A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Undefined index: fileUrl

Filename: controllers/content.php

Line Number: 95

Conteúdo - Pró-Reitoria de Pesquisa - Unicamp | Follow Science
A place to share and follow researchSubmit an Article or Content File →
Home  » 

Conteúdo - Pró-Reitoria de Pesquisa - Unicamp

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

XI CONGRESSO INTERNO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

25 a 26 de setembro de 2003

Realização

Pró-Reitoria de Pesquisa

PIBIC/CNPq

Pró-Reitoria de Graduação

Serviço de Apoio ao Estudante - SAE

Responsável pela coordenação do PIBIC/CNPq na Pró-Reitoria de Pesquisa

Cleonice M. Salvador Bassi

Responsável pela coordenação das Bolsas de IC no Serviço de Apoio ao Estudante

José Adailton de Oliveira

Coordenador do Serviço de Apoio ao Estudante - SAE

Marco Aurélio Cremasco

Comitê Organizador do Congresso

Profa. Dra. Afira Vianna Ripper (Faculdade de Educação)

Profa. Dra. Carola Dobrigkeit Chinellato (Instituto de Física "Gleb Wataghin")

Prof. Dr. Eduardo Tavares Costa (Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação)

Prof. Dr. Eusébio Lobo da Silva (Instituto de Artes)

Profa. Dra. Fosca Pedini Pereira Leite (Instituto de Biologia)

Prof. Dr. José Roberto de França Arruda (Faculdade de Engenharia Mecânica)

Prof. Dr. Lourenço Sbragia Neto (Faculdade de Ciências Médicas)

Prof. Dr. Marcelo Knobel (Instituto de Física ?Gleb Wataghin?)

Profa. Dra. Maria Helena Baena de Moraes Lopes (Faculdade de Ciências Médicas)

Profa. Dra. Meuris Gurgel Carlos da Silva (Faculdade de Engenharia Química)

Prof. Dr. Oscar Antonio Braunbeck (Faculdade de Engenharia Agrícola)

Prof. Dr. Paulo Mazzafera (Instituto de Biologia)

Prof. Dr. Roberto de Alencar Lotufo (Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação)

Prof. Dr. Rodney Carlos Bassanezi (Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica)

Prof. Dr. Sérgio Tonini Button (Faculdade de Engenharia Mecânica)

Secretaria Executiva do Evento

Cleonice M. Salvador Bassi (Pró-Reitoria de Pesquisa)

Maria Luisa Fernandes Custódio (Pró-Reitoria de Graduação / Serviço de Apoio ao Estudante)

Projeto Gráfico

Luciane Raquel Gardesani e Adageisa Rodrigues

Centro de Comunicação

Edição do Livro de Resumos

Maura Regina Garcia e Cláudio Roberto Martinez Filho

Centro de Computação

Campinas

2003

XI Congresso Interno de Iniciação Científica da UNICAMP, 25 a 26 de setembro de 2003

FICHA CATALOGRÁFICA ELABORADA PELA

BIBLIOTECA CENTRAL DA UNICAMP

Congresso Interno de Iniciação Científica, 11., Campinas,

C76c 2003

Caderno de Resumos. Campinas, S.P.: UNICAMP/Pró-Reitoria de Pesquisa, 2003.

1. Pesquisa - Congressos. I. Título

20.CDD - 507.2

Índice para Catálogo Sistemático.

1. Pesquisa - Congressos 507.2

UNICAMP

Pró-Reitoria de Pesquisa/PIBIC/CNPq Pró-Reitoria de Graduação/SAE

Cidade Universitária "Zeferino Vaz" Cidade Universitária "Zeferino Vaz"

Prédio da Reitoria Prédio do Ciclo Básico

( 6197 ( 6137

( (0xx19)3788-4891 ( (0xx19)3788-7016

CEP 13.083-970 ? Campinas - S.P. ? Brasil

Reitor da Universidade Estadual de Campinas

Carlos Henrique de Brito Cruz

Coordenador Geral da Universidade

José Tadeu Jorge

Pró-Reitor de Desenvolvimento Universitário

Paulo Eduardo Moreira Rodrigues da Silva

Pró-Reitor de Extensão e Assuntos Comunitários

Rubens Maciel Filho

Pró-Reitor de Pesquisa

Fernando Ferreira Costa

Pró-Reitor de Pós-Graduação

Daniel Joseph Hogan

Pró-Reitor de Graduação

José Luiz Boldrini

Apresentação

A atividade de iniciação científica na UNICAMP vem aumentando em qualidade e quantidade de forma sistemática, atraindo crescente interesse tanto do corpo discente quanto do corpo docente da universidade. Além das bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC/CNPq - e das bolsas oferecidas pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP -, a UNICAMP possui um programa de bolsas com recursos próprios, através do Serviço de Apoio ao Estudante, SAE. Em 2002 foram atribuídas 280 bolsas pelo programa PIBIC/CNPq, 220 bolsas pesquisa pelo SAE/UNICAMP, 286 bolsas pela FAPESP e 146 bolsas em projetos integrados do CNPq, totalizando 932 bolsas. Os principais impactos do programa são a melhor preparação para a pós-graduação e o desenvolvimento do raciocínio independente, da criatividade e do método no tratamento de novos problemas que esta experiência proporciona aos estudantes envolvidos.

A UNICAMP conta atualmente com 1805 docentes, sendo 98% com titulação de doutor. Conta ainda com 13.276 alunos de graduação e 8.415 alunos de pós-graduação. Como resultado das atividades dos alunos de pós-graduação, no ano de 2002 foram defendidas 1.172 Dissertações de Mestrado e 692 Teses de Doutorado. Dentre os que defenderam tese incluem-se numerosos alunos que participaram do programa de iniciação científica do CNPq. A Pró-Reitoria de Pesquisa tem grande interesse em continuar estimulando a Iniciação Científica na UNICAMP, em função de sua importância e dos bons resultados alcançados até o momento.

Em termos da demanda apresentada em 2002 junto ao Programa Integrado de bolsas de Iniciação Científica, englobando o PIBIC/CNPq e as Bolsas Pesquisa do Serviço de Apoio ao Estudante - SAE, dos 777 projetos recebidos, 634 tinham mérito acadêmico científico para serem financiados, representando, portanto, 82% de projetos bem qualificados em relação à demanda bruta, conforme Tabela abaixo:

Área

Demanda em 2002

Demanda Qualificada em 2002

Excelentes

Boas

Boas com Reservas

Concessões PIBIC/CNPq

Concessões SAE

Artes

23

19

2

15

2

8

7

Biomédicas

208

157

33

77

47

69

55

Exatas

133

106

14

50

42

47

36

Humanas

127

108

33

44

31

48

37

Tecnológicas

286

244

25

127

92

108

85

No ano de 2003, a Pró-Reitoria de Pesquisa da UNICAMP recebeu 939 inscrições junto ao Programa Integrado de Bolsas de Iniciação Científica, ainda englobando o PIBIC/CNPq e as Bolsas Pesquisa do Serviço de Apoio ao Estudante - SAE, representando um aumento de 20% em relação à demanda do ano anterior, de acordo com os dados abaixo:

Área do Projeto

Inscritos em 2003 para obtenção de Bolsa de Iniciação Científica PIBIC/CNPq e Bolsa Pesquisa SAE

ARTES

32

BIOMÉDICAS

231

EXATAS

203

HUMANAS

165

TECNOLÓGICAS

308

Total

939

Na UNICAMP os projetos de iniciação científica estão sujeitos a um criterioso acompanhamento. Além de um rigoroso processo de seleção, durante a vigência da bolsa cada bolsista deve apresentar dois relatórios, que são analisados por seu orientador e pelos assessores do Comitê Assessor das Pró-Reitorias de Pesquisa e de Graduação.

A realização deste XI Congresso Interno de Iniciação Científica da UNICAMP reitera a consolidação da atividade de pesquisa entre os alunos do ensino de graduação em todas as grandes áreas do conhecimento. Neste ano temos a apresentação de 628 trabalhos científicos. Esta presença ilustra o interesse dos estudantes em prestigiar o evento, devido à sua ressonância no âmbito da Universidade e mesmo externamente a esta. Abaixo estão representadas as inscrições por Área junto ao Congresso deste ano:

Área do Trabalho

Inscritos junto ao XI Congresso Interno de Iniciação Científica da UNICAMP

ARTES

21

BIOMÉDICAS

168

EXATAS

110

HUMANAS

110

TECNOLÓGICAS

219

A atividade de iniciação científica é considerada institucionalmente como uma das atividades estratégicas das áreas de ensino e pesquisa da UNICAMP, merecendo por parte da administração total suporte e atenção. Nesta oportunidade, a UNICAMP agradece o apoio efetivo e a confiança depositada pelo CNPq no trabalho que vem sendo desenvolvido.

As Pró-Reitorias de Pesquisa e de Graduação, responsáveis pela coordenação do programa de iniciação científica, manifestam seus agradecimentos aos membros efetivos do Comitê Assessor e aos assessores ?ad-hoc? que participaram do processo de seleção de bolsistas e da avaliação dos relatórios pelo precioso tempo dedicado às várias atividades que viabilizam e garantem a qualidade do abrangente programa de iniciação científica da UNICAMP. Da mesma forma, aproveitam a oportunidade para externar seus agradecimentos aos membros dos Comitês Organizadores deste XI Congresso Interno de Iniciação Científica da UNICAMP e a todos os orientadores e estudantes que participam do programa e do evento.

Pró-Reitoria de Pesquisa, UNICAMP, setembro de 2003.

Prof. Dr. Fernando Ferreira Costa

Pró-Reitor de Pesquisa

Prof. Dr. José Luiz Boldrini

Pró-Reitor de Graduação

Comitê Assessor PRP/PRG nomeado em 26 de julho de 2002 pela Portaria Interna PRP Nº 01/2002, com representantes das Áreas de Artes, Biológicas, Exatas, Humanas e Tecnológicas, sob a coordenação das Pró-Reitorias de Pesquisa e de Graduação, responsável pela seleção de orientadores, bolsistas e projetos e pelo acompanhamento e avaliação do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC/CNPq (administrado pela Pró-Reitoria de Pesquisa) e pelo Programa de Bolsas Pesquisa do Serviço de Apoio ao Estudante (administrado pela Pró-Reitoria de Graduação), referente às quotas de bolsas que deverão vigorar no período de 01 de agosto de 2002 a 31 de julho de 2003.

ARTES

Assessor(A) ? Prof.(A) Dr.(A)

Unidade

Departamento

Aci Taveira Meyer

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE MÚSICA

ANTONIO RAFAEL CARVALHO DOS SANTOS

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE MÚSICA

Eusébio Lobo da Silva

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES CORPORAIS

Helena Jank

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE MÚSICA

Paulo Mugayar Kuhl

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES PLÁSTICAS

Sara Pereira Lopes

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES CÊNICAS

BIOLÓGICAS

Assessor(a) ? Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

ANTONIO CONDINO NETO

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE PEDIATRIA

eliete maria silva

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

FERNANDA APARECIDA CINTRA

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

FERNANDO CENDES

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE NEUROLOGIA

GIL GUERRA JUNIOR

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE PEDIATRIA

Heitor Moreno Júnior

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE FARMACOLOGIA

irene gyongyver heidemarie lorand metze

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

ISCIA TERESINHA LOPES CENDES

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA MEDICA

José Antonio Rocha Gontijo

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MEDICA

josé guilherme cecatti

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE TOCOGINECOLOGIA

juvenal ricardo navarro goes

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

Kleber Gomes Franchini

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

KONRADIN METZE

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ANATOMIA PATOLÓGICA

LAURA STERIAN WARD

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

LOURENÇO SBRAGIA NETO

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

LUIS GUILLERMO BAHAMONDES

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE TOCOGINECOLOGIA

LUIZ CARLOS ZEFERINO

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE TOCOGINECOLOGIA

MARIA CECILIA CARDOSO BENATTI

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

MARIA DE FÁTIMA SONATI

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE PATOLOGIA CLÍNICA

NEUSA MARIA COSTA ALEXANDRE

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

Ricardo de Lima Zollner

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

Sigisfredo Luís Brenelli

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

ELIZABETH PAOLIELLO MACHADO DE SOUZA

Faculdade de Educação Física

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO MOTORA

Paulo Ferreira de Araújo

Faculdade de Educação Física

DEPARTAMENTO DE ESTUDOS DA ATIVIDADE FÍSICA ADAPTADA

Ricardo Machado Leite de Barros Neto

Faculdade de Educação Física

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO MOTORA

Luiz André Freire Pimenta

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO ODONTO-RESTAURADORA

Oswaldo Di Hipólito Júnior

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO DE DIAGNÓSTICO ORAL

Thales Rocha de Mattos Filho

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS

ANA MARIA LIMA DE AZEREDO ESPIN

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO

ANTONIO ARI GONCALVES

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E BIOFÍSICA

ARÍCIO XAVIER LINHARES

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA

ELIANA MARIA ZANOTTI MAGALHAES

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA

EVERARDO MAGALHÃES CARNEIRO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E BIOFÍSICA

GONÇALO AMARANTE GUIMARÃES PEREIRA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO

HERNANDES FAUSTINO DE CARVALHO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA CELULAR

IONE SALGADO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA

JOSE CAMILLO NOVELLO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA

josé roberto trigo

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA

Kikyo Yamamoto

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BOTÂNICA

LUIS ANTONIO VIOLIN DIAS PEREIRA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

Maria Alice da Cruz HÖfling

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

Paulo Sérgio M. Carvalho de Oliveira

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA

SANDRA MARIA CARMELLO GUERREIRO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BOTÂNICA

SARAH ARANA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

adilson leite

Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (CBMEG)

CBMEG

EXATAS

Assessor(a) ? Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

Célio Cardoso Guimarães

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO

Ricardo Dahab

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE TEORIA DA COMPUTAÇÃO

RICARDO PANNAIN

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO

ANDERSON CAMPOS FAUTH

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE RAIOS CÓSMICOS

ANTONIO VIDIELLA BARRANCO

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA QUÂNTICA

Francisco das Chagas Marques

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE FÍSICA APLICADA

Iris Concepcion Linares de Torriani

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE FÍSICA DA MATÉRIA CONDENSADA

José Augusto Chinellato

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE RAIOS CÓSMICOS

NEWTON CESARIO FRATESCHI

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE FÍSICA APLICADA

ardemirio de barros silva

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE METALOGÊNESE E GEOQUÍMICA

CARLOS ROBERTO DE SOUZA FILHO

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE METALOGÊNESE E GEOQUÍMICA

LUCI HIDALGO NUNES

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS AO ENSINO

Saul Barisnick Suslick

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E POLÍTICA RECURSOS MINERAIS

Ana Friedlander de Martinez Perez

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA APLICADA

ANTONIO PAQUES

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

Martin Tygel

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA APLICADA

PAULO ROBERTO BRUMATTI

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

PLAMEN EMILOV KOCHLOUKOV

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

SAMUEL ROCHA DE OLIVEIRA

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA APLICADA

CLAUDIO AIROLDI

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA INORGÂNICA

JOAO CARLOS DE ANDRADE

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ANALÍTICA

Maria Izabel Maretti Silveira Bueno

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ANALÍTICA

MUNIR SALOMAO SKAF

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FÍSICO-QUÍMICA

Paulo José Samenho Moran

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ORGÂNICA

Paulo Mitsuo Imamura

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ORGÂNICA

ROBERTO RITTNER NETO

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ORGÂNICA

Ulf Friedrich Schuchardt

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA INORGÂNICA

HUMANAS

Assessor(a) ? Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

ANA LUIZA BUSTAMANTE SMOLKA

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA EDUCACIONAL

ANNA REGINA LANNER DE MOURA

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE METODOLOGIA DE ENSINO

GUILHERME DO VAL TOLEDO PRADO

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE METODOLOGIA DE ENSINO

HELOISA HELENA PIMENTA ROCHA

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA E HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

LUCI BANKS LEITE

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA EDUCACIONAL

ROBERTA GURGEL AZZI

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA EDUCACIONAL

ROSELI APARECIDA CAÇÃO FONTANA

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE METODOLOGIA DE ENSINO

Antonio Carlos Macedo e Silva

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA E HISTÓRIA ECONÔMICA

Cláudio Schuller Maciel

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE TEORIA ECONÔMICA

JOSE RICARDO BARBOSA GONÇALVES

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA E HISTÓRIA ECONÔMICA

Lígia Maria Osório Silva

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA E HISTÓRIA ECONÔMICA

ANGEL HUMBERTO CORBERA MORI

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA

Eleonora Cavalcante Albano

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA

FLAVIO RIBEIRO DE OLIVEIRA

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA

Márcia Azevedo de Abreu

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE TEORIA LITERÁRIA

Maria Augusta Bastos de Mattos

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA APLICADA

MATILDE VIRGINIA RICARDI SCARAMUCCI

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA APLICADA

MIRIAM VIVIANA GARATE

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE TEORIA LITERÁRIA

MONICA GRACIELA ZOPPI FONTANA

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA

ORNA MESSER LEVIN

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE TEORIA LITERÁRIA

Alcides Hector Rodriguez Benoit

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA

Célia Maria Marinho Azevedo

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

ELIANE MOURA DA SILVA

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

ROSANA APARECIDA BAENINGER

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA

ANDRÉ TOSI FURTADO

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

CARLOS ALBERTO LOBÃO DA SILVEIRA CUNHA

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS AO ENSINO

LEDA MARIA CAIRA GITAHY

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

MÁRCIO ANTONIO CATAIA

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

MARIA MARGARET LOPES

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS AO ENSINO

MARIA TEREZA DUARTE PAES LUCHIARI

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS AO ENSINO

Regina Célia Bega dos Santos

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS AO ENSINO

RICARDO ABID CASTILLO

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS AO ENSINO

TECNOLÓGICAS

Assessor(a) ? Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

ANTONIO CARLOS DE OLIVEIRA FERRAZ

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

ANTONIO LUDOVICO BERALDO

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÕES RURAIS

EDSON EIJI MATSURA

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E SOLO

Irenilza de Alencar Naas

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÕES RURAIS

JANSLE VIEIRA ROCHA

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE PLANEJ. E DESENV. RURAL SUSTENTÁVEL

Kil Jin Park

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTODE PRE-PROCES. DE PROD. AGRO-PECUÁRIOS

MARIANGELA AMENDOLA

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE PLANEJ. E DESENV. RURAL SUSTENTÁVEL

OSCAR ANTONIO BRAUNBECK

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

Paulo Sérgio G. Magalhães

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

ROBERTO TESTEZLAF

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E SOLO

SYLVIO LUIS HONORIO

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE PRE-PROCES. DE PROD. AGRO-PECUÁRIOS

DORIS CATHARINE C K KOWALTOWSKI

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO CIVIL

Eglé Novaes Teixeira

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE SANEAMENTO E AMBIENTE

Leandro Palermo Júnior

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ESTRUTURAS

Lucila chebel labaki

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO CIVIL

Maria Cecília Amorim T. da Silva

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ESTRUTURAS

EDIR NEPOMUCENO DA SILVA

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

ENRIQUE ORTEGA RODRIGUEZ

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

FERNANDA ELIZABETH XIDIEH MURR

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

FLAVIA MARIA NETTO

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO ALIMENTAR E NUTRIÇÃO

Hélia Harumi Sato

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DE ALIMENTOS

Luiz Antonio Viotto

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

ROSIANE LOPES DA CUNHA

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Satoshi Tobinaga

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Alice Maria Bastos Hubinger Tokarnia

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTODE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

ERNESTO RUPPERT FILHO

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E CONTROLE DE ENERGIA

João Bosco Ribeiro do Val

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMÁTICA

PAULO MORELATO FRANÇA

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SISTEMAS

Pedro Luís Dias Peres

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMÁTICA

Reginaldo Palazzo Júnior

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMÁTICA

CÉLIA MARINA DE ALVARENGA FREIRE

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

Celso Kazuyuki Morooka

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DO PETRÓLEO

EUGENIO JOSE ZOQUI

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO

Franco Giuseppe Dedini

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE PROJETO MECÂNICO

JOAO MAURICIO ROSARIO

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE PROJETO MECÂNICO

Kamal Abdel Radi Ismail

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA TÉRMICA E FLUIDOS

MARIA CLARA FILIPPINI IERARDI

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

PABLO SIQUEIRA MEIRELLES

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

Renato Pavanello

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

REZENDE GOMES DOS SANTOS

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

ROBSON PEDERIVA

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE PROJETO MECÂNICO

SERGIO NASCIMENTO BORDALO

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DO PETRÓLEO

SERGIO TONINI BUTTON

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

ANGELA MARIA MORAES

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS BIOTECNOLÓGICOS

ELIZABETE JORDÃO

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTODE ENGENHARIA DE SISTEMAS QUÍMICOS

GUSTAVO PAIM VALENÇA

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS

JOAO SINEZIO DE CARVALHO CAMPOS

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE POLÍMEROS

Liliane Maria Ferrareso Lona

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS

MARCO AURELIO CREMASCO

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINÂMICA

Maria Regina Wolf Maciel

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS

Meuris Gurgel Carlos da Silva

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINÂMICA

Osvaldir Pereira Taranto

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINÂMICA

ROGER JOSEF ZEMP

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SISTEMAS QUÍMICOS

sandra cristina dos santos rocha

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINÂMICA

Comitê Assessor PRP/PRG nomeado em 30 de junho de 2003 pela Portaria Interna PRP Nº 02/2003, com representantes das Áreas de Artes, Biológicas, Exatas, Humanas e Tecnológicas, sob a coordenação das Pró-Reitorias de Pesquisa e de Graduação, responsável pela seleção de orientadores, bolsistas e projetos e pelo acompanhamento e avaliação do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC/CNPq (administrado pela Pró-Reitoria de Pesquisa) e pelo Programa de Bolsas Pesquisa do Serviço de Apoio ao Estudante (administrado pela Pró-Reitoria de Graduação), referente às quotas de bolsas que deverão vigorar no período de 01 de agosto de 2003 a 31 de julho de 2004.

ARTES

Assessor(a) ? Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

ACI TAVEIRA MEYER

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE MÚSICA

ANTONIO RAFAEL CARVALHO DOS SANTOS

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE MÚSICA

Eusébio Lobo da Silva

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES CORPORAIS

Helena Jank

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE MÚSICA

Paulo Mugayar Kuhl

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES PLÁSTICAS

Sara Pereira Lopes

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES CÊNICAS

BIOLÓGICAS

Assessor(a) ? Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

MARICILDA PALANDI DE MELLO

CBMEG

ANTONIO CONDINO NETO

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE PEDIATRIA

eliete maria silva

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

ELZA COTRIM SOARES

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

FERNANDA APARECIDA CINTRA

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

FERNANDO CENDES

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE NEUROLOGIA

GLORIA MARIA BRAGA POTERIO

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ANESTESIOLOGIA

Heitor Moreno Júnior

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE FARMACOLOGIA

ILKA DE FATIMA SANTANA FERREIRA BOIN

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

irene gyongyver heidemarie lorand metze

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

ISCIA TERESINHA LOPES CENDES

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA MÉDICA

José Antonio Rocha Gontijo

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLINICA MÉDICA

josé guilherme cecatti

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE TOCOGINECOLOGIA

Kleber Gomes Franchini

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

KONRADIN METZE

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ANATOMIA PATOLÓGICA

LAURA STERIAN WARD

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

LOURENÇO SBRAGIA NETO

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

LUIS GUILLERMO BAHAMONDES

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE TOCOGINECOLOGIA

MARIA CECILIA CARDOSO BENATTI

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

MARIA DE FÁTIMA SONATI

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE PATOLOGIA CLÍNICA

MARIA MARLUCE DOS SANTOS VILELA

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE PEDIATRIA

NEUSA MARIA COSTA ALEXANDRE

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

Ricardo de Lima Zollner

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

Sigisfredo Luís Brenelli

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

HELOISA HELENA BALDY DOS REIS

Faculdade de Educação Física

DEPARTAMENTO DE ESTUDOS DO LAZER

LUIZ EDUARDO BARRETO MARTINS

Faculdade de Educação Física

DEPARTAMENTO DE ESTUDOS DA ATIVIDADE FÍSICA ADAPTADA

MARIANGELA GAGLIARDI CARO SALVE

Faculdade de Educação Física

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DO ESPORTE

Ricardo Machado Leite de Barros Neto

Faculdade de Educação Física

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO MOTORA

ALTAIR ANTONINHA DEL BEL CURY

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO DE PRÓTESE E PERIODONTIA

ANTONIO CARLOS PEREIRA

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO ODONTO-SOCIAL

CÍNTHIA PEREIRA MACHADO TABCHOURY

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS

Luiz André Freire Pimenta

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO ODONTO-RESTAURADORA

REGINALDO BRUNO GONÇALVES

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO DE DIAGNÓSTICO ORAL

SÉRGIO ROBERTO PERES LINE

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO DE MORFOLOGIA

SIMONIDES CONSANI

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO ODONTO-RESTAURADORA

Thales Rocha de Mattos Filho

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS

ANA MARIA LIMA DE AZEREDO ESPIN

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO

ANETE PEREIRA DE SOUZA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO

ANTONIO ARI GONCALVES

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E BIOFÍSICA

ARÍCIO XAVIER LINHARES

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA

DOMINGOS DA SILVA LEITE

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA

ELIANA MARIA ZANOTTI MAGALHAES

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA

ENEIDA DE PAULA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA

EVERARDO MAGALHÃES CARNEIRO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E BIOFÍSICA

GONÇALO AMARANTE GUIMARÃES PEREIRA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO

IONE SALGADO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA

JOSE CAMILLO NOVELLO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA

josé roberto trigo

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA

Kikyo Yamamoto

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BOTÂNICA

LUIS ANTONIO VIOLIN DIAS PEREIRA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

Maria Alice da Cruz HÖfling

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

MARIA DO CARMO ESTANISLAU DO AMARAL

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BOTÂNICA

Paulo Sérgio M. Carvalho de Oliveira

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA

SANDRA MARIA CARMELLO GUERREIRO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BOTÂNICA

SARAH ARANA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

EXATAS

Assessor(a) ? Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

CELIA PICININ DE MELLO

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE TEORIA DA COMPUTAÇÃO

Célio Cardoso Guimarães

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO

FLÁVIO KEIDI MIYAZAWA

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE TEORIA DA COMPUTAÇÃO

Ricardo Dahab

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE TEORIA DA COMPUTAÇÃO

RICARDO PANNAIN

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO

ANDERSON CAMPOS FAUTH

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE RAIOS CÓSMICOS

ANTONIO VIDIELLA BARRANCO

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA QUÂNTICA

Francisco das Chagas Marques

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE FÍSICA APLICADA

Iris Concepcion Linares de Torriani

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE FÍSICA DA MATÉRIA CONDENSADA

José Augusto Chinellato

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE RAIOS CÓSMICOS

CARLOS ROBERTO DE SOUZA FILHO

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE METALOGÊNESE E GEOQUÍMICA

LUCI HIDALGO NUNES

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

MAURICIO COMPIANI

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS AO ENSINO

ROBERTO PEREZ XAVIER

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA E RECURSOS NATURAIS

Saul Barisnick Suslick

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E POLÍTICA RECURSOS MINERAIS

Ana Friedlander de Martinez Perez

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA APLICADA

ANTONIO PAQUES

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

LÚCIO TUNES DOS SANTOS

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA APLICADA

MILTON DA COSTA LOPES FILHO

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

PAULO ROBERTO BRUMATTI

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

PLAMEN EMILOV KOCHLOUKOV

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

SAMUEL ROCHA DE OLIVEIRA

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA APLICADA

CARLOS ROQUE DUARTE CORREIA

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ORGÂNICA

HELOISE DE OLIVEIRA PASTORE

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ANALÍTICA

INÉS JOEKES

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FÍSICO-QUÍMICA

INEZ VALERIA PAGOTTO YOSHIDA

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA INORGÂNICA

JOÃO CARLOS DE ANDRADE

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ANALÍTICA

JOSÉ AUGUSTO ROSÁRIO RODRIGUES

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ORGÂNICA

MARCO AURELIO ZEZZI ARRUDA

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ANALÍTICA

MATTHIEU TUBINO

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ANALÍTICA

MUNIR SALOMAO SKAF

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FÍSICO-QUÍMICA

NELSON HENRIQUE MORGON

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FÍSICO-QUÍMICA

Paulo José Samenho Moran

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ORGÂNICA

Paulo Mitsuo Imamura

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ORGÂNICA

ROBERTO RITTNER NETO

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ORGÂNICA

SOLANGE CADORE

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ANALÍTICA

SUSANNE RATH

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ANALÍTICA

Ulf Friedrich Schuchardt

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA INORGÂNICA

Watson LOH

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FÍSICO-QUÍMICA

HUMANAS

Assessor(a) ? Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

ANA LÚCIA GOULART DE FARIA

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS A EDUCAÇÃO

ANA LUIZA BUSTAMANTE SMOLKA

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA EDUCACIONAL

ANNA REGINA LANNER DE MOURA

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE METODOLOGIA DE ENSINO

GUILHERME DO VAL TOLEDO PRADO

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE METODOLOGIA DE ENSINO

HELOISA HELENA PIMENTA ROCHA

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA E HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

LUCI BANKS LEITE

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA EDUCACIONAL

ROBERTA GURGEL AZZI

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA EDUCACIONAL

ANGELA ANTONIA KAGEYAMA

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA E HISTÓRIA ECONOMICA

Antonio Carlos Macedo e Silva

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA E HISTÓRIA ECONÔMICA

Cláudio Schuller Maciel

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE TEORIA ECONÔMICA

DAVID DEQUECH FILHO

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE TEORIA ECONÔMICA

JOSÉ RICARDO BARBOSA GONÇALVES

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA E HISTÓRIA ECONÔMICA

Lígia Maria Osório Silva

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA E HISTÓRIA ECONÔMICA

ANGEL HUMBERTO CORBERA MORI

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA

EDSON FRANÇOSO

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA

Eleonora Cavalcante Albano

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA

FLÁVIO RIBEIRO DE OLIVEIRA

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA

LEONARDO AFFONSO DE MIRANDA PEREIRA

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE TEORIA LITERÁRIA

Maria Augusta Bastos de Mattos

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA APLICADA

MARIA JOSÉ RODRIGUES FARIA CORACINI

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA APLICADA

MATILDE VIRGINIA RICARDI SCARAMUCCI

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA APLICADA

MIRIAM VIVIANA GARATE

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE TEORIA LITERÁRIA

MONICA GRACIELA ZOPPI FONTANA

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUÍSTICA

Alcides Hector Rodriguez Benoit

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA

ELIANE MOURA DA SILVA

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

LEANDRO KARNAL

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

LUCAS ANGIONI

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA

LUZIA MARGARETH RAGO

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

RACHEL MENEGUELLO

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA

ROSANA APARECIDA BAENINGER

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA

SHIGUENOLI MIYAMOTO

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA

SILVIA HUNOLD LARA

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

CARLOS ALBERTO LOBÃO DA SILVEIRA CUNHA

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS AO ENSINO

LEDA MARIA CAIRA GITAHY

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE POLÍTICA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

MÁRCIO ANTONIO CATAIA

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

MARIA MARGARET LOPES

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS AO ENSINO

MARIA TEREZA DUARTE PAES LUCHIARI

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

Regina Célia Bega dos Santos

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

RICARDO ABID CASTILLO

Instituto de Geociências

DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

TECNOLÓGICAS

Assessor(a) ? Prof.(a) Dr.(a)

Unidade

Departamento

ANTONIO CARLOS DE OLIVEIRA FERRAZ

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

ANTONIO LUDOVICO BERALDO

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÕES RURAIS

DAVID DE CARVALHO

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÕES RURAIS

EDSON EIJI MATSURA

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E SOLO

Irenilza de Alencar Naas

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÕES RURAIS

JANSLE VIEIRA ROCHA

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE PLANEJ. E DESENV. RURAL SUSTENTÁVEL

MARIANGELA AMENDOLA

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE PLANEJ. E DESENV. RURAL SUSTENTÁVEL

OSCAR ANTONIO BRAUNBECK

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

Paulo Sérgio G. Magalhães

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

raquel gonçalves

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÕES RURAIS

ROBERTO TESTEZLAF

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E SOLO

ALOISIO ERNESTO ASSAN

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ESTRUTURAS

DORIS CATHARINE C K KOWALTOWSKI

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO CIVIL

Eglé Novaes Teixeira

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE SANEAMENTO E AMBIENTE

EMILIA WANDA RUTKOWSKI

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE SANEAMENTO E AMBIENTE

Leandro Palermo Júnior

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ESTRUTURAS

Lucila chebel labaki

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO CIVIL

Maria Cecília Amorim T. da Silva

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ESTRUTURAS

ADRIANA ZERLOTTI MERCADANTE

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DE ALIMENTOS

ENRIQUE ORTEGA RODRIGUEZ

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

FELIX GUILLERMO REYES REYES

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DE ALIMENTOS

FERNANDA ELIZABETH XIDIEH MURR

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

FLAVIA MARIA NETTO

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO ALIMENTAR E NUTRIÇÃO

HELENA MARIA ANDRE BOLINI CARDELLO

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO ALIMENTAR E NUTRICAO

Hélia Harumi Sato

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DE ALIMENTOS

HILARY CASTLE DE MENEZES

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

LÚCIA MARIA VALENTE SOARES

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DE ALIMENTOS

LÚCIA REGINA DURRANT

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DE ALIMENTOS

MARIA ANGELA DE ALMEIDA MEIRELES

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

ROSIANE LOPES DA CUNHA

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

ERNESTO RUPPERT FILHO

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E CONTROLE DE ENERGIA

IOSHIAKI DOI

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS COMPONENTES E SISTEMAS INTELIGENTES

João Bosco Ribeiro do Val

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMÁTICA

MAURÍCIO FERREIRA MAGALHAES

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

PAULO CARDIERI

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÕES

Pedro Luís Dias Peres

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMÁTICA

Reginaldo Palazzo Júnior

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMÁTICA

CÉLIA MARINA DE ALVARENGA FREIRE

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

Celso Kazuyuki Morooka

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DO PETRÓLEO

Kamal Abdel Radi Ismail

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA TÉRMICA E FLUIDOS

MARIA CLARA FILIPPINI IERARDI

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

PABLO SIQUEIRA MEIRELLES

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

Renato Pavanello

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

REZENDE GOMES DOS SANTOS

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

ROBSON PEDERIVA

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE PROJETO MECÂNICO

SÉRGIO NASCIMENTO BORDALO

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DO PETRÓLEO

SÉRGIO TONINI BUTTON

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

ANGELA MARIA MORAES

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS BIOTECNOLÓGICOS

ELIAS BASILE TAMBOURGI

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SISTEMAS QUÍMICOS

ELIZABETE JORDÃO

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SISTEMAS QUÍMICOS

JOÃO SINEZIO DE CARVALHO CAMPOS

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE POLÍMEROS

Liliane Maria Ferrareso Lona

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS

MARCO AURÉLIO CREMASCO

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINÂMICA

Maria Regina Wolf Maciel

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS

Meuris Gurgel Carlos da Silva

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINÂMICA

Osvaldir Pereira Taranto

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINÂMICA

sandra cristina dos santos rocha

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINÂMICA

THEO GUENTER KIECKBUSCH

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE TERMOFLUIDODINÂMICA

Comitê Assessor da Pró-Reitoria de Pesquisa nomeado em 24 de março de 2003 pela Portaria Interna PRP Nº 01/2003, constituído por 38 (trinta e oito) membros efetivos, representantes das Áreas de Artes, Biológicas, Exatas, Humanas, Saúde e Tecnológicas, responsável pela seleção dos melhores trabalhos apresentados no XI Congresso Interno de Iniciação Científica da UNICAMP.

ARTES

Docente

Unidade

Departamento

ADRIANA GIAROLA KAYAMA

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE MÚSICA

Sara Pereira Lopes

cOORDENADOR(A) DA áREA

Instituto de Artes

DEPARTAMENTO DE ARTES CêNICAS

BIOLÓGICAS

Docente

UNIDADE

DEPARTAMENTO

Antonio Carlos Boschero

cOORDENADOR(A) DA áREA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E BIOFíSICA

JOSE CAMILLO NOVELLO

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE BIOQUíMICA

LADASLAV SODEK

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA VEGETAL

Maria Alice da Cruz HÖfling

cOORDENADOR(A) DA áREA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

PAULO MAZZAFERA

Instituto de Biologia

DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA VEGETAL

EXATAS

DOCENTE

UNIDADE

DEPARTAMENTO

Ricardo Dahab

Instituto de Computação

DEPARTAMENTO DE TEORIA DA COMPUTAçãO

DOUGLAS SOARES GALVÃO

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE FÍSICA APLICADA

Iris Concepcion Linares de Torriani

Instituto de Física

DEPARTAMENTO DE FíSICA DA MATéRIA CONDENSADA

JAYME VAZ JUNIOR

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA APLICADA

CARLOS ROQUE DUARTE CORREIA

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ORGÂNICA

CELSO APARECIDO BERTRAN

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FÍSICO-QUÍMICA

MARCO AURÉLIO ZEZZI ARRUDA

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA ANALÍTICA

Marco-Aurelio De Paoli

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA INORGÂNICA

MARIA ISABEL FELISBERTI

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FÍSICO-QUÍMICA

Nelson Henrique Morgon

cOORDENADOR(A) DA áREA

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FÍSICO-QUÍMICA

Paulo José Samenho Moran

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUíMICA ORGâNICA

PEDRO LUIZ ONÓFRIO VOLPE

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE FÍSICO-QUÍMICA

Ulf Friedrich Schuchardt

Instituto de Química

DEPARTAMENTO DE QUíMICA INORGâNICA

HUMANAS

DOCENTE

UNIDADE

DEPARTAMENTO

ANA LUIZA BUSTAMANTE SMOLKA

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA EDUCACIONAL

EUGENIA TRONCOSO LEONE

COORDENADOR(A) DA ÁREA

Instituto de Economia

DEPARTAMENTO DE TEORIA ECONÔMICA

MATILDE VIRGINIA RICARDI SCARAMUCCI

Instituto de Estudos da Linguagem

DEPARTAMENTO DE LINGUíSTICA APLICADA

ELIANE MOURA DA SILVA

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

DEPARTAMENTO DE HISTóRIA

SAÚDE

DOCENTE

UNIDADE

DEPARTAMENTO

ISCIA TERESINHA LOPES CENDES

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE GENéTICA MÉDICA

JOSE GUILHERME CECATTI

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE TOCOGINECOLOGIA

Kleber Gomes Franchini

cOORDENADOR(A) DA áREA

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA

LUIZ CARLOS ZEFERINO

Faculdade de Ciências Médicas

DEPARTAMENTO DE TOCOGINECOLOGIA

ROSELI GOLFETTI

FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA

DEPARTAMENTO DE ESTUDOS DA ATIVIDADE FÍSICA ADAPTADA

Luiz André Freire Pimenta

Faculdade de Odontologia

DEPARTAMENTO ODONTO-RESTAURADORA

TECNOLÓGICAS

DOCENTE

UNIDADE

DEPARTAMENTO

Paulo Sérgio G. Magalhães

Faculdade de Engenharia Agrícola

DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS AGRíCOLAS

Leandro Palermo Júnior

Faculdade de Engenharia Civil

DEPARTAMENTO DE ESTRUTURAS

FELIX GUILLERMO REYES REYES

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DE ALIMENTOS

ROSIANE LOPES DA CUNHA

Faculdade de Engenharia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Reginaldo Palazzo Júnior

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

DEPARTAMENTO DE TELEMáTICA

Celso Kazuyuki Morooka

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DO PETRóLEO

Renato Pavanello

cOORDENADOR(A) DA áREA

Faculdade de Engenharia Mecânica

DEPARTAMENTO DE MECâNICA COMPUTACIONAL

MARIA REGINA WOLF MACIEL

Faculdade de Engenharia Química

DEPARTAMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS

Conteúdo

TOC o "1-3" h z  HYPERLINK l "_Toc46643906" PROJETOS DA ÁREA DE ARTES  PAGEREF _Toc46643906 h 1

HYPERLINK l "_Toc46643907" Faculdade de Educação  PAGEREF _Toc46643907 h 2

HYPERLINK l "_Toc46643908" A CRIAÇÃO COLETIVA A PARTIR DO JOGO: UMA POSSÍVEL METODOLOGIA DE ENSINO DE TEATRO PARA CRIANÇAS  PAGEREF _Toc46643908 h 2

HYPERLINK l "_Toc46643909" AS CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO SOMÁTICA PARA O TRABALHO TÉCNICO DO BAILARINO ? Uma investigação nas universidades do Estado de São Paulo  PAGEREF _Toc46643909 h 2

HYPERLINK l "_Toc46643910" TEATRO NA ESCOLA: Como se realiza essa junção entre a arte e a educação?  PAGEREF _Toc46643910 h 2

HYPERLINK l "_Toc46643911" ESTUDO EM TORNO DOS BENEFÍCIOS DA DANÇA PARA O CORPO IDOSO  PAGEREF _Toc46643911 h 2

HYPERLINK l "_Toc46643912" Instituto de Artes  PAGEREF _Toc46643912 h 3

HYPERLINK l "_Toc46643913" A DANÇA E A CRIANÇA EM SITUAÇÃO DE RISCO  PAGEREF _Toc46643913 h 3

HYPERLINK l "_Toc46643914" ARQUEOLOGIA DOS MEIOS AUDIVISUAIS. FOTOGRAFIA: RIO DE JANEIRO 1850-1910  PAGEREF _Toc46643914 h 3

HYPERLINK l "_Toc46643915" Quenta-Sol: com, ou sem lugar ao sol  PAGEREF _Toc46643915 h 3

HYPERLINK l "_Toc46643916" Dança: uma linguagem não verbal no processo de autoconhecimento  PAGEREF _Toc46643916 h 4

HYPERLINK l "_Toc46643917" ANÁLISE MUSICAL DE ESTRUTURAS VERTICAIS E HORIZONTAIS COM AUXÍLIO DO COMPUTADOR  PAGEREF _Toc46643917 h 4

HYPERLINK l "_Toc46643918" Do Violão Real ao Virtual  PAGEREF _Toc46643918 h 4

HYPERLINK l "_Toc46643919" O Método Feldenkrais aplicado no desenvolvimento corporal: técnico, expressivo e criativo do bailarino  PAGEREF _Toc46643919 h 5

HYPERLINK l "_Toc46643920" O Movimento na Revelação da Imagem: A Relação Espaço/Tempo no Movimento Corporal e no Movimento do Desenho  PAGEREF _Toc46643920 h 5

HYPERLINK l "_Toc46643921" O MOVIMENTO APRISIONADO: ARTE E MOTRICIDADE HUMANA  PAGEREF _Toc46643921 h 5

HYPERLINK l "_Toc46643922" DA UTOPIA AO FIM DAS VANGUARDAS: UMA CONTEXTUALIZAÇÃO DA VISÃO DE FERREIRA GULLAR SOBRE O FIM DAS VANGUARDAS  PAGEREF _Toc46643922 h 6

HYPERLINK l "_Toc46643923" TOULOUSE-LAUTREC E AS MULHERES DA NOITE  PAGEREF _Toc46643923 h 6

HYPERLINK l "_Toc46643924" Criação e organização do arquivo Estércio Marquez Cunha no CDMC-Brasil/Unicamp  PAGEREF _Toc46643924 h 6

HYPERLINK l "_Toc46643925" EXPRESSÃO CORPORAL: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL  PAGEREF _Toc46643925 h 7

HYPERLINK l "_Toc46643926" O GESTUAL HUMANO NAS PINTURAS RENASCENTISTAS SOB O PONTO DE VISTA DE FRANÇOIS DELSARTE  PAGEREF _Toc46643926 h 7

HYPERLINK l "_Toc46643927" ESTUDO DA INFLUÊNCIA DE MARIETTA BADERNA SOBRE A DANÇA NO BRASIL A PARTIR DE 1849  PAGEREF _Toc46643927 h 7

HYPERLINK l "_Toc46643928" A Música como instrumentalização do ator  PAGEREF _Toc46643928 h 8

HYPERLINK l "_Toc46643929" UMA EXPERIÊNCIA DE TEATRO POLÍTICO NA AMÉRICA LATINA: O PROCESSO DE CRIAÇÃO COLETIVA DO TEATRO EXPERIMENTAL DE CALI DURANTE A ELABORAÇÃO DA PEÇA ?A DENÚNCIA? em 1973  PAGEREF _Toc46643929 h 8

HYPERLINK l "_Toc46643930" PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS  PAGEREF _Toc46643930 h 9

HYPERLINK l "_Toc46643931" CBMEG - Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética  PAGEREF _Toc46643931 h 10

HYPERLINK l "_Toc46643932" CARACTERIZAÇÃO DA ORDEM GÊNICA DE ?tRNAs? NO DNA MITOCONDRIAL DA MOSCA-DOS-CHIFRES, Haematobia irritans (DIPTERA: MUSCIDAE)  PAGEREF _Toc46643932 h 10

HYPERLINK l "_Toc46643933" ANÁLISE DO GENOMA MITOCONDRIAL DA MOSCA-DOS-CHIFRES Haematobia irritans (DIPTERA: MUSCIDAE): ESTRATÉGIAS DE AMPLIFICAÇÃO E SEQUENCIAMENTO BASEADAS NA REAÇÃO DE ?LONG-PCR?  PAGEREF _Toc46643933 h 10

HYPERLINK l "_Toc46643934" ESTRUTURA E EVOLUÇÃO DO GENE COI E DA REGIÃO-CONTROLE DO DNAmt DE Haematobia irritans, Stomoxys calcitrans E Musca domestica (DIPTERA: MUSCIDAE)  PAGEREF _Toc46643934 h 10

HYPERLINK l "_Toc46643935" Faculdade de Ciências Médicas  PAGEREF _Toc46643935 h 11

HYPERLINK l "_Toc46643936" Estudo das repercussões da DHEG sobre a placenta e condições clínicas fetais com ênfase em Encefalopatia Hipóxico-Isquêmica (EHI)  PAGEREF _Toc46643936 h 11

HYPERLINK l "_Toc46643937" Impacto das atividades de vigilância dos recém-nascidos no perfil de amamentação de lactentes ? Abordagem de determinantes da amamentação entre lactentes menores de 1 ano. Campinas - SP  PAGEREF _Toc46643937 h 11

HYPERLINK l "_Toc46643938" Prescrição de Medicamentos e Fatores Associados  PAGEREF _Toc46643938 h 11

HYPERLINK l "_Toc46643939" Influência da Função Gonadal nas Manifestações Esqueléticas Associadas à Haploinsuficiência do Gene SHOX em Pacientes com Síndrome de Turner  PAGEREF _Toc46643939 h 12

HYPERLINK l "_Toc46643940" AVALIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL SOBRE OS RESULTADOS GESTACIONAIS EM GRÁVIDAS PORTADORAS DE HIPERTENSÃO ARTERIAL, DIABETES MELLITUS, INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO E LUES  PAGEREF _Toc46643940 h 12

HYPERLINK l "_Toc46643941" Prevalência de parasitoses intestinais em dois Centros de Saúde em Campinas - SP  PAGEREF _Toc46643941 h 12

HYPERLINK l "_Toc46643942" Caracterização dos Recém-nascidos de Baixo Peso de um Centro de Saúde ? Campinas (SP)  PAGEREF _Toc46643942 h 13

HYPERLINK l "_Toc46643943" RESULTADOS MATERNOS E NEONATAIS NO PARTO VAGINAL DE PRIMÍPARAS ATENDIDAS NO CAISM COM PARTO FÓRCIPE KIELLAND COMPARADO AOS DE PRIMÍPARAS ATENDIDAS NO CAISM COM PARTO FÓRCIPE SIMPSON-BRAUN  PAGEREF _Toc46643943 h 13

HYPERLINK l "_Toc46643944" FREQÜÊNCIA DA MUTAÇÃO 66 A/G NO GENE DA MTRR EM PORTADORAS DA SÍNDROME DE TURNER E MÃES DE PORTADORES DA SÍNDROME DE DOWN  PAGEREF _Toc46643944 h 13

HYPERLINK l "_Toc46643945" Caracterização de uma família de genes, correspondentes a MUPs (Major Urinary Proteins) de camundongos, expressos em tumores humanos  PAGEREF _Toc46643945 h 14

HYPERLINK l "_Toc46643946" IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOVA MUTAÇÃO DE PONTO NO GENE DA 5(-REDUTASE TIPO 2 (SRD5A2) EM PACIENTE COM PSEUDO-HERMAFRODITISMO MASCULINO  PAGEREF _Toc46643946 h 14

HYPERLINK l "_Toc46643947" CONSANGÜINIDADE PARENTAL EM UMA AMOSTRA DE RECÉM-NASCIDOS NO CAISM  PAGEREF _Toc46643947 h 14

HYPERLINK l "_Toc46643948" Hidropisia não imune entre recém-nascidos (RN) sul-americanos  PAGEREF _Toc46643948 h 15

HYPERLINK l "_Toc46643949" Significações psicológicas do adoecer para pacientes fumantes com câncer de pulmão e suas influências no prognóstico: um estudo clínico-qualitativo  PAGEREF _Toc46643949 h 15

HYPERLINK l "_Toc46643950" Doença meningocócica: fatores de risco para letalidade e estratégias de intervenção  PAGEREF _Toc46643950 h 15

HYPERLINK l "_Toc46643951" A relevância do exame físico do idoso para a assistência de enfermagem hospitalar  PAGEREF _Toc46643951 h 16

HYPERLINK l "_Toc46643952" COLANGITE AGUDA EM PACIENTES COM ATRESIA DE VIAS BILIARES APÓS A CIRURGIA DE KASAI  PAGEREF _Toc46643952 h 16

HYPERLINK l "_Toc46643953" EXISTE ASSOCIAÇÃO ENTRE AMBIGÜIDADE GENITAL (AG) E RETARDO DE CRESCIMENTO INTRA-UTERINO (RCIU)?  PAGEREF _Toc46643953 h 16

HYPERLINK l "_Toc46643954" AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DO EXTRATO DE Chlorella vulgaris SOBRE A FORMAÇÃO E ATIVIDADE DO ESTROMA EM CONDIÇÕES DE ESTRESSE AGUDO  PAGEREF _Toc46643954 h 17

HYPERLINK l "_Toc46643955" PADRÃO DE PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS EM CONTEXTO HOSPITALAR PARA PACIENTES COM FUNÇÃO RENAL REDUZIDA  PAGEREF _Toc46643955 h 17

HYPERLINK l "_Toc46643956" NICOTINA TRANSDÉRMICA NÃO CAUSA ALTERAÇÕES NA PRESSÃO ARTERIAL E FREQÜÊNCIA CARDÍACA EM TABAGISTAS SAUDÁVEIS  PAGEREF _Toc46643956 h 17

HYPERLINK l "_Toc46643957" Impacto do Absenteísmo sobre o Indivíduo e sua Relação com o Trabalho: um estudo com profissionais de enfermagem de rede básica de saúde  PAGEREF _Toc46643957 h 18

HYPERLINK l "_Toc46643958" Estudo do conhecimento sobre amamentação adquirido por gestantes durante o pré-natal  PAGEREF _Toc46643958 h 18

HYPERLINK l "_Toc46643959" Resposta Terapêutica com EPO e G-CSF em pacientes com Síndrome Mielodisplásica  PAGEREF _Toc46643959 h 18

HYPERLINK l "_Toc46643960" Refinamento da região candidata no cromossomo 3 em famílias com Epilepsia do Lobo Temporal Mesial (ELTMF)  PAGEREF _Toc46643960 h 19

HYPERLINK l "_Toc46643961" Uma nova mutação para Epilepsia do Lobo Temporal Familial com Sintomas Auditivos (eltfsa)  PAGEREF _Toc46643961 h 19

HYPERLINK l "_Toc46643962" ANÁLISE ESTRUTURAL DA PROTEÍNA ATAXINA 7 NORMAL  PAGEREF _Toc46643962 h 19

HYPERLINK l "_Toc46643963" ANÁLISE DE LIGAÇÃO E ASSOCIAÇÃO DE UM LOCUS CANDIDATO NO CROMOSSOMO 6p21 EM PACIENTES COM EPILEPSIA MIOCLÔNICA JUVENIL (EMJ)  PAGEREF _Toc46643963 h 20

HYPERLINK l "_Toc46643964" ACIDENTES DE TRÂNSITO: EXPERIÊNCIA VIVENCIADA PELAS VÍTIMAS  PAGEREF _Toc46643964 h 20

HYPERLINK l "_Toc46643965" FERIMENTOS POR ARMAS DE FOGO E ARMAS BRANCAS: EXPERIÊNCIA VIVENCIADA PELAS VÍTIMAS  PAGEREF _Toc46643965 h 20

HYPERLINK l "_Toc46643966" EXCREÇAO URINARIA DE SODIO APÓS MICROINJEÇAO INTRACEREBROVENTRICULAR DE HIDROCLORTIAZIDA  PAGEREF _Toc46643966 h 21

HYPERLINK l "_Toc46643967" AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS FUNCIONAIS DA AÇÃO DA ANGIOTENSINA II SOBRE RECEPTORES AT1 EM SEGMENTOS ISOLADOS DO TÚBULO PROXIMAL DE COELHO CONSERVADOS POR PERÍODO DE TEMPO  PAGEREF _Toc46643967 h 21

HYPERLINK l "_Toc46643968" ESTUDO DO COMPORTAMENTO DE CÉLULAS MACROFÁGICAS, NO PROCESSO FAGOCÍTICO, EM DIVERSAS CONDIÇÕES FARMACOLÓGICAS  PAGEREF _Toc46643968 h 21

HYPERLINK l "_Toc46643969" Associação entre Intervalo Interpartal e Situações Maternas e Perinatais Adversas  PAGEREF _Toc46643969 h 22

HYPERLINK l "_Toc46643970" Detecção de fatores de risco para hipertensão arterial e níveis pressóricos de adolescentes trabalhadores  PAGEREF _Toc46643970 h 22

HYPERLINK l "_Toc46643971" CORREÇÃO DE VALORES DE PRESSÃO ARTERIAL OBTIDOS COM MANGUITO DE LARGURA PADRÃO: COMPARAÇÃO A VALORES OBTIDOS COM MANGUITO CORRETO  PAGEREF _Toc46643971 h 22

HYPERLINK l "_Toc46643972" A HERANÇA DO GENÓTIPO NULO PARA GSTM1 AUMENTA O RISCO DE CÂNCER DE OVÁRIO  PAGEREF _Toc46643972 h 23

HYPERLINK l "_Toc46643973" Implementação Curso de Extensão Universitária à Distância Para Atualização em Clínica Médica  PAGEREF _Toc46643973 h 23

HYPERLINK l "_Toc46643974" MUTAÇÃO PRO115GLN DO GENE DO PPAR(2 E resistência insulínica  PAGEREF _Toc46643974 h 23

HYPERLINK l "_Toc46643975" Tempo decorrido entre o nascimento e o início de tratamento nas crianças com hipotireodismo congênito acompanhadas nos ambulatórios de pediatria do HC - UNICAMP  PAGEREF _Toc46643975 h 24

HYPERLINK l "_Toc46643976" Frequência de falência ovariana precoce em mulheres com Lúpus Eritematoso Sistêmico tratadas com ciclofosfamida e possíveis fatores de risco relacionados  PAGEREF _Toc46643976 h 24

HYPERLINK l "_Toc46643977" AVALIAÇÃO DA HIDRONEFROSE E DAS ALTERAÇÕES DO LÍQUIDO AMNIÓTICO NO MODELO EXPERIMENTAL INDUZIDO PELA DOXORRUBICINA EM FETOS DE RATAS  PAGEREF _Toc46643977 h 25

HYPERLINK l "_Toc46643978" AVALIAÇÃO MACROSCÓPICA E HISTOLÓGICA DE FÍGADOS DE FETOS DE RATAS SPREAGUE-DOWLEY SUBMETIDOS A GASTROSQUISE EXPERIMENTAL INTRA-ÚTERO  PAGEREF _Toc46643978 h 25

HYPERLINK l "_Toc46643979" Expressão das proteínas p53, c-erbB-2 e bcl-2 como biomarcador de risco da progressão do carcinoma ductal in situ da mama  PAGEREF _Toc46643979 h 25

HYPERLINK l "_Toc46643980" DISTRIBUIÇÃO DOS PACIENTES COM HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA DE ACORDO COM A NOVA PROPOSTA DE CLASSIFICAÇÃO DE INSUFICIÊNCIA CARDÍACA.  PAGEREF _Toc46643980 h 26

HYPERLINK l "_Toc46643981" SONOLÊNCIA DIURNA EXCESSIVA EM IDOSOS NO PÓS INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO  PAGEREF _Toc46643981 h 26

HYPERLINK l "_Toc46643982" PADRÕES DE SONO DE IDOSOS HIPERTENSOS  PAGEREF _Toc46643982 h 26

HYPERLINK l "_Toc46643983" O sono de hipertensos obesos e não obesos  PAGEREF _Toc46643983 h 27

HYPERLINK l "_Toc46643984" QUALIDADE DO SONO EM IDOSOS CARDIOPATAS  PAGEREF _Toc46643984 h 27

HYPERLINK l "_Toc46643985" Prevalência de incontinência urinária entre estudantes de Educação Física  PAGEREF _Toc46643985 h 27

HYPERLINK l "_Toc46643986" Como os profissionais de saúde identificam e tratam a mulher com incontinência urinária  PAGEREF _Toc46643986 h 28

HYPERLINK l "_Toc46643987" CAPACIDADE PARA O TRABALHO DE DONAS DE CASA ? CAMPINAS  PAGEREF _Toc46643987 h 28

HYPERLINK l "_Toc46643988" CAPACIDADE PARA O TRABALHO DE RECREACIONISTAS DE UMA CRECHE UNIVERSITÁRIA  PAGEREF _Toc46643988 h 28

HYPERLINK l "_Toc46643989" PERFIL DOS IDOSOS COM AFECÇÃO CARDIOCIRCULATÓRIA ATENDIDOS NO PRONTO-SOCORRO DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO  PAGEREF _Toc46643989 h 29

HYPERLINK l "_Toc46643990" Doenças respiratórias na velhice: caracterização dos idosos atendidos em serviço de emergência de um hospital universitário  PAGEREF _Toc46643990 h 29

HYPERLINK l "_Toc46643991" MORTALIDADE POR HOMICÍDIOS NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS: ANÁLISE ESPACIAL DO PADRÃO EPIDEMIOLÓGICO NO DISTRITO SUDOESTE  PAGEREF _Toc46643991 h 29

HYPERLINK l "_Toc46643992" LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO E GRAVIDEZ: EVOLUÇÃO CLÍNICA, ALTERAÇÔES PLACENTÁRIAS E RESULTADOS PERINATAIS  PAGEREF _Toc46643992 h 29

HYPERLINK l "_Toc46643993" Estudo da atividade antitumoral do extrato da Curcuma longa Linn  PAGEREF _Toc46643993 h 30

HYPERLINK l "_Toc46643994" Estudo das relações entre os acadêmicos de enfermagem e a morte  PAGEREF _Toc46643994 h 30

HYPERLINK l "_Toc46643995" Avaliação do estado emocional e características cronobiológicas dos profissionais de enfermagem  PAGEREF _Toc46643995 h 31

HYPERLINK l "_Toc46643996" APLICAÇÃO DE UM MÉTODO FLUORIMÉTRICO NA DETERMINAÇÃO DO ÓXIDO NÍTRICO EM MODELOS DE RESISTÊNCIA À INSULINA  PAGEREF _Toc46643996 h 31

HYPERLINK l "_Toc46643997" AVALIAÇÃO DOS RISCOS ERGONÔMICOS DURANTE A MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE PACIENTES EM DIFERENTES UNIDADES HOSPITALARES  PAGEREF _Toc46643997 h 31

HYPERLINK l "_Toc46643998" DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE SIMULAÇÕES CLÍNICAS PELA INTERNET NO ENSINO MÉDICO BASEADO EM PROBLEMAS (PBL)  PAGEREF _Toc46643998 h 32

HYPERLINK l "_Toc46643999" Efeitos da administração de Testosterona na Modulação da Expressão gênica de IFN-(, IL-12 e IL-10 em cultura de células esplênicas de Camundongo Nod (Non Obese Diabetic)  PAGEREF _Toc46643999 h 32

HYPERLINK l "_Toc46644000" Hospitalização de Pacientes com Insuficiência Cardíaca Descompensada: Fatores Desencadeantes.  PAGEREF _Toc46644000 h 32

HYPERLINK l "_Toc46644001" INSUFICIÊNCIA CARDÍACA DESCOMPENSADA: FATORES DE PIORA IDENTIFICADOS PELO PACIENTE HOSPITALIZADO  PAGEREF _Toc46644001 h 33

HYPERLINK l "_Toc46644002" CITOMEGALOVÍRUS EM TRANSPLANTADOS HEPÁTICOS: COMPARAÇÃO ENTRE ANTIGENEMIA E NESTED-PCR NO SANGUE PERIFÉRICO E NO SORO.  PAGEREF _Toc46644002 h 33

HYPERLINK l "_Toc46644003" DETECÇÃO DA CO-INFECÇÃO POR HCMV E HHV-7 EM TRANSPLANTADOS HEPÁTICOS E CORRELAÇÃO COM O IMPACTO CLÍNICO  PAGEREF _Toc46644003 h 33

HYPERLINK l "_Toc46644004" Monitorização da co-infecção pelo CMV e HHV-6 em pacientes receptores de transplante hepático  PAGEREF _Toc46644004 h 34

HYPERLINK l "_Toc46644005" ANTIGENEMIA E NESTED PCR NA DETECÇÃO PRECOCE DE INFECÇÃO ATIVA POR CITOMEGALOVÍRUS, REPERCUSSÕES CLÍNICAS E HISTOPATOLÓGICAS  PAGEREF _Toc46644005 h 34

HYPERLINK l "_Toc46644006" Caracterização de Interações do Domínio SH3 da ?-Espectrina Humana  PAGEREF _Toc46644006 h 34

HYPERLINK l "_Toc46644007" Clonagem e Caracterização de Um Novo Gene Humano Relacionado à Família das Anquirinas  PAGEREF _Toc46644007 h 35

HYPERLINK l "_Toc46644008" ANÁLISE DA ÁREA DE SUPERFÍCIE DE RETICULÓCITOS EM PACIENTES COM ESFEROCITOSE HEREDITÁRIA  PAGEREF _Toc46644008 h 35

HYPERLINK l "_Toc46644009" CLONAGEM E CARACTERIZAÇÃO DE UM NOVO GENE HUMANO RELACIONADO À FAMÍLIA DAS FORMINAS  PAGEREF _Toc46644009 h 35

HYPERLINK l "_Toc46644010" DETECÇÃO DA MUTAÇÃO P250R NO GENE FGFR3 NA SÍNDROME DE SAEHTRE-CHOTZEN  PAGEREF _Toc46644010 h 36

HYPERLINK l "_Toc46644011" Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação  PAGEREF _Toc46644011 h 36

HYPERLINK l "_Toc46644012" SIMULAÇÃO DO CAMPO ACÚSTICO GERADO POR TRANSDUTOR ULTRA-SÔNICO NÃO-DIFRATIVO DE ONDAS X  PAGEREF _Toc46644012 h 36

HYPERLINK l "_Toc46644013" Interface de tradução de textos em Código Braille para caracteres alfanuméricos: desenvolvimento de programas para pré-processamento e segmentação da imagem de texto Braille digitalizado  PAGEREF _Toc46644013 h 36

HYPERLINK l "_Toc46644014" Faculdade de Educação Física  PAGEREF _Toc46644014 h 37

HYPERLINK l "_Toc46644015" Treinamento progressivo com atividades aquáticas: conquistas singulares a partir de intervenção realizada no Jardim São Marcos, Campinas - SP  PAGEREF _Toc46644015 h 37

HYPERLINK l "_Toc46644016" Integrando Pesquisa e Extensão: análise de demandas do Projeto Aprender a Nadar  PAGEREF _Toc46644016 h 37

HYPERLINK l "_Toc46644017" Lesões em bailarinos: estudo de sua cotidianeidade em uma companhia profissional de dança  PAGEREF _Toc46644017 h 37

HYPERLINK l "_Toc46644018" A CRIATIVIDADE NAS COREOGRAFIAS DE GINÁSTICA GERAL  PAGEREF _Toc46644018 h 38

HYPERLINK l "_Toc46644019" DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO DOS EXERCÍCIOS BÁSICOS DA RODA GINÁSTICA  PAGEREF _Toc46644019 h 38

HYPERLINK l "_Toc46644020" UMA METODOLOGIA DE ENSINO DE TÉCNICAS CIRCENSES  PAGEREF _Toc46644020 h 38

HYPERLINK l "_Toc46644021" REFLEXÕES E DEFINIÇÃO DOS OBJETIVOS E MÉTODOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE FORÇA PARA PESSOAS PORTADORAS DE ESCLEROSE MÚLTIPLA  PAGEREF _Toc46644021 h 39

HYPERLINK l "_Toc46644022" Levantamento do Perfil dos Consumidores de Suplementos Alimentares nas Academias de Campinas  PAGEREF _Toc46644022 h 39

HYPERLINK l "_Toc46644023" ESTUDO DA INFLUÊNCIA DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO FÍSICO SOBRE OS ASPECTOS DA APTIDÃO FÍSICA  PAGEREF _Toc46644023 h 39

HYPERLINK l "_Toc46644024" ESPORTE-ESPETÁCULO, MEIOS DE COMUNICAÇÃO E PEDAGOGIA DO ESPORTE: REFLEXÕES SOBRE INFLUÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL - 5º A 8ºSÉRIE  PAGEREF _Toc46644024 h 40

HYPERLINK l "_Toc46644025" ESTRESSE EM CRIANÇAS NAS COMPETIÇÕES DE KARATÊ  PAGEREF _Toc46644025 h 40

HYPERLINK l "_Toc46644026" Motivação na prática dos esportes radicais  PAGEREF _Toc46644026 h 40

HYPERLINK l "_Toc46644027" CARACTERIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS DAS COSTELAS DURANTE A RESPIRAÇÃO EM ADULTOS NORMAIS DO SEXO FEMININO E MASCULINO A PARTIR DE VIDEOGRAMETRIA  PAGEREF _Toc46644027 h 41

HYPERLINK l "_Toc46644028" Desenvolvimento e Avaliação de Formas de Análise de Ações de Jogadores de Futebol  PAGEREF _Toc46644028 h 41

HYPERLINK l "_Toc46644029" ANÁLISE CINEMÁTICA DAS TRAJETÓRIAS DOS JOGADORES DE FUTEBOL  PAGEREF _Toc46644029 h 41

HYPERLINK l "_Toc46644030" Pedagogia do esporte: teorias e práticas da iniciação do basquetebol  PAGEREF _Toc46644030 h 42

HYPERLINK l "_Toc46644031" ATIVIDADES FÍSICAS COMBINADAS (AFC) PARA MULHERES MENOPAUSADAS ATIVAS  PAGEREF _Toc46644031 h 42

HYPERLINK l "_Toc46644032" Faculdade de Odontologia  PAGEREF _Toc46644032 h 42

HYPERLINK l "_Toc46644033" Análise clínica da aplicação do gel de doxiciclina à 10% em sítios que não responderam ao tratamento periodontal  PAGEREF _Toc46644033 h 42

HYPERLINK l "_Toc46644034" Estudo in vitro da atividade antimicrobiana de protocolos utilizados para descontaminação do campo operatório em endodontia  PAGEREF _Toc46644034 h 43

HYPERLINK l "_Toc46644035" ENSAIO DE RUGOSIDADE SUPERFICIAL E SOLUBILIDADE EM RESINAS ACRÍLICAS ATIVADAS TERMICAMENTE POR ENERGIA DE MICROONDAS E BANHO DE ÁGUA, ASSOCIADO AO POLIMENTO QUÍMICO E CONVENCIONAL  PAGEREF _Toc46644035 h 43

HYPERLINK l "_Toc46644036" Efeito dose-resposta da reatividade do fluoreto com o esmalte dental  PAGEREF _Toc46644036 h 43

HYPERLINK l "_Toc46644037" EFEITO DOS PARABENOS NA INCORPORAÇÃO DE FLUORETO PELO ESMALTE DENTAL  PAGEREF _Toc46644037 h 44

HYPERLINK l "_Toc46644038" AVALIAÇÃO ELETROMIOGRÁFICA DO M. MASSÉTER EM CRIANÇAS EM DENTIÇÃO MISTA  PAGEREF _Toc46644038 h 44

HYPERLINK l "_Toc46644039" AVALIAÇÃO DA VARIABILIDADE EM ESTUDOS ENVOLVENDO ANESTESIA ODONTOLÓGICA  PAGEREF _Toc46644039 h 44

HYPERLINK l "_Toc46644040" Avaliação da intensidade de dor em anestesia local: comparação entre escalas.  PAGEREF _Toc46644040 h 45

HYPERLINK l "_Toc46644041" AVALIAÇÃO IN VITRO DA RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DE BRÁQUETES RECICLADOS E NOVOS RECOLADOS  PAGEREF _Toc46644041 h 45

HYPERLINK l "_Toc46644042" Efeito da aplicação DO PERÓXIDO DE CARBAMIDA COM ADIÇÃO DE FLÚOR E CÁLCIO sobre a resistência intrínseca do ESMALTE.  PAGEREF _Toc46644042 h 45

HYPERLINK l "_Toc46644043" Efeito do peróxido de carbamida fluoretado em lesões iniciais de cárie in vitro  PAGEREF _Toc46644043 h 46

HYPERLINK l "_Toc46644044" Relação entre grau de ansiedade e intensidade de dor em anestesia local e cirurgia periodontal  PAGEREF _Toc46644044 h 46

HYPERLINK l "_Toc46644045" AVALIAÇÃO DA VARIABILIDADE EM ESTUDOS ENVOLVENDO PARÂMETROS CARDIOVASCULARES  PAGEREF _Toc46644045 h 46

HYPERLINK l "_Toc46644046" EFEITO DO MÉTODO DE FOTOATIVAÇÃO E DA UNIÃO À PAREDE CAVITÁRIA NA CONTRAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO DE UM COMPÓSITO RESTAURADOR  PAGEREF _Toc46644046 h 47

HYPERLINK l "_Toc46644047" AVALIAÇÃO ELETROMIOGRÁFICA DOS MÚSCULOS POSTURAIS EM POSIÇÃO DE TRABALHO EM ESTUDANTES DE DIFERENTES CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS  PAGEREF _Toc46644047 h 47

HYPERLINK l "_Toc46644048" Efeito do clareamento com peróxido de carbamida sobre a microbiota oral  PAGEREF _Toc46644048 h 47

HYPERLINK l "_Toc46644049" Análise "in vitro" da produção de polissacarídeos extracelulares e capacidade de aderência de "Streptococcus mutans" e "Streptococcus sobrinus"  PAGEREF _Toc46644049 h 48

HYPERLINK l "_Toc46644050" AVALIAÇÃO DA DUREZA DA RESINA ACRÍLICA QUANDO EM CONTATO COM METAL  PAGEREF _Toc46644050 h 48

HYPERLINK l "_Toc46644051" INVESTIGAÇÃO DE POLIMORFISMO NA REGIÃO PROMOTORA DO GENE BMP-4 EM INDIVÍDUOS COM AGENESIA DENTAL  PAGEREF _Toc46644051 h 48

HYPERLINK l "_Toc46644052" EFEITO DAS TEMPERATURAS DE CICLAGEM TÉRMICA SOBRE A RESISTÊNCIA DE UNIÃO DE COMPÓSITOS À DENTINA  PAGEREF _Toc46644052 h 49

HYPERLINK l "_Toc46644053" Instituto de Biologia  PAGEREF _Toc46644053 h 49

HYPERLINK l "_Toc46644054" Biologia populacional de duas espécies de borboletas do gênero Heliconius (Nymphalidae: Heliconiinae)  PAGEREF _Toc46644054 h 49

HYPERLINK l "_Toc46644055" Levantamento florístico e descrição das espécies da família Melastomataceae Juss. ocorrentes nos estados de Goiás e Tocantins  PAGEREF _Toc46644055 h 49

HYPERLINK l "_Toc46644056" BUSCA DE NOVOS MEDICAMENTOS POTENCIALIZADORES DA SECREÇÃO DE INSULINA: IMPORTÂNCIA PARA O TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS TIPO 2  PAGEREF _Toc46644056 h 50

HYPERLINK l "_Toc46644057" Expressão de proteínas formadoras de microtúbulos e microfilamentos em ilhotas de Langerhans de ratos: Efeitos da glicose e prolactina  PAGEREF _Toc46644057 h 50

HYPERLINK l "_Toc46644058" Identificação dos epítopos de proteínas recombinantes do vírus da tristeza dos citros reconhecidos por anticorpos monoclonais  PAGEREF _Toc46644058 h 50

HYPERLINK l "_Toc46644059" Estudo da expressão da enzima óxido nítrico sintase iNOS na fase inicial da doença periodontal induzida, sob influência da nicotina  PAGEREF _Toc46644059 h 51

HYPERLINK l "_Toc46644060" ANÁLISE DE BIOMARCADORES DE ESTRESSE OXIDATIVO EM JOGADORES DE FUTEBOL  PAGEREF _Toc46644060 h 51

HYPERLINK l "_Toc46644061" ANÁLISE DA DETERMINAÇÃO DE LIMIAR ANAERÓBICO, RESISTÊNCIAS DE ?SPRINT? E DE SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE BASQUETEBOL  PAGEREF _Toc46644061 h 52

HYPERLINK l "_Toc46644062" DETERMINAÇÃO DOS FATORES DE VIRULÊNCIA EM AMOSTRAS DE Escherichia coli ISOLADAS DE SUÍNOS COM BACTERIÚRIA.  PAGEREF _Toc46644062 h 52

HYPERLINK l "_Toc46644063" ESTUDO DA PREVALÊNCIA DOS FATORES DE COLONIZAÇÃO K99, 987P, F41 E F18 EM CEPAS DE Escherichia coli DE ORIGEM SUÍNA E ASSOCIAÇÃO COM ENTEROTOXINAS (LT E ST)  PAGEREF _Toc46644063 h 52

HYPERLINK l "_Toc46644064" CONSUMO ALIMENTAR E VARIAÇÃO DO PESO CORPORAL DE RATOS SUBMETIDOS AO TREINAMENTO FÍSICO E DIETA HIPERLIPÍDICA.  PAGEREF _Toc46644064 h 53

HYPERLINK l "_Toc46644065" EFEITOS DE INFUSÕES INTRA-HIPOCAMPAIS DO ANTAGONISTA DO RECEPTOR AMPA, DNQX, NO FREEZING AO CONTEXTO DO CONDICIONAMENTO SOM-CHOQUE.  PAGEREF _Toc46644065 h 53

HYPERLINK l "_Toc46644066" ESTUDO DA ESQUISTOSSOMOSE NA REGIÃO DE CAMPINAS ? SP: SUSCETIBILIDADE DO HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO E ÍNDICE DE INFECÇÃO DO FOCO DURANTE UM ANO DE OBSERVAÇÃO  PAGEREF _Toc46644066 h 53

HYPERLINK l "_Toc46644067" ANÁLISE QUANTITATIVA DO EFEITO HEMOLÍTICO DE SURFACTANTES DA SÉRIE C12Em SOBRE ERITRÓCITOS HUMANOS  PAGEREF _Toc46644067 h 54

HYPERLINK l "_Toc46644068" CARACTERIZAÇÃO E TESTE IN VIVO DE FORMULAÇÕES ANTI-SCHISTOSSOMAIS DE LIBERAÇÃO CONTROLADA  PAGEREF _Toc46644068 h 54

HYPERLINK l "_Toc46644069" Análise Quantitativa da Hemólise Induzida pelas Drogas Surfactantes Prometazina e Hidroxizina  PAGEREF _Toc46644069 h 54

HYPERLINK l "_Toc46644070" TAURINA COMO POSSÍVEL MARCADOR MOLECULAR PARA O DESENVOLVIMENTO DE DIABETES MELLITUS EM CAMUNDONGOS NOD  PAGEREF _Toc46644070 h 55

HYPERLINK l "_Toc46644071" COMPORTAMENTO ALIMENTAR E SELEÇÃO DE HABITAT EM PERACÁRIDOS ASSOCIADOS A Sargassum filipendula (PHAEOPHYTA, FUCALES), NA PRAIA DA FORTALEZA, UBATUBA, SÃO PAULO  PAGEREF _Toc46644071 h 55

HYPERLINK l "_Toc46644072" TESTOSTERONA AUMENTA A ATIVIDADE DA PROTEÍNA DE TRANSFERÊNCIA DE COLESTERIL ÉSTER E DA LIPASE HEPÁTICA EM CAMUNDONGOS TRANSGÊNICOS  PAGEREF _Toc46644072 h 55

HYPERLINK l "_Toc46644073" ANÁLISE DA EXPRESSÃO DE RECEPTORES PARA O VEGF NOS ESPERMATOZÓIDES E NO TRATO GENITAL FEMININO DE RATOS  PAGEREF _Toc46644073 h 56

HYPERLINK l "_Toc46644074" COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE DUAS ESPÉCIES DE PEIXES BENTÍVOROS  PAGEREF _Toc46644074 h 56

HYPERLINK l "_Toc46644075" DISPERSÃO SECUNDÁRIA DE SEMENTES DE Ricinus communis L. (EUPHORBIACEAE): MIRMECOCORIA  PAGEREF _Toc46644075 h 56

HYPERLINK l "_Toc46644076" Plantas hospedeiras de Phloea subquadrata (Spinola, 1837) (Heteroptera: Pentatomoidea: Phloeidae) na Serra do Japi, Jundiaí, SP  PAGEREF _Toc46644076 h 57

HYPERLINK l "_Toc46644077" ANÁLISE BIOMECÂNICA DE TENDÃO DE FRANGOS EM DIFERENTES IDADES  PAGEREF _Toc46644077 h 57

HYPERLINK l "_Toc46644078" ULTRAESTRUTURA DA CARTILAGEM TRAQUEAL DE AVE COM DIFERENTES IDADES  PAGEREF _Toc46644078 h 57

HYPERLINK l "_Toc46644079" ANÁLISE MORFOLÓGICA DA FORMAÇÃO DOS ANÉIS DA TRAQUÉIA DE FRANGO APÓS O NASCIMENTO  PAGEREF _Toc46644079 h 58

HYPERLINK l "_Toc46644080" MODULAÇÃO DA NEURITE PERIFÉRICA AUTOIMUNE ATRAVÉS DA ADMINISTRAÇÃO ORAL DE PEPTÍDEO DE HEAT SHOCK PROTEIN PPD (180-196).  PAGEREF _Toc46644080 h 58

HYPERLINK l "_Toc46644081" Estudo da função supressora das células CD4+CD25+ presentes na mucosa intestinal, na indução de tolerância oral à proteína básica de mielina  PAGEREF _Toc46644081 h 58

HYPERLINK l "_Toc46644082" AÇÃO DE ANTÍGENOS DE Paracoccidioides brasiliensis SOBRE TIMO DE CAMUNDONGOS BALB/C  PAGEREF _Toc46644082 h 58

HYPERLINK l "_Toc46644083" Determinantes da Variação Morfológica na Borboleta Chlosyne lacinia (Nymphalidae)  PAGEREF _Toc46644083 h 59

HYPERLINK l "_Toc46644084" MORFOLOGIA DAS ANTERAS, PADRÃO DE ESPESSAMENTO DE PAREDE CELULAR DO ENDOTÉCIO E TAXONOMIA DE DICHORISANDRA MIKAN (COMMELINACEAE)  PAGEREF _Toc46644084 h 59

HYPERLINK l "_Toc46644085" ELABORAÇÃO DE UMA CHAVE DE IDENTIFICAÇÃO INTERATIVA PARA FAMÍLIAS DE MONOCOTILEDÔNEAS DO ESTADO DE SÃO PAULO  PAGEREF _Toc46644085 h 60

HYPERLINK l "_Toc46644086" ALTERAÇÕES DA PERMEABILIDADE DA FIBRA MUSCULAR DISTRÓFICA DURANTE O DESENVOLVIMENTO DA JUNÇÃO NEUROMUSCULAR  PAGEREF _Toc46644086 h 60

HYPERLINK l "_Toc46644087" MORTE CELULAR EM CÉLULAS MAMÁRIAS HUMANAS EM CULTURA  PAGEREF _Toc46644087 h 60

HYPERLINK l "_Toc46644088" SÍNDROMES DE POLINIZAÇÃO EM UMA ÁREA DE CERRADO NA REGIÃO DE ITU, SP.  PAGEREF _Toc46644088 h 61

HYPERLINK l "_Toc46644089" Influência do pH nas Propriedades Surfactantes e na Interação de Fenotiazínicos com Membranas  PAGEREF _Toc46644089 h 61

HYPERLINK l "_Toc46644090" PURIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO CITOCROMO P450 NO ANELÍDEO Eudrilus eugeniae: PERSPECTIVA DE UTILIZAÇÃO COMO BIOMARCADOR DE POLUIÇÃO DE SOLO  PAGEREF _Toc46644090 h 61

HYPERLINK l "_Toc46644091" PROPRIEDADES SURFACTANTES DO ANTIHITAMÍNICO HIDROXIZINA E SUA INTERAÇÃO COM MEMBRANAS EM FUNÇÃO DO pH  PAGEREF _Toc46644091 h 62

HYPERLINK l "_Toc46644092" CARACTERIZAÇÃO DO PADRÃO DE CRESCIMENTO DE CÉLULAS OSTEOBLÁSTICAS HUMANAS  PAGEREF _Toc46644092 h 62

HYPERLINK l "_Toc46644093" Células do ligamento interpúbico do camundongo (Swiss): variação da citoarquitetura e inter-relação com componentes do sistema elástico da matriz extracelular durante a etapa final da prenhez  PAGEREF _Toc46644093 h 62

HYPERLINK l "_Toc46644094" AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO DE CÉLULAS OSTEOBLÁSTICAS HUMANAS SOBRE BLENDAS DE POLI(CAPROLACTONA/NAFION)  PAGEREF _Toc46644094 h 63

HYPERLINK l "_Toc46644095" MORFOLOGIA E ANATOMIA DO FRUTO DE Anacardium humile A. St. -Hil. (Anacardiaceae) DO CERRADO DO ESTADO DE SÃO PAULO  PAGEREF _Toc46644095 h 63

HYPERLINK l "_Toc46644096" MORFOLOGIA E ANATOMIA DOS FRUTOS DE MICONIA ALBICANS (SWARTZ) TRIANA (MELASTOMATACEAE) DO CERRADO DO ESTADO DE SÃO PAULO  PAGEREF _Toc46644096 h 63

HYPERLINK l "_Toc46644097" ESTUDO COMPARATIVO DOS INIBIDORES DE TRIPSINA DAS SEMENTES DE Lagenaria vulgaris e Chenopodium quinoa  PAGEREF _Toc46644097 h 64

HYPERLINK l "_Toc46644098" Estudo Estrutural de CqL, Lectina Isolada das Sementes de Chenopodiun quinoa  PAGEREF _Toc46644098 h 64

HYPERLINK l "_Toc46644099" ESTRUTURAÇÃO E VARIABILIDADE INTRAPOPULACIONAL EM PALMITEIRO JUÇARA  PAGEREF _Toc46644099 h 64

HYPERLINK l "_Toc46644100" EFEITO DA FRAGMENTAÇÃO AMBIENTAL NA VARIABILIDADE GENÉTICA DE Hermeuptychia hermes (NYMPHALIDAE, SATIRINAE)  PAGEREF _Toc46644100 h 64

HYPERLINK l "_Toc46644101" VARIABILIDADE GENÉTICA EM Oncidium BENTHAM (ORCHIDACEAE)  PAGEREF _Toc46644101 h 65

HYPERLINK l "_Toc46644102" Instituto de Física  PAGEREF _Toc46644102 h 65

HYPERLINK l "_Toc46644103" Mapeamento da Atividade Cerebral através de Ressonância Magnética Funcional  PAGEREF _Toc46644103 h 65

HYPERLINK l "_Toc46644104" Biofísica da Resposta Hemodinâmica em Ressonância Magnética Functional  PAGEREF _Toc46644104 h 65

HYPERLINK l "_Toc46644105" LNLS - Laboratório Nacional de Luz Síncroton  PAGEREF _Toc46644105 h 66

HYPERLINK l "_Toc46644106" ESTUDOS ESTRUTURAIS DA PROTEÍNA HEMOLÍTICA STICHOLISINA II  PAGEREF _Toc46644106 h 66

HYPERLINK l "_Toc46644107" PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS  PAGEREF _Toc46644107 h 67

HYPERLINK l "_Toc46644108" CEPAGRI - Centro de Pesq. Meteriológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura  PAGEREF _Toc46644108 h 68

CorreçÃO RADIOMÉTRICA DE IMAGENS DIGITAIS EM VIDEOGRAFIA AÉREA.......................................68

HYPERLINK l "_Toc46644110" CPQBA - Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas  PAGEREF _Toc46644110 h 68

HYPERLINK l "_Toc46644111" Avaliação do teor e da composição química do óleo essencial de Calendula officinalis L. submetida a processos de secagem e armazenamento  PAGEREF _Toc46644111 h 68

HYPERLINK l "_Toc46644112" CTL - Colégio Técnico de Limeira  PAGEREF _Toc46644112 h 68

HYPERLINK l "_Toc46644113" PORTABILIDADE PARCIAL DO MATHEMATIC PLOTTING PACKAGE (PARA WINDOWS)  PAGEREF _Toc46644113 h 68

HYPERLINK l "_Toc46644114" Faculdade de Engenharia Civil  PAGEREF _Toc46644114 h 69

HYPERLINK l "_Toc46644115" Subsídios para a solução de conflitos relativos a enchentes e uso da terra. Estudo de caso: A APA Municipal de Campinas (SP)  PAGEREF _Toc46644115 h 69

HYPERLINK l "_Toc46644116" Instituto de Computação  PAGEREF _Toc46644116 h 69

HYPERLINK l "_Toc46644117" ATIFS ? AMBIENTE DE TESTES POR INJEÇÃO DE FALHAS POR SOFTWARE: VALIDAÇÃO UTILIZANDO APLICAÇÕES ESPACIAIS  PAGEREF _Toc46644117 h 69

HYPERLINK l "_Toc46644118" VALIDAÇÃO DE UMA PLATAFORMA DE TESTES UTILIZANDO PROJETO-PILOTO DA ÁREA AEROESPACIAL  PAGEREF _Toc46644118 h 69

HYPERLINK l "_Toc46644119" Validação do ATIFS  PAGEREF _Toc46644119 h 70

HYPERLINK l "_Toc46644120" AMBIENTE PARA VISUALIZAÇÃO DE PROTOCOLOS DE CHECKPOINTING  PAGEREF _Toc46644120 h 70

HYPERLINK l "_Toc46644121" DONNER: SIMULADOR DO PROCESSADOR DLX EM ARCHC  PAGEREF _Toc46644121 h 70

HYPERLINK l "_Toc46644122" Integração de uma infra-estrutura de chaves públicas ao SLM.  PAGEREF _Toc46644122 h 71

HYPERLINK l "_Toc46644123" Aritmética de Corpos Finitos Otimizada para Criptografia de Curvas Elípticas  PAGEREF _Toc46644123 h 71

HYPERLINK l "_Toc46644124" Instituto de Física  PAGEREF _Toc46644124 h 71

HYPERLINK l "_Toc46644125" Medidas de Condutividade in situ em Filmes Finos Intercalados II  PAGEREF _Toc46644125 h 71

HYPERLINK l "_Toc46644126" FÍSICA COMPUTACIONAL E APLICAÇÕES  PAGEREF _Toc46644126 h 72

HYPERLINK l "_Toc46644127" Análise Da Eficiência Energética Da Produção De Hidrogênio Através De Um Sistema Eólico Isolado  PAGEREF _Toc46644127 h 72

HYPERLINK l "_Toc46644128" PRODUÇÃO E PURIFICAÇÃO DE HIDROGÊNIO OBTIDO A PARTIR DA REFORMA DO ETANOL ? SEGUNDA ETAPA: PROJETO DE PROTÓTIPO  PAGEREF _Toc46644128 h 72

HYPERLINK l "_Toc46644129" CONSTRUÇÃO DE UM CALORÍMETRO PARA HE3 - FASE II  PAGEREF _Toc46644129 h 73

HYPERLINK l "_Toc46644130" PESQUISA EM HOLOIMAGENS ELETRÔNICAS  PAGEREF _Toc46644130 h 73

HYPERLINK l "_Toc46644131" PROPRIEDADES ESTRUTURAIS DE MELANINAS: ESTUDO POR MICROSCOPIA DE VARREDURA POR SONDA  PAGEREF _Toc46644131 h 73

HYPERLINK l "_Toc46644132" Nanolitografia e Fabricação de Materiais Semicondutores  PAGEREF _Toc46644132 h 73

HYPERLINK l "_Toc46644133" ESTUDOS DA EVOLUÇÃO E RELAXAÇÃO DE ESTRUTURAS DE PLASMAS MAGNETIZADOS II  PAGEREF _Toc46644133 h 74

HYPERLINK l "_Toc46644134" Estudo de Um Detetor Tipo Plane Plate Electron Multiplier, Sua Fabricação e Teste - II  PAGEREF _Toc46644134 h 74

HYPERLINK l "_Toc46644135" Projeto e Construção de um Sistema de Controle para um Espectrômetro de Massa via Computador  PAGEREF _Toc46644135 h 75

HYPERLINK l "_Toc46644136" Estudo do efeito magnetocalorico no composto MnAs0,9Sb0,1  PAGEREF _Toc46644136 h 75

HYPERLINK l "_Toc46644137" IF - UNESP - Instituto de Física da UNESP  PAGEREF _Toc46644137 h 75

HYPERLINK l "_Toc46644138" ABSORÇÃO ÓPTICA DE MINERAIS TRATADOS TERMICAMENTE  PAGEREF _Toc46644138 h 75

HYPERLINK l "_Toc46644139" Instituto de Geociências  PAGEREF _Toc46644139 h 76

HYPERLINK l "_Toc46644140" Caracterização geomorfológica e avaliação da fragilidade do meio em área do Município de Itirapina, S.P. Fase II  PAGEREF _Toc46644140 h 76

HYPERLINK l "_Toc46644141" Considerações Preliminares Sobre a Fragilidade Ambiental de Terras Paulistas  PAGEREF _Toc46644141 h 76

HYPERLINK l "_Toc46644142" UTILIZAÇÃO DA SÍSMICA COMO DERIVA EXTERNA NO CÁLCULO DO VOLUME DE ÓLEO DE UM RESERVATÓRIO DE PETRÓLEO  PAGEREF _Toc46644142 h 76

HYPERLINK l "_Toc46644143" COMPOSIÇÃO MINERALÓGICA E QUÍMICA DE GRANADA-BIOTITA-GNAISSES DE ALTO GRAU METAMÓRFICO NA REGIÃO DE BOTELHOS/MG, E SEU POSSÍVEL PROTÓLITO.  PAGEREF _Toc46644143 h 77

HYPERLINK l "_Toc46644144" MONITORAMENTO DA QUALIDADE DE ÁGUA DO RIO RIBEIRA DE IGUAPE PARA ARSÊNIO E METAIS PESADOS  PAGEREF _Toc46644144 h 77

HYPERLINK l "_Toc46644145" PROCESSAMENTO E INTERPRETAÇÃO DE DADOS AEROGEOFÍSICOS DO EXTREMO SUL DO CRÁTON SÃO FRANCISCO  PAGEREF _Toc46644145 h 77

HYPERLINK l "_Toc46644146" ANÁLISE DE SITES EM GEOCIÊNCIAS E DIFUSÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA INTERNET SOBRE A REGIÃO DE JUNDIAÍ-ATIBAIA  PAGEREF _Toc46644146 h 78

HYPERLINK l "_Toc46644147" ESTUDO E INTERPRETAÇÃO DE DADOS SOBRE ÁGUAS SUPERFICIAIS DA REGIÃO DE JUNDIAÍ ? ATIBAIA, SP  PAGEREF _Toc46644147 h 78

HYPERLINK l "_Toc46644148" Análise e tratamento de dados de estruturas rúpteis da região de Jundiaí-Atibaia  PAGEREF _Toc46644148 h 78

HYPERLINK l "_Toc46644149" Análise da expansão das manchas urbanas da região de Jundiaí-Atibaia  PAGEREF _Toc46644149 h 79

HYPERLINK l "_Toc46644150" Granito rapakivi de Curralinho: evidência de tectônica extensional no Domínio Canindé da Faixa Sergipana  PAGEREF _Toc46644150 h 79

HYPERLINK l "_Toc46644151" Pluviosidade Diária em Campinas e Implicações no Meio Ambiente Urbano  PAGEREF _Toc46644151 h 79

HYPERLINK l "_Toc46644152" FLUIDOS ASSOCIADOS À FORMAÇÃO DO DEPÓSITO POLIMETÁLICO BREVES, PROVÍNCIA MINERAL DE CARAJÁS (PA): EVIDÊNCIAS DO ESTUDO DE INCLUSÕES FLUIDAS  PAGEREF _Toc46644152 h 80

HYPERLINK l "_Toc46644153" Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica  PAGEREF _Toc46644153 h 80

HYPERLINK l "_Toc46644154" RELATIVIDADE ESPECIAL E GEOMETRIA DE MINKOWSKI  PAGEREF _Toc46644154 h 80

HYPERLINK l "_Toc46644155" Empacotamento em Paletes e Contêineres e Bin Packing  PAGEREF _Toc46644155 h 80

HYPERLINK l "_Toc46644156" Geometria Elíptica e Geometria Esférica  PAGEREF _Toc46644156 h 81

HYPERLINK l "_Toc46644157" UM ESTUDO COMPARATIVO DE 3 CLASSES DE MODELOS ESTATÍSTICOS PARA ANÁLISE DE DADOS DE PROPRIEDADES DO SOLO AO LONGO DE TRANSECTS  PAGEREF _Toc46644157 h 81

HYPERLINK l "_Toc46644158" DIAGNÓSTICO NOS MODELOS DE GRUBBS T-STUDENT  PAGEREF _Toc46644158 h 81

HYPERLINK l "_Toc46644159" Otimização de recursos em cursos de graduação  PAGEREF _Toc46644159 h 82

HYPERLINK l "_Toc46644160" Estudo de ondas planas, cilíndricas e esféricas em meios acústicos  PAGEREF _Toc46644160 h 82

HYPERLINK l "_Toc46644161" TEORIA DE ESTABILIDADE DE EQUAÇÕES DIFERENCIAIS ORDINÁRIAS E TEORIA DE CONTROLE  PAGEREF _Toc46644161 h 82

HYPERLINK l "_Toc46644162" EQUAÇÕES INTEGRAIS LINEARES: TEORIA E APLICAÇÕES.  PAGEREF _Toc46644162 h 83

HYPERLINK l "_Toc46644163" Introdução às Álgebras de Lie  PAGEREF _Toc46644163 h 83

HYPERLINK l "_Toc46644164" Introdução aos métodos multigrid para resolução de sistemas lineares e não lineares  PAGEREF _Toc46644164 h 83

HYPERLINK l "_Toc46644165" Estratégias para controle de passo no método de máxima descida  PAGEREF _Toc46644165 h 84

HYPERLINK l "_Toc46644166" Método de Newton e Método de Newton Inexato-Discreto: fractais e aplicações  PAGEREF _Toc46644166 h 84

HYPERLINK l "_Toc46644167" APLICAÇÕES À ROBOTICA DA MECÂNICA DE CALIBRE  PAGEREF _Toc46644167 h 84

HYPERLINK l "_Toc46644168" MECÂNICA DE CALIBRE E APLICAÇÕES A ROBÓTICA  PAGEREF _Toc46644168 h 84

HYPERLINK l "_Toc46644169" Introdução à Robótica: Fundamentos Matemáticos  PAGEREF _Toc46644169 h 85

HYPERLINK l "_Toc46644170" RESOLVENDO PROBLEMAS DE MATEMÁTICA NO ENSINO MÉDIO  PAGEREF _Toc46644170 h 85

HYPERLINK l "_Toc46644171" CONTROLE ÓTIMO E APLICAÇÕES  PAGEREF _Toc46644171 h 85

HYPERLINK l "_Toc46644172" Introdução à Geometria Computacional com aplicações ao Processamento Sísmico  PAGEREF _Toc46644172 h 86

HYPERLINK l "_Toc46644173" TRABALHANDO O TEMA ?ÁGUA? INTERDISCIPLINARMENTE.  PAGEREF _Toc46644173 h 86

HYPERLINK l "_Toc46644174" MÉTODOS NUMÉRICOS PARA PROBLEMAS DE ADVECÇÃO DOMINANTE  PAGEREF _Toc46644174 h 86

HYPERLINK l "_Toc46644175" Instituto de Química  PAGEREF _Toc46644175 h 87

HYPERLINK l "_Toc46644176" QUANTIFICAÇÃO DE TETRACICLINAS COM MEDIDAS FOTOMÉTRICAS EM DISPOSITIVO PORTÁTIL  PAGEREF _Toc46644176 h 87

HYPERLINK l "_Toc46644177" CORRELAÇÃO ENTRE BIOMARCADORES E MICROORGANISMOS DOS PETRÓLEOS DA BACIA DE CAMPOS  PAGEREF _Toc46644177 h 87

HYPERLINK l "_Toc46644178" DESENVOLVIMENTO DA REAÇÃO DE HECK DE ENOLÉTERES ACÍCLICOS COM SAIS DE DIAZÔNIO  PAGEREF _Toc46644178 h 87

HYPERLINK l "_Toc46644179" DETERMINAÇÃO DE VISCOSIDADE MOONEY DE BORRACHA NATURAL ATRAVÉS DA ESPECTROSOCPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO (NIR).  PAGEREF _Toc46644179 h 88

HYPERLINK l "_Toc46644180" Três diferentes modos de ancoramento da molécula 5-amino-1,3,4-tiadiazol-2-tiol em sílica gel para adsorção de níquel  PAGEREF _Toc46644180 h 88

HYPERLINK l "_Toc46644181" Aspectos estruturais e termoquímicos da intercalação de monoaminas alifáticas no polissilicato lamelar magadeíta  PAGEREF _Toc46644181 h 89

HYPERLINK l "_Toc46644182" Abordagem fitoquímica de Acosmium dasycarpum  PAGEREF _Toc46644182 h 89

HYPERLINK l "_Toc46644183" Abordagem fitoquímica de Acosmium subelegans  PAGEREF _Toc46644183 h 89

HYPERLINK l "_Toc46644184" Encapsulação de hidroquinona em ciclodextrinaS para uSO no tratamento dermatológico de hipercromias  PAGEREF _Toc46644184 h 89

HYPERLINK l "_Toc46644185" Avaliação de perda protéica do cabelo induzida pelo uso de chapa para alisamento  PAGEREF _Toc46644185 h 90

HYPERLINK l "_Toc46644186" propriedades mecânicas de tensão ? deformação do cabelo  PAGEREF _Toc46644186 h 90

HYPERLINK l "_Toc46644187" DETERMINAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE EXTRAÇÃO DE PMOS e PMODS DE FASES ESTACIONÁRIAS IMOBILIZADAS TERMICAMENTE.  PAGEREF _Toc46644187 h 90

HYPERLINK l "_Toc46644188" ESTUDOS PRELIMINARES DO MODELO DE UM SISTEMA DE ENCHIMENTO DE COLUNAS POR CENTRIFUGAÇÃO  PAGEREF _Toc46644188 h 91

HYPERLINK l "_Toc46644189" DESENVOLVIMENTO DE UM OPTODO PARA A DETERMINAÇÃO DE IODETO EM UM SISTEMA DE ANÁLISE EM FLUXO  PAGEREF _Toc46644189 h 91

HYPERLINK l "_Toc46644190" DESENVOLVIMENTO DE UM SENSOR ÓPTICO PARA A DETERMINAÇÃO DE UMIDADE RELATIVA EM AR  PAGEREF _Toc46644190 h 91

HYPERLINK l "_Toc46644191" DETERMINAÇÃO DE PARÂMETROS DE QUALIDADE DE ÓLEO DIESEL UTILIZANDO ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO  PAGEREF _Toc46644191 h 92

HYPERLINK l "_Toc46644192" AVALIAÇÃO DO MÉTODO DE GRAN PARA A DETERMINAÇÃO DE BICARBONATO, CLORETO E NITROGÊNIO INORGÂNICO EM EXTRATOS AQUOSOS DE SUBSTRATOS  PAGEREF _Toc46644192 h 92

HYPERLINK l "_Toc46644193" PREPARAÇÃO E BIORREDUÇÃO DE CRÔMIO TRICARBONILA COMPLEXADO A CARBONILAS FENÍLICAS  PAGEREF _Toc46644193 h 92

HYPERLINK l "_Toc46644194" Determinação do volume específico de sílicas cromatográficas por adsorção/condensação de vapor de água usando celas de fluxo contínuo  PAGEREF _Toc46644194 h 93

HYPERLINK l "_Toc46644195" ESTUDO FITOQUÍMICO COMPARATIVO DO ÓLEO ESSENCIAL DAS FOLHAS DE PAU-ROSA (Aniba rosaeodora Ducke) DE CULTIVOS E DA FLORESTA AMAZÔNICA  PAGEREF _Toc46644195 h 93

HYPERLINK l "_Toc46644196" DETERMINAÇÃO DE HEPARINA EM FÁRMACO POR SENSOR POTENCIOMÉTRICO  PAGEREF _Toc46644196 h 93

HYPERLINK l "_Toc46644197" Estudos para transformações de dióis em hetero-amino derivados  PAGEREF _Toc46644197 h 94

HYPERLINK l "_Toc46644198" Preparação de derivados sesquiterpênicos bromo-tetraidrofuranos e bromo-tetraidropiranos  PAGEREF _Toc46644198 h 94

HYPERLINK l "_Toc46644199" ESQUELETOS ESTIRIL LACTÔNICOS INÉDITOS A PARTIR DO ÁCIDO QUÍNICO  PAGEREF _Toc46644199 h 94

HYPERLINK l "_Toc46644200" SíNTESE DE HIDROXIAMIDAS SELETIVAMENTE PROTEGIDAS: REAÇãO EM MICROONDAS  PAGEREF _Toc46644200 h 95

HYPERLINK l "_Toc46644201" FORMAÇÃO DE TETRAIDROFURANOS SESQUITERPÊNICOS ALTAMENTE SUBSTITUÍDOS  PAGEREF _Toc46644201 h 95

HYPERLINK l "_Toc46644202" CALIBRAÇÃO MULTIVARIADA E ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS ISÔMEROS DO XILENO  PAGEREF _Toc46644202 h 95

HYPERLINK l "_Toc46644203" AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DA DECOMPOSIÇÃO DE AMOSTRAS DE FITOTERÁPICOS COM O EMPREGO DE MINI-FRASCOS PARA A DETERMINAÇÃO DE Cd  PAGEREF _Toc46644203 h 96

HYPERLINK l "_Toc46644204" TRATAMENTO SUPERFICIAL DE FIBRAS CURAUÁ PARA REFORÇO DE COMPÓSITOS COM POLÍMEROS  PAGEREF _Toc46644204 h 96

HYPERLINK l "_Toc46644205" RECICLAGEM DE MISTURAS DE BORRACHA DE PNEU MOÍDA E POLI(TEREFTALATO DE ETILENO) (PET) PÓS-CONSUMO  PAGEREF _Toc46644205 h 96

HYPERLINK l "_Toc46644206" ELETRÓLITO POLIMÉRICO PARA APLICAÇÃO EM CÉLULA SOLAR DE ESTADO SÓLIDO  PAGEREF _Toc46644206 h 97

HYPERLINK l "_Toc46644207" Determinação Turbidimétrica Direta de Potássio em Soro Sangüíneo Através de Método FIA  PAGEREF _Toc46644207 h 97

HYPERLINK l "_Toc46644208" DETERMINAÇÃO DE ÁCIDO ACETILSALICÍLICO EM MEDICAMENTOS POR DETECÇÂO CONDUTIVIMÉTRICA EM SISTEMA DE INJEÇÃO EM FLUXO  PAGEREF _Toc46644208 h 97

HYPERLINK l "_Toc46644209" Desenvolvimento de método analítico em fluxo para análise de catecol em pó de semente de guaraná  PAGEREF _Toc46644209 h 98

HYPERLINK l "_Toc46644210" BIOSSORÇÃO DE METAIS PESADOS EM LODO ATIVADO  PAGEREF _Toc46644210 h 98

HYPERLINK l "_Toc46644211" VARIAÇÃO DA MICROBIOTA NO SISTEMA DE LODOS ATIVADOS  PAGEREF _Toc46644211 h 98

HYPERLINK l "_Toc46644212" PLANEJAMENTO FATORIAL DA SEMI-PURIFICAÇÃO DA ENZIMA LACASE POR SISTEMAS AQUOSOS BIFÁSICOS  PAGEREF _Toc46644212 h 99

HYPERLINK l "_Toc46644213" PREPARAÇÃO ENANTIOSSELETIVA DE INTERMEDIÁRIOS PARA A SÍNTESE DE EPINEFRINA E ANÁLOGOS  PAGEREF _Toc46644213 h 99

HYPERLINK l "_Toc46644214" Estudo sobre a síntese do eperuol, a partir do ácido copálico isolado do óleo de copaiba  PAGEREF _Toc46644214 h 99

HYPERLINK l "_Toc46644215" ALCALÓIDES INDÓLICOS DAS RAÍZES DE Rauvolfia weddeliana (Apocynaceae)  PAGEREF _Toc46644215 h 100

HYPERLINK l "_Toc46644216" ESTUDO FITOQUÍMICO DAS PARTES SUBTERRÂNEAS DE Rauvolfia weddelliana (Apocynaceae)  PAGEREF _Toc46644216 h 100

HYPERLINK l "_Toc46644217" Epoxidação de álcoois alílicos catalisada por complexos de vanádio(IV) imobilizados em matrizes de sílica através do processo sol-gel  PAGEREF _Toc46644217 h 100

HYPERLINK l "_Toc46644218" Seleção de Sistemas Líquidos Bifásicos para a Reciclagem de Catalisadores Homogêneos de Hidroformilação de Olefinas  PAGEREF _Toc46644218 h 100

HYPERLINK l "_Toc46644219" ESTUDO DA RELAÇÃO ESTRUTURA-EFICIÊNCIA DE FOTOSSENSIBILIDADORES PARA TERAPIA FOTODINÂMICA  PAGEREF _Toc46644219 h 101

HYPERLINK l "_Toc46644220" ESTUDO DO ISOMERISMO ROTACIONAL EM HALODESIL DERIVADOS  PAGEREF _Toc46644220 h 101

HYPERLINK l "_Toc46644221" ESTUDO CONFORMACIONAL DE (-HALOTETRALONAS POR RMN E CÁLCULOS TEÓRICOS  PAGEREF _Toc46644221 h 101

HYPERLINK l "_Toc46644222" DETERMINAÇÃO DA VISCOSIDADE DE ÓLEOS LUBRIFICANTES USADOS UTILIZANDO ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO MÉDIO E CALIBRAÇÃO MULTIVARIADA  PAGEREF _Toc46644222 h 102

HYPERLINK l "_Toc46644223" ESPECTROSCOPIA DE FLUORESCÊNCIA DE BRANQUEANTES ÓPTICOS ADSORVIDOS EM FIBRA DE CELULOSE REGENERADA  PAGEREF _Toc46644223 h 102

HYPERLINK l "_Toc46644224" INTERAÇÃO DO CORANTE VERMELHO DO CONGO COM FIBRA DE CELULOSE REGENERADA (VISCOSE): UM ESTUDO ESPECTROSCÓPICO  PAGEREF _Toc46644224 h 102

HYPERLINK l "_Toc46644225" Epoxidação de cicloocteno com Nb-MCM-41 sintetizada a temperatura ambiente  PAGEREF _Toc46644225 h 103

HYPERLINK l "_Toc46644226" Estudo Físico Químico de Sistemas Líquidos Bifásicos Contendo Polímeros  PAGEREF _Toc46644226 h 103

HYPERLINK l "_Toc46644227" ESTUDO DA SÍNTESE E PROPRIEDADES DE ADERÊNCIA DO CLORETO DE 2-AZONIA, 4-AZABICICLO[2.2.2]OCTANO-N-PROPILSILSESQUIOXANO SOBRE CEL/AL2O3  PAGEREF _Toc46644227 h 103

HYPERLINK l "_Toc46644228" PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS  PAGEREF _Toc46644228 h 105

HYPERLINK l "_Toc46644229" CMU - Centro de Memória  PAGEREF _Toc46644229 h 106

HYPERLINK l "_Toc46644230" MERCADÃO, SUAS IMAGENS E VIVÊNCIAS. Análise do Mercado Municipal de Campinas enquanto local de intensa convivência sociocultural a partir do acervo do fotógrafo V-8  PAGEREF _Toc46644230 h 106

HYPERLINK l "_Toc46644231" Faculdade de Ciências Médicas  PAGEREF _Toc46644231 h 106

HYPERLINK l "_Toc46644232" Contação de histórias para crianças com necessidades educativas especiais  PAGEREF _Toc46644232 h 106

HYPERLINK l "_Toc46644233" A importância da contação de histórias para o desenvolvimento humano: uma experiência envolvendo crianças com deficiência visual  PAGEREF _Toc46644233 h 106

HYPERLINK l "_Toc46644234" Contação de histórias para crianças com necessidades educativas especiais  PAGEREF _Toc46644234 h 107

HYPERLINK l "_Toc46644235" Faculdade de Educação  PAGEREF _Toc46644235 h 107

HYPERLINK l "_Toc46644236" PSICOLOGIA E DILEMAS DOCENTES: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR  PAGEREF _Toc46644236 h 107

HYPERLINK l "_Toc46644237" Nas terras de Tio Sam: os bolsistas brasileiros da área de humanidades nos Estados Unidos (1970-2000)  PAGEREF _Toc46644237 h 107

HYPERLINK l "_Toc46644238" O ENSINO DA PSICOLOGIA NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR E A INTERAÇÃO PROFESSOR-ALUNO: O DIÁRIO COMO ESTRATÉGIA DIALÓGICA ? A RELAÇÃO TEORIA-PRÁTICA  PAGEREF _Toc46644238 h 108

HYPERLINK l "_Toc46644239" Ambiente e cultura tecendo-se no processo de produção histórica dos currículos dos Cursos de Licenciatura em Biologia e GEOGRAFIA  PAGEREF _Toc46644239 h 108

HYPERLINK l "_Toc46644240" ?-POR QUE NÃO PODEMOS ENTRAR LÁ DENTRO??: AS IMAGENS DE UMA RESERVA FLORESTAL URBANA E AS PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL  PAGEREF _Toc46644240 h 108

HYPERLINK l "_Toc46644241" ENSINO DE TECNOLOGIA PARA O NIVEL ESCOLAR FUNDAMENTAL  PAGEREF _Toc46644241 h 109

HYPERLINK l "_Toc46644242" NARRANDO RELAÇÕES ENTRE TEMÁTICAS AMBIENTAIS E FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA E BIOLOGIA  PAGEREF _Toc46644242 h 109

HYPERLINK l "_Toc46644243" A Higiene no discurso pedagógico da Associação Brasileira de Educação  PAGEREF _Toc46644243 h 109

HYPERLINK l "_Toc46644244" A EDUCAÇÃO NO DISCURSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO  PAGEREF _Toc46644244 h 110

HYPERLINK l "_Toc46644245" DESCARTES E OS FUNDAMENTOS DE UMA EDUCAÇÃO RACIONALISTA  PAGEREF _Toc46644245 h 110

HYPERLINK l "_Toc46644246" A falta de Formação Pedagógica dos professores do Ensino Básico na Guiné-Bissau: estudo no período 1975 a 1986  PAGEREF _Toc46644246 h 110

HYPERLINK l "_Toc46644247" Parceria escola empresa no contexto da política educacional paulista  PAGEREF _Toc46644247 h 111

HYPERLINK l "_Toc46644248" ATITUDES E CRENÇAS EM RELAÇÃO À MATEMÁTICA E A OPÇÃO PELO CURSO DE PEDAGOGIA  PAGEREF _Toc46644248 h 111

HYPERLINK l "_Toc46644249" A química através dos textos  PAGEREF _Toc46644249 h 112

HYPERLINK l "_Toc46644250" INTERFACE UNIVERSIDADE-ESCOLA VISTA A PARTIR DOS TRABALHOS DE TITULAÇÃO NA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO PSICOLOGIA EDUCACIONAL DA FE/UNICAMP  PAGEREF _Toc46644250 h 112

HYPERLINK l "_Toc46644251" AS FACES DA INSTITUIÇÃO UNIVERSITÁRIA QUE EMERGEM NAS TESES E DISSERTAÇÕES PRODUZIDAS PELOS TITULADOS NA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO PSICOLOGIA EDUCACIONAL DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA UNICAMP  PAGEREF _Toc46644251 h 112

HYPERLINK l "_Toc46644252" Psicologia e Burnout: uma contribuição à formação do professor de Educação Física  PAGEREF _Toc46644252 h 113

HYPERLINK l "_Toc46644253" Internet na escola: avaliação da relação aluno-tecnologia-conhecimento pelos professores  PAGEREF _Toc46644253 h 113

HYPERLINK l "_Toc46644254" Evasão no Ensino Superior: Análise da Literatura Nacional (1996 a 2002)  PAGEREF _Toc46644254 h 113

HYPERLINK l "_Toc46644255" Faculdade de Educação Física  PAGEREF _Toc46644255 h 114

HYPERLINK l "_Toc46644256" O Conceito de Corporeidade presente nas áreas de Educação e Saúde junto a graduandos da UNICAMP  PAGEREF _Toc46644256 h 114

HYPERLINK l "_Toc46644257" Instituto de Artes  PAGEREF _Toc46644257 h 114

HYPERLINK l "_Toc46644258" A noção de coleção e de antigo na série Campinas Antiga de V8  PAGEREF _Toc46644258 h 114

HYPERLINK l "_Toc46644259" Instituto de Biologia  PAGEREF _Toc46644259 h 114

HYPERLINK l "_Toc46644260" Inventário florístico das Praças da Paz e do Ciclo Básico  PAGEREF _Toc46644260 h 114

HYPERLINK l "_Toc46644261" Instituto de Economia  PAGEREF _Toc46644261 h 115

HYPERLINK l "_Toc46644262" ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DE RESÍDUOS DE CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL  PAGEREF _Toc46644262 h 115

HYPERLINK l "_Toc46644263" Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Economia Internacional: economias em desenvolvimento  PAGEREF _Toc46644263 h 115

HYPERLINK l "_Toc46644264" Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil - Economia Internacional: países desenvolvidos  PAGEREF _Toc46644264 h 115

HYPERLINK l "_Toc46644265" Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Setor Produtivo:inserção comercial  PAGEREF _Toc46644265 h 116

HYPERLINK l "_Toc46644266" Pobreza e Política Social: Indicadores e Resultados  PAGEREF _Toc46644266 h 116

HYPERLINK l "_Toc46644267" DEMANDA EFETIVA E INVESTIMENTO: A INTERPRETAÇÃO PÓS-KEYNESIANA DA TEORIA DO EMPREGO DE KEYNES  PAGEREF _Toc46644267 h 116

HYPERLINK l "_Toc46644268" ASPECTOS DA TRAJETÓRIA OCUPACIONAL DOS CHEFES DE FAMÍLIA DA RMSP NOS ANOS 90  PAGEREF _Toc46644268 h 117

HYPERLINK l "_Toc46644269" O SISTEMA BANCÁRIO E A SITUAÇÃO CAFEEIRA APÓS A CRISE DE 1929  PAGEREF _Toc46644269 h 117

HYPERLINK l "_Toc46644270" A situação do trabalhador bancário num contexto de reestruturação econômica  PAGEREF _Toc46644270 h 117

HYPERLINK l "_Toc46644271" A TRANSIÇÃO DO TRABALHO E O PROJETO NACIONAL  PAGEREF _Toc46644271 h 118

HYPERLINK l "_Toc46644272" Pax Britannica e Revolução Industrial nos Estados Unidos  PAGEREF _Toc46644272 h 118

HYPERLINK l "_Toc46644273" O Complexo Canavieiro: dos Engenhos Centrais ao Instituto do Açúcar e do Álcool  PAGEREF _Toc46644273 h 118

HYPERLINK l "_Toc46644274" Evolução recente do trabalho no setor energético brasileiro  PAGEREF _Toc46644274 h 119

HYPERLINK l "_Toc46644275" Importância e funcionalidade da gestão do conhecimento como inovação organizacional  PAGEREF _Toc46644275 h 119

HYPERLINK l "_Toc46644276" BARREIRAS NÃO-Tarifárias e as disputas na OMC: o caso do frango  PAGEREF _Toc46644276 h 119

HYPERLINK l "_Toc46644277" Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Mercado de Trabalho: Distribuição de Renda  PAGEREF _Toc46644277 h 120

HYPERLINK l "_Toc46644278" Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Finanças Públicas  PAGEREF _Toc46644278 h 120

HYPERLINK l "_Toc46644279" Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Sistema Financeiro  PAGEREF _Toc46644279 h 120

HYPERLINK l "_Toc46644280" Emprego Doméstico na Região Metropolitana de São Paulo (1995-1999)  PAGEREF _Toc46644280 h 121

HYPERLINK l "_Toc46644281" Sistemas Produtivos Locais na Indústria Calçadista Brasileira: Avaliação e Sugestões de Políticas  PAGEREF _Toc46644281 h 121

HYPERLINK l "_Toc46644282" Instituto de Estudos da Linguagem  PAGEREF _Toc46644282 h 121

HYPERLINK l "_Toc46644283" NARRATIVA E SOCIEDADE: DESCREVENDO AS DIFERENTES RECEPÇÕES DA TELENOVELA BRASILEIRA  PAGEREF _Toc46644283 h 121

HYPERLINK l "_Toc46644284" A INFLUÊNCIA DA TÉCNICA VOCAL SOBRE A EMISSÃO CANTADA NO VERNÁCULO  PAGEREF _Toc46644284 h 122

HYPERLINK l "_Toc46644285" O prefácio dos prefácios  PAGEREF _Toc46644285 h 122

HYPERLINK l "_Toc46644286" ANÁLISE DO DISCURSO DO SEDUTOR  PAGEREF _Toc46644286 h 122

HYPERLINK l "_Toc46644287" A EXPLORAÇÃO DO DESENHO NA CONSTRUÇÃO DA IRONIA: EMERGÊNCIA E EVOLUÇÃO DE UM TRAÇO ESTILÍSTICO  PAGEREF _Toc46644287 h 123

HYPERLINK l "_Toc46644288" O Discurso da Moral no Livro Didático de Português (Ensino Fundamental II)  PAGEREF _Toc46644288 h 123

HYPERLINK l "_Toc46644289" Estereótipos e mídia televisiva na formação identitária do professor  PAGEREF _Toc46644289 h 123

HYPERLINK l "_Toc46644290" ?A escola de quatro paredes?: pensando a escola e a educação escolar no interior de comunidades ?orais?  PAGEREF _Toc46644290 h 124

HYPERLINK l "_Toc46644291" A crônica de Julia Lopes de Almeida na Gazeta de Campinas no final do século XIX (1882-1884)  PAGEREF _Toc46644291 h 124

HYPERLINK l "_Toc46644292" ECOS DA PEÇA ?OS LAZARISTAS? NO BRASIL  PAGEREF _Toc46644292 h 124

HYPERLINK l "_Toc46644293" AS CONCEPÇÕES DE ESTILO EM CONTEXTO ESCOLAR  PAGEREF _Toc46644293 h 124

HYPERLINK l "_Toc46644294" Instituto de Filosofia e Ciências Humanas  PAGEREF _Toc46644294 h 125

HYPERLINK l "_Toc46644295" Reestruturação produtiva e controle dos trabalhadores: um estudo de caso  PAGEREF _Toc46644295 h 125

HYPERLINK l "_Toc46644296" Reestruturação produtiva e a percepção dos trabalhadores no setor de linha branca  PAGEREF _Toc46644296 h 125

HYPERLINK l "_Toc46644297" Investimentos Portugueses no Brasil: Além da ?lógica? do mercado  PAGEREF _Toc46644297 h 125

HYPERLINK l "_Toc46644298" POLÍTICAS DE IMIGRAÇÃO NO PORTUGAL PÓS-COLONIAL  PAGEREF _Toc46644298 h 126

HYPERLINK l "_Toc46644299" EXPANSÃO E CHOQUE ? A IURD E AS REAÇÕES QUE PROVOCA EM PORTUGAL: UMA ANÁLISE ATRAVÉS DA MÍDIA PORTUGUESA  PAGEREF _Toc46644299 h 126

HYPERLINK l "_Toc46644300" (RE)CONFIGURAÇÕES IDENTITÁRIAS DE IMIGRANTES HOLANDESES NA CIDADE DE HOLAMBRA ? SP  PAGEREF _Toc46644300 h 127

HYPERLINK l "_Toc46644301" ARGENTINOS EM SÃO PAULO: REPRESENTAÇÕES IDENTITÁRIAS DE DUAS GERAÇÕES DE IMIGRANTES ARGENTINOS  PAGEREF _Toc46644301 h 127

HYPERLINK l "_Toc46644302" Portugal no cinema brasileiro - uma análise das representações sobre Portugal e portugueses na recente produção cinematográfica nacional.  PAGEREF _Toc46644302 h 127

HYPERLINK l "_Toc46644303" A ?Questão Social? e o jornal A Epoca (1912-1919)  PAGEREF _Toc46644303 h 128

HYPERLINK l "_Toc46644304" As rupturas urbanas de Campinas através da fotografia de Aristides Pedro da Silva  PAGEREF _Toc46644304 h 128

HYPERLINK l "_Toc46644305" MEMÓRIA DA DIVERSÃO: lembranças do circuito cinema-baile-teatro na cidade de Pindorama das décadasde 1950 e 60  PAGEREF _Toc46644305 h 128

HYPERLINK l "_Toc46644306" Novos caminhos entre serras e águas: duplicação da rodovia Fernão Dias e implicações socioambientais na região de Bragança Paulista ? Parte II  PAGEREF _Toc46644306 h 129

HYPERLINK l "_Toc46644307" AS REPRESENTAÇÕES LITERÁRIAS DO RIO: DO ROMANCE HISTÓRICO À HISTORIOGRAFIA  PAGEREF _Toc46644307 h 129

HYPERLINK l "_Toc46644308" A IGREJA CATÓLICA POPULAR NO BRASIL A PARTIR DOS DOCUMENTOS (1960-1980)  PAGEREF _Toc46644308 h 129

HYPERLINK l "_Toc46644309" OSWALD DE ANDRADE E O PCB NA DÉCADA DE 1930: AS TENSÕES DA PRÁXIS  PAGEREF _Toc46644309 h 130

HYPERLINK l "_Toc46644310" A GUARDA MUNICIPAL DE CAMPINAS  PAGEREF _Toc46644310 h 130

HYPERLINK l "_Toc46644311" Juventude e Violência - (representações sobre a violência entre adolescentes moradores do Parque Oziel, Campinas)  PAGEREF _Toc46644311 h 130

HYPERLINK l "_Toc46644312" CIRCULARIDADE E RESISTÊNCIA CULTURAL NO CARNAVAL PAULISTANO (1920-1945)  PAGEREF _Toc46644312 h 130

HYPERLINK l "_Toc46644313" O TERROR NOS CAUSOS EM CONCEIÇÃO DA APARECIDA: UM ESTUDO ANTROPOLÓGICO DE FOLCLORE REGIONAL  PAGEREF _Toc46644313 h 131

HYPERLINK l "_Toc46644314" A inserção do jovem no mercado de trabalho através dos patrulheiros em cidades de médio porte: o caso de Indaiatuba  PAGEREF _Toc46644314 h 131

HYPERLINK l "_Toc46644315" RAPARIGAS E MEGANHAS NO CAMPO DE SANTANA: ELEMENTOS PARA UMA HISTÓRIA SOCIAL DA PROSTITUIÇÃO (1903-1907)  PAGEREF _Toc46644315 h 131

HYPERLINK l "_Toc46644316" Documentos e Memórias da Ditadura Militar (1964-1985)  PAGEREF _Toc46644316 h 132

HYPERLINK l "_Toc46644317" Sobre a inserção da Maçonaria na sociedade brasileira contemporânea: aspectos sociológicos  PAGEREF _Toc46644317 h 132

HYPERLINK l "_Toc46644318" PRIVATIZAÇÃO E TERCEIRIZAÇÃO DO TRABALHO NO SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES: UM ESTUDO DA EMPRESA TELEFÔNICA S.A.  PAGEREF _Toc46644318 h 132

HYPERLINK l "_Toc46644319" O MUNDO DE SOFIA: MACHADO DE ASSIS E AS LEITORAS DE QUINCAS BORBA  PAGEREF _Toc46644319 h 133

HYPERLINK l "_Toc46644320" ?RIDENDO CASTIGAT MORES?: A SEMANA ILLUSTRADA DE HENRIQUE FLEIUSS E A FORMAÇÃO DA IMPRENSA ILUSTRADA NO BRASIL. RIO DE JANEIRO 1860-1876  PAGEREF _Toc46644320 h 133

HYPERLINK l "_Toc46644321" Cenas de trabalho: carregadores negros na iconografia de viajantes (Riode Janeiro: 1808-1850)  PAGEREF _Toc46644321 h 133

HYPERLINK l "_Toc46644322" Instituto de Geociências  PAGEREF _Toc46644322 h 133

HYPERLINK l "_Toc46644323" AGLOMERAÇÕES INDUSTRIAIS:O SEGMENTO DE CONFECÇÃO INFANTIL DE AMPARO  PAGEREF _Toc46644323 h 133

HYPERLINK l "_Toc46644324" CARTOGRAFIA DAS UNIDADES DE PAISAGEM NOS MUNICÍPIOS DE SUMARÉ E VALINHOS, REGIÃO ADMINISTRATIVA DE CAMPINAS (SP), COMO SUBSÍDIO A GESTÃO DA PAISAGEM  PAGEREF _Toc46644324 h 134

HYPERLINK l "_Toc46644325" GÊNESE E EVOLUÇÃO DE VERTENTES NA BACIA DO RIBEIRÃO JUNCAL, MUNICÍPIO DE SALTO DE PIRAPORA (SP)  PAGEREF _Toc46644325 h 134

HYPERLINK l "_Toc46644326" O PAPEL DESEMPENHADO PELA CARTOGRAFIA NA DISCIPLINA DE GEOGRAFIA, NO 3º CICLO DO ENSINO FUNDAMENTAL ? PROPONDO ATIVIDADES DIDÁTICAS  PAGEREF _Toc46644326 h 134

HYPERLINK l "_Toc46644327" O Papel do Fixo Público na Dinamização e Cientifização do Território Paulista  PAGEREF _Toc46644327 h 135

HYPERLINK l "_Toc46644328" AVIÕES E AEROPORTOS EM FAZENDAS DO CENTRO-OESTE REGULADOS POR SÃO PAULO: ELEMENTOS DO CIRCUITO ESPACIAL DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA  PAGEREF _Toc46644328 h 135

HYPERLINK l "_Toc46644329" O Papel dos Fluxos na Instituição, Consolidação e Expansão da Região Metropolitana de Campinas (RMC)  PAGEREF _Toc46644329 h 135

HYPERLINK l "_Toc46644330" O USO DO HELICÓPTERO NA ACELERAÇÃO DOS FLUXOS HEGEMÔNICOS NA METRÓPOLE DE SÃO PAULO  PAGEREF _Toc46644330 h 136

HYPERLINK l "_Toc46644331" EMPRESAS RETICULARES: INCENTIVOS TERRITORIAIS, USO E ALIENAÇÃO DO TERRITÓRIO  PAGEREF _Toc46644331 h 136

HYPERLINK l "_Toc46644332" OS PEDÁGIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO E SUAS INTERVENÇÕES NA FLUIDEZ DAS REDES TERRITORIAIS  PAGEREF _Toc46644332 h 136

HYPERLINK l "_Toc46644333" O Papel dos Macrossistemas Técnicos (rodoviário e enérgico) na Fragmentação do Território Brasileiro  PAGEREF _Toc46644333 h 136

HYPERLINK l "_Toc46644334" Pólos Tecnológicos na perspectiva do território usado: o caso de Campinas  PAGEREF _Toc46644334 h 137

HYPERLINK l "_Toc46644335" A PRAÇA NO LUGAR. UMA FORMA-CONTEÚDO NA SOCIABILIDADE DA RAZÃO COTIDIANA  PAGEREF _Toc46644335 h 137

HYPERLINK l "_Toc46644336" ÁREAS DE DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE SANTA BÁRBARA D?OESTE-SP: IMPACTO AMBIENTAL E LEVANTAMENTO DE ALTERNATIVAS SOB ABORDAGEM GEOLÓGICA E GEOGRÁFICA  PAGEREF _Toc46644336 h 137

HYPERLINK l "_Toc46644337" ANÁLISE DAS MODIFICAÇÕES NO CONTEÚDO MUDANÇAS CLIMÁTICAS POR MEIO DE QUESTÕES DE AVALIAÇAÃO FORMAL (1973-1999)  PAGEREF _Toc46644337 h 138

HYPERLINK l "_Toc46644338" A GUERRA FISCAL COMO MANIFESTAÇÃO DA CRISE DO PACTO FEDERATIVO.Uma análise geográfica a partir do movimento do ICMS-QN  PAGEREF _Toc46644338 h 138

HYPERLINK l "_Toc46644339" Tecnologias de informação e política territorial da montadora FIAT e suas concessionárias automobilísticas no Brasi  PAGEREF _Toc46644339 h 138

HYPERLINK l "_Toc46644340" Redes telemáticas corporativas e organização do território: a política territorial da companhia brasileira de distribuição  PAGEREF _Toc46644340 h 139

HYPERLINK l "_Toc46644341" RACIONALIDADE E CONTROLE DOS FLUXOS MATERIAIS NO TERRITÓRIO BRASILEIRO: o sistema de rastreamento e monitoramento de veículos por satélite  PAGEREF _Toc46644341 h 139

HYPERLINK l "_Toc46644342" MODERNIZAÇÃO SELETIVA DO SISTEMA RODOVIÁRIO BRASILEIRO COMO BASE DA COMPETITIVIDADE TERRITORIAL: pedágios e densidades de movimentação de fluxos materiais  PAGEREF _Toc46644342 h 139

HYPERLINK l "_Toc46644343" ESTUDO HIDROLÓGICO E HIDROGEOLÓGICO DA CAVERNA DE SANTANA E REGIÕES ADJACENTES  PAGEREF _Toc46644343 h 140

HYPERLINK l "_Toc46644344" NEPAM - Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais  PAGEREF _Toc46644344 h 140

HYPERLINK l "_Toc46644345" Em Direção a Sustentabilidade: o caso da AMAI  PAGEREF _Toc46644345 h 140

HYPERLINK l "_Toc46644346" NEPO - Núcleo de Estudos da População  PAGEREF _Toc46644346 h 140

HYPERLINK l "_Toc46644347" METRÓPOLES E RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL: O CASO DE RECIFE  PAGEREF _Toc46644347 h 140

HYPERLINK l "_Toc46644348" DA FOFOCA À AUTONOMIA, BRIGAS, INTRIGAS E TITITI: o masculino e o feminino entre jovens mulheres de camadas médias paulistanas  PAGEREF _Toc46644348 h 141

HYPERLINK l "_Toc46644349" CRESCIMENTO DAS CIDADES,REGIONALIZAÇÃO E REESTRUTURAÇÃO URBANA NO EIXO DA HIDROVIA TIETÊ-PARANÁ  PAGEREF _Toc46644349 h 141

HYPERLINK l "_Toc46644350" MUNICÍPIOS PEQUENOS NO PROCESSO DE ESTRUTURAÇÃO DOS ESPAÇOS REGIONAIS: O EIXO DA HIDROVIA TIETÊ-PARANÁ  PAGEREF _Toc46644350 h 141

HYPERLINK l "_Toc46644351" PAGU - Núcleo de Estudos de Gênero  PAGEREF _Toc46644351 h 142

HYPERLINK l "_Toc46644352" Ciências e Feminismos no Início do Século ?Atuação política de Bertha Lutz e a sociedade brasileira de 1918 a 1932  PAGEREF _Toc46644352 h 142

HYPERLINK l "_Toc46644353" PROJETOS DA ÁREA TECNOLÓGICA  PAGEREF _Toc46644353 h 143

HYPERLINK l "_Toc46644354" CESET - Centro Superior de Educação Tecnológica  PAGEREF _Toc46644354 h 144

HYPERLINK l "_Toc46644355" OS IMPACTOS DO DECRETO LEI Nº 10.267 DE AGOSTO DE 2001 DO MINISTÉRIO DO ESTADO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO NOS LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS RURAIS E SEUS REGISTROS IMOBILIÁRIOS  PAGEREF _Toc46644355 h 144

HYPERLINK l "_Toc46644356" AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO E ATUAÇÃO DAS LEIS DE ACESSIBILIDADE A DEFICIENTES NO MUNICÍPIO DE LIMEIRA  PAGEREF _Toc46644356 h 144

HYPERLINK l "_Toc46644357" PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO MUNICIPAL E REGISTRO IMOBILIÁRIO DE PROJETOS EM ENGENHARIA ? UM ESTUDO DE CASO  PAGEREF _Toc46644357 h 144

HYPERLINK l "_Toc46644358" GEORREFERENCIAMENTO DE RÉGUAS LINIMÉTRICAS NO MONITORAMENTO DE BACIAS HIDROLÓGICAS  PAGEREF _Toc46644358 h 145

HYPERLINK l "_Toc46644359" MÉTODOS DE RESTAURAÇÃO E DO USO DE DETERMINADOS MATERIAIS NA REVITALIZAÇÃO DE CONSTRUÇÕES HISTÓRICAS  PAGEREF _Toc46644359 h 145

HYPERLINK l "_Toc46644360" CONTROLADOR MICROPROGRAMADO SÍNCRONO PARA FINS DIDÁTICOS  PAGEREF _Toc46644360 h 145

HYPERLINK l "_Toc46644361" Aplicação de Cromatografia Gasosa em Análise de Reações de Oxidações de Cicloexano Catalisadas por Rutênio porfirinas  PAGEREF _Toc46644361 h 145

HYPERLINK l "_Toc46644362" Aplicação de Cromatografia Gasosa em Análise de Poluentes Orgânicos, Através de Monitoramento de Reações de Epoxidações Catalisadas por Ferroporfirina Fluorada  PAGEREF _Toc46644362 h 146

HYPERLINK l "_Toc46644363" Faculdade de Engenharia de Alimentos  PAGEREF _Toc46644363 h 146

HYPERLINK l "_Toc46644364" CARACTERIZAÇÃO DE COMPOSTOS DE DEGRADAÇÃO TÉRMICA DA BIXINA  PAGEREF _Toc46644364 h 146

HYPERLINK l "_Toc46644365" Valor Nutricional da Proteína de Soja comparado com Proteína de Alto Valor Biológico  PAGEREF _Toc46644365 h 146

HYPERLINK l "_Toc46644366" Solubilidade de óleo de peixe em dióxido de carbono supercrítico  PAGEREF _Toc46644366 h 147

HYPERLINK l "_Toc46644367" Influência do método de extração em algumas propriedades funcionais das proteínas de Amaranto (Amaranthus cruentus)  PAGEREF _Toc46644367 h 147

HYPERLINK l "_Toc46644368" SELEÇÃO DE MICRORGANISMOS PRODUTORES DE LIPASE ALCALINA E PRODUÇÃO DE LIPASE ALCALINA MICROBIANA  PAGEREF _Toc46644368 h 148

HYPERLINK l "_Toc46644369" Determinação da doçura ideal, doçura equivalente, aceitação e perfil sensorial de chá mate quente com diferentes edulcorantes  PAGEREF _Toc46644369 h 148

HYPERLINK l "_Toc46644370" Equivalência de doçura, aceitação e perfil sensorial de edulcorantes em bebida de chá mate gelada  PAGEREF _Toc46644370 h 148

HYPERLINK l "_Toc46644371" ANÁLISE TEMPO-INTENSIDADE, TESTES AFETIVOS E ATITUDE DO CONSUMIDOR EM RELAÇÃO AO CHOCOLATE COMERCIAL ADOÇADO COM SACAROSE E COM EDULCORANTE  PAGEREF _Toc46644371 h 149

HYPERLINK l "_Toc46644372" ANÁLISE SENSORIAL DE NÉCTAR DE PÊSSEGO (Prunus persica L.) COMERCIAL ADOÇADO COM SACAROSE E COM EDULCORANTE  PAGEREF _Toc46644372 h 149

HYPERLINK l "_Toc46644373" Produção de glicosiltransferase de Erwinia sp D12 e estudo da conversão de sacarose em isomaltulose  PAGEREF _Toc46644373 h 149

HYPERLINK l "_Toc46644374" CARACTERIZAÇÃO DO TAMARINDO (tamarindus indica) E ESTUDO DA EXTRAÇÃO E ESTABILIDADE DA POLPA  PAGEREF _Toc46644374 h 150

HYPERLINK l "_Toc46644375" Desenvolvimento de um Suco de Capim Cidreira (Cymbopogon citratus)  PAGEREF _Toc46644375 h 150

HYPERLINK l "_Toc46644376" AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE ÁGUA DE COCO INDUSTRIALIZADA POR PASTEURIZAÇÃO E ENCHIMENTO A QUENTE  PAGEREF _Toc46644376 h 150

HYPERLINK l "_Toc46644377" AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DA IRRADIAÇÃO ULTRAVIOLETA NA ESTERILIZAÇÃO DE TAMPAS PARA A SELAGEM DE GARRAFAS PLÁSTICAS  PAGEREF _Toc46644377 h 151

HYPERLINK l "_Toc46644378" IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO PARA PROCESSAMENTO E ACONDICIONAMENTO ASSÉPTICO DE ÁGUA DE COCO  PAGEREF _Toc46644378 h 151

HYPERLINK l "_Toc46644379" AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ENZIMÁTICA DE ÁGUA DE COCO PROCESSADA EM SISTEMA ASSÉPTICO E POR ENCHIMENTO A QUENTE  PAGEREF _Toc46644379 h 151

HYPERLINK l "_Toc46644380" Processamento de queijo tipo quark por ultrafiltração: efeito da pressão transmembrana e da velocidade de escoamento  PAGEREF _Toc46644380 h 151

HYPERLINK l "_Toc46644381" PRODUÇÃO DE CONCENTRADOS PROTÉICOS DE LEITE DE CABRA POR ULTRAFILTRAÇÃO  PAGEREF _Toc46644381 h 152

HYPERLINK l "_Toc46644382" Análise e monitoramento de dados em tempo real do processamento térmico de alimentos  PAGEREF _Toc46644382 h 152

HYPERLINK l "_Toc46644383" Estudo da Inativação de L.frutiverans em água de coco e L. plantarum em suco de laranja pelo Processo de Homogeneização a Ultra Alta Pressão  PAGEREF _Toc46644383 h 152

HYPERLINK l "_Toc46644384" DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA CÁLCULO DE PROPRIEDADES TERMODINÂMICAS ATRAVÉS DA EQUAÇÃO DE ESTADO DE PENG-ROBINSON  PAGEREF _Toc46644384 h 153

HYPERLINK l "_Toc46644385" Caracterização da inulinase de Kluyveromyces sp., nas formas livre e imobilizada, em meio orgânico  PAGEREF _Toc46644385 h 153

HYPERLINK l "_Toc46644386" PRODUÇÃO DE LIPASE UTILIZANDO RESÍDUOS INDUSTRIAIS COMO FONTE DE NITROGÊNIO  PAGEREF _Toc46644386 h 153

HYPERLINK l "_Toc46644387" IDENTIFICAÇÃO DOS COMPOSTOS VOLÁTEIS DA GRAVIOLA E DE SUA IMPORTÂNCIA AO AROMA DA FRUTA  PAGEREF _Toc46644387 h 154

HYPERLINK l "_Toc46644388" Estudo sobre a qualidade do extrato de café torrado e moído  PAGEREF _Toc46644388 h 154

HYPERLINK l "_Toc46644389" Inibição de Escherichia coli por Bifidobacterium longum, Lactobacillus acidophilus e Streptococcus thermophilus em bebida láctea  PAGEREF _Toc46644389 h 155

HYPERLINK l "_Toc46644390" CARACTERIZAÇÃO DA pós-acidificação de bebida láctea funcional a diferentes temperaturas de estocagem  PAGEREF _Toc46644390 h 155

HYPERLINK l "_Toc46644391" USO DE CULTURAS ADJUNTAS PARA MELHORIA DE SABOR E TEXTURA DE QUEIJO PRATO COM REDUZIDO TEOR DE GORDURA  PAGEREF _Toc46644391 h 155

HYPERLINK l "_Toc46644392" FATORES QUE AFETAM A PRODUÇÃO DE ?-GLICOSIDASE FÚNGICA CONVERSORA DE ISOFLAVONAS GLICOSILADAS  PAGEREF _Toc46644392 h 156

HYPERLINK l "_Toc46644393" Faculdade de Engenharia Agrícola  PAGEREF _Toc46644393 h 156

HYPERLINK l "_Toc46644394" DETERMINAÇÃO DA UMIDADE DA CASTANHA DE CAJU ATRAVÉS DE MÉTODO DIELÉTRICO E CONVENCIONAL  PAGEREF _Toc46644394 h 156

HYPERLINK l "_Toc46644395" RESPOSTA RESPIRATÓRIA DURANTE O ARMAZENAMENTO DO FIGO ROXO DE VALINHOS (Ficus carica L.) SUBMETIDO À VIBRAÇÃO  PAGEREF _Toc46644395 h 156

HYPERLINK l "_Toc46644396" VARIAÇÃO NA TAXA RESPIRATÓRIA E PRODUÇÃO DE ETILENO EM FIGOS DEVIDO À VIBRAÇÃO  PAGEREF _Toc46644396 h 157

HYPERLINK l "_Toc46644397" Blocos vazados fabricados com argamassa de cimento, areia e casca de arroz  PAGEREF _Toc46644397 h 157

HYPERLINK l "_Toc46644398" ESTUDO EXPERIMENTAL PARA A CARACTERIZAÇÃO DO PROCESSO DE RESFRIAMENTO RÁPIDO DE GOIABA NUM SISTEMA COM AR FORÇADO  PAGEREF _Toc46644398 h 157

HYPERLINK l "_Toc46644399" Leito cultivado de fluxo vertical no pós-tratamento de efluente de reator anaeróbio compartimentado  PAGEREF _Toc46644399 h 158

HYPERLINK l "_Toc46644400" AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE SISTEMAS MODULARES NO TRATAMENTO DE ESGOTO  PAGEREF _Toc46644400 h 158

HYPERLINK l "_Toc46644401" Estabilização de lodos de estações de tratamento de esgotos utilizando reatores anaeróbios seqüenciais: avaliação da biodegradabilidade anaeróbia, através de medidas de volume de metano produzido, em testes de bancada  PAGEREF _Toc46644401 h 158

HYPERLINK l "_Toc46644402" AVALIAÇÃO DO reuso agrícola de efluente proveniente DE dois SISTEMAS MODULARES de TRATAMENTO DE ESGOTO  PAGEREF _Toc46644402 h 159

HYPERLINK l "_Toc46644403" AVALIAÇÃO DO REUSO AGRÍCOLA DE EFLUENTE PROVENIENTE DE DOIS SISTEMAS MODULARES DE TRATAMENTO DE ESGOTO  PAGEREF _Toc46644403 h 159

HYPERLINK l "_Toc46644404" AVALIAÇÃO DA SONDA COAXIAL DE TDR PARA O MONITORAMENTO DA UMIDADE DO SOLO EM VOLUME DE SOLO VARIÁVEL  PAGEREF _Toc46644404 h 159

HYPERLINK l "_Toc46644405" DETERMINAÇÃO DA INFLUÊNCIA DO AMBIENTE NOS NÍVEIS DE RUÍDOS EM DOIS TIPOS DE CRECHE DE SUÍNOS  PAGEREF _Toc46644405 h 160

HYPERLINK l "_Toc46644406" Análise Estatística dos resultados de avaliação dos níveis de Amônia em granjas comerciais de frangos de corte  PAGEREF _Toc46644406 h 160

HYPERLINK l "_Toc46644407" COMPARAÇÃO DO USO DE IDENTIFICAÇÃO ELETRÔNICA VERSUS CONVENCIONAL NA RASTREABILIDADE DE SUÍNOS  PAGEREF _Toc46644407 h 160

HYPERLINK l "_Toc46644408" Desenvolvimento de um software aplicado À rastreabilidade nA produção de suínos  PAGEREF _Toc46644408 h 161

HYPERLINK l "_Toc46644409" ESPACIALIZAÇÃO E ANÁLISE DA DINÂMICA DA POPULAÇÃO COMO SUBSÍDIO À GESTÃO AMBIENTAL MUNICIPAL  PAGEREF _Toc46644409 h 161

HYPERLINK l "_Toc46644410" Metodologia para Composição de Imagens NOAA-AVHRR para Mapear Áreas de Produção de Cana-de-açúcar no Estado de São Paulo  PAGEREF _Toc46644410 h 161

HYPERLINK l "_Toc46644411" Secagem e Armazenagem na Qualidade de Sementes de Trigo comum e duro  PAGEREF _Toc46644411 h 162

HYPERLINK l "_Toc46644412" INFLUÊNCIA DA CLORAÇÃO NA EFICIÊNCIA DE FILTRO DE DISCO NO TRATAMENTO DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO LOCALIZADA QUANDO SE UTILIZA A FERTIRRIGAÇÃO  PAGEREF _Toc46644412 h 162

HYPERLINK l "_Toc46644413" ESTUDO DE SECAGEM DE CAQUI GIOMBO  PAGEREF _Toc46644413 h 162

HYPERLINK l "_Toc46644414" AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE INTERNO DE DOIS SISTEMAS DE PRODUÇÃO COMERCIAL DE FRANGOS DE CORTE, COM VENTILAÇÃO E DENSIDADE POPULACIONAL DAS AVES DIFERENCIADOS  PAGEREF _Toc46644414 h 163

HYPERLINK l "_Toc46644415" Comparação entre galpões de Frango de corte  PAGEREF _Toc46644415 h 163

HYPERLINK l "_Toc46644416" OBTENÇÃO DE DADOS E ANÁLISES PRELIMINARES DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA EM ATIVIDADES LIGADAS À AVICULTURA.  PAGEREF _Toc46644416 h 163

HYPERLINK l "_Toc46644417" Descoberta de Perfil de Consumo de Produtos Hortifrutigranjeiros com o Uso de Técnicas de Mineração de Dados (?Data Mining?)  PAGEREF _Toc46644417 h 164

HYPERLINK l "_Toc46644418" COLETA E ORGANIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS DE ACESSO ÀS FUNÇÕES DO CLIPS EM AMBIENTE WINDOWS PARA MELHORIA DA INTERFACE COM O USUÁRIO DE SISTEMAS ESPECIALISTAS  PAGEREF _Toc46644418 h 164

HYPERLINK l "_Toc46644419" Avaliação das Câmaras Frigoríficas do Entreposto Terminal de São Paulo (CEAGESP)  PAGEREF _Toc46644419 h 164

HYPERLINK l "_Toc46644420" Estudo do sistema computacional ?SPRING? para familiarização e posterior uso na análise de dados úteis na Engenharia Agrícola  PAGEREF _Toc46644420 h 165

HYPERLINK l "_Toc46644421" DESIDRATAÇÃO OSMÓTICA DE BERINJELA  PAGEREF _Toc46644421 h 165

HYPERLINK l "_Toc46644422" EFEITO DA VELOCIDADE DE ROTAÇÃO E DA POSIÇÃO VERTICAL NO DESEMPENHO DE VARREDURA DE UM ROTOR COM FACAS OSCILANTES EM DOIS PLANOS  PAGEREF _Toc46644422 h 165

HYPERLINK l "_Toc46644423" DESPALHAMENTO MECÂNICO DE COLMOS INTEIROS DE CANA-DE-AÇÚCAR UTILIZANDO ROLOS RASPADORES COM TALISCAS MONTADAS SOBRE RAIOS ELÁSTICOS  PAGEREF _Toc46644423 h 166

HYPERLINK l "_Toc46644424" AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA BANANA ?PRATA ANÃ? ATRAVÉS DE ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS E SENSORIAIS  PAGEREF _Toc46644424 h 166

HYPERLINK l "_Toc46644425" AVALIAÇÃO DE DOIS MÉTODOS DE RESFRIAMENTO RÁPIDO PARA CONSERVAÇÃO PÓS-COLHEITA DE PIMENTÃO AMARELO  PAGEREF _Toc46644425 h 166

HYPERLINK l "_Toc46644426" ESTRUTURA DE PROTEÇÃO DE PLANTAS CONSTRUÍDAS COM BAMBU  PAGEREF _Toc46644426 h 167

HYPERLINK l "_Toc46644427" ADAPTAÇÃO DE UM Dispositivo para retirar amostras indeformadas de solo ao trator, com sistema de geo-referenciamento  PAGEREF _Toc46644427 h 167

HYPERLINK l "_Toc46644428" Desenvolvimento de uma ferramenta computacional para análise geo-estatística baseada na Internet  PAGEREF _Toc46644428 h 167

HYPERLINK l "_Toc46644429" DESPALHAMENTO DE COLMOS DE CANA-DE-AÇÚCAR INTEIRA UTILIZANDO ROLOS COMPOSTOS DE ESCOVAS DE AÇO  PAGEREF _Toc46644429 h 168

HYPERLINK l "_Toc46644430" PARÂMETROS DE USINAGEM DA MADEIRA DE REFLORESTAMENTO  PAGEREF _Toc46644430 h 168

HYPERLINK l "_Toc46644431" VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DE ONDAS DE ULTRA-SOM NA MADEIRA PARA DIFERENTES CONDIÇÕES DE UMIDADE  PAGEREF _Toc46644431 h 168

HYPERLINK l "_Toc46644432" Estudo da taxa respiratória do figo  PAGEREF _Toc46644432 h 169

HYPERLINK l "_Toc46644433" Faculdade de Engenharia Civil  PAGEREF _Toc46644433 h 169

HYPERLINK l "_Toc46644434" CÁLCULO DAS FREQUÊCIAS NATURAIS E MODOS DE VIBRAÇÃO LIVRE EM PÓRTICOS PLANOS  PAGEREF _Toc46644434 h 169

HYPERLINK l "_Toc46644435" IMPLEMENTAÇÃO DA COMPUTAÇÃO GRÁFICA E WWW NA TRANSMISSÃO DE CONCEITOS SOBRE A GEOMETRIA ESPACIAL  PAGEREF _Toc46644435 h 169

HYPERLINK l "_Toc46644436" Índices de Produtividade do Processo de Preparação de Armaduras para Estruturas de Concreto em Edifícios Verticais  PAGEREF _Toc46644436 h 170

HYPERLINK l "_Toc46644437" MÉTODO PARA ESTIMACÃO DE VAZÃO DE UMA SUB-BACIA DO RIBEIRÃO DAS ANHUMAS  PAGEREF _Toc46644437 h 170

HYPERLINK l "_Toc46644438" ANÁLISE DO EFLUENTE DE FILTRO DE AREIA APÓS DESINFECÇÃO ? DETECÇÃO DE PROTOZOÁRIOS E HELMINTOS  PAGEREF _Toc46644438 h 170

HYPERLINK l "_Toc46644439" AVALIAÇAO DO PROCESSO DE DESINFECÇAO DO EFLUENTE PÓS-TRATADO EM SISTEMA DE CHICANAS UTILIZANDO HIPOCLORITO DE CÁLCIO  PAGEREF _Toc46644439 h 171

HYPERLINK l "_Toc46644440" DESINFECÇÃO DE EFLUENTES SANITÁRIOS PARA FINS PRODUTIVOS NA AGRICULTURA, AQÜICULTURA E HIDROPONIA: Cloraminas  PAGEREF _Toc46644440 h 171

HYPERLINK l "_Toc46644441" DESINFECÇÃO SOLAR NO LODO DE ESGOTO: ANÁLISE DE COLIFORMES E PATÓGENOS  PAGEREF _Toc46644441 h 171

HYPERLINK l "_Toc46644442" CONTROLE DO DIÓXIDO DE CARBONO PRODUZIDO APÓS APLICAÇÃO DE LODO DE ESGOTO DOMÉSTICO NO SOLO ATRAVÉS DE ANÁLISES RESPIROMÉTRICAS.  PAGEREF _Toc46644442 h 172

HYPERLINK l "_Toc46644443" Sistematização de dados coletados em pesquisa realizada em ambientes escolares  PAGEREF _Toc46644443 h 172

HYPERLINK l "_Toc46644444" TRADIÇÃO E ARQUITETURA AUTOCONSTRUÍDA: A VARANDA  PAGEREF _Toc46644444 h 172

HYPERLINK l "_Toc46644445" REAPROVEITAMENTO DO GESSO DE CONSTRUÇÃO  PAGEREF _Toc46644445 h 173

HYPERLINK l "_Toc46644446" DESENVOLVIMENTO DE ROTINAS COMPUTACIONAIS PARA O ESTUDO DO DESEMPENHO TÉRMICO DE EDIFICAÇÕES ? INÉRCIA TÉRMICA  PAGEREF _Toc46644446 h 173

HYPERLINK l "_Toc46644447" AVALIAÇÃO DE CONFORTO E STRESS TÉRMICO EM AMBIENTES DE TRABALHO  PAGEREF _Toc46644447 h 173

HYPERLINK l "_Toc46644448" CONFORTO TÉRMICO EM ESPAÇOS EXTERNOS: PREFERÊNCIAS DOS USUÁRIOS E ÍNDICES DE CONFORTO  PAGEREF _Toc46644448 h 173

HYPERLINK l "_Toc46644449" Desenvolvimento de Rotinas Computacionais para o Estudo da Transmissão de Calor ? Configuração Ideal de Paredes para Fechamentos  PAGEREF _Toc46644449 h 174

HYPERLINK l "_Toc46644450" UMA PROPOSTA PARA COBERTURA DO TEATRO DE ARENA DA PRAÇA DO BÁSICO DA UNICAMP  PAGEREF _Toc46644450 h 174

HYPERLINK l "_Toc46644451" COMUNICAÇÃO ENTRE PROGRAMAS COMPUTACIONAIS PARA CÁLCULO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO E PROGRAMAS DE DESENHO POR COMPUTADOR  PAGEREF _Toc46644451 h 174

HYPERLINK l "_Toc46644452" PROCESSAMENTO DE DADOS DE GPS USANDO SOFTWARE CIENTÍFICO  PAGEREF _Toc46644452 h 175

HYPERLINK l "_Toc46644453" UTILIZAÇÃO DO SENSORIAMENTO REMOTO PARA ANÁLISE DE EXPLORAÇÃO CLANDESTINA DE AREIA NA REGIÂO DE CAÇAPAVA  PAGEREF _Toc46644453 h 175

HYPERLINK l "_Toc46644454" Avaliação do Potencial de conservação de água em edifícios escolares  PAGEREF _Toc46644454 h 175

HYPERLINK l "_Toc46644455" OTIMIZAÇÃO DE TRELIÇAS E VIGAS PROTENDIDAS  PAGEREF _Toc46644455 h 176

HYPERLINK l "_Toc46644456" GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE MALHAS: UMA VISÃO DO ESTADO DA ARTE E ESTUDOS PRELIMINARES PARA OBTENÇÃO DE UM GERADOR COM SUPORTE GRÁFICO  PAGEREF _Toc46644456 h 176

HYPERLINK l "_Toc46644457" ESTUDO DE TENSÕES E DE DEFORMAÇÕES EM ESTRUTURAS DE MATERIAL ANISOTRÓPICO  PAGEREF _Toc46644457 h 176

HYPERLINK l "_Toc46644458" ORIENTAÇÕES TRIDIMENSIONAIS PARA AUTOCONSTRUTORES  PAGEREF _Toc46644458 h 177

HYPERLINK l "_Toc46644459" AVALIAÇÃO DO CONFORTO ACÚSTICO DE CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS  PAGEREF _Toc46644459 h 177

HYPERLINK l "_Toc46644460" Mapeamento de ruído ambiental no distrito de Barão Geraldo, Campinas, SP  PAGEREF _Toc46644460 h 177

HYPERLINK l "_Toc46644461" Análise dos diferentes critérios de avaliação acústica em ambientes  PAGEREF _Toc46644461 h 178

HYPERLINK l "_Toc46644462" Desenvolvimento de ferramentas de auxílio na redução de impactos ambientais de edifícios: Implementação de interface HTML em simulador on-line e criação de biblioteca de alternativas de projeto e tecnologias disponíveis  PAGEREF _Toc46644462 h 178

HYPERLINK l "_Toc46644463" PROPOSTA PARA A COBERTURA DO TEATRO DE ARENA DA UNICAMP  PAGEREF _Toc46644463 h 178

HYPERLINK l "_Toc46644464" CONCRETO E ARGAMASSA COLORIDA  PAGEREF _Toc46644464 h 178

HYPERLINK l "_Toc46644465" Reaproveitamento do Concreto através do Controle de Hidratação do Cimento com Uso de Aditivo Estabilizador  PAGEREF _Toc46644465 h 179

HYPERLINK l "_Toc46644466" Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação  PAGEREF _Toc46644466 h 179

HYPERLINK l "_Toc46644467" DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITO DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE SINAIS DE UM MEDIDOR ULTRA-SÔNICO DE FLUXO SANGÜÍNEO PARA UM SISTEMA DE CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA  PAGEREF _Toc46644467 h 179

HYPERLINK l "_Toc46644468" PROJETO E CONSTRUÇÃO DE UM EQUIPAMENTO PULSO-ECO PORTÁTIL COM FREQÜÊNCIAS NA FAIXA DE DIAGNOSTICO MÉDICO POR ULTRA-SOM  PAGEREF _Toc46644468 h 180

HYPERLINK l "_Toc46644469" Interface amigável, em ambiente Linux, para simulador de Amplificador Óptico a Semicondutor  PAGEREF _Toc46644469 h 180

HYPERLINK l "_Toc46644470" Equacionamento do Sinal de Ruído ASE em Amplificadores Ópticos a Semicondutor  PAGEREF _Toc46644470 h 180

HYPERLINK l "_Toc46644471" ESTRUTURA DE TESTE PARA SENSORES DE PRESSÃO  PAGEREF _Toc46644471 h 181

HYPERLINK l "_Toc46644472" Conversão ortográfico-fonética automática visando a criação de uma base de dados pública para aplicação em processamento de fala  PAGEREF _Toc46644472 h 181

HYPERLINK l "_Toc46644473" AMBIENTE VIRTUAL PARA O ENSINO DE ONDAS ELETROMAGNÉTICAS  PAGEREF _Toc46644473 h 181

HYPERLINK l "_Toc46644474" DETECÇÃO AUTOMÁTICA DE OLHOS EM IMAGENS FACIAIS  PAGEREF _Toc46644474 h 182

HYPERLINK l "_Toc46644475" PROGRAMA COMPUTACIONAL DE APOIO AO DEFICIENTE VISUAL  PAGEREF _Toc46644475 h 182

HYPERLINK l "_Toc46644476" FABRICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO ELÉTRICA DE PONTEIRAS DE EMISSÃO DE CAMPO EM ALTO VÁCUO  PAGEREF _Toc46644476 h 182

HYPERLINK l "_Toc46644477" AUTOMATIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE CARACTERIZAÇÃO ELÉTRICA DE PONTEIRAS DE EMISSÃO DE CAMPO EM ALTO VÁCUO  PAGEREF _Toc46644477 h 183

HYPERLINK l "_Toc46644478" IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CRIPTOGRAFIA DE CHAVE PÚBLICA BASEADO EM CURVAS ELÍPTICAS SOBRE CORPOS DE EXTENSÃO ÓTIMA  PAGEREF _Toc46644478 h 183

HYPERLINK l "_Toc46644479" DESENVOLVIMENTO DE HARDWARE ELETRÔNICO PARA APLICAÇÕES EM ROBÓTICA USANDO ELETRÔNICA RECONFIGURÁVEL (FPGA)  PAGEREF _Toc46644479 h 183

HYPERLINK l "_Toc46644480" Interface de tradução de textos em Código Braille para caracteres alfanuméricos: desenvolvimento de programa para reconhecimento e interpretação da imagem pré-processada e saída do texto em caracteres alfanuméricos  PAGEREF _Toc46644480 h 184

HYPERLINK l "_Toc46644481" ADAPTAÇÃO DE COMPUTADORES OBSOLETOS PARA REPRODUÇÃO DE MÚSICAS NO FORMATO MP3 EM AUTOMÓVEIS ? MP3Car  PAGEREF _Toc46644481 h 184

HYPERLINK l "_Toc46644482" Faculdade de Engenharia Mecânica  PAGEREF _Toc46644482 h 184

HYPERLINK l "_Toc46644483" Projeto de Bancadas para Simulação e Controle de Sistemas Mecânicos Não Lineares  PAGEREF _Toc46644483 h 184

HYPERLINK l "_Toc46644484" Análise de Sistemas Mecânicos Não-Lineares através de Funções Descritivas  PAGEREF _Toc46644484 h 185

HYPERLINK l "_Toc46644485" Aplicação do método de linearização por realimentação (?feedback linearization?) no controle de sistemas mecânicos não-lineares  PAGEREF _Toc46644485 h 185

HYPERLINK l "_Toc46644486" Análise de Estabilidade pelo Método de Lyapunov no Controle de Sistemas Mecânicos Não Lineares  PAGEREF _Toc46644486 h 185

HYPERLINK l "_Toc46644487" CORRELAÇÃO ENTRE CONDIÇÕES DE SOLIDIFICAÇÃO E MACROESTRUTURA DE LIGAS ALUMÍNIO-COBRE  PAGEREF _Toc46644487 h 186

HYPERLINK l "_Toc46644488" OTIMIZAÇÃO DA USINAGEM SEM FLUIDO DE CORTE NO TORNEAMENTO DE AÇO  PAGEREF _Toc46644488 h 186

HYPERLINK l "_Toc46644489" INFLUÊNCIA DA VAZÃO/PRESSÃO DO FLUIDO DE CORTE NA VIDA DA FERRAMENTA NO TORNEAMENTO EM ACABAMENTO DE AÇO  PAGEREF _Toc46644489 h 186

HYPERLINK l "_Toc46644490" Estudo de Conceitos da Inteligência Artificial para o Apoio aos Modernos Sistemas de Manufatura  PAGEREF _Toc46644490 h 187

HYPERLINK l "_Toc46644491" HIDRODINÂMICA DE GRANDES BOLHAS ASCENDENTES EM LÍQUIDOS  PAGEREF _Toc46644491 h 187

HYPERLINK l "_Toc46644492" PROCEDIMENTO DE SIMULAÇÃO DA OPERAÇÃO DE TURBINAS A GÁS ESTACIONÁRIAS  PAGEREF _Toc46644492 h 187

HYPERLINK l "_Toc46644493" COGERAÇÃO NO SETOR TERCIÁRIO ? ESTUDO DE VIABILIDADE E DO POTENCIAL PARA HOSPITAIS  PAGEREF _Toc46644493 h 188

HYPERLINK l "_Toc46644494" Avaliação do Desempenho de Sapatilhas de Freio para Sistemas Metroviários  PAGEREF _Toc46644494 h 188

HYPERLINK l "_Toc46644495" Implantação de Sistema de aquisição de dados e desenvolvimento de software de simulação em laboratório de sistemas térmicos  PAGEREF _Toc46644495 h 188

HYPERLINK l "_Toc46644496" Estudo do processo de eletrodeposição por corrente pulsada da liga de ZnNi  PAGEREF _Toc46644496 h 188

HYPERLINK l "_Toc46644497" Aplicação de microcontroladores em controle de transmissão planetária.  PAGEREF _Toc46644497 h 189

HYPERLINK l "_Toc46644498" Aplicação de Microcontroladores no Controle de Transmissões Continuamente Variável  PAGEREF _Toc46644498 h 189

HYPERLINK l "_Toc46644499" Projeto e implementação de programa computacional para modelagem, simulação e controle de movimentos de uma plataforma de posicionamento  PAGEREF _Toc46644499 h 190

HYPERLINK l "_Toc46644500" IMPLEMENTAÇÃO DE UM CONTROLE DE POSIÇÃO E FORÇA PARA UM SISTEMA DE PREENSÃO  PAGEREF _Toc46644500 h 190

HYPERLINK l "_Toc46644501" Projeto e desenvolvimento de plataforma experimental para supervisão e controle de juntas robóticas  PAGEREF _Toc46644501 h 190

HYPERLINK l "_Toc46644502" PROJETO E IMPLEMENTAÇAO DE PROGRAMA COMPUTACIONAL PARA CALIBRAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE PARÂMETROS DE UMA PLATAFORMA DE POSICIONAMENTO  PAGEREF _Toc46644502 h 190

HYPERLINK l "_Toc46644503" MODELAGEM COMPUTACIONAL PARA ANÁLISE TERMODINÂMICA DE SISTEMAS HÍBRIDOS DE COGERAÇÃO UTILIZANDO GASEIFICAÇÃO DE BAGAÇO DE CANA  PAGEREF _Toc46644503 h 191

HYPERLINK l "_Toc46644504" MODELAGEM COMPUTACIONAL PARA ANÁLISE TERMODINÂMICA DE SISTEMAS DE COGERAÇÃO INDUSTRIAL UTILIZANDO GÁS NATURAL E BAGAÇO DE CANA  PAGEREF _Toc46644504 h 191

HYPERLINK l "_Toc46644505" Avaliação de Métodos de Caracterização Experimental de Materiais com Absorção Acústica.  PAGEREF _Toc46644505 h 191

HYPERLINK l "_Toc46644506" AVALIAÇÃO EXPERIMENTAL DE UM SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO/BOMBA DE CALOR POR ABSORÇÃO DE ÁGUA-AMÔNIA  PAGEREF _Toc46644506 h 192

HYPERLINK l "_Toc46644507" DESENVOLVIMENTO DE UM MICROSCANNER COM ATUAÇÃO ACÚSTICA  PAGEREF _Toc46644507 h 192

HYPERLINK l "_Toc46644508" ESTUDO DE SOLIDIFICAÇÃO DE ÁGUA EM TORNO DE UM TUBO AXIALMENTE ALETADO  PAGEREF _Toc46644508 h 192

HYPERLINK l "_Toc46644509" Projeto de uma bancada de propulsão com ramjet para uso didático  PAGEREF _Toc46644509 h 193

HYPERLINK l "_Toc46644510" Investigação Experimental de Tubo de Vórtice para Geração de Calor e Frio  PAGEREF _Toc46644510 h 193

HYPERLINK l "_Toc46644511" Implementação de um prograMa para planejamento de experimentos voltado ao estudo de máquinas rotativas  PAGEREF _Toc46644511 h 193

HYPERLINK l "_Toc46644512" DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS PARA AQUISIÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS EXPERIMENTAIS APLICADOS À DINÂMICA DE ROTORES  PAGEREF _Toc46644512 h 194

HYPERLINK l "_Toc46644513" COMPARAÇÃO DO COMPORTAMENTO NO TIXOFORJAMENTO DE LIGAS DE ALUMÍNIO REOFUNDIDAS POR DIFERENTES PROCESSOS  PAGEREF _Toc46644513 h 194

HYPERLINK l "_Toc46644514" ESTUDO DO PROCESSO DE TIXOFORJAMENTO DE LIGAS DE ALUMÍNIO UTILIZANDO MOLDES NÃO METÁLICOS  PAGEREF _Toc46644514 h 194

HYPERLINK l "_Toc46644515" ESTUDO DO PROCESSO DE CONFORMAÇÃO, POR ESTAMPAGEM, DE LIGAS DE ALUMÍNIO NO ESTADO REOFUNDIDO  PAGEREF _Toc46644515 h 195

HYPERLINK l "_Toc46644516" ESTUDO E MODELAGEM DAS PERSPECTIVAS DE AÇÃO ESTRATÉGICA DE UM BSC (BALANCED SCORECARD ) PARA UM LABORATÓRIO DE METROLOGIA  PAGEREF _Toc46644516 h 195

HYPERLINK l "_Toc46644517" ESTUDO DA APLICAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS AO LAMEDI  PAGEREF _Toc46644517 h 195

HYPERLINK l "_Toc46644518" AVALIAÇÃO DA QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES  PAGEREF _Toc46644518 h 196

HYPERLINK l "_Toc46644519" PROJETO DE SISTEMA FLEXÍVEL DE MEDIÇÃO DE CENTRO DE GRAVIDADE DE VEÍCULOS PESADOS  PAGEREF _Toc46644519 h 196

HYPERLINK l "_Toc46644520" Estudo de curva de declínio em ensaios de fraturamento hidráulico  PAGEREF _Toc46644520 h 196

HYPERLINK l "_Toc46644521" Estudo do controle de poço  PAGEREF _Toc46644521 h 197

HYPERLINK l "_Toc46644522" ESTUDO DAS PROPRIEDADES DE FLUIDOS UTILIZADOS NA PERFURAÇÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO  PAGEREF _Toc46644522 h 197

HYPERLINK l "_Toc46644523" ESTUDO DA DEGRADAÇÃO DO HERBICIDA ácido 2,4-dicloroacético (2,4-D) através da eletrogeração simultânea de peróxido de hidrogÊnio  PAGEREF _Toc46644523 h 197

HYPERLINK l "_Toc46644524" Faculdade de Engenharia Química  PAGEREF _Toc46644524 h 198

HYPERLINK l "_Toc46644525" ESTUDO DAS CONDIÇÕES EXPERIMENTAIS PARA A AVALIAÇÃO DE CATALISADORES DESTINADOS AO TRATAMENTO DE RESÍDUOS TÓXICOS  PAGEREF _Toc46644525 h 198

HYPERLINK l "_Toc46644526" SEPARAÇÃO ENANTIOMÉRICA DE ANESTÉSICOS EM SISTEMA CROMATOGRÁFICO CONTÍNUO  PAGEREF _Toc46644526 h 198

HYPERLINK l "_Toc46644527" OZÔNIO EM PAULÍNIA E REGIÃO  PAGEREF _Toc46644527 h 198

HYPERLINK l "_Toc46644528" ESTUDO DE COMPOSTOS ORGÂNICOS VOLÁTEIS EM POSTOS DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS  PAGEREF _Toc46644528 h 199

HYPERLINK l "_Toc46644529" FERMENTAÇÃO EXTRATIVA DE XILANASE PRODUZIDA POR Penicillium janthinellum EM SISTEMA BIFÁSICO AQUOSO POLIETILENO GLICOL E POLISSACARÍDEO DA GOMA DO CAJUEIRO EM SISTEMAS DESCONTÍNUO E CONTÍNUO  PAGEREF _Toc46644529 h 199

HYPERLINK l "_Toc46644530" PURIFICAÇÃO DE BROMELINA EM SISTEMAS DE DUAS FASES AQUOSAS UTILIZANDO-SE POLÍMEROS TERMOSENSÍVEIS  PAGEREF _Toc46644530 h 199

HYPERLINK l "_Toc46644531" PLANTAS COMO BIORREATORES: ESTUDOS DE EXTRAÇÃO AQUOSA A PARTIR DE SEMENTES DE MILHO NÃO TRANSGÊNICO  PAGEREF _Toc46644531 h 200

HYPERLINK l "_Toc46644532" ESTUDO DAS CONDIÇÕES DE PREPARAÇÃO DE (-FOSFATO TRICÁLCICO - GRAU MÉDICO  PAGEREF _Toc46644532 h 200

HYPERLINK l "_Toc46644533" Preparação de Peneiras Moleculares Mesoporosas com Controle de Diâmetro de Poros  PAGEREF _Toc46644533 h 200

HYPERLINK l "_Toc46644534" CONDUTIVIDADE ELÉTRICA DO POLIPIRROL COM DOPANTES  PAGEREF _Toc46644534 h 201

HYPERLINK l "_Toc46644535" REATOR CORONA PARA TRATAMENTO DE EFLUENTES GASOSOS  PAGEREF _Toc46644535 h 201

HYPERLINK l "_Toc46644536" INFLUÊNCIA de ELETRODO de Fe e Al no PROCESSO de ELETROFLOTAÇÃO/ COAGULAÇÃO  PAGEREF _Toc46644536 h 201

HYPERLINK l "_Toc46644537" PROPRIEDADES DE SUPERFÍCIE DE MISTURAS DE PP/EPDM TRATADAS POR CORONA  PAGEREF _Toc46644537 h 202

HYPERLINK l "_Toc46644538" CARACTERIZAÇÃO DE PET RECICLADO REFORÇADO COM FIBRA DE VIDRO  PAGEREF _Toc46644538 h 202

HYPERLINK l "_Toc46644539" CARACTERIZAÇÃO SUPERFICIAL DE FILMES POLIMÉRICOS FLUORADOS POR PLASMA  PAGEREF _Toc46644539 h 202

HYPERLINK l "_Toc46644540" Estudo Da Fluidodinâmica Em Processo De Polimerização Em Reator De Leito Fluidizado  PAGEREF _Toc46644540 h 203

HYPERLINK l "_Toc46644541" Estudo da influência da temperatura na taxa de adsorção de etileno por embalagens plásticas ativas  PAGEREF _Toc46644541 h 203

HYPERLINK l "_Toc46644542" PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE MEMBRANAS POLIMÉRICAS PARA NANOFILTRAÇÃO  PAGEREF _Toc46644542 h 203

HYPERLINK l "_Toc46644543" SIMULAÇÃO DE REATORES DE POLIMERIZAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE COPOLÍMEROS E VALIDAÇÃO DE MODELOS USANDO DADOS EXPERIMENTAIS  PAGEREF _Toc46644543 h 204

HYPERLINK l "_Toc46644544" SIMULAÇÃO DE REATORES DE POLIMERIZAÇÃO E VALIDAÇÃO DE MODELOS USANDO DADOS EXPERIMENTAIS  PAGEREF _Toc46644544 h 204

HYPERLINK l "_Toc46644545" MICROENCAPSULAÇÃO DA OXITETRACICLINA NO SISTEMA Alginato/QUITOSANA  PAGEREF _Toc46644545 h 204

HYPERLINK l "_Toc46644546" Estudo e Desenvolvimento de Compostos de Polietileno com Amido para a Obtenção de Polímeros Ambientalmente Degradáveis  PAGEREF _Toc46644546 h 205

HYPERLINK l "_Toc46644547" Processamento de Blendas Biodegradáveis de Poli ((-Caprolactona) - (PCL) e Amido de Milho, e estudo de suas propriedades térmicas, mecânicas e morfológicas  PAGEREF _Toc46644547 h 205

HYPERLINK l "_Toc46644548" MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE LEITO RECIRCULANTE  PAGEREF _Toc46644548 h 205

HYPERLINK l "_Toc46644549" Determinação Experimental do Equilíbrio Sólido-Líquido Através de Microscopia Óptica Dos Sistemas Ácido Cáprico + Ácido Láurico ou Mirístico, Tricaprilina + Acido Mirístico e Tripalmitina + Triestearina  PAGEREF _Toc46644549 h 206

HYPERLINK l "_Toc46644550" ESTUDO DO EQUILÍBRIO DE FASES (LÍQUIDO-LÍQUIDO, LÍQUIDO-VAPOR E LÍQUIDO-LÍQUIDO-VAPOR) DE SISTEMAS DE INTERESSE DA INDÚSTRIA DE FENOL: MODELAGEM TERMODINÂMICA E SIMULAÇÃO  PAGEREF _Toc46644550 h 206

HYPERLINK l "_Toc46644551" DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DE ELV DE SISTEMAS ÁLCOOL + ÁCIDO CARBOXÍLICO  PAGEREF _Toc46644551 h 206

HYPERLINK l "_Toc46644552" Determinação Experimental de dados de ELV do sistema 2-butanol / Ácido Carboxílico  PAGEREF _Toc46644552 h 206

HYPERLINK l "_Toc46644553" DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DO EQUILÍBRIO SÓLIDO-LÍQUIDO (ESL) ATRAVÉS DE MICROSCOPIA ÓPTICA DOS SISTEMAS: ÁCIDO PALMÍTICO + ÁCIDO CÁPRICO OU MIRÍSTICO, ÁCIDO OLÊICO + ÁCIDO CÁPRICO E ÁCIDO LINOLÊICO + TRIESTEARINA  PAGEREF _Toc46644553 h 207

HYPERLINK l "_Toc46644554" DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DO EQUILÍBRIO SÓLIDO-LÍQUIDO (ESL) ATRAVÉS DE MICROSCOPIA ÓPTICA DOS SISTEMAS: ÁCIDO ESTEÁRICO + ÁCIDO CÁPRICO OU TRILINOLENINA E TRIESTEARINA + ÁCIDO PALMÍTICO  PAGEREF _Toc46644554 h 207

HYPERLINK l "_Toc46644555" ESTUDO DO TRANSPORTE TRANSDÉRMICO DE 1,3,7 ? TRIMETILXANTINA VEICULADA EM CICLODEXTRINAS E LIPOSSOMAS  PAGEREF _Toc46644555 h 207

HYPERLINK l "_Toc46644556" CARACTERIZAÇÃO DO ÁCIDO HIALURÔNICO PRODUZIDO POR FERMENTAÇÃO SUBMERSA UTILIZANDO CEPAS DE STREPTOCOCCUS  PAGEREF _Toc46644556 h 208

HYPERLINK l "_Toc46644557" FÓRMULA DO PROBLEMA E SIMULAÇÃO DO PROCESSO DE DESTILAÇÃO AZEOTRÓPICA  PAGEREF _Toc46644557 h 208

HYPERLINK l "_Toc46644558" CARACTERIZAÇÃO DE ÓLEOS NATURAIS  PAGEREF _Toc46644558 h 208

HYPERLINK l "_Toc46644559" PROBLEMA DE STEFAN APLICADO À CRISTALIZAÇÃO DE SOLUÇÃO: CRISTALIZAÇÃO DE AÇÚCARES  PAGEREF _Toc46644559 h 209

HYPERLINK l "_Toc46644560" DETERMINAÇÃO DE DADOS EXPERIMENTAIS EM SISTEMAS CONTENDO ÁCIDOS ORGÂNICOS PARA A AVALIAÇÃO DE NOVOS PROCESSOS DE RECUPERAÇÃO  PAGEREF _Toc46644560 h 209

HYPERLINK l "_Toc46644561" Desenvolvimento e implementação de uma metodologia para o desenvolvimento de software básico para ensino de Engenharia Química usando a linguagem GAMS  PAGEREF _Toc46644561 h 209

HYPERLINK l "_Toc46644562" OBTENÇÃO DE QUITOSANA ALQUILADA E CARACTERIZAÇÃO DE SUA CAPACIDADE DE CALCIFICAÇÃO IN VITRO  PAGEREF _Toc46644562 h 210

HYPERLINK l "_Toc46644563" CARACTERIZAÇÃO DA ESTRUTURA MORFOLÓGICA DE AEROSSÓIS INALÁVEIS (PM10)  PAGEREF _Toc46644563 h 210

HYPERLINK l "_Toc46644564" PROCESSO DE ADSORÇÃO DE CHUMBO EM ARGILA  PAGEREF _Toc46644564 h 210

HYPERLINK l "_Toc46644565" CONSTRUÇÃO E GERAÇÃO DA MALHA COMPUTACIONAL DE UM REGENERADOR FCC TRIDIMENSIONAL  PAGEREF _Toc46644565 h 211

HYPERLINK l "_Toc46644566" ESTUDO DA REMOÇÃO DE ZINCO E CHUMBO ATRAVÉS DE BIOSSORÇÃO  PAGEREF _Toc46644566 h 211

HYPERLINK l "_Toc46644567" DESTILAÇÃO MOLECULAR: O MODELO CENTRÍFUGO  PAGEREF _Toc46644567 h 211

HYPERLINK l "_Toc46644568" MODELAGEM DE UM REATOR DE POLIMERIZAÇÃO CSTR ACOPLADO A DIFERENTES MEIOS DE TROCA TÉRMICA  PAGEREF _Toc46644568 h 212

HYPERLINK l "_Toc46644569" MODELAGEM DE UM REATOR DE POLIMERIZAÇÃO CSTR ACOPLADO A DIFERENTES MEIOS DE TROCA TÉRMICA  PAGEREF _Toc46644569 h 212

HYPERLINK l "_Toc46644570" Modelagem e Simulação do Reator de Produção de Ciclohexanol  PAGEREF _Toc46644570 h 212

HYPERLINK l "_Toc46644571" AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE DESTILAÇÃO SOB ALTO VÁCUO PARA OBTENÇÃO DE TOCOFERÓIS  PAGEREF _Toc46644571 h 213

HYPERLINK l "_Toc46644572" ADSORÇÃO DE PROTEÍNAS EM MEMBRANAS POROSAS DE QUITOSANA  PAGEREF _Toc46644572 h 213

HYPERLINK l "_Toc46644573" ESTUDO DE ADSORCÃO DA ENZIMA XILOSE-REDUTASE DE Candida mogii EM RESINA CROMATOGRÁFICA DE TROCA IÔNICA  PAGEREF _Toc46644573 h 213

HYPERLINK l "_Toc46644574" ESTUDO DE COLUNAS DE PARA-DESTILAÇÃO  PAGEREF _Toc46644574 h 214

HYPERLINK l "_Toc46644575" Pilhas de Combustível e o Ciclo do Hidrogênio: Sistemas Geradores do Hidrogênio  PAGEREF _Toc46644575 h 214

HYPERLINK l "_Toc46644576" Instituto de Biologia  PAGEREF _Toc46644576 h 214

HYPERLINK l "_Toc46644577" AVALIAÇÃO DA CITOTOXICIDADE DE EFLUENTES INDUSTRIAIS  PAGEREF _Toc46644577 h 214

HYPERLINK l "_Toc46644578" Instituto de Computação  PAGEREF _Toc46644578 h 215

HYPERLINK l "_Toc46644579" RECONSTRUÇÃO DE OBJETOS CERÂMICOS TRIDIMENSIONAIS A PARTIR DE FRAGMENTOS  PAGEREF _Toc46644579 h 215

HYPERLINK l "_Toc46644580" ANÁLISE DE MECANISMOS DE GERENCIAMENTO ATIVO DE FILAS NA INTERNET  PAGEREF _Toc46644580 h 215

HYPERLINK l "_Toc46644581" LNLS - Laboratório Nacional de Luz Síncroton  PAGEREF _Toc46644581 h 215

HYPERLINK l "_Toc46644582" CAVIDADE EM MICROFITA PARA ESR  PAGEREF _Toc46644582 h 215

HYPERLINK l "_Toc46644583" Índice de Assuntos  PAGEREF _Toc46644583 h 217

HYPERLINK l "_Toc46644584" Índice de Inscritos  PAGEREF _Toc46644584 h 229

HYPERLINK l "_Toc46644585" Índice de Orientadores  PAGEREF _Toc46644585 h 241

PROJETOS DA ÁREA DE ARTES

Faculdade de Educação

A001

A CRIAÇÃO COLETIVA A PARTIR DO JOGO: UMA POSSÍVEL METODOLOGIA DE ENSINO DE TEATRO PARA CRIANÇAS

Adilson Doniseti Ledubino (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Márcia Maria Strazzacappa Hernández (Orientadora), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

O teatro tem sido muito utilizado na educação das crianças, porém, em muitos casos não se estabelece com a devida clareza qual o seu papel. Esta pesquisa foi além da utilização dele como mero recurso didático e atingiu um estágio em que foi possível a criação de um espaço onde a convivência e a socialização estão ligadas à aprendizagem e à expressão, em princípio pessoal, mas que se encaminha para uma expressão especificamente teatral. Realizada em dois ambientes pertencentes a classes sociais opostas, verificou-se a relação existente entre o teatro e a aquisição de uma postura crítica perante o mundo, o reflexo do ambiente social no jogo teatral e a possibilidade de fomentar um pensamento estético. Comprovando a real eficiência do processo de criação coletiva baseado no jogo teatral aplicado ao ensino de teatro para crianças, chegou-se à criação e apresentações públicas do espetáculo ?S.O.S.- PERDIDOS!? e ao registro de uma metodologia de trabalho que se apresenta sob um prisma artístico-teatral modificando a relação teatro/educação e cobrando o espaço de que esta arte é merecedora.

Teatro-educação  XE "Teatro-educação" - Criação coletiva  XE "Criação coletiva" - Jogo teatral XE "Jogo teatral"

A002

AS CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO SOMÁTICA PARA O TRABALHO TÉCNICO DO BAILARINO ? Uma investigação nas universidades do Estado de São Paulo

Kátia Salib Deffaci (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Márcia Maria Strazzacappa Hernández (Orientadora), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

Nesse projeto foram pesquidas as contribuições dos conhecimentos da educação somática (cujas técnicas são mais conhecidas no Brasil sob a denominação de consciência corporal) para o trabalho técnico do bailarino. O objetivo é pesquisar uma formação técnica mais ampla que a tradicional, capaz de fazer do bailarino sujeito de sua arte. Primeiramente foi realizado um levantamento bibliográfico sobre a produção escrita em educação somática, que fundamentou pontos chaves a serem pesquisados. A seguir, foram realizadas visitas às aulas de técnica de dança e entrevistas com os professores nos cursos Dança?UNICAMP; Dança e Movimento- Universidade Anhembi-Morumbi; Dança-Faculdade Paulista de Artes e no curso Comunicação e Artes do Corpo - PUC/SP. Obteve-se, então, um quadro descritivo das contribuições no trabalho técnico do bailarino no campo pesquisado. Os conhecimentos oriundos da educação somática são capazes de construir um corpo fonte de conhecimento, auxiliando de modo fundamental na formação de artistas com maior capacidade de expressão e comunicação. Ela proporciona a integração dos diversos aspectos do humano na prática da dança e no corpo do bailarino, condizente com as necessidades da atividade artística contemporânea.

Educação Somática XE "Educação Somática"  - Dança XE "Dança"  - Técnica Corporal XE "Técnica Corporal"

A003

TEATRO NA ESCOLA: Como se realiza essa junção entre a arte e a educação?

Nádia Izumi Yamaguti (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Márcia Maria Strazzacappa Hernández (Orientadora), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

A instituição escolar está se tornando um lugar de atividades artificiais, extremamente ?racionais?, marcado por uma insuficiência de experiências sensíveis, tão importante ao processo de aprendizagem. Descolada da vida cultural do aluno, suas atividades se tornam desestimulantes. Este presente estudo propõe a arte educação como uma saída para a inovação do trabalho escolar, trazendo a arte ? especificamente o teatro ? para resgatar o saber sensível esquecido pela escola. Cumpriu-se, então uma proposta de ensino de teatro dentro de uma instituição escolar, com o intuito de coletar dados para analisar essa junção ? escola e teatro ? refletindo sobre a prática de ensino utilizada e a sua relação com a instituição escolar. Vendo com isso, as possibilidades e as dificuldades do ensino de teatro dentro da escola, no horário de aula. Além de construir uma metodologia de ensino de teatro, que se adapte à cultura escolar.

Teatro na escola XE "Teatro na escola"  ? Arte-educação XE "Arte-educação"  ? Metodologia de ensino XE "Metodologia de ensino"

A004

ESTUDO EM TORNO DOS BENEFÍCIOS DA DANÇA PARA O CORPO IDOSO

Marina Balastreire Angelo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Valério José Arantes (Orientador), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

Considerando a dança como um meio de integração das unidades psicofísicas do homem, bem como um canal de comunicação expressiva com o ambiente que o envolve, essa pesquisa se propôs a investigar o modo pelo qual tal atividade artística se coloca diante do indivíduo idoso, e a analisar, qualitativamente, possíveis mudanças decorrentes da prática da mesma. Para tanto, um amplo estudo bibliográfico foi desenvolvido com referência à terceira idade, à dança, a práticas corporais e à fisiologia e psicologia do envelhecimento, cujo conteúdo fundamentou toda a aplicação prática. Essa, por sua vez, foi estruturada a partir da observação de outras atividades corporais já desenvolvidas com idosos e sob a orientação de profissionais da área educacional e médica, sendo cuidadosamente formulada uma prática de dança adequada ao público alvo. Diante das análises realizadas sobre os padrões de movimento dos sujeitos, assim como a partir de questionários e testes de sondagem psicológica dos mesmos, pôde-se constatar que o potencial presente no corpo idoso é muito rico, apesar de muitas vezes se manter oculto diante da imposição de barreiras sociais. No grupo pesquisado, foram verificadas mudanças significativas no que se refere à consciência e percepção do próprio corpo, o que gerou alterações positivas visíveis no senso de auto confiança e no estabelecimento de relações sociais. Enfim, a referida pesquisa não só trouxe a confirmação de dados levantados teoricamente sobre aspectos biológicos e sociais do envelhecimento, mas, principalmente, conduziu cada sujeito ao reencontro com seu próprio corpo como unidade viva e atuante, por meio da experiência integradora proporcionada pela dança.

Dança XE "Dança"  - Terceira idade XE "Terceira idade"  - Orientação educacional XE "Orientação educacional"

Instituto de Artes

A005

A DANÇA E A CRIANÇA EM SITUAÇÃO DE RISCO

Elisa Ferreira Araújo Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Eusébio Lobo da Silva (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Esta pesquisa teve como objetivo o desenvolvimento de um trabalho pedagógico em dança, cujo foco principal foi proporcionar às crianças em situação de risco ferramentas para o conhecimento do próprio corpo e de suas capacidades para aprender a lidar com seu universo interno e a relacionar-se com os outros. Este trabalho foi realizado no PRODECAD/UNICAMP, com crianças de faixa etária de 7 a 12 anos. Através do diálogo entre os ensinamentos de Laban e jogos lúdicos, as crianças desenvolveram um processo de auto-conhecimento e de ampliação de seus repertórios expressivos. O movimento de cada corpo é carregado de símbolos, sentidos, emoções. Cada um sente e vê, a partir de seu próprio referencial, de suas vivências. Assim, cada criança pode entender o trabalho da forma que lhe foi mais conveniente: entendiam e criavam os movimentos a partir de si mesmas. Deste modo, acabavam trabalhando questões internas, afetivas ? todo o indizível da subjetividade ? resolvendo-as corporalmente e liberando-se. Expressando através do corpo suas alegrias, tristezas, medos e angústias, as crianças descobriram que não precisavam utilizar, unicamente, da fala para se expressar, mobilizavam suas energias internas, reconhecendo intuitivamente sua força e passavam a confiar mais em si mesmas.

Dança XE "Dança"  - Criança em situação de risco XE "Criança em situação de risco"  - Desenvolvimento da criança XE "Desenvolvimento da criança"

A006

ARQUEOLOGIA DOS MEIOS AUDIVISUAIS. FOTOGRAFIA: RIO DE JANEIRO 1850-1910

Camila Bernardes (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Iara Lis Schiavinatto (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Esta pesquisa, desenvolvida desde agosto de 2001, trata de estudar a produção fotográfica entre 1890-1910. Desde a emergência da imagem indicial mo início do século XIX, esta não se erigiu, de imediato e rapidamente, em um meio de comunicação de massa, como se vê a partir de 1910-20. Atenta-se nesse trabalho para o momento de produção, difusão e circulação da fotografia, especificamente em jornais e cartões-postais cariocas, fazendo também um estudo introdutório da obra de Marc Ferrez e Augusto Malta, considerados fotógrafos de primeira grandeza do período. Nesta fase do projeto, busca-se compreender a paisagem formulada, os usos e a natureza do cartão-postal no Rio de Janeiro, percebendo as noções e os tipos de vistas, enquadramentos aí utilizados, sua ampla circulação e possível recepção em periódicos cariocas. Em contraponto a imagem cartão postal da cidade, embelezada, moderna e civilizada, trabalha-se as caricaturas publicadas nos periódicos e fotografias da destruição e dos motins vividos na Revolta da Vacina no ?Bota-Abaixo?. Procura-se perceber como a Revolta aparece nos jornais, se é ou não tema fotográfico e ainda, se há um diálogo entre essas fotografias e as caricaturas feitas sobre a Revolta.

Fotografia XE "Fotografia"  ? Rio de Janeiro XE "Rio de Janeiro"  ? Século XIX XE "Século XIX"

A007

Quenta-Sol: com, ou sem lugar ao sol

Alexandra Eugênia Araújo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Inaicyra Falcão dos Santos (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

A economia ?mundializada?, para se viabilizar, tem incorporado as diferenças culturais, e, com sua mídia global, tem provocado a formação de vários grupos, pelo mundo todo, que buscam revalorizar suas especificidades e identidade, recorrendo ao mercado para ganhar visibilidade. Nesses grupos encontra-se o ?Moçambique de Nª Sr.ª das Mercês? do bairro Quenta Sol, da cidade de Bom Despacho ? MG, e também várias montagens teatrais. A identificação criada com o grupo vem de sermos oprimidos pela tirania do capital. A comunidade do ?Quenta Sol? é composta de mestiços. Suas corporeidades habitam um universo simbólico afro-brasileiro, que interrelaciona cultura popular e cultura massiva, formando uma cultura híbrida. A percepção sensível do grupo em seu contexto sócio-econômico aconteceu ao participar de seu cotidiano e de suas festas. Isso possibilitou trazer à cena as matrizes corporais de alguns moradores, e contradições expressas em seu processo histórico híbrido. As improvisações dessas matrizes trouxeram elementos da tradição do grupo, que foram recriados ao codificar uma movimentação cênica. Esse olhar o outro fora da minha perspectiva implicou em ?sair? do meu corpo culturalmente condicionado e experienciar outras formas de sobrevivência, trazendo autoconhecimento na busca da formação do ator-social.

Cultura híbridaXE "Cultura híbrida" - Cultura afro-brasileiraXE "Contradição" - Ator-socialXE "Ator-social"

A008

Dança: uma linguagem não verbal no processo de autoconhecimento

Bethania Maria Matheus (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Inaicyra Falcão dos Santos (Orientadora), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

A arte da dança é inerente ao homem; veículo de comunicação e expressão de seus valores e crenças. O contato com o corpo e a disposição ao movimento corporal são próprios da natureza humana. Hoje, vivemos afastados dessa relação, chegando a desmerecer a sabedoria do corpo. Assim, a dança com proposta de espaço para pesquisa e descoberta do potencial não só físico, mas interno e sensível do ser, foi foco teórico e prático deste trabalho. Onde o objetivo principal foi conferir pela prática o valor da dança para o indivíduo em seu processo de autoconhecimento. Em encontros semanais com um grupo de crianças e adolescentes do PRODECAD/UNICAMP, desenvolveram-se atividades de expressão, consciência corporal, criação e sensibilizações e pesquisa pelo movimento. O grupo se envolveu, demonstrou maior consciência da estrutura corporal e naturalmente articulou na dança e em suas criações conteúdos internos e história individual. Incluir as individualidades na proposta de dança é chance de autoconhecimento e auto-estima através do corpo.

Dança XE "Dança"  - Pesquisa XE "Pesquisa"  - Autoconhecimento XE "Autoconhecimento"

A009

ANÁLISE MUSICAL DE ESTRUTURAS VERTICAIS E HORIZONTAIS COM AUXÍLIO DO COMPUTADOR

Danilo Machado de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jônatas Manzolli (Orientador), Instituto de Artes ? IA e Núcleo Interdisciplinar de Comunicação Sonora (NICS) ? UNICAMP

Nosso trabalho aplica o computador como uma ferramenta de Análise Musical na realização de uma pesquisa quantitativa e qualitativa de estruturas musicais. Através de planilhas de análise estatística e gráficos comparativos, um conjunto de obras de períodos importantes da História da Música foi estudado. Estes gráficos, denominados de Espaços de Fase, foram utilizados para mostrar a dispersão e a similaridade entre as estruturas. Por exemplo, foi observado que as relações de distância média e a dispersão intervalar entre as vozes internas da fuga XXII em Bbm (Cravo Bem Temperado, vol. II, de J. S. Bach) estão em torno de 1%. O que mostra o alto grau de correlação e similaridade em obras que utilizam a imitação como processo estruturante. Os Espaços de Fase proporcionam uma visualização muito clara da variação das classes de altura em relação à variação intervalar. Os resultados são coerentes com outros métodos consagrados de análise e a utilização desse método também será bastante efetiva na caracterização de similaridade em estruturas de obras contemporâneas.

Computador XE "Computador"  - Análise com Auxílio do Computador XE "Análise com Auxílio do Computador"  - Estruturas Verticais e Horizontais XE "Estruturas Verticais e Horizontais" .

A010

Do Violão Real ao Virtual

Frederick Carrilho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jônatas Manzolli (Orientador), Instituto de Artes - IA e Núcleo Interdisciplinar de Comunicação Sonora -NICS, UNICAMP

Descrição: A proposta desta Iniciação Científica é o estudo de configurações e de estruturas gestuais de ambiente computacional com objetivo de modelar e criar meios que permitam a exploração sonora virtual de instrumentos de cordas dedilhadas.Objetivos: Estudar a mecânica e a sonoridade do violão erudito como paradigma para o desenvolvimento de um ambiente interativo através do programa Cordas Virtuais e, principalmente, estabelecer meios para a aplicação do software Cordas Virtuais. Metodologia: Execução do gesto no violão real e digitalização sonora; análise do espectro sonoro, do envelope temporal e da mecânica do gesto; transcrição através de interface gráfica e audição do som virtual. Resultados: Um representativo número de informações referentes aos instrumentos de cordas pulsadas como, por exemplo, sua origem, desenvolvimento, evolução, estrutura física, peculiaridades técnicas da execução e repertório, foram aprendidas durante o período da pesquisa. Constatou-se, ainda, notáveis peculiaridades sonoras e gestuais, a partir das análises realizadas tanto no violão real quanto no virtual.

Violão XE "Violão"  ? Internet XE "Internet"  ? Composição XE "Composição"

A011

O Método Feldenkrais aplicado no desenvolvimento corporal: técnico, expressivo e criativo do bailarino

Lidia Costa Larangeira (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Julia Ziviani Vittielo (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Esta pesquisa teve como objetivo entrecruzar o Método de Moshe Feldenkrais, da área da Educação Somática, e a dança contemporânea através da apreensão e compreensão de que o aprendizado do movimento e o conhecimento do corpo são processos dinâmicos. Neste trabalho, o aprendizado orgânico e a aceitação de que existem muitos e diversos modos de cumprir uma ação é essencial para a formação técnico/expressiva do intérprete e a criação coreográfica. Utilizamos a metodologia teórico/prática subdividida em revisão bibliográfica, vivência do Método, aplicação deste em alunas do Departamento de Artes Corporais, e criação de uma seqüência de movimentos dançada a partir dos princípios do Método pesquisado. Durante a pesquisa, observamos que o Método é uma educação do corpo em relação a ?como? aprendemos um movimento, e ainda mais importante, como fazemos uso de nós mesmos durante esse processo. A partir disto, adquirimos uma propriedade consciente do nosso corpo, através do refinamento na percepção das tensões e esforços desnecessários à ação, da utilização favorável da respiração durante o movimento e o aprimoramento da auto imagem.

Consciência Corporal XE "Consciência Corporal"  - Método Feldenkrais XE "Método Feldenkrais"  - Dança XE "Dança"

A012

O Movimento na Revelação da Imagem: A Relação Espaço/Tempo no Movimento Corporal e no Movimento do Desenho

Laura Lydia Burtscher (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Luise Weiss (Orientadora), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

As experiências do Futurismo; de Rodin; de Toulouse Lautrec, nos cabarés, bares e circos; de Degas, conhecido como "o pintor das bailarinas", entre outras, demonstram que tanto o tema "movimento", como a Dança, nas Artes Plásticas, já foi ? e ainda é - de amplo interesse e chama minha atenção para as diversas possibilidades e dificuldades já encontradas e outras ainda por pesquisar. Pela relação que tenho com o trabalho corporal, na prática da capoeira e da dança, fica claro que para "sentir" no corpo este movimento do "modelo" eu devo estar, de certa forma, praticando o movimento também, para só assim transformá-lo em movimento desenhado. Porém, isto não significa que eu deva estar praticando o movimento, como se espera de um dançarino, mas significa principalmente que eu deva relacionar o ritmo da música, do ambiente e dos outros dançarinos presentes, ao ato de desenhar, assemelhando este ao ato de dançar, tentando fazer com que o desenho não fale simplesmente do movimento, mas que ele o contenha. Através da prática e da observação do movimento, a partir de manifestações corporais, como capoeira e ensaios de dança, construirei imagens a partir do movimento observado e/ou praticado por mim. A partir dessa experiência relacionarei as composições de movimento às composições estáticas da imagem desenhada no que denomino de "desenhos rápidos" - vários desenhos produzidos num tempo ínfimo visando o máximo de movimento num mínimo de linhas - e nos "desenhos integrais" ? que denomino os construídos num tempo longo na observação de todo o espaço onde ocorram os movimentos.

Desenho XE "Desenho"  ? Dança XE "Dança"  ? Movimento XE "Movimento"

A013

O MOVIMENTO APRISIONADO: ARTE E MOTRICIDADE HUMANA

Pietro Giovannini (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Marcius César Soares Freire (Orientador), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

Este trabalho busca analisar obras de arte plástica ? pinturas, esculturas, fotografias e filmes ? vanguardistas realizadas entre 1910 e 1940, a partir dos novos paradigmas que estão transformando o campo da Educação Física em uma disciplina chamada Motricidade Humana. Em outras palavras, buscaremos a motricidade humana/corporeidade/ e sugestão de movimento nestas obras produzidas, e estabelecendo um diálogo entre tais obras, mostrando semelhanças e diferenças podem então trazer novos conhecimentos para esta área e iluminando-a como um novo Saber. Este trabalho tem como objetivos estudar as múltiplas relações entre motricidade humana, sugestão de movimento e corporeidade tais quais elas aparecem nessas media das artes plásticas; através de análises estéticas e contextualizar social e historicamente tais produções. O estabelecimento de um diálogo dentre essas áreas irá provar como as análises estéticas podem assegurar uma aparente relação entre as Artes Plásticas e a Ciência da Motricidade Humana. O enfoque futurista na pintura e escultura; o cubista, na fotografia, e o construtivismo, no cinema irão possibilitar diversas abordagens sobre o tema homem/máquina muito constante neste período.

Arte XE "Arte"  - Motricidade Humana XE "Motricidade Humana"  - Corpo XE "Corpo"

A014

DA UTOPIA AO FIM DAS VANGUARDAS: UMA CONTEXTUALIZAÇÃO DA VISÃO DE FERREIRA GULLAR SOBRE O FIM DAS VANGUARDAS

Marcio Francisco Delaneze (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

Este é um segundo projeto de pesquisa sobre a visão de Ferreira Gullar a respeito do desenvolvimento das vanguardas no contexto brasileiro. Neste projeto é analisado o seu descontentamento com o rumo tomado pelas experiências vanguardistas ocorridas na segunda metade do século XX. Segundo Gullar houve uma deteriorização na linguagem artística, o que gerou um sentimento de desorientação e desconforto com o futuro da arte. Essa visão ?pessimista? foi relacionada com a de outros crítcos contemporâneos, como E. Subirats, C. Greenberg, A. Compagnon e H. Rosenberg. Nesta pesquisa, por meio de textos e livros, foi realizado um estudo das principais características da vanguardas históricas da primeira metade do século XX, procurando extrair seus denominadores comuns e suas relações com a crítica. O estudo demonstrou que os autores citados vivenciam o mesmo sentimento de desencanto com os movimentos artísticos contemporâneos. Decretam o fim da pertinência em rotular tais manifestações como vanguarda, denunciando o fracasso da utopia moderna e vendo com certo ceticismo o momento atual das artes. Como alternativa, apontam para a valorização das culturas regionais e para a busca de uma linguagem artística autêntica por meio da experiência individual.

Vanguarda XE "Vanguarda"  - F.Gullar XE "F.Gullar"  - Crítica de arte XE "Crítica de arte"

A015

TOULOUSE-LAUTREC E AS MULHERES DA NOITE

Renata Cristina de O. Maia Zago (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Maria de Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

Esta pesquisa consiste na análise de quatro obras do artista francês Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901), pertencentes à coleção do MASP. São elas: A Bailarina Loïe Fuller Vista dos Bastidores ? A Roda, 1893, Artista com Luvas Verdes ? A Cantora Dolly do ?Star? de Le Havre, 1899, O Divã, 1893 e Mulher se penteando ? Duas mulheres em camisola, 1891. Através da análise dessas obras pretende-se compreender o significado de suas formas e seus conteúdos ou temas e a relação que elas mantém entre si e com a produção do artista em geral. Realizou-se uma biografia do artista em questão, seguida de uma análise sumária das obras escolhidas inserindo-as em sua produção, centralizada principalmente numa percepção formal e temática. Com base na bibliografia levantada e pesquisada foram selecionados, para uma comparação com as obras do MASP, trabalhos do artista que se referem às mulheres da noite, do submundo parisiense. Estes foram divididos segundo a temática das obras do MASP, ou seja, dançarinas, cantoras e prostitutas em seu trabalho ou em seu cotidiano. Além disso, procurou-se destacar o seu caráter inovador na arte do final do século XIX, não apenas na temática, mas também na construção formal (linhas, cores, enquadramento, composição), estabelecendo paralelos com alguns artistas que o influenciaram diretamente (principalmente Degas e Seurat). Enfim, utilizando-se de sua produção, evidenciou-se o interesse de Lautrec por seus temas, o Espetáculo e a Prostituição, como testemunha direta e não somente espectador desse meio.

Toulouse-Lautrec XE "Toulouse-Lautrec"  - Pós-impressionismo XE "Pós-impressionismo"  - Coleção do MASP XE "Coleção do MASP"

A016

Criação e organização do arquivo Estércio Marquez Cunha no CDMC-Brasil/Unicamp

Gustavo Oliveira Alfaix Assis (Bolsista SAE/PRG), Profa. Maria Lúcia Senna Machado Pascoal (Orientadora) e Prof. José Augusto Mannis (Co-Orientador), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP e CDMC-Brasil, UNICAMP

O objetivo principal deste trabalho é a criação e organização de um arquivo de partituras do compositor brasileiro contemporâneo Estércio Marquez Cunha. Visto entre as personalidades da música brasileira, Estércio tem sido responsável pela formação de músicos atuantes em âmbito local e nacional. Sua obra apresenta profunda originalidade artística, suscitando grande interesse para estudo. Devido ao isolamento geográfico-cultural em que Estércio Marquez Cunha se encontra, a divulgação de sua obra está muito aquém do que deveria, se considerarmos a envergadura de seu trabalho. O acervo, produto deste trabalho comporta toda sua obra, aproximadamente 200 partituras entre peças para instrumentos solo, conjunto de câmara, coro, orquestra, concertos para solista e orquestra, música de cena e uma ópera. O acervo de partituras, organizado e catalogado, será disponibilizado pelo CDMC-Brasil/UNICAMP (Centro de Documentação de Música Contemporânea) para consulta no local. Atendendo às necessidades modernas da informação, espera-se, com este projeto, estar contribuindo para divulgação e promoção da música contemporânea brasileira através da organização do acervo deste compositor.

Música brasileira XE "Música brasileira"  ? Acervo XE "Acervo"  ? Estércio Marquez Cunha XE "Estércio Marquez Cunha"

A017

EXPRESSÃO CORPORAL: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL

Aline Maria Oliveira Santos (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Marília Vieira Soares (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

A Expressão Corporal consiste em um trabalho de estimulação das potencialidades criativas e expressivas da criança (no caso, as de aproximadamente 7 anos de idade) por meio da linguagem do corpo. Não se limita a codificação de movimentos mas sim, permite a expressão de individualidades. A dicotomia entre corpo e aprendizagem cognitiva praticada na escola, coloca a criança em um mundo diferente, no qual ela não participa e não apreende de maneira integrada (GONÇALVES, 1994, P. 32). Conectar o aprendizado teórico transmitido pela escola tradicional no processo de alfabetização com a vivência prática concebida pela ação motora, possibilita à criança um desenvolvimento mais integral de suas possibilidades. Para tanto a consciência do corpo, da individualidade, o desenvolvimento da criatividade, da sensibilidade e o entendimento das relações humanas, são fundamentais. Os conteúdos trabalhados tais como: consciência corporal, noções rítmicas, relações espaciais, relação com o outro e em grupo (coletividade) são aplicados de maneira lúdica, associados à brincadeiras, jogos e elementos presentes no cotidiano e aprendizado escolar das crianças. Utiliza-se ainda, recursos que estimulem os sentidos e a percepção como instrumentos musicais, histórias infantis, imagens e objetos. A criação por parte dos alunos é um dos aspectos fundamentais, estimulado nos desenhos, pinturas e trabalhos com argila e materiais diversos.

Expressão Corporal XE "Expressão Corporal"  - Desenvolvimento Infantil XE "Desenvolvimento Infantil"  XE "Desenvolvimento Infantil"  - Educação XE "Educação"

A018

O GESTUAL HUMANO NAS PINTURAS RENASCENTISTAS SOB O PONTO DE VISTA DE FRANÇOIS DELSARTE

Carolina Romano de Andrade (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Marília Vieira Soares (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

Realizou-se um estudo sobre o gestual humano, as intenções corporais e de movimento, utilizando de algumas obras do artista Renascentista, Rafael Santi. Para a análise dos gestos humanos utilizou-se dos princípios de classificação gestual de François Delsarte. Trata-se de uma pesquisa de caráter teórico-metodológico e histórico. Foram selecionadas três obras pictóricas que serviram como elemento base, fundamentais para observação das obras do Renascimento, atraves dos princípios delsartianos de expressão humana, gestos e essência do gestos. São elas Caminho do Calvário (Madri,Prado), Deposição Borghese(Roma, Galeria Borghese), Transfiguração(Pinacoteca Vaticana). As figuras retratadas por Rafael opõem todas as partes do corpo para o encontro de um equilíbrio do movimento, como se a qualquer momento estas figuras de tão vivas pudessem realizar movimento ,através de situações que provocam emoções e sentimentos diversos, gerando movimento e consequentemente os gestos, base da ciência de Delsarte. Todos os legados de Rafael, observados até então, apresentam no seu conjunto movimentos circulares por isso é que são ricos de flexibilidade, graça e expansão, até mesmo nas obras escolhidas para a análise mais detalhada, que trazem retratações de momentos mais intempestivos.

Renascimento XE "Renascimento"  - Gesto XE "Gesto"  - Delsarte XE "Delsarte"

A019

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DE MARIETTA BADERNA SOBRE A DANÇA NO BRASIL A PARTIR DE 1849

Rejane Bonomi Schifino (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Marília Vieira Soares (Orientadora), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

No Brasil, poucos são os pesquisadores que enfocam a história da Dança em território nacional, apesar de ser importante saber qual foi a contribuição daqueles que, no passado, disseminaram a Dança entre nós. Através do estudo sobre Marietta Baderna, prima-ballerina italiana que chegou ao Rio de Janeiro em 1849 como artista contratada pelo Imperial Teatro São Pedro d?Alcântara, pesquisou-se qual foi a influência do Ballet Romântico no desenvolvimento da Dança no Brasil a partir da segunda metade do século XIX. A metodologia utilizada foi levantamento bibliográfico, pesquisa documental e leitura de bibliografia selecionada relacionada ao século XIX.Os resultados iniciais obtidos foram situação do papel de Marietta Baderna tanto na evolução da dança na Itália quanto no contexto político daquele país, mostra de algumas das realidades da dança profissional no Brasil e como a influência de Portugal ? atuando como nossos colonizadores ? ajudou a configurar essas mesmas realidades e apresentação de trabalho teórico-prático sobre os balés dançados por Marietta no Brasil - balés românticos de repertório, coreografias criadas especialmente para ela e danças populares (inclusive de origem negra) que ela transportou para os palcos e que escandalizaram a sociedade da época. Essa pesquisa ainda não foi concluída.

Marietta Baderna XE "Marietta Baderna"  ? História da Dança XE "História da Dança"  ? Século XIX XE "Século XIX"

A020

A Música como instrumentalização do ator

Nei Viegas Mariz de Oliveira Pelizzon (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sara Pereira Lopes (Orientadora), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

A pesquisa pretende desenvolver um instrumental para o ator tendo os elementos musicais, como o ritmo e a melodia como base. Pensando teatro como uma relação entre o Espaço e o Tempo, o ator pode construir uma personagem através de uma impressão musical, e não uma forma convencional de construção a partir de um texto dramático. O objetivo do trabalho é fazer o ator pensar e traduzir musicalmente a cena e os personagens, para poder ter um novo tipo de abordagem no seu material criativo. Desenvolvendo consciência rítmica e melódica através de exercícios com o próprio material de trabalho (corpo e voz), e investigando as impressões que a musica causa no corpo.Utilizando a música como estimulo, o ator se coloca em cena de uma forma não cotidiana trabalhando com vários niveis de energia, começando a tratar as palavras não só como informação, mas como um desenho melódico-ritmico que reverbera no corpo. A organicidade das ações se torna imediata já que o corpo se coloca de forma inteira e presente.

Ritmo -  XE "Ritmo" Atuação -  XE "Atuação" Organicidade XE "Organicidade"

A021

UMA EXPERIÊNCIA DE TEATRO POLÍTICO NA AMÉRICA LATINA: O PROCESSO DE CRIAÇÃO COLETIVA DO TEATRO EXPERIMENTAL DE CALI DURANTE A ELABORAÇÃO DA PEÇA ?A DENÚNCIA? em 1973

Marilia Carbonari (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Sérgio Ricardo de Carvalho Santos (Orientador), Instituto de Artes ? IA, UNICAMP

A montagem da peça A denúncia, em 1973, pelo Teatro Experimental de Cali pode ser considerada um marco para o movimento teatral colombiano e para todo o teatro latino-americano interessado em reflexão sócio-política. Buscando trabalhar com temas locais numa perspectiva histórica, o grupo dirigido por Enrique Buenaventura elabora um método de criação coletiva em que cada artista, a partir da ampliação de sua função particular no processo da montagem, compartilha do todo da obra, fazendo propostas para que a peça alcance um confronto crítico com o público. O processo de criação coletiva sistematizado na encenação de A Denúncia lançou as bases práticas de um procedimento de trabalho utilizado até hoje pelo Teatro Experimental de Cali. É uma investigação teatral que comporta não só improvisações dos atores, pesquisas históricas e dramaturgia própria, mas também debates abertos ao público no final de cada apresentação. Os resultados da criação coletiva são encarados como material artístico em processo, contrariando a lógica convencional dos produtos artísticos para consumo imediato.

Teatro Político latino-americano XE "Teatro Político latino-americano"  - Teatro Experimental de Cali XE "Teatro Experimental de Cali"  - Criação coletiva XE "Criação coletiva"

PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

CBMEG - Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética

B022

CARACTERIZAÇÃO DA ORDEM GÊNICA DE ?tRNAs? NO DNA MITOCONDRIAL DA MOSCA-DOS-CHIFRES, Haematobia irritans (DIPTERA: MUSCIDAE)

Cristina Feix de Abreu (Bolsista PROFIX/CNPq), Profa. Dra. Ana M. L. de Azeredo-Espin (Coordenadora) e Dra. Ana Cláudia Lessinger (Orientadora PROFIX/CNPq), Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética - CBMEG, UNICAMP

O DNA mitocondrial animal (DNAmt) muitas vezes apresenta-se como um genoma conservado em conteúdo e ordem gênicos. Porém, rearranjos envolvendo genes de RNAs transportadores (tRNAs) têm sido freqüentemente descritos no genoma mitocondrial de artrópodos. Este trabalho trata do seqüenciamento e análise da ordem gênica de três regiões do DNAmt da espécie Haematobia irritans potencialmente associadas a rearranjos em insetos, correspondendo ao seguinte conteúdo gênico: I) tRNAMet, ND2, tRNACys, tRNATyr e COI; II) COIII, ATPAse6, ATPAse8, tRNAAsp, tRNALys e COII e III) Cyt.b, ND6, tRNAPro, tRNAThr, ND4L e ND4. Verificou-se que o tamanho e a ordem gênica das regiões-alvo de H. irritans são mantidos em relação ao genoma mitocondrial de Drosophila. Análises comparativas das regiões homólogas de Stomoxys calcitrans (mosca-dos-estábulos) e Musca domestica (mosca doméstica), indicam que o tamanho destas regiões equivale ao obtido em H. irritans, exceto para região I de S. calcitrans, cuja caracterização estrutural está em andamento. Estudos visando a caracterização estrutural do DNAmt têm contribuído para ampliar o conhecimento relativo à diversidade deste genoma e sua evolução.

Haematobia irritans XE "Haematobia irritans"  - DNA mitocondrial XE "DNA mitocondrial"  - Ordem gênica XE "Ordem gênica"

B023

ANÁLISE DO GENOMA MITOCONDRIAL DA MOSCA-DOS-CHIFRES Haematobia irritans (DIPTERA: MUSCIDAE): ESTRATÉGIAS DE AMPLIFICAÇÃO E SEQUENCIAMENTO BASEADAS NA REAÇÃO DE ?LONG-PCR?

Joan Grande Barau (Bolsista PROFIX/CNPq), Profa. Dra. Ana M. L. de Azeredo-Espin (Coordenadora) e Dra. Ana Cláudia Lessinger (Orientadora PROFIX/CNPq), Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética - CBMEG, UNICAMP

A amplificação de genomas mitocondriais completos utilizando-se apenas uma (?1-step?) ou duas (?2-steps?) reações de PCR de longa extensão (?Long-PCR?) tem sido amplamente empregada na atual mitogenômica. Neste estudo abordamos a construção de ?primers? e estratégias de amplificação via ?Long-PCR? e sua aplicação para o sequenciamento do genoma mitocondrial da mosca-dos-chifres, Haematobia irritans. A recuperação do genoma mitocondrial completo desta espécie através da reação ?2-steps? gerou ?amplicons? de 8.5 e 9.1 Kb, com sobreposição de 1.5 Kb. Esta estratégia ?2-steps? foi também eficiente para a amplificação do fragmento de 9.1 Kb do genoma mitocondrial de outros dípteros de importância médica e veterinária, incluindo as espécies Musca domestica (Muscidae), Cochliomyia hominivorax, Chrysomya megacephala e Chrysomya putoria (Calliphoridae), demonstrando o potencial estratégico desta abordagem na caracterização de genomas mitocondriais em outras espécies. A análise de marcadores moleculares associada à amplificação via ?Long-PCR? está sendo conduzida para verificar a eficiência desta estratégia em estudos de caracterização da variabilidade genética no genoma mitocondrial da mosca-dos-chifres.

Long-PCR XE "Long-PCR"  - Genoma mitocondrial XE "Genoma mitocondrial"  - Sequenciamento XE "Sequenciamento"

B024

ESTRUTURA E EVOLUÇÃO DO GENE COI E DA REGIÃO-CONTROLE DO DNAmt DE Haematobia irritans, Stomoxys calcitrans E Musca domestica (DIPTERA: MUSCIDAE)

Marcos Túlio de Oliveira (Bolsista IC-PROFIX/CNPq), Profa. Dra. Ana Maria Lima de Azeredo-Espin (Coordenadora) e Dra. Ana Cláudia Lessinger (Orientadora PROFIX/CNPq), Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética - CBMEG, UNICAMP

Análises de regiões específicas do DNA mitocondrial (DNAmt) podem fornecer dados importantes para estudos evolutivos em insetos. Neste trabalho, o seqüenciamento e a caracterização do gene COI e da região controle (RC) do DNAmt foram realizados para a mosca-dos-chifres (H.irritans), a mosca-dos-estábulos (S.calcitrans) e a mosca doméstica (M.domestica). O conteúdo de A+T da região COI (69.4% a 71.3%) nestas espécies é o maior descrito em Diptera. Análises comparativas entre as sequências de aminoácidos previstas para o gene COI destas espécies mostram uma similaridade de 98,6 e um padrão de evolução estrutural de acordo com o modelo descrito em insetos. As RCs de H.irritans e M.domestica possuem 1256pb e 1287pb, respectivamente, e resultados preliminares em S.calcitrans indicam eventos de deleção nesta região. Blocos de sequência conservada, previamente descritos em moscas varejeiras (Calliphoridae e Oestridae), foram identificados na RC de Muscidae, indicando a importância destes elementos para os processos de replicação e transcrição do DNAmt em Diptera. Além do interesse no padrão de evolução molecular, a caracterização destas regiões pode contribuir com estudos de variação intra e interespecífica nestas importantes pragas da pecuária e da saúde pública.

Muscidae XE "Muscidae"  ? COI XE "COI"  ? Região -Controle do DNAmt XE "Região -Controle do DNAmt"

Faculdade de Ciências Médicas

B025

Estudo das repercussões da DHEG sobre a placenta e condições clínicas fetais com ênfase em Encefalopatia Hipóxico-Isquêmica (EHI)

Briana Rachid Dias (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Ana Maria Sedrez Gonzaga Piovesana (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O estudo teve como objetivo correlacionar a Pré-Eclâmpsia (PE) (toxemia materna provocada pelo aumento pressórico durante a gestação), com as anormalidades placentárias e possíveis alterações no exame neurológico (EN) dos neonatos. Foram elaborados 3 protocolos de avaliação: I-Coleta dos dados sobre a PE materna; II-Análise destas placentas e III- EN dos Recém-Nascidos. Foram estudadas 20 mães sendo 13 com DHEG e 7 com HAC. Nasceram 21 neonatos (1 gestação gemelar), 7 Prematuros (RNPT) e 14 a Termo (RNT). Das placentas avaliadas, 8 apresentaram peso abaixo de 500 gramas. As alterações no EN estavam presentes em 5 neonatos (24%) e houve 1 quadro de EHI (5%). Observamos que foi significativa a correlação entre Baixo Peso Placentário e PIG (Pequeno para a Idade Gestacional), p=0,049. As alterações no EN foram correlacionadas com apgar1 <6 (p=0, 027) e com a presença de Cianose Central Perinatal (p=0,000). Houve uma tendência entre Apgar1 <6 com Idade Materna de risco (p=0,15). Não houve correlação significativa entre alterações no EN e os aumentos pressóricos maternos, embora a Pressão Diastólica tenha apresentado maior possibilidade de associação. Concluímos que houve alta incidência de alterações no EN de neonatos nascidos de mães com PE.

Pré-Eclâmpsia XE "Pré-Eclâmpsia"  - Placenta XE "Placenta"  - Neurodesenvolvimento XE "Neurodesenvolvimento"

B026

Impacto das atividades de vigilância dos recém-nascidos no perfil de amamentação de lactentes ? Abordagem de determinantes da amamentação entre lactentes menores de 1 ano. Campinas - SP

Giselle de Melo Braga (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Maria Segall Corrêa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Embora a prevalência da amamentação total tenha aumentado no Brasil, a duração média do aleitamento materno exclusivo ainda é baixa. Esta pesquisa busca identificar os riscos à saúde do recém-nascido e avaliar o impacto da captação precoce do bebê através da visita domiciliar na prática do aleitamento materno das crianças nascidas na área de abrangência do centro de saúde Jardim São Marcos, entre novembro de 1997 e novembro de 1998. O estudo consiste na análise secundária dos dados obtidos nas declarações de nascidos vivos, nas visitas domiciliares e inquérito populacional. A proporção de mães adolescentes foi 26%. Realizaram 3 ou menos consultas pré-natais 39% das mães. No momento da visita domiciliar, os bebês tinham em média 20,6 dias e 43,8% já haviam interrompido o aleitamento materno exclusivo. Entre os alimentos introduzidos, o chá apresentou a maior freqüência (34,8%). No inquérito populacional, entre as crianças que não eram mais amamentadas, a média de duração do aleitamento foi 4.8 meses. Observa-se nesta população condições sociais desfavoráveis, oferta precoce de suplementos ao leite materno e condições inadequadas de assistência ao pré-natal, fatores reconhecidamente associados à interrupção precoce da amamentação.

Aleitamento XE "Aleitamento"  - Visita domiciliar XE "Visita domiciliar"  - Captação precoce de RN XE "Captação precoce de RN"

B027

Prescrição de Medicamentos e Fatores Associados

Idelberto do Val Ribeiro Junior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Maria Correa Segall (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Com o avanço da Medicina e da tecnologia médica os medicamentos assumiram uma importância cada vez maior na sociedade contemporânea. As indústrias visualizaram nesse contexto uma forma de obter maior lucratividade, incentivando a automedicação pela população em geral, e a prescrição de medicamentos pelos médicos, os quais são constantemente assediados pelo marketing farmacêutico. A medicalização relaciona-se tanto ao consumo de medicamentos e serviços quanto à prescrição de fármacos. Para estudar o modo de prescrição e fatores a ele associados aplicou-se inquérito entre alunos de 6o ano e residentes das especialidades médicas da FCM/UNICAMP que atuam no Hospital das Clínicas e CAISM. O número de entrevistados não foi pré-estabelecido por depender da capacidade do bolsista na aplicação dos questionários. Resultados mostram significativa presença do marketing farmacêutico no meio do hospital-escola e espera-se, assim, que este trabalho possa contribuir para uma política de regulação das práticas de propaganda e marketing no ambiente acadêmico.

Marketing farmacêutico XE "Marketing farmacêutico"  - Prescrição médica XE "Prescrição médica"  - Medicamentos XE "Medicamentos"

B028

Influência da Função Gonadal nas Manifestações Esqueléticas Associadas à Haploinsuficiência do Gene SHOX em Pacientes com Síndrome de Turner

Josenilson Campos de Oliveira (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Andréa Trevas Maciel Guerra (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A haploinsuficiência do gene SHOX, localizado na região pseudo-autossômica dos cromossomos sexuais, contribui para a baixa estatura (BE) presente na Síndrome de Turner (ST). Mutações ou microdeleções desse gene determinam BE isolada ou a Discondrosteose de Leri-Weill (DLW). Visto serem as deformidades típicas da DLW mais freqüentes no sexo feminino e acentuarem-se na puberdade, além de serem raros na ST, credita-se aos estrógenos gonadais (EG) um efeito complicador. Avaliamos tal hipótese, investigando a gravidade das manifestações esqueléticas em pacientes com ST e sinais puberais espontâneos (SPE). Casuística: 28 pacientes com ST, 14 com e 14 sem SPE, pareadas por idade. Metodologia: Foram comparadas, em radiografias de punho e mão esquerdos, a presença e gravidade dos sinais radiológicos mais freqüentes associadas à ST, bem como aferições absolutas e relativas. Foi realizada antropometria específica. Resultados e Conclusões: A avaliação antropométrica ainda não foi concluída em toda a amostra. Significativamente, houve apenas menor incidência do sinal do metacarpo no grupo com SPE (p= 0,02). Até o momento, não se observou maior gravidade das anomalias esqueléticas à haploinsuficiência do gene SHOX em pacientes com ST e SPE, sugerindo não haver efeito complicador dos EG, ou que sua ação dependa de fatores ausentes na ST.

SHOX XE "SHOX"  ? Síndrome de Turner XE "Síndrome de Turner"  ? Função Gonadal XE "Função Gonadal"

B029

AVALIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL SOBRE OS RESULTADOS GESTACIONAIS EM GRÁVIDAS PORTADORAS DE HIPERTENSÃO ARTERIAL, DIABETES MELLITUS, INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO E LUES

Kátia Piton Serra (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Ângela Maria Bacha (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O presente trabalho objetivou analisar alguns indicadores de atenção pré-natal e sua correlação com os resultados gestacionais na população de mulheres com Hipertensão Arterial, Diabetes Mellitus, Infecção do Trato Urinário e Lues, que tiveram seu parto no Centro de atenção Integral à Saúde da Mulher da Universidade Estadual de Campinas (CAISM/UNICAMP).

Foram estudados de forma retrospectiva os partos consecutivos ocorridos no período de janeiro de 1996 a dezembro de 1999, tendo como fonte de coleta de dados a Ficha Obstétrica pré-codificada utilizada no serviço. Foram analisadas as características do pré-natal realizado por essas pacientes (antecedentes obstétricos, características das gestantes, realização ou não do pré-natal|, mês de início, número total de consultas) e a presença daquelas patologias, e sua correlação com os resultados gestacionais (vitalidade, peso, índice de Apgar, idade gestacional ao nascimento), o que permitiu a avaliação quantitativa e qualitativa da assistência pré-natal sobre os resultados perinatais.

Pré-natal -  XE "Pré-natal" Patologias na Gestação -  XE "Patologias na Gestação" Resultados Gestacionais XE "Resultados Gestacionais"

B030

Prevalência de parasitoses intestinais em dois Centros de Saúde em Campinas - SP

Felipe Monte Cardoso (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Angélica M. Bicudo Zeferino (Orientadora), Prof. Dr. André M. Morcillo (Co-Orientador) e Profa. Dra. Maria Ângela G. M. Antônio (Co-Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

As parasitoses intestinais se constituem um grande problema de saúde pública no Brasil, particularmente em grandes bolsões de pobreza. Objetivos: Descrever a prevalência de parasitoses intestinais em 2 Centros de Saúde de Campinas (SP). Métodos: Foram escolhidos 2 Centros de Saúde com diferentes características sócio-ambientais e analisados todos os exames protoparasitológicos (n=393) coletados rotineiramente no mês de julho de 2002 e realizados pelo Laboratório Municipal de Campinas pelo método de Hoffman modificado. Foram calculadas a prevalência e o intervalo de confiança de 95% (IC 95%). Resultados: No Centro de Saúde 1 (CS1; n=235), os mais prevalentes entre os parasitas foram Giardia lamblia, 11.91% [IC 95% 8,06 ? 16.75]; Ascaris lumbricoides 8.08% [IC 95% 4,93 ? 12.33]; Trichuris trichiura e Schistossoma mansoni, 2,13% [IC 95 % 0,69 ? 4,89], e, entre os comensais, foram Entamoeba coli e Endolimax nana, 6,80% [IC 95% 3,94 ? 10,82]. No Centro de Saúde 2 (CS 2; n=158), foram encontrados os parasitas Giardia lamblia, 3,16% [IC 95% 1,03 ? 7,23]; Trichuris trichiura, 2,53% [IC 95% 0,69 ? 6,35]; Ascaris lumbricoides, 1,90% [IC 95% 0,39 ? 5,44], e o comensal Entamoeba coli, 8,86% (IC 95% 4.92 ? 14,4). Conclusão: Enquanto a prevalência do CS1 se assemelha à de um país subdesenvolvido, a prevalência do CS2 é semelhante às encontradas em países desenvolvidas.

Parasitoses intestinais XE "Parasitoses intestinais"  - Prevalência XE "Prevalência"  - Epidemiologia XE "Epidemiologia"

B031

Caracterização dos Recém-nascidos de Baixo Peso de um Centro de Saúde ? Campinas (SP)

Jéssica F Ramos (Bolsista PIBIC/CNPq), Luiz F. D. Relvas, Profa. Dra. Angélica M. Bicudo Zeferino (Orientadora), Prof. Dr. André M. Morcillo e Profa. Dra. M. Ângela G. M. Antônio (Co-Orientadores), Faculdade de Ciências Médicas ?UNICAMP

Os Recém-nascidos de baixo peso (RNBP<2500g) tem maior morbi-mortalidade e são mais susceptíveis a atrasos no desenvolvimento. Objetivos: Conhecer as características dos RNBP de um Centro de Saúde e analisar a 1a consulta. Métodos: Identificou-se os RNBP nas Declarações de Nascidos Vivos (DNV-2.000) e para comparação sorteou-se o dobro de RN com peso > 3.000g. As informações foram obtidas das DNV e anotações da 1a consulta. Resultados: Foram notificados 31 RNBP e acompanhados 19. 15,8% das mães dos RNBP eram adolescentes e 42,1% não tinham companheiro, dos RN>3000g 31,7% das mães tinham menos de 20 anos e 36,6% não tinham companheiro. Com relação à escolaridade materna, 57,9% dos RNBP e 58,5% dos RN com peso adequado tinham mãe com escolaridade inferior a 8 anos. Os grupos apresentaram número insuficiente de consultas no pré-natal, havendo um predomínio de cesáreas nos RNBP e 21,1% dos RNBP e 2,4% dos RN>3000g eram prematuros. A 1a consulta dos RNBP ocorreu em média aos 31 dias de vida. Nesta 94,7% das crianças foram pesadas, 73,7% eram amamentadas exclusivamente, o exame neurológico não estava registrado em 63,2% dos prontuários e a vacina em 21,1%. Conclusões: As características maternas não diferem entre os grupos. Já as anotações da 1a consulta do RNBP mostram-se insuficientes para uma atenção adequada a saúde da criança.

Recém Nascido XE "Recém Nascido"  - Baixo Peso XE "Baixo Peso"  - Puericultura XE "Puericultura"

B032

RESULTADOS MATERNOS E NEONATAIS NO PARTO VAGINAL DE PRIMÍPARAS ATENDIDAS NO CAISM COM PARTO FÓRCIPE KIELLAND COMPARADO AOS DE PRIMÍPARAS ATENDIDAS NO CAISM COM PARTO FÓRCIPE SIMPSON-BRAUN

Michel Gardere Camargo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Belmiro Gonçalves Pereira (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O objetivo deste trabalho é avaliar e comparar os resultados maternos e neonatais nos partos vaginais assistidos por fórcipe Kielland e nos partos vaginais assistidos por fórcipe de Simpson-Braun, realizados no CAISM. Trata-se de um estudo retrospectivo de caso controle. Para realização do mesmo foram usados dois grupos de pacientes primíparas que tiveram parto vaginal sob analgesia peridural. O primeiro foi formado por aquelas 84 que tiveram parto a fórcipe Kielland, e o segundo pelos 214 casos de parto fórcipe Simpson-Braun (160 para alívio materno-fetal e 54 para abreviação de período expulsivo), formando um grupo controle. Utilizamos o programa Epi-Info 6.04 para cálculo do teste qui-quadrado (2 simples e o teste exato de Fisher. Os dois grupos não diferiram quanto à idade materna, idade gestacional estimada, realização de pré-natal, idade gestacional somática (Capurro), icterícia neonatal, estado do líquido amniótico, Apgar de quinto minuto, peso dos neonatos, número de dias de internação e condições de alta materna e neonatal. Os neonatos atendidos com fórcipe de Kielland apresentaram Apgar de primeiro minuto menor que 7 mais freqüentemente (p<0.05) que aqueles atendidos com parto fórcipe Simpson-Braun de alívio. Em nossa amostra o uso do fórcipe mostrou-se seguro.

Fórcipe XE "Fórcipe"  - Parto vaginal XE "Parto vaginal"  ? Resultados gestacionais XE "Resultados gestacionais"

B033

FREQÜÊNCIA DA MUTAÇÃO 66 A/G NO GENE DA MTRR EM PORTADORAS DA SÍNDROME DE TURNER E MÃES DE PORTADORES DA SÍNDROME DE DOWN

Marcelo Gomes Cordeiro Valadares (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Carmen Silvia Bertuzzo (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A Síndrome de Down (SD), causada por uma trissomia do cromossomo 21, é a causa mais freqüente de retardamento mental moderado. A Síndrome de Turner (ST) é causada por uma monossomia do cromossomo X. A segregação dos cromossomos na divisão celular depende da metilação do DNA, processo em que participa a Metionina Sintase Redutase, uma proteína com função enzimática codificada pelo gene MTRR no cromossomo 5. Neste trabalho, foi pesquisada uma relação entre a freqüência da mutação em que ocorre troca de uma base A por uma G na posição 66 do gene da MTRR e a presença do fenótipo de Turner ou Down (este nos filhos). Os experimentos realizados basearam-se em reação em cadeia de polimerase (PCR), digestão enzimática e eletroforese em gel de poliacrilamida. Foram estudados até o momento 66 pacientes (Mães de SD(MSD)=31, ST=35) e 23 controles. Na amostra de ST encontramos 23 pacientes heterozigotas e 4 homozigotas mutantes. Na amostra de MSD, encontramos 17 heterozigotas e 3 homozigotas mutantes. No controle obtivemos 21 heterozigotas e nenhuma homozigota para a mutaçao. Os dados até o momento analisados mostram um acúmulo de homozigotas mutantes nas amostras de ST e MSD.

MTRR XE "MTRR"  ? Síndrome de Turner XE "Síndrome de Turner"  ? Síndrome de Down XE "Síndrome de Down"

B034

Caracterização de uma família de genes, correspondentes a MUPs (Major Urinary Proteins) de camundongos, expressos em tumores humanos

Carolina Carvalho Ribeiro do Valle (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Christine Hackel (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Dentre os ESTs seqüenciados no Projeto Genoma Humano do Câncer, em cDNAs oriundos de RNAm de tumores de cólon e de Wilms (nefroblastoma), foram identificados clones significativamente similares a uma classe de proteínas altamente preservadas evolutivamente e descritas em diversas espécies inclusive Mus musculus. Essas proteínas, MUPs (Major Urinary Proteins), ainda não foram descritas na espécie humana. Em murinos, as MUPs ligam-se a feromônios, atuando como portadoras dos efetores voláteis de comportamento e fisiologia. O objetivo desse projeto é identificar a seqüência completa do gene humano correspondente ao gene MUP4 de camundongos por meio de rastreamentos de biblioteca de cDNA humano de rim normal, ou em linhagem celular de adenocarcinoma de cólon (HT29) e verificar a sua expressão tecido-específica por Northern Blot. O ?screening? da biblioteca de cDNA humano de rim foi realizado por meio de PCR com primers específicos desenhados para a predita MUP humana, sendo os resultados, até o momento, negativos. Experimentos com a linhagem de adenocarcinoma de cólon estão sendo realizados.

Genoma XE "Genoma"  - MUP4 XE "MUP4"  - cDNA XE "cDNA"

B035

IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOVA MUTAÇÃO DE PONTO NO GENE DA 5(-REDUTASE TIPO 2 (SRD5A2) EM PACIENTE COM PSEUDO-HERMAFRODITISMO MASCULINO

Luiz Eduardo Chimello Oliveira (Bolsista FAPESP), Daniela Nunes, Maria Betânia Toralles, Eliana G. Stucchi- Perez, Prof. Dr. Gil Guerra Jr. e Profa. Dra. Christine Hackel (Orientadora), Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética - CBMEG, UNICAMP

Uma das causas de ambigüidade genital em indivíduos com cariótipo 46,XY é a deficiência da enzima 5(-redutase tipo 2, responsável pela conversão de testosterona (T) em di-hidrotestosterona (DHT). O gene responsável pela síntese dessa enzima de 254 aminoácidos localiza-se no cromossomo 2 (2p23), sendo composto por 5 éxons. Mutações nesse gene são responsáveis pela inativação total ou parcial dessa enzima. No presente trabalho descrevemos o estudo molecular realizado nos éxons do gene SRD5A2 de um paciente de 20 anos, de sexo genético masculino, apresentando ambigüidade genital e registro civil feminino. A análise molecular foi realizada por meio da reação em cadeia da polimerase (PCR), seguido de seqüenciamento manual com P33. O seqüenciamento do quarto éxon do paciente permitiu detectar uma deleção em homozigose de um nucleotídeo (642delT). Pode-se predizer que esta deleção promove uma alteração do quadro de leitura do RNA mensageiro a partir da deleção, levando ainda à incorporação de 22 aminoácidos adicionais na proteína correspondente, em conseqüência do deslocamento do códon de parada. Assim, é provável que esta alteração leve ao comprometimento da atividade enzimática, tendo em vista o quadro clínico apresentado pelo paciente.

Mutação de ponto XE "Mutação de ponto"  - SRD5A2 XE "SRD5A2"  - PHM XE "PHM"

B036

CONSANGÜINIDADE PARENTAL EM UMA AMOSTRA DE RECÉM-NASCIDOS NO CAISM

Carolina Araújo Moreno (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Denise Pontes Cavalcanti (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Entre os recém-nascidos (RN) do CAISM vem-se observando uma alta taxa de consangüinidade parental, porém essa nunca foi adequadamente analisada. O objetivo desse projeto foi, utilizando fichas de RN da casuística ECLAMC, referentes aos dados locais no período de 1992 a 2002, identificar a real taxa de casamentos consangüíneos e seus principais tipos, as doenças autossômicas recessivas e as malformações (MF) mais prevalentes nessa população e analisar outras variáveis clínicas e sócio-econômicas disponíveis. A freqüência de consangüinidade parental encontrada foi de 3.06%, sendo 53.7% primos em 1o grau. Do total, 63.8% dos RN eram malformados e desses, uma etiologia autossômica recessiva foi identificada em 18%. Entre os casos não sindrômicos, as MF mais freqüentes foram renais (8.4%) e cardíacas (7.4%) seguidas pelos defeitos de fechamento do tubo neural (6.3%) e polidactilia (5.3%). A maioria dos pais (86%) procede da região de Campinas, porém, a análise da naturalidade dos mesmos mostra que 50% são da região SE e 35% do NE. O presente trabalho indica que a alta taxa de consangüinidade dessa população (3%) está associada a casamentos de primos em 1o grau, oriundos, principalmente, das regiões SE e NE do país e, como conseqüência, existe uma alta taxa de doenças autossômicas recessivas associadas.

Consangüinidade XE "Consangüinidade"  - Doenças autossômicas recessivas XE "Doenças autossômicas recessivas"  - Malformações XE "Malformações"

B037

Hidropisia não imune entre recém-nascidos (RN) sul-americanos

Letícia Castanho Selmi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Denise Pontes Cavalcanti (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Hidropisia fetal (HF) se caracteriza por um edema generalizado, constituindo uma manifestação clínica do estágio final de uma grande variedade de patologias. O objetivo desse estudo foi analisar a distribuição e tipos clínicos de hidropisia numa população sul-americana a partir do banco de dados do ECLAMC. Revisou-se todos os códigos de malformações bem como os diagnósticos desse banco de dados, calculando-se as freqüências e porcentagens de tipos clínicos. A incidência de hidropisia encontrada foi de 1,6 por 10.000 nascimentos. A Maternidade que apresentou maior quantidade de casos foi o CAISM (13%). Não se observou desvio na proporção de sexo, quase metade dos hidrópicos (46%) nasceram mortos, ou evoluíram com óbito antes da alta hospitalar (41%). Dos 548 RN hidrópicos observados no período de 82-00, 311 (57%) eram RN não malformados, ou seja, apresentavam apenas hidropisia, e 237 (43%) eram de RN portadores malformações múltiplas. A maioria destes últimos (62%) foi classificada como polimalformados verdadeiros. Entre os casos sindrômicos ou com uma malformação identificada os principais diagnósticos foram: as cardiopatias (9%), a síndrome de Down (6%) e a síndrome de Turner (5%). Os resultados desse estudo permitem concluir que a hidropisia nessa população e um fenômeno raro ou não notificado, a maioria dos casos não apresenta malformações e entre os casos sindrômicos desatam-se as cardiopatias, e as síndromes de Down e de Turner.

Hidropisia XE "Hidropisia"  ? Malformação XE "Malformação"  ? Cromossomopatia XE "Cromossomopatia"

B038

Significações psicológicas do adoecer para pacientes fumantes com câncer de pulmão e suas influências no prognóstico: um estudo clínico-qualitativo

Olívia Meira Dias (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Egberto Ribeiro Turato (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Embora haja avanços no tratamento de neoplasias, o câncer de pulmão persiste um obstáculo na medicina. Este estudo visa compreender sentidos e significados que pacientes atribuem à doença e as mudanças sentidas no contexto pessoal, familiar e sociocultural, além de percepções relacionadas ao cigarro. A amostra, correspondendo às entrevistas gravadas e transcritas, compõe-se de onze sujeitos representativos de diferentes grupos biodemográficos e de diferentes características psicossociais, apresentando condições favoráveis para submeterem-se à entrevista e autorizando sua participação através de termo de consentimento. Os dados foram obtidos graças a uma entrevista semidirigida de questões abertas, composta de 12 perguntas. O conjunto das entrevistas foi interpretado segundo o método clínico-qualitativo, com a categorização dos resultados e análise qualitativa de conteúdo segundo referencias fenomenológicos e psicanalíticos. Dentre os resultados, emergiram a mitificação e estigma do câncer no contexto médico e no imaginário dos pacientes, as ideações persecutórias que antecediam o tratamento, o impacto do diagnóstico, as fases de adaptação à doença, as limitações na vida diária, a diminuição da auto-estima, a fissura pelo vício seguida pelo discurso anti-tabagista e a atribuição causal a fatores outros que não o cigarro como um mecanismo de defesa.

Câncer de pulmão XE "Câncer de pulmão"  - Pesquisa clínico qualitativa XE "Pesquisa clínico qualitativa"  - Aspectos psicológicos XE "Aspectos psicológicos"

B039

Doença meningocócica: fatores de risco para letalidade e estratégias de intervenção

Matheus Bittar de Melo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Emílio Carlos Elias Baracat (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A doença meningocócica representa um sério problema de saúde pública em termos de letalidade, sendo que na região de abrangência do HC?UNICAMP, esta taxa é elevada (25%). O objetivo do trabalho foi identificar as variáveis determinantes deste perfil de mortalidade e propor estratégias de intervenção. As variáveis avaliadas foram: infra-estrutura dos serviços, avaliação da conduta médica adotada no primeiro atendimento e resultados de exames laboratoriais. Os dados analisados foram obtidos junto ao Núcleo de Vigilância Epidemiológica, complementados pelo prontuário médico e entrevista com familiares e equipe médica. No período estudado (maio/2002-maio/2003), foram admitidos apenas 7 pacientes, com faixa etária variando de 7 meses a 61 anos (mediana = 5,83 anos). Nos dois casos que evoluíram para óbito, os pacientes possuíam uma característica considerada como mau prognóstico (baixa celularidade no LCR), relacionada a uma resposta individual inadequada frente à doença meningocócica. Deve-se destacar, entretanto, que ocorreram atraso diagnóstico, despreparo da equipe médica no manejo da doença e infra-estrutura deficiente nas unidades de saúde que realizaram o primeiro atendimento, apesar do bom prognóstico. Para a proposição de estratégias de intervenção, a análise deveria incluir um maior número de casos, em um estudo mais abrangente com os demais hospitais terciários da região.

Doença meningocócica XE "Doença meningocócica"  - Letalidade XE "Letalidade"  - Intervenção XE "Intervenção"

B040

A relevância do exame físico do idoso para a assistência de enfermagem hospitalar

Juliana Coutinho de Paula (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Fernanda Aparecida Cintra (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

As alterações que acompanham o envelhecimento, associadas às doenças comumente manifestadas na velhice, demandam uma assistência de enfermagem instrumentalizada para atender as necessidades de cada paciente. O exame físico do idoso fornece dados relevantes para essa assistência, contudo observa-se que na prática de enfermagem ele é pouco realizado de forma sistematizada. O objetivo geral do estudo foi verificar a importância atribuída pelos enfermeiros ao exame físico do idoso, para a assistência de enfermagem hospitalar. Foram entrevistados 25 enfermeiros lotados nas alas de Gastroclínica e Cirurgia, Cardiologia e Pneumologia, e Enfermaria Geral de Adultos I e II, do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas, São Paulo. Os resultados mostram que a maioria dos enfermeiros entrevistados (96%) afirma realizar o exame físico dos idosos, contudo os itens avaliados não destacam as especificidades desta faixa etária. Grande parte dos sujeitos (72%) considera o exame físico importante para a assistência prestada e mostra-se motivada para efetivá-lo (88%). Concluímos que a relevância e a motivação apontadas nas entrevistas não excluem a necessidade de instrumentalizar os enfermeiros que cuidam de idosos, para o exame físico desta faixa etária, visando o aprimoramento desta prática.

Assistência de Enfermagem XE "Assistência de Enfermagem"  - Exame XE "Exame"  Físico XE "Físico"

B041

COLANGITE AGUDA EM PACIENTES COM ATRESIA DE VIAS BILIARES APÓS A CIRURGIA DE KASAI

Carolina Dutra Queiroz (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Gabriel Hessel (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A colangite é uma complicação freqüente em pacientes com atresia de vias biliares extra-hepáticas (AVBEH) submetidos à Cirurgia de Kasai. A patogênese mais provável é a contaminação ascendente por patógenos intestinais. Cada ataque constitui fator agravante da hepatopatia. Os objetivos deste trabalho foram: pesquisar características clínicas e laboratoriais nos episódios de colangite, a freqüência destes e fatores predisponentes como tipo de porta-hepatis, presença de cisto biliar e drenagem biliar. Foi um estudo retrospectivo, no qual foram analisados os prontuários de 46 pacientes com AVBEH submetidos à cirurgia. Elaborou-se um protocolo de coleta de dados com os seguintes itens: quadro clínico, exames laboratoriais (BD, FA e ?-GT) pré e durante colangite, tempo pós-Kasai dos episódios, tipo de porta-hepatis, presença ou não de cisto biliar e padrão de drenagem biliar (dividido em três tipos: A-queda de BD para valores até 70% da BD anterior e/ou até 3,2mg/dL, B- Queda da BD para valores entre 70 e 99% da anterior ou para valores acima de 3,2 mg/dL e C- nenhuma queda ou aumento da BD). Foram identificados 63 episódios sendo a freqüência maior no 1º ano (68%). Os achados clínicos mais freqüentes foram febre (90%) e icterícia (74%). Não houve diferença significativa nos exames laboratoriais pré e na colangite. Foram diagnosticados 3 cistos intra-hepáticos, porta-hepatis mais comum foi o II com 27 casos e padrão de drenagem mais comum foi o A, com 19 pacientes. A colangite foi freqüente pós-cirurgia de Kasai, principalmente no 1( ano, sendo o diagnóstico baseado no quadro clínico, não sendo identificado nenhum fator predisponente.

Colangite XE "Colangite" XE "Colangite"  ? Colestase neonatal XE "Colestase neonatal"  - Atresia biliar XE "Atresia biliar"

B042

EXISTE ASSOCIAÇÃO ENTRE AMBIGÜIDADE GENITAL (AG) E RETARDO DE CRESCIMENTO INTRA-UTERINO (RCIU)?

Francisco A. Machado Neto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Gil Guerra Júnior (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

OBJETIVO: Verificar se existe associação entre o RCIU e AG.CASUÍSTICA E METODOLOGIA: Estudo retrospectivo dos 254 casos com AG acompanhadas no GIEDDS entre 1989 e 2002, sendo selecionados os casos com informação de peso (P) e comprimento (C) ao nascimento comprovada pela família. Foi realizada análise descritiva e gráficos tipo box-plot, e aplicado o teste de Mann-Whitney. RESULTADOS: Foram selecionados 142 casos: 16 com distúrbios da diferenciação gonadal (DDG), 83 com pseudo-hermafroditismo masculino (PHM) e 43 com PH feminino (PHF). Em relação ao P, observou-se menor P nos casos de PHM em relação aos DDG e PHF, sendo esta diferença significativa entre PHM e DDG. Em relação ao C, ocorreu a mesma tendência, porém sem diferença significativa entre os grupos. Quando avaliados dentro do grupo de PHM, os casos com diagnóstico etiológico definido (PHMni) contra aqueles idiopáticos (PHMi), observou-se tendência de menor P e C ao nascimento entre os PHMi. Entretanto, na análise dos gráficos relacionando os pacientes PHM (PHMi e PHMni), PHF (idiopaticos e não) e de cariótipo 46,XX e 46,XY, verificou-se tendência de baixo peso e comprimento ao nascimento apenas entre os pacientes estudados, com clara diferença nos PHMi em relação aos não PHMnis. CONCLUSÃO: Durante a embriogênese do aparelho genital, além dos fatores genéticos já conhecidos, a nutrição intra-uterina também deve atuar, especialmente na diferenciação sexual masculina.

Retardo de crescimento intra-uterino  XE "Retardo de crescimento intra-uterino" - Ambigüidade genital XE "Ambigüidade genital"  - Pseudo-hermafroditismo masculino XE "Pseudo-hermafroditismo masculino"

B043

AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DO EXTRATO DE Chlorella vulgaris SOBRE A FORMAÇÃO E ATIVIDADE DO ESTROMA EM CONDIÇÕES DE ESTRESSE AGUDO

Júlia de Souza Queiroz (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Giselle Zenker Justo (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A proliferação e diferenciação das células hematopoéticas são eventos regulados por fatores humorais e elementos do estroma do microambiente hematopoético. A cultura líquida de longa duração de células da medula óssea (LTBMC) consiste em um modelo in vitro deste órgão para o estudo das interações entre as células hematopoéticas e as células do estroma. O extrato da alga Chlorella vulgaris (EVC) é um modificador da resposta biológica, cujos efeitos sobre a hematopoese são fundamentais para sua atividade terapêutica. Neste trabalho avaliamos a formação do estroma pelas células da medula óssea de camundongos tratados com ECV e submetidos ao estresse de contenção e frio, utilizando a LTBMC. Nossos resultados demonstraram que células da medula óssea de camundongos estressados são capazes de formar um estroma confluente, mas com reduzido potencial clonogênico e poucas áreas de hematopoese ativa. No entanto, nas LTBMCs representativas de animais tratados com EVC, estressados ou não, vários sítios de hematopoese foram observados no estroma, além da recuperação parcial da produção de progenitores mielóides. Estes achados sugerem uma ação profilática promissora para esta alga em condições de estresse.

Chlorella vulgaris XE "Chlorella vulgaris"  ? Estresse agudo XE "Estresse agudo"  ? Hematopoese XE "Hematopoese"

B044

PADRÃO DE PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS EM CONTEXTO HOSPITALAR PARA PACIENTES COM FUNÇÃO RENAL REDUZIDA

Paolla Limy Matsuura (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Gun Bergsten-Mendes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Estando a função renal reduzida, é imprescindível o ajuste do esquema terapêutico dos medicamentos eliminados pelos rins. O presente estudo avaliou a prescrição de medicamentos para pacientes hospitalizados e com disfunção renal. O CPD HC/ Unicamp selecionou os pacientes com idade 18 a 64 anos e com valor de creatinina plasmática igual ou >1,1mg/dl, e todos os pacientes > 64 anos com dosagem da creatinina plasmática. Para cada paciente foi estimado o clearance de creatinina utilizando uma fórmula empírica, sendo incluídos no estudo aqueles com valores iguais ou < 30ml/min. Foram estudados 99 pacientes, 55,5% 18-64 anos e 44,5% > 64 anos. Diagnósticos principais: neoplasias, insuficiência renal crônica, angina instável, pneumonia e choque séptico. Os medicamentos mais prescritos foram dipirona (75,3%), metoclopramida (58%), furosemida (39,1%), ranitidina (39,1%) e insulina R (24,6%), não tendo sido observado qualquer ajuste do esquema terapêutico. Levar em conta a disfunção renal torna a prescrição mais racional na medida em que diminui o risco de eventos adversos e contribui para a diminuir os gastos com medicamentos.

Medicamentos XE "Medicamentos"  - Insuficiência renal XE "Insuficiência renal"  - Prescrição XE "Prescrição"

B045

NICOTINA TRANSDÉRMICA NÃO CAUSA ALTERAÇÕES NA PRESSÃO ARTERIAL E FREQÜÊNCIA CARDÍACA EM TABAGISTAS SAUDÁVEIS

Anaísa P. Ramos (Bolsista SAE/PRG), Lílian M. Toretta, Patrícia Panunto, Sílvia Elaine Ferreira Melo e Prof. Dr. Heitor Moreno Jr. (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Introdução:A nicotina absorvida durante o ato de fumar causa liberação de catecolaminas das adrenais, gânglios e nervos simpáticos, e tecidos cromafins no coração, resultando em aumento da freqüência cardíaca (FC) e pressão sistólica (PS). Assim, o ato de fumar causa hiperatividade adrenérgica. Embora, alguns estudos demonstrem ser o uso da nicotina transdérmica seguro, desconhece-se cientificamente se a droga causa efeitos sobre a pressão arterial (PA) e a FC em tabagistas. Objetivo: Avaliar se a nicotina transdérmica (adesivo = 21mg) causa alterações cardiovasculares em tabagistas. Sujeitos e Métodos: Indivíduos saudáveis tabagistas (n=6; 18-65 anos; 4M/2H) foram admitidos no HC-UNICAMP em regime ambulatorial para realização da monitorização contínua não invasiva da PA (mmHg) e da FC (bpm) (FINAPRES 2300, Ohmeda, USA) durante 10 horas. Resultados: Os resultados obtidos estão apresentados na tabela abaixo.

CONTROLE

NICOTINA

0h

2h

4h

6h

8h

10h

0h

2h

4h

6h

8h

10h

PASist.

113±4

117±2

115±5

114±5

114±5

116±3

111±6

120±4

124±3

128±5

132±11

128±7

PADiast.

77±8

83±6

77±8

75±7

76±6

77±7

72±4

78±3

73±3

75±2

78±4

77±3

PAMédia

86±4

93±2

86±4

86±3

87±3

87±2

87±4

95±3

91±3

94±3

96±7

96±4

FC

62±3

61±2

64±2

63±2

62±2

64±2

66±2

65±1

64±1

68±2

66±3

67±2

Conclusão: A nicotina transdérmica pode ser considerada segura para a cessação do hábito de fumar. A ausência de alterações na PA e na FC à estimulação pela droga pode ser devida à regulação para baixo (?down-regulation?) dos receptores nicotínicos ocasionada pela exposição crônica ao tabaco em fumantes.

Pressão Arterial XE "Pressão Arterial"  - Tabagista XE "Tabagista"  - Nicotina XE "Nicotina"

B046

Impacto do Absenteísmo sobre o Indivíduo e sua Relação com o Trabalho: um estudo com profissionais de enfermagem de rede básica de saúde

Gilson Gehring Júnior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Heleno Rodrigues Corrêa Filho (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Há quantidade considerável de trabalhos que abordam o absenteísmo de profissionais de enfermagem no ambiente hospitalar, porém não foram encontradas referências sobre esse tema em rede básica de saúde. O objetivo foi conhecer fatores associados ao absenteísmo de profissionais de enfermagem de rede básica de saúde. A população estudada foi constituída por profissionais de enfermagem trabalhando em 16 unidades básicas de saúde do distrito norte e leste do município de Campinas. O presente estudo é do tipo caso-controle. Índices de absenteísmo foram calculados a partir de dados de freqüência e ausência referentes a 2002, que foram obtidos na Secretaria de Recursos Humanos. Um questionário foi aplicado aos profissionais que retornaram de afastamento maior que 7 dias (caso). Os controles foram constituídos por aqueles que não se afastaram por mais de 6 dias desde janeiro de 2002 até o momento da entrevista em 2003. O questionário procurou investigar quantos empregos a pessoa teve, a quantidade total de horas que trabalhou por semana, a satisfação com o trabalho e problemas de saúde. Este trabalho verifica a possível existência de diferença entre satisfação no trabalho e morbidade entre os que se afastam comparados com aqueles que não se afastam.

Absenteísmo -  XE "Absenteísmo" Licença Médica -  XE "Licença Médica" Satisfação no Trabalho XE "Satisfação no Trabalho"

B047

Estudo do conhecimento sobre amamentação adquirido por gestantes durante o pré-natal

Giselli Cristina Redígolo Villela (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Ianê Nogueira do Vale (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Trata-se de um trabalho exploratório e descritivo com a finalidade de avaliar conhecimento sobre amamentação em gestantes primigestas. A amostra é composta de 68 primigestas, entrevistadas na ocasião da consulta pré-natal no Ambulatório de Especialidades do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM/UNICAMP) e Ambulatório de Pré-natal do Hospital de Clínicas da UNICAMP. A maioria das mulheres entrevistadas é solteiras, da região de Campinas, com ensino fundamental incompleto, estudantes ou do lar e jovens (idade entre 14 e 18 anos). Cerca de 65% declarou ter recebido orientação sobre aleitamento materno durante o pré-natal. Dentre as que receberam orientação, a fonte de informações mais referida foi a enfermagem, através de palestra e cartazes. Cerca de metade das mulheres afirmaram não saber por quanto tempo pretendiam amamentar a criança e uma minoria referiu desejo de amamentar o filho por um tempo maior que um ano. Evitar doenças foi o benefício do aleitamento materno mais citado pelas gestantes.Um grupo restrito referiu mais de um benefício. Quanto ao manejo da amamentação as mulheres revelaram conhecimento deficiente. Apesar da maior parte das mulheres ter referido que receberam orientação sobre aleitamento materno no pré-natal, o conhecimento sobre os benefícios e manejo do aleitamento materno mostraram-se insuficientes.

Amamentação XE "Amamentação"  - Pré-natal XE "Pré-natal"  - Gestantes XE "Gestantes"

B048

Resposta Terapêutica com EPO e G-CSF em pacientes com Síndrome Mielodisplásica

Leila Yuki Taquecita (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Irene Lorand-Metze (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

É característica da síndrome mielodisplásica (SMD) a deficiência de fatores de crescimento.Dessa forma,um dos esquemas terapêuticos em uso visa a reposição de fatores de crescimento em altas doses,que clinicamente tem mostrado boa resposta em vários casos.Em relação ao emprego dessa forma de tratamento,constatou-se que a associação de G-CSF e EPO potencializa o efeito uma vez que a resposta é maior com a combinação do que com o uso de somente EPO ou somente G-CSF.Nosso estudo realizou a análise das características e respostas dos pacientes do Hemocentro-Unicamp.Foram tratados pacientes com SMD de baixo risco(sem excesso de blastos).O esquema terapêutico adotado foi EPO(10.000U) e G-CSF(150μg) subcutâneos,por 12 semanas.Foram incluídos no estudo 13 pacientes,sendo 6 AR e 7 ARSA.Idade mediana (ao diagnóstico): 59 anos (range 17-78).A mediana do intervalo de tempo entre diagnóstico e tratamento foi de 19 meses (range 1-60).Dos 13 pacientes,5 não responderam pra nenhuma das séries hemopoiéticas,2 responderam para 2 séries (eritrócitos e neutrófilos) e 5 responderam somente para uma das séries.Os respondedores se diferenciaram dos não respondedores principalmente em relação à precocidade do tratamento.Portanto, nos nossos pacientes o tratamento com a combinação estudada foi bom, mas necessita ser contínuo.

EPO XE "EPO"  - G-CSF XE "G-CSF"  - SMD XE "SMD"

B049

Refinamento da região candidata no cromossomo 3 em famílias com Epilepsia do Lobo Temporal Mesial (ELTMF)

Rafael B. Marchesini (Bolsista FAPESP), Neide F. Santos, Cláudia V. Maurer-Morelli, Rodrigo Secolin, Eliane Kobayashi, Prof. Dr. Fernando Cendes e Profa. Dra. Iscia Lopes-Cendes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A epilepsia do lobo temporal (ELT) é a forma mais comum em adultos, responsável por 40% dos casos. Recentemente, foi identificado no HC-UNICAMP um tipo distinto de ELT: a mesial familiar, cujo heredograma sugere uma herança autossômica dominante com penetrância incompleta. Duas famílias foram selecionadas (10 e 26) através de simulação de lod-scores (Z). DNA genômico foi extraído à partir de amostras de sangue. Resultados preliminares apontam para uma região candidata telomérica no cromossomo 3, cujo Zmáx = 1,91. O objetivo foi refinar essa região para o gene responsável pela ELTMF por estudos de ligação. 4 marcadores foram selecionados: D3S1270, D3S1297, D3S3525 e D3S3630. As genotipagens foram realizadas por PCR e submetidas à eletroforese em gel desnaturante de poliacrilamida 6%. A análise de lod-score apresentou valores não significativos para a família 10. Já para a 26 obteve-se Zmáx=2.08 a ?=0.10 centromericamente ao marcador D3S3525. Esses resultados sugerem a exclusão da região telomérica ao marcador D3S3525 para a família 26 e indicam que o locus procurado pode estar localizado em 3p25.3. Estudos adicionais são necessários para completar a investigação desse locus.

Genética  XE "Genética" - Epilepsia  XE "Epilepsia" - Linkage XE "Linkage"

B050

Uma nova mutação para Epilepsia do Lobo Temporal Familial com Sintomas Auditivos (eltfsa)

Rodrigo Secolin (Bolsista FAPESP), Neide F. Santos, Eliane Kobayashi, Fábio R. Torres, Luis A. C. Sardinha, Prof. Dr. Fernando Cendes e Profa. Dra. Iscia Lopes?Cendes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A epilepsia é caracterizada por crises decorrentes de descarga neuronal anormal do cérebro, com prevalência de 1 a 1,5%. Foi mapeado um locus 10q para ELTFSA, sendo encontradas 8 mutações no gene LGI1. O objetivo foi investigar ligação genética no cromossomo (cr) 10q e mutações no gene LGI1 em uma família brasileira segregando ELTFSA, identificada no HC-UNICAMP. Para análise de ligação, o DNA foi extraído de sangue periférico de 30 indivíduos, sendo genotipados para 12 marcadores microssatélites flanqueando o gene LGI1. Os dados foram analisados por lod scores (Z) de dois-pontos e multipontos, utilizando o aplicativo LINKAGE. Para análise de mutações, a região codificante do gene, incluindo sítios de splicing, foi amplificada por PCR e seqüenciada utilizando o MegaBACE 1000(. Observou-se Zmax=6.35 a (=0.00 para o marcador D10S185. Nenhuma das mutações descritas na literatura foi encontrada; entretanto, foi identificada uma nova mutação VIIIS7(-2)A-G em todos os afetados. Observamos que esta mutação altera o sítio de splicing, sugerindo perda do exon 8 do gene e produzindo uma proteína truncada. Estes resultados são de grande importância nos estudos do gene LGI1 para ELTFSA.

Genética XE "Genética"  - Epilepsia XE "Epilepsia"  - Linkage XE "Linkage"

B051

ANÁLISE ESTRUTURAL DA PROTEÍNA ATAXINA 7 NORMAL

Vanessa Cappovila (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Iscia Lopes Cendes (Orientador) Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A Ataxina 7 normal (ATX 7) é uma proteína de função ainda desconhecida, que possui um trato de 4 a 35 trinucleotídeos (CAGn). Mutações no gene codificante da ATX 7 provoca a doença neurodegenerativa Ataxia Espinocerebelar tipo 7 (SCA 7), causada por expansões do trato CAG de poliglutamina (poliGln), que chegam a atingir de 37 a 306 repetições e cujos principais aspectos clínicos são as ataxias cerebelares e a degeneração retiniana. O objetivo deste projeto é produzir informações sobre a estrutura tridimensional da ATX 7 normal, para desta forma, tornar possível futuros estudos de sua função. O gene da ATX 7 normal foi obtido por RT-PCR com primers específicos e clonado em vetores TOPO. A seqüência foi inserida em vetor de expressão pET28a e este transformado em células competentes de BL21(DE3). A indução da expressão da proteína está sendo realizada por IPTG. O cDNA ATX 7 normal apresenta cerca 2.7 Kb, o que corresponde à uma proteína de 892 resíduos e 95 KDa. No presente momento, os experimentos encontram-se em fase de testes de expressão da proteína, para verificação de sua solubilidade e melhor tempo de indução. Assim que esta for obtida em quantidade na fase solúvel, será purificada por cromatografia líquida em coluna e analisada por difração de raio-X a baixo ângulo e cristalografia de macromoléculas.

Poliglutamina XE "Poliglutamina"  - SCA7 XE "SCA7"  - Triplice CAG XE "Triplice CAG."

B052

ANÁLISE DE LIGAÇÃO E ASSOCIAÇÃO DE UM LOCUS CANDIDATO NO CROMOSSOMO 6p21 EM PACIENTES COM EPILEPSIA MIOCLÔNICA JUVENIL (EMJ)

Vinícius D.B. Pascoal (Bolsista FAPESP), Patrícia A. O. Ribeiro, Luiz G. G. Betting, Neide F. Santos, Rodrigo Secolin, Prof. Dr. Fernando Cendes e Profa. Dra. Iscia Lopes-Cendes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Até o momento, já foram mapeados quatro loci (6p21, 6p12-p11, 6q24, 15q14) para a EMJ, dos quais o mais estudado é o 6p21, havendo grande discordância dos resultados nessa região nos diferentes grupos estudados. Por esse motivo nos propomos a estudar por análise de ligação e associação a relação do loci 6p21 com a EMJ em indivíduos brasileiros. Para o estudo de ligação foram genotipadas 6 famílias e para o estudo de associação 44 indivíduos afetados por EMJ e 54 indivíduos controles. Foram genotipados 3 marcadores para ambos os estudos. Para ligação utilizou-se as análises two point e multpoint do aplicativo LINKAGE e para associação calculou-se os testes Qui-quadrado e exato de Fisher. As análises two point e multpoint dos marcadores resultou em lod scores negativos (multpoint: ( = 0, D6S276 Z=-7,22; D6S265, Z=-4,16; D6S291 Z=-1,23), excluindo ligação da região estudada. Entre os grupos de afetados e controles, a análise de associação encontrou diferença nas freqüências de um único alelo para D6S291(p = 0,04). Embora o estudo de ligação excluir a presença de um gene mutante maior na região 6p21, os estudos de associação indicam que pode haver genes com efeitos menores conferindo proteção a EMJ.

Epilepsia XE "Epilepsia"  - Genética XE "Genética"  - LINKAGE XE "LINKAGE"

B053

ACIDENTES DE TRÂNSITO: EXPERIÊNCIA VIVENCIADA PELAS VÍTIMAS

Camila F.H. Lourençon (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Izilda E. M. Araujo(Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Os Acidentes de Trânsito (AT) constituem uma importante causa de morbimortalidade nas principais cidades brasileiras. Considerando que as vítimas de AT podem apresentar seqüelas de ordens física e psicológica e que poderão influenciar a sua qualidade de vida, o presente estudo teve como objetivos: identificar as causas que influenciaram os AT e o tipo de atendimento inicial recebido; verificar e analisar as percepções e os sentimentos que estas vítimas sentiram no momento do acidente e durante a internação e identificar, sob a ótica delas, as conseqüências futuras do acidente em suas vidas. Para a coleta de dados foram realizadas entrevistas seguindo um instrumento elaborado previamente, além da observação da entrevistadora e consulta ao prontuário médico. Foram entrevistados 49 pacientes, internados em um hospital universitário. Observou-se que a causa do acidente mais citada foi a imprudência alheia e o tipo de atendimento inicial mais freqüente foi o uso de colar cervical e a imobilização. O sentimento mais relatado no momento do acidente foi ansiedade (medo) e durante a internação, a esperança (fé). No que se refere às conseqüências futuras 47% relataram que encontrarão dificuldades e impossibilidades. Conclui-se que há necessidade de ações educativas e conscientizadoras tanto para a otimização da assistência quanto para a prevenção destas ocorrências, uma vez que, as alterações na vida das vítimas são bruscas e podem acarretar grandes transtornos.

Acidentes de trânsito XE "Acidentes de trânsito"  ? Sentimentos XE "Sentimentos"  - Enfermagem XE "Enfermagem"

B054

FERIMENTOS POR ARMAS DE FOGO E ARMAS BRANCAS: EXPERIÊNCIA VIVENCIADA PELAS VÍTIMAS

Michele F. Neves (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra.Izilda E.M. Araújo (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Os ferimentos por armas de fogo (FAF) e armas brancas (FAB), bem como suas conseqüências, têm grande impacto na morbimortalidade da população, sendo problema de saúde pública. Os objetivos do estudo foram identificar as causas destes acidentes e o tipo de atendimento inicial recebido; verificar e analisar percepções e sentimentos das vítimas no momento do acidente e durante a internação, e identificar, sob a ótica destas, as conseqüências futuras do acidente. Os dados foram obtidos através de entrevista com as vítimas, observação e consulta ao prontuário. Foram entrevistados 33 indivíduos internados em um hospital universitário. Constatou-se que 27, 27% não sabem a causa do acidente e, dentre os que sabem, predominaram assaltos e brigas. A maioria das vítimas (62,5%) referiu não ter recebido atendimento pré-hospitalar. O sentimento predominante no momento do acidente foi o medo e, na internação, a calma. Quanto às conseqüências futuras, a maioria relatou que nada mudará em suas vidas. Porém, há comportamentos controversos e a visão que o indivíduo tem do mundo mudou repentinamente. Seqüelas físicas e emocionais à vítima e a seus familiares são comuns. Os profissionais de saúde necessitam atuar na assistência à vítima de violência, seja na prevenção, no atendimento pré-hospitalar e hospitalar.

Ferimentos por armas de fogo XE "Ferimentos por armas de fogo"  - Ferimentos por armas brancas XE "Ferimentos por armas brancas"  - Sentimentos XE "Sentimentos"

B055

EXCREÇAO URINARIA DE SODIO APÓS MICROINJEÇAO INTRACEREBROVENTRICULAR DE HIDROCLORTIAZIDA

Renata Bednar Reigota (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Antonio Rocha Gontijo (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A Hidroclortiazida (HCTZ) e um diurético de ação, predominante, sobre os segmentos proximais do túbulo contornados distal dos nefrons, inibindo a reabsorção ativa de sódio e cloreto. Este mecanismo e, portanto, o responsável pelo aumento do volume urinário depletado ? o que justifica o uso deste medicamento nos casos de hipervolemia e hipertensão arterial. Os efeitos sobre o SNC deste diurético e desconhecida. Foi estudada a ação do diurético sobre a dinâmica circulatória e a homeostase da pressão arterial através de microinjeçoes diretas de HCTZ nos ventrículos laterais cerebrais de ratos com 250 a 300 gramas de peso, por meio de cânulas posicionadas estereotaxicamente. Como resultados principais, mas ainda preliminares, foram observados uma elevada excreção urinaria de sódio (evidenciada pelo clearance de lítio), acompanhada por uma intensa espoliação urinaria de potássio nos grupos experimentais ? ou seja, o diurético manteve sua ação natriuretica habitual, mesmo tendo sua aplicação sida feita no sistema nervosa central, sugerindo uma ação natriuretica indireta desta droga.

Hidroclortiazida XE "Hidroclortiazida"  ? Natriurese XE "Natriurese"  ? Clearance de Lítio XE "Clearance de Lítio"

B056

AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS FUNCIONAIS DA AÇÃO DA ANGIOTENSINA II SOBRE RECEPTORES AT1 EM SEGMENTOS ISOLADOS DO TÚBULO PROXIMAL DE COELHO CONSERVADOS POR PERÍODO DE TEMPO

Ana Carolina Figueiredo de Castro (Bolsista PIBIC/CNPq ) e Prof. Dr. José Francisco Figueiredo (Orientador ), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Objetivos: Diversos trabalhos têm demonstrado que Angiotensina II (AII) tem um papel importante na absorção de fluido (Jv) no túbulo contornado proximal (TCP). Considerando que durante este processo existe alteração morfo - funcional do órgão conservado dependente do tempo, resolvemos estudar o comportamento funcional de segmentos proximais, quando submetidos à conservação. Método: TCPs (P1 e P2) de coelhos foram perfundidos pela técnica da microperfusão de túbulo isolado ?in vitro?, após controle (KHA), foram submetidos à conservação por 1 e 24hs na solução de Euro-Collins (ECO) 8ºC, e estimulados por AII na concentração de 10-12 M, e em outro grupo, tratados com o inibidor Dup 753 (Losartan® 10-6), um bloqueador de AT1. Como parâmetro funcional foi medido o fluxo de fluido de Na e H2O (Jv) utilizando a inulina 14C. Resultados: Jv=nl.min-1.mm-1

Controle

Angiotensina II

Losartan®

Controle técnico (KHA)

1,31±0,1 N=6

2,54±0,3 N=7

0,43±0,2 N=4

Conservado ECO 1hora

1,00±0,1 N=7

2,03±0,2 N=6

0,55±0,1 N=6

Conservado ECO 24horas

-0,70±0,1 N=8

-2,07±0,8 N=4

-0,65±0,2 N=7

À fresco, 1hora e 24horas Cont x AII e cont x Losartan e AII x Losartan p<0,05

Conclusão: Baseado nos dados experimentais, podemos concluir, que existe um aumento significante do Jv sob ação da AII e inibição pelo Dup753 (p<0,05), no TCP e que, quando submetidos à conservação com solução eletrolítica a frio, apresentam lesão celular importante, apenas durante o período de 24horas.

PCT XE "PCT"  - AT1 XE "AT1"  - Conservação XE "Conservação"

B057

ESTUDO DO COMPORTAMENTO DE CÉLULAS MACROFÁGICAS, NO PROCESSO FAGOCÍTICO, EM DIVERSAS CONDIÇÕES FARMACOLÓGICAS

Fernanda Canova Denardi (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. José Francisco Figueiredo (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

OBJETIVOS: O sistema monócito fagocitário desempenha papel importante em um grande número de patologias. Existem trabalhos demonstrando que o papel estímulo-inibição altera a evolução de doenças via alterações imunológicas. Assim, procuramos determinar a curva dose-resposta de Angiotensina II (AII), do aminoácido L-arginina e de endotelina (1 e 3 horas), sobre a atividade fagocitária de macrófagos peritoneais de camundongos Balb/C em cultura. MÉTODOS: As células foram obtidas da cavidade peritoneal e o homogenato foi diluído para 2x105 céls/ml e mantido em estufa de CO2 a 37°C por 48 horas. A cultura foi incubada em meio nutritivo RPMI 1640 + Soro Fetal Bovino (controle) e em diferentes doses de AII, L-arginina e endotelina. A atividade fagocitária foi verificada através do índice fagocitário (IF), utilizando partículas de zymosan. RESULTADOS: A AII aumentou o IF, já a L-arginina e a endotelina diminuiram o IF. CONCLUSÃO: Pudemos observar que houve estímulo para a fagocitose após incubação com AII, comprovando a existência de receptores para AII (dados do laboratório) e que houve bloqueio após L-arginina, o que pode significar que houve produção de óxido nitroso via arginina, e também após endotelina, principalmente em 1 hora, ocorrendo inibição significativa da fagocitose (p<0,001).

Macrófagos XE "Macrófagos"  - Drogas XE "Drogas"  - Fagocitose

B058

Associação entre Intervalo Interpartal e Situações Maternas e Perinatais Adversas

Eloisa Pedroso Barros Corrêa-Silva (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. José Guilherme Cecatti (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O conhecimento da associação entre o intervalo interpartal e situações maternas e perinatais adversas é fundamental para o aconselhamento pós-parto. O estudo proposto embasará o conhecimento do problema e a justificativa para recomendar às mulheres espaçarem suas gestações a fim de evitar os potenciais efeitos adversos de intervalos interpartais curtos e/ou longos. Objetivo:Trata-se de um estudo de coorte retrospectivo com o objetivo de avaliar a associação entre diferentes tempos de intervalo interpartal com situações maternas e perinatais adversas. Metodologia: Foram selecionadas 15314 gestantes não primíparas atendidas pela Obstetrícia da FCM/UNICAMP, com parto no período entre 1980 e 2000 que resultaram em recém-nascidos únicos. Resultados: intervalos interpartais curtos estiveram associados a menor idade materna, menor grau de escolaridade, menor número de consultas pré-natal, ausência de filhos vivos, mulheres em união não estável, além de menor incidência de síndromes hipertensivas. Quanto ao recém-nascido, os intervalos curtos também se associaram a uma diminuição do peso ao nascimento, maior índice de baixo peso, maior índice de prematuridade, de Apgar baixo de 5o. minuto e maior morbidade e mortalidade neonatal. Conclusões: esse estudo, com grande casuística, confirmou as condições sócio-demográficas maternas desfavoráveis associadas ao intervalo interpartal curto (menor que um ano), bem como os piores resultados perinatais.

Intervalo Interpartal XE "Intervalo Interpartal"  - Saúde materna XE "Situação materna"  - Saúde perinatal XE "Situação perinatal"

B059

Detecção de fatores de risco para hipertensão arterial e níveis pressóricos de adolescentes trabalhadores

Carla Spinella (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. José Luiz Tatagiba Lamas (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Os objetivos desta pesquisa foram detectar fatores de risco para hipertensão arterial (HA) em adolescentes e determinar seus níveis pressóricos. Após treinamento na técnica correta para aferir a pressão arterial e obtenção da anuência dos sujeitos, seus responsáveis legais e seus chefes, a pesquisadora entrevistou 193 adolescentes (58 mulheres) de 16 a 18 anos que trabalham na UNICAMP e obteve duas medidas de pressão arterial com o manguito de largura correta [MLC ? 40% da circunferência do braço (CB)] e uma com o manguito de largura padrão (MLP ? 12 cm). Os valores foram classificados de acordo com as IV Diretrizes Brasileiras de HA. 79 adolescentes são brancos, 52 negros e 62 pardos. O peso médio foi 61,3Kg e a estatura 1,7m. A média da CB foi 25,8cm (mulheres) e 26,1cm (homens). O MLC mais utilizado foi o de 9cm (68,9%), seguido pelos de 12cm (20,7%), 8cm (8,8%) e 15cm (1,6%). Os fatores de risco mais prevalentes foram irritação (62,2%), sedentarismo (61,1%) e consumo de cafeína (58,5%). As médias de pressão foram 105,2/60,9 (MLC) e 101,0/57,9 (MLP). Com o MLC encontramos três hipertensos e cinco limítrofes e com o MLP um hipertenso e três limítrofes. Concluímos que já são detectáveis fatores de risco para hipertensão arterial nesta população, bem como níveis pressóricos começando a se elevar.

Hipertensão XE "Hipertensão"  - Fatores de risco XE "Fatores de risco"  - Adolescente XE "Adolescente"

B060

CORREÇÃO DE VALORES DE PRESSÃO ARTERIAL OBTIDOS COM MANGUITO DE LARGURA PADRÃO: COMPARAÇÃO A VALORES OBTIDOS COM MANGUITO CORRETO

Mayra Reis Pedroso (Bolsista FAPESP), Anita Moda Salvadori e Prof. Dr. José Luiz Tatagiba Lamas (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Não considerar a circunferência do braço na medida da pressão arterial pode sub ou superestimar seu real valor. Neste trabalho, a partir de 301 medidas de pressão de universitários (18 a 25 anos, 177 mulheres) usando manguitos de largura padrão (MLP ? 12 cm) e correta [MLC ? 40% da circunferência do braço (CB)], procuramos avaliar a confiabilidade de duas tabelas de correção encontradas na literatura. Os valores obtidos com MLP foram corrigidos e comparados aos obtidos com MLC, por meio de análise de correlação. A média de CB foi 29,13cm (homens) e 25,19cm (mulheres). A média das pressões arteriais foram 111,68/70,38 (MLC), 104,17/65,75 (MLP), 108,24/68,18 (corrigida 1) e 106,51/58,30 (corrigida 2). A análise de correlação para os manguitos de 15 cm, em ambos os sexos, e para o de 8 cm em homens não foi conclusiva devido ao reduzido número de ocorrências; para os manguitos de 12 cm, em ambos os sexos, a correlação foi sempre superior a 0,89, exceto por uma comparação de pressão diastólica (r = 0,81). A correlação entre a pressão obtida com MLC e os valores corrigidos foi sistematicamente menor. Concluimos que não há necessidade de correção dos valores obtidos com MLP. Quanto ao MLC, sugerimos o aumento da amostra para possibilitar análises conclusivas, especialmente com os manguitos de 8 e 15 cm.

Pressão Arterial -  XE "Pressão Arterial" Hipertensão -  XE "Hipertensão" Determinação da Pressão Arterial XE "Determinação da Pressão Arterial"

B061

A HERANÇA DO GENÓTIPO NULO PARA GSTM1 AUMENTA O RISCO DE CÂNCER DE OVÁRIO

André Bacellar Costa Lima (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Laura Sterian Ward (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O câncer de ovário é uma neoplasia altamente letal devido ao seu diagnóstico ser geralmente tardio. Os genes da família do Sistema Glutationa S-transferase (GST) codificam enzimas que detoxificam agentes carcinógenos, protegendo o organismo. Os genes GSTM1 e GSTT1 possuem herança polimórfica e existem evidências experimentais que os genótipos nulos GSTM1 e GSTT1, por não produzirem as enzimas correspondentes, aumentam o risco de diversos tipos de câncer. Analisamos a influência dos genes GSTM1, GSTT1 na predisposição a câncer de ovário. DNA foi extraído a partir de sangue periférico de 66 pacientes portadoras de tumores ovarianos, 56 malignos e 10 benignos, que comparamos com 74 indivíduos saudáveis utilizados como controle. Usamos uma PCR multiplex incluindo o gene ß-globina como controle para estudar os genes GSTM1 e GSTT1. Não houve diferença estatística quando comparamos os tumores malignos e a prevalência do gene GSTT1 com indivíduos saudáveis. Entretanto quando comparamos os tumores malignos e a prevalência do genótipo nulo GSTM1, encontramos uma freqüência muito maior (48.2%) do que na população controle (23%) (p<0.0024). O genótipo nulo para GSTM1 aumenta o risco de câncer de ovário em 3.2 vezes (OR; 95% CI 1.469-6.9334). Esses dados indicam que o genótipo nulo GSTM1 está associado ao aumento no risco de câncer de ovário.

Câncer XE "Câncer"  ? Ovário XE "Ovário"  - GST XE "GST"

B062

Implementação Curso de Extensão Universitária à Distância Para Atualização em Clínica Médica

Israel Leonardo Ferreira Lima (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Laura Sterian Ward (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Um dos problemas do profissional da saúde é o acesso à informação. O curso de Extensão ? Atualização em Clínica Médica? vem sendo oferecido desde 1999, tendo contado com 67 alunos em 1999. Seu objetivo é atualizar conceitos fundamentais para a prática médica de assuntos gerais de interesse para o clínico geral ou especialista. Considerando-se a enorme carga de comunicações novas e a disponibilidade restrita de tempo, este curso tem por finalidade permitir a reciclagem de indivíduos que estejam praticando a medicina ou profissões afim que necessitam de atualização. Propomos a criação do Curso de Educação Continuada a Distância em Tópicos de Clínica Médica, promovido pelo Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), através da Escola de Extensão, e com o apoio da Sociedade Brasileira de Clínica Médica. O curso está sendo oferecido a partir de março de 2003. No entanto, estamos disponibilizando este acesso (gratuito inicialmente para os alunos do curso presencial), com o intuito de demonstração e experiência para que possa se cadastrar e conheça melhor o formato e funcionamento do curso através do seu site e ajudar a avaliar e analisar o custo-benefício e a necessidade do ensino à distância na formação do aluno e profissional. A avaliação será feita por questionário voluntário ( a ser respondido via on-line ou através de envio de questões). Enfim concluímos que o oferecimento de cursos á distância é uma necessidade para a informação adequada de profissionais de saúde, promovendo um ensino inovador e de qualidade, fato indicado pela aprovação da imensa maioria dos 127 inscritos do curso presencial de 2002 e que declaram interesse em participar do curso on-line.

Extensão - XE