITALAR: EXEMPLO DOS DEPRESSORES DO SNC  PAGEREF _Toc522521812 h 38

Faculdade de Educação Física  PAGEREF _Toc522521813 h 38

A ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE E SUAS IMPLICAÇÕES NA MODALIDADE JUDÔ  PAGEREF _Toc522521814 h 38

SELEÇÃO DE TALENTOS NO FUTEBOL: UM ESTUDO A PARTIR DAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E DA PRÁTICA APLICADA  PAGEREF _Toc522521815 h 38

GOLEIROS DE HANDEBOL: TÉCNICA E TÁTICA EM BUSCA DO ALTO NÍVEL  PAGEREF _Toc522521816 h 39

COMO A HIDROGINÁSTICA PODE INFLUENCIAR NA MELHORA DO CONDICIONAMENTO FÍSICO EM MULHERES NA MENOPAUSA  PAGEREF _Toc522521817 h 39

A EDUCAÇÃO PELO LAZER NUM TRABALHO COMUNITÁRIO - INICIAÇÃO LÚDICA AOS CONTEÚDOS FÍSICO-ESPORTIVOS - UM ESTUDO DE CASO  PAGEREF _Toc522521818 h 39

BUSCA DE SENSAÇÕES EM DIFERENTES MODALIDADES ESPORTIVAS  PAGEREF _Toc522521819 h 39

VELOCIDADE DE CORRIDA NO LIMIAR ANAERÓBIO EM JOVENS FUTEBOLISTAS DAS CATEGORIAS INFANTIL E JUVENIL  PAGEREF _Toc522521820 h 40

ANÁLISE AUTOMÁTICA DE DESLOCAMENTOS DE JOGADORES DE FUTEBOL  PAGEREF _Toc522521821 h 40

ASPECTOS PSICOLÓGICOS NA GINÁSTICA ARTÍSTICA  PAGEREF _Toc522521822 h 40

SISTEMATIZAÇÃO DO ENSINO DOS ESPORTES COLETIVOS PARA CRIANÇAS DE 9 A 12 ANOS DE IDADE: O CASO DO FUTSAL  PAGEREF _Toc522521823 h 41

REFLEXOS DA TEORIA DA CIÊNCIA DA MOTRICIDADE HUMANA NA FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA UNICAMP  PAGEREF _Toc522521824 h 41

A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO NA BRINCADEIRA ?NUNCA TRÊS?. UM ESTUDO DAS ADAPTAÇÕES, DO PONTO DE VISTA MOTRICIDADE, A NOVAS SITUAÇÕES COM CRIANÇAS DE 7 A 9 ANOS  PAGEREF _Toc522521825 h 41

IMAGEM CORPORAL PARA ADOLESCENTES ATLETAS, DO SEXO MASCULINO, PRATICANTES DE FUTEBOL  PAGEREF _Toc522521826 h 42

Faculdade de Odontologia de Piracicaba  PAGEREF _Toc522521827 h 42

COMPARAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UNIÃO EM DENTES HUMANOS, BOVINOS E SUÍNOS  PAGEREF _Toc522521828 h 42

A INFLUÊNCIA DA NICOTINA E DO ÁLCOOL NA EVOLUÇÃO DA PERIODONTITE  PAGEREF _Toc522521829 h 42

RECONTAMINAÇÃO POR SALIVA HUMANA DE CANAIS RADICULARES DE DENTES MEDICADOS E SEM SELAMENTO CORONÁRIO  PAGEREF _Toc522521830 h 43

INFLUÊNCIA DO TRATAMENTO SUPERFICIAL NA RESISTÊNCIA ENTRE BRÁQUETES E CERÂMICA  PAGEREF _Toc522521831 h 43

AVALIAÇÃO DA LATÊNCIA E DURAÇÃO DA ANESTESIA INFILTRATIVA COM BUPIVACAÍNA ASSOCIADA OU NÃO À ADRENALINA  PAGEREF _Toc522521832 h 43

BLOQUEIO DO NERVO ALVEOLAR INFERIOR PELA ARTICAÍNA 4% QUANDO ASSOCIADA A DUAS CONCENTRAÇÕES DE ADRENALINA  PAGEREF _Toc522521833 h 44

ISOLAMENTO, IDENTIFICAÇÃO E POTENCIAL CARIOGÊNICO DE S. mutans E S. sobrinus  PAGEREF _Toc522521834 h 44

AVALIAÇÃO DA DUREZA KNOOP DE COMPÓSITOS ODONTOLÓGICOS APÓS TRATAMENTOS SUPERFICIAIS  PAGEREF _Toc522521835 h 44

ENSAIOS DE DUREZA EM LIGAS DE COBALTO-CROMO SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE FUNDIÇÃO  PAGEREF _Toc522521836 h 45

ISOLAMENTO E IDENTIFICAÇÃO DE ESTREPTOCOCOS DO GRUPO MUTANS EM CRIANÇAS COM CÁRIE ATIVA OU PARALISADA  PAGEREF _Toc522521837 h 45

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIMICROBIANO DA PRÓPOLIS DE VÁRIAS REGIÕES BRASILEIRAS CONTRA PATÔGENOS BUCAIS  PAGEREF _Toc522521838 h 45

EFEITO ANTIMICROBIANO DA MIKANIA SOBRE ESTREPTOCOCOS MUTANS  PAGEREF _Toc522521839 h 46

AVALIAÇÃO DO PREENCHIMENTO DE DEFEITOS INTRA-ÓSSEOS TRATADOS PELA TÉCNICA DE INSTRUMENTAÇÃO PERIODONTAL COM ACESSO CIRÚRGICO  PAGEREF _Toc522521840 h 46

Instituto de Biologia  PAGEREF _Toc522521841 h 46

ASPECTOS DA ULTRA-ESTRUTURA DO CANAL SECRETOR E HISTOQUÍMICA DA SECREÇÃO DE Spondias dulcis (Forst.f.) (Anacardiaceae)  PAGEREF _Toc522521842 h 46

REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO DE CONEXINA 43 (Cx43), A PROTEÍNA INTEGRANTE DAS JUNÇÕES COMUNICANTES, EM CULTURA DE ILHOTAS PANCREÁTICAS  PAGEREF _Toc522521843 h 47

SEQUÊNCIA N-TERMINAL DO INIBIDOR DE TRIPSINA (LvTI) DAS SEMENTES DE Lagenaria vulgaris (CABAÇA).............................................................................................................................................................................. PAGEREF _Toc522521844 h 47

RELAÇÃO ESTRUTURA-FUNÇÃO DE FLAVONÓIDES NA ATIVIDADE DA FOSPROTEÍNA TIROSINA FOSFATASE  PAGEREF _Toc522521845 h 47

MAPA 2D DE REFERÊNCIA DAS PROTEÍNAS BÁSICAS DA Xylella fastidiosa  PAGEREF _Toc522521846 h 48

EXPRESSÃO DE HEMAGLUTININA (HA) EM AMOSTRAS DE Enterobacter cloacae ISOLADAS DE INFECÇÃO HOSPITALAR  PAGEREF _Toc522521847 h 48

DETERMINAÇÃO DA PREVALÊNCIA DA FÍMBRIA F5 (K99) E SUA ASSOCIAÇÃO COM OUTROS FATORES DE VIRULÊNCIA EM AMOSTRAS DE Escherichia coli ISOLADAS DE BEZERROS COM DIARRÉIA  PAGEREF _Toc522521848 h 48

FERRAMENTA PARA RESTRIÇÃO DO BANCO DE DADOS PARA IDENTIFICAÇÃO DE PROTEÍNAS, BASEADO NO pI E MW PREVISTOS DE SEQUÊNCIAS GENÔMICAS  PAGEREF _Toc522521849 h 49

DETECÇÃO DE ANTICORPOS IgM E IgG PARA ANTÍGENOS DA DENGUE ATRAVÉS DA TÉCNICA DE INIBIÇÃO DA HEMAGLUTINAÇÃO EM SOROS DE MACACOS DE ÁREAS URBANAS  PAGEREF _Toc522521850 h 49

NECTÁRIOS DO CIÁTIO DE Euphorbia milii Desmoul. (EUPHORBIACEAE)  PAGEREF _Toc522521851 h 49

PURIFICAÇÃO DOS ANTICORPOS MONOCLONAIS QUE RECONHECEM PROTEÍNA DO CAPSÍDEO VIRAL DO VÍRUS DA TRISTEZA DO CITROS DO COMPLEXO CAPÃO BONITO  PAGEREF _Toc522521852 h 50

EFEITO DE FLAVONÓIDES NA OXIDAÇÃO DA HEMOGLOBINA, PEROXIDAÇÃO LIPÍDICA E FORMAÇÃO DE CORPOS DE HEINZ EM ERITRÓCITOS HUMANOS INDUZIDOS POR t-BOOH.  PAGEREF _Toc522521853 h 50

PURIFICAÇÃO, PROPRIEDADES INIBITÓRIAS E SEQUÊNCIA NH2 TERMINAL DE UM NOVO INIBIDOR DE TRIPSINA DE SEMENTES DE Koelreuteria paniculata  PAGEREF _Toc522521854 h 50

PESQUISA PELA TÉCNICA DE ELISA DE ANTICORPOS IgM E IgG REATIVOS COM ANTÍGENOS DA DENGUE EM SANGUE DE SÍMIOS DE ÁREAS URBANAS  PAGEREF _Toc522521855 h 51

ANÁLISE DO PROTEOMA DA Xylella fastidiosa UTILIZANDO MAPAS 2D DE FAIXAS ESTREITAS DE pH  PAGEREF _Toc522521856 h 51

EFEITO DE ALTA PRESSÃO E URÉIA EM HEMOGLOBINA EXTRACELULAR DE ANELÍDEO  PAGEREF _Toc522521857 h 51

A FUNÇÃO ECOLÓGICA DOS FRUTOS DE Urera baccifera (Urticaceae): INTERAÇÕES ENTRE Smyrna blomfildia (Lep., Nymphalidae) E FORMIGAS  PAGEREF _Toc522521858 h 52

FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA COMPARAÇÃO VISUAL DE PROTEOMA  PAGEREF _Toc522521859 h 52

ESTUDO DA EXPRESSÃO DAS MOLÉCULAS CO-ESTIMULATÓRIAS DOS LEUCÓCITOS DAS PLACAS DE PEYER, ANTES E APÓS A INDUÇÃO DE TOLERÂNCIA ORAL À PROTEÍNA BÁSICA DE MIELINA  PAGEREF _Toc522521860 h 52

CARACTERIZAÇÃO DO CITOCROMO P450 EM Prochilodus scrofa  PAGEREF _Toc522521861 h 53

ABELHAS E O USO DE RECURSOS DE PLANTAS ORNAMENTAIS NA UNICAMP  PAGEREF _Toc522521862 h 53

EFEITO DO CRIPTORQUIDISMO EXPERIMENTAL SOBRE A EXPRESSÃO DO ANTÍGENO RECONHECIDO PELO ANTICORPO MONOCLONAL TRA 54 NAS CÉLULAS EPITELIAIS DO EPIDÍDIMO  PAGEREF _Toc522521863 h 53

GUIA DE CAMPO PARA IDENTIFICAÇÃO DE PLANTAS AQUÁTICAS E PALUSTRES DO ESTADO DE SÃO PAULO: FAMÍLIAS LENTIBULARIACEAE E SCROPHULARIACEAE  PAGEREF _Toc522521864 h 54

AVALIAÇÃO DE COMPLEXOS DO VÍRUS DA TRISTEZA DOS CITROS POR ANTICORPOS MONOCLONAIS  PAGEREF _Toc522521865 h 54

PURIFICAÇÃO, PROPRIEDADES FUNCIONAIS E ESTRUTURAIS DE GwLec UMA LECTINA DE SEMENTES DE Glicyne wightii (SOJA PERENE)  PAGEREF _Toc522521866 h 54

CARACTERIZAÇÃO DO COMPLEXO SÓLIDO PRAZIQUANTEL EM ?-CICLODEXTRINA  PAGEREF _Toc522521867 h 55

DIFERENCIAÇÃO GENÉTICA EM TRÊS ESPÉCIES DO GÊNERO Bulbophyllum (Orchidaceae) DE CAMPOS RUPESTRES  PAGEREF _Toc522521868 h 55

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM MOGI GUAÇU, SP: ACOMPANHAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ? ?AINDA HÁ TEMPO?  PAGEREF _Toc522521869 h 55

ESTUDO DA EXPRESSÃO DAS MOLÉCULAS CO-ESTIMULATÓRIAS DOS LEUCÓCITOS DE CAMUNDONGOS PORTADORES DE ENCEFALOMIELITE EXPERIMENTAL AUTO-IMUNE SUBMETIDOS A TRATAMENTO COM O INTERFERON BETA  PAGEREF _Toc522521870 h 56

CARACTERIZAÇÃO CITOMOLECULAR DE Coffea eugenioides  PAGEREF _Toc522521871 h 56

ESTRUTURA E ULTRA-ESTRUTURA DO ESPERMATOZÓIDE DE Eulaema nigrita (Hymenoptera: Euglossini: Apidae)  PAGEREF _Toc522521872 h 56

ESTUDOS CROMOSSÔMICOS EM Stevia rebaudiana BERTONI  PAGEREF _Toc522521873 h 56

ESTUDOS COMPARATIVOS DE ALGUNS PARÂMETROS CINÉTICOS DE PLA2 ISOLADAS DE Bothrops jararacussu (BJIV e BJV) E C.d.collineatus (F6)  PAGEREF _Toc522521874 h 57

PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS  PAGEREF _Toc522521875 h 58

Instituto de Computação  PAGEREF _Toc522521876 h 59

MONTAGEM DO GENOMA DA Xanthomonas axonopodis pv. citri  PAGEREF _Toc522521877 h 59

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE-USUÁRIO E VALIDAÇÃO DE UMA FERRAMENTA PARA TESTES DE SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO  PAGEREF _Toc522521878 h 59

HagáQuê ? IMPLEMENTAÇÃO DE UM EDITOR DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS  PAGEREF _Toc522521879 h 59

CALIBRAÇÃO DINÂMICA DE CÂMERAS PARA RASTREAMENTO DE JOGADORES DE FUTEBOL DURANTE O JOGO  PAGEREF _Toc522521880 h 59

ANÁLISE FORENSE DE INTRUSÕES EM AMBIENTES UNIX  PAGEREF _Toc522521881 h 60

O ESTUDO DE COMPACTAÇÃO DE IMAGENS UTILIZANDO A SEGMENTAÇÃO MULTI-ESCALA  PAGEREF _Toc522521882 h 60

UMA FERRAMENTA DE INJEÇÃO DE FALHAS PARA O GUARANÁ  PAGEREF _Toc522521883 h 60

XINGÓ: MICROPROCESSADORES RECONFIGURÁVEIS  PAGEREF _Toc522521884 h 61

CONSTRUÇÃO DE UMA INTERFACE PARA A FERRAMENTA DE TESTES CONDADO  PAGEREF _Toc522521885 h 61

SIMULAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DO MECANISMO DE TOLERÂNCIA A FALHAS NO 2K  PAGEREF _Toc522521886 h 61

SOFTWARE BÁSICO PARA O GUARÁ - UM CLUSTER DE ALTO DESEMPENHO  PAGEREF _Toc522521887 h 62

Instituto de Física  PAGEREF _Toc522521888 h 62

CONDUTIVIDADE E FOTOCONDUTIVIDADE EM MATERIAIS FOTORREFRATIVOS  PAGEREF _Toc522521889 h 62

CARACTERIZAÇÃO TÉRMICA E ESPECTROSCÓPICA DE MATERIAS POR DETECÇÃO FOTOPIROELÉTRICA E FOTOACÚSTICA DE ONDAS TÉRMICAS  PAGEREF _Toc522521890 h 62

CARACTERIZAÇÃO ESTRUTURAL DE FILMES DE SNO2 POR DIFRAÇÃO DE RAIOS-X  PAGEREF _Toc522521891 h 63

DESENVOLVIMENTO DE INSTRUMENTOS VIRTUAIS PARA ESTUDO DE MATERIAIS ELETROCRÔMICOS  PAGEREF _Toc522521892 h 63

HOLOGRAFIA EM AMBIENTE NÃO CONTROLADO  PAGEREF _Toc522521893 h 63

DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE E TEMPERATURA ELETRÔNICA DO PLASMA UTILIZANDO SONDAS DE LANGMUIR  PAGEREF _Toc522521894 h 64

ESTUDO DA DIFRACÃO DE RAIOS-X EM ÂNGULOS DE BRAGG EM TORNO DE (/2 EM CRISTAIS DE DIAMANTE  PAGEREF _Toc522521895 h 64

DESENVOLVIMENTO DE BOBINAS PARA DESACELERAÇÃO E APRISIONAMENTO DE ÁTOMOS DE CÁLCIO  PAGEREF _Toc522521896 h 64

SEÇÃO DE CHOQUE DE EXCITAÇÕES VIBRACIONAIS DA MOLÉCULA DE HIDROGÊNIO (H2) POR IMPACTO DE ELÉTRONS  PAGEREF _Toc522521897 h 64

FÍSICA APRESENTADA EM MUSEUS DE CIÊNCIAS  PAGEREF _Toc522521898 h 65

IMPLEMENTAÇÃO DE UMA USINA PILOTO DE PRODUÇÃO DE HIDROGÊNIO SUPRIDA POR ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA  PAGEREF _Toc522521899 h 65

ESTUDO E DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS ABSORVEDORES DE RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA  PAGEREF _Toc522521900 h 65

OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE GUIAS DE ONDAS PLANARES ATRAVÉS DO MÉTODO DE APROXIMAÇÃO WKB INVERTIDO  PAGEREF _Toc522521901 h 66

LEIS DE ESCALA NA FORMAÇÃO DE SUPERFÍCIES  PAGEREF _Toc522521902 h 66

PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE TELURETOS VIDROS DOPADOS COM SEMICONDUTORES DO TIPO PbTe  PAGEREF _Toc522521903 h 66

CARACTERIZAÇÃO FRACTAL DE FILMES FINOS UTILIZANDO MICROSCOPIA DE FORÇA ATÔMICA  PAGEREF _Toc522521904 h 67

ESTUDO DE DETECTORES DE PARTÍCULAS PARA SEREM UTILIZADOS NA VETAGEM DE RAIOS CÓSMICOS DO DETECTOR DE ONDAS GRAVITACIONAIS MÁRIO SCHENBERG  PAGEREF _Toc522521905 h 67

CÁLCULOS RELATIVÍSTICOS EM ÁTOMOS EXCITADOS  PAGEREF _Toc522521906 h 67

INVESTIGAÇÃO DA ATIVIDADE FOTOSSINTÉTICA ATRAVÉS DAS TÉCNICAS FOTOACÚSTICA E FOTOPIROELÉTRICA  PAGEREF _Toc522521907 h 68

QUANTIZAÇÃO DA CONDUTÂNCIA ENTRE DOIS FIOS  PAGEREF _Toc522521908 h 68

CÉLULA DE COMBUSTÍVEL TIPO ALCALINA  PAGEREF _Toc522521909 h 68

DESCRIÇÃO NUMÉRICA DA FUNÇÃO DE ONDA DO ESTADO FUNDAMENTAL DO ÁTOMO DE POSITRÔNIO FORA DO REFERENCIAL DO CENTRO DE MASSA  PAGEREF _Toc522521910 h 68

ESTRUTURA CRISTALOGRAFICA DA GAPDH DE PORCO  PAGEREF _Toc522521911 h 69

INTERFEROMETRIA E HOLOGRAFIA COM LASER DE DIODO  PAGEREF _Toc522521912 h 69

Instituto de Geociências  PAGEREF _Toc522521913 h 69

MODELO 3D CONCEITUAL DOS CORPOS RESERVATÓRIOS EM SISTEMAS DEPOSICIONAIS SILICOCLÁSTICOS DE ÁGUAS PROFUNDAS: O CASO DO SUBGRUPO ITARARÉ ? PORÇÃO ENTRE CAMPINAS E ITÚ.  PAGEREF _Toc522521914 h 69

ANÁLISE BIVARIADA: UMA ABORDAGEM POR ESPERANÇA CONDICIONAL EXPERIMENTAL  PAGEREF _Toc522521915 h 70

BRECHAS MINERALIZADAS: PARÂMETROS DE CLASSIFICAÇÃO E APLICAÇÃO AO DEPÓSITO DE COBRE-OURO DE IGARAPÉ BAHIA, PROVÍNCIA MINERAL DE CARAJÁS, PA  PAGEREF _Toc522521916 h 70

ROTEIROS DE CAMPO PARA ENSINO DE GEOLOGIA, A PARTIR DE LEVANTAMENTOS GEOLÓGICOS E GEOMORFOLÓGICOS DA REGIÃO DE JUNDIAÍ-ATIBAIA  PAGEREF _Toc522521917 h 70

DETALHAMENTO GEOLÓGICO-GEOFÍSICO DA REGIÃO DE CAETÉS, MINAS GERAIS  PAGEREF _Toc522521918 h 71

MAPA GEOMORFOLÓGICO, EM AMBIENTE SIG, DA REGIÃO DE JUNDIAÍ-ATIBAIA  PAGEREF _Toc522521919 h 71

DETECÇÂO DE OCORRÊNCIAS DE Zn-Pb ATRAVÉS DE SENSORES REMOTOS E SIGs  PAGEREF _Toc522521920 h 71

COMPORTAMENTO DO As, Pb, Cu E Zn EM SOLOS TROPICAIS  PAGEREF _Toc522521921 h 72

ANÁLISE E MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE RISCO NA CIDADE DE APIAÍ  PAGEREF _Toc522521922 h 72

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica  PAGEREF _Toc522521923 h 72

RECONSTRUÇÃO DE IMAGENS VIA PROJEÇÕES: UMA INTRODUÇÃO A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA  PAGEREF _Toc522521924 h 72

SISTEMAS DINÂMICOS DISCRETOS  PAGEREF _Toc522521925 h 72

A MATEMÁTICA DAS TEORIAS DE CALIBRE E APLICAÇÕES À ROBÓTICA  PAGEREF _Toc522521926 h 73

UM ESTUDO DE REDES NEURAIS APLICADO A UM PROBLEMA DE CLASSIFICAÇÃO BINÁRIA  PAGEREF _Toc522521927 h 73

TÉCNICAS DE REORDENAÇÃO PARA MATRIZES ESPARSAS  PAGEREF _Toc522521928 h 73

SOBRE UM TIPO DE EQUAÇÃO DIFERENCIAL PARCIAL  PAGEREF _Toc522521929 h 74

GRUPOS DE LIE  PAGEREF _Toc522521930 h 74

ESTIMADORES RESISTENTES  PAGEREF _Toc522521931 h 74

AS MATEMÁTICAS DA TEORIA DE CALIBRE APLICADAS À ROBÓTICA  PAGEREF _Toc522521932 h 74

A MATEMÁTICA DO MOVIMENTO: APLICAÇÕES DAS REPRESENTAÇÕES PARAMÉTRICAS EM TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO  PAGEREF _Toc522521933 h 75

INTRODUÇÃO ÀS REDES NEURAIS  PAGEREF _Toc522521934 h 75

REDES NEURAIS ARTIFICIAIS APLICADAS À RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS  PAGEREF _Toc522521935 h 75

INFERÊNCIA BAYESIANA PARA SEQÜÊNCIA DE CONSENSO DE DNA USANDO MÉTODOS DE MONTE CARLO E BASEADO EM CADEIAS DE MARKOV COM SALTOS REVERSÍVEIS  PAGEREF _Toc522521936 h 76

SOBRE UM ESTUDO DO EQUILÍBRIO BIONÔMICO DE UM SISTEMA DE DUAS ESPÉCIES  PAGEREF _Toc522521937 h 76

MODELOS PRINCIPAIS DE REDES NEURAIS: INTRODUÇÃO À TEORIA E APLICAÇÕES  PAGEREF _Toc522521938 h 76

LOCALIZAÇÃO TERRESTRE: DO MAPA DE MERCATOR AO GPS  PAGEREF _Toc522521939 h 77

MODELOS DO UNIVERSO  PAGEREF _Toc522521940 h 77

EXPLORAÇAO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS  PAGEREF _Toc522521941 h 77

MODELAGEM DE AEROFÓLIOS BIDIMENSIONAIS  PAGEREF _Toc522521942 h 77

APLICAÇÕES EM ÁLGEBRA LINEAR IMPLEMENTADAS COMPUTACIONALMENTE  PAGEREF _Toc522521943 h 78

A FUNÇÃO DE GREEN UNIDIMENSIONAL  PAGEREF _Toc522521944 h 78

COMPARAÇÃO DE MODELOS PARAMÉTRICOS E NÃO-PARAMÉTRICOS PARA ESTIMAÇÃO DE VOLATILIDADE  PAGEREF _Toc522521945 h 78

APROXIMAÇÕES SUCESSIVAS ATRAVÉS DE PONTO FIXO  PAGEREF _Toc522521946 h 79

Instituto de Química  PAGEREF _Toc522521947 h 79

MEMBRANAS COMPÓSITAS DE POLI(CARBOSSILANO) E DE SILICONA RETICULADA COM NÚCLEOS DENDRÍTICOS  PAGEREF _Toc522521948 h 79

SOBRE O IMPACTO DIDÁTICO DE UM SITE EDUCACIONAL  PAGEREF _Toc522521949 h 79

CRIAÇÃO E USO DE UMA EXPERIMENTOTECA NO ENSINO DE QUÍMICA COMO FORMA DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO DA REDE PÚBLICA E ESTÍMULO PARA A CARREIRA DE QUÍMICO  PAGEREF _Toc522521950 h 80

ESTUDO DE REAÇÕES NA FASE GASOSA ENTRE ÍONS ACÍLIOS E AMINAS  PAGEREF _Toc522521951 h 80

EXTRAÇÃO E PURIFICAÇÃO DA VIOLACEÍNA, UM PIGMENTO NATURAL EXTRAÍDO DA Chromobacterium violaceum. ESTUDO DOS COMPLEXOS DE INCLUSÃO COM (-CICLODEXTRINAS E SUA ATIVIDADE BIOLÓGICA  PAGEREF _Toc522521952 h 80

OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE SUPORTE DE SÍLICA ZIRCONIZADA  PAGEREF _Toc522521953 h 80

PREPARAÇÃO DE UM SILICATO DE MAGNÉSIO LAMELAR, MODIFICADO COM GRUPOS ORGÂNICOS DERIVADOS DA URÉIA E APLICAÇÃO NA PRÉ-CONCENTRAÇÃO DE MOLÉCULAS ORGÂNICAS POLUENTES  PAGEREF _Toc522521954 h 81

SEPARAÇÃO E DETERMINAÇÃO DE COBRE EM AMOSTRAS DE INTERESSE METALÚRGICO E ALIMENTOS, UTILIZANDO ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO ATÔMICA POR CHAMA APÓS EXTRAÇÃO COM DIBENZOILMETANO (DBM) EM NAFTALENO FUNDIDO  PAGEREF _Toc522521955 h 81

ESTUDO FITOQUÍMICO DE Plumeria rubra L. (Apocynaceae)  PAGEREF _Toc522521956 h 82

AVALIAÇÕES CROMATOGRÁFICAS E CINÉTICAS DA DEPOSIÇÃO DE POLI(METILOCTILSILOXANO) NOS POROS DA SÍLICA  PAGEREF _Toc522521957 h 82

ESTUDO GEOQUÍMICO ORGÂNICO DE QUATRO ÓLEOS DO CAMPO DE MARLIM DA BACIA DE CAMPOS  PAGEREF _Toc522521958 h 82

ADSORÇÃO DE CÁTIONS E HETEROGENEIDADE DE PARTÍCULAS DE LÁTEX POLIMÉRICOS DE POLI(ACETATO DE VINILA)  PAGEREF _Toc522521959 h 82

ESTUDO DA BIODEGRADAÇÃO DE EFLUENTE DE INDÚSTRIA PAPELEIRA UTILIZANDO SISTEMA DE LODO ATIVADO  PAGEREF _Toc522521960 h 83

ESTUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DA POLAROGRAFIA DE PULSO DIFERENCIAL NA DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA DE FERRO(III) EM UM ELETRÓLITO SUPORTE A BASE DE ACETATO - EDTA  PAGEREF _Toc522521961 h 83

SÍNTESE TOTAL DE ALCALÓIDES N-METIL-4-ALQUIL-QUINOLÔNICOS COM POTENCIAL ATIVIDADE ANTIMALARIAL  PAGEREF _Toc522521962 h 83

ESTUDO MICROCALORIMÉTRICO DO EFEITO DE m-metoxifenol SOBRE A RESPIRAÇÃO DE Chromobacterium violaceum  PAGEREF _Toc522521963 h 84

CONTAMINANTES EM ALIMENTOS: NITRATOS EM VEGETAIS HIDROPÔNICOS  PAGEREF _Toc522521964 h 84

APLICAÇÕES DA TÉCNICA DE PERMEAÇÃO EM MEMBRANA PARA PREPARO DE AMOSTRA E ANÁLISE CROMATOGRÁFICA  PAGEREF _Toc522521965 h 84

ESTUDO COMPARATIVO DA SUPERFÍCIE QUÍMICA NA TROCA DE ÍONS DE METAIS PESADOS POR DUAS ARGILAS NATURAIS BRASILEIRAS- UMA POSSÍVEL APLICAÇÃO AMBIENTAL  PAGEREF _Toc522521966 h 85

ESTUDO DA REAÇÃO DE CICLIZAÇÃO DE OLEFINAS ACÍCLICAS E MONOCÍCLICAS CATALIZADA EM MEIO ÁCIDO  PAGEREF _Toc522521967 h 85

EXTRAÇÃO ALCALINA DO DIRECIONADOR DE ALUMINOFOSFATOS MESOESTRUTURADOS  PAGEREF _Toc522521968 h 85

SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DO 5-HIDROXIMETIL-2-FURFURAL (HMF) ATRAVÉS DA DESIDRATAÇÃO DA FRUTOSE  PAGEREF _Toc522521969 h 86

DETERMINAÇÃO DIRETA DE ARTEMISININA EM ARTEMÍSIA ANNUA L. POR ESPECTROSCOPIA DE INFRAVERMELHO PRÓXIMO  PAGEREF _Toc522521970 h 86

SEQÜÊNCIA EM MICROONDAS PARA A PREPARAÇÃO DE SISTEMAS (-LACTÂMICOS  PAGEREF _Toc522521971 h 86

REAÇÃO DE 2- AMINOMETILPIRIDINA NA SUPERFÍCIE DA SÍLICA GEL PREVIAMENTE IMOBILIZADA COM AGENTE SILILANTE  PAGEREF _Toc522521972 h 86

SÍNTESE DE ÁCIDOS (-METILCARBOXÍLICOS E PREPARAÇÃO DAS RESPECTIVAS AMIDAS COM (+)- E (-)-(-METILBENZILAMINAS PARA ESTUDO DE ESTEREO-DIFERENCIAÇÃO POR RMN 1H E 13C  PAGEREF _Toc522521973 h 87

DESENVOLVIMENTO DE SITE EDUCAIONAL SOBRE QUÍMICA  PAGEREF _Toc522521974 h 87

EPOXIDAÇÃO DE TERPENOS CATALISADA POR MATERIAIS MESOPOROSOS CONTENDO TITÂNIO  PAGEREF _Toc522521975 h 87

SÍNTESE DE TiO2 NANOCRISTALINO PARA APLICAÇÃO EM CÉLULAS SOLARES REGENERATIVAS COM ELETRÓLITO SÓLIDO POLIMÉRICO  PAGEREF _Toc522521976 h 88

SÍNTESE DE (-CETOAMIDAS E DE COMPOSTOS COM PONTE OXO  PAGEREF _Toc522521977 h 88

ESTABILIDADE DE ÓXIDOS MISTOS NA OXIDAÇÃO DE CICLOEXANO  PAGEREF _Toc522521978 h 88

DETERMINAÇÃO QUANTITATIVA DE ESTEVIOSÍDEO EM ADOÇANTES NATURAIS POR ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO (NIR)  PAGEREF _Toc522521979 h 89

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO COMPÓSITO CELULOSE/ALUMÍNIO  PAGEREF _Toc522521980 h 89

IMOBILIZAÇÃO DE LACASE FÚNGICA EM DIVERSOS SUPORTES  PAGEREF _Toc522521981 h 89

DESENVOLVIMENTO DE PROCEDIMENTOS PARA INCORPORAÇÃO DE ALUMINA EM PARTÍCULAS POROSAS DE SÍLICA PARA SUA UTILIZAÇÃO COMO SUPORTE EM CLAE  PAGEREF _Toc522521982 h 90

PURIFICAÇÃO DOS FLAVONÓIDES ISOLADOS DE Lonchocarpus montanus  PAGEREF _Toc522521983 h 90

PRÉ-CONCENTRAÇÃO E DETERMINAÇÃO DE COBALTO EM ÁGUAS NATURAIS USANDO EXTRAÇÃO EM FASE SÓLIDA COM 2,2?-BIPIRIDINA EM RESINA XAD-2.  PAGEREF _Toc522521984 h 90

ESTUDO COMPARATIVO DA ADSORÇÃO DE PIGMENTOS COLORIDOS DE ÓLEOS COMESTÍVEIS EM ARGILAS NATURAIS BRASILEIRAS  PAGEREF _Toc522521986 h 91

RECICLAGEM DE COMPÓSITOS DE POLIÉSTER REFORÇADO COM FIBRA DE VIDRO  PAGEREF _Toc522521987 h 91

NOVO SISTEMA PARA MEDIDA DE PERMEAÇÃO DE OXIGÊNIO EM OXIGENADORES EXTRA-CORPÓREOS DE FIBRA OCA  PAGEREF _Toc522521988 h 91

DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE DE ASSOCIAÇÃO DO ALUMÍNIO COM A ALBUMINA UTILIZANDO A FOSFORESCÊNCIA DO TÉRBIO  PAGEREF _Toc522521989 h 91

DETERMINAÇÃO TURBIDIMÉTRICA SPOT-TEST QUANTITATIVA DE POTÁSSIO EM SORO SANGUÜÍNEO  PAGEREF _Toc522521990 h 92

DETERMINAÇÃO DA DISTÂNCIA ENTRE DOIS ÁTOMOS DE CARBONO UTILIZANDO UM CONTA-GOTAS E UMA RÉGUA  PAGEREF _Toc522521991 h 92

DETERMINAÇÃO DO NÚMERO DE AVOGADRO ATRAVÉS DE UM EXPERIMENTO DE FÁCIL EXECUÇÃO  PAGEREF _Toc522521992 h 92

MONTAGEM DE UMA BURETA USANDO MATERIAIS DE FÁCIL ACESSO  PAGEREF _Toc522521993 h 93

APLICAÇÃO DO NOVO PROCEDIMENTO QUANTITATIVO DE OCUPAÇÃO COMPLETA DOS POROS DAS PARTÍCULAS DE SÍLICA POR SOLVENTES OU POLÍMEROS ORGÂNICOS, PARA FINS CROMATOGRÁFICOS  PAGEREF _Toc522521994 h 93

PREPARAÇÃO E PROPRIEDADES CROMATOGRÁFICAS DE SUPORTES DE SÍLICA TITANIZADA  PAGEREF _Toc522521995 h 93

DEGRADAÇÃO DE PESTICIDAS EMPREGANDO-SE PROCESSOS OXIDATIVOS AVANÇADOS  PAGEREF _Toc522521996 h 94

PROPRIEDADES DE INTERFACE E EQUILÍBRIO NOS SISTEMAS FOSFATO DE CÁLCIO /SOLUÇÕES AQUOSAS  PAGEREF _Toc522521997 h 94

UTILIZAÇÃO DE AMINAS CÍCLICAS E HETEROCÍCLICAS NA OBTENÇÃO DE ZEÓLITOS  PAGEREF _Toc522521998 h 94

DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA DE Ni (II) e Co (II) EM MICRO-AMOSTRAS  PAGEREF _Toc522521999 h 95

HETEROGENEIZAÇÃO DE CATALISADORES SOLÚVEIS DE MOLIBDÊNIO EM MATRIZES HÍBRIDAS ORGANO-INORGÂNICAS PELO PROCESSO SOL-GEL  PAGEREF _Toc522522000 h 95

OXIDAÇÂO DE HIDROCARBONETOS COM PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO CATALISADA POR HETEROPOLIÁCIDOS FOSFOMOLIBDATOS CONTENDO VANÁDIO  PAGEREF _Toc522522001 h 95

UTILIZAÇÃO DE MICRORGANISMOS (Saccharomyces cerevisiae) NA OBTENÇÃO DE COMPOSTOS QUIRAIS A PARTIR DE CETONAS. OBTENÇÃO DE AMINAS CÍCLICAS  PAGEREF _Toc522522002 h 95

UTILIZAÇÃO DE MICRORGANISMO (Saccharomyces cerevisiae) NA OBTENÇÃO DE AMIDAS. UMA CONTRIBUIÇÃO À QUÍMICA VERDE  PAGEREF _Toc522522003 h 96

ESTUDO COMPARATIVO DA DETECÇÃO POTENCIOMÉTRICA DE ÁCIDO ASCÓRBICO EM ESTADO ESTACIONÁRIO, ANÁLISE POR INJEÇÃO EM FLUXO (FIA) E ANÁLISE EM FLUXO MONOSSEGMENTADO (MSFA)  PAGEREF _Toc522522004 h 96

CROMATOGRAFIA LÍQUIDA EM COLUNAS LONGAS UTILIZANDO FASE ESTACIONÁRIA TIPO REVERSA  PAGEREF _Toc522522005 h 96

ELETROCROMISMO DE FILMES DE POLI{3-[10-(p-METOXIFENOXI)DECIL]TIOFENO}  PAGEREF _Toc522522006 h 97

PREPARAÇÃO, CARACTERIZAÇÃO E INTERCALAÇÃO DE AMINAS EM FENILARSENATO DE TITÂNIO LAMELAR  PAGEREF _Toc522522007 h 97

DETEMINAÇÃO DA COR DE AÇUCARES ATRAVÉS DE MEDIDAS DE REFLÊTANCIA  PAGEREF _Toc522522008 h 97

PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS  PAGEREF _Toc522522009 h 99

Faculdade de Educação  PAGEREF _Toc522522010 h 100

O ESTIGMA RACIAL: SUAS PRÁTICAS E REPRESENTAÇÕES  PAGEREF _Toc522522011 h 100

LEVANTAMENTO E CATALOGAÇÃO DAS OBRAS DEIXADAS PELOS VIAJANTES QUE ESTIVERAM NO BRASIL DURANTE O PERÍODO COLONIAL E O IMPÉRIO  PAGEREF _Toc522522012 h 100

ACOMPANHAMENTO DA IMPLANTAÇÃO DO FUNDO DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL E VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO (FUNDEF) NO ESTADO DE SÃO PAULO  PAGEREF _Toc522522013 h 100

UM ESTUDO SOBRE AS RELAÇÕES ENTRE SIGNIFICADOS NUMÉRICOS E VALORES CULTURAIS  PAGEREF _Toc522522014 h 101

ESCOLA COMUNITÁRIA DE CAMPINAS: A MEMÓRIA CONTA SUA HISTÓRIA (1977-1984)  PAGEREF _Toc522522015 h 101

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA. UMA RELEITURA DA OBRA DE SERAFIM LEITE: A RESISTÊNCIA INDÍGENA NO PERÍODO JESUÍTICO (1549/ 1759)  PAGEREF _Toc522522016 h 101

RECUPERAÇÃO DE DOCUMENTOS E MATERIAIS DIDÁTICOS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL RELACIONADOS COM CONHECIMENTOS DE CIÊNCIAS NATURAIS  PAGEREF _Toc522522018 h 102

MEU PROBLEMA É UM PROBLEMA?  PAGEREF _Toc522522019 h 102

MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA: O OUTRO NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO PELO ALUNO  PAGEREF _Toc522522020 h 102

A RECONSTRUÇÃO E PRODUÇÃO DOS SABERES DOCENTES NA DINÃMICA DOS CURRÍCULOS POR PROJETOS, FRENTE AS EXIGÊNCIAS POLÍTICO EDUCACIONAIS, IMPLEMENTADAS NO ENSINO INFANTIL DE VÁRZEA PAULISTA  PAGEREF _Toc522522021 h 102

A MÚSICA COMO ELEMENTO INTEGRADOR DE IMIGRANTES ITALIANOS À SOCIEDADE DE SERRA NEGRA: O PAPEL DAS BANDAS DE MÚSICA NA VIDA SÓCIO CULTURAL PAULISTA NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX  PAGEREF _Toc522522022 h 103

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA, UMA RELEITURA DA OBRA DE SERAFIM LEITE: A RESISTÊNCIA INDÍGENA NO PERÍODO JESUÍTICO (1549/1759)  PAGEREF _Toc522522023 h 103

UM ESTUDO SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES NA RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO A PARTIR DA CONSTRUÇÃO DE UMA ESCOLA DEMOCRÁTICA  PAGEREF _Toc522522024 h 103

BRINCANDO E APRENDENDO ARITMÉTICA  PAGEREF _Toc522522025 h 104

ESTUDAR NO EXTERIOR: O FLUXO DE BOLSISTAS DO BRASIL PARA A ALEMANHA  PAGEREF _Toc522522026 h 104

A GESTÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA: A INTENÇÃO E A REALIDADE DAS HTPC?S (HORA DE TRABALHO PEDAGÓGICO COLETIVO) NAS ESCOLAS PÚBLICAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE CAMPINAS. UM ESTUDO DE CASO  PAGEREF _Toc522522027 h 104

MÍDIA: VERDADES E MENTIRAS SOBRE A ESCOLA PÚBLICA BRASILEIRA  PAGEREF _Toc522522028 h 105

USO DE JOGOS COMPUTACIONAIS EDUCATIVOS VIA INTERNET NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA - PROJETO FORMEL  PAGEREF _Toc522522029 h 105

INTRODUÇÃO DE JOGOS DE RPG NO ENSINO DE RELAÇÕES TRIANGULARES  PAGEREF _Toc522522030 h 105

CURSO DE PEDAGOGIA DA UNICAMP: PROCESSO DE REFORMULAÇÃO CURRICULAR  PAGEREF _Toc522522031 h 105

A IMAGEM DO NEGRO NOS ATUAIS LIVROS DIDÁTICOS  PAGEREF _Toc522522032 h 106

O RETRATO DE UMA EDUCAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO DA MENINA NO DIÁRIO ?MINHA VIDA DE MENINA? DE HELENA MORLEY  PAGEREF _Toc522522033 h 106

A PESQUISA EDUCACIONAL BRASILEIRA SOBRE MATERIAIS E RECURSOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS  PAGEREF _Toc522522034 h 106

A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE SOCIAL DA COMUNIDADE DO ASSENTAMENTO ?12 DE OUTUBRO?: UM OLHAR SOBRE O IDOSO  PAGEREF _Toc522522035 h 107

DIFICULDADES DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL, EM ÁLGEBRA, E SUAS POSSÍVEIS ORIGENS  PAGEREF _Toc522522036 h 107

MANIA DE LER, LOCADORA DE LIVROS  PAGEREF _Toc522522037 h 107

BUSCANDO ENTENDER ESTE OUTRO... ALUNOS E ALUNAS, AFINAL, RESISTEM À QUÊ?  PAGEREF _Toc522522038 h 107

PRODUÇÃO DE TEXTOS SOBRE A HISTÓRIA DA ELETRICIDADE PARA CURSOS DE FÍSICA DO NÍVEL MÉDIO  PAGEREF _Toc522522039 h 108

MÚSICA DE PROTESTO: UM OLHAR SOBRE A HISTÓRIA DO BRASIL NAS ÚLTIMAS DÉCADAS  PAGEREF _Toc522522040 h 108

PESQUISA COMPARADA DA SITUAÇÃO ADMINISTRATIVA E POLÍTICA DOS CONSELHOS MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (CME) E MUNICIPAL DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEF (CMACS) DOS MUNICÍPIOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA E PEDREIRA  PAGEREF _Toc522522041 h 108

O LUGAR DO IMPREVISTO NO ESPAÇO DA EDUCAÇÃO INFANTIL  PAGEREF _Toc522522042 h 109

PROXIMIDADE FÍSICA ENTRE PROFESSORA E ALUNOS NAS RELAÇÕES DE ENSINO  PAGEREF _Toc522522043 h 109

EXPERIMENTAÇÃO NO ENSINO DE FÍSICA DO ENSINO MÉDIO  PAGEREF _Toc522522044 h 109

Faculdade de Educação Física  PAGEREF _Toc522522045 h 110

LAZER E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: NAS TRILHAS DO PARQUE ESTADUAL DE IBITIPOCA  PAGEREF _Toc522522046 h 110

ANÁLISE DO SIGNIFICADO DAS PRÁTICAS CORPORAIS PARA PROFISSIONAIS ATUANTES EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA  PAGEREF _Toc522522047 h 110

ANÁLISE DA COMPREENSÃO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE BARÃO GERALDO ACERCA DA PRODUÇÃO BIBLIOGRÁFICA DA DÉCADA DE 80 E PRINCÍPIO DE 90  PAGEREF _Toc522522048 h 110

TRILHAS ECOLÓGICAS COM ORIENTAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA VISUAL  PAGEREF _Toc522522049 h 111

O DISCURSO SOBRE O CORPO DE ESTUDANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UNICAMP  PAGEREF _Toc522522050 h 111

Instituto de Economia  PAGEREF _Toc522522051 h 111

FAMÍLIAS CHEFIADAS POR MULHERES E POBREZA NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO: UM ESTUDO PARA O ANO DE 1999  PAGEREF _Toc522522052 h 111

SETOR DE ALIMENTOS: TRAJETÓRIA DAS EMPRESAS LÍDERES NOS ANOS 90  PAGEREF _Toc522522053 h 112

AS INICIATIVAS DOS SINDICATOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DOS METALÚRGICOS DE CAMPINAS E REGIÃO FRENTE À PROBLEMÁTICA DO DESEMPREGO NO PERÍODO DE 1994 A 1999  PAGEREF _Toc522522054 h 112

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPREGO E O ENSINO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS  PAGEREF _Toc522522055 h 112

ANÁLISE DO DESEMPENHO DA REGULAMENTAÇÃO DE PREÇOS FINAIS DE TELEFONIA FIXA PELO MÉTODO DE TETO DE PREÇO (PRICE-CAP)  PAGEREF _Toc522522056 h 113

A AÇÃO GOVERNAMENTAL E PATRONAL EM RELAÇÃO AO DESEMPREGO EM CAMPINAS  PAGEREF _Toc522522057 h 113

A AGRICULTURA MERCANTIL DE ALIMENTOS NO BRASIL DO SÉC.XVIII: O CONFRONTO ENTRE INTERPRETAÇÕES  PAGEREF _Toc522522058 h 113

LIBERALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES E OS DESAFIOS DO SERVIÇO UNIVERSAL : A EXPERIÊNCIA EUROPÉIA  PAGEREF _Toc522522059 h 114

BENEFÍCIOS, IMPACTOS E LIMITAÇÕES DO USO DA INTERNET PARA FINS COMERCIAIS ? ANÁLISE DO SETOR DE LIVRARIAS VIRTUAIS  PAGEREF _Toc522522060 h 114

TRAJETÓRIA INDIVIDUAL ? ESTRATÉGIAS DO DESEMPREGADO PARA A RECOLOCAÇÃO PROFISSIONAL, O COTIDIANO DAQUELE QUE PROCURA EMPREGO  PAGEREF _Toc522522061 h 114

DINÂMICA SETORIAL DA INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS DE TELECOMUNICAÇÕES NOS ANOS 90: CONJUNTURA E COMPORTAMENTO DAS EMPRESAS LÍDERES  PAGEREF _Toc522522062 h 115

SISTEMAS INDUSTRIAIS LOCAIS NO ESTADO DE SÃO PAULO  PAGEREF _Toc522522063 h 115

O PROCESSO DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE COSMÉTICOS  PAGEREF _Toc522522064 h 115

LIBERALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES E OS DESAFIOS DO SERVIÇO UNIVERSAL: A EXPERIÊNCIA FEDERATIVA NORTE-AMERICANA  PAGEREF _Toc522522065 h 116

Instituto de Estudos da Linguagem  PAGEREF _Toc522522066 h 116

ESPAÇOS COLABORATIVOS COMO UMA ALTERNATIVA PARA TESTES PRELIMINARES DE MATERIAL CONCEBIDO PARA AUTO-INSTRUÇÃO MEDIADA POR COMPUTADOR  PAGEREF _Toc522522067 h 116

SOBRE A TEMÁTICA DO PODER TOTALITÁRIO NA LITERATURA HISPANO-AMERICANA : ?O OUTONO DO PATRIARCA? E ?O GENERAL EM SEU LABIRINTO?, DE GARCÍA MÁRQUEZ  PAGEREF _Toc522522068 h 116

ENTENDENDO O SOTAQUE ATRAVÉS DA TEORIA DA OTIMALIDADE  PAGEREF _Toc522522069 h 117

O ESTRANGEIRO NO BRASIL: REPRESENTAÇÕES IMAGINÁRIAS  PAGEREF _Toc522522070 h 117

A CONSTRUÇÃO DOS ESTILOS INDIVIDUAIS NOS DIÁRIOS DE OBSERVAÇÃO DE AULAS  PAGEREF _Toc522522071 h 117

ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS TEMÁTICAS E COMPOSICIONAIS DA ESCRITA NÃO ESCOLAR DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA  PAGEREF _Toc522522072 h 117

CRIANÇAS DE ZONA RURAL EM ESCOLA DE ZONA URBANA  PAGEREF _Toc522522073 h 118

OS GÊNEROS NAS PRODUÇÕES ESCRITAS DE UM SUJEITO  PAGEREF _Toc522522074 h 118

MEMÓRIA DA LÍNGUA: TRAÇOS DE ALEMÃO NO PORTUGUÊS E DE PORTUGUÊS NO ALEMÃO  PAGEREF _Toc522522075 h 118

ANÁLISE CRÍTICA DAS REPRESENTAÇÕES DO NEGRO E DA ESCRAVIDÃO EM ROMANCES ROMÂNTICOS BRASILEIROS  PAGEREF _Toc522522076 h 119

SEGMENTAÇÃO E ANÁLISE ESTATÍSTICA EXPLORATÓRIA DE CORPORA DE REGISTROS ORAIS DE PORTUGUÊS EUROPEU MODERNO E PORTUGUÊS BRASILEIRO  PAGEREF _Toc522522077 h 119

FORMAÇÃO DO LEITOR: UMA HISTÓRIA ENTRE UM SUJEITO E LEITURAS  PAGEREF _Toc522522078 h 119

BANCO DE DADOS EM NEUROLINGÜÍSTICA (BDN)  PAGEREF _Toc522522079 h 120

A REPERCUSSÃO DA AFASIA NA VIDA DE SUJEITOS AFÁSICOS E FAMILIARES  PAGEREF _Toc522522080 h 120

A POÉTICA DO ROMANCE E A FICÇÃO VARGALLOSIANA  PAGEREF _Toc522522081 h 120

A QUERELA DA ?DONNA DI PALAZZO? N´O CORTESÃO DE BALDASSARE CASTIGLIONE  PAGEREF _Toc522522082 h 121

MÍDIA TELEVISIVA E REPRESENTAÇÕES IDENTITÁRIAS DO PROFESSOR  PAGEREF _Toc522522083 h 121

LITERATURA NOS LIVROS DIDÁTICOS DE 5ª A 8ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA ESTÉTICA E O ATO DE LEITURA  PAGEREF _Toc522522084 h 121

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA EM DOCUMENTOS OFICIAIS: SUBSÍDIOS, GUIAS, PROPOSTAS E PARÂMETROS CURRICULARES  PAGEREF _Toc522522085 h 122

MENDES FRADIQUE E SUA GRAMÁTICA PELO MÉTODO CONFUSO: O APÊNDICE ANTOLÓGICO  PAGEREF _Toc522522086 h 122

O HAICAI PRODUZIDO NO GRÊMIO HAICAI IPÊ  PAGEREF _Toc522522087 h 122

ROMANCES INDIANISTAS E FOLHETOS  PAGEREF _Toc522522088 h 122

A QUESTÃO DO SUBSTANTIVO NA OBRA GRAMATICAL DE SAID ALI  PAGEREF _Toc522522089 h 123

OS GÊNEROS NA ESCRITA INICIAL DE UM SUJEITO  PAGEREF _Toc522522090 h 123

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas  PAGEREF _Toc522522091 h 123

VIAGENS E ICONOGRAFIA: AS EXPEDIÇÕES CIENTÍFICAS DO PRÍNCIPE MAXIMILIAN WIED-NEUWIED ? BRASIL/ESTADOS UNIDOS (1815-1834)  PAGEREF _Toc522522092 h 123

É POSSÍVEL UMA HISTÓRIA DAS MULHERES DA ELITE PAULISTA, ENTRE MEADOS DO SÉCULO XVIII E INÍCIO DO XIX (1760-1822) ?  PAGEREF _Toc522522093 h 124

EGIPTOMANIA NO SÉCULO XIX  PAGEREF _Toc522522094 h 124

HISTÓRIA E CRÔNICA: MACHADO DE ASSIS E AS ?BALAS DE ESTALO?  PAGEREF _Toc522522095 h 124

A POSIÇÃO DO PSTU FRENTE À OFENSIVA NEOLIBERAL NO BRASIL  PAGEREF _Toc522522096 h 125

IMIGRANTES PORTUGUESES, IMIGRANTES BRASILEIROS: GLOBALIZAÇÃO, ANTIGOS IMAGINÁRIOS E (RE)CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES ? UMA COMPARAÇÃO TRIANGULAR  PAGEREF _Toc522522097 h 125

UMA ESTRATÉGIA DE PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS E DE RECUPERAÇÃO DE VICIADOS: A ATUAÇÃO DA FEDERAÇÃO DE ENTIDADES DE AMOR EXIGENTE NA REGIÃO DE CAMPINAS (ANOS 90)  PAGEREF _Toc522522098 h 125

CASO DE POLÍCIA: OS LIVROS DE OCORRÊNCIAS POLICIAIS NO RIO DE JANEIRO (1907 ? 1914)  PAGEREF _Toc522522099 h 126

A POSIÇÃO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DIANTE DA OFENSIVA NEOLIBERAL  PAGEREF _Toc522522100 h 126

POLÍTICA DE SEGURANÇA REGIONAL  PAGEREF _Toc522522101 h 126

A GEOGRAFIA E A DISCUSSÃO SOBRE POPULAÇÃO E MEIO AMBIENTE: UM ESTUDO NO CENTRO-OESTE ?EXPANDIDO?  PAGEREF _Toc522522102 h 127

?MANO, FALTA EM VOCÊ RAZÃO PARA VIVER!?: O MOVIMENTO HIP HOP E AS RELAÇÕES DE CARÁTER FAMILIAR QUE SE ESTABELECEM NO INTERIOR DESSE GRUPO JUVENIL  PAGEREF _Toc522522103 h 127

A IDENTIDADE DO MORADOR COM SUA CASA NA HABITAÇÃO POPULAR  PAGEREF _Toc522522104 h 127

O 1º PLANO NACIONAL DE REFORMA AGRÁRIA (PNRA): SISTEMATIZAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE FONTES PRIMÁRIAS  PAGEREF _Toc522522105 h 128

SOCIOLOGIA DA LITERATURA RUSSA, NA OBRA DE DOSTOIÉVSKI  PAGEREF _Toc522522106 h 128

SEMANA DAS MONÇÕES: FESTA E REPRESENTAÇÀO DO MITO BANDEIRANTE  PAGEREF _Toc522522107 h 128

UM OLHAR SOBRE FERNANDO DE NORONHA: POPULAÇÃO, TURISMO E ÁREAS DE CONSERVAÇÃO.  PAGEREF _Toc522522108 h 128

CAMPINAS ? ESSA ONDA TAMBÉM PASSOU POR AQUI ! UM ESTUDO SOBRE O LOCAL E O GLOBAL NO RÁDIO CAMPINEIRO  PAGEREF _Toc522522109 h 129

INTERVENÇÃO ESTATAL E PLANEJAMENTO ECONÔMICO EM MANOILESCO, AZEVEDO AMARAL E R.SIMONSEN  PAGEREF _Toc522522110 h 129

A POPULAÇÃO ESCRAVA NO MUNICÍPIO DE FRANCA - 1836-1888  PAGEREF _Toc522522111 h 129

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NO 1º GOVERNO F.H.CARDOSO E SUAS RELAÇÕES COM PROJETOS E RECOMENDAÇÕES DE ENTIDADES MULTILATERAIS (BANCO MUNDIAL, CEPAL-OREALC, ETC.)  PAGEREF _Toc522522112 h 130

APLICAÇÃO DA LEI DOS JUIZADOS ESPECIAIS NOS CASOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER  PAGEREF _Toc522522113 h 130

CLUBES E SOCIEDADES DE TRABALHADORES NO JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO (1910 A 1925)  PAGEREF _Toc522522114 h 130

BIBLIOTECA VIRTUAL SOBRE A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO NA ÁREA DE HISTORIA DO COMPUTADOR E DEMAIS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO  PAGEREF _Toc522522115 h 131

DAS RUAS PARA O PAPEL: AS REPRESENTAÇÕES SOBRE AS MASSAS ARGENTINAS (1930-1955)  PAGEREF _Toc522522116 h 131

AS VOZES DA CONTRADIÇÃO: O PROFESSOR DE HISTÓRIA E A REFORMA CURRICULAR NOS ANOS OITENTA E NOVENTA EM SÃO PAULO  PAGEREF _Toc522522117 h 131

O LEVANTE ESCRAVO DE 1832: COESÃO E CONFLITO  PAGEREF _Toc522522118 h 132

O TEATRO E AS LUZES ? ARTE DRAMÁTICA E ILUMINISMO  PAGEREF _Toc522522119 h 132

O TEATRO ENGAJADO E SEU ALCANCE: TEATRO OFICINA  PAGEREF _Toc522522120 h 132

O ESTUDO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA DELEGACIA DE DEFESA DA MULHER- SÃO CARLOS  PAGEREF _Toc522522121 h 132

A OUVIDORIA DA POLÍCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO ENQUANTO INSTITUIÇÃO DE CONTROLE DA CORRUPÇÃO POLICIAL  PAGEREF _Toc522522122 h 133

CASO DE POLÍCIA. OS LIVROS DE OCORRÊNCIAS POLÍCIAIS NO RIO DE JANEIRO (1922-1930)  PAGEREF _Toc522522123 h 133

TRANSFORMAÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE VINHEDO ? SP: UM ESTUDO SOBRE A JUVENTUDE RURAL  PAGEREF _Toc522522124 h 133

IMPRENSA ALTERNATIVA NA DÉCADA DE 1970  PAGEREF _Toc522522125 h 134

CAPOEIRA E CIDADANIA: UM ESTUDO DA PRÁTICA CAPOEIRÍSTICA NO PROJETO COMUNITÁRIO DA FUNDAÇÃO ORSA (CAMPINAS ? SP)  PAGEREF _Toc522522126 h 134

Instituto de Geociências  PAGEREF _Toc522522127 h 134

A ESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO URBANO DA VILA SANTA IZABEL EM BARÃO GERALDO  PAGEREF _Toc522522128 h 134

A ESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO URBANO DA VILA SANTA IZABEL EM BARÃO GERALDO  PAGEREF _Toc522522129 h 134

AS GEOGRAFIAS DA SUBNUTRIÇÃO ? ELEMENTOS DA GEOGRAFIA DA FOME  PAGEREF _Toc522522130 h 135

CIÊNCIA, ESPELHO E BATOM... MULHERES CIENTISTAS, PROFISSIONALIZAÇÃO DA MULHER E NOVAS POSSIBILIDADES DO "SER FEMININO" NO OLHAR DAS REVISTAS FEMININAS A CIGARRA (1914-1920) E A MENSAGEIRA (1897-1900)  PAGEREF _Toc522522131 h 135

O TERCEIRO SETOR NA SUBFORMAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL DE SOUSAS E JOAQUIM EGÍDIO  PAGEREF _Toc522522132 h 135

CARTOGRAFIA DAS UNIDADES DE PAISAGEM NOS MUNICÍPIOS DE SUMARÉ E VALINHOS, REGIÃO ADMINISTRATIVA DE CAMPINAS (SP), COMO SUBSÍDIO A GESTÃO DA PAISAGEM. O CASO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ.  PAGEREF _Toc522522133 h 136

O ENSINO DE GEOGRAFIA E A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO MÉDIO E FUNDAMENTAL  PAGEREF _Toc522522134 h 136

CARTOGRAFIA DAS UNIDADES DE PAISAGEM NOS MUNICÍPIOS DE SUMARÉ E VALINHOS, REGIÃO ADMINISTRATIVA DE CAMPINAS (SP), COMO SUBSÍDIO A GESTÃO DA PAISAGEM. O CASO DO MUNICÍPIO DE VALINHOS  PAGEREF _Toc522522135 h 136

CONHECENDO O SEXTO CONTINENTE: UM ESTUDO INTRODUTÓRIO SOBRE O CONTINENTE ANTÁRTICO  PAGEREF _Toc522522136 h 137

TECNIFICAÇÃO DO TERRITÓRIO ? AS DENSIDADES TÉCNICAS E A FOME  PAGEREF _Toc522522137 h 137

SUBSÍDIOS PARA A AVALIAÇÃO DO PROJETO GEOCIÊNCIAS E A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM EXERCÍCIO NO ENSINO FUNDAMENTAL  PAGEREF _Toc522522138 h 137

A ESTRUTURAÇÃO URBANA DA VILA SANTA IZABEL EM BARÃO GERALDO  PAGEREF _Toc522522139 h 137

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica  PAGEREF _Toc522522140 h 138

O COTIDIANO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA: RESPONSABILIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DO ALUNO  PAGEREF _Toc522522141 h 138

LABJOR  PAGEREF _Toc522522142 h 138

QUANDO A CIÊNCIA É NOTÍCIA 2000-2001: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS JORNAIS ESTADO DE MINAS E O ESTADO DE SÃO PAULO  PAGEREF _Toc522522143 h 138

NEPAM  PAGEREF _Toc522522144 h 138

CONFLITOS SÓCIO-AMBIENTAIS NO VALE DO RIBEIRA  PAGEREF _Toc522522145 h 138

OS CONFLITOS SOCIAIS NA EEJI: O CASO DA PRAIA DO UNA, GRAJAÚNA E PRAIA DO RIO VERDE  PAGEREF _Toc522522146 h 139

A CONCEPÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PELOS ÓRGÃOS PÚBLICOS RESPONSÁVEIS PELOS PROGRAMAS NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: PARQUE ESTADUAL TURÍSTICO DO ALTO RIBEIRA (PETAR) E ESTAÇÃO ECOLÓGICA DA JURÉIA-ITATINS (EEJI)  PAGEREF _Toc522522147 h 139

PROJETOS DA ÁREA TECNOLÓGICA  PAGEREF _Toc522522148 h 140

CESET  PAGEREF _Toc522522149 h 141

DESENVOLVIMENTO DE UM SCANNER AUTOMATIZADO  PAGEREF _Toc522522150 h 141

CAMPOS ULTRA-SÔNICOS PRODUZIDOS POR TRANSDUTORES SEMI-CIRCULARES  PAGEREF _Toc522522151 h 141

O EMPREGO DE EQUIPAMENTOS TOPOGRÁFICOS TRADICIONAIS NO TRANSPORTE DE COORDENADAS PLANAS LOCAIS : UM ESTUDO COM O POSICIONAMENTO G.P.S.  PAGEREF _Toc522522152 h 141

ESTUDO DA ACESSIBILIDADE DE PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIAS APLICADO À CIDADE DE PEDREIRA S.P. CONFORME A NBR 9050  PAGEREF _Toc522522153 h 141

O ESTUDO DO DESLOCAMENTO HORIZONTAL ALTIMÉTRICO NO MODELO TRIDIMENSIONAL GERADO PELO SOFTWARE SURFER FOR WINDOWS WINSURF  PAGEREF _Toc522522154 h 142

ESTUDO E APLICAÇÃO DE NORMAS PARA AVALIAR CONSTRUÇÕES POPULARES IRREGULARES DE NOVOS BAIRROS EM ÁREAS CARENTES  PAGEREF _Toc522522155 h 142

Faculdade de Engenharia Agrícola  PAGEREF _Toc522522156 h 142

UTILIZAÇÃO DO ULTRA-SOM NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA MADEIRA  PAGEREF _Toc522522157 h 142

CARACTERIZAÇÃO DAS EMPRESAS FABRICANTES DE EQUIPAMENTOS DE IRRIGAÇÃO  PAGEREF _Toc522522158 h 143

DESIDRATAÇÃO OSMÓTICA DE ABACAXI  PAGEREF _Toc522522159 h 143

LIMPEZA MÊCANICA DE COLMOS INTEIROS DE CANA-DE-AÇÚCAR SEM QUEIMAR  PAGEREF _Toc522522160 h 143

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE PIMENTÃO MINIMAMENTE PROCESSADO, ARMAZENADO EM DIFERENTES TEMPERATURAS  PAGEREF _Toc522522161 h 144

PROGRAMA DE AMADURECIMENTO DE TOMATE (Lycopersicon esculentum Mill) ?CARMEN? TRATADO COM ÁCIDO 2-CLOROETILFOSFÔNICO EM AMBIENTE COM TEMPERATURA CONTROLADA  PAGEREF _Toc522522162 h 144

ANÁLISE DO DESEMPENHO DE CORTE E VARREDURA DE UMA FACA ROTATIVA COM DOIS GRAUS DE LIBERDADE  PAGEREF _Toc522522163 h 144

CULTIVO E PREPARO DE LINHA DE PLANTIO COM ?PARAPLOW? ROTATIVO PARA SISTEMA DE PLANTIO CONSERVACIONISTA  PAGEREF _Toc522522164 h 145

MODELAGEM MATEMÁTICA E SIMULAÇÃO NUMÉRICA DO PROCESSO DE CRESCIMENTO DO MILHO  PAGEREF _Toc522522165 h 145

ESTUDO DO COMPORTAMENTO DE MATRIZES PESADAS EM FUNÇÃO DO AMBIENTE UTILIZANDO TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO ELETRÔNICA  PAGEREF _Toc522522166 h 145

AVALIAÇÃO DA ESTABILIZAÇÃO DE LODOS DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS UTILIZANDO REATORES ANAERÓBIOS SEQÜENCIAIS COM RECIRCULAÇÃO DO LODO  PAGEREF _Toc522522167 h 145

COMPARAÇÃO DA ARMAZENAGEM FRIGORIFICADA VERSUS AMBIENTE E TIPOS DE EMBALAGENS NA QUALIDADE DE BANANAS NANICÃO (MUSA CAVENDISHII)  PAGEREF _Toc522522168 h 146

ESTUDO DO EFEITO DE ESFORÇOS CÍCLICOS NO COMPORTAMENTO MECÂNICO DO TECIDO VEGETAL, BATATA INGLESA (Solanum tuberosum l.)  PAGEREF _Toc522522169 h 146

ISOTERMAS DE SORÇÃO DE INULINA DE CHICÓRIA (Cichorium intybus) EM PÓ  PAGEREF _Toc522522170 h 146

SECAGEM POR ATOMIZAÇÃO DE EXTRATO DE INULINA DE CHICÓRIA (Cichorium intybus)  PAGEREF _Toc522522171 h 147

LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO DOS TALHÕES DO CAMPO EXPERIMENTAL DA FACULDADE DE ENGENHARIA AGRÍCOLA  PAGEREF _Toc522522172 h 147

VARIABILIDADE ESPACIAL DA PRODUTIVIDADE E NUTRIENTES ABSORVIDOS PELA CULTURA DE CANA-DE-AÇÚCAR VISANDO A AGRICULTURA DE PRECISÃO  PAGEREF _Toc522522173 h 147

AVALIAÇÃO DA BIOESPUMA® COMO SUBSTRATO PARA PRODUÇÃO DE MUDAS DE EUCALIPTO EM SISTEMA HIDROPÔNICO  PAGEREF _Toc522522174 h 148

PROJETO DE UM DISPOSITIVO DE AUXÍLIO AO TRANSPORTE MANUAL DE CACHOS DE BANANA NO INTERIOR DO TALHÃO  PAGEREF _Toc522522175 h 148

CARACTERIZAÇÃO REOLÓGICA DO EXTRATO DE INULINA DE CHICÓRIA (Cichorium intybus L)  PAGEREF _Toc522522176 h 148

DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE SIMULAÇÃO DA TRANSPIRAÇÃO FOLIAR PARA A CULTURA DE CITROS  PAGEREF _Toc522522177 h 149

AVALIAÇÃO DO AUTOCONSUMO DE ALIMENTOS EM ASSENTAMENTOS RURAIS: UM ESTUDO NO ASSENTAMENTO DE SUMARÉ  PAGEREF _Toc522522178 h 149

CADEIA DE DANOS FÍSICOS NA COLHEITA E TRANSPORTE DA BANANA  PAGEREF _Toc522522179 h 149

UTILIZAÇÃO DE UM EQUIPAMENTO TDR (REFLECTOMETRIA NO DOMÍNIO DO TEMPO) PARA MEDIR A CONDUTIVIDADE ELÉTRICA DO SOLO  PAGEREF _Toc522522180 h 150

AVALIAÇÃO DA ESTABILIZAÇÃO DE LODOS DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS UTILIZANDO REATORES ANAERÓBIOS SEQÜENCIAIS COM AGITAÇÃO  PAGEREF _Toc522522181 h 150

METODOLOGIA PARA ANÁLISE DE MAPAS DE PRODUTIVIDADE DE GRÃOS  PAGEREF _Toc522522182 h 150

MAPEAMENTO DA VARIABILIDADE ESPACIAL DA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR POR MEIO DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS DE SATÉLITE E ANÁLISE DE COMPONENTES PRINCIPAIS  PAGEREF _Toc522522183 h 151

DETERMINAÇÃO DO TEOR DE UMIDADE DO TOMATE E DO PÊSSEGO PELOS MÉTODOS DIRETOS DE ESTUFA À VÁCUO E FORNO DE MICROONDAS  PAGEREF _Toc522522184 h 151

DESENVOLVIMENTO E CONSTRUÇÃO DE PLACAS PRÉ-MOLDADAS DE COMPÓSITOS BIOMASSA VEGETAL CIMENTO AQUECIDAS ATRAVÉS DE RESISTÊNCIA ELÉTRICA  PAGEREF _Toc522522185 h 151

ESTUDO DE SECAGEM EM UM SECADOR CONVECTIVO CONJUGADO DE FLUXO PERPENDICULAR E PARALELO  PAGEREF _Toc522522186 h 152

ESTUDO DO EFEITO DA ADIÇÃO DA FARINHA DE BATATA NAS PROPRIEDADES REOLÓGICAS E NA QUALIDADE DO PÃO  PAGEREF _Toc522522187 h 152

FUNCIONAMENTO DE VENTILADORES ACOPLADOS A UM SECADOR VIBRO-FLUIDIZADO  PAGEREF _Toc522522188 h 152

MODELO TRIDIMENSIONAL PARA ANÁLISE E OTIMIZAÇÃO ESTRUTURAL DE UM RODADO METÁLICO FLEXÍVEL PARA VEÍCULOS AGRÍCOLAS  PAGEREF _Toc522522189 h 153

A IRRIGAÇÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO E SUA PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PAULISTA  PAGEREF _Toc522522190 h 153

Faculdade de Engenharia Civil  PAGEREF _Toc522522191 h 153

EFEITO DA INSOLAÇÃO NO DESEMPENHO TÉRMICO DE EDIFICAÇÕES, EM SOLO-CIMENTO E TIJOLO MACIÇO, EM FUNÇÃO DA COR EXTERNA  PAGEREF _Toc522522192 h 153

ESTUDO E AUTOMAÇÃO DO DIMENSIONAMENTO DE ELEMENTOS ESTRUTURAIS CONSTITUÍDOS DE PERFIS LAMINADOS DE AÇO DE ACORDO COM AS NORMAS NBR8800/86 E O EUROCODE3/93  PAGEREF _Toc522522193 h 153

AUTOMAÇÃO TOPOGRÁFICA  PAGEREF _Toc522522194 h 154

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE ANAERÓBIO UTILIZANDO O MÉTODO DO ESCOAMENTO SUPERFICIAL NO SOLO  PAGEREF _Toc522522195 h 154

PÓS TRATAMENTO DE EFLUENTE ANAERÓBIO: TRATAMENTO NO SOLO PELO MÉTODO DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL E POR IRRIGAÇÃO SUB SUPERFICIAL EM VALA DE FILTRAÇÃO MODIFICADA  PAGEREF _Toc522522196 h 154

POLÍTICA DE RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: ESTADO-DA-ARTE  PAGEREF _Toc522522197 h 155

CUSTOMIZAÇÃO DO AUTO CAD UTILIZANDO-SE A LINGUAGEM C++ E O ObjectARX ? DIMENSIONAMENTO DE LAJES DE CONCRETO  PAGEREF _Toc522522198 h 155

INTRODUÇÃO DA AUTOMAÇÃO TOPOGRÁFICA NO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA UNICAMP  PAGEREF _Toc522522199 h 155

ACESSIBILIDADE DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA NO CAMPUS DA UNICAMP  PAGEREF _Toc522522200 h 156

AVALIAÇÃO DO NMP DE COLIFORMES TOTAIS E FECAIS EM APLICAÇÕES DE LODO DE ESGOTO EM SOLO ARÁVEL  PAGEREF _Toc522522201 h 156

MECANISMOS DE ORIENTAÇÃO PARA AUTO-CONSTRUTORES  PAGEREF _Toc522522202 h 156

ESTUDO DOS FENÔMENOS DA VENTILAÇÃO NATURAL EM EDIFICAÇÕES  PAGEREF _Toc522522203 h 157

ESTUDO DA ATENUAÇÃO DA RADIAÇÃO SOLAR INCIDENTE POR DIFERENTES ESPÉCIES ARBÓREAS  PAGEREF _Toc522522204 h 157

A IMPORTÂNCIA DAS INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS NA FORMAÇÃO DE ENGENHEIROS CIVIS E ARQUITETOS  PAGEREF _Toc522522205 h 157

INFLUÊNCIA GRANULOMÉTRICA E MINERALÓGICA DO AGREGADO GRAÚDO NA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA  PAGEREF _Toc522522206 h 158

AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DE COLIFORMES TOTAIS E FECAIS NO SISTEMA DE PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE ANAERÓBIO POR VALAS DE FILTRAÇÃO  PAGEREF _Toc522522207 h 158

DESENVOLVIMENTO DE CLASSES VIGA E PILAR PARA AUTOCAD UTILIZANDO LINGUAGEM C++ e ObjectArx  PAGEREF _Toc522522208 h 158

DIMENSIONAMENTO DO LOCAL DE ARMAZENAGEM DO RESÍDUO SÓLIDO DOMÉSTICO EM CONDOMÍNIOS VERTICAIS  PAGEREF _Toc522522209 h 159

A ARQUITETURA DE RAMOS DE AZEVEDO EM CAMPINAS-SP  PAGEREF _Toc522522210 h 159

CRIAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS E MONTAGEM DE UM SITE NA INTERNET SOBRE A INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL  PAGEREF _Toc522522211 h 159

TRANSFERÊNCIA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA AUTOCONSTRUÇÃO DE MORADIAS  PAGEREF _Toc522522212 h 159

PERCEPÇÃO DE RUÍDOS TRANSMITIDOS ATRAVÉS DE BARREIRAS ACÚSTICAS  PAGEREF _Toc522522213 h 160

TRANSPORTE DE REFERÊNCIA DE NÍVEL ? RN - PARA O CAMPUS DA UNICAMP  PAGEREF _Toc522522214 h 160

UTILIZAÇÃO DA FOTÓLISE E FOTOCÁLISE HETEROGÊNEA COMO MÉTODOS ALTERNATIVOS DE DESINFECÇÃO DA ÁGUA-CARACTERIZAÇÃO DA ÁGUA SINTÉTICA  PAGEREF _Toc522522215 h 160

AVALIAÇÃO DE CONFORTO TÉRMICO E LUMINOSO EM EDIFICAÇÕES ESCOLARES UNIVERSITÁRIAS  PAGEREF _Toc522522216 h 161

PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE ANAERÓBIO UTILIZANDO O MÉTODO DE ESCOLAMENTO SUPERFICIAL NO SOLO: AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DE HELMINTOS  PAGEREF _Toc522522217 h 161

PÓS-TRATAMENTO NO SOLO DE EFLUENTE SANITÁRIO PELO MÉTODO DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL  PAGEREF _Toc522522218 h 161

ANÁLISE DO CONFORTO AMBIENTAL DAS MORADIAS AUTOCONSTRUÍDAS  PAGEREF _Toc522522219 h 162

DETERMINAÇÃO DE MATERIAL PARTICULADO NA ATMOSFERA EMPREGANDO A FLUORESCÊNCIA DE RAIOS X POR REFLEXÃO TOTAL (TXRF)  PAGEREF _Toc522522220 h 162

CUSTOMIZAÇÃO DO AUTOCAD, UTILIZANDO-SE O VISUAL C++ E O ObjectARX PARA O PROJETO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS  PAGEREF _Toc522522221 h 162

O USO DA TECNOLOGIA DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA MEDIADA POR COMPUTADOR ? EDMC ? NO ENSINO DE ECONOMIA DOS TRANSPORTES  PAGEREF _Toc522522222 h 162

MAQUETES ESTRUTURAIS APLICADAS À ARQUITETURA  PAGEREF _Toc522522223 h 163

EFEITO DE ALTAS TEMPERATURAS NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO CONCRETO: RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO, RESISTÊNCIA À TRAÇÃO E MÓDULO DE DEFORMAÇÃO  PAGEREF _Toc522522224 h 163

AVALIAÇÃO DAS VALAS DE FILTRAÇÃO COMO MÉTODO DE PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTES ANAERÓBIOS  PAGEREF _Toc522522225 h 163

VERIFICAÇÃO DA FERRAMENTA COMPUTACIONAL AUTOMET PARA GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE HABITAÇÃO POPULAR  PAGEREF _Toc522522226 h 164

DESENVOLVIMENTO DE PÓS-PROCESSAMENTO GRÁFICO PARA PROGRAMA DE ELEMENTOS FINITOS  PAGEREF _Toc522522227 h 164

ESTUDO E AUTOMAÇÃO DO DIMENSIONAMENTO DE ELEMENTOS ESTRUTURAIS CONSTITUÍDOS DE PERFIS LAMINADOS DE AÇO DE ACORDO COM AS NORMAS NBR8800/86 E LRFD/94  PAGEREF _Toc522522228 h 164

ASSOCIAÇÃO HISTÓRICA DOS 35 ANOS DA UNICAMP AO ESPAÇO GEOGRÁFICO UTILIZANDO UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA  PAGEREF _Toc522522229 h 164

PERDAS FÍSICAS DURANTE O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO A SECO DE VEDAÇÕES VERTICAIS COM PLACAS DE GESSO ACARTONADO  PAGEREF _Toc522522230 h 165

AVALIAÇÃO DE NITROGÊNIO NO SISTEMA DE PÓS-TRATAMENTO DO EFLUENTE DE UMA LAGOA ANAERÓBIA POR ESCOAMENTO SUPERFICIAL NO SOLO  PAGEREF _Toc522522231 h 165

AVALIAÇÃO DA EXECUÇÃO DE MORADIAS DE INTERESSE SOCIAL COM BASE EM UMA METODOLOGIA DE PROJETO ARQUITETÔNICO AUTOMATIZADA  PAGEREF _Toc522522232 h 165

A IMPORTÂNCIA DA INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA NA ENGENHARIA CIVIL: ANÁLISE CRÍTICA DA NBR 12721  PAGEREF _Toc522522233 h 166

AVALIAÇÃO DE NITROGÊNIO E FÓSFORO NA ÁGUA DE INFILTRAÇÃO APÓS APLICAÇÃO DE LODO DE ESGOTO DOMÉSTICO NO SOLO  PAGEREF _Toc522522234 h 166

VIGAS DE SEÇÃO MISTA EM CHAPA DE AÇO DOBRADA E EM MADEIRA  PAGEREF _Toc522522235 h 166

ESPAÇO VIRTUAL: ANÁLISE DA CRIAÇÃO E APLICAÇÃO DE MODELOS EM 3D  PAGEREF _Toc522522236 h 167

CONFORTO NA CIDADE UNIVERSITÁRIA DA UNICAMP: INDICADORES AMBIENTAIS  PAGEREF _Toc522522237 h 167

BIBLIOTECA DIDÁTICA DE TECNOLOGIAS AMBIENTAIS: UMA PROPOSTA PARA A ENGENHARIA CIVIL ? FASE III ? TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS  PAGEREF _Toc522522238 h 167

Faculdade de Engenharia de Alimentos  PAGEREF _Toc522522239 h 168

ISOLAMENTO E SELEÇÃO DE MICRORGANISMOS CAPAZES DE DEGRADAR O D-LIMONENO  PAGEREF _Toc522522240 h 168

PRODUÇÃO DE XAROPE DE FRUTOSE A PARTIR DO YACÓN  PAGEREF _Toc522522241 h 168

ESTUDO DO EFEITO DO DESCONGELAMENTO E DO TEMPO DE ESTOCAGEM NA QUALIDADE DA MASSA E DO PÃO  PAGEREF _Toc522522242 h 168

PROPRIEDADES TERMODINÂMICAS DE H20 e CO2 (PUROS E MISTURAS): COMPARAÇÃO ENTRE DADOS EXPERIMENTAIS E ESTIMATIVAS OBTIDAS POR EQUAÇÕES ANALÍTICAS E SIMULAÇÃO MOLECULAR  PAGEREF _Toc522522243 h 168

ATUALIZAÇÃO DE PROGRAMA PARA CÁLCULO DO EQUILÍBRIO DE FASES EM MISTURAS USANDO A EQUAÇÃO DE ESTADO DE PENG ROBINSON  PAGEREF _Toc522522244 h 169

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES TERMOFÍSICAS DA POLPA DE CAJU  PAGEREF _Toc522522245 h 169

ESTUDO DO PAPEL DAS CEASAS E DA CEAGESP NO ABASTECIMENTO DE HORTIFRUTÍCOLAS ?IN NATURA? NO MUNICÍPIO DE RIO CLARO  PAGEREF _Toc522522246 h 169

EXTRAÇÃO DOS PIGMENTOS DAS PARTES AÉREAS DA BETA VULGARIS E ESTUDO DA SUA ESTABILIDADE  PAGEREF _Toc522522247 h 170

OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE CONCENTRADO DE CASEÍNA ATRAVÉS DE MICROFILTRAÇÃO  PAGEREF _Toc522522248 h 170

ESTUDO E APRIMORAMENTO DOS MODELOS PREDITIVOS DA VISCOSIDADE DE COMPOSTOS GRAXOS E SUAS MISTURAS  PAGEREF _Toc522522249 h 170

DETERMINAÇÃO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE POLPAS DE FRUTAS TROPICAIS POR CALORIMETRIA DIFERENCIAL DE VARREDURA DE TEMPERATURA MODULADA (TMDSC)  PAGEREF _Toc522522250 h 171

PREDIÇÃO DA VISCOSIDADE DE SOLUÇÕES DE POLIETILENO GLICÓIS  PAGEREF _Toc522522251 h 171

ESTUDO DA OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE INULINASE A PARTIR DAS LINHAGENS DE Kluyveromyces  PAGEREF _Toc522522252 h 172

HANDBOOK SOBRE EXTRACÃO SUPERCRÍTICA APLICADA A PRODUTOS NATURAIS  PAGEREF _Toc522522253 h 172

EFEITO DA AGITAÇÃO E DA AERAÇÃO NA PRODUÇÃO DE ÁCIDO CÍTRICO POR Candida lipolytica Y 1095  PAGEREF _Toc522522254 h 172

LEVANTAMENTO DE MARCAS COMERCIAIS DE PRODUTOS A SEREM ANALISADOS PELO PROJETO TABELA DE COMPOSIÇÃO DE ALIMENTOS-TACO  PAGEREF _Toc522522255 h 172

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES TERMOFÍSICAS DO CAJU E DO MAMÃO  PAGEREF _Toc522522256 h 173

CARACTERIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE PESCADO SALGADO E SECO NA APA IGUAPE-CANANÉIA  PAGEREF _Toc522522257 h 173

ESTUDO SOBRE A VIABILIDADE DE UMA FARINHA MISTA DE CASTANHA-DO-BRASIL (Bertholletia excelsa, H. B. K. ) E MANDIOCA  PAGEREF _Toc522522258 h 173

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA CÁLCULO DE PROPRIEDADES TERMO-FÍSICAS POR MÉTODOS DE CONTRIBUIÇÃO DE GRUPO  PAGEREF _Toc522522259 h 173

ANTOCIANINAS DOS FRUTOS DO Centrum sendtniranum: IDENTIFIAÇÃO, ESTUDO DA SUA ESTABILIDADE E ESTABILIZAÇÃO  PAGEREF _Toc522522260 h 174

ANÁLISE ECOSSISTÊMICA E EMERGÉTICA DA PRODUÇÃO TRANSGÊNICA, CONVENCIONAL E ORGÂNICA DE SOJA  PAGEREF _Toc522522261 h 174

BIOTRANSFORMAÇÃO DE D-LIMONENO PARA OBTENÇÃO DE COMPOSTOS DE AROMA  PAGEREF _Toc522522262 h 174

SINERESE E CINÉTICA DE GELIFICAÇÃO DE GÉIS ÁCIDOS DE CASEÍNA-CARRAGENA  PAGEREF _Toc522522263 h 175

ESTUDO DA AÇÃO ANTIOXIDANTE DE EXTRATOS DE CÚRCUMA, GENGIBRE E ALECRIM OBTIDOS POR EXTRAÇÃO SUPERCRÍTICA COM CO2 E CO-SOLVENTES  PAGEREF _Toc522522264 h 175

INFLUÊNCIA DO AGENTE OSMÓTICO NA CINÉTICA E NA QUALIDADE DE CUBOS DE MAMÃO (Carica papaya L.) DESIDRATADOS E IMPREGNADOS POR IMERSÀO  PAGEREF _Toc522522265 h 175

ESTUDOS DAS PROPRIEDADES FUNCIONAIS DE DIETA ENTERAL COM ALIMENTOS CONVENCIONAIS  PAGEREF _Toc522522266 h 176

PRODUÇÃO DE LIPASE POR Penicillium restrictum  PAGEREF _Toc522522267 h 176

OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE DESIDRATAÇÃO-IMPREGNAÇÃO POR IMERSÃO DO PEDÚNCULO DO CAJU (Anacardium ocidentale L.)  PAGEREF _Toc522522268 h 176

ESTUDO PARA MELHORAMENTO DO SABOR DE AMÊNDOAS NÃO TORRADAS DE CUPUAÇU (Theobroma grandiflorum Schum), POR TRATAMENTO TÉRMICO CONVENCIONAL E POR MICROONDAS  PAGEREF _Toc522522269 h 177

DESENVOLVIMENTO DE UM EQUIPAMENTO PARA DETERMINAÇÃO DE ISOTERMAS DE SORÇÃO DE CAJU E MAMÃO  PAGEREF _Toc522522270 h 177

FORMAÇÃO INICIAL DO ENGENHEIRO DE ALIMENTOS EM FACE DOS SABERES DA ATIVIDADE PROFISSIONAL  PAGEREF _Toc522522271 h 177

AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NA ESCOLHA DE HORTIFRUTÍCOLAS NO SETOR VAREJISTA DE RIO CLARO - SP  PAGEREF _Toc522522272 h 178

PRODUÇÃO LEGAL E CLANDESTINA DE PALMITO NO INTERIOR E ENTORNO DO PARQUE ESTADUAL TURÍSTICO DO ALTO DO RIBEIRA ? PETAR (ASPECTOS TECNOLÓGICOS, INSTITUCIONAIS, ECONÔMICOS, SOCIAIS E ECOLÓGICOS)  PAGEREF _Toc522522273 h 178

VISCOSIDADES CINEMÁTICAS DE SOLUÇÕES DE POLI(ETILENO GLICÓIS)  PAGEREF _Toc522522274 h 178

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação  PAGEREF _Toc522522275 h 179

CÓDIGOS TURBO: CONSTRUÇÃO, ANÁLISE E DECODIFICAÇÃO  PAGEREF _Toc522522276 h 179

GERAÇÃO DE SINAIS PWM EM MICROCONTROLADOR PARA ACIONAMENTO DE MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICO PARA APLICAÇÕES DOMÉSTICAS  PAGEREF _Toc522522277 h 179

O ESTUDO DA MÁQUINA DE DUPLA EXCITAÇÃO EM MALHA FECHADA  PAGEREF _Toc522522278 h 179

ACIONAMENTO DO MOTOR FRACIONÁRIO BIFÁSICO A PARTIR DE UMA REDE DE ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA MONOFÁSICA  PAGEREF _Toc522522279 h 180

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS DE INTERFACEAMENTO PARA CONTROLE DA EXCITAÇÃO DE TRANSDUTORES DE ULTRA-SOM UTILIZANDO MICROCOMPUTADOR  PAGEREF _Toc522522280 h 180

INCORPORAÇÃO DE NITROGÊNIO EM FILMES DE DIAMANTE PRODUZIDOS POR DEPOSIÇÃO A VAPOR QUÍMICO ASSISTIDO POR FILAMENTO QUENTE  PAGEREF _Toc522522281 h 180

PROJETO GRAHAM BELL: DESENVOLVIMENTO DE UM CURSO DE TELECOMUNICAÇÕES USANDO A TECNOLOGIA CBT  PAGEREF _Toc522522282 h 181

PROJETO DE CIRCUITOS DEDICADOS NO NÍVEL DE REGISTRO: APROXIMAÇÃO POLINOMIAL PELO MÉTODO DOS MÍNIMOS QUADRADOS  PAGEREF _Toc522522283 h 181

TRANSMISSOR DE FREQÜÊNCIA MODULADA DE BAIXA POTÊNCIA ? PLL (PHASE ? LOCKED ? LOOP)  PAGEREF _Toc522522284 h 181

CONSTRUÇÃO DE CIRCUITOS DE PROTEÇÃO E DE POTÊNCIA PARA ACIONAMENTO DE MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS PARA APLICAÇÕES DOMÉSTICAS  PAGEREF _Toc522522285 h 182

ESTUDO DO MODELO EQUIVALENTE DE MASON PARA TRANSDUTORES DE ULTRA-SOM PIEZOELÉTRICOS  PAGEREF _Toc522522286 h 182

ALGORITMO DE CRIPTOGRAFIA RIJNDAEL EM AMBIENTES COMPUTACIONAIS RESTRITOS  PAGEREF _Toc522522287 h 182

GERADORES SOLARES E SUA CONTRIBUIÇÃO Á CRISE ENERGÉTICA  PAGEREF _Toc522522288 h 183

ESTUDO DA DINÂMICA DE MÁQUINAS SÍNCRONAS DE PÓLOS SALIENTES INCLUINDO O EFEITO DA SATURAÇÃO MAGNÉTICA  PAGEREF _Toc522522289 h 183

SEQÜENCIAMENTO DE CADEIAS DE DNA POR MEIO DE PROCESSAMENTO MACIÇAMENTE PARALELO VIRTUAL  PAGEREF _Toc522522290 h 183

PLANEJAMENTO DE TRAJETÓRIAS PLANARES DE UM ROBÔ SUJEITO A OBSTÁCULOS ESTÁTICOS  PAGEREF _Toc522522291 h 184

VISÃO COMPUTACIONAL PARA A DETERMINAÇÃO DO POSICIONAMENTO DE OBJETOS NUM PLANO  PAGEREF _Toc522522292 h 184

TRANSDUTOR DE CORRENTE ELÉTRICA BASEADO NA LEI CIRCUITAL DE AMPÈRE  PAGEREF _Toc522522293 h 184

CIRCUITO DEDICADO NO NÍVEL DE REGISTRO: INTERPOLAÇÃO POLINOMIAL PELO MÉTODO DE NEWTON  PAGEREF _Toc522522294 h 185

ALGORITMOS DE CRIPTOGRAFIA BASEADOS EM CURVAS ELÍPTICAS: IMPLEMENTAÇÃO EM AMBIENTES COMPUTACIONAIS RESTRITOS  PAGEREF _Toc522522295 h 185

Faculdade de Engenharia Mecânica  PAGEREF _Toc522522296 h 185

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA CAE EM CONFIABLIDADE  PAGEREF _Toc522522297 h 185

DETERMINAÇÃO DE CONCENTRAÇÃO DE TENSÕES MECÂNICAS POR FOTOELASTICIDADE E MÉTODOS COMPUTACIONAIS  PAGEREF _Toc522522298 h 186

DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO PARA MONITORAMENTO E CONTROLE DE DISPOSITIVOS MECATRÔNICOS UTILIZANDO SOFTWARE DE SUPERVISÃO INDUSTRIAL  PAGEREF _Toc522522299 h 186

MONTAGEM E ANÁLISE DO DESEMPENHO TÉCNICO - ECONÔMICO DE UM AEROGERADOR  PAGEREF _Toc522522300 h 186

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE COMPÓSITOS HIDROXIAPATITA ? ZIRCÔNIA PARA USO COMO BIOMATERIAIS  PAGEREF _Toc522522301 h 187

ANÁLISE ENERGÉTICA DO SISTEMA DE GERAÇÃO DE VAPOR DA USINA ?SEVERINA?.  PAGEREF _Toc522522302 h 187

ESTUDO EXPERIMENTAL DO PERFIL DE VELOCIDADES NA ENTRADA DE UM CICLONE  PAGEREF _Toc522522303 h 187

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA PROJETO E OTIMIZAÇÃO DE TRANSMISSÃO EPICICLOIDAL  PAGEREF _Toc522522304 h 188

SISTEMA ESPECIALISTA PARA DETECÇÃO DE DEFEITOS EM MOTORES ELÉTRICOS  PAGEREF _Toc522522305 h 188

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE PARA IMPORTAÇÃO DE DADOS EXPERIMENTAIS DE VIBRAÇÃO PARA PROGRAMA DE ANÁLISE MODAL  PAGEREF _Toc522522306 h 188

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO E CONSTRUÇÃO DE UMA MÁQUINA BALANCEADORA DE ROTORES PEQUENOS  PAGEREF _Toc522522307 h 189

SISTEMA PASSIVO DE CONDICIONAMENTO DE AMBIENTES  PAGEREF _Toc522522308 h 189

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA MONITORAMENTO E CONTROLE DE UM MANIPULADOR ROBÓTICO DIDÁTICO  PAGEREF _Toc522522309 h 189

AVALIAÇÃO DE TENSÕES UTILIZANDO O EFEITO ACUSTOELÁSTICO  PAGEREF _Toc522522310 h 189

CARACTERIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE APROVEITAMENTO ENERGÉTICO DE RESÍDUOS DA INDÚSTRIA CÍTRICA  PAGEREF _Toc522522311 h 190

MODELAGEM MATEMÁTICA DE UMA TORRE OCA PARA DESSULFURIZAÇÃO DE GASES DE COMBUSTÃO  PAGEREF _Toc522522312 h 190

AVALIAÇÃO DA EMISSÃO DE NOx NA COMBUSTÃO DE ETANOL EM CÂMARA CILÍNDRICA  PAGEREF _Toc522522313 h 190

AVALIAÇÃO TERMODINÂMICA DE PROCESSOS DE LIQUEFAÇÃO DE GÁS NATURAL  PAGEREF _Toc522522314 h 191

PROGRAMA DE COMPUTADOR PARA AVALIAÇÃO ENERGÉTICA DE CALDEIRAS  PAGEREF _Toc522522315 h 191

MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE CADEIA DE SUPRIMENTOS  PAGEREF _Toc522522316 h 191

ESTUDO E APLICAÇÃO DE MODELO NÃO LINEAR DE MANCAIS HIDRODINÂMICOS SEGMENTADOS  PAGEREF _Toc522522317 h 191

DESENVOLVIMENTO DE MODELOS DINÂMICOS PARA A SIMULAÇÃO DE MÁQUINAS CLÁSSICAS  PAGEREF _Toc522522318 h 192

PROJETO E OTIMIZAÇÃO DE PARÂMETROS PARA COMPONENTES MECÂNICOS ELÁSTICOS  PAGEREF _Toc522522319 h 192

ESTUDO ESPERIMENTAL DA INFLUÊNCIA DA GEOMETRIA DE UMA CÂMARA CICLÔNICA NO TEMPO DE RESIDÊNCIA  PAGEREF _Toc522522320 h 192

ESTUDO EXPERIMENTAL DA SECAGEM DE BAGAÇO DE CANA EM UMA câmara CICLONICA  PAGEREF _Toc522522321 h 193

PROJETO E DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA SUPERVISÃO E CONTROLE DE MOVIMENTOS DE UM ROBÔ CARTESIANO  PAGEREF _Toc522522322 h 193

PROJETO E IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRUTURA DE SUPERVISÃO E CONTROLE DE UMA PRÓTESE MECÂNICA  PAGEREF _Toc522522323 h 193

SIMULAÇÃO EXPERIMENTAL DE VIBRAÇÕES PARA TESTE DINÂMICO DE ESTRUTURAS COM NÃO LINEARIDADES  PAGEREF _Toc522522324 h 194

AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DA TEMPERATURA E PRESSÃO ESPECÍFICA NO COMPORTAMENTO DE MATERIAIS DE ATRITO DE PASTILHAS AUTOMOBILÍSTICAS NACIONAIS  PAGEREF _Toc522522325 h 194

OTIMIZAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE CORTE NO PROCESSO DE FRESAMENTO FRONTAL  PAGEREF _Toc522522326 h 194

COMPÓSITOS ALUMINA-ZICRÔNIA PARA APLICAÇES ESTRUTURAIS  PAGEREF _Toc522522327 h 194

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA AQUISIÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS EXPERIMENTAIS APLICADO À DINÂMICA DE ROTORES  PAGEREF _Toc522522328 h 195

REDES NEURAIS PARA DETECÇÃO DE FALHAS INCIPIENTES EM MOTORES ELÉTRICOS  PAGEREF _Toc522522329 h 195

ESTUDO DE TRINCAS DE SOLIDIFICAÇÃO EM SOLDAS DE AÇO INOXIDÁVEL UTILIZANDO O PROCESSO FCAW  PAGEREF _Toc522522330 h 195

PROJETO, SIMULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DUTOS DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE GÁS  PAGEREF _Toc522522331 h 196

DESENVOLVIMENTO DE UM ROTOR DIDÁTICO SUSPENSO POR MANCAIS MAGNÉTICOS  PAGEREF _Toc522522332 h 196

DEPOSIÇÃO DE CAMADAS CERÂMICAS SOBRE SUBSTRATOS METÁLICOS: HOMOGEINIZAÇÃO DA DUREZA SUPERFICIAL E AUMENTO DA ADESÃO METAL-CERÂMICA  PAGEREF _Toc522522333 h 196

SIMULAÇÃO TRIDIMENSIONAL DO PROCESSO DE FORJAMENTO A QUENTE EMPREGANDO VISIOPLASTICIDADE E O MÉTODO DE ELEMENTOS FINITOS  PAGEREF _Toc522522334 h 197

Faculdade de Engenharia Química  PAGEREF _Toc522522335 h 197

CRISTALINIDADE INDUZIDA EM POLIPROPILENO  PAGEREF _Toc522522336 h 197

EFEITO DO SEGUNDO TRATAMENTO CORONA EM FILMES DE POLIPROPILENO  PAGEREF _Toc522522337 h 197

MODIFICAÇÃO DE QUITOSANA POR VIA ENZIMÁTICA  PAGEREF _Toc522522338 h 198

SECAGEM DE ?-AMILASE EM SPRAY DRYER  PAGEREF _Toc522522339 h 198

GRANULAÇÃO DE SEMENTES DE BRÓCOLIS EM LEITO DE JORRO CONVENCIONAL  PAGEREF _Toc522522340 h 198

DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE TRANSFERÊNCIA DE MASSA EM UMA COLUNA DE DESTILAÇÃO COM CAMPOS CENTRÍFUGOS  PAGEREF _Toc522522341 h 199

MODELAGEM DE UM REATOR DE POLIMERIZAÇÃO CSTR ACOPLADO A UM CONDENSADOR HORIZONTAL SEMI-INUNDADO  PAGEREF _Toc522522342 h 199

ENERGIA DE SUPERFÍCIE EM POLIPROPILENO TRATADO COM CORONA  PAGEREF _Toc522522343 h 199

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DAS ESTAÇÕES DO ANO NO PROCESSO DE BIOSSORÇÃO DE CROMO HEXAVALENTE EM ALGAS MARINHAS  PAGEREF _Toc522522344 h 199

DETERMINAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS DADOS DE CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DE UM ÁCIDO ORGÂNICO PARTICULADO (ÁCIDO SALICÍLICO)  PAGEREF _Toc522522345 h 200

CORONA EM ATMOSFERA DE N2  PAGEREF _Toc522522346 h 200

INFLUÊNCIA DAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO PÓ DE UO2 NA EVOLUÇÃO DA RAZÃO O/U  PAGEREF _Toc522522347 h 200

ESTUDO DE VIABILIDADE E SIMULAÇÃO DO PROCESSO DE SEPARAÇÃO POR ADSORÇÃO CROMATOGRÁFICA  PAGEREF _Toc522522348 h 201

BLENDAS DE POLÍMEROS POTENCIALMENTE DEGRADÁVEIS PHB/PEBD  PAGEREF _Toc522522349 h 201

ESTUDO DA FLUIDODINÂMICA DO ÁCIDO ADÍPICO EM LEITOS FLUIDIZADOS CONVENCIONAL E VIBRADO  PAGEREF _Toc522522350 h 201

MODELAGEM CONFORMACIONAL DA ENZIMA ?-AMILASE: ESTUDOS PRELIMINARES  PAGEREF _Toc522522351 h 201

ESTUDO DE FLUIDOS REFRIGERANTES NÃO AGRESSIVOS AO MEIO AMBIENTE PARA POSTERIOR APLICAÇÃO EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO  PAGEREF _Toc522522352 h 202

MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE REATORES CATALÍTICOS DE LEITO FIXO  PAGEREF _Toc522522353 h 202

ESTUDO DO COMPORTAMENTO DE UMA COLUNA DE DESTILAÇÃO COM RECHEIO COM CAMPOS CENTRÍFUGOS  PAGEREF _Toc522522354 h 203

SECAGEM DE ?-AMILASE POR CONGELAMENTO  PAGEREF _Toc522522355 h 203

ESTUDO DA PARTIÇÃO DE INSULINA HUMANA EM SISTEMAS AQUOSOS BIFÁSICOS CONTENDO COPOLÍMEROS E ELETRÓLITOS  PAGEREF _Toc522522356 h 203

ESTUDO DO PROCESSAMENTO DE BLENDAS BIODEGRADÁVEIS DE POLI-CAPROLACTONA E AMIDO E SUAS PROPRIEDADES TERMO-MECÂNICAS  PAGEREF _Toc522522357 h 203

SIMULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE EXTRAÇÃO DE SOLUÇÕES ÁGUA / ORGÂNICO USANDO SOLVENTE SUPERCRÍTICO  PAGEREF _Toc522522358 h 204

ADSORÇÃO DE APROTININA EM RESINA DE TROCA IÔNICA  PAGEREF _Toc522522359 h 204

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES PARA VERIFICAÇÃO DA CONSISTÊNCIA TERMODINÂMICA DE DADOS DE EQUILÍBRIO LÍQUIDO-VAPOR DE SISTEMAS BINÁRIOS  PAGEREF _Toc522522360 h 204

APLICAÇÃO DA ULTRAFILTRAÇÃO NA VALORIZAÇÃO DE EFLUENTES DA INDÚSTRIA TÊXTIL-RECUPERAÇÃO DE POLI(ÁLCOOL VINÍLICO)-PVA  PAGEREF _Toc522522361 h 205

ESTUDO DA PARTIÇÃO DE INSULINA EM SISTEMAS AQUOSOS BIFÁSICOS CONTENDO COPOLÍMEROS BLOCO E ELETRÓLITOS  PAGEREF _Toc522522362 h 205

EXTENSÃO DE UM MÉTODO DE ESTIMATIVA DE PARÂMETROS BASEADO NO MÉTODO DA ESTIMATIVA DO ERRO DAS VARIÁVEIS  PAGEREF _Toc522522363 h 205

CRISTALIZAÇÃO DE GLUCAGON VISANDO PRODUÇÃO EM LARGA ESCALA  PAGEREF _Toc522522364 h 206

MONTAGEM EXPERIMENTAL E ESTUDO FLUIDODINÂMICO DE LEITOS ATIVOS UTILIZANDO MICROGRÂNULOS  PAGEREF _Toc522522365 h 206

INCORPORAÇÃO DE VITAMINA E E DE UM DERIVADO ESTÁVEL DE VITAMINA C EM LIPOSSOMAS PARA APLICAÇÕES DERMATOLÓGICAS  PAGEREF _Toc522522366 h 206

DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA E PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS PARA A CARACTERIZAÇÃO FÍSICA E ANÁLISE TÉRMICA DE MATERIAIS PARTICULADOS  PAGEREF _Toc522522367 h 207

MODIFICAÇÃO QUÍMICA DE AMIDO  PAGEREF _Toc522522368 h 207

TRATAMENTO CORONA DE GASES CONTENDO (SOx), (COx) e (NOx)  PAGEREF _Toc522522369 h 207

EXTENSÃO DA ANÁLISE CINÉTICA DA DECOMPOSIÇÃO CATALÍTICA DA HIDRAZINA  PAGEREF _Toc522522370 h 208

SIMULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS DE POLIMERIZAÇÃO  PAGEREF _Toc522522371 h 208

PH DE RESINAS POLIMÉRICAS CONTENDO PIGMENTOS  PAGEREF _Toc522522372 h 208

DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DE DADOS DE EQUILÍBRIO LÍQUIDO-VAPOR DE MISTURAS DE SOLVENTES E COMPOSTOS ORGANO-CLORADOS  PAGEREF _Toc522522373 h 209

ESTABILIDADE DE RESINA POLIMÉRICA PARA ESTAMPARIA  PAGEREF _Toc522522374 h 209

OBTENÇÃO DE OLIGOSSACARÍDEOS DERIVADOS DE QUITOSANA E QUITINA  PAGEREF _Toc522522375 h 209

CARACTERIZAÇÃO DE LÁTEX NATURAL  PAGEREF _Toc522522376 h 209

Instituto de Computação  PAGEREF _Toc522522377 h 210

DESIGN E DESENVOLVIMENTO DO PORTAL ? CALEIDOSCÓPIO JÚNIOR  PAGEREF _Toc522522378 h 210

ESTUDO DE FRAMEWORKS APLICADOS A GERÊNCIA DE MANUTENÇÃO  PAGEREF _Toc522522379 h 210

CALEIDOSCÓPIO JR. ? DESIGN E DESENVOLVIMENTO DE UM JORNAL ON-LINE PARA CRIANÇAS  PAGEREF _Toc522522380 h 210

UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A NATUREZA MULTIFRACTAL DE TRÁFEGO EM REDES  PAGEREF _Toc522522381 h 211

AMBIENTE PARA PROGRAMAÇÃO DE ANIMAÇÕES DE ALGORITMOS  PAGEREF _Toc522522382 h 211

PESQUISA DE SIMILARIDADE DE CADEIAS DE DNA E PROTEÍNAS USANDO PROCESSAMENTO PARALELO  PAGEREF _Toc522522383 h 212

CALEIDOSCÓPIO JR - UM ESPAÇO VIRTUAL INCLUSIVO PARA CRIANÇAS, DESIGN E DESENVOLVIMENTO DE UM FÓRUM DE DISCUSSÃO PARA CRIANÇAS  PAGEREF _Toc522522384 h 212

Instituto de Geociências  PAGEREF _Toc522522385 h 212

MODELOS 3D CONCEPTUAIS DOS CORPOS RESERVATÓRIOS EM SISTEMAS DEPOSICIONAIS SILICOCLÁSTICOS DE ÁGUAS PROFUNDAS: O CASO DA FORMAÇÃO ITARARÉ ? PORÇÃO SETENTRIONAL A LESTE DE CAMPINAS.................................................................................................................................................... PAGEREF _Toc522522386 h 212

ÍNDICE DE ASSUNTOS.............................................................................................................213

PROJETOS DA ÁREA DE ARTES

Instituto de Artes

IDENTIDADE PESSOAL E CULTURA POPULAR BRASILEIRA DO DEFICIENTE VISUAL COMUNICADAS ATRAVÉS DA DANÇA

Adriana Lima Ramos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Inaicyra Falcão dos Santos (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

A presente pesquisa vem tratar a dança como meio de expressão de um grupo bem específico: um grupo de deficientes visuais. Através dela, e principalmente da dança popular brasileira , consegue-se conhecer e entender o fenômeno da cegueira e seus fatores intrínsecos e extrínsecos, porque ela dará possibilidades de contato com o mundo das tradições, com o modo de vida de um povo ou comunidade. E ainda dará abertura para o indivíduo conhecer-se a si próprio e seus potenciais, a partir das propostas de exercícios inerentes à metodologia empregada, que é composta por dois momentos. No primeiro momento emprega-se exercícios de dança, baseados nos gestuais, no cotidiano e nas manifestações populares brasileiras. Como objetivo destes temos: observar e conhecer um corpo que possui a limitação do olhar; buscar estratégias de ensino para o desenvolvimento do indivíduo e do grupo ao propor uma nova linguagem da dança; estimular a reflexão e a prática dos potenciais do indivíduo e do grupo; instigar a livre expressão e transformação dos exercícios de dança anteriormente estabelecidos; fazer o indivíduo portador de deficiência visual pesquisar a própria origem no seio familiar como proposta da busca e retomada da identidade pessoal e suas relações com o mundo (neste momento recorre-se à leitura e reflexão de Bisa Bia Bisa Bel, de Ana Maria Machado). No segundo momento faz-se necessário a aplicação de uma manifestação popular brasileira como instrumento oportuno para o indivíduo se relacionar e atuar com o coletivo, seja na maneira de criar, de expressar, de realizar uma pequena montagem coreográfica (parte conclusiva da pesquisa). A manifestação escolhida é o "Samba de Roda", por ser uma das manifestações que eu, autora do projeto, tenho mais conhecimento.

Cultura popular XE "Cultura popular"  - Deficiente visual XE "Deficiente visual"  - Dança XE "Dança"

A OBRA DE ARTE INTERATIVA ? OS BICHOS DE LYGIA CLARK

Adriana Novaes Quagliato (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Maria de Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

Lygia Clark é considerada uma das maiores artistas brasileiras de todos os tempos. Iniciou sua carreira tardiamente, no início dos anos 1950, e logo ocupou lugar de destaque no cenário artístico nacional de vanguarda, participando do grupo Frente e do debate que opôs, no final da década, concretos a neoconcretos. Segundo Ferreira Gullar, mentor do grupo neoconcreto e autor do manifesto que divulgou as idéias de seus participantes, a exposição do trabalho recente de Lygia Clark na Galeria de Arte das Folhas, em São Paulo, no ano de 1958, foi um dos eventos

marcantes para a ruptura definitiva com os artistas concretos. Foi também o trabalho de Lygia Clark, no caso em questão OS BICHOS, que inspirou Gullar a elaborar a Teoria do não-objeto, para definir obras que "não são quadros nem esculturas nem objetos utilitários" e que se realizam fora de toda convenção artística. Lygia Clark foi uma das primeiras artistas do grupo a romper com a noção de espaço pictórico e a explorar a integração das obras com o espaço real. Com os BICHOS, revolucionou o antigo conceito de que as obras de arte eram feitas apenas para a contemplação passiva e deu início à elaboração de uma arte inteiramente ligada à manipulação e à participação efetiva do espectador.

Arte Interativa XE "Arte Interativa"  - Bichos XE "Bichos"  - Lygia Clark XE "Lygia Clark"

LEITURA E ANÁLISE DO TRATADO "A COMPLETE TREATISE ON THE ART OF SINGING" DE MANUEL P. R. GARCIA

Alberto José Vieira Pacheco e Profa. Dra. Adriana Giarola Kayama (Orientadora), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

No século XIX, mudanças significativas ocorreram na emissão vocal dos cantores do ?Bel Canto?, quando uma voz mais densa e escura começou a ser valorizada, tomando o lugar do estilo leve e florido que vinha sendo adotado desde o Barroco. Manuel Patrício Rodrigues Garcia (1805-1906), em seu tratado ? A Complet treatise on the art o singing?, documenta essa nova técnica, ensinando como produzir o tipo de canto valorizando no século XIX. Além disso, trata da prática interpretativa da música vocal desse século, com muitos exemplos do repertório. Garcia foi um dos mais celebrados professores de canto do seu tempo e inventou o laringoscópio, sendo considerado um dos pais do ensino cietífico de canto. Nesta Inciciação Cietífica analisamos esse tratado, tentando obter subsídios para compreender melhor a emissão vocal do século XIX, segundo a respeitada escola de Garcia, bem como, obter uma prática interpretativa da música do século dezenove melhor subsidiada historicamente.

Leitura XE "Leitura"  - Análise XE "Análise"  - Música XE "Música"

O ESTILO DE IMPROVISAÇÃO DE HÉLIO DELMIRO

Bruno Mangueira (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Marcos Siqueira Cavalcante (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Reconhecidamente um dos mais importantes instrumentistas da história da música popular brasileira, Hélio Delmiro desenvolveu um estilo próprio de tocar violão e guitarra, com raízes no choro, samba, jazz e blues. Ao contrário da grande maioria dos guitarristas, Delmiro não usa palhetas, apenas as mãos, criando, com refinamento, improvisações ricas em ritmo e melodia. O presente trabalho visa decodificar a estrutura melódico-harmônica de improvisação nesse músico, que teve uma participação decisiva no desenvolvimento da linguagem guitarrística brasileira.

Música XE "Música"  - Linguagem XE "Linguagem"  - Brasileira XE "Brasileira"

MOVIMENTO DA MÚSICA, MÚSICA DO MOVIMENTO: UM ESTUDO DA RELAÇÃO ESTRUTURAL ENTRE COMPOSIÇÃO MUSICAL E CONSTRUÇÃO COREOGRÁFICA

Calima Torino Jabur (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Denise Hortência Lopes Garcia (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

A compreensão da estrutura musical tem grande importância na criação, execução e ensino da dança . Este trabalho tem o intuito de analisar a relação formal entre composição musical e composição coreográfica, visando o esclarecimento do diálogo travado entre elementos constitutivos da peça musical com o movimento na dança. Pretende-se possibilitar maior consciência dessas estruturas no desenvolvimento da praxes da dança e enquanto método pedagógico no trabalho de formação do intérprete e do coreógrafo. Para execução do trabalho foi selecionada a coreografia "Falling Down Stairs " de Mark Morris composta com base na suíte no 3 de Joan Sebastian Bach. Após análise detalhada das estruturas harmônicas, melódicas e rítmicas presentes na peça musical, foi possível observar relações entre frases melódicas e frases de movimento, desenhos espaciais e desenhos melódicos, acentos rítmicos e relações com saltos e giros. Pode-se concluir que existem elementos de análise comuns as duas áreas, desta forma o movimento pode se valer da estrutura musical para ser constituído e vice-versa.

Coreografia XE "Coreografia"  - Música XE "Música"  - Análise XE "Análise"

LEITURA CONTEMPORÂNEA DOS PROCEDIMENTOS DE ATUAÇÃO EM ARTAUD E GROTOWSKI

Carlos Antonio Moreira Gomes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Renato Cohen (Orientador), Instituto de Artes - IA , UNICAMP

Antonin Artaud (1896-1948) e Jersy Grotowski (1933-1999) não deixaram apenas teorias, mas reflexões profundas e influenciadoras no fazer teatral da modernidade. Entre ambos teatrólogos, existem grandes intercecções. E nesta pesquisa, para melhor apontar e analisar os fatores de influência na atual cena teatral fez-se um confronto de seus principais pontos de investigação: a metafísica e o transcendental, o ritual e a mitologização, a crueldade e a arte como veículo. Desta forma, buscou-se examinar a visão de cada um, suas essências, os pontos em comum, as divergências e as influências na moderna cena brasileira, tendo com o estudo bibliográfico, entrevistas com artistas ligados a tais pensadores e análise de espetáculos teatrais a forma para melhor compreender a absorção do ator brasileiro da proposta artaudiana e grotowskiana. E para completar, foi feita uma análise pessoal do meu trabalho de ator, sobretudo da minha experiência com o LUME - Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da UNICAMP. Constatou-se que a absorção de tais influências não é simples aculturação, mas construção de alicerces sob investigação prática que assegura ao artista agir transformando os diversos campos de ação do teatro.

Artaurd XE "Artaurd"  - Grotowski XE "Grotowski"  - Influência XE "Influência"

DIÁLOGO COM NARCISO: UMA INTERPRETAÇÃO PLÁSTICA DE BACHELARD

Cássia Helena José Barbosa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Adilson José Ruiz (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Fundamentada no texto do filósofo francês Gaston Bachelard ?Águas claras, águas primaveris e as águas correntes? e no mito de Narciso, a artista realizou um ensaio fotográfico e uma vídeo-instalação através de auto-retratos e cenas do seu cotidiano. Neste percurso executou-se uma revisão bibliográfica acerca do trabalho de outros fotógrafos e vídeo-artistas que trabalharam a auto-imagem, como por exemplo, Valério Vieira, John Coplan, Carlos Nader, Ida Feldman e Sandra Kogut. A pesquisa se apresenta através da exposição do material fotográfico e videográfico e da realização de um memorial descritivo. Nesta exposição, o público não se depara simplesmente com a imagem espelho da artista. O espelho, segundo Bachelard, é demasiadamente civilizado e geométrico. Quando Narciso se depara com sua imagem refletida em um lago, ele encontra na água um campo aberto para uma experiência íntima de beleza. A água é livre, aberta, profunda. A artista busca em seu ensaio um espaço para adentrar-se a uma imagem gêmea idealizada, a expressão das oposições internas do homem transformada em energia criadora.

Vídeo XE "Vídeo"  - FotografiaXE "Fotografia" - Auto-retratoXE "Auto-retrato"

ESTUDO DAS TÉCNICAS IMPROVISATÓRIAS DO SÉCULO XVII AO CRAVO, ATRAVÉS DOS ?Préludes non Mesurés? DE LOUIS COUPERIN

Cassiano de Almeida Barros (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Helena Jank (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

A prática instrumental improvisatória desempenhou papel importante na música do período barroco. Um gênero musical capaz de mostrar com clareza os parâmetros que orientavam esta prática na França no final do séc. XVII é o Prélude non Mesuré. O objetivo desta pesquisa é identificar figuras de improvisação contidas nos prelúdios non mesurés de Louis Couperin, observar os parâmetros que norteavam a prática da improvisação ao cravo e propor a aplicação destes parâmetros à prática do baixo contínuo. A partir de um levantamento técnico foram selecionados 3 prelúdios non mesurés de L. Couperin. Primeiramente foi realizada uma análise harmônica; em seguida, o método de análise aplicado foi elaborado a partir do estudo de fontes primárias de informação sobre o baixo contínuo na música francesa, mais especificamente o Nouveau Traité de l?accompagnement de Saint-Lambert. Através da análise observou-se serem os prelúdios estruturas harmônicas cujos acordes são ornamentados e conectados por ornamentação e que estão embuidos do estilo francês do final do séc. XVII. Compreendemos que estes prelúdios são verdadeiros exmplos às regras do baixo contínuo vigentes na França setecentista e que o estudo destas obras associado ao estudo do baixo contínuo pode trazer boas condições de aprendizado de um baixo contínuo não apenas correto, mas também estilizado e artístico.

Improvisação XE "Improvisação"  - Prelúdio -  XE "Prelúdio" Baixo contínuo XE "Baixo contínuo"

A EXPERIÊNCIA DO SELO SOM DA GENTE

Daniel Gustavo Mingoti Muller (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. José Roberto Zan (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Entre maio de 1981 e meados do ano de 1992 existiu o selo Som da Gente, uma gravadora pertencente ao casal de compositores Walter Santos e Tereza Souza, que atuou à partir de uma estrutura empresarial intermediária entre a produção independente de música e a produção em grandes gravadoras multinacionais, as majors. Durante este período foram produzidos no ?Nossoestúdio? 51 discos, sendo que 46 deles contém apenas instrumentos em suas faixas, e os outros 5 trazem o elemento instrumental dominante na sua concepção estética. Esses discos registram a obra de artistas importantes para a música instrumental brasileira, tanto em relação ao desenvolvimento de um mercado consumidor para esta modalidade musical quanto para o seu desenvolvimento estético, como Hermeto Pascoal, Hélio Delmiro, Nelson Ayres, Roberto Sion, Grupo D?alma, Grupo Cama de Gato, Grupo Medusa, entre outros. Através do levantamento e análise da experiência desempenhada pelo selo (através de bibliografia e entrevistas), foi possível compreender importantes nuances dos primeiros momentos de solidificação da produção de música através de indies, pequenas gravadoras que atuam em caráter segmentado, no Brasil; bem como do significativo momento experimentado pela música instrumental, na década de 80. Um elemento importante na trajetória do selo Som da Gente, que marca toda a sua produção é a sua relação dialética com as majors, sobretudo através da maneira idealista com que ele foi gerido: o fato de os donos da empresa serem músicos e amigos de músicos, e de terem a parte financeira do seu estúdio garantida através da realização de trabalhos publicitários de alto nível, possibilitou a adoção de um modelo de produção comercialmente mais arriscado, em que o músico tinha total liberdade artística ? a produção executiva não impunha qualquer tipo de limitação ao seu trabalho.

Música Instrumental Brasileira - XE "Música Instrumental Brasileira"  Produção Independente de Música - XE "Produção Independente de Música"  Mercado Fonográfico XE "Mercado Fonográfico"

ANÁLISE DAS OBRAS DE TEMAS RELIGIOSOS DE JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA DO ACERVO DA FAMÍLIA E DA CIDADE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

Daniela Maura dos Santos (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria de Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

O estudo buscou analisar as obras de temática religiosa do pintor José Antonio da Silva (1909-1996), especificamente as dezoito telas pertencentes ao acervo do Santuário do Sagrado Coração (localizado em São José do Rio Preto), assim como mais seis telas pertencentes ao acervo da família (localizado na mesma cidade)./ Os objetivos do trabalho concentraram-se no estudo das soluções pictóricas de Silva, em sua descrição histórica e comparativa no universo das artes plásticas, especificamente no contexto da pintura primitivista./ O projeto concretizou-se através de documentação fotográfica e análise formal das obras citadas, de entrevistas com familiares do artista e pesquisadores e de vasta pesquisa bibliográfica. / No decorrer da pesquisa o trabalho de Silva revelou-se bastante peculiar, há soluções curiosas no preenchimento da tela, com pinceladas rítmicas e até pontilhistas, contrastando com áreas de cor planas e justapostas; e mesmo questões de representação de movimento, aspectos que o particularizam perante os outros primitivistas.

Arte XE "Arte"  - Primitivismo XE "Primitivismo"  - José Antônio da Silva XE "José Antônio da Silva"

A CONCEPÇÃO DE HERALDO DO MONTE NA IMPROVISAÇÃO EM SAMBA

Eduardo de Lima Visconti (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Antonio Rafael Carvalho dos Santos (orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

A improvisação dentro da música popular continua se transformando bastante desde sua origem. De uma maneira geral consiste em uma criação instantânea de novas melodias em uma música seguindo critérios e padrões que estão em constante transformação. Tendo como base alguns conceitos e critérios para a improvisação sobretudo em samba, música regional e jazz foi possível analisar os improvisos musicais do guitarrista Heraldo do Monte. Para isso foram escolhidos 4 sambas que tiveram seus temas e improvisações transcritos e analisados, e demonstrado até que ponto Heraldo do Monte produziu um estilo próprio de improvisação em samba onde somam-se elementos regionais e jazz.

Improvisação XE "Improvisação"  - Samba XE "Samba"  - Guitarra Brasileira XE "Guitarra Brasileira"

INSTALAÇÃO: INTERRELAÇÃO ENTRE CORPO E MÍDIA

Gisele Freyberger (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Renato Cohen (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

O projeto Instalação: Interrelação Corpo e Mídia, teve como objetivo pesquisar procedimentos e possibilidades utilizados nas artes plásticas para instalações multimídia, focando as relações entre corpo e a mídia, pensando a mídia como suporte e extensão do corpo. Como metodologia utilizamos o ?work in progress? criativo, um procedimento que prioriza a trajetória, o uso de variáveis abertas, incorporando o acaso, o aleatório e o sincronismo. Empregamos a investigação teórica e pratica. A Pesquisa resultou num levantamento teórico e iconográfico do uso da instalação como forma de expressão nas artes plásticas contemporâneas, num estudo desta no contexto das novas mídias e tecnologias. No desenvolvimento de um projeto artístico privilegiando a experimentação na criação de duas exposições de instalações multimídia associadas à pesquisa.

Instalação XE "Instalação"  - Multimídia XE "Multimídia"  - Corpo XE "Corpo"

O PROCESSO DE MUDA VOCAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA COM ÊNFASE NA BIBLIOGRAFIA EM LÍNGUA PORTUGUESA.

Guilherme Donati Bracco (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Adriana Giarola Kayama (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

O período de muda vocal que ocorre na puberdade é o momento crucial para a definição de uma voz adulta. O estudo desse processo é de sumária importância para qualquer profissional da voz que pretenda trabalhar com vozes infantis e adolescentes. Para os professores de canto ou técnica vocal e para os regentes de coros infanto-juvenis o domínio da percepção ? a identificação de cada parte do processo ? é primordial para garantir uma produção vocal saudável e de boa qualidade sonora. Neste trabalho foi feito um levantamento e leitura crítica da bibliografia disponível na língua portuguesa e, por necessidade, inglesa, que trata sobre a muda vocal e seus aspectos no que diz respeito ao estudo da voz cantada. Notou-se uma profunda carência de textos em português ? originais ou traduzidos ? que abordassem a muda vocal, ainda mais sob o ponto de vista da voz cantada. Notou-se ainda, divergência de opiniões e conceitos em obras de autores e períodos diferentes dentro do século XX.

Mudança Vocal XE "Mudança Vocal"  - Voz XE "Voz"  - Puberdade XE "Puberdade"

ETAPAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE UM MÉTODO PROGRESSIVO, PARA EDUCAÇÃO MUSICAL ATRAVÉS DO VIOLINO

Ivan Lopes Bueno (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Eduardo Augusto Ostergren (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Este trabalho visa algumas etapas para implementação de um método, para educação musical através do violino. Devido a ausência de repertório brasileiro nos métodos tradicionais para o estudo do violino, este projeto se compromete em coletar uma série de músicas e melodias brasileiras para a formação deste repertório. Este deverá ser analisado, organizado conforme o grau de dificuldade e adaptado para o referido instrumento. Esta proposta é uma iniciativa inédita ao ensino musical através do violino no Brasil, pretendendo educar o aluno de uma forma mais participativa e mais próxima a sua formação cultural.

Método -  XE "Método" Progressivo -  XE "Progressivo" Violino XE "Violino"

A MARGEM NO CENTRO, COM E PELO CORPO

Juliana Clabunde dos Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Aparecida Polo Muller (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Pesquisa de campo junto a grupos de crianças e adolescentes de periferia, realizada através de trabalho de monitoria em dança nas oficinas oferecidas pela organização não governamental da qual participa a pesquisadora. As atividades basearam-se no contato e observação corporal junto aos grupos, formados por indivíduos que vivem em situação de exclusão, tendo como questionamento central, a forma com que esses corpos expressam sua realidade. As oficinas oferecidas pela pesquisadora aconteciam inicialmente uma vez por semana com duração de duas horas e posteriormente duas vezes por semana durando uma hora e meia. Assim, através de aulas cujos procedimentos seguiam o viés da dança brasileira, na qual sugere-se matrizes corporais aos participantes como alavancas do material pessoal expressivo, foi possível aos poucos decifrar o que aqueles corpos diziam. Durante as oficinas, coreografias foram estruturadas a partir do repertório pessoal do grupo e desenvolvidas na intenção de difundir o resgate feito. Assim levantou-se características marcantes da expressão corporal de cada indivíduo; o relacionamento em grupo, que se manifesta no momento em que dançam; a forma com que os fatos do dia a dia influenciam na lida com o corpo; e a mais incrível das revelações, a relação ritual X flexibilidade, quanto mais o grupo se integrava e se instaurava o rito entre eles, mais os corpos se flexibilizavam.

Expressão Corporal XE "Expressão Corporal"  - Cultura XE "Cultura"  - Social XE "Social"

A CRÍTICA DE FERREIRA GULLAR NOS ANOS 60: DO NEOCONCRETISMO AO FIM DAS VANGUARDAS.

Márcio Francisco Delaneze (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Mária de Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

O período estudado refere-se a uma parte da produção de Ferreira Gullar, enquanto crítico de arte nas década de 50 de 60. Gullar participa de movimentos de vanguarda abstratos brasileiros, tornando-se o principal teórico e porta-voz do movimento neoconcreto, escrevendo seu manifesto e elaborando a teoria do não-objeto; posteriormente sua postura muda passando a propor atividades culturais ligadas às camadas populares e a questionar uma arte de vanguarda elitizada. O objetivo do estudo é analisar a transitoriedade desses momentos da visão de Gullar, o qual através da leitura de referências bibliográficas e de pesquisa videográfica foi possível compreender e contextualizar esse período de transição. Após sua ligação com o movimento neoconcreto revela-se insatisfeito com o rumo tomado pelas vanguardas em países subdesenvolvidos como o Brasil, monstra-se favorável a uma arte politicamente engajada.Em sua opinião arte deve servir como meio de comunicação coletiva e a obra deve atuar como um veículo de conscientização do público. O estudo proprocinando uma visão mais clara dessas duas vertentes do pensamento de Ferreira Gullar em relação a vanguarda no Brasil.

Crítica -  XE "Crítica" Vanguarda -  XE "Vanguarda" Gullar XE "Gullar"

EXPERIÊNCIA TEATRAL COM O GRUPO DE ASSENTADOS DO M.S.T. DO HORTO DO VERGEL

Marta Tornavoi de Carvalho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Sérgio Ricardo de Carvalho Santos (Orientador), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

O processo de criação e a representação teatral abarcam inúmeras possibilidades. Por isso, seu estudo e experimentação, mesmo que com populações muito diversas, traz uma rica contribuição para a prática do ofício. Aprende-se com o fazer do outro. Este estudo sobre formas de representação foi realizado com um grupo de jovens entre doze e vinte e sete anos do assentamento do MST no Horto do Vergel em Mogi Mirim-SP- e teve uma dimensão teórico-prática com foco na prática. A pesquisa foi desenvolvida durante o processo de preparação dos ?atores?, a partir de exercícios de improvisação. O material dramático coletado destas atividades levou-nos a montagem e apresentação de um espetáculo teatral. Contando a história da ocupação da terra, passando pelas dificuldades, até a alegria de plantar num solo que agora lhes pertence, os jovens levaram para o palco vivências próprias, o que lhes possibilitou uma rica reflexão sobre realidade, política e cidadania. As diferentes percepções da arte cênica e as formas de representação dramática serviram de base para a produção de uma reflexão teórica sobre o pensamento teatral que ficará a disposição na biblioteca do Departamento de artes cênicas.

Teatro XE "Teatro"  ? Movimento Sem Terra XE "Movimento Sem Terra"  - Vergel XE "Vergel"

COMUNICAÇÃO VISUAL: ADEQUAÇÃO DE CONTEÚDOS ATRAVÉS DE ILUSTRAÇÕES DIDÁTICAS

Raquel Brenha Ribeiro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Anna Paula Silva Gouveia (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

O objeto de estudo dessa pesquisa na área de comunicação visual foi a ilustração como forma de transmitir didaticamente informações e conceitos específicos. O objetivo foi compreender de que maneira a ilustração pode substituir a linguagem escrita e analisar sua eficiência. O método empregado consistiu em conhecer conceitos de um programa de Manipulação Higiênica de Alimentos, preparar material ilustrado para os funcionários de uma padaria e verificar a eficiência deste. Os resultados evidenciaram dificuldade no entendimento de conceitos específicos e boa compreensão nos casos já codificados. Concluiu- se que o verbal transmite melhor conceitos específicos, mas em casos já codificados, a imagem além de substituí-lo é mais persuasiva.

Comunicação visual XE "Comunicação visual"  - Ilustração XE "Ilustração"  - Didática XE "Didática"

NO HIP HOP: "A BUSCA DE UM CORPO POETICAMENTE CRÍTICO"

Renata de Lima Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Eusébio Lobo da Silva (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

A dança contemporânea pode ser entendida como uma linguagem que traduz experiências, sensações e sentimentos através de movimentos. O Hip Hop através do Break, do Grafite e do Rap delata as desigualdades sociais, retratando a periferia dos grandes centros urbanos em diferentes aspectos. Este trabalho tem como principal motor a busca de motivos para a criação em dança contemporânea através de um olhar para universo do Movimento Hip Hop (especificamente na cidade de Campinas). Para tanto, tomamos como base a metodologia do Bailarino-Pesquisado- Intérprete. Nesta pesquisa extraímos a poética encontrada na essência desta manifestação urbana e, processamos este material conjugando-o às experiências e técnicas adquiridas em nossa formação artística, para fins da criação de um produto interartístico que expresse a realidade do universo de uma porção da sociedade brasileira.

Hip Hop XE "Hip Hop"  - Composição Coreografica XE "Composição Coreografica"  - Dança Contemporânea XE "Dança Contemporânea"

O ESTUDO DO GESTO SOB O PONTO DE VISTA BRECHTIANO: UMA PESQUISA DIRECIONADA AO ATOR

Robson Carlos Haderchpek (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Verônica Fabrini Machado de Almeida (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Este estudo sobre gesto foi realizado com um grupo de atores do curso de Artes Cênicas da Unicamp e tem por base uma investigação prática do gesto desenvolvido pelo ator dentro da poética brechtiana. A pesquisa se deu em duas etapas: a primeira voltada para a construção do gesto a partir de fotos, poemas, músicas e texto dramático, contando ainda com a sistematização de um treinamento corporal e um estudo teórico sobre a linguagem gestual (o gestus). Na segunda etapa os atores vivenciaram a construção do espetáculo ?Horácios e Curiácios? passando por um intenso processo de criação e de composição gestual que culminou com algumas apresentações públicas. Os principais objetivos da pesquisa foram: verificar os possíveis ganhos de um ator que trabalha conscientemente a composição do gesto na sua representação, criar um material de consulta sobre um trabalho prático centrado na linguagem gestual, bem como investigar a recepção do gestus. Para tanto foi utilizada uma metodologia de caráter experimental e histórica. Como resultado destacamos a elaboração de um treinamento físico para os atores com base em princípios da biomecânica, a sistematização de caminhos para a compreensão e construção do gesto na cena brechtiana, e a encenação de um espetáculo criado a partir dos resultados de nossa investigação. Conclui-se no entanto, que esta pesquisa não se encerra nela mesma, pois o ator que busca manter o dialogo entre arte e sociedade permanece em constante investigação.

Teatro -  XE "Teatro" Brecht -  XE "Brecht" Gesto XE "Gesto"

JOGOS DE IMPROVISAÇÃO NO PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO

Tânia Mello Neiva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo Goldemberg (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

?Jogos de Improvisação no processo de Musicalização? é um estudo comparativo entre dois educadores musicais: Murray Shafer e Teca Alencar de Brito. O objetivo principal do trabalho é comparar alguns exercícios de improvisação musical propostos por Murray Shafer à outros propostos por Teca A. de Brito, que à principio seriam parecidos. Para tanto nos baseamos no livro ?O Ouvido Pensante? de Shafer, no qual ele descreve algumas de suas aulas, e nas diversas fontes de pesquisa sobre o trabalho de Teca A. de Brito (textos escritos por ela, CDs produzidos com seus alunos, entrevistas com ela etc.), além de termos pesquisado outros autores a fim de estabelecer alguns parâmetros para a comparação. Ambos trabalham a música através do jogo, da brincadeira e da improvisação, entre outros. No entanto cada um trabalha de uma forma bem pessoal e diferente uma da outra, principalmente por terem objetivos diferentes quanto ao resultado musical.

Educação Musical XE "Educação Musical"  - Improvisação XE "Improvisação"

O PITORESCO E O SUBLIME NA PAISAGEM BRASILEIRA: A CACHOEIRA DE PAULO AFONSO - PERNAMBUCO DE E. F. SCHUTE

Tatiana Cuberos Vieira (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Paulo Mugayar Kühl (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Este projeto trata da obra Cachoeira de Paulo Afonso ? Pernambuco (1850, o/t, 116 X 152 cm, MASP), de E. F. Schute, procurando discutir os conceitos de pitoresco e de sublime. Desse modo, pretende-se compreender como importantes concepções estéticas do final do século XVIII e início do século XIX da Europa nortearam a produção artística de muitos pintores, inclusive aqueles que estiveram no Brasil, e como se deu o encontro entre os europeus e a paisagem brasileira, ou ainda, de como se construiu uma paisagem brasileira. Além de uma análise formal da obra em questão, foi feita uma comparação com a obra A Cachoeira de Paulo Afonso (óleo sobre madeira, 59 ( 46 cm, 1649, MASP), de Frans Post, sendo notória a diferença entre elas. Foi realizado um levantamento sobre o artista E. F. Schute, do qual pouco se sabe, e uma fortuna crítica de sua obra. O fato da cachoeira em questão ser de imensa beleza, fez com que esta se tornasse um ponto de atração para pintores, desbravadores e também poetas; portanto, foram analisadas obras referentes a esse tema de Castro Alves e Auguste Riedel. Além disso, haverá a análise de obras de outros artistas com a mesma temática, sendo no contexto europeu, as obras de Caspar David Friedrich e no caso brasileiro, especialmente as de Debret e Rugendas, e também levantar e fichar textos relativos à produção artística dos viajantes.

Schute XE "Schute"  - Sublime XE "Sublime"  - Cachoeira de Paulo Afonso XE "Cachoeira de Paulo Afonso"

CORREDORES URBANOS ? A TRAJETÓRIA DO OLHAR EM GRANDES VIAS

Tatiana Fecchio Gonçalves (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fernando Cury de Tacca (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

As imagens circulantes num contexto cultural são produtos da sociedade que as geram e ao mesmo tempo podem constituir elementos de construção de valores e estereótipos posteriormente compartilhados por toda esta sociedade. Como uma pessoa reage a uma imagem dentro de um determinado contexto cultural? Qual significação atribui ou não a estas imagens? Até que ponto uma determinada comunicação visual altera comportamentos e atitudes? Investigar essas questões foram os objetivos deste trabalho. Assim, foram analisadas imagens de vinte outdoors distribuídos em dois corredores urbanos da cidade de Campinas. Com um objetivo publicitário específico e uma população alvo constituída por usuários do sistema de transporte coletivo convencional; as imagens, a data e os locais de entrevista foram selecionados de tal forma, que garantissem que esta população estaria exposta às imagens no período de abordagem. Posteriormente os dados foram categorizados e submetidos à análise estatística. Os resultados deixaram entrever que o receptor irá se relacionar com diferentes imagens em função de características pessoais ao contrário de outras imagens que possuem um alcance generalizado. Notamos também que algumas imagens se comunicam mais eficazmente com determinadas faixas etárias ou perfil de receptor específico; mas que existe de fato no discurso desta população, um reforço a estereótipos que puderam ser identificados: status, beleza, marca ou apelo de comunicação sexualizado. A análise da reação destes receptores indica ainda uma falta de crítica, uma passividade frente às imagens vistas, talvez o maior estereótipo, desta vez comportamental, que esta pesquisa aferiu.

Outdoor XE "Outdoor"  - Semiologia XE "Semiologia"  - Comunicação visual XE "Comunicação visual"

NICS

NA BUSCA DE ESTRATÉGIAS PARA O DESIGN EM INTERNET

Angela da Cruz Romanini (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jônatas Manzolli (Orientador), Instituto de Artes - IA e NICS, UNICAMP

A presente pesquisa pretende analisar quantitativa e qualitativamente a relação entre padrões de apresentação de páginas na Internet e seu público. Concebida como continuação do projeto anteriormente desenvolvido, inclui a participação do usuário da Internet para caracterizar e avaliar o grau de aceitação do material visual veiculado na Web. Para tal, um protótipo de site de pesquisa foi concebido contendo 6 (seis) diferentes tipos de layout de maneira a construir um repertório que permita ao usuário opinar sobre o design apresentado. Através de um questionário que busca obter aspectos quantitativos(acessos, usuários com características semelhantes etc) e qualitativos (preferências de cor e layout etc), a pesquisa encontrou resultados que refletem tendências e/ou preferências gerais que poderão ser aplicados futuramente em publicidade, pesquisas de opinião ou aceitação de produtos vinculadas na Internet e até mesmo em criação e desenvolvimentos de design para segmentos específicos da população.Valorizando o aspecto artístico da pesquisa, pode-se projetar uma série de ?instalações? na Internet, em que diversos aspectos desenvolvidos durante a pesquisa poderão ser utilizados de forma estética. A página experimental foi alocada no endereço http://www.nics.unicamp.br/~angela/pesquisa.

Internet XE "Internet"  - Webdesign XE "Webdesign"  - Amostragem XE "Amostragem"

PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

CBMEG

ANÁLISE MOLECULAR DO GENE HSD3B2, REGIÕES EXÔNICAS E INTRÔNICAS

Fernanda Caroline Soardi (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maricilda Palandi de Mello (Orientadora), Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética - CBMEG, UNICAMP

A deficiência da 3(-hidróxiesteróde desidrogenase (3(-HSD) é uma forma rara de hiperplasia congênita da adrenal (HCA) na qual as sínteses de todas as classes de hormônios esteróides são prejudicadas. As mutações no gene HSD3B2, que codifica uma isoenzima de 371 aminoácidos e é quase exclusivamente expressa nas adrenais e nas gônadas, são responsáveis pela doença. Esse gene possue quatro éxons e três íntrons que ocupam um fragmento genômico de 7,8 kb. Neste trabalho descrevemos o estudo realizado nas regiões exônicas e intrônicas do gene HSD3B2. O gene foi estudado pela reação em cadeia da polimerase (PCR) e seqüenciamento. Através seqüenciamento determinamos em um dos indivíduos a mutação responsável pelo seu quadro clínico. O indíviduo do sexo masculino nasceu apresentando genitália ambígua, após uma gravidez sem intercorrências, sendo filho de um casamento consangüíneo. O indivíduo afetado é homozigoto para a mutação missense (C(A, na posição 6.744 a partir de ATG), localizada no éxon IV do gene HSD3B2. A mudança desse nucleotídeo resulta na substituição de uma prolina para uma glutamina no códon 222 (P222Q). A mesma mutação foi descrita por Moisan et al. (JCEM 84: 4410 ? 4425 (1999) em um menino de origem argelina com a forma perdedora sal apresentando hipospadia e micropênis. Por outro lado, outra mutação no códon 222, a P222H, foi determinada em heterozigose em uma paciente brasileira do sexo feminino com genitália normal e pubarca prematura (Marui et al., Clin Endocrinol (Oxf) 52:67-75 (2000). No entanto, ambas mutações produzem uma enzima sem atividade, o que explica o fenótipo do paciente aqui descrito. Dada a raridade da doença torna-se interessante registrar a recorrência de mutações em indivíduos de diferentes origens étnicas.

Mutação XE "Mutação"  - 3(-HSD XE "3(-HSD"  - Hiperplasia Congênita da Adrenal XE "Hiperplasia Congênita da Adrenal"

Faculdade de Ciências Médicas

GRUPO DE ESPERA - CARACTERÍSTICAS DE USUÁRIOS DEFICIENTES VISUAIS

Adilaine Juliana Scarano (Bolsista FUNDAP) e Profa. Rita de Cassia Ietto Montilha (Orientadora), Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação -CEPRE - FCM, UNICAMP

Grupo de espera é uma modalidade de intervenção que visa atender prontamente os usuários que buscam reabilitação. Esta atuação se justifica no CEPRE pela demanda ser maior que a capacidade de atendimento. O presente estudo, visa caracterizar a clientela do ?grupo de espera? do Programa de Adolescentes e Adultos deficientes visuais do CEPRE. Foram examinados os prontuários e registros de atendimento dos usuários participantes dos grupos no período de fevereiro a maio de 2001. Obteve-se uma amostra de tamanho 27, sendo 57,8% do sexo masculino, idade variando entre 14 e 80 anos (média de idade = 38,4 anos). Residem em Campinas 22,2% da amostra. A maioria é portadora de visão subnormal (74,1%) adquirida. Entre as principais causas predominam a retinose pigmentar (18,5%), diabete (14,8%), degeneração macular e glaucoma em 0,7% dos casos. Em relação à situação ocupacional 33,3% dos usuários estão aposentados por invalidez. A origem dos encaminhamentos foi diversa sendo 30,0% do HC ? UNICAMP e 30,0% de oftalmologistas da região. A média de tempo de espera para ingressar no grupo foi de 6,7 meses, observou-se diminuição no último mês sendo que 18,5% usuários tiveram ingresso imediato. É necessário facilitar o acesso da clientela à reabilitação por meio de atendimentos grupais a fim de melhorar prontamente o seu cotidiano e viabilizar precocemente o reconhecimento de potenciais.

Deficiência visual XE "Deficiência visual"  - Reabilitação XE "Reabilitação"  - Grupo de espera XE "Grupo de espera"

A CONTRIBUIÇÃO DE UM NOVO MARCADOR TUMORAL, A DESGAMACARBOXIPROTROMBINA, NO DIAGNÓSTICO DO CARCINOMA HEPATOCELULAR

Alessandra de Paula Richinho (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Jazon Romilson de Souza Almeida (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O carcinoma hepatocelular (CHC) é o tumor hepático maligno primário mais freqüente na espécie humana. Seu diagnóstico precoce é imperativo para que se institua a terapêutica adequada garantindo, assim, melhor prognóstico e maior sobrevida aos pacientes. Estudos recentes evidenciaram a possibilidade de se utilizar um marcador tumoral, a desgamacarboxiprotrombina (DCP), no diagnóstico do CHC. Alguns estudos têm demonstrado ser a DCP (DCP I) um marcador tumoral muito específico para o CHC, mas sua sensibilidade ainda é baixa, especialmente para tumores pequenos. Recentemente foi desenvolvida uma nova DCP (DCP II), mais sensível no diagnóstico do CHC. Assim, a possibilidade do emprego desta nova DCP motivou a realização do presente estudo. Foi realizado um estudo retrospectivo com pacientes divididos em cinco grupos: grupo I, pacientes com CHC; grupo II, com cirrose hepática; grupo III, com metástase hepática; grupo IV, com hemangioma hepático; grupo V, controle. Foi realizada a mensuração dos níveis plasmáticos dos dois marcadores ? DCP I e DCP II ? pelo método de enzima imunoensaio (EIA) nos pacientes de todos os grupos, e os resultados foram utilizados para se analisar a contribuição da nova DCP no diagnóstico do CHC, bem como comparar a DCP convencional e a nova DCP no diagnóstico do CHC e das demais patologias hepáticas.

Desgamacarboxiprotrombina XE "Desgamacarboxiprotrombina"  - Carcinoma Hepatocelular XE "Carcinoma Hepatocelular"  - Marcador Tumoral XE "Marcador Tumoral"

ALTERAÇÃO DE SINAL HIPOCAMPAL EM PACIENTES COM EPILEPSIA DE LOBO TEMPORAL MESIAL (ELTM) SUBMETIDOS A TRATAMENTO CIRÚRGICO

Ana Carolina Coan (Bolsista FAPESP), Eliane Kobayashi (Bolsista FAPESP Doutorado) e Prof. Dr. Fernando Cendes (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Investigar alterações de sinal hipocampal (ASH) em um grupo de indivíduos com ELTM refratária (ELTMR), utilizando uma técnica de quantificação simplificada. Selecionamos pacientes com ELTMR com atrofia hipocampal (AH) unilateral à análise visual de ressonância magnética (RM) submetidos a tratamento cirúrgico (ressecção temporal anterior) para controle de crises. Realizamos quantificação do sinal hipocampal em exames de RM, em cortes coronais T2 e T1-IR, utilizando o programa de edição e análise de imagens NIH image. Determinamos ASH em T2 e T1 quando os valores obtidos eram maiores (T2) ou menores (T1-IR) que 2 desvios-padrão da média do grupo controle, composto de 16 indivíduos voluntários sadios. Avaliamos 16 pacientes (10 com AH esquerda e 6 com AH direita). Em todos os pacientes a ASH detectada foi concordante à AH visualmente identificada (4 pacientes apresentaram ASH bilateral assimétrica). Quatro pacientes apresentaram ASH apenas nas imagens T1-IR, 5 apenas em T2 e 7 em ambas as aquisições. A quantificação do sinal hipocampal através do programa NIH é um método eficaz na lateralização da patologia hipocampal, incluindo detecção de anormalidade bilateral. A utilização conjunta de imagens T1 e T2 aumenta a sensibilidade de detecção das anormalidades.

Sinal hipocampal XE "Sinal hipocampal"  - Epilepsia temporal XE "Epilepsia temporal"  - Ressonância magnética XE "Ressonância magnética"

INFECÇÃO PUERPERAL EM MULHERES ATENDIDAS NO CAISM/UNICAMP

Ana Carolina Machado (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Eliana Amaral (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A infecção puerperal é responsável por importante morbi-mortalidade materna. Para avaliar a distribuição dos fatores de risco nos casos de infecção puerperal diagnosticados no CAISM entre 1997 e 1999, bem como sua evolução clínica e complicações, foi realizado um estudo descritivo de 100 casos identificados a partir das fichas da Comissão de Infecção Hospitalar. Após digitação e análise dos dados no EPI-INFO 6.0, encontramos 31% dos casos em mulheres até 19 anos, sendo 45,5% primigestas. Apenas 4,5% de gestantes não realizaram pré-natal; entre as 57 mulheres que o fizeram na UNICAMP, 42,1% tiveram diagnóstico de vaginose bacteriana. O índice de massa corpórea foi maior que 25 (obesidade, considerando peso pré-gestacional) em 37,4% da amostra. A rotura artificial de membranas foi praticada em 55% dos casos, com duas horas e meia de intervalo até o parto. A via de parto foi abdominal em 76% das parturientes, sendo 44,7% indicada por desproporção cefalopélvica ou outras distócias e 22% por iteratividade. Prematuridade e baixo peso ocorreram em 23% dos casos. Abscesso de ferida operatória foi a forma clínica de infecção mais freqüente (53,3%), seguido de endometrite. O principal agente infeccioso em 43 amostras endocervicais estudadas foi o Enterococcus faecalis. A média de internação foi 6 dias, 35,4% dos casos sofreram intervenção cirúrgica, sem morte materna. Os dados de 200 controles serão apresentados posteriormente.

Infecção Puerperal XE "Infecção Puerperal"  - Gravidez XE "Gravidez"  - Parto XE "Parto"

ESTUDO DO EMPREGO DA ANTISSEPSIA DAS MÃOS PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM EM UMA UNIDADE DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR

Ana Claudia Negri (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Milva Maria Figueiredo De Martino (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A lavagem das mãos é uma importante técnica que diminui o risco de infecções hospitalares. Deve ser realizada freqüentemente, antes e depois do contato com o paciente.No trabalho foram observados 25 profissionais de enfermagem, 06 enfermeiros, 01 técnico e 17 auxiliares. Observou-se ocasiões em que os profissionais lavavam as mãos e, posteriormente foi aplicado um questionário visando saber o que pensavam sobre a técnica, quando e qual a freqüência para sua realização. Foram observados os lavatórios das unidades de internação, se eram adequados ou não para a técnica da lavagem das mãos, e a presença de cartazes que veiculassem mensagens sobre o assunto. Esta pesquisa quantificou a lavagem das mãos; verificou a influência de mensagens em cartazes, e avaliou o uso dos lavatórios e suas condições de limpeza. Dos 25 profissionais, quase 10% não lavaram as mãos em nenhum momento, eles realizaram o curativo com o uso de luvas, o que não descarta a lavagem das mãos. Nos questionários eles frisaram a importância desta técnica. A maioria dos profissionais (72%) lavou as mãos após realizarem os curativos, sendo isto muito importante para um controle da infecção hospitalar. Os profissionais demonstraram ter conhecimento sobre o uso da técnica e freqüência a ser realizada, no entanto em vários momentos não realizam satisfatoriamente a higienização das mãos.

Infecção hospitalar XE "Infecção hospitalar"  - Lavagem das mãos XE "Lavagem das mãos"  - Enfermagem XE "Enfermagem"

AS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM E SEUS POSSÍVEIS EFEITOS TERAPÊUTICOS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE MENTAL EM PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO

Ana Paula Rigon Francischetti (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Débora Isane Ratner Kirschbaum (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Principalmente a partir da década de 60, a enfermagem começa a se preocupar em elaborar trabalhos científicos, os quais ajudam os profissionais a pensar sua prática através de referenciais teóricas e desta forma, subsidiam os planos de cuidado ou atenção dirigidos aos pacientes psiquiátricos. Verifica-se, porém, que com o advento da Reforma Psiquiátrica Brasileira, iniciada na década de oitenta, surgem outras preocupações que a fim de vincular as contribuições da psiquiatria com outras áreas do conhecimento, sobretudo áreas da sociologia e antropologia, para que tais contribuições sejam inseridas efetivamente junto aos usuários, surgem novos equipamentos de atenção a Saúde Mental, que ampliam o tratamento que até então tinha suas bases em terapêuticas fundamentadas em uma atenção asilar. O presente estudo teve como objetivo geral caracterizar os procedimentos, de cunho prático, adotados pela enfermagem que tenham uma eficácia junto ao tratamento de reabilitação do doente mental em um serviço em transformação, legitimando este saber prático realizado no processo de trabalho, particularmente do trabalho de enfermagem em um Centro de Atenção Psicossocial do município de Campinas. Trata-se de um Estudo de Caso, a partir de uma abordagem qualitativa e que tem o método etnográfico como referencial teórico. Como procedimento metodológico usou-se a observação participante, entrevistas não diretivas, baseadas num Roteiro semi-estruturado. Verificou-se que o trabalho de enfermagem é realizado por agentes que possuem o mesmo nível de formação escolar, e a divisão das tarefas administrativas são coordenadas por uma enfermeira, verifica-se ainda que os trabalhadores de enfermagem não encaminham para a enfermeira os procedimentos por eles realizados junto aos usuários, recorrendo, desta maneira ao profissional de referência. Os resultados mostram que as características assumidas pelo trabalho de enfermagem estão relacionadas com a concepção de como o profissional de enfermagem se relaciona com os demais membros da equipe e finalmente, verificamos que os profissionais divergem na conduta do relacionamento interpessoal.

Enfermagem psiquiátrica XE "Enfermagem psiquiátrica"  - Saúde mental XE "Saúde mental"  - CAPS XE "CAPS"

QUIMIOTERAPIA PRIMÁRIA NO CARCINOMA DA MAMA RESSECÁVEL ? AVALIAÇÃO DO IMPACTO NA CIRURGIA CONSERVADORA E SOBREVIDA

Ana Thereza Schneider (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra Julia Yoriko Shinzato (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Avaliar a redução tumoral com quimioterapia primária, a proporção de cirurgias conservadoras realizadas e a evolução dessas pacientes. Estudo clínico, realizado com 99 pacientes do Ambulatório de Patologia Mamária da Área de Oncologia do período de janeiro de 1994 a outubro de 1997, com carcinoma mamário acima de 20mm , submetidas à quimioterapia primária e posterior cirurgia: conservadora ou mastectomia radical. Foram utilizados os testes do Qui-Quadrado ou exato de Fisher para análise da resposta tumoral segundo alguns fatores, método de Kaplan-Meier para a curva de sobrevida, testes de long-rank ou Wilcoxon para correlacionar a sobrevida com fatores prognósticos. Houve resposta objetiva clínica em 55,6% das pacientes, e progressão em 6%. Nenhum fator estudado infuenciou na resposta tumoral. Cirurgia conservadora foi realizada em 50,5% das pacientes, contra 19,1% das que seriam candidatas sem quimioterapia. Maiores taxas de recidiva foram encontradas no grupo com menores taxas de resposta à quimioterapia, da mastectomia, com comprometimento linfonodal, e pré-menopáusicas sem resposta tumoral. A quimioterapia primária possibilitou um maior número de cirurgias conservadoras. A evolução foi pior no grupo de mulheres sem resposta tumoral e pré-menopáusicas.

Carcinoma XE "Carcinoma"  - Mama XE "Mama"  - Quimioterapia Primária XE "Quimioterapia Primária"

DETECÇÃO DE MUTAÇÕES NO GENE P-53 EM PACIENTES COM NEUTROPENIA ADQUIRIDA TÓXICA

Anabel Felsky Odawara (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sara Teresinha Olalla Saad (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Define-se neutropenia quando a contagem de neutrófilos no sangue é inferior a 2,0x109/L. A neutropenia pode ser induzida por mecanismos imunes, infecções bacterianas, irradiação, deficiência de folato ou vitamina B12 e por exposição a agentes químicos ou físicos. A exposição a agentes químicos como o benzeno está relacionada à ocorrência de leucemia aguda. Mutações no gene P-53 têm sido descritas em cerca de 10% de pacientes com leucemia mielóide aguda. Esse é um gene supressor tumoral que está envolvido na supressão da proliferação celular, indução da apoptose e indução da diferenciação celular. O presente estudo tem o objetivo de verificar a ocorrência de mutações do P-53 em indivíduos com neutropenia induzida, possivelmente, pela exposição a derivados de benzeno e agrotóxicos. Quarenta e cinco indivíduos atendidos no Hemocentro da UNICAMP foram selecionados e mutações nos exons 5,6,7 e 8 foram rastreadas por PCR-SSCP. Foram encontrados um desvio de banda no exon5, seis no exon6, cinco no exon7 e nenhum no exon8. A neutropenia poderia estar relacionada, nesses casos, como um sinal precoce da existência de mutações genéticas que, posteriormente, poderão ser seguidas de alguma patologia da medula óssea mais grave.

Neutropenia XE "Neutropenia"  - P53 XE "P53"  - Benzeno XE "Benzeno"

MIOCARDIOPATIA INDUZIDA POR BLOQUEIO DA TUBULINA EM CORAÇÕES DE RATOS SUBMETIDOS À SOBRECARGA PRESSORA

Analice Matteis Martins Bonilha (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Kleber Gomes Franchini (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Mecanismos de sinalização intracelular associados a proteínas do citoesqueleto do miócito são elementos centrais na mecanotransdução que resulta em adaptação estrutural do ventrículo esquerdo (VE) em resposta à sobrecarga pressora. Esse estudo testa o efeito da colchicina (inibidor da polimerização da tubulina) no crescimento hipertrófico do miocárdio de ratos submetidos à sobrecarga pressora por coarctação da aorta (CoAo). Ratos Wistar machos (140-180g) tratados com salina (0,1 ml/dia, i.p.), submetidos à cirurgia fictícia (C; n=5) e à CoAo (CoAo;n=5) foram comparados com ratos tratados com colchicina (0,25mg/kg/dia, i.p.) submetidos à cirurgia fictícia (T; n=5) ou CoAo (CoAo+T; n=5). Após 30 dias, parâmetros hemodinâmicos foram obtidos e coração, pulmões e fígado foram pesados. CoAo+T apresentou menores pressão sistólica de VE (137(13 vs. 204(11) e dP/dT+/- (6,848(1,797 vs. 12,100(2,496; -3,868(602 vs. ?12,600(1,970) que CoAo. A relação peso VE/pesoVD foi maior em CoAo (4,76(0,9 vs. 3,63(0,5) e pesos de pulmões e fígado, normalizados pelo peso corporal, maiores em CoAo+T ( 0,54(0,06 vs.0,43(0,01; 4,4(0,24 vs. 3,4(0,07). O tratamento com colchicina atenuou a hipertrofia do VE submetido à CoAo, induzindo o aparecimento de sinais de insuficiência cardíaca

Coração XE "Coração"  - Citoesqueleto XE "Citoesqueleto"  - Hipertrofia Cardíaca XE "Hipertrofia Cardíaca"

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO CARCINOMA MICROINVASOR CERVICAL ESTÁDIO Ia1 TRATADO COM CONIZAÇÃO CIRÚRGICA

Andrea Miyuki Yoshimura (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria Salete Costa Gurgel (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A conceituação e a caracterização do carcinoma microinvasor cervical têm sido muito polêmicas ao longo dos anos, ocasionando controvérsias também quanto à sua melhor conduta terapêutica. Tem sido observada tendência à adoção de condutas cada vez mais conservadoras, sendo a conização considerada o procedimento de eleição ao se tratar de paciente ainda jovem e com desejo de gravidez futura. Neste trabalho, foi desenvolvida uma análise retrospectiva dos resultados do protocolo terapêutico para os casos de carcinoma microinvasivo cervical Ia1 adotado no Setor de Oncologia Ginecológica do Departamento de Tocoginecologia da FCM ? UNICAMP, através da avaliação dos aspectos epidemiológicos e histológicos associados à evolução da doença, da proporção de recidivas e óbitos ocorridos. A presença de margens cirúrgicas comprometidas está relacionada à presença de neoplasia residual, daí o fato de, por serem tratados com procedimento não mais conservador, casos com margens da conização comprometidas terem sido excluídos do estudo. Observou-se correlação entre a profundidade e a extensão da microinvasão. Não foi encontrada recidiva no presente estudo. A conização tem-se mostrado, atualmente, um procedimento seguro nos casos de estádio Ia1 da neoplasia cervical.

Carcinoma microinvasor de colo uterino, estádio Ia1 XE "Carcinoma microinvasor de colo uterino, estádio Ia1"  - Conização XE "Conização"  - Tratamento conservador XE "Tratamento conservador"

CARACTERIZAÇÃO DO POLIMORFISMO DO GENE CYP17 E O RISCO DE CÂNCER DE PRÓSTATA

Andrey dos Santos (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Christine Hackel (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A testosterona é sintetizada a partir do colesterol por uma série de reações enzimáticas envolvendo enzimas do citocromo P450. O gene CYP17 codifica uma enzima que participa de duas reações seqüenciais na biossíntese de esteróides, precursores de testosterona e estrógeno. Os hormônios androgênicos constituem um fator importante para o desenvolvimento de câncer de próstata. A região 5? não traduzida do CYP17 contém um polimorfismo (T/C) que cria um segundo sítio promotor do tipo Sp1 (Alelo A2), o que poderia resultar em um aumento da taxa de transcrição desse gene. Portanto, postula-se que indivíduos portadores do alelo A2 teriam um risco aumentado para essa doença. Com o objetivo de determinar as freqüências dos alelos A1 e A2 do gene da CYP17 em adultos de sexo masculino da população miscigenada do Estado de São Paulo, obteve-se amostras de DNA de 200 doadores de sangue do sexo masculino e de 92 pacientes com câncer de próstata. As amostras foram analisadas pela técnica de PCR-RFLP e o produto do PCR foi digerido com a enzima MspA I. Não foram encontradas diferenças significativas nas freqüências genotípicas entre os grupos (x²=0.728; p=0.6949) indicando uma ausência de associação entre o polimorfismo do gene CYP17 e o risco de câncer de próstata. Outros genes candidatos estão sendo investigados, e a possibilidade de interações entre o polimorfismo do gene CYP17 e os demais genes candidatos serão exploradas quando tais dados forem disponíveis.

Gene CYP17  XE "Gene CYP17" - Polimorfismo  XE "Polimorfismo" - Risco de câncer de próstata XE "Risco de câncer de próstata"

AVALIAÇÃO DA EXCREÇÃO URINÁRIA DE PROTEÍNAS EM INDIVÍDUOS COM EXPOSIÇÃO AMBIENTAL A METAIS PESADOS

Anita De Nardo Panzan (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Célia Regina Garlipp (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A região do Vale do Ribeira é considerada área com altos índices de contaminação ambiental por metais pesados. A exposição crônica a baixos níveis de metais pesados pode causar dano renal, inicialmente subclínico com progressiva insuficiência renal irreversível. Usando marcadores protéicos da lesão renal precoce- glomerular (microalbuminúria) e tubular (alfa 1 microglobulina)- buscamos avaliar a associação entre alterações renais e níveis séricos de chumbo. Foram coletadas amostras de sangue (plumbemia-Pb) e amostras de urina, que foram submetidas a dosagem das relações proteína/creatinina (PROT/CREA), microalbuminúria/creatinina (MALB/CREA) e alfa 1 microglobulina/creatinina (A1M/CREA) de indivíduos provenientes de duas regiões distintas do Vale do Ribeira: GRUPO I: 179 moradores (6-66 anos) de próximas às minas e rios (maior risco ambiental) e GRUPO II: 58 crianças (6-14 anos) de áreas distantes dos rios (com aparente menor risco). Entre os indivíduos do GRUPO I, obtivemos maior número de alterações urinárias e de Pb: obtivemos alterações de MALB/CREA em 19 amostras (10,61%), PROT/CREA em 6 amostras (3,36%), A1M/CREA em 3 amostras (1,68%) e Pb em 4. Houve alteração associada de MALB/CREA e A1M/CREA em 6 indivíduos (3,35%) e de PROT/CREA e Pb em 1 caso. No GRUPO ll, detectou-se alteração de MALB/CREA em 3 amostras (5,17%), de PROT/CREA em 1 amostra (1,72%) e de A1M/CREA e MALB/CREA associados em 1 amostra, sem haver alterações de Pb. Nossos dados permitem sugerir que o acometimento renal é relativamente freqüente na população de maior risco aparente independentemente da elevação dos níveis séricos de chumbo. Seu diagnóstico precoce é de fundamental importância para prevenção de nefropatias clínicas.

Chumbo XE "Chumbo"  - Exposição Ambiental XE "Exposição Ambiental"  - Lesão Renal XE "Lesão Renal"

IMPORTÂNCIA DOS DEFEITOS CONGÊNITOS (DC) NA MORTALIDADE PERINATAL PRECOCE-UMA AVALIAÇÃO PROSPECTIVA DURANTE UM PERÍODO DE 18 MESES NA MATERNIDADE DO CAISM

Anna Rita Moraes de Souza Aguirre (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Denise Pontes Cavalcanti (Orientadora) , Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Objetivando avaliar a freqüência de DC entre os óbitos perinatais, desenvolveu-se um protocolo de análise desses óbitos no CAISM. De 200 casos (set/1999-fev/2001) foram obtidas histórias clínicas incluindo exames maternos, além dos exames fetais: exame genético-clínico, fotografias, radiografias, cariótipos e laudos de necrópsias que possibilitaram a determinação de 83% das causas de óbito e a importância dos DC na mortalidade perinatal. Do total, 78% foram natimortos e 22% óbitos neonatais precoces. Houve um predomínio de perdas gestacionais no 2º trimestre (58,5%). Os óbitos ocorreram por uma causa materna em 73 casos (36,5%). A causa não pôde ser determinada em 34 casos (17%), porém, na maioria das vezes, uma causa de origem fetal (85 ? 42,5%) foi determinada. Entre esses, 60 (30%) eram potadores de DC graves e 23 (11,5) eram gemelares. Entre os DC destacam-se os defeitos do SNC (19) e do sistema gênito-urinário (9), além das cromossomopatias (15) e polimalformados verdadeiros (12). Aproximadamente metade dos casos seriam passíveis de prevenção, seja evitando o óbito atual-passado (causas maternas) seja através do aconselhamento genético para gestações futuras.

Defeitos Congênitos XE "Defeitos Congênitos"  - Mortalidade Perinatal XE "Mortalidade Perinatal"  - Prevenção XE "Prevenção"

MÉTODOS DE DETECÇÃO DA INFECÇÃO PELO CMV EM PACIENTES SUBMETIDOS A TMO

Arthur José de Souza Colussi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Sandra Cecília Botelho Costa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O citomegalovirus (CMV) é a principal causa infecciosa de morbidade e mortalidade em pacientes transplantados de medula óssea (TMO). Para o diagnóstico precoce de infecção dispomos de técnicas como a PCR e a Antigenemia (AGM), que possibilitam a instituição precoce da terapia antiviral com ganciclovir, aumentando sua eficácia. Os objetivos deste trabalho foram monitorizar receptores de TMO em relação à infecção por CMV e avaliar a profilaxia antiviral. Para isso, entre 07/98 e 05/01 foram acompanhados 69 pacientes, no STMO/HC/UNICAMP, com PCR e AGM semanais e sorologia mensal, desde o pré-TMO até o dia +150. Entre os 69 pacientes que entraram neste estudo, 54 (78,3%) apresentaram PCR positivo, e 38 (55,1%) tiveram antigenemia positiva. Entre estes pacientes, com infecção ativa por CMV, 4 (7,4%) pacientes apresentaram doença por CMV (todos casos de gastrite, comprovados por biópsia). Um destes pacientes evoluiu com CMV disseminado e óbito. Também existiu um caso suspeito de hepatite fulminante por CMV. Em 9 pacientes, a positivação do PCR antecedeu a AGM por uma média de 14,9 dias; em 19 ocasiões os métodos se tornaram positivos ao mesmo tempo. O PCR permaneceu positivo após a negativação da AGM por uma média de 10,75 dias. Concluímos que as técnicas de PCR e AGM são eficazes na monitorização de infecção por CMV e que a profilaxia antiviral com baixas doses de ganciclovir apresentou resultados satisfatórios.

Citomegalovirus XE "Citomegalovirus"  - TMO XE "TMO"  - Ganciclovir XE "Ganciclovir"

PARALISIA CEREBRAL TETARAPARÉTICA: ASPECTOS CLÍNICOS, ETIOLÓGICOS E DE NEUROIMAGEM

Carlos André Scheler de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Maria Sedrez Gonzaga Piovesana (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Os objetivos do trabalho são: fazer o levantamento dos fatores de risco etiológicos (FRE) para Paralisia Cerebral Tetraparética (PCT); fazer o levantamento dos aspectos radiológicos, através de TC, correlacionando-os com o quadro clínico e com a etiologia da PCT.Foram levantados os dados de anamnese dos prontuários dos pacientes com PCT que foram atendidos no ano de 1999, no ambulatório de PC do HC-UNICAMP os quais já haviam realizado Tomografia Computadorizada de Crânio (CT). Os FRE foram divididos em Pré-natais, Perinatais, associados e indeterminados. Os achados na CT foram classificados em 5 subgrupos, e associados com os fatores de risco e alguns aspectos clínicos. Entre as 43 crianças eram do sexo masculino: 51%, apresentavam PCT de predomínio crural e de predomínio a E. Relatavam fatores de risco pré-natal 28% e perinatal 44%, em 14% estavam associados e não foi relatado FRE em 14%. Os grupos formados foram: GI: Imagem normal 16%, a maioria com etiologia indeterminada. GII: dilatação ventricular (lesão compatível com a prematuridade ou Leucomalácia Periventricular) em 30. GIII: área de hipodensidade compatível com lesão vascular pré ou perinatal 19%. GIV: Atrofia cerebral difusa associada com outros achados como calcificações 23%. GV: Malformação do SNC presente em 12%, neste grupo a neuroimagem confirmou a etiologia pré-natal. A CT esteve associada aos FRE (p= 0,020) demonstrando sua contribuição na definição da etiologia. A neuroimagem pode contribuir no esclarecimento da etiologia da PCT desde que associada a investigação clínica cuidadosa. Por outro lado a alta freqüência de EHI, e de intercorrências perinatais vem alertar para maiores cuidados obstétricos e pediátricos que poderiam minimizar as seqüelas graves como a PCT.

Paralisia Cerebral Tetraparética XE "Paralisia Cerebral Tetraparética"  - Tomografia XE "Tomografia"  - Neuroimagem XE "Neuroimagem"

AS FAMÍLIAS DAS PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS E O DIREITO À INCLUSÃO

Clarice Ribeiro (Bolsista FUNDAP) e Profa. Dra. Samira Kauchakje (Orientadora), Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação - CEPRE - FCM, UNICAMP

Este estudo tem como questão central a relação entre os direitos à diferença e à igualdade e a inclusão social das pessoas com necessidades especiais. O direito à diferença tem o sentido do reconhecimento da diversidade humana e do respeito às necessidades específicas. No entanto, num país tão desigual como o Brasil, os direitos relacionados à igualdade (como à saúde, à educação, ao trabalho, à habitação) são extremamente urgentes para que se possam manifestar e fazer respeitar as identidades singulares, na conquista de uma sociedade inclusiva. O objetivo deste trabalho foi compreender a percepção das famílias dos usuários do CEPRE ? FCM - Unicamp sobre a inclusão social e estes direitos. Foram realizadas uma breve revisão bibliográfica e entrevistas com 14 familiares, a maioria mães e esposas de pessoas com visão sub normal ou surdas. O resultado obtido foi o seguinte: 05 entrevistadas indicaram a proximidade entre inclusão social e o direito à igualdade; 02 relacionaram inclusão ao direito à diferença; 04 apontaram a afinidade com os dois direitos concomitantemente e; 03 (três) não responderam. Considerando que maioria das entrevistadas pertence às camadas sociais de baixa renda e aos grupos sociais minoritários (em termos de gênero e de ter um membro da família com deficiência), pode-se interpretar a ênfase no direito à igualdade (individualmente ou em conjunto com a diferença) pela desigualdade social, discriminação e exclusão, vivenciadas cotidianamente.

Direitos XE "Direitos"  - Deficiência XE "Deficiência"  - Inclusão XE "Inclusão"

CARACTERIZAÇÃO IMUNO-HISTOQUÍMICA DO INFILTRADO LINFÓIDE NA VILOSITE DE ETIOLOGIA DESCONHECIDA (VED)

Cláudia Altemani (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dra. Albina Altemani (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A VED é a mais comum das vilosites, sendo que os principais fatores causais propostos são: infecção materna não diagnosticada e reação imunológica materna contra os tecidos placentários. O objetivo do trabalho foi analisar o infiltrado mononuclear e os subtipos de linfócitos na VED e comparar os resultados com aqueles obtidos em vilosite de etiologia conhecida. Analisamos 8 placentas com VED, 8 com vilosite chagásica, 5 com vilosite por T. gondii e 8 controles sem vilosite através da técnica avidina-biotina-peroxidase, em secções de parafina. Em todas as placentas com vilosite, o infiltrado inflamatório era constituído principalmente por macrófagos CD68+, linfócitos T CD 8+ e raras células NK. Entre as células T, a relação CD 4+ / CD 8+ variou de 0,13 a 0,67 na VED e de 0,04 a 0,56 nas vilosites infecciosas. Na VED, macrófagos Mac 387+, neutrófilos CD 15+ estavam ausentes ou em pequeno número. Em contraste, estas células eram numerosas na vilosite chagásica rica em parasitas e na vilosite por T. gondii e estavam relacionadas às áreas de rotura do trofoblasto. Conclusão: A vilosite de etiologia desconhecida apresenta constituição do infiltrado inflamatório semelhante à da vilosite infecciosa menos intensa, que não provoca rotura do trofoblasto

Vilosite de etiologia desconhecida XE "Vilosite de etiologia desconhecida"  - Linfócitos XE "Linfócitos"  - Imuno-histoquímica XE "Imuno-histoquímica"

ESTUDO DE 200 CASOS DE EPILEPSIA NO HC DA UNICAMP E SUA RELAÇÃO COM A NEUROCISTICERCOSE

Cristiane Lourenço Ribeiro (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Elizabeth M. A. B. Quagliato (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A epilepsia é uma das afecções mais freqüentes na Neurologia e sua caracterização clínica e etiológica é importante. Foi estudado retrospectivamente 200 prontuários de pacientes do Ambulatório de Epilepsia do HC da Unicamp no período de 1998,sados clinicamente e através de exames de eletroencefalograma (EEG), neuroimagem (tomografia computadorizada de crânio (TCC )e ressonância magnética de crânio (RM) ) e quando indicado o líquido cefalorraquidiano (LCR).Dos 200 pacientes analisados 31,5% eram procedentes de Campinas (SP) e 68,5% de outras cidades, 54% do sexo feminino e 46% masculino e 79,5% brancos e 20,5% negros. Dentre os 84 pacientes (42%) com exame de LCR, 2 apresentavam imunologia positiva para cisticercose. Realizaram exame de RM 98 (49%) pacientes e 2 apresentavam RM compatível com o diagnóstico de neurocisticercose (NC), Dos 162 (81%) que realizaram exame de TCC 34 tem TCC compatível com NC.O trabalho mostra no nosso meio uma alta prevalência de epilepsias criptogênicas, 39% dos pacientes, epilepsias causadas por esclerose mesial (17% )e NC (16%), epilepsias mioclônicas juvenis ( 5% ), epilepsia do lobo temporal familiar (4%), acidente vascular cerebral (3,5%), infecçâo do sistema nervoso central (3%) e trauma crânio encefálico (3% ). As epilepsias primariamente generalizadas ocorrem em 1,5% dos pacientes, epilepsias primariamente generalizadas familiar e síndrome de Lennox-Gastaut em 0,5% cada e outras causas com 7%.

Epilepsia XE "Epilepsia"  - Neurocisticercose XE "Neurocisticercose"  - Prevalência XE "Prevalência"

CONDUTAS DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM NA MEDIDA DA PRESSÃO ARTERIAL

Cristina Balbão Filippi Berno (Bolsista FAPESP), Gisela Mayumi Takeiti e Prof. Dr. José Luiz Tatagiba Lamas (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A medida indireta da pressão arterial (PA) é o método mais utilizado para o diagnóstico das desordens pressóricas. Portanto, é salutar realizá-la de forma correta, o que nem sempre acontece. Nosso objetivo foi verificar as condutas assumidas por 22 profissionais de enfermagem do Hospital das Clínicas da UNICAMP na aferição da PA. Suas condutas foram anotadas em ficha própria. A maioria verificou a PA no braço, com pacientes deitados. Dos pacientes que permaneceram sentados (posição ideal), apenas 15% ficaram na posição correta. Nenhum observador investigou o estado emocional, o enchimento vesical ou intestinal, o uso do tabaco e a ingestão alimentar ou de bebidas estimulantes nos 30? anteriores à medida. 67% dos funcionários não permitiram 5? de repouso antes da medida. Em 65% das observações não foi feita a escolha do manguito correto e em 82% ele foi colocado de maneira errada. 91% dos funcionários não palparam o pulso para determinar o nível máximo de inflação. O estetoscópio correto só foi usado em 14% dos casos. 23% dos esfigmomanômetros e 64% dos estetoscópios estavam em más condições de uso. Em 59% das situações o valor da PA foi anotado erradamente. Concluímos que os profissionais observados cometeram vários erros na medida da PA, prejudicando a obtenção de um valor correto.

Fatores de erro XE "Fatores de erro"  - Medida da Pressão Arterial XE "Medida da Pressão Arterial"  - Hipertensão Arterial XE "Hipertensão Arterial"

ESTUDO DOS ESTEREÓTIPOS DA ENFERMEIRA: RELAÇÕES ENTRE SEXUALIDADE E DESEMPENHO PROFISSIONAL

Débora de Souza Santos (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Mauro Antônio Pires Dias da Silva (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A enfermeira carrega historicamente dois estereótipos antagônicos: a "mãe religiosa" e o "símbolo sexual", enquanto que raramente é reconhecida e respeitada como profissional de saúde, detentora de grande carga de conhecimentos técnicos e científicos. O estudo tem como objetivos retratar os mecanismos históricos de formação destes estereótipos, além de identificar de que forma eles interferem no desempenho profissional da enfermeira. Primeiramente realizou-se uma investigação teórica buscando abordar o contexto histórico, cultural e social em que a Enfermagem moderna se oficializou, a partir da articulação de duas dimensões: a discussão da sexualidade feminina e o contexto histórico de institucionalização da Enfermagem. Este estudo teórico deu origem a várias reflexões que apontaram ter sido o papel da mulher na sociedade ao longo dos tempos o principal responsável pela formação destes estereótipos. Em um segundo momento foi aplicada uma amostra de setenta (70) questionários a enfermeiras do HC-UNICAMP com o intuito de identificar como a profissional reage e se percebe neste contexto. Finalmente, através de entrevistas semi-estruturadas com dez (10) enfermeiras do HC-UNICAMP analisamos as representações sociais que qualificam a forma como os estereótipos interferem no exercício profissional da enfermeira.

Estereótipos da Enfermeira XE "Estereótipos da Enfermeira"  - Gênero XE "Gênero"  - Desempenho profissional XE "Desempenho profissional"

SÉRIE HISTÓRICA DE MORTALIDADE NEONATAL PRECOCE NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS NA DÉCADA DE 90

Eduardo Angeli Malavolta (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eliana Martorano Amaral Freitas da Silva (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A Mortalidade Neonatal é hoje o maior contribuinte para a Mortalidade Infantil do país, principalmente às custas dos óbitos neonatais precoces (mortes ocorridas até 7 dias completos de vida). Estes apresentam um grande índice de causas evitáveis, mostrando a precariedade da atenção à gravidez, parto e período neonatal. O objetivo deste estudo foi analisar a Mortalidade Neonatal Precoce na década de 90 de residentes em Campinas. Como fonte de dados foi utilizado os bancos de óbitos e nascidos vivos da Prefeitura de Campinas, complementadas com informações dos prontuários. Os dados foram analisados no programa EPI-INFO 6.0. O Coeficiente de Mortalidade Neonatal Precoce sofreu declínio ao longo da década (de 11? para 7?, aproximadamente). Quatro hospitais foram responsáveis por cerca de 80% das ocorrências. Os óbitos ocorreram por mais de 40% das vezes durante as primeiras 24 horas. A maioria das mães possui baixa escolaridade e profissão não qualificada. Baixo peso ao nascer (<2500g), prematuridade e Apgar <7 foram freqüentes. As principais causas foram por toda a década: prematuridade extrema, mal-formação, membrana hialina, infecção e asfixia, tendo como modificação mais importante a queda da membrana hialina, da 1ª para a 3ª posição, enquanto prematuridade extrema tornou-se a causa mais prevalente. A prevenção de óbitos neonatais precoces exige medidas de redução dos partos prematuros.

Mortalidade Neonatal Precoce XE "Mortalidade Neonatal Precoce"  - Saúde Materno-Infantil XE "Saúde Materno-Infantil"  - Mortalidade Perinatal XE "Mortalidade Perinatal"

FATORES QUE INFLUENCIAM A PRÁTICA DO AUTO-EXAME DE MAMAS E DO EXAME PREVENTIVO DE CÂNCER ENTRE ENFERMEIRAS E MÉDICAS

Eliane Rodrigues Vieira (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Maria Helena Baena de Moraes Lopes (Orientadora) e Profa. Ana Regina Borges Silva (co-orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Esta pesquisa teve como objetivo verificar a prática do auto-exame de mama (AEM) periódico e exame de prevenção de câncer do colo uterino (CO) entre médicas e enfermeiras que atendem mulheres nas questões de prevenção e tratamento do câncer genital e mamário em um hospital-escola da cidade de Campinas, SP, Brasil, buscando identificar fatores de risco para câncer genital e mamário, freqüência da prática do AEM e realização da CO, motivos alegados para a não realização dos exames e fatores/condições que facilitariam a realização do CO. Participaram do estudo 25 médicas e 52 enfermeiras. Realizavam o AEM mensalmente, 26 enfermeiras (50%) e 16 médicas (64%). A CO anual era realizada por 40 (80,7%) enfermeiras e 13 (52%) médicas. Os motivos mais freqüentes para a não realização do AEM e do CO foram esquecimento, vergonha do exame, medo de encontrarem nódulos no AEM, falta de tempo e difícil acesso aos serviços de saúde. Os fatores que facilitariam a realização da CO foram disponibilidade de tempo e fácil acesso aos serviços de saúde. Observou-se, também, que as mulheres com antecedentes familiares de câncer de mama, com maior freqüência faziam o AEM mensalmente, em comparação com as demais.

Saúde da mulher -  XE "Saúde da mulher" Enfermagem -  XE "Enfermagem" Prevenção de câncer XE "Prevenção de câncer"

EDUCAÇÃO CONTINUADA E REESTRUTRURAÇÃO PRODUTIVA EM SETORES TERCEIRIZADOS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Manuela de Santana Pi Chillida (Bolsista PIBIC/CNPq), Eliete B. Bargas (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Inês Monteiro Cocco (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

As transformações tecnológicas têm trazido constantes modificações na organização do trabalho, exigindo dos trabalhadores melhor qualificação profissional. Buscamos contextualizar e analisar as atividades de Educação Continuada desenvolvidas junto aos trabalhadores terceirizados que atuam nos setor de serviços gerais - setor de limpeza de um hospital universitário e avaliar seu conhecimento quanto ao elevado risco de contaminação do ambiente de trabalho. Trata-se de uma pesquisa qualitativa em que foi utilizada a entrevista semi-estruturada junto a alguns trabalhadores terceirizados do setor de limpeza e às responsáveis pela Educação Continuada destes trabalhadores, além de períodos de observação das atividades educativas desenvolvidas junto aos mesmos. A baixa escolaridade dos trabalhadores é um fator que dificulta seu processo de aprendizagem, bem como a avaliação do processo de Educação Continuada.. Observamos também a possibilidade de inserção de enfermeiros em setores terceirizados pois assumem o gerenciamento do processo de trabalho nestas empresas, garantindo a qualidade do serviço prestado, à partir da educação continuada realizada junto aos trabalhadores. A ampliação do papel do enfermeiro neste setor se dá quando o processo educativo junto a estes trabalhadores leva em consideração suas condições de saúde, advindas do processo de trabalho e de seu cotidiano.

Terceirização  XE "Terceirização" - Educação continuada  XE "Educação continuada" - Saúde do trabalhador XE "Saúde do trabalhador"

EFEITO DA CROTAPOTINA NA PANCREATITE AGUDA INDUZIDA PELA CERULEÍNA EM RATOS

Enilton Aparecido Camargo (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Elen Cristina Teizem Landucci (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

INTRODUÇÃO: A Crotapotina (CA) é um polipeptídeo não enzimático capaz de se complexar com diferentes fosfolipases A2 (PLA2) secretórias, levando à inibição ou potencialização da resposta inflamatória induzida pela PLA2. OBJETIVOS: Investigar o efeito da CA na pancreatite aguda induzida pela ceruleína e os níveis de PLA2 em fluido ascítico. MÉTODOS: A ceruleína (5 µg/kg/h, 1 mL/h, 4h) foi infundida pela veia femural de ratos anestesiados, na presença ou ausência de CA (100-200 µg/rato). Os animais foram então sacrificados e o pâncreas, plasma e fluido ascítico foram coletados. O extravasamento plasmático pancreático foi mensurado pelo acúmulo local de albumina marcada com I125 (2.5 µCi/rato, i.v.). A atividade da PLA2 foi determinada no fluido ascítico de ratos por monitoração espectrofotométrica da hidrólise de um substrato sintético. RESULTADOS: A infusão de ceruleína induziu um extravasamento plasmático pancreático significativo (197±6µL, P<0.05) em relação ao grupo controle. A infusão concomitante da CA reduziu significativamente o extravasamento plasmático induzido pela ceruleína, (145±11 µL para 100 µg/rato; n=6, P<0.05) e (101±11 µL para 200 µg/rato; n=6, P<0.01) de CA. Além disso, a CA (200 µg/rat) também reduziu a atividade da PLA2 no fluido ascítico (28%, P<0.05) comparando-se ao grupo controle. CONCLUSÃO: Estes dados sugerem que a CA pode interagir com sítios inespecíficos da PLA2 e inibir seus efeitos na pancreatite aguda.

Pancreatite aguda XE "Pancreatite aguda"  - Fosfolipase A2 XE "Fosfolipase A2"  - Crotapotina XE "Crotapotina"

O "CUIDAR" DO ENFERMEIRO NOS PACIENTES COM DOR: APROXIMAÇÕES E AFASTAMENTOS

Eunice Cheung (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Mauro Antônio Pires Dias da Silva (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A identificação dos fatores que intensificam e aqueles que diminuem a dor são, muitas vezes, esquecidos. Buscamos identificar o papel do enfermeiro no processo de cuidar em pacientes hospitalizados e com dor, a percepção dos valores, das crenças e das práticas relacionadas aos conceitos de dor em pacientes de duas enfermarias do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas, utilizando a metodologia da Problematização, processo que parte da realidade encontrada e desenvolve um conjunto de idéias, hipóteses, soluções e exercícios críticos. Inicialmente, fizemos observações sistematizadas dos campos pesquisados e a partir dos problemas identificados formulamos o roteiro de entrevista. O roteiro se pautou em perguntas divididas em três categorias: significado da dor, ações e assistência de enfermagem ao paciente com dor. A amostra foi formada por dez enfermeiros que trabalham no período da tarde ou a noite nas enfermarias de cirurgia vascular e ortopedia com pelo menos um ano de experiência na área. A dor para a maioria dos entrevistados está mais relacionada ao estado emocional e psicológico do paciente, e acreditam na dor do paciente, se a causa desta for ?observável?, se não a encontram, então, para eles não há dor, mas sim um problema psicológico, a dor está na ?cabeça do paciente?. As ações adotadas para o alívio da dor são: ?uma simples conversa? ou a administração da medicação prescrita. Os enfermeiros não se sentem preparados cientificamente para o tratamento e alívio da dor. Cuidar do paciente com dor é uma experiência ?penosa?, ?angustiante?, ?incômoda? e desvela sensações de ?impotência?.

Enfermagem XE "Enfermagem" - Dor XE "Dor" - Valores XE "Valores."

METANÁLISE DA ASSOCIAÇÃO ENTRE A INFECÇÃO POR Helicobacter pylori E O CÂNCER GÁSTRICO

Evandro Sérgio Naia da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. José Murilo Robilotta Zeitune (Orientador) e Prof. Dr. Heleno Rodrigues Corrêa Filho (Co-Orientador), Faculdade Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Na maioria das capitais brasileiras o carcinoma gástrico é a segunda localização mais freqüente de câncer. Em determinadas regiões, até 80% da população adulta brasileira pode estar infectada com a H. pylori. Evidências associando a infecção por H. pylori ao câncer gástrico levaram a OMS a classificar a bactéria como carcinógeno grau 1. Entretanto, estudos têm demonstrado ausência de nexo causal entre a infecção e a neoplasia. Objetivos: Realizar uma metanálise de estudos epidemiológicos que abordassem a relação entre a infecção por H. pylori e o câncer gástrico. Metodologia: Os trabalhos foram selecionados através das bases de dados LILACS e MEDLINE utilizando-se como palavras-chave: Helicobacter pylori e gastric cancer. Os resumos foram lidos e submetidos a critérios de seleção, dentre eles, a necessidade de existência de dois grupos: os casos, com carcinoma gástrico e os controles, sem câncer; a infecção por H. pylori deveria ser determinada só após os grupos estarem reunidos. Resultados/Conclusão: Foram obtidos 728 artigos dentre os quais 52 foram selecionados e estudados. A análise estatística desses trabalhos mostra uma associação positiva entre a infecção por Helicobacter pylori e o risco de desenvolver câncer gástrico (Mantel-Haenszel Odds Ratio=1.67; 95% C.I=1.57?1.84).

Helicobacter pylori XE "Helicobacter pylori"  - Câncer gástrico  XE "Câncer gástrico" - Metanálise XE "Metanálise"

PRESENÇA E UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE PACIENTES EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Fabiana Barreiros da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Neusa Maria Costa Alexandre (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Os trabalhadores de enfermagem são suscetíveis a lesões dorsais devido a necessidade de movimentar e transportar pacientes regularmente, sendo estes procedimentos realizados sob condições desfavoráveis e com uma equipe deficiente. Uma importante estratégia para prevenção de tais lesões é a implementação de programas de treinamento sobre os procedimentos de movimentação e transporte de pacientes dentro de uma abordagem ergonômica e com a utilização de equipamentos auxiliares. O presente trabalho teve como objetivo verificar a existência e a utilização de equipamentos auxiliares na movimentação e transporte de pacientes em unidades de internação de um hospital universitário. Entrevistou-se enfermeiros de dez setores que possuem pacientes com alto grau de dependência física. A análise dos dados demonstrou que é escassa a relação dos referidos equipamentos existentes nos setores pesquisados. Muitos não são utilizados devido a falta de treinamento dos funcionários e as péssimas condições de conservação. Os enfermeiros desconhecem a ampla gama de materiais para existentes e a importância da inclusão destes na dinâmica da assistência. Desse modo, esses equipamentos precisam ser urgentemente pesquisados, divulgados e implementados na prática de enfermagem.

Ergonomia XE "Ergonomia"  - Dor nas costas XE "Dor nas costas"  - Transporte de pacientes XE "Transporte de pacientes"

ACOMPANHAMENTO DE FAMíLIAS DE BEBÊS COM SUSPEITA DE SURDEZ

Fabiana Prado (Bolsista FUNDAP) e Profa. Dra. Maria de Fátima de C. Françozo (Orientadora), Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação - CEPRE - FCM, UNICAMP

Este estudo piloto é parte de um Programa de Triagem Auditiva Neonatal que objetiva detectar precocemente a surdez de bebês com indicador de risco e, após o diagnóstico, encaminhar ao tratamento. Relatos na literatura (LUTERMAN, 1999; FRANÇOZO & BARBALHO, 2000;) apontam a dificuldade de pais procurarem recursos quando suspeitam da surdez de seus filhos. O medo da surdez, leva-os a adiar o diagnóstico. Por isso, estruturou-se um programa de acompanhamento às famílias, utilizando-se estratégias de orientação e acolhimento ao longo do processo de avaliação, diagnóstico, alta ou encaminhamento. Investigou-se doze famílias de bebês através de entrevistas semi-estruturadas, buscando identificar e analisar estratégias de acompanhamento dessas famílias .Os resultados parciais mostram que nos 12 casos, todos vieram para avaliação,mais de três vezes. A freqüência foi constante e as faltas foram justificadas Os pais revelaram que, embora com medo do diagnóstico, o acompanhamento possibilitou informações que os tranqüilizaram. Até o momento 2 bebês receberam alta, pois eram ouvintes, 1 ingressou em programa de reabilitação e nove encontram-se em investigação.Concluímos que o acompanhamento direto aos pais, minimiza o tempo de definição do diagnóstico e do ingresso no programa de reabilitação.

Família XE "Família"  - Acolhimento  XE "Acolhimento" - Surdez XE "Surdez"

COMPARAÇÃO DA ANTIGENEMIA (PP65) E NESTED-PCR PARA DETECÇÃO DO HCMV EM PACIENTES COM SIDA APÓS TERAPIA ANTIRETROVIRAL ALTAMENTE EFICAZ (HAART)

Fabiano Augusto Berlini (Bolsista SAE/UNICAMP), Juliana Andréa Manfrinato (pós-graduanda), Sandra Helena Alves Bonon (pós-graduanda), Luís Fernando Waib (pós-graduando) e Profa. Dra. Sandra Cecília Botelho Costa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O diagnóstico da doença por HCMV sempre foi um desafio para o clínico na sua prática diária. Pacientes com SIDA em particular têm necessidade de rapidez diagnóstica, devido à alta morbi-mortalidade das manifestações clínicas da doença por HCMV. Recentemente novas técnicas de detecção e quantificação foram desenvolvidas no intuito de cumprir este papel diagnóstico, incluindo técnicas de cultura viral, detecção de antígenos, PCR e sorologias. O objetivo deste estudo é comparar as técnicas de PCR e antigenemia do ponto de vista de sensibilidade, especificidade e valores preditivos. Os pacientes incluídos no estudo são classificados como SIDA C3 (CDC). Foi suspensa a profilaxia secundária para o HCMV com ganciclovir após resposta clínica e laboratorial ao HAART. Todos os pacientes apresentavam CD4+>100/mm3. Os resultados sugerem maior sensibilidade do método de PCR, entretanto isso não implica em maior valor preditivo positivo. A possível explicação é que a PCR detecta pequenas viremias que não produzem doença em órgãos-alvo.

HIV- XE "HIV"  HCMV -  XE "HCMV" Antigenemia -  XE "Antigenemia" PCR XE "PCR"

RESULTADOS GESTACIONAIS DE MULHERES COM PATOLOGIAS DE TIREÓIDE ATENDIDAS EM UM SERVIÇO DE PRÉ-NATAL ESPECIALIZADO DURANTE DEZ ANOS

Fábio do Carmo Duarte (Bolsista FAPESP), Prof. Dr. Belmiro Gonçalves Pereira (Orientador) e Profa. Dra. Egle Couto, Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

As patologias de tireóide, quando adequadamente tratadas, costumam cursar com bons resultados gestacionais. Entretanto, quando o tratamento não é instituído de forma correta ou em tempo hábil, podem ocorrer graves complicações para o binômio materno-fetal. Realizou-se um estudo descritivo retrospectivo de 72 gestantes com diagnóstico de hipotireoidismo ou hipertireoidismo, que fizeram pré-natal e cujos partos foram realizados no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM/UNICAMP), através da revisão de prontuários e fichas obstétricas. Foram avaliadas as seguintes variáveis: idade, paridade, patologia associada, uso de drogas durante a gestação, tipo de parto, peso do recém-nascido, índice de Apgar e idade gestacional somática segundo método de Capurro. Das patologias avaliadas, a de maior prevalência no grupo das hipertireoideas foi a hipertensão arterial sistêmica e , no grupo das hipotireoideas, o diabetes mellitus. Mais de 80% das mulheres estudadas receberam tratamento durante a gravidez. A droga mais utilizada nas gestantes com hipertireoidismo foi o propiltiouracil e todas gestantes com hipotireoidismo tratadas receberam tiroxina sódica. O percentual de parto vaginal e cesariana foi próximo de 50% nos dois grupos, e apenas no grupo das hipertireoideas ocorreram abortos (4,8%). O peso ao nascimento e idade gestacional foi muito similar nos dois grupos (2780 gramas), e o índice de Apgar de primeiro minuto inferior a sete ocorreu em 25,8% das gestantes com hipotireoidismo.

Gestação XE "Gestação"  - Hipertireoidismo XE "Hipertireoidismo"  - Patologias da tireóide XE "Patologias da tireóide"

ESTUDO VOLUMÉTRICO DO LOBO TEMPORAL EM PACIENTES COM EPILEPSIA DE LOBO TEMPORAL MESIAL FAMILIAR (ELTMF)

Fabio Thadeu Ferreira (Bolsista IC FAPESP), Eliane Kobayashi (Bolsista FAPESP Doutorado) e Prof. Dr. Fernando Cendes (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Quantificar alterações no lobo temporal (LT) de pacientes com ELTMF associadas ou não a atrofia hipocampal (AH), verificando sua correlação com controle de crises e volume hipocampal (VH). Selecionamos 29 pacientes com ELTMF, divididos nos subgrupos: convulsão febril (n=5), crise parcial única (n=4), ELTMF benigna (n=10), ELTMF refratária (n=5) e crises tônico-clônicas generalizadas (n=5). Estudamos um grupo controle de 23 voluntários sadios, determinando o valor absoluto corrigido (VA) de cada LT, bem como o índice de assimetria (IA) entre os LTs. Consideramos atrofia de LT (ALT) os VA e/ou IA menores que 2 desvios-padrão da média dos controles. A análise incluiu correlação de Pearson e análise de variância (ANOVA). ALT foi observada em 5/29 pacientes (17%). A AH foi observada em 18 pacientes (62%). A ANOVA não mostrou diferença significativa entre os subgrupos. Houve correlação entre volume LT e VH ipsilaterais (R=0,363, p=0,005), porém não houve correlação entre volume de LT e VH contralaterais (R=0,238, p=0,072). ALT pode estar associada à AH, não implicando em pior controle de crises nos pacientes com ELTMF. A correlação entre VH e LT ipsilaterais indicam que AH e ALT parecem ser causadas pelo mesmo insulto, sendo que apenas insultos mais graves afetam ambas as estruturas, sendo hipocampo a estrutura mais vulnerável.

Atrofia de lobo temporal XE "Atrofia de lobo temporal"  - Atrofia hipocampal XE "Atrofia hipocampal"  - Epilepsia temporal XE "Epilepsia temporal"

EFEITO MODULADOR DA ÓXIDO NITRICO SINTASE (NOS) NA AÇÃO INTRACEREBROVENTRICULAR (I.C.V.) DE INSULINA SOBRE A FUNÇÃO RENAL DE RATOS

Fabricio Cecanho Furlan (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Antônio Rocha Gontijo (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Tem sido observado que a injeção i.c.v. de insulina promove um efeito natriurético dose-dependente. O óxido nítrico (NO) atua como molécula sinalizadora e efetora de vários processos biológicos, incluindo neuro-transmissão, vasodilatação entre outros. A síntese de NO no rim possui uma função na regulação e manutenção da hemodinâmica e do balanço hidroeletrolítico renais. Por outro lado, o bloqueio da NOS no sistema nervoso central tem promovido uma diminuição da sensibilidade periférica a insulina. Alterações na produção de NO, particularmente utilizando-se inibidores de sua produção como L-NAME, implicam em desarranjo da harmonia corporal, levando a hipertensão sensível ao sódio e progressão de insuficiência renal. Buscou-se neste trabalho elaborar uma curva dose-resposta de insulina injetada no ventrículo lateral de animais tratados durante 7 dias com L-NAME avaliando os seguintes parâmetros funcionais renais: Volume Urinário Minuto, Ritmo de Filtração Glomerular, Fração de Excreção de Sódio e Potássio, Fração de Excreção Proximal e Pós Proximal de Sódio. Os resultados preliminares obtidos mostram que a administração aguda de insulina em animais tratados com L-NAME causou uma atenuação da resposta natriurética, sugerindo que a síntese no SNC de NO possa ter alguma função na transdução central do sinal insulínico.

Função renal  XE "Função renal" - Insulina  XE "Insulina" - Óxido Nítrico XE "Óxido Nítrico"

RELAÇÃO ENTRE O USO CRÔNICO DE FENITOÍNA E VOLUME CEREBELAR: ESTUDO VOLUMÉTRICO POR RM

Felipe Antonio De Marco (Bolsista FAPESP), Prof. Dr. Fernando Cendes (Orientador), Eliane Kobayashi (pós-graduanda) e Enrico Ghizoni (residente, ex-bolsista IC FAPESP), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Quantificar as alterações cerebelares em pacientes epilépticos em uso de fenitoína(FNT), através de estudo volumétrico em ressonância magnética(RM). Seleção de pacientes em uso de FNT em monoterapia e com RM. O estudo volumétrico foi realizado através de programa Scion para PC, em imagens sagitais T1 com 6mm de espessura. Análise quantitativa através da determinação volumétrica do volume cerebelar, corrigido pelo volume intracraniano, com comparação com grupo de 10 controles sadios. Atrofia cerebelar foi determinada quando o volume corrigido estava abaixo de 2 desvios padrão da média dos controles. Análise estatística foi realizada utilizando Systat. Resultados: Estudamos um total de 15 pacientes, com idade média de 33 anos (15-51), tempo de epilepsia de 1 a 28 anos (média de 10 anos) e dose média de FNT utilizada de 332mg/dia (300 a 500). O tempo de uso da FNT foi maior que 5 anos em apenas 2 pacientes. A volumetria determinou atrofia cerebelar em 1 paciente e o Zscore variou de ?2.5 a 3.5. Houve uma tendência para a relação inversa entre volume de cerebelo e dose/tempo de uso de FNT, porém sem atingir significado estatístico devido à pequena amostragem. Os dados preliminares indicam uma relação entre uso de FNT e lesão cerebelar, porém, outros fatores devem estar envolvidos para explicar o achado freqüente de atrofia cerebelar em pacientes com epilepsia.

Epilepsia XE "Epilepsia"  - Fenitoína XE "Fenitoína"  - Atrofia cerebelar XE "Atrofia cerebelar"

DIAGNÓSTICO DE INFECÇÃO ATIVA E DOENÇA POR CITOMEGALOVÍRUS (CMV) EM TRANSPLANTADOS HEPÁTICOS

Fernanda Rafful Kanawaty (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sandra Cecília Botelho Costa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A infecção ativa pelo CMV é muito importante em transplantados hepáticos pelo seu caráter oportunista, tornando o diagnóstico precoce fundamental para decisão da conduta terapêutica. O objetivo deste trabalho é monitorizar estes transplantados utilizando dois métodos rápidos, sensíveis e específicos para o diagnóstico: a PCR e a antigenemia (AGM), e compará-los com um método tradicionalmente utilizado (sorologia). Foram acompanhados 28 pacientes entre Set./98 e Nov./2000 no HC/UNICAMP, sendo coletado o sangue dos doadores e receptores no momento do transplante, e dos receptores em coletas semanais até 30 dias, quinzenais até 90 dias e mensais até um ano pós-transplante, para realização de PCR, AGM e sorologia. Foi demonstrado que todos os pacientes apresentaram infecção ativa por CMV, sendo esta diagnosticada em 100% dos casos pela PCR, 78,6% pela AGM e 50% pela sorologia. Também foi visto que 11 pacientes (39,3%) apresentaram quadro clínico sugestivo de doença por CMV, sendo que um deles teve doença confirmada (hepatite) por CMV. Destes, 8 pacientes foram tratados com ganciclovir, e todos evoluíram bem clinicamente. Assim, concluímos que a infecção ativa por CMV apresenta considerável importância clínica em transplantados hepáticos, sendo a AGM e principalmente a PCR eficazes na sua monitorização, notavelmente se comparadas à sorologia.

CMV XE "CMV"  - Transplante Hepático XE "Transplante Hepático" - PCR XE "PCR"

AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO E DA COMPOSIÇÃO CORPORAL COM TRAMENTO POR 18 MESES DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (rhGH): RELAÇÃO COM AS ALTERAÇÕES DO EIXO GH/IGF/IGFBP EM CRIANÇAS PORTADORAS DE INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC)

Francisco de Andrade Machado Neto (Bolsista PIBIC/CNPq), Josenilson Campos de Oliveira, Laurione Candido de Oliveira, Vera Maria Santoro Belangero, Sofia Helena Valente de Lemos-Marini e Prof. Dr. Gil Guerra Júnior (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O rhGH é uma alternativa terapêutica para os distúrbios nutricionais e de crescimento em crianças com IRC, sendo pouco descrito o envolvimento do eixo GH/IGF na gênese destas alterações. O objetivo deste estudo foi avaliar a velocidade de crescimento (VC) e a composição corporal (CC) em crianças com IRC tratadas com rhGH e relacionar com as alterações do eixo GH/IGF. Em 11 (9M:2F) crianças (3,5 a 12,8 anos) com IRC foi utilizado o rhGH por 18 meses, com avaliações clínicas antropométricas e de composição corporal, e por impedância bioelétrica tetrapolar. As concentrações séricas dos fatores de crescimento, idade óssea e avaliação da função renal foram realizadas antes, 6 e 12 meses após início do rhGH. Na análise estatística foi utilizado o teste de Wilcoxon (p < 5%). Houve aumento significativo nos escores z da altura, da área muscular do braço e da VC, e da % de massa muscular; e diminuição significativa no z da área gorda do braço e da % de área gorda. Ocorreu aumento significativo de GH, IGF-1 e IGFBP-3, mas não de IGF-2, IGFBP-1 nem de ALS. Conclui-se que o rhGH promoveu melhora do crescimento com mudança CC neste grupo de crianças com IRC nos primeiros 18 meses de tratamento, com envolvimento do eixo GH/IGF.

Insuficiência renal - XE "Insuficiência renal"  Hormônio de crescimento -  XE "Hormônio de crescimento" Composição corporal XE "Composição corporal"

AVALIAÇÃO SOBRE O USO DE MEDICAMENTOS DURANTE A GESTAÇÃO: UM ESTUDO PROSPECTIVO A PARTIR DE GESTANTES ACOMPANHADAS NOS AMBULATÓRIOS DE PRÉ-NATAL DA UNICAMP

Gisela Mayumi Takeiti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Denise Pontes Cavalcanti (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Esse estudo teve como objetivos estimar o percentual de uso de medicamentos e de drogas sociais entre as gestantes, avaliando a automedicação e o período da gestação além de comparar os achados obtidos entre os diferentes ambulatórios. Foram entrevistadas 464 gestantes, do ambulatório do HC (baixo risco) e do ambulatório do CAISM (gestantes adolescentes - PNA e de alto risco - PNE). A maioria das gestantes apresentaram baixo grau de escolaridade (69%), não tinham atividade ocupacional fora do lar (69%) e não planejaram a gestação (65%). A maioria delas (78,7%) fizeram uso de medicamentos, num total de 981 diferentes fármacos, com uma relação de 2,11 medicamentos/gestante. Entre as classes mais utilizadas encontrou-se: analgésicos, anti-inflamatórios, antibióticos, anti-eméticos, anti-fúngicos, anti-ácidos e polivitamínicos. A automedicação ocorreu em 4% dos casos. A maioria (69,1%), referiu o uso de medicamento entre o primeiro e o segundo trimestres. Algum grau de tabagismo foi referido por 16,4% das gestantes e 10,8% delas relataram algum consumo de álcool. Ao comparar os diferentes ambulatórios, observou-se um maior consumo de medicamentos pelas pacientes do PNE ((2 =4,15; p=0,04), sendo a relação de medicamento consumido por gestante de 2,84 para o PNE, 1,97 para o HC e 1,6 para o PNA, com uma menor taxa de automedicação entre as gestantes do PNE ((2=7,04; p=0,02).

Gestação XE "Gestação"  - Medicamentos XE "Medicamentos"  - Drogas sociais XE "Drogas sociais"

AFASTAMENTOS E CAPACIDADE PARA O TRABALHO - REFERENCIAL PARA TRABALHADORES EM UNIVERSIDADE

Gisele Cristina Gentil (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Heleno R. Corrêa Filho (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Buscou-se avaliar a capacitação para o trabalho e afastamentos dentre os funcionários não hospitalares da Unicamp, analisando-se os dados fornecidos pelo DGRH- Unicamp, sobre as ausências por licença médica destes trabalhadores, no ano de 1999 e busca de literatura sobre o tema. Objetivos deste trabalho: montar esquema bibliográfico de afastamentos e capacidade ao trabalho ,análise dos afastamentos sofridos e preparo de projeto de pesquisa contínuo a este. Fez-se busca e tabulação de dados descritivos e sobre afastamentos, por consulta ao DGRH-Unicamp e coleta de referências bibliográficas na base de dados Medline. Dentre os resultados obtidos, está o fato de professores terem afastamentos de maior duração em dias, com mediana=30, média=89,7 e erro padrão=18,764. Os outros funcionários possuem: mediana=6, média=48,5 e erro padrão=1,766 (n=3313: p=0,011). Observou-se também a taxa de frequência de afastamentos (afastamentos/milhão de horas trabalhadas), de acordo com a unidade de trabalho. A Biblioteca central é a Unidade com maior frequencia de afastamentos (243), seguida da Reitoria (223) e Cotil(179), excluídos os dois maiores: HC(324) e Caism(377). A análise global demonstra que os afastamentos são frequentes na Universidade, necessitando-se de medidas que os minimizem e criem um ambiente saudável de trabalho para os funcionários.

Absenteísmo XE "Absenteísmo"  - Ausentismo familiar XE "Ausentismo familiar"  - Licença médica XE "Licença médica"

EXPRESSÃO MOLECULAR DE mRNA DAS QIMIOCINAS RANTES E MCP-1 EM CÉLULAS MONONUCLEARES PROVENIENTES DE INDIVÍDUOS ATÓPICOS E ESTIMULADAS IN VITRO COM ALÉRGENOS DOS ÁCAROS Dermatophagoides Pteronyssinus (Dp) E Tyrophagus Putrescentiae (Tp)

Gisele Santos Rissi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo de Lima Zollner (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O entendimento dos mecanismos inflamatórios e imunológicos relacionados aos fatores desencadeantes das doenças alérgicas é fundamental para que se possa adequar o tratamento e subsidiar novas formas de abordagem terapêutica com drogas moduladoras da resposta biológica. Neste contexto, o estudo da expressão de citocinas e mediadores de apoptose e de quimiocinas, fornece elementos para melhor entender os intrincados mecanismos de resposta aos aeroalérgenos e, dentre eles, os ácaros do ambiente doméstico e profissional. Sabe-se que estes componentes da aerobiota são importantes no desencadeamento de doenças atópicas (Asma, Rinite e Dermatite Atópica). A partir de cultura de células mononucleares de sangue periférico de indivíduos atópicos (Asma e Rinite) sob estímulo antigênico dos ácaros Dp e Tp, seguindo-se extração de RNA para avaliação da expressão das quimiocinas referidas através da técnica de RT-PCR. Observamos maior expressão de MCP-1 em células estimuladas com Dp por 72 horas e de RANTES sob estímulo de Tp e Dp em 48 horas.

Quimiocinas XE "Quimiocinas"  - Alergia XE "Alergia"  - Ácaros XE "Ácaros"

FONOAUDIOLOGIA E SURDEZ: POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO NA LINGUAGEM ESCRITA

Graziela Nascimento Esteves, Patrícia Rodrigues De Sordi (Bolsistas FUNDAP) e Prof. Dra. Maria Cecília M. Pinheiro Lima (Orientadora), Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação - CEPRE - FCM, UNICAMP

O referido projeto trata de um trabalho fonoaudiológico voltado à escrita de um Boletim Informativo elaborado na íntegra por um grupo de adolescentes surdos atendidos pelo CEPRE ? Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação ?Prof. Dr. Gabriel Oliveira da Silva Porto? / Faculdade de Ciências Médicas / Unicamp. O objetivo da confecção deste Boletim foi proporcionar aos adolescentes surdos um contato com a língua portuguesa em sua modalidade escrita, num contexto social significativo. Durante todo o processo, os adolescentes trabalharam em grupo escolhendo os temas, coletando opiniões, realizando pesquisas e organizando o material final por meio das suas próprias produções escritas. Os textos foram revisados pelas fonoaudiólogas e pelos alunos, procurando preservar as particularidades da produção gráfica de cada ?redator?. Durante todos os procedimentos procuramos salientar a importância da Língua de Sinais e da leitura orofacial no processo comunicativo. A criação do Boletim ?Correio do Cepre? proporcionou um aumento da motivação com relação a linguagem escrita; ampliação de vocabulário e novos conceitos; e melhoria e motivação no processo comunicativo com os ouvintes.

Fonoaudiologia XE "Fonoaudiologia"  - Surdez XE "Surdez"  - Escrita XE "Escrita"

EXPRESSÃO DAS ISOFORMAS DE ÓXIDO NÍTRICO SINTETASE (NOS) NO MIOCÁRDIO DE RATOS SUBMETIDOS À SOBRECARGA PRESSORA

Gustavo C. Duarte (Bolsista PIBIC/CNPq ) e Prof. Dr. Kleber G. Franchini (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O óxido nítrico (NO) é um gás ubíquo, que participa da modulação da homeostase do sistema cardiovascular. Vários estudos têm indicado que o sistema óxido nítrico tem participação na regulação do processo de hipertrofia cardíaca, sendo a maioria dos ensaios baseada em experimentos in vitro. Contudo, a regulação da expressão das isoformas de óxido nítrico sintetase nas fases iniciais do desenvolvimento de hipertrofia cardíaca permanece obscura. O objetivo desse estudo é analisar a expressão das isoformas de NOS ( NOS1, NOS2 e NOS3 ) no miocárdio de ratos, durante o desenvolvimento de hipertrofia cardíaca por sobrecarga pressora. Foram utilizados ratos Wistar machos pesando de 150 a 200 gramas, os quais foram submetidos a coarctação de aorta por 3, 7 e 15 dias. Posteriormente os corações foram coletados, os ventrículos esquerdo extraídos, homogeineizados e analisados por Western-blot utilizando anticorpos anti -NOS1, -NOS2 e -NOS3. Os resultados demostraram que a NOS1 e NOS2 apresentam seu pico máximo de expressão após 3 dias de coarctação ( 120% e 200% respectivamente), enquanto a NOS3 o apresentou após 7 dias de coarctação. Podemos concluir então, que a sobrecarga pressora induziu a um aumento da expressão das isoformas de NOS no miocárdio de ratos.

Óxido Nítrico XE "Óxido Nítrico"  - Óxido Nítrico Sintetase XE "Óxido Nítrico Sintetase"  - Hipertrofia Cardíaca XE "Hipertrofia Cardíaca"

PREVALÊNCIA DE AUTO-MEDICAÇÃO ENTRE MÃES DE CRIANÇAS MENORES DE 1 ANO DE IDADE EM ALEITAMENTO MATERNO

Idelberto do Val Ribeiro Junior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Maria Segall Corrêa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM,UNICAMP

Tem sido verificado uma progressiva medicalização da sociedade. Pouco se conhece a respeito da automedicação, especialmente entre mulheres em período de amamentação. Estudo transversal com entrevista a mães de crianças menores de 1 ano (420) buscou identificar a automedicação, em usuárias das Unidades de Saúde, em Campinas, As entrevista ocorreram em fila de vacinação no dia 19/08/00. Referiram algum problema de saúde 92,1% das mães. As queixas mais comuns foram nervosismo, alergia, dor de cabeça, anemia e problemas de mamas ligados à amamentação, A prevalência de tratamento variou entre 0,4 a 30,9%. Auto medicação é referida por cerca de 50% entre aquelas que se trataram.

Amamentação XE "Amamentação"  - Automedicação XE "Automedicação"  - Medicalização XE "Medicalização"

ESTUDO DA MORTALIDADE ENTRE TUBERCULOSOS. CAMPINAS-SP, 1993-1999

Janaina Corrêa Cardoso (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Helenice Bosco de Oliveira (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Embora contando com quimioterapia eficaz e métodos de diagnóstico e prevenção amplamente conhecidos, a tuberculose continua a matar pessoas em idade produtiva, causando grandes prejuízos. O objetivo deste estudo foi analisar a mortalidade entre pacientes com tuberculose, no município de Campinas-SP, de 1993 a 1999, descrevendo o perfil epidemiológico, os aspectos relacionados com tratamento prévio e demoras no diagnóstico, a associação TBC-AIDS e os diagnósticos após o óbito. As informações foram obtidas do Banco de Dados em Tuberculose, criado a partir de notificações da doença e implantado no Departamento de Medicina Preventiva e Social da FCM-UNICAMP. Para análise estatística foi utilizado o software EPI-INFO versão 6. Verificou-se predomínio do sexo masculino (76,8%) e da faixa etária de 21-50 anos (69,9%). A associação com a AIDS esteve presente em 56,5% dos óbitos. Os pacientes que nunca haviam sido tratados de tuberculose representaram 81,4%. Entre estes casos novos e que tinham a forma pulmonar, a procura pelo serviço durante o primeiro mês do aparecimento dos sintomas representou 45,8% e em 56,9% o tratamento foi instituído até uma semana após a primeira consulta. Em 12,5% o diagnóstico foi realizado no pós-óbito. Os achados mais importantes deste trabalho foram a redução do número de óbitos após 1997 com a terapia antiretroviral (HAART) para AIDS e a demora no diagnóstico.

Tuberculose XE "Tuberculose"  - Mortalidade XE "Mortalidade"  - Epidemiologia XE "Epidemiologia"

IDENTIFICAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO GENE SOD1 EM PACIENTES BRASILEIROS COM ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA FAMILIAL

João Paulo Lima (Bolsista CNPq/PIBIC) e Profa. Dra. Íscia Lopes Cendes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Esclerose lateral amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa progressiva que afeta primariamente neurônios motores. A maioria dos casos é esporádica, mas 10-15% dos pacientes possuem parentes afetados, constituindo a forma familial. Dentre os casos familiais, 20% está associado a mutações do gene SOD1, presente no cromossomo 21q22.1-22.2. Este estudo objetiva identificar, por análise de DNA, mutações do gene SOD1 em pacientes brasileiros portadores de ELA familial. Como triagem inicial para detecção de mutação nos exons do gene SOD1, fez-se uso da técnica ?Single Strand Conformation Polimorphism? (SSCP). Ao identificar-se alterações migratórias entre amostras de controles e de pacientes, estas serão seqüenciadas. Já examinamos amostras de seis famílias não relacionadas, em cujos membros há casos de ELA. Através de SSCP detectamos variação migratória que indica possibilidade de mutação em um paciente. No presente, estamos realizando o sequenciamento da região suspeita do gene SOD1. Buscamos ainda ampliar nossa casuística, ao estimular outros serviços a nos referir pacientes ou enviar amostras. Acreditamos que este estudo possa contribuir, através de melhor informação, para melhorar a qualidade de vida dos pacientes e familiares que sofrem com esta terrível doença.

Esclerose Lateral Amiotrófica XE "Esclerose Lateral Amiotrófica"  - SOD1 XE "SOD1"  - Mutação XE "Mutação"

CONCENTRAÇÃO SÉRICA DE LEPTINA APÓS USO DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO RECOMBINANTE HUMANO EM CRIANÇAS COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA

Josenilson Campos de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq), Francisco de Andrade Machado Neto, Vera Maria Santoro Belanero, Sofia Helena Valente de Lemos-Marini, André Moreno Morcillo e Prof. Dr. Gil Guerra Júnior (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A desnutrição proteíco-calórica sempre foi considerada uma das principais causas do atraso de crescimento em crianças com insuficiência renal crônica (IRC). A anorexia presente nestes pacientes é multifatorial podendo incluir efeitos da uremia per se e de vários fatores psicossociais e endógenos, entre eles a leptina. Apesar de escassos, existem trabalhos na literatura mostrando o aumento da leptinemia em pacientes com IRC. São ainda objetos de especulação vários aspectos relacionados à leptina e à IRC. O objetivo deste estudo foi avaliar a concentração de leptina em crianças com IRC tratadas com hormônio de crescimento recombinante humano (rhGH) e compará-la com dados de crescimento, composição corporal e concentração de IGF-1. As avaliações clínicas e laboratoriais foram feitas antes, 6 e 12 meses após o início do uso do rhGH. Na análise estatística foi utilizado o teste de Wilcoxon (p < 5%). Houve aumento significativo no z da altura, da área muscular do braço e da VC, da % de massa muscular e da IGF-1; e diminuição significativa no z da área gorda do braço e da % de área gorda. As dosagens de leptina ainda serão realizadas e analisadas. Concluiu-se, parcialmente, que o rhGH promoveu melhora do crescimento com mudança na composição corporal nestas crianças com IRC nos primeiros 12 meses de tratamento, com envolvimento da IGF-1.

Leptina XE "Leptina"  - Insuficiência renal crônica XE "Insuficiência renal crônica"  -Composição corporal XE "Composição corporal"

EXERCÍCIO FÍSICO EM GRÁVIDAS DIABÉTICAS E RESULTADOS PERINATAIS

Josie Theodoro Lima Velani (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Belmiro Gonçalves Pereira (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O Diabete Melito Gestacional define-se como uma patologia na qual a hiperglicemia fisiológica que permeia uma gestação se exacerba e se torna patológica. São muitas as suas complicações, como hipoglicemia neonatal, macrossomia fetal e risco aumentado de desenvolvimento de diabete materno no pós-parto. O exercício vem se configurando como adjuvante terapêutico seguro, eficaz e economicamente viável aos serviços de saúde. O estudo em desenvolvimento baseia-se em um programa de exercício físico que está sendo oferecido à gestante diabética no CAISM ? Centro de Atendimento Integrado à Saúde da Mulher. A amostra compõe-se de 100 gestantes diabéticas. As primeiras 50 gestantes diabéticas admitidas no serviço a partir de Janeiro de 2001 constituirá o grupo de casos e 50 outras pregressamente atendidas neste serviço ? selecionadas por emparalelamento ao grupo de casos ? constituirá o grupo controle. Objetiva-se comparar os resultados perinatais obtidos em ambos os grupos. O exercício caracteriza-se por caminhada diária com duração de 15 minutos em terreno plano. As variáveis a serem estudadas serão: resultados neonatais como variáveis dependentes e a participação ou não do programa de exercício físico como variável independente. Obtivemos resultados parciais com 7 casos (resultados perinatais obtidos com as gestantes que deram a luz) em 19 admitidas até o momento. A análise estatística será feita pelo teste do quiquadrado ( X2 ) e ?t? Student de acordo com as características das variáveis, com os resultados apresentados em tabelas de dupla entrada (ainda impossibilitada pela amostra diminuta obtida até agora).

Diabete Melito XE "Diabete Melito"  - Gravidez XE "Gravidez"  - Exercício físico XE "Exercício físico"

DIAGNÓSTICO PRECOCE DA INFECÇÃO ATIVA POR CITOMEGALOVÍRUS APÓS TRANSPLANTE RENAL. COMPARAÇÃO ENTRE ANTIGENEMIA E ?NESTED PCR?

Juliana Andrea Manfrinato (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Sandra Cecília Botelho Costa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A infecção ativa por CMV é uma importante causa de morbidade e mortalidade nos pacientes transplantados renais e tem uma influência negativa na sobrevida do rim doado.Este estudo prospectivo visa o diagnóstico precoce da infecção ativa por CMV e pela monitorização dos pacientes transplantados renais por meio da Técnica de Antigenemia (AGM) em comparação com a ?nested? PCR.Foram monitorizados 33 pacientes,determinado o status sorológico pré-transplante do doador/receptor e no pós-transplante AGM e ?nested? PCR semanal e sorologia mensal durante 4 meses.Como dados preliminares,obtivemos: 78,78%(26 pacientes) apresentaram (1 resultado de PCR positivo, 30,30%(10 pacientes) apresentaram AGM com 1 ou mais célula positiva, 48,48%(16 pacientes) somente a PCR foi capaz de fazer diagnóstico de infecção ativa por CMV.Em 21%(7 pacientes) a sorologia foi positiva.A infecção primaria ocorreu em 12%(4 pacientes).Entre os pacientes que apresentaram infecção ativa 27%(7 pacientes) ocorreu manifestação clínica, 21%(7 pacientes) dos 33 acompanhados não apresentaram por nenhum dos testes evidências de infecção ativa por CMV. A PCR precedeu a AGM em média ± 27 dias e apresentou uma negativação posterior. A AGM teve uma correlação maior com infecção ativa sintomática do que a PCR,demonstrando ser também uma técnica eficaz para monitorização da infecção ativa por CMV.

Transplante XE "Transplante"  - Rim XE "Rim"  - Citomegalovírus XE "Citomegalovírus"

CORRELAÇÃO DOS ASPECTOS CLÍNICOS E MAMOGRÁFICOS DE NÓDULOS MAMÁRIOS PALPÁVEIS COM OS ACHADOS HISTOPATOLÓGICOS

Karine Angélica Cintra (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Júlia Yoriko Shinzato (Orientadora), Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher - CAISM, UNICAMP

O objetivo desse trabalho foi avaliar a correlação entre as características clínicas e mamográficas com a histopatologia de nódulos mamários palpáveis de pacientes submetidas à biópsia cirúrgica a céu aberto e determinar a acurácia dos exames clínico e mamográfico no diagnóstico do câncer de mama. Foram estudadas 136 pacientes portadoras de nódulos mamários palpáveis, maiores de 35 anos de idade, submetidas à biópsa cirúrgica a céu aberto, com mamografia prévia, associada ou não à ecografia, sem tratamento ou biópsia prévia, acompanhadas no CAISM entre janeiro de 1996 e junho de 1999. Das 136 pacientes estudadas, 60 ( 44,1% ) apresentaram diagnóstico histológico benigno e 76 ( 65,9% ), maligno. Das patologias malignas, 68 ( 84,4% ) eram tumores invasores e 14 ( 10,6% ) eram carcinoma ?in situ?. Dos 68 casos de tumores malignos invasores, 62 ( 91,1% ) eram carcinoma ductal invasivo e os 6 ( 8,9% ) restantes se tratavam de : 1 caso de carcinoma mucinoso e 1 de carcinoma de células claras, 2 casos de carcinoma papilífero e 2 de tumor filóides maligno. A média de idade das pacientes foi de 76 anos para os casos malignos e de 60 anos para os benignos. A sensibilidade e especificidade do exame clínico foram, respectivamente, de 91,4% e 64,8%,com VPP de 79,8% e VPN de 83,3% e do exame mamográfico foram de 92,7% e 74,7%, respectivamente, com VPP de 84,4% e VPN de 87%. A associação entre os exames clínico e mamográfico revelou um aumento da chance de ocorrência de tumores malignos em 62 vezes nos casos em que a clínica e a mamografia eram suspeitas e de 542 vezes nos casos em que ambos apresentavam características malignas, sendo esses resultados estatisticamente significativos (Odds Ratio).

Nódulos mamários palpáveis XE "Nódulos mamários palpáveis"  - Exame clínico XE "Exame clínico"  - Mamografia XE "Mamografia"

CRENÇAS E ATITUDES DE PACIENTES VALVOPATAS SOBRE SUA DOENÇA E TRATAMENTO

Kátia Melissa Padilha (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Maria Cecília Bueno Jayme Gallani (Orientadora) e Profa. Dra. Roberta Cunha Rodrigues Colombo (Co-Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Este estudo teve como objetivo avaliar a clareza e a pertinência e a consistência interna do instrumento CAV - que consiste em um conjunto de 4 escalas psicométricas para mensuração da força de associação das crenças dos pacientes valvopatas sobre: a doença e o tratamento, seu impacto na vida do sujeito e a adesão ao tratamento medicamentoso, criado a partir do levantamento de KUBO et al. (1998) e KUBO et al. (1999). O instrumento foi analisado de modo sistematizado por 3 juízes quanto a favorabilidade, pertinência, clareza e significância. Para verificação da consistência interna, em seguida ao teste piloto, o instrumento foi modificado e aplicado junto a 46 pacientes do ambulatório de cardiologia do HC-UNICAMP. A partir da análise de concordância da opinião dos juízes e da avaliação empírica da implementação das escalas, verificou-se que a maioria das crenças é pertinente, clara e de significância para questão analisada, sendo re-estruturadas aquelas com baixo escore. Em seguida, o instrumento CAV foi aplicado junto a 46 pacientes e verificada a consistência interna com coeficiente ( de Cronbach, que oscilou de 0,6059 a 0,7544. A única escala que apresentou ( menor que 0,3 foi a de crenças sobre o impacto do tratamento na vida do sujeito, o que revela uma grande variabilidade no grupo em relação a esta questão. Portanto, os dados deste estudo apontam que o instrumento CAV é adequado e pertinente ao objeto de estudo, e internamente consistente, o que ratifica a adequação de sua aplicação a um universo maior de sujeitos para mensuração da força de associação entre suas crenças.

Educação do paciente XE "Educação do paciente"  - Valva mitral XE "Valva mitral"  - Valva aórtica XE "Valva aórtica"

INFORMAÇÕES PARA ANÁLISE DA COBERTURA VACINAL EM NÍVEL LOCAL

Laerte Aparecido Peres (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Eliete Maria Silva (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Este trabalho analisa a cobertura vacinal em um Centro de Saúde (CS) da periferia da cidade de Campinas e a compreensão do Sistema de Informação (SI) em vacinação. O objetivo é avaliar e intervir sobre o SI, com destaque para a avaliação da cobertura vacinal na área de abrangência do CS. Foi realizado inquérito domiciliar com avaliação do cartão de vacinação de fevereiro a março de 2001 quando foram entrevistadas 72 mães, ou responsáveis, pelas crianças que nasceram a partir do ano 2000 nesta região. O CS apresentou cobertura vacinal mínima de 118% em 2000 para todas as vacinas, entretanto no inquérito domiciliar este valor foi inferior ou igual a 100%. Contudo a idade aconselhada para vacinação apresentou índices bem inferiores a estes. A cobertura acima de 118%, calculada administrativamente pelo CS, relaciona-se ao fato dos usuários de bairros vizinhos utilizarem os serviços desta unidade. Para confirmarmos a origem da população excedente seria necessário outros estudos de inquérito domiciliar nos bairros adjacentes a esta área. A dificuldade do CS em avaliar e intervir sobre a cobertura vacinal foi observada pelo atraso em que é realizada e pela desarticulação dos níveis de administração distrital e central com a unidade. O sistema informatizado de informações em imunizações do estado de São Paulo ainda não está disponível em âmbito local e não se articula com outros sistemas de informações, por exemplo o que trabalha com as informações dos nascido vivos (SINASC). Na tentativa de tornar mais prática a obtenção destas informações elaboramos uma planilha de cálculo para cobertura vacinal mensal, já disponibilizada para o CS.

Enfermagem XE "Enfermagem"  - Vacinação XE "Vacinação"  - Cobertura vacinal XE "Cobertura vacinal"

ESTUDO DOS NOVOS PARÂMETROS RELACIONADOS AOS RETICULÓCITOS NAS ANEMIAS MICROCÍTICAS. AVALIAÇÃO DAS FUNÇÕES DISCRIMINANTES NA DISTINÇÃO ENTRE ANEMIA FERROPRIVA E ( TALASSEMIA HETEROZIGOTA.

Laura Cunha Cortellazzi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Helena Zerlotti Wolf Grotto (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A incidência de anemia ferropriva (AF) e ( talassemia heterozigótica (( tal hetero) (ambas microcíticas-hipocrômicas ao hemograma) é relativamente alta em nosso meio. Reticulócitos (rtc) são células vermelhas jovens com capacidade de síntese de hemoglobina, cuja quantificação é útil na avaliação da atividade eritropoiética da medula, auxiliando no diagnóstico diferencial das anemias. Neste trabalho, estudamos aspectos relacionados `a quantificação e grau de maturidade dos rtc e comparamos a utilidade dos mesmos com outros parâmetros laboratoriais já descritos na literatura, como possíveis discriminantes no diagnóstico inicial das anemais microcíticas-hipocrômicas. Os dados hematimétricos e as contagens de rtc foram realizadas em aparelho hematológico automatizado. Foram analisadas 29 amostras de pacientes com ( tal hetero e 54 com AF. Os dados obtidos referentes aos rtc e às equações discriminatórias nos 2 grupos estudados serão apresentados, mostrando haver diferenças nas distribuições dos mesmos. Estes dados estão sendo submetidos à análise estatística completa, onde serão determinadas a acurácia, sensibilidade e especificidade de cada uma das funções discriminantes.

Anemia microcítica -  XE "Anemia microcítica" Reticulócitos -  XE "Reticulócitos" Diagnóstico diferencial XE "Diagnóstico diferencial"

MULHERES LACTANTES E USO DE MEDICAMENTOS PSICOTRÓPICOS E SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS LÍCITAS

Livia Cristina Benavente (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Maria Segall Corrêa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A importância do aleitamento materno para a saúde da mãe e do bebê tem sido bem estudada. Existem porém, condições como a depressão puerperal, que prejudicam a amamentação. Estas merecem mais investigação, assim como seus tratamentos, incluindo medicamentos não recomendados durante a lactação. Objetivou-se identificar prevalência de sintomas psiquiátricos, utilização ou não de terapia e uso de álcool e nicotina que afetam a saúde da criança. Estudo transversal com 428 mães de crianças menores de 1 ano foi realizado durante a Campanha de Vacinação, em Agosto de 2000. Sorteou-se amostra de 13 UBS de Campinas, e a cota de mães entrevistadas obedeceu a proporção de crianças vacinadas no ano anterior. Os resultados parciais mostram idade média das mulheres de 26,28 anos; 22,6% tinham 1( grau incompleto e 56,2% estavam empregadas. O sintoma mais freqüente foi irritação/nervosismo, 36,6%; sendo que 19,6% referiram tristeza e vontade de ficar só; 14,2% eram fumantes e 5,12% ingeriam bebida alcoólica. Referência a apenas um sintoma com terapêutica é de 0,3%, enquanto com mais de um sintoma 3,5% referem tratamento. Devido a essa alta prevalência faz-se necessário um melhor desempenho dos profissionais de saúde na detecção desses sintomas e ações educativas adequadas a essa população.

Aleitamento -  XE "Aleitamento" Psicotrópicos -  XE "Psicotrópicos" Nicotina XE "Nicotina"

ESTUDO DO SISTEMA GLUTATIONA s-TRANSFERASE EM TUMORES DA TIREÓIDE HUMANA

Luiz Francisco Cintra Baccaro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Laura Sterian Ward (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O sistema glutationa s-transferase consiste em um grupo de isoenzimas que conjugam a glutationa a compostos eletrofílicos, potencialmente carcinógenos, tornando-os menos tóxicos e mais facilmente excretáveis pelo organismo. O genótipo nulo para estas isoenzimas podem tornar o indivíduo mais propenso ao desenvolvimento de patologias neoplásicas. Nosso projeto visa estudar a prevalência do genótipo nulo para GSTM1 e GSTT1 em pacientes com bócio benigno e tumores malignos de tiróide e comparar tal prevalência com a da população em geral.

Tumor XE "Tumor"  - Tireóide XE "Tireóide"  - Estudo XE "Estudo"

O EMPREGO DE CORTICOESTERÓIDE ASSOCIADO A DILATAÇÕES ESOFÁGICAS EM ESTENOSES SECUNDÁRIAS À INGESTÃO DE SUBSTÂNCIAS CORROSIVAS

Marcelo Amade Camargo (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Luiz Roberto Lopes (Orientador), Faculdade Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Dentre as principais etiologias da estenose do esôfago destaca-se a ingestão de substâncias corrosivas fortes. Trata-se da principal causa de estenose esofágica em crianças e é bastante comum em tentativas de suicídio. A estenose do esôfago pode levar a odinofagia, impactação de alimentos e restrição da dieta. Os eventos que se seguem após ingestão de substância cáustica são: 1) formação de tecido de granulação; 2) depósito de colágeno duro e inflexível com fibrose; 3) contração do colágeno (?cross-link?) diminuindo o comprimento e a luz do esôfago. É conhecido o efeito da triancinolona, um corticoesteróide capaz de prevenir o ?cross-link? das fibras de colágeno e muito usado no tratamento de quelóides. O objetivo deste estudo é demonstrar a eficácia do uso intralesional da triancinolona potencializando os efeitos da dilatação endoscópica em estenoses corrosivas esofágicas. Selecionamos um grupo de 14 pacientes portadores de estenose esofágica decorrente de ingestão de substância cáustica que necessitavam de dilatações repetidas em curto espaço de tempo. Os pacientes foram randomizados em dois grupos (Grupo A recebeu medicamento e grupo B controle) e seguidos por um ano. Após análise estatística final confirmaremos a eficácia da metodologia.

Esôfago XE "Esôfago"  - Estenose Cáustica XE "Estenose Cáustica"  - Corticoesteróide XE "Corticoesteróide"

ANÁLISE QUANTITATIVA DE TEXTURA EM IMAGENS DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COMO MÉTODO DE LATERALIZAÇÃO EM EPILEPSIA DE LOBO TEMPORAL

Marcelo Ferreira Castellani (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Li Li Min (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A Epilepsia de Lobo Temporal (ELT) é a síndrome epilética mais prevalente em adultos. A correlação entre ELT e alterações degenerativas do hipocampo já se encontra estabelecida. Menos de 50% dos portadores de ELT respondem bem ao tratamento medicamentoso e o tratamento cirúrgico é uma excelente alternativa terapêutica para os indivíduos refratários. A indicação cirúrgica depende da localização precisa do foco epiléptico (lateralização) sendo feita por critérios clínico-EEG, neuropsicológicos e, com crescente importância, exames de neuroimagem. A ressonância magnética (RM) freqüentemente evidencia a lesão epileptogênica. Métodos quantitativos de análise podem aumentar significativamente a sensibilidade da RM na detecção das lesões. A análise de textura consiste no estudo, por meio de parâmetros numéricos objetivos, dos padrões de distribuição de níveis de cinza ao longo da imagem. Comparamos a textura de um grupo de portadores de ELT já operados e livres de crises por pelo menos 12 meses após a cirurgia com grupo controle composto por indivíduos saudáveis. Concluímos que a análise de textura é capaz de detectar e lateralizar a lesão epileptogênica, sendo um método potencialmente útil na avaliação pré-operatória de pacientes portadores de ELT refratária.

Epilepsia XE "Epilepsia"  - Ressonância magnética XE "Ressonância magnética"  - Análise de textura XE "Análise de textura"

NÍVEIS SÉRICOS DO ÍON MAGNÉSIO EM CRIANÇAS CONSTIPADAS EM TRATAMENTO COM HIDRÓXIDO DE MAGNÉSIO

Márcia E. Morita (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dra. Elizete A. L. da Costa Pinto (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

No ambulatório de Gastroenterologia Pediátrica do Hospital de Clínicas da UNICAMP, a maioria dos pacientes constipados apresenta doença grave, de longa duração, complicada com impactação de fezes e escapes fecais. O tratamento desses pacientes requer o uso prolongado de altas doses de laxativos. O hidróxido de magnésio é um laxativo osmótico amplamente utilizado. A baixa toxicidade da droga é atribuída à absorção lenta e à excreção rápida do íon magnésio. No entanto, registros de hipermagnesemia, o principal efeito colateral da droga, têm sido observados esporadicamente em outras situações clínicas. Na literatura consultada, não se encontrou informação sobre a segurança do uso prolongado da droga em crianças constipadas. Com o objetivo de avaliar a segurança da medicação, os níveis séricos de magnésio foram dosados, por meio de método colorimétrico, em crianças constipadas recebendo doses variadas de hidróxido de magnésio. Foram dosadas 50 amostras provenientes de 35 pacientes, detectando-se 36 casos de hipermagnesemia, 22 com níveis séricos normais e 2 com hipomagnesemia. Concluímos que o uso do hidróxido de magnésio deveria considerar a monitorização regular dos níveis séricos do íon.

Constipação XE "Constipação"  ? Hidróxido de magnésio XE "Hidróxido de magnésio"  - Hipermagnesemia XE "Hipermagnesemia"

MORTALIDADE POR ACIDENTES DE TRANSPORTE EM CAMPINAS:TENDÊNCIA TEMPORAL

Marcia Nakayama (Bolsista SAE/UNICAMP), Priscila Yuriko Yassunaga (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Marilisa Berti de Azevedo Barros (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

As mortes por acidentes de transporte (AT) persistem entre as principais causas de óbito na maioria dos países. A aplicação de medidas preventivas têm obtido relativo sucesso no controle de acidentes, especialmente dos mais graves. Este estudo objetiva analisar a tendência das mortes por AT, em Campinas, de 1980 a 1999, segundo variáveis demográficas e a análise da distribuição dos óbitos por AT do ano de 1999, segundo as variáveis: sexo, idade, estado civil, naturalidade e local de ocorrência do óbito. Os dados de óbitos foram obtidos do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM/MS) e do Banco de dados de óbitos de Campinas (projeto Secretaria Municipal de Saúde/Unicamp). Foram calculados taxas e índices de mortalidade por AT segundo idade, sexo e causa básica. Estimativas da população foram obtidas da Fundação Seade. Entre os anos de 1980 a 1999 as taxas de mortalidade por AT oscilaram entre 15 e 30 óbitos por 100.000 habitantes e foram sempre superiores nos homens. Os jovens entre 15 a 24 anos e os idosos acima de 55 anos são as principais vítimas dos AT. No ano de 1999, 82,5% dos óbitos por AT ocorreram no sexo masculino, 36,7% em jovens de 15 a 24 anos de ambos os sexos, 65,5% em solteiros, 93,2% em residentes em Campinas. Ocorreram na via pública 34,8% destes óbitos e 55,6% em hospitais. Conclui-se que os AT persistem em altas taxas no município de Campinas merecendo a formulação de políticas intersetoriais para prevenção e controle.

Acidentes XE "Acidentes"  - Mortalidade XE "Mortalidade"  - Acidentes de trânsito XE "Acidentes de trânsito"

VIVENCIANDO O CUIDAR DE MULHERES COM CÂNCER DE MAMA: A VISÃO DE TÉCNICOS E AUXILIARES DE ENFERMAGEM

Maria Angélica dos Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Helena Baena de Moraes Lopes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A proposta deste estudo foi conhecer a experiência de técnicos e auxiliares de enfermagem no cuidado de mulheres com câncer de mama. Para esta finalidade optei por realizar uma pesquisa qualitativa onde os sujeitos foram os técnicos e auxiliares de enfermagem que atuam na Unidade de Internação de um Serviço em Oncologia, de um hospital-escola da cidade de Campinas, S.P., Brasil. A coleta e análise dos dados foram realizadas de acordo com a proposta de Taylor e Bogdan. Os dados foram coletados por meio de entrevistas, que foram gravadas e posteriormente transcritas. Em seguida, fiz uma leitura criteriosa dos depoimentos, procurando primeiramente identificar o sentido global da experiência vivenciada pelos entrevistados. Trechos das entrevistas que se referiam a um mesmo tema foram agrupados, buscando assim, reunir as similaridades que emergiram dos depoimentos. Desse agrupamento surgiram seis unidades temáticas, que nos possibilitaram chegar aos seguintes resultados: os técnicos e auxiliares de enfermagem se envolvem emocionalmente com as pacientes, alguns profissionais não sabem lidar com os sentimentos que surgem desse envolvimento, utilizam mecanismos de defesa, identificam-se com as pacientes e seus familiares, possuem uma visão negativa do câncer de mama. Recomenda-se que o Serviço de Educação Continuada trabalhe os temas envolvimento emocional e relacionamento terapêutico com a equipe de enfermagem.

Câncer de mamaXE "Câncer de mama" - OncologiaXE "Oncologia" - Saúde da mulherXE "Saúde da mulher"

A CONTRIBUIÇÃO DE UM NOVO MARCADOR TUMORAL, A DESGAMACARBOXIPROTROMBINA, NO DIAGNÓSTICO DO CARCINOMA HEPATOCELULAR

Maria Fernanda Baghin (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Jazon Romilson de Souza Almeida (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O carcinoma hepatocelular (CHC) é o tumor maligno primário mais freqüente na espécie humana. Seu diagnóstico precoce implica em melhor prognóstico e maior sobrevida aos pacientes. Estudos evidenciaram a possibilidade de se utilizar um marcador tumoral, a desgamacarboxiprotrombina (DCP), no diagnóstico do CHC, já que este se mostrou muito específico para o CHC, porém, sua sensibilidade ainda é baixa, especialmente para tumores pequenos. Recentemente foi desenvolvida uma nova DCP (DCPII), mais sensível no diagnóstico do CHC. Assim a possibilidade do emprego desta nova DCP motivou a realização do presente estudo. Foi realizado um estudo retrospectivo com pacientes divididos em cinco grupos: grupo I, pacientes com CHC; grupo II, com cirrose hepática; grupo III, com metástase hepática; grupo IV, com hemangioma hepático; grupo V, controle. Foi realizada a mensuração dos níveis plasmáticos da DCPI, DCPII e da alfafetoproteína (AFP) pelo método de enzima imunoensaio (EIA) em todos os grupos e determinou-se o grau de diferenciação histológica dos pacientes com CHC. Os resultados foram utilizados para se correlacionar os níveis séricos da DCPI, DCPII e AFP no diagnóstico do CHC e também relacionar o grau de diferenciação histológica com os níveis de DCPI, DCPII e AFP.

Carcinoma Hepatocelular XE "Carcinoma Hepatocelular"  - Desgamacarboxiprotrobina XE "Desgamacarboxiprotrobina"  - Marcador Tumoral XE "Marcador Tumoral"

TRIAGEM DE DISTÚRBIOS MENTAIS EM CRIANÇAS DE 1A E 2A SÉRIE DO 1O. GRAU EM UMA ESCOLA DE BARÃO GERALDO ? CAMPINAS ? SÃO PAULO

Maria Oxana Poloni Rybka (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Lídia Straus (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Uma das maiores metas da medicina atual é atuar na prevenção de doenças. É nesse contexto que se insere este projeto. Trata-se de um estudo do tipo transversal com componentes descritivos e analíticos. Em uma escola pública de Barão Geraldo ? Campinas ? SP, está sendo feita uma triagem nas crianças de 1a e 2a séries, verificando a possibilidade de existência atual ou futura de distúrbios mentais. Para tal finalidade estão sendo utilizadas as já conhecidas escalas SDQ-Por (Questionário de Capacidades e Dificuldades) e ISSI (Inventário de Sintomas de Stress Infantil). Estão sendo objeto de estudo cerca de 70 crianças da escola Sérgio Porto e os resultados obtidos estão sendo submetidos a uma análise estatística. As crianças que forem selecionadas pela triagem serão encaminhadas ao DPMP ? FCM ? UNICAMP e pais e professores serão instruídos para lidarem com tais crianças. O diagnóstico precoce das patologias muitas vezes minimiza os danos que o paciente irá sofrer, não apenas pelo fato de geralmente detectar a doença em estágio inicial e ter maior êxito no tratamento, como também na inserção deste indivíduo na sociedade e no mercado de trabalho. A detecção precoce de patologias tem sido cada vez mais valorizada na medicina.

Distúrbios mentais XE "Distúrbios mentais"  - Crianças XE "Crianças"  - Triagem XE "Triagem"

AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DE PACIENTES OPERADOS DE MEGAESÔFAGO CHAGÁSICO

Maura Alessandra Alambert (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Eros Antonio de Almeida (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Este trabalho analisa a evolução clínica e radiológica de pacientes operados de megaesôfago chagásico . Até agora foram analisados 11 pacientes de 56 selecionados, segundo os critérios: grau de megaesôfago antes da cirurgia, técnica empregada, tempo decorrido desde última cirurgia, período sem sintomas, quadro clínico atual e grau de megaesôfago atual. Dos 11 pacientes, 5 (46%) apresentavam megaesôfago grau II; 1 (9%) grau III; 5 (45%) não tinham registro no prontuário. A cirurgia de Heller-Pinotti foi empregada em 5 (45%) dos pacientes; dilatação em 1 (9%); 2 (9%) foram submetidos a outras técnicas; em 3 (27%), a técnica não constava no prontuário. Operado há menos de 1 ano: 1 paciente (9%); 1 (9%) entre 1 e 5 anos atrás; 4 (36%) entre 6 a 10 anos; 3 (27%) entre 11 e 20 anos; 2 (27%) há mais de 20 anos. Assintomáticos durante 1 a 5 anos: 3 pacientes (27%); 2 (18%) por mais de 10 anos; 6 (54%) tiveram apenas melhora discreta. Apenas 1 paciente (9%) está assintomático; 3 (27%) têm atualmente disfagia a sólidos; 3 (27%) disfagia e regurgitação; 2 (18%) disfagia e dor retroesternal; 1 (18%) foi a óbito. Agora 1 paciente (9%) tem megaesôfago grau I, 3 (28%) grau II; 3 (27%) grau III; 2 (18%) outras alterações esofágicas; 2 (18%) sem grau especificado. O estudo realizado até então mostrou que as cirurgias de megaesôfago têm, portanto, caráter paliativo. Aguardamos resultado de esofagograma dos demais pacientes para ampliação da amostra e conclusão do estudo.

Doença de Chagas XE "Doença de Chagas"  - Megaesôfago XE "Megaesôfago"  - Cirurgia XE "Cirurgia"

ESTUDO DOS FATORES DIETÉTICOS PREDISPONENTES PARA OCORRÊNCIA DE ANEMIA FERROPRIVA E PREVALÊNCIA DE CONSUMO DE ALIMENTOS SUPÉRFLUOS EM UMA POPULAÇÃO DE LACTENTES DA CIDADE DE CAMPINAS - SUBSÍDIOS A INTERVENÇÕES EDUCATIVAS

Mônica Wildner da Cunha (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Cristina Faber Boog (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A anemia ferropriva é uma doença carencial comum em lactentes. A absorção do ferro está relacionada ao consumo das vitaminas A e C, e pela qualidade do ferro, heme / não-heme. Analisaram-se recordatórios alimentares de 24 horas de 73 crianças, do banco de dados da pesquisa "Consumo Alimentar e Saúde", desenvolvida no Departamento de Medicina Preventiva e Social/FCM/UNICAMP. Foram analisados consumos de alimentos fontes de ferro heme e não-heme, das vitaminas A e C e o de supérfluos, que se sabe ter aumentado muito nos últimos anos. Os supérfluos encontrados foram biscoitos doces, sucrilhos e guaraná. Verificou-se que 14 crianças (20% aproximadamente) consumiram supérfluos no dia anterior. Das 30 crianças de dois a quatro meses, 83% receberam leite materno, 53% em aleitamento materno exclusivo, uma consumiu supérfluos e cinco consumiram outros alimentos. Dentre as 24 crianças de seis a oito meses, 54% receberam leite materno, 50% a alimentação considerada padrão (Fe + VitA + VitC) e 29% consumiram supérfluos. Das 19 crianças de dez a doze meses, 47% receberam leite materno, 26% a alimentação padrão, 31% supérfluos.

Dietética XE "Dietética"  - Educação Nutricional XE "Educação Nutricional"  - Anemia Ferropriva XE "Anemia Ferropriva"

O ESTUDO DA EXPRESSÃO DO GENE NIS EM TECIDOS TIROIDIANOS

Nilton A. Reis (Bolsista PIBIC/CNPq), Israel L.F. Lima (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Laura Sterian Ward (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O câncer de tiróide representa cerca de 1% dos cânceres. A incidência é maior nos países onde o bócio é endêmico. Nestes países também existe maior prevalência das formas menos diferenciadas como o carcinoma papilífero e o anaplásico. O tratamento cirúrgico, seguido de radioterapia com iodo radioativo possibilita a cura de grande parte dos pacientes com câncer bem diferenciado da tiróide o qual, afortunadamente, acomete cerca de 80% de nossos pacientes. Infelizmente, uma parte destes pacientes não responde bem e, apesar dos esforços cirúrgicos e radioterápicos, evolui com recidivas que eventualmente culminarão com a morte. Tal tipo de evolução é mais freqüente no carcinoma folicular do que no papilífero. Com a identificação do gene responsável pelo transporte de iodo para a célula folicular, chamado NIS, várias publicações vem tentanto relacionar a falta de captação de iodo e, portanto, o pior prognóstico de alguns casos, com a não-expressão de NIS. Nosso trabalho visa otimizar uma técnica adequada à pesquisa de expressão de NIS em tecido tumoral buscando na identificação de expressão deste gene um possível parâmetro de evolução e/ou prognóstico dos portadores de neoplasias tiroidianas. Para isso fazemos extração de RNA dos tecidos dos pacientes e logo após RT-PCR do material obtido para extração. Para análise do gen hNIS utilizamos ainda a amplificação do gene a partir de cDNA seguido por eletroforese. Nossos resultados preliminares mostram que podemos obter um ensaio sensível e reprodutível capaz de demonstrar a expressão de NIS em todos os tecidos até agora pesquisados. Estamos completando a correlação clínico-laboratorial dos nossos casos visando estabelecer um possível padrão de comportamento dos pacientes em relação à expressão gênica de NIS.

NIS -  XE "NIS" Expressão -  XE "Expressão" Tireóide XE "Tireóide"

TIPIFICAÇÃO POR DNA DOS ALELOS DE HISTOCOMPATIBILIDADE CLASSE I EM PACIENTES COM ANEMIA APLÁSTICA

Petrônio Fleury Neto (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria Helena Stangler Kraemer (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Atualmente existem inúmeras doenças estudadas nas quais foram encontradas associações fortes entre os genes HLA e a patogênese da doença, desempenhando as moléculas HLA papel central nas respostas imunes, principalmente os alelos HLA classe I. Nesse estudo imunogenético foram padronizadas técnicas moleculares de tipagem do HLA por DNA, utilizando as reações de polimerização em cadeia com um conjunto de ?primers?, seqüência específicas (PCR/SSP), sendo as mesmas usadas para estudar as sub-regiões do Complexo Principal de Histocompatibilidade (CPH), a fim de verificar a distribuição dos alelos HLA de classe I ? (HLA-A; -B; -C) em pacientes com Anemia Aplástica provenientes do Hemocentro ? UNICAMP e indivíduos controles sadios voluntários do Banco de Sangue do Hemocentro. Em estudos concluídos pelo projeto foi demonstrada associação positiva entre o alelo HLA-DR52 e a anemia aplástica(aa), pc<0,001, RR=0,1.As frequências das especificidades dos antígenos HLA do grupo de pacientes e do grupo controle estudado foram comparadas utilizando-se o Teste Exato de Fisher Bicaudal com o propósito de elaborarmos um mapa final de distribuição das frequências dos alelos de classe I, objetivo principal e resultado final do projeto que será exposto no Congresso.

Alelos HLA XE "Alelos HLA"  - Biologia Molecular XE "Biologia Molecular"  - Aplasia de Medula XE "Aplasia de Medula"

ESTUDO DO PAPEL DA ÓXIDO NÍTRICO SINTASE (NOS) DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL SOBRE A MANIPULAÇÃO RENAL DE SÓDIO EM RATOS HIPERTENSOS E NORMOTENSOS

Priscila Silva Marshall (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. José Antônio Rocha Gontijo (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Tem sido demonstrado que a inibição sistêmica e crônica da síntese de NO pelo L-NAME, causa uma elevação significativa da pressão arterial (Xavier et al., 1998), a qual é acompanhada por um aumento na fração de excreção renal de sódio (FENa). A denervação renal atenua esta elevação pressórica, promovendo um adicional aumento desta FENa. Estes resultados apontam para a possibilidade de que a atividade neural eferente renal seja um fator preponderante no desenvolvimento hipertensivo induzido pela inibição da NOS. Tem sido também demonstrada a presença de NOS no sistema nervoso central. A participação moduladora nitrérgica sobre a eferencia neural renal e a natriurese é desconhecida. Assim, o presente projeto tem como objetivo estudar o papel do bloqueio da NOS no sistema nervoso central sobre a manipulação renal de sódio e sua contribuição para a gênese da hipertensão arterial. Os resultados preliminares mostram que a linhagem SHR de ratos hipertensos, apresenta uma maior excreção urinária basal de sódio em relação ao seu controle normotenso (WKy). Esta natriurese possivelmente decorra de uma elevada rejeição absortiva de sódio nos segmentos proximais do nefron nestes animais. Por outro lado, os animais WKy embora não apresentem uma evidente natriurese, mostram uma possível resposta anti-diurética, a injeção intracerebroventricular de 300 (g de L-NAME.

Hipertensão Arterial XE "Hipertensão Arterial"  - Excreção Renal de Sódio XE "Excreção Renal de Sódio"  - Óxido Nítrico XE "Óxido Nítrico"

ACIDENTES DE TRANSPORTE EM CAMPINAS : DIFERENÇAS SÓCIO - ESPACIAIS

Priscila Yuriko Yassunaga (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Marilisa Berti de Azevedo Barros (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Os acidentes de transporte (AT) constituem uma das principais causas de óbito na maior parte dos países. Estas mortes são evitáveis mediante a aplicação de efetivas medidas de prevenção. Este estudo objetiva analisar a distribuição espacial dos óbitos por AT no município de Campinas, no período de 1996 a 2000, segundo o local de residência da pessoa falecida. Os dados de óbitos foram obtidos do Banco de dados de óbitos de Campinas (projeto Secretaria Municipal de Saúde/Unicamp). Estimativas da população foram obtidas da Fundação Seade. Foram calculados taxas e índices de mortalidade por acidentes de trânsito segundo a área de residência, considerando as áreas de abrangência das unidades básicas de serviços de saúde do município e os distritos de saúde. As maiores taxas foram observadas no Jardim Santa Mônica (53/100000hab), no Jardim São José, no Jardim Esmeraldina, no Jardim São Marcos e na Vila Padre Anchieta. As menores taxas foram observadas na Vila Orozimbo Maia, Parque Valença, DIC I e Vila Ipê. Quanto aos distritos, a maior taxa foi verificada no distrito norte e a mais baixa no distrito Leste. Verificou-se importante disparidade das taxas de AT entre os moradores de Campinas segundo a área em que residem, apontando a necessidade de intervenções diferenciadas.

Acidentes XE "Acidentes"  - Acidentes de trânsito XE "Acidentes de trânsito"  - Mortalidade XE "Mortalidade"

PERFIL DOS PRESTADORES DE CUIDADOS AO IDOSO EM INSTITUIÇÕES TOTAIS DE UM MUNICÍPIO DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO

Priscilleyne O. Reis (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Filomena Ceolim (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Visando contribuir com estratégias que promovam a melhoria da qualidade dos cuidados de enfermagem aos idosos, propusemo-nos a analisar a situação atual dos trabalhadores que atuam oferecendo estes cuidados em instituições totais de Campinas, SP. Os objetivos da pesquisa foram caracterizar estes trabalhadores, identificar as dificuldades relativas ao cuidado e necessidades de educação em serviço. Os dados foram obtidos com instrumento específico, entregue aos trabalhadores que consentiram em participar assinando Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Foram entregues 66 questionários, sendo devolvidos 76%. A maior parte dos trabalhadores eram mulheres (94%), com idade entre 31 e 40 anos (32%) e primeiro grau incompleto (38%), trabalhavam com idosos há mais de cinco anos (40%) e na mesma instituição há mais de um ano (64%). A maioria referia ser auxiliar de enfermagem (40%), seguidos por profissionais de serviços gerais (30%). Quanto à prestação do cuidado, a maioria relatava pouquíssima ou nenhuma dificuldade em todas as atividades. Situações que apresentavam muita dificuldade eram morte (16%) e locomoção (12%). Quanto a conhecimentos específicos sobre o cuidado, 90% referiam não possuí-los, e 80% tinham interesse em obtê-los. Os temas apontados como mais necessários foram cuidados de enfermagem (24%) e alimentação (20%) . Estes dados ressaltam a necessidade de oferecer oportunidades de educação em serviço.

Idosos XE "Idosos"  - Instituições asilares XE "Instituições asilares"  - Cuidadores XE "Cuidadores"

LITÍASE BILIAR EM NECRÓPSIAS ? RELAÇÃO COM DISPLASIA DA VESÍCULA BILIAR

Raquel Franco Leal (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Mario Mantovani (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A displasia do epitélio da vesícula biliar é caracterizada por alterações núcleo citoplasmáticas, sendo considerada lesão precursora do câncer de vesícula biliar. Na literatura não há trabalho mostrando a associação entre cálculos e displasia da vesícula biliar, em necrópsias. Este estudo trata-se de uma condição diferente, pois investiga-se displasia em casos assintomáticos de Litíase Biliar.O objetivo foi o de determinar o número, tamanho e tipo de cálculos da vesícula biliar em autópsias, a fim de correlacioná-los com sexo e idade, através de relatório de necrópsias do Departamento de Anatomia Patológica da FCM UNICAMP (1975 a 1998), e a possível associação de lesões displásicas com cálculos, através de revisão de lâminas deste material. Das 216 autópsias com Litíase Biliar, 28,7% eram cálculos de colesterol, 38% pigmentares e 33,3% mistos. Os cálculos pigmentares foram os mais incidentes em quase todas as faixas etárias. Houve diferença significativa entre os tipos de cálculos em relação ao número dos mesmos, sendo que os pigmentares se apresentaram em maior número (>41). Houve influência do tipo do cálculo em relação ao tamanho do mesmo, sendo que os cálculos pigmentares foram os de menor tamanho. Observou-se 5 casos de carcinoma de vesícula biliar (2,3%), havendo diferença significativa na incidência desta neoplasia em relação ao tipo de cálculo, sendo todos mistos.Não encontrou-se displasia em vesícula biliar na revisão de 77 lâminas (139 lâminas não foram recuperadas), concluindo-se que não houve displasia nos casos de Litíase Biliar assintomáticos.

Litíase Biliar XE "Litíase Biliar"  XE "Litíase Biliar"  - Displasia da vesícula Biliar XE "Displasia da vesícula Biliar"  - Carcinoma da Vesícula Biliar XE "Carcinoma da Vesícula Biliar"

DESENVOLVIMENTO DA ESPECIALIDADE DE SAÚDE E TRABALHO DO DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM NO HOSPITAL VIRTUAL BRASILEIRO

Regina Helena do Nascimento (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Maria Inês Monteiro Cocco (Orientadora) e Profa. Dra. Maria Helena B. M. Lopes (co-orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O objetivo deste trabalho é oferecer informações através da World Wide Web (WWW) sobre a especialidade Enfermagem em Saúde e Trabalho, sendo possível ao usuário da Internet: obter informações sobre Saúde e Trabalho; contatar sites sobre o assunto; obter materiais para estudo e relação de eventos científicos nesta área. Foi utilizada a metodologia de navegação e programação Hyper Text Language (HTML) para o desenvolvimento das páginas WWW, revisão bibliográfica dos últimos anos, através de bibliotecas e da própria Internet, além de revisão por especialistas na área de Saúde e Trabalho. A estrutura da página está dividida nos seguintes temas: Sistema Único de Saúde (SUS); SUS x Norma Operacional de Saúde do Trabalhador (NOST); Breve Histórico da Organização do Trabalho; Legislação Trabalhista; Qualidade de Vida no Trabalho e Links sobre o tema.

Saúde e trabalho XE "Saúde e trabalho"  - Hospital Virtual XE "Hospital Virtual"  - Saúde do trabalhador XE "Saúde do trabalhador"

NEUROCISTICERCOSE COMO PRINCIPAL CAUSA DE EPILEPSIA EM PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO ?

Regina M. Nascimento e Silva (Bolsista FAPESP), Prof. Dr. Li Li Min (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A cisticercose é uma doença parasitária que comumente afeta o sistema nervoso central (SNC) e sua apresentação clínica depende de fatores do hospedeiro e do parasita. Em áreas endêmicas, a neurocisticercose (NC) é considerada a principal etiologia das epilepsias de início tardio. Entretanto, não há estudos conclusivos sobre a epileptogênese relacionada às calcificações da NC. Os principais objetivos deste trabalho são avaliar os estudos que relacionam NC e epilepsia, classificando-os quanto aos níveis de evidências, com base no conceito de risco. Para isto, realizamos buscas bibliográficas na internet pela fonte Medline, combinando-se os termos neurocysticercosis, epilepsy e calcifications, por um período de 20 anos. Foram selecionados os artigos que faziam análise de risco (estudos de caso-controle e Coorte), e excluídos trabalhos de relato de caso e opiniões de experts. Identificamos um total de 174 referências, sendo a maior parte deles do tipo epidemiológico. Um pequeno número de estudos de caso-controle foi encontrado, a maioria porém excluindo a relação causal entre NC e epilepsia. Nenhum estudo coorte foi encontrado. Até o momento nenhum trabalho comprovou adequadamente a epileptogênese associada às lesões de NC, talvez devido às dificuldades metodológicas e às variações de resposta individual à presença das calcificações.

Neurocisticercose XE "Neurocisticercose"  - Epilepsia XE "Epilepsia"  - Metanálise XE "Metanálise"

SOLUÇÕES ADOTADAS POR OSTOMIZADOS EM SEU CONVÍVIO COM UM OSTOMA DEFINITIVO

Renata Furlani (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria Filomena Ceolim (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O ostoma de eliminação consiste na única solução ou alívio de alguns traumas ou patologias que geram sua necessidade, embora nem sempre seja bem aceito pelos pacientes. Considerando tal dificuldade, esse trabalho centrou seu estudo em pacientes com ostoma definitivo atendidos no Ambulatório de Cirurgia do Hospital das Clínicas da UNICAMP (HC/UNICAMP) e na Policlínica II em Campinas, SP, com os objetivos de identificar as soluções adotadas por eles em sua convivência com o ostoma, bem como a adequação das mesmas segundo a literatura especializada. Foram entrevistados 25 pacientes na Policlínica II e 15 pacientes no HC/UNICAMP, que revelaram conhecimento insuficiente acerca do ostoma antes de serem submetidos à intervenção cirúrgica. As modificações pessoais em decorrência do ostoma foram as mais citadas, enquanto os medos pós-cirúrgicos mais presentes foram o de vazamento da bolsa coletora e eliminação de odores. As dificuldades alimentares predominaram entre os entrevistados da Policlínica II e a insatisfação sexual, entre os entrevistados do HC/UNICAMP. Quanto ao indicado pela literatura, verificou-se adequação parcial das soluções adotadas pelos ostomizados. Os resultados desse trabalho subsidiaram a confecção de material para auxiliar os ostomizados na resolução de seus problemas com o ostoma.

Ostoma XE "Ostoma"  - Ostomia XE "Ostomia"  - Enfermagem XE "Enfermagem"

ESTUDO PROSPECTIVO DA FUNÇÃO TIROIDIANA EM PACIENTES CHAGÁSICOS EM USO PROLONGADO DE AMIODARONA

Renata Marques Fabiani (Bolsista PIBIC/CNPq), Rafael Augusto Ramos do Amaral e Profa. Dra. Laura Sterian Ward (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A amiodarona é um anti-arrítmico iodado utilizado pelos portadores da Doença de Chagas com arritmia cardíaca. Seu uso pode causar alterações no perfil dos hormônios tiroidianos. Nosso objetivo é avaliar e identificar as disfunções da glândula tiróide em pacientes chagásicos em uso crônico de amiodarona. Avaliamos 68 pacientes, com idade média de 59 anos com tempo médio de uso de 10,5 anos. 3 pacientes já apresentavam bócio e 17 o desenvolveram durante a administração da droga. Todos foram seguidos com medidas periódicas de T3, T4, T4l, AcTPO, AcTg e Tg. Entre os usuários de amiodarona sem bócio permaneceram eutiroidianos 54,5%; ficaram hipotiroidianos 14,5%; hipertiroidianos 4% e o TSH permaneceu flutuante em 27%. 25% desenvolveram bócio após a introdução da amiodarona, em média após 4,8 anos de tratamento. Dos pacientes com bócio, 15% permaneceram em eutiroidismo, 30% ficaram em hipotiroidismo, 10% em hipertiroidismo e 45% apresentaram flutuações do TSH. 27% dos pacientes sem bócio e 45% dos pacientes com bócio apresentaram flutuações dos níveis de TSH, sem apresentar quadro clínico. Na análise, uma percentagem significativa dos casos desenvolve freqüentes flutuações dos níveis de TSH maior do que casos de hipo ou de hipertiroidismo bem definidos.

AmiodaronaXE "Amiodarona" - Doença de ChagasXE "Doença de Chagas" - TiróideXE "Tiróide"

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EM CRIANÇAS DE 0 A 12 MESES E AMAMENTAÇÃO

Renata Ostroswky (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Ana Maria Segall Correa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Doenças respiratórias (IRA) apresentam alta prevalência em crianças de até 1 ano de idade e podem estar relacionadas com complexa combinação de fatores, entre eles a amamentação. Esse trabalho buscou estudar a associação entre IRA e padrão de aleitamento materno. Analisou-se dados da pesquisa ?Consumo Alimentar e Saúde? (Proc. FAPESP nº 98/14794-7) coletados em setembro/99 de 142 crianças com até um ano de idade, residentes na área de cobertura do Centro de Saúde Costa e Silva, em Campinas-SP. Dessas crianças, 74.6% apresentaram algum sintoma entre tosse, coriza, nariz entupido, chiado no peito, garganta vermelha, dor de ouvido e febre. Não foi encontrada associação entre o padrão de aleitamento e a ocorrência de pelo menos um destes sintomas. As crianças com algum sintoma de IRA foram divididas entre as que procuraram (56.6%) ou não (43.4%) o serviço de saúde como um critério de avaliação da gravidade da doença. Encontrou-se maior porcentagem de crianças mamando (69.8% x 64.3%) ou em aleitamento materno exclusivo (18.6% x 10.7%) entre aquelas que, mesmo com sintomatologia respiratória, não procuraram o serviço de saúde, controlando-se o efeito das variáveis sócio-demográficas. Estes resultados sugerem que a amamentação pode ser fator de proteção em relação a doenças respiratórias de maior gravidade e recomenda aprofundamento da análise desta questão.

Doenças Respiratórias XE "Doenças Respiratórias"  - Aleitamento Materno XE "Aleitamento Materno"  - Desmame XE "Desmame"

INFECÇÃO BACTERIANA HOSPITALAR EM PACIENTES TRANSPLANTADOS DE MEDULA ÓSSEA NO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNICAMP

Rodrigo Couto Gabas (Bolsista PIBIC/CNPq), Plinio Trabasso, Prof. Dr. Cármino A. de Souza e Profa. Dra. Maria Luiza Moretti Branchini (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Os pacientes transplantados de medula óssea (TMO) representam uma população de imunossuprimidos altamente susceptível as infecções bacterianas hospitalar (IHB). O presente estudo objetivou avaliar a incidência de infecções bacterianas dos pacientes TMO internados de janeiro de 97 a dezembro de 99. Foram incluídos 115 pacientes,sendo 91 alogênicos e 24 autólogos. As leucemias e os linfomas de Hodgkin e não Hodgkin representaram 75,7% das indicações de transplantes. Dentre as 115 observações diagnosticaram-se 136 complicações infecciosas, sendo 48 (35,4%) bacterianas. As topografias mais afetados foram a corrente sanguínea com 45,9% e as relacionadas a acesso vascular com 45,9%. As bactérias mais isoladas foram: Staphylococcus epidermidis- 14; S. aureus-4; A. baumannii- 4; P.aeruginosa- 3. Os gram positivos representaram 50% das IHB e os gram negativos 47,9%. Mycobacterium tuberculosis -01.O uso profilático de antibióticos não teve relação estatística com a presença de IHB por gram + ou gram negativo. Nos pacientes de transplantes alogênicos, os fatores de risco associados à IH foram: a mucosite (p=0,001) e o uso de fator estimulador de colônias (p<0,005) (fatores protetores de IHB). O conhecimento das IHB em nossos pacientes de TMO vem colaborar com novas propostas para a prevenção das IHB nesses pacientes.

Transplante de medula óssea XE "Transplante de medula óssea"  - Infecção hospitalar -  XE "Infecção hospitalar" Infecção bacteriana XE "Infecção bacteriana"

MORTALIDADE PERINATAL NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS NO BIÊNIO 1998-99

Rogério de Barros Ferreira Leão (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eliana Martorano Amaral Freitas da Silva (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A Mortalidade Perinatal (óbitos ocorridos após 22 semanas de idade gestacional ou 500g até 7 dias completos de vida) é um bom indicador do nível de assistência à saúde da mulher e da criança no perído gestacional e neonatal imediato. No país, muitas de suas causas são evitáveis, mostrando a precariedade da atenção à gravidez, parto e período neonatal. O objetivo deste estudo é descrever a mortalidade perinatal do biênio 1998-99 de residentes em Campinas. Além dos bancos de óbitos e nascidos vivos da Prefeitura de Campinas, foram revisados todos os prontuários clínicos encontrados. Os dados coletados foram inseridos e analisados no programa EPI-INFO 6.0. O Coeficiente de Mortalidade Perinatal no período foi de 14,70?, sendo 59% de natimortos entre os 489 óbitos. Quatro hospitais englobam 82% das ocorrências. A maioria das mães possui baixa escolaridade e profissão não qualificada. Baixo peso ao nascer (<2500g), prematuridade e Apgar <7 foram freqüentes. As causas de neomortalidade foram principalmente: prematuridade extrema (34%), mal-formação (19%), membrana hialina (15%), infecção (11%) e asfixia (8%). Os natimortos tiveram como principais causas: anóxia (33%), DPP (15%), doença hipertensiva materna (13%) e insuficiência placentária (7%). A prevenção de óbitos neonatais precoces exige medidas de redução dos partos prematuros, enquanto os óbitos fetais, o controle de patologias maternas e placentárias.

Mortalidade Perinatal XE "Mortalidade Perinatal"  - Saúde Materno-Infantil XE "Saúde Materno-Infantil"  - Óbito Fetal XE "Óbito Fetal"

FUNÇÃO RENAL DE RATOS APÓS A ADMINISTRAÇÃO INTRACEREBROVENTRICULAR (I.C.V.) AGUDA DE INSULINA :INFLUÊNCIA DA ESTREPTOZOTOCINA (STZ)

Ronaldo Ferreira Macedo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Antônio Rocha Gontijo (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O papel fisiológico periférico da insulina sobre a homeostase do sódio tem sido demonstrada através de seu efeito antinatriurético. Os sítios de ação da insulina no néfron não são bem definidos. Estudos de micropunção apontam para uma ação tubular distal enquanto em outros, mostram um efeito sobre o transporte de íons no túbulo proximal isolado de coelho. Por outro lado, o SNC pode ter um a ação moduladora sobre o este efeito periférico da insulina. Evidências indicam que a injeção de insulina i.c.v. promova um aumento da sensibilidade periférica insulinica, modificações hemodinâmicas e um aumento da excreção urinária de sódio, efeitos relacionados à atividade neural eferente simpática. A STZ é o agente indutor de DM experimental. Injetada no SNC é capaz de destruir receptores de insulina. Neste estudo avaliamos a resposta i.c.v. de insulina em ratos tratados centralmente com STZ, sobre parâmetro funcionais tais como filtração glomerular e as frações de excreção proximal e pós-proximal de sódio. Os resultados preliminares obtidos mostram que a administração aguda de insulina em animais tratados pela injeção central de STZ promoveu uma atenuação na resposta natriurética previamente obtida, associada a uma elevação na reabsorção pós-proximal de sódio. Estes resultados sugerem que a integridade dos receptores centrais de insulina é importante para a resposta renal natriurética.

Função renal XE "Função renal"  - Insulina XE "Insulina"  - Estreptozotocina XE "Estreptozotocina"

ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO DA CADEIA GAMA DA HEMOGLOBINA FETAL EM PACIENTE COM SÍNDROMES FALCIFORMES (SF) EM USO DE HIDROXIURÉIA

Sara M. Teixeira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Helena Z. W. Grotto (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A hidroxiuréia (HU) vem sendo utilizada no tratamento das SF devido sua propriedade de estimular a síntese de HbF(fator que beneficia a evolução clínica desses pacientes). Pretendemos determinar a % de HbF e a relação (G/(A em pacientes com SF submetidos a tratamento com HU, através da quantificação das cadeias ( por densitometria após a eletroforese em gel de poliacrilamida. Resultados foram obtidos pela análise de 93 amostras (43 pacientes com SF usando HU, sendo 10 em seguimento e 30 sem uso de HU). Análise preliminar do grupo com HU, mostrou em 32 amostras relação (G/(A > 1, enquanto 11 mostraram valor compatível com o padrão adulto de relação (<1). O grupo de pacientes sem HU, apresentou 20 amostras com padrão adulto e 10 com relação >1. Análise estatística em andamento.

Síndromes falciformes XE "Síndromes falciformes"  - Hidroxiuréia  XE "Hidroxiuréia" - Cadeia gama XE "Cadeia gama"

DESENVOLVIMENTO DE UMA TÉCNICA DE AGLUTINAÇÃO PARA O IMUNODIAGNÓSTICO DA NEUROCISTICERCOSE

Sérgio Murilo Rocha (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof.Dr. Cláudio Lúcio Rossi (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A neurocisticercose, doença causada pela localização de cisticercos de Taenia solium no sistema nervoso central, apresenta manifestações clínicas variadas e inespecíficas. As técnicas atualmente disponíveis para o imunodiagnóstico da neurocisticercose são muito dispendiosas e, usualmente, inacessíveis nas regiões de maior prevalência dessa doença. No presente estudo, é descrita uma técnica de aglutinação rápida em lâmina simples para a pesquisa de anticorpos anti-cisticercos em amostras de líquido cefalorraquidiano (LCR). Partículas de látex com diâmetro de 0.77 (m apresentando grupos COOH em sua superfície (Bangs Laboratories, Inc., USA) foram revestidas com a preparação antigênica (extrato bruto de cisticercos), por meio de ligações covalentes, utilizando carbodiimida. Em regiões delimitadas de uma lâmina de vidro, foram misturados 40 (l de uma suspensão a 2% de partículas sensibilizadas e 40 (l da amostra de LCR. Após agitação manual da lâmina durante 2 min., as reações foram lidas a olho nu. Reações apresentando aglutinação nítida das partículas foram consideradas positivas. Resultados preliminares mostraram que a técnica apresenta 90% de sensibilidade, 70% de especificidade e um valor preditivo positivo de 63%. O fracionamento do extrato bruto de cisticercos e um estudo da concentração ótima das partículas de látex em todos os passos da reação poderiam aumentar a acurácia do teste.

Neurocisticercose XE "Neurocisticercose"  - Imunodiagnóstico XE "Imunodiagnóstico"  - Látex XE "Látex"

AVALIAÇÃO ASSISTIDA: TAREFAS DE CONTAGEM EM CRIANÇAS EM RISCO DE DESENVOLVIMENTO

Sylvia de Silveira Nunes (Bolsista FUNDAP), Márcia Cristina Kodama e Profa. Dra. Cecilia Guarnieri Batista (Orientadora), Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação - CEPRE - FCM, UNICAMP

O trabalho discute a contribuição da avaliação assistida para a identificação de habilidades cognitivas em crianças em risco de desenvolvimento. Foram aplicadas provas assistidas de contagem a seis crianças de 4 a 10 anos. Todas as crianças tinham diagnóstico de deficiência visual; algumas tinham problemas orgânicos adicionais (epilepsia; síndrome genética; toxoplasmose e hidrocefalia). As provas foram aplicadas em dois anos consecutivos. Para as crianças com seis anos ou mais, foi também aplicado o WISC verbal. A análise dos dados constou de: exame das transcrições das provas assistidas e análise do protocolo do WISC ? aritmética. As provas assistidas foram classificadas em ?grau de acerto? e ?nível de orientação?. A análise dos dados de avaliação assistida mostrou que o desempenho da maioria das crianças melhorou ao longo das aplicações. Dentre os níveis de orientação, predominou ?orientação direta?. O desempenho tendeu a ser melhor na avaliação assistida que no WISC. Os resultados indicaram contribuições da avaliação assistida. Mostraram que tornar a avaliação um momento de aprendizado pode evidenciar capacidades da criança. A flexibilidade da interação permitiu conhecer a receptividade das crianças às interações de ensino, bastante relevante em crianças com histórias anteriores de rotulação e/ou fracasso escolar.

Avaliação assistida XE "Avaliação assistida"  - Contagem numérica XE "Contagem numérica"  - Crianças com deficiência XE "Crianças com deficiência"

O QUE PROPICIA O SURGIMENTO DO COMPARTILHAR/AJUDAR NAS CRIANÇAS EM RISCO DE DESENVOLVIMENTO?

Sylvia de Silveira Nunes (Bolsista FUNDAP), Adriana Cristina Ventorin (Bolsista UNICAMP) e Profa. Dra. Cecilia Guarnieri Batista (Orientadora), Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação - CEPRE - FCM, UNICAMP

Crianças com problemas orgânicos (deficiência visual, p.ex.) podem ter alterações no desenvolvimento. Os pais tendem à superproteção, não imposição de limites e descrença na criança. Nesse contexto, pergunta-se sobre as formas de interação entre essas crianças. No presente estudo, foram analisados episódios de interação entre crianças (grupo com sete crianças de 4 a 6 anos, sessões semanais de 90 minutos, período de análise: quatro meses). Três crianças eram cegas e quatro tinham baixa visão; várias tinham diagnósticos adicionais. Foram analisadas as atividades menos estruturadas da sessão. A análise dos relatos e transcrições dos vídeos identificou os seguintes tipos de interação: a) brincar: isolamento com e sem barreira; uso paralelo de brinquedo com algum contato com colegas; compartilhamento; b) ajudar: oferta de objetos, orientação referente ao manuseio ou à execução. Dentre essas modalidades, observou-se um predomínio de brincadeira isolada, sendo raros os exemplos de compartilhar e ajudar. Houve redução do isolamento com barreira, e aumento do uso paralelo de objetos. Os resultados podem ser explicados, em parte, pela falta de oportunidades de convivência adequadamente mediadas. Sugere-se a importância de: qualidade e quantidade de materiais, organização espacial da sala e tipos de intervenção do adulto.

Desenvolvimento social XE "Desenvolvimento social"  - Crianças com deficiência  XE "Crianças com deficiência" - Risco de desenvolvimento XE "Risco de desenvolvimento"

MOTILIDADE DO ESÔFAGO NA FASE CRÔNICA DA ESOFAGITE CÁUSTICA EM CRIANÇAS.

Tatiana K. Dorsa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Elizete A. L. da Costa Pinto (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A ingestão acidental de cáusticos é uma ocorrência freqüente entre crianças brasileiras. Manometria esofágica foi realizada em nove crianças (5,5 ( 2,3 anos) com estenose esofágica secundária a ingestão de soda cáustica. O objetivo do estudo foi avaliar a motilidade do esôfago nessa condição. O estudo manométrico foi realizado em sistema de perfusão capilar pneumohidráulico, de baixa complacência, acoplado a software específico para registro e análise do traçado. O estudo foi efetivado entre nove meses e 5,2 anos após o acidente. As variáveis manométricas foram comparadas a dados de grupo controle (n = 6). Todas as crianças com estenose referiam disfagia, cinco realizavam dilatação regular do esôfago e cinco submeteram-se previamente a fundoplicatura. Aperistalse esofágica foi observada nas nove crianças com estenose cáustica. Neste grupo, a amplitude média das ondas contráteis (42,2 ( 28 mmHg) foi inferior à do grupo controle (97,9 ( 23,7 mmHg), p<0,01. A duração média das contrações foi maior no grupo com estenose (6,7 ( 2,4 s), em relação ao grupo controle (1,6 ( 0,1 s), p<0,01. Concluímos que, nas crianças avaliadas, a estenose cáustica esteve associada a alterações significativas da motilidade esofágica.

Motilidade XE "Motilidade"  - Esôfago XE "Esôfago"  - Criança XE "Criança"

O ESTUDO DE ANGIOGÊNESE COM O USO DE HEPARINA COMO FATOR PROPICIADOR

Thais Cristina Hatsumura (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Ana Terezinha Guillaumon (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A alta prevalência de doenças vasculares isquêmicas em nossa população motivou o estudo do desenvolvimento da angiogênese em animais submetidos à isquemia severa do membro inferior e posterior tratamento com heparina, comparando-os a um grupo controle que não será submetido a este tratamento. Dez ratos foram submetidos à ligadura da artéria femoral esquerda. Em cinco ratos foi realizado um tratamento por dez dias com heparina sódica na dose de 0,05 mg/dia. Os demais animais (grupo controle) não receberam nenhum tratamento. Após este período, foi retirado um grupo muscular, distal à ligadura, para análise histológica. A angiogênese será estudada através da contagem de vasos e análise estatística. Com base nas referências bibliográficas consultadas, espera-se que haja uma diferença significativa na proliferação de vasos no grupo tratado com heparina, já que este aminoglicosídio parece agir como co-fator de fatores de crescimento envolvidos na angiogênese.

Oclusão Arterial XE "Oclusão Arterial"  - Heparina XE "Heparina"  - Angiogênese XE "Angiogênese"

EFEITOS DA TRIAMCINOLONA EM PACIENTES COM ESTENOSE DE ANASTOMOSE DE ESOFAGO: UM ESTUDO PROSPECTIVO RANDOMIZADO

Tiago de Araujo Guerra Grangeia (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Luiz Roberto Lopes (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Algumas patologias do esôfago requerem ressecção de uma parte do órgão e anastomose com outros órgãos, em especial estômago, colon, jejuno e faringe. Uma das principais complicações das anatomoses são as estenoses, clinicamente manifestadas principalmente pela disfagia. Nestes casos é preconizado o tratamento inicial com dilatação endoscópica e dentre os diversos métodos disponíveis, o uso de sondas de Savary-Gilliard constitui-se um método seguro e eficaz. A fim de superar os desafios do tratamento, surge uma nova perspectiva: o uso de corticoesteróides (dentre os quais tem destaque a triamcinolona) imediatamente após as sessões de dilatação. Para avaliar os efeitos deste novo método, foram avaliados 13 pacientes, divididos em 2 grupos, sendo o grupo A (7 pacientes) aquele que recebeu triamcinolona e o grupo B (6 pacientes) aquele que recebeu soro fisiológico (controle). Durante 1 ano, os pacientes foram avaliados de acordo com 3 critérios: o número de sessões de dilatação realizadas, o diâmetro esofágico luminal obtido e a evolução dos sintomas de disfagia. Análises estatísticas foram realizadas a fim de verificar se houve diferenças significativas na comparação dos resultados de cada um dos grupos.

Esôfago XE "Esôfago"  - Anastomose XE "Anastomose"  - Triamcinolona XE "Triamcinolona"

ANÁLISE DA CONDUTA EM RELAÇÃO AOS PACIENTES INTERNADOS NO HC/UNICAMP APÓS DIAGNÓSTICO DE SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA ALCOÓLICA COM POSTERIOR PROPOSIÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE TRATAMENTO PARA ESTA CONDIÇÃO.

Tiago Luders Laurito (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. Claudio Banzato, Dr. João Baptista Laurito (Co-orientador ) e Prof. Dr. Flávio César de Sá (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A Síndrome de Abstinência Alcoólica é uma patologia freqüentemente encontrada no Hospital de Clínicas da UNICAMP e, certamente, em qualquer outro hospital da região e do país uma vez que a incidência de alcoolismo é elevada em nossa população. A síndrome de abstinência do álcool manifesta-se quando o consumo de bebida é abruptamente reduzido tendo como sintomas tremores, confusão mental, sudorese, convulsões e agitação psico-motora o que denota a gravidade de seu quadro clínico. Porém, apesar da alta freqüência de casos da Síndrome de Abstinência Alcoólica, não é sempre que estes pacientes são tratados adequadamente e sabe-se que tal síndrome pode apresentar até 5% de mortalidade devido a distúrbio hidroeletrolítico ou metabólico. Este trabalho avaliou através de estudo de prontuário médico a conduta adotada em casos de Síndrome de Abstinência Alcoólica no HC/UNICAMP nos últimos cinco anos tendo concluído que não existia qualquer padrão terapêutico para esta condição sendo sua gravidade subestimada. Finalmente, baseado nos dados desta pesquisa retrospectiva e da literatura foi elaborado e aplicado em nosso serviço um protocolo de tratamento para pacientes com síndrome de abstinência de álcool buscando-se o máximo de eficiência em relação às condutas já tomadas atualmente. Resultados preliminares indicaram melhor evolução clínica com menor tempo de recuperação.

Abstinência alcoólica XE "Abstinência alcoólica"  - Avaliação de conduta XE "Avaliação de conduta"  - Protocolo de tratamento XE "Protocolo de tratamento"

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: PROBLEMAS IDENTIFICADOS PELOS ENFERMEIROS

Vanessa Aparecida Thomaz e Profa. Dra. Edinêis de Brito Guirardello (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O presente estudo surgiu da reflexão acerca da realização da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) durante a prática de estágios, pois esta vem ocorrendo de forma desarticulada com a teoria, não favorecendo uma assistência ordenada, inter-relacionada e integrada. Sua finalidade primordial é o atendimento das reais necessidades do cliente, enfatizando a individualidade do mesmo, assim, é essencial que seja praticada de maneira sistematizada, seguindo suas etapas principais: histórico, diagnóstico, prescrição e evolução de enfermagem. Este estudo teve como objetivo identificar os problemas apresentados pelos enfermeiros com relação à operacionalização da SAE. A amostra constituiu-se de 52 enfermeiros, atuantes em um hospital-escola do interior do estado de São Paulo. Os dados foram coletados por meio de um questionário semi-estruturado, que foi previamente submetido à validação aparente e de conteúdo por seis juízes, com análise descritiva dos dados, cálculo de freqüência das variáveis categóricas e categorização das respostas abertas. Os resultados apontam, que a maioria dos enfermeiros realizam a SAE e acreditam na sua importância para o planejamento da assistência. As principais dificuldades relatadas foram: falta de tempo e déficit de funcionários. O diagnóstico de enfermagem foi citado como uma das fases que encontram maior dificuldade na sua elaboração. Quanto ao cumprimento da prescrição de enfermagem pela equipe, há uma falta de conscientização e preparo da mesma, levando à insatisfação dos enfermeiros. Concluímos que, melhorar as fases já implantadas e preparar adequadamente a equipe de enfermagem seria a melhor opção, para efetivação e otimização da SAE, oferecendo uma assistência com qualidade para o cliente, resultando em satisfação para o enfermeiro.

Enfermagem XE "Enfermagem"  - Sistematização XE "Sistematização"  - Assistência XE "Assistência"

ESTUDO DE UTILIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS EM CONTEXTO HOSPITALAR: EXEMPLO DOS DEPRESSORES DO SNC

Wagner Alexandre Scudeler (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Gun Bergsten Mendes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Os estudos de utilização de medicamentos contribuem para a promoção de uma prescrição mais racional na medida em que orientam intervenções educacionais e regulamentadoras baseadas nos problemas levantados. A pesquisa atual consta de um estudo transversal considerando um dia de prescrição dos pacientes adultos não psiquiátricos internados no Hospital das Clínicas da Unicamp, tendo como objetivo determinar a prevalência de seu uso e comparar o resultado com os dados obtidos nesta mesma instituição em 1995, a fim de identificar se outros depressores do SNC estão sendo utilizados ocupando o lugar dos benzodiazepínicos. Os dados foram organizados em um banco utilizando o programa EpiInfo e sempre que necessário foram calculadas as diferenças entre proporções pelo teste do chi quadrado e entre as médias por análise de variância. Além dos benzodiazepínicos foram também incluídos na pesquisa alguns medicamentos de ação sobre o SNC. Foi encontrado um aumento na utilização de benzodiazepínicos no HC-Unicamp quando comparado ao dado pesquisado em 1995, diferentemente do uso de dipirona em combinação que no estudo atual teve sua prevalência significativamente inferior ao dado de 1995, sugerindo uma substituição dos medicamentos. Outras análises podem ser feitas com os dados obtidos.

Benzodiazepínicos  XE "Benzodiazepínicos" - Estudo de utilização de medicamentos  XE "Estudo de utilização de medicamentos" - Hospital XE "Hospital"

Faculdade de Educação Física

A ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE E SUAS IMPLICAÇÕES NA MODALIDADE JUDÔ

Alexandre Rodrigues (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Roberto Rodrigues Paes (Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

Este estudo teve por objetivo constatar a presença do procedimento da especialização precoce e suas implicações na modalidade judô. A pesquisa se desenvolveu em duas etapas, uma revisão bibliográfica da literatura específica e uma pesquisa de campo, a qual nos forneceu parâmetros para verificar se o procedimento da especialização precoce se fazia presente na modalidade judô.

Após a analise dos dados obtidos, foi constatado a ocorrência do procedimento especialização precoce e suas implicações na modalidade judô.

Judô XE "Judô"  - Especialização precoce XE "Especialização precoce"  - Esporte XE "Esporte"

SELEÇÃO DE TALENTOS NO FUTEBOL: UM ESTUDO A PARTIR DAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E DA PRÁTICA APLICADA

Caio Cezar Oliveira Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Paulo Cesar Montagner (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Com o grande impacto sócio-cultural do futebol, milhares de crianças inscrevem-se sistematicamente nos diversos clubes brasileiros com a expectativa de se tornarem atletas na modalidade. Invariavelmente, esse ?sonho? sucumbe nas conhecidas "peneiras", que se apresentam como o método mais tradicional de captação de recursos humanos para essa modalidade do esporte brasileiro. Essa forma de seleção de talentos, em muitos casos, é desenvolvida com testes empíricos e de curta duração, onde os jovens mostram se são aptos ou não. Assim, propôs-se nessa pesquisa aprofundar o conhecimento de como ocorre o processo de seleção de talentos em alguns clubes de futebol do Estado de São Paulo, identificando suas características particulares de metodologia, espaço e profissionais envolvidos, relacionando conceitos científicos aliados aos trabalhos pedagógicos observados na prática, ou seja, refletindo se existem relações coerentes entre o nível de exigência preterido com as particularidades complexas do desenvolvimento humano conforme os estudos sobre a performance desportiva. Esta discussão foi apoiada em um referencial teórico pertinente a seleção de talentos com posicionamentos de autores nacionais e internacionais acerca do tema. A metodologia utilizada foi o método de Análise de Conteúdo, com observações em vários clubes de futebol e apoiados também nas pesquisas bilbiográficas que tratam de seleção de talentos no esporte. Os resultados preliminares mostram que os clubes pesquisados não possuem apoio e embasamento científico nesse processo descrito, elaborando-o de maneira empírica.

Futebol XE "Futebol"  - Esporte XE "Esporte"  - Seleção de Talentos XE "Seleção de Talentos"

GOLEIROS DE HANDEBOL: TÉCNICA E TÁTICA EM BUSCA DO ALTO NÍVEL

Jefferson Alexandre de Castro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Paulo Ferreira de Araújo (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

O foco principal de nossa pesquisa é o estudo do desenvolvimento da tática e da técnica dos goleiros de handebol, após a aplicação de uma proposta de trabalho planejada, para que a somatória das duas qualidades observadas resulte em melhora de seu rendimento, adquirindo um gesto esportivo eficiente, para estas observações recorremos à coleta de dados sobre técnica e tática de goleiros de handebol durante o desenvolvimento dos jogos, em seguida propondo etapas de treinamentos técnicos e táticos visando contribuir com a formação dos atletas, tornando os aptos a atuarem em competições de níveis mais fáceis aos mais complexos obtendo melhores resultados. As informações utilizadas são oriundas da literatura existente e da prática esportiva. A partir desses dados organizar-se-á um trabalho teórico, com explicações sobre os treinamentos e aplicação da tática e técnicas utilizadas na pesquisa.

Goleiros XE "Goleiros"  - Técnica e tática XE "Técnica e tática"  - Desenvolvimento de atletas XE "Desenvolvimento de atletas"

COMO A HIDROGINÁSTICA PODE INFLUENCIAR NA MELHORA DO CONDICIONAMENTO FÍSICO EM MULHERES NA MENOPAUSA

Luane Margarete Zanchetta (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Vera Madruga Forti (Orientadora), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

As pesquisas científicas atualmente, estão cada vez mais se aprimorando no sentido de mostrar os benefícios da atividade física regular, nas várias fases da vida: crianças, adolescentes, adultos e idosos. Os efeitos benéficos da atividade física no processo de envelhecimento e especificamente em mulheres na menopausa, têm sido objeto de estudo de várias pesquisas principalmente em relação a sua ação sobre o sistema cardiovascular, cujas doenças são uma das principais causas de mortalidade feminina pós-menopausa. Portanto, objetivamos através deste trabalho, constatar com respaldo científico, quais são as reais melhoras em condicionamento físico, através da prática da atividade de hidroginástica, para mulheres na menopausa. Para tanto, antes e após um treinamento de dezesseis semanas, foram aplicados seguintes testes: -Avaliação Antropométrica: índice de massa corporal, determinação de dobras cutâneas (protocolo de Guedes), para obter-se o percentual de gordura corporal.-Avaliação Cárdiorrespiratória: Teste de Cooper de 2400 metros, para mensuração do  EMBED Equation.2 máx.-Avaliação de Flexibilidade:Teste de Coluna Inferior, Teste de Elevação de ombro e Teste de Extensão de Tronco.

Hidroginástica XE "Hidroginástica"  - Menopausa XE "Menopausa"  - Condicionamento Físico XE "Condicionamento Físico"

A EDUCAÇÃO PELO LAZER NUM TRABALHO COMUNITÁRIO - INICIAÇÃO LÚDICA AOS CONTEÚDOS FÍSICO-ESPORTIVOS - UM ESTUDO DE CASO

Luciana Cristine Okamori (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Nelson Carvalho Marcellino (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Tendo como tema às relações entre a Ed. Física e o Lazer, visto como veículo e objeto de educação, o estudo centrou-se na análise na Sociedade Esportiva e Cultural Costa e Silva-Campinas-SP, comunidade onde foi desenvolvido projeto de extensão, na linha da ?Ação Comunitária?. Examinou o tratamento que é dado aos conteúdos físico-esportivos no lazer, e como o lazer (enquanto ensino não formal) é utilizado numa comunidade que, através de serviços voluntários, utiliza-se desses conteúdos culturais. Procurou entender como vem se efetivando o trabalho sócio-educativo, visto de uma perspectiva comunitária, e no que ele pode contribuir para a Ed. Física, enquanto conteúdo e forma, no processo de ensino-aprendizagem. Tratou-se, assim, de um estudo de caso, com amostra não-probabilística, intencional, combinando pesquisa bibliográfica, documental e de campo, tendo a observação e entrevistas como técnicas. Os principais resultados apontam para a necessidade da recuperação do componente lúdico da cultura, nas aulas de Ed. Física Escolar, participação dos pais no desenvolvimento das atividades, e envolvimento da comunidade próxima.

Lazer XE "Lazer"  - Educação XE "Educação"  - Comunidade XE "Comunidade"

BUSCA DE SENSAÇÕES EM DIFERENTES MODALIDADES ESPORTIVAS

Marina Souza Lobo Guzzo (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Pedro José Winterstein (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Este trabalho propõe estabelecer uma relação entre personalidade e a escolha da modalidade esportiva praticada, levando em consideração um aspecto da personalidade: medido pela busca de sensações. Para isso, será utilizada a escala Sensation Seeking Scale-SSS (Zuckerman, 1994), forma V, que será aplicada em diferentes atletas praticantes de modalidades esportivas consideradas de risco e não de risco (por exemplo: pára-quedismo e natação respectivamente). Os resultados serão analisados através de uma comparação das médias de respostas dos atletas no instrumento (teste-T), dentro dos dois grupos de modalidades (risco e não risco).

Busca de sensações  XE "Busca de sensações" - Risco  XE "Risco" - Esporte XE "Esporte"

VELOCIDADE DE CORRIDA NO LIMIAR ANAERÓBIO EM JOVENS FUTEBOLISTAS DAS CATEGORIAS INFANTIL E JUVENIL

Mauricio José Marques e Prof. Dr. Miguel de Arruda (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Este projeto tem como objetivo a investigação do efeito do treinamento no comportamento da composição corporal, potência aeróbia (PA), potência anaeróbia (PAn) e da velocidade de corrida no limiar anaeróbio de jovens futebolistas durante o período de seis meses, levando em consideração o nível de maturação sexual. A amostra será composta por jovens futebolistas das categorias infantil e juvenil de um clube de futebol da região de Campinas. Esses sujeitos serão submetidos a testes físicos de campo no intuito de mensurar a potência aeróbia (PA) e potência anaeróbia (PAn). Os componentes da composição corporal serão determinados pelas equações preditivas propostas por SLAUGHTER et al (1988), assim como a velocidade do limiar anaeróbio (VCL) será determinada pela equação preditiva proposta por TANAKA (1986). O nível de maturação sexual será estabelecido através da técnica de auto-avaliação, validada por MATSUDO, MATSUDO (1991). A coleta de dados será realizada em três momentos distintos, a serem definidos com a comissão técnica da equipe selecionada para o estudo. As avaliações do estágio de maturação biológica, assim como as medidas antropométricas, serão realizadas no próprio clube de futebol e os testes de potência aeróbia (PA) e anaeróbia (PAn), serão realizados na pista de atletismo da faculdade de educação física da UNICAMP.

Velocidade XE "Velocidade"  - Futebol XE "Futebol"  - Treinamento XE "Treinamento"

ANÁLISE AUTOMÁTICA DE DESLOCAMENTOS DE JOGADORES DE FUTEBOL

Milton Shoiti Misuta (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Ricardo Machado Leite de Barros (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

O objetivo desta pesquisa consiste no desenvolvimento de algoritmos visando aumentar o grau de automatização do processo de rastreamento de jogadores de futebol através da definição de critérios de decisão que identifiquem as situações características deste esporte e a análise quantitativa dos dados obtidos, através da aplicação dos algoritmos implementados utilizando os critérios de decisão, sobre a trajetória dos jogadores num determinado intervalo de um jogo. A determinação das trajetórias dos jogadores foi feita inicialmente segmentando-se as imagens aplicando as técnicas de segmentação de imagens juntamente com a morfologia matemática para identificar as posições de cada jogador em cada quadro da seqüência de imagens. E num segundo momento, as trajetórias de cada jogador foram construídas considerando as posições ocupadas nos quadros da seqüência de imagens. A obtenção dos dados relativos ao deslcoamento dos jogadores possibilita calcular a trajetória dos jogadores num determinado intervalo de tempo, analisar a distribuição das velocidades e acelerações durante o deslocamento do jogador e analisar a área do campo ocupada pelo jogador durante um determinado tempo. Com estas variáveis temos elementos para avaliar desempenhos individuais dos jogadores e táticas, e portanto o comportamento em equipe das diferentes posições ocupadas pelos jogadores.

Rastreamento automático XE "Rastreamento automático"  - Critérios de decisão  XE "Critérios de decisão" - Biomecânica XE "Biomecânica"

ASPECTOS PSICOLÓGICOS NA GINÁSTICA ARTÍSTICA

Patrícia Afonso de Campos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Pedro José Winterstein (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

A base do conhecimento relativo ao envolvimento de crianças no esporte avançou consideravelmente, embora em pequena escala quando relacionada ao número de crianças participantes no esporte de alto nível. No contexto competitivo identificamos alguns problemas como a complexidade da tarefa maior que os recursos da criança, pressões exercidas por adultos envolvidos (pais e técnicos), definição de objetivos quase que irreais, nível de expectativa exagerado em relação ao desempenho, enfim, fatores que contribuem cada vez mais para uma conseqüente vida atribulada e confusa para os atletas. Mediante essas considerações, esta pesquisa pretende verificar através de observação direta, controlada e sistemática de atletas de G. A. em um clube de Campinas, processos emocionais desencadeados durante o treinamento e em competições, e como o técnico lida com essas questões comportamentais durante todo esse processo. Foram registrados a descrição dos sujeitos, de locais, dia e hora, os eventos especiais, as atividades, a reconstrução de diálogos e o comportamento do observador, que problematizou de forma reflexiva suas anotações pessoais organizadas durante a coleta de dados. Além das anotações escritas, registramos a observação com materiais obtidos por gravações e filmagens, ressaltando o total cuidado para que esses materiais (como a filmadora), não interferissem no ambiente ou no comportamento das pessoas observadas.

Psicologia do esporte XE "Psicologia do esporte"  - Ginástica XE "Ginástica"  - Emoções XE "Emoções"

SISTEMATIZAÇÃO DO ENSINO DOS ESPORTES COLETIVOS PARA CRIANÇAS DE 9 A 12 ANOS DE IDADE: O CASO DO FUTSAL

Renato Francisco Rodrigues Marques (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jocimar Daolio (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

O ensino dos esportes coletivos, no caso o do Futsal, dentro das escolas de esportes, pode ser baseado em várias metodologias de ensino. Consideramos a Metodologia Centrada nos Jogos Condicionados, a qual tem como objetivo ensinar a técnica juntamente com a tática, através de Jogos Condicionados, ou Pré-desportivos, buscando um desenvolvimento autônomo do aluno dentro do jogo, propondo problemas a serem resolvidos pelo mesmo, colocando-o o mais próximo possível da situação a ser encontrada no jogo formal. Essa sistematização foi dividida em três módulos (M1- Níveis de Relação, M2- Jogos de Movimentação Tática, M3- Maior utilização dos Jogos Formais), os quais foram aplicados e avaliados dentro do projeto de extensão, criado na FEF ? UNICAMP, para a realização de tal pesquisa. Durante a avaliação do método, foram observados os indicadores do nível do jogo, determinados em pesquisa bibliográfica. Através desse método de ensino, pôde-se desenvolver na criança uma maior capacidade de ?ler o jogo?, agir coletivamente, defender e atacar de forma mais organizada e provocada, criando jogadores mais autônomos e conscientes de suas ações dentro de quadra. Isso foi claramente observado devido ao desenvolvimento de uma maior intimidade de relações do aluno com a bola, diminuindo o individualismo excessivo e a aglutinação em torno da mesma.

Futsal XE "Futsal"  - Metodologia de Ensino XE "Metodologia de Ensino"  - Jogos Pré-desportivos XE "Jogos Pré-desportivos"

REFLEXOS DA TEORIA DA CIÊNCIA DA MOTRICIDADE HUMANA NA FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA UNICAMP

Tatiana dos Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lino Castellani Filho (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

A Educação Física brasileira, influenciada pelo processo de redemocratização dos anos oitenta do século XX, desvincula-se do eixo da aptidão física pautado nas Ciências Biológicas, partindo para uma relação paradigmática de natureza histórico-social, fundada nas Ciências Humanas.Este estudo objetiva identificar as contribuições do filósofo português Manuel Sérgio nesta mudança paradigmática, em particular na Faculdade de Educação Física da UNICAMP, visto ter nela atuado como Professor Visitante nos anos de 1987 e 1988. A análise dos dados coletados confrontados no processo de triangulação (TRIVIÑOS, 1992), tem mostrado que os atuais corpos docente e discente desta Faculdade, apesar de todas as mudanças ocorridas desde então, não incorporaram a proposta da TEORIA DA CIÊNCIA DA MOTRICIDADE HUMANA daquele filósofo, ou quando o fizeram foi de forma difusa e heterogênea dentre e entre estes segmentos.Contudo, em alguns casos ? notadamente entre os alunos de graduação ? a ?essência" da proposta (centrada na visão holística de Homem) não é diretamente relacionada com sua base epistemológica, o que traz sérias interferências no processo de formação, dado ao sincretismo filosófico que a embasa.

Educação Física XE "Educação Física"  - Epistemologia XE "Epistemologia"  - Motricidade Humana XE "Motricidade Humana"

A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO NA BRINCADEIRA ?NUNCA TRÊS?. UM ESTUDO DAS ADAPTAÇÕES, DO PONTO DE VISTA MOTRICIDADE, A NOVAS SITUAÇÕES COM CRIANÇAS DE 7 A 9 ANOS

Thaís Helena Mollar (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. João Batista Freire da Silva (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Este trabalho faz uma análise do processo de organização espacial, no aspecto do desenvolvimento da inteligência, utilizando a brincadeira de ?Pega ? Pega? chamada ?Nunca Três?. Nesta atividade os participantes se organizam em um certo espaço, em duplas, de mãos dadas e fixando-se em um lugar escolhido por eles. São escolhidos um pegador e um fugitivo. O pegador corre atrás do fugitivo, que para se salvar, pega na mão de um dos componentes das duplas. Se for pego, os papéis se invertem, se não for , o outro da dupla vira fugitivo, assim mantém-se a mesma direção da corrida .Na versão modificada, quando o fugitivo se salvar, o outro da dupla passa a ser o pegador e o pegador até então, a ser o fugitivo. Inverte-se a direção da corrida. Ocorre uma quebra da coordenação anterior dos deslocamentos, que estava , depois de um certo tempo, estabilizada, aumentando a quantidade de erros, surgindo a necessidade de uma nova adaptação. Após uma filmagem, foi realizada uma análise quantitativa, através de tabelas e gráficos e uma análise qualitativa baseada em textos de Piaget, Vygotsky e outros autores que estudam este aspecto de desenvolvimento da inteligência. Os resultados obtidos são bastante coerentes com as teorias existentes na área, para se compreender o significado das coordenações espaciais das crianças, dentro de uma atividade que solicita adaptação a novas situações.

Adaptação XE "Adaptação"  - Desenvolvimento XE "Desenvolvimento"  - Inteligência XE "Inteligência"

IMAGEM CORPORAL PARA ADOLESCENTES ATLETAS, DO SEXO MASCULINO, PRATICANTES DE FUTEBOL

Uilson Santos da Silva Júnior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Silvana Venâncio (Orientadora), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

A adolescência consiste em um importante período no desenvolvimento humano, onde buscar-se-á a maturidade biológica, social e psicológica através do corpo. O corpo infantil deixa de existir, cedendo espaço a um novo corpo, ainda desconhecido. Daí então, o corpo adulto começa a ser moldado. O nosso estudo teve como objetivo principal identificar e analisar a construção da imagem corporal de adolescentes atletas, praticantes de futebol. Consideramos que as relações familiares e sociais estabelecidas, respectivamente, nos períodos da infância e da adolescência, e a prática sistemática de futebol se interagem no processo de construção da imagem corporal. O estudo é de natureza qualitativa que utiliza a história de vida oral como método de investigação. Conforme os resultados obtidos, constatamos que os adolescentes praticantes de futebol não conseguiram desvencilhar das relações sociais de dependência estabelecidas através do corpo, na infância, em decorrência da prática sistemática de futebol. O ?luto? pelas relações infantis está sendo lentamente processado. Contudo, as figuras do pai (família) e do treinador (futebol) influenciam diretamente na construção da imagem corporal do jovem jogador. Esta nova imagem corporal é elaborada a partir da instrumentalização do corpo para a prática esportiva, da sexualidade e de valores estéticos, culturalmente estabelecidos. Desta forma, o corpo existe, primeiramente, enquanto instrumento para a performance e rendimento esportivo. O corpo-adolescente se projeta no corpo-atleta.

Imagem Corporal XE "Imagem Corporal"  - Adolescência XE "Adolescência"  - Futebol XE "Futebol"

Faculdade de Odontologia de Piracicaba

COMPARAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UNIÃO EM DENTES HUMANOS, BOVINOS E SUÍNOS

Alessandro Ferreira Kavaguti (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. Marcelo Giannini (Orientador) e Carlos José Soares (Co-orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

Devido a dificuldade de obtenção de dentes humanos, tem sido proposto ouso de dentes de outros mamíferos como suínos e principalmente bovinos. O propósito deste estudo foi quantificar a resistência à tração de um sistema adesivo de frasco único (Single Bond/3M) ao esmalte e dentina de origens: humana (H), bovina (B) e suína (S). Selecionou-se 10 dentes por grupo, 5 tiveram a superfície do esmalte abrasionada com lixa SiC (600) e os demais tiveram a superfície dentinária exposta em média profundidade. Foi então aplicado o sistema adesivo seguindo as orientações do fabricante, e então confeccionado bloco de resina (TPH) de 5 mm altura, incrementalmente. Os dentes foram seccionados serialmente no sentido mesio-distal e submetidos à constricção na interface adesiva para obtenção de uma área de união inferior a 1mm2. As amostras foram fixadas em dispositivo para microtração, acoplado a máquina de ensaio universal (Instron - 4411). O teste de tração foi aplicado com velocidade de 0,5mm/min e os valores submetidos à ANOVA e teste de Tukey ((=0,05). As médias para esmalte foram (MPa): H- 26,95(5,15a; S- 32,26(4,51a e B- 21,89(7,56a, e para dentina: H 17,34(4,93 b; S-15,52(3,68b e B- 15,64(4,95b. Não houve diferença na adesão para os substratos de origem bovina, suína e humana, sendo a resistência adesiva em esmalte sempre superior à dentina.

Resistência adesiva XE "Resistência adesiva"  - Esmalte XE "Esmalte"  - Dentina XE "Dentina"

A INFLUÊNCIA DA NICOTINA E DO ÁLCOOL NA EVOLUÇÃO DA PERIODONTITE

Daniel Fernando P. Vasconcelos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Silvana P. Barros (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

O presente estudo investigou a possível influência da nicotina e de sua associação com o álcool no processo de perda óssea periodontal induzida. Quarenta ratos Wistar adultos e machos tiveram ligadura posicionada no sulco gengival de molar, enquanto o colateral foi mantido como controle. Os animais foram submetidos ao tratamento de injeções diárias (IP) de: A - 2(l/g de peso de soro fisiológico; B - 2(l/g de soro fisiológico além da auto-administração de álcool etílico; C - 2(l/g de solução de nicotina (cc. 13(l/ml em soro fisiológico); D - sol. de nicotina (cc. 13(l/ml) e auto-administração de álcool; E - 2(l/g de sol. de nicotina (cc. 19(l/ml); F - 2(l/g de sol. de nicotina (cc. 19(l/ml) e auto-administração de álcool; G - 2(l/g de sol. de nicotina (cc. 26(l/ml); H - 2(l/g de sol. de nicotina (cc. 26(l/ml) e auto-administração de álcool pelo período de trinta dias. Os animais foram sacrificados e as peças histológicas processadas por técnica de rotina para coloração em hematoxilina e eosina e então feita a análise morfométrica. A análise estatística revelou que o grupos G e H apresentaram perda óssea significativa em comparação com os grupos A e B, não havendo diferença significativa entre os grupos: C, D, E e F. Dessa maneira pudemos concluir que a nicotina, na concentração de 26(l/ml, agravou a perda óssea induzida e que o álcool atuou potencializando este efeito nesta concentração.

Doença periodontal XE "Doença periodontal"  - Álcool XE "Álcool"  - Nicotina XE "Nicotina"

RECONTAMINAÇÃO POR SALIVA HUMANA DE CANAIS RADICULARES DE DENTES MEDICADOS E SEM SELAMENTO CORONÁRIO

Erika Sato (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

A medicação intracanal é um método complementar ao preparo químico-mecânico na desinfecção do sistema de canais. O objetivo deste estudo foi avaliar in vitro o tempo requerido para recontaminação de dentes sem selamento coronário e medicados com pasta de Ca(OH)2, clorexidina gel (CG) a 2% e com a associação de ambos. Quarenta pré-molares inferiores íntegros e com as raízes retas foram utilizados neste estudo. Depois do preparo químico-mecânico, os dentes foram divididos aleatoriamente em 05 grupos: 1) 10 dentes com Ca(OH)2; 2) 10 dentes com CG 2%; 3) 10 dentes com Ca(OH)2+ CG 2%, 4) 5 dentes controle positivo-CP (com acesso e sem medicação); 5) 5 dentes controle negativo-CN (dentes íntegros). Os dentes foram colocados em frascos de vidro individuais contendo caldo de BHI, de modo que somente os ápices radiculares ficassem em contato com o caldo, ficando suas coroas imersas em saliva + BHI (3:1). A seguir foram incubados a 37oC a uma atmosfera de 10% de CO2. O crescimento bacteriano foi observado diariamente. Não houve contaminação do grupo CN e o grupo CP contaminou após 01 dia. Os canais com CG foram contaminados em um período médio de 3,7 dias; os medicados com Ca(OH)2 após 1,8 dias e com a associação após 7,7 dias, havendo diferenças estatísticas entre os grupos (p<0,01). Concluimos que o grupo da associação de Ca(OH)2 e CG foi o mais efetivo na prevenção da recontaminação dos canais radiculares. (Apoio FAPESP - 1996 / 05584-3, CNPq -520277/99-6, SAE/ PRG/CNPq).

Saliva XE "Saliva"  - Dente XE "Dente"  - Selamento XE "Selamento"

INFLUÊNCIA DO TRATAMENTO SUPERFICIAL NA RESISTÊNCIA ENTRE BRÁQUETES E CERÂMICA

Evelyn Castro Costa Morgado (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

O propósito deste estudo foi avaliar a resistência ao cisalhamento entre bráquetes e cerâmica com 2 cimentos, sob 2 tratamentos de superfície. 64 discos de cerâmica (Duceram) com (5 mm ( x 2 mm de espessura) foram embutidos em resina e divididos em 2 grupos de 32: Grupo I - condicionamento com ácido fosfórico 35%, por 30 segundos e Grupo II - condicionamento com ácido hidrofluorídrico 10%, por 5 minutos. Todos os grupos receberam aplicação do silano e os bráquetes foram fixados com Transbond XT (3M) e Concise (3M). Todas as amostras foram armazenadas em água destilada a 37o C, por 24 horas e submetidas ao teste de resistência ao cisalhamento numa Instron, à velocidade de 1,0 mm/min. Os resultados foram submetidos a análise de variância e ao teste de Tukey (p<0,05) e mostraram que independentemente do tratamento superficial da cerâmica o Concise Ortodôntico (5,79 MPa) mostrou valores superiores em relação ao Transbond XT (4,38 MPa) (p<0,05); o tratamento superficial da cerâmica com ácido hidrofluorídrico 10% com o Concise Ortodôntico (9,89 MPa) e Transbond XT (7,61 MPa) mostrou valores de resistência superiores em relação ao condicionamento com ácido fosfórico 35 % para o Concise Ortodôntico (3,63 MPa) e Transbond XT (4,29 MPa). Concluindo, o Concise Ortodôntico apresentou valores superiores ao Transbond XT e o condicionamento da superfície da cerâmica com ácido hidrofluorídrico 10% aumentou a resistência de união de bráquetes à cerâmica.

Tratamento Superficial XE "Tratamento Superficial"  - Cerâmica XE "Cerâmica"  - Bráquete XE "Bráquete"

AVALIAÇÃO DA LATÊNCIA E DURAÇÃO DA ANESTESIA INFILTRATIVA COM BUPIVACAÍNA ASSOCIADA OU NÃO À ADRENALINA

Flávia Quesiti Arrivabene (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria Cristina Volpato (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

A literatura mostra dados inconclusivos sobre o efeito da bupivacaína em anestesia infiltrativa. Realizou-se um estudo cruzado e duplo-cego para avaliar os tempos de latência e duração da anestesia pulpar e em tecidos moles após injeção de: G1-Neocaína® -bupivacaína 0,5% com adrenalina 1:200.000 e G2-Neocaína® -bupivacaína 0,5% sem vasoconstritor. Foram realizadas 2 anestesias infiltrativas em 18 voluntários adultos saudáveis na vestibular do canino superior direito. A anestesia foi avaliada através da aplicação de estímulo elétrico (Vitallity Scanner Analytic Technology pulp tester), com o limiar basal estabelecido antes da injeção. Após esta, o dente foi testado a cada 2 minutos até ausência de resposta ao estímulo máximo e então a cada 10 minutos até retorno ao basal. Os dados foram avaliados pelo teste de Wilcoxon ((=0,05). Não houve diferença significativa entre os grupos para tempo de latência (média ( desvio padrão [min]:G1=2,44(0,89; G2=2,89(1,79; p=0,2489) e para anestesia em tecidos moles (média( desvio padrão [min]:G1=717,53(164,96; G2=690,38(183,01; p=0,4265). A duração da anestesia pulpar foi estatisticamente maior no G1 (média ( desvio padrão [min]:G1=76,67(36,78; G2=29,44(17,31; p= 0,0005). Conclui-se que a bupivacaína associada a vasoconstritor tem sua ação aumentada na polpa dental, mas não em tecidos moles.

Bupivacaína XE "Bupivacaína"  - Adrenalina XE "Adrenalina"  - Anestesia infiltrativa XE "Anestesia infiltrativa"

BLOQUEIO DO NERVO ALVEOLAR INFERIOR PELA ARTICAÍNA 4% QUANDO ASSOCIADA A DUAS CONCENTRAÇÕES DE ADRENALINA

Giovana Radomille Tófoli (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Ranali (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

A articaína, um novo anestésico local disponível no Brasil, está associado a adrenalina 1:100.000 ou 1:200.000. Um estudo cruzado e duplo cego foi conduzido para avaliar tempo de latência, duração da anestesia pulpar e tempo de retorno ao limiar basal (TRLB) destas soluções, quando usadas para bloqueio do nervo alveolar inferior e lingual. Quinze voluntários adultos e saudáveis receberam aleatoriamente em duas sessões, com 2 semanas entre elas, G1 ? Septanest (DFL) ? articaína 4% com adrenalina 1:100.000 e G2 ? Septanest (DFL) ? articaína 4% com adrenalina 1:200.000. A analgesia foi testada através de estímulos elétricos (Pulp Tester Vitallity Scanner). O primeiro pré-molar inferior direito foi testado antes da injeção para estabelecer a resposta basal, e a cada 2 minutos após a injeção até a ausência de sensação ao estímulo máximo, obtendo o tempo de latência. Após este período foi testado a cada 10 minutos até retorno ao limiar basal. Pelo teste de Wilcoxon ((= 0.05) nenhuma diferença significante foi encontrada entre as soluções para latência (X(SD[min]:G1= 7,6(5,96 ; G2= 8,53(5,68; p=0,4846), duração da anestesia pulpar (X(SD[min]:G1= 170,67(58,49; G2= 169,33(55,61; p=1,0) e TRLB (X(SD[min]:G1= 71,33(42,40; G2= 66(34,39; p=0,5937), sugerindo que as soluções têm a mesma eficácia anestésica.

Articaína XE "Articaína"  - Anestesia-local XE "Anestesia-local"  - Adrenalina XE "Adrenalina"

ISOLAMENTO, IDENTIFICAÇÃO E POTENCIAL CARIOGÊNICO DE S. mutans E S. sobrinus

Marcelo Henrique Napimoga (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Reginaldo Bruno Gonçalves (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

No presente estudo, foi comparada a distribuição das espécies de Streptococcus mutans (SM) e Streptococcus sobrinus (SS) presentes na cavidade oral de dez voluntários livres de cárie (450 isolados) e dez voluntários cárie-ativos (395 isolados), isolados a partir de amostras coletadas da saliva, placa bacteriana e dorso de língua. A identificação foi realizadas através de provas bioquímica e PCR, e, o potencial cariogênico in vitro foi analisado através da medição da produção de ácido em intervalos crescentes (0, 3, 6, 12 e 24 horas). Das amostras de voluntários livres de cárie, 56% foram identificadas como sendo SM e 20% classificadas como sendo SS, enquanto no grupo de cárie ativo, foram identificadas como sendo SM 88% das amostras e 7% SS. Comparando-se as técnicas de identificação, 96,7% das amostras apresentaram resultado idêntico tanto nas provas bioquímicas como PCR, mostrando que as duas técnicas de identificação possuem um alto grau de especificidade. Na análise do potencial cariogênico, foi observada uma grande heterogeneidade entre diferentes isolados e uma maior queda inicial de pH das amostras de SS de ambos grupos frente ao SM. Houve diferença estatística entre as proporções de SM e SS nos diferentes grupos; a produção de ácido foi mais acentuada pelo SS independente do grupo e sítio analisado além de apresentarem perfis diferente de queda de pH independente dos sítios em um mesmo voluntário.

S. mutans XE "S. mutans"  - PCR XE "PCR"  - Ácido XE "Ácido"

AVALIAÇÃO DA DUREZA KNOOP DE COMPÓSITOS ODONTOLÓGICOS APÓS TRATAMENTOS SUPERFICIAIS

Márcio Mishima (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Mário Alexandre Coelho Sinhoreti (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

O objetivo desse estudo foi avaliar a dureza superficial de três diferentes compósitos (Z100, Alert e Revolution) submetidos a duas situações de fotoativação: ao ar livre e coberta por gel lubrificante KY (KY). Metade das amostras fotoativadas ao ar livre receberam polimento com discos de lixa Sof-Lex (CP), e a outra não (SP). Foram confeccionados 5 corpos-de-prova (4mm de diâmetro por 2mm de espessura) para cada grupo, os quais ficaram assim divididos: G1 ? Z100 / SP; G2 ? Z100 / KY; G3 ? Z100 / CP; G4- Alert / SP; G5 ? Alert / KY; G6 ? Alert / CP; G7 ? Revolution / SP; G8 ? Revolution / KY e G9 ? Revolution / CP. Após a confecção dos corpos-de-prova, foram feitas nove leituras de dureza Knoop na superfície de cada amostra num penetrômetro HMV-2000 (Shimadzu), com carga de 25g. por 10 seg.. Os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey (5%). Verificou-se que para os grupos do compósito Z100, todos os tratamentos diferiram estatisticamente entre si, sendo que a maior média foi para o G3 (104,98 KHN), seguido pelo G2 (40,01 KHN) e G1 (9,48 KHN). Para o compósito Alert, a maior média foi observada em G6 (76,29 KHN), a qual diferiu estatisticamente de G4 (39,09 KHN) e G5 (44,55 KHN), que não diferiram estatisticamente entre si. Os grupos do compósito Revolution apresentaram diferença estatística para todos os tipos de tratamento, sendo que G9 (27,64 KHN) apresentou a maior média, seguida por G8 (7,11 KHN) e G7 (3,38 KHN).

Dureza de compósitos XE "Dureza de compósitos"  - Odontologia XE "Odontologia"  - Tratamento XE "Tratamento"

ENSAIOS DE DUREZA EM LIGAS DE COBALTO-CROMO SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE FUNDIÇÃO

Morgana Nicoleti Gabriotti (Bolsista PIBIC/CNPq), Laís Regiane da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Célia Marisa Rizzatti-Barbosa (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

A reabilitação oral por meio de Próteses Parciais Removíveis (PPR) é largamente empregada por possuir grande eficácia e custo relativamente baixo. Para o total sucesso da PPR etapas clínicas e laboratoriais devem ser realizadas corretamente. A fundição da liga para confecção das estruturas metálicas é um fator importante, que alterar as propriedades da liga. O propósito deste trabalho foi realizar ensaios de Dureza, Tração e Porosidade e analisar a Superfície de Fratura (Fractografia) e Metalografia através de dois diferentes métodos de fundição: Arco-Voltáico (ARCVOLT) e Oxigênio-Acetileno (OXACET). Foram confeccionadas dez amostras para cada grupo, seguindo a especificação 14 da ADA, utilizando liga de Co-Cr (Degussa®). A confecção dos corpos de prova foi realizada no laboratório de Produção da FOP-UNICAMP e os ensaios mecânicos na FEM-UNICAMP. Os resultados obtidos foram: Dureza ARCVOLT= 39,32Kgf e OXACET= 32,49Kgf. Tração OXACET=74,90 kgf/mm2 e ARCVOLT=45,10 kgf/mm2 . A porcentagem de área porosa foi: ARCVOLT= 3,92% e OXACET=5,43%. Observando a região de fratura foi visível a presença de porosidade interna e incrustações nas amostras de ambos os grupos. Os resultados foram submetidos à análise estatística (test t - p<0,05). O grupo OXACET apresentou valor superior de tração quando comparado ao grupo ARCVOLT e a presença de poros e incrustações nas amostras podem gerar insucesso na confecção de estruturas metálicas.

Prótese Parcial Removível XE "Prótese Parcial Removível"  - Fundição  XE "Fundição" - Cobalto-Cromo XE "Cobalto-Cromo"

ISOLAMENTO E IDENTIFICAÇÃO DE ESTREPTOCOCOS DO GRUPO MUTANS EM CRIANÇAS COM CÁRIE ATIVA OU PARALISADA

Rafael Nobrega Stipp (Bolsista) e Prof. Dr. Reginaldo Bruno Gonçalves (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

O objetivo deste estudo foi isolar, quantificar e identificar as espécies de estreptococos do grupo mutans presentes na cavidade bucal de crianças de 7 a 8 anos de idade, com lesões iniciais de cárie ativas (Grupo 1) ou paralisadas (Grupo 2), localizadas na superfície oclusal de seus molares permanentes. Os pacientes foram selecionados por um examinador calibrado, através de exame clínico e radiográfico interproximal. Amostras de três sítios distintos (saliva, superfície oclusal com lesão e superfície lisa hígida), foram coletadas com swabs esterilizados. Após dispersão e diluição seriada das amostras, 5µL de cada diluição foram inoculados em duplicata em meios MSB e MSA. Após incubação em estufa de CO2 (37ºC) e contagem, foram isoladas de cada sítio, de 15 a 20 colônias com morfologias típicas para posterior identificação por provas bioquímicas e por amplificação pela técnica da reação em cadeia da polimerase (PCR). Os resultados mostraram que os níveis de estreptococos do grupo mutans foram maiores, em todos os nichos de colheita, nos voluntários do Grupo 1, que também apresentaram uma maior relação entre o número de estreptococos do grupo mutans (MSB) e o de estreptococos totais (MSA) quando comparada a do Grupo 2. A técnica de PCR mostrou-se efetiva e rápida para a identificação destes microrganismos. Os estreptococos do grupo mutans foram freqüentemente isolados de pacientes com história passada de cárie, particularmente naqueles cuja atividade da doença ainda estava presente.

Streptococcus mutans XE "Streptococcus mutans"  - Identificação XE "Identificação"  - PCR XE "PCR"

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIMICROBIANO DA PRÓPOLIS DE VÁRIAS REGIÕES BRASILEIRAS CONTRA PATÔGENOS BUCAIS

Ramiro Mendonça Murata (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Pedro Luiz Rosalen (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

Este estudo analisou in vitro as propriedades da própolis de 8 regiões brasileiras sobre o crescimento de estreptococos mutans. Extratos Etanólicos das Própolis-EEP [etanol 80% (v/v)] provenientes das regiões do Rio Grande do Sul-RS, Paraná-PR, São Paulo-SP, Minas Gerais-MG, Mato Grosso do Sul-MS, Bahia (caatinga)-BAca e Bahia (mata atlântica)-BAma foram utilizados nos testes de halo de inibição, concentração inibitória mínima-CIM e concentração bactericida mínima-CBM com os microrganismos do grupo mutans, sendo 4 de coleção (ATTC) e 3 isolados clínicos. A análise estatística foi realizada por Kruskal-Wallis. Dentre os resultados, o EEP-RS apresentou os maiores halos de inibição e menores CIM/CBM para todos microrganismos testados, sendo diferentes estatisticamente (p<0,05) dos demais. Os valores de halos de inibição variaram de 2,7-4,9 mm, a CIM foi entre 25-50 µg/mL para todos os microrganismos testados. As CBMs variaram de 25-200 µg/mL para os microrganismos provenientes da coleção e de 25-50 µg/mL para as cepas clínicas correspondentes. A própolis demonstrou potencial anticariogênico, o EEP-RS apresentou a melhor atividade antimicrobiana contra os estreptococos, tendo sido mais efetiva sobre microrganismos isolados clínicos.

Própolis XE "Própolis"  - Estreptococos XE "Estreptococos"  - Antimicrobiano XE "Antimicrobiano"

EFEITO ANTIMICROBIANO DA MIKANIA SOBRE ESTREPTOCOCOS MUTANS

Regiane Yatsuda (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Pedro Luiz Rosalen (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

O objetivo deste estudo foi analisar in vitro as propriedades de plantas do gênero Mikania (guaco) sobre o crescimento bacteriano e aderência celular de estreptococos do grupo mutans. Extratos etanólicos (etanol 80%, v/v) e frações hexânicas (dissolvidas em etanol 100%, v/v) de M. laevigata (EEMl e FHMl) e M. glomerata (EEMg e FHMl) foram utilizadas neste estudo. Os efeitos destes extratos sobre Streptococcus mutans (Ingbritt 1600 e isolado clínico) e S. sobrinus (6715 e isolado clínico) foram analisados através da determinação de concentração inibitória mínima (CIM), concentração bactericida mínima (CBM) e teste de aderência celular em superfície de vidro (Adh). As concentrações dos extratos variaram entre 12,5 e 800 µg/ml. Os controles negativos foram etanol 80% (v/v) e 100%. A CIM para o S. mutans Ingbritt 1600 foi 25 µg/ml (EEMl e EEMg) e 12,5 µg/ml (FHMl e FHMg), e CBM 50 µg/mL (EEMl , EEMg; e FHMl) e 12,5 µg/ml (FHMg). Para S. sobrinus 6715 a CIM foi de 12,5 µg/ml (EEMl, FHMl e FHMg) e 25 µg/ml EEMg, e CBM 50 µg/ml (EEMl, EEMg e FHMl) e 12,5 µg/ml (FHMg). Os valores da CIM/CBM dos isolados clínicos foram superiores aos das espécies correspondentes. A aderência celular de todos microrganismos testados foi inibida na concentração entre 100 e 50 µg/ml para EEMl e EEMg, e menor que 12,5 µg/ml para as FHMl e FHMg. Concluímos que os extratos da M. laevigata e M. glomerata inibiram o crescimento bacteriano e a aderência celular de S. mutans e S. sobrinus, sugerindo que ambas possuem potencial anticariogênico. FAPESP 99/12007-0.

Mikania  XE "Mikania" - Aderência XE "Aderência"  - Streptococcus XE "Streptococcus"

AVALIAÇÃO DO PREENCHIMENTO DE DEFEITOS INTRA-ÓSSEOS TRATADOS PELA TÉCNICA DE INSTRUMENTAÇÃO PERIODONTAL COM ACESSO CIRÚRGICO

Thaisângela Rodrigues Lopes e Silva (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Antônio Fernando Martorelli de Lima (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

Este estudo avaliou o resultado clínico e radiográfico do tratamento com instrumentação periodontal associada ou não ao acesso cirúrgico de defeitos intra-ósseos bilaterais - delineamento split mouth. Foram selecionados cinco pacientes com doença periodontal crônica avançada, apresentando defeitos intra-ósseos de duas ou três paredes ósseas localizados em caninos e pré-molares inferiores. No exame inicial e três meses após, foram obtidas imagens digitalizadas e apurados com sistema de sondagem computadorizado os parâmetros Nível Clínico de Inserção, Nível da Margem Gengival e Profundidade de Sondagem. As imagens digitalizadas foram interpretadas por subtração radiográfica. Os valores médios para todos os parâmetros foram testados pela análise de variância e teste t de Student. Os resultados clínicos mostraram diferença estatística significativa entre os exames inicial e final para os parâmetros biométricos nos sítios teste e controle. Houve diferença estatística significativa entre os sítios teste e controle para os parâmetros clínicos e radiográficos. Nossos resultados sugerem que a instrumentação periodontal acompanhada de acesso cirúrgico é mais efetiva para o tratamento de defeitos intra-ósseos.

Defeito intra-ósseo XE "Defeito intra-ósseo"  - Instrumentação periodontal XE "Instrumentação periodontal"  - Imagem radiográfica digital XE "Imagem radiográfica digital"

Instituto de Biologia

ASPECTOS DA ULTRA-ESTRUTURA DO CANAL SECRETOR E HISTOQUÍMICA DA SECREÇÃO DE Spondias dulcis (Forst.f.) (Anacardiaceae)

Ana Paula Stechhahn Lacchia (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sandra Maria Carmello-Guerreiro (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

O estudo de Spondias dulcis teve como objetivo, analisar o conteúdo da secreção dos canais resiníferos através de testes histoquímicos e investigar o modo de formação destes. Para os testes histoquímicos ápices caulinares foram fixados em: a) FAA 50, para detecção de carboidratos insolúveis, proteínas e polissacarídeos bem como para estudo histológico; b) formalina neutra tamponada, fixador para lipídio; c) solução de sulfato de ferro em formalina, para detecção de compostos fenólicos. O material para histoquímica foi desidratado em álcool butílico terciário e incluído em parafina. Deste material foram feitas secções transversais em micrótomo e as secções, então, tratadas com Vermelho de Rutênio e Sudan Black B. O canal se forma de modo esquizolisígeno e as células epiteliais apresentam paredes anticlinais separadas uma das outras, o que pode indicar uma possível liberação destas para o lume do canal, constituindo, possivelmente uma secreção holócrina. Os testes histoquímicos revelaram que a secreção presente no lume do canal contém lipídios e compostos fenólicos, não apresentando mucilagem apesar do conteúdo celular das células epiteliais apresentarem reação positiva ao Vermelho de Rutênio. Observou-se, também, um grande número de idioblastos de mucilagem e de compostos fenólicos dispersos no parênquima fundamental.

Anacardiaceae XE "Anacardiaceae"  - Canal secretor XE "Canal secretor"  - Histoquímica XE "Histoquímica"

REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO DE CONEXINA 43 (Cx43), A PROTEÍNA INTEGRANTE DAS JUNÇÕES COMUNICANTES, EM CULTURA DE ILHOTAS PANCREÁTICAS

Archimedes G. Furtado (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Carla B. Collares-Buzato (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Comunicação intercelular, mediada pelas junções comunicantes e suas conexinas, é crucial para o funcionamento do pâncreas endócrino. O objetivo deste estudo foi investigar o efeito do tempo de cultivo (1-8d), da concentração de soro (1-10%) e glicose (2.8, 5.6 e 10mM) no meio de cultura sobre a expressão da Cx43 em ilhotas pancreáticas de ratos recém-nascidos. Como observado por imunocitoquímica, o cultivo prolongado das ilhotas induziu um aumento da Cx43 na região do contato intercelular. Por Western Blot, as ilhotas cultivadas por 8d mostraram uma expressão de Cx43 duas e sete vezes maior que as cultivadas por 3d e 1d, respectivamente. As ilhotas cultivadas por 8d apresentaram uma secreção estimulada de insulina significativamente maior que as cultivadas por 3d e 1d. Por outro lado, não se verificou diferenças significativas na expressão de Cx43 em ilhotas cultivadas com diferentes concentrações de soro ou de glicose, embora um aumento na quantidade de soro e glicose no meio induziram um aumento da resposta secretória de insulina à glicose nas ilhotas cultivadas por 3d. Concluindo, a expressão de Cx43 em ilhotas pancreáticas parece ser regulada durante o tempo de cultivo, mas não é influenciada pela concentração de soro ou glicose no meio de cultura.

Junção comunicante XE "Junção comunicante"  - Conexina 43 XE "Conexina 43"  - Pâncreas endócrino XE "Pâncreas endócrino"

SEQUÊNCIA N-TERMINAL DO INIBIDOR DE TRIPSINA (LvTI) DAS SEMENTES DE Lagenaria vulgaris (CABAÇA)

Bruno Menezes de Oliveira e Marcelo Mattioli (Bolsistas PIBIC/CNPq), Profs. Drs. José Antônio Silva, José Camillo Novello e Sérgio Marangoni (Orientadores), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Sementes de Cucurbitaceae são importantes fontes de proteínas, incluindo inibidores de proteases serínicas como os inibidores de tripsina. Esses inibidores são classificados de acordo com a homologia em sua estrutura primária, localização de pontes dissulfeto e sítio reativo. A relação destes inibidores com processos endógenos e exógenos em plantas conduzem um grande número de estudos de isolamento e caracterização de inibidores de serino proteases. A composição de aminoácidos e a seqüência N-Terminal do inibidor de tripsina de Lagenaria vulgaris foram analisados neste trabalho com o objetivo de se verificar a homologia de LvTI com outros inibidores e, dessa forma indicar possíveis aplicações para esta proteína. O inibidor de tripsina (LvTI) foi purificado por extração em tampão fosfato 0,1M pH 7,6, seguido de cromatografia em Protein-Pack SW-300 e coluna C18 em sistema HPLC. Apesar da composição global de aminoácidos ter apresentado grande similaridade com inibidores da família squash, a sequência N-Terminal (NCEAFAY) não mostrou homologia com nenhum outro inibidor, sugerindo que LvTI possa compor uma nova subclasse de inibidores na família Cucurcubitaceae.

Cucurcubitaceae -  XE "Cucurcubitaceae" SeqüênciaN-Terminal -  XE "SeqüênciaN-Terminal" Inibidor de Tripsina XE "Inibidor de Tripsina"

RELAÇÃO ESTRUTURA-FUNÇÃO DE FLAVONÓIDES NA ATIVIDADE DA FOSPROTEÍNA TIROSINA FOSFATASE

Camila de Andrade Camargo (Bolsista CNPq), Márcio André Miranda e Prof. Dr. Hiroshi Aoyama (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Importantes enzimas de muitos sistemas celulares são afetadas pela ação de flavonóides. Entretanto, não há referências sobre o efeito de flavonóides sobre a fosfoproteína tirosina fosfatase. Este trabalho visa estudar o relacionamento entre estruturas de flavonóides e seus efeitos sobre a fosfoproteína tirosina fosfatase de baixa massa molecular de rim bovino (LMrPTP).

A Atividade enzimática foi determinada em pH 5,0 com p-nitrofenilfosfato como substrato, à 37(C, por 20 minutos, o fosfato inorgânico foi medido como produto da catálise enzimática. Os valores de IC50, 400 e 1000 (mol.L-1 foram determinados para murina e floretin, respectivamente. Murina demostrou ser um inibidor competitivo e floretin apresentou uma inibição do tipo mista, sendo as constantes de inibição iguais a 58 e 10 (mol.L-1, respectivamente. Nas mesmas condições, outros flavonóides, como catechin, narigin e taxofolin não apresentaram efeito sobre a atividade da LMrPTP. Estes resultados sugerem a importância das posições dos grupos -OH na estrutura dos flavonóides. Grupos hidroxilas nas posições C2' e C4' (para murina); C1 e C4' (para floretin); duplas ligações entre C2 e C3, e um grupo cetona na posição C4 são de grande importância nos efeitos inibitórios dos flavonóides na atividade da LMrPTP de rim bovino.

Flavonóide  XE "Flavonóide" - Inibição  XE "Inibição" - Fosfatase XE "Fosfatase"

MAPA 2D DE REFERÊNCIA DAS PROTEÍNAS BÁSICAS DA Xylella fastidiosa

Carlos Eduardo Santoro Pedroso Filho (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. José Camillo Novello (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Proteoma é o conjunto das proteínas expressas por um organismo, ou tecido. Na era pós genomica, o estudo de proteomas possibilita a identificação de proteínas envolvidas em processos específicos, para assim estabelecer alvos moleculares importantes. Para este estudo é usada a técnica de eletroforese 2D. Esta técnica permite que se separe proteínas de duas formas distintas: pelo seu pI (ponto isoelétrico) em uma fita de gradiente de pH, em seguida pelo seu tamanho, em um gel de poliacrilamida. Depois de corado este gel apresenta vários pontos, que representam cada um, teoricamente uma proteína. As proteínas básicas são importantes no estudo do Proteoma, mas para a construção do mapa 2D dessas proteínas, é necessário uma série de otimizações metodológicas. Desta forma, este trabalho visa a construção de um mapa 2D de referência de proteínas básicas da bactéria Xylella fastidiosa, causadora da CVC (doença que causa sérios prejuízos para a citricultura). Foram desenvolvidos mapas com diferentes protocolos visando a melhor resolução possível para as proteínas básicas, onde como resultado final apresenta-se no melhor mapa entre os protocolos testados 245 novos ?spots? detectados que ampliam a gama de proteínas expressas pela bactéria representadas em mapas 2D, além de propiciar o estudo de possíveis alvos moleculares importantes no processo patogenico da bactéria.

Proteoma XE "Proteoma"  - Proteínas Básicas XE "Proteínas Básicas"  - Xylella fastidiosa XE "Xylella fastidiosa"

EXPRESSÃO DE HEMAGLUTININA (HA) EM AMOSTRAS DE Enterobacter cloacae ISOLADAS DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Carolina Yaeko Namasu (Bolsista FAPESP), Silvia Simi (Doutoranda FAPESP) e Prof. Dr. Tomomasa Yano (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Nos últimos anos, a bactéria E. cloacae tem se destacado como importante agente de infecção hospitalar.No entanto, existem poucos relatos sobre os fatores de virulência desta bactéria.A adesão bacteriana à superfície das mucosas é o primeiro passo da patogenia.Muitas adesinas apresentam a propriedade de aglutinar hemácias. Neste trabalho, estudamos a atividade hemaglutinante de amostras de E. cloacae isoladas de infecção hospitalar. Diferentes meios de cultura foram testados, e a HA se expressou melhor em caldo BHI pH 7,4 a 37°C em aerobiose, sob agitação. Foi observado que a presença de íons Ca+²,Mg+², Mn+² e Fe+³ no meio de cultura não influenciou na expressão da HA. Dentre as hemácias de diferentes origens animais testadas, as de cavalo e cobaia foram as que tiveram maior especificidade para a hemaglutinação. A hemaglutinação foi resistente à D-manose e a presença de dipiridyl reduziu a atividade hemaglutinante das amostras.Não houve variação significativa na expressão da HA no cultivo em diferentes temperaturas( 16°, 37° e 42°C). Quando as amostras foram aquecidas a 37°, 45° e 56°C não houve inibição da hemaglutinação. Entretanto, o tratamento térmico a 100°C inibiu completamente a HA.

Hemaglutinina XE "Hemaglutinina"  - Enterobacter XE "Enterobacter"  - Fatores de virulência XE "Fatores de virulência"

DETERMINAÇÃO DA PREVALÊNCIA DA FÍMBRIA F5 (K99) E SUA ASSOCIAÇÃO COM OUTROS FATORES DE VIRULÊNCIA EM AMOSTRAS DE Escherichia coli ISOLADAS DE BEZERROS COM DIARRÉIA

Caroline Arantes Magalhães (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Domingos da Silva Leite (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A diarréia causada por Escherichia coli enterotoxigênica (ETEC), é uma doença proveniente da infecção bacteriana mediada por fatores de colonização e produção de enterotoxinas. O fator de colonização mais comumente encontrado em ETEC de origem bovina é fímbria K99 (F5), que pode estar associada às fímbrias F41, F17 e às enterotoxinas STa e LTII. O objetivo deste trabalho foi determinar a prevalência da fímbria F5 bem como sua associação com outros fatores de virulência já descritos em 246 amostras isoladas de fezes diarréicas de bovinos por meio de ensaios moleculares. Nas linhagens F5+ foram pesquisadas a presença de F41, F17, STa, LTII e STxI e STxII em PCR. Encontramos uma incidência de 3,25% de linhagens positivas. A relação de associação entre K99 e STa é de 87%, porcentagem que concorda com dados obtidos segundo a literatura que aponta para uma ocorrência simultânea de F5 e STa entre 77% e 99%. A associação de K99 com F41 não foi observada discordando com dados obtidos por outros autores. Da mesma maneira não foram verificadas associações entre K99 e os demais fatores pesquisados.

Colibacilose XE "Colibacilose"  - Bovino XE "Bovino"  - K99 XE "K99"

FERRAMENTA PARA RESTRIÇÃO DO BANCO DE DADOS PARA IDENTIFICAÇÃO DE PROTEÍNAS, BASEADO NO pI E MW PREVISTOS DE SEQUÊNCIAS GENÔMICAS

Daniel Martins de Souza (Bolsista FAPESP), Marcus Bustamante Smolka, Flavia Vischi Winck, Carlos Eduardo Santoro Pedroso Filho, Prof. Dr. Sérgio Marangoni e Prof. Dr. José Camillo Novello (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A análise do proteoma de um organismo visa revelar quais genes estão sendo expressos em proteínas e como esta expressão muda em diferentes condições. Utiliza-se a técnica de eletroforese 2D para separação das proteínas, que gera dados como ponto isoelétrico (pI) e peso molecular (MW). A identificação é feita por sequenciamento N-terminal (N-term) ou espectrometria de massa (MS). Para organismos com genoma completamente sequenciado, alguns dados da proteína podem identificá-la. Porém alguns genes não podem ser identificados somente com os dados obtidos por N-term ou MS (dados ambíguos). Um procedimento de restrição do banco de dados baseado no calculo teórico de pI e MW foi testado no proteoma da Xylella fastidiosa para identificação exata da proteína. Primeiramente, o pI/MW teórico de todos os genes da Xylella foram calculados. Foi então construído um mapa 2D teórico, (um gráfico Cartesiano de pontos onde o pI está no eixo X e MW no eixo Y) que representaria a migração teórica de cada gene, que foi sobreposto ao mapa obtido experimentalmente, demarcando uma região que seleciona candidatos ao gene de interesse. Com este procedimento foi possível a identificação do gene GROEL.

Proteoma XE "Proteoma"  - Xylella fastidiosa XE " Xylella fastidiosa "  - Banco de Dados XE " Banco de Dados "

DETECÇÃO DE ANTICORPOS IgM E IgG PARA ANTÍGENOS DA DENGUE ATRAVÉS DA TÉCNICA DE INIBIÇÃO DA HEMAGLUTINAÇÃO EM SOROS DE MACACOS DE ÁREAS URBANAS

Danilo da Fontoura Ponchet (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo M. F. Araújo (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A situação epidemiológica da dengue é alarmante. Assim, deve existir um somatório de ações que permeiam todas as faces do problema, principalmente o controle de reservatórios para que não ocorra uma epidemia de Dengue Hemorrágica no país, de conseqüências imprevisíveis. Deste modo, o objetivo principal deste projeto é verificar se os macacos criados em cativeiro ou soltos em criadouros de áreas urbanas apresentam anticorpos reativos com os antígenos virais associados à dengue. Nesta abordagem, pretende-se realizar a pesquisa de anticorpos das classes IgM e IgG, empregando-se o método de inibição da hemaglutinação. Como se trata do recurso mais convencionalmente empregado para o diagnóstico humano da Dengue, este método será adaptado para o trabalho com imunoglobulinas de macacos. A detecção de diferentes títulos de anticorpos das classes IgM e IgG poderá sinalizar para a ocorrência de infecções nestes animais, sem manifestações clínicas da doença, caracterizando-os como reservatórios naturais do vírus da dengue. Isto ampliará as medidas de controle da transmissão do vírus ditadas pelos órgãos competentes, garantindo uma maior eficácia na prevenção da doença. No entanto, até o presente momento, resultados e conclusões sobre o tema em discussão permanecem indeterminados, em virtude da indisponibilidade de antígenos virais necessários para tanto.

Dengue XE "Dengue"  - Macacos XE "Macacos"  - Hemaglutinação XE "Hemaglutinação"

NECTÁRIOS DO CIÁTIO DE Euphorbia milii Desmoul. (EUPHORBIACEAE)

Diego Demarco (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Marília de Moraes Castro (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Os nectários extraflorais do ciátio de Euphorbia milii Desmoul. (=E. splendens Boj. ex Hook.) foram pesquisados, visando a sua caracterização estrutural, a determinação do estádio de desenvolvimento em que as células nectaríferas estão liberando o néctar e a observação dos visitantes que coletam o material secretado disponível no ciátio. Ramos portando ciátios em vários estádios de desenvolvimento foram fixados em FAA (24 horas) e em formalina neutra tamponada (48 horas), incluídos em Paraplast e cortados em série (8 µm de espessura); parte destes cortes foi corada com safranina e azul de astra, e parte corada com vermelho de rutênio. As observações de campo foram realizadas em Porto Feliz e na UNICAMP; os insetos foram coletados com puçá e preservados em éter sulfúrico. O nectário é composto por tecido secretor e vascular; o tecido secretor é formado pela epiderme em paliçada nectarífera e pelo parênquima nectarífero. Estas células se distinguem das demais por apresentarem paredes finas e citoplasma denso, devido à produção de néctar, com núcleo central ou basal muito corado e nucléolo evidente. O tecido vascular é composto por elementos de condução xilemáticos e floemáticos, com predominância do floema. Na fase secretora (ciátio com 3,0mm de largura x 4,0 de comprimento), a parede periclinal externa das células epidérmicas encontra-se distendida e o citoplasma retraído, formando um espaço onde o néctar fica armazenado para posterior eliminação. Os laticíferos estão presentes em todo o nectário e se estendem até a epiderme. Quanto aos visitantes, espécies de abelha, vespa e percevejo coletavam o néctar preferencialmente pelas regiões laterais dos nectários.

Nectário XE "Nectário"  - Anatomia XE "Anatomia"  - Visitantes XE "Visitantes"

PURIFICAÇÃO DOS ANTICORPOS MONOCLONAIS QUE RECONHECEM PROTEÍNA DO CAPSÍDEO VIRAL DO VÍRUS DA TRISTEZA DO CITROS DO COMPLEXO CAPÃO BONITO

Eduardo Machado de Azevedo (Bolsista CNPq/RHAE) e Profa. Dra. Dagmar Ruth Stach-Machado (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Dentre os isolados do vírus da tristeza do citros (CTV) presentes em nosso país, o conjunto denominado ?Complexo Capão Bonito? é considerado o mais severo em função dos danos econômicos acentuados que provoca na combinação laranja Pêra enxertada sobre limão Cravo. Embora anticorpos monoclonais e policlonais tenham sido produzidos no exterior, estes são incapazes de diferenciar os isolados brasileiros, uma vez que o CTV apresenta alta variabilidade genética refletida na ocorrência de complexos de difícil caracterização. Duas proteínas do capsídeo viral, denominadas CB-22 e CB-104 isoladas do vírus CTV presente em Pêra 135/Cravo 507 que apresenta o complexo severo do vírus da tristeza, foram clonadas por Targon et al.,(1997) e utilizadas na produção de anticorpos monoclonais. A utilização destas proteínas clonadas, na imunização, permitiu a obtenção de três grupos distintos de anticorpos monoclonais. O primeiro grupo denominado IC-04 apresenta especificidade para a proteína CB-22, o segundo grupo denominado 39 apresenta especificidade para a proteína CB-104 e um terceiro grupo denominado 30 e 37 reconhecem as duas proteínas. O objetivo deste trabalho é a purificação destes anticorpos monoclonais, uma vez que a caracterização imunoquímica destes anticorpos purificados possibilitará o estabelecimento de um imunodiagnóstico eficiente capaz de diferenciar estirpes brasileiras fracas e severas.

CTV XE "CTV"  - Purificação XE "Purificação"  - Anticorpo monoclonal XE "Anticorpo monoclonal"

EFEITO DE FLAVONÓIDES NA OXIDAÇÃO DA HEMOGLOBINA, PEROXIDAÇÃO LIPÍDICA E FORMAÇÃO DE CORPOS DE HEINZ EM ERITRÓCITOS HUMANOS INDUZIDOS POR t-BOOH.

Eduardo Tomizawa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Satie Hatsushika Ogo (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

As espécies reativas de oxigênio (EROS) são constantemente formadas nos eritrócitos e são responsáveis pelos danos oxidativos, que coletivamente são denominados estresse oxidativo. Dentre estes danos, podemos citar a oxidação da hemoglobina, formação de corpos de Heinz e hemólise. Evidências do envolvimento de oxidantes em doenças (câncer, arteriosclerose e outras) aumentam a possibilidade de utilização de antioxidantes em terapias contra essas doenças. Os flavonóides são compostos fenólicos que apresentam atividades antioxidantes, antiinflamatórias, anticarcinogênicas e antialérgicas. O objetivo deste estudo é verificar a proteção pelos 3 flavonóides quercetina, rutina e morin contra os danos oxidativos da hemoglobina e dos lipídios da membrana (pelo método espectrofotométrico) e formação de corpos de Heinz (microscopia) causados pelo t-BOOH. A quercetina protegeu contra a oxidação da Hb e formação de corpos de Heinz enquanto que o morin e a rutina tiveram efeito pró-oxidante. Entretanto, os três flavonóides mostraram efeito antioxidante contra a peroxidação lipídica da membrana eritocitária induzida pelo t-BOOH. A quercetina, por possuir as três características estruturais necessárias para a ação antioxidante, teve ação protetora evidente. A rutina e o morin, que não apresentam todas estas características estruturais, mostraram menor ação antioxidante ou ação pró-oxidante.

Corpos de HeinzXE "Corpos de Heinz" - FlavonóidesXE "Flavonóides" - EritrócitosXE "Eritrócitos"

PURIFICAÇÃO, PROPRIEDADES INIBITÓRIAS E SEQUÊNCIA NH2 TERMINAL DE UM NOVO INIBIDOR DE TRIPSINA DE SEMENTES DE Koelreuteria paniculata

Fábio Henrique R. Fagundes (Bolsista SAE/UNICAMP), Profa. Dra. Maria Lígia R. Macedo (Co-orientadora) e Prof. Dr. Sérgio Marangoni (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

As proteinases estão envolvidas em muitos processos fisiológicos (ex. digestão, coagulação sanguínea, agregação plaquetária) onde o controle pode ser feito pela ação de inibidores de proteases. Dentre aqueles encontrados em plantas, são os pertencentes às famílias de Kunitz e Bowman-Birk os mais estudados. Este trabalho descreve a purificação, caracterização e determinação da estrutura primária parcial de um novo inibidor de tripsina presente em sementes de K. paniculata (família Sapindaceae). O extrato bruto foi obtido da farinha de sementes com tampão fosfato 0,1M, pH 7,6 (1:10, w/v) por 1 h, 25°C e subseqüente centrifugação. O inibidor de tripsina (KPTI) foi purificado por cromatografias (Sephadex G-100, Sepharose-Tripsina e Fase Reversa HPLC/( Bondapak-C18). A eletroforese em PAGE-SDS de KPTI mostrou uma cadeia polipeptídica homogênea de 16 kDa; e após redução com DTT, duas cadeias polipeptídicas de 10 e 6 kDa. Estudos estequiométricos mostram que KPTI inibiu a tripsina (Ki 34.5 ( 10-8M) na razão molar de 2:1, sendo a massa molecular do complexo de 65 kDa (gel filtração-Superdex G75-FPLC). KPTI não apresentou atividade inibitória contra quimotripsina, papaína, (-amilase, plasmina, elastase pancreática porcina, calicreína plasmática porcina e humana. A seqüência NH2?terminal (40 aminoácidos) mostrou homologia com outros inibidores da família Bowman-Birk.

K. paniculata  XE "K. paniculata"  - Inibidor de Tripsina  XE "Inibidor de Tripsina"  - Bowman-Birk XE "Bowman-Birk"

PESQUISA PELA TÉCNICA DE ELISA DE ANTICORPOS IgM E IgG REATIVOS COM ANTÍGENOS DA DENGUE EM SANGUE DE SÍMIOS DE ÁREAS URBANAS

Fernanda Braga Benatti (Bolsista PIBIC/CNPq)) e Prof. Dr. Paulo Maria Ferreira de Araújo (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A dengue é uma doença febril aguda, de curta duração, gravidade variável, de etiologia viral e transmitidas por mosquitos infectados. A fonte de infecção e reservatório vertebrado é o homem, mas já foram isolados o vírus da dengue em macacos naturalmente infectados na Ásia e África. Na América, a presença de macacos como reservatórios ainda não foi constatada. Deste modo, o objetivo principal desse projeto é verificar se os macacos de área urbana apresentam níveis de anticorpos especificamente reativos com os antígenos virais da dengue através do método de ELISA. Foram coletadas 137 amostras até o mês de janeiro nas cidades de Campinas e região, a metodologia que seria usada é a técnica de ELISA idêntica à utilizada para a pesquisa do vírus da hepatite em murinos, mas a padronização do método ainda não foi realizada pois as preparações solúveis dos antígenos virais da dengue necessárias para tanto ainda não estão disponíveis. Estamos aguardando a resposta das instituições contatadas para concluirmos o projeto.

Símios XE "Símios"  - ELISA XE "ELISA"  - Dengue XE "Dengue"

ANÁLISE DO PROTEOMA DA Xylella fastidiosa UTILIZANDO MAPAS 2D DE FAIXAS ESTREITAS DE pH

Winck, F.V.(Bolsista FAPESP); Smolka, M.B.; Santoro, C.E.; Martins, D.; Marangoni, S.; Novello, J.C. (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Proteoma é a análise global das proteínas expressas por um organismo ou tecido. O projeto Proteoma busca a identificação do maior número de proteínas possível através da tecnologia de Eletroforese Bidimensional (2D), onde as proteínas são separadas de acordo com seu ponto isoelétrico (pI) e de acordo com seu peso molecular (Mw), gerando um perfil de pontos. No mapa 2D de referência com gradiente de pH de 3 a 10, foram detectadas 816 proteínas ou ?spots? (disponível no site  HYPERLINK "http://www.proteome.ibi.unicamp.br" www.proteome.ibi.unicamp.br). Devido às limitações decorrentes da escala de separação por pI e máxima quantidade de proteína possível de ser aplicada no gel pH 3 a 10, foram feitos géis de faixas estreitas de gradiente de pH 4.5 a 5.5, 5.5 a 6.7 e 4 a 7. A otimização dos géis foi feita testando-se diferentes concentrações de anfólitos no tampão de amostra, aumento da quantidade de proteína aplicada e tempo/voltagem da corrida de isoeletrofocalização. Os resultados mostraram um aumento do número de proteínas não visualizadas anteriormente na mesma região de pH do mapa de referência e possibilidade de aplicação de maior quantidade de proteína (~1mg), o que é muito útil para realização de sequenciamento N-terminal.

Proteoma XE "Proteoma"  - Eletroforese Bidimensional (2D) - XE "Eletroforese Bidimensional (2D),"  Xylella fastidiosa XE "Xylella fastidiosa"

EFEITO DE ALTA PRESSÃO E URÉIA EM HEMOGLOBINA EXTRACELULAR DE ANELÍDEO

Giovani Ap. Mendes de Godoi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Francisco Bonafé (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Alta pressão hidrostática promove dissociação da hemoglobina extracelular de Glossoscolex paulistus (eritrocruorina) como mostrado pelo grande decréscimo no espalhamento de luz, pelo aumento na fluorescência intrínseca e desvio para o vermelho do espectro de emissão de fluorescência. Este processo não induz desnaturação, pois a hemoglobina é capaz de carrear oxigênio após incubação sob pressão. As curvas de dissociação indicam não haver significativa dependência da concentração de proteína, sugerindo presença de heterogeneidade de energia livre de associação. Esta propriedade é observada em partículas virais, e uréia reverte tal comportamento, o que foi explicado através de um efeito homogeneizador. No presente estudo verificou-se que uréia na concentração de 1,0M até 4,0M induz maior dissociação da hemoglobina, como observado através de espalhamento de luz e fluorescência. Ocorre ainda uma facilitação da dissociação da hemoglobina induzida por pressão quando em concentrações subdesnaturantes. Este sistema deve ser muito interessante para investigação da dependência da concentração de hemoglobina na dissociação induzida por pressão na presença de uréia.

Alta pressão XE "Alta pressão"  - Uréia XE "Uréia"  - Eritrocruorina XE "Eritrocruorina"

A FUNÇÃO ECOLÓGICA DOS FRUTOS DE Urera baccifera (Urticaceae): INTERAÇÕES ENTRE Smyrna blomfildia (Lep., Nymphalidae) E FORMIGAS

Humberto de Paula Dutra (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Paulo Sérgio Moreira C. de Oliveira (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

O presente estudo examina um sistema composto pela planta Urera baccifera (Urticaceae), formigas e a borboleta Smyrna blomfildia (Nymphalidae) em uma floresta semidecídua no sudeste do Brasil (Campinas - SP). Formigas visitam os frutos de U. baccifera, compreendendo 15 espécies distribuídas em 4 subfamílias. As formigas estiveram presentes na planta durante todo o ano (x = 4.81 DP=5.69), exceto durante o período de senescência da planta. Todas as estruturas reprodutivas e vegetativas da planta são visitadas por formigas. Lagartas de S. blomfildia foram observadas durante o período chuvoso, após o período de senescência da planta. Foi observada uma alta correlação entre o número de folhas maduras e o número de lagartas (r = 0,739; p < 0,001), e uma pequena correlação entre o número de folhas senescentes e o número de lagartas (r = 0,654; p < 0,005). Para demonstrar que os frutos efetivamente atraem formigas à planta, foram montados pares experimentais em Piper amalago (Piperaceae), uma panta que não possui atrativos para formigas. As plantas tratamento receberam frutos de U. baccifera trespassados por uma linha e as plantas controle receberam folhas de U. baccifera também trespassadas por uma linha. Formigas foram mais frequentes nas plantas tratamento (anova de medidas repetidas F4,29 =3.95; P<0.039). O presente trabalho é o primeiro a demonstrar que os frutos ainda ligados a planta são um atrativo efetivo de formigas. Possivelmente esta interação entre formigas e U. baccifera deve ser mutualística, pois as formigas obtém benefícios alimentares com a remoção de frutos e podem ser responsáveis pela proteção da planta contra herbívoros. Além disso, as formigas possivelmente colaboram para um aumento da germinação de sementes, uma vez que estas consomem apenas a polpa dos frutos.

Planta XE "Planta"  - Formiga XE "Formiga"  - Borboleta XE "Borboleta"

FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA COMPARAÇÃO VISUAL DE PROTEOMA

Itaraju Junior Baracuhy Brum (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Eduardo Galembeck (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Desenvolvimento de uma ferramenta, para Internet, que possibilite a comparação direta de géis de referência experimentais com seqüências de ORFs (Open Reading Frames). A partir do cálculo de pI (ponto isoelétrico) e MW (peso molecular) das seqüências de aminoácidos que compõem ORFs, é plotada uma imagem gráfica, um gel 2D teórico, sobre uma imagem de gel de referência usando-se a escala deste gel para possibilitar a comparação entre dados experimentais e teóricos. Em comparações entre mapas teórico e experimental de Escherichia coli (pH de 4 a 8), Escherichia coli (pH de 6 a 11), Saccharomyces cerevisiae e tecido de fígado de rato, pôde-se verificar a ocorrência de discrepâncias justificáveis com uma distância relativa (dr) média de 15% nos spots, sendo que 58% deles mostram uma dr menor que 10% e 87% deles menor que 25%. O mapa 2D teórico de modo a facilita a comparação com o gel experimental, devido ao recurso de ajuste de escala. As diferenças entre géis experimentais e teóricos, podem ser explicadas pelo fato de que a posição de spots nos géis de referência sofre influencia de fatores independentes do genoma, como modificações pós-transcricionais, fragmentação e estrutura terciária de proteínas. A ferramenta em uso combinado com outros dados experimentais, como o seqüênciamento N-terminal contribui significativamente para a identificação de proteínas.

Bioinformática XE "Bioinformática"  - Proteoma XE "Proteoma"  - Eletroforese Bidimensional XE "Eletroforese Bidimensional"

ESTUDO DA EXPRESSÃO DAS MOLÉCULAS CO-ESTIMULATÓRIAS DOS LEUCÓCITOS DAS PLACAS DE PEYER, ANTES E APÓS A INDUÇÃO DE TOLERÂNCIA ORAL À PROTEÍNA BÁSICA DE MIELINA

Juliana Contin Moraes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Leonilda M. B. Santos (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A Encefalomielite Experimental Autoimune (EAE) é um modelo de doença autoimune usada para o estudo da Esclerose Múltipla, a qual pode ser induzida em camundongos pela inoculação de antígenos do SNC, tais como a mielina. Em trabalhos com o modelo da EAE foi demonstrado que a administração oral da Proteína Básica de Mielina (MBP) induzia tolerância nos animais, suprimindo de forma efetiva o desenvolvimento da doença, onde o tolerógeno ativa as células T supressoras de forma antígeno-específica. A supressão observada é resultado da liberação de citocinas como o Transforming Growth Factor (TGF?). Outro aspecto importante é a expressão das moléculas co-estimulatórias, as quais traduzem um segundo sinal estimulatório para os linfócitos T (além da interação CD3/TCR-peptídeo-MHC). Sem essa co-estimulação, as células T maduras ficam inativadas. È sugerido então que sem a co-estimulação as células T são tolerizadas aos antígenos próprios; se houver co-estimulação, ocorre autoimunidade. Verificando a expressão de tais moléculas (CD80, CD86,CD28, CTLA4), antes e após a indução de tolerância oral a MBP, pode-se esclarecer os eventos que ocorrem na mucosa intestinal, que podem levar tanto à tolerância, quanto à imunização.

Moléculas co-estimulatórias XE "Moléculas co-estimulatórias"  - Autoimunidade -  XE "Autoimunidade-" Tolerância XE "Tolerância"

CARACTERIZAÇÃO DO CITOCROMO P450 EM Prochilodus scrofa

Juliana Minardi Nascimento (Bolsista SAE/UNICAMP), Maria Eleonora F. da Silva (Co-orientadora) e Profa. Dra. Nilce Correa Meirelles (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

O sistema microssomal hepático citocromo P450 possui um importante papel na biotransformação de compostos endógenos e xenobióticos. Este sistema é formado pelo citocromo b5 e P450 e monooxigenases associadas. O objetivo deste trabalho é caracterizar o comportamento deste sistema em P. scrofa (Curimbatá) e compará-lo a mamíferos, usando como modelo camundongos Swiss. A caracterização espectrofotométrica dos citocromos b5 e P450 foi feita pelo método de Omura e Sato (1964), a análise do perfil de massa molecular do citocromo P450 dos peixes foi feita segundo Laemmli (1970). As atividades das enzimas NADPH citocromo P450-redutase (NCR), Glutationa-S-transferase (GST) e Etoxyresorufin-O-deetilase (EROD) dosadas segundo Vrolijk et al. (1994). Os resultados mostraram que o citocromo b5 apresenta um pico de 430nm em peixes, e em camundongos de 424nm. No citocromo P450 há a presença de um pico em 420nm, concomitante ao pico normal em 450nm, apenas em peixes. As atividades de NCR e GST apresentaram-se mais altas em peixes que em camundongos. A atividade de EROD detectou a presença da isoforma P4501A em ambos os organismos. Nossos estudos demonstraram que o sistema P450 atua de modo diferente em mamíferos e peixes, provavelmente devido ao habitat e alimentação de cada organismo.

Citocromo P450 XE "Citocromo P450"  - Curimbatá XE "Curimbatá"  - Biotransformação XE "Biotransformação"

ABELHAS E O USO DE RECURSOS DE PLANTAS ORNAMENTAIS NA UNICAMP

Kayna Agostini (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Marlies Sazima (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Abelhas são consideradas polinizadores muito eficientes, pois são insetos ativos e versáteis, necessitando alta quantidade de alimento que é retirado das flores. O comportamento de visita das abelhas às flores foi observado de maio de 2000 a abril de 2001 em 42 espécies de plantas no campus da Unicamp. Foram registradas 17 espécies de abelhas que podiam realizar visitas legítimas e/ou ilegítimas às flores. Apis mellifera, Trigona spinipes e Tetragonisca angustula, abelhas consideradas generalistas e Xylocopa frontalis e Bombus morio, consideradas especialistas, foram as cinco espécies de abelhas que visitaram as flores de maior quantidade de espécies de plantas. T. spinipes visitou 36 espécies de plantas, A. mellifera 35, X. frontalis 25, T. angustula 22 e B. morio 15. Os recursos utilizados pelas abelhas foram, principalmente, néctar (23,8%) e pólen (21,5%), sendo que em 54,7% das espécies de plantas estas substâncias foram utilizadas simultaneamente. Portanto, plantas ornamentais podem ser importantes para suprir as necessidades das abelhas que vivem em ambiente urbano e em matas adjacentes. Assim, a manutenção e a diversidade de plantas ornamentais em ambiente urbano devem ser incentivadas para favorecer a subsistência de abelhas, uma vez que várias destas espécies de abelhas são importantes polinizadoras de espécies de plantas nativas.

Plantas OIrnamentaisXE "Plantas OIrnamentais" - AbelhasXE "Abelhas" -RecursosXE "Recursos"

EFEITO DO CRIPTORQUIDISMO EXPERIMENTAL SOBRE A EXPRESSÃO DO ANTÍGENO RECONHECIDO PELO ANTICORPO MONOCLONAL TRA 54 NAS CÉLULAS EPITELIAIS DO EPIDÍDIMO

Kélen Fabíola Arroteia (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Luís Antônio Violin Dias Pereira (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

O epidídimo é um órgão que participa ativamente do processo de maturação bioquímica dos espermatozóides. Para se entender a função do epidídimo na diferenciação dos espermatozóides, têm sido isolados muitos antígenos das células epiteliais deste órgão. O anticorpo monoclonal (Amc) TRA 54 reconhece um antígeno das células da cabeça do epidídimo, bem como de espermatozóides de sua luz e de espermatócitos e espermátides dos túbulos seminíferos de camundongos C57 BL/6. O objetivo deste estudo foi verificar uma possível relação de dependência entre a expressão deste antígeno em células epididimárias e testiculares. Para isso, testículos e epidídimos de animais criptorquídicos foram submetidos à reação de imunoistoquímica indireta com o Amc TRA 54. Os resultados indicaram que o padrão de expressão do antígeno no epidídimo foi mantido, embora tenham sido observadas alterações mínimas na morfologia do órgão dada a condição criptorquídica. Os dados sugerem que a expressão do antígeno no epidídimo e no testículo sejam fenômenos independentes, podendo ainda ser o fator hormonal (testosterona) importante para a expressão deste antígeno no epidídimo.

Criptorquidismo XE "Criptorquidismo"  - Epidídimo XE "Epidídimo"  - Imunoistoquímica XE "Imunoistoquímica"

GUIA DE CAMPO PARA IDENTIFICAÇÃO DE PLANTAS AQUÁTICAS E PALUSTRES DO ESTADO DE SÃO PAULO: FAMÍLIAS LENTIBULARIACEAE E SCROPHULARIACEAE

Liana Oighenstein Anderson (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria do Carmo E. Amaral (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Como parte do projeto ?Guia de Campo para Identificação de Plantas Aquáticas e Palustres do Estado de São Paulo?, foi feito o levantamento e o registro fotográfico das espécies de Lentibulariaceae e Scrophulariaceae. Foram realizadas coletas de plantas que foram herborizadas e cultivadas. As Lentibulariáceas são ervas aquáticas ou palustres, com partes muito modificadas para captura de pequenos organismos. O tamanho do pedúnculo floral é bastante variável, assim como o tamanho das flores, que são bilabiadas e geralmente amarelas. No Estado ocorrem cerca de 24 espécies incluídas em dois gêneros: Utricularia (16 espécies encontradas), com cálice 2-lobado, e Genlisea (2 espécies encontradas), com cálice 5-lobado. As espécies não encontradas são consideradas raras e em risco de extinção. As Scrophulariáceas de hábito aquático ou palustre encontradas estão incluídas em 12 gêneros. Estudos indicam que a família é bastante artificial, com caracteres florais muito variáveis. Caracterizam-se por serem na sua maioria ervas ou arbustos e até trepadeiras, e apresentam a corola gamopétala, muitas vezes bilabiada,ovário súpero, bilocular. O tamanho das flores é bastante variável, e a coloração inclui do rosa pálido ao laranja extremo. O gênero mais expressivo é Bacopa, com 7 espécies coletadas.

Guia de campo -  XE "Guia de campo" Plantas aquáticas XE "Plantas aquáticas"  - Scrophulariaceae e Lentibulariaceae XE "Scrophulariaceae e Lentibulariaceae"

AVALIAÇÃO DE COMPLEXOS DO VÍRUS DA TRISTEZA DOS CITROS POR ANTICORPOS MONOCLONAIS

Luís Antonio Peroni (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Dagmar Ruth Stach Machado (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

O vírus da Tristeza dos citros (CTV) é o agente causal de uma das viroses de maior importância na citricultura mundial, constituído por uma mistura complexa de estirpes. Dentre os isolados de CTV presentes em nosso país, o conjunto denominado ?Complexo Capão Bonito? é considerado o mais severo em função dos danos econômicos acentuados que provoca. O controle da doença depende de um diagnóstico rápido, seguro e específico que permita diferenciar as estirpes do vírus. Este trabalho tem como objetivo a padronização de um imunodiagnóstico, capaz de identificar estirpes envolvidas no complexo Capão Bonito, através de ELISA, Western Blot e Dot Immunobinding Assay (DIBA) utilizando anticorpos monoclonais produzidos contra duas proteínas clonadas do capsídeo viral, denominadas de CB ? 22 e CB ?104. Dados preliminares demonstram que o anticorpo monoclonal secretado pelo hibridoma denominado 30, é um anticorpo universal, capaz de reconhecer um epítopo comum presente no capsídeo viral de todas as estirpes de CTV. Embora seja capaz de detectar a presença de vírus em plantas infectadas, este anticorpo monoclonal não é capaz de diferenciar entre estirpes fracas e severas como as envolvidas no complexo Capão Bonito.

Tristeza XE "Tristeza"  - Anticorpos monoclonais XE "Anticorpos monoclonais"  - Imunoensaios XE "Imunoensaios"

PURIFICAÇÃO, PROPRIEDADES FUNCIONAIS E ESTRUTURAIS DE GwLec UMA LECTINA DE SEMENTES DE Glicyne wightii (SOJA PERENE)

Marcelo A. P. Mattioli (Bolsista PIBIC/CNPq), José Antonio Silva e Prof. Dr. Sérgio Marangoni (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Lectinas são proteínas que apresentam a capacidade de se ligar especificamente e reversivelmente a mono e oligossacarídeos. Mesmo já tendo sido isoladas em uma multiplicidade de organismos e em diferentes órgãos vegetais são os estudos com lectinas de sementes de leguminosas que propiciam a maior compreensão das propriedades moleculares, bioquímicas e funcionais destas proteínas. Neste trabalho será descrita a metodologia utilizada para a purificação de uma lectina de sementes de Glycine wightii. Extratos das sementes foram submetidos à extração salina seguida de cromatografia em gel de filtração Sephadex G-100 e em coluna de afinidade Sepharose Con-A. Estes três passos permitiram o isolamento da lectina (GwLec). Ensaios posteriores demonstraram que esta lectina aglutina eritrócitos humanos do tipo AB com maior intensidade, sendo esta atividade: dependente de íons metálicos divalentes (Ca +2) e fortemente inibida por manose e glicose.Apenas uma banda protéica foi evidenciada em PAGE nativo acido, já SDS-PAGE mostrou três bandas com 30, 16 e 14 kDa. A análise de aminoácidos apontou grandes concentrações de Phe, Tyr, Pro, Gly, Ser, baixos níveis de His, Arg, Met, Lys e massa molecular de 60 kDa. Testes subseqüentes permitirão caracterizar a habilidade de GwLec em distinguir células normais de células cancerígenas, podendo emergir uma futura aplicação desta lectina em mecanismos de mediação de lipossomos na liberação controlada de drogas.

Lectina XE "Lectina"  - Leguminosae XE "Leguminosae"  - Sementes XE "Sementes"

CARACTERIZAÇÃO DO COMPLEXO SÓLIDO PRAZIQUANTEL EM ?-CICLODEXTRINA

Marcelo Bispo de Jesus (Bolsista PIBIC/CNPq), Luciana de Matos Alves Pinto (Co-orientadora) e Profa. Dra. Eneida de Paula (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Atualmente o Praziquantel (PZQ) é a droga de escolha no tratamento da esquistossomose. Na América esta parasitose é causada principalmente pelo verme Schistosoma mansoni. O PZQ é utilizado também em várias doenças causadas por helmintos e apresenta poucos efeitos colaterais além de ter um preço menor que as outras drogas anti-schistossomais. Entretanto, o PZQ tem uma solubilidade muito baixa encontrando aí seu maior problema, o que leva os indivíduos doentes a ingerir uma quantidade muito grande do medicamento. Neste trabalho pretendemos melhorar a administração do PZQ evitando seus efeitos indesejáveis e mantendo sua eficiência contra o verme. Para isso, nos propusemos a utilizar carreadores capazes de melhorar a biodisponibilidade de drogas pouco solúveis ou de alta toxicidade. Entre os carreadores escolhemos a ?-ciclodextrina (CD) que é um polímero de glicose que vem sendo muito estudada nos últimos anos. Sua cavidade hidrofóbica, em forma de cone, pode acomodar moléculas lipofílicas melhorando assim sua solubilidade. Fizemos previamente uma modelagem molecular utilizando artifícios computacionais para obter as dimensões das moléculas e prever sua complexação. Foram preparados complexos de PZQ/?-CD na razão molar 1:1. A caracterização do complexo formado pôde ser feita por medidas de calorimetria diferencial de varredura (DSC) e sua toxicidade foi testada em experimentos de hemólise.

Drug Delivery XE "Drug Delivery"  - Praziquantel XE "Praziquantel"  - Ciclodextrina XE "Ciclodextrina"

DIFERENCIAÇÃO GENÉTICA EM TRÊS ESPÉCIES DO GÊNERO Bulbophyllum (Orchidaceae) DE CAMPOS RUPESTRES

Maria Teresa A. Azevedo (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Vera N. Solferini (Orientadora) e Prof. Dr. João Semir (Co-orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Bulbophyllum insectiferum Barb. Rodr., B. plumosum (Barb. Rod.) Cgn. e B. adiamantinum Brade são orquídeas miófilas que crescem em afloramentos rochosos de campos rupestres, em populações pequenas e disjuntas. Apresentam auto-incompatibilidade devido, principalmente, a barreiras mecânicas. Estas espécies foram estudadas através de eletroforese de isozimas, usando 18 loci enzimáticos. Os valores observados de identidade genética são próximos aos descritos para espécies cogenéricas de plantas (I=0,643 a I=0,698), sendo maiores entre B. insectiferum e B. adiamantinum (I=0,828). Esta alta identidade genética pode ser consequência de uma origem comum e divergência mais recente destas duas espécies em relação a B. plumosum. A variabilidade genética intrapopulacional média em B. plumosum é similar à obtida em outras espécies de orquídeas miófilas de campos rupestres (P = 93,77%, He = 0,451). O coeficiente de endogamia é alto (Fis=0,58) e o Fst=0,058 indica um moderado grau de estruturação genética. Estes valores não seriam esperados em uma espécie auto-incompatível e anemocórica. Os resultados apontam a necessidade de estudos adicionais para elucidar a importância da reprodução sexuada nestas espécies e seus mecanismos de dispersão.

Variabilidade Genética XE "Variabilidade Genética"  - Identidade Genética XE "Identidade Genética"  - Bulbophyllum XE "Bulbophyllum"

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM MOGI GUAÇU, SP: ACOMPANHAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ? ?AINDA HÁ TEMPO?

Priscila Fabiana Macedo Lopes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Mohamed Habib (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Em 1999, foi ministrado um curso de capacitação de professores da rede municipal de Mogi Guaçu, SP, para a elaboração de programas de educação ambiental. Os educadores desenvolveram seis projetos de EA, abordando temas como lixo, água e arborização, que foram implantados no decorrer do ano 2000. Para assegurar o êxito desse programa, foram feitos o acompanhamento e monitoramento da implantação dos projetos, sugerindo-se certas modificações e avaliando-se os resultados de cada escola, o que também possibilitou avaliar o próprio curso de capacitação. Foram realizadas visitas mensais a cada escola, para discussão do andamento das atividades e análise do material desenvolvido, além de observações do bairro e entrevistas com alunos, professores e comunidade. Todos os alunos afirmam terem mudado algum hábito dentro da escola. A comunidade (63,9%) também percebe alterações positivas nos bairros. Os professores dizem ter adotado um enfoque conservacionista nas aulas, além de estarem trabalhando de modo interdisciplinar. Embora os resultados sejam satisfatórios, sugere-se, para futuros cursos, que se trabalhe a importância da mudança global de comportamento, não se limitando aos assuntos de cada projeto, e que se crie a idéia de que este tipo de atividade deve ser desatrelada e não limitada a questões externas, como a política.

Educação Ambiental  XE "Educação Ambiental"  - Capacitação de Professores XE "Capacitação de Professores"  - Mogi Guaçu XE "Mogi Guaçu"

ESTUDO DA EXPRESSÃO DAS MOLÉCULAS CO-ESTIMULATÓRIAS DOS LEUCÓCITOS DE CAMUNDONGOS PORTADORES DE ENCEFALOMIELITE EXPERIMENTAL AUTO-IMUNE SUBMETIDOS A TRATAMENTO COM O INTERFERON BETA

Priscila M. Kimura (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Leonilda M. B. Santos (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A Encefalomielite Experimental Autoimune (EAE) que pode ser induzida em camundongos pela inoculação de antígenos do SNC, tais como a mielina, é um modelo de doença auto-imune usada para o estudo da Esclerose Múltipla (EM). A abordagem terapêutica normalmente usada na EM consiste na imunossupressão global, que pode levar a efeitos colaterais indesejáveis. A imunoterapia, portanto, é recomendada como recurso terapêutico. O uso do Interferon beta vem sendo utilizado em humanos, no entanto, os mecanismos de ação dessa citocina não estão totalmente conhecidos. A expressão das moléculas co-estimulatórias, as quais traduzem um segundo sinal estimulatório para os linfócitos T (além da interação CD3/TCR-peptídeo-MHC), é um importante mecanismo de ativação das células auto-reativas . Na ausência dessa co-estimulação, as células T reativas aos neuro-antígenos ficam inativadas. Desta forma, no presente trabalho,verificamos a expressão de tais moléculas (CD80, CD86,CD28, CTLA4), antes e após a imunoterapia com o Interferon beta.

Moléculas co-estimulatórias XE "Moléculas co-estimulatórias"  - Autoimunidade -  XE "Autoimunidade-" Tolerância XE "Tolerância"

CARACTERIZAÇÃO CITOMOLECULAR DE Coffea eugenioides

Rosicler Lázaro Barbosa (Bolsista FAPESP) e Cecília Alzira F. Pinto-Maglio (Orientadora), Centro de Genética e Biologia Molecular - CBMEG, UNICAMP

Análises comparativas de cariótipos das espécies de Coffea L., através de técnicas convencionais e bandamento-C, mostram-se ineficientes devido ao pequeno tamanho e similaridade desses cromossomos. Assim, outras técnicas devem ser utilizadas para que se possa determinar a estrutura dos cromossomos das várias espécies do gênero. Neste trabalho, utilizou-se os fluorocromos, 4?,6-diamidino-2-phenylindole (DAPI) e cromomiciana (CMA3), e técnicas citomoleculares, como hibridação in situ fluorescente de ácidos nucléicos (FISH), na caracterização dos cromossomos da espécie C. eugenioides. Os resultados obtidos com o uso do DAPI, que evidencia regiões ricas em bases AT, foram negativos, não havendo formação de bandas, portanto as bases AT encontram-se espalhadas uniformemente nos cromossomos. A aplicação do CMA3, específico para detecção de bases CG, resultou positiva, sendo evidenciadas 4 regiões cromossômicas com bandas ricas em bases CG, que coincidiram com as regiões organizadoras do nucléolo. Estas regiões nucleolares foram também evidenciadas, através da técnica de FISH usando-se a sonda pTA71, que é sonda específica para detectar regiões de rDNA. As regiões aqui determinadas podem ser usadas como marcadores cromossômicos, e empregadas no monitoramento da transmissão ou introgressão de caracteres de interesse agronômico, contribuindo em programas de melhoramento e para o estudo de relações evolutivas neste gênero.

Coffea eugenioides -  XE "Coffea eugenioides" Marcadores cromossômicos - XE "Marcadores cromossômicos"  Região organizadora do nucléolo XE "Região organizadora do nucléolo"

ESTRUTURA E ULTRA-ESTRUTURA DO ESPERMATOZÓIDE DE Eulaema nigrita (Hymenoptera: Euglossini: Apidae)

Samanta Mattei de Mello (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Mary Anne Heidi Dolder (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

O estudo da ultra-estrutura de espermatozóides de insetos fornecem valiosas informações para a análise filogenética. Com este objetivo, os espermatozóides de Eulaema nigrita foram observados e fotografados no microscópio eletrônico de transmissão Zeiss Leo 906 e no microscópio epifluorerscente Olympus, BX60. O espermatozóide de Eulaema nigrita mede cerca de 750 (m de comprimento. A cabeça é constituída por um acrossomo e um núcleo. O acrossomo é formado por uma vesicula acrossomal, que recobre o perforatorium, o qual se insere dentro de uma cavidade na extremidade anterior do núcleo. O núcleo é completamente preenchido por cromatina intensamente elétron-densa e ligado à cauda por um adjunto centriolar. A cauda consiste de um axonema com o padrão de arranjo 9 + 9 + 2, um par de derivados mitocondriais assimétricos (com cristas mitocondriais equidistantes e estruturas paracristalinas), e dois pequenos corpos acessórios. Duas particularidades ultra-estruturais deste espermatozóide são: adjunto centriolar muito longo, com áreas claras ao longo de todo o seu comprimento, e vesícula acrossomal não revestindo a extremidade anterior do núcleo. Estas características poderão contribuir para futuras análises filogenéticas de abelhas nativas.

Hymenoptera  XE "Hymenoptera" - Euglossini  XE "Euglossini" - Espermatozóide XE "Espermatozóide"

ESTUDOS CROMOSSÔMICOS EM Stevia rebaudiana BERTONI

Vanessa Mancuso de Oliveira (Bolsista FAPESP), Profa. Dra. Eliana Regina Forni-Martins (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP e Dr. Pedro Melillo de Magalhães, Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas - CPQBA

Stevia rebaudiana pertence à família Asteraceae, tribo Eupatoriae, e é encontrada tanto ao norte do Brasil, como nos limites das fronteiras Brasil-Paraguai. Possui um grande interesse econômico, pois apresenta o steviosídeo, uma substância adoçante, não calórica e que não é fermentada pelo organismo humano. O presente estudo objetiva determinar o número cromossômico de acessos de S. rebaudiana, cultivados pelo CPQBA-UNICAMP para aclimatação e seleção de plantas para a indústria de edulcorantes. A maior parte dos acessos é proveniente de um experimento do CENARGEN/EMBRAPA, para obtenção de poliplóides. Os estudos cromossômicos foram feitos através da análise mitótica (técnica de Giemsa). O número cromossômico obtido para oito acessos foi 2n=22, o que confirma dados disponíveis na literatura para a espécie. Foram obtidas duas exceções, registrando-se um acesso com 2n=33 e um com 2n=44. A ocorrência de acessos poliplóides abre novos horizontes no programa de melhoramento genético, havendo a expectativa de que os mesmos apresentem maior rendimento de steviosídeo.

Stevia rebaudiana XE "Stevia rebaudiana"  - Cromossomos XE "Cromossomos"  - Poliploidia XE "Poliploidia"

ESTUDOS COMPARATIVOS DE ALGUNS PARÂMETROS CINÉTICOS DE PLA2 ISOLADAS DE Bothrops jararacussu (BJIV e BJV) E C.d.collineatus (F6)

Vera Lucia Bonfim (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Sérgio Marangoni (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Foram isoladas e caracterizadas parcialmente duas isoformas de PLA2 básicas (BJIV e BJV) purificadas do veneno de Bothrops jararacussu e comparadas com PLA2 (F6) do complexo crotoxina-like de C.d. collineatus, com relação a atividade cinética. A purificação das frações foi feita a partir de metodologias de exclusão molecular (Protein Pack SW 300 Waters 0,78x30 cm), troca iônica (Protein Pack SP 5 PW Waters) e fase reversa acoplada a um sistema de HPLC (µ-Bondapack C18). Os parâmetros cinéticos comparados entre as PLA2 foram temperatura ótima, pH e concentração de substrato. A BJIV e BJV mostram uma temperatura ótima ao redor de 37,5 oC e F6 37,70C. O pH para BJIV foi 7,5, BJV 7,7 e para F6 foi ao redor de 8,0. Ambas isoformas de PLA2 isoladas de B. jararacussu mostram grande similaridade com a PLA2 isolada de C.d.collineatus (F6), devido ao fato destas PLA2 pertencerem ao mesmo grupo. No entanto, existem ligeiras diferenças que poderiam estar relacionadas a modificações na estrutura conformacional de cada isoforma; isso mostra que existe uma necessidade de um maior estudo de caracterização bioquímica, além de compará-las com outras PLA2 D49 provenientes de venenos de serpentes.

Bothrops jararacussu XE "Bothrops jararacussu"  - Crotalus durissus XE "Crotalus durissus"  - PLA2 XE "PLA2"

PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS

Instituto de Computação

MONTAGEM DO GENOMA DA Xanthomonas axonopodis pv. citri

Alexandre Corrêa Barbosa (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. João Carlos Setubal (Orientador), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

No projeto de seqüenciamento da Xanthomonas axonopodis pv. citri foram seqüenciadas cerca de duzentos mil ?reads?. Estes reads correspondem às pontas de cerca de sete mil cosmídeos (clones de tamanho entre 30000 e 50000 bp) independentes, e os ?reads? restantes correspondem às pontas de plasmídeos (clones de tamanho entre 1000 e 5000 bp). Estes ?reads? foram utilizados na montagem do genoma, resultando na formação de vários ?contigs?. O objetivo deste trabalho foi ordenar tais ?contigs? a partir das pontas de cosmídeos em um mapa físico, identificar o número de ?gaps? restantes na montagem, e então obter um conjunto mínimo de cosmídeos a serem seqüenciados de maneira a cobrir os ?gaps?, e assim obter-se a seqüência total do genoma da Xanthomonas axonopodis pv. citri. Para tanto, procedeu-se o aperfeiçoamento de um software desenvolvido pelo orientador em conjunto com o ex-aluno de Iniciação Científica, Renato Werneck, denominado ?genscaff?, que obtém a melhor maneira pela qual os ?contigs? estão ordenados, através da implementação de um modelo computacional de grafos. Com o aperfeiçoamento de tal software, passou-se então à determinação dos cosmídeos que deveriam ser seqüenciados para o fechamento do genoma, que acabou se mostrando essencial para a finalização do projeto.

Projeto Genoma XE "Projeto Genoma"  - Bioinformática XE "Bioinformática"  - Montagem de DNA XE "Montagem de DNA"

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE-USUÁRIO E VALIDAÇÃO DE UMA FERRAMENTA PARA TESTES DE SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO

Anderson Nunes Paiva Morais (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Eliane Martins (Orientadora), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Protocolos de comunicação são utilizados para interconectar sistemas computacionais através de redes. Torna-se necessário então a existência de ferramentas que testem de maneira adequada as implementações desses protocolos. A ferramenta de testes F-SOFIST (Ferry-clip with SOftware Fault-Injection Support Tool) é capaz de realizar testes em protocolos de comunicação injetando falhas por software. Porém existe a necessidade de uma interface mais eficiente, do tipo gráfica, para facilitar o seu uso, e da realização de testes com protocolos mais complexos, garantindo sua confiabilidade. Neste trabalho, foi desenvolvida uma interface gráfica utilizando o toolkit gráfico wxWindows2 (wx Windows for GTK) em conjunto com um framework desenvolvido em uma tese de mestrado. Também foi criado um novo elemento, designado de Test Manager para gerenciar as atividades realizadas pelos demais componentes da F-SOFIST durante os testes. Para validar a ferramenta foi escolhido um protocolo simples que possibilitou validar todas as características da ferramenta.

Interface-Usúario XE "Interface-Usúario"  - Ferramenta para Testes XE "Ferramenta para Testes"  - Testes de Protocolo XE "Testes de Protocolo"

HagáQuê ? IMPLEMENTAÇÃO DE UM EDITOR DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS

Eduardo Hideki Tanaka (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Heloísa Vieira da Rocha (Orientadora), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Cada vez mais, os computadores se fazem presentes no ambiente escolar. Porém, poucas são as ferramentas computacionais capazes de aproveitar os recursos tecnológicos disponíveis para o uso no aprendizado, adequando-se ao nível de desenvolvimento do aprendiz. Ao se levar em conta também que a produção de textos é importante no aprendizado da escrita e que uma das primeiras atividades nesta área é a criação de histórias em quadrinhos, foi proposta a implementação de um editor de histórias em quadrinhos, o HagáQuê. O editor foi desenvolvido através de prototipação, com o uso da linguagem de programação Delphi. Além de incentivar a produção de textos, o HagáQuê permite trabalhar com figuras de diversos formatos, gravar sons para a composição dos diálogos e da narração da história, criar automaticamente páginas em formato HTML para a publicação de uma história na Internet, entre outros. Considerando as dificuldades de um iniciante em utilizar tais recursos, o HagáQuê possui elementos que facilitam a interação, como botões de tamanho maior que os encontrados na maioria dos editores de texto ou de imagens. Com isto, espera-se que o HagáQuê possa ser utilizado no contexto escolar, nas mais diversas atividades realizadas por um aluno.

Informática na Educação XE "Informática na Educação"  ? Ferramentas de Autoria XE "Ferramentas de Autoria"  ? Histórias em Quadrinhos XE "Histórias em Quadrinhos"

CALIBRAÇÃO DINÂMICA DE CÂMERAS PARA RASTREAMENTO DE JOGADORES DE FUTEBOL DURANTE O JOGO

Fábio Dalla Costa Figueiredo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Neucimar Jerônimo Leite (Orientador), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

A fim de tornar possível a análise objetiva da dinâmica do jogo de futebol, é importante conseguir o maior número de informações possíveis sobre os jogadores durante o jogo. Entre estas informações, podemos citar a trajetória do jogador durante a partida. Dados contínuos sobre posição, velocidade e aceleração dos jogadores, em função do tempo, permitem estudos sobre aspectos biomecânicos, fisiológicos ou estratégicos. A busca desses objetivos passa por uma automatização do processo de medição dos deslocamentos dos jogadores durante a partida. Para extrair dados reais dos jogadores a partir da imagem digitalizada, é realizada uma calibração dinâmica das câmeras que permite a transformação (reconstrução) imagem-objeto das coordenadas dos jogadores. Este projeto foram foi focado no estudo e desenvolvimento de algoritmos para a calibração dinâmica das câmeras durante o jogo de futebol. Os algoritmos implementados estão integrados ao sistema Dvideow (Digital Vídeo for Biomechanics versão Windows), que foi desenvolvido a partir de uma cooperação entre o Instituto de Computação (IC) e do Laboratório de Instrumentação para Biomecânica (LIB) da Faculdade de Educação Física (FEF) da UNICAMP. Todo sistema foi desenvolvido na linguagem C++, no programa Visual C++.

Processamento de Imagens XE "Processamento de Imagens"  - Calibração Dinâmica XE "Calibração Dinâmica"  - Rastreamento XE "Rastreamento"

ANÁLISE FORENSE DE INTRUSÕES EM AMBIENTES UNIX

Guilherme Cesar Soares Ruppert (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Paulo Lício de Geus (Orientador), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Com o aumento da importância das redes de computadores e da Internet, um assunto que tem se tornado cada vez mais preocupante é a invasão em sistemas computacionais de pessoas não autorizadas e maliciosas. Este trabalho visa o estudo de técnicas para identificação e reconstituição de intrusões em sistemas computacionais e redes de computadores sob plataforma Unix, visando identificar como se deu a invasão, quem seria o invasor e quais danos foram causados por ele durante o ataque. Com isso pode-se realizar laudos periciais para investigações desses crimes eletrônicos. Foram abordadas várias técnicas para se obter as evidências necessárias envolvendo: análise de segurança, análise de arquivos ?log?, auditoria do sistema de arquivos, análise de processos e ?core files?, recuperação de dados apagados e outros. Foram também abordados procedimentos que, aplicados a um sistema ainda não comprometido, viabilizem e facilitem uma eventual análise forense posterior.

Invasão de Computadores XE "Invasão de Computadores"  - Forense Computacional XE "Forense Computacional"  - Redes de Computadores XE "Redes de Computadores"

O ESTUDO DE COMPACTAÇÃO DE IMAGENS UTILIZANDO A SEGMENTAÇÃO MULTI-ESCALA

José Flávio Aguilar Paulino (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Neucimar Jerônimo Leite (Orientador), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Este trabalho visa dar seqüência à pesquisa desenvolvida no Instituto de Computação (IC) da Unicamp sobre a utilização da segmentação de imagens na compactação parametrizada e análise de imagens. Através de uma segmentação multi-escala são definidas regiões discretas da imagem, que serão analisadas e processadas através de filtros. O processamento das regiões da imagem é feito através de modificações lineares e depois com modificações não lineares. A utilização de uma segmentação multi-escala na compactação de imagens permite que o grau de degeneração da imagem original seja parametrizado pelo usuário. O objetivo deste trabalho é reconstruir a imagem original através das regiões processadas de tal forma a obter uma representação mais compacta da imagem original. Além disso, visamos nesse trabalho desenvolver ferramentas para a manipulação e análise das regiões da imagem, permitindo a utilização destas ferramentas em futuras pesquisas para compactação e reconhecimento de imagens.

Imagem XE "Imagem"  - Compactação XE "Compactação"  - Segmentação XE "Segmentação"

UMA FERRAMENTA DE INJEÇÃO DE FALHAS PARA O GUARANÁ

Márcio Kikuti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eliane Martins (Orientadora), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Sistemas computacionais são cada vez mais utilizados em operações complexas, e um mau funcionamento pode causar grandes prejuízos. É de fundamental importância testar eficientemente esses sistemas, e assegurar seu funcionamento mesmo na presença de falhas. Injeção por software permite estudar, com baixo custo, o comportamento de sistemas na presença de falhas. Para criar essa ferramenta, utilizou-se o Sistema de Padrões JACA, criado pelo aluno de mestrado do Instituto de Computação UNICAMP, Nelson Guilherme ( HYPERLINK mailto:nelsongm@ic.unicamp.br) nelsongm@ic.unicamp.br). Os padrões permitem criar uma ferramenta independente do sistema computacional, facilmente extensível e portável. O ambiente Java foi escolhido para implementar o projeto, devido ao seu contínuo crescimento no mercado, sua portabilidade e robustez. Em particular, utilizou-se o protocolo de meta-objetos Guaraná para possibilitar características reflexivas à linguagem Java. Essas novas características permitem que a ferramenta injete falhas com baixa interferência no sistema sob teste. Além de validar o sistema de padrões, permite ao usuário testar e validar sistemas computacionais escritos em Java de forma eficaz com uma ferramenta capaz de se adaptar a novas necessidades ou mesmo a melhoria de funcionalidades já existentes.

Teste por Injeção de Falha XE "Teste por Injeção de Falha"  - Reflexão Computacional XE "Reflexão Computacional"  - Padrões de Projeto XE "Padrões de Projeto"

XINGÓ: MICROPROCESSADORES RECONFIGURÁVEIS

Marcio Rogério Juliato (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo Cesar Centoducatte (Orientador), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Sistemas dedicados são projetados para um mercado de larga escala, onde baixas margens de lucro por produto são compensadas por altos volumes de produção, onde é essencial a redução de tamanho/peso, potência consumida e tempo para lançar o produto de modo a manter a sua competitividade (time-to-market). Desse modo tem-se buscado integrar memórias, processadores e ASICs em um único chip, numa metodologia chamada 'System-On-a-Chip' (SOC), atribuindo característica de reconfiguração a tais sistemas de forma a torná-los mais flexíveis. Neste contexto foi desenvolvido o projeto Xingó que consiste em um sistema que acoplado ao kit de prototipagem P-4032 da Algorithmics torna-se uma poderosa ferramenta de prototipagem de sistemas dedicados, contando para isso com uma FPGA de grande capacidade, um bloco de memória e um processador MIPS R4000. Com Xingó torna-se possível a prototipagem de processadores e coprocessadores reconfiguráveis bem como a utilização de um processador de mercado (no caso o R4000). No decorrer do projeto Xingó foi projetada e fabricada uma placa de circuito impresso (PCB) e como processo de validação final do Xingó será implementado um sistema dedicado de descompressão, em tempo de execução, de músicas em formato MP3, descrito na linguagem de descrição de hardware (VHDL).

Arquitetura de Computadores XE "Arquitetura de Computadores"  - Descompressores de Código XE "Descompressores de Código"  - Microprocessadores Reconfiguráveis XE "Microprocessadores Reconfiguráveis"

CONSTRUÇÃO DE UMA INTERFACE PARA A FERRAMENTA DE TESTES CONDADO

Mateus de Castro Polastro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eliane Martins (Orientadora), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

A crescente demanda por sistemas informatizados, em especial por sistemas que oferecem riscos financeiros e/ou de vida humana, vem criando a necessidade de uma atividade de teste mais bem planejada e executada. Isto porque a atividade de teste de software é um elemento crítico da garantia da qualidade de software e representa a última revisão de especificação, projeto e especificação. Devido à complexidade e conseqüente custo da atividade de testes de software é necessário a utilização de ferramentas que minimizem o esforço necessário para a realização dos testes e aumentem a sua acurácia e cobertura. Para isso vem sido desenvolvida uma interface gráfica baseada no framework desenvolvido para o ambiente ATIFS, que é um Ambiente integrado de Testes baseado em Injeção de Falhas por Software que dá suporte para a geração, execução e análise dos resultados dos testes. O trabalho tem seu foco na geração dos testes que utiliza a ferramenta ConDado para sua geração e estes são baseados em Máquina Finita de Estados Estendida (MFEE) que é inserida no sistema através da Linguagem de Especificação de Protocolos (LEP). Desta maneira tornar-se-á possível, através da interface gráfica em desenvolvimento, gerar os casos de teste, inserir restrições para selecionar os casos de testes gerados e verificar as propriedades da MFEE.

Teste XE "Teste"  - Geração XE "Geração"  - Interface XE "Interface"

SIMULAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DO MECANISMO DE TOLERÂNCIA A FALHAS NO 2K

Rodrigo Teruo Tomita (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Cecília Mary Fischer Rubira (Orientadora), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Em um mundo onde a informática se faz cada vez mais presente, a confiabilidade dos sistemas de computadores torna-se uma necessidade constante, um fator imprescindível para o desempenho adequado de aplicações críticas. Estas aplicações vão desde satisfazer o cliente mais exigente até preservar as vidas que são confiadas a esses sistemas. A confiabilidade em um sistema operacional, por exemplo, deve ser grande, de modo que os mecanismos para garanti-lo devem ser eficientes, principalmente se este sistema operacional for baseado em componentes distribuídos. Este é o caso do 2K, sistema operacional aberto desenvolvido pela Universidade de Illinois. Desse modo, foi desenvolvido um mecanismo de simulação para o protocolo de tolerância a falhas descrito em "Design Framework for Reliable Enviroment in 2K" por Paulo Astério e Dulcinéia Carvalho. Este simulador foi desenvolvido utilizando a linguagem JAVA. Numa primeira etapa, foram criadas classes que simulavam a parte do 2K que faria interface com o simulador. Em seguida, foram criados os clientes e serviços, e finalmente foram implementados as classes responsáveis pela tolerância a falhas. O projeto permite que sejam simuladas falhas nos serviços, bem como a recuperação do sistema perante elas, seja por um pedido de nova tentativa, pela indicação de uma réplica já existente do serviço, ou pela instanciação de um novo serviço.

Tolerância a falhas XE "Tolerância a falhas"  - 2K XE "2K"  - JAVA XE "JAVA"

SOFTWARE BÁSICO PARA O GUARÁ - UM CLUSTER DE ALTO DESEMPENHO

Ulisses Furquim Freire da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Tomasz Kowaltowski(Orientador), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Os sistemas do tipo Beowulf têm representado uma importante alternativa aos sistemas comerciais na área de processamento de alto desempenho. Tal importância deve-se ao uso de componentes relativamente baratos, disponíveis no mercado, e também pela utilização do sistema operacional Linux, muito estável, robusto, de código fonte aberto e gratuito. Estas vantagens representam uma eficiência comparável a de máquinas muito caras a um custo muito inferior. O Guará é um cluster do tipo Beowulf instalado no Laboratório de Alto Desempenho do IC, que possui 66 computadores interligados por uma rede muito rápida e para a sua utilização foram desenvolvidos ou adaptados softwares já existentes. Além de facilidades para instalação e atualização do sistema operacional, foram instalados e configurados softwares para controle de concorrência como o PVM e MPI. Um ambiente foi configurado de modo que os usuários do Guará pudessem utilizar efetivamente os 66 processadores. Também foram criados scripts para o controle centralizado do cluster e um sistema de monitoração das condições físicas das máquinas como temperatura, velocidade dos ventiladores, uso do processador, uso da rede. Uma interface gráfica foi feita para a visualização das condições físicas de todas as máquinas do Guará ao mesmo tempo. No desenvolvimento foram utilizados C, a biblioteca LAM/MPI, e Python/Tkinter.

Beowulf XE "Beowulf"  - Linux XE "Linux"  - Alto Desempenho XE "Alto Desempenho"

Instituto de Física

CONDUTIVIDADE E FOTOCONDUTIVIDADE EM MATERIAIS FOTORREFRATIVOS

André Fabiano Steklain (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jaime Frejlich Sochaczewsky (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

A gravação de hologramas em materiais fotorrefrativos está na base de muitas aplicações, como memórias ópticas e processamento de imagens e sinais. O tempo de escrita e apagamento do holograma depende basicamente do tempo de relaxamento dielétrico ou de Maxwell, que está relacionado com a condutividade do material, e daí o grande interesse neste parâmetro. Os materiais fotorrefrativos são fotocondutores e eletro-ópticos, o que significa dizer que sob a ação da luz eles geram portadores de carga que se deslocam no volume do material por difusão ou arraste. Estas cargas alteram a condutividade do material, gerando o que se chama fotocondutividade, isto é, a condutividade devido à ação da luz. Neste trabalho a fotocondutividade foi medida utilizando-se de uma técnica com luz pulsada, técnica esta que impede a interferência de correntes não associadas ao efeito da luz. Para isso se utilizou de um amplificador operacional especial de baixissima corrente de ?bias? e de um amplificador sincrônico (?lock-in?) para viabilizar a medida de correntes elétricas muito baixas (alguns picoamperes), resultantes da baixa condutividade destes materiais. Mediu-se a fotocondutividade para vários comprimentos de onda, levando-se em conta o forte efeito fotocrômico presente nestes materiais. Para isso foram utilizados lasers de varios comprimentos de onda diferentes e uma fonte de luz incoerente especialmente montada para esse objetivo.

Fotorrefrativos XE "Fotorrefrativos"  - Fotocondutividade XE "Fotocondutividade"  - Holografia XE "Holografia"

CARACTERIZAÇÃO TÉRMICA E ESPECTROSCÓPICA DE MATERIAS POR DETECÇÃO FOTOPIROELÉTRICA E FOTOACÚSTICA DE ONDAS TÉRMICAS

André Oliveira Guimarães (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Edson Corrêa da Silva (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

A caracterização térmica de um material pode ser feita de diversas maneiras. O trabalho lança mão da técnica fotopiroelétrica, que também é utilizada para medidas de espectroscopia óptica de transmissão. Paralelamente, usa-se a técnica fotoacústica para o estudo de absorção óptica. Quando um material absorve radiação modulada, há geração de ondas térmicas cuja detecção revela as propriedades do material. Um sensor piroelétrico ?transforma? essa onda térmica em um sinal elétrico, que é estudado com um amplificador Lock-in. A montagem em questão utiliza dois sensores, de modo que se podem medir a efusividade e a difusividade térmica da amostra simultaneamente. Utilizando apenas um sensor, fazem-se medidas espetroscópicas, com uma lâmpada de arco de Xenônio, que produz radiação no visível e no infra-vermelho próximo. A configuração fotoacústica, consiste na detecção de uma onda acústica, por um microfone, produzida por oscilações de temperatura na interface de um gás contido em uma câmara com a amostra, após esta ter absorvido radiação modulada. Trata-se portanto do estudo de espectroscopia por absorção óptica. As diferentes técnicas apresentadas torna possível uma completa caracterização térmica, e nos permite atender às peculiaridades de diferentes sistemas para estudo de espectroscopia.

Fotopiroelétrica XE "Fotopiroelétrica"  - Fotoacústica XE "Fotoacústica"  - Espectroscopia Óptica XE "Espectroscopia Óptica"

CARACTERIZAÇÃO ESTRUTURAL DE FILMES DE SNO2 POR DIFRAÇÃO DE RAIOS-X

Bruno Valente Bigatto e Prof. Dr. Lisandro Pavie Cardoso (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

Neste projeto é realizada a caracterização de filmes de SnO2, depositados pelo processo de Decomposição Química de Vapores (CVD), utilizando técnicas de difração de raios-X. O objetivo do trabalho é analisar as propriedades estruturais e também relacionar com as propriedades elétricas dos filmes para diferentes taxas de diluição do precursor SnCl4. Foram analisados filmes de SnO2 depositados por CVD a T=400oC e os resultados das medidas mostram que: i) o tamanho dos cristalitos decresce linearmente com o aumento na taxa de diluição do precursor SnCl4; ii) a orientação preferencial dos difratogramas foi acompanhada em função da taxa de diluição do SnCl4, e foram obtidas três regiões distintas para essa orientação, sendo a primeira próxima à obtida da amostra policristalina padrão, a segunda apenas um crescimento maior das intensidades 200 e 211 com relação às outras reflexões e a terceira, a intensidade da reflexão 200 é maior que a da 110 que é utilizada como padrão para a normalização em todo o gráfico; iii) a resistividade elétrica medida para os filmes de SnO2 em função da espessura decresce linearmente apenas para diluições variáveis de SnCl4, enquanto que permanece praticamente constante para altas e baixas taxas de diluição desse precursor.

Raios-X  XE "Raios-X"  - Filmes XE "Filmes"  - Difração XE "Difração"

DESENVOLVIMENTO DE INSTRUMENTOS VIRTUAIS PARA ESTUDO DE MATERIAIS ELETROCRÔMICOS

Carlos Resende (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Annette Gorenstein (Orientadora), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

Nos trabalhos desenvolvidos pelo Grupo de Optoeletroquímica/DFA, utilizam-se potenciostatos para controle de experimentos eletroquímicos, que são realizados simultaneamente à medidas ópticas em materiais eletrocrômicos. Este projeto tem por objetivo desenvolver instrumentos virtuais usando o programa LabView, de modo a otimizar o controle e aquisição de dados nestas medidas. Através da interface GPIB, o programa desenvolvido permite aplicar diversas formas de onda de interesse em técnicas eletroquímicas como voltametria cíclica, cronopotenciometria ou cronoamperometria Na primeira técnica, aplica-se um potencial em forma de onda triangular, e mede-se a corrente; busca-se verificar os potenciais característicos das diferentes reações eletroquímicas que podem ocorrer no material, bem como a janela de trabalho. Na cronopotenciometria, aplica-se uma corrente constante (anódica ou catódica), e analisa-se a evolução temporal do potencial resultante. O processo inverso, cronoamperometria, consiste em aplicar um potencial constante e analisar a corrente resultante. Estas técnicas permitem estudar fatores como a capacidade de carga dos diferentes materiais e ciclabilidade. Simultaneamente, é medida a variação de transmitância monocromática decorrente do processo, através de um fotodetetor. Os dados ópticos sâo adquiridos através de uma interface A/D. O conjunto de dados eletroquímicos e ópticos permitem avaliar parâmetros como efeito memória, tempos de respostas e eficiência eletrocrômica. Neste trabalho serão apresentados tanto o programa desenvolvido como a utilização deste na caracterização de filmes finos eletrocrômicos.

Eletrocromismo XE "Eletrocromismo"  - LabView XE "LabView"  - Voltametria XE "Voltametria"

HOLOGRAFIA EM AMBIENTE NÃO CONTROLADO

David da S. L. Figueira, Paulo H. Valarelli, Celso E. S. Nogueira e Prof. Dr. José Joaquim Lunazzi (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

Com o desenvolvimento de novas técnicas holográficas realizadas no Laboratório de Óptica da UNICAMP, utilizando-se de laseres de diodos (tipo caneta, populares) tornou-se possível realizar montagens holográficas compactas e de baixo custo , para aplicações gerais, sem a necessidade de uso de um ambiente controlado de um laboratório. Após vários testes interferométricos e holográficos, bem como avaliações das condições térmicas do laboratório e dos graus de vibrações mecânicas para estabelecer a regularidade do problema, procurando maneiras de eliminá-los, pode-se chegar a um sistema tão simples e compacto, que seu uso pode ser extendido a vários ambientes de trabalho desde de seu uso didático para divulgação das técnicas holográficas em escolas( onde até crianças realizam hologramas) até seu uso técnico para registro de arcadas dentárias , para fins de arquivos odontológicos. Várias montagens foram testadas usando parâmetros já testados de controle de temperatura e de vibração, sendo que este último foi a principal mudança em relação a montagens profissionais como também a introdução dos laseres de diodo( InGaAlP de potências de 1mW a 8mW com emissão em 650nm) . Hologramas do tipo Leith-Upatneiks (transmissão) e Denisyuk (reflexão) foram os tipos usados para nossas aplicações de holografia em ambiente não controlado, já que não requerem um aparato óptico sofisticado. A proposta deste trabalho é pioneira no Brasil e ajudará em um ampla divulgação das técnicas holográficas, tão restritas a centros de pesquisas.

Óptica XE "Óptica"  - Holografia XE "Holografia"  - Laser de Diodo XE "Laser de Diodo"

DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE E TEMPERATURA ELETRÔNICA DO PLASMA UTILIZANDO SONDAS DE LANGMUIR

Celso Ossamu Kaminishikawahara (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Munemasa Machida (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

A sonda de Langmuir é uma técnica de diagnóstico da temperatura, densidade e potencial flutuante, na região periférica de um plasma. Com o objetivo de determinar a temperatura e densidade eletrônica do plasma formada na região do limitador do tokamak, foi necessário um estudo prévio desta técnica. E para ter uma melhor compreensão, tanto da prática experimental quanto teórica, do funcionamento desta, foi construído uma máquina geradora de plasma por rádio freqüência (27.5 MHz, 100W cw). Nessa máquina muito mais simples que o tokamak, foi facilmente testado diferentes sondas: sonda simples e sonda dupla, obtendo algumas curvas que indicam a saturação iônica e eletrônica com a variação da tensão na sonda, também foi aplicada uma tensão senoidal na sonda dupla. O plasma gerada por RF apresentou uma densidade eletrônica de 6.3x109 partículas por cm3 e uma temperatura de 47.5 eV, considerada alta, com uma pressão no interior da câmara de 5x10-4 torr. Para o estudo do plasma na região do limitador no tokamak, foi utilizado uma sonda dupla com uma tensão fixa em torno de ?100 V, para verificar a saturação iônica. E assim, supondo uma temperatura em torno de 10 eV, conseguiu-se obter uma densidade eletrônica de 1,66x1012 partículas por cm3, próximo ao raio da câmara do tokamak.

Sondas de Langmuir XE "Sondas de Langmuir"  - Plasma por RF XE "Plasma por RF"  - Tokamak XE "Tokamak"

ESTUDO DA DIFRACÃO DE RAIOS-X EM ÂNGULOS DE BRAGG EM TORNO DE (/2 EM CRISTAIS DE DIAMANTE

Cris Adriano (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Giles (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

Dispositivos ópticos interferométricos, do tipo Fabry-Perot, na faixa de raios-x têm grande potencial de uso em metrologia e em montagens experimentais que utilizam uma fonte de luz síncrotron como o LNLS em Campinas. A base para estes desenvolvimentos são monocristais com alta qualidade cristalina difratando em ângulos próximos de (/2 (retro-difração). Em particular, o pequeno coeficiente de absorção torna o diamante um bom material para a realização destes dispositivos. Neste trabalho descrevemos medidas realizadas na linha de difração de raios-x do LNLS com cristais de diamante em ângulos de Bragg em torno de (/2. Utilizamos uma amostra de diamante orientada na direção (110) e com 1 mm de espessura. Foram medidos perfis de difração do feixe refletido e transmitido em função da temperatura da amostra e da energia do feixe incidente. Os resultados mostram que para a faixa de temperatura observada (20K a 280K) os perfis de transmissão variam pouco devido ao pequeno coeficiente de expansão térmica do diamante. Para os perfis de reflexão e transmissão obtidos em função da energia observamos um bom acordo qualitativo com simulações que usam a Teoria Dinâmica estendida desenvolvida para este caso.

Diamante XE "Diamante"  - Difração de raios-x XE "Difração de raios-x"  - Síncrotron XE "Síncrotron"

DESENVOLVIMENTO DE BOBINAS PARA DESACELERAÇÃO E APRISIONAMENTO DE ÁTOMOS DE CÁLCIO

Davi Ribeiro Ortega (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Flávio Caldas da Cruz (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

O Cálcio tem se mostrado um elemento atrativo para variadas aplicações. O esquema de níveis de energia oferece a possibilidade de obtenção da condensação de Bose Einstein por meios puramente ópticos. Nós implementamos um sistema para desaceleração e aprisionamento magneto-óptico de átomos de Cálcio. Nesse sistema, um feixe de átomos é produzido em um forno, a uma temperatura de 600OC e, então, desacelerado por um feixe laser contrapropagante, sintonizado na transição rápida 1S0-1P1 em 423nm, na região violeta do espectro. Ao absorver um fóton, o átomo além de energia, absorve também momentum, recuando. A variação da velocidade no processo de desaceleração faz com que o átomo veja o laser com uma frequência diferente de sua frequência natural de ressonância, devido ao efeito Doppler. Para compensar esse efeito, nos valemos do efeito Zeeman, que é um deslocamento dos níveis eletrônicos na presença de um campo magnético. Desenvolvemos uma bobina com 18 seções independentes para produzir um campo magnético variável no espaço, mantendo os átomos sempre em ressonância no processo de desaceleração. Na armadilha magneto-óptica, duas bobinas em configuração anti-Helmholtz e seis feixes laser promovem o aprisionamento dos átomos desacelerados do feixe atômico.

Cálcio XE "Cálcio"  - Efeito Zeeman XE "Efeito Zeeman"  - Armadilha Magneto-Óptica XE "Armadilha Magneto-Óptica"

SEÇÃO DE CHOQUE DE EXCITAÇÕES VIBRACIONAIS DA MOLÉCULA DE HIDROGÊNIO (H2) POR IMPACTO DE ELÉTRONS

Eliane Marques de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marco Aurélio Pinheiro Lima (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

O estudo de colisões entre elétrons de baixa energia (E ~ 100 ? 101 eV) encontra diversas aplicações científicas e tecnológicas. Do ponto de vista tecnológico, o principal interesse recai sobre os chamados plasmas frios, os quais têm larga aplicação industrial, sendo particularmente importante à microeletrônica. São nos meios de descarga que serão geradas as espécies químicas responsáveis pelo recobrimento de substratos (coating) ou corrosão de superfícies (etching). Desta forma, o conhecimento de seções de choque de espalhamento de elétrons torna-se fundamental, pois essas são indispensáveis à compreensão da dinâmica dos plasmas. Neste trabalho obtemos seções de choques de excitações vibracionais de H2 por impacto de elétrons verificando a influência de ressonâncias do tipo Feshbach. Para tanto utilizamos o método multicanal de Schwinger (SMC) adaptado para utilizar pseudopotenciais (SMCPP).

Espalhamento de elétrons XE "Espalhamento de elétrons"  - Vibração molecular (H2) XE "Vibração molecular (H2)"  - Método Multicanal de Schwinger XE "Método Multicanal de Schwinger"

FÍSICA APRESENTADA EM MUSEUS DE CIÊNCIAS

Émille Eugênia de Oliveira Ishida (Bolsista ITI/CNPq) e Prof. Dr. Anderson Campos Fauth (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

A pesquisa apresentada consiste no levantamento e interpretação de dados provenientes das homepages de museus de ciência do mundo sobre atividades de física apresentados nesses museus. Foram utilizados 14 sites de museus (total de 92 exposições) distribuídos em quase todos os continentes. Esses dados mostram que nos países em desenvolvimento, existe uma forte presença de materiais relacionados a eletromagnetismo, óptica e mecânica clássica e praticamente a ausência de física moderna. Em países desenvolvidos existe uma grande incidência de astronomia/astronáutica, assim como física moderna, apesar da porcentagem desta ser menor. No caso da astronomia, sua presença deve-se, em grande parte, a equipamentos não mais utilizados pela NASA, que agora encontram-se em museus dos Estados Unidos. A física moderna só é encontrada em museus ligados a grandes universidades ou centros de pesquisas, pois além da tecnologia necessária para sua apresentação, há necessidade de um grande trabalho pedagógico para apresentá-la ao público leigo. Os museus de ciência também apresentaram um caráter interativo, diferente de outros tipos de museus, onde a maioria das exposições acontece sem a intervenção do público. Este trabalho faz parte do projeto ?MDCC: Rumo a uma nova fase? que estudou o Museu Dinâmico de Ciências de Campinas .

Museus de Ciência XE "Museus de Ciência"  - Física XE "Física"  - Popularização da Ciência XE "Popularização da Ciência"

IMPLEMENTAÇÃO DE UMA USINA PILOTO DE PRODUÇÃO DE HIDROGÊNIO SUPRIDA POR ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

Fernando Rezende Apolinário (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ennio Peres da Silva (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

O objetivo principal desse projeto foi implementar uma usina piloto de produção de hidrogênio por eletrólise da água com a energia elétrica sendo fornecida por painéis fotovoltaicos. Foi realizada uma montagem com um acoplamento direto de um pequeno eletrolisador bipolar construído no LH2 a um painel fotovoltaico SR50 da Siemens, para a partir dessa experiência se iniciar os estudos sobre a otimização da eficiência do processo através da análise conjunta do desempenho de ambos os sistemas que estão sendo ligados. Buscou-se também o aprimoramento do modelo matemático para a estimativa dos valores da potência elétrica efetiva fornecida pelos painéis fotovoltaicos, cujo resultado serviria como parâmetro para se dimensionar eletrolisadores utilizados em sistemas autônomos de produção de hidrogênio, bem como para se estimar a quantidade de hidrogênio produzida por esses ao longo do ano. A montagem foi realizada como previsto e os resultados preliminares são satisfatórios, estando em fase de complemento a ligação do sistema de aquisição de dados e a solução de alguns problemas de vazamento e circulação de eletrólito.

Energia XE "Energia"  - Fotovoltaico XE "Fotovoltaico"  - Hidrogênio XE "Hidrogênio"

ESTUDO E DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS ABSORVEDORES DE RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA

Fernando Simões Ribeiro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Inácio Malmonge Martin (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

Os Materiais Absorvedores de Radiação são constituídos de materiais dielétricos e/ou magnéticos, que promovem alta perda de energia em determinadas faixas de freqüência. Estes materiais são atualmente muito utilizados em aeronaves, telefonia celular, equipamentos de compatibilidade eletromagnética e de redução de interferência eletromagnética. Neste trabalho, esses materiais se apresentam como resinas de revestimento de folhas de alumínio e mantas de borracha de espessura fina, impregnados com ferritas, ferro carbonila, negro de fumo, alumina, entre outros. Com uso do arco Naval Research Laboratory (NRL), foram feitas as medidas experimentais destes absorvedores confeccionados durante o período de trabalho e comparado com materiais de referência (placas não revestidas e mantas sem a incorporação de aditivos absorvedores). A partir destas medidas determina-se um revestimento de alumínio e uma manta que absorva satisfatoriamente ondas eletromagnéticas na faixa de 8 a 12 GHz (banda X). A obtenção de revestimentos e mantas finas, com espessuras menores que 2 mm, e a boa qualidade de absorção terá potencial de aplicações na indústria eletro-eletrônica e telecomunicações, assim como na elaboração de ambientes sem essa radiação e na Seção Reta Radar(SRR) de aeronaves e navios.

Absorvedores de radiação eletromagnética XE "Absorvedores de radiação eletromagnética"  - Blindagem eletromagnética XE "Blindagem eletromagnética"  - Compatibilidade eletromagnética XE "Compatibilidade eletromagnética"

OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE GUIAS DE ONDAS PLANARES ATRAVÉS DO MÉTODO DE APROXIMAÇÃO WKB INVERTIDO

Flavio Padilha de Moraes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Luiz Carlos Barbosa (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

Com a crescente utilização de dispositivos ópticos em comunicações, o estudo de guias de ondas ganhou particular atenção na última década. Tornou-se imprescindível a otimização do processo de fabricação desses guias em função da demanda do mercado e melhoria de muitos produtos e serviços que estão ao nosso alcance. Os guias de ondas planares fabricados por trocas iônicas (Ag+ - Na+) em vidros são caracterizados por dois parâmetros físicos (a densidade e a polarização) cuja manipulação é necessária durante o processo de fabricação. E para que ele seja reconhecido como um dispositivo óptico, deve apresentar, dentre outras características, um perfil de índice de refração. No entanto, antes que o protótipo seja fisicamente produzido, tal processo de fabricação despende um meticuloso trabalho de imersão de vidros na forma de lâminas em soluções fundidas de nitrato de prata a temperaturas elevadas. Isso exige um rigoroso projeto de planejamento que otimiza os dispositivos de guias de ondas. Para tal, faz-se uso de métodos computacionais, com análises matemáticas baseadas no estudo de gráficos e performance característica dos materiais. Nesse sentido, este projeto de iniciação científica visa o desenvolvimento de um software que usa o método da aproximação WKB invertido para análise da propagação em um guia de onda.

Guias de ondas XE "Guias de ondas"  - Otimização XE "Otimização"  - Fabricação XE "Fabricação"

LEIS DE ESCALA NA FORMAÇÃO DE SUPERFÍCIES

Francisco Clovis de Sousa Júnior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Maurício Urban Kleinke (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

A morfologia do alumínio, em processo de oxidação, pode apresentar na sua superfície estruturas auto-organizadas. Estaremos verificando modelos para a formação dessas estruturas bem como o modelamento matemático inato ao crescimento e a morfologia desse agregado. A morfologia será analizada por microscopia de força atômica com a variação de escala na análise de algumas ordens de grandeza. Serão obtidos expoentes críticos para estes sistemas (dimensão fractal, expoente de crescimento e de rugosidade), que então compararemos com o previsto na literatura ou no modelo matemático apresentado. O modelo matemático que irá descrever o crescimento deverá estabelecer as relações entre os expoentes de escala, temos como opções a Equação de Edwards ? Wilkinson e a Equação de KPZ, que descrevem o crescimento de uma superfície a partir de um processo de deposição balística, ou seja, em que a partícula depositada sempre procura o ponto de menor potencial.

Escala XE "Escala"  - Superfície XE "Superfície"  - Estrutura XE "Estrutura"

PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE TELURETOS VIDROS DOPADOS COM SEMICONDUTORES DO TIPO PbTe

Gilberto Júnior Jacob (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Luiz Carlos Barbosa (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

Vidros dopados com quantum dots semi-condutores do tipo II-VI vem sendo estudados desde 1980, por apresentarem altas propriedades ópticas não lineares. Diversos vidros dopados com ?quantum dots ?do tipo CdS, CdSe, CdSeS, CdTe e CdTeS já foram bastante estudados e sabe se que apresentam picos de ?exitions ? na faixa de 500 a 650 nm, não podendo serem aplicados em campos mais promissores como o das telecomunicações. Como as telecomunicações operam em uma faixa de 1330 a 1500 nm, outros semi-condutores do tipo PbTe e HgTe estão sendo estudados. Matrizes do tipo boro-silicato já foram dopadas com PbTe, entretanto não são muito solúveis a estes semicondutores. Um outro problema enfrentado por estas matrizes são os altos pontos de fusão, o que as tornam economicamente inviável. Assim, o objetivo deste trabalho de iniciação científica foi o de produzir e caracterizar sistemas vítreos que apresentam maior solubilidade de semicondutores do tipo PbTe, que por sua vez aumentam as propriedades não lineares do material, bem como uma análise da dispersão destes quantum dots ou nanopartículas dentro da matriz vítrea com auxílio de um Microscópio de Transmissão Eletrônica Alta Resolução (HRTEM) do Laboratório Nacional Luz Sincroton. Matrizes de óxido de telúrio do tipo TeO2-ZnO-CdO e derivadas foram utilizadas com o intuito de melhorar estes problemas como o da solubilidade dos quantum dots, altos pontos de fusão e desta forma baratear e melhorar os materiais que podem ser usados para a fabricação de dispositivos ópticos, utilizados tanto na forma de fibras ópticas como guias de onda planares, assim como suas dopagens com ?quantum dots? do tipo PbTe.

Vidros Telureto XE "Vidros Telureto"  - Quantum dots XE "Quantum dots"  - Confinamento Quântico XE "Confinamento Quântico"

CARACTERIZAÇÃO FRACTAL DE FILMES FINOS UTILIZANDO MICROSCOPIA DE FORÇA ATÔMICA

Juliana Silva e Souza (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Maurício Urban Kleinke (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

Atualmente, a microscopia de força atômica (AFM) tem sido muito utilizada na caracterização de filmes finos devido, principalmente, ao fato de que ela fornece muita informação a respeito da topografia das superfícies analisadas. O estudo de filmes crescidos em tempos distintos permite o cálculo de coeficientes associados à taxa de variação da rugosidade com o tempo (coeficiente de crescimento ?) e à distribuição do material sobre a superfície (dimensão fractal, associada ao coeficiente de rugosidade ?). Neste projeto, foram estudados filmes finos de molibidênio depositados por sputtering. Essa deposição baseia-se no bombardeamento de um material sólido (alvo, neste caso, o molibidênio) por íons provenientes de um plasma (Ar) e acelerados por um campo elétrico. Átomos do alvo são arrancados e esse material ejetado é condensado em um substrato. Imagens desses filmes são feitas por AFM, no modo não-contato e são tratadas num programa de computador (SPM Lab). Através de Leis de Escala sabe-se que, geralmente, o processo de formação de uma superfície passa por duas etapas, uma com forte variação da rugosidade ? em função do tempo, seguida de uma estabilização, de uma saturação da largura da interface. Na primeira etapa, a rugosidade ? aumenta com uma potência do tempo, onde o expoente é ? (? = 0.39 + 0.07 para esses filmes estudados).

AFM XE "AFM"  - Sputtering XE "Sputtering"  - Fractal XE "Fractal"

ESTUDO DE DETECTORES DE PARTÍCULAS PARA SEREM UTILIZADOS NA VETAGEM DE RAIOS CÓSMICOS DO DETECTOR DE ONDAS GRAVITACIONAIS MÁRIO SCHENBERG

Lúcio Martins de Camargo Filho (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Anderson Campos Fauth (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

A interação de raios cósmicos de alta energia com um detector de ondas gravitacionais causa uma expansão térmica que pode resultar numa vibração mecânica na freqüência de ressonância dos componentes da antena. Isto geraria um sinal comparável com aquele esperado em experimentos de ondas gravitacionais. Foi estudado o detector de partículas tipo tubo streamer limitado visando e a sua utilização no veto de raios cósmicos do detector de ondas gravitacionais Mário Schenberg. As vantagens deste sistema são a facilidade de fabricação em grande escala, uma grande área de detecção e um grande sinal elétrico, simplificando a eletrônica de leitura e reduzindo custos. São apresentados resultados do estudo do efeito da radiação cósmica primária na atmosfera terrestre, da construção e operação de detectores tipo tubo streamer limitado e uma proposta preliminar para a construção do veto de raios cósmicos. O tema deste projeto faz parte do Projeto GRÁVITON, entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e várias universidades brasileiras. Este projeto pretende iniciar no Brasil, a observação de ondas gravitacionais.

Detectores de Raios Cósmicos XE "Detectores de Raios Cósmicos"  - Detectores de Ondas Gravitacionais XE "Detectores de Ondas Gravitacionais"  - Veto XE "Veto"

CÁLCULOS RELATIVÍSTICOS EM ÁTOMOS EXCITADOS

Marcelo Falsarella Carazzolle (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Richard Landers (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

Na linha de pequisa de estudos de superfícies, as técnicas de espectroscopia de elétrons (XPS - X-Ray Photoelectron Spectroscopy; XAES - X-Ray Auger Electron Spectroscopy) são largamente utilizadas. Para um total entendimento do espectro de emissão experimental é necessário um modelamento teórico das energias e probabilidades de transição entre níveis atômicos. O cálculo da probabilidade de transição envolve o conhecimento das energias e funções de onda no estado fundamental e em vários estados excitados; além dos estados no contínuo. Para o cálculo das funções de onda utilizamos com algumas modificações o código "Multiconfiguracional Relativistic Dirac-Fock", programa que calcula as funções de onda relativísticas e suas respectivas energias de ligação para várias configurações, os estados no contínuo são obtidos resolvendo numericamente a equação de Dirac. Com estas funções de onda relativísticas podemos obter os elementos de matriz para Transições Auger, Fotoemissão e Fluorescência, especialmente para átomos pesados onde os efeitos relativísticos são importantes. Neste trabalho iremos apresentar os resultados obtidos na resolução de átomos genéricos em múltiplas configurações : auto estados, auto energias, funções de onda no contínuo. Apresentaremos também, espectros teóricos de emissão Auger para várias transições e suas comparações com o experimental.

Processo Auger XE "Processo Auger"  - Relativístico XE "Relativístico"  - Funções no contínuo XE "Funções no contínuo"

INVESTIGAÇÃO DA ATIVIDADE FOTOSSINTÉTICA ATRAVÉS DAS TÉCNICAS FOTOACÚSTICA E FOTOPIROELÉTRICA

Max Erik Soffner (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Manoel Mansanares (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

As técnicas fotoacústica e fotopiroelétrica consistem em detectar a absorção de luz modulada incidente sobre uma amostra através da elevação da temperatura da amostra no processo. No primeiro caso, temos a geração do sinal devido às ondas de pressão produzidas em uma câmara fechada, devidas ao aquecimento, e que são detectadas por um microfone. No segundo caso temos a geração do sinal pela variação da voltagem sobre um sensor piroelétrico (variação da polarização com a temperatura). Quando as amostras são fotoquimicamente ativas, como é o caso das folhas vegetais do presente estudo, temos de um lado a contribuição dos gases produzidos e consumidos (fotossíntese) na onda de pressão (detecção fotoacústica), e de outro, a redução do aquecimento devido ao consumo de parte da energia na reação química (detecção fotopiroelétrica). Assim, podemos avaliar a atividade fotossintética da planta, neste caso o tabaco, através da obtenção de curvas de indução fotossintética, efeito negativo e efeito positivo feitos ?in vivo? e ?in situ? e compará-las entre as espécies. Num âmbito maior, as plantas selvagens podem ser comparadas com espécimes transgênicas com o sistema de antenas alterado pela modificação genética, o que se reflete na atividade fotossintética.

Fotossíntese XE "Fotossíntese"  - Fotoacústica XE "Fotoacústica"  - Fotopiroelétrica XE "Fotopiroelétrica"

QUANTIZAÇÃO DA CONDUTÂNCIA ENTRE DOIS FIOS

Eliane Marques de Oliveira, Patrícia Côrtes Nogueira e Prof. Dr. Leandro Russovski Tessler (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

Há poucos anos foi notado que a condutância de um contato entre dois fios à temperatura ambien-te varia em saltos entre patamares quantizados quando esses fios são separados. Isso constitui uma manifestação espetacular da mecânica quântica no universo macroscópico. Neste trabalho realizamos uma montagem na qual é possível verificar a quantização da condutância. É passada uma pequena corrente entre dois fios de ouro em contato, e sua resistência é observada em um osciloscópio no momento em que o contato é aberto. A condutância do contato passa por patamares de valor n G0, onde n é um inteiro e G0 = 2e2/h, sendo e a carga do elétron e h a cons-tante de Plank. O surpreendente efeito deve-se ao caráter ondulatório dos elétrons. Os elétrons somente podem propagar-se em canais de transmissão associados a níveis de energias permitidos, e mudam de canal na medida em que o diâmetro da função de onda dos elétrons no contato diminui, como ocorre com os modos de um guia de ondas.

Mecânica Quântica XE "Mecânica Quântica"  - Estruturas Nanométricas XE "Estruturas Nanométricas"  - Condutância XE "Condutância"

CÉLULA DE COMBUSTÍVEL TIPO ALCALINA

Paulo F. P. Ferreira (Bolsista) e Prof. Dr. Ennio Peres da Silva (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

A importância que o hidrogênio deverá assumir como fonte energética nos próximos anos dependerá da disponibilidade comercial de células de combustível (C.C.), que permitam a conversão de hidrogênio em eletricidade de forma limpa, eficiente e barata . A tecnologia atual das C.C. permite eficiência bastante razoável em alguns processos, porém ainda a custos muito altos. Mesmo assim já existem no mercado sistemas capazes de gerar grandes potências ( 100 MW ). Um grande impulso ao desenvolvimento de C.C. foi dado recentemente pelas legislações ambientais criadas em algumas cidades, e que restringem severamente o uso de veículos de combustão interna. Uma saída viável para esse problema é o desenvolvimento de veículos elétricos utilizando C.C. . De fato, notícias de inúmeros investimentos de grandes empresas nesse tipo de tecnologia tem sido comuns em revistas especializadas. O projeto consiste na construção de uma célula de combustível tipo alcalina (KOH), onde será estudada a eficiência do processo de geração de eletricidade proveniente da reação eletroquímica entre H2 e O2 gasosos. Será avaliado o desempenho no fornecimento de potência e as alterações desse desempenho com o tempo para eletrodos de níquel e titânio, ambos com deposição de platina. O processo deverá ser observado para a utilização de ar atmosférico e oxigênio puro.

Célula de Combustível XE "Célula de Combustível"  - Hidrogênio XE "Hidrogênio"  - Eletricidade XE "Eletricidade"

DESCRIÇÃO NUMÉRICA DA FUNÇÃO DE ONDA DO ESTADO FUNDAMENTAL DO ÁTOMO DE POSITRÔNIO FORA DO REFERENCIAL DO CENTRO DE MASSA

Sergio d´Almeida Sanchez (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Marco Aurélio Pinheiro Lima (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

O método multicanal de Schwinger para espalhamento é muito bem sucedido, porém se limita a energias inferiores da necessária à formação do átomo de positrônio. Desenvolveu-se, então, um modelo formal onde haveria a possibilidade de inclusão dessa formação no método multicanal de Schwinger. No entanto, para que este modelo seja incorporado, é necessário encontrar a função de onda do positrônio fora do referencial do centro de massa (já que o centro de massa é fixado no alvo, por ser muito mais pesado). No entanto a resolução deste problema por meio de cálculo direto (computacional ou analítico) se torna inviável pois as integrais envolvidas deixam de ser analíticas. Porém se considerarmos o positrônio como um somatório de ondas planas a analiticidade voltaria e o problema seria resolvido. Neste trabalho, a partir do uso de Transformada de Fourier, foi possível encontrar um modelo teórico para cálculo desta função de onda. Foi, então, elaborado um programa de computador na linguagem FORTRAN que, a partir do modelo teórico, encontraria a função de onda desejada por meio de quadraturas numéricas. Os resultados, ainda que iniciais, estão mostrando uma boa concordância com o esperado. Porém, testes estão sendo feitos para se chegar a uma conclusão mais precisa sobre a qualidade do método.

Positrônio XE "Positrônio"  - Ondas Planas XE "Ondas Planas"  - Modelo Computacional XE "Modelo Computacional"

ESTRUTURA CRISTALOGRAFICA DA GAPDH DE PORCO

Thiago Rodrigues de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Paula Kuser (Orientadora), Laboratório Nacional de Luz Sincrotron - LNLS

A enzima D-gliceraldeído 3-fosfato desidrogenasse (GAPDH) catalisa a primeira reação da segunda fase da Glicólise (sexta reação), sendo responsavel pela fosforilização oxidativa da D-gliceraldeído 3-fosfato, formando então 1,3 bifosfoglicerato. Esta fase contém os passos fosforilantes, preservadores de energia, nos quais a energia livre da molécula de glicose é conservada na forma de ATP. A protéina em estudo é a GAPDH de porco, a que tem maior similaridade com a humana quando comparada a todas as outras estruturas depositadas no protein data bank (PDB), (91% de identidade). A estrutura disponivel da enzima GAPDH humana é de pobre qualidade e baixa resolução (3.5 Å). Uma estrutura melhor refinada pode ajudar a entender com mais detalhes o mecanismo de ação da enzima e é de grande importancia para evitar atingir a GAPDH humana, quando tentando fazer desenho racional de drogas contra alguns patógenos como Tripanosoma cruzi, T.brucei. T.cruzi é um patógeno encontrado no norte do Brasil causador da doença de Chagas. A estrutura da GAPDH de porco está em seu estágio final de refinamento, R= 0,178 e Rfree=0,236, com dados coletados a uma resolução de 2.0 Å.

GAPDH XE "GAPDH"  - Estrutura Cristalografica XE "Estrutura Cristalografica"  - Glicólise XE "Glicólise"

INTERFEROMETRIA E HOLOGRAFIA COM LASER DE DIODO

Wendel Lopes Moreira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. José Joaquim Lunazzi (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP

Uma das grandes dificuldades de se fazer holografia era o fato dos lasers existentes no mercado serem de preço muito elevado. Entretanto com o surgimento do laser de diodo, pequeno e barato isto já não seria mais um empecilho. O motivo do nosso interesse no laser de diodo é também por ter ele tamanho mínimo, por ser de fácil aquisição, ou seja, por ser por todos os ângulos muito mais prático e versátil que o sistema anterior com laser de He-Ne. Este projeto trata basicamente de dois processos correlacionados. A parte principal do projeto trata do uso do laser de diodo na interferometria e na holografia. Para isto estudamos diversas características dos laseres de diodo, pesquisamos os que são disponíveis no mercado brasileiro desenvolvendo materiais e instrumentos para a análise e o manuseio dos mesmos, chegando a poder selecionar dentre os que tem como finalidade o uso como apontador aqueles que ocasionalmente apresentam elevada capacidade de interferência e servem para interferometria e holografia. A outra parte do projeto trata de holografia com luz branca, baseada no processo Lippmann, no qual se obtém fotografia colorida em um filme preto e branco, através da impressão do espectro pelo método da fotocromia interferencial. A utilização do laser de diodo nas experiências de fotocromia interferencial como uma fonte de luz monocromática foi o que nos despertou o interesse pelo laser de diodo.

HolografiaXE "Holografia" - InterferometriaXE "Interferometria" - LaserXE "Laser"

Instituto de Geociências

MODELO 3D CONCEITUAL DOS CORPOS RESERVATÓRIOS EM SISTEMAS DEPOSICIONAIS SILICOCLÁSTICOS DE ÁGUAS PROFUNDAS: O CASO DO SUBGRUPO ITARARÉ ? PORÇÃO ENTRE CAMPINAS E ITÚ.

Andrea Fregolente Lazaretti (Bolsista ANP) e Prof. Dr. Giorgio Basilici (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

A principal contribuição deste estudo é compreender a geometria dos corpos deposicionais do Subgrupo Itararé, no Estado de São Paulo, na região entre Campinas ? Itú. Como esta unidade é constituída por arenitos que são reservatórios potenciais de gás, é possível construir um modelo para rochas análogas não aflorantes que contenham petróleo e gás. O conjunto destas rochas é semelhante às rochas geradoras atuais da Margem Atlântica Brasileira, sendo assim o estudo desenvolvido poderá ser usado como modelo conceitual da arquitetura 3D destes reservatórios. A pesquisa consiste em trabalhos de campo para coleta de dados, análise de fácies, e microscopia óptica, gerando como resultado final perfis estratigráficos 1D e 2D, que possibilitam a correlação entre os mais diversos ambientes deposicionais. Ao final de todo o estudo, é possível a definição da geometria destes corpos, que permitem a modelagem da bacia de deposição.

Subgrupo Itararé XE "Subgrupo Itararé"  - Análise de fácies XE "Análise de fácies"  - Modelagem 3D da arquitetura deposicional XE "Modelagem 3D da arquitetura deposicional"

ANÁLISE BIVARIADA: UMA ABORDAGEM POR ESPERANÇA CONDICIONAL EXPERIMENTAL

César Kazzuo Vieira (Bolsista CEPETRO) e Prof. Dr. Armando Zaupa Remacre (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Na análise de regressão bivariada utiliza-se muitas vezes o coeficiente de correlação para julgar a relação entre duas variáveis, faz-se também suposições sobre a linearidade dos dados a fim de realizar interpretações espaciais, temporais etc. Porém, tais interpretações podem ser equivocadas ou irreais porque o coeficiente de correlação é altamente influenciado por outlier ou pontos extremos que distorcem a informação da massa de dados e, além disso, a correlação pode não ser linear conforme ilustrado por Anscombe (1973). O modelo desenvolvido tem como objetivo mostrar que a separação dos dados em classes e, posteriormente, o cálculo da média permite regressões mais robustas. Pois a média de uma classe não é influenciada pelos outlier das classes vizinhas por isso oferece uma melhor forma de análise da relação linear ou não dos dados. O trabalho é ilustrado com dados de meio ambiente onde são comparados as regressões por classes com as regressões clássicas.

Regressão XE "Regressão"  - Esperança Condicional XE "Esperança Condicional"  - Análise Bivariada XE "Análise Bivariada"

BRECHAS MINERALIZADAS: PARÂMETROS DE CLASSIFICAÇÃO E APLICAÇÃO AO DEPÓSITO DE COBRE-OURO DE IGARAPÉ BAHIA, PROVÍNCIA MINERAL DE CARAJÁS, PA

Daniel Luiz Daleffe (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Roberto Perez Xavier (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Brechas são rochas que se formam em diversos ambientes geológicos na crosta terrestre, sendo geralmente importantes do ponto de vista econômico, pois comumente associam-se a uma ampla variedade de depósitos minerais de metais básicos (cobre, chumbo e zinco) e metais preciosos (ouro e prata). As brechas mineralizadas a cobre e ouro da mina de Igarapé Bahia, Província Mineral de Carajás, SE do Pará, atualmente a maior mina de ouro do país, com produção anual de 12t, estão confinadas entre um domínio de rochas sedimentares (ritmitos, argilitos, siltitos, arenitos e formações ferríferas) e vulcânicas máficas de idade arqueana, metamorfizadas na fácies xisto verde. Os objetivos concentraram-se em: (1) definir as principais características, separar em diferentes tipos e classificar, em termos genéticos, as brechas mineralizadas a cobre e ouro, por meio do estudo petrográfico de amostras de furos de sondagem do depósito; (2)definir os modos de ocorrência do ouro e suas relações com os sulfetos de cobre, silicatos e carbonatos associados às brechas por meio de microscópio petrográfico e microscopia eletrônica de varredura

Brecha XE "Brecha"  - Carajás XE "Carajás"  - Ouro XE "Ouro"

ROTEIROS DE CAMPO PARA ENSINO DE GEOLOGIA, A PARTIR DE LEVANTAMENTOS GEOLÓGICOS E GEOMORFOLÓGICOS DA REGIÃO DE JUNDIAÍ-ATIBAIA

Eliane Ap. de Freitas Oliveira (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Celso Dal Ré Carneiro (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

O projeto tem como objetivo produzir roteiros originais de campo para ensino de Geociências, destinados a alunos de diferentes níveis de escolaridade. Diferentes abordagens têm sido consideradas, como fruto de uma revisão teórica sobre ensino de campo em Ciências da Terra. Os trabalhos devem culminar na elaboração de roteiros geológicos de campo, utilizando-se uma abrangente base de dados construída durante mapeamento geológico-estrutural de uma área de aproximadamente 440 km2, situada entre os municípios de Jundiaí e Atibaia. Roteiros de diferentes graus de complexidade estão sendo produzidos. Em primeiro momento a estudante concentrou-se na reunião de dados coletados no campo, dados de descrição petrográfica e resultados de pesquisas anteriores na região. Os trabalhos envolveram ainda análise de fotos aéreas e seleção de afloramentos mais significativos, procurando-se detectar aqueles de maior interesse para subsidiar atividades de ensino de campo na região de Jundiaí-Atibaia. Durante o primeiro período de bolsa obteve-se um roteiro voltado para alunos de graduação em geologia, utilizado com êxito junto a alunos do 4º ano na disciplina Geologia Estrutural. Outros dois roteiros estão em estágio final de preparação, ainda voltados para ensino superior. Na etapa derradeira dos trabalhos, além dessas atividades para graduação, pretende-se oferecer material de interesse direto para Educação Ambiental, tanto para o ensino médio como fundamental. Os roteiros estão sendo disponibilizados pela internet no site do projeto Jundiati:  HYPERLINK http://www.ige.unicamp.br/~jundiati http://www.ige.unicamp.br/~jundiati.

Estruturas XE "Estruturas"  - GeologiaXE "Geologia" - Ensino de campoXE "Ensino de campo"

DETALHAMENTO GEOLÓGICO-GEOFÍSICO DA REGIÃO DE CAETÉS, MINAS GERAIS

Jarbas Zanon (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Elisabete Maria Pascholati (Orientadora) e Prof. Dr. Carlos Roberto de Souza Filho (Co-orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

O Quadrilátero Ferrífero, no Estado de Minas Gerais, tem sido alvo de muita pesquisa, face à presença na região, de mineralizações, principalmente, de ouro, de ferro, de manganês. Com a execução do levantamento aerogeofísico do Projeto Rio das Velhas, concebido e viabilizado em 1991, houve um aprimoramento dos mapas pré-existentes, principalmente nas zonas do Greenstone Belt. Porém, algumas dúvidas restaram na área próxima à cidade de Caetés, no tocante aos limites das seqüências geológicas, detalhamento de estruturas e à prováveis zonas mineralizadas. Com o objetivo de sanar algumas dessas dúvidas efetuou-se uma análise dos dados aerogeofísicos (gamaespectrometria e magnetometria), com a comparação entre os dados aéreos e terrestres e a execução de um perfil geológico-geofísico terrestre. Assim, foi verificada a consistência dos dados aéreos gamaespectrométricos (Potássio, Urânio e Tório) e magnetométricos (retirado o IGRF), efetuadas as interpolações pertinentes e elaborados mapas de contorno e de imagem para os três radioelementos, K, U e Th, razões Th/K, Th/U e U/K e do campo magnético anômalo. Como resultado, obteve-se um mapa na escala 1:100.000, onde se verifica melhor o comportamento das estruturas, um maior detalhamento litológico, com evidências, inclusive, de zonas anômalas.

Geologia XE "Geologia"  ? Geofísica XE "Geofísica"  - Mineralização XE "Mineralização"

MAPA GEOMORFOLÓGICO, EM AMBIENTE SIG, DA REGIÃO DE JUNDIAÍ-ATIBAIA

Juliano José de Souza (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Celso Dal Ré Carneiro (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

A região de Jundiaí-Atibaia, situada a norte da capital paulista, está sendo objeto de mapeamento geomorfológico, em escala 1:50.000. O método de trabalho nesse segmento cristalino da província geomorfológica do Planalto Atlântico envolve interpretação sistemática das formas de relevo, buscando-se representar as feições compatíveis com a escala. A pesquisa requer interpretação de fotos aéreas, imagens de satélite, análises de mapas topográficos e modelos digitais de terreno, assim como trabalhos de campo para confirmar as interpretações anteriores e coletar novos dados. Mapas geológicos 1:25.000 e 1:50.000 foram elaborados em projeto mais abrangente, que contou com ativa participação do bolsista. O mapa geológico é essencial no estudo geomorfológico, já que o modelado do relevo é fruto da atuação dos processos exógenos sobre rochas e estruturas. Os dados são inseridos em ambiente SIG, utilizando-se Arc/Info, Arcview e Autocad, a partir dos quais geram-se modelos digitais de terreno e mapas de declividade. Discute-se na presente etapa uma legenda adequada para representar as feições e processos em escala de semi-detalhe. Em tais áreas de geologia complexa, a integração de conhecimentos de Geomorfologia e Geologia possibilita apoiar a prevenção/minimização de acidentes geológico-geotécnicos.

Geologia XE "Geologia"  - Geomorfologia  XE "Geomorfologia" - SIG XE "SIG"

DETECÇÂO DE OCORRÊNCIAS DE Zn-Pb ATRAVÉS DE SENSORES REMOTOS E SIGs

Lucas de Melo Melgaco (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Roberto de Souza Filho (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Um dos principais desafios na detecção de rochas portadoras de concentrações metálicas em ambientes de clima tropical é a dificuldade de separação entre superfícies ricas em ferro, geradas como conseqüência da alteração supergênica de sulfetos (?gossans?), e crostas lateríticas genéricas, também ferruginosas, mas sem nenhuma associação à estes depósitos. O objetivo deste trabalho compreendeu a integração de dados plani-altimétricos, magnetométricos e de sensoriamento remoto multiespectral (dados do sensor Landsat-7 ETM+), visando diminuir a ambigüidade no mapeamento de gossans genuínos e incorporar novas ferramentas para prospecção de corpos de sulfeto. A região de Itacambira (MG) apresenta ocorrências conhecidas de sulfetos de Zn e Pb e foi selecionada como área teste para avaliação dos dados e métodos propostos. A base de dados em formato analógico (mapas topográficos e do campo magnético anômalo) foi convertida para o formato digital, tornando possível a fusão e análise espacial de todos os dados em Sistemas de Informações Geo-referenciadas (SIGs). Os resultados obtidos indicam que áreas que comportam simultaneamente a presença de anomalias espectrais de ferro, altos magnéticos e altos topográficos, relacionam-se diretamente à ocorrências de Pb-Zn documentadas na região, o que demonstra a adequação dos métodos avaliados para o mapeamento de seqüências potencialmente ricas nesses metais.

Sensoriamento Remoto  XE "Sensoriamento Remoto" - Magnetometria XE "Magnetometria"  - Geologia XE "Geologia"

COMPORTAMENTO DO As, Pb, Cu E Zn EM SOLOS TROPICAIS

Patricia S. Braga (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Bernardino R. Figueiredo (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Os solos tropicais, em geral, possuem uma grande variedade de componentes, dentre os quais se destacam o quartzo, minerais de argila, oxi-hidróxidos de Fe, Al e Mn, matéria orgânica e outros, aos quais podem estar localmente associadas elevadas concentrações de metais pesados e elementos tóxicos com influência na qualidade de águas superficiais e subterrâneas. Durante a presente pesquisa foram realizados estudos mineralógicos e químicos de amostras coletadas em perfis verticais de solos, localizados na anomalia de As e metais pesados do Piririca, Vale do Ribeira, a qual é relacionada à ocorrência de depósitos de ouro e sulfetos em subsuperfície. As técnicas analíticas utilizadas foram a fluorescência de raios X (FRX) e difratometria de raios X (DRX). Os resultados indicam a presença de concentrações anômalas desses elementos nos solos e sugerem uma semelhança de comportamento geoquímico ao longo dos perfis de alteração entre As e Pb, por um lado, e Zn e Cu, por outro, o que é coerente com estudos realizados em outras regiões do trópico úmido. A suscetibilidade da área de estudo para os processos de erosão está sendo diagnosticada com a finalidade de estabelecer estratégias de prevenção e mitigação de impatos ambientais que possam ser ocasionados pela ocupação e uso desses solos contaminados.

Arsênio XE "Arsênio"  - Solos XE "Solos"  - Vale do Ribeira XE "Vale do Ribeira"

ANÁLISE E MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE RISCO NA CIDADE DE APIAÍ

Ricardo Ramos Spreafico (Bolsista PIBIC/CNPq), Oscarlina Escaleante (Mestranda) e Profa. Dra. Sueli Yoshinaga Pereira (Orientadora), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

A síntese do conhecimento do meio físico é necessária para o planejamento da urbanização ou de instalações industriais para um uso mais adequado da terra. O estudo e a compilação dos mapas geológico, geomorfológico, da distribuição da rede de drenagem, pontos de contaminação na área urbana, de declividade e pedológico foram feitos para entender a dinâmica dos processos que podem afetar a estabilidade na área urbana, determinando as unidades geotécnicas. Nestas unidades foram determinadas áreas com maiores e menores potenciais de deslizamentos e inundações, que são os processos dominantes na cidade, visando organizar o processo de expansão urbana da mesma. A digitalização no software Auto Cad 2000 simplificou a compilação dos mapas para facilitar a leitura do trabalho resultante que deve ser de acesso a todos, tanto autoridades municipais quanto à população.

Planejamento XE "Planejamento"  - Meio Físico XE " XE "Meio Físico"  - Urbanização XE "Urbanização"

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

RECONSTRUÇÃO DE IMAGENS VIA PROJEÇÕES: UMA INTRODUÇÃO A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA

Ana Flávia Rolla Sette Bicalho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sandra Augusta Santos (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

A tomografia computadorizada é um procedimento de diagnóstico por imagem que combina o uso de raios-X com computação. Neste trabalho foi estabelecido um plano teórico-prático de trabalho, no qual os tópicos de matemática foram estudados e implementados. Com o objetivo de analisar o funcionamento de algoritmos de reconstrução de imagens via projeções, foi analisado um algoritmo de diversas formas, comparado-as em relação a sua eficiência. Para se resolver os sistemas sobredeterminados que sempre são obtidos como resposta desse algoritmo de reconstrução de imagens, utilizamos as chamada Técnicas Algébricas de Reconstrução (?ARTs?), também conhecidas por método interativo de Kaczmarz. A metodologia de análise esta baseada no uso do MatLab como ambiente de simulação computacional. Com a variação de alguns parâmetros do método, pode-se avaliar a eficiência do algoritmo e a validade dos resultados. Aumentando o número de iterações, diminui-se o erro relativo, obtendo-se uma imagem mais próxima do real. Outra variação possível é o número de pixels da figura. Aumentando o número de pixel, aumentamos também a definição da imagem.

Tomografia Computadorizada XE "Tomografia Computadorizada"  - Reconstrução de Imagens XE "Reconstrução de Imagens"  - Sistemas Lineares Sobredeterminados XE "Sistemas Lineares Sobredeterminados"

SISTEMAS DINÂMICOS DISCRETOS

Ana Leticia Ferreira de Moraes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lúcio Tunes dos Santos (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

A aplicabilidade da teoria dos sistemas dinâmicos discretos é vasta pois modelam fenômenos físicos cujos estados mudam com o passar do tempo. Estes modelos também são usados em previsões econômicas e financeiras, modelagem ambiental, diagnósticos médicos e outras aplicações que precisam prever o estado futuro do sistema sem recorrer a estados anteriores. Para que pudéssemos fazer um estudo significativo do assunto, escolhemos a análise do comportamento do Método de Newton aplicado à solução de equações. Iniciamos com o estudo das definições fundamentais gerais (diferenciabilidade, estabilidade, bifurcação, etc) e finalizamos com a apresentação dos Conjuntos de Julia e de Mandelbrot para ilustrar o comportamento caótico de alguns sistemas. No decorrer do projeto, além da forte abordagem teórica aos sistemas dinâmicos discretos, procuramos enriquecê-lo com exemplos numéricos visualmente elucidativos.

Conjuntos de Julia e de Mandelbrot XE "Conjuntos de Julia e de Mandelbrot"  - Método de Newton XE "Método de Newton"  - Sistemas Dinâmicos XE "Sistemas Dinâmicos"

A MATEMÁTICA DAS TEORIAS DE CALIBRE E APLICAÇÕES À ROBÓTICA

Carlos Alberto Sato (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Márcio Antonio Faria Rosa (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Este projeto tem por objetivo, primeiro desenvolver os tópicos matemáticos necessários para o estudo das teorias de calibre. Após essa etapa, desenvolveremos possíveis aplicações à Robótica. Isso é possível pois ao analisarmos o movimento de um braço de um robô, por exemplo, teremos um sistema articulado. Ao descrevermos seu movimento consideraremos os possíveis graus de liberdade do sistema e o seu movimento será analisado então no espaço de configurações do mesmo. Para isso é necessário em primeiro lugar estudarmos o Cálculo Diferencial e Integral em espaços euclidianos Rn. Para essa etapa do projeto, analisamos o livro Calculus on Manifolds, de M. Spivak. Neste livro foram abordados os seguintes conceitos: definição de funções em um espaço n-dimensional e continuidade dessas funções; derivada direcional, derivadas parcias de uma função; teorema da função inversa e teorema da função implícita; formas diferenciais e tensores; variedades; integração de formas diferenciais em cadeias. Finalizada essa etapa passaremos a analisar questões mais geométricas com o estudo de geometria diferencial.

Matemática XE "Matemática"  - Robótica XE "Robótica"  - Teoria XE "Teoria"

UM ESTUDO DE REDES NEURAIS APLICADO A UM PROBLEMA DE CLASSIFICAÇÃO BINÁRIA

Cristina Mayumi Kato (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof Dr. Emanuel Pimentel Barbosa (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Bancos e instituições financeiras tem muitas vezes interesse em classificar ou pontuar clientes (?behaviour scoring?) ou candidatos a crédito (?credit scoring?) como bons ou maus de acordo com o risco de não pagamento. Para isso são utilizados dados cadastrais dos candidatos e histórico dos clientes para estimar esse risco através de algum modelo estatístico. São estudadas, em termos de performance preditiva , não somente técnicas básicas de classificação que apresentam função de discriminação linear, como é o caso da regressão logística, quanto métodos não-lineares como as redes neurais. Diferentes topologias de redes a frente são consideradas variando-se o número de camadas e de nós, além de diferentes métodos de estimação e opções de implementação computacional. As vantagens dos procedimentos não-lineares são mostrados , inclusive em termos de proporção de classificação correta obtida em um conjunto de dados de validação.

Behaviour Scoring XE "Behaviour Scoring"  - Classificação Binária XE "Classificação Binária"  - Redes Neurais XE "Redes Neurais"

TÉCNICAS DE REORDENAÇÃO PARA MATRIZES ESPARSAS

Daniel Evangelista Régis (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria Aparecida Diniz Ehrhardt (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Neste trabalho vamos tratar de sistemas lineares da forma Ax = b, onde A ( Rnxn e b ( Rn são conhecidos e x ( Rn é a solução procurada. Nosso interesse está voltado para sistemas de grande porte onde, em geral, a matriz A é esparsa. No entanto, quando aplicamos métodos diretos para resolver o sistema, pode haver preenchimento da matriz durante o processo de fatoração. Para evitar isto, existem várias técnicas que podem ser usadas em conjunto com a fatoração de A, tentando preservar ao máximo sua estrutura esparsa; entre estas técnicas estão as técnicas de reordenação de linhas e/ou colunas. Vamos abordar a reordenação à forma triangular por blocos e a estratégia de "minimum degree" (menor grau). No primeiro caso, depois de aplicado um algoritmo para reduzir a matriz A à forma triangular por blocos, resolvemos o sistemas de equações lineares reduzido, fatorando somente os blocos diagonais da matriz e resolvendo o sistema por substituição, regressivamente. Assim, todo o preenchimento fica confinado aos blocos diagonais. Na forma de reordenação das colunas de A baseada na idéia do "minimum degree", minimizamos o preenchimento na matriz determinando a linha pivô i tal que rik = mintrtk, onde rtk é o número de entradas não nulas da linha t da matriz, no estágio k. Através de um conjunto significativo de experimentos numéricos, implementados no MATLAB, comparamos o efeito de ambas as reordenações sobre o preenchimento que pode ser causado na matriz A depois de realizada sua decomposição LU, e fazemos uma análise completa dos resultados.

Matrizes Esparsas XE "Matrizes Esparsas"  - Técnicas de Reordenação XE "Técnicas de Reordenação"  - Fatoração LU XE "Fatoração LU"

SOBRE UM TIPO DE EQUAÇÃO DIFERENCIAL PARCIAL

Daniel Juliano Pamplona da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edmundo Capelas de Oliveira (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Apresentamos e discutimos a classificação quanto ao tipo das equações diferenciais parciais lineares de segunda ordem. Após isto particularizamos para o caso das equações diferenciais parciais lineares de segunda ordem com duas variáveis independentes, as quais mostramos que sempre podem ser conduzidas a uma equação de Tricomi de primeira ou segunda espécie. A motivação para o estudo destas equações é o grande número de problemas que estas descrevem, tais como propagação de onda e fluxo de calor, dentre muitos outros. Estudamos ainda o d?Alembertiano projetivo que surge no estudo da relatividade projetiva. Como aplicação estudamos o comportamento quanto ao tipo do d?Alembertiano projetivo em duas dimensões. Para este introduzimos mudanças de variáveis independentes com as quais o transformamos em uma equação de Tricomi de segunda espécie do tipo hiperbolico-parabólica. Como uma verificação, obtivemos a equação característica associada à equação de d'Alembert projetiva em duas dimensões sem reduzi-la a uma equação de Tricomi, e comparamos os resultados. A utilidade de reduzirmos uma equação a uma equação de Tricomi é a de podermos classifica-la quanto ao tipo em todos os pontos do espaço e também poder sua solução sempre ser obtida pelo método de separação de variáveis.

Equação diferencial Parcial XE "Equação diferencial Parcial"  - Equações de Tricomi XE "Equações de Tricomi"  - Curvas características XE "Curvas características"

GRUPOS DE LIE

Daniel Miranda Machado (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcelo Firer (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Introduzimos alguns conceitos e propriedades importantes relativos a grupos de Lie. Uma destas propriedades é o fato de o grupo de isometrias de uma variedade riemanniana ser um grupo de Lie. Como aplicação, exploramos alguns aspectos do grupo de Lorentz, grupos de isometrias do espaço pseudo-riemanniano de Minkovski.

Grupos de Lie  XE "Grupos de Lie" - Espaço de Minkovski XE "Espaço de Minkovski"  - Grupo de Lorentz XE "Grupo de Lorentz"

ESTIMADORES RESISTENTES

Eduardo Ferraz de Campos Mônaco (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Mario A. Gneri (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

O objetivo da estatística é extrair inferências válidas a partir de um conjunto de dados. Além de considerar os dados propriamente ditos, qualquer análise está baseada em algumas hipóteses ou suposições a respeito da situação sob estudo. Estas suposições não são verdadeiras no sentido estrito do termo, elas são racionalizações ou simplificações da realidade motivadas pela falta de conhecimento acabado do fenômeno sob estudo ou pela necessidade de ?simplificar? o fenômeno para torna-lo acessível às ferramentas matemáticas e computacionais disponíveis. Por estes motivos deve-se estudar a estabilidade dos procedimentos estatísticos em geral (em particular as técnicas de estimação) na presença de desvios das hipóteses nas quais se baseiam, e utilizar técnicas não muito sensíveis aos desvios das hipóteses. Tais técnicas são chamadas resistentes ou robustas. Nos cursos tradicionais de estatística esta problemática é muito pouco trabalhada, embora ela tenha surgido quase simultaneamente com o uso dos primeiros modelos paramétricos da estatística clássica. Pretendemos contribuir um pouco à popularização destes conceitos através deste trabalho, estudando o impacto dos outliers nos estimadores tradicionais, apresentando alternativas resistentes e introduzindo ferramentas adequadas para o estudo da robustez e/ou resistência.

Inferência Paramétrica XE "Inferência Paramétrica"  - Resistência XE "Resistência"

AS MATEMÁTICAS DA TEORIA DE CALIBRE APLICADAS À ROBÓTICA

Ester Cristina Rosa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Marcio Antonio de Faria Rosa (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

O Projeto teve seu início centrado no estudo do Cálculo no espaço Rn tendo, como base bibliográfica, o livro ?Calculus on Manifolds? de Michael Spivak. Partindo do reconhecimento de norma de um vetor e do produto interno de dois vetores, estudou-se topologia no espaço euclidiano explorando conceitos como: ponto interior e exterior; fecho; subconjuntos abertos, fechados, limitados e compactos. Assim, viu-se teoremas importantes como, por exemplo, o de Heine-Borel: ?O intervalo [a,b] é compacto?. Em seguida, trabalhamos com limite e continuidade de funções vetoriais. Estudamos a transformação linear T: Rn(Rn, uma função vetorial com suas propriedades características, e apresentamos o cálculo de sua norma utilizando a desigualdade de Cauchy-Schwarz. Num segundo momento vimos a Derivação estudando teoremas fundamentais como o Teorema da Função Inversa e o Teorema da Função Implícita. Depois disso trabalhamos com integração em n dimensões. Estudamos também a definição de medida e conteúdo nulos de subconjuntos do Rn. Analisamos a integrabilidade de funções vetoriais definidas pelo Teorema de Fubini e vimos, também, partição de unidade. Depois disso nos debruçamos no estudo de k-tensores e propriedades do produto tensorial, vendo, em seguida, o divergente e rotacional, formas diferenciáveis e produto cunha, o Lema de Poincaré e o Teorema de Stokes.Estamos agora estudando os primeiros textos do livro ?Notes on Differential Geometry? de Noel J. Hicks e, no futuro, faremos aplicações a sistemas flexíveis.

Teoria de Calibre XE "Teoria de Calibre"  -Sistemas Flexíveis XE "Sistemas Flexíveis"  - Espaço n-dimensional XE "Espaço n-dimensional"

A MATEMÁTICA DO MOVIMENTO: APLICAÇÕES DAS REPRESENTAÇÕES PARAMÉTRICAS EM TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO

Isaias José Amaral Soares (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Sandra Augusta Santos (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Este trabalho se desenvolveu tendo em vista a compreensão e aplicação de representações paramétricas em animações feitas por computador. A representação paramétrica de curvas e superfícies é uma ferramenta poderosa na definição de movimentos associados a um caminho, por permitir, ao mesmo tempo, que se defina o caminho e a forma como esse caminho é percorrido. Foram trabalhados durante o trabalho os diversos conceitos de animação, bem como a implementação prática dos mesmos. Fizemos uma análise detalhada de parametrização por comprimento de arco e curvas de espaço, o que nos permitiu definir exatamente a posição de um objeto móvel sobre uma curva paramétrica qualquer. Analisamos ainda o comportamento de estruturas articuladas cujas extremidades se movem segundo uma função geral. Utilizamos o programa Mathematica® para validação de conjecturas e testes preliminares de algoritmos, e a linguagem C++ para a implementação de programas-exemplo que contribuíram para o maior entendimento do assunto. A exploração detalhada desses elementos nos permitiu elaborar por escrito, de maneira simples e prática, diversos aspectos com o objetivo de que o leitor desenvolva seus próprios programas utilizando tais conceitos, ou ainda, se apoie em rotinas prontas que executam animações. Também podem ser feitas simulações, exemplificações e modelos baseados em leis físicas, cujo resultado aparece diretamente na tela do computador, aumentando o grau de compreensão do leitor acerca do processo em andamento. Sem dúvida, esse é um dos motivos pelo qual a computação gráfica tem ganhado tanto espaço no mundo moderno.

Computação Gráfica XE " Computação Gráfica "  - Animação XE " Animação "  - Estruturas articuladas XE " Estruturas articuladas "

INTRODUÇÃO ÀS REDES NEURAIS

Joana Meirelles Villas Bôas (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Lúcio Tunes dos Santos (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Este é um trabalho de iniciação científica que procura estudar redes neurais artificiais. A motivação para o desenvolvimento das mesmas foi a intenção de se simular o processo que ocorre no cérebro, uma vez que o funcionamento deste é completamente diferente dos computadores digitais convencionais. Como parte do trabalho, foram estudados o funcionamento geral de redes (sua estrutura e características, tais como seus elementos e os tipos de função de ativação tipicamente utilizados, além de um estudo não aprofundado do cérebro humano), algumas características gráficas de redes neurais (especificamente, trabalhou-se com redes que apresentavam duas entradas e uma saída, uma vez que as mesmas podem ser representadas em gráficos 3D cujos eixos são precisamente as duas entradas e a saída) e algumas de suas aplicações práticas (nesta parte, alguns exemplos foram discutidos). O auxílio computacional, que se deu na construção dos gráficos e na simulação de algumas redes, favoreceu muito a compreensão dos conceitos envolvidos em redes neurais.

Redes Neurais XE "Redes Neurais"  - Gráficos XE "Gráficos"  - Aplicações XE "Aplicações"

REDES NEURAIS ARTIFICIAIS APLICADAS À RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Juliana Cristina Marques Ferreira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sandra Augusta Santos (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

A teoria de redes neurais artificiais tem se mostrado eficiente na solução de problemas em que extensas massas de dados devem ser analisadas e modeladas num contexto multidisciplinar, envolvendo, simultaneamente aspectos estatísticos, computacionais, dinâmicos e de otimização. Nosso projeto consistiu em um roteiro de estudos dessas redes como uma ferramenta para a exploração e análise de problemas. Iniciamos com a pesquisa em redes de uma só camada (Perceptron e Adaline), prosseguindo com redes de várias camadas (Madaline e Backpropagation) e com memórias associativas (Hopfield) Fizemos um estudo bibliográfico, bem como experimentos computacionais, para a simulação de exemplos numéricos nos problemas de reconhecimento de padrões abordados. Com base em nossos resultados, podemos afirmar que o desempenho das redes neurais é, em geral, bastante sensível aos parâmetros que definem a rede. Também observamos que o desenvolvimento de heurísticas para acelerar o desempenho é uma prática bastante comum e poderosa na área. Verificamos que o valor das redes neurais está justamente na potencialidade de abordar problemas mais complicados, para os quais não exista uma formulação determinística fechada, ou que tal formulação seja inviável do ponto de vista prático.

Redes Neurais Artificiais XE "Redes Neurais Artificiais"  - Reconhecimento de Padrões XE "Reconhecimento de Padrões"  - Simulação XE "Simulação"

INFERÊNCIA BAYESIANA PARA SEQÜÊNCIA DE CONSENSO DE DNA USANDO MÉTODOS DE MONTE CARLO E BASEADO EM CADEIAS DE MARKOV COM SALTOS REVERSÍVEIS

Leandro Teixeira Sanchez (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Nancy Lopes Garcia (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

O objetivo deste trabalho é a estimação de uma seqüência de consenso de DNA e seu comprimento. A suposição principal deste trabalho é que a seqüência observada foi obtida da seqüência original através de um mecanismo aleatório oculto (neste caso, cadeia de Markov oculta). Assim, o espaço de parâmetro estendido é: a seqüência de consenso, seu comprimento, a matriz de transição da cadeia oculta, a matriz de produção e a própria cadeia oculta. Obteremos uma estimação bayesiana de maximum a posteriori selecionando a seqüência e o comprimento que maximizam a distribuição posteriori dos parâmetros dado as observações, escolhendo assim para representar o verdadeiro DNA. Neste caso, a distribuição a posteriori não é possível de ser obtida analiticamente e através de método de Monte Carlo baseado em uma cadeia de Markov de saltos reversíveis podemos obter uma amostra da distribuição a posteriori.

Inferência Bayesiana  XE "Inferência Bayesiana"  - Método de Monte Carlo XE "Método de Monte Carlo"  - Cadeia de Markov oculta XE "Cadeia de Markov oculta"

SOBRE UM ESTUDO DO EQUILÍBRIO BIONÔMICO DE UM SISTEMA DE DUAS ESPÉCIES

Livia Ferrari Negrão (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Benjamin Bordin (Orientador), Institituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Neste trabalho estudamos o problema de captura integrada de duas espécies de população. Inicialmente estudamos modelos pesqueiros de um sistema de duas espécies com captura conjugada que são os seguintes:(I) Modelo logístico de crescimento de duas espécies ecologicamente independentes, (II) Modelo logístico de crescimento de duas espécies que competem entre si e (III) Modelo de Lotka-Volterra de uma presa e um predador. No estudo de (I), (II) e (III) são utilizados os conceitos de equilíbrio dinâmico e de equilíbrio bionômico(factível e parcialmente factível) para a obtenção de resultados que permitem uma análise sob a qual, levando em conta um esforço de pesca(por exemplo, quantidade de barcos pesqueiros por dia), termos uma viabilidade econômica sem tornar predatória a captura integrada de duas espécies. A seguir estudamos, em analogia com (I) e (II) , o sistema de duas espécies em que o crescimento não é o logístico obtendo resultados para o equilíbrio bionômico das espécies.

Equilíbrio bionômicoXE "Equilíbrio bionômico" - Modelo logísticoXE "Modelo logístico" - Sistemas autônomosXE "Sistemas autônomos"

MODELOS PRINCIPAIS DE REDES NEURAIS: INTRODUÇÃO À TEORIA E APLICAÇÕES

Marcio Teruo Akyama (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Peter Sussner (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

As redes neurais têm sido estudadas desde a década de 50 com o objetivo de atingir uma inteligência, comparável ao cérebro, em sistemas artificiais. Esses modelos são compostos de vários elementos computacionais não lineares operando em paralelo e arranjados em padrões que lembram redes neurais biológicas. Elementos computacionais ou nós são conectados via pesos que são tipicamente adaptados durante o uso para melhorar seu desempenho. Desde os anos 80, surgiram vários modelos e algoritmos poderosos de redes neurais, tais como técnicas eficientes de implementação em VLSI que provêem um excelente desempenho em uma vasta variedade de aplicações. Neste trabalho, foram feitos estudo e implementação dos principais modelos de redes neurais e suas aplicações, sendo todas implementações feitas em C/C++. Houve, com isso, a possibilidade de se fazer estudo do sistema de aprendizado das redes neurais, confirmando os resultados teóricos encontrados na literatura. Foram vistos os modelos mais importantes como: Perceptron, AdaLiNe e Hebbiana utilizadas na classificação de padrões; o modelo de múltipla camado do Perceptron, utilizando o algoritmo da retropropagação em seu aprendizado; os modelos principais de memórias associativas, incluindo as morphológicas; as redes baseadas em competição; redes de função de base radial; e a teoria da ressonância adaptativa.

Redes Neurais XE "Redes Neurais"  - Reconhecimento e Associação de Padrões  XE "Reconhecimento e Associação de Padrões" - Inteligência Artificial XE "Inteligência Artificial"

LOCALIZAÇÃO TERRESTRE: DO MAPA DE MERCATOR AO GPS

Matheus Fabiano Pila (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lúcio Tunes dos Santos (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Foram feitos estudos sobre dois diferentes tipos de projeções da esfera no plano - Estereográfica e de Mercator. Para cada uma dessas projeções foram feitas comparações entre modos de caminhar sobre o globo terrestre: sobre a loxodromia (curva que mantém um ângulo constante com os meridianos) e sobre o maior arco (curva de menor distância). Apresentamos também a implementação computacional desses estudos, onde foram feitos programas em Matlab, de maneira a visualizar esses caminhos na esfera (globo terrestre) sobres as duas diferentes projeções citadas. Estudamos ainda os fundamentos de GPS (Global Positioning System), analisando como as informações dos satélites determinam a posição do indivíduo no globo terrestre. Foi desenvolvido um programa que simula o funcionamento do GPS de maneira a verificarmos a sua eficácia. Posteriormente, analisamos algumas modificações ao sistema original de maneira a melhorar a precisão. São elas o Serviço de Posicionamento Preciso (PPS em inglês) e o GPS Diferencial.

GPS XE "GPS"  - Mercator XE "Mercator"  - Localização Terrestre XE "Localização Terrestre"

MODELOS DO UNIVERSO

Melissa Tancredi Zanettini e Prof. Dr. Yuri Dimitrov Bozhkov (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Na primeira parte do projeto etudamos vários modelos cosmológicos desde a antiquidade até a atualidade. Em particular, fizemos um apanhado histórico do surgimento da Teoria do Big-Bang que se originou com base em trabalhos de Einstein, Friedman, Lemaitre. Dando prosseguimento ao projeto estudaremos a geometria do Espaço-Tempo de Minkowski, abordaremos alguns elementos da Teoria Especial da Relatividade e, em seguida, tópicos da Teoria Geral da Relatividade.

Teoria do Big-Bang XE "Teoria do Big-Bang"  - Lei di Hubble XE "Lei di Hubble"  - Equações de Einsten XE "Equações de Einsten"

EXPLORAÇAO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS

Paula Peixoto Olivetti (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Margarida Pinheiro Mello (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

A teoria de Redes Neurais Artificiais, apesar de sua relativa juventude, conta com inúmeras aplicações nas mais diversas áreas do conhecimento, do processamento de sinais à medicina. Profissionais com formação nas mais diversas áreas foram responsáveis pelo desenvolvimento inicial da pesquisa em redes Redes Neurais Artificiais, criando modelos e algoritmos inspirados em analogias com processos biológicos. As Redes Neurais Artificiais costumam ser vistas como ferramenta de aproximação universal, que permite fazer inferências sobre o comportamento de uma entidade sem que para tanto seja necessário decifrar a lógica, as razões e o mecanismo responsável pelo seu comportamento. Neste trabalho, a partir da literatura, foi realizada uma pesquisa introdutória de Redes Neurais Artificiais e um estudo bem detalhado dos algoritmos para a fase de treinamento da rede neural, como Hebb, Perceptron, Adaline, Madaline, Backpropagation e Hopfield. Desses algoritmos, apenas os considerados mais importantes foram programados, utilizando o software Mathematica. Comparou-se redes cujos parâmetros foram obtidos pelos algoritmos de treinamento típicos desta área, com redes cujos parâmetros foram calculados por outros métodos. Por fim, realizaram-se diversas simulações envolvendo aplicações comparando-se a eficácia da rede neural com outros métodos matemáticos.

Redes XE "Redes"  - Neurais XE "Neurais"  - Artificiais XE "Artificiais"

MODELAGEM DE AEROFÓLIOS BIDIMENSIONAIS

Pedro Francisco Maciel Neto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Vera Lúcia Xavier Figueiredo (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Este trabalho procura interagir Dinâmica dos Fluídos com a teoria das Variáveis Complexas visando aplicações à Aerodinâmica, em particular na modelagem de aerofólios bidimensionais. Apresenta uma pequena introdução aos conceitos de sustentação, ângulo de ataque e as leis de movimento de Newton para o entendimento do vôo de aviões. Investiga a geometria de perfis de asas por meio de enfoques experimentais e analíticos e explora movimentos bidimensionais de fluídos ?perfeitos?. Explora os principais conceitos envolvidos por meio de um enfoque computacional com o pacote analítico e gráfico Mathematica. Curvas de Bezier permitiram resgatar e desenhar vários perfis de aerofólios a partir de um conjunto de pontos fornecidos pela NACA (National Adivisory Commitee for Aeronautics). Transformações de Nicolai Joukowski (1847-1921) possibilitaram criar e estudar, a partir de círculos, a geometria de aerofólios bidimensionais. A ligação entre a teoria das funções analíticas e escoamentos de fluídos inspirou simulações, por meio de animações, de alguns efeitos físicos de fluxos ao redor de aerofólios de Joukowski, a partir de escoamentos em volta de cilindros circulares. O tratamento computacional, aliado à teoria dos aerofólios bidimensionais, favoreceu a compreensão dos principais conceitos estudados.

Aerofólios XE "Aerofólios"  - Joukowski XE "Joukowski"  - Animações Gráficas XE "Animações Gráficas"

APLICAÇÕES EM ÁLGEBRA LINEAR IMPLEMENTADAS COMPUTACIONALMENTE

Rafael Rodrigues da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Claudina Izepe Rodrigues (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

O projeto desenvolvido teve como metas principais o estudo e subseqüente implementação computacional dos mais diversos tipos de aplicações práticas em Álgebra Linear. Antes do início do período efetivo da bolsa foi desenvolvido um estudo pormenorizado da Álgebra Linear assistido pela orientadora já focando as aplicações que viriam a ser trabalhadas posteriormente. No desenvolvimento do trabalho com essas aplicações foi enfatizado o uso de programas como MATLAB e MATHEMATICA, bem como o uso da calculadora HP48G para implementar a resolução dos variados requisitos algébricos presentes nos diferentes temas abordados; parte essa, que torna o trabalho com as aplicações diferenciado dos tradicionais. A parte computacional do projeto serviu não só para uma resolução mais rápida e efetiva dos problemas impostos pela parte prática da Álgebra, como também para a parte teórica da mesma, uma vez que os softwares e a calculadora usados operam com matrizes e conceitos algébricos de maneira simplificada, eficiente e muito rápida, sendo que por vezes possibilita desenvolvimentos inviáveis sem o uso desses meios, além de permitir graus mais elevados de precisão em cálculos iterativos ou que exijam discretização mais refinada.

Álgebra Linear XE "Álgebra Linear"  - Aplicações XE "Aplicações"  - Implementação XE "Implementação"

A FUNÇÃO DE GREEN UNIDIMENSIONAL

Rodolfo Valentim da Costa Lima (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Edmundo Capelas de Oliveira (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Através do método de Sturm-Liouville calculamos a função de Green e os níveis de energia para uma partícula submetida a um potencial unidimensinal, associada à equação de Schrödinger independente do tempo. A equação de Schrödinger é uma equação diferencial que provém da física quântica e permite o estudo de sistemas microscópicos. Por se tratar de uma equação diferencial, podemos estudar, do ponto de vista matemático, suas soluções, singularidades, estabilidade de soluções e métodos (de solução) aproximativos, onde é de fundamental importância o conhecimento da função de Green associada ao problema. Para sistemas quânticos, onde o potencial é conhecido e independe da velocidade podem ser representados por equações de Schrödinger independentes do tempo (isto é, a parte espacial), que são equações diferenciais lineares, ordinárias de segunda ordem e homogênea. Para este tipo de equação ordinária, a teoria de Sturm-Liouville prevê a existência e a forma da função de Green para o problema, de onde é obtida a partir de duas soluções linearmente independentes da equação homogênea associada, onde cada uma das soluções é regular num extremo do intervalo [a,b]. Como aplicações, calculamos a função de Green e os níveis de energia para uma partícula sujeita a potenciais do tipo: oscilador harmônico na presença de um campo elétrico uniforme, potencial isotônico e um potencial tipo Morse, sendo todas elas expressas em termos das funções hipergeométricas confluentes e/ou funções de Whittaker.

Equação de Schrödinger XE "Equação de Schrödinger"  - Método de Sturm-Liouville XE "Método de Sturm-Liouville"  - Função de Green XE "Função de Green"

COMPARAÇÃO DE MODELOS PARAMÉTRICOS E NÃO-PARAMÉTRICOS PARA ESTIMAÇÃO DE VOLATILIDADE

Tatiana Andréa Benaglia (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Aluísio de Souza Pinheiro (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Neste trabalho, fazem-se comparações entre métodos não-paramétricos e paramétricos para o estudo da volatilidade. Como método paramétrico de predição da volatilidade, utiliza-se um AR(1)-SV, com resultados já existentes na literatura. As alternativas não-paramétricas apresentadas são a de predição da volatilidade por estimação da função de regressão via: (i) funções-núcleo e (ii) ondaletas. Para estimação da curva de volatilidade, são utilizadas funções-núcleo e ondaletas. São realizadas simulações de séries, com e sem valores extremos. São simulados modelos paramétricos de volatilidade estocástica bem como modelos de volatilidade não-paramétricos. Duas séries reais também são utilizadas para as comparações. O desempenho relativo dos estimadores é representado pelos Erros Quadráticos Médios, Erros Quadráticos Médios Integrados e sua capacidade de identificar os valores aberrantes.

Volatilidade XE "Volatilidade"  - Funções-núcleo XE "Funções-núcleo"  - Ondaletas XE "Ondaletas"

APROXIMAÇÕES SUCESSIVAS ATRAVÉS DE PONTO FIXO

Túlio Costa Rizuti da Rocha (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Sueli Marconi Roversi (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Alguns problemas práticos de diversas áreas como equações diferenciais ou equações integrais, podem ser inseridos no contexto dos espaços de Banach, de modo que as suas soluções caracterizam-se como pontos fixos de funções auxiliares, definidas a partir das próprias condições iniciais destes problemas. Tais espaços devem estar munidos de uma distância d e as funções devem verificar a seguinte condição: d ( T(x), T(y) ) ( k d (x , y), para todo x e y no espaço, onde k < 1 é uma constante real positiva. Geometricamente, as imagens de x e de y estão mais próximas entre si do que os pontos x e y. O teorema do ponto fixo garante a existência de um ponto z tal que T(z) = z, através de um processo construtivo partindo de um elemento xo e determinando sucessivamente x n+1 = T (x n) para n (1. O ponto fixo será o valor de convergência da seqüência construída. Este método iterativo possibilita construir melhores aproximações para o ponto fixo e obter estimativas de erro. Um exemplo ilustrativo consiste em determinar a existência e unicidade de solução da equação integral EMBED Equation.3. O espaço de Banach será o espaço C*( [ 0, ( );R ) das funções reais contínuas e limitadas em [ 0, ( ) e a função auxiliar EMBED Equation.3 para a qual a constante k vale EMBED Equation.3. A solução da referida equação será dada pelo ponto fixo da função T.

AproximaçãoXE "Aproximação" - Ponto FixoXE "Ponto Fixo" - Método IterativoXE "Método Iterativo"

Instituto de Química

MEMBRANAS COMPÓSITAS DE POLI(CARBOSSILANO) E DE SILICONA RETICULADA COM NÚCLEOS DENDRÍTICOS

Adriana Gimenes de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Inez Valéria P. Yoshida (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O uso de membranas poliméricas em processos de separação de gases recebeu um grande impulso nos últimos anos, devido ao seu baixo custo, facilidade de obtenção e baixa demanda de energia. Uma classe de membranas que merece destaque é aquela composta por materiais híbridos organo-inorgânicos, pois nestas há um sinergismo nas propriedades individuais de seus componentes. Um caso especial destas membranas são aquelas derivadas de siloxanos ou siliconas. Neste trabalho foram estudadas membranas à base de siliconas, sendo uma delas modificada por carbossilano, enquanto a outra foi obtida pela reticulação de uma cadeia de silicona com núcleos dendríticos. As membranas obtidas foram caracterizadas por espectroscopia de absorção no infravermelho, análise termogravimétrica, difratometria de raios-X, análise dinâmico-mecânica e por medidas de calorimetria diferencial de varredura. A permeabilidade das mesmas, frente aos gases N2, O2, H2, CH4 e CO2, foi avaliada usando-se o método ?time-lag?, sendo observados altos valores de coeficientes de permeabilidade e seletividade ideal, em especial para a membrana baseada em carbossilano-siloxano, a qual apresentou alto fluxo dos gases permeantes e excelentes valores para os coeficientes ideais de seletividade.

Permeabilidade XE "Permeabilidade"  - Membranas XE "Membranas"  - Siliconas XE "Siliconas"

SOBRE O IMPACTO DIDÁTICO DE UM SITE EDUCACIONAL

Airton Gonçalves Salles Jr. (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Adriana V. Rossi (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A criação da rede mundial de computadores, a internet, facilitou nas últimas décadas a distribuição de informações. Com isso, o processo educacional adquiriu novas formas.O processo de ensino e aprendizagem pode ser complementado com programas ou sites educativos contendo informações didáticas. A partir de um trabalho anterior deste projeto de pesquisa, foi criado o PROQUÍMICA, um site educacional sobre Química, onde são disponibilizados materiais didáticos e opções de interação com Químicos. O usuário-alvo do site consiste em estudantes de nível médio e superior, além de outros eventuais interessados. Desde 19/03/2001, o site foi acessado cerca de 1200 vezes. Para avaliação do impacto do PROQUIMICA entre os usuários, foi disponibilizado um formulário para respostas on-line. Apesar de poucas respostas terem sido recebidas, cerca de 30, foi possível concluir que 80% dos usuários mostraram-se satisfeitos, 67% são do sexo masculino e a idade média dos usuários é de 26,5 anos. As dúvidas mais freqüentes foram referentes a questões técnicas envolvendo Química. Os usuários com dúvidas buscavam respostas imediatas, como num tipo de prestação de serviços, sem se preocuparem em seguir um processo educativo como é objetivo do PROQUÍMICA: a orientação é mais valiosa que o mero esclarecimento de dúvidas. Questões sobre a história da Química e Alquimia ocuparam o segundo lugar em freqüência, indicando o interesse dos usuários por aspectos menos técnicos. O site, de modo geral, tem repercussão positiva e atende o objetivo educacional inicialmente exposto.

Química XE "Química"  - Educação XE "Educação"  - Informática XE "Informática"

CRIAÇÃO E USO DE UMA EXPERIMENTOTECA NO ENSINO DE QUÍMICA COMO FORMA DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO DA REDE PÚBLICA E ESTÍMULO PARA A CARREIRA DE QUÍMICO

Alexandre Rodrigues Gaspari (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. José de Alencar Simoni (Orientador) e Prof. Dr. Matthieu Tubino (Colaborador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Este projeto consistiu no levantamento de experimentos de química, e sua adequação ao ensino médio. Aspectos como: materiais e reagentes adequados, textos, entre outros foram considerados. Um questionário, para professores e alunos do ensino médio de escolas públicas, foi elaborado levantando-se questões como: assuntos mais motivantes, assuntos mais difíceis de serem ensinados e entendidos e aspectos que deveriam ser respeitados na concepção e montagem dos ?kits? etc. A partir destes resultados, um grupo de experimentos foi extraído de livros-texto do ensino médio e em revistas especializadas em ensino. Os experimentos selecionados foram testados em laboratório, e modificados, conforme proposta original e desejo dos professores consultados. Os experimentos sugeridos são, realizáveis em salas de aula comum. Os resultados e as conclusões desta parte do projeto ainda estão em fase de elaboração.

Experimentos - XE "Experimentos"  Kits XE "Kits"  - Ensino Médio XE "Ensino Médio"

ESTUDO DE REAÇÕES NA FASE GASOSA ENTRE ÍONS ACÍLIOS E AMINAS

Aline Brionísio Lemos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcos N. Eberlin (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A espectrometria de massa pentaquadrupolar permite o estudo da química de íons isolados na fase gasosa. Experimentos de MS2 e MS3 podem ser realizados com alta eficiência em um espectrômetro de massas pentaquadrupolar, o qual se constitui em um conveniente laboratório para estudo da química dos íons na fase gasosa. Uma grande quantidade de íons pode ser facilmente gerada na fonte de ionização por diferentes técnicas, e suas estruturas investigadas por métodos MS2 e MS3. A espectrometria de massa seqüencial em conjunto com cálculos teóricos permite o estudo da estabilidade dos íons gerados.Este traballho consiste no estudo de reações entre íons acílios e compostos que apresentam como grupo funcional aminas. As reações de íons acílios com aminas são pouco estudadas o que explica o objetivo deste trabalho. O íon acílio [C6H5CO]+ (m/z 105) foi reagido com isômeros de aminas de fórmula geral C7H9N. Experimentos de MS2 entre o íon acílio (m/z 105) e os isômeros de amina mostraram adutos de reações distintos e em alguns a não formação de aduto. Estes experimentos em conjunto com experimentos MS3 (CID) oferecem um diagnóstico estrutural adequado para a diferenciação destes isômeros.

Espectrometria de Massa XE "Espectrometria de Massa"  - Reações Íon/Molécula na Fase Gasosa XE "Reações Íon/Molécula na Fase Gasosa"  - Íons Acílios XE "Íons Acílios"

EXTRAÇÃO E PURIFICAÇÃO DA VIOLACEÍNA, UM PIGMENTO NATURAL EXTRAÍDO DA Chromobacterium violaceum. ESTUDO DOS COMPLEXOS DE INCLUSÃO COM (-CICLODEXTRINAS E SUA ATIVIDADE BIOLÓGICA

Ana Laura Corrêa Xavier (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Nelson Durán (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Este trabalho compõe-se de duas partes. A primeira envolve a produção, extração e purificação da violaceína, um pigmento natural produzido pela bactéria Chromobacterium violaceum. Na segunda tem-se a realização de testes biológicos com a utilização de complexos de inclusão com (-ciclodextrina. O objetivo destes foi exatamente avaliar o potencial antioxidante in vitro de tais complexos, através da geração de ânion superóxido e na peroxidação lipídica induzida por este ânion. Utilizaram-se dois métodos de produção de violaceína: sobre suporte sólido (algodão) e em meio líquido (Bioflo III). Na extração e purificação utilizaram-se soxhlets. O produto obtido foi analisado por infravermelho, ressonância magnética nuclear, espectrometria de massas e cromatografia. O complexo (-ciclodextrina/violaceína foi obtido com sucesso, como provam as análises espectrais. O estudo da atividade antioxidante da violaceína livre e com o complexo apresentaram diferenças significativas. Estes resultados mostram a importância da violaceína como antioxidante e confirmam seu enorme potencial biológico.

Violaceína - XE "Violaceína"  Complexos de inclusão - XE "Complexos de inclusão"  Antioxidante XE "Antioxidante"

OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE SUPORTE DE SÍLICA ZIRCONIZADA

Anderson Santos Pedrosa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Kenneth E. Collins (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Dentre os grupos de colunas mais comuns utilizadas em cromatografia líquida de alta eficiência(CLAE) o maior destaque se dá as recheadas com micropartículas de sílica, pela larga diversidade de aplicações e a possibilidade da modificação de sua superfície com a adição de grupos alquila, sendo os mais comuns os C8 e C18, quimicamente ligados ao grupos silanóis superficiais. Entretanto, deve-se levar em conta a baixa resistência do suporte de sílica à condições de pH extremas (pH<3 ou pH>7). Assim o principal foco desse projeto é preparar um suporte de sílica zirconizada que possa conferir ao suporte uma maior resistência nestas condições, permitindo análise de substâncias fortemente ácidas ou básicas. O suporte é modificado pela reação entre a sílica (5 (m) e uma solução concentrada de butóxido de Zr (IV) onde se estudou as variáveis mais importantes como a temperatura, concentração do reagente e o tempo de reação. Fez-se também um estudo do volume dos poros da sílica. Os testes preliminares indicam que possa ocorrer o cobrimento de uma monocamada completa do butóxido sobre a sílica usando o reagente à uma concentração de 80% (m/m) em butanol e com temperaturas acima de 80°C. O suporte obtido será usado na preparação de uma fase estacionária com poli(metiloctadecilsiloxano) imobilizado, para averiguar sua utilidade em análises cromatográficas a pH extremos.

Cromatografia líquida de alta eficiência XE "Cromatografia líquida de alta eficiência"  - Zirconização XE "Zirconização"  - Sílica XE "Sílica"

PREPARAÇÃO DE UM SILICATO DE MAGNÉSIO LAMELAR, MODIFICADO COM GRUPOS ORGÂNICOS DERIVADOS DA URÉIA E APLICAÇÃO NA PRÉ-CONCENTRAÇÃO DE MOLÉCULAS ORGÂNICAS POLUENTES

Andrea Sales de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq), César Ricardo da Silva (PG) e Prof. Dr. Claudio Airoldi (Orientador), Instituto de Química - IQ , UNICAMP

Os filossilicatos de magnésio podem ser preparados através de uma reação de copolimerização de íons Mg2+ com trialcoxissilanos do tipo (RO)3Si-R em meio alcóolico, na presença de base. Durante o processo, os grupos alcóxidos se hidrolisam formando os grupos silanóis que sofrem uma reação de condensação com o hidróxido de magnésio para formar a fase inorgânica através da ligação Si-O-Mg. Seguindo esta rota experimental, uma variedade muito grande de materiais pode ser sintetizada dependendo da funcionalidade do grupo -R do trialcoxissilano. Utilizando essa rota sol-gel de síntese, foi preparado um filossilicato de magnésio contendo o grupo funcional derivado da uréia, o [(3-uréia-dodecil)propil]trietoxissilano. O material obtido foi caracterizado através das técnicas de difração de raios-X, mostrando um pico em 2? = 2,1º, referente à distância interlamelar de 420pm, espectroscopia na região do infravermelho, observando-se uma banda em 3330 cm-1 referente ao estiramento da ligação ?N-H, bandas entre 2970 à 2880 cm-1 relativas ao estiramento dos grupos metila e metileno, em 1630 cm-1 da ligação ?C=O do grupo funcional uréia, em 1570 cm-1 devido à deformação angular da ligação N-H e uma banda em 1010 cm-1 devido ao estiramento da ligação siloxano Si-O. Através da análise elementar a porcentagem de carbono obtida 49,58% foi muito próxima da esperada 52,80%. Estudou-se a estabilidade do híbrido em soluções tamponadas de diferentes pH, sendo que o mesmo se mostrou estável em uma ampla faixa, de 3 a 12. Está sendo estudada a aplicação deste filossilicato na pré-concentração de moléculas orgânicas poluentes. Uma metodologia está sendo desenvolvida para este fim e os resultados estão em progresso.

Híbridos XE "Híbridos"  - Rota sol-gel XE "Rota sol-gel"  - Filossilicato XE "Filossilicato"

SEPARAÇÃO E DETERMINAÇÃO DE COBRE EM AMOSTRAS DE INTERESSE METALÚRGICO E ALIMENTOS, UTILIZANDO ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO ATÔMICA POR CHAMA APÓS EXTRAÇÃO COM DIBENZOILMETANO (DBM) EM NAFTALENO FUNDIDO

Andréia Gonçalves Miranda (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Nivaldo Baccan (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Os metais, quando ingeridos em grandes quantidades, são nocivos à saúde, por isso a contínua necessidade de métodos para a determinação em baixas concentrações. Dentre estes métodos, o mais utilizado é a espectrofotometria de absorção atômica (EAA), geralmente precedida por uma etapa de pré-concentração. O modelo desenvolvido possibilitou a determinação de cobre em amostras metalúrgicas e alimentícias através da quelação do metal com dibenzoilmetano (DBM) adsorvido com naftaleno fundido. Durante o trabalho avaliou-se parâmetros analíticos para a maior retenção do cobre, tais como, pH adequado (8,5 a 9,0); a melhor solução tamponante (NH4OH / NH4Cl); quantidade de reagente e solvente necessários, tempo de digestão da mistura metal / reagente / naftaleno (15 minutos sob agitação) e efeito de interferentes e mascarantes, de modo que foi possível propor um procedimento geral. Notou-se a importância do tempo de digestão da mistura, fundindo-a em banho-maria no forno de microondas e mantendo-a fundida com o auxílio de uma chapa de aquecimento. A aplicabilidade do método demonstrou-se satisfatória, com a recuperação do cobre maior que 98%.

Espectrometria de Absorção Atômica XE "EAA"  XE "Espectrometria de Absorção Atômica"  - Pré concentração de cobre XE "Pré concentração de cobre"  - Naftaleno fundido XE "Naftaleno fundido"

ESTUDO FITOQUÍMICO DE Plumeria rubra L. (Apocynaceae)

Artur Franz Keppler (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Raquel Marques Braga (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O gênero Plumeria, introduzido no Brasil como planta ornamental, pertence à família Apocynaceae, sub-família Plumeroideae, compreendendo 8 espécies. Nosso grupo de pesquisa tem trabalhado com plantas brasileiras da mesma família, estudando os gêneros Rauvolfia e Himatanthus. Baseados em dados morfológicos, sabe-se que os gêneros Plumeria e Himatanthus são próximos, mas distantes do gênero Rauvolfia. As espécies de Plumeria apresentam atividade biológica e são popularmente utilizadas para diversos fins terapêuticos. O trabalho teve como objetivo o estudo fitoquímico do caule de P. rubra, visando isolar, identificar seus metabólitos secundários e compará-los com os isolados de H. obovatus. O caule foi coletado de indivíduos cultivados no campus da UNICAMP. Este material foi seco, moído e submetido à extração etanólica; o extrato obtido foi particionado em 3 solventes de diferentes polaridades: heptano, diclorometano, n-butanol e manteve-se a quarta fração etanólica. O extrato diclorometânico foi separado em 264 frações por cromatografia em coluna de sílica-gel. O isolamento dos compostos realizou-se via CCD e CCE e a identificação por espectroscopia de UV, RMN 1H e 13C em 1D e 2D. Do extrato diclorometânico isolou-se o plumieride, um iridóide glicosilado, também isolado de H. obovatus. Além deste, isolou-se outros compostos que estão sendo analisados.

Plumeria rubra XE "Plumeria rubra"  - Iridóide XE "Iridóide"  - Plumieride XE "Plumieride"

AVALIAÇÕES CROMATOGRÁFICAS E CINÉTICAS DA DEPOSIÇÃO DE POLI(METILOCTILSILOXANO) NOS POROS DA SÍLICA

Camila R. M. Vigna (Bolsista SAE/UNICAMP), Carla B. G. Bottoli (PG), Prof. Dr. Kenneth E. Collins e Profa. Dra. Carol H. Collins (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A maioria das fases estacionárias utilizadas em Cromatografia Líquida de Alta Eficiência em fase reversa é ligada quimicamente com os silanóis da superfície da sílica. Foi desenvolvido no LabCrom do Instituto de Química um tipo alternativo de FE contendo uma camada de polissiloxano sorvida nos poros da sílica. Como a adsorção de polissiloxanos é um processo lento à temperatura ambiente, este trabalho teve, como objetivo, explorar o efeito da temperatura e do tempo de aquecimento na preparação de FE sorvidas, analisando-as cromatograficamente. As FE (solução de PMOS em pentano + sílica) foram agitadas (3h) e, após a evaporação do solvente, aquecidas numa estufa (100°C), por diferentes períodos de tempo (30min, 2h, 4h, 16h, 24h). As FE foram então extraídas em fluxo contínuo com hexano (temp.:50°C; vazão: 0,5 mL/min; tempo: 3h) e com estas foram preparadas suspensões (PMOS + sílica, solvente clorofórmio) com agitação por 16h para o enchimento das colunas. Estas foram avaliadas cromatograficamente utilizando uma mistura orgânica de uracil, acetona, benzonitrila, benzeno, tolueno e naftaleno. Os resultados mostraram que houve um acréscimo de PMOS adsorvido nos poros da sílica com o aumento do tempo de aquecimento. Os melhores resultados cromatográficos foram obtidos para as fases tratadas à 16h e 24h, indicando que este tratamento térmico produz FE com boas propriedades para serem usadas em CLAE-FR.

CLAE XE "CLAE"  - Fases Estacionárias XE "Fases Estacionárias"  - Temperatura XE "Temperatura"

ESTUDO GEOQUÍMICO ORGÂNICO DE QUATRO ÓLEOS DO CAMPO DE MARLIM DA BACIA DE CAMPOS

Carla Badellino (Bolsista SAE/UNICAMP), Sidney Gonçalo de Lima (Doutorando) e Profa. Dra Luzia Koike (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O atual entendimento dos fenômenos controladores das acumulações petrolíferas depara-se com inúmeras barreiras. Uma delas reside na compreensão dos processos que interferem na migração dos hidrocarbonetos em bacias sedimentares, partindo das rochas geradoras e chegando aos reservatórios onde hoje são encontrados. Um desses estudos é a ação dos ácidos orgânicos que interferem no fluxo migratório de fluido em uma bacia. Portanto a análise dos aspectos molecular das frações neutras e ácidas dos petróleos contribui para o entendimento dos processos de geração, migração e biodegradação dos óleos. Para a caracterização da matéria orgânica utiliza-se a cromatografia gasosa acoplada a um espectrômetro de massa (CG-EM). Os estudos são feitos através da análise dos marcadores biológicos da fração neutra, podendo ser correlacionada com a fração ácida, onde a idéia básica é considerar que a caracterização na abundância da matéria orgânica reflete diretamente nos processos acima relacionados. Concluindo, parâmetros obtidos até o presente momento pelas análises dos biomarcadores realizadas nas frações neutras dos óleos em estudo forneceram parâmetros principalmente de óleos biodegradados, maturos e de origem lacustre salina.

Bacia de Campos XE "Bacia de Campos"  - Biomarcadores XE "Biomarcadores"  - Fração Neutra XE "Fração Neutra"

ADSORÇÃO DE CÁTIONS E HETEROGENEIDADE DE PARTÍCULAS DE LÁTEX POLIMÉRICOS DE POLI(ACETATO DE VINILA)

Carla Cristiane Osawa (Bolsista FAPESP) e Prof. Dra. Elizabeth Fátima de Souza (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Látex poliméricos, obtidos por polimerização em emulsão, possuem uma grande importância como modelos de colóides e, principalmente, como produtos industriais. Por exemplo, as tintas aquosas usadas em construção civil são formuladas com látex de poli(acetato de vinila) ou de copolímeros do estireno. Neste trabalho, foi utilizado o poli(acetato de vinila), PVAc fornecido pela Rhodia S/A, dialisado e exposto a soluções de cátions metálicos. A adsorção desses cátions na superfície do látex foi verificada através das técnicas de espectroscopia no infravermelho, reflectância difusa, microscopia eletrônica de varredura e espectroscopia de correlação de fótons (PCS). Além disso, foi feita a microscopia óptica da secagem e formação de filme de uma gota (3(L) das amostras do látex após a adsorção de cátions Ni2+ em diversas concentrações (PVAc/Ni2+). Verificou-se que uma amostra de látex de PVAc estudada, com uma baixa polidispersidade detectada por PCS, contém pelo menos três tipos de partículas, quanto ao tamanho e à capacidade de adsorção dos cátions. As amostras de PVAC/Ni2+ apresentam coloração verde e tempos de formação de filmes menores do que o de PVAc puro. A adsorção dos cátions sobre a superfície do látex ocorre via interações puramente eletrostáticas.

Poli(acetato de vinila) XE "Poli(acetato de vinila)"  - Adsorção - heterogeneidade de látex XE "Adsorção - heterogeneidade de látex"  - Microscopia eletrônica de varredura XE "Microscopia eletrônica de varredura"

ESTUDO DA BIODEGRADAÇÃO DE EFLUENTE DE INDÚSTRIA PAPELEIRA UTILIZANDO SISTEMA DE LODO ATIVADO

Carlos Henrique Rodrigues (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Nelson Durán (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Tratamentos de efluentes baseados em processos biológicos permitem a degradação de grandes volumes de efluente, transformando compostos orgânicos tóxicos em CO2 e H2O ou CH4 e CO2. Um sistema de biodegradação por lodo ativado consta de duas etapas básicas: o bioreator aerado onde a biomassa degrada/metaboliza os componentes orgânicos e um clarificador onde os flocos de microrganismos são separados do líquido clarificado e recirculados ao bioreator. Nesse trabalho desenvolveu-se um reator de lodo ativado para o tratamento de efluente gerado no estágio de branqueamento de uma indústria papeleira, sendo esse efluente caracterizado pela grande concentração de matéria orgânica, organoclorados e elevada toxicidade. Como parâmetros da biodegradação analisou-se a redução da matéria orgânica através do Carbono Orgânico Total, DBO e DQO, fez-se também determinações de Fenóis Totais, Cor e Testes de toxicidade. Esse sistema apresenta considerável eficiência de remoção de carbono orgânico (70%), compostos fenólicos (85%) e toxicidade (80% de redução em 24h), além de apresentar facilidade operacional e baixo custo, o que demonstra o grande potencial de biodegradação para o tratamento desse tipo de efluente; que, entretanto, ainda não está sendo aproveitado pelas indústrias.

Biodegradação XE "Biodegradação"  - Remediação Ambiental XE "Remediação Ambiental"  - Efluentes XE "Efluentes"

ESTUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DA POLAROGRAFIA DE PULSO DIFERENCIAL NA DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA DE FERRO(III) EM UM ELETRÓLITO SUPORTE A BASE DE ACETATO - EDTA

Caroline da Costa Silva Gonçalves (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Luiz Manoel Aleixo (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Esse projeto visa a análise de uma rota alternativa (eletrólito de suporte) para se promover a determinação simultânea de Fe(III) e Cu(II) ,sem que ocorra a interferência de um no outro, já que os íons em estudo apresentam potencial de pico com valores muito próximos nos eletrólitos de suporte usuais, acarretando em suas sobreposições polarográficas. O eletrólito suporte é constituído de ácido acético/acetato/KNO3 /EDTA .Os íons metálicos em estudo complexam com o EDTA, ocorrendo assim o deslocamento dos potenciais de pico de ambos, tornando possível a determinação simultânea de Fe(III) e Cu(II) .A solução eletrolíca mais adequada em termos das concentrações de ácido- acético- EDTA e KNO3 é feita baseada em um estudo fatorial, após este estudo deve- se verificar o efeito do pH na separação dos picos destas espécies eletroativas, já que este influi na constante de formação destes metais com EDTA. O método desenvolvido será aplicado na determinação de Fe(III) e Cu(II) em amostras reais tal como fármacos e latão. O método também será validado utilizando-se testes de recuperação e/ou comparação com valores obtidos pela utilização de outros métodos.

EDTA  XE "EDTA" - Ferro e cobre XE "Ferro e cobre"  - Polarografia XE "Polarografia"

SÍNTESE TOTAL DE ALCALÓIDES N-METIL-4-ALQUIL-QUINOLÔNICOS COM POTENCIAL ATIVIDADE ANTIMALARIAL

Cesar Henrique Pavam (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fernando A. S. Coelho (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A malária, caracterizada como um dos maiores problemas em saúde pública mesmo antes de 1930, continua sendo responsável pela morte anual de aproximadamente 2 milhões de pessoas, principalmente em países pobres. Desta forma, torna-se imperativa a realização de esforços no sentido de se desenvolver alternativas para o tratamento clínico eficaz desta doença. Neste contexto, ensaios biológicos preliminares in vitro demostraram que os alcalóides N-metil-4-alquil-quinolônicos 1a-c apresentam uma potencial atividade antimalarial. A síntese total destes alcalóides, isolados a partir da planta Esenbeckia almawillia, de grande ocorrência na região amazônica brasileira, constitui o objetivo deste trabalho. Para tanto, foi testada a rota sintética convergente esquematizada abaixo.

A preparação dos (-cetoésteres 2a-c foi realizada em rendimentos entre 50 e 60%, após purificação por cromatografia em coluna de sílica-gel. Estes (-cetoésteres foram então aplicados a uma reação de condensação com a o-anisidina N-metilada 3, fornecendo as enaminas 4a-c que, após termicamente ciclizadas, fornecerão as alquil-quinolonas alvo.

Alcalóides quinolônicos XE "Alcalóides quinolônicos"  - (-cetoésteres XE "(-cetoésteres"  - Drogas antimalariais XE "Drogas antimalariais"

ESTUDO MICROCALORIMÉTRICO DO EFEITO DE m-metoxifenol SOBRE A RESPIRAÇÃO DE Chromobacterium violaceum

Chrislane Pires Lisbôa (Bolsista SAE/UNICAMP), Denise A. Oliveira (PG) e Prof. Dr. Pedro L. O. Volpe (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Montou-se um sistema microcalorimétrico em fluxo utilizando-se um calorímetro (Thermometrics 2277 TAM), uma bomba peristáltica (LKB Bromma 2132, Microperpex, 30mL min-1), e um micro reator, onde foram feitos inóculos de C. violaceum (alíquota de 900 (L) em solução tampão fosfato. Foram testadas duas diferentes concentrações de glicose na solução tampão, 1,8 e 3,6 g L-1, mas não houve variação significativa na resposta calorimétrica. O volume de inóculo também foi ajustado até obtenção de um registro calorimétrico satisfatório, no volume de 15 mL. Realizaram-se experimentos para avaliar a atividade biológica do primeiro membro da série homóloga de m-alcoxifenóis, o m-metoxifenol, onde as concentrações utilizadas foram 9,2, 19,5 e 36,8 mmol L-1. As percentagens de inibição verificadas para essas concentrações, em relação ao controle, foram 22,4, 52,8 e 89,9% respectivamente. O efeito inibitório do m-metoxifenol sobre a respiração da bactéria foi proporcional à sua concentração. Os resultados verificados neste trabalho sustentam a hipótese de que o m-metoxifenol age como inibidor do processo respiratório da C. violaceum.

Microcalorimetria de fluxo XE "Microcalorimetria de fluxo"  - Respiração microbiana XE "Respiração microbiana"  - m-alcoxifenóis XE "m-alcoxifenóis"

CONTAMINANTES EM ALIMENTOS: NITRATOS EM VEGETAIS HIDROPÔNICOS

Cláudia de Oliveira Viana (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Susanne Rath (Orientadora), Instituto de Química - IQ e Prof. Dr. Felix G. R. Reyes (Co-orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O nitrato encontra-se naturalmente presente nos vegetais, visto que a planta o absorve como fonte de nitrogênio para seu crescimento, sendo que o seu teor pode ser influenciado tanto por fatores relacionados com a planta como ao meio ambiente. Estima-se que mais de 80% do nitrato ingerido pelo homem são fornecidos pelos vegetais. Os efeitos tóxicos mais relevantes decorrentes da ingestão de nitrato são a metaemoglobinemia e a formação in vivo de N-nitrosaminas. O objetivo do presente trabalho foi a determinação de nitrato em alface cultivado por hidroponia, por análise por injeção em fluxo. O método baseia-se na redução do nitrato a nitrito em coluna de cádmio, seguido da determinação espectrofotométrica do azo composto formado pela reação do nitrito com N-1-naftiletilenodiamina, em solução ácida. A curva analítica apresentou faixa linear de 1 a 10 mg de nitrato/L com um limite de determinação de 18 mg de nitrato/kg de vegetal fresco. O teor de nitrato encontrado variou de 2135 a 5175 mg/kg. O método proposto é adequado para o monitoramento de nitrato em alface e apresenta, em relação ao método espectrofotométrico tradicional, redução do tempo de análise e do uso de reagentes.

Nitrato XE "Nitrato"   - Alface hidropônica XE "Alface hidropônica"  - Análise por Injeção em Fluxo XE "Análise por Injeção em Fluxo"

APLICAÇÕES DA TÉCNICA DE PERMEAÇÃO EM MEMBRANA PARA PREPARO DE AMOSTRA E ANÁLISE CROMATOGRÁFICA

Cristiana Henrique Passoni (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Luiz Pires Valente (Orientador), Instituto de Química - IQ, UMICAMP

A Cromatografia Gasosa (CG) foi utilizada para estudos analíticos quantitativos da metodologia de purga e permeação em membrana para extração de analitos. Houve um estudo aprofundado na técnica de CG, com o desenvolvimento de condições analíticas favoráveis ( temperaturas, coluna, sistema de amplificação dos sinais) e o treinamento de técnicas de injeção em coluna capilar. Realizou-se a recuperação das linhas de gás, que apresentavam vazamento, adicionando muitos conhecimentos da técnica de CG. Foi desenvolvida uma metodologia de extração com purga seguida de permeação em membrana e trapeamento dos analitos com solvente orgânico.

Cromatografia gasosa XE "Cromatografia gasosa"  - Extração XE "Extração"  - Membrana XE "Membrana"

ESTUDO COMPARATIVO DA SUPERFÍCIE QUÍMICA NA TROCA DE ÍONS DE METAIS PESADOS POR DUAS ARGILAS NATURAIS BRASILEIRAS- UMA POSSÍVEL APLICAÇÃO AMBIENTAL

Déborah de Alencar Simoni (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. José de Alencar Simoni (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Duas argilas naturais brasileiras (a caolinita e a montmorilonita, extraídas da região de Tambaú - SP e Campina Grande - Pb, respectivamente) foram analisadas quimicamente quanto às suas composições, e tratadas quimicamente para eliminação de contaminantes orgânicos e inorgânicos (óxidos de ferro e quartzo), e mecanicamente (centrifugação) para remoção de quartzo. As amostras puras foram caracterizadas por difração de raios-X, termogravimetria, medidas de área superficial (B.E.T.) e capacidade de troca catiônica. Foram transformadas em argilas monoiônicas (Arg - Na+) para estudo termodinâmico dos processos isotérmicos de troca iônica entre os íons sódio e os íons Hg2+, Zn2+, Cd2+e Pb2+, cujas quantidades foram determinadas por absorção atômica. Os cátions escolhidos para os estudos de equilíbrios de troca iônica em solução geralmente estão presentes na base de aterros sanitários. Assim, o estudo da capacidade de retenção destes íons pelas argilas é de fundamental importância ambiental no que se refere ao uso das argilas no preenchimento de aterros sanitários, na contenção de possíveis contaminantes inorgânicos do solo e de águas subterrâneas.

ArgilasXE "Argilas" - Adsorção XE "Adsorção"  - Metais PesadosXE "Metais Pesados"

ESTUDO DA REAÇÃO DE CICLIZAÇÃO DE OLEFINAS ACÍCLICAS E MONOCÍCLICAS CATALIZADA EM MEIO ÁCIDO

Elaine C. Perles (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo M. Imamura (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Durante a execução do projeto anterior (PIBIC/99), na etapa de ciclização de uma olefina monocíclica, obtivemos um produto inesperado quando utilizamos o ácido clorossulfônico como catalisador. Diante deste resultado resolvemos ampliar este estudo, isto é, a reação de ciclização desta olefina monocíclica catalisada com diferentes ácidos e comparar os resultados obtidos. Além do ácido clorossulfônico foram testados o cloreto férrico, ácido fórmico e cloreto de estanho. Estudamos também a reação de ciclização de uma olefina acíclica, o nerolidol, com a finalidade de desenvolvermos a síntese biomimética do óxido de caparrapi, um produto natural isolado do óleo de Ocotera caparrapi. A justificativa para este estudo é que a sua biossíntese, a partir do linalool, foi proposto na literatura e está descrita apenas uma tentativa de síntese biomimética, no entanto sem sucesso. Encontramos na literatura apenas a síntese biomimética do epímero do óxido de caparrapi, a partir do nerolidol. O projeto está em andamento porém não se obteve, até o momento, sucesso na síntese do óxido de caparrapi. Obtivemos, no entanto, um resultado bastante interessante na reação de ciclização do nerolidol catalisada com ácido clorossulfônico. Um epóxido bicíclico foi obtido e está sendo analisado por métodos espectroscópicos (IV, RMN1H e 13C, EM) para determinar e confirmar a sua estrutura.

Olefinas acíclica e monocíclica XE "Olefinas acíclica e monocíclica"  - Ácido de Lewis XE "Ácido de Lewis"  - Ciclização XE "Ciclização"

EXTRAÇÃO ALCALINA DO DIRECIONADOR DE ALUMINOFOSFATOS MESOESTRUTURADOS

Elem Cristina Carlos Ribeiro (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Heloise O. Pastore (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Os aluminofosfatos constituem a primeira classe de materiais porosos sintetizados isentos de silício em sua estrutura com características de peneiras moleculares. Já se encontra descrita na literatura a síntese de aluminofosfatos mesoporosos utilizando CTAB como agente direcionador de estrutura em presença de TMAOH, porém, os materiais obtidos não são estáveis à remoção da parte orgânica. Estabelecido um procedimento para a síntese de aluminofosfatos, prepararam-se duas amostras, sendo uma à temperatura ambiente e outra sob tratamento hidrotérmico em estufa a 70 oC. Realizaram-se extrações em Sohxlet, utilizando-se solução 0,3mol.L-1 em etanol de di-n-butilamina, n-butilamina, isopropilamina e tri-n-propilamina. Os materiais obtidos foram submetidos às análises por difratometria de raios-X, espectroscopia na região do infravermelho e análise térmica. Observou-se que após a extração em meio alcalino seguida de calcinação, o material perdeu seu arranjo inicialmente hexagonal, passando a ser constituído por poros não paralelos, porém manteve sua porosidade. Entre as aminas testadas, a que apresenta melhor capacidade para extração é a isopropilamina.

Aluminofosfatos XE "Aluminofosfatos"  - Peneiras Moleculares XE "Peneiras Moleculares"  - Extração Soxhlet XE "Extração Soxhlet"

SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DO 5-HIDROXIMETIL-2-FURFURAL (HMF) ATRAVÉS DA DESIDRATAÇÃO DA FRUTOSE

Fabiano Caetano Ferreira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ulf Friedrich Schuchardt (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O 5-hidroximetil-2-furfural (HMF) pode ser utilizado para a obtenção de insumos químicos importantes, e também vem sendo estudado intensivamente como matéria-prima para a obtenção de novos polímeros, que possam ser mais biodegradáveis, devido à origem natural dos compostos furânicos. A síntese do HMF foi realizada utilzando-se como agentes desidratantes o ácido clorídrico e uma zeólita Y com proporção SiO2/Al2O3 = 13,5. Na síntese catalizada por ácido clorídrico, a análise do produto foi realizada através da técnica de espectrofotometria de UV-vis. Porém, a utilização de tolueno como solvente impossibilitou a afirmação de que tratava-se do HMF, pelo fato de ambos (tolueno e HMF) apresentarem bandas de absorção muito próximas na região do visível. Foram então utilizadas as técnicas de infravermelho e cromatografia gasosa aliada à espectrometria de massa (GC-MS). Analisando-se os espectros, chegou-se à conclusão de que a síntese levou à formação do clorometilfurfural. Para a síntese do HMF com a zeólita Y, o solvente utilizado foi o diclorometano, sendo que a análise do produto final será realizada através da técnica GC-MS.

Desidratação XE "Desidratação"  - Frutose-5-Hidroximetil-2-Furfural XE "Frutose-5-Hidroximetil-2-Furfural"

DETERMINAÇÃO DIRETA DE ARTEMISININA EM ARTEMÍSIA ANNUA L. POR ESPECTROSCOPIA DE INFRAVERMELHO PRÓXIMO

Fernanda Crivelari Figueiredo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jarbas José Rodrigues Rohwedder (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que surgem em torno de 230 milhões de novos casos de malária crônica e aguda por ano, e 2 milhões desses casos resultam em morte. A planta Artemísia Annua L. possui um princípio ativo ? a artemisinina - utilizado na preparação de medicamentos antimaláricos. Durante seu crescimento é necessário um controle rigoroso do teor do princípio ativo (cerca de 1,2%). Este controle é normalmente feito por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE). As amostras são coletadas, secas, trituradas e o princípio ativo é então extraído através de solventes. Neste trabalho, foi desenvolvida uma metodologia analítica rápida e não destrutiva baseada em Espectroscopia de Infra-vermelho Próximo (NIR). Amostras da planta fresca foram colhidas semanalmente e analisadas simultaneamente por NIR e CLAE para determinar a concentração de artemisinina. Foi construído um modelo de calibração empregando PLS (CAMO Inc. ?The Unscrambler? v.7.5) para o tratamento dos dados espectrais. O modelo apresentou um erro relativo de 5% quando comparado com resultados do HPLC. Os resultados mostraram a possibilidade da determinação do teor de artemisinina com o uso de um método simples e sem pré-tratamento da amostra através da Espectroscopia de Refletância NIR.

Artemísia Annua L XE "Artemísia Annua L" . - Quimiometria XE "Quimiometria"  - Espectroscopia de Infravermelho Próximo (NIR) XE "Espectroscopia de Infravermelho Próximo (NIR)"

SEQÜÊNCIA EM MICROONDAS PARA A PREPARAÇÃO DE SISTEMAS (-LACTÂMICOS

Fernanda Pontes Chiebao (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Lúcia Helena Brito Baptistella (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Existe um grande interesse no uso de precursores quirais na síntese de moléculas biologicamente ativas. Neste contexto, temos trabalhado com o ácido (-)-quínico, um metabólito de planta de ampla ocorrência, como material de partida para a preparação de uma série de compostos úteis como potenciais inibidores de enzimas ou agentes antitumorais (19a Reunião Anual SBQ 1996, QO-145; 22nd IUPAC Inter.Symp.Nat.Prod. 2000, PSA-35 e PSA-65). Neste trabalho apresentamos uma nova aplicação do ácido quínico em síntese orgânica com o uso intensivo de reações em microondas. O objetivo é a transformação do ácido quínico em (-lactamas com variados graus de substituição na estrutura. A utilidade do aquecimento em microondas em várias reações orgânicas é bem conhecida e anteriormente mostramos a preparação de amidas a partir de uma lactona (23a Reunião Anual SBQ 2000, QO-42). A partir de uma ciclohexilamida, obtida do ácido quínico em 80% rend. (duas etapas via reação de um acetal quinídeo com ciclohexilamina em microondas, 8 min), uma seqüência de duas outras reações em microondas (acetilação ? 86% rend., 4 min ? e desacetalização ? 57% rend., 1min), permitiu a preparação de um intermediário diol diacetilado. Sob condições normais de aquecimento essas reações levaram cerca de 73 horas, com rendimentos inferiores. Por fim, empregando-se uma reação do tipo Mitsunobu, obteve-se o sistema lactâmico desejado.

Reações em microondas XE "Reações em microondas"  - Ácido quínico XE "Ácido quínico"  - (-Lactamas XE "(-Lactamas"

REAÇÃO DE 2- AMINOMETILPIRIDINA NA SUPERFÍCIE DA SÍLICA GEL PREVIAMENTE IMOBILIZADA COM AGENTE SILILANTE

Flavia P. Faria (Bolsista CNPq), José A. A. Sales (PG) e Prof. Dr. Claudio Airoldi (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Nas últimas cinco décadas têm se tornado de grande interesse entre os pesquisadores, a possibilidade de modificação da superfície de um polímero, aparentemente inerte, através de reações simples e/ou complexas. Deste modo, são testadas as propriedades físicas e químicas dos compostos resultantes, os quais poderão ser utilizados em inúmeras aplicações tecnológicas como a extração de cátions metálicos de soluções aquosas e não aquosas, catálise, troca iônica, cromatografia, uso industrial, entre outros. Dentre os materiais inorgânicos com características poliméricas destacam-se: sílica, zeólito, vidro, argila, hidroxiapatita e uma variedade de óxidos metálicos. A imobilização consistiu na reação da sílica gel com o agente sililante 3-cloropropiltrimetoxissilano, que posteriorrmente interagiu com a diamina em questão. Todos os produtos obtidos foram caracterizados por espectroscopia na região do infravermelho, análise elementar de CHN, termogravimetria e titulação potenciométrica. Após as devidas caracterizações, foram efetuadas a adsorção dos nitratos de metais divalentes: cobre, níquel, cobalto e zinco na matriz ancorada. Os dados mostram que a superfície contendo a diamina tem alta capacidade na eficiência da extração destes cátions em meio aquoso.

Polímeros inorgânicos XE "Polímeros inorgânicos"  - Imobilização XE "Imobilização"  - Adsorção XE "Adsorção"

SÍNTESE DE ÁCIDOS (-METILCARBOXÍLICOS E PREPARAÇÃO DAS RESPECTIVAS AMIDAS COM (+)- E (-)-(-METILBENZILAMINAS PARA ESTUDO DE ESTEREO-DIFERENCIAÇÃO POR RMN 1H E 13C

Flávio Aquinoga de Mello (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Paulo Mitsuo Imamura (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Nos últimos anos, temos observado isolamento de vários compostos de origem marinho contendo um grupo funcional que nos chamou atenção que é a unidade ácido (-metil carboxí-lico. A determinação da estereoquímica deste centro não é uma tarefa óbvia e a mesma unidade é encontrada em analgésicos comerciais como o ibuprofeno e o naproxeno (substituto de AAS para pessoas alérgicas). Estes fármacos possuem apenas um centro quiral em C2 e, embora seja conhecido que apenas um dos isômeros possui comprovada atividade farmacoló-gica, eles são comercializados na forma racêmica. Por conta disto, vários métodos para identificação de fármacos racêmicos foram desenvolvidos principalmente por cromatografia (CG, CLAE). O nosso objetivo é buscar métodos alternativos para determinação do centro quiral desta unidade, através de um estudo de RMN. Estamos utilizando para este estudo, como modelo, o (+/-)-ibuprofena e o (+/-)-naproxeno extraídos de comprimidos e as formas puras adquiridas da Aldrich. O ácido 2-metilbutanoico foi sintetizado no laboratório. Os ácidos foram reagidos com (S)-(-)-metilbenzilamina, para obter amidas correspondentes, e os produtos foram (ou estão sendo) analisados por RMN 1H e 13C.

Amidas quirais XE "Amidas quirais"  - Estereodiferenciação por RMN XE "Estereodiferenciação por RMN"

DESENVOLVIMENTO DE SITE EDUCAIONAL SOBRE QUÍMICA

Gustavo A. Toretti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Adriana Vitorino Rossi (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O desenvolvimento tecnológico da informática associada aos meios de comunicação, tais como a internet, possibilitou maior difusão de informações na sociedade. Nesse contexto, a educação também adquiriu formas de evoluir com a aplicação da informática na criação de novas abordagens didáticas. Programas didáticos e sites educacionais tornaram-se ferramentas complementares no processo de ensino-aprendizagem. Este trabalho relata a criação do PROQUIMICA, um site educacional sobre Química explorando não apenas a distribuição de informações como também a interatividade entre seus usuários. Com o objetivo de adequar os recursos disponibilizados, o desenvolvimento do projeto iniciou-se com uma pesquisa feita entre profissionais da área da Química, professores e estudantes de universitários e de ensino médio. As informações obtidas, depois de tratadas e avaliadas, serviram para o direcionamento da elaboração e da organização do site desenvolvido. O conteúdo do PROQUIMICA envolve conceitos teóricos sobre Química, exercícios na forma de testes que podem ser respondidos on-line, entre outros recursos interativos como fórum de discussão, ferramentas de procura e links para outros sites. O endereço do PROQUIMICA na internet é  HYPERLINK http://proquimica.iqm.unicamp.br http://proquimica.iqm.unicamp.br.

Educação XE "Educação"  - Informática XE "Informática"  - Química XE "Química"

EPOXIDAÇÃO DE TERPENOS CATALISADA POR MATERIAIS MESOPOROSOS CONTENDO TITÂNIO

Jean Marcel Ribeiro Gallo e Prof. Dr. Ulf Friedrich Schuchardt (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Nos últimos anos um grande interesse tem sido dado aos estudos de sistemas reacionais para a epoxidação de olefinas, particularmente terpenos, que podem ser convertidos a derivados oxigenados de elevado valor agregado. Concomitantemente, devido a recentes imposições legais e sociais, a indústria química tem investigado novos materiais e procedimentos que substituam os processos "clássicos" de oxidação, os quais utilizam sais a base de cromo e manganês (geradores de grande quantidade de resíduos), por sistemas catalíticos (designados por tecnologia limpa) que reduzam os custos, a quantidade de subprodutos e conseqüentemente o impacto ambiental. Nesse sentido, sistemas que utilizam metais de transição heterogeneizados como catalisadores, e oxigênio molecular ou peróxido de hidrogênio como oxidantes, têm sido considerados como uma alternativa bastante interessante. Peneiras moleculares com titânio incorporado na rede têm demonstrado muita eficácia como catalisadores em reações de oxidação com peróxido de hidrogênio. Neste projeto, estudou-se a síntese e caracterização de diferentes peneiras mesoporosas contendo titânio, assim como investigou suas atividades e estereoseletividades em reações de epoxidação de terpenos (limoneno, (-pineno e carvona) com peróxido de hidrogênio. Estudos com relação à estabilidade e reciclagem dos catalisadores também foram executados.

Ti-MCM-41 XE "Ti-MCM-41"  - Epoxidação XE "Epoxidação"  - Terpeno XE "Terpeno"

SÍNTESE DE TiO2 NANOCRISTALINO PARA APLICAÇÃO EM CÉLULAS SOLARES REGENERATIVAS COM ELETRÓLITO SÓLIDO POLIMÉRICO

Jilian Nei de Freitas (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Marco-A. De Paoli (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

As células fotoeletroquímicas regenerativas são constituídas de um filme nanocristalino de TiO2 sensibilizado com um corante. Sob a incidência de luz, o corante absorve fótons e injeta elétrons na banda de condução do semicondutor. Os portadores de carga difundem então até o circuito externo. O corante é reduzido por um par redox, que, por sua vez, também é regenerado no contra-eletrodo (CE). No Laboratório de Polímeros Condutores e Reciclagem, estamos desenvolvendo células solares regenerativas utilizando um eletrólito sólido polimérico em substituição ao eletrólito líquido usualmente empregado. Em tais dispositivos, a estrutura do filme do óxido depositado sobre eletrodos transparentes influencia a eficiência de conversão de energia de forma mais pronunciada do que em células com eletrólito líquido. Neste trabalho, estamos investigando algumas propriedades do eletrodo de filme nanoestruturado de TiO2 para correlacionar com o desempenho dos dispositivos na conversão da energia solar. Observamos que se este filme for composto por partículas pequenas e dispostas em uma estrutura muito compacta, a penetração do eletrólito polimérico será dificultada, diminuindo a eficiência da célula. Por esta razão, pretendese testar diferentes métodos de preparação de suspensões de TiO2 para obter filmes mais porosos, que apresentem melhor desempenho quando aplicados em células solares com eletrólito polimérico.

TiO2 nanocristalino XE "TiO2 nanocristalino"  - Eletrólito polimérico XE "Eletrólito polimérico"  - Célula fotoeletroquímica XE "Célula fotoeletroquímica"

SÍNTESE DE (-CETOAMIDAS E DE COMPOSTOS COM PONTE OXO

Juliana de Arruda Stucchi (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Lúcia Helena Brito Baptistella (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O ácido quínico é um metabólito de planta de ampla ocorrência natural, e recentemente tem sido utilizado em síntese orgânica, em pesquisas que demonstram todo o potencial desse esqueleto altamente funcionalizado. O objetivo do trabalho é utilizar este precursor quiral para a preparação de (-cetoamidas e compostos com ponte oxo. As (-cetoamidas são importantes inibidores de enzimas e os compostos de ponte oxo exibem propriedades antitumorais. Primeiramente, necessitávamos proteger as hidroxilas nas posições C3 e C4 do ácido quínico para trabalhar com as hidroxilas nas posições C1 e C5. Preparou-se então um 3,4-O-acetal, ocorrendo conjuntamente uma esterificação entre os grupos em C1 e C5, formando uma lactona (71%). Para se ter uma hidroxila livre no C5, a lactona reagiu com uma amina levando a uma amida (91%). Um derivado com um triflato no C5, um excelente grupo abandonador, foi preparado (82%). Reação desse novo composto com AgF levou às desejadas (-cetoamidas (13%) e composto com ponte oxo (76%). Testou-se também outros grupos no C5 para a obtenção desses compostos. A preparação de um derivado tosilado não levou a resultados satisfatórios, no entanto reação com cloreto de mesila permitiu com sucesso a síntese de um composto monomesilado. Este também é um bom grupo abandonador, menos reativo que o triflato mas mais estável, facilitando o trabalho do pesquisador.

Ácido quínico XE "Ácido quínico"  - (-cetoamidas XE "(-cetoamidas"  - Compostos com ponte oxo XE "Compostos com ponte oxo"

ESTABILIDADE DE ÓXIDOS MISTOS NA OXIDAÇÃO DE CICLOEXANO

Juliana Martins de Souza e Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ulf Friedrich Schuchardt (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Silicatos contendo cromo e cobre foram preparados pelo processo sol-gel catalisado por ácido. Os materiais foram caracterizados por espectroscopia na região do infravermelho, RPE e fluorescência de raios-X. Os silicatos preparados são catalisadores eficientes para a oxidação de cicloexano com terc-butil hidroperóxido como oxidante e os produtos principais desta reação são cicloexanona e cicloexanol. Testes de lixiviação com o material contendo cromo mostraram que a catálise ocorre, em parte, por traços de metal lixiviado para a fase homogênea mesmo após a extração das espécies fracamente ligadas à rede por extração soxhlet. Os mesmos testes conduzidos para o material contendo cobre mostram que o metal é fracamente ligado à matriz de sílica e também lixivia, porém a atividade catalítica é devido à espécies de cobre suportadas. O cobre lixiviado mostra atividade negligenciável em fase homogênea.

Oxidação XE "Oxidação"  - Sol-gel XE "Sol-gel"  - Cicloexano XE "Cicloexano"

DETERMINAÇÃO QUANTITATIVA DE ESTEVIOSÍDEO EM ADOÇANTES NATURAIS POR ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO (NIR)

Leandro Mattos Silva (Bolsista PIBIC/CNPq), Sérgio Henrique Frason Scafi e Prof. Dr. Célio Pasquini (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Este projeto propõe a determinação da quantidade de esteviosídeo presente em adoçante natural, utilizando a espectroscopia de reflectância no infravermelho próximo(NIR) e tratamento de dados através de algoritmo de calibração multivariada (PLS1). O produto comercial apresenta, em média, 7% (m/m) do adoçante natural extraído da planta Stevia rebaudiana. Empregou-se um espectrofotômetro infravermelho próximo (Brimrose ?free space? 200), com sistema monocromador baseado em filtro óptico-acústico, para obtenção de medidas de reflectância das amostras de esteviosídeo na faixa espectral de 1100 a 2400 nm. 75 amostras sintéticas contendo lactose, sílica e quantidades variáveis de esteviosídeo, foram preparadas para calibração. Amostras reais de produto comercial contendo esteviosídeo foram obtidas no comércio local. Foram empregadas 20 amostras sintéticas para validar o modelo. O método mostrou-se eficiente e permitiu a determinação do conteúdo de esteviosídeo nas amostras de validação do modelo com um erro médio absoluto de 4,24%. Determinações diretas e não destrutivas, sem pré-tratamento, rápida obtenção de resultados e independência das condições do meio fazem a espectroscopia NIR viável ao controle de qualidade do adoçante comercial.

Espectroscopia Infravermelho Próximo XE "Espectroscopia Infravermelho Próximo"  - Esteviosídeo XE "Esteviosídeo"  - Reflectância XE "Reflectância"

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO COMPÓSITO CELULOSE/ALUMÍNIO

Lincoln A. Kurihara (Bolsista CNPq), Sérgio T. Fujiwara (PG) e Prof. Dr. Yoshitaka Gushikem (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Através da reação da suspensão de 3g de isopropóxido de alumínio, 250mL de tolueno seco e 10g de Celulose Microcristalina D (Fluka) foi realizado a síntese de compósito celulose/alumínio (Cel/Al2O3) visando a funcionalização da celulose, proporcionando ótimo nível de adsorção de cloreto de n-propil-silsesquioxano (SiPy+Cl-) através de ligações Al-O-Si, o qual se deu pela suspensão de Cel/Al2O3 em solução de cloreto de n-propil-piridina e posterior evaporação do solvente. Assim obteve-se a matriz do trabalho, cuja caracterização se deu pela microscopia eletrônica de varredura, infra vermelho, teor de alumínio, ressonância magnética nuclear bem como a capacidade de troca iônica do (Cel/Al2O3/SiPy+Cl-). Como exemplo de aplicação, adsorveu-se o hexacianoferrato sobre a matriz e, realizou-se estudo eletroquímico com eletrodo de pasta de carbono em voltametria cíclica usando-se como eletrólito o KCl 0,5 mol.L-1 onde o potencial se mostrou estável à 0,200mV. A celulose foi escolhida para este estudo por ser um biomaterial abundante, de fácil manuseio e de custo relativamente baixo.

Celulose XE "Celulose"  - Alumínio XE "Alumínio"  - Eletroquímica XE "Eletroquímica"

IMOBILIZAÇÃO DE LACASE FÚNGICA EM DIVERSOS SUPORTES

Lívia Cordi (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Nelson Durán (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Lacase (p-difenol oxidase, EC 1.10.3.2) é uma fenol oxidase que catalisa a oxidação de vários compostos fenólicos com a concomitante redução de O2 para H2O. O grande interesse no uso da lacase é devido ao seu potencial na remediação de efluentes originários de vários processos de manufaturação de indústrias alimentícias e de papel e celulose. A importância das enzimas estarem imobilizadas consiste na estabilidade térmica, evita inibição enzimática e possibilita a separação e reutilização das enzimas no final da reação. O objetivo deste trabalho foi estudar a imobilização de lacase em diversos suportes. A lacase foi produzida por Trametes versicolor e sua atividade ajustada em solução para cerca de 500 U/L, em pH=5,0. A imobilização foi avaliada em três diferentes suportes: Vitrocerâmica porosa, Material Carbonáceo e Montmorillonita KSF. O Material Carbonáceo foi utilizado em forma de discos (diametro( 1,0 cm) e para cada disco utilizou-se 2,0 mL de solução enzimática. Para cada 0,5 g de Vitrocerâmica e 0,2 g de suporte Montmorillonita utilizou-se 5,0 mL de solução enzimática que foram deixados em agitação por um período determinado. Os resultados obtidos com a Vitrocerâmica porosa foram de 37% de imobilização em 90 minutos de tratamento, 91% de imobilização com o Material Carbonáceo e cerca de 95% foi imobilizado em Montmorillonita KSF em 180 minutos de tratamento. Concluiu-se portante que os suportes mais eficientes foram a Montmorillonita KSF com 95% de imobilização e o Matrial Carbonáceo com 91% o em 180 minutos de tratamento.

Lacase XE "Lacase"  - Imobilização XE "Imobilização"  - Suportes XE "Suportes"

DESENVOLVIMENTO DE PROCEDIMENTOS PARA INCORPORAÇÃO DE ALUMINA EM PARTÍCULAS POROSAS DE SÍLICA PARA SUA UTILIZAÇÃO COMO SUPORTE EM CLAE

Mariza Campagnolli Chiaradia (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. Kenneth E. Collins e Profa. Dra. Carol Collins (Orientadores), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Este projeto busca desenvolver um procedimento simples e reprodutível para a metalização da superfície da sílica com óxido de alumínio, ampliando o emprego destas partículas como suporte cromatográfico em CLAE, apto a analisar amostras em um grande intervalo de pH e com preços inferiores a outros tipos de suportes cromatográficos disponíveis comercialmente. O procedimento, para isto, consiste em reagir uma determinada massa de sílica Rainin (5 (m; 197 m2/g; 11,3 nm; 0,58 mL/g ) com uma solução de isopropóxido de alumínio 1:2 m/m em volume suficiente para recobrir e preencher os poros das partículas, de maneira que seja possível se obter uma mistura homogêna e livre de ar após a aplicação de agitação ultra sônica sobre a mesma. Esta mistura é levada à um banho termostático, em frascos de vidro com tampas revestidas com Teflon (para evitar o contato da amostra com o ar e o ataque do solvente ao material da tampa), por tempo e temperatura pré estabelecidos para que seja possível realizar uma análise termodinâmica da reação através das amostras obtidas. Depois que as amostras são lavadas com porções de tolueno e secas em estufa à 150oC, é feita uma análise quantitativa, através da qual foi possível constatar que a reação ocorre efetivamente e que é endotérmica, portanto, quanto maior a temperatura à que é submetida a mistura reacional, maior a sua eficiência.

CLAE  XE "CLAE" - Sílica  XE "Sílica" - Alumínio XE "Alumínio"

PURIFICAÇÃO DOS FLAVONÓIDES ISOLADOS DE Lonchocarpus montanus

Mary Angela Fávaro Perez (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Eva Gonçalves Magalhães (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Lonchocarpus montanus Az-Tozzi, é uma espécie nativa inédita que foi recentemente classificada, e pertence à família Leguminosae, sub-família Papilionoideae, Tribo Millettieae. O espécimen estudado foi coletado em Taquatinga do Tocantins - Tocantins. O estudo fitoquímico dos extratos das raízes de L. montanus vem sendo desenvolvido pela doutoranda Miriam Sannomiya e até agora resultou no isolamento de 21 flavonóides, entre os quais destaca-se o pongamol, um dibenzoilmetano de rara ocorrência natural que segundo a literatura atua contra o potencial de indução da quinona redutase, inibindo a formação de tumor em células hepáticas de ratos. Através da técnica de cromatografia de camada preparativa isolamos cerca de 160 mg de pongamol contido em diversas frações fornecidas pela análise cromatográfica do extrato em coluna de sílica gel e purificamos os demais flavonóides isolados, respectivamente visando a aplicação de outros ensaios biológicos e a análise quantitativa do extrato por CLAE. Durante este processo, isolamos mais três flavonóides e uma benzofenona que ocorrem em concentrações mínimas e ainda não haviam sido detectados nem isolados do referido extrato. A benzofenona e dois dos flavonóides são inéditos e as suas estruturas foram propostas com base nos respectivos dados espectroscópicos (RMN 1H, UV, EM).

Lonchocarpus montanus XE "Lonchocarpus montanus"  - Flavonóides XE "Flavonóides"  - Pongamol XE "Pongamol"

PRÉ-CONCENTRAÇÃO E DETERMINAÇÃO DE COBALTO EM ÁGUAS NATURAIS USANDO EXTRAÇÃO EM FASE SÓLIDA COM 2,2?-BIPIRIDINA EM RESINA XAD-2.

Maurício Alberto de Assumpção (Bolsista SAE/UNICAMP), Martha Teresa P. O. Castro (Colaboradora) e Prof. Dr. Nivaldo Baccan (Orientador). Instituto de Química - IQ, UNICAMP

No presente trabalho foi desenvolvido um procedimento para a pré-concentração de cobalto e determinação em águas naturais usando espectrometria de absorção atômica (EAA). As condições ótimas de extração foram avaliadas a partir de um estudo do efeito de pH; concentração do reagente orgânico; concentração do surfactante (SDS); quantidade de resina e volume do eluente (Etanol). Os resultados demonstram que o íon Co (II) é efetivamente retido ((99%) na faixa de pH entre 2,0 e 4,5. A eficiência da extração se eleva quando são crescentes a massa de ligante e de surfactante. O íon Co (II) foi quantitativamente retido na faixa de 5 a 100 (g contidos em um volume solução amostra de 400 mL em pH=3,0, usando uma massa de resina de 1 g com operação em coluna. O limite de detecção alcançado foi de 6,9 (g L-1 e o coeficiente de correlação foi de 0,999. O fator de enriquecimento foi de 80 vezes. O procedimento foi aplicado na determinação de Co (II) em amostras sintéticas na concentração de 25 (g mL-1 e em amostras de água de torneira. Foi feito adição de spikes com recuperações de 98 a 99 % do cobalto. Os resultados demonstram que a metodologia de pré-concentração proposta é de aplicação simples possibilitando o enriquecimento de cobalto em amostras de águas naturais.

Cobalto XE "Cobalto"  - Pré-concentração XE "Pré-concentração"  - Águas Naturais XE "Águas Naturais"

ESTUDO COMPARATIVO DA ADSORÇÃO DE PIGMENTOS COLORIDOS DE ÓLEOS COMESTÍVEIS EM ARGILAS NATURAIS BRASILEIRAS

Maurício Chagas da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. José de Alencar Simoni (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Esse trabalho está centrado na investigação da termodinâmica de adsorção de pigmentos coloridos, encontrados em óleos comestíveis vegetais, em dois tipos de argilas brasileiras, tendo uma possível finalidade de utilização em processos químicos de branqueamento desses óleos. As propriedades gerais das argilas - composição química, capacidade de troca iônica, medida de área superficial, termogravimetria e volume de poro ? foram determinadas para que fosse possível caracterizá-las para o trabalho. As isotérmas de adsorção dos pigmentos com as argilas foram levantadas e foram obtidos os valores de capacidade máxima de adsorção. Todas as medidas foram efetuadas em heptano , solvente modelo para óleo vegetal. Uma das argilas estuda, caolinita, apresentou uma grande capacidade de adsorção do pigmento empregado, entretanto , o outro argilomineral empregado apresentou uma capacidade de adsorção menor quando testadas na forma sódica.

Adsorção XE "Adsorção"  - Argilas brasileiras XE "Argilas brasileiras"  - Corantes naturais XE "Corantes naturais"

RECICLAGEM DE COMPÓSITOS DE POLIÉSTER REFORÇADO COM FIBRA DE VIDRO

Mauricio Guilherme Artico Silva (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Teresa Dib Zambon Atvars (Orientadora), Andréa Graf Pedroso (Autora/Co-orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP e Dr. Derval dos Santos Rosa, Fundação CPqD (Co-orientador)

A resistência química e biológica de materiais poliméricos, apesar de ser propriedade de grande interesse tanto no campo da pesquisa como na indústria, transforma esta classe de materiais num grande problema ambiental, tornando a reciclagem destes um ramo de pesquisa fundamental. Uma classe de materiais que demanda desenvolvimento de métodos de reciclagem adequados é a de compósitos de poliéster insaturado. Os compósitos de poliéster insaturado reforçado com fibra de vidro são materiais com boas propriedades físicas e químicas, sendo largamente utilizados na indústria em diversas aplicações, como em cascos de navios ou peças de construção, assim como na manufatura de protetores dos telefones públicos (comumente conhecidos como ?orelhões?). Neste trabalho se estudou, por métodos mecânicos, térmicos e espectroscópicos, a variação das propriedades de compósitos de resina virgem de poliéster insaturado utilizando material triturado de protetores telefônicos como carga reforçante, junto à ação de aditivos modificadores de superfície. O material final obtido apresenta propriedades mecânicas apreciáveis (Módulo de Elasticidade: 5,21GPa; Resistência à Flexão: 39,88MPa) mesmo com altos índices de carga reforçante (70% em massa, respectivamente), validando o método de reciclagem desenvolvido.

Reciclagem XE "Reciclagem"  - Poliéster Reforçado XE "Poliéster Reforçado"  - Modificadores de Superfície XE "Modificadores de Superfície"

NOVO SISTEMA PARA MEDIDA DE PERMEAÇÃO DE OXIGÊNIO EM OXIGENADORES EXTRA-CORPÓREOS DE FIBRA OCA

Paulo Chlad (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Inés Joekes (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A introdução de fibras ocas representou considerável avanço na tecnologia de oxigenadores extra-corpóreos. Entretanto seu uso ainda apresenta restrições. Várias propostas para a melhoria das fibras foram apresentadas, mas seu desenvolvimento é barrado pela complexidade dos sistemas disponíveis para a medição da permeabilidade das fibras. Este trabalho propõe o desenvolvimento de um novo sistema para a medida da permeação de oxigênio nas fibras. O sistema é baseado no uso de um eletrodo de membrana sensível à oxigênio e um circuito elétrico especificamente projetado para medir a corrente gerada por este eletrodo. O circuito foi projetado utilizando-se um amplificador operacional de alta performance e considerando várias fontes de ruído que poderiam comprometer as medidas. Ruído térmico nos resistores foi reduzido usando-se filtros passa-baixa, distorções nas entradas do amplificador criando-se um anel de guarda e interferências eletromagnéticas utilizando-se cabos coaxiais nas conexões necessárias e envolvendo o circuito com uma gaiola de Faraday. A placa de circuito impresso que acomoda os componentes também foi desenhada de forma a minimizar possíveis distorções. Resultados preliminares indicam que a sensibilidade do circuito é próxima a necessária para o sistema.

Permeabiliade de Oxigênio XE "Permeabiliade de Oxigênio"  - Oxigenadores XE "Oxigenadores"  - Instrumentação XE "Instrumentação"

DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE DE ASSOCIAÇÃO DO ALUMÍNIO COM A ALBUMINA UTILIZANDO A FOSFORESCÊNCIA DO TÉRBIO

Rafael Di Falco Cossiello (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Renato Atílio Jorge (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A Albumina é a proteína mais abundante do sangue e está envolvida na ligação e transporte de íons metálicos e outras moléculas. Tem uma cadeia polipeptídica com 585 aminoácidos e vários sítios disponíveis aos metais. O Alumínio é o terceiro metal mais abundante na crosta terrestre e até recentemente a sua toxidez para os mamíferos não era estudada. Como o Al+3 está presente em grande quantidade na água tratada, supõe-se que a sua baixa toxidez deva-se à sua pequena adsorção pelo intestino. No entanto, se esta barreira é ultrapassada, o Al+3 pode tornar-se tóxico, como ocorre em pacientes que utilizam o tratamento prolongado de diálise ou em pacientes submetidos à nutrição parenteral prolongada. Quando isto ocorre o Al+3 pode provocar o mal de Alzheimer, que é a forma mais conhecida de demência senil. Tem sido detectada a presença de alumínio e aluminosilicatos nas regiões lesionadas do cérebro, entretanto, não é consenso que o mal de Alzheimer possa ser causado pelo Alumínio. Como a Albumina está envolvida no transporte de íons através do sangue, foi analisada a interação desta proteína com o Al+3. O valor da constante de dissociação Al3+-albumina foi 5,3 x 10-3, calculado através do gráfico de Lineweaver-Burk, indicando que a interação entre estas duas espécies é forte.

Albumina XE "Albumina"  - Alumínio XE "Alumínio"  - Fosforescência XE "Fosforescência"

DETERMINAÇÃO TURBIDIMÉTRICA SPOT-TEST QUANTITATIVA DE POTÁSSIO EM SORO SANGUÜÍNEO

Rafael Leandro de Souza (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Considerando que os métodos atualmente usados para a determinação de potássio em soro sanguíneo exigem trabalhosos procedimentos de diluição e de outras manipulações, foi desenvolvida uma micro cela com caminho óptico de 1 mm para a análise turbidimétrica deste elemento. Esta cela permite uma grande simplificação no procedimenjto analítico pois contorna a necessidade da diluição e de outras manipulações como, por exemplo, o enchimento e a lavagem da cela. A solução em estudo é simplesmente sugada por capilaridade pela cela e o seu custo é tão baixo que permite o descarte. Estudou-se as curvas de calibração nas faixas de concentração de interesse, e verificou-se que o coeficiente de correlação (0,995) da curva obtida com a cela pequena é comparável com aquele obtido usando a cela de 1,0 cm (0,998) quando é necessária a diluição da amostra. As primeiras análises com matrizes reais, usando sangue de boi, mostraram uma perfeita concordância analítica entre os resultados obtidos com a micro cela e com a maior, usando-se o método de precipitação com tetrafenilborato.

Spot-test XE "Spot-test"  - Potássio XE "Potássio"  - Turbidimetria XE "Turbidimetria"

DETERMINAÇÃO DA DISTÂNCIA ENTRE DOIS ÁTOMOS DE CARBONO UTILIZANDO UM CONTA-GOTAS E UMA RÉGUA

Reinaldo Alberto Ricchi Júnior (Bolsista FAPESP), Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador) e Prof. Dr. José de Alencar Simoni, Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Este experimento dá a oportunidade aos alunos de realizarem a observação de parâmetros a nível molecular. Com a utilização de materiais facilmente encontrados, como naftalina e etanol, é possível determinar o valor da distância entre dois átomos de carbono aromáticos com uma exatidão excelente. O procedimento é o seguinte: prepara-se uma solução de naftalina, dissolvendo-se 0,120 g em 100mL de etanol. Uma gota desta solução é adicionada sobre um pouco de carvão em pó boiando sobre a água contida em uma bandeja de plástico de largura aproximada de 50 cm e comprimento de 70 cm. Logo após a adição da gota da solução de naftalina em etanol, observa-se a formação de um círculo cujo perímetro é delimitado pelo carvão. O diâmetro deste círculo é medido com o auxílio da régua e, após alguns cálculos relativamente simples, obtêm-se como resultados a distância entre dois átomos de carbono aromáticos da molécula de naftalina. Para isso, é preciso levar em consideração algumas propriedades geométricas do hexágono, tendo em vista que a molécula de naftalina é composta de dois hexágonos que compartilham um de seus lados. A diferença entre o resultado encontrado na literatura e o obtido neste experimento é menor do que 1%.

Educação em Química -  XE "Educação em Química" Distância interatômica XE "Distância interatômica"  -Materiais de fácil acesso XE "Materiais de fácil acesso"

DETERMINAÇÃO DO NÚMERO DE AVOGADRO ATRAVÉS DE UM EXPERIMENTO DE FÁCIL EXECUÇÃO

Reinaldo Alberto Ricchi Júnior (Bolsista FAPESP), Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador) e Prof. Dr. José de Alencar Simoni, Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O entendimento adequado da Constante de Avogadro permite ao aluno uma melhor visualização das propriedades da matéria ao nível atômico ? molecular. O experimento realizado e aqui proposto permitiu a obtenção desta constante através de um procedimento muito simples. Usa-se materiais fáceis de serem encontrados; azeite (ácido oléico); carvão em pó; etanol; água; uma bandeja ou uma assadeira retangular grande; um conta-gotas; uma régua. Prepara-se uma a solução, de concentração adequada, do azeite em etanol. Coloca-se água na bandeja e, no centro aplica-se uma pequena quantidade do carvão em pó. Pinga-se uma gota da solução alcoólica do azeite sobre o carvão, de uma altura de, aproximadamente 20 cm. Observa-se a formação de um filme de azeite, sobre a superfície da água, delimitado pelo carvão. Considerando-se este filme como sendo monomolecular e constituído de ácido oléico (80% do azeite) calcula-se o número de moléculas do ácido graxo na gota da solução e, daí na massa molar. Os resultados obtidos são muito bons, ficando na ordem de 1023, o que é fantástico levando-se em conta a simplicidade operacional e as aproximações feitas.

Educação em Química -  XE "Educação em Química" Avogadro XE "Avogadro"  - Materiais de fácil acesso XE "Materiais de fácil acesso"

MONTAGEM DE UMA BURETA USANDO MATERIAIS DE FÁCIL ACESSO

Reinaldo Alberto Ricchi Júnior (Bolsista FAPESP), Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador) e Prof. Dr. José de Alencar Simoni, Instituto de Química - IQ, UNICAMP

No ensino de Ciências, é cada vez mais importante oferecer aos estudantes a oportunidade de desenvolver experimentos que propiciem uma visão mais ampla do procedimento científico. Em Química, particularmente, este processo esbarra, muitas vezes, na falta de material de laboratório. Neste trabalho, mostramos como pode ser construída uma bureta, de excelentes precisão e exatidão, usando materiais de fácil acesso: tubo de PVC transparente; tubo de látex; cola tipo ?durepóxi?; barbante; prendedor de roupas; régua; suporte de madeira. Todos os materiais são de baixíssimo custo. Como padrão primário pode ser usada uma solução saturada de cal (hidróxido de cálcio). Esta solução padrão pode ser aplicada , por exemplo, para a titulação de ácido acético em vinagre. Para indicador usa-se fenolfateína contida em comprimidos de laxantes encontrados em farmácias. No lugar de balões volumétricos, erlenmeyers e outras ?vidrarias? pode-se usar frascos plásticos de embalagens de refrigerantes, shampoos, perfumes, etc. Os resultados obtidos são de excelente qualidade. A bureta apresenta exatidão e precisão comparáveis às comerciais.

Educação em Química -  XE "Educação em Química" Bureta XE "Bureta"  - Materiais de fácil acesso XE "Materiais de fácil acesso"

APLICAÇÃO DO NOVO PROCEDIMENTO QUANTITATIVO DE OCUPAÇÃO COMPLETA DOS POROS DAS PARTÍCULAS DE SÍLICA POR SOLVENTES OU POLÍMEROS ORGÂNICOS, PARA FINS CROMATOGRÁFICOS

Ricardo C. da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Kenneth H. Collins (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Uma forma de introduzir polímeros à superfície de sílica porosa, é utilizar o processo de deposição evaporativa, que consiste em evaporar lentamente o solvente, da solução solvente-polímero, fazendo com que o polímero seja quantitativamente depositado dentro dos poros. Atribui-se a irreprodutibilidade de algumas fases estacionárias, preparadas desta forma, à presença de quantidades variadas de ar retido dentro dos poros da sílica. Contudo, ao aplicar banhos de ultra som, antes da deposição polimérica, há uma melhora na performance cromatográfica, tornando estas fases mais reprodutíveis. Não obstante, estudar o solvente que melhor ocupa os poros da sílica, é de fundamental importância para a exclusão total do ar retido, bem como, obter uma melhora substancial no procedimento de deposição evaporativa. Para o cálculo do ar retido nos poros da sílica com fase ligada, primeiramente adicionaram-se uma porção de sílica e solvente à um frasco volumetricamente calibrado, depois, aplicaram-se banhos de ultra som e o volume de ar foi calculado pela expressão: (VT = Var + VSiO2 + Vsolvente). As sílicas com fase Ligada que estão sendo estudadas são: Spherisorb ODS-1, Spherisorb ODS-2, Spherisorb Phenyl, Nucleosil C18, Rainin C18, Licrosorb, YMC e Kromasil. Já os solventes são o metanol e o isopropanol. Os resultados até o momento estão atendendo os objetivos do projeto.

Sílica com fase ligada XE "Sílica com fase ligada"  - Fases estacionárias XE "Fases estacionárias"  - Polímeros XE "Polímeros"

PREPARAÇÃO E PROPRIEDADES CROMATOGRÁFICAS DE SUPORTES DE SÍLICA TITANIZADA

Roberto Bineli Muterle (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Kenneth E. Collins (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A maioria das colunas comerciais de cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE) conciste em partículas de sílica com grupos alquil (C8 ou C18) quimicamente ligados através dos grupos silanóis. Porém a sílica suporta uma faixa de pH restrita (entre 3 e 7) e amostras que contenham pH básico reagem com a sílica inutilizando a coluna. Este trabalho tem como principal objetivo recobrir a superfície da sílica com uma monocamada de titânio com o intuito de aumentar a faixa de pH que a sílica resiste, permitindo a separação de amostras básicas como aminas. A primeira parte do trabalho consiste em estudar a reação da sílica (Rainin) com o tetrabutóxido de titânio (Aldrich) em grande excesso, em reação de titanização da sílica. Foram estudados as seguintes variáveis da reação: tempo, temperatura, concentração do reagente (solvente tolueno), volume adicionado na sílica e a possibilidade do ultrason iniciar a reação. Os resultados indicam que a concentração de 1,44 mol/L ( diluído em tolueno) é melhor do que o procedimento em comparação com o reagente puro, porém a quantidade de titânio ligado à sílica variou pouco. A medida que abaixamos a temperatura a quantidade de titânio na sílica aumenta sendo um forte indício de reação exotérmica. Com esta sílica titanizada, serão preparadas fases estacionárias utilizando poli(metiloctilsiloxano) imobilizado, as quais serão utilizadas para rechear colunas cromatográficas e analisadas a eficiência e a resistência ao pH.

Cromatografia líquida de alta eficiência XE "Cromatografia líquida de alta eficiência"  - Titânio XE "Titânio"  - Sílica XE "Sílica"

DEGRADAÇÃO DE PESTICIDAS EMPREGANDO-SE PROCESSOS OXIDATIVOS AVANÇADOS

Rodrigo Piola (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Nelson Durán (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Os pesticidas são amplamente utilizados em diversas áreas e, apesar de representarem um inegável benefício para a agricultura, sua natureza representa um perigo tanto para o homem quanto para o meio ambiente. Aplicados em vastas áreas e em altas dosagens, além de se considerar que apresentam grande persistência no meio ambiente, o estudo de degradação dos mesmos tornou-se extremamente necessário. Desenvolveu-se neste trabalho um processo de remediação de solos contaminados com herbicidas (Diuron e 2,4-D) utilizando-se processos oxidativos avançados, principalmente a técnica de fotocatálise heterogênea. Como objetivos específicos, estudou-se primeiramente a degradação dos herbicidas 2,4-D e Diuron em soluções aquosas, através da fotocatálise heterogênea, empregando-se como catalisador o semicondutor ZnO. Os processos de remediação empregados foram avaliados quanto a sua capacidade de redução da concentração de carbono orgânico total. Os intermediários de degradação formados foram analisados por métodos espectrofotométricos e cromatográficos. A degradação destes herbicidas em solução aquosa foi muito eficiente (demostrada pelo diminuição da absorbância), chegando à quase totalidade em 30 minutos de tratamento.

Remediação Ambiental XE "Remediação Ambiental"  - Herbicidas XE "Herbicidas"  - Processo Fotocatalítico XE "Processo Fotocatalítico"

PROPRIEDADES DE INTERFACE E EQUILÍBRIO NOS SISTEMAS FOSFATO DE CÁLCIO /SOLUÇÕES AQUOSAS

Sérgio Bertazzo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Celso Aparecido Bertran (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Biocerâmicas constituídas de fosfato de cálcio se destacam por apresentarem composição semelhante à fase mineral dos ossos. O estudo do equilíbrio e da dissolução de fosfatos de cálcio com composição e estrutura com dimensões nanométricas, miméticas da fase mineral dos ossos, em fluido extra celular, pode contribuir em muito para melhor entender e até prever o comportamento desta classe de biocerâmicas quando implantadas.Neste trabalho, fosfatos de cálcio nano particulados, sintetizados em sistemas segregados, apresentando diversas morfologias (esféricas, aciculadas, filmes planares) e razões Ca/P, foram equilibradas em fluido corpóreo simulado, com valores de pH entre 7 e 5, controlados por saturação do fluido com CO2 gasoso. A concentração de Ca+2 no fluido e em equilíbrio com o fosfato de cálcio sólido foi determinado por ICP/ES e com eletrodo de íon seletivo de cálcio. Nano partículas do fosfato no fluido levaram a uma grande divergência entre os resultados das duas técnicas. A concentração de Ca+2 no fluido no equilíbrio varia com o pH, e mostra uma grande dependência com a razão Ca/P e morfologia das nano partículas. A solubilidade dos fosfatos de cálcio aumentou com a diminuição de da razão Ca/P e do pH apesar da saturação do fluido com CO2 e as nano partículas esféricas e na forma de filmes foram mais solúveis que as aciculares.

Fosfatos de Cálcio XE "Fosfatos de Cálcio"  - Biomateriais XE "Biomateriais"  - Biocerâmicas XE "Biocerâmicas"

UTILIZAÇÃO DE AMINAS CÍCLICAS E HETEROCÍCLICAS NA OBTENÇÃO DE ZEÓLITOS

Silviane Ribeiro Dutra (Bolsista FAPESP), Artur J. S. Mascarenhas (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Heloise de Oliveira Pastore (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A utilização de aminas como agentes direcionadores de estrutura na síntese de zeólitos tem sido um tema de grande interesse, especialmente no que se refere ao entendimento do papel que essas moléculas representam no processo de cristalização dos zeólitos. Neste trabalho, foi realizado um estudo sobre a atividade direcionadora apresentada por algumas aminas de estrutura cíclica ou heterocíclica. Foram preparados géis de síntese com razões molares SiO2/Al2O3 = 30, Na+/ SiO2 = 0,30, OH-/ SiO2 = 0,22, H2O/ SiO2 = 30 e R/ SiO2 = 0,60 (R = piperidina, piridina, anilina, 2-aminopiridina ou cicloexilamina). Os géis foram submetidos a tratamento hidrotérmico a 150oC com tempos de cristalização variando de 5 a 30 dias. As amostras foram caracterizadas por difratometria de raios-X. Géis preparados com piperidina e piridina forneceram ferrierita em diversos estágios da cinética. Géis preparados com cicloexilamina e 2-aminopiridina resultaram em material amorfo no estágio inicial da cinética, até 5 dias, silicatos lamelares em início de cristalização em fases intermediárias, entre 10 e 20 dias e cristalização de mordenita contaminada com quartzo nos estágios finais, após 25 dias. Géis preparados com anilina forneceram mordenita contaminada com quartzo em diversos estágios da cinética. Apenas piperidina e piridina mostraram-se eficientes como direcionadores de estrutura nas condições reacionais utilizadas.

Zeólitos XE "Zeólitos"  - Aminas XE "Aminas"  - Direcionadores de Estrutura XE "Direcionadores de Estrutura"

DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA DE Ni (II) e Co (II) EM MICRO-AMOSTRAS

Tânia Ap. L. Pinheiro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Adriana V. Rossi (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Com o desenvolvimento de fibras ópticas e novos procedimentos de medidas, melhorou-se a precisão dos métodos de análise com medidas de reflectância. Ainda há muito a se estudar para a determinação simultânea de misturas com essas medidas, principalmente devido a problemas de interferências espectrais, o que pode ser contornado com a aplicação de métodos quimiométricos. Neste trabalho, foi elaborado um método para a análise simultânea de Ni(II) e Co(II) em micro-escala, pela formação de complexos com 4-(2-Piridilazo) Resorcinol, PAR, em papel de filtro, com medidas de reflectância difusa. Trabalhou-se com soluções na faixa de concentração de 1,30(10-3 a 2,50(10-3 mol L-1 para obtenção de espectros de reflectância dos complexos formados (metal/PAR 1:1), testando-se a utilização de papel de filtro limpo e tingido com solução de PAR. Foram estudadas 16 amostras de misturas binárias dos complexos. Para o tratamento dos dados por PLS, foram construídas matrizes de dados com os valores de reflectância dos 16 espectros das misturas, obtidos em 201 comprimentos de onda. Os resultados são muito favoráveis para determinação simultânea de Ni(II) e Co(II) em micro-amostras com calibração multivariada por PLS dos dados de espectros de reflectância dos complexos dos metais com PAR, obtidos pelo gotejamento de 10 (L das soluções dos cátions e do ligante sobre papel de filtro limpo, com erros médios de previsão da ordem de 6% na faixa de concentração estudada.

Análise Simultânea XE "Análise Simultânea"  - Cátions Metálicos XE "Cátions Metálicos"  - Quimiometria XE "Quimiometria"

HETEROGENEIZAÇÃO DE CATALISADORES SOLÚVEIS DE MOLIBDÊNIO EM MATRIZES HÍBRIDAS ORGANO-INORGÂNICAS PELO PROCESSO SOL-GEL

Tiago di Giovani Lunardi (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dra. Regina Buffon (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Através da química de sol-gel, podemos obter certos vidros e cerâmicas com propriedades moduláveis. Em geral utiliza-se alcóxidos metálicos como precursor hidrolisável para sua síntese. Através de condições brandas de reação, pode-se acrescentar fragmentos orgânicos na matriz de silício, originando um material híbrido. Utilizando-se dos benefícios dos fragmentos orgânicos, resolveu-se ?encapsular? complexos solúveis de molibdênio, a fim de obter-se um catalisador heterogêneo. O primeiro passo a ser dado para o desenvolvimento do estudo, que visa obter diferentes catalisadores sintetizados a partir de diferentes relações molares de fragmentos orgânicos e espaçador, é o seu preparo e caracterização. Através de testes de epoxidação de olefinas cíclicas, visamos caracterizar os sistemas obtidos, quanto a fatores como lixiviação, atividade catalítica e reciclagem do catalisador. As sínteses em geral, foram realizadas com sucesso, visto que não havia procedimentos complexos. Até onde foram realizados os testes, tudo saiu conforme o esperado, a ação catalítica em fase homogênea é maior do que a ação catalítica em fase heterogênea, mas sua vantagem está no reaproveitamento do catalisador.

Processo sol-gel XE "Processo sol-gel"  - Epoxidação XE "Epoxidação"  - Molibdênio XE "Molibdênio"

OXIDAÇÂO DE HIDROCARBONETOS COM PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO CATALISADA POR HETEROPOLIÁCIDOS FOSFOMOLIBDATOS CONTENDO VANÁDIO

Tiago Pucca Araujo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ulf Friedrich Schuchardt (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Processos de oxidação aplicados industrialmente são geralmente pouco seletivos. Um dos motivos de se estudar catálise utilizando complexos metálicos é buscar oxidar compostos orgânicos com alta seletividade, baixo custo e utilizando-se oxidantes não agressivos ao meio ambiente, como ar ou peróxido de hidrogênio (H2O2). Nas últimas décadas, os HPAs mostraram-se ativos na transformação seletiva de várias substâncias orgânicas, além de possuirem um grande interesse como catalisadores de oxidação devido à estabilidade térmica e química destes materiais bem como as várias possibilidades quanto a sua modificação sem afetar a sua estrutura primária.Este projeto tem por objetivo explorar a atividade catalítica de fosfomolibdatos contendo um átomo de vanádio na oxidação em fase homogênea de alcanos cíclicos e lineares na presença de H2O2 como oxidante a temperatura brandas de reação(~70oC). Este catalisador será obtido na forma de um sal de amônio, tendo como cátion o tetra-n-butilamônio, conferindo um caráter lipofílico ao sal, já que a reaçâo se processará em duas fases, tendo como solvente inicial acetato de etila. Será testada a eficiência do catalisador sob diversas condições, bem como alterações na sua síntese.

Oxidação XE "Oxidação"  - Hidrocarbonetos  XE "Hidrocarbonetos" - Heteropoliácidos XE "Heteropoliácidos"

UTILIZAÇÃO DE MICRORGANISMOS (Saccharomyces cerevisiae) NA OBTENÇÃO DE COMPOSTOS QUIRAIS A PARTIR DE CETONAS. OBTENÇÃO DE AMINAS CÍCLICAS

Valdirene Sullas Teixeira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Claudio Herrera Braga (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Sistemas heterocíclicos nitrogenados se apresentam das mais variadas maneiras em compostos naturais de grande interesse, como ácidos nuclêicos, enzimas e coenzimas e respondem por parte significativa dos fármacos atualmente comercializados, agroquímicos, corantes, dentre outros. A grande variedade estrutural desses compostos aliada a sua abundância e a importância dos processos químicos e bioquímicos dos quais participam fez com que dedicássemos nosso trabalho à síntese de uma pirrolidina substituída nas posições 2,5 na forma quiral (R,R). Para tanto partimos de uma redução do composto 2,5-hexanodiona a (+)-(2S,5S)-hexanodiol utilizando redução enzimática fermentativa a partir de fermento biológico de pão (Saccharomyces cerevisiae). Essas reações enzimáticas são conhecidas há muitos anos principalmente pela indústria farmacêutica, porém faz pouco tempo que estes procedimentos foram aceitos como métodos de rotina em síntese orgânica. Verificamos em nosso trabalho (através da análise de rotação ótica) um e.e. de 99,9% do composto desejado nesta redução. A partir do composto reduzido sintetizamos a amina (-)-(2R,5R)-2,5-dimetilpirrolidina por reação de substituição nucleofílica (SN2) usando benzilamina como nucleófilo e analizamos as reações utilizando CG/EM, RMN, IV e [??D.

Pirrolidina XE "Pirrolidina"  - Reações enzimáticas XE "Reações enzimáticas"  - Saccharomyces cerevisiae XE "Saccharomyces cerevisiae"

UTILIZAÇÃO DE MICRORGANISMO (Saccharomyces cerevisiae) NA OBTENÇÃO DE AMIDAS. UMA CONTRIBUIÇÃO À QUÍMICA VERDE

Valéria Ganzella (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Claudio Herrera Braga (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O uso de fermento de pão em reações de acilação de aminas em meio aquoso e em solvente orgânico é um caminho alternativo na obtenção de amidas, evitando-se assim os processos clássicos que utilizam reagentes tóxicos, e aproveitando-se ao máximo a reciclagem de solventes, dentro da filosofia da química verde. A amida é obtida pela transferência do grupo acila da Acetil Coenzima-A presente no micorganismo (Saccharomyces cerevisiae) à amina utilizada. O fermento de pão utilizado é o Fleishmann( e os solventes água e acetato de etila. Foram testadas aminas com grupos ?NH2 em carbonos primários e em secundários. O tempo de reação é de 24h, somente com agitação magnética à temperatura ambiente. A extração do produto é feita através de filtragem simples e evaporação do solvente quando a reação é feita em acetato de etila; quando em água, é utilizado o extrator Sohxlet com CH2Cl2, também por 24h.O solvente é recuperado por evaporação em rotaevaporador. A identificação do produto é feita através das técnicas de I.V., C.G./M.S. e 1H-R.M.N. Os melhores resultados foram obtidos em meio aquoso e com aminas cujo grupo ?NH2 se localiza em carbono primário.

Amina XE "Amina"  - Saccharomyces cerevisiae XE "Saccharomyces cerevisiae"  - Acilação XE "Acilação"

ESTUDO COMPARATIVO DA DETECÇÃO POTENCIOMÉTRICA DE ÁCIDO ASCÓRBICO EM ESTADO ESTACIONÁRIO, ANÁLISE POR INJEÇÃO EM FLUXO (FIA) E ANÁLISE EM FLUXO MONOSSEGMENTADO (MSFA)

Valter Decio Dias (Bolsista CNPq/PADCT), Prof. Dr Ivo M. Raimundo Jr. (Co-orientador) e Prof Dr. Lauro T. Kubota (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Sensores potenciométricos foram preparados para a determinação de ácido ascórbico baseando-se na dopagem da membrana copolimérica de EVA com íons Cobre-II. Estes foram preparados visando a aplicação em estado estacionário (EE), análise por injeção em fluxo (FIA) e análise em fluxo monossegmentado (MSFA). As metodologias foram avaliadas através das figuras de mérito obtidas em cada caso. Os resultados mostraram que o método de determinação que utiliza o EE é o que exibe menor limite de detecção (LD) 1,2x10-5 mol L-1. Por outro lado, a freqüência analítica é baixa (6 amostras h-1). Os resultados obtidos em MSFA e FIA mostraram que os sistemas exibem LD e sensibilidades similares, quando se utiliza um grande volume injetado de amostra (v.i. = 600(L). No entanto, quando se utilizou o v.i. otimizado de 50(L para FIA e 600(L para o MSFA, observou-se que os Limites de Detecção foram de 1,0x10-4 mol L-1 e 1,0x10-3 mol L-1 para MSFA e FIA, respectivamente. Estes resultados indicaram que o MSFA é o método em fluxo mais recomendado para amostras com baixas concentrações de ácido ascórbico, embora tenha um gasto de amostra maior.

Ácido Ascórbico XE "Ácido Ascórbico"  - FIA -  XE "FIA" MSFA XE "MSFA"

CROMATOGRAFIA LÍQUIDA EM COLUNAS LONGAS UTILIZANDO FASE ESTACIONÁRIA TIPO REVERSA

Vanina Mielli Corasolla (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Carol H. Collins (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Na cromatografia líquida, um método analítico de separação e determinação de compostos em uma solução, é utilizada uma coluna de aço-inox recheada de sílica, por onde a solução é arrastada por uma fase móvel e a separação é feita pelo tempo de retenção de cada composto na coluna, que é dependente de sua afinidade pela fase estacionária. Neste projeto são utilizadas colunas longas de 500 mm e diâmetro interno pequeno, recheadas com sílica modificada tipo fase reversa de tamanho grande (10-20 um). Foi feito empacotamento com vazão constante em bomba ISCO, diferente do usual. A separação com esta coluna foi satisfatória, apresentando picos simétricos, tendo resultados melhores quando operando à baixas vazões. Estes resultados nos indicam que é possível fazer o recheio de uma coluna cromatográfica eficiente com uma bomba comum de laboratório, não necessitando equipamento específico.

Cromatografia XE "Cromatografia"  - Fase reversa XE "Fase reversa"  - Coluna XE "Coluna"

ELETROCROMISMO DE FILMES DE POLI{3-[10-(p-METOXIFENOXI)DECIL]TIOFENO}

Viviane C. Nogueira (Bolsista FAPESP), Adriana S. Ribeiro (Co-orientadora) e Prof. Dr. Marco-A De Paoli (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A aplicação de derivados de poli(3-alquiltiofenos) como materiais eletrocrômicos motivou a eletropolimerização do 3-[10-(p-metoxifenoxi)decil]tiofeno (10-MFDT) sobre eletrodos opticamente transparentes (ITO) e sua caracterização por espectrocronoamperometria na região UV/vis/NIR. A eletropolimerização foi realizada por métodos potenciodinâmico (0,0 ( E ( 1,8 V, ? = 20 mV.s-1) e potenciostático (E = 1,8 V vs. Ag/AgCl, KClsat, t = 20 ou 40 s) sobre ITO (Delta Technologies, Rs ( 10 (/(), utilizando soluções ~ 5,0 x 10-3 mol.L-1 do monômero em CH3CN anidra contendo 0,10 mol.L-1 de (C4H9)4NBF4 como eletrólito suporte. Os experimentos de voltametria cíclica (VC) e cronoamperometria foram realizados utilizando ITO (área ~ 1,0 cm2) como eletrodo de trabalho; um fio de Pt como contra-eletrodo e um eletrodo de Ag/AgCl, KCl(sat.) como referência. Para a caracterização espectroeletroquímica dos materiais a cela eletroquímica foi colocada no caminho óptico de um espectrofotômetro de arranjo de diodos. As características espectroeletroquímicas dos eletrodos modificados compreendem a análise da estabilidade do filme polimérico frente a um alto número de ciclos redox, avaliação do tempo de resposta óptica, contraste cromático na região do visível e infra-vermelho próximo e memória óptica. Estes filmes apresentam bom contraste cromático, além de estabilidade a 70 ciclos redox (0,0 ( E ( 0,8 V) sendo de interesse para aplicações em dispositivos eletrocrômicos.

Eletrocromismo XE "Eletrocromismo"  - Tiofeno funcionalizado XE "Tiofeno funcionalizado"  - Estabilidade eletroquímica XE "Estabilidade eletroquímica"

PREPARAÇÃO, CARACTERIZAÇÃO E INTERCALAÇÃO DE AMINAS EM FENILARSENATO DE TITÂNIO LAMELAR

Viviane P. Silva (Bolsista CNPq), Vanusa S. Oliveira (PG) e Prof. Dr. Claudio Airoldi (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O processo de intercalação consiste na inserção reversível de espécies hóspedes dentro da região interplanar de um hospedeiro lamelar.Os compostos lamelares de metais tetravalentes são os mais comuns e explorados. Neste trabalho foi desenvolvida a síntese do fenilarsenato de titânio de estrutura cristalina, Ti(O3As-R)2.H2O, R= -C6H5, dispondo de camadas inorgânicas, cujos grupos orgânicos presos ao esqueleto inorgânico ocupam parte dos espaços das cavidades interlamelares. O objetivo desta investigação é intercalar n-alquilaminas (metil, etil, propil, butil e pentilamina) entre os espaços livres dessa estrutura. As moléculas intercalantes se distribuem nos espaços entre as lamelas, cuja caracterização foi feita por difração de raios-X, espectroscopia de absorção na região do infravermelho e termogravimetria; também foram obtidos dados calorimétricos, por titulação em meio aquoso, a fim de se ter informação sobre a energética do processo interativo hospedeiro-convidado para esse sistema. As técnicas de intercalação utilizadas nos permitiram confirmar a intercalação das aminas no fenilarsenato de titânio, tanto através dos espectros de raios-X e infravermelho, quanto a partir da termogravimetria. Além disso, através dos dados calorimétricos, obteve-se valores favoráveis de entalpia, entropia e energia livre de Gibbs para o sistema, durante o efeito interativo.

Intercalação  XE "Intercalação" - Aminas XE "Aminas"  - Arsenato XE "Arsenato"

DETEMINAÇÃO DA COR DE AÇUCARES ATRAVÉS DE MEDIDAS DE REFLÊTANCIA

Wilon Mazalla Neto (Bolsista PIBIC/CNPq), Renato Gadrardi (Co-orientador) e Prof. Dr. Célio Pasquini (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Avaliar a qualidade do açúcar é um procedimento muito importante para determinar seu valor e viabilizar sua comercialização. A qualidade do açúcar esta diretamente ligada a sua cor, porém os métodos atuais de determinação de cor de açúcar são muito trabalhosos e demorados. Desta forma, desenvolveu-se um método mais rápido e direto, que consiste na medida de refletância difusa na região visível do espectro sobre o açúcar sem pré-tratamento. O sistema criado para realização das mediadas é composto por uma caixa escura para a medida de refletância, onde se insere a amostra de açúcar, um espectrofotômetro (construído no laboratório) e um computador. Obteve-se espectros de amostras de açucares (cor ICUMSA entre 60 e 1000) os quais permitiram através de regressão linear e calibração multivarida estabelecer um modelo matemático que relaciona as cores oficiais estabelecidas pela ICUMSA com a medida de refletância do açúcar. Este fato permitiu uma rápida (o procedimento dura cerca de dois minutos) e correta classificação dos açucares por este método. Entre os parâmetros estudados, a velocidade com que a amostra gira durante a obtenção do espectro não interfere na medida. Já, a incidência de luz externa ou interferência de fatores externos impossibilitam a classificação do açúcar. A luz emitida pelo feixe de fibras ópticas deve incidir perpendicularmente sobre a amostra (disposição plana ) para não modificar o modelo.

Açúcar XE "Açúcar"  - Cor XE "Cor"  - Refletância XE "Refletância"

PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS

Faculdade de Educação

O ESTIGMA RACIAL: SUAS PRÁTICAS E REPRESENTAÇÕES

Adriana A. Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Angela Soligo (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Considerando o racismo como prática discriminatória determinante na formação da identidade estigmatizada de crianças negras no Brasil, esta pesquisa procurou identificar, analisar e desmistificar as relações raciais no ambiente escolar. A pesquisa foi desenvolvida por pesquisa bibliográfica sobre a questão racial no Brasil, práticas e representações e pesquisa de campo em uma escola pública da periferia de Campinas, os sujeitos da pesquisa foram crianças negras e brancas de 5º série, a inserção na escola se deu através do estágio obrigatório da grade curricular do curso de Pedagogia. Tínhamos uma proposta inicial de através de rodas de leitura, uma proposta pedagógica alternativa da escola, que efetivamente não se consolidou, pudéssemos observar crianças negras e brancas em interação, na trajetória do trabalho foi se configurando a perspectiva de uma pesquisa participante, numa parceria de trabalho com o professor de História da escola, que dentro do conteúdo oficial trazia criticamente para sala de aula, a questão do preconceito, racismo e desigualdades no Brasil. Portanto, através da observação empírica e coleta de material para análise focalizamos as práticas e representações do racismo no cotidiano multirracial e multicultural da escola.

Racismo XE "Racismo"  - Estigma XE "Estigma"  - Escola XE "Escola"

LEVANTAMENTO E CATALOGAÇÃO DAS OBRAS DEIXADAS PELOS VIAJANTES QUE ESTIVERAM NO BRASIL DURANTE O PERÍODO COLONIAL E O IMPÉRIO

Ana Paula Seco (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Claudinei Lombardi (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O trabalho de fichamento catalográfico das fontes históricas, primárias e secundárias, fundamentais para a pesquisa no campo da História da Educação no Brasil, pretende contribuir com o esforço contra a escassez, a dispersão e a precariedade na organização dessas fontes deixadas pelos viajantes, proporcionando maior agilidade no uso por parte de historiadores e pesquisadores do campo educacional. O presente projeto é uma continuidade do levantamento e catalogação de obras deixadas pelos viajantes que estiveram no Brasil durante o período colonial e o Império, iniciado anteriormente. As atividades se concentraram em procurar dados com o objetivo de complementar e confrontar as informações contidas nas fichas de levantamento já elaboradas, e que contêm a identificação da biblioteca e/ou arquivo onde se encontra a obra; o período abrangido pela análise, um resumo indicativo, palavras-chaves do conteúdo e informações sobre o viajante autor, atendendo aos objetivos da pesquisa. Paralelo a esses registros, foi feita a leitura do maior número possível de obras, de modo a fazer as respectivas catalogações e posterior análise das visões desses viajantes sobre a educação no Brasil, através de seus relatos. A pesquisa revelou que muitos viajantes, das mais diversas proveniências, de diferentes profissões e interesses escreveram sobre a educação do Brasil em diferentes épocas e em diversas regiões. Frente ao que se levantou, percebê-se a amplitude e a magnitude dos escritos deixados pelos viajantes e sua importância para a construção da História da Educação no Brasil.

Viajantes XE "Viajantes"  - Educação XE "Educação"  - História do Brasil XE "História do Brasil"

ACOMPANHAMENTO DA IMPLANTAÇÃO DO FUNDO DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL E VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO (FUNDEF) NO ESTADO DE SÃO PAULO

Andréia Aiello Medeiros, Marcelo Pustilnik Vieira, Rosenanda M. Oliveira e Prof. Dr. Vicente Rodriguez (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O FUNDEF: Em setembro de 1996, foi sancionada a Emenda Constitucional nº 14, sua regulamentação se deu na Lei Federal nº 9424, de 24 de dezembro do mesmo ano e no Decreto Federal nº 2264, de junho de 1997, que estabelece a criação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério e sua conseqüente implantação, no âmbito de cada estado e do Distrito Federal, a partir de 1º de janeiro de 1998. De natureza contábil, tem como objetivo assegurar a universalização do atendimento do ensino fundamental e a remuneração condigna do magistério. A PESQUISA: A equipe responsável pela pesquisa na Região de Campinas analisará os municípios de: Campinas, Paulínia e Pedreira. A meta da presente pesquisa é a de confrontar os resultados no processo de implantação do Fundef nos Estados e Municípios com os objetivos declarados pela política do Fundo (de desenvolvimento do Ensino Fundamental e valorização do magistério). Para tanto, estamos acompanhando a evolução do nº de matrículas nos níveis de Ensino Fundamental, Infantil e Médio, bem como de Educação Especial e Ensino Supletivo. Analisamos também dados financeiros dos municípios. Nosso objetivo é o de avaliar as conseqüências da priorização do Ensino Fundamental, em detrimento dos outros níveis de ensino.

FUNDEF XE "FUNDEF"  - Magistério XE "Magistério"  - Valorização XE "Valorização"

UM ESTUDO SOBRE AS RELAÇÕES ENTRE SIGNIFICADOS NUMÉRICOS E VALORES CULTURAIS

Brenda Alves de Oliveira (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria Ângela Miorim (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Este estudo apresenta a última etapa de uma pesquisa mais ampla que teve como objetivo estudar as relações que têm sido historicamente estabelecidas entre números e valores culturais. Após a realização de um estudo histórico e uma análise de livros didáticos, esta etapa teve como objetivo central analisar a percepção que professores do ensino fundamental de escolas públicas de Campinas têm sobre as várias dimensões presentes no estudo dos números, em particular àquelas relacionadas aos valores culturais. Para isso, após a seleção dos professores que seriam sujeitos da pesquisa, foram elaboradas, realizadas e transcritas as entrevistas. Tais entrevistas foram semi-estruturadas, tendo como eixos orientados os seguintes elementos: formação inicial, formação continuada, experiência profissional, uso da história da matemática na prática de sala de aula, trabalho com elementos culturais em sala de aula. Em seguida, paralelamente à leitura cuidadosa de bibliografias relacionadas à pesquisa, em especial aquelas relacionadas à metodologia, realizamos a análise das entrevistas. O pouco conhecimento dos professores sobre as relações, atuais ou históricas, entre números e valores culturas e a importância diferenciada atribuída à relevância da utilização da história da matemática em sala de aula foram alguns dos elementos apontados pela análise.

Educação MatemáticaXE "Educação Matemática" - História e Educação Matemática XE "História e Educação Matemática"  - Concepção do professorXE "Concepção do professor"

ESCOLA COMUNITÁRIA DE CAMPINAS: A MEMÓRIA CONTA SUA HISTÓRIA (1977-1984)

Carla Daniela de Paulo (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria Evelyna Pompeu do Nascimento (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Reunindo diferentes fontes documentais, pesquisou-se a fundação da Escola Comunitária de Campinas. Através dos depoimentos, jornais locais e documentos internos constatou-se que a instituição originou-se do desejo de um grupo de pais de manter a visão pedagógica defendida pela Equipe Pedagógica que atuava em uma escola particular e que entendia que tal proposta, na ocasião, estava em questão, dada as mudanças definidas pela entidade mantenedora da instituição. Tal grupo se mobiliza e viabiliza a criação de uma nova escola onde a autonomia da equipe e a participação de pais e alunos são requisitos básicos para sua consolidação. Neste processo valores como respeito, solidariedade, responsabilidade e autonomia deveriam ser desenvolvidos. Foram entrevistados cinco elementos de cada categoria (pais, professores e alunos) que participou deste processo, tais depoimentos têm como tônica a visão de que o processo educacional não é algo neutro, sendo que a opção pela instituição de ensino em que este irá ocorrer é, portanto, uma opção política. Tendo isso em vista, os depoentes relataram que não havia uma escola que pudesse responder aos seus anseios, originando-se, dessa forma, a Escola Comunitária de Campinas.

História da Educação XE "História da Educação"  - Autonomia Pedagógica XE "Autonomia Pedagógica"  - Gestão Participativa XE "Gestão Participativa"

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA. UMA RELEITURA DA OBRA DE SERAFIM LEITE: A RESISTÊNCIA INDÍGENA NO PERÍODO JESUÍTICO (1549/ 1759)

Carolina Shizue Corrêa Nagay (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ediógenes Aragão Santos (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Continuação da problematização da Historiografia da Educação Brasileira no período jesuítico (1549/ 1759) através do término da leitura da Obra de Serafim Leite: História da Companhia de Jesus no Brasil. O levantamento, catalogação e registro dos acontecimentos e fatos culturais/ educacionais, políticos/ administrativos, sócio- econômicos contidos nos Tomos VI (Séculos XVII e XVIII ?Do Rio de Janeiro ao Prata e ao Guaporé) e Tomo VII (Séculos XVII e XVIII ?Assuntos Gerais e Conclusão) foram articulados visando evidenciar combates, conflitos, motins, prisões, punições e revoltas, de forma a explicitar a resistência indígena ao processo de aculturação; buscando, assim, fornecer elementos que auxiliem e contribuam para uma nova leitura e interpretação da História da Educação nacional. O objetivo desta pesquisa é evidenciar que a historiografia da Educação brasileira referente ao período jesuítico reproduz a leitura de discursos dominantes de uma sociedade, marginalizando informações importantes sobre o período colonial e reafirmando a visão do dominador conforme seus próprios interesses. Tais objetivos foram alcançados através da elaboração de um quadro cronológico correspondente ao período supra citado com base em uma abordagem historiográfica construída por Serafim Leite.

Educação Colonial XE "Educação Colonial"  - Companhia de Jesus XE "Companhia de Jesus"  - Resistência Indígena XE "Resistência Indígena"

RECUPERAÇÃO DE DOCUMENTOS E MATERIAIS DIDÁTICOS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL RELACIONADOS COM CONHECIMENTOS DE CIÊNCIAS NATURAIS

Catia Gould de Assis (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Jorge Megid Neto (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O projeto busca identificar e recuperar materiais didáticos, de ampla ou restrita circulação no meio escolar e/ou acadêmico, tais como livros didáticos e paradidáticos, voltados para a educação infantil e que abranjam conhecimentos de ciências naturais. O levantamento bibliográfico foi realizado junto a acervos documentais disponíveis na FE- Unicamp, em catálogo de Editoras e em sistemas de informação bibliográfica via Internet. Dentre os aproximadamente 270 documentos pesquisados e identificados apenas 116 tratavam de materiais didáticos ou paradidáticos voltados para o ensino de ciências e para o uso das crianças da Educação Infantil. Mesmo assim, a grande maioria desses documentos pertencem à literatura infantil sendo elaborados com o propósito de atender o interesse de mercado, padronizando informações para uma determinada população e classe social. Os documentos são classificados a partir dos seguintes descritores: Tipo de Documento; Ano de Publicação; Nível Escolar; Área de Conteúdo; Tipo de Atividade; Abordagem metodológica; Conteúdo do Documento; Fonte de Consulta. A partir dessa classificação, descrevem-se as principais características e tendências desses documentos e materiais e também algumas percepções a respeito dos documentos pesquisados.

Ensino de Ciências XE "Ensino de Ciências"  - Educação Infantil  XE "Educação Infantil" - Material Didático XE "Material Didático"

MEU PROBLEMA É UM PROBLEMA?

Cecilia Alejandra R. Parra (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Teresa Eglér Mantoan (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Este trabalho tem como locus uma escola estadual localizada na zona rural de Barão Geraldo ? Campinas. Trata-se de um estudo de caso onde é observada a inserção de alguns alunos com deficiência nesta unidade escolar. Para ampliar a visão de ?inclusão? que tem sido praticada na maioria das escolas e que se resume ao acesso do aluno com deficiência no ensino regular, unicamente, observamos situações em sala de aula e ouvimos depoimentos de pais e professores sobre a situação dos mesmos do ponto de vista da sua escolaridade e convivência social. Constatamos muitas amarras que dificultam o rompimento com o paradigma da escola tradicional, que é excludente em relação às possibilidades educacionais dos alunos em geral e em especial das pessoas com deficiência. Concluímos que a inclusão nesta escola rural ainda é um projeto, não conseguiu atingir seu verdadeiro objetivo, apesar das condições favoráveis de uma escola dessa natureza, porque a escola não se encaixa no modelo das escolas desse tipo, seguindo o ensino tradicional e carregando consigo suas marcas.

Inclusão XE "Inclusão"  - Escola rural XE "Escola rural"  - Deficiência XE "Deficiência"

MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA: O OUTRO NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO PELO ALUNO

Célia Alexandra da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Guilherme do Val Toledo Prado (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O presente trabalho tem como enfoque uma sala de aula de 3ª série do ensino fundamental de uma escola pública em Barão Geraldo. O objetivo do trabalho foi analisar o papel do outro (professora) na produção do conhecimento pelo aluno. A proposta inicial da pesquisa era realizar um trabalho conjunto com a professora titular da classe, mas este não aconteceu, sendo necessário redimensionar a pesquisa. Desta forma, o outro a ser analisado passou a ser a própria pesquisadora, sendo esta definida como pesquisadora - professora. Realizou-se um trabalho empírico no interior da sala de aula, assumindo a ação pedagógica intencionalmente organizada como forma de elaboração do conhecimento pelo aluno. O diálogo constante entre o saber do aluno e o saber escolar foram sendo articulados dialeticamente pela criança até serem internalizados, possibilitando a transição do plano interpsicológico para o plano intrapsicológico. As interações entre adulto-criança e criança-criança possibilitaram a construção de um repertório de significações e representações sobre os conceitos em pauta. O processo de ensino-aprendizagem construído no contexto da sala de aula possibilitou, através dos dizeres e fazeres de todos, um aprendizado recíproco.

Mediação XE "Mediação"  - Conhecimento XE "Conhecimento"  - Construção de saberes XE "Construção de saberes"

A RECONSTRUÇÃO E PRODUÇÃO DOS SABERES DOCENTES NA DINÃMICA DOS CURRÍCULOS POR PROJETOS, FRENTE AS EXIGÊNCIAS POLÍTICO EDUCACIONAIS, IMPLEMENTADAS NO ENSINO INFANTIL DE VÁRZEA PAULISTA

Cíntia Mara Pedrisa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Guilherme Do V. Toledo Prado (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Refletindo o contexto educacional público, especificamente o segmento pré - escolar no município de Várzea Paulista, aspectos políticos, estruturais e pedagógicos pareciam condicionar a prática docente. Considerando a dinâmica do ensino pré - escolar no município de Várzea Paulista, a organização do trabalho pedagógico mostrou-se relevante para a pesquisa por estruturar-se em currículo por projeto. A "nova dinâmica" , parecia diferenciar - se das antigas práticas de organização curricular, utilizando a " bagagem cultural" dos alunos como disparadores da relação ensino - aprendizagem. Registrar através das reuniões pedagógicas e da capacitação continuada, a produção dos saberes docentes, organizado na dinâmica de currículo por projetos, na rede municipal de educação infantil de Várzea Paulista, tendo como único guia o RCN/INFANTIL, possibilitou contextualizar a intencionalidade político educacionais dos programas destinados à práxis docente.

Saberes Docentes XE "Saberes Docentes"  - Currículo XE "Currículo"  - Projeto XE "Projeto"

A MÚSICA COMO ELEMENTO INTEGRADOR DE IMIGRANTES ITALIANOS À SOCIEDADE DE SERRA NEGRA: O PAPEL DAS BANDAS DE MÚSICA NA VIDA SÓCIO CULTURAL PAULISTA NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX

Claudia Felipe da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dr. Olga R. Von Simson (Orientadora), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

A trajetória musical da cidade no período referido, se funde com o caminhar dos imigrantes italianos que se instalaram em Serra Negra. O programa de imigração não só contribuiu para emergir uma nova classe, a dos trabalhadores imigrantes que forneceram a base social para o desenvolvimento econômico do Estado de São Paulo como também implantou uma nova organização nas corporações musicais, instituindo estatutos e repertórios eruditos. Para o inicio desse estudo de integração foram selecionadas duas famílias de imigrantes italianos, que participaram ativamente da vida musical serrana e de sua transformação urbana. As famílias ?Dallari? e ?Lamari? atuaram no antigo Corpo Musical ?Umberto I? (1896 /1940), Corporação Musical ?Lira Serra Negra? (1945/1970), tanto como instrumentistas, professores, regentes e diretores das respectivas bandas. A metodologia utilizada foi a técnica qualitativa, procurando associar os diferentes dados contidos nos documentos escritos, nos documentos orais e documentos iconográficos. Foram realizados cinco depoimentos orais entre familiares e amigos dos músicos.

Música  XE "Música" - Imigração italiana  XE "Imigração italiana" - História oral XE "História oral"

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA, UMA RELEITURA DA OBRA DE SERAFIM LEITE: A RESISTÊNCIA INDÍGENA NO PERÍODO JESUÍTICO (1549/1759)

Cláudia Lachat (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ediógenes Aragão (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Problematização da Historiografia da Educação Brasileira no período jesuítico/ fase colonial (1549/1759) através da releitura da obra de Serafim Leite: História da Companhia de Jesus no Brasil, Tomos IV e V, que tratam da colonização, assim como dos aldeamentos, organização e o trabalho dos jesuítas nas missões do Maranhão, Grão-Pará e da Bahia ao Nordeste, nos séculos XVI, XVII e XVIII. Utilizou-se uma abordagem historiográfica, realizando-se um levantamento cronológico dos acontecimentos e fatos administrativos, culturais, econômicos, educacionais e políticos evidenciando-os à realidade dos nativos nesse período, enfatizando o registro de ataques, motins, conflitos, combates e revoltas, resultantes do confronto entre colonizador e nativos. O levantamento desenvolveu-se nas seguintes etapas: registro, catalogação, organização e classificação dos fatos culturais, educacionais referentes às ciências, letras e artes, assim como aos sócio-econômicos, administrativos e políticos. O objetivo desta pesquisa é evidenciar a resistência indígena à Companhia de Jesus, trazendo à tona importantes informações sobre a História da Educação na fase colonial. Como resultado foi elaborada uma cronologia da História da Educação no período jesuítico, registrando concomitantemente a resistência indígena ao processo de colonização, obtendo-se, desta forma, um vasto registro e uma maior compreensão da resistência indígena neste período.

Resistência Indígena XE "Resistência Indígena"  - Educação Colonial XE "Educação Colonial"  - Companhia de Jesus XE "Companhia de Jesus"

UM ESTUDO SOBRE AS TRANSFORMAÇÕES NA RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO A PARTIR DA CONSTRUÇÃO DE UMA ESCOLA DEMOCRÁTICA

Cristina Satiê de Oliveira Pátaro (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Ulisses Ferreira de Araújo (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Diante da realidade atual da maioria das escolas públicas brasileiras, pensar na democratização do ensino implica modificar uma série de aspectos do âmbito escolar: os conteúdos, as metodologias de ensino, as relações interpessoais, os valores. Nesse sentido, o Prof. Dr. Ulisses F. Araújo coordenou uma investigação realizada junto à EMEF Luiza Carvalho Pires, localizada na cidade de Porto Feliz ? SP, buscando trabalhar os diferentes aspectos para a construção de uma escola democrática. Esta investigação envolveu a implementação de 12 sub-projetos com temáticas específicas, desenvolvidos pelos próprios professores da escola, cujo objetivo foi o de acompanhar possíveis transformações no cotidiano da EMEF Luiza Carvalho Pires. É neste contexto que se insere a presente pesquisa, que tem como proposta acompanhar especificamente as transformações ocorridas na relação professor-aluno ao longo do processo. Além das entrevistas com os professores e das observações feitas nas visitas semanais à escola, o projeto utilizou, como instrumento de coleta de dados, os relatórios ? mensais, parcial (Nov/2000) e final (Abr/2001) ? elaborados pelos professores responsáveis pelos sub-projetos. O término da pesquisa está previsto para Dezembro de 2001, e, no momento, os dados ainda estão sendo analisados.

Relação Professor-Aluno XE "Relação Professor-Aluno"  - Moral XE "Moral"  - Formação de Professores XE "Formação de Professores"

BRINCANDO E APRENDENDO ARITMÉTICA

Danieli Sebastiana Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Rosely Palermo Brenelli (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Fundamentando-se na Psicologia Genética de Piaget e nos estudos e pesquisas sobre jogos de regras, o objetivo que norteou o presente trabalho foi o de verificar a construção da adição e do valor posicional da numeração em crianças submetidas a um processo de intervenção via jogos de regras. Foram estudados 21 sujeitos de 1ª série do ensino fundamental aos quais foi aplicado o jogo Pega-Varetas constituindo instrumento do pré e pós-teste. Organizados em grupos, os sujeitos foram submetidos a 10 sessões de intervenção pedagógica, em sala de aula, nas quais o pesquisador utilizou-se dos jogos: Pega-Varetas, Setes e Guerra nas Estrelas. Os jogos, previamente analisados apresentaram aos sujeitos situações-problema envolvendo adições e a compreensão do valor posicional de numeração. A análise qualitativa dos resultados revelou que, da amostra estudada (N=21), 17 sujeitos demonstraram a compreensão do valor posicional, e 21 apresentaram evoluções expressivas na aquisição das noções elementares de adição. Os progressos alcançados pelos sujeitos podem ser atribuídos às atividades lúdicas, uma vez que as situações-problema propostas puderam desencadear a atividade construtiva do sujeito, despertando o interesse, conduzindo-os a refletir sobre suas ações, propiciando as abstrações reflexivas necessárias à construção da aritmética.

Jogo de regras XE "Jogo de regras"  - Adição XE "Adição"  - Valor Posicional XE "Valor Posicional"

ESTUDAR NO EXTERIOR: O FLUXO DE BOLSISTAS DO BRASIL PARA A ALEMANHA

Fabiana Penteado Flacker (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Ana Maria F. de Almeida (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

A circulação internacional de cientistas brasileiros foi um dos elementos importantes na modernização das universidades, contribuindo também, em grande medida, para a renovação da elite intelectual e política brasileira. Este trabalho, parte de um projeto coletivo mais amplo, tem por objetivo: a análise do fluxo de bolsistas do CNPq, CAPES e FAPESP para a Alemanha entre o período de 1984 a 2000. Mais especificamente, pretendi identificar os bolsistas que realizaram toda ou parte da sua formação científica na Alemanha, apontando: o fluxo de bolsistas por ano e por gênero bem como as áreas de conhecimento a que estiveram vinculados; as universidades e centros de pesquisa de origem e de destino; assim como também a sua inserção na volta ao Brasil. A idéia foi identificar o padrão desse fluxo e as suas transformações ao longo do período estudado. A partir de listagens com informações sobre os bolsistas, fornecidas pelo CNPq, CAPES e FAPESP, montei tabelas e gráficos usando o programa Microsoft Excel para organizar os dados pertinentes, obtendo, dessa forma, um mapa do fluxo dos bolsistas no período estudado. Esse trabalho procurou contribuir para a avaliação de trinta anos de investimento público na formação de cientistas brasileiros no exterior, para o exame das relações científicas que unem a Alemanhã e o Brasil, bem como para a compreensão dos efeitos da internacionalização das elites brasileiras.

Trocas Científicas Internacionais XE "Trocas Científicas Internacionais"  - Escolarização das Elites XE "Escolarização das Elites"  - Formação de Cientistas XE "Formação de Cientistas"

A GESTÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA: A INTENÇÃO E A REALIDADE DAS HTPC?S (HORA DE TRABALHO PEDAGÓGICO COLETIVO) NAS ESCOLAS PÚBLICAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE CAMPINAS. UM ESTUDO DE CASO

Fernando B. de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. César Nunes (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Esta pesquisa se constituiu da coleta de dados teóricos para uma definição das correntes filosóficas clássicas e das diretrizes pedagógicas que as mesmas propunham no sentido de explicar os fenômenos educacionais em sua complexidade. Desenvolveu -se um estudo sobre as HTPC?s nas escolas, partindo para uma redefinição dos princípios teóricos estudados e pesquisa em campo. O objetivo da pesquisa foi o de definir e problematizar qual a fundamentação filosófica dos professores, bem como questionar a eficácia das HTPC?s. A metodologia de investigação usada no que se refere à parte teórica, foi bibliográfico-analítica, a parte prática, deu-se pela pesquisa participante e observacional. A análise dos dados, por sua vez, foi qualitativa e hermenêutica. Os resultados encontrados foram significantes e surpeendentes. Pudemos constatar que os professores trazem um discurso em geral positivista, assistencialista, reproducionista, idealista e muitas vezes sustentados no doxa. Quanto às HTPC?s, a estrutura não possibilitava o devido espaço para uma reflexão emancipadora e crítica. A conclusão que elaboramos, consiste em novas propostas para a devida fluidez das reuniões pedagógicas e o mapeamento da miséria filosófico-critica da Educação brasileira.

Educação XE "Educação"  - Filosofia XE "Filosofia"  - Escola XE "Escola"

MÍDIA: VERDADES E MENTIRAS SOBRE A ESCOLA PÚBLICA BRASILEIRA

Gabriela Fiorin Rigotti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Guilherme do Val Toledo Prado (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Partindo do pressuposto que a mídia tem parcela significativa na formação dos indivíduos, esta pesquisa visa analisar as possíveis influências dos meios de comunicação, em especial jornais, perante os sujeitos da escola (pais, professores e alunos) e as possíveis conseqüências desta influência no âmbito escolar. Para tanto, começou-se com um estudo quantitativo sobre a audiência destes veículos de comunicação perante os sujeitos. Foram selecionadas reportagens de jornais escritos e telejornais brasileiros, os quais ajudariam a construir a imagem do sistema público de ensino na mídia. Tais imagens e textos foram levados às salas de aula da segunda série do ensino fundamental vespertino da escola Carlos Araújo Pimentel (Bairro Costa e Silva, Campinas-SP) e analisados pelos sujeitos da escola. Ao levá-los, enfim, a comparar tais reportagens com a realidade cotidiana de sua escola, pretendeu-se atentá-los para a influência da mídia e levá-los a atrelar o que assistem e lêem ao que vivenciam no cotidiano escolar, deste modo aliando o que aprendem na escola às informações a que têm acesso fora dela. Como resultado parcial da pesquisa até então realizada, surge o ?Jornal do CAP?, publicação escrita pelos alunos e que veiculou notícias referentes ao cotidiano escolar.

Escola Pública XE "Escola Pública"  - Mídia XE "Mídia"  - Senso Crítico XE "Senso Crítico"

USO DE JOGOS COMPUTACIONAIS EDUCATIVOS VIA INTERNET NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA - PROJETO FORMEL

Jean Piton Gonçalves e Profa. Dra. Maria Ângela Miorim (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Quando falamos sobre Educação Matemática, um tema muito discutido é o da ?Educação Matemática mediada por computador?, isto é, a utilização da informática no contexto atual do ensino de Matemática. Apresentamos neste trabalho as atividades e os resultados de uma pesquisa cujo objetivo central foi o de analisar alguns aspectos do processo ensino/aprendizagem de Matemática em uma experiência com um novo ambiente computacional de simulação, o qual tem como principal contexto a Internet. Para isso, inicialmente foi criado um novo ambiente computacional que, quando mediado pelo professor, proporciona um contexto favorável à exploração e ao desenvolvimento de alguns temas matemáticos, tais como construções geométricas - quadrados e retângulos -, rotação, translação e diagonais de figuras geométricas. Em seguida, foi realizada uma experiência com alunos em sala de aula. Os resultados da pesquisa indicaram que o ambiente em estudo mostrou-se possuir características adequadas ao aprendizado de conceitos matemáticos.

Educação Matemática XE "Educação Matemática"  - Informática Aplicada à Educação XE "Informática Aplicada à Educação"  - Professor Mediador XE "Professor Mediador"

INTRODUÇÃO DE JOGOS DE RPG NO ENSINO DE RELAÇÕES TRIANGULARES

Kleber Gomes (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. Dario Fiorentini (Orientador) e Profa. Dra. Rosana G. S. Miskulin (Co-orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Com a crescente produção científica e o aprofundamento cada vez maior das áreas do conhecimento as escolas vêm sendo desafiadas a formar cidadãos com amplo conhecimento em todas as áreas, bem como cidadãos com raciocínio reflexivo, tornando-os capazes de interagir de forma construtiva com o mundo em que vivem. Para enfrentar este desafio, as escolas hoje, vem tentando inserir em seu currículo as novas tecnologias, tais como: computadores pessoais, handheld's, calculadoras e internet, para o aprimoramento do processo de ensino, e assim facilitar e ampliar a capacidade de construção do conhecimento. Guiado por esses aspectos esse projeto de pesquisa procurou verificar as potencialidades didático-pedagógicas da introdução dos computadores, através de jogos de RPG (role playing game ou, jogo de interpretação de papel), em sala de aula. Para esse fim desenvolveu-se um pequeno jogo. A partir da aplicação em sala de aula, procurou-se analisar a estrutura do progra-ma, conteúdo abordado e sua validade para a exploração e construção do conceito nos alunos.

JogosXE "Jogos" - Ensino de GeometriaXE "Ensino de Geometria" - ComputadoresXE "Computadores"

CURSO DE PEDAGOGIA DA UNICAMP: PROCESSO DE REFORMULAÇÃO CURRICULAR

Luciana Cristina Salvatti Coutinho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Vicente Rodriguez (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O último processo de reformulação curricular do Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da Unicamp ( 1996 a 1998) é entendido como resultado de dois processos articulados, de um lado o externo, compreendendo o embate entre o Poder Instituído e o Movimento dos Educadores pela definição de uma política de formação dos profissionais da Educação e valorização do magistério e de outro o interno, os conflitos e negociações nas instituições formadoras. Tomando como base esse pressuposto e utilizando-se de revisão bibliográfica, análise documental e entrevistas, a pesquisa foi dividida em duas etapas: a primeira consistiu na reconstrução da trajetória desse processo mais amplo, levantando as questões que estão em debate de 1980 até os dias atuais, relacionando-as com a história das reformulações curriculares do Curso de Pedagogia da Instituição em estudo, a fim de compreender os temas que se constituem como marcas do currículo atual. Na segunda etapa foi focalizada a dimensão interna do processo objetivando apreender as diferentes posições e concepções defendidas pelos atores sociais/políticos em cena e as negociações que resultaram na proposta curricular em curso desde 1998. Essa abordagem permitiu compreender a dinâmica de construção de um currículo, que é resultado de conflitos e negociações envolvendo questões epistemológicas, teóricas, políticas e pessoais no interior da instituição e no âmbito das políticas educacionais.

Curso de Pedagogia XE "Curso de Pedagogia"  - Currículo XE "Currículo"  - Política Educacional XE "Política Educacional"

A IMAGEM DO NEGRO NOS ATUAIS LIVROS DIDÁTICOS

Marciele Nazaré Coelho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Vicente Rodriguez (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

A diversidade étnica está presente na escola, um espaço de não neutralidade, onde convivem contradições e conflitos. Desta forma, a pesquisa possui como foco de análise a imagem do indivíduo negro que é veiculada nos livros didáticos mais utilizados em sala de aula e a prática escolar diante da questão da discriminação e dos estereótipos em relação a esta etnia. Com este foco, foram analisados vinte e dois livros de ?Comunicação e Expressão em Língua Portuguesa? das quatro primeiras séries do ensino fundamental, e também foi realizada uma pesquisa de campo em 4 escolas públicas de Campinas. Diante dos dados obtidos foi observado que há discriminações em relação aos indivíduos negros e estereótipos, que são legitimados pelo ambiente escolar. A pesquisa buscou, então, articular estes dados com o referencial teórico que trabalha com as categorias de poder, dominação, reprodução e resistência que ocorrem na sociedade mais ampla e são produzidas e reproduzidas no cotidiano escolar.

Etnia XE "Etnia"  - Preconceito XE "Preconceito"  - Livro didático XE "Livro didático"

O RETRATO DE UMA EDUCAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO DA MENINA NO DIÁRIO ?MINHA VIDA DE MENINA? DE HELENA MORLEY

Maria Salete Alves de Aguiar (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Cristina Menezes (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Este trabalho, como o próprio título sugere, esteve ligado essencialmente à questão da formação da menina, no final do século XIX e início do século XX, nos primórdios do período designado como Primeira República. O Diário, escrito por Helena Morley, se transformou no meu objeto de pesquisa, pois serviu para exemplificar não só uma adolescência formativa, através de um cotidiano de fortes heranças escravocratas e intrincadas relações familiares, mas também, possibilitou entender os processos de formação e constituição da menina, numa sociedade de época, cujos papéis sociais sexuais estiveram bastante definidos. Além disso, a Literatura, quando aplicada à Educação, fornece uma excelente pista por onde garimpar a força das ?mentalidades femininas? que, solertes, conseguiram atravessar alguns séculos. A menina ?se formou? menina no seu cotidiano coroado de afazeres domésticos, observando o desvelo das mulheres pelos seus maridos, praticando as aulas de etiqueta de sua tia inglesa, pajeando bebês dos outros, apostando, a longo prazo, na chegada de um marido que a prescindisse do Magistério, onde suas investiduras culminaram no mais absoluto fracasso. A menina aprendeu a ser menina quando, já de antemão, construiu o estatuto feminino que lhe possibilitou a sutil aceitação de um papel social que lhe houvera sido destinado: o de esposa e mãe. E, finalmente, a ?menina? construiu seu ?Bildungsroman? , aquela intenção pedagógica de passar um ensinamento. Ao longo dos seus cabelos brancos, mostrou que aprendeu ?direitinho? a lição feminina do século XIX ? aquela predição de felicidade que consistiu: ? na harmonia do lar, na afeição entre a família, na vida simples, sem ambições ? coisas que a fortuna não traz, e muitas vezes leva.? (MORLEY, 1948)

Escola XE "Escola"  - Formação XE "Formação"  - Menina XE "Menina"

A PESQUISA EDUCACIONAL BRASILEIRA SOBRE MATERIAIS E RECURSOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

Mariana Gusmão Arnosti da Costa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jorge Megid Neto (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O trabalho descreve as principais características e tendências do conjunto de pesquisas, realizadas nos cursos de pós-graduação no Brasil, que tratam de materiais e recursos didáticos (texto de leitura, livro didático, livro paradidático, materiais de laboratório, entre outros) no ensino de Ciências voltados para a Educação Infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental. A identificação dos trabalhos foi realizada por meio do Catálogo Analítico de teses e dissertações do CEDOC (Centro de Documentação em Ensino de Ciências - FE/UNICAMP) e de consulta a sistemas informatizados de divulgação bibliográfica. Foram identificados 41 trabalhos de um universo de aproximadamente 860 teses e dissertações. Desses 41 documentos, 17 foram produzidos entre 1972 e 1995 e 24 entre 1996 e 2000, o que denota um significativo crescimento do tema ?recursos didáticos? nos últimos 5 anos no conjunto da produção. Os documentos estão sendo classificados por intermédio dos seguintes descritores: nível de ensino; referencial teórico; tipo de recursos didáticos; tema da pesquisa; área de conhecimento do campo das ciências naturais; e conteúdo específico tratado.

Ensino de Ciências XE "Ensino de Ciências"  - Recurso Didático XE "Recurso Didático" - Material Didático XE "Material Didático"  - Pesquisa Educacional XE "Materiais Didáticos"

A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE SOCIAL DA COMUNIDADE DO ASSENTAMENTO ?12 DE OUTUBRO?: UM OLHAR SOBRE O IDOSO

Mônica Maria Barbosa Leiva de Luca (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria da Glória Marcondes Gohn (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Este trabalho coloca em discussão os processos históricos e sociais vividos pela população do Assentamento ?12 de Outubro? do Horto de Vergel, em Mogi-Mirim, focalizando a dinâmica das interações sociais da comunidade. Ele toma por base a palavra dos assentados e a observação da organização de suas atividades cotidianas. Seu principal objetivo é perceber como os assentados elaboram o sentido de identidade social, entendida como o conjunto dos discursos, representações e valores vividos no processo de constituição desse grupo específico. Nesta fase da pesquisa, um segmento social mereceu particular atenção: os idosos do assentamento. Procurei captar as imagens presentes nas referências do grupo acerca desse personagem, bem como de suas relações com a produção e o trabalho, buscando perceber, como a partir dessas representações, os idosos se reconhecem e são reconhecidos como sujeitos sociais.

Identidade social XE "Identidade social"  - Movimentos sociais XE "Movimentos sociais"  - Velhice XE "Velhice"

DIFICULDADES DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL, EM ÁLGEBRA, E SUAS POSSÍVEIS ORIGENS

Nathalia Tornisiello Scarlassari (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Anna Regina Lanner de Moura (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Este trabalho visa contribuir para o ensino de álgebra elementar sob o ponto de vista da origem e natureza do erro do aluno, e tem por objetivo principal analisar e classificar os tipos de dificuldades em álgebra. Usamos como referência de análise a visão construtivista do erro e, para a classificação, as categorias, definidas a priori, das fases de desenvolvimento da álgebra enunciadas por Smith (1958): retórica, sincopada e simbólica, coadunadas a categorias referentes ao domínio dos conceitos da aritmética, emergente do material empírico. Este foi construído com alunos de duas classes de 6ª série de uma escola da rede particular da cidade de Piracicaba, São Paulo, a partir de registros escritos desses alunos sobre o desenvolvimento de atividades algébricas, expressas em linguagem retórica e simbólica e sobre a descrição de dúvidas ao resolvê-las. O material consta também do registro de campo sobre o trabalho de sala de aula que desenvolvemos com esses alunos e com o professor das classes. Uma primeira análise aponta para uma dificuldade básica que se configura como a não identificação da operacionalidade algébrica presente na linguagem do cotidiano, especificamente, na não elaboração de noção de unidade; de variação quantitativa; de noção subtrativa e de racionalidade.

Dificuldades XE "Dificuldades"  - Aprendizagem de Álgebra XE "Aprendizagem de Álgebra"  - Ensino Fundamental XE "Ensino Fundamental"

MANIA DE LER, LOCADORA DE LIVROS

Paula Virgínia de Almeida Rochetti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lilian Lopes Martins da Silva (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

A pesquisa realiza um estudo de caso junto à Locadora de Livros de Campinas, Mania de Ler, levantando aspectos que inscrevem a história deste lugar numa história da leitura. Que espaço é esse? Quando ele surge? Quais as suas características? Como funciona? Desde quando a prática de alugar livros existe entre nós? Em que condições sócio-histórico-culturais surgem as locadoras? Quem e quantos são hoje os leitores deste espaço? A descoberta de uma locadora de livros perto de nós leva-nos à busca de outras. Qual é a extensão desta rede de estabelecimentos comerciais nos dias de hoje? Direcionamos um primeiro olhar para sites de locadoras de livros, identificando seu modo de funcionamento e particularidades. A exploração destes dois universos (o particular e o mais geral) permite uma primeira aproximação da rede de leitura que se tece em torno da locação de livros.

Locação de livros XE "Locação de livros"  - Leitura XE "Leitura"  - Locadora de livros XE "Locadora de livros"

BUSCANDO ENTENDER ESTE OUTRO... ALUNOS E ALUNAS, AFINAL, RESISTEM À QUÊ?

Raquel Del Prete Panciera (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Guilherme Do Val Toledo Prado (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Esta pesquisa faz parte de um processo de mais de dois anos. De um projeto de extensão em um assentamento rural, surgiu a oportunidade de um estágio curricular no ensino fundamental, e deste, o projeto de pesquisa. Neste percurso todo visei ? e ainda viso - aprofundar minhas reflexões, ampliar os conceitos teóricos a respeito do tema e também discutir as relações ? humanas e de conhecimento ? que formam o atual trabalho. Não poderia escolher outro campo, que não esta escola, para desenvolver o projeto desta pesquisa, por entender que esta relação já estabelecida com as crianças, por já conhece-las em seu ambiente familiar, enriqueceria este trabalho. O primeiro pressuposto que trago, desde o projeto até a inserção em campo e as sistematizações dos dados, é que meu objetivo fundamental é entender este aluno e esta aluna, sua singularidade, reconhecer-lhes um nome (que aqui serão trocados!...), uma idade, um gênero, uma família, uma raça e, principalmente, ouvir-lhes a voz. Mas escutar a voz deste outro, perceber o anseio dele não é apenas entender as conjecturas sociais à que todos estamos expostos. A reação é sempre a forma mais imprevisível da ação humana - ?(...)dispositivos semelhantes, jogando com relações de forças desiguais, não geram efeitos idênticos? (Certeau, 1999, p. 44). Com esta discussão estabeleço os fundamentos principais do objetivo desta pesquisa: entender este aluno e esta aluna; destacar que vozes são essas, o que falam, gesticulam, gritam, dramatizam; que formas, ou maneiras de resistência são articuladas por eles e elas. Afinal, o que é resistência? Afinal, resiste-se à que hoje?

Assentamento XE "Assentamento"  - Rural XE "Rural"  - Aluno XE "Aluno"

PRODUÇÃO DE TEXTOS SOBRE A HISTÓRIA DA ELETRICIDADE PARA CURSOS DE FÍSICA DO NÍVEL MÉDIO

Rodrigo Alves de Mattos (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Dirceu da Silva (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O ensino de Física, no nível médio, tem sido caracterizado pelo excesso de atenção à exercícios repetitivos e por opções de tratar-se aspectos matemáticos, muitas vezes desvinculados de uma realidade física dos fenômenos. Também, muito se tem falado e argumentado em favor do uso em disciplinas científicas e sobretudo da necessidade que o professor tem em conhecer mais aspectos da Epistemologia e da História das Ciências. Paralelamente, tem se mostrado que alguns aspectos da História das Ciências devem ser usados nos curso de nível médio, por eles se constituírem de instrumentos estratégicos interessantes e com grandes possibilidades, para permitir que o aluno possa entender o cientista como ser humano e a ciência não como obra acabada, mas como um processo de permanências e rupturas, ainda em curso (Lopes, 1993). Ou, para fundamentar a base do ensino em sala de aula (Wheatley, 1991). Assim, iremos mostrar alguns textos produzidos para serem usados em condições normais de sala de aula e mostrar possibilidades para o seu uso.

Ensino de Física XE "Ensino de Física"  - Uso da História da Ciência XE "Uso da História da Ciência"  - Textos para o ensino de Física XE "Textos para o ensino de Física"

MÚSICA DE PROTESTO: UM OLHAR SOBRE A HISTÓRIA DO BRASIL NAS ÚLTIMAS DÉCADAS

Rosangela Carrilo Moreno (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria da Glória Gohn (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O objeto de estudo deste trabalho é a música de protesto enquanto forma de manifestação cultural que expressa um conteúdo político, econômico, e cultural. O objetivo da pesquisa é resgatar em quatro momentos históricos relevantes no Brasil - 1968, 1979, 1984 e 1992- a presença da música como instrumento de expressão em algumas manifestações culturais e em movimentos sociais e políticos que ocorreram naquelas datas. Realizamos uma análise da conjuntura política, econômica e social dos períodos selecionados para auxiliar na analise do conteúdo das letras. Diferentes fontes têm sido utilizadas para a obtenção dos dados, a saber: bibliografias, jornais, revistas, Internet, TV, aúdios e vídeos. Organizamos o cenário dos eventos como pano de fundo, resgatamos as músicas que estiveram presentes neste eventos, e partimos para uma seleção dessas músicas, fazendo a análise do conteúdo e temas tratados. O material foi coletado em São Paulo, em centros, entidades, arquivos, bibliotecas, locadoras etc. O trabalho possui o levantamento, leitura e organização de vários materiais: bibliográficos, entrevistas, jornais, revistas, músicas e filmes, assim como uma breve fundamentação e sistematização de alguns dados, em especial das músicas coletadas.

Música de protesto XE "Música de protesto"  - Movimentos sociais XE "Movimentos sociais"  - História do Brasil XE "História do Brasil"

PESQUISA COMPARADA DA SITUAÇÃO ADMINISTRATIVA E POLÍTICA DOS CONSELHOS MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (CME) E MUNICIPAL DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLE SOCIAL DO FUNDEF (CMACS) DOS MUNICÍPIOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA E PEDREIRA

Rosenanda M. Oliveira (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Vicente Rodriguez (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Ao iniciar a pesquisa sobre o impacto causado pela implantação do FUNDEF na região de Campinas, além de verificar a nova dinâmica de distribuição dos recursos destinados à educação no âmbito municipal, surgiu um sub-tema com o objetivo de discutir qual tem sido o papel dos Conselhos Municipal de Educação e de Acompanhamento e Controle Social do FUNDEF na administração e fiscalização da aplicação desses recursos. Através da análise das legislações pertinentes a cada Conselho, das atas de suas reuniões e os seus Regimentos Internos, cartilhas ou textos elaborados sobre os Conselhos, bem como entrevistados os membros dos mesmos, busca-se avaliar se os CME e os CMACS têm papel fundamental na administração e fiscalização dos recursos destinados à Educação ou se os Conselhos não atendem os objetivos a que se propõem por não terem condições efetivas de atuar, dada a possível subordinação de seus membros ao Poder Público local.

Educação XE "Educação"  - Conselhos XE "Conselhos"  - FUNDEF XE "FUNDEF"

O LUGAR DO IMPREVISTO NO ESPAÇO DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Sueli Helena de Camargo Palmen e Profa. Dra. Ana Lúcia Goulart de Faria (Orientadora), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

Esta pesquisa foi realizada no Centro de Convivência Infantil/ UNICAMP ? Campinas, uma creche de universidade pública estadual que recebe os filhos e filhas de suas funcionárias em período integral. O referido trabalho aborda as relações criança-criança (na faixa etária de 9 meses à 2,5 anos) e a relação criança-adulto permeadas pelo espaço-físico, verificando qual a influência da organização espacial na prática educativa. Coloca para discussão e reflexão a importância das trocas de saberes entre os diversos sujeitos que fazem parte da creche, a importância do planejamento educacional e a importância da organização espacial, lembrando que estes elementos podem favorecer ou não o surgimento dos momentos de imprevisto na educação infantil. Concluí que a grande importância dos momentos de imprevistos vivenciados pela criança na creche está não só em permitir que ela se expresse através de suas Cem Linguagens, mas também em permitir ao adulto observá-la e assim conhecê-la melhor dentro de suas especificidades e enquanto construtora de cultura, a cultura infantil.

Creche XE "Creche"  - Espaço-físico XE "Espaço-físico"  - Imprevisto XE "Imprevisto"

PROXIMIDADE FÍSICA ENTRE PROFESSORA E ALUNOS NAS RELAÇÕES DE ENSINO

Talita Cristiane Possobom (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Roseli A. C. Fontana (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Neste estudo de caso exploratório procurei analisar a questão da corporeidade presente nas relações professora/alunos e os efeitos de sentido de que esta proximidade se reveste no espaço escolar. Abordada à luz das relações de gênero e das concepções de regras de "uso" do corpo que, neste caso específico, "afetam" professoras e crianças na sua constituição como sujeitos sexuados, essa questão remeteu-me ao entendimento daquelas relativas ao desenvolvimento psíquico em suas condições sociais de produção. Na pesquisa de campo, levantei indícios da proximidade professora/alunos nas relações de sala de aula e em outros espaços da escola, numa abordagem metodológica próxima do paradigma indiciário e da análise de micro eventos interativos. Os dados foram produzidos como estagiária/observadora (1ª série do Ensino Fundamental) e a partir da minha própria atuação enquanto professora de reforço (4ª série). As análises até aqui realizadas indiciam que as relações de aproximação física eram instauradas pelas crianças. Nós, professoras, acolhíamos ou não seus gestos, mais do que iniciávamos esse tipo de relação. A resposta da professora observada às iniciativas das crianças pautava-se na classificação de seus comportamentos como alunos, sendo aceita a proximidade com aquelas que se enquadravam no modelo escolar do "bom estudante". No papel de professora, procurei romper com esse modo de relação deliberadamente e observei que muito mais crianças buscavam a proximidade, indagando-me seguidamente a respeito das minhas preferências afetivas.

Proximidade física - XE "Proximidade física"   Relação professora-alunos - XE "Relação professora-alunos"CorporeidadeXE "Corporeidade"

EXPERIMENTAÇÃO NO ENSINO DE FÍSICA DO ENSINO MÉDIO

Virgílio Parreira de Siqueira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Décio Pacheco (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Este projeto teve por objetivos principais a identificação dos principais problemas no ensino de Física do Ensino Médio, assim como o possível diagnóstico para os mesmos através de experimentações trazidas para sala de aula. Estas experimentações deveriam ter baixo custo assim como uma fácil preparação, privilegiando inclusive instituições de ensino desprovidas de laboratório. Para este fim foram lidos diversos projetos de Ensino de Física, principalmente aqueles criados nas décadas de 60 e 70 afim de solucionar os problemas daquela época e que persistem até os dias atuais. No desenvolvimento deste projeto foi observado que várias soluções para os problemas daquela época sequer foram colocadas em prática.. Alguns projetos foram estudados e a maior parte dos experimentos propostos foram realizados. Observa-se, então, que dos problemas visualizados para a implementação completa de alguns projetos o mais expressivo é a falta de planejamento, preparação dos professores, assim como a das escolas, ou seja, alguns dos projetos se mostram fora da realidade atual de nossos educadores, educandos e instituições de ensino. Este projeto tem como previsão de término julho de 2001 e até lá o objetivo a ser alcançado seria o de diagnosticar estes problemas.

Experimentação XE "Experimentação"  - Problemas em projetos XE "Problemas em projetos"  - Diagnóstico XE "Diagnóstico"

Faculdade de Educação Física

LAZER E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: NAS TRILHAS DO PARQUE ESTADUAL DE IBITIPOCA

Carolina Gontijo Lopes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Heloísa Turini Brunhs (Orientadora), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Esta pesquisa refere-se ao lazer em unidade de conservação e as atividades advindas daí, tendo como objetivos detectar as concepções de preservação adotadas no parque pela administração e usuários, verificando a apropriação dos espaços e a existência de uma política ambiental. É uma pesquisa qualitativa, utilizando a observação participante e entrevistas.. O Parque Estadual de Ibitipoca possui, aproximadamente, oito grutas, cinco cachoeiras, e locais específicos indicados como a Ponte de Pedras Naturais, o Pico do Pião e a área de camping. Este perfil possibilita atividades como trilhas, caminhadas, passeios em grutas, banhos de cachoeiras e campismo. As experiências de lazer praticadas no parque são caracterizadas pelo ecoturismo (Bruhns:2000), o qual se orienta através de mapas para traçar caminhos e rotas , existindo a possibilidade da utilização dos serviços de guias turísticos locais. O parque desenvolve um projeto de educação ambiental com as escolas da Vila de Conceição de Ibitipoca com o objetivo de esclarecer as necessidades de preservação. Porém, a relação do ecoturismo com esse ambiente tem-se mostrado conflituosa, provocando impactos ambientais como crescimentos dos números de trilhas, deteriorização de algumas áreas e alterações na fauna.Desde já esta pesquisa identificou aspectos importantes quanto à relação lazer e meio ambiente ocorrida numa unidade de conservação como é o parque selecionado . Neste sentido, foram detectados aspectos como transformações no meio ambiente devido a presença de ecoturistas, a necessidade de uma abordagem interdisciplinar, a inexistência de estudos no parque enfocando o ecoturismo e seus impactos, como também a necessidade de uma política de educação ambiental sustentável e lazer (Cascino: 1998), envolvendo não somente estabelecimentos educacionais locais, mas a população frequentadora como um todo.

Lazer -  XE "Lazer" Educação Ambiental -  XE "Educação Ambiental" Parque Estadual de Ibitipoca XE "Parque Estadual de Ibitipoca"

ANÁLISE DO SIGNIFICADO DAS PRÁTICAS CORPORAIS PARA PROFISSIONAIS ATUANTES EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA

Cinthia Lopes da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Jocimar Daolio (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Neste trabalho, utilizamos o referencial teórico da Antropologia Social para analisar os significados das práticas corporais para os profissionais atuantes em academias de ginástica. Inicialmente abordamos alguns conceitos de cultura. Em seguida, discutimos o corpo como uma construção cultural. Utilizando uma abordagem metodológica qualitativa entrevistamos dez profissionais atuantes em academias de ginástica de grande porte e dez profissionais de academias de pequeno porte. Visitamos um total de seis academias, ambas da cidade de Campinas, SP. A maioria dos entrevistados ao descreverem o corpo belo, utilizaram termos como corpo ?sarado?, ?trincado?, ?malhado?, para referirem-se ao modelo de corpo atlético. Pessoas famosas como Sheila Carvalho, Paulo Zulu e Solange Frazão também foram citadas. A maioria dos nossos entrevistados disseram ser saúde o principal significado das práticas corporais, disseram também que a atividade física propicia o bem-estar e a melhora da qualidade de vida. Como podemos pensar em garantias de saúde, em qualidade de vida, se esses termos são tão amplos e complexos, envolvem características individuais, condições econômicas, sociais etc. Dessa maneira, os profissionais entrevistados demonstraram fazer parte do processo cultural que envolve a busca por corpos belos e saudáveis.

Corpo XE "Corpo"  - Práticas Corporais XE "Práticas Corporais"  - Academias de Ginástica XE "Academias de Ginástica"

ANÁLISE DA COMPREENSÃO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE BARÃO GERALDO ACERCA DA PRODUÇÃO BIBLIOGRÁFICA DA DÉCADA DE 80 E PRINCÍPIO DE 90

Mateus Camargo Pereira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Jocimar Daolio (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Esta pesquisa propôs-se a entender como o professor de Educação Física da rede pública de Barão Geraldo, bairro no qual está localizada a UNICAMP, compreende a produção bibliográfica da década de 80 e princípios de 90, incluída nos trabalhos classificados por REZENDE (1992) como ?pensamento pedagógico renovador da Educação Física brasileira?. Elencamos as obras que no entender de BETTI (1995) são as principais referências para os cursos de graduação da área e inquirimos os professores, através de entrevista semi-estruturada, sobre as obras listadas. Objetivamos buscar elementos que norteassem a construção de políticas públicas que contemplassem a abordagem dos conteúdos das obras. Buscamos, também, as iniciativas públicas realizadas no ano de 2000 visando a requalificação dos professores da rede pública. Os professores entrevistados possuem mais de quinze anos de magistério e atuam em pelo menos duas escolas. Os elementos apresentados permitem-nos concluir que existem resquícios do trabalho de FREIRE (1989) nos discursos dos professores, coexistindo com um entendimento sincrético das demais obras em questão. Observamos na fala de boa parte dos professores a vontade de continuar os estudos, em nível de pós-graduação e cursos oferecidos por academias, visando a novos conhecimentos que possibilitem uma melhora dos trabalhos, dificultada, segundo parte dos professores entrevistados, pelas condições precárias da Escola pública. Principalmente pela ausência de materiais e de espaço satisfatório para as aulas.

Professor de Educação Física XE "Professor de Educação Física" - Conhecimento bibliográfico  XE "Conhecimento bibliográfico" - Políticas públicas XE "Políticas públicas"

TRILHAS ECOLÓGICAS COM ORIENTAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA VISUAL

Rubens Venditti Jr. (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Heloísa Turini Bruhns (Orientadora), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Esta pesquisa pretendeu buscar compreensões sobre o deficiente visual, através de um projeto envolvendo caminhadas com orientação (FARIAS:1991) em trilhas ecológicas, correlacionando as discussões a respeito da capacitação, desenvolvimento e relação social de pessoas com necessidades especiais. O problema central da pesquisa foi verificar a viabilidade de se relacionar um grupo de deficientes visuais com práticas em ambientes naturais. Partiu-se da hipótese que, estruturando práticas e atividades físicas adaptadas ao deficiente visual e ampliando seu repertório motor na resolução de tarefas, através do ambiente repleto de situações desafiadoras e não ocasionais no cotidiano, estas práticas proporcionariam um desenvolvimento de capacidades e habilidades motoras aliadas às atividades sensório-perceptivas (ALMEIDA:1995). Dessa forma, a pesquisa abriria possibilidades para o campo acadêmico tais como criação de estratégias metodológicas possibilitando a prática de modalidades em ambientes naturais para pessoas portadoras de deficiência visual (aprendizado, desenvolvimento motor). A pesquisa concluiu sobre este trabalho desenvolver sensibilidades específicas e promover oportunidades para a locomoção do deficiente, contribuindo desta forma para a sua relação na sociedade em que vive.

Trilhas ecológicas XE "Trilhas ecológicas"  - Deficiência visual  XE "Deficiência visual" - Desenvolvimento sensoriomotor XE "Desenvolvimento sensoriomotor"

O DISCURSO SOBRE O CORPO DE ESTUDANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UNICAMP

Simone Cecilia Fernandes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Jocimar Daolio (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

A sociedade atual manifesta um interesse perturbador pelas questões relacionadas ao corpo humano. Os meios de comunicação auxiliam na construção de um padrão estético hegemônico de corpo, ditado pelas classes dominantes, o qual posiciona os demais corpos históricos como coadjuvantes de um padrão de beleza. A dimensão exploratória e de consumo estão em paralelo com o atual sistema de mercado. Assim, o corpo passa a ser concebido como um produto a ser consumido, a ser vendido. O curso de formação profissional em Educação Física tradicionalmente vivencia em sua formação acadêmica discussões técnico-biológicas sobre o corpo. A década de 80 iniciou uma mudança de referencial: olhar o corpo através da retina das ciências humanas, configurando para o campo de atuação dessa área as diferentes manifestações culturais do movimento humano. A metodologia adotada neste trabalho pautou-se na pesquisa qualitativa em ciências humanas para investigar o discurso sobre o corpo dos estudantes da FEF. A análise de dados permite sugerir que os estudantes, ao abordarem a temática do corpo e suas manifestações sociais e culturais, incorporam em seu discurso uma perspectiva humanizadora, não legitimam o discurso do culto ao corpo e, de forma simplista, concentram no ser a resolução da problemática do corpo-produto da atualidade, não apreendendo um discurso crítico e superador dessas relações corporais presentes em nossos cotidianos.

Educação Física XE "Educação Física"  - Corpo  XE "Corpo" - Cultura XE "Cultura"

Instituto de Economia

FAMÍLIAS CHEFIADAS POR MULHERES E POBREZA NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO: UM ESTUDO PARA O ANO DE 1999

Carolina Bertozzo de Avilez (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eugenia Troncoso Leone (Orientadora), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

A presença das mulheres no mercado de trabalho e a proporção de famílias chefiadas por mulheres vêm crescendo ao longo das últimas décadas. Ao mesmo tempo, estudos têm revelado que é grande a incidência de pobreza nas famílias cujo chefe é mulher, insinuando que existe uma forte relação entre chefe mulher e família em situação de pobreza. Esta pesquisa busca constatar a veracidade dessa afirmação a partir da análise das mulheres no mercado de trabalho e dos determinantes da sua inserção, fatores necessários para avaliar as condições de vida das mulheres de forma geral e, em particular, do grupo das famílias chefiadas por mulheres. Com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do ano de 1999, foi feito um estudo empírico para traçar um perfil das famílias chefiadas por mulheres na RMSP em contraste com o tipo mais freqüente de famílias, o de casal com filhos, e investigar as vulnerabilidades das famílias com chefe feminino. Além do estudo das famílias, a pesquisa buscou definir ?quem são? as mulheres chefes a partir de suas características individuais (idade, escolaridade) e ocupacionais (setor de atividade, ocupação, posição na ocupação e rendimento na ocupação principal).

Famílias chefiadas por mulheres XE "Famílias chefiadas por mulheres"  - Pobreza XE "Pobreza"  - Região Metropolitana de São Paulo XE "Região Metropolitana de São Paulo"

SETOR DE ALIMENTOS: TRAJETÓRIA DAS EMPRESAS LÍDERES NOS ANOS 90

Daniel Nunes de Santana (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Mariano Francisco Laplane (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O projeto de iniciação científica ?Setor de Alimentos: Trajetória das empresas líderes nos Anos 90? tem por objetivo coletar as principais variáveis econômicas para um conjunto selecionado de dez principais empresas participantes do setor considerado e analisá-las verificando, a partir de seu desempenho no período, como reagiram às diversas e profundas mudanças que marcaram o cenário macroeconômico brasileiro, dentre elas a liberalização comercial e financeira. Portanto, o que se busca é identificar, do ponto de vista da estratégia empresarial, padrões comuns de reação a tais mudanças que caracterizariam as particularidades deste setor (sem contudo perder de vista as diferenças esperadas em virtude das especificidades de cada empresa como a propriedade do capital, o segmento de mercado em que atua, suas concorrentes, etc.).

Alimentos XE "Alimentos"  - Empresa XE "Empresa"  - Mercado XE "Mercado"

AS INICIATIVAS DOS SINDICATOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DOS METALÚRGICOS DE CAMPINAS E REGIÃO FRENTE À PROBLEMÁTICA DO DESEMPREGO NO PERÍODO DE 1994 A 1999

Davisson Charles Cangussu de Souza (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Márcio Pochmann (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

Esta pesquisa tem como objetivo principal compreender o perfil das práticas e propostas apresentadas pelos sindicatos que representam os setores mais afetados pelo desemprego em Campinas - metalúrgicos e contrução civil -, no período da maior crise de emprego da história do Brasil - 1994 a 1999. A investigação deste trabalho se deu através: (i) da leitura de uma bibliografia específica sobre desemprego e sindicalismo e (ii) da aplicação de questionários aos diretores do sindicato e leitura dos boletins sindicais publicados no período estudado. A principal dificuldade enfrentada foi a falta de um arquivo dos boletins por parte do Sindicato da Construção Civil e a conseqüente impossibilidade de se realizar uma pesquisa comparativa entre os dois setores. A principal conclusão do trabalho é de que o desemprego é um fenômeno complexo e multicausal, que traz fatores explicativos de quatro ordens principais: a)estrutural mundial: o desemprego é um fenômeno intrínseco ao capitalismo; b)estrutural nacional: o desemprego no Brasil é agravado pela sua posição histórica de sumissão no capitalismo internacional; c)conjuntural mundial: as transformações recentes no mundo do trabalho com base na reestruturação produtiva e nas políticas neoliberais agravaram o nível de desemprego mundial e d)conjuntural nacional: o governo FHC está integrado de modo submisso ao modelo adotado pelo imperialismo mundial. Apesar de mostrar apenas os fatores conjunturais das causas do desemprego, o Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região pode ser considerado articulado e combativo. Ao negar as proposições conservadoras mais correntes, propõe um modelo de atuação frente o problema do desemprego que não chega a contemplar medidas revolucionárias, mas contraria muito a ordem estabelecida e a classe dominante atual.

Trabalho XE "Trabalho"  ? Desemprego XE "Desemprego"  - Sindicalismo XE "Sindicalismo"

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPREGO E O ENSINO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS

Eduardo Nishida (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Márcio Pochmann (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

Este projeto de pesquisa propôs-se ao estudo da relação entre o fenômeno do Desemprego e o Ensino Técnico de nível Médio, na cidade de Campinas no período de 1996 a 2000, no tocante à capacitação do trabalhador e a oferta do Mercado de Trabalho. Com base na análise do quadro referente à educação, buscamos compreender o embate entre a necessidade de obtenção de renda ( por parte do trabalhador ( e as oportunidades de emprego. Esta discussão envolveu as esferas pública, privada e social, que foram objeto de estudo, através de entrevistas qualitativas com representantes desses setores e forneceram elementos para que fosse possível a elaboração de uma reflexão mais aprofundada acerca da temática, não só pelas leituras bibliográficas realizadas durante a vigência da investigação, mas também pela observação dos discursos dos entrevistados, contrapondo-os aos dados levantados sobre a configuração da formação profissional oferecida pelo Colégio Técnico da Unicamp (COTUCA) e o encaminhamento às empresas do município de Campinas.

Desemprego XE "Desemprego"  - Ensino Técnico XE "Ensino Técnico"  - Campinas XE "Campinas"

ANÁLISE DO DESEMPENHO DA REGULAMENTAÇÃO DE PREÇOS FINAIS DE TELEFONIA FIXA PELO MÉTODO DE TETO DE PREÇO (PRICE-CAP)

Francisco Carneiro De Filippo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Márcio Wohlers de Almeida (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

A reforma do setor de telecomunicações no Brasil foi estruturada em três etapas: criação do órgão regulador (ANATEL), privatização da Telebrás e introdução da concorrência. Tal reforma trouxe, dentre outros, o desafio à ANATEL de regular as tarifas na telefonia fixa, tendo a universalização dos serviços como um de seus objetivos. Neste processo, a tarifação tipo rate of return (controle da rentabilidade) foi substituída pelo método de teto de preço ou price-cap (controle do limite superior do preço). O trabalho evidenciou vantagens e desvantagens do modelo price-cap e contextualizou-as para a situação brasileira, fazendo, para isto, uma revisão bibliográfica da literatura existente sobre regulação tarifária e atuação dos então denominados monopólios naturais de serviços públicos. Além disto, foi incorporado um estudo de caso tendo como objeto as operadoras ex-estatais de telefonia fixa brasileira, com ênfase na Telefonica. Tal estudo acompanhou criticamente a evolução tarifária recente do setor, seus impacto no processo de universalização da telefonia fixa no país e sua relevância no balanço financeiro das empresas. Para isto, observou-se as evoluções tecnológicas existentes no setor. Concluindo, foi constatado que o regime de price-cap contribuiu mais para a rentabilidade das operadoras que para os objetivos sociais de universalização.

Regulação tarifária XE "Regulação tarifária"  - Price-cap XE "Price-cap"  - Telecomunicações XE "Telecomunicações"

A AÇÃO GOVERNAMENTAL E PATRONAL EM RELAÇÃO AO DESEMPREGO EM CAMPINAS

Jocélia Santana Barreto (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Márcio Pochmann (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

Entender como o desemprego è tratado pelas entidades patronais e governamentais, analisando o posicionamento e as ações reais destes atores sociais. A partir da década de 90 o desemprego em Campinas cresceu consideravelmente. Este fato se deu devido à implantação de novas tecnologias nas empresas e devido à conjuntura econômica. A partir vem ocorrendo flutuações no nível de desemprego durante os últimos 5 anos. Frente a isto o desempregado permanece sujeito à exclusão social, não sendo consumidor, nem produtor de mercadorias. Além disto o desemprego vem gerando outros problemas na cidade, como violência, desestruturação de famílias, mendicância, etc. O desempregado então, permanecendo às margens da sociedade, muitas vezes, vê o desemprego como um problema individual. Contudo, o desemprego atinge toda uma sociedade, sendo então um problema social, não só individual. Porém este fato está relacionado a diversos fatores, entre eles, fatores de ordem política. O desemprego se torna também um problema político. O desemprego tendo suas causas em diversos níveis: individual, social e político, sofre influências da posição de cada ator envolvido. A partir disto foram feitas entrevistas dos atores sociais escolhidos (entidade patronal: ACIC - Associação do Comércio e Indústria de Campinas, e órgão governamental: Balcão de Empregos a fim de entender o posicionamento dos mesmos sobre o desemprego.

Desemprego XE "Desemprego"  ? Campinas XE "Campinas"  - Entidade XE "Entidade"

A AGRICULTURA MERCANTIL DE ALIMENTOS NO BRASIL DO SÉC.XVIII: O CONFRONTO ENTRE INTERPRETAÇÕES

Krishna Mendes Monteiro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lígia Maria Osório Silva (Orientadora), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

O tema da produção alimentícia brasileira no período compreendido entre o descobrimento do país e o fim da segunda metade do séc. XVIII tem sido objeto de constantes debates entre historiadores das mais diversas tendências. Alguns estudiosos atribuem à agricultura mercantil de alimentos um papel inteiramente subordinado à economia de exportação, voltada para produtos como o açúcar, fumo e tabaco; já outros vêem este tipo de atividade como dotada de certo grau de autonomia e independência frente à outras culturas. Nosso objetivo neste trabalho é realizar um balanço entre estes enfoques distintos da nossa historiografia, confrontando autores clássicos como Gilberto Freire e Caio Prado Júnior com estudiosos que partem de outra abordagem, como Maria Yeda Linhares. Além disso, com o objetivo de melhor ilustrar o tema, serão estudadas: 1) As relações entre pequenos produtores de alimentos e os grandes proprietários de terras, 2) As tentativas da Coroa portuguesa no sentido de regular a produção de alimentos no Brasil; 3) As relações entre a economia mineradora e a produção de gêneros alimentícios.

Agricultura XE "Agricultura"  - Alimentícia XE "Alimentícia"  - Produção XE "Produção"

LIBERALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES E OS DESAFIOS DO SERVIÇO UNIVERSAL : A EXPERIÊNCIA EUROPÉIA

Luis Felipe Censi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jorge Ruben Biton Tapia (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O projeto centralizou-se em examinar a política de serviço universal adotada pela Comunidade Européia e pelos países membros, identificando suas principais semelhanças e diferenças, nas três dimensões básicas (escopo, acesso e financiamento do serviço universal), tendo em vista o processo de transição do arcabouço regulatório das telecomunicações, do monopólio puro para um regime de competição, no quadro da integração européia e da liberalização.Foi construído um histórico da evolução da regulação e da universalização no setor de telecomunicações na Europa, tendo em vista as características do setor, o escopo e os mecanismos de financiamento.Fizemos também uma comparação das diferentes trajetórias da liberalização e do serviço universal, tendo em vista os impactos produzidos pelos parâmetros de regulação e serviço universal colocados no plano comunitário e dos estudados países. Entre as conclusões do trabalho, destacamos que a noção de serviço universal adotada pela Comunidade Européia impõe claros limites às políticas nacionais vinculadas ao Serviço Universal e a promoção da Sociedade de Informação.

Serviço Universal XE "Serviço Universal"  - Sociedade de Informação XE "Sociedade de Informação"  - Telecomunicações XE "Telecomunicações"

BENEFÍCIOS, IMPACTOS E LIMITAÇÕES DO USO DA INTERNET PARA FINS COMERCIAIS ? ANÁLISE DO SETOR DE LIVRARIAS VIRTUAIS

Mariana Savedra Sousa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Márcio Wohlers de Almeida (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

Até meados dos anos noventa, algumas empresas brasileiras realizavam transações comerciais (Business-to-Business), especialmente através de Redes Privadas. Foi a World Wide Web que deu impulso às distintas modalidades de comércio eletrônico no Brasil ? Business to Busines, Business to Consumer, Government-to-Consumer, Government-to-Government. O uso da Internet para fins comerciais traz como principais benefícios a redução dos custos de transação e diferenciação competitiva. Em que pese o aumento do número de computadores pessoais, universalização das linhas telefônicas e a difusão de tecnologias de Banda Larga, há que se ressaltar fatores que coíbem sua disseminação no Brasil ? problemas de segurança, logística e distribuição de renda. O objetivo desse trabalho é analisar os benefícios, principais limitações e impactos da disseminação das distintas modalidades de comércio eletrônico no país. Para tal, usamos como estudo de caso uma amostra de livrarias que possuem negócios na Rede (Amazon, Livraria Cultura, Saraiva e Siciliano). Demonstraremos, portanto, que o uso da Internet pelos agentes econômicos, a despeito dos pontos críticos supracitados, é uma poderosa ferramenta para alcance de novos mercados.

Redes  XE "Redes" - Internet  XE "Internet" - Comércio Eletrônico XE "Comércio Eletrônico"

TRAJETÓRIA INDIVIDUAL ? ESTRATÉGIAS DO DESEMPREGADO PARA A RECOLOCAÇÃO PROFISSIONAL, O COTIDIANO DAQUELE QUE PROCURA EMPREGO

Moysés Moreira Santos (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Márcio Pochmann (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

Esta pesquisa tem por objetivo principal compreender os efeitos do desemprego no cotidiano de um trabalhador e por objetivos secundários observar se a duração de desocupação profissional pode afetar a construção de sua identidade social e ainda se a falta de emprego pode alterar a relação entre o indivíduo e a sociedade, e desse modo enquadrar esse trabalhador como excluído. Para isso, em um primeiro momento foi lida uma bibliografia que tratava do tema desemprego, trabalho, indivíduo, cotidiano e exclusão social, a leitura desta bibliografia nos possibilitou a realização de um questionário que foi testado e aplicado junto a 50 (cinqüenta) trabalhadores que procuravam emprego, no Poupa-Tempo de Campinas local escolhido para o trabalho de campo. Após a coleta dos dados realizamos a tabulação dos mesmos e em seguida cruzamentos entre algumas das questões consideradas importantes e que nos ajudaram na compreensão do dia-a-dia dos trabalhadores desempregados, o perfil dos nossos entrevistados mostra que são em sua maioria jovens, analfabetos, maioria homens, solteiros, já trabalharam com carteira assinada, já receberam seguro desemprego, estão a menos de 7 meses desempregados, iniciaram no mercado de trabalho com idade entre 14 e 18 anos, a grande maioria se define com auxiliar quando se fala de profissão, não acredita no papel dos órgãos públicos, procuram fazer bicos, a maioria não procura emprego com regularidade, preferem trabalhar com carteira assinada, acreditam que seu futuro profissional será bom, sentem mudanças pequenas dos parentes e amigos pelo fato de estar desempregado, a maioria fica em casa e acha que a solução para o desemprego está em gerar mais empregos. A nossa principal conclusão é que esses desempregados sentem-se em situação transitória e não articulam estratégia de recolocação profissional.

Desemprego XE "Desemprego"  - Individualidade XE "Individualidade"  - Cotidiano XE "Cotidiano"

DINÂMICA SETORIAL DA INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS DE TELECOMUNICAÇÕES NOS ANOS 90: CONJUNTURA E COMPORTAMENTO DAS EMPRESAS LÍDERES

Rogério Frediani (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Mariano Francisco Laplane (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

A década de 90 foi marcada pela inflexão da política econômica brasileira em direção à liberalização dos fluxos financeiros e comerciais e à redução da participação do Estado na economia. Tais mudanças iniciaram um profundo processo de reestruturação da indústria nacional. O objetivo do presente projeto é analisar este processo na indústria de equipamentos de telecomunicações, cuja estrutura alterou-se de maneira significativa, em especial com a privatização do sistema de telefonia. De maneira geral, o que se observou foi a entrada no país de global players que visam a ocupação do mercado interno com produtos de alto conteúdo importado, sem a geração de contrapartidas em valores exportados de mesmas proporções. Para a análise, determinou-se uma amostra de 11 empresas representativas do setor, para as quais serão avaliadas variáveis agregadas em 5 dimensões (Expansão/Retração, Grau de Abertura, Investimentos, Estrutura Patrimonial/Controle Acionário, Especialização/Diversificação e Relacionamento com Clientes) que, associadas com a análise da reestruturação econômica e tecnológica, permitirão compreender melhor a trajetória do setor ao longo da década de 90.

Telecomunicações XE "Telecomunicações"  - Empresas Líderes XE "Empresas Líderes"  - Liberalização XE "Liberalização"

SISTEMAS INDUSTRIAIS LOCAIS NO ESTADO DE SÃO PAULO

Sérgio Eduardo Ketelhute Sampaio (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Wilson Suzigan (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O crescente interesse nos chamados Sistemas Industriais Locais, em parte decorrentes da compreensão a respeito das condições que proporcionam vantagens competitivas às empresas presentes em aglomerações industriais, principalmente aquelas relacionadas a externalidades específicas de âmbito local, e em parte pela existência de diversos ?casos de sucesso? em tempos recentes, inspirou este trabalho de identificação dos possíveis sistemas industriais relevantes localizados no estado de São Paulo que apresentam algum grau de concentração setorial, mas na forma específica de um arranjo espacial: os chamados clusters industriais. A partir da RAIS - Relação Anual de Informações Sociais (Ministério do Trabalho), foi possível identificar quantitativamente, com base em dados de emprego e estabelecimentos por micro regiões e municípios, concentrações ou especializações locais em ramos da indústria de transformação (até cinco dígitos CNAE ? Classificação Nacional de Atividade Econômica). Utilizando índices estatísticos de especialização local, o trabalho verificou um número significativo de aglomerações industriais com distintas características em termos de especialização produtiva, formação histórica, morfologia atual, organização industrial, instituições de apoio, contextos sociais e culturais, e graus de cooperação entre empresas e de envolvimento do setor público. A idéia é obter um mapeamento das aglomerações industriais paulistas.

Aglomeração Industrial XE "Aglomeração Industrial"  - Externalidades XE "Externalidades"  - Especialização Local XE "Especialização Local"

O PROCESSO DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE COSMÉTICOS

Sheila Paes Vieira (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Mariano Francisco Laplane (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

A economia brasileira vem passando por um período de restruturação industrial desde a década de 90. Uma das características desse processo é a expressiva entrada de investimentos diretos externos (IDE), o que resultou em um aprofundamento da internacionalização da indústria brasileira, acompanhado todavia de uma intensa desnacionalização. Entretanto, a análise do setor de cosméticos não condiz com a tendência observada na indústria nacional, pois demonstra que este processo não ocorreu com a mesma intensidade comparativamente aos demais setores industriais. Ao contrário, houve empresas que conseguiram firmar-se no mercado interno e também realizar importantes avanços no exterior. Os principais exemplos são a Natura e O Boticário que, através da consolidação de suas marcas e de eficientes sistemas de comercialização, foram capazes de enfrentar a concorrência das empresas estrangeiras, se modernizando e se expandindo para novos mercados internacionais. Perante esta constatação, este trabalho analisa o setor de cosméticos, enfatizando suas diferentes formas de inserção das empresas no mercado nacional e internacional, seus sistemas de comercialização, atividades em P&D, e outras questões levantadas durante o desenvolvimento do projeto. Para tal, foram selecionadas 12 empresas, nacionais e estrangeiras e de portes diferenciados, para serem analisadas e comparadas. A partir dos dados levantados tirar-se-á conclusões a respeito da evolução e participação dos diferentes ativos dessas empresas dentro do cenário de internacionalização da indústria brasileira.

Indústria de Cosméticos -  XE "Indústria de Cosméticos" Internacionalização -  XE "Internacionalização" Indústria Brasileira XE "Indústria Brasileira"

LIBERALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES E OS DESAFIOS DO SERVIÇO UNIVERSAL: A EXPERIÊNCIA FEDERATIVA NORTE-AMERICANA

Simone Andreia Bossardi Batelochi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jorge Ruben Biton Tapia (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O dinamismo do ambiente do setor de telecomunicações impulsionado pelos avanços tecnológicos recentes cria um leque de novos serviços e mercados. No contexto vigente hoje na sociedade norte-americana o acesso à informação consiste em um direito básico das pessoas promovido através da disponibilização amplo dos benefícios dos serviços de telecomunicações contra a ?exclusão digital?. A política de serviço universal possui como objetivo garantir que isso ocorra ao traçar políticas de acesso, escopo e financiamento de serviços para públicos específicos. Esta estrutura política possui dois âmbitos: federal, com políticas gerais traçadas pelo Federal Communications Commission (FCC), e estadual, que atribui autonomia às comissões estaduais em função de suas particularidades. Coexistem hoje diferentes visões sobre o conceito e difusão do serviço universal. De um lado, temos a defesa da desregulamentação como modo mais eficaz de queda de preços e generalização de acesso a serviços, de outro lado, essa desregulamentação é vista responsável pelo agravamento da polarização entre as pessoas que têm e as que não têm informação. Em jogo duas grandes alternativas: aquela que afirma que o serviço universal deve garantir aos cidadãos sua inserção na sociedade da informação através de um conjunto de políticas compensatórias e a que sustenta ser o mercado e a competitividade neutra o caminho mais adequado para universalizar o acesso aos serviços de telecomunicações.

Telecomunicações XE "Telecomunicações"  - Serviço universal XE "Serviço universal"  - Acesso XE "Acesso"

Instituto de Estudos da Linguagem

ESPAÇOS COLABORATIVOS COMO UMA ALTERNATIVA PARA TESTES PRELIMINARES DE MATERIAL CONCEBIDO PARA AUTO-INSTRUÇÃO MEDIADA POR COMPUTADOR

Alain Pierre Alban François (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Denise Bertoli Braga (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

A presente pesquisa visa avaliar a utilidade de um espaço interativo na elaboração de um curso de auto-ensino de inglês instrumental via Internet. Sendo o curso orientado por uma preocupação metacognitiva, várias estratégias de leitura são explicitadas em tutoriais. Desde XX/11/2000, um corpus de vinte alunos foi selecionado para testar o material. Eles se comprometeram a submeter suas dúvidas e dificuldades ao autor por meio de um endereço de e-mail. Além dos esperados problemas relativos à gramática inglesa e à terminologia gramatical, vários pontos interessantes foram surgindo. Alguns alunos contestaram umas respostas que não estavam explicitadas pelo texto, achando tratar-se de inferências pessoais dos responsáveis pelas perguntas. Alguns pontos na estrutura de certas perguntas e nos próprios textos foram apontados como podendo prestar a confusão. Alguns erros de digitação foram até apontados. Vários alunos sugeriram modificações ou acréscimos que poderão ser levadas em conta para o futuro aperfeiçoamento do material. Algumas dificuldades que não estavam contempladas pelo curso poderão eventualmente ser incluídas. A maioria dos alunos, no entanto está acompanhando e sentindo efeitos positivos, inclusive em sua própria leitura de textos em língua materna.

Inglês instrumental XE "Inglês instrumental"  - Internet XE "Internet"  - Auto-ensino XE "Auto-ensino"

SOBRE A TEMÁTICA DO PODER TOTALITÁRIO NA LITERATURA HISPANO-AMERICANA : ?O OUTONO DO PATRIARCA? E ?O GENERAL EM SEU LABIRINTO?, DE GARCÍA MÁRQUEZ

Aline Marques (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Miriam Viviana Gárate (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

A pesquisa é constituída de três partes: uma breve teorização sobre o processo de formação e evolução do romance hispano-americano,incluindo os romances de ditadores e os novos romances históricos ; os estudos das duas obras de Gabriel García Márquez (Colômbia) ; e o fechamento do trabalho com a análise de mais três obras relacionadas ao tema : Eu O Supremo, de Roa Bastos (Paraguai) , O Recurso do Método, de Alejo Carpentier (Cuba) e El Farmer , de Andrés Rivera (Argentina), as duas primeiras pertencentes ao chamado ?ciclo de narrativas de ditadores? (como O Outono do Patriarca) e a última ao ?novo romance histórico latino-americano? , juntamente com O general em seu labirinto . O trabalho foi realizado com base na leitura das obras e levantamento de material bibliográfico, com o objetivo de tecer algumas considerações sobre o processo de criação dos personagens nas diferentes obras e os implícitos pontos de vista de cada autor sobre os poderes totalitários. Em O Outono do Patriarca, o ditador é fictício, mas através dele García Márquez desejou representar uma ?síntese dos ditadores históricos latino-americanos?;O Recurso do Método traz também um ditador fictício , que deseja o poder a qualquer preço ; já Eu O Supremo retrata o ditador paraguaio Francia , enquanto El Farmer e O general em seu labirinto ficcionalizam fatos históricos e relatam, respectivamente, os últimos dias de Rosas e Bolívar.

Literatura Hispano-americana -  XE "Literatura Hispano-americana" Romances de ditadores -  XE "Romances de ditadores" Gabriel García Márquez  XE "Gabriel García Márquez"

ENTENDENDO O SOTAQUE ATRAVÉS DA TEORIA DA OTIMALIDADE

Ana Ruth Bittencourt (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria Filomena S. Sândalo (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

O objetivo deste projeto de iniciação científica é analisar alguns fenômenos prosódicos do que se rotula ateoricamente de ?sotaque? do falante nativo de português brasileiro ao falar inglês, e enquadrar este fenômeno nos padrões da Teoria da Otimalidade (Prince & Smolensky 1993). O ?sotaque? pode ser entendido como uma transferência de certos aspectos prosódicos da língua materna para a segunda língua. A nossa apresentação tem como foco a silabificação dos glides /y/ e /w/ pelo falante brasileiro de inglês. Há uma grande controvérsia com relação à forma subjacente de estruturas silábicas contendo glides. Este trabalho vem lançar uma luz sobre a estrutura silábica do português através da análise de dados de ?sotaque?. Para verificar a ocorrência do ?sotaque? em palavras contendo esses glides, foram elaborados e gravados dois corpora de 30 e 35 frases respectivamente. As gravações foram realizadas por um falante nativo e um falante não-nativo de inglês. Constatamos a ocorrência de ?sotaque? no contexto de ditongos de vogais idênticas. Levantamos a hipótese de que o glide seja parte de um núcleo ramificado e que o ?sotaque? seja efeito do Princípio do Contorno Obrigatório (OCP) no núcleo silábico.

SotaqueXE "Sotaque" - PortuguêsXE "Português" - InglêsXE "Inglês"

O ESTRANGEIRO NO BRASIL: REPRESENTAÇÕES IMAGINÁRIAS

Camila Flávia Cerussi (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria José R. F. Coracini (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Quando o estrangeiro vem para o Brasil ele traz consigo pré-impressões sobre a língua, o povo, a cultura, além de expectativas do que vai encontrar neste país: essas imagens, vozes que constituem o imaginário do estrangeiro e perpassam as experiências em contexto brasileiro são ?adquiridas? através do contato com as diversas vozes que o permeiam e constituem. Este trabalho pretende, através de uma metodologia de ?rememoração?, apresentar resultados parciais da análise desse imaginário cruzados com pesquisas bibliográficas sobre o Brasil, a língua e o povo brasileiro. Para isso foi respondido um questionário capaz de permitir o resgate das impressões que estes estrangeiros tinham antes de saírem de seus países. De acordo com as respostas obtidas, foi possível perceber que o Brasil é visto como um grande paraíso.- um palco de diversões no qual se revezam o carnaval, o futebol, as praias e o pantanal.- e ao mesmo tempo, como arena de violência; os brasileiros são sempre amistosos, ?as brasileiras...?, mas, comparados a outros países latinos é o país que possui maior desenvolvimento em pesquisa universitária; a língua portuguesa é maleável e alegre como os próprios falantes.

DiscursoXE "Discurso" - EstrangeiroXE "Estrangeiro" - ImaginárioXE "Imaginário"

A CONSTRUÇÃO DOS ESTILOS INDIVIDUAIS NOS DIÁRIOS DE OBSERVAÇÃO DE AULAS

Celiane Mendes (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Raquel Salek Fiad (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Esta pesquisa insere-se no projeto individual da Profa. Raquel S. Fiad: A construção do estilo em um gênero em construção: análise de diários de observação de aulas, que por sua vez, está inserido no Projeto Integrado: Subjetividade, Alteridade e Construção do Estilo: relação dos gêneros e dos estilos individuais, coord. pela Profa. Mª Bernadete M. Abaurre, financiado pelo CNPq (nº 521837/95-2). O objeto de análise são os diários de observação de aulas produzidos pelos alunos do curso de Letras IEL/UNICAMP nas disciplinas EL 784 e EL 894- Prática de Ensino de Português- Estágio Supervisionado I e II, respectivamente. A concepção de gêneros discursivos adotada em nosso PI está fundamentada na concepção de Bakhtin (1974) e a concepção de estilo adotada está baseada em Possenti (1988). No primeiro momento da pesquisa buscamos no corpus marcas que nos levassem a ?ver? o diário de observação de aulas como um gênero em construção. Neste segundo momento da pesquisa buscaremos marcas que nos permitam identificar a possível existência dos estilos individuais.

Gênero discursivo XE "Gênero discursivo"  - Estilo de gênero XE "Estilo de gênero"  - Estilo individual XE "Estilo individual"

ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS TEMÁTICAS E COMPOSICIONAIS DA ESCRITA NÃO ESCOLAR DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA

Cícero Gomes Junior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Inês Signorini (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

A pesquisa desenvolvida buscou identificar e descrever as características temáticas e composicionais de textos narrativos produzidos por professores da rede pública de ensino em situação não escolar de produção. Os textos usados para a análise foram escolhidos dentre os enviados à Secretaria Estadual de Educação em 1997 pelos professores da rede que participaram do concurso "O professor escreve sua história". Para a análise composicional, utilizou-se a Teoria dos Gêneros do Discurso (Bronckart 1994), que classifica os textos em quatro Gêneros principais: O Discurso Teórico, o Discurso Interativo, o Relato Interativo e a Narração. Sendo a maioria dos textos analisados pertencente ao gênero Relato Interativo, eles foram classificados em três subdivisões: o Relato de Atividade, o Relato de Episódio e a Autobiografia. Levando em conta esses gêneros, buscou-se identificar os temas recorrentes nos textos e sua relação com a forma de composição. Concluiu-se que a imensa maioria dos textos tematiza a função do professor em relação ao sistema de ensino, afirmando que sua participação é fundamental para as mudanças no sistema. Outra idéia presente na quase totalidade dos trabalhos é a do ensino como principal modo de ascensão social e pessoal.

Escrita XE "Escrita"  - Escrita do professor XE "Escrita do professor"  - Narrativa de professores XE "Narrativa de professores"

CRIANÇAS DE ZONA RURAL EM ESCOLA DE ZONA URBANA

Dalva Infantini de Paiva (Bolsista IC/CNPq, Projeto Auxílio Integrado ?Vozes na Escola?, proc.520616/95) e Profa Dra. Marilda do Couto Cavalcanti (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem ? IEL, UNICAMP

A escola tem papel fundamental no reforço do preconceito lingüístico(Bagno,1999), pois veicula somente a variedade padrão em detrimento das demais, num ensino baseado na dicotomia certo e errado que não reconhece as variedades próprias dos alunos, levando a um apagamento de suas identidades. O ensino de português, portanto, não leva em conta a heterogeneidade lingüística que a rede oficial de ensino agrega e, dessa forma, contribui para a segregação social dos falantes de variedades não prestigiadas, desestimulando-os ao aprendizado. No caso de alunos de zona rural, essa segregação lingüístico-social parece ser ainda mais forte pois as variedades lingüísticas não podem ser observadas sem a sua relação com os aspectos cultural e local. Este trabalho, de cunho etnográfico, que está ainda em fase inicial, tem por objetivo analisar as interações em sala de aula entre alunos de zona rural e de zona urbana entre si e com o professor observando a convivência de variedades do português num ambiente veiculador da norma padrão, neste caso, uma escola de zona urbana que atende uma população urbana, rural e rurbana(urbana de origem rural). O trabalho de campo será realizado em uma escola pública localizada no interior do Estado de São Paulo. Os registros serão coletados através de notas de campo, diário de campo, gravação de aulas em áudio e entrevistas.

Escola XE "Escola"  ? Rural XE "Rural"  - Urbana XE "Urbana"

OS GÊNEROS NAS PRODUÇÕES ESCRITAS DE UM SUJEITO

Fabiana Constantino Mucholin (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria Laura T. Mayrink-Sabinson (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

O objetivo deste trabalho é apresentar os gêneros encontrados na escrita de um sujeito (L.M.), de escola particular, durante seu período de 1ª à 8ª série do Ensino Fundamental. Os dados de L.M. fazem parte de corpus longitudinal que compõe o Banco de Dados do Projeto Integrado ?Subjetividade, Alteridade e Construção do estilo: relação entre estilos dos gêneros e estilos individuais?, financiado pelo CNPq ( no. 521837/95-2), no qual está inserida esta pesquisa. A concepção de gêneros discursivos utilizada nesse projeto está fundamentada em Bakthin (Bakthin, M. 1992. Os gêneros do discurso. In Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes). Busca-se, nas produções de L.M. escritas durante o período analisado, indícios reveladores dos gêneros discursivos a que elas pertencem. Busca-se, ainda, identificar os momentos de escrita em que esses gêneros surgem, desaparecem ou tornam-se constantes ao longo das séries. Além disso, no atual momento dessa pesquisa, volta-se a atenção para os gêneros produzidos por L.M. em dois espaços distintos: as produções realizadas em ambiente escolar e as produções realizadas em ambiente doméstico.

Aquisição da escrita XE "Aquisição da escrita"  - Gênero do discurso XE "Gênero do discurso"  - Sujeito singular XE "Sujeito singular"

MEMÓRIA DA LÍNGUA: TRAÇOS DE ALEMÃO NO PORTUGUÊS E DE PORTUGUÊS NO ALEMÃO

Gabriele de Souza e Castro Schumm (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Carmen Zink Bolognini (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Este projeto está inserido no projeto temático A Enciclopédia das Línguas do Brasil que visa estudar as línguas presentes no Brasil, desde as línguas indígenas, passando pelas línguas trazidas pela imigração até o português. O módulo no qual trabalho é o alemão e venho analisando as variações pelas quais esta língua tem passado desde sua implantação no Brasil à época da imigração alemã iniciada em 1824. Tanto a língua, como a cultura alemã; e a história corrobora minha afirmação, tem grande resistência a processos de assimilação cultural, o que não impede que esta ocorra de forma mais lenta, como foi comprovado em minha pesquisa. Com dados obtidos em uma viagem de coleta de dados para duas cidades do Paraná. Algumas gravações foram feitas com os moradores das cidades pesquisadas. Em nos enunciados foram encontrados alguns traços, traços de alemão no português e de português no alemão falado por estes moradores. Em posse destes dados uma análise foi feita sob a perspectiva da Análise do Discurso e da Semântica Histórica da Enunciação, de modo aventar a relação destes falantes com o Brasil.

Análise do Discurso XE "Análise do Discurso"  - Alemão XE "Alemão"  - Português XE "Português"

ANÁLISE CRÍTICA DAS REPRESENTAÇÕES DO NEGRO E DA ESCRAVIDÃO EM ROMANCES ROMÂNTICOS BRASILEIROS

Hebe Cristina da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Márcia Azevedo de Abreu (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Foram analisadas as representações do negro e da escravidão em oito romances românticos brasileiros: A Escrava Isaura (1875) e Uma História de Quilombolas (1871), de Bernardo Guimarães; As Vítimas-Algozes ? Quadros da Escravidão (1869), de Joaquim Manuel de Macedo; As Minas de Prata (1862-65), Til (1872) e O Tronco do Ipê (1872), de José de Alencar e Úrsula (1859), de Maria Firmina dos Reis. Considerando que o Romantismo foi, de certa forma, parte de um processo político de construção de uma nação de molde europeu, percebemos que os autores, com exceção de Maria Firmina dos Reis, tiveram dificuldade de incluir o negro e a escravidão em seus romances. Amenizaram aspectos da escravidão que causavam repugnância entre os europeus e ofuscaram (por vezes omitiram) a presença maciça de negros naquela sociedade. Não podendo, entretanto, negar o caráter escravista da sociedade da época para não serem inverossímeis, nossos romancistas incorporaram a concepção vigente na época do negro como inferior, o que, em seus romances, funciona como uma espécie de estratégia para justificar a escravização do africano.

Romantismo XE "Romantismo"  - Romance XE "Romance"  - Escravidão XE "Escravidão"

SEGMENTAÇÃO E ANÁLISE ESTATÍSTICA EXPLORATÓRIA DE CORPORA DE REGISTROS ORAIS DE PORTUGUÊS EUROPEU MODERNO E PORTUGUÊS BRASILEIRO

Janaisa Martins Viscardi (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Antonio Galves (Orientador), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Este projeto está inserido no projeto temático Padrões Rítmicos, Fixação de Parâmetros e Mudança Lingüística (processo FAPESP 98/3382-0). O trabalho é feito a partir da hipótese de que é possível classificar as línguas de acordo com padrões rítmicos. O objetivo do projeto é preparar um corpus anotado, fazer uma análise estatística exploratória desses dados e, a partir dessa análise, verificar se há evidências de que o Português Brasileiro e o Português Europeu (doravante PB e PE, respectivamente) são línguas que pertencem a classes rítmicas distintas, com base na metodologia de Ramus et al (1999). O trabalho de Ramus é bastante importante por ser o primeiro a apresentar evidências acústicas sobre a existência das classes rítmicas. Até o presente momento, o trabalho consistiu na segmentação manual dos sinais acústicos em segmentos vocálicos e consonantais e na conseqüente análise estatística desses dados. No entanto, interessa ao projeto, a segmentação automática dos intervalos para que se possa analisar um grande número de dados em tempo menor. O programa que automatizará a segmentação dos corpora está em fase de desenvolvimento, tendo atualmente uma taxa de correção da ordem de 75%. Seu aperfeiçoamento depende de um trabalho de correção manual das saídas do programa e de identificação das características dos segmentos problemáticos. Participo ativamente desta etapa do projeto. Com base na análise estatística exploratória desse grande corpus será possível elaborar um gráfico que apresente a posição do PB e o PE em relação às demais línguas já estudadas e enquadradas no gráfico elaborado por Ramus et al.

Grupo Rítmico XE "Grupo Rítmico"  - Português Brasileiro XE "Português Brasileiro"  - Português Europeu XE "Português Europeu"

FORMAÇÃO DO LEITOR: UMA HISTÓRIA ENTRE UM SUJEITO E LEITURAS

Jovir José de Almeida Filho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria. Laura Trindade Mayrink-Sabinson (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Tendo em vista o estudo do atual ensino escolar de leitura e a busca de respostas que tragam um entendimento do processo de formação do leitor, este trabalho visou analisar a relação de um sujeito (cujo corpus longitudinal faz parte do Banco de Dados do Projeto Integrado em Aquisição da Linguagem Escrita - PALE) com a leitura, seus encontros e desencontros com o mundo do letramento. Acreditando nos resultados da leitura na vida do sujeito, procuro, valendo-me de um paradigma indiciário de investigação (Ginzburg, 1986), buscar nos dados disponíveis de L.M.(sujeito cujos dados formou o corpus analisado), principalmente no diário sobre os contatos desta criança com a escrita e a leitura, mantido pela mãe no período pré-escolar, pontos de flexão e inflexão deste processo de aprendizagem desenvolvido, às vezes, despretensiosamente, dentro de casa, na relação desta criança com seus pais. Este trabalho fundamentou-se nos textos de: Jean Foucambert (1994), em que o pesquisador francês busca discutir a questão do saber-ler/saber-decifrar; Magda Soares (1988; 1998) focalizando a questão social em torno do estudo sobre letramento, pensando no significado sócio-cultural da formação do leitor; Bakhtin (1979), discutindo a alteridade na história de letramento da criança e na aquisição da linguagem; e em Jean Goulemot (1996), na relação existente entre criança ? texto, resgatando a definição de leitor apresentada por este pesquisador francês, para o qual o leitor, em uma relação com o texto, define-se por uma fisiologia, uma história e uma biblioteca. Este trabalho, no entanto, permitiu pensar as diferentes histórias de letramento, com as quais a escola tem que trabalhar em seu processo de alfabetização.

Letramento XE "Letramento"  - Leitura XE "Leitura"  - Aquisição da escrita XE "Aquisição da escrita"

BANCO DE DADOS EM NEUROLINGÜÍSTICA (BDN)

Lívia Santiago Peroni (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Irma Hadler Coudry (Orientadora), Instituto de Estudos de Linguagem - IEL, UNICAMP

O Projeto Integrado Contribuições da pesquisa neurolingüística para a avaliação do discurso verbal e não-verbal tem dois objetivos: a elaboração de um Banco de Dados em Neurolingüística (BDN) e de protocolos de avaliação de linguagem para sujeitos cérebro-lesados. O BDN é composto por transcrições de sessões do Centro de Convivência de Afásicos (CCA/IEL/FCM), de 1990 a 1996. O CCA comporta grupos de pessoas afásicas e não-afásicas que interagem sistematicamente, por meio da linguagem e de práticas significativas humanas: agenda, noticiário escrito e falado, passeios, visitas e exposições, culinária, palestras, jogos verbais e não-verbais e dramatização de cenas do cotidiano. Também fazem parte das atividades do CCA jogos dramáticos, desenvolvidos pelo programa de teatro e um progrma de educação física. O BDN conta com uma Macro exclusiva, que é capaz de realizar rapidamente, através do Word, uma busca de dados, orientada por um código de busca baseado em categorias teóricas que possibilitam a identificação de diferentes tipos de dado. O BDN é composto por uma tabela de seis colunas: Código de Busca; Numeração; Sigla do Locutor; Transcrição; Observações sobre Condições de Produção de Processos de Significação Verbal e Observações sobre Condições de Produção de Processos de Significacão Não-verbal . O presente projeto apresenta o BDN, em sua última versão, tematizando as seguintes questões: (a) adequação do sistema de codificação dos dados registrados; (b) ampliação do código de busca, visando a uma seleção rápida dos dados e a sua integração em pesquisas de diferentes domínios da Lingüística. Será apresentado um fac-símile do BDN, de modo a que se tenha uma idéia de seu funcionamento quanto: à transcrição dos dados: ortográfica, acompanhada de transcrição fonética quando se tratar de trechos que demandam essa análise. Essa decisão permite que o BDN possa ser eficiente também para a pesquisa de dados de afasias que afetam a produção de sons da língua e de sua interface com a sintaxe e a semântica; à inclusão da transcrição prosódica da entonação de trechos que demandam transcrição fonética;às observações das Condições de Produção de Processos de Significacão Verbal e Não-verbal.

Neurolingüística XE "Neurolingüística"  - Transcrição XE "Transcrição"  - Banco de Dados XE "Banco de Dados"

A REPERCUSSÃO DA AFASIA NA VIDA DE SUJEITOS AFÁSICOS E FAMILIARES

Luciana de Souza Dutra (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria Irma Hadler Coudry (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

O Projeto de Iniciação Científica que desenvolvo junto à FAPESP intitula-se A repercussão da afasia na vida de sujeitos afásicos a familiares, vincula-se à área de Neurolingüística da UNICAMP e acompanha a atividade de escrita de um livro de divulgação sobre afasias. O objetivo deste Projeto é acompanhar a atividade de escrita (discussões iniciais, organização do temário, exposição de motivações, depoimentos e a própria atividade de selecionar trechos de fala para constarem do livro) de um livro sobre afasia que o Grupo I do Centro de Convivência de Afásicos (CCA/IEL/FCM/UNICAMP) está preparando, como parte de suas atividades sistemáticas com a linguagem desenvolvidas nas sessões do CCA, em 2000 e 2001. Foram levantados e transcritos (com base no registro em vídeo e áudio) diversos depoimentos dos sujeitos afásicos sobre o impacto da afasia em suas vidas e na de seus familiares. Foram projetados alguns destes textos em tela para serem selecionados pelos pesquisadores e sujeitos. Isto deu lugar a discussões no grupo sobre como representar a relação oralidade/escrita nas transcrições, de modo a não perder as marcas vernaculares e os dados poderem ser lidos por falantes do português sem que seja preciso recorrer à transcrição fonética (o que limitaria o acesso ao corpus a lingüistas). Serão apresentados dados relativos a esses depoimentos.

Neurolingüística XE "Neurolingüística"  ? Afasia XE "Afasia"  ? Impacto XE "Impacto"

A POÉTICA DO ROMANCE E A FICÇÃO VARGALLOSIANA

Mara Pereira Borges (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Miriam V. Gárate (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

O escritor peruano Mario Vargas Llosa aprofunda a exploração de novos códigos narrativos no universo ficcional latino-americano com suas publicações, datadas a partir da década de 60. A fragmentação da história e a relativização do foco narrativo ? dois dos traços mais característicos de sua obra- têm ampla ligação com as transformações sofridas naquilo que, grosso modo, poderíamos denominar de ideologia vargallosiana. Este projeto de pesquisa visa analisar a relação entre forma romanesca e ideologia e, para tanto, o corpus selecionado consta de duas obras: A Guerra do Fim do Mundo (1981), romance no qual as técnicas narrativas acima mencionadas aparecem de forma não muito exacerbada, e História de Mayta (1984), no qual a fragmentação e a relativização se radicalizam. No primeiro momento da pesquisa, as atividades estão centradas no estudo de bibliografia concernente à teoria do romance, bem como à teoria do romance polifônico de Mikhail Bakhtin que fornecerão subsídios teóricos para análise dos romances.

A Guerra do Fim do Mundo XE "A Guerra do Fim do Mundo"  - História de Mayta XE "História de Mayta"  - Teoria do Romance XE "Teoria do Romance"

A QUERELA DA ?DONNA DI PALAZZO? N´O CORTESÃO DE BALDASSARE CASTIGLIONE

Marlies Regina Figueira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Eduardo Ornelas Berriel (Orientador), Instituto de Estudos da Linguagem ? IEL, UNICAMP

Este trabalho de Iniciação Científica teve como principal objetivo estudar a grandiosa obra renascentista, O Cortesão, de Baldassare Castiglione. Mais especificamente, elegeu-se ? em meio a tantos outros temas - a questão da dama palaciana, tal como vista pelo olhos de Castiglione, que traça um retrato de sua opinião sobre a questão em sugestões em meio às discussões e especificamente no terceiro livro, no qual narra um debate justamente sobre as damas, travado na terceira noite retratada. Através da narrativa fictícia, embora retrato fiel do Renascimento, pôde-se extrair reflexões e opiniões diversas acerca deste debate que era específico da época: a situação de (des)igualdade das mulheres em relação aos homens nas grandes cortes palacianas. O trabalho fundou-se em uma leitura detalhada d´O Cortesão visando detectar, selecionar e transcrever todas as ocorrências de reflexões ou alusões ao tema da dama palaciana que possibilitou a elaboração de um compêndio através do qual o assunto pode ser trabalhado. Por conseguinte, obras relevantes selecionadas a partir de uma extensa bibliografia sobre esta época foram estudadas e fichadas. No presente momento, elabora-se a redação da memória da pesquisa já feita.

Renascentismo XE "Renascentismo"  - Baldassare Castiglione XE "Baldassare Castiglione"  - Obra XE "Obra"

MÍDIA TELEVISIVA E REPRESENTAÇÕES IDENTITÁRIAS DO PROFESSOR

Michele Barbosa Marcelino (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria José Coracini (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Minha participação neste projeto está relacionada à construção da identidade do professor pela TV, uma vez que esta é atravessada, dentre outros, pelo discurso da mídia. A TV fala da escola, do aluno e do professor construindo ou reforçando representações internalizadas pela/na sociedade. Interessa-nos saber quais são essas representações e como são veiculadas pela mídia. Inicialmente, nossos estudos se basearam nos preceitos da Análise do Discurso, e os conceitos fundamentais com os quais trabalhamos são: discurso, ideologia e sujeito. Este último, imprescindível no entendimento da figura identitária do professor, trata-se do sujeito pós-moderno, que não tem uma identidade fixa, essencial ou permanente. Assumimos, então, a concepção do sujeito cindido, clivado, descentrado. Foram gravados episódios dos seriados ?Malhação? e ?Sandy & Junior?, (ambos da Rede Globo), por se ambientarem, em sua maior parte, num colégio, o que nos oferece inúmeras situações para análise. O que podemos perceber, pelo menos até este momento, é que o professor se apresenta como uma figura moralizante, detentora do saber, e que, mesmo tendo seus próprios problemas e vivendo conflitos, ainda representa autoridade e é um mestre e guia para os alunos; portanto, uma visão tradicional que se acha imbricada com maneiras ?pós-modernas? de ver a escola e o conhecimento que é aí produzido.

IdentidadeXE "Identidade" ? ProfessorXE "Professor" - TVXE "TV"

LITERATURA NOS LIVROS DIDÁTICOS DE 5ª A 8ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA ESTÉTICA E O ATO DE LEITURA

Monica Teodoro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Betania Amoroso (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Nesta pesquisa leio e interrogo a concepção de literatura presente nos livros didáticos do ensino fundamental, ciclos III e IV (5ª a 8ª séries). A pesquisa compõe-se de três partes. Na primeira pretendo esclarecer a diferença entre crise da leitura e o tema desta pesquisa, a crise do ensino de literatura na escola. Na segunda analiso os livros selecionados, tomando por base conceitos da Estética do Efeito e da Recepção, com apoio também nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) e na avaliação feita pelo MEC sobre os livros didáticos de 5ª a 8ª séries (Guia do Livro Didático de 5ª a 8ª séries), ressaltando-se aí a importância da ?experiência estética? promovida pela relação aluno/texto literário. Concluindo, com base nas análises, espero definir a importância de se ter, com clareza, uma concepção determinada de literatura nos livros didáticos que oriente os trabalhos em sala e fora dela e que, ao mesmo tempo, demonstre também como sua ausência contribua para o abandono dos textos literários por professor e aluno. O objetivo é, contudo, colaborar para a discussão de como dar uma formação diferenciada para leitores de literatura.

Literatura XE "Literatura"  - Ensino Fundamental XE "Ensino Fundamental"  - Estética XE "Estética"

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA EM DOCUMENTOS OFICIAIS: SUBSÍDIOS, GUIAS, PROPOSTAS E PARÂMETROS CURRICULARES

Patrícia Miyasaka da Silveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Raquel Salek Fiad (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

A partir do trabalho desenvolvido por alguns professores do IEL/ UNICAMP junto ao ensino de primeiro e segundo graus, foi sendo formado um Acervo que inclui Propostas curriculares, Guias curriculares, Subsídios ao ensino de diferentes níveis, nas áreas de alfabetização e língua portuguesa de várias cidades e estados do Brasil e, finalmente, os Parâmetros Curriculares Nacionais. Esse acervo está situado em uma sala do PALE ( Projeto de Aquisição da Linguagem Escrita) , no IEL/Unicamp, e documenta diferentes momentos da história da Língua Portuguesa no Brasil nas décadas de 70 a 90, e também demonstra como esses documentos foram se constituindo no decorrer das últimas décadas. Esses documentos são resultantes e também provocadores de reflexões a respeito do ensino de português no período assinalado. O projeto de pesquisa e iniciação científica teve como objetivo inicial organizar e catalogar o material presente no acervo permitindo que o mesmo fosse dividido em 4 tipos de documentos: Diretrizes, Guias, Propostas, Parâmetros Curriculares; Documentos relacionados à Proposta Curricular de São Paulo; Subsídios; Material Didático. Ao analisar as concepções de ensino/aprendizagem e de alfabetização presentes em alguns documentos notamos que ocorreram mudanças importantes no decorrer das décadas.

Ensino de língua portuguesa XE "Ensino de língua portuguesa"  - Documentos oficiais XE "Documentos oficiais"  - Concepção de linguagem XE "Concepção de linguagem"

MENDES FRADIQUE E SUA GRAMÁTICA PELO MÉTODO CONFUSO: O APÊNDICE ANTOLÓGICO

Ricardo G. Munduruca Costa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Augusta Bastos de Mattos (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

As gramáticas tradicionais da época na qual foi escrita a Grammatica Portugueza pelo Methodo Confuso (GMC) continham, em geral, uma parte na qual era exposta a gramática e, depois, uma antologia na qual era aplicada a gramática. Além disso, era uma prática prestigiosa e aplaudida anexar à sua gramática uma pequena antologia. O Appendice Anthologico (AA) foi construído, por vezes, seguindo o padrão de construção das antologias da época e, por vezes, utilizando um método próprio de construção que acreditamos não ser casual, como já ocorria na primeira parte da GMC. Esse método, grosso modo, consiste em criticar utilizando o humor caricatural, procedimento típico da época na qual foi escrita a GMC. Não podemos deixar de dizer que o AA está repleto de referências, propositadamente incorretas, o que nos levou a preparação de um ?dossiê? completo dos autores constantes nesse apêndice. O AA traz, além dos autores famosos, autores pouco comuns nas antologias tradicionais o que proporciona um maior conhecimento acerca dos autores de língua portuguesa. Além da micro-biografia dos autores, o que é comum, o AA contém crítica a esses autores, o que é pouco comum, sobretudo em se tratando de crítica negativa. Nossa pesquisa pode ser importante, para quem venha a estudar a própria GMC e para quem estuda história das antologias.

Método Confuso XE "Método Confuso"  - Gramática XE "Gramática"  - Humor XE "Humor"

O HAICAI PRODUZIDO NO GRÊMIO HAICAI IPÊ

Sandra Miyatake Sakamoto (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Suzi Frankl Sperber (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

O haicai é um tipo de poesia originária do Japão, é um poema composto por três versos, de 5-7-5 sílabas poéticas, respectivamente. No Brasil, a adaptação do haicai originou diversas correntes, O Grêmio Haicai Ipê foi o grupo responsável pela adaptação do haicai tradicional japonês no Brasil. Além de ser um grupo de estudos, possui a mais relevante produção de haicais do país. Por este motivo um dos objetivos do projeto foi a análise crítica de sua produção poética publicada em 15 livros. A bolsista participou das reuniões mensais do Grêmio para o registro dos ensinamentos de seu coordenador Mestre Goga, ele é um dos poucos mestres de haicai em vida no Brasil, participou intensamente do movimento haicaístico juntamente com poetas de renome da literatura brasileira como Guilherme de Almeida. Outro objetivo do projeto, durante os 4 anos de pesquisa, foi a realização de uma antologia que reuniu a produção de cerca de 5000 haicais para o registro histórico dos 14 anos de produção de haicais do Grêmio. Através da organização da antologia foi possível entender como se deu a adaptação do haicai tradicional japonês, cujo maior expoente foi Matsuo Bashô, no Brasil. Fez parte deste trabalho também, num segundo momento, a análise dos haicais não apenas do ponto de vista estético ocidental, mas também através dos critérios da estética, filosofia, religião, pensamento e cultura oriental.

Haicai  XE "Haicai" - Poesia XE "Poesia"  - Haicai no Brasil XE "Haicai no Brasil"

ROMANCES INDIANISTAS E FOLHETOS

Simone Michelle Silvestre (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra Márcia Azevedo de Abreu (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

O presente trabalho teve como objetivo dar continuidade aos estudos que vinham sendo feitos ?desde o segundo semestre de 1999 com o projeto Folhetos e Romances: Um Estudo Comparativo? a respeito das adaptações dos romances da literatura brasileira para a literatura de folhetos nordestina. Para tanto, neste projeto foi selecionado um representante do universo erudito que teve interesse em resgatar dentre os elementos da tradição popular brasileira, a figura do indígena, em algumas de suas obras, José de Alencar. Em contrapartida, como representantes do mundo oral, foram escolhidos os poetas populares João Martins de Athayde e Francisco Sales que adaptaram para o folheto as histórias de duas personagens dos romances indianistas de José de Alencar: Iracema e Ubirajara. Dentre os romances de temática indianista de José de Alencar foram selecionados Iracema e Ubirajara, sendo o motivo da seleção destes romances, o fato de terem sido adaptados para a literatura de folhetos nordestina. Já os folhetos adaptados a partir dos romances foram Iracema (A virgem dos lábios de mel) de João Martins de Athayde e O Guerreiro Ubirajara de Francisco Sales. Durante o andamento da pesquisa, foi estudado a visão da crítica e da história literária a respeito do indianismo romântico e inclusive o alencarino, a forma como os poetas populares abordavam o tema indianista nos folhetos e por fim mostrado nas análises comparativas entre os romances e os folhetos, o que permaneceu e o que foi alterado na estrutura narrativa das duas produções, a linguagem recorrente nestes folhetos e o que havia em comum no processo de adaptação dos vários folhetos estudados.

Romance XE "Romance"  - Adaptação XE "Adaptação"  - Cordel XE "Cordel"

A QUESTÃO DO SUBSTANTIVO NA OBRA GRAMATICAL DE SAID ALI

Thaís de Mattos Albieri (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Eduardo Roberto Junqueira Guimarães (Orientador), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Este projeto, desenvolvido no interior do projeto CAPES-COFECUB ?História das Idéias Lingüísticas no Brasil?, tem por objetivo analisar a definição do substantivo em três gramáticas escritas no início do século XX pelo lingüista Manuel Said Ali. A Gramática Histórica da Língua Portuguesa tem por objetivo estudar as transformações da língua do ponto de vista semântico e descritivo, interessando, desta forma, àqueles que buscam um conhecimento a respeito das mudanças sofridas pela língua portuguesa na sua história. As Gramática Secundária da Língua Portuguesa e Gramática Elementar da Língua Portuguesa destinam-se aos alunos do que hoje se chama 1O. e 2O. graus, respectivamente. Nestas gramáticas o autor assume uma posição normativa com o objetivo de ensinar a falar e escrever corretamente a norma culta. A metodologia do trabalho consistiu: a) da catalogação das três gramáticas em uma ficha na qual constavam os parâmetros formais que orientaram a análise; b) da comparação entre as próprias gramáticas, levando em conta particularmente a definição de substantivo. A conclusão a que se pôde chegar pela observação das definições é que a obra de Said Ali se caracteriza pela consideração do sujeito e do aspecto psicológico e semântico da língua.

Língua Portuguesa  XE "Língua Portuguesa" - Substantivo XE "Substantivo"  - Gramática XE "Gramática"

OS GÊNEROS NA ESCRITA INICIAL DE UM SUJEITO

Vânia Cristina Gonçalves Leite (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria Bernadete Marques Abaurre (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

A partir da análise dos dados extraídos do corpus longitudinal do sujeito M.L., pertencente ao Banco de Dados do Projeto Integrado ?Subjetividade, alteridade e construção do estilo: relação entre estilos dos gêneros e estilos individuais? (CNPq no. 521837/95-2), este trabalho visa apresentar os gêneros discursivos que uma criança, aluna de escola particular e filha de professores universitários, foi capaz de produzir em sua primeira fase escolar, ou seja, durante o período compreendido entre a 1a. e a 4a. séries do Ensino Fundamental, considerando tanto os textos produzidos pelo sujeito na escola quanto os produzidos espontaneamente em casa. Segundo Bakhtin, gêneros são ?tipos relativamente estáveis de enunciados? produzidos no interior das esferas de relações humanas a fim de satisfazer as necessidades interlocutivas dos sujeitos que se inter-relacionam, e a presente pesquisa compartilha dessa concepção ao observar que há uma grande disparidade entre os gêneros produzidos por M.L. na escola e os gêneros produzidos em casa, concluindo, desse modo, que a construção dos gêneros discursivos por uma criança se dá não apenas sob imposição e supervisão escolares, mas, também, espontaneamente, obedecendo às suas necessidades de interlocução.

Aquisição da Escrita XE "Aquisição da Escrita"  - Gêneros do Discurso XE "Gêneros do Discurso"  - Sujeito Singular XE "Sujeito Singular"

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

VIAGENS E ICONOGRAFIA: AS EXPEDIÇÕES CIENTÍFICAS DO PRÍNCIPE MAXIMILIAN WIED-NEUWIED ? BRASIL/ESTADOS UNIDOS (1815-1834)

Albina Luciani Albuquerque Pereira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Robert W. Slenes (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

O projeto visa comparar as viagens feitas pelo ?príncipe-cientista? alemão Maximilian Wied-Neuwied ao Brasil e aos Estados Unidos. A primeira expedição teve início em 1815 e terminou em 1817. Quinze anos após seu retorno à Europa das terras brasileiras, ele parte para sua segunda exploração, permanecendo no solo norte-americano até 1834. Ambas as viagens deram origem a relatos e coleções iconográficas, que são o objeto de análise desta pesquisa de iniciação. A comparação deste material sugere a existência de mudanças ocorridas na visão do viajante entre as duas expedições com relação aos indígenas. Tal transformação estava comprometida com diversos fatores sociais e culturais europeus do início do século XIX, que devem ser historicamente analisados.

Viajantes XE "Viajantes"  - Século XIX XE "Século XIX"  - Iconografia XE "Iconografia"

É POSSÍVEL UMA HISTÓRIA DAS MULHERES DA ELITE PAULISTA, ENTRE MEADOS DO SÉCULO XVIII E INÍCIO DO XIX (1760-1822) ?

Aline Antunes Zanatta (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Leila Mezan Algranti (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Inspirado no título da obra sobre direção de Michelle Perrot, ? Une histoire des femmes est-elle possible??, a proposta desta pesquisa é investigar a possibilidade de um estudo sobre as mulheres da elite paulista entre a segunda metade do século XVIII e início do XIX. Tem-se como objetivos: realizar um levantamento e fichamento da bibliografia disponível sobre a história de São Paulo e sobre as mulheres paulistas, a fim de verificar as tendências historiográficas e as informações disponíveis; busca-se levantar fontes que permitam apreender os comportamentos e representações em relação às mulheres da elite paulista. A temática que à princípio parecia ser um campo com poucas possibilidades de estudo, tem-se mostrado um campo fértil, no qual, através da coleta dos dados, agruparam-se temas como casamento, educação, honra, divórcio, hierarquia, bens, status. Os temas levantados não serviram somente para mapear o espaço social em que as mulheres estavam inseridas, mas para que a família emergisse como um espaço no qual o público e privado mesclavam-se. Sendo, portanto, a família apontada através da pesquisa como espaço de possíveis questionamentos dos estereótipos reafirmados pela historiografia sobre as mulheres de elite, como da franzina ou da grande matriarca.

História do Brasil Colonial XE "História do Brasil Colonial"  - Mulheres da elite XE "Mulheres da elite"  - São Paulo XE "São Paulo"

EGIPTOMANIA NO SÉCULO XIX

Aline Vieira de Carvalho (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Pedro Paulo Abreu Funari (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

A pesquisa realizada buscou compreender como o Egito foi retratado pelos intelectuais ingleses do século XIX. Três áreas foram enfocadas para tal estudo: acadêmica, política e artística (literatura e pintura). Através de leituras críticas dos discursos do Arqueólogo inglês Sir Flinders Petrie, foi traçado o nascimento da Egiptologia, bem como os vínculos entre o imperialismo e as ciências. Obras de John Stuart Mill embasaram reflexões acerca da política vitoriana, enquanto ?Tempos Difíceis?, de Charles Dickens, e retratos de Rebbeca Solomon inspiraram investigações sobre o Oriente nas artes. Partindo de leituras e fichamentos das obras, acima citadas, e de outras publicações referentes ao contexto da Inglaterra novecentista. Conclui a existência de ?Egitos? diferentes, específicos a cada área da produção humana (inglesa), convergentes em uma crença na inferioridade oriental e na necessidade de intervenção britânica para proporcionar aos ?bárbaros nilóticos? o desenvolvimento. Após esta constatação foi possível problematizar a relação entre o círculo intelectual e os diversos setores sociais, almejando-se conhecer o mecanismo de arquitetação, legitimação e popularização de teorias. Saber de fundamental importância para o entendimento da construção de nosso presente. O recorte cronológico justifica-se pela grande euforia, presente em toda a Europa, provocada pelas ?Expedições Napolêonicas? (1799) e pela decifração da Pedra de Roseta (1823). Durante todo o século XIX, possuir elementos da cultura egípcia simbolizava status e poder. Geograficamente, a Inglaterra destacou-se pela elaboração de teorias arqueológicas inovadoras e impulso expansionista.

Egiptomania XE "Egiptomania"  - Inglaterra XE "Inglaterra"  - Século XIX XE "Século XIX"

HISTÓRIA E CRÔNICA: MACHADO DE ASSIS E AS ?BALAS DE ESTALO?

Ana Flávia Cernic Ramos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sidney Chalhoub (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

A crônica, gênero literário com forma e conteúdo comprometidos com aspectos do cotidiano, mostra-se fundamental no estabelecimento da relação entre ficção e história, principalmente quando nos referimos às últimas décadas do século XIX no Rio de Janeiro. Neste período, o gênero alcançou grande público e envolveu muitos literatos em sua elaboração. Nosso trabalho refere-se ao estudo da série cronística ?Balas de Estalo? (1883-1887), que tem entre seus principais colaboradores Capistrano de Abreu e Machado de Assis. Publicada na década de 1880, a série acompanha um período de grandes tensões políticas e sociais, no qual a escravidão e o sistema monárquico vêem-se ameaçados. ?Balas? e seus nove narradores acompanham todas essas agitações e seus temas giram em torno de questões como política imperial, poder pessoal de Dom Pedro II, escravidão e medicina. Através do fichamento e da contextualização das crônicas, acompanhada da leitura de bibliografia específica sobre o período e sobre este gênero literário, tentamos compreender como estes nove cronistas estão construindo um testemunho histórico sobre essas grandes questões. Buscamos também analisar como a série se constrói, qual o diálogo existente entre seus colaboradores, como Machado de Assis se insere neste grupo e qual o seu posicionamento sobre os mais diversos assuntos que compõem a série.

História XE "História"  - Crônica XE "Crônica"  - Império XE "Império"

A POSIÇÃO DO PSTU FRENTE À OFENSIVA NEOLIBERAL NO BRASIL

Andriei da Cunha Guerrero Gutierrez (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Armando Boito Jr. (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Tendo em vista o avanço da ideologia neoliberal no Brasil, durante a década de 1990, fundamentada nas políticas de: desregulamentação financeira e do mercado de trabalho; abertura comercial; privatização e redução nos gastos sociais, há um questionamento sobre o papel dos partidos de esquerda na atual conjuntura. O objetivo de nossa pesquisa consistiu em analisar, a partir do estudo de fontes primárias, a posição do PSTU diante desta ideologia. Fizemos uma descrição das suas concepções, posições e estratégias frente às políticas neoliberais. Para o partido, o governo Fernando Henrique Cardoso estaria operando segundo as determinações das grandes agências financeiras internacionais levando a uma recolonização do país. O PSTU critica as posições do PT e do PCdoB: ambos teriam abandonado a mobilização das massas, deixando de lado a luta socialista - estariam reformando o sistema e gerindo a crise do capital. Para o PSTU, haveria uma ?crise do neoliberalismo?. Contra a política neoliberal, o PSTU propõe medidas anticapitalistas, antimonopolistas e antilatifundiárias. Não se pode entender a postura do PSTU sem recorrer à sua herança ideológica (trotskismo): acredita na ?teoria da revolução permanente?; o capitalismo encontrar-se-ia em sua fase decadente, não teria como suprir as necessidades básicas dos trabalhadores, e a revolução socialista estaria na ?ordem do dia?.

PSTU XE "PSTU"  - Neoliberalismo XE "Neoliberalismo"  - Política Brasileira XE "Política Brasileira"

IMIGRANTES PORTUGUESES, IMIGRANTES BRASILEIROS: GLOBALIZAÇÃO, ANTIGOS IMAGINÁRIOS E (RE)CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES ? UMA COMPARAÇÃO TRIANGULAR

Carla Christine Janzen (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Bela Feldman-Bianco (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

A primeira etapa do trabalho dentro do projeto integrado coordenado por Bela Feldman-Bianco, dentro CEMI (Centro de Estudos de Migrações Internacionais), constituiu-se na leitura de textos científicos e de grande imprensa (dos jornais portugueses Público, Diário de Notícias e Jornal de Notícias), por meio dos quais entrei em contato com as questões gerais do projeto, dando ênfase às questões referentes às Comemorações dos 500 anos do Brasil, como também à inclusão e exclusão de imigrantes portugueses no Brasil e de imigrantes brasileiros e africanos em Portugal. Também desenvolvi trabalho de campo, no qual acompanhamos em São Paulo as solenidades do dia 22 de abril, descobrimento do Brasil, e do 25 de abril, Revolução dos Cravos. A segunda etapa do trabalho procurou analisar as políticas de inclusão e exclusão dos imigrantes na sociedade portuguesa, a partir da Nova Lei de Imigrações de Portugal, instaurada em Janeiro de 2001. Esta se mostra ineficaz em inserir os imigrantes na vida portuguesa e permite a exploração dos mesmos. Nesse contexto, os imigrantes acabam por se tornar dependentes de seus patrões, uma vez que precisam do contrato de trabalho (fornecido pelos empregadores) para se legalizar Este trabalho tem sido feito através da leitura de textos, artigos de jornal, da própria lei e da comparação desta com as demais legislações européias.

Leis de Imigração -  XE "Leis de Imigração" Xenofobia -  XE "Xenofobia" Racismo XE "Racismo"

UMA ESTRATÉGIA DE PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS E DE RECUPERAÇÃO DE VICIADOS: A ATUAÇÃO DA FEDERAÇÃO DE ENTIDADES DE AMOR EXIGENTE NA REGIÃO DE CAMPINAS (ANOS 90)

Carlos Alexandre Assim Paulino (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Eliézer Rizzo de Oliveira (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

O tema do Projeto envolve uma reflexão sobre uma proposta metodológica direcionada a prevenção ao uso e abuso de substância psicoativas, aprimorando as ações das principais instituições na formação do jovem: a família, a escola e o estado. A proposta Amor-Exigente, aponta para a execução de um trabalho no qual, tais instituições participem mais da vida social, com o intuito de proporcionar uma melhor qualidade de vida à comunidade. O Projeto tem o objetivo de elaborar um Levantamento histórico do processo de constituição do ?Amor-Exigente? em Campinas através do Padre Haroldo Ruhm; Exame do funcionamento interno da terapêutica ?Amor-Exigente?; Analise da questão Direitos Humanos e cidadania; Finalmente , realização da implantação da Federação de entidades de entidades de Amor-Exigente, a partir de Campinas. Tais objetivos foram alcançados através de uma pesquisa pautada em entrevistas, observação participante e no estudos das publicações da FEBREAE, mostrando-se enquanto uma metodologia muito eficiênte no âmbito da prevenção primária , secundária e terceária.

Drogas XE "Drogas"  - Prevenção XE "Prevenção"  - Qualidade de vida XE "Qualidade de vida"

CASO DE POLÍCIA: OS LIVROS DE OCORRÊNCIAS POLICIAIS NO RIO DE JANEIRO (1907 ? 1914)

Claudia Roberta de Campos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Clementina Pereira Cunha (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Os livros de registro de ocorrências policiais do Rio de Janeiro no começo do século são o ponto de partida desta pesquisa. Eram registradas ocorrências de furto, desordem, vadiagem, assistência para doentes e feridos, expedição de guias para Hospital e Necrotério; ocorrências que se referem ao cotidiano policial do período e nos dão pistas a respeito dos sujeitos envolvidos nesse cotidiano. As fontes privilegiadas para o desenvolvimento desse trabalho referem-se ao Distrito de São José (1907) que era uma das freguesias centrais da Capital Federal. Esse distrito era habitado e freqüentado por pessoas pobres e iletradas. E são essas pessoas que eram o alvo da ação policial e é deste modo que aparecem nas ocorrências policiais. Para confrontar essa documentação, foi pesquisada a cobertura policial da imprensa carioca no período, procurando identificar as convergências e os critérios de seleção e atenção ao crime, tanto do jornal quanto da própria polícia. A pesquisa revelou que tanto o trabalho da polícia quanto o da imprensa possuem lacunas e contradições na construção de fatos que podem ser historicamente investigados, como é o caso da cobertura da morte do escritor Euclides da Cunha em 1909; acontecimento que obteve enorme repercussão nesse período e instigou esta pesquisa.

História Social XE "História Social"  - Polícia e Imprensa XE "Polícia e Imprensa"  - Rio de Janeiro XE "Rio de Janeiro"

A POSIÇÃO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DIANTE DA OFENSIVA NEOLIBERAL

Danilo Enrico Martuscelli (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Armando Boito Jr. (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

O objetivo de nossa pesquisa foi verificar a posição do principal partido de oposição, o Partido dos Trabalhadores (PT), frente à ofensiva neoliberal, durante a década de 1990. Para realizar tal tarefa, analisamos os documentos dos Encontros Nacionais do PT, realizados entre os anos de 1989 e 1999, além da bibliografia correspondente ao tema. De acordo com os resultados que obtivemos, podemos dizer que o PT passa a adotar um discurso mais moderado, ao longo dos anos 90, na medida em que deixa de defender a proposta de suspensão do pagamento da dívida externa, em 1995, ao propor a sua renegociação; omite o projeto de desprivatização, que até 1997 defendia; vê a possibilidade de constituir alianças com o campo dominante e a luta socialista deixa de ser estratégica, consolidando como objetivos estratégicos a construção da democracia no Brasil e o estabelecimento de algumas reformas sociais. Com isso, concluímos que o PT, tendencialmente, vem se ?integrando passivamente? à ordem. As pressões da ordem burguesa, expressas pela lógica neoliberal, apesar de não incorporarem ?plenamente? ou ativamente? o partido ao seu projeto político, são capazes de condicionar o horizonte do partido, fazendo com que este abandone as suas potencialidades revolucionárias.

Partido dos Trabalhadores XE "Partido dos Trabalhadores"  - Neoliberalismo XE "Neoliberalismo"  - Política Brasileira XE "Política Brasileira"

POLÍTICA DE SEGURANÇA REGIONAL

Fabiana Guariglia (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Shiguenoli Miyamoto (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Apesar de muitos autores minimizarem o papel da segurança nacional no contexto globalizado, as ações das grandes potências caminham em direção oposta. Um dos exemplos é referente ao tráfico de drogas: o aumento da influência em escala crescente nos negócios e na política dos países não só produtores, mas também de seus vizinhos, fez com que o tema passasse a assumir importância cada vez maior. Logo, verificou-se que, fundamentalmente, a partir dos anos 80, essa questão passou a preocupar tanto os governos latino-americanos, quanto os demais países, uma vez que o problema passou a ser percebido não apenas em termos locais, mas também, e principalmente, em termos de segurança regional. Assim, estudamos as políticas de segurança sul-americanas como um todo, dando ênfase ao tráfico de drogas. Nosso interesse consistiu em verificar como o problema tem sido enfrentado regionalmente, quais são as políticas individuais e como os países têm agido coletivamente. Para concretizar a pesquisa, foi feito um levantamento bibliográfico exaustivo de autores que têm abordado essa temática a partir dos anos 80. Este trabalho envolveu a localização não só de livros, mas também de artigos de periódicos nacionais e estrangeiros, bem como a leitura de jornais da grande imprensa. Procedeu-se ao fichamento do material obtido, a sistematização das informações, análise e elaboração de relatórios e ?paper?.

Tráfico de Drogas XE "Tráfico de Drogas"  - Segurança Regional XE "Segurança Regional"  - América Latina XE "América Latina"

A GEOGRAFIA E A DISCUSSÃO SOBRE POPULAÇÃO E MEIO AMBIENTE: UM ESTUDO NO CENTRO-OESTE ?EXPANDIDO?

Fabiano Biudes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Daniel Joseph Hogan (Orientador), Núcleo de Estudos da População - NEPO, UNICAMP

Esta pesquisa, parte de outra maior, ?Redistribuição Espacial da População e Meio Ambiente: São Paulo e Centro Oeste? 1, tem o intuito de aprofundar as discussões, diante daquelas já feitas em outra etapa do trabalho sobre os impactos que a ocupação e mobilidade da população causaram no Centro-Oeste. Nesse sentido, o trabalho recupera e produz dados em forma de tabelas, mapas e textos, mostrando quais fatores e partes da sociedade foram mais afetados pelo processo de ocupação e intensa exploração econômica na região Centro-Oeste. Buscou-se produzir alguns dados desagregados por Estados, de tal forma que fosse enfatizada partes da dinâmica desse processo dentro de cada unidade federativa. Também conseguiu-se apontar o grande surgimento de municípios, sinal claro do espalhamento de objetos técnicos e influência dos ?jogos de poder? entre políticos, empresas e Estado. Como produtos finais apresentaremos um texto ilustrado por cartogramas e tabelas (gráficos) que enfocam a situação dos estados dentro do contexto regional e interregional. 1-Financiado pelo CNPq/PRONEX/FINEP/MCT, sob a coordenação do Professor Dr. Daniel Joseph Hogan, no Núcleo de Estudos de População (NEPO ? UNICAMP).

Urbanização XE "Urbanização"  - População XE "População"  - Mobilidade XE "Mobilidade"

?MANO, FALTA EM VOCÊ RAZÃO PARA VIVER!?: O MOVIMENTO HIP HOP E AS RELAÇÕES DE CARÁTER FAMILIAR QUE SE ESTABELECEM NO INTERIOR DESSE GRUPO JUVENIL

Fernanda Alves Sunega (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Coleta Ferreira Albino (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

A pesquisa em questão tem como principais objetivos: o estudo de alguns aspectos que diferenciam o movimento hip hop dos outros grupos juvenis e movimentos sociais, principalmente quando é utilizado como meio para os jovens das grandes metrópoles atuarem cultural e politicamente no seu bairro e na sociedade; entender os motivos pelos quais este grupo urbano adota uma linguagem doméstica ou familiar no tratamento de seus integrantes e nas manifestações afetivas que estão presentes no seu interior; e entender quais são as referências dos jovens membros do movimento hip hop no processo de sociabilização e construção de uma identidade ?coletiva?. Além de mostrar os porquês das relações ?familiares? no âmbito desse movimento ?urbano?, há a necessidade de entender até que ponto a família participa dos eventos coletivos do movimento e se a estrutura familiar é reproduzida no espaço público através do movimento hip hop. Numa primeira fase de estudos, a pesquisa baseou-se em leituras sobre os temas focalizados no projeto, ao mesmo tempo em que participava de reuniões da Posse (forma de organização encontrada pelos membros do movimento hip hop, com a participação de todos os elementos desta manifestação: breakers, grafiteiros e rappers) Rima & Cia e eventos de hip hop realizados na cidade de Campinas. Em um segundo momento, foram uma série de entrevistas com os membros da Posse pesquisada e com os participantes dos eventos realizados no período de Setembro de 2000 a Julho de 2001, para obter maiores informações sobre as principais questões da pesquisa.

Hip-hop XE "Hip-hop"  - Grupo juvenil XE "Grupo juvenil"  - Relações XE "Relações"

A IDENTIDADE DO MORADOR COM SUA CASA NA HABITAÇÃO POPULAR

Flávio Higuchi Hirao (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Cristina Meneguello (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

O objetivo deste projeto foi estudar habitações populares construídas através da Associação dos Trabalhadores Sem Terra de São Paulo (ATST). Essas casas são planejadas pelo respectivo morador e sempre com a ajuda de um arquiteto. Para fins comparativos o estudo abrange também o conjunto habitacional CDHU. A pesquisa se desenvolveu através de entrevistas, coleta de dados, levantamento bibliográfico, análise das moradias e de suas plantas, fotografias e fotografias aéreas. As casas não se incluem na autoconstrução, pois os moradores contratam mão-de-obra terceirizada para a construção, que pode ocorrer conforme a disponibilidade de tempo e dinheiro dos moradores. Muitos moradores, ao receberem o serviço do arquiteto, aproveitam para modificar a planta padrão (utilizada pelo arquiteto como ponto de partida), com o intuito de adequar sua futura casa às suas necessidades. Entre as casas estudadas, alguns espaços inexistentes nos conjuntos CDHU se destacam, como copa, biblioteca e escritório. A pesquisa demonstrou que existe a possibilidade da participação do arquiteto em projetos de habitação popular com atendimento a cada unidade de residência, oferecendo projetos mais flexíveis que os conjuntos habitacionais do CDHU e possibilitando maior identidade do morador com sua moradia.

Habitação popular XE "Habitação popular"  - Organização comunitária XE "Organização comunitária"  - Identidade XE "Identidade"

O 1º PLANO NACIONAL DE REFORMA AGRÁRIA (PNRA): SISTEMATIZAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE FONTES PRIMÁRIAS

Graziela Ranali (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fernando Antonio Lourenço (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Neste trabalho procuramos fazer uma análise sociológica sobre as concepções do direito de propriedade construídas por associações e órgãos de representação das classes trabalhadoras rurais e da burguesia rural brasileira, objetivando conhecer quais são os princípios, valores, argumentos e interesses que fundamentam a interpretação do direito de propriedade construída pelos Senhores da Terra e pelos Sem Terra. Ao buscarmos as afinidades eletivas entre os dispositivos jurídicos e as classes sociais, nos afastamos de uma abordagem formalista que supõe a autonomia absoluta destes dispositivos frente aos interesses sociais. Ao mesmo tempo, consideramos que a perspectiva sociológica não deve cair num extremo oposto e tão-somente reduzir estes dispositivos a meros instrumentos das classes dominantes. Diante disso, iniciamos uma investigação de como se processa a disputa social entre os porta-vozes da burguesia rural e dos trabalhadores rurais para impor um certo significado do direito de propriedade. Delimitamos o período desta pesquisa ao ano de 1985, quando se deu a discussão e elaboração do 1º PNRA. Procuramos também classificar e sistematizar as mais de 700 sugestões enviadas ao MIRAD e que hoje estão depositadas no Arquivo Edgard Leuenroth (AEL).

Direito de propriedade XE "Direito de propriedade"  - 1º Plano Nacional de Reforma Agrária XE "1º Plano Nacional de Reforma Agrária"  - Terra de trabalho XE "Terra de trabalho"

SOCIOLOGIA DA LITERATURA RUSSA, NA OBRA DE DOSTOIÉVSKI

Jean Carlo Faustino e Profa. Dra. Heloísa Pontes (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

A sociologia da literatura teve no Brasil expoentes como Antônio Cândido e Roberto Schwarz sendo que este último, num dos seus livros, sugeriu uma possível aproximação temática entre Machado de Assis e o escritor russo Fédor M. Dostoiévski. O nosso trabalho de pesquisa, realizado ao longo de todo o ano de 2000 ? no contexto de uma monografia de conclusão de Curso, em Ciências Sociais -, ocupou-se com a análise de uma das grandes obras-primas do escritor russo: o romance ?O Idiota?, escrito em 1868. O contexto em que o livro foi escrito, e as especificidades presentes nesta obra tornaram-na um excelente objeto de estudo para se compreender uma das características, sempre reiterada nos textos em que professor Boris Schnaiderman faz referência a Dostoiévski: a de que este é um escritor de ?rara sensibilidade para o social?. Assim foi que, procurando compreender o significado desta expressão ? através do instrumental metodológico da sociologia da literatura, de Lucien Goldmann ? acreditamos também estar dando o primeiro passo para uma futura construção da ponte teórica sugerida por Roberto Schwarz.

Sociologia XE "Sociologia"  - Literatura XE "Literatura"  - Russa XE "Russa"

SEMANA DAS MONÇÕES: FESTA E REPRESENTAÇÀO DO MITO BANDEIRANTE

Juliana Moura Gutierrez (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. John Manuel Monteiro (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Realizada anualmente na cidade de Porto Feliz, a ?Semana das Monções? rememora o movimento das canoas que empreendiam a navegação fluvial pelo rio Tietê no século XVIII. A festa abriga um conjunto de cerimônias oficiais e de atividades culturais, atingindo seu ponto culminante com as representações teatrais e os desfiles pelas ruas da cidade, numa das maiores encenações históricas que ocorre no país. O projeto tem por objetivo investigar a relação que os moradores da cidade cultivam com o passado regional, ao elaborarem uma releitura do mito bandeirante. A pesquisa busca documentar a origem e as transformações da festa nas últimas quatro décadas, através de atas municipais, jornais, cartazes, programações e fotos. Ao mesmo tempo, a pesquisa contempla a observação participante e entrevistas qualitativas com integrantes da festa, moradores antigos, comerciantes, profissionais liberais e candidatos a prefeito. Dentre as conclusões, constata-se a transformação da festa através da sua concentração em alguns setores sociais, através do papel variável dos políticos e administradores em conjunturas diferentes e, por fim, através da ressignificação do passado, emblematizado na figura do bandeirante paulista.

Monções XE "Monções"  - Festa XE "Festa"  - Identidade XE "Identidade"

UM OLHAR SOBRE FERNANDO DE NORONHA: POPULAÇÃO, TURISMO E ÁREAS DE CONSERVAÇÃO.

Laura Rodrigues Santonieri (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Mauro William Barbosa de Almeida (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

O projeto visa estudar as relações entre a comunidade local, o turismo de luxo e a conservação da natureza no Arquipélago de Fernando de Noronha. O objetivo é compreender as mudanças sociais associadas ao turismo ambiental, a partir do caso de Fernando de Noronha, focalizando as relações entre moradores, a indústria do turismo de luxo, e a administração estadual e federal. O objetivo central da pesquisa é também compreender como os moradores, face a essas agências externas, reorganizaram suas atividades na ilha, adotando falas e comportamentos adequados à situação da ilha enquanto pólo de turismo e foco de políticas de conservação, ao mesmo tempo em que redefiniram suas atividades costumeiras e as identidades a elas associadas.

População XE "População"  - Turismo XE "Turismo"  - Conservação XE "Conservação"

CAMPINAS ? ESSA ONDA TAMBÉM PASSOU POR AQUI ! UM ESTUDO SOBRE O LOCAL E O GLOBAL NO RÁDIO CAMPINEIRO

Lucila Conceição Pereira (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Rita de Cássia L .Morelli (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Como o próprio nome salienta, a pesquisa apresenta um estudo sobre o rádio campineiro e suas articulações com o local, o nacional e o global desde a fundação da primeira emissora da cidade - a Rádio Educadora de Campinas, em 1933 ? até os dias de hoje, com o objetivo de analisar o modo como se evidenciaram ou não em sua programação e em sua publicidade os vínculos com a localidade, as influências das grandes emissoras nacionais ? cujas ondas passaram a ser captadas na cidade entre o final dos anos 30 e início dos anos 40 -, as conseqüências de sua aquisição pela Rede Bandeirantes de Rádio, ocorrida em 1959 ; assim como as novas modalidades de vinculação , novas tecnologias de som ,o surgimento de diversas emissoras cobrindo segmentos diferentes ( tanto em AM como em FM ) e as articulações atuais da radiofonia campineira. Os dados iniciais recuperaram a história oral do rádio campineiro realizado pelo Museu da Imagem e do Som de Campinas em 1985 e a partir daí dados complementares foram buscados através de entrevistas com personagens que vivenciaram a era do rádio no município, pesquisa nas emissoras da cidade e também na capital paulista ,com o intuito de traçar um panorama geral da radiodifusão em Campinas num contexto de modernidade.

Radiodifusão em Campinas XE "Radiodifusão em Campinas"  - Indústria cultural XE "Indústria cultural"  - Modernidade XE "Modernidade"

INTERVENÇÃO ESTATAL E PLANEJAMENTO ECONÔMICO EM MANOILESCO, AZEVEDO AMARAL E R.SIMONSEN

Luís Fernando Vitagliano (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Reginaldo C. Corrêa de Moraes (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

O trabalho pretende analisar as relações entre importantes intelectuais da primeira metade do século XX ? o romeno Manoilesco e os brasileiros Simonsen e Azevedo Amaral ? buscando a resposta que se oferecia para os problemas políticos e econômicos durante o primeiro governo Vargas. Pretende-se rastrear ainda, indicadores da influência política de suas idéias. Retomamos a situação de instabilidade das crises pré-30, para observar como Manoilesco - autor influente entre brasileiros ? analisa os problemas dos países que, como o Brasil e a Romênia, eram considerados atrasados. A partir disso, procuraremos estudar se e como esses brasileiros, encamparam essas formas de abordagem e agiram sob essas suposições. São duas as questões centrais: Qual seria o papel do Estado diante das situações sociais que se apresentam, as crises econômicas e políticas? e: Como se apresentaria o cenário político após a inserção da idéia de planejamento econômico? Que modificações teriam sido introduzidas na natureza e estrutura do próprio Estado? O trabalho tem procedimentos modestos: É basicamente uma agenda de leituras dirigido perguntas gerais das obras dos autores mencionados, mas também trabalhos de G. List e Oliveira Vianna. Uma segunda direção é revisar como cada uma dessas teorias e doutrinas deu conta dos fatos que pretendia explicar e dominar. Como cada autor considera o papel do Estado, quais as atribuições que define para as instituições? O último procedimento será: um trabalho retrospectivo, a partir de analistas posteriores, que se debruçam sobre aquela época. Cabe perguntar, de que maneira contribuíram, através de suas teorias ou práticas, para a intervenção na realidade política e econômica?

Planejamento econômico XE "Planejamento econômico"  - Intervenção estatal XE "Intervenção estatal"  - Corportativismo XE "Corportativismo"

A POPULAÇÃO ESCRAVA NO MUNICÍPIO DE FRANCA - 1836-1888

Maísa Faleiros da Cunha (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria Sílvia C. B. Bassanezi (Orientadora), Núcleo de Estudos de População - NEPO, UNICAMP

Trata-se de um trabalho em andamento e vinculado ao projeto integrado/CNPq ?Capital e Interior; um estudo da população paulista em uma perspectiva comparativa ? 1836-1920?. Este trabalho busca analisar as características da população escrava no município de Franca e suas relações com o contexto sócio-econômico local entre 1836 e 1888. Neste período, este município ainda não está inserido na cafeicultura e na malha ferroviária paulistas. Grande parte da população escrava encontra-se na área rural produzindo bens para o mercado interno do Nordeste Paulista, Triângulo Mineiro, Goiás e outras localidades. As fontes analisadas são os levantamentos de população publicados para o século XIX. O espaço privilegiado na pesquisa é o território de Franca em 1836, o que significa agregar para os períodos posteriores os municípios desmembrados. O desenvolvimento desta pesquisa implica em uma série de atividades: confecção de banco de dados, tabelas e gráficos, análise crítica dos dados à luz da bibliografia sobre a região e o período em estudo. Os dados analisados até o momento, parecem indicar que a população escrava: 1) apresentava tanto semelhanças como diferenças com a população escrava existente em outras áreas da Província e 2) teve um papel importante na economia local participando da produção de bens para o abastecimento de áreas diversificadas.

Demografia histórica XE "Demografia histórica"  - População escrava XE "População escrava"  - Século XIX XE "Século XIX"

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NO 1º GOVERNO F.H.CARDOSO E SUAS RELAÇÕES COM PROJETOS E RECOMENDAÇÕES DE ENTIDADES MULTILATERAIS (BANCO MUNDIAL, CEPAL-OREALC, ETC.)

Maitá de Paula e Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Reginaldo C. C. de Moraes (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Agências multilaterais como o FMI e o Banco Mundial, se fortaleceram como ?policy makers? nas décadas de 50 e 60, fomentando o desenvolvimento de países emergentes na América Latina e na Ásia através de empréstimos. Com as crises do petróleo e do super-endividamento externo, estas agências passaram a exercer grande influência e poder de ?disciplinação? sobre as economias endividadas através de ?condicionalidades? embutidas nos acordos de renegociação das dívidas, financiamento de projetos, etc. Tais condicionalidades se resumem nas diretrizes do Consenso de Washington: reforma do Estado, privatização, desregulamentação e liberalização da economia. Este trabalho analisa as relações entre estas recomendações e a política de ensino superior efetivamente praticada pelo 1º governo F.H. Cardoso, procurando descobrir se: a. há uma política deste governo para o ensino superior; b. se a política adotada é, ou não, um pré-requisito para o recebimento de empréstimos e/ou financiamentos. A 1ª fase do trabalho analisou documentos do BM concluindo que, para o Banco, o financiamento público nesta área é não só ineficiente como injusto levando-o a recomendar a liberação dos recursos públicos nessa área e a sua aplicação no ensino fundamental. A 2ª fase analisará documentos oficiais sobre o tema.

Ensino Superior XE "Ensino Superior"  - Governo XE "Governo"  - Agências Multilaterais XE "Agências Multilaterais"

APLICAÇÃO DA LEI DOS JUIZADOS ESPECIAIS NOS CASOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Marcella Beraldo de Oliveira (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Guita Grin Debert (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

A partir do projeto integrado ?Idoso, violência doméstica e direitos da cidadania?, coordenado pela Profa. Guita Grin Debert (departamento de Antropologia e pesquisadora do Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu), que investiga os delitos envolvendo minorias discriminadas, desenvolvo a pesquisa que estuda como a Lei 9099, de 26 de setembro de 1995, que criou os Juizados Especiais Cíveis e Criminais, é aplicada nos crimes de violência doméstica. O problema geral que orienta esta pesquisa é a distribuição da justiça no país e os dilemas envolvidos na consolidação da democracia e dos direitos da cidadania. Investigo como os Tribunais Especiais Criminais ? situados nos dois Fóruns de Campinas ? procedem, mais especificamente, em como os agentes desta instituição trabalham com a questão de gênero. Interessa saber o modo como a violência é denunciada e experimentada pelos indivíduos que utilizam esta etapa do Sistema de Justiça. A metodologia utilizada é basicamente qualitativa, envolvendo as observações de comportamentos nestes Tribunais, entrevistas com os agentes desta instituição e com o público que a ela recorre. Diferentes interpretações são dadas ao texto da Lei pelos agentes de Justiça inseridos nas diferentes instituições integrantes do Sistema Judiciário. A lei trouxe mudanças na dinâmica processual, porém não se encontra totalmente concretizada nos Tribunais de Campinas.

Idoso -  XE "Idoso" Violência doméstica -  XE "Violência doméstica" Direitos da cidadania XE "Direitos da cidadania"

CLUBES E SOCIEDADES DE TRABALHADORES NO JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO (1910 A 1925)

Marcelo Antônio Chaves (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Cláudio Henrique de Moraes Batalha (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Esta pesquisa pretende refletir sobre a construção da identidade de classe para além dos espaços restritos dos sindicatos e associações estritamente políticas. Para isso procurou-se rastrear a cobertura que o mais importante órgão da grande imprensa paulista no período - O Estado de São Paulo - destinava aos clubes e associações de trabalhadores. O recorte temporal do projeto trata do período de 1910 a 1925. As atividades da pesquisa se desenvolveram em duas direções paralelas: atividades de contextualização, através de leituras de trabalhos acadêmicos que direta ou tangencialmente vinculavam-se ao tema; e consulta ao jornal, em sua cópia microfilmada e depositada no Arquivo Edgard Leuroth. Os resultados desta pesquisa também alimentaram uma base de dados informatizada sobre as fontes que testemunham sobre os diversos espaços de sociabilidade da classe operária na cidade de São Paulo. As conclusões apontam para a constatação de uma restrição do jornal à cobertura de manifestações populares e suas organizações culturais que eram comuns e bem difundidas entre os trabalhadores. Não obstante a existência de centenas de associações e clubes recreativos e culturais de trabalhadores no período pesquisado, o periódico não destinou senão notícias curtas e objetivas, em tons de convocação ou informes rápidos, de assembléias, bailes, festas, etc., em uma pequena coluna com anúncios de entidades muito heterogêneas.

Trabalhadores XE "Trabalhadores"  - Identidade XE "Identidade"  - Sociabilidade XE "Sociabilidade"

BIBLIOTECA VIRTUAL SOBRE A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO NA ÁREA DE HISTORIA DO COMPUTADOR E DEMAIS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO

Marcelo Leolino da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Thomas Patrick Dwyer (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

O estudo consiste em fazer uma pesquisa sistemática de referências bibliográficas sobre a Sociedade da Informação na área de História do computador e demais tecnologias da informação. Após esta pesquisa fizemos análises das obras e selecionamos 142 itens entre revistas, livros e principalmente teses. Esses itens foram selecionados através de bases de dados eletrônicas e posteriormente estabeleceu-se um contato com o material selecionado. Com isto, estamos construindo uma Biblioteca Virtual, disponibilizando textos via on-line. Este contato com o material vem nos permitindo formar uma análise sobre a produção intelectual dentro da temática ?Sociedade da Informação?, de maneira que possamos estudá-la de forma mais aprofundada.

Sociedade da Informação XE "Sociedade da Informação"  - Computador XE "Computador"  - Biblioteca Virtual XE "Biblioteca Virtual"

DAS RUAS PARA O PAPEL: AS REPRESENTAÇÕES SOBRE AS MASSAS ARGENTINAS (1930-1955)

Paulo Renato da Silva (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Leandro Karnal (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

As massas passam a ser um conceito importante na política argentina a partir do começo do século XX. Até 1930, milhares de imigrantes europeus, influenciados sobretudo pelo anarquismo, desenvolveram o movimento operário mais combativo da América Latina. Nas décadas de trinta, quarenta e cinqüenta, o processo de industrialização atraiu um contingente expressivo de migrantes para os grandes centros urbanos do país. Esses migrantes, entre 1943 e 55, ocupando em sua maioria as classes mais pobres, foram um dos principais apoios do peronismo. O peronismo, liderado pelo presidente Perón e sua esposa Evita, se apresentava como representante dos ?verdadeiros? interesses das massas. Apesar disso, o peronismo defendia, por exemplo, a colaboração entre empregados e patrões, alegando que essa união era fundamental para o desenvolvimento da Argentina. Dessa maneira, será que essa presença implicou uma participação efetiva das massas argentinas na política ou, pelo contrário, facilitou sua manipulação por supostos defensores dos seus interesses? O estudo historiográfico das representações sobre as massas argentinas como ativas ou passivas permite, dentre outras coisas, analisar como diferentes setores políticos e intelectuais responderam essa questão.

Massas XE "Massas"  - Argentina XE "Argentina"  - Peronismo XE "Peronismo"

AS VOZES DA CONTRADIÇÃO: O PROFESSOR DE HISTÓRIA E A REFORMA CURRICULAR NOS ANOS OITENTA E NOVENTA EM SÃO PAULO

Renilson Rosa Ribeiro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Paulo Celso Miceli (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

A história ensinada no Brasil, nas últimas décadas, tem sido objeto significativo de debates e confrontos. Estes tornaram-se acirrados especialmente em tempos de elaboração e implantação de novos currículos, como por exemplo a nova LDB (Lei de diretrizes e Bases ? 1996) e os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). A partir deste contexto de revisão do ensino de História, a presente pesquisa apresenta-se com o objetivo de desenvolver um estudo sobre os novos currículos desta disciplina produzidos nos anos oitenta e noventa do século XX, procurando identificar e analisar o modelo de professor de História idealizado e construído pelos referidos documentos. Esta pesquisa realiza uma análise dos novos currículos de História e do debate historiográfico sobre a temática da relação entre o professor desta disciplina e a Reforma Curricular em São Paulo.De acordo com as análises desenvolvidas, apesar dessas propostas inovadoras elaboradas nos anos oitenta e noventa por órgãos educacionais dos Estados (no caso, São Paulo), municípios, e, recentemente, o governo federal, por meio dos PCNs, e dos conseqüentes debates que vêm levando ao enfretamento das questões referentes à reforma dos currículos da disciplina, em especial sobre a relação entre a formação do profissional de História e o cotidiano da sala de aula, em termos práticos, no que concerne à prática diária na sala de aula do professor atuante no ensino fundamental e médio, não têm acontecido mudanças significativas.

Professor XE "Professor"  - Currículo XE "Currículo"  - História XE "História"

O LEVANTE ESCRAVO DE 1832: COESÃO E CONFLITO

Ricardo Figueiredo Pirola (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Robert W. Slenes (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Focalizando um projeto de revolta escrava em Campinas no ano de 1832 este nosso trabalho analisa as seguintes questões: quem eram os líderes do movimento, quais eram seus objetivos; pretendiam a liberdade apenas dos revoltosos ou a de todos os escravos; quais eram suas motivações; quais eram suas origens ? crioulo ou africano. Mas além disso, buscamos resgatar também a história de vida de alguns dos revoltosos. Assim procuramos saber o ano em que os escravos, que tipo nasceram ou chegaram ao Brasil, se eram casados e a data em que isso ocorreu, quantos filhos tinham de serviço realizavam nas fazendas em que habitavam e outros. Para tanto, essa nossa pesquisa utiliza-se de documentos ricos em informações quantitativas e qualitativas. Trabalhamos, dessa forma, com o processo crime instaurada para investigar o plano de revolta, a correspondência do juiz de paz de Campinas com o chefe da província em São Paulo, os registros de batismo e casamento escravo, inventários e censos populacionais. Todos esses documentos já foram fichados e catalogados em nossa primeira parte do projeto, restando agora para a segunda parte da pesquisa o cruzamento e análise das informações.

Revolta Escrava XE "Revolta Escrava"  - Levante Escravo XE "Levante Escravo"  - Escravidão Campinas XE "Escravidão Campinas"

O TEATRO E AS LUZES ? ARTE DRAMÁTICA E ILUMINISMO

Ricardo Rui Carbonelli (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Roberto Romano da Silva (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

Entender as vinculações do teatro e da filosofia. Pois a germinação de muitos termos filosóficos deu-se no cultivo dessa antiquíssima arte - representação, personalidade, contemplação. Mostrar essas relações pela confrontação dois a dois de quatro textos do "Enciclopedista" - o Diderot filósofo e psicólogo de "As Cartas" e "O Sonho de D´Alembert" e o Diderot poeta e teórico da arte do "Diálogo sobre o filho natural" e do "Paradoxo sobre o comediante". Ao mesmo tempo mostrar as vinculações desse tema com as discussões contemporâneas sobre mídia e poder, via teóricos franceses como Starobinski, e Escola de Frankfurt.

Diderot XE "Diderot"  - Teatro XE "Teatro"  - Iluminismo XE "Iluminismo"

O TEATRO ENGAJADO E SEU ALCANCE: TEATRO OFICINA

Rosangela de Jesus Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcelo Siqueira Ridenti (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Este estudo tem o objetivo de levantar a atuação política e social do Teatro Oficina, contrapondo a posição dos sujeitos que construíram esse teatro com a visão de críticos e pesquisadores, a fim de reconstruir a polêmica história do Oficina e indicar o alcance de sua atuação de acordo com as diferentes visões envolvidas. O Oficina surgiu na faculdade de Direito da USP em 1958 e se profissionalizou em 1961. Num primeiro momento esse grupo terá uma atuação próxima ao Teatro de Arena, que desenvolve um trabalho mais político. O Oficina terá destaque por sua ousadia criativa e inovadora; em 1967, depois de ter passado por problemas com a censura, destruição do seu teatro por um incêndio, encena a peça O Rei da Vela de Oswald de Andrade, com a qual apresentam uma nova proposta estética, um incitamento do público por meio da agressão e direção criadora, expressa no nome de José Celso Martinez Corrêa. Com essa forma de atuação, o Oficina acreditava despertar o público para a crítica situação política que o país vivia. Vários autores classificam essa postura do Oficina como Vanguardista e Revolucionária. Para o desenvolvimento desse trabalho, fizemos leituras e fichamentos do material pesquisado nos acervos da UNICAMP e USP e principalmente no AEL (arquivo Edgar Leuenroth) que tem todo o arquivo do Teatro Oficina.

Teatro engajado XE "Teatro engajado"  - Anos 60 XE "Anos 60"  - Teatro Oficina XE "Teatro Oficina"

O ESTUDO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NA DELEGACIA DE DEFESA DA MULHER- SÃO CARLOS

Sandra Brocksom (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Guita Grin Debert (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

A partir do projeto integrado ?Idoso, violência doméstica e direitos da cidadania?, coordenado pela profa. Guita Grin Debert (departamento de Antropologia e pesquisadora do Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu), que investiga os delitos envolvendo minorias discriminadas, desenvolvo a pesquisa que estuda como a Lei 9099, de 26 de setembro de 1995, que criou os Juizados Especiais Cíveis e Criminais, é aplicada nos crimes de violência doméstica. O problema geral que orienta esta pesquisa é a distribuição da justiça no país e os dilemas envolvidos na consolidação da democracia e dos direitos da cidadania. Investigo sua repercussão na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em São Carlos, mais especificamente, em como os agentes da polícia estão trabalhando com a questão de gênero. Interessa saber o modo como a violência é denunciada e experimentada pelos indivíduos que utilizam esta primeira etapa do Sistema de Justiça. A metodologia utilizada é basicamente qualitativa, envolvendo as observações de comportamentos na DDM, entrevistas com os agentes desta instituição e com o público que a ela recorre. Diferentes interpretações são dadas ao texto da Lei pelos agentes de Justiça inseridos nas diferentes instituições integrantes do Sistema Judiciário. A lei trouxe mudanças na dinâmica processual, porém não se encontra totalmente concretizada na DDM.

Idoso XE "Idoso"  - Violência doméstica XE "Violência doméstica"  - Direitos da cidadania XE "Direitos da cidadania"

A OUVIDORIA DA POLÍCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO ENQUANTO INSTITUIÇÃO DE CONTROLE DA CORRUPÇÃO POLICIAL

Sergio Train Filho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Bruno Wilhelm Speck (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Diante de uma sociedade com altos índices de corrupção, a corrupção policial mostra-se como mais uma faceta da ineficácia do estado em prover o bem estar social. Com isto, o controle da violência, que nada mais é do que uma forma de corrupção, particularmente da violência praticada pela polícia, é uma das condições necessárias para a consolidação do Estado de Direito. No esforço de se combater os desvios praticados por representantes do Estado obrigados a zelar pela ordem institucional, foi criada a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo, sendo esta tratada por muitos como o primeiro caso de Ombudsman de polícia no país. O Objetivo inicial do projeto foi a análise do conceito de Ombudsman para uma posterior comparação com as prerrogativas da Ouvidoria, através de uma metodologia analítico comparativa entre ambos. Aduziu-se que, não se faz procedente esta denominação terminológica, onde atribui-se a esta instituição o caráter de Ombudsman de polícia, vez que, esta não apresenta prerrogativas fundamentais de um Ombudsman, portanto não se trata de capricho semântico, mas sim da inexistência de funções atributivas de maior rigor, tais como poder investigativo e punitivo. Destarte, uma maior independência e atribuições coercitivas da Ouvidoria, fariam com que esta tivesse uma maior eficiência no combate a corrupção policial, por outro lado, a instituição apresenta qualidades a serem ressaltadas, como a acessibilidade ao público.

CorrupçãoXE "Corrupção" - PolíciaXE "Polícia" - OuvidoriaXE "Ouvidoria"

CASO DE POLÍCIA. OS LIVROS DE OCORRÊNCIAS POLÍCIAIS NO RIO DE JANEIRO (1922-1930)

Vanessa Rosa Tavares (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Claudio Henrique de Moraes Batalha (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Este projeto, ligando-se a um esforço mais geral desenvolvido pelos professores e pesquisadores ligados ao CECULT- Centro de Pesquisa em História Social da Cultura (IFCH/UNICAMP), propõe-se a efetuar a pesquisa nos livros de ocorrências policiais do Distrito Federal, mais precisamente na região de Santana, entre 1922 e 1930. Material manuscrito de grande importância para o estudo das práticas e tradições populares do período, tais documentos encontram-se microfilmados no Arquivo Edgar Leuenroth, da UNICAMP, não tendo sido ainda utilizados em maior escala pelos pesquisadores pelas dificuldades de seu manejo. Trata-se assim de construir, em um trabalho coletivo, um instrumento de pesquisa que facilite e democratize o acesso a essas fontes.

Polícia XE "Polícia"  - Rio de Janeiro XE "Rio de Janeiro"  - Livro XE "Livro"

TRANSFORMAÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE VINHEDO ? SP: UM ESTUDO SOBRE A JUVENTUDE RURAL

Verena Sevá Nogueira (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Fernando Antonio Lourenço (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

Trata-se de um estudo sobre a juventude rural dentro do contexto de transformação da agricultura familiar. Pretendeu-se a caracterização de uma juventude rural, levando em conta aspectos de sua escolaridade, seu cotidiano, suas atividades de lazer, suas atividades laborais dentro e fora da produção agrícola e, ainda, suas aspirações e projetos de futuro. Numa primeira etapa aplicou-se um questionário, cuja unidade de análise é a família rural, junto aos associados da Associação dos Produtores Rurais de Vinhedo, Louveira e Região, Estado de São Paulo. Num momento posterior, aplicou-se um segundo questionário, junto aos filhos desses associados, com idade entre 15 e 26 anos. Até o momento podemos constatar uma significativa inserção social destes jovens no que se denomina por espaço urbano. A cidade é vista como o local de estudo e de lazer da maioria destes jovens, assim como é nela onde atualmente trabalham ou planejam trabalhar. É freqüente a associação do mundo rural com o ideário de vida saudável, de liberdade e de segurança. O campo é colocado como local privilegiado de moradia, para a maioria destes jovens, muito embora apontem a dificuldade de acesso ao comércio e serviços urbanos como uma desvantagem em relação á moradia na cidade.

Sociologia rural XE "Sociologia rural"  - Agricultura Familiar XE "Agricultura Familiar"  - Juventude Rural XE "Juventude Rural"

IMPRENSA ALTERNATIVA NA DÉCADA DE 1970

Vivian Scatolin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcelo Siqueira Ridenti (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

A imprensa alternativa brasileira constituiu um capítulo político e cultural específico da história das lutas contra a censura e a ditadura civil-militar, além de ligar-se à efervescência mundial da juventude das décadas de 1960 e 1970 que, contestadora, imbuía-se de um intenso desejo de revolucionar a vida. A imprensa ?nanica?, como também é conhecida, insere-se no surto alternativo da época como um espaço de criação e organização ideológica das esquerdas nas condições específicas do autoritarismo. O objetivo da pesquisa é resgatar as condições de existência dessa imprensa, principalmente nos anos 70, através da leitura de bibliografia selecionada e análise de jornais, especialmente de Versus. Após levantamento histórico geral daquele contexto de censura, desenvolveram-se algumas discussões, dentre as quais destacam-se: a relação com a grande imprensa, os aspectos positivos e negativos da fragmentação verificada na produção dos periódicos, a presença de elementos do romantismo revolucionário nas publicações e as perspectivas do jornalismo como opção revolucionária, em que predomina a condição do jornalismo enquanto substituto da ação política e não como parte dela.

Imprensa alternativa XE "Imprensa alternativa"  - Década de 1970 XE "Década de 1970"  - Ditadura militar XE "Ditadura militar"

CAPOEIRA E CIDADANIA: UM ESTUDO DA PRÁTICA CAPOEIRÍSTICA NO PROJETO COMUNITÁRIO DA FUNDAÇÃO ORSA (CAMPINAS ? SP)

Wilson Rogério Penteado Jr. (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Emília Pietrafesa de Godói (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Nesta pesquisa partimos da premissa de que a capoeira, enquanto prática social, serve a propósitos distintos conforme o lugar onde é praticada e quem a pratica. Este estudo limita-se a pesquisar a capoeira enquanto prática que pretende colaborar para a formação de crianças e jovens em futuros cidadãos. O fenômeno da prática capoeirística, enquanto prática pedagógica, sustenta-se pela própria concepção defendida por muitos mestres de capoeira que entendem-na como filosofia de vida. Filosofia esta, pautada em princípios morais como respeito mútuo, auto-controle, disciplina ... Escolhemos como universo empírico desta pesquisa o Projeto de Formação I, da Fundação Orsa, desenvolvido na periferia de Campinas. O objetivo deste estudo foi analisar como os princípios morais sustentados pela capoeira atingem as crianças e jovens freqüentadores deste projeto. Por ser uma pesquisa de cunho qualitativo, foi privilegiado o método de observação participante. A partir deste estudo, foi possível constatar que a capoeira possui eficiência pedagógica, menos pela peculiaridade de seus movimentos corporais e mais pela filosofia que se mantêm na ?roda? de capoeira. Filosofia esta transmitida pelo mestre de capoeira durante a ?roda? e, embora de maneira diferenciada, incorporada pelos praticantes.

Capoeira e Cidadania XE "Capoeira e Cidadania"  - Crianças e Jovens XE "Crianças e Jovens"  - Camadas Populares XE "Camadas Populares"

Instituto de Geociências

A ESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO URBANO DA VILA SANTA IZABEL EM BARÃO GERALDO

Amélia Mariko Kubota (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Célia Bega dos Santos (Orientadora), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Para entender a dinâmica da estruturação do espaço urbano da Vila Santa Izabel, bairro localizado no distrito de Barão Geraldo, foi necessário um estudo bibliográfico intenso para aplicar as teorias de Geografia Urbana junto ao projeto. Em Barão Geraldo, há universidades importantes: UNICAMP e a PUC Campinas além de várias indústrias de tecnologia de ponta como o CPqD (antiga Telebrás), o Centro Tecnológico de Informática, a Luccent Technologies, o Laboratório Síncroton, entre outras. A estruturação do espaço urbano em Vila Santa Izabel foi, sem dúvida, influenciada fortemente por esses fatores e com entrevistas realizadas junto aos moradores do bairro, será possível compreender melhor qual a dinâmica do bairro desde a implantação da Unicamp, como o bairro se desenvolveu, como os moradores vêem essas mudanças, qual a importância delas para eles, quais as suas consequências e se ainda falta algum tipo de infra-estrutura no bairro. Ainda com as entrevistas, será possível entender também como a Moradia estudantil da Unicamp influencia no desenvolvimento econômico, social e cultural do bairro.

Urbano XE "Urbano"  - Estruturação XE "Estruturação"  - Espaço XE "Espaço"

A ESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO URBANO DA VILA SANTA IZABEL EM BARÃO GERALDO

Edwiges Rabello de Lima (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Célia Bega Santos (Orientadora), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O processo de ocupação ou adensamento urbano da Vila Santa Izabel, no submunicípio de Barão Geraldo, cidade de Campinas, tem estado relacionado ao processo de descentralização industrial no Estado de São Paulo, à criação da UNICAMP e PUCCAMP campus II , instalação do Parque II do CIATEC e do comércio e serviços instalados no grandes eixos viários adjacentes. A Vila apresenta um processo de estruturação urbano marcado pela presença de trabalhadores que migraram para perto das indústrias na região, assim como de estudantes da UNICAMP, especialmente à partir da construção da Moradia Estudantil neste bairro. Tendo surgido de um loteamento de gleba na década de quarenta e mantendo seus limites com a fazenda da qual foi desmembrada,a Vila tem-se adaptado às inovações surgidas com a demanda por moradia de porte médio e popular num ambiente onde convivem a paisagem rural e um forte desenvolvimento de comércio e serviços de pequeno porte. Uma de suas características marcantes é a de ser o bairro em Barão Geraldo em que a população mais se apropria dos espaços públicos para suas atividades comunitárias e de lazer. Para estudarmos o processo de estruturação da Vila, lançamos mão do referencial teórico de Milton Santos e de material produzido pela Prefeitura de Campinas, em especial o Plano Local de Gestão Urbana de Barão Geraldo. Também fizemos entrevistas com moradores antigos do bairro e que assistiram ao processo de ocupação e suas transformações.

Estruturação do Espaço XE "Estruturação do Espaço"  - Urbano XE "Urbano"  - Descentralização Industrial XE "Descentralização Industrial"

AS GEOGRAFIAS DA SUBNUTRIÇÃO ? ELEMENTOS DA GEOGRAFIA DA FOME

Fábio Tozi (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria Adélia Aparecida de Souza (Orientadora), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

O uso do território, especialmente no caso brasileiro, revela as desigualdades sócioespaciais nele presentes e historicamente formadas. As desigualdades, e principalmente a fome e a subnutrição, podem ser analisadas a partir das relações entre abundância e escassez, e compreendidas geograficamente a partir das diferentes densidades técnicas, informacionais e humanas dos lugares e dos territórios. A dialética do mundo atual, por um lado repleto de novas tecnologias, mas ainda com grande parte de sua população famélica, nos força a incorporação de novos elementos de análise. O conhecimento da produção brasileira de alimentos e também do comércio mundial de comida mostram, através da Geografia, que os territórios pobres e ricos, com o incentivo de políticas estatais, são usados para a obtenção de ganhos de competitividade das empresas, considerando os alimentos não mais necessidade humana de sobrevivência, mas uma commoditie negociável e comandada por um mercado interdependente em todo o planeta, em diferentes escalas geográficas que se relacionam incessantemente. A subnutrição é o conceito científico capaz de nos revelar, de forma sistemática, a presença da fome, assim como os fatores a ela associados (mortalidade, morbidade, pobreza entre outros).

Geografia da Subnutrição XE "Geografia da Subnutrição"  - Geografia da Fome XE "Geografia da Fome"  - Território XE "Território"

CIÊNCIA, ESPELHO E BATOM... MULHERES CIENTISTAS, PROFISSIONALIZAÇÃO DA MULHER E NOVAS POSSIBILIDADES DO "SER FEMININO" NO OLHAR DAS REVISTAS FEMININAS A CIGARRA (1914-1920) E A MENSAGEIRA (1897-1900)

Fabíola Rodrigues (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Margaret Lopes (Orientadora), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Ciência, espelho e batom... ocupou-se do levantamento e da sistematização de referências à ciência, à mulheres cientistas e ao debate sobre profissionalização/educação femininas na virada do século XIX para o XX e nas primeiras décadas deste nos periódicos A Cigarra (1914-1920) e A Mensageira (1897-1900). Através de um detalhado estudo dos periódicos supracitados foi possível reconstituir aspectos de como esse debate foi contemplado por algumas das primeiras médicas, escritoras, advogadas, jornalistas e pedagogas da intelectualidade brasileira do final do século XIX e princípios do XX. A análise de periódicos como A Cigarra e A Mensageira é, pois, rica por nos fornecer indícios do que faziam e que preconceitos enfrentavam essas mulheres. A militância feminista de muitas dessas mulheres e sua luta quase unânime pelo livre exercício de suas profissões, expressas em textos preciosos espalhados pelas profusas páginas dessa imprensa embrionária, constituem um importante documento para o pesquisador interessado na construção de uma história engendrada das ciências.

História da Ciência XE "História da Ciência" - Mulheres XE "Mulheres"  - Periódicos femininosXE "Periódicos femininos"

O TERCEIRO SETOR NA SUBFORMAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL DE SOUSAS E JOAQUIM EGÍDIO

Gilberto de Carvalho Soares (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Regina Célia Bega dos Santos (Orientadora), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

O presente projeto visa inserir o graduando num processo de ensino-aprendizagem voltado para as práticas acadêmicas de pesquisa em Geografia, bem como contribuir para a discussão existente sobre o Terceiro Setor, do ponto de vista geográfico. A partir do entendimento do Espaço Geográfico como um sistema indissociável de objetos e ações pretende-se entender melhor as relações que as instituições privadas sem fins lucrativos estabelecem com o lugar. Para os fins desta pesquisa, delimitamos a região de Sousas, na cidade de Campinas, como foco de análise.

Ensino-aprendizagem XE "Ensino-aprendizagem"  - Terceiro setor XE "Terceiro setor"  - Geografia XE "Geografia"

CARTOGRAFIA DAS UNIDADES DE PAISAGEM NOS MUNICÍPIOS DE SUMARÉ E VALINHOS, REGIÃO ADMINISTRATIVA DE CAMPINAS (SP), COMO SUBSÍDIO A GESTÃO DA PAISAGEM. O CASO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ.

Juliano Pereira de Mello (Bolsista SAE/UNICAMP), Thelma Maria Ferreira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Antonio Carlos Vitte (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

A paisagem é um sistema ambiental que apresenta uma organização na superfície terrestre. A fragilidade ambiental representa a funcionalidade da paisagem que é acelerada pelas características do uso do solo que alteram os limiares naturais e dinamizam os processos ambientais. O objetivo da pesquisa é cartografar e analisar as unidades de paisagem no município de Sumaré (SP). O município foi dividido em 143 bacias de drenagem, onde foram mapeados os seguintes índices: hierarquia fluvial, densidade de nascentes, densidade de drenagem, comprimento de vertentes, dissecação horizontal, compartimentação topográfica. Na densidade de drenagem, 57% das bacias apresentaram baixa densidade, enquanto que 41% apresentaram média densidade. Na hierarquia fluvial, 76% dos canais são de primeira ordem, enquanto que 17% e 5% são de segunda e terceira ordem respectivamente. Em Sumaré, predominam as vertentes com comprimento acima de 500 metros e não apresentam correlação com a densidade de drenagem. As unidades de paisagem estão condicionadas pelo padrão e história de evolução geomorfológica e a fragilidade ambiental relaciona-se com o padrão de escoamento superficial das águas pluviais sobre as encostas, que devido ao comprimento e a litologia sedimentar condicionam a erosão superficial.

Cartografia ambiental XE "Cartografia ambiental"  - Uso e ocupação do solo XE "Uso e ocupação do solo"  - Morfometria XE "Morfometria"

O ENSINO DE GEOGRAFIA E A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO MÉDIO E FUNDAMENTAL

Luciana Johann (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Archimedes Perez Filho (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

O trabalho objetivou, fundamentalmente, identificar as relações entre o conteúdo da geografia para as séries do ensino médio e fundamental e as práticas educativas relacionadas à educação ambiental conforme orientação do MEC. Para o estudo, foram selecionadas duas escolas, uma pública e outra privada, ambas situadas no Distrito de Barão Geraldo, Município de Campinas. Secundariamente, foram verificadas as diferenças nas abordagens entre as escolas, pela confrontação de seus programas e do planejamento da disciplina de Geografia, considerando ainda o desenvolvimento de atividades interdiscipliares. Na escola pública, a falta de um planejamento para a disciplina dificultou a análise pretendida. Apesar da disposição do MEC sobre a educação ambiental,não há efetivamente o desenvolvimento de uma prática educativa que integre disciplinas. Na escola particular, o planejamento é bastante claro, e foi possível verificar, apoiado em entrevistas com professores e alunos, algumas contradições na perspectiva dos trabalhos interdisciplinares e o desenvolvimento do conteúdo da Geografia.

Educação Ambiental XE "Educação Ambiental"  - Geografia XE "Geografia"  - Ensino Fundamental e Médio XE "Ensino Fundamental e Médio"

CARTOGRAFIA DAS UNIDADES DE PAISAGEM NOS MUNICÍPIOS DE SUMARÉ E VALINHOS, REGIÃO ADMINISTRATIVA DE CAMPINAS (SP), COMO SUBSÍDIO A GESTÃO DA PAISAGEM. O CASO DO MUNICÍPIO DE VALINHOS

Luís Eduardo de Oliveira Muraro (Bolsista SAE/UNICAMP), Roberto Takashi Iwakami (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Vittte (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

A paisagem é um sistema ambiental que apresenta uma organização na superfície terrestre. A fragilidade ambiental representa a funcionalidade da paisagem que é acelerada pelas características do uso do solo que alteram os limiares naturais e dinamizam os processos ambientais. O objetivo da pesquisa é cartografar e analisar as unidades de paisagem no município de Valinhos (SP). O município foi dividido em 322 bacias de drenagem, onde foram mapeados os seguintes índices: hierarquia fluvial, densidade de nascentes, densidade de drenagem, comprimento de vertentes, dissecação horizontal, compartimentação topográfica e declividades. Na densidade de drenagem, 84% das bacias apresentaram média densidade, enquanto que apenas 14% apresentaram alta densidade. Na hierarquia fluvial, 78% dos canais são de primeira ordem, enquanto que 17% e 4% são de segunda e terceira ordem respectivamente. Na dissecação horizontal 75% das encostas possuem menos de 40 metros, enquanto que 23,2% situam-se entre 40 e 80 metros. A análise dos aspectos naturais demonstrou que a densidade de drenagem está fortemente condicionada pela estrutura e litologia, sendo considerada um critério metodológico para a individualização das unidades de paisagem, uma vez que condiciona o padrão e comportamento das características morfométricas das vertentes que condicionam os processos erosivos.

Unidades de paisagem -  XE "Unidades de paisagem" Fragilidade ambiental -  XE "Fragilidade ambiental" Gestão territorial XE "Gestão territorial"

CONHECENDO O SEXTO CONTINENTE: UM ESTUDO INTRODUTÓRIO SOBRE O CONTINENTE ANTÁRTICO

Marcel Petrocino Esteves (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Carlos Alberto Lobão S. Cunha (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Este estudo visa analisar as atividades científicas realizadas na Antártida, por meio de diversos recortes, entre eles a climatologia, oceanografia, geologia, biogeografia, glaciologia. Trata-se da continuidade do projeto anterior, no qual foi realizado um documentário e um levantamento bibliográfico sistemático, sendo elaborado agora a versão preliminar de um livro para diversas áreas do conhecimento. Os diferentes assuntos abordados, como o histórico da ocupação do continente, a elaboração do Projeto Antártico Brasileiro (PROANTAR), suas atribuições e sua logística, os fenômenos atmosféricos, o conhecimento de recursos minerais potenciais preservados pela manutenção de acordos internacionais constituem um importante material para diversos campos do conhecimento. Espera-se que a versão preliminar deste livro, embora voltado para diversas áreas, em um projeto posterior propicie fundamentos para uma análise pela Geografia do conhecimento do espaço do continente austral, discutindo o conceito de natureza e estabelecendo uma relação, do ponto de vista estratégico, do uso das informações por parte de alguns agentes do potencial energético e mineral, utilizando como instrumental metodológico a Geografia Política Clássica.

Antártida XE "Antártida"  - PROANTAR XE "PROANTAR"  - Recursos Minerais XE "Recursos Minerais"

TECNIFICAÇÃO DO TERRITÓRIO ? AS DENSIDADES TÉCNICAS E A FOME

Mário Lamas Ramalho (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria Adélia Aparecida de Souza (Orientadora), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Esta iniciação científica tem como objetivo estudar a relação entre a produção de alimentos e os acréscimos de ciência, tecnologia e informação à base territorial brasileira. Baseando-se nas novas conceituações da geografia contemporânea busca-se entender as novas dinâmicas do território brasileiro, tendo como viés analítico o seu uso agrícola e o conseqüente par dialético da abundância-escassez, em seu relacionamento com o processo de produção da fome. A base empírica desta análise é o município brasileiro e as densidades técnicas a ele agregadas, quais sejam o número de máquinas e insumos da produção, além das quantidades produzidas dos principais gêneros alimentícios. Haverá assim, como resultado e conclusão, um conjunto de mapas temáticos e analíticos e um texto interpretativo que mostrarão o acúmulo de densidades técnicas para o uso das compartimentações do espaço geográfico, elemento fundamental para entendimento das características da formação sócio-espacial brasileira.

Território -  XE "Território" Produção de Alimentos XE "Produção de Alimentos"  - Densidades Técnicas XE "Densidades Técnicas"

SUBSÍDIOS PARA A AVALIAÇÃO DO PROJETO GEOCIÊNCIAS E A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM EXERCÍCIO NO ENSINO FUNDAMENTAL

Rogério Bezerra da Silva (Bolsista CNPq) e Prof. Dr. Maurício Compiani (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

O projeto Geociências e a Formação Continuada de Professores em Exercício no Ensino Fundamental teve inicio no ano de 1997 e finalizou-se em 2001, o qual contou com outros subprojetos, como o aqui mencionado, para fornecer subsídios para a sua avaliação. Os dados contidos no subprojeto mostraram como a interação entre disciplinas diversas, como Língua Portuguesa, Matemática, História, com as Geociências pode contribuir de forma ágil e consistente para a melhoria da qualidade do ensino fundamental e como, também, houve evolução de modo diferenciado da atuação das professoras. Os objetivos do subprojeto eram averiguar quatro questões básicas:1 - Como consegue [a professora] interagir Geociências com sua disciplina? 2 - O que entende sobre o papel do professor como mediador na construção de conhecimentos científicos? Trabalha idéias prévias? 3 - Consegue trabalhar independente dos livros didáticos? 4 - Formula um problema de pesquisa? Como? A análise documental (relatórios elaborados por 4 professoras) foi a principal metodologia utilizada neste subprojeto que constatou vários avanços como, uma maior atenção do professor quanto ao discurso do aluno (Construtivismo em sala de aula), uma maior interação entre os professores assim como uma melhor preparação de suas aulas.

Formação Continuada XE "Formação Continuada"  - Análise Documental XE "Análise Documental"  - Ensino de Geociências XE "Ensino de Geociências"

A ESTRUTURAÇÃO URBANA DA VILA SANTA IZABEL EM BARÃO GERALDO

Valmara Cristina de Paula (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Célia Bega dos Santos (Orientadora), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Primeiramente realizou-se um estudo da bibliografia de referência, com a finalidade de aplicar as análises pertinentes da Geografia Urbana à Vila Santa Izabel, em Barão Geraldo. Com o estudo das categorias analíticas, propostas por Milton Santos, entende-se as transformações do espaço geográfico de Santa Izabel e as conseqüências destas mudanças. Destaca-se também a implantação de importantes indústrias, impulsionadas principalmente pela presença da UNICAMP. Nas áreas próximas a Vila Santa Izabel, como a Cidade Universitária nota-se a existência de muitos condomínios residenciais: como Rio das Pedras, Barão do Café, dentre outros. Santa Izabel possui uma identidade bastante própria. É um bairro antigo, já consolidado. Conta com um centro comercial impulsionado principalmente pela presença da Moradia Estudantil da UNICAMP. Este conjunto estudantil, além da importância que teve no desenvolvimento comercial de Santa Izabel, contribuiu e contribui para atividades culturais e sociais através de Cursinhos, Alfabetização de Adultos, desenvolvimento de espetáculos teatrais. Com o apoio de dados estatísticos do IBGE e Prefeitura de Campinas, através da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, confeccionou gráficos que destacam a evolução populacional de Barão Geraldo e a importância de medidas para acompanhar esta evolução, visto que o Distrito possui uma grande área de glebas não parceladas e lotes vazios.

Geografia XE "Geografia"  - Estruturação urbana XE "Estruturação urbana"

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

O COTIDIANO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA: RESPONSABILIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DO ALUNO

Gerusa Rocha Vanin (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Vera Lucia Xavier Figueiredo (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Este projeto de pesquisa tem como objetivo observar e analisar como a postura do professor frente à Matemática, e sua relação com os alunos influenciam no processo de aprendizagem e na formação do ser humano. Além disso, investiga quais as concepções de ensino que sustentam a sua prática. Esta investigação está sendo realizada no estágio obrigatório de alunos de Licenciatura em Matemática na escola pública do ensino médio, Barão Geraldo de Rezende. A abordagem da pesquisa é qualitativa e tem como instrumentos de coleta de dados observações diretas, questionários e atividades abertas (desenho e entrevista a partir de um objeto concreto). O conteúdo matemático a ser desenvolvido com os alunos da escola é Volumes de Sólidos, que possibilita um envolvimento do professor com os alunos através de atividades criativas que valorizam os conhecimentos científicos e sociais. Estes serão desenvolvidos a partir de temas escolhidos pela classe, juntamente com o pesquisador, como bebida, lixo e embalagens. Esta pesquisa visa transformar o estágio obrigatório em um trabalho de pesquisa-ação atuando na formação profissional da professora/ pesquisadora de sua prática.

Educação Matemática XE "Educação Matemática"  - Aprendizagem XE "Aprendizagem"  - Cotidiano XE "Cotidiano"

LABJOR

QUANDO A CIÊNCIA É NOTÍCIA 2000-2001: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS JORNAIS ESTADO DE MINAS E O ESTADO DE SÃO PAULO

Rosângela Aparecida Reis Machado e Profa. Vera Regina Toledo Camargo (Orientadora), Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo - LABJOR, UNICAMP

Quando a ciência é notícia 2000-2001 é uma pesquisa comparativa sobre o tratamento dado à Ciência pelos jornais brasileiros, realizada na semana de 24 a 30 de setembro de 2000, quando avaliou-se o impacto das Olimpíadas e Eleições Municipais nos conteúdos. O objetivo desse estudo era entender, por um lado, o quanto de Ciência é divulgada e de que forma as matérias são veiculadas e, por outro, como a Ciência se configura na mídia com a influência desses fatos e como ela esteve presente nessas duas situações. Nesse trabalho nos propomos a avaliar O Estado de São Paulo, de prestígio nacional, e o Estado de Minas, de importância regional. Esse trabalho faz parte de uma ampla pesquisa, coordenada pelo Prof. José Marques de Melo, que envolve 09 (nove) jornais de todo o Brasil. Os resultados, ainda que preliminares, apontam que cresceu o número de matérias sobre Ciência no Brasil.

Divulgação Científica XE "Divulgação Científica"  - Jornais Brasileiros XE "Jornais Brasileiros"  - Ciência XE "Ciência"

NEPAM

CONFLITOS SÓCIO-AMBIENTAIS NO VALE DO RIBEIRA

Ana Beatriz Viana Mendes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Lúcia da Costa Ferreira (Orientadora), Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais - NEPAM, UNICAMP

A criação e implantação de áreas legalmente protegidas tem sido uma prática adotada para conter a detruição da biodiversidade em diversos lugares do Brasil e do mundo. Na Mata Atlântica, a existência de populações residentes em seu interior gerou uma série de discussões e disputas sobre as restrições no uso de recursos naturais. Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar os conflitos socioambientais gerados pelo processo de implantação do Parque Estadual Turísto do Alto Ribeira (Petar), bem como a perspectiva ambiental que caracterizou este processo. Os objetivos específicos são: 1) caracterizar socioeconomicamente a totalidade dos moradores do bairro Bethary, situado no entorno do Petar; 2) levantar os principais efeitos da regulamentação dos usos de recursos sobre a vida social do bairro; 3) levantar os riscos e as oportunidades do processo para esses moradores. A análise dos dados foi orientada pelo debate especializado sobre o conceito de populações tradicionais, de forma a discutir seu papel na eficácia das políticas atuais de conservação da biodiversidade. Os dados coletados na pesquisa de campo permitem concluir, mesmo que de modo ainda parcial, que as áreas protegidas são de grande importância para a preservação da biodiversidade, mas os habitantes destas áreas podem ser aliados da preservação e devem permanecer nos lugares que habitam há centenas de anos. Essa longa permanência na área resulta em um enorme conhecimento dos ciclos naturais da região, garantindo sua sobrevivência e dos recursos naturais que utiliza.

Parques XE "Parques"  - Populações Tradicionais XE "Populações Tradicionais"  - Uso de Recursos XE "Uso de Recursos"

OS CONFLITOS SOCIAIS NA EEJI: O CASO DA PRAIA DO UNA, GRAJAÚNA E PRAIA DO RIO VERDE

Anaisa de Oliveira Pinto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lúcia da Costa Ferreira (Orientadora), Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais - NEPAM, UNICAMP

A EEJI (Estação Ecológica Juréia-Itatins) é um modelo de UC (unidade de conservação) ambiental no qual a presença humana não é permitida. Isso se deve pelo seu caráter de máxima restrição ao uso dos recursos naturais, sendo permitido somente o acesso para fins de pesquisas autorizadas pela SMA (Secretaria do Meio Ambiente). Este órgão é encarregado pela implementação das leis ambientais e para tanto possui um corpo de funcionários que inclui alguns dos moradores considerados tradicionais. A implementação desta UC é problemática pelo fato de ter sido criada em uma área já habitada e com diversos problemas fundiários. Estes e outros fatores de características específicas de cada região que compõe a EEJI geraram diversos conflitos entre ONGs, Estado e Moradores. O projeto ?Floresta e Mar: Uso e Conflitos no Vale do Ribeira e Litoral Sul de São Paulo? se propõe a estudar os conflitos entorno da questão da conservação ambiental desta localidade. Neste intuito a equipe foi dividida dentre as comunidades que fazem parte da unidade de conservação; onde trabalhou-se com coleta de dados documentais, entrevistas gravadas e observação direta do cotidiano dos sujeitos previamente escolhidos para a pesquisa. Este caso específico refere-se a Praia do Una, Grajaúna e Praia do Rio Verde. Nestas áreas a restrição ao uso dos recursos naturais é feita de forma mais rígida que em outras localidades da EEJI, o que provocou as mudanças sociais e as ações políticas por nós pesquisadas.

Conflitos XE "Conflitos"  - Recursos Naturais XE "Recursos Naturais"  - Conservação XE "Conservação"

A CONCEPÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PELOS ÓRGÃOS PÚBLICOS RESPONSÁVEIS PELOS PROGRAMAS NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: PARQUE ESTADUAL TURÍSTICO DO ALTO RIBEIRA (PETAR) E ESTAÇÃO ECOLÓGICA DA JURÉIA-ITATINS (EEJI)

Rita de Cássia Nonato (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Arlêude Bortolozzi (Orientadora), Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais - NEPAM, UNICAMP

O estudo das concepções de Educação Ambiental (EA) dos representantes dos Órgãos Públicos que atuam nas Unidades de Conservação (UC) do Petar e EEJI procurou identificar quais são os programas de EA realizados e como estes atuam.Tendo em vista que a criação do Parque e da Estação Ecológica, acabou por restringir a ação da comunidade local trazendo mais conflitos para a região, uma das possibilidades de mediação dos conflitos poderia vir da contribuição da EA como elemento facilitador do diálogo entre os indivíduos envolvidos. O estudo realizado procurou compreender a realidade dos locais através de visitas nas áreas, entrevistas e análise de documentos que estabelecem as diretrizes dos programas de EA e de uso público. Essa análise permitiu comparar as diferentes visões sobre o assunto e inferir sobre as seguintes conclusões: os programas de EA destas UCs restringem-se a atividades relacionadas à visitação da área, desta forma a inclusão que se faz da população local nestes programas é através do trabalho de monitoria. Com isso, delineia-se uma proposta de EA imposta de cima para baixo, contradizendo os propósitos de emancipação da comunidade local, seus problemas cotidianos e sua participação ativa nos processos de tomada de decisão a respeito de seu destino.

Educação Ambiental XE "Educação Ambiental"  - Unidades de Conservação XE "Unidades de Conservação"  - Cidadania XE "Cidadania"

PROJETOS DA ÁREA TECNOLÓGICA

CESET

DESENVOLVIMENTO DE UM SCANNER AUTOMATIZADO

Alexandre Alvaro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Francisco José Arnold (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

Um scanner é um dispositivo que movimenta um sensor de modo ordenado e pré-estabelecido. No presente trabalho foram desenvolvidos um programa de computador e circuitos eletrônicos que podem controlar um sistema mecânico para a automatização da medição de campos acústicos. Através de um programa de computador, que controla a porta paralela de um PC, desenvolvido em Linguagem Delphi, o usuário tem controle sobre a movimentação de um sensor de aquisição dos níveis de pressão, do sincronismo das leituras, do sistema de aquisição de dados e da geração do arquivo para gerar gráficos dos níveis de pressão em função das posições. A varredura realizada pelo sensor no interior do campo é feita a partir do acionamento, via transistores de potência, de dois motores de passo. A aquisição de dados é baseada no uso do conversor análogo-digital ADC0808. O sistema pode ser adaptado para outras situações que necessitem de um controle automatizado bastando para isso executar as devidas modificações no software, no tipo de sensor e no sistema mecânico.

Linguagem Delphi XE "Linguagem Delphi"  - Porta Paralela XE "Porta Paralela"  - Scanner Automatizado XE "Scanner Automatizado"

CAMPOS ULTRA-SÔNICOS PRODUZIDOS POR TRANSDUTORES SEMI-CIRCULARES

Ana Cláudia Justo (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Francisco José Arnold (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

O conhecimento dos campos ultra-sônicos é uma importante ferramenta nos estudos da interação dos mesmos com os meios de propagação e no fornecimento de subsídios ao projeto de transdutores. O presente trabalho visa desenvolver programas de simulação computacional, em linguagem C, para cálculo de campos acústicos de transdutores de contorno semi?circular. Inicialmente foi desenvolvido um programa de cálculo usando a integral de Rayleigh, entretanto devido ao extenso trabalho computacional, novas formas de cálculo tem sido estudadas. Uma das formas mais conhecidas para calcular esses campos baseia-se na interpretação geométrica da função resposta-impulso e na transformação da integral dupla em simples, levando o programa a uma execução mais rápida. Os resultados das simulações são apresentados em gráficos tri?dimensionais de pressão em função das coordenadas dos planos paralelos e perpendiculares ao transdutor. Estes resultados permitem verificar algumas características desses campos, tais como o limite entre os campos próximo e distante e a distribuição assimétrica dos níveis de pressão.

Campos Ultra Sônicos XE "Campos Ultra Sônicos"  - Transdutores Semi-Circulares XE "Transdutores Semi -Circulares"  - Simulação XE "Simulação"

O EMPREGO DE EQUIPAMENTOS TOPOGRÁFICOS TRADICIONAIS NO TRANSPORTE DE COORDENADAS PLANAS LOCAIS : UM ESTUDO COM O POSICIONAMENTO G.P.S.

Dener Altheman dos Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edison Roberto Poleti (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

A evolução das técnicas e ferramentais empregados nos levantamentos geodésicos e topográficos é hoje inevitável frente à comodidade, rapidez e precisão. Em especial, a utilização do Sistema de Posicionamento Global (G.P.S.) trouxe enorme avanço no transporte e determinação de pontos georreferenciados. Esta técnica, embora atual não é utilizada por todos os segmentos, sendo somente por uma pequena minoria, devido ao alto custo dos equipamentos quando comparados com os instrumentais tradicionais. Um estudo da utilização destas metodologias foi realizado na comparação entre uma base georreferenciada implantada pelo posicionamento orbital e pelo transporte tradicional, analisando suas precisões, exatidões e custos.

Transporte de Coordenadas XE "Transporte de Coordenadas"  - GPS XE "GPS"  - Topografia XE "Topografia"

ESTUDO DA ACESSIBILIDADE DE PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIAS APLICADO À CIDADE DE PEDREIRA S.P. CONFORME A NBR 9050

Dener Altheman dos Santos e Prof. Dr. Edison Roberto Poleti (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

A acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências a sua integração social, vem tendo uma maior abordagem tanto na concepção de novos projetos como na adequação dos espaços existentes. As barreiras arquitetônicas são sem dúvida os maiores entraves ao acesso e à utilização dos espaços por portadores de deficiência física ou de mobilidade reduzida. A falta da adequação de rampas, sanitários, circulação, elevadores e estacionamentos, são os principais itens destacados. Este trabalho apresenta uma análise das condições de acessibilidade na cidade de Pedreira S.P., frente aos padrões propostos pela NBR 9050/1994 - ?Acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências a edificações, espaço, mobiliário e equipamento urbanos?. Constatou-se que a maioria dos locais não oferece acessibilidade ao deficiente e, quando da existência de adequação, grande parte se encontra fora das disposições da norma. A principal causa detectada foi a não existência de nenhuma legislação municipal sobre o assunto. Apresenta-se neste trabalho uma metodologia de análise das condições de acessibilidade e propostas de encaminhamento para a sua resolução.

Acessibilidade XE "Acessibilidade"  - Adequação à Deficientes XE "Adequação à Deficientes"  - NBR 9050 XE "NBR 9050"

O ESTUDO DO DESLOCAMENTO HORIZONTAL ALTIMÉTRICO NO MODELO TRIDIMENSIONAL GERADO PELO SOFTWARE SURFER FOR WINDOWS WINSURF

Hamilton Shikanai (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edison Roberto Poleti (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

A altimetria de um terreno apresentada em uma planta topográfica é dada através da representação de ?curvas de nível?, as quais possibilitam a visualização da projeção ortogonal plana em um modelo tridimensional. A precisão dos resultados destes volumes está diretamente ligado ao levantamento dos dados em campo e a sua representatividade em planta. Uma falsa representatividade deste relevo pode acarretar interferências significativas tantos nos projetos quantos aos seus custos. A metodologia empregada em cada um destes softwares é quase que a mesma na introdução dos dados, embora na execução dos cálculos se utilizam do Winsurf. A análise foi gerada pelo software comparado com um modelo medido diretamente em campo. A metodologia empregada para o levantamento altimétrico foi a retangularização de uma malha 10m x 15m, pois se apresenta como o método mais preciso para a determinação do modelo tridimensional tanto através dos cálculos tradicionais quanto pela metodologia empregada pelo Software Winsurf. Os dados coletados neste levantamento permitiram elaborar um modelo tridimensional estabelecido pela metodologia tradicional dado pela interpolação analítica e pelo software para a geração do mesmo modelo, obtendo resultados equivalentes. É um campo que se vê promissor, de grande importância e significado, para as perspectivas futuras dos trabalhos topográficos aplicados à informática em escala grande.

Winsurf  XE "Winsurf" - Deslocamento XE "Deslocamento"  - Tridimensional XE "Tridimensional"

ESTUDO E APLICAÇÃO DE NORMAS PARA AVALIAR CONSTRUÇÕES POPULARES IRREGULARES DE NOVOS BAIRROS EM ÁREAS CARENTES

Pedro Roberto da Silva Neto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edison Roberto Poleti (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

Os Códigos de Obras e Urbanismo dos Municípios regem toda ocupação do solo no que tange às construções prediais. A ocupação do espaço urbano deve ser disciplinada e controlada pelo poder público, mas nem sempre o poder público possui um sistema de gestão que atenda toda demanda. O desconhecimento das leis, o desejo e a necessidade de moradia, assim como, fatores sociais e econômicos levam, principalmente em áreas carentes, a uma ocupação irregulares e desordenada. A partir de uma amostragem e avaliação do sistema atualmente utilizado, foi desenvolvido um modelo de norma que possibilita a regularização das obras irregulares e permite acesso a pessoas carentes a novas construções além da possibilidade de um acompanhamento técnico.

Normas XE "Normas"  - Construções populares XE "Construções populares"  - Ocupação do solo XE "Ocupação do solo"

Faculdade de Engenharia Agrícola

UTILIZAÇÃO DO ULTRA-SOM NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA MADEIRA

Alexandre Saleimen Nader (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Raquel Gonçalves (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A madeira, embora sendo um material de excelentes qualidades construtivas, apresenta grande variabilidade de propriedades, tanto entre diferentes espécies quanto dentro da própria árvore, resultando um produto de engenharia de difícil administração. Um dos grandes avanços obtidos nos últimos anos na caracterização de materiais tanto do ponto de vista mecânico quanto de qualidade é a aplicação de técnicas não destrutivas, destacando-se dentro elas o uso do ultra-som. Enquanto em países desenvolvidos existem normas bem definidas para a classificação da madeira tanto do ponto de vista mecânico quanto de qualidade, no Brasil a NBR 7190/97 faz uma menção à classes de resistência e incorpora apenas ensaios destrutivos em corpos de prova para a caracterização da madeira visando a aplicação em estruturas. Em relação à qualidade, no Brasil não existe uma norma generalizada e reconhecida para avaliação da madeira e sim normas visando aplicações específicas que se baseiam apenas em método visual. Os métodos visuais, bastante utilizados no passado em normas de classificação, ainda que de grande utilidade, podem ser falhos e exigem a utilização de mão de obra relativamente bem treinada. Muitas vezes a presença de nós, rachaduras ou ainda regiões com medula no interior de uma peça serrada pode ser imperceptível na avaliação visual. O objetivo desse Projeto de Pesquisa é, portanto, a caracterização da madeira em termos de qualidade (presença de nós, medula e madeira juvenil) por meio de Ensaio Não Destrutivo, utilizando a técnica do ultra-som. Os resultados indicam haver fortes correlações entre a velocidade de propagação e a presença de defeitos.

Ultra-Som XE "Ultra-Som"  - Qualidade XE "Qualidade"  - Madeira XE "Madeira"

CARACTERIZAÇÃO DAS EMPRESAS FABRICANTES DE EQUIPAMENTOS DE IRRIGAÇÃO

Aline Volpi Porto (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Roberto Testezlaf (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Poucas informações existem atualmente sobre o parque tecnológico de produção de equipamentos de irrigação no Brasil. A caracterização do mercado brasileiro de empresas fabricantes de equipamentos de irrigação pode mostrar o potencial instalado de produção e o quê o mercado tem disponível para auxiliar na melhoria da agricultura brasileira. Este projeto visa obter um diagnóstico da situação técnico-econômica dessas empresas, obtendo-se uma caracterização geral de como está a situação do mercado de irrigação. Para se atingir esse objetivo, desenvolveu-se um banco de dados, com o auxílio do programa computacional ACCESS, e um questionário com informações técnicas e econômicas, que foi enviado a cada empresa cadastrada no banco de dados. Os dados coletados com as respostas das empresas foram analisados estatisticamente, dando uma visão do real mercado de equipamentos de irrigação brasileiro.

Irrigação XE "Irrigação"  - Cadastro brasileiro de Fabricantes XE "Cadastro brasileiro de Fabricantes"  - Normalização XE "Normalização"

DESIDRATAÇÃO OSMÓTICA DE ABACAXI

Ana Maria de Magalhães (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Marlene Rita de Queiroz (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A desidratação osmótica é utilizada para concentrar frutas e vegetais através da imersão dos mesmos em soluções hipertônicas, ou seja, soluções aquosas mais concentradas que os alimentos em questão. Esse processo viabiliza a utilização de frutas que apresentam acidez elevada, tornando o produto mais aceitável organolepticamente. O objetivo deste trabalho foi analisar a eficiência do processo de desidratação osmótica e das propriedades do abacaxi quanto a geometria de corte da fruta, concentração e temperatura da solução. O abacaxi foi cortado em metades de fatias e em formato semi-triangular, imerso em solução osmótica por período de 7 horas, com dois níveis de concentração (55o e 70oBrix) e duas temperaturas (ambiente e 40oC). O planejamento experimental foi conduzido mediante aleatorização do tipo Split Split Plot e os resultados analisados estatisticamente através de ANOVA e Teste de Tukey. Houve perda de água, ganho de sólidos solúveis e redução de acidez em todos os tratamentos. Os resultados das variáveis medidas foram plotados em forma de curvas ao longo do processo, demonstrando o comportamento do peso, Brix, acidez e teor de umidade para cada tratamento. Conclui-se, portanto, que uma tecnologia simples, adaptada às matérias-primas nacionais proporciona a obtenção de um produto de qualidade com características similares ao produto in natura.

Desidratação XE "Desidratação"  - Osmose XE "Osmose"  - Abacaxi XE "Abacaxi"

LIMPEZA MÊCANICA DE COLMOS INTEIROS DE CANA-DE-AÇÚCAR SEM QUEIMAR

Anna Leticia Montenegro Turtelli Pighinelli (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Oscar Antonio Braunbeck (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A colheita de cana-de-açúcar sem queimar vem sendo uma das tendências na agricultura sucroalcooleira; fatores ambientais, legislação e redução de custos de produção norteiam essa tendência com pesos diferentes de acordo com as condições particulares de cada caso. A tecnologia de limpeza utilizada atualmente nas colhedoras de cana apresenta limitações severas que continuam a restringir a implantação da colheita de ?cana crua? (sem queima prévia). O desempenho do despalhador desenvolvido por TANAKA (1996) e otimizado por TANAKA (2000) está sendo avaliado nesta pesquisa, comparativamente a seu desempenho original. Para esta avaliação estão sendo utilizados além do despalhador de rolos otimizado, cana-de-açúcar de duas variedades (fácil e difícil despalhe) e um micro computador para auxiliar na análise dos dados. Foi realizado um estudo detalhado da metodologia utilizada por TANAKA (1996) como auxílio ao planejamento e execução desta pesquisa. As quatro molas e os dois amortecedores que fazem parte do equipamento foram testados e tiveram suas constantes de elasticidade determinadas. Como resultado do processo de otimização, a freqüência de oscilação do rolo despalhador aumentou em aproximadamente 400%, traduzindo em um maior contato do rolo com os colmos da cana, acarretando em um aumento da eficiência de despalhamento, processo este atualmente em fase de quantificação experimental.

Colheita de cana-de-açúcar XE "Colheita de cana-de-açúcar"  - Despalhamento mecânico XE "Despalhamento mecânico"  - Simulação XE "Simulação"

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE PIMENTÃO MINIMAMENTE PROCESSADO, ARMAZENADO EM DIFERENTES TEMPERATURAS

Camila Castro Golineli (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Benedito Carlos Benedetti (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Associando a carência de pesquisas que abordem o comportamento fisiológico de produtos minimamente processados, a necessidade da avaliação da sua vida de prateleira e de fatores que a influenciam, este trabalho tem por objetivo analisar o comportamento de pimentões minimamente processados em diferentes temperaturas de armazenagem e determinar qual a mais apropriada, tendo-se em vista aspectos fisiológicos, sensoriais e vitamínicos que assegurem um produto de valor agregado e de alta qualidade, saudável, seguro e com maior durabilidade. O experimento está sendo conduzido em duas etapas, a primeira com pimentão verde e a segunda com pimentão amarelo. Nas duas etapas o pimentão foi minimamente processado em rodelas e tiras, centrifugado por 5 e 10 min. e armazenado nas temperaturas de 5 e 10(C. A composição gasosa do espaço livre, o pH, a acidez titulável, teor de vitamina C e coloração estão sendo avaliados. Os resultados obtidos evidenciaram que a temperatura de 10(C, o tempo de centrifugação de 10 minutos e o corte em rodelas, o qual oferece maior exposição à luz e ao oxigênio em relação ao corte em tiras, influenciam negativamente na vida de prateleira de pimentões minimamente processados, alterando principalmente a composição gasosa da embalagem e o teor vitamínico do produto. À partir dos demais resultados, outras conclusões poderão ser obtidas.

Pimentão XE "Pimentão"  - Processamento mínimo XE "Processamento mínimo"  - Vida de prateleira XE "Vida de prateleira"

PROGRAMA DE AMADURECIMENTO DE TOMATE (Lycopersicon esculentum Mill) ?CARMEN? TRATADO COM ÁCIDO 2-CLOROETILFOSFÔNICO EM AMBIENTE COM TEMPERATURA CONTROLADA

Caroline Andreuccetti, (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sylvio Luís Honório (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O trabalho estudou o efeito da aplicação do ácido 2-cloroetilfosfônico (etileno), sobre a velocidade de maturação em tomates Carmen. Diante de dados encontrados em pesquisas anteriormente realizadas, escolheu-se a faixa de temperaturas (13ºC a 20ºC) e a concentração de etileno mais adequada para o devido armazenamento de tomates. Estabeleceu-se um programa de amadurecimento variando-se a temperatura em ambiente controlado. Os frutos foram imersos por cinco minutos em uma solução de etileno com concentração de 2000mg/L. O experimento realizou-se com frutos em estádio de maturação verde. Durante o período de armazenamento, os tratamentos foram comparados verificando a velocidade de maturação e uniformidade de cor apresentada pelos frutos. Visou-se a análise de métodos físico-químicos (determinação do padrão cor, sólidos solúveis, acidez total titulável, pH, perda de peso e sólidos totais). A forma de análise dos resultados foi totalmente casualizada, com três repetições por tratamento. Determinou-se que a temperatura é fator decisivo na uniformidade de coloração e que a mesma pode ser utilizada para moldar o período de armazenamento dos frutos, dependendo da exigência do mercado consumidor. Deve-se manter o tomate refrigerado após sua colheita, pois mesmo permanecendo-o na câmara frigorífica houve perdas.

Tomate XE "Tomate"  - Etileno  XE "Etileno" - Temperatura XE "Temperatura"

ANÁLISE DO DESEMPENHO DE CORTE E VARREDURA DE UMA FACA ROTATIVA COM DOIS GRAUS DE LIBERDADE

Cinthia Reis Cascardo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Oscar Antonio Braunbeck (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A pesquisa proposta está sendo desenvolvida no Laboratório de Projeto de Máquinas Agrícolas da FEAGRI - UNICAMP. O presente estudo tem objetivo avaliar o desempenho de um mecanismo alternativo de varredura e corte basal de cana-de-açúcar, o qual, é constituído por facas articuladas, que tem como função acompanhar a superfície e retrair-se diante de obstáculos como pedras e tocos. Especificamente, foram estudadas as equações do movimento de uma faca oscilante com dois graus de liberdade, e simulado o desempenho de varredura da faca em termos da força de interação da mesma com o solo e da capacidade de corte da faca em relação ao ângulo de oscilação vertical ((2) e horizontal ((4). As análises varredura estão sendo feita através de simulações utilizando os programas Mechanical Desktop 3.0, Matlab 4.0. Após algumas simulações e de serem introduzidas algumas modificações ao projeto conseguiu-se uma varredura de 110 graus com força de interação entre o solo e a junta bi-articulada de 600N. As freqüências naturais de oscilação da faca mostrou ter influência significativa no desempenho de varredura. Os resultados das simulações são apresentados graficamente incluído os ângulos vertical ((2) e horizontal ((4), a força de reação Rs da superfície e a velocidade tangencial do extremo da faca. Os resultados preliminares mostram que o princípio de varredura proposto é bastante promissor.

Modelo Matemático XE "Modelo Matemático"  - Cortador de Base XE "Cortador de Base"  - Faca rotativa XE "Faca rotativa"

CULTIVO E PREPARO DE LINHA DE PLANTIO COM ?PARAPLOW? ROTATIVO PARA SISTEMA DE PLANTIO CONSERVACIONISTA

Daniel Albiero (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Cheu Shang Chang (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O Sistema de Plantio Direto gera uma perda de produção quando utilizado em solos argilosos compactados, além de usar uma grande quantidade de herbicidas no controle das ervas daninhas. Este projeto desenvolveu um equipamento que combina funções de Enxada Rotativa Vertical, ?Paraplow?, e roçadeira. O objetivo é obter numa mesma operação: (1)- Um bom preparo da linha de plantio, (2)- Aumento do distúrbio da subsuperfície do solo aumentando a infiltração de água, (3)- Manter a cobertura de resíduos vegetais, (4)- controlar as plantas daninhas mecanicamente, (5)- Reduzir as forças de tração e corte, permitindo o uso de tratores menores e diminuindo a compactação do solo. Testes foram feitos numa caixa de solo, para selecionar a geometria ideal. O modelo selecionado foi também testado em campo. O ?Paraplow? Rotativo proposto utiliza a Tomada de Potência (TDP), eficientemente, e economiza cerca de 25% da energia gasta em tração por um ?Paraplow? Convencional. O distúrbio da subsuperfície do solo reduziu o Índice de Cone de 2000 kPa para valores entre 200 e 400 kPa, ajudando na infiltração da água. A linha de plantio foi bem preparada. As plantas daninhas numa faixa de 50 cm foram cortadas por uma roçadeira acoplada ao ?Paraplow? Rotativo. Os resultados foram satisfatórios, no entanto para finalizar o desenvolvimento deste equipamento, é necessário mais pesquisas.

Plantio Conservacionista XE "Plantio Conservacionista"  - Desenvolvimento de Equipamento XE "Desenvolvimento de Equipamento"  - ?Paraplow? Rotativo XE "Paraplow Rotativo"

MODELAGEM MATEMÁTICA E SIMULAÇÃO NUMÉRICA DO PROCESSO DE CRESCIMENTO DO MILHO

Danielle Helena da Mata (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Mariangela Amendola (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A agricultura sempre foi uma questão de relevância no Brasil. Atualmente, sua importância se estende aos campos de pesquisa buscando tornar mais prósperas a realização de cultivos e de produção. Para o desenvolvimento deste projeto foram considerados os modelos matemáticos que descrevem os processos de crescimento de milho encontrados na literatura e para os quais foram elaborados algoritmos para a construção de um programa computacional, na linguagem FORTRAN, denominado CERES- Maize, implementado para a simulação numérica do processo de crescimento do milho. Desta forma, através de dados locais de temperatura, composição química do solo, umidade, pluviosidade, entre muitos outros, pode-se determinar, por exemplo, a taxa de crescimento da espiga, o peso da folha, o conteúdo de nitrogênio nas raízes e reserva de carboidratos nas sementes, etc.Dentro deste contexto este projeto mostra os avanços da análise do uso deste programa utilizado para a simulação numérica de um conjunto de dados teste, fornecido pela EMBRAPA/Campinas. A análise dos resultados desta simulação permite a discussão para a tomada de decisão e/ou definição do processo de crescimento de milho.

Simulação Numérica  XE "Simulação Numérica" - Crescimento de Milho  XE "Crescimento de Milho" - Sistema de Suporte a Decisão XE "Sistema de Suporte a Decisão"

ESTUDO DO COMPORTAMENTO DE MATRIZES PESADAS EM FUNÇÃO DO AMBIENTE UTILIZANDO TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO ELETRÔNICA

Danilo Florentino Pereira (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Nääs (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A preocupação em atingir níveis de bem estar das aves para que a produção seja maximizada na avicultura vem, ao longo dos últimos anos, ganhando maior importância devido à complexidade com que as variáveis presentes dentro de um galpão de produção estão correlacionadas. As diferenças comportamentais da ave dentro do galpão estão diretamente relacionadas com as variações climáticas que ocorrem no seu interior. Este trabalho teve como objetivo monitorar o comportamento de matrizes pesadas da linhagem HYBRO-G em um modelo de galpão de escala reduzida, bem como coletar dados do ambiente a que estão expostas. A identificação das aves foi feita utilizando a tecnologia de identificação eletrônica e a coleta de dados inerentes ao ambiente foi feita através de termopares e um datalogger permitindo, desta forma, o uso de sistemas informatizados e monitoramento digital diário. A coleta de dados foi realizada durante um período de seis meses (outubro/2000 à março/2001). A partir dos dados coletados, uma análise do comportamento da ave em função do ambiente foi realizada. Foi constatada que, apesar das aves serem irmãs e da mesma idade, houve diferenças comportamentais, confirmando a importância do estudo do indivíduo. Outras análises podem ser feitas com os dados coletados no período.

Matrizes Pesadas XE "Matrizes Pesadas"  - Identificação Eletrônica XE "Identificação Eletrônica"  - Ambiência XE "Ambiência"

AVALIAÇÃO DA ESTABILIZAÇÃO DE LODOS DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS UTILIZANDO REATORES ANAERÓBIOS SEQÜENCIAIS COM RECIRCULAÇÃO DO LODO

Emilio Seigui Kobayashi e Prof. Dr. Durval Rodrigues de Paula Junior (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

Este trabalho propõe a implantação e avaliação de um sistema constituído de reatores anaeróbios seqüenciais (RAS) para a estabilização de lodos originários de decantadores primários e secundários de uma estação de tratamento de esgotos convencional (filtros biológicos). O principal objetivo deste trabalho consiste em realizar estudo comparativo da estabilização de lodos utilizando reatores anaeróbios seqüenciais com recicurlação do lodo (sistema A) e digestor anaeróbio convencional de câmara única (sistema C). O experimento será desenvolvido na estação de tratamento de esgotos (ETE) Carioba, da cidade de Americana, São Paulo. As instalações serão localizadas junto a essa ETE, ao lado da estação elevatória onde os lodos primários e secundários são misturados e bombeados para um digestor anaeróbio convencional, na própria ETE. O protótipo experimental será constituído por uma unidade de equalização (caixa com volume de 2.500 L) que alimentará três sistemas (A, B e C). O sistema A será composto de 5 reatores anaeróbios seqüenciais (volume de 1.000 L cada), com mecanismo de mistura promovido por bombas acopladas individualmente em cada reator e uma bomba para recirculação do sobrenadante do último reator para o primeiro. O sistema B será composto também de cinco reatores anaeróbios seqüenciais similares aos do sistema A, diferenciando-se do anterior pelo mecanismo de mistura que será promovido por misturadores mecânicos (lentos) instalados em cada um dos reatores. O sistema C será composto de um único reator anaeróbio, com volume de 5.000 L, dotado também de misturador mecânico.

Esgotos XE "Esgotos"  - Lodo XE "Lodo"  - Estabilização XE "Estabilização"

COMPARAÇÃO DA ARMAZENAGEM FRIGORIFICADA VERSUS AMBIENTE E TIPOS DE EMBALAGENS NA QUALIDADE DE BANANAS NANICÃO (MUSA CAVENDISHII)

Enrique G. Fernandes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo A. M. Leal (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

As práticas de manuseio pós-colheita são fundamentais para os produtos consumidos in natura, a perda de qualidade são os resultados de danos nos períodos de manuseio, armazenagem e transporte. Comparou-se a armazenagem em ambiente normal com a frigorificada a 13°C com umidade de 90(2,5%, utilizando-se 3 tipos de embalagens: caixa de madeira tipo torito, torito modificada e papelão. Foram feitas análises químicas, físicas e de temperatura. Com estas análises concluiu-se que a armazenagem em câmara fria e as embalagens torito e torito modificada conservam mais as qualidades iniciais do produto para os parâmetros físicos e químicos, condições estas necessárias para a comercialização no mercado interno e externo.

Qualidade  XE "Qualidade" - Resfriamento  XE "Resfriamento" - Embalagens XE "Embalagens"

ESTUDO DO EFEITO DE ESFORÇOS CÍCLICOS NO COMPORTAMENTO MECÂNICO DO TECIDO VEGETAL, BATATA INGLESA (Solanum tuberosum l.)

Érika Cristina Cren e Prof. Dr. Inácio Maria Dal Fabro (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A ocorrência de esforços vibracionais em operações agrícolas constitue uma importante fonte de solicitações mecânicas reconhecidas como geradoras de danos permanentes em produtos agrícolas vegetais. Danos mecânicos em produtos vegetais recebem a denominação de bruising na literatura científica e têm sido sistematicamente estudados desde há algumas décadas, identificando-se o fator mecânico gerador desse fenômeno e ao mesmo tempo relacionando essa ocorrência com o comportamento mecânico material do orgão vegetal em questão. Conhecendo-se o comportamento elástico linear ou viscoelástico linear do material em estudo, propõe-se avaliar a influência de esforços cíclicos nas amostras vegetais. O comportamento mecânico material pode ser determinado através das constantes elásticas ou das funções viscoelásticas do material em estudo. Assim sendo, amostras de polpa de batata inglesa são submetidas a ensaios mecânicos visando determinar essas constantes em função do tempo antes e após solicitações cíclicas. Considera-se importante, a priori, fatores como frequencia, amplitude e tempo de exposição aos esforços repetitivos. Relacionou-se a ocorrência de bruising com determinadas faixas de frequência, amplitude e tempo de exposição aos esforços repetitivos. Identificou-se na literatura a ocorrência de freqüências e amplitudes de esforços cíclicos relacionados com as diversas operações agrícolas como simples ilustração do presente trabalho.

Viscoelasticidade XE "Viscoelasticidade"  - Bruising XE "Bruising"  - Batata Inglesa XE "Batata Inglesa"

ISOTERMAS DE SORÇÃO DE INULINA DE CHICÓRIA (Cichorium intybus) EM PÓ

Estela Deyrmendjian (Bolsista FAPESP), Regina Isabel Nogueira e Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O conhecimento de isotermas de sorção de umidade em um produto alimentício é importante em processos de manuseio, armazenamento e escolha de material de embalagem. Quando um material biológico é exposto a uma determinada umidade, ele reage no sentido de ajustar sua própria umidade a uma condição de equilíbrio com o ambiente. O nível de umidade que o produto alcança, quando deixado em contato com uma determinada condição atmosférica por um longo período de tempo, é definido como umidade de equilíbrio. Ela é representada através de isotermas, que consistem em curvas que descrevem a relação entre o conteúdo de umidade dos alimentos e a atividade de água (aw) para temperatura e pressão constantes. O objetivo deste trabalho foi determinar as isotermas de sorção para a inulina de chicória em pó. Foi utilizado o método gravimétrico estático, com soluções salinas saturadas em água destilada, para uma faixa de atividade de água de 0,1116 a 0,8434, nas temperaturas de 25°C, 35°C e 45°C. Os valores de umidade de equilíbrio estão na faixa de 0,0197 a 0,8444 g/g matéria seca. Foi observado que a umidade de equilíbrio aumenta com a elevação da atividade água e diminui com o aumento da temperatura.

Umidade de equilíbrio XE "Umidade de equilíbrio"  - Produtos desidratados XE "Produtos desidratados"  - Ingrediente XE "Ingrediente"

SECAGEM POR ATOMIZAÇÃO DE EXTRATO DE INULINA DE CHICÓRIA (Cichorium intybus)

Estela Deyrmendjian (Bolsista FAPESP), Regina Isabel Nogueira e Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A chicória, (Cichorium intybus L), é uma planta de significativo potencial econômico porque suas raízes contêm um frutoligossacarídeo chamado inulina, que é um ingrediente usado como substituto de gordura ou açúcar. A inulina é obtida por processo de extração aquosa a partir das raízes da chicória. O extrato aquoso foi obtido a partir de chicória plantada no campo experimental do CPQBA/UNICAMP. O extrato de chicória concentrado foi armazenado em freezer para prevenir deterioração, até a realização da secagem em spray drier. O objetivo deste trabalho foi estudar através da metodologia de superfície de resposta (RSM), o efeito combinado dos parâmetros de secagem por atomização como temperatura e porcentagem de ingredientes na retenção de inulina de chicória, expressa como a razão da massa de inulina na alimentação e a massa de inulina no pó. Os testes de secagem foram conduzidos no equipamento LAB PLANT SPRAY DRIER, modelo SD04. Os ensaios seguiram o planejamento experimental baseado na metodologia de superfície de resposta,.as variáveis independentes foram: temperatura de entrada e saída (Ti/To) e porcentagem de ingrediente adicionado (%material de parede). A faixa estudada foi de 116 a 214°C, e ingrediente de 0 a 30%, em relação à massa de extrato utilizada. Foram utilizados ingredientes comerciais, como a maltodextrina DE10 e em amido modificado, fornecidos pela Cia Lorenz. Utilizando a metodologia de superfície de resposta associada ao planejamento fatorial para análise do processo de secagem por atomização de extrato aquoso de chicória, foi possível estabelecer a faixa ótima de operação e os modelos matemáticos para predizer rendimento de processo e retenção de inulina no produto em pó coletado a partir de formulações com mistura de amidos hidrolisado e modificado.

Metodologia de superfície de resposta  XE "Metodologia de superfície de resposta" - Substituto de gordura XE "Substituto de gordura"  - Spray drier XE "Spray drier"

LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO DOS TALHÕES DO CAMPO EXPERIMENTAL DA FACULDADE DE ENGENHARIA AGRÍCOLA

Fabiane Shitakubo (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Antônio Ludovico Beraldo (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O levantamento topográfico é um conhecimento fundamental para a viabilização de um projeto num determinado local, já que este trabalho oferece uma descrição detalhada do terreno e permitiria assim um melhor planejamento e aproveitamento da área disponível. Neste trabalho, foi realizado o levantamento topográfico nos diversos talhões existentes no campo experimental da Faculdade de Engenharia Agrícola, aplicando-se os conhecimentos da topografia convencional em conjunto com o sistema de GPS (Global Positioning System). A Engenharia Agrícola vem explorando cada vez mais o uso do geoposicionamento por GPS principalmente nas áreas de Topografia, Mecanização e Agricultura de Precisão, já que os dados provenientes deste sistema oferecem um erro bem menor. Desse modo, a associação do geoposicionamento por GPS com a Topografia oferece um levantamento topográfico mais preciso, especialmente em áreas muito grandes, pois neste caso a curvatura do globo é considerada na hora da tomada das medidas.

Topografia XE "Topografia"  - Geoposicionamento XE "Geoposicionamento"  - Sistema de GPS XE "Sistema de GPS"

VARIABILIDADE ESPACIAL DA PRODUTIVIDADE E NUTRIENTES ABSORVIDOS PELA CULTURA DE CANA-DE-AÇÚCAR VISANDO A AGRICULTURA DE PRECISÃO

Fábio Ceciliato Momberg de Oliveira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Jansle Vieira Rocha (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A concorrência mundial pode afastar do mercado produtores obsoletos. Dessa forma, é essencial para o agricultor ter bom conhecimento das necessidades de sua cultura e ficar atento as novas tecnologias aplicadas, como a agricultura de precisão. O elevado preço dos insumos agrícolas, faz com que métodos de avaliação das necessidades nutricionais da cultura sejam cada vez mais utilizados, dentre os mais importantes métodos destaca-se a análise foliar da planta. O presente projeto de pesquisa visa a obtenção de dados de nutrientes absorvidos em cana-de-açúcar de dois talhões, por meio do método de análise foliar. De acordo com SAMUELS (1969), a expressão análise foliar na cultura da cana-de-açúcar já é consagrada pelo uso, não se limitando apenas às análises de folhas mas sim à análise de qualquer tecido da planta, desde que o objetivo seja o de prever o estado e as necessidades nutricionais. O estado nutricional da cultura será comparado com índices de produtividade obtidos através de amostragem em campo e dados de sensoriamento remoto, afim de verificar a correlação estatística.

Cana-de-açúcar XE "Cana-de-açúcar"  - Produtividade XE "Produtividade"  - Cultura XE "Cultura"

AVALIAÇÃO DA BIOESPUMA® COMO SUBSTRATO PARA PRODUÇÃO DE MUDAS DE EUCALIPTO EM SISTEMA HIDROPÔNICO

Fabricio Leardini Miloni (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sylvio Luís Honório (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

A produção de mudas é uma das etapas decisivas para o sistema de produção de mudas florestais como o Eucalipto. A avaliação da influência do substrato, bioespuma® (poliol à base de óleo de mamona ? fonte de matéria-prima renovável e biodegradável), nesta etapa, através de testes de germinação e desenvolvimento da plantula, em laboratório, seguido de confirmação no sistema hidropônico, permitiu conclusões sobre o uso do substrato. Na primeira etapa foi realizado o teste de germinação sobre a bioespuma e testemunha em papel de germinação. Posteriormente, foram produzidas, mudas de três espécies (Eucalyptus grandis, Eucalyptus dunnii, Eucalyptus saligna) em bioespuma® e foram levadas às bancadas montadas para sistema de produção hidropônico em ambiente protegido (estufa) onde as plantas recebiam solução nutritiva. Os dados obtidos representam o percentual de sementes que germinaram e ao atingirem 90 dias as mudas prontas para serem levadas para o campo foram medidas no seu comprimento, diâmetro do colo, peso seco da parte aérea e radicular. Os resultados permitiram conhecer as propriedades da bioespuma® como substrato na produção de mudas de eucalipto para reflorestamento que são utilizadas, principalmente, pela indústria de papel e celulose. A bioespuma® tem a vantagem de ser um produto biodegradável, portanto a muda enraizada vai direto para o campo sem a necessidade dos tubetes plásticos, é também um produto de matéria-prima e produção nacional, portanto economicamente mais viável. Assim, a bioespuma® pode ser utilizada como substrato para a produção de mudas de eucalipto em sistema hidropônico.

Bioespuma XE "Bioespuma"  - Substrato XE "Substrato"  - Hidroponia XE "Hidroponia"

PROJETO DE UM DISPOSITIVO DE AUXÍLIO AO TRANSPORTE MANUAL DE CACHOS DE BANANA NO INTERIOR DO TALHÃO

João Paulo da Rocha Melchiades (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Roberto Funes Abrahão (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O transporte de cachos de banana no interior do talhão é feito manualmente por trabalhadores que carregam esses cachos nos ombros, sendo que o peso médio de cada cacho está em torno de 34 kg. Do ponto de vista da ergonomia esse trabalho é feito de forma incorreta, sendo potencialmente causador de distúrbios músculo-esqueléticos: o carregamento é assimétrico, a carga é excessiva e o transporte é feito em condições ambientais desfavoráveis. Além disso, o transporte manual, nas condições feitas atualmente, acaba causando danos físicos por injurias mecânicas ao fruto, diminuindo seu potencial de comercialização. Este trabalho pretende aplicar técnicas de engenharia de projeto, guiadas por parâmetros ergonômicos, no desenvolvimento de propostas viáveis ao problema do transporte manual de cachos no interior do talhão da cultura de banana. Utilizando recursos de modelagem virtual e cálculo estrutural computadorizado, relacionados a conceitos de antropometria e biomecânica, pretende-se estudar uma forma adequada e viável de se efetuar esse trabalho, seja do ponto de vista ergonômico, seja do ponto de vista da proteção do fruto contra injúrias mecânicas.

Transporte XE "Transporte"  - Banana XE "Banana"  - Ergonomia XE "Ergonomia"

CARACTERIZAÇÃO REOLÓGICA DO EXTRATO DE INULINA DE CHICÓRIA (Cichorium intybus L)

João Roberto Piovesana Ramalho (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador) e Enga. Juliana Tófano de Campos Leite (Co-orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A inulina pode ser identificada como um modificador reológico, sendo utilizado como substituto de açúcar e de gordura sem incremento calórico. A utilização do extrato de inulina já é bastante difundida em países da Europa, nos EUA e no Canadá. No Brasil, entretanto, há carência de estudos nessa área. Alguns autores observaram que o extrato líquido de inulina, ao ser resfriado, sofre uma separação de fases: a primeira, sobrenadante, mais diluída, e a segunda, precipitada, mais espessa. Assim, o abaixamento de temperatura pode ser um fator importante no processo de concentração do extrato. O objetivo desse trabalho foi caracterizar reologicamente as duas fases do extrato de inulina obtidas após três condições diferentes de abaixamento de temperatura: resfriamento a 8oC e congelamento a -10oC e ?15ºC, sendo que do precipitado foram analisadas as amostras pura e com adição de agentes microencapsulantes. Para a caracterização do precipitado foi utilizado o Reômetro Rotativo HAAKE Rotovisco 40 e para o sobrenadante foi utilizado o Viscosímetro Brookfield D-II, e a partir dos dados gerados por esses equipamentos estudou-se a validade dos modelos reológicos Casson, Herschel-Bulkley e Lei da Potência.

Viscosidade XE "Viscosidade"  - Precipitado XE "Precipitado"  - Sobrenadante XE "Sobrenadante"

DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE SIMULAÇÃO DA TRANSPIRAÇÃO FOLIAR PARA A CULTURA DE CITROS

Jorge Lulu (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Teixeira Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A citricultura paulista vem apresentando crescente importância na economia brasileira e principalmente na paulista. O estado de São Paulo é o maior produtor de laranja do Brasil com 76.750.000 toneladas anuais. O clima como condicionante do cultivo dos citros interfere de forma decisiva em todas as etapas da cultura. Como forma de caracterizar a dinâmica hídrica na cultura de citros através da variedade Citrus sinensis Osbeck (Laranja Pêra), utilizou-se a determinação e análise de diferentes fatores e variáveis relacionados ao clima e à planta, a fim de se estudar a relação da transpiração. As medidas de transpiração foliar foram realizadas pelo sistema portátil Li-Cor 1600, fabricado pela ?Steady State Porometer?. Essas medidas foram realizadas ao longo do dia, procurando-se relacioná-las com os dados climáticos. Essas informações são fundamentais para a compreensão dos mecanismos de controle da transpiração pela vegetação local, além de oferecer informações para proposição, ajustamento e verificação do modelo de simulação da transpiração vegetal local. O modelo proposto considera que a resposta da transpiração vegetal à demanda climática esta diretamente associado ao déficit de pressão saturante de vapor de água.

Citros XE "Citros"  - Transpiração Foliar XE "Transpiração Foliar"  - Modelo de Simulação XE "Modelo de Simulação"

AVALIAÇÃO DO AUTOCONSUMO DE ALIMENTOS EM ASSENTAMENTOS RURAIS: UM ESTUDO NO ASSENTAMENTO DE SUMARÉ

Juliana Pires de Arruda Leite (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

O estudo tem como objetivo caracterizar a produção exclusiva para o autoconsumo dos Assentamentos de Sumaré I, no município de Sumaré, estado de São Paulo, fazendo uma comparação dos gêneros alimentícios consumidos pelas famílias que são produzidos no próprio lote (horta, pomar, criação de pequenos animais, etc.) com aqueles consumidos por meio da compra. A partir destas informações construir um índice de segurança alimentar em assentamentos rurais, tendo como parâmetro os gastos com alimentação e a utilização intra-familiar de produtos para autoconsumo. A caracterização socioeconômica das famílias foi feita segundo parâmetros como: renda, tamanho do lote, número de membros da família, condições de moradia e escolaridade. A seleção das famílias a serem pesquisadas teve como critérios a existência de uma cultura para o autoconsumo, o número de membros da família e a disponibilidade para o preenchimento da Caderneta de Campo. Esta Caderneta de Campo consta de duas partes: uma com os alimentos de maior consumo que são produzidos no próprio lote (com as quantidades a serem anotadas pela família) e outra com os produtos mais comprados durante o mês. Assim haverá um consumo total mensal de cada família. As quantidades (em kg) de produtos para autoconsumo serão convertidos em valores monetários, utilizando os preços de comercialização, e comparados aos produtos adquiridos no mercado.

Assentamentos XE "Assentamentos"  - Alimentos XE "Alimentos"  - Consumo XE "Consumo"

CADEIA DE DANOS FÍSICOS NA COLHEITA E TRANSPORTE DA BANANA

Juliano Quitério da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Roberto Funes Abrahão (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A colheita e o transporte de cachos de banana no interior do talhão é feito manualmente por trabalhadores que carregam estes cachos em seus ombros. Grande parte das perdas do fruto é conseqüência das injúrias mecânicas provocadas por esse transporte, sendo que sinais de danos físicos surgirão principalmente após o processo de maturação, o que diminui seu potencial de comercialização. Esse trabalho pretende estudar os fatores que resultam na cadeia de danos físicos que ocorre em colheita e transporte da banana, no interior do talhão, quantificando e qualificando tais danos de acordo com o padrão de classificação do Programa Paulista para a Melhoria dos Padrões Comerciais e Embalagens de Hortigranjeiros.

Danos físicos XE "Danos físicos"  - Banana XE "Banana"  - Transporte manual XE "Transporte manual"

UTILIZAÇÃO DE UM EQUIPAMENTO TDR (REFLECTOMETRIA NO DOMÍNIO DO TEMPO) PARA MEDIR A CONDUTIVIDADE ELÉTRICA DO SOLO

Patrick Wiens, Leandro dos Anjos Brunassi e Prof. Dr. Edson Eiji Matsura (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A irrigação por gotejamento é caracterizada pela aplicação de pequenas quantidades de água em alta freqüência e diretamente na zona radicular. Isto permite manter a umidade próxima ao limite superior de disponibilidade de água em um determinado volume do solo, denominado bulbo molhado. Estes são ainda importantes, pois, concentrarão os nutrientes aplicados via fertirrigação. Para o manejo adequado da fertirrigação, um dos parâmetros a ser monitorado é a condutividade elétrica, através do qual conhecemos se o solo está ou não salinizado. Para medidas rápidas e precisas de condutividade elétrica existe uma tendência de utilização da técnica de TDR, calibrado a partir da impedância da sonda do equipamento em água destilada. Neste trabalho, foram comparados os resultados da condutividade elétrica em um solo previamente irrigado com água destilada contendo cloreto de sódio (2 dS/m). Através do condutivímetro, utilizado como padrão, e comparados com o método de TDR, os resultados obtidos permitiram concluir a viabilidade do uso do TDR na estimativa da condutividade elétrica do solo. E que a técnica aplicada se mostrou adequada para a obtenção de medidas de condutividade elétrica em processos dinâmicos, bastante desejável em estudos do movimento da solução do solo.

TDR XE "TDR"  ? Condutividade elétrica XE "Condutividade elétrica"  ? Manejo da irrigação XE "Manejo da irrigação"

AVALIAÇÃO DA ESTABILIZAÇÃO DE LODOS DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS UTILIZANDO REATORES ANAERÓBIOS SEQÜENCIAIS COM AGITAÇÃO

Leonardo Franco Totti e Prof. Dr. Durval Rodrigues de Paula Júnior (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

Este trabalho propõe a implantação e avaliação de um sistema constituído de reatores anaeróbios seqüenciais (RAS) para a estabilização de lodos originários de decantadores primários e secundários de uma estação de tratamento de esgotos convencional (filtros biológicos). O principal objetivo deste trabalho consiste em realizar estudo comparativo da estabilização de lodos utilizando reatores anaeróbios seqüenciais com agitação (sistema B) e digestor anaeróbio convencional de câmara única (sistema C). O experimento será desenvolvido na estação de tratamento de esgotos (ETE) Carioba, da cidade de Americana, São Paulo. As instalações serão localizadas junto a essa ETE, ao lado da estação elevatória onde os lodos primários e secundários são misturados e bombeados para um digestor anaeróbio convencional, na própria ETE. O protótipo experimental será constituído por uma unidade de equalização (caixa com volume de 2.500 L) que alimentará três sistemas (A, B e C). O sistema A será composto de 5 (cinco) reatores anaeróbios seqüenciais (com volume de 1.000 L cada), com mecanismo de mistura promovido por uma bomba para recirculação do sobrenadante do último reator para o primeiro. O sistema B será composto também de cinco reatores anaeróbios seqüenciais similares aos do sistema A, diferenciando-se do anterior pelo mecanismo de mistura que será promovido por misturadores mecânicos (lentos) instalados em cada um dos reatores. O sistema C será composto de um único reator anaeróbio, com volume de 5.000 L, dotado também de misturador mecânico.

Lodos XE "Lodos"  - Esterilização XE "Esterilização"  - Esgotos XE "Esgotos"

METODOLOGIA PARA ANÁLISE DE MAPAS DE PRODUTIVIDADE DE GRÃOS

Marcelo Jacomini Moreira da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Antônio José da Silva Maciel (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

As últimas tecnologias aplicadas ao meio agrícola, permitem a prática da agricultura de precisão, com a obtenção de mapas de produtividade. Entretanto a obtenção e análise dos mapas gerados por esta tecnologia devem ser elaborados com certo critério para que não sejam obtidas conclusões que estejam distantes da realidade do campo. Este trabalho avaliou um método para análise de mapas de produtividade de grãos, gerado por um colhedora John Deere modelo 9510 equipada com o sistema Greenstar(, utilizado na propriedade Fazendas Reunidas Schlatter, localizada na Rodovia GO-302, km 48, Município de Chapadão do Céu - GO, a análise proposta não exige a instrumentação de todas as colhedoras utilizadas na colheita, possibilitando o acesso à agricultura de precisão com menor custo. A análise feita utilizou a teoria de geoestatística, com semi-variogramas modelados como linear, esférico, exponencial e gaussiano, com o objetivo de determinar a distância entre as amostras, garantindo assim, que exista uma dependência espacial entre as amostras e desta forma os dados possam ser interpolados e gerado um mapa de superfície de contorno que represente o que realmente acontece nos intervalos de amostragem. Com as informações geradas pelos métodos geoestatísticos empregados e conhecendo a largura da faixa colhida em cada passagem da colhedora determinas o número de linhas que podem ser colhidas, porém com aquisição de dados em apenas uma delas.

Agricultura de Precisão XE "Agricultura de Precisão"  - Geoestatística XE "Geoestatística"  - Colhedora de Grãos XE "Colhedora de Grãos"

MAPEAMENTO DA VARIABILIDADE ESPACIAL DA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR POR MEIO DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS DE SATÉLITE E ANÁLISE DE COMPONENTES PRINCIPAIS

Michael Luiz Johannes Daamen (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Jansle Vieira Rocha (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A necessidade de uma maior precisão nas informações que balizam a gestão do agronegócio da cana-de-açúcar encorajou a busca por ferramentas que diminuíssem a margem de erro na previsão das colheitas. Uma das alternativas existentes é a análise de imagens de satélite devidamente trabalhadas. Este trabalho busca utilizar de técnicas de tratamento de imagens de satélite a fim de se isolar as informações de interesse na determinação da variabilidade espacial da cultura da cana-de-açúcar. Para a realização deste trabalho foram colhidas imagens do satélite LandSat ETM+ 7. Sobre ela foram executados diversos tratamentos como: o realce por contraste e filtragem de imagens; composição das imagens e análise por componentes principais. Essa técnica tem como resultado a geração de novas imagens que carregam, individualmente, diferentes níveis de informação permitindo uma análise mais detalhada apenas das características relevantes para o trabalho em questão. A comparação das informações obtidas através das imagens processadas com os mapas de produtividade das áreas de estudo irão testar a viabilidade do uso desta técnica no auxílio à previsão de safra da cultura de cana-de-açúcar.

Previsão de safra -  XE "Previsão de safra" Tratamento de imagens de satélite -  XE "Tratamento de imagens de satélite" Variabilidade espacial da cultura da cana-de-açúcar XE "Variabilidade espacial da cultura da cana-de-açúcar"

DETERMINAÇÃO DO TEOR DE UMIDADE DO TOMATE E DO PÊSSEGO PELOS MÉTODOS DIRETOS DE ESTUFA À VÁCUO E FORNO DE MICROONDAS

Patrícia Paixão Martins (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Benedito Carlos Benedetti (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O pêssego e o tomate apresentam diferentes características entre si, porém são produtos altamente perecíveis devido a grande quantidade de água em sua constituição, por isso vêm sendo bastante utilizado sob a forma de tomates e pêssegos secos. Na secagem de alimentos, um dos fatores de extrema importância para a otimização do processo é a determinação do teor de umidade. No caso específico de frutas e vegetais, há uma série de divergências entre pesquisadores sobre uma metodologia adequada a essa determinação. Em vista disso, essa pesquisa determinou o teor de umidade do tomate e do pêssego, visando precisão dos resultados e rapidez na medição, respectivamente, utilizando os métodos diretos da estufa à vácuo e do forno de microondas, estudando o melhor corte dos produtos, fatias e cubos, variando a temperatura (60, 70 e 80°C) e o tempo (de 6 a 72 horas) no caso da estufa à vácuo e a potência (alta, média-alta, média, média-baixa e baixa) e o tempo no caso do microondas. Os resultados obtidos foram bastante próximos aos pesquisados na literatura e bem coerentes com o método oficial da A.O.A.C. Para a estufa à vácuo, constatou-se o peso praticamente constante da amostra após 24 horas de aquecimento a qualquer temperatura. Para o forno de microondas observou-se melhores resultados o corte em fatias, a potência média, nove minutos para o tomate e sete minutos para o pêssego.

Tomate XE "Tomate"  - Pêssego XE "Pêssego"  - Teor de Umidade XE "Teor de Umidade."

DESENVOLVIMENTO E CONSTRUÇÃO DE PLACAS PRÉ-MOLDADAS DE COMPÓSITOS BIOMASSA VEGETAL CIMENTO AQUECIDAS ATRAVÉS DE RESISTÊNCIA ELÉTRICA

Paulo Eduardo dos Reis Cardoso (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Nos primeiros dias de vida, os pintinhos e leitões ainda não possuem a capacidade de termorregulação bem desenvolvida, por esta razão se torna necessário o uso de sistemas de conforto térmico. O estudo deste trabalho esta voltado para o sistema de placas aquecidas, onde estão sendo testados novos materiais para a confecção destas placas. Foram construídos modelos diferentes de placas, utilizando-se como material alternativo a casca de arroz, sendo que o modelo que continha apenas metade de sua composição com este material foi o que apresentou melhores resultados, pois direcionava o calor para a face superior da placa. Para otimizar o sistema foi projetado e construído um controlador eletrônico de temperatura, que monitorava a temperatura do piso e dependendo das condições do mesmo fornecia corrente elétrica para aquece-lo. Outros materiais alternativos ainda podem ser testados, para que a eficiência na transformação da energia elétrica em térmica aumente.

Compósito Biomassa Vegetal Cimento XE "Compósito Biomassa Vegetal Cimento"  - Conforto Térmico XE "Conforto Térmico"  - Controlador Eletrônico de Aquecimento XE "Controlador Eletrônico de Aquecimento"

ESTUDO DE SECAGEM EM UM SECADOR CONVECTIVO CONJUGADO DE FLUXO PERPENDICULAR E PARALELO

Rafael Augustus de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador) e Fernando Pedro Reis Brod (Co-orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O emprego da secagem no processamento de alimentos tem se tornado um hábito comum devido às vantagens que essa tecnologia traz. A redução do teor de água aumenta o seu tempo de conservação, o que permite um armazenamento controlado e, ainda, possibilita que estes sejam processados em determinada umidade que tais materiais necessitam. Após o processamento da raiz de chicória, pode-se retirar a inulina que é uma substância aplicada como ingrediente em produtos com baixas calorias e teor de gordura reduzido, atuando como substituto do açúcar ou da gordura. O presente projeto estudou o comportamento de secagem de raiz de chicória (Chicorium intybus L.) em secador convectivo conjugado de fluxo perpendicular e paralelo. Foi analisada a secagem para a configuração do secador na qual o ar secante passa paralelamente às bandejas, com duas diferentes temperaturas (30(C e 40(C) e três diferentes velocidades do ar (0,30, 0,34 e 0,36 m/s), através de um modelo empírico (modelo de Page) e de um fenomenológico (Lei de Fick). Os valores de difusividade efetiva encontrados para raiz de chicória variaram de 1,90x10-9 a 9,46x10-9 m2/s. A equação de Page apresentou um excelente ajuste e os seus parâmetros variaram de 0,0013 a 0,0154 para a constante e de 0,9225 a 1,1735 para o expoente. A energia de ativação variou de 38,8 kJ/mol a 97,3 kJ/mol.

Obs.: Submetido ao XXX Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola ? CONBEA 2001.

Difusividade efetiva XE "Difusividade efetiva"  - Energia de ativação XE "Energia de ativação"  - Equação de Page XE "Equação de Page"

ESTUDO DO EFEITO DA ADIÇÃO DA FARINHA DE BATATA NAS PROPRIEDADES REOLÓGICAS E NA QUALIDADE DO PÃO

Reinaldo Eduardo Ferreira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A partir da farinha de batata obtida no processo de secagem sob diferentes condições de temperatura (50, 60 e 70ºC) foram desenvolvidas formulações para pão utilizando farinha de trigo e farinha de batata. Tais formulações foram desenvolvidas com a finalidade de se avaliar a influência dos parâmetros de secagem em relação à farinha de batata obtida e, por conseqüência, sobre as características reológicas da massa e sobre a qualidade do pão. Nas formulações contendo farinha de batata utilizaram-se 95% de farinha de trigo e 5% de farinha de batata. Os resultados obtidos em laboratório permitiram concluir que a substituição da farinha de trigo pela de batata reduz o tempo de desenvolvimento da massa, embora não tenha ocorrido uma diferença significativa na estabilidade da massa se comparada ao padrão. A substituição da farinha de trigo pela de batata na ordem de 5% altera pouco a força da massa, sendo que com a adição de farinha de batata seca a 50(C a mistura comportou-se como muito forte. Em termos de viscosidade, pode-se observar que a adição de farinha de batata resulta num aumento da mesma, sendo que o maior valor foi obtido para a farinha de batata seca a 70(C, enquanto que o menor valor foi obtido para a batata seca a 50(C. Analisando a resistência à extensão pode-se concluir que a formulação contendo farinha de batata seca a 60(C apresentou o maior valor. Após a determinação das propriedades reológicas os pães foram classificados em termos da qualidade. A classificação foi feita de maneira subjetiva e levou em consideração aspectos internos e externos. A formulação que obteve as melhores notas foi a que utilizava farinha de batata seca a 60(C.

Panificação XE "Panificação"  - Batata XE "Batata"  - Secagem XE "Secagem"

FUNCIONAMENTO DE VENTILADORES ACOPLADOS A UM SECADOR VIBRO-FLUIDIZADO

Ricardo Gomes de Almeida (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador) e Fernando Pedro Reis Brod (Co-orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O conhecimento das características dos ventiladores é essencial para se determinar o aparelho ideal para cada tipo de situação. Assim evita-se um sistema super dimensionado que acarretará desperdícios, principalmente financeiros, ou sub ? dimensionado que poderá comprometer a eficiência do sistema. Na secagem de produtos agrícolas, a escolha do ventilador ideal é de suma importância, pois aliado ao sistema de aquecimento, pode-se atingir uma eficiência ótima de secagem, ou seja, uma ótima qualidade dos produtos processados. As curvas características de dois ventiladores centrífugos utilizados no sistema de secagem vibro-fluidizado, assim como dos dados de pressão e velocidade no sistema, foram levantadas objetivando-se determinar a faixa ideal de funcionamento no sistema de secagem. O ventilador de insuflamento apresentou um rendimento máximo de 21% e uma vazão máxima de 1,6m3/s, enquanto que o ventilador de exaustão apresentou um rendimento máximo de 50% e uma vazão máxima de 0,9m3/s. A configuração ótima de funcionamento do sistema, ventilador de exaustão em série com o ventilador de insuflamento, com o secador entre eles, se encontra quando as válvulas de controle de vazão dos ventiladores de insuflamento e de exaustão fornecem valores de vazão que variam de 0,54 a 0,61m3/s. A ser apresentado no XXX CONBEA.

Instalação em série XE "Instalação em série"  - Ventilador centrífugo XE "Ventilador centrífugo"  - Sistema de secagem XE "Sistema de secagem"

MODELO TRIDIMENSIONAL PARA ANÁLISE E OTIMIZAÇÃO ESTRUTURAL DE UM RODADO METÁLICO FLEXÍVEL PARA VEÍCULOS AGRÍCOLAS

Rogerio Tsuyoshi Fuziki (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Roberto Funes Abrahão (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Este projeto têm como enfoque principal o estudo da viabilidade estrutural da utilização de rodados metálicos elásticos em máquinas e implementos agrícolas. O trabalho toma como base trabalho anterior (MENEGASSO,1999), no qual se propôem modelos bidimensionais de rodados para utilização agrícola. O estudo em questão propõe modelos estruturais tridimensionais, tendo como objetivo dimensionar uma estrutura resistente, flexível, eficiente e dentro de limites de segurança estrutural.Foi utilizando um programa computacional baseado na teoria dos elementos finitos, ANSYS versão 5.2. Para a utilização deste pacote computacional, estruturou-se um programa caracterizando os elementos da estrutura, o material a ser utilizado, os parâmetros de otimização bem como os limites de otimização. Espera-se com isso desenvolver uma metodologia de projeto de rodados para utilização agrícola que dispensem o uso do pneumático e que possam ser concebidos conjuntamente ao projeto da máquina.

Rodado elástico XE "Rodado elástico"  - Veículos agrícolas XE "Veículos agrícolas"  - Análise estrutura XE "Análise estrutura" l

A IRRIGAÇÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO E SUA PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PAULISTA

Talita Zanquetta (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Roberto Testezlaf (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A irrigação é tida como uma das atividades econômicas que mais se utiliza dos recursos hídricos. Assim, para o correto planejamento da utilização desta técnica é necessário se ter pleno conhecimento de como ela é utilizada e de onde ela é mais necessária. O presente trabalho teve o objetivo principal de levantar a realidade da agricultura irrigada do Estado de São Paulo, analisando-se as 22 Bacias Hidrográficas que o compõem. Para tanto, utilizou-se dados presentes no Projeto LUPA (CATI ? Campinas/SP). Estimou-se a área irrigada de 8 culturas de importância econômica para o Estado: alface, algodão, arroz, café, cana-de-açúcar, feijão, laranja e milho, caracterizando-se os sistemas de irrigação utilizados, o tipo de energia adotada, tratos culturais, etc. Por fim, apresentou-se um comparativo da área total ocupada com o cultivo destas culturas e a área cultivada irrigada e suas respectivas demandas de água.

Área irrigada XE "Àrea irrigada"  - Demanda de irrigação XE "Demanda de irrigação"  - Culturas irrigadas XE "Culturas irrigadas"

Faculdade de Engenharia Civil

EFEITO DA INSOLAÇÃO NO DESEMPENHO TÉRMICO DE EDIFICAÇÕES, EM SOLO-CIMENTO E TIJOLO MACIÇO, EM FUNÇÃO DA COR EXTERNA

Aldo Roggers de Oliveira Júnior (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Lucila Chebel Labaki (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Este trabalho dá prosseguimento ao estudo experimental do efeito da cor da superfície externa no desempenho térmico de edificações. Dependendo da cor, a radiação incidente em uma determinada superfície terá uma parcela refletida e outra absorvida.A pesquisa tomou como base o trabalho de Bansal et alii, 1992, os quais estudaram, tanto experimental quanto teoricamente o efeito da cor das superfícies, porém utilizando modelos construídos em madeira, pintados de cor branca e preta. No nosso projeto, além das cores branca e preta, estaremos analisando cores intermediárias.O estudo, através da construção de módulos, em escala reduzida, está sendo realizado sob diferentes condições, a saber: i)com três aberturas para ventilação, uma das quais permite a livre penetração da radiação solar, com paredes de tijolos maciços; ii) com as mesmas aberturas ventiladas, mas com paredes de tijolos de solo-cimento; iii) com as mesmas aberturas ventiladas, mas com paredes de tijolos maciços, sem variar a sua cor externa (módulo que chamaremos de padrão). Ele estará fornecendo relações entre edificações de tijolos comuns e de tijolos de solo-cimento e da eficiência da cor externa quanto ao seu conforto térmico.

Solo Cimento XE "Solo Cimento"  - Conforto Térmico XE "Conforto Térmico"  - Cor XE "Cor"

ESTUDO E AUTOMAÇÃO DO DIMENSIONAMENTO DE ELEMENTOS ESTRUTURAIS CONSTITUÍDOS DE PERFIS LAMINADOS DE AÇO DE ACORDO COM AS NORMAS NBR8800/86 E O EUROCODE3/93

Alexandre Santos Tardin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. João Alberto Venegas Requena (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Este trabalho visou realizar uma análise criteriosa e detalhada, acompanhada de comentários e recomendações de uso da NBR8800/86 e do EUROCODE3/93, para uma comparação em seus aspectos conceituais, metodológicos e de aplicações. Com o acompanhamento de literatura especializada, deu-se ênfase a análise metodológica de dimensionamento das duas normas quanto a origem de suas formulações e uso de suas curvas de estabilidade que representam o comportamento dos elementos estruturais comprimidos. Posteriormente ao estudo comparativo foi desenvolvido um software de dimensionamento de elementos estruturais constituídos de perfis laminados de aço no qual foram utilizadas as duas normas técnicas, resultando em possibilidades de obtenções de valores distintos para cada cálculo efetuado, encontrando-se portanto as resistências de cálculo para barras submetidas à tração, compressão, flexão simples e flexão composta. A linguagem utilizada foi Obejct Pascal. Foram realizadas comparações de exemplos numéricos de dimensionamento de barras onde utilizou-se os critérios das normas já citadas, as quais têm por base o método dos estados limites. Um texto didático foi criado possibilitando seu uso por alunos de Engenharia Civil e por engenheiros projetistas.

Perfis Laminados XE "Perfis Laminados"  - Comparação entre Normas XE "Comparação entre Normas"  - Software de Dimensionamento XE "Software de Dimensionamento"

AUTOMAÇÃO TOPOGRÁFICA

Alfredo Padua Manzano (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Teresa Françoso (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Com os avanços da informática e principalmente com o advento da computação gráfica várias ciências se beneficiaram, dentre elas, a topografia e a geodesia. Esta evolução fica evidente nos equipamentos atuais: estações totais com coletor interno de dados, GPS ? Posicionamento por Satélites etc.. Produtividade em campo, cálculos e desenhos realizados com velocidade espantosa, vêm cada vez mais demonstrar que esse caminho não tem retorno. A própria automação rege conceitos e técnicas em busca de eficiência ótima nos levantamentos, visando o uso correto das informações armazenadas, o que implica em alimentar os programas com dados íntegros. Um dos problemas da automação ocorre nesta fase, pois o formato dos dados é próprio para cada fabricante, sendo necessário convertê-los de modo a ficarem compatíveis com o software topográfico. Esta etapa exige um grande conhecimento, tanto do equipamento topográfico, como do programa, a fim de planejar os procedimentos de campo. Este trabalho apresenta a análise de alguns softwares de topografia disponíveis na Faculdade de Engenharia Civil da Unicamp, enfocando principalmente os procedimentos de entrada dos dados, uma vez que alguns programas trabalham de maneira muito restrita. O resultado desta pesquisa está sendo útil principalmente durante as aulas de automação topográficas, pois após o conhecimento de como alimentar os programas, os alunos têm planejado o trabalho de campo de maneira compatível com o sistema a ser utilizado. Estas práticas permitirão que os futuros profissionais, formados pela Unicamp, adquiram seu próprio fluxo de informações, sendo capazes de analisar os programas existentes no mercado.

Automação topográfica XE "Automação topográfica"  - Softwares topográficos XE "Softwares topográficos"  - Topografia XE "Topografia"

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE ANAERÓBIO UTILIZANDO O MÉTODO DO ESCOAMENTO SUPERFICIAL NO SOLO

Andréia Emy Kajihara (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O sistema de pós-tratamento de efluente anaeróbio localiza-se na ETE Graminha da Concessionária de Água e Esgoto ? Águas de Limeira, Limeira, SP, é constituído por uma rampa de escoamento superficial com dimensões 5x45m, inclinação de 3,5%, com cobertura vegetal Tifton 85 (Cynodon). O efluente provém de 4 reatores anaeróbios de fluxo ascendente com recheio de bambu, operados com um tempo de detenção hidráulica de 3h. Por não atingir 80% de remoção de DBO (norma de lançamento ? CONAMA 20), tornou-se necessário a realização de um pós-tratamento. Escolheu-se o processo de escoamento superficial por ser de baixo custo, fácil operação e manutenção e, ter boa remoção de matéria orgânica. O sistema é operado num período de 8h/dia, com diferentes taxas de aplicação, as quais variam de 0,10 a 0,30 m3/h.m. A coleta é tipo composta realizada a cada 5m da rampa, objetivando avaliar a DQO e a DBO ao longo da rampa de escoamento superficial. As análises são realizadas segundo o Standard Methods, 18ª ed., 1995. A taxa 0,20 foi a que melhor se comportou no sistema na remoção de matéria orgânica, com remoção de DQO de 96¨% e de DBO 94%., porém o sistema também é eficaz para taxas mais altas, ex: 0,30 m3/h.m, atendendo a legislação vigente. Conclui-se portanto, que o sistema de pós-tratamento é eficiente para este tipo de efluente.

Tratamento de Esgoto XE "Tratamento de Esgoto"  - Escoamento Superficial XE "Escoamento Superficial"  - DQO XE "DQO"

PÓS TRATAMENTO DE EFLUENTE ANAERÓBIO: TRATAMENTO NO SOLO PELO MÉTODO DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL E POR IRRIGAÇÃO SUB SUPERFICIAL EM VALA DE FILTRAÇÃO MODIFICADA

Andréia Kanashiro (Bolsista PROSAB/CNPq) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O Saneamento Básico no Brasil ainda tem apresentado sérios problemas em relação ao tratamento de esgoto, o que constitui um grave problema para a saúde pública. Neste trabalho, foi verificado a eficiência no pós tratamento por irrigação sub superficial em vala de filtração modificada na primeira camada do filtro (15 cm) de efluente proveniente de filtros anaeróbios de fluxo ascendente com enchimento de bambu. Mais especificamente, estudou-se o fundamento do tratamento por irrigação sub-superficial em vala de filtração modificada, avaliando a eficiência no tratamento de esgoto pelo solo através de análises químicas e físicas no esgoto bruto e tratado, variando a vazão de entrada. Foram realizadas análises de pH, condutividade, alcalinidade, demanda química de oxigênio (DQO) e demanda bioquímica de oxigênio (DBO), baseadas nos métodos descritos no Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. A análise dos resultados nos dá a credibilidade de que o método de tratamento de efluentes através da vala de filtração com escoamento sub-superficial foi eficiente no pós tratamento de esgoto proveniente de filtros anaeróbios com recheio de bambu, sendo que a eficiência é maior quando a o tempo de retenção é maior, ou seja a baixas vazões.

Tratamento de Efluentes  XE "Tratamento de Efluentes" - Vala de Filtração Modificada  XE "Vala de Filtração Modificada" - Tratamento no Solo XE "Tratamento no Solo"

POLÍTICA DE RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: ESTADO-DA-ARTE

Ane Caroline Grisólio Machion (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Eglé Novaes Teixeira (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A tendência mundial em relação aos resíduos sólidos é a busca contínua de formas para dispô-lo adequadamente e, prioritariamente, minimizar as quantidades a serem dispostas (através de redução na fonte geradora, reutilização e reciclagem). Neste trabalho são reunidas informações que possibilitam conhecer a situação da reciclagem no Brasil, tanto nos aspectos político e econômico (viabilização de projetos de reciclagem, seus custos e suas barreiras políticas) quanto no aspecto técnico (seu planejamento, formas de implantação, operação e controle, além de permitir um estudo da reciclagem dos materiais, levantando as diversas técnicas, inclusive alternativas para sua reciclagem). Os objetivos geral e específicos, respectivamente, são o levantamento do atual estado-da-arte da Reciclagem no Brasil através do levantamento de dados sobre os programas de reciclagem de resíduos sólidos urbanos existentes e levantamento de dados sobre as formas de reciclagens existentes no Brasil para materiais provenientes de resíduos sólidos urbanos. A metodologia deste trabalho está dividida em: levantamento de dados sobre programas de reciclagem existentes no Brasil (através de levantamento bibliográfico, tanto em bibliotecas reais como virtuais e através de envio de formulários às Prefeituras Municipais); e, levantamento bibliográfico sobre reciclagem de materiais provenientes de resíduos sólidos urbanos. Como resultados pretende-se obter a real situação da reciclagem nas cidades brasileiras, levantar, na legislação pertinente, os pontos de incentivo à reciclagem e o papel da reciclagem como grande potencial de geração de empregos (fim social) e redução de impacto ambiental (fim ambiental).

Resíduos sólidos XE "Resíduos sólidos"  - Reciclagem XE "Reciclagem"  - Estado-da-arte XE "Estado-da-arte"

CUSTOMIZAÇÃO DO AUTO CAD UTILIZANDO-SE A LINGUAGEM C++ E O ObjectARX ? DIMENSIONAMENTO DE LAJES DE CONCRETO

Bruno Cardinal Duarte Campagnã (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Francisco Antonio Menezes (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O programa AutoCad é consagrado na engenharia como um ótimo ambiente de desenho. Atualmente é possível aumentar a funcionalidade do software AutoCad, incorporando ao mesmo uma série de bibliotecas que realizem tarefas específicas, não previstas no ambiente original. O objetivo deste projeto de pesquisa é a criação de uma série de rotinas que poderão ser acionadas diretamente do programa AutoCad, realizando tarefas específicas. Será utilizada a linguagem de programação C++ e a linguagem ObjectARX, especialmente projetada para o desenvolvimento de objetos do AutoCad. Como estudo de caso o bolsista deveria desenvolver rotinas para o desenho e dimensionamento de Lajes de Concreto diretamente do ambiente AutoCad, sem a necessidade de ser utilizado um software para desenho e outro para cálculos de engenharia, como é praxe atualmente.

Object ARX XE "Object ARX"  - Dimensionamento de Lajes XE "Dimensionamento de Lajes"  - AutoCad XE "AutoCad"

INTRODUÇÃO DA AUTOMAÇÃO TOPOGRÁFICA NO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA UNICAMP

Camila Maria de Paiva e Silva (Auxiliar Didático - FAEP), Eduardo Knothe (Estagiário FAEP) e Profa. Dra. Maria Teresa Françoso (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Dentro do contexto atual, devido aos crescentes avanços da tecnologia e da informática nas áreas de mensuração há necessidade de se mudar a forma de preparar os futuros engenheiros, arquitetos, geólogos e geógrafos para o mercado de trabalho. Na maior parte dos cursos de engenharia e arquitetura as tecnologias modernas têm sido apresentadas teoricamente aos alunos, entretanto, existe uma cobrança por parte dos mesmos com relação a um contato direto. Espera-se que os alunos formados na UNICAMP tenham a capacidade de modelar os problemas utilizando dados necessários para gerar informações, as quais permitirão a tomada de decisão. No novo contexto das disciplinas na área, pretende-se que os alunos não fiquem só acadêmicos, mas que gerem as informações para sua análise, elaborando o planejamento de campo, definindo o melhor método a ser empregado em função da precisão exigida para o resultado, do tempo disponível, dos equipamentos necessários etc.. Ou seja, pretende-se que o aluno aprenda a fazer, desde o planejamento, passando pela execução, até a análise dos resultados. Diante disso, o objetivo deste trabalho é apresentar a metodologia empregada para introdução da automação topográfica no curso de Engenharia Civil da Unicamp. Nesta primeira etapa, trabalhou-se com o programa DataGEOSIS da Alesi Teodolini. Foi feita uma apresentação do sistema aos alunos e elaborada uma apostila didática com comandos básicos para o trabalho com o software e com exemplos baseados em dados obtidos em campo. Como resultado obteve-se melhor desempenho dos alunos nos trabalhos em campo devido à capacitação do Laboratório de Informática com o programa de Automação Topográfica. O aluno está apto, a partir de então, a desenvolver seu próprio fluxo de informações, reconhecendo seus problemas, modelando-os e buscando novas soluções.

Automação topográfica XE "Automação topográfica"  - Software topográfico XE "Software topográfico"  - Metodologia de ensino XE "Metodologia de ensino"

ACESSIBILIDADE DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA NO CAMPUS DA UNICAMP

Camilo Kolomi Veiga D?Angelis (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Silvia A. Mikami G. Pina (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Com freqüência, as necessidades especiais do portador de deficiência física não são consideradas na fase de elaboração do projeto de edificações. São realizadas adaptações posteriores para o acesso que, ora implicam na desfiguração da proposta arquitetônica inicial, ora não contemplam as necessidades reais de acesso aos prédios. Este trabalho apresenta os resultados do estudo realizado em algumas edificações do campus universitário da Unicamp sobre as barreiras arquitetônicas existentes que impedem ou dificultam a circulação e o acesso de deficientes físicos. Embasados na literatura e na norma técnica vigente, estudou-se o acesso, desde o estacionamento até a entrada, de vários edifícios de aulas existentes no campus. Para um estudo mais detalhado foram selecionadas duas edificações, onde foram analisadas as trajetórias entre os diferentes ambientes de convivência e ensino, observando-se as respectivas barreiras arquitetônicas. A partir deste estudo, foram desenvolvidas recomendações de projeto para a adaptação das edificações estudadas e para futuros projetos.

Portadores de Deficiência Física XE "Portadores de Deficiência Física"  - Barreiras Arquitetônicas XE "Barreiras Arquitetônicas"

AVALIAÇÃO DO NMP DE COLIFORMES TOTAIS E FECAIS EM APLICAÇÕES DE LODO DE ESGOTO EM SOLO ARÁVEL

Cristiane Aparecida de Campos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O lodo, principal subproduto do tratamento de esgotos, é um insumo de baixo custo com excelentes qualidades agronômicas, por isso, a aplicação no solo é uma boa alternativa para sua disposição final. A presença de coliformes fecais indica risco potencial da presença de microrganismos patogênicos, permitindo avaliar a possibilidade de infecção a que o homem e outros animais estão expostos. Em uma série de cubas, triplicatas, contendo solo agrícola, foi aplicado lodo, proveniente de um sistema aeróbio de tratamento de esgoto sanitário, nas taxas de 0,0; 2,5; 5,0 e 7,5 toneladas de lodo base seca por hectare e com o pH do solo neutralizado , nas taxas 0,0 e 5,0. Foi analisado o número mais provável de coliformes totais e fecais no solo e, na água de infiltração, após a aplicação do lodo no solo. O método utilizado foi de tubos múltiplos, segundo a Norma L 5.202 da CETESB de 1990. Os resultados obtidos em 10 aplicações, com intervalos de 40 dias, mostraram que os níveis de coliformes fecais na água de infiltração é mínimo e, no solo superficial analisado, são mais preocupantes nas taxas 5,0 e 7,5 (tds/ha). O número de coliformes totais e fecais diminui depois de um mês de aplicação, porém, a população remanescente tende a aumentar a cada reaplicação e, no período de temperaturas mais baixas.

Lodo XE "Lodo"  - Coliformes XE "Coliformes"  - Solo XE "Solo"

MECANISMOS DE ORIENTAÇÃO PARA AUTO-CONSTRUTORES

Daniel da Rocha C. Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sílvia A. M. G. Pina (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A auto-construção de moradias é a modalidade habitacional predominantemente praticada pela população de baixa renda. Trata-se de uma solução alternativa encontrada pela população carente devido à escassez de recursos e ausência de uma política habitacional efetiva para esse segmento da população. Como conseqüência, essas construções geralmente apresentam baixa qualidade e não atendem aos aspectos mínimos de qualidade para uma moradia, tais como o conforto térmico, luminoso, acústico e funcional. Tendo em vista esta prática construtiva e a necessidade de um apoio técnico, este trabalho vem desenvolvendo um manual, um web site e um CD-ROM com orientações para o auto-construtor, enfatizando os aspectos relacionados ao projeto arquitetônico. O trabalho utiliza-se de pesquisa bibliográfica na área e de informações coletadas no projeto de pesquisa ?Transferência de Inovação Tecnológica na Auto-construção de Moradias ? TITAM", em andamento no Departamento de Arquitetura e Construção da FEC.

Auto-construção XE "Auto-construção"  - Material de apoio XE "Material de apoio"  - Orientação XE "Orientação"

ESTUDO DOS FENÔMENOS DA VENTILAÇÃO NATURAL EM EDIFICAÇÕES

Daniel Vianna Hunziker (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lucila Chebel Labaki (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A ventilação natural de uma edificação é um fator determinante para o conforto térmico, para a saúde e o bem-estar das pessoas que a freqüentam, seja uma casa, uma escola, um local de lazer ou uma indústria. O conhecimento dos mecanismos da ventilação natural, compreendida como o movimento do ar para dentro e para fora de uma edificação sob a ação das forças atmosféricas naturais, é de suma importância para o estudo do conforto térmico dos usuários de uma edificação. A possibilidade de visualização dos fenômenos relacionados à ventilação natural, tanto em edificações como em espaços urbanos, é de grande auxílio para o projetista na etapa de decisão do projeto. O presente trabalho tem como objetivo a elaboração de um software simples, na linguagem Visual Basic, para a obtenção de dados quantitativos sobre a vazão de ar em função de parâmetros de projeto. Basicamente, o software trabalha com o efeito chaminé (que ocorre por diferenças de temperatura), o efeito do vento (diferenças de pressão) e o efeito combinado desses dois eventos. O software deverá ajudar o projetista no dimensionamento de aberturas, sendo também uma excelente ferramenta de ensino de graduação. O trabalho prevê também a utilização de uma maquete para auxiliar na visualização do fenômeno e para obtenção de dados experimentais. Esta é realizada através do acionamento de um ventilador, sendo o fluxo de ar visualizado por meio de tiras de papel, que indicarão a direção de sua incidência e a visualização da direção do fluxo de ar no ambiente interno.

Ventilação natural XE "Ventilação natural"  - Conforto térmico XE "Conforto térmico"  - Software de simulação XE "Software de simulação"

ESTUDO DA ATENUAÇÃO DA RADIAÇÃO SOLAR INCIDENTE POR DIFERENTES ESPÉCIES ARBÓREAS

Dirce Maria Emi Yano (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lucila Chebel Labaki (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A vegetação urbana, de uma maneira geral, pode auxiliar na recuperação do ambiente das cidades, trazendo como benefícios a melhoria e estabilidade microclimática, pela redução das amplitudes térmicas; a redução da insolação direta, ampliação das taxas de evapotranspiração e redução da velocidade do vento, com possível direcionamento deste, além do conforto visual que proporciona. É necessário lembrar, porém, que a obtenção dos benefícios da arborização depende do adequado planejamento e manutenção da arborização; aspectos por sua vez dependem da política urbana e da administração pública adotadas. Este projeto visa o estudo da atenuação da radiação solar por diferentes espécies arbóreas a partir de dados referentes à radiação solar, temperaturas de globo e ambiente, umidade relativa. A coleta dos parâmetros ambientais é realizada com os equipamentos dispostos simultaneamente ao sol e à sombra dos indivíduos analisados para que se possa comparar as suas variações relativas. São calculadas as porcentagens de atenuação da radiação solar para cada árvore. Com esses valores e outros obtidos em projetos anteriores, procura-se catalogar as espécies arbóreas que mais atenuam a radiação solar, para que estas possam ser mais utilizadas pelos órgãos públicos municipais a fim de tornar o ambiente térmico da cidade mais confortável e prazeroso para seus freqüentadores.

Conforto térmico -  XE "Conforto térmico" Clima urbano  XE "Clima urbano" - Vegetação XE "Vegetação"

A IMPORTÂNCIA DAS INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS NA FORMAÇÃO DE ENGENHEIROS CIVIS E ARQUITETOS

Eduardo Knothe (Estagiário FAEP) e Prof. Dra. Maria Teresa Françoso (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

As Informações Geográficas têm importância fundamental dentro dos vários ramos da engenharia civil e arquitetura, seja da maneira tradicional, com uso de levantamentos plani-altimétricos ou com o os Sistemas de Informações Geográficas (SIG). O objetivo desta pesquisa é analisar como as informações adquiridas através da mensuração (topografia, geodésia, cartografia, fotogrametria e área correlatas) podem ser utilizadas em mapeamentos, edificações, estradas, barragens, saneamento, água, esgoto, viadutos, túneis, portos, canais, sistemas de irrigação, arruamentos, loteamentos, levantamento de galerias de mineração, partilha de propriedades etc. Para o desenvolvimento desta pesquisa elaborou-se um questionário contendo todos os tópicos abordados nas disciplinas da área de mensuração dos cursos de Engenharia Civil, Arquitetura, Geografia e Geologia da Unicamp, além de perguntas sobre equipamentos, softwares e produtos finais desenvolvidos como, por exemplo, mapas digitais e cartas topográficas. Este material foi encaminhado aos professores da Faculdade de Engenharia Civil da Unicamp para que assinalassem quais tópicos, produtos ou equipamentos estavam relacionados com a sua área de pesquisa. O resultado deste trabalho mostrou que a abrangência da área é muito maior do que as citadas acima, sendo um dos ramos que esta em grande ascensão devido, principalmente, ao investimento de empresas em equipamentos e softwares. Além disso, pretende enfatizar quais são os assuntos que devem ser mais explorados visando o aprimoramento dos cursos.

Informações Geográficas XE "Informações Geográficas"  ? Ensino de Topografia XE "Ensino de Topografia"  - Mensuração XE "Mensuração"

INFLUÊNCIA GRANULOMÉTRICA E MINERALÓGICA DO AGREGADO GRAÚDO NA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA

Elaine Longati (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Luiz Roberto Sobreira de Agostini (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Este trabalho objetiva encontrar uma dimensão máxima característica , aliada a uma mineralogia da região, que proporcione concretos de alta resistência, com resistências satisfatórias em função do custo e finalidade da obra. Para isso foram analisados os diâmetros máximos de 30 mm, 20 mm e 10 mm e mineralogias como o basalto, o granito e o seixo rolado. Para dar início à pesquisa foi escolhido um traço com base em trabalhos de outras bolsistas anteriormente orientados pelo Dr. Luiz Roberto Sobreira de Agostini e a partir daí as concretagens começaram a ser realizadas. Para cada concretagem foram moldados 24 corpos de prova, sendo que metade foram curados por imersão em água e metade por envolvimento em lona plástica. Os corpos de prova foram ensaiados à compressão com as idades de 3, 7, 28 e 56 dias e a partir daí os gráficos comparativos puderam ser traçados em função da dimensão máxima característica, mineralogia e cura empregada.Como ainda todos os ensaios não foram feitos não é possível chegar a uma conclusão final, mas há indícios de que o seixo rolado apresenta resistência inferior as demais mineralogias quando comparada com as respectivas idades de ensaio e que quanto menor for a dimensão máxima característica, maior será a resistência à compressão.

Concreto XE "Concreto"  - Resistência XE "Resistência"  - Compressão XE "Compressão"

AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DE COLIFORMES TOTAIS E FECAIS NO SISTEMA DE PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE ANAERÓBIO POR VALAS DE FILTRAÇÃO

Elizete Vieira Fazza (Bolsista trabalho SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O sistema de pós-tratamento de efluente anaeróbio localiza-se na ETE Graminha da Concessionária de Água e Esgoto ? Águas de Limeira, Limeira, SP, é constituído por 3 valas de filtração, variando a camada filtrante constituída de areia grossa, com alturas de 0,25m; 0,50m e 0,75m respectivamente. O efluente anaeróbio provém de 4 reatores anaeróbios de fluxo ascendente com recheio de bambu, operados com um tempo de detenção hidráulica de 3h, e por não atingir os parâmetros físicos, químicos e biológicos de remoção (norma de lançamento ? CONAMA 20), tornou-se necessário a realização do pós-tratamento, escolheu-se o processo de filtração por ser de baixo custo, fácil operação e manutenção e, ter boa remoção de matéria orgânica. O sistema é operado num período de 24 horas, com taxa de aplicação de 30 L/m2.d. A coleta é tipo composta e as análises são realizadas segundo o Standard Methods, 18ª ed., 1995. O efluente da vala 0,75m apresentou 100NMP/100mL de coliformes fecais, atendendo a Legislação, enquanto que as demais necessitam de maior estudo da taxas, ou uma desinfecção do efluente.

Tratamento de Esgoto  XE "Tratamento de Esgoto"  - Vala de Filtração XE "Vala de Filtração"  - Coliformes XE "Coliformes"

DESENVOLVIMENTO DE CLASSES VIGA E PILAR PARA AUTOCAD UTILIZANDO LINGUAGEM C++ e ObjectArx

Erick Slis Raggio Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Philippe Remy Bernard Devloo (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

Desenvolvimento das classes de objeto Viga e Pilar na Linguagem C++, visando sua interação com o AutoCad através da ferramenta ObjectArx, obtendo entidades ou primitivas base para AutoCad, mas armazenando as características físicas de Vigas e Pilares e oferecendo possibilidade de ligação para a formação de elementos compostos. A forma de união terá interface amigável para a definição dos esforços a serem transmitidos na união. Situações de apoios e deslocamentos impedidos, assim como visualização gráfica tridimensional e em volume, também serão contemplados. O desenvolvimento de tais classes tem por finalidade permitir a posterior implementação do ambiente PZ de análise estrutural por elementos finitos.

AutoCad XE "AutoCad"  - Liguagem C++ XE "Liguagem C++"  - ObjectArx XE "ObjectArx"

DIMENSIONAMENTO DO LOCAL DE ARMAZENAGEM DO RESÍDUO SÓLIDO DOMÉSTICO EM CONDOMÍNIOS VERTICAIS

Fabio de Mattos Baratella (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eglé Novaes Teixeira (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A produção de resíduos sólidos domésticos é contínua e, se nada for feito, crescente. Diante deste quadro, fica claro que sempre existirá a problemática de como lidar com os resíduos sólidos domésticos. As alternativas são muitas e, assim, o Gerenciamento de Resíduos Sólidos passa a ser uma imposição. Uma atividade deixada freqüentemente de lado, a critério de cada um, é o manejo e acondicionamento dos resíduos ainda nas residências e, quando necessário, o seu armazenamento. O objetivo deste trabalho é dimensionar o local de armazenagem do resíduo sólido doméstico em condomínios verticais, de forma a que seja possível fazê-lo com embasamento técnico-científico e o mais adequado possível. Este trabalho se mostra extremamente atual e necessário, visto que ainda não existe legislação, resolução, nem mesmo normas a respeito e os parâmetros de dimensionamento tampouco estão definidos e/ou quantificados. Para tal dimensionamento, seja qual for a solução a ser adotada, é fundamental o conhecimento do volume ocupado pelos resíduos.Primeiramente foi feita a escolha dos condomínios a serem estudados, obedecendo-se a certos critérios tais como: nível econômico dos prédios, e mesmo padrão de tamanho; para então serem feitas as análises de peso e volume dos resíduos colocados para coleta. Com os dados obtidos experimentalmente fez-se a determinação de taxas e interpretação dos resultados, permitindo a posterior determinação do volume necessário para a armazenagem dos resíduos para condomínios verticais, permitindo que a cidade possa estabelecer legislação que regulamente o armazenamento de resíduos sólidos domésticos. Recomenda-se que cada cidade procure avaliar seus próprios dados, caso contrário, que utilize estes dados apenas como referência.

Dimensionamento XE "Dimensionamento"  - Volume XE "Volume"  - Resíduos Domésticos XE "Resíduos Domésticos"

A ARQUITETURA DE RAMOS DE AZEVEDO EM CAMPINAS-SP

Francine Trevisan (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Silvia A. Mikami G. Pina (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A proposta desta pesquisa foi realizar um documento gráfico-eletrônico que reunisse e divulgasse informações sobre a obra do engenheiro-arquiteto Ramos de Azevedo em Campinas. As obras foram selecionadas de acordo com as etapas identificadas na evolução da carreira do arquiteto. Para isto foram pesquisados livros específicos e gerais de arquitetura, matérias de jornais, teses, monografias, almanaques de época, fotografias, projetos e processos de tombamento. A documentação eletrônica foi realizada através do desenvolvimento de uma home-page e de um cd-rom, nos quais são apresentados dados relativos à sua biografia, fotografias, obras e projetos realizados, bem como o contexto histórico da sua produção arquitetônica. As informações ainda são complementadas com indicação de leituras adicionais e links para cada tópico, procurando facilitar o acesso do público em geral.

Ramos de Azevedo XE "Ramos de Azevedo"  - Arquitetura XE "Arquitetura"  - História de Campinas XE "História de Campinas"

CRIAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS E MONTAGEM DE UM SITE NA INTERNET SOBRE A INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL

Gabriel Roberto Torrano Robert (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. André Munhoz de Argollo Ferrão (Orientador), Faculdade de Engenharia de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O objetivo deste trabalho é a criação de um banco de dados sobre a Indústria da Construção Civil. Com informações sobre o setor incluindo principalmente alguns trabalhos de graduação, pós-graduação, mestrado e iniciação científica realizados no âmbito da Faculdade de Engenharia Civil da Unicamp nas áreas de gerenciamento e técnicas da construção civil. Tal banco de dados está catalogado e disponível num sistema gerado pelo programa Microsoft Access. A divulgação dos dados é feita no site  HYPERLINK "http://www.bancodaconstrucaocivil.hpg.com.br" http://www.bancodaconstrucaocivil.hpg.com.br, este novo site da Indústria da Construção Civil brasileira está também disponibilizando informações sobre o megasetor chamado construbusiness que envolve não só a Construção Civil mas sim todos os negócios que giram em torno dela. Qualquer cidadão que queira saber sobre tendências do setor, sobre alguns trabalhos realizados na área de gerenciamento e técnicas construtivas da Faculdade de Engenharia Civil da Unicamp, investimentos, importância na economia, sindicatos, novas técnicas e suas outras ramificações poderá acessar a página de qualquer lugar e sem nenhum custo. É importante ressaltar que o sistema gerado permite a constante atualização mesmo depois de encerrado o período da bolsa.

Construção Civil XE "Construção Civil"  - Construbusiness XE "Construbusiness"  - Banco de Dados XE "Banco de Dados"

TRANSFERÊNCIA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA AUTOCONSTRUÇÃO DE MORADIAS

Jana Viana Sorribas (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Doris C. C. K. Kowaltowski (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Este projeto consiste em prestar apoio técnico à população de autoconstrutores residentes na região de Campinas através da metodologia Automet. O objetivo é incorporar esta nova metodologia no desenvolvimento de projetos habitacionais para populações de menor poder aquisitivo de forma a propiciar a melhoria das condições de conforto e funcionalidade destas moradias. As soluções apresentadas fundamentam-se numa pesquisa e análise dos lotes e das habitações e se enquadram na tradição da autoconstrução, atendendo aos anseios dos futuros moradores. O atendimento consiste em visitas técnicas às regiões além de um plantão oferecido pela Unicamp. Até o momento, foram atendidas diretamente cerca de 85 famílias do Jardim Conceição (Souzas), além de famílias residentes no Residencial São Luís e Pirassununga. Também foram atendidos problemas e dúvidas referentes a construção solicitados por carta. Este trabalho apresenta avaliações qualitativas e quantitativas do atendimento técnico concedido até o momento. O alto nível de satisfação da população com os projetos de casas, principalmente em relação à funcionalidade, constitui o principal resultado direto desta ação social.

Apoio técnico XE "Apoio técnico"  - Autoconstrução XE "Autoconstrução"  - Habitação XE "Habitação"

PERCEPÇÃO DE RUÍDOS TRANSMITIDOS ATRAVÉS DE BARREIRAS ACÚSTICAS

Janaina Antonino Pinto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Stelamaris Rolla Bertoli (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Este projeto visa analisar a percepção de sons, provenientes de uma mesma fonte sonora, através de barreiras acústicas de características variadas. Será desenvolvido um estudo em campo aberto, na Faculdade de Engenharia Civil, da UNICAMP, para analisar o desempenho dessas barreiras acústicas. Nesse estudo, serão julgados estímulos provocados por fontes de ruído, localizadas atrás de barreiras acústicas. Na primeira parte do estudo, essas barreiras poderão ou não impedir a visão da fonte por parte do observador. Em um segundo momento, a visão do observador será totalmente obstruída. Serão realizadas medidas da capacidade de audição e observações do efeito psicológico das barreiras na percepção de níveis de ruído. Os resultados medidos serão comparados.

Ruído XE "Ruído"  - Barreira XE "Barreira"  - Acústica XE "Acústica"

TRANSPORTE DE REFERÊNCIA DE NÍVEL ? RN - PARA O CAMPUS DA UNICAMP

Jorge Camilo Trabulsi (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Rosana Maria Siqueira (FATEC), Cleide Medeiros Chaves (mestranda), Vadeir Prudente Novello (ESTEC - Prefeitura do Campus), Prof. Dr. Luiz Carlos de Almeida, Prof. Segundo Carlos Lopes (UFSCar) e Profa. Dra. Maria Teresa Françoso (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados do transporte de altitude para o campus, realizado em parceria com a Prefeitura da Unicamp, a fim de complementar o levantamento planimétrico da Rede de Referencia Cadastral da Unicamp, implantada em 1999. O transporte partiu da Referência de Nível - RN: 2884-F (Latitude: -22o45?09?; Longitude: -47o01?15? e Altitude: 593.2878 m) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ? IBGE, localizada na SP-340 (Rodovia Ademar de Barros) e foi realizado em intervalos de aproximadamente 500m de nivelamento e contranivelamento, com a chegada no Observatório a Olho Nu do campus da UNICAMP. Para os procedimentos de campo tomou-se como base as recomendações da NBR 13133/94 - nivelamento geométrico executado com nível classe 3 (precisão alta, desvio padrão ( ( 3 mm/Km), utilizando miras invar, devidamente aferidas, providas de prumo esférico, leitura a ré e vante dos três fios, visadas eqüidistantes com diferença máxima de 10 m, ida e volta em horários distintos e com Pontos de Segurança (PS) a cada Km, no máximo. A tolerância de fechamento é de 12 mm EMBED Equation.3 , onde k é a extensão nivelada em quilômetros, medida em um sentido. O ajustamento das linhas, foi executado pela distribuição do erro de fechamento pelas várias diferenças de nível obtidas pela média aritmética dos valores observados pelo nivelamento e contranivelamento, proporcionalmente as diferenças de nível. O erro médio quilométrico que define a exatidão do nivelamento geométrico duplo, após o ajustamento, foi executado segundo a NBR 13133/94. O resultado deste trabalho é relevante, pois servirá de apoio às pesquisas futuras como, por exemplo, a implantação de um Sistema de Informação Geográfica, a elaboração de uma carta geoidal etc.

Transporte de Altitude XE "Transporte de Altitude"  - Nivelamento Geométrico XE "Nivelamento Geométrico"  - Altimetria XE "Altimetria"

UTILIZAÇÃO DA FOTÓLISE E FOTOCÁLISE HETEROGÊNEA COMO MÉTODOS ALTERNATIVOS DE DESINFECÇÃO DA ÁGUA-CARACTERIZAÇÃO DA ÁGUA SINTÉTICA

Juliana Falson Cavalca (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Roberto Guimarães (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A desinfecção prévia de águas residuárias e de abastecimento público é de fundamental importância para o consumo humano, pois confere à água características de potabilidade e boa aparência ao eliminar as impurezas presentes. Este trabalho, consiste basicamente em preparar a água sintética, caracterizando-a através de variáveis químicas e físicas, a fim de realizar testes de desinfecção do colifago e da bactéria Clostridium perfringens, utilizando os processos fotocalítico e fotolítico. A partir da preparação da água padronizada ( água sintética ) e de sua caracterização através de variáveis químicas e físicas: cor aparente e verdadeira, turbidez, alcalinidade, condutividade, temperatura, absorvância e pH, e posterior adição de microorganismos, foi possível realizar testes para verificar a eficiência dos reatores. Comparando o comportamento dos reatores de fotocalálise heterogênea e fotólise observou-se que o reator de fotocatálise apresentou melhor desempenho na remoção dos microrganismos estudados. Entretanto esse fato é observado para menores tempo de detenção . Com maiores tempo de detenção, não há diferença significativa entre os desempenhos dos dois reatores. Outros tipos de análises podem ser feitas de acordo com o microrganismo e água utilizada.

Desinfecção -  XE "Desinfecção" Água sintética -  XE "Água sintética" Colifago e Clostridium perfrigens XE "Colifago e Clostridium perfrigens"

AVALIAÇÃO DE CONFORTO TÉRMICO E LUMINOSO EM EDIFICAÇÕES ESCOLARES UNIVERSITÁRIAS

Karina Lelli (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Stelamaris Rolla Bertoli (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Esse trabalho trata da avaliação de conforto térmico e luminoso em prédios utilizados para ministrar aulas na universidade. Serão avaliados dois prédios novos da UNICAMP, primeiramente o Ciclo Básico II, que vem recebendo críticas por parte dos usuários (alunos e professors), e também o prédio de salas de aula da Faculdade de Engenharia Civil, que vem recebendo elogios pelas condições térmicas e luminosas. A avaliação de conforto térmico sera feita através do método de Fanger, que utiliza os parâmetros: temperatura do ar, umidade relativa do ar, velocidade relativa do ar (velocidade do ar em relação ao indivíduo), temperatura radiante média do ambiente, vestimenta trajada pelo indivíduo e metabolismo do indivíduo (função da atividade). Para as medidas de temperatura e velocidade do ar, respectivamente serão utilizados os equipamentos: termômetro de globo, termômetro de bulbo seco, de bulbo úmido e um anemômetro. A avaliação de conforto luminoso levará em conta as variáveis que influem no conforto como: níveis de iluminação recomendado para a tarefa visual, níveis de iluminação observados, uniformidade e níveis de contraste, distâncias entre o usuário e o objeto, que afetam a visibilidade, existência de ofuscamentos, uso das cores nas superficies, elementos externos e internos de proteção da insolação direta e iluminação artificial suplementar. Os níveis de iluminação serão medidos com luxímetro.

Iluminação XE "Iluminação"  - Conforto térmico XE "Conforto térmico"  - Edificações XE "Edificações"

PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTE ANAERÓBIO UTILIZANDO O MÉTODO DE ESCOLAMENTO SUPERFICIAL NO SOLO: AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DE HELMINTOS

Maria Rosa Mitsuko Ogawa (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Ana Carolina S. de Souza (Bolsista SAE/UNICAMP), Marta S. Guilherme Pires (Doutoranda) e Silvana T. Broleze (Aperfeiçoamento Técnico), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O método de escoamento superficial (?overland flow?) tem sido usado como uma alternativa para o pós-tratamento de esgoto. O objetivo desta pesquisa é avaliar a remoção de helmintos e protozoários em uma rampa de escoamento superficial. As análises foram feitas no efluente líquido e na gramínea Tifton 85 úmida. Foram usadas duas taxas de aplicação, para o efluente líquido 0,25 m3/h.m e para a grama 0,275 m3/h.m. As dimensões da rampa de escoamento superficial são: 4,5 de largura por 45 m de comprimento, com uma inclinação de 3,5%. Esta rampa recebe o efluente líquido, após o filtro anaeróbio, por toda sua extensão. A análise para quantificação de ovos foi feita usando metodologia CETESB (L.5.550). Os patógenos mais encontrados foram cistos de Giardia sp., Entamoeba sp., ovos de Ascaris sp., Schistosoma sp. e larvas. Nos resultados obtidos, as amostras do efluente líquido coletadas na entrada da rampa apresentavam maior número de organismos patogênicos do que as da saída, indicando uma redução de 85%. As amostras da grama foram coletadas a cada 10 m, sendo que a faixa de 25-35 m foi a que apresentou maior concentração de patógenos. Pode-se concluir que este sistema pode ser usado como pós-tratamento, na remoção dos patógenos.

Escoamento superficial XE "Escoamento superficial"  - Filtro anaeróbio XE "Filtro anaeróbio"  - Patógenos - pós-tratamento XE "Patógenos - pós-tratamento"

PÓS-TRATAMENTO NO SOLO DE EFLUENTE SANITÁRIO PELO MÉTODO DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL

Mario Tamessawa Jr. (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Este projeto de pesquisa visa dar continuidade a bolsa de iniciação científica, já concedida pela Pró-Reitoria de Graduação ? SAE/UNICAMP, no exercício de 1999, no estudo de pós-tratamento no solo de efluentes sanitários pelo método do escoamento superficial, direcionado para a avaliação e remoção do nitrogênio e fósforo. Para atingir tal objetivo, foi instalado na estação de tratamento de esgoto do Bairro Graminha, Limeira, Estado de São Paulo, um sistema de pós-tratamento de esgotos denominado escoamento superficial. A área experimental pertence à empresa de tratamento de água e esgotos "Águas de Limeira". É apresentado como um sistema alternativo de baixo custo para o tratamento de esgotos domésticos. Neste trabalho serão verificados os parâmetros de remoção de matéria orgânica, N e P do efluente tratado. Será pesquisado o desempenho do escoamento superficial como pós-tratamento dos efluentes líquidos dos filtros, com recheio de bambu e esgoto bruto, buscando conseguir um aumento global no desempenho do sistema associado. O método será avaliado através dos índices técnicos exigidos pela legislação quanto a remoção de nitrogênio e fósforo.

Esgoto XE "Esgoto"  - Escoamento superficial XE "Escoamento superficial"  ? N e P XE "N e P"

ANÁLISE DO CONFORTO AMBIENTAL DAS MORADIAS AUTOCONSTRUÍDAS

Milton Kazuhiro Sanae (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Stelamaris Rolla Bertoli (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

Este projeto consiste em avaliar o conforto ambiental das moradias autoconstruídas no bairro Jardim Conceição ( distrito de Sousas, em Campinas ) e que aplicaram a metodologia AUTOMET. Esta avaliação será feita através de medidas de parâmetros acústicos, térmicos e de iluminação que serão executadas nas casas nos períodos de verão e de inverno. Para efeito de comparação, serão avaliadas também as casas construídas com base nos projetos da COHAB. Após coletados os dados de campo, serão feitos estudos para verificar os níveis de conforto e apresentadas sugestões para possíveis melhorias das condições das moradias.

Conforto XE "Conforto"  - Moradia XE "Moradia"  - Autoconstrução XE "Autoconstrução"

DETERMINAÇÃO DE MATERIAL PARTICULADO NA ATMOSFERA EMPREGANDO A FLUORESCÊNCIA DE RAIOS X POR REFLEXÃO TOTAL (TXRF)

Paula Peraçoli Nogueira de Almeida (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra Silvana Moreira Simabuco (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Na região de Campinas é tradicional a queima da cana-de-açúcar antes do seu corte manual. Desse modo, há formação de material particulado, contendo S, K, Ca, Fe, Cu, Zn, entre outros. Além dessa fonte, nesta região se concentram indústrias metalúrgicas, originando material de periculosidade não definida, devido à falta de dados quantitativos. Este trabalho avaliou a concentração de aerossóis na cidade de Campinas, empregando a técnica de fluorescência de raios X por reflexão total com excitação por radiação síncrotron (SR-TXRF). Para a calibração do sistema foram utilizadas soluções padrão, acrescidas de um padrão interno. Foi calculado, também, o limite mínimo detectável (LMD), obtendo-se valores entre 63,8 e 0,3 ng.m-3 para a série K, enquanto que para a série L, os valores variaram entre 8,9 e 0,9 ng.m-3. As amostras de aerossóis foram coletadas em filtros de policarbonato, com o auxílio de um sistema de filtração sequencial para particulado fino e grosso. A seguir os filtros foram colocados em um banho de ultra-som, com adição de ácido nítrico e clorídrico. O material resultante foi recuperado em 10 ml de água deionizada. Em seguida, foi adicionado 100 (l de Ga, e finalmente, 5 µl da solução foi então pipetada no suporte e, secas com lâmpada infra-vermelho, para posterior análise.

Material Particulado XE "Material Particulado"  - Fluorescência de Raios X XE "Fluorescência de Raios X"  - Reflexão Total XE "Reflexão Total"

CUSTOMIZAÇÃO DO AUTOCAD, UTILIZANDO-SE O VISUAL C++ E O ObjectARX PARA O PROJETO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS

Paulo Cesar Francisco (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Francisco Antônio Menezes (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Sendo o AutoCAD uma ferramenta consagrada no desenvolvimento de projetos nas diversas áreas da engenharia, é de grande utilidade o aumento de sua funcionalidade. A proposta desse trabalho é justamente a ampliação dos recursos existentes originalmente nesse software, utilizando-se a linguagem C++ e o ObjectARX para a criação de objetos dentro do AutoCAD que auxiliem no dimensionamento e desenho de sistemas prediais de abastecimento de água fria. A utilização da linguagem Visual C++ em conjunto com o ambiente de desenvolvimento de bibliotecas denominado ObjectARX tornará possível a criação e utilização dos objetos criados naquela linguagem diretamente no AutoCAD, permitindo que os cálculos científicos de dimensionamento hidráulicos de um sistema de instalações prediais sejam feitos no próprio ambiente de desenho, sem necessidade de se recorrer a programas auxiliares, como é praxe atualmente.

Bibliotecas ObjectARX XE "Bibliotecas ObjectARX"  - Automatização de instalações prediais XE "Automatização de instalações prediais"  - Projeto Hidráulico XE "Projeto Hidráulico"

O USO DA TECNOLOGIA DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA MEDIADA POR COMPUTADOR ? EDMC ? NO ENSINO DE ECONOMIA DOS TRANSPORTES

Paulo Marcelo Opsfelder Dalfré (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Orlando Fontes Lima Júnior (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A educação à distância vem assumindo papel de destaque no processo educativo e devido a importância e atualidade do tema, tem despertado grande interesse entre a comunidade acadêmica. Neste trabalho, montou-se com base nessas metodologias modernas, estratégias pedagógicas que procuraram desenvolver nos alunos os principais objetivos e todo o conteúdo da disciplina Economia dos Transportes EC-021. Com a utilização do software WebCT (World Wide Web Course Tools), o modelo de educação à distância veio a complementar a estrutura pedagógica do curso presencial, propiciando aos alunos e ao educador um canal eficaz de troca permanente de informações no processo de aprendizado. O curso on-line possui materiais didáticos como textos, ilustrações, calendário, exercícios, lista de discussões e outras ferramentas que maximizaram o aprendizado dos alunos sobre o conteúdo da disciplina Economia dos Transportes EC-021.

Educação XE "Educação"  - Distância XE "Distância"  - Transportes XE "Transportes"

MAQUETES ESTRUTURAIS APLICADAS À ARQUITETURA

Paulo Roberto Carvalho Tavares (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Francisco Antonio Menezes (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O projeto consiste em desenhar e construir modelos didáticos de alguns sistemas estruturais, possibilitando o bolsista vivenciar o funcionamento dos modelos a serem estudados e construídos, preparando-os como material pedagógico para as disciplinas do curso de Arquitetura e Urbanismo e de Engenharia Civil. Assim, uma diferente concepção de maquete é proposta ? Maquete Estrutural ? fazendo dos modelos não somente representações de determinado objeto, mas realmente instrumento de estudo e aprendizado do comportamento de diferentes sistemas estruturais que compõe as edificações. Ainda, as relações entre os sistemas estruturais e o espaço urbano são abordadas procurando relacionar as tipologias edificadas e os correspondentes sistemas que elas apresentam. Numa extensão do projeto o bolsista procurará identificar em obras prontas, os sistemas estruturais utilizados.

Sistemas Estruturais XE "Sistemas Estruturais"  - Modelos Didáticos XE "Modelos Didáticos"  - Maquetes estruturais XE "Maquetes estruturais"

EFEITO DE ALTAS TEMPERATURAS NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO CONCRETO: RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO, RESISTÊNCIA À TRAÇÃO E MÓDULO DE DEFORMAÇÃO

Priscilla dos Santos Doro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Armando Lopes Moreno Jr. (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A pesquisa tem como principal objetivo um estudo experimental sobre o comportamento do concreto quando submetido à temperaturas elevadas. O trabalho utilizou um concreto de uso comum na região de Campinas, que foi submetido às temperaturas de 300oC, 600oC e 900oC, de maneira a avaliar prováveis alterações na resistência à compressão, na resistência à tração e no módulo de deformação. Foram moldados 198 corpos de prova, que após sofrerem a elevação de temperatura foram divididos em dois grupos, um sendo resfriado lentamente e outro sendo resfriado rapidamente. Esse procedimento nos deu resultados relativos à influência do tipo de resfriamento nas propriedades do material. Os corpos de prova submetidos às altas temperaturas e resfriados lentamente foram parte imersos em água e parte envoltos em filme plástico. Cada parte correspondente foi avaliada, em relação às propriedades do concreto pesquisadas, com as idades dos corpos de prova de 28, 56, 112 e 224 dias após o resfriamento lento. Os resultados obtidos foram comparados com os dados dos corpos de prova ensaiados sem sofrer qualquer elevação de temperatura e com trabalhos anteriormente publicados.

Concreto XE "Concreto"  - Altas temperaturas XE "Altas temperaturas"  - Propriedades mecânicas XE "Propriedades mecânicas"

AVALIAÇÃO DAS VALAS DE FILTRAÇÃO COMO MÉTODO DE PÓS-TRATAMENTO DE EFLUENTES ANAERÓBIOS

Priscilla Zuconi Viana (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Segundo a NBR 13969/1997, vala de filtração pode ser definida como vala escavada no solo, preenchida com meios filtrantes e provida de tubos de distribuição de esgoto e de coleta de efluente filtrado, destinada à remoção de poluentes através de ações físicas e biológicas sob condições essencialmente aeróbias. O sistema de filtração caracteriza-se por permitir nível elevado de remoção de poluentes. Pode-se utilizá-lo quando o solo ou as condições climáticas do local não recomendam o emprego da vala de infiltração, quando a legislação sobre as águas dos corpos receptores exige alta remoção dos poluentes dos efluentes do tanque séptico e quando for considerado vantajoso o aproveitamento do efluente tratado, sendo adotada como unidade de pós-tratamento. O projeto teve como finalidade o estudo em escala real de valas de filtração, como método pós-tratamento de efluentes de filtros anaeróbios, com variação da altura da camada filtrante de areia (0,25; 0,50 e 0,75 m) e aplicação contínua das taxas hidráulicas do efluente no intervalo de 25 a 40 l/m2.dia. Na avaliação da eficiência total do sistema foram analisados vários parâmetros, entre eles DBO (eficiência de 86%), DQO (92%) e sólidos suspensos totais (92%). Observou-se que o escoamento real das valas teve uma tendência ao escoamento pistonado.

Vala de Filtração XE "Vala de Filtração"  - Pós-Tratamento XE "Pós-Tratamento"  - Efluentes XE "Efluentes"

VERIFICAÇÃO DA FERRAMENTA COMPUTACIONAL AUTOMET PARA GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE HABITAÇÃO POPULAR

Raquel Taira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dra. Regina Coeli Ruschel (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A ferramenta AutoMET, desenvolvida no DAC-FEC-UNICAMP, gera de forma automatizada projetos arquitetônicos de casas populares utilizando os recursos de CADD (Computer Aided Drafting and Design). O presente trabalho teve como objetivo principal implementar correções sobre a ferramenta para possibilitar o seu uso seguro por prefeituras e companhias de habitação popular. Um objetivo secundário foi o desenvolvimento de uma versão ?demo?, com funcionalidade reduzida, para demonstração ao potencial usuário do seu funcionamento e do produto final oferecido. A metodologia utilizada para a correção da AutoMET foi a implementação de um programa teste para a simulação de execução exaustiva da ferramenta. Este programa teste simulou a execução da ferramenta de forma ordenada para obter uma variedade máxima de projetos. A ferramenta foi analisada pelo produto gerado, i.e., ante-projetos, maquetes tridimensionais e projetos legais. Uma nova versão da ferramenta livre de erros foi gerada e denominada AutoMET2000. Esta nova versão já está disponível para uso no departamento e em convênios programados. A versão ?demo? será disponibilizada no website  HYPERLINK "http://www.fec.unicamp.br/~projconf" http://www.fec.unicamp.br/~projconf.

CAD XE "CAD"  - Programação XE "Programação"  - Habitação XE "Habitação"

DESENVOLVIMENTO DE PÓS-PROCESSAMENTO GRÁFICO PARA PROGRAMA DE ELEMENTOS FINITOS

Renato Gomes Damas (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Philippe Remy Bernard Devloo (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Uma das dificuldades dos programas de elementos finitos está na interpretação dos dados de saída. Quando há necessidade de analisar uma grande quantidade de dados o pós-processamento se torna demorado e dificultoso. O pós-processamento gráfico permite a rápida visualização do fenômeno, facilitando sua análise e entendimento. Para implementação do pós-processamento gráfico existe a possibilidade de utilização de pacotes computacionais de visualização, ou criar um código próprio. O objetivo deste trabalho é desenvolver módulos de visualização específicos para programas de Elementos Finitos utilizando o Data Explorer(DX), que é um ambiente de visualização. Sua interface gráfica orientada por objeto é intuitiva e de fácil uso. Dados dificilmente estudados sem recursos de visualização podem ser explorados ao máximo, usando-se as inúmeras associações possíveis de serem feitas com as diversas ferramentas presentes no DX. Usando o DX, o pesquisador pode visualizar seus dados, inclusive com recursos de animação, enriquecendo ainda mais a análise. Outro aspecto a ser destacado é que o código do DX é de domínio público, possibilitando a customização e criação de novos módulos.

Elementos Finitos  XE "Elementos Finitos" - Visualização  XE "Visualização" - Programação XE "Programação"

ESTUDO E AUTOMAÇÃO DO DIMENSIONAMENTO DE ELEMENTOS ESTRUTURAIS CONSTITUÍDOS DE PERFIS LAMINADOS DE AÇO DE ACORDO COM AS NORMAS NBR8800/86 E LRFD/94

Renato Henrique Ferreira Branco (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. João Alberto Venegas Requena (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Este trabalho visou realizar uma análise criteriosa e detalhada, acompanhada de comentários e recomendações de uso da NBR8800/86 e do LRFD/94, para uma comparação em seus aspectos conceituais, metodológicos e de aplicações. Com o acompanhamento de literatura especializada, deu-se ênfase a análise metodológica de dimensionamento das duas normas quanto a origem de suas formulações e uso de suas curvas de estabilidade que representam o comportamento dos elementos estruturais comprimidos. Posteriormente ao estudo comparativo foi desenvolvido um software de dimensionamento de elementos estruturais constituídos de perfis laminados de aço no qual foram utilizadas as duas normas técnicas, resultando em possibilidades de obtenções de valores distintos para cada cálculo efetuado, encontrando-se portanto as resistências de cálculo para barras submetidas à tração, compressão, flexão simples e flexão composta. A linguagem utilizada foi Obejct Pascal. Foram realizadas comparações de exemplos numéricos de dimensionamento de barras onde utilizou-se os critérios das normas já citadas, as quais têm por base o método dos estados limites. Um texto didático foi criado possibilitando seu uso por alunos de Engenharia Civil e por engenheiros projetistas.

Perfis Laminados XE "Perfis Laminados"  - Comparação entre Normas XE "Comparação entre Normas"  - Software de Dimensionamento XE "Software de Dimensionamento"

ASSOCIAÇÃO HISTÓRICA DOS 35 ANOS DA UNICAMP AO ESPAÇO GEOGRÁFICO UTILIZANDO UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

Alfredo Padua Manzano (Bolsista PIBIC/CNPq), Roberto Kenji Fujimoto, Cleide Medeiros Chaves (mestranda) e Profa. Dra. Maria Teresa Françoso (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O resgate da história, dos costumes e o cotidiano de uma comunidade visam construir a identidade local, desenvolvendo a cidadania. Neste sentido, os alunos da disciplina eletiva ?EC-991 ? Topografia para Prefeitura? do curso de engenharia civil da Unicamp, desenvolveram um trabalho objetivando fazer um resgate histórico dos 35 anos da Unicamp. A eficiência deste resgate foi valorizada através da utilização de um Sistema de Informação Geográfica ? SIG, o qual permitiu vincular a informação com a localização geográfica dentro do campus. Consultando o banco de imagem do Sistema de Arquivos da universidade - SIARQ, selecionou-se as fotos mais representativas ao tema e através de hiperlinks e links fez-se a associação a um mapa artístico do campus. Como resultado pode-se observar que, mesmo considerando o valoroso trabalho do SIARQ quanto a preservação das imagens através da construção de um banco de imagens, é interessante destacar a localização onde tais eventos ocorreram (por exemplo, a comunidade acadêmica não tem conhecimento do local onde foi colocada a ?Pedra Fundamental? no campus). O SIG apesar de ter sido criado para atender as necessidades de áreas como cartografia, planejamento urbano, geologia etc., apresentou-se bastante útil para estruturação de fatos históricos.

Resgate histórico XE "Resgate histórico"  - Sistemas de Informação Geográfica XE "Sistemas de Informação Geográfica"  - Imagens da Unicamp XE "Imagens da Unicamp"

PERDAS FÍSICAS DURANTE O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO A SECO DE VEDAÇÕES VERTICAIS COM PLACAS DE GESSO ACARTONADO

Rodrigo Rodrigues (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. André Munhoz de Argollo Ferrão (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Este trabalho tem como objetivo avaliar o desempenho do processo construtivo a seco de vedações verticais com painéis de gesso acartonado. Através de análises quantitativas de consumo de material em relação a geração de entulho, procurou-se detectar o nível de perdas associadas ao consumo de materiais e componentes utilizados nos sistemas de construção a seco. Os números obtidos neste trabalho representam uma soma das perdas que saem da obra como entulho com as perdas que ficam incorporadas ao processo construtivo, procurando-se definir, qual a parcela do consumo total de material no processo construtivo que deve ser considerada como ?desperdício?. Há que se explicitar que o consumo de material e a geração de entulho medidos nesta pesquisa, têm como causa fatores outros que não a atividade dos operários, pois a ineficiência do consumo de material se dá também por inadequação das especificações (traços, espessuras, etc.) decorrentes dos projetos que vão para a obra, e/ou da inadequação da logística do canteiro e gestão do material (recebimento, estoque, transporte, etc.), variáveis estas independentes da competência do operariado diretamente envolvido na atividade. Mediu-se portanto o consumo de material durante o processo construtivo de vedações verticais com o ?sistema drywall?, quantificando-se a geração de entulho nos canteiros de obra.

Drywall XE "Drywall"  - Gesso XE "Gesso"  - Perda XE "Perda"

AVALIAÇÃO DE NITROGÊNIO NO SISTEMA DE PÓS-TRATAMENTO DO EFLUENTE DE UMA LAGOA ANAERÓBIA POR ESCOAMENTO SUPERFICIAL NO SOLO

Ronei Herbert Buchwitz (Bolsista PROSAB/CNPq) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O sistema de pós-tratamento de efluente anaeróbio localiza-se na ETE Graminha da Concessionária de Água e Esgoto ? Águas de Limeira, Limeira, SP, é constituído por uma rampa de escoamento superficial com dimensões 5x45m, inclinação de 3,5%, com cobertura vegetal Tifton 85 (Cynodon), Os primeiros 5m da rampa foram preservados para ser uma área testemunha, sem aplicação de efluente. O efluente provém de uma lagoa anaeróbia, o qual faz é precedido por um pré-tratamento (gradeamento, caixa de areia e correção de cal). Pela deficiência dos tratamentos anaeróbios na remoção de nitrogênio e fósforo, escolheu-se o processo de escoamento superficial por ser de baixo custo, fácil operação e manutenção e, ter boa remoção de destes nutrientes, na planta e no solo. O sistema é operado num período de 8h/dia, com taxa de aplicação 0,20 m3/h.m. A coleta é tipo composta realizada na entrada e saída da rampa. As análises são realizadas segundo o Standard Methods, 18ª ed., 1995. A remoção de nitrogênio total no sistema é de aproximadamente 50%, sendo o nitrato a forma mais crítica para o descarte deste efluente em corpos d?água, este atende a legislação.Resultado em um sistema eficaz de pós-tratamento de efluente de lagoa anaeróbia.

Tratamento de Esgoto XE "Tratamento de Esgoto"  - Escoamento Superficia XE "Escoamento Superficial" l - Nitrogênio XE "Nitrogênio"

AVALIAÇÃO DA EXECUÇÃO DE MORADIAS DE INTERESSE SOCIAL COM BASE EM UMA METODOLOGIA DE PROJETO ARQUITETÔNICO AUTOMATIZADA

Sabrina Patrocínio Ozawa (Bolsista PIBIC/CNPq), Renata Poliana Cezar Monezzi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edison Favero (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A produção de moradias através da autoconstrução é uma solução utilizada pela população de baixa renda, sendo uma modalidade habitacional predominante entre a população carente do Brasil e da América Latina. Neste tipo de modalidade, constata-se problemas como a baixa qualidade da construção, falhas na elaboração do projeto, acréscimo de custo devido ao desperdício e falta de conforto. Esta pesquisa baseia-se na atuação conjunta com o setor de autoconstrução, proporcionando um incremento na qualidade construtiva e urbana a partir de um sistema de apoio técnico que procura evitar falhas relacionadas, principalmente, ao projeto da casa e conforto ambiental. Com o auxílio da ferramenta AUTOMET (metodologia de projeto arquitetônico automatizada), realizou-se projetos individuais que foram entregues aos autoconstrutores, seguido de um apoio técnico. Finalmente, a partir dos resultados, foram analisadas as melhorias da qualidade construtiva, do conforto ambiental das novas habitações e das condições de vida do bairro.

Autoconstrução XE "Autoconstrução"  - Habitação XE "Habitação"  - Apoio técnico XE "Apoio técnico"

A IMPORTÂNCIA DA INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA NA ENGENHARIA CIVIL: ANÁLISE CRÍTICA DA NBR 12721

Tathiana dos Reis (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. André Munhoz de Argollo Ferrão (Orientador), Faculdade de Engenharia de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Neste trabalho são comentados os métodos e critérios utilizados pela norma NBR 12721 para o cálculo de orçamentos e definição do tipo de projeto em Incorporações Imobiliárias. Estes método e critérios de cálculo utilizam o custo unitário básico de construção, que é um custo feito tomando como base um projeto-padrão que representa o tipo de edificação. O valor do custo do projeto-padrão é calculado por sindicatos (como o SindusCon) e entidades ligadas ao ?Complexo da Construção Civil? que divulgam tais valores mensalmente em revistas da área de construção, é essa taxa que é chamada de CUB (custo unitário básico). Para que se possa compreender melhor todos os métodos de cálculo e todo o processo para o Cálculo do Orçamento e Custo da Construção foi tomado um exemplo real de um empreendimento realizado em Campinas para um ?Estudo de Caso?. A existência desta norma é muito importante no mercado imobiliário, além disso é um campo de trabalho muito pouco explorado, principalmente por estar ligada a assuntos de advocacia, que muitas vezes afastam os engenheiros civis, indispensáveis neste tipo de trabalho, é também muito importante esclarecer as conseqüências aos Incorporadores frente ao não cumprimento desta lei.

Incorporação Imobiliária XE "Incorporação Imobiliária"  - Construção Civil XE "Construção Civil"  - Normas Técnicas XE "Normas Técnicas"

AVALIAÇÃO DE NITROGÊNIO E FÓSFORO NA ÁGUA DE INFILTRAÇÃO APÓS APLICAÇÃO DE LODO DE ESGOTO DOMÉSTICO NO SOLO

Tatila Fernanda Martins (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O experimento está sendo desenvolvido na UNICAMP, no campus da cidade de Limeira SP, ao lado de uma estação hidrometeorológica em área externa para poder sofrer todas as influências do meio físico, aproximando-se ao máximo das condições reais de um projeto de larga escala. Para o seu desenvolvimento foram montadas 18 cubas de fibra de vidro com dimensões de 1,05m de diâmetro por 1,20m de altura, com volume total de 1000L e instaladas em três fileiras.Elas foram preenchidas com 0,80m de solo e 0,20m de solo agrícola. Na superfície das cubas ficou 0,20m de espaço livre para aplicação de lodo com segurança e para quando chover não transbordar. Em cada cuba foram colocados filtros coletores de drenagem livre nas alturas, 0,25; 0.50 e 0.75 e 1,00m (fundo), respectivamente da superfície. Sendo que cada coletor está coberto por uma camada de lã de vidro e ainda uma fina tela de nylon. O lodo aplicado é proveniente de uma estação de tratamento de esgoto sanitário do Bairro Riacho Grande, situado às margens da represa Billings em São Bernardo do Campo ? SP. O projeto constitui-se na análise da relação do fósforo e nitrogênio do percolado. A cada 40 dias o lodo é disposto na série de cubas com o pH do solo natural, nas taxas de 0,0; 2,5; 5,0 e 7,5 toneladas de sólidos secos por hectare e em outra série de cubas com o pH corrigido para neutro nas taxas de 0,0 e 5,0 tds/ha, todas em triplicata.

Disposição de Lodo XE "Disposição de Lodo"  - Percolado XE "Percolado" - Nitrogênio XE "Nitrogênio"

VIGAS DE SEÇÃO MISTA EM CHAPA DE AÇO DOBRADA E EM MADEIRA

Télio Fernandes Mendes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Nilson Tadeu Mascia (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

A engenharia, de um modo geral, tem procurado adequar aspectos de natureza econômica com aspectos de segurança e rapidez na execução das construções de edifícios, de pontes, entre outras. Nesse sentido, os cimbramentos das construções constituem-se num importante aspecto a ser considerado. Atualmente as empresas que atuam nessa área da engenharia utilizam como estruturas de cimbramentos vigas de seção composta, mistas em aço e madeira. Essas vigas associam baixo peso e preço competitivo com praticidade na execução e na montagem dos arranjos estruturais do escoramento. O uso dessas estruturas de forma empírica e devido ao elevado número de acidentes relacionados a estes levaram a este estudo. Dessa forma foram feitos ensaios de flexão simples em vigas bi-apoiadas solidarizadas por parafusos, a mais comum nas construções, para comparação com seu comportamento teórico. O estudo permitiu observar que quase toda a rigidez da peça é provenientes das chapas de aço e que a madeira tem como importância o impedimento de rotação da chapa metálica. O resultado atingido foi muito próximo ao teórico feito pelo método da seção transformada, pelo fato de trabalharmos com materiais distintos, sendo que isto deve ser levado em consideração quando de um dimensionamento como um fator de segurança para tais estruturas.

Viga mista XE "Viga mista"  - Cimbramentos XE "Cimbramentos"  - Método da seção transformada XE "Método da seção transformada"

ESPAÇO VIRTUAL: ANÁLISE DA CRIAÇÃO E APLICAÇÃO DE MODELOS EM 3D

Thiago Cintra Pilegi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Doris Catharine C.K. Kowaltowski (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O projeto de pesquisa propõe o estudo de maquetes virtuais em relação aos parâmetros de criação para aplicações variadas. Assim como modelos 3D ocupam lugar cada vez maior no mercado, é necessário, pois, estabelecer parâmetros de criação de acordo com as principais aplicações para o modelo 3D. A função define o espaço virtual e as exigências específicas de visualização e manipulação do modelo. O arquiteto está cada vez mais presente na criação destes espaços, abrindo assim o leque de atuação deste profissional de projeto. A sistematização de parâmetros de criação orientaria o procedimento de trabalho de projetistas, animadores (área que cresceu muito) e artistas, facilitando, assim, o desenvolvimento dos espaços virtuais. Este projeto analisa aplicações variadas de modelos 3D, procurando definir, caso a caso, a fidelidade exigida na representação da realidade e a qualidade de visualização e manipulação das maquetes pelo usuário, bem como os programas mais usados para cada aplicação e análises e comparações dos mesmos.

Espaço virtual XE "Espaço virtual"  - Modelos em 3D XE "Modelos em 3D"  - Maquetes XE "Maquetes"

CONFORTO NA CIDADE UNIVERSITÁRIA DA UNICAMP: INDICADORES AMBIENTAIS

Thiago Henrique (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Emília Wanda Rutkowski (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O presente trabalho pretende analisar as condições térmicas e ilumínicas de um tipo predominante de edificação da Cidade Universitária ?Zeferino Vaz? comparando os seus três pavimentos. Além disso, será analisado um mesmo pavimento em dois prédios próximos, pois um deles sofreu modificações para minimizar o desconforto. Os indicadores que definem o conforto térmico entre o corpo humano e o ambiente classificam-se em ambientais (temperatura do ar, umidade relativa e velocidade do ar) e individuais (vestimenta e atividade exercida). Índice de conforto é um parâmetro que representa o efeito combinado das principais variáveis intervenientes. O método mais conhecido e amplamente aceito é o Voto Médio Estimado (VME). Esse método determina o grau de conforto ou desconforto através de uma escala de sensação térmica, que varia de ?3 à +3. A iluminância dos ambientes será medida e comparada com as exigidas pela Norma.

Conforto XE "Conforto"  - Cidade Universitária XE "Cidade Universitária"  - Edificações XE "Edificações"

BIBLIOTECA DIDÁTICA DE TECNOLOGIAS AMBIENTAIS: UMA PROPOSTA PARA A ENGENHARIA CIVIL ? FASE III ? TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS

Vanessa Cristina Lopes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Gomes da Nave Mendes (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O engenheiro civil por ser um profissional responsável por alterações no meio ambiente necessita de uma formação sobre as questões ambientais para que possa atuar desenvolvendo projetos que visem a manutenção e reabilitação do meio. Entretanto, é notável a dificuldade de acesso a material didático como suporte ilustrativo e de consulta sobre tecnologias de obras civis ambientalmente viáveis. A Biblioteca Didática de Tecnologias Ambientais ( HYPERLINK "http://www.fec.unicamp.br/bibdta/Welcome.html" http://www.fec.unicamp.br/bibdta/Welcome.html) visa suprir em parte esta deficiência. Nesta sua fase III foi ampliado o banco de dados com exemplos sobre tecnologias para o tratamento de esgotos sanitários. Quanto à metodologia utilizada, após a análise de diversas tecnologias em utilização ou com potencial de aplicação ao tratamento de esgotos, através de parâmetros definidos previamente, foram selecionadas algumas instalações em escala real. Estas foram descritas, quanto ao funcionamento e aos indicadores de sustentabilidade e encontram-se disponíveis na página eletrônica de forma objetiva, tornando fácil a visualização e comparação entre as tecnologias adotadas para o estudo.

Esgotos XE "Esgotos"  - Ambiente XE "Ambiente"  - Sustentabilidade XE "Sustentabilidade"

Faculdade de Engenharia de Alimentos

ISOLAMENTO E SELEÇÃO DE MICRORGANISMOS CAPAZES DE DEGRADAR O D-LIMONENO

Aline Lima de Oliveira (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Lucia R. Durrant (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O d-limoneno, principal componente do óleo da casca da laranja, tem aplicação na indústria química, de cosméticos, farmacêutica, inseticidas, têxteis e outras. Entretanto o d-limoneno possui também forte ação antimicrobiana e sua liberação para a linha de tratamento de efluentes industriais é prejudicial, podendo destruir a flora microbiana do processo. Neste trabalho foram isoladas bactérias do efluente da indústria de suco de laranja e selecionadas pela capacidade de degradar o d-limoneno. As linhagens foram crescidas em Erlenmeyers de 125mL contendo 20mL do meio de sais minerais, em pH 7,0, e 1,0% de d-limoneno como fonte de carbono. Os microrganismos foram incubados sob condições de cultivo com agitação e estacionário, e crescidos por 5 dias na temperatura de 30°C. Após crescimento foi determinada a atividade enzimática e, através dela, foram selecionadas as seis melhores linhagens. Os microrganismos selecionados foram, então, testados quanto a sua capacidade de utilização do d-limoneno através da determinação de peso seco, pH, atividade enzimática, biosurfactante e toxicidade ao d-limoneno. Estes resultados são importantes, pois os microrganismos poderão ser, em trabalhos posteriores, adicionados ao lodo ativado das indústrias cítricas, uma vez que eles são capazes de utilizar o d-limoneno como fonte de carbono para crescimento.

BiodegradaçãoXE "Biodegradação" - D-limonenoXE "D-limoneno" - MicrorganismosXE "Microrganismos"

PRODUÇÃO DE XAROPE DE FRUTOSE A PARTIR DO YACÓN

Amanda Letícia Parri Zanforlin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Hilary Castle de Menezes (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O objetivo geral deste projeto é desenvolver, em escala de laboratório, um processo para produzir um xarope de alto teor de frutose. O suco de yacón foi extraído utilizando elevadas pressões (prensa hidráulica) e miniprocessador para diversas amostras e posterior uso de carvão ativo para melhora da cor. Ensaios foram feitos com duas amostras de inulinase pura encubadas na temperatura ótima das enzimas (60 e 37 o C) e pH ótimo (4,5 e 4,1 respectivamente) em até quatro horas sendo feito posterior aquecimento para a inativação da enzima e pasteurização do suco. A quantidade de frutose, nas amostras, foi determinada pelo método de Antrona utilizando a curva padrão feita com a própria frutose. Foi escolhida a amostra de inulinase, com condições ótimas de temperatura (60 o C) e pH (4,5), que apresentou maior produção de açúcar aparentemente ocorrida após três horas de incubação. Atualmente estuda-se o comportamento do xarope durante sua estocagem visando ensaios com aplicações do xarope em adoçar sucos de frutas.

Yacón -  XE "Yacón" -Frutose - XE "Frutose" - Inulinase XE "Inulinase"

ESTUDO DO EFEITO DO DESCONGELAMENTO E DO TEMPO DE ESTOCAGEM NA QUALIDADE DA MASSA E DO PÃO

Araceli Feltrin Fiorussi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Yoon Kil Chang (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O estudo propõe o conhecimento mais aprofundado das mudanças que ocorrem com a massa de pão e com o mesmo devido às operações de congelamento e descongelamento. A massa será congelada em túnel com ar forçado a ?30oC em forma de bisnaga. O descongelamento das massas está sendo realizado de quatro formas diferentes: em geladeira por 16 horas, em cabine à 30oC durante 01 hora, no sistema misto (geladeira 01 hora, forno de microondas 30s ou necessário para atingir 20oC no centro da massa) e forno de microondas (tempos variáveis ? atingir 20oC no centro da massa) na potência baixa. Estão sendo avaliadas as características reológicas da massa descongelada, quantificando a viabilidade das leveduras e sua capacidade de produção de gás, e também está sendo feita uma avaliação tecnológica do pão de massa congelada e descongelada nas condições acima descritas.

Descongelamento XE "Descongelamento"  - Pão XE "Pão"  - Qualidade XE "Qualidade"

PROPRIEDADES TERMODINÂMICAS DE H20 e CO2 (PUROS E MISTURAS): COMPARAÇÃO ENTRE DADOS EXPERIMENTAIS E ESTIMATIVAS OBTIDAS POR EQUAÇÕES ANALÍTICAS E SIMULAÇÃO MOLECULAR

Caio Vinícius Zecchin Cipro, Dr. Márcio L. L. Paredes (Co-Orientador) e Profa. Dra. Maria Ângela A. Meireles (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Propriedades termodinâmicas do dióxido de carbono, da água e de suas misturas são utilizadas no dimensionamento de equipamentos e na análise de viabilidade de processos que envolvam essas substâncias (extração supercrítica, por exemplo). Tendo em vista a importância desses dados, foi realizada uma revisão sobre diversas propriedades termodinâmicas das substâncias puras (densidade, entalpia, entropia, capacidade calorífica, segundo coeficiente do virial, coeficiente Joule-Thomson) e da mistura (envelope de fases), comparando dados experimentais com as estimativas obtidas com modelos termodinâmicos (equações analíticas) e Simulação Molecular. São utilizados modelos empíricos, o modelo de Peng-Robinson (e modificações posteriores) e modelos baseados nos potenciais de interação de Lennard-Jones e Poço-Quadrado. Os dados de simulação utilizados nessa comparação foram obtidos por Dinâmica Molecular e pelo método de Monte Carlo, sendo utilizados diferentes propostas para o cálculo das interações intermoleculares. Através do estudo realizado pode-se avaliar o desempenho dos modelos termodinâmicos estudados, indicando-se quais modelos podem prever, com a desejada acurácia, propriedades termodinâmicas do sistema (e em que faixa de temperatura, pressão e composição).

Água XE "Água"  - Dióxido de Carbono XE "Dióxido de Carbono"  - Misturas XE "Misturas"

ATUALIZAÇÃO DE PROGRAMA PARA CÁLCULO DO EQUILÍBRIO DE FASES EM MISTURAS USANDO A EQUAÇÃO DE ESTADO DE PENG ROBINSON

Danilo Cereda (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. M. Angela de A. Meireles (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

A informática tem como uma das aplicações a realização de tarefas rotineiras complexas através da execução de equações e modelos. Essa aplicação melhora o rendimento dos cálculos laboratoriais, pois permite que os resultados sejam disponibilizados rapidamente após a entrada dos dados. Por outro lado, a rápida evolução da tecnologia faz com que seja necessária uma atualização. Um programa de computador foi desenvolvido, a partir de equações encontradas na literatura, para auxiliar os cálculos de rotinas, feitos em laboratório. Este programa estava escrito em BASIC. O projeto de atualização tinha como objetivo melhorar o tempo de execução dos cálculos e facilitar o uso pelo usuário. A linguagem utilizada para desenvolver a atualização do programa foi o VISUAL BASIC 6.0. Foi desenvolvida uma interface gráfica usando modelo de janelas e molduras ?frames? para auxiliar o usuário na execução cálculos consecutivos, e melhor visualização das etapas de entrada de dados. Foi desenvolvida, também, uma biblioteca de funções de armazenamento de dados em disco para recuperação com possibilidade de repetição da entrada dos dados selecionados e intercâmbio dos dados com outros usuários através de arquivos ?texto? comuns. Um pacote de instalação foi desenvolvido, e a mídia escolhida para distribuição foi o CD-ROM. O pacote consiste do programa, o código fonte aberto e manual de usuário em formato ?doc? e ?pdf?.

Atualização de Software XE "Atualização de Software"  - Equilíbrio de Fases em Misturas XE "Equilíbrio de Fases em Misturas"

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES TERMOFÍSICAS DA POLPA DE CAJU

Débora Cristina Cipriani (Bolsista: SAE/UNICAMP:08 e 9/00; FAPESP: 09/00 a 08/01) e Profa. Dra. Fernanda Elizabeth Xidieh Murr (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O conhecimento das propriedades termo-físicas e reológicas de produtos alimentícios é essencial para o projeto de equipamentos, avaliação de processos, controle de qualidade, compreensão de estrutura e correlação com avaliação sensorial. O objetivo do trabalho foi a caracterização e determinação das propriedades citadas para a polpa do caju. Para a determinação simultânea da condutividade e difusividade térmica foi utilizado o método da sonda linear que consiste em se aplicar um fluxo de calor constante, de uma fonte linear para o material, sendo medida a elevação de temperatura. Para a montagem experimental da aquisição dos dados foram utilizados uma sonda dupla, uma fonte de tensão estabilizada, onde se fez passar uma corrente de 3,6 ampéres. As amostras de polpa, foram preparadas com agar 2% em massa, obtendo-se um gel que evita o efeito da convecção natural. Para calcular o peso específico utilizou-se o método picnométrico. Os experimentos foram realizados à temperatura constante de 300C em diversas concentrações (0 Brix). Os valores obtidos de condutividade, difusividade e densidade foram similares aos encontrados na literatura, tais valores diminuiram com o aumento da concentração. O comportamento reológico será obtido através de viscosímetro e os dados experimentais ajustados pelos modelos de Herschel-Bulkley e Mizrahi-Berk. Os parâmetros dos modelos serão determinados por análise da regressão não-linear.

Caju  XE "Caju" - Propriedades Termofísicas  XE "Propriedades Termofísicas" - Reologia XE "Reologia"

ESTUDO DO PAPEL DAS CEASAS E DA CEAGESP NO ABASTECIMENTO DE HORTIFRUTÍCOLAS ?IN NATURA? NO MUNICÍPIO DE RIO CLARO

Fábia Mendes Monte Cristo de Alencar e Prof. Dr. Antonio José de Almeida Meirelles (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Este trabalho analisou os fluxos, entendidos como procedência e destino, dos produtos FLV (frutas, legumes e verduras), através de levantamentos e entrevistas com permissionários e compradores na CEASAS de Piracicaba e de Campinas, além da CEAGESP em São Paulo. Elaborou-se um questionário para aplicação junto aos comerciantes (compradores e permissionários) das Centrais de Abastecimento, levantando informações sobre produtos comercializados (variedade, quantidade, periodicidade), armazenagem, transporte e também questões abertas para comentários pessoais a respeito do comércio na cidade. Assim, levantou-se o fluxo de mercadorias comercializadas pelas CEASAS de Campinas e Piracicaba e pela CEAGESP de São Paulo, procedentes de e/ou com destino a Rio Claro. Quantificou-se ainda os itens comercializados pelas CEASAs com destino ao varejo de Rio Claro e analisou-se comparativamente a produção local e a demanda do sistema varejista. Quanto às Centrais de Abastecimento, conclui-se que continuam sendo equipamentos importantes para o abastecimento de hortifrutícolas nos municípios. Isto destaca o potencial e a importância de se implantar algum mecanismo que organize a produção e a distribuição dos gêneros produzidos no município. A metodologia comprovou ser adequada para o conhecimento da dinâmica de comercialização de hortifrutícolas, identificando e quantificando os fluxos propostos e permitindo uma análise comparativa com os dados de demanda no município. Este estudo possibilitou conhecer informações sobre a produção e a comercialização de produtos hortifrutícolas, permitindo a identificação de nichos de mercado e o melhor direcionamento de recursos e ações de políticas públicas em benefício de produtores, comerciantes e consumidores.

Abastecimento XE "Abastecimento"  - Hortifrutícolas XE "Hortifrutícolas"  - Rio Claro XE "Rio Claro"

EXTRAÇÃO DOS PIGMENTOS DAS PARTES AÉREAS DA BETA VULGARIS E ESTUDO DA SUA ESTABILIDADE

Fábio Batista Claudino (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Paulo A. Bobbio (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Tendo em vista a importância dos corantes naturais para a indústria alimentícia e limitações quanto ao uso dos corantes artificiais, este trabalho traz um estudo da estabilidade dos pigmentos extraídos das partes aéreas da Beta Vulgaris, descartadas comercialmente. Entre os corantes naturais a betalaína, corante extraído da beterraba, seria um substituto para os corantes vermelhos. A betalaína extraída foi quantificada e analisado o efeito do pH, luz e temperatura na sua estabilidade e também foi quantificada a concentração de açúcar e nitrato. Na quantificação do pigmento foram utilizados os métodos descritos por NILSSON e SCHWARTZ. Já para a estabilidade a diferentes pH, luz e temperatura foram utilizados métodos espectrofotométricos. Para a quantificação das concentrações de açúcares e nitrato foram utilizados os métodos de Munson&Walekr e GINË respectivamente. Observou-se a variação da estabilidade do pigmento com a variação de pH, sendo mais estável a pH 4.5 e 5.0. Com relação a luz e temperatura, foi observada uma queda da estabilidade na presença de luz e uma degradação significativa do pigmento com a elevação da temperatura. Sabe-se que o O2 reduz a estabilidade. Observou-se uma menor concentração do pigmento nas partes aéreas comparada ao tubérculo da beterraba.

Beterraba XE "Beterraba"  - Pigmentos XE "Pigmentos"  - Estabilidade XE "Estabilidade"

OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE CONCENTRADO DE CASEÍNA ATRAVÉS DE MICROFILTRAÇÃO

Fernanda Yumi Ushikubo (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Luiz Antonio Viotto (Orientador) e Cristiane Vieira Ferreira (co-orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Os avanços no processo de separação por membranas e a recente comercialização de membranas de microfiltração permitiram o seu uso no fracionamento de proteínas do leite. A grande vantagem desse processo, em comparação com processos físico-químicos, é a de poder obter proteínas na sua forma nativa mantendo, assim, suas propriedades funcionais e garantindo sua aplicação como ingrediente na indústria de alimentos. Neste trabalho, leite desnatado reconstituído é microfiltrado até o fator de concentração quatro em uma membrana cerâmica com diâmetro de poro de 0,1(m, obtendo-se um retentado rico em micelas de caseína, para em seguida ser submetido a quatro ciclos de diafiltração. Foi estudada a influência das condições operacionais pressão transmembrana (0,9 a 3,1 kgf/cm2) e velocidade tangencial (1,9 a 6,1 m/s), aplicando a metodologia de superfície de resposta, visando obter um maior fluxo de permeado. Foi possível verificar que os aumentos da velocidade tangencial e da pressão transmembrana levaram ao aumento da concentração de caseína, em relação ao valor inicial, e que a relação caseína/proteína total a fator de concentração 4 e/ou após 4 ciclos de diafiltração também aumentou. Além disso, o aumento da velocidade tangencial melhorou sensivelmente o fluxo de permeado.

Microfiltração XE "Microfiltração"  - Proteínas do leite XE "Proteínas do leite"  - Caseína XE "Caseína"

ESTUDO E APRIMORAMENTO DOS MODELOS PREDITIVOS DA VISCOSIDADE DE COMPOSTOS GRAXOS E SUAS MISTURAS

Flávio Witzel Cavaleri (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antônio José de Almeida Meirelles (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Óleos Vegetais possuem em sua constituição predominantemente compostos graxos, triglicerídeos e ácidos graxos. É relevante para o desenvolvimento e otimização dos processos industriais envolvidos na obtenção ou refino dos óleos vegetais, o conhecimento de suas propriedades físicas, dentre as quais a viscosidade assume papel importante como parâmetro no projeto de equipamentos de transferência de calor e massa. São de grande utilidade modelos que predigam a viscosidade dos compostos graxos puros e suas misturas. No trabalho atual o modelo desenvolvido anteriormente para os compostos puros foi estendido para componentes poliinsaturados (trilinolenina e ácido linolênico), e compostos graxos com a presença da hidroxila (ácido ricinoleico). Foram obtidos erros de 3,46% para ácidos graxos (266 dados experimentais) e 3,94% para triglicerídeos (68 dados experimentais. Foram, também ajustados parâmetros do modelo de contribuição de grupos referente as misturas (GC-UNIMOD), cuja eficiência foi testada na predição da viscosidade de dois óleos vegetais (óleo de arroz e óleo de palma), que tiveram suas viscosidades e composição determinadas experimentalmente.

Viscosidade XE "Viscosidade"  - Óleos Vegetais -  XE "Óleos Vegetais" Compostos Graxos XE "Compostos Graxos"

DETERMINAÇÃO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE POLPAS DE FRUTAS TROPICAIS POR CALORIMETRIA DIFERENCIAL DE VARREDURA DE TEMPERATURA MODULADA (TMDSC)

Guilherme Coelho da Cunha Pereira (Bolsista PIBIC/CNPq), Alessandra Faria Baroni (Doutoranda) e Profa. Dra. Miriam Dupas Hubinger (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

A previsão do comportamento de produtos alimentícios submetidos a processos térmicos é determinada, em grande parte, por suas propriedades termofísicas. Através delas torna-se possível projetar equipamentos mais eficientes, obter uma otimização nas operações de processamento e estocagem de alimentos que envolvam transferências de calor, além de possibilitar melhores resultados em plantas e equipamentos já existentes. Nesse trabalho, para a determinação de propriedades termofísicas utilizaram-se polpas de frutas tropicas ?acerola, abacaxi, mamão e manga- que possuem grande importância econômica tanto no mercado interno quanto no externo. Calor específico e entalpia de fusão foram determinados numa ampla faixa de temperaturas (-40o C até 30o C), em diferentes concentrações (polpas in natura, 20o Brix e 40o Brix), através do uso de uma técnica nova, a Calorimetria Diferencial de Varredura de Temperatura Modulada. As amostras equilibradas a -40o C foram aquecidas até 30o C, aplicando-se rampas de 1(C/min. Foram também determinadas as propriedades termofísicas de soluções açucaradas: 10o Brix, 20o Brix e 40o Brix que tiveram uma grande importância comparativa. Os dados obtidos das polpas foram comparados com os valores encontrados para as soluções açucaradas, sendo observada uma compatibilidade entre eles. Através dos resultados algumas correlações foram propostas, como por exemplo a influência da concentração de açúcares no valor da entalpia de fusão, uma vez que quanto maior o teor de açúcares no composto, menor foi o valor de entalpia de fusão obtido.

Frutas tropicais XE "Frutas tropicais"  - Fusão  XE "Fusão" - Calorimetria XE "Calorimetria"

PREDIÇÃO DA VISCOSIDADE DE SOLUÇÕES DE POLIETILENO GLICÓIS

Helcio Burd (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio José de Almeida Meirelles (Orientador), Luciana Ninni (Co-orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Este trabalho tem por objetivo determinar a viscosidade cinemática de misturas binárias e multicomponentes formadas por polietileno glicóis (PEGs) e água a diferentes concentrações, temperaturas e pesos moleculares. A partir dos dados experimentais foram ajustados parâmetros do modelo de contribuição de grupos GC-UNIMOD. A vantagem deste tipo de modelo é o de permitir predizer a viscosidade cinemática de misturas mais complexas a partir das variáveis concentração e temperatura. O requisito necessário é que as misturas complexas (por exemplo, contendo diferentes pesos moleculares do polímero) apresentem os mesmos grupos já presentes nas misturas simples (binárias) para as quais se ajustou os parâmetros. Para a determinação das viscosidades cinemáticas das misturas de PEGs (PEG 8000, 10000 e misturas de PEG 400/600/1000/1500 e 3350/8000/10000 em água) empregou-se viscosímetro Cannon Fenske imerso em banho temostático à temperatura de trabalho (entre 20 e 50ºC). O desvio padrão médio obtido foi de 0.0389 cSt. Os dados experimentais apresentaram comportamento crescente em função da temperatura, da concentração e do peso molecular do polímero. No ajuste dos parâmetros binários do modelo GC-UNIMOD foi empregado um banco de dados abrangente envolvendo viscosidades determinadas neste trabalho e publicados na literatura. Observou-se que os menores desvios entre as viscosidades experimentais e calculadas foram obtidos para sistemas contendo PEGs de baixo peso molecular. Os parâmetros ajustados foram utilizados na predição das viscosidades de misturas multicomponentes contendo PEGs a diferentes concentrações e temperaturas.

Polietileno glicol XE "Polietileno glicol"  - Viscosidade XE "Viscosidade"  - GC-UNIMOD XE "GC-UNIMOD"

ESTUDO DA OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE INULINASE A PARTIR DAS LINHAGENS DE Kluyveromyces

Helena F.A. Scanavini (Bolsista PIBIC/CNPq), Yemiko Makino (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria Isabel Rodrigues (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

A enzima inulinase é utilizada para a hidrólise de inulina em uma única etapa, obtendo-se produtos com até 95% de frutose e pode ser obtida de plantas ou através de microrganismos como bactérias, fungos e leveduras. As leveduras do gênero Kluyveromyces são de grande interesse industrial devido às características fisiológicas e acessibilidade genética e pertencerem ao GRAS (?generally recognized as safe?). No Laboratório de Engenharia de Bioprocessos essa enzima vem sendo estudada há alguns anos, sendo que a inulinase produzida pelo microorganismo K.bulgaricus ATCC 16045 foi otimizada a valores de 9 para 120U/ml em meio sintético. Este trabalho teve como objetivo selecionar e otimizar o meio de produção da inulinase por outras linhagens de Kluyveromyces, e através de testes preliminares foi selecionado o K.marxianus NRRL Y-7571, que mostrou uma melhor produção da enzima em meio industrial. A otimização do meio de fermentação foi realizada utilizando análise de superfície de resposta.O meio de cultivo que levou a uma atividade de 700U/ml é composto por 90g/l de melaço, 40g/l de água de maceração de milho e 4g/l de extrato de levedura, a 30°C, pH 5,5. Foi realizada uma caracterização parcial da inulinase, determinado-se pH e temperatura ótimos, pH e temperatura de estabilidade.

Enzima XE "Enzima"  - Inulinase XE "Inulinase"  - Kluyveromyces XE "Kluyveromyces"

HANDBOOK SOBRE EXTRACÃO SUPERCRÍTICA APLICADA A PRODUTOS NATURAIS

Jorge Fortin de Oliveira e Profa. Dra. Maria Ângela Meireles (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O Processo de extração supercrítica tem sido usado cada vez mais freqüentemente na obtenção de extratos oriundos de produtos naturais. Vários estudos estão sendo realizados concomitantemente em diferentes universidades brasileiras, visando obter o maior número possível de parâmetros que descrevam a extração; dessa forma pode-se fazer uma transição da extração de uma escala laboratorial para uma escala industrial. Com uma grande gama de dados sendo obtidos, é interessante agrupa-los de uma forma padronizada, como em um handbook, facilitando assim o acesso aos mesmos. Como inicio do trabalho, estão sendo compilados os dados referentes aos experimentos de extração supercrítica aplicada a produtos naturais realizados no Laboratório de Separações Físicas (LASEFI), localizado na Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp. O handbook ainda deve agrupar muitas outras informações importantes, tais como propostas de metodologias a serem aplicadas no processo genérico de extração e na caracterização do extrato obtido.

Extração supercrítica XE "Extração supercrítica"  - Produtos Naturais XE "Produtos Naturais"  - Handbook XE "Handbook"

EFEITO DA AGITAÇÃO E DA AERAÇÃO NA PRODUÇÃO DE ÁCIDO CÍTRICO POR Candida lipolytica Y 1095

Juliana K. Arantes (Bolsista PIBIC/CNPq), Luciano Armiliato (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria Isabel Rodrigues (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O ácido cítrico é um acidulante muito importante na indústria de alimentos. Sua importância deve-se a características, como baixa toxicidade, palatabilidade e ser facilmente assimilado pelo organismo. Os processos fermentativos empregados para obtenção de ácido cítrico utilizam fungos para a sua produção. Uma alternativa a esse processo é utilizar leveduras ao invés de fungos. As leveduras têm o inconveniente de produzir também o ácido isocítrico. O objetivo desse trabalho é estudar a etapa de produção de ácido cítrico por Candida lipolytica Y 1095, a fim de minimizar a produção de ácido isocítrico e maximizar a produção de ácido cítrico. Realizou-se uma fermentação mantendo-se a concentração de oxigênio dissolvido no meio em 70%. Observou-se que a proporção de ácido cítrico e isocítrico produzidos manteve-se na mesma faixa de trabalhos anteriores (1:1). Também se realizou uma fermentação utilizando meios de cultivo já otimizados adicionando-se CaCO3 como tamponante do meio. Verificou-se que esse componente interfere na produção de ácido, pois a proporção de ácido cítrico e isocítrico atingiu 2,8:1. Também realizou-se um ensaio em frascos agitados utilizando-se a frutose para a fase de crescimento celular, a qual mostrou-se uma fonte viável de carbono.

Ácido Cítrico XE "Ácido Cítrico"  - Candida lipolytica XE "Candida lipolytica"  - Fermentação XE "Fermentação"

LEVANTAMENTO DE MARCAS COMERCIAIS DE PRODUTOS A SEREM ANALISADOS PELO PROJETO TABELA DE COMPOSIÇÃO DE ALIMENTOS-TACO

Julio Mamoru Nishino Junior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Antonia Martins Galeazzi (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O projeto consiste em pesquisar em equipamentos de auto-consumo do tipo Hiper-Mercados, as marcas comerciais mais vendidas de produtos a serem analisados pelo PROJETO TABELA DE COMPOSIÇÃO DE ALIMENTOS ? TACO. A pesquisa seria feita pessoalmente em Campinas-SP e em outras regiões por intermédio de outros laboratórios credenciados a trabalhar no PROJETO TABELA DE COMPOSIÇÃO DE ALIMENTOS ? TACO. Eu, pesquisador, apenas orientaria a pesquisa, receberia os dados e os compilaria para futura análise dos dados.

Alimentos XE "Alimentos"  - Composição XE "Composição"  - Vendas XE "Vendas"

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES TERMOFÍSICAS DO CAJU E DO MAMÃO

Louise Emy Kurozawa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Fernanda E. X. Murr (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O caju e o mamão, como a maioria dos alimentos industrializados, estão sujeitos a tratamentos térmicos. Assim, o conhecimento das propriedades termo-físicas, como a condutividade e a difusividade térmica, o calor específico e o peso específico, é muito importante nos processos de aquecimento, resfriamento, evaporação e também nos projetos de equipamentos. Para o cálculo simultâneo da condutividade e da difusividade térmica foi utilizada a técnica da sonda, que assume que uma fonte linear de calor fornece uma potência constante em um corpo infinito e homogêneo a uma temperatura inicial uniforme. A determinação do peso específico foi realizada por picnometria. Essas propriedades foram determinadas em diferentes temperaturas acima do ponto de congelamento. Neste projeto foram realizadas todas as etapas de construção e calibração da sonda e da determinação das propriedades termo-físicas e químicas das frutas. Os dados experimentais serão ajustados pelos modelos da literatura ou serão propostos modelos matemáticos de predição. Serão disponibilizados os dados experimentais das propriedades termo-físicas de caju e de mamão, além de uma análise do comportamento delas em função da temperatura.

Propriedades XE "Propriedades"  - Termofísicas XE "Termofísicas"  - Caju XE "Caju"  - Mamão XE "Mamão"

CARACTERIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE PESCADO SALGADO E SECO NA APA IGUAPE-CANANÉIA

Lucas Klettenhofer (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Celso Costa Lopes (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Através de entrevistas com habitantes da região e acompanhamento de suas atividades tradicionais para produção de pescado salgado e seco foram caracterizados e analisados os respectivos procedimentos e dispositivos tecnológicos, identificados seus antecedentes históricos e suas relações de natureza sócio-econômica, levando-se em consideração as variações temporais relacionadas ao uso de recursos e a aspectos da cultura local. Os sistemas de produção estudados foram analisados ainda quanto às características sócio econômicas da população, dieta, sistema de pesca, tipo de pescado, etapas de processamento, características do produto final e resíduos, rendimentos e eficiências, quantidade processada, finalidade da produção e controle exercido pelas autoridades.Os resultados indicam: a importância da atividade no contexto social, econômico e nutricional das comunidades estudadas e a possibilidade e necessidade de incremento e aprimoramento dos sistemas tradicionais de produção face às características dos produtos e às exigências de consumo.

Pescado seco XE "Pescado seco"  - APA XE "APA"  - Meio ambiente XE "Meio ambiente"

ESTUDO SOBRE A VIABILIDADE DE UMA FARINHA MISTA DE CASTANHA-DO-BRASIL (Bertholletia excelsa, H. B. K. ) E MANDIOCA

Marcelo Beraldo da Costa (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Hilary Castle de Menezes (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Objetivando aproveitar a castanha-do-brasil (um produto genuinamente brasileiro e de alto valor nutritivo) e a mandioca, para a elaboração de um produto extrusado alternativo, de elevado teor protéico, energético e baixo custo para uso na alimentação humana, estudou-se a composição das matérias-primas (farinhas de castanha e de mandioca).O projeto visou formular um produto misto (castanha-do-brasil e mandioca) que foi extrusado, a fim de misturar, cozinhar e estruturar o alimento. Antes de iniciar os ensaios de extrusão, caracterizou-se as matérias-primas e realizou-se ensaios de formulação até acertar uma mistura com as características exigidas para a extrusão no equipamento disponível no Departamento de Tecnologia de Alimentos da Faculdade de Engenharia de Alimentos ? UNICAMP. Desta maneira, o projeto emerge como mais uma saída econômico-social para fazer frente a miséria e a fome existente em nosso país.

Castanha-do-Brasil XE "Castanha-do-Brasil"  - Mandioca XE "Mandioca"  - Extrusão XE "Extrusão"

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA CÁLCULO DE PROPRIEDADES TERMO-FÍSICAS POR MÉTODOS DE CONTRIBUIÇÃO DE GRUPO

Marcelo F. Leal, Lucinewton S. Moura (Orientador - doutorando), Raul N. Carvalho-Junior (Orientador - doutorando) e Profa. Dra. M. Angela A. Meireles (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Para a descrição do equilíbrio de fases de substâncias termo-sensíveis a baixas e altas pressões, utilizando equações de estado cúbicas, são necessárias informações experimentais das propriedades termo-físicas das substâncias puras. A determinação experimental destas propriedades é difícil devido à sensibilidade térmica. Dentre as substâncias podemos mencionar os constituintes de alguns extratos naturais, como óleos essenciais, oleoresinas e etc. Logo, o uso de métodos de predição de propriedades termo-físicas é uma alternativa à sua determinação experimental. Neste trabalho foi desenvolvido um software para Windows intitulado ?TermoFis? em linguagem de Programação Pascal em ambiente DELPHI 1.0, com o objetivo de proporcionar ao usuário maior facilidade no uso dos diversos métodos preditivos. A interface gráfica é bem simples e organizada de tal forma que o acesso às rotinas de cálculo do programa é rápido. O programa consiste em uma plataforma inicial, na qual o usuário decidirá com qual propriedade termo-física e qual método irá trabalhar. Estão disponíveis sub-rotinas para cada um dos vinte métodos de cálculos utilizados: Lyndersen (1955); Klincewics e Reid (1984); Lin e Chao (1984); Tsibanogiannis et al. (1985); Willman e Teja (1985); Joback e Reid (1987); Somayajulu (1989); Peisheng et al. (1990); Vetere (1991); Dohrn (1992); Pretel et al. (1992); Hang e Peng (1993); Dohrn (1994); Constantinou e Gani (1994); Gani e O'Connel (1995); Correlação de Edmister's (1994); Sastri et al (1994); Tu (1995); Ourique (1997); Riazi et al. (1998). Os métodos foram, por sua vez, classificados como métodos que requerem: i) valores experimentais da temperatura normal de ebulição (Tb); ii) valores experimentais da temperatura de fusão (Tf). O usuário fornece os dados necessários e os grupos funcionais requeridos e obtém as seguintes propriedades termo-físicas: ii) temperatura, pressão e volume críticos Tc , Pc e Vc, respectivamente; ii) pressão de vapor (Pv); e iii) fator acêntrico (w).

Software XE "Software"  - Termo-físicas XE "Termo-físicas"  - Cálculo XE "Cálculo"

ANTOCIANINAS DOS FRUTOS DO Centrum sendtniranum: IDENTIFIAÇÃO, ESTUDO DA SUA ESTABILIDADE E ESTABILIZAÇÃO

Maria Carolina Cardinalli da Costa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Florinda Orsatti Bobbio (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

A estabilidade das antocianinas existentes nos extratos bruto e purificado dos frutos da Centrum sendtniranum foi estudada a pH 2,2 ; 3,0 e 4,0, em presença e ausência de luz. O pH também é um fator de grande influência na estabilidade das antocianinas, sendo que esta são mais estáveis em pHs mais ácidos. O extrato bruto apresenta uma cor vermelha em ph mais ácido (pH 2,2 e 3,0) e cor mais roxa em pH menos ácido (pH 4,0). O extrato bruto apresentou maior estabilidade a ph 4,0 e menor a pH 2,2. No extrato purificado foi estudada a estabilidade apenas a pH 2,2 e 3,0, uma vez que a pH 4,0 já houve, de início, forte degradação dos pigmentos, observando que em pH 2,2 a estrutura é mais estável que em pH 3,0. Foi também iniciada a identificação da antocianina principal da Centrum sendtniranum. Métodos espectrofotométricos e cromatográficos, indicou a presença de uma delfinidina ou petunidina como aglicona glicosilada. O espectro indica também a possível presença de um ácido orgânico.

Antocianina XE "Antocianina"  - Fruto XE "Fruto"  - Estabilidade XE "Estabilidade"

ANÁLISE ECOSSISTÊMICA E EMERGÉTICA DA PRODUÇÃO TRANSGÊNICA, CONVENCIONAL E ORGÂNICA DE SOJA

Mariana Miller (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Enrique Ortega Rodriguez (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

A preocupação com as ações do homem sobre a natureza tem crescido ao longo dos anos. Considera-se que a agricultura é a atividade humana que mais causa impacto à biodiversidade remanescente. Este trabalho avaliou três formas de cultivo de soja: convencional ou agroquímica, herbicidas ou plantio direto e orgânica. A metodologia utilizada foi a análise emergética, que possibilita contabilizar todas as contribuições dos sistemas agrícolas, a saber, as contribuições do trabalho humano, dos recursos da economia e da natureza (renováveis e não renováveis), todos os fluxos colocam-se em termos de joules de energia solar equivalente. Os índices emergéticos, juntamente com os econômicos, permitiram avaliar os sistemas deforma integral, compará-los, escolher as melhores propostas e sugerir políticas públicas.

Desenvolvimento Sustentável XE "Desenvolvimento Sustentável"  - Sistemas de Produção de Soja XE "Sistemas de Produção de Soja"  - Economia Ecológica XE "Economia Ecológica"

BIOTRANSFORMAÇÃO DE D-LIMONENO PARA OBTENÇÃO DE COMPOSTOS DE AROMA

Mário R. Maróstica Junior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Gláucia M. Pastore (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Os monoterpenos presentes no óleo essencial de laranja provaram ser bons substratos para a ação de microrganismos (bactérias, fungos e leveduras) visando a obtenção de compostos de aroma. O limoneno é o maior constituinte do óleo essencial de laranja, atingindo concentrações de 90-95%. O objetivo deste trabalho foi encontrar uma linhagem de fungo que biotransforme o limoneno (4-isopropenil-1-metil-cloreto) em um composto de aroma de maior valor agregado como (-terpineol e/ou carvona. Nessas biotransformações utilizamos linhagens isoladas de amostras de frutas e solo, além de utilizarmos microrganismos previamente isolados, do banco de cepas do laboratório de bioaromas. As amostras de solo e de frutas foram inoculadas em meio líquido (Yeast malt) e após 48h de incubação a 30oC, foram isoladas em placas de Petri com meio PDA. A biotransformação do limoneo foi realizada cultivando os microrganismos em meio caldo extrato de malte/extrato de levedura, a 30oC/150rpm, em erlenmeyer de 125 mL contendo 40mL de meio. Após 48h de crescimento adicionou-se 200(l de limoneno ao meio, sendo essa metodologia repetida por mais 4vezes consecutivas, a cada 24h. Os produtos da biotransformação foram extraídos com acetato de etila e a fase orgânica foi analisada por cromatografia gasosa. Dos 42 microrganismos utilizados, 8 microrganismos apresentaram taxas de biotransformação maior do que 2%.

Aroma XE "Aroma"  - Compostos XE "Compostos"  - Biotransformação XE "Biotransformação"

SINERESE E CINÉTICA DE GELIFICAÇÃO DE GÉIS ÁCIDOS DE CASEÍNA-CARRAGENA

Natália Amanda Vieira Fialho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Rosiane Lopes da Cunha (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Carragenas são os polissacarídeos sulfatados mais importantes que reagem com as proteínas do leite, pois podem formar redes poliméricas, as quais são responsáveis pela firmeza de certos produtos lácteos. A formação e a estrutura resultante de géis de caseína-carragena acidificados por glucona-delta-lactona (GDL) foram avaliadas através de medidas reológicas e de sinerese. Com o intuito de examinar a estabilidade dos sistemas, os géis foram centrifugados em 5 passos de 10min cada, com rotação variando de 300 a 7800g-força e o volume de soro separado foi medido. A cinética de gelificação foi obtida através da medida das propriedades mecânicas feitas durante 10h. Géis cilíndricos foram uniaxialmente comprimidos até 80% de deformação com velocidade de 1mm/s. Os valores de tensão e deformação na ruptura e o módulo de elasticidade foram calculados através do gráfico de força versus distância. A tensão na ruptura foi da ordem de 2kPa nos géis de caseína e de 10kPa nos de caseína-carragena. Apesar dos géis de caseína-carragena terem apresentado maior valor de tensão de ruptuta, sua velocidade de cinética de gelificação foi menor, o que pode estar relacionado com a sua maior capacidade de retenção de água. O equilíbrio foi alcançado após 33h nos géis de caseína e os géis de caseína-carragena não atingiram o equilíbrio após 34h de experimento.

Gel lácteo XE "Gel lácteo"  - Propriedades mecânicas XE "Propriedades mecânicas"  - Sinerese XE "Sinerese"

ESTUDO DA AÇÃO ANTIOXIDANTE DE EXTRATOS DE CÚRCUMA, GENGIBRE E ALECRIM OBTIDOS POR EXTRAÇÃO SUPERCRÍTICA COM CO2 E CO-SOLVENTES

Patricia Franco Leal (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Angela de Almeida Meireles (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O objetivo dessa pesquisa foi estudar o poder antioxidante dos extratos de vegetais obtidos por extração supercrítica com CO2 e co-solventes (etanol, isopropanol). Foram selecionados três condimentos: gengibre, cúrcuma e alecrim, pelas propriedades que lhes foram conferidas em estudos anteriores. Esses condimentos e seus extratos apresentam efeitos anti-inflamatório, anti-histamínico, antibiótico, contra cólicas, dores de cabeça, diarréia, além de poder antioxidante. Desse modo este estudo busca analisar em qual tratamento e em qual estágio da extração supercrítica com CO2, o extrato apresenta maior ação antioxidante. O poder anti-oxidante dos extratos podem melhor ser observado através do texte da peroxidação lipídica da membrana celular (PLMC), que utiliza sangue humano. Para evitar o consumo excessivo de sangue humano, as amostras foram pré-selecionadas usando um teste mais simples, o do monofalbmitate. Com este teste, no caso do gengibre, foi possível concluir que não existe relação entre a atividade antioxidante e o tempo de extração, ou seja, a atividade antioxidante independe composição do extrato, desde que estejam presentes substâncias da classe química dos gingeróis e shogaois. Com o teste da PLMC, foi possível determinar a concentração de extrato que produz a maior inibição da reação de oxidação da parede da hemoglobina. Para concentrações muito altas, os extratos tiveram efeito contrário, ou seja, atuaram como pró-oxidante. Resultados similares foram obtidos para os extratos de cúrcuma e alecrim.

Antioxidante XE "Antioxidante"  - Extrato XE "Extrato"  - Vegetal XE "Vegetal"

INFLUÊNCIA DO AGENTE OSMÓTICO NA CINÉTICA E NA QUALIDADE DE CUBOS DE MAMÃO (Carica papaya L.) DESIDRATADOS E IMPREGNADOS POR IMERSÀO

Patrícia Rossetto Machado (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Fernanda E. X. Murr (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

A desidratação osmótica é considerada um importante método de conservação de alimentos por reduzir seu conteúdo de umidade, sem a necessidade de mudança de fase durante o processo. O objetivo do presente trabalho é estudar e modelar a cinética de desidratação. A fruta foi cortada em cubos de 20 mm. Foram utilizados dois tipos de soluções osmóticas de sacarose a 70ºBrix: uma contendo ácido cítrico 0,1M e lactato de sódio 2,4% p/p e outra com ácido láctico 0,1M e lactato de sódio 2,4% p/p. O processo foi conduzido em uma incubadora com temperatura de 30ºC e agitação 110rpm. Em relação à cinética de desidratação, tanto para a perda de água (WL) quanto o ganho de sólidos (SG), ambas as condições apresentaram comportamento semelhante, sendo que a perda de água foi muito superior ao ganho de sólidos, fato este de extrema importância uma vez que se deseja conservar ao máximo as características da fruta fresca. A qualidade do produto foi avaliada através de análises de vitamina C e carotenóides (provitamina A) após 4 horas de processo. Observou-se que quase não houve perdas de vitaminas em função do processo. Para a modelagem foi utilizado o modelo difusional, com adaptação da solução de placa plana infinita a uma geometria cúbica.

Mamão XE "Mamão"  - Desidratação XE "Desidratação"  - Osmose XE "Osmose"

ESTUDOS DAS PROPRIEDADES FUNCIONAIS DE DIETA ENTERAL COM ALIMENTOS CONVENCIONAIS

Rachel La Rocca Santos (Bolsista SAE/UNICAMP), Edma Maria de Araújo (co-orientadora) e Profa. Dra. Maria Antonia Martins Galeazzi (Orientadora), Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação - NEPA, Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

As dietas enterais com alimentos convencionais (DE) são uma opção viável para uso domiciliar. No hospital das clínicas da UNICAMP, é utilizada uma DE para pacientes em tratamento domiciliar (DEHC). Neste trabalho, foram determinadas as características físico-químicas para 1.900ml da DEHC e para 1.900ml de uma dieta enteral comercial, utilizada como padrão (DEP). As vitaminas, minerais e colesterol foram calculados com dados de tabelas de composição de alimentos. A composição centesimal foi determinada experimentalmente em base seca (proteína 13,6%, lipídeos 14,4%, cinzas 2,5%) e com dados de tabelas de composição de alimentos. Os dados da composição química teóricos e experimentais ficaram próximos. O pH encontrado foi de 7,16 e a osmolalidade de 611mOsml/L. Realizou-se também a análise reológica (DEHC é um fluido Newtoniano) e o teste de gotejamento gravitacional (80 gotas/ min). Os dados obtidos para a DEHC mostraram-se de acordo com os da Recommended Dietary Allowance (RDA), com exceção do teor das vitaminas C e A, dos minerais Na e Se ; do teor de fibras (0,27%) e da osmolalidade, que se apresentou alta, devido à alta concentração de sacarose. O custo dos ingredientes para a formulação DEHC foi de R$4,75 e para a DEP foi de R$17,64.

Nutrição enteral domiciliar XE "Nutrição enteral domiciliar"  - Alimentos convencionais XE "Alimentos convencionais"  - Características físico-químicas XE "Características físico-químicas"

PRODUÇÃO DE LIPASE POR Penicillium restrictum

Rafael Resende Maldonado (Bolsista FAPESP), Janaína Fernandes Medeiros Burkert (Doutoranda) e Profa. Dra. Maria Isabel Rodrigues (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Lipases constituem um grupo de enzimas que tem como função biológica catalisar a hidrólise de triglicerídeos para produzir ácidos graxos livres, diacilglicerídeos, monoacilglicerídeos e glicerol, tendo por este motivo amplo campo de aplicação em diversas indústrias, dentre elas na indústria de alimentos. O trabalho realizado investigou a produção de lipase por Penicillium restrictum, no qual foi estudado a influência dos nutrientes do meio de produção. Foram analisadas as variáveis independentes concentração de peptona (1 a 3%), de extrato de levedura (0 a 0,2%), de NaCl (0 a 1%) e de óleo de oliva, soja ou milho (0,5% a 1,5%), utilizando três planejamentos experimentais fracionários 24 ? 1 . Os ensaios foram realizados em frascos agitados a 30º C, 160 rpm e pH = 7,0. A resposta dos planejamentos experimentais foi a atividade enzimática de lipase determinada ao longo do tempo de fermentação. A melhor condição alcançada neste estudo foi utilizando 3,0% de peptona e 1,5% de óleo de milho, atingindo uma atividade enzimática máxima de aproximadamente 23 U/mL após 96 horas de fermentação.

Lipase XE "Lipase"  - Planejamento Experimental XE "Planejamento Experimental"  - Fermentação XE "Fermentação"

OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE DESIDRATAÇÃO-IMPREGNAÇÃO POR IMERSÃO DO PEDÚNCULO DO CAJU (Anacardium ocidentale L.)

Renata Valeriano Tonon (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Fernanda Elizabeth Xidieh Murr (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

A desidratação osmótica é um meio de reduzir o desperdício de frutas tropicais no Brasil. Produz alimentos estáveis e que possuem uma vida de prateleira maior que a própria fruta ?in natura?. Tem sido utilizada na produção de frutas de umidade intermediária, obtendo-se, muitas vezes, resultados satisfatórios. Este trabalho teve como objetivo otimizar o processo de desidratação osmótica do pedúnculo do caju em solução de sacarose e de glicose, quanto aos parâmetros de tempo, temperatura e concentração das soluções em relação às respostas de perda de água, ganho de sólidos e perda de peso. A metodologia consistiu em imergir as amostras em soluções osmóticas contidas em béqueres, com uma relação amostra/solução de 1:10, mantidas sob agitação de 100 rpm e temperaturas controladas de 30, 40 e 50ºC. As amostras foram retiradas em tempos pré-determinados para se obter o conteúdo de umidade, o qual permitiu calcular os valores das respostas mencionadas. Foram realizados ensaios experimentais de acordo com um planejamento fatorial 23 , mais pontos axiais, totalizando 17 ensaios para cada agente osmótico. Os resultados foram analisados pelo pacote estatístico STATISTICA 5.0. Em ambos os processos (desidratação em solução de sacarose e glicose), evidenciou-se a influência da temperatura, do tempo e da concentração da solução nos valores de perda de peso, perda de água e ganho de sólidos. Os valores destas respostas aumentaram com o aumento destes parâmetros. A qualidade do produto desidratado foi avaliado pelo conteúdo de ácido ascórbico ( vitamina C).

Desidratação XE "Desidratação"  - Osmótica XE "Osmótica"  - Caju XE "Caju"

ESTUDO PARA MELHORAMENTO DO SABOR DE AMÊNDOAS NÃO TORRADAS DE CUPUAÇU (Theobroma grandiflorum Schum), POR TRATAMENTO TÉRMICO CONVENCIONAL E POR MICROONDAS

Ricardo Paloschi U. de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Nelson Horácio Pezoa García (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O cupuaçu (Theobroma grandiflorum Schum) é uma das frutas mais populares da Amazônia. Das sementes devidamente fermentadas, secas e torradas, pode-se processar um produto similar ao chocolate, de excelentes características organolépticas e também extrair-se uma gordura de alta qualidade. No entanto, a amêndoa torrada de cupuaçu apresenta um sabor global muito suave, mascarado ainda pela presença de ácido acético e compostos fenólicos. O trabalho visa desenvolver ao máximo o potencial aromático destas amêndoas, utilizando-se dois tipos de tratamento: por condução térmica convencional em forno elétrico rotativo e por aplicação de microondas em forno rotativo, munido de um sistema eficiente de mistura dos grãos. Foram estabelecidas faixas de temperatura entre 40 e 100oC para ambos sistemas e faixas de tempo entre 25 a 135min para o sistema convencional e 15 e 55min para o microondas. Os melhores parâmetros de tratamento serão determinados mediante a quantificação do ácido acético, compostos fenólicos e análise sensorial. Durante o tratamento térmico estes compostos serão parcialmente consumidos e outros componentes aromáticos desejáveis serão desenvolvidos.

Cupuaçu XE "Cupuaçu"  - Microondas  XE "Microondas" -Tratamento Térmico XE "Tratamento Térmico"

DESENVOLVIMENTO DE UM EQUIPAMENTO PARA DETERMINAÇÃO DE ISOTERMAS DE SORÇÃO DE CAJU E MAMÃO

Roberto de Camargo Bisogni (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Fernanda Elizabeth Xidieh Murr (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

A atividade de água é de um dos parâmetros mais importantes que influencia o desenvolvimento dos microrganismos em alimentos, além de influir nas reações enzimáticas, oxidação de lípides, hidrólise e escurecimento não enzimático, assim como em fenômenos de ordem física, como a cristalização e retrogradação que podem ocorrer em alimentos. Neste trabalho foi desenvolvido um equipamento que utiliza o método gravimétrico dinâmico, onde o ar está sendo circulado, causando a transferência de vapor d?água para a amostra (adsorção) e da amostra para o ar(dessorção), que possibilita obter os dados experimentais, em um curto espaço de tempo. Para isso, amostras de mamão e caju ficaram expostas a diferentes umidades relativas, proporcionadas por diferentes soluções salinas saturadas à 25ºC, até que fosse atingido o equilíbrio entre a amostra e o ambiente. Os dados obtidos experimentalmente serão ajustados por diferentes modelos matemáticos (GAB e BET), e serão definidos os parâmetros para as frutas analisadas, valores esses que são pouco encontrados na literatura.

Isoterma XE "Isoterma"  - Atividade de água XE "Atividade de água"  - Frutas XE "Frutas"

FORMAÇÃO INICIAL DO ENGENHEIRO DE ALIMENTOS EM FACE DOS SABERES DA ATIVIDADE PROFISSIONAL

Sílvia Freitas Caetano (Bolsista FAPESP), Prof. Dr. Celso Costa Lopes (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA e Prof. Dr. Dario Fiorentini (Co-orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O objetivo deste resumo é investigar, de um lado, os saberes exigidos e produzidos nas diversas práticas profissionais do engenheiro de alimentos e, de outro, as possíveis contribuições e omissões do curso de Engenharia de Alimentos da FEA/UNICAMP na formação desse profissional. O material de estudo é constituído, principalmente, pelos depoimentos dos graduados obtidos por entrevista semi-estruturada que, em uma segunda etapa, serão analisados qualitativamente a partir de categorias de análise. Espera-se que o presente estudo traga informações e subsídios para a discussão, recentemente iniciada, em torno da reformulação do currículo da FEA/UNICAMP.

Formação XE "Formação"  - Saber Profissional XE "Saber Profissional"  - Entrevistas XE "Entrevistas"

AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NA ESCOLHA DE HORTIFRUTÍCOLAS NO SETOR VAREJISTA DE RIO CLARO - SP

Tania Gomes de Moraes e Prof. Dr. Antonio José de Almeida Meirelles (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

As transformações organizacionais, tecnológicas e estratégicas das grandes redes de supermercados e de varejões, as mudanças de hábitos de consumo da população decorrentes do modelo de urbanização, as novas formas de relação contratual entre o setor varejista e os produtores agrícolas, e o novo perfil de consumo da população, justificam o presente estudo, que pretende conhecer a importância dos supermercados na distribuição de hortifrutícolas no município de Rio Claro-SP, analisando o perfil do consumidor que frequenta esses estabelecimentos a partir de informações obtidas através do ticket de compra e questionário aplicado ao consumidor após a efetivação da compra. Levantou-se junto à Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, o cadastro dos estabelecimentos varejistas de produtos alimentícios de Rio Claro, segundo arrecadação de ICMS. Estimou-se em 28 o número de estabelecimentos de auto-serviços. Foi levantado junto às lojas de supermercados o fluxo de clientes por dia e aqueles de maior movimento. Os consumidores foram entrevistados após a efetivação da compra, levantando dados socioeconômicos, como renda familiar, tamanho da família, local da residência e escolaridade, bem como questões relacionadas ao local e frequência de compra de hortifrutis, além de questões que avaliassem o grau de conhecimento e consumo de hortifrutis mais sofisticados como os produtos prontos para consumo e orgânicos. Solicitou-se ao consumidor entrevistado o ticket de compra informatizado, que foi utilizado nas análises de importância do supermercado na distribuição de hortifrutis relacionando ao comportamento do consumidor e sofisticação de consumo. Para a análise dos dados elaborou-se um banco de dados com as informações coletadas.

Consumidor  XE "Consumidor"  - Hortifrutícolas XE "Hortifrutícolas"  - Varejistas XE "Varejistas"

PRODUÇÃO LEGAL E CLANDESTINA DE PALMITO NO INTERIOR E ENTORNO DO PARQUE ESTADUAL TURÍSTICO DO ALTO DO RIBEIRA ? PETAR (ASPECTOS TECNOLÓGICOS, INSTITUCIONAIS, ECONÔMICOS, SOCIAIS E ECOLÓGICOS)

Viviane Navarro Moreira (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Celso Costa Lopes (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

A palmeira juçara (Euterpe edulis M.) é um dos principais recursos explorados por famílias residentes nos remanescentes de Mata Atlântica, sendo uma atividade primária de obtenção de renda devido à fácil execução e dificuldade de fiscalização. O presente trabalho teve como objetivo caracterizar os aspectos tecnológicos, econômicos, sociais e ecológicos considerando os agentes diretamente envolvidos nas atividades de extração e processamento do palmito, tanto as de caráter legal quanto clandestino. Foram levantados dados e informações com ex-extratores e ex-processadores residentes no interior e entorno do Parque Estadual Turístico do Alto do Ribeira (PETAR), assim como agentes do desenvolvimento local. Foram acompanhadas as atividades de atuais extratores e processadores clandestinos, como também as atividades das empresas processadoras legais da região. Foi realizada a caracterização físico-química e microbiológica dos produtos obtidos das atividades acompanhadas, caracterização dos atores envolvidos e do processamento legal e clandestino, cujos aspectos obtidos levam que não é possível afirmar que: 1ª) a produção legal de palmito contemple exclusivamente procedimentos legais ou que ofereça segurança ao consumidor ou que não cause danos ecológicos; 2ª) que a produção clandestina de palmito cause danos ecológicos.

Palmito juçara XE "Palmito juçara"  - Unidades de Conservação XE "Unidades de Conservação"  - Indústrias de Alimentos XE "Indústrias de Alimentos"

VISCOSIDADES CINEMÁTICAS DE SOLUÇÕES DE POLI(ETILENO GLICÓIS)

Wong Hoi Fung (Bolsista CNPq), Luciana Ninni (Co-orientadora) e Prof. Dr. Antonio José de Almeida Meirelles (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O conhecimento de propriedades físicas dos poli(etileno glicóis) (PEGs), como viscosidade, tensão superficial, ponto de congelamento e outras, são de grande importância devido às inúmeras aplicações industriais em áreas como: farmacêutica, de plástico, têxtil e outras, como também em biotecnologia e biomedicina. Em produtos alimentícios os PEGs são utilizados como umectantes em alimentos com umidade intermediária. Já na área biotecnológica são empregados em sistemas aquosos bifásicos para separação e purificação de bio-moléculas em meios biocompatíveis, já que possuem baixa toxicidade. Devido a existência de poucos dados experimentais de viscosidade de misturas de PEGs na literatura, o presente trabalho teve como objetivo realizar medidas de viscosidade cinemática de misturas binárias (600/1000, 400/1500, 600/3350, 1000/3350 e 400/3350), ternárias (400/600/1000, 600/1000/1500, 400/1000/3350 e 1000/1500/3350) e contendo cinco componentes (400/600/1000/1500/3350) de PEGs todos numa faixa de temperatura entre o ponto de fusão do PEG de maior peso molecular na mistura e 363,15 K. Foram utilizados viscosímetros capilares calibrados Cannon-Fenske acondicionados em banho termóstatico para controle da temperatura e os modelos de contribuição de grupos GC-UNIMOD (CAO et alii,1993) e equação proposta por CRUZ et alii (2000) para a estimativa das viscosidades de misturas contendo PEGs.

Viscosidade cinemática XE "Viscosidade cinemática"  - Poli(etileno glicol) XE "Poli(etileno glicol)"  - GC-UNIMOD XE "GC-UNIMOD"

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

CÓDIGOS TURBO: CONSTRUÇÃO, ANÁLISE E DECODIFICAÇÃO

Adriano Souza Ribeiro (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Jaime Portugheis (Orientador), Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação ? FEEC, UNICAMP

Códigos turbo foram propostos por Berrou, Glavieux e Thitimajshima em 1993. Eles demonstraram através de resultados de simulações que uma relação sinal-ruído de 0,7 dB era suficiente para garantir uma probabilidade de erro de bit de  EMBED Equation.3  através do uso de um código de taxa ½ num canal AWGN. O resultado foi surpreendente pois antes não se havia chegado tão próximo da capacidade de canal (que para esta taxa é de 0,0 dB) com uma complexidade de codificação/decodificação relativamente baixa. Alguns detalhes importantes do esquema de codificação/decodificação turbo foram posteriormente esclarecidos, o que permit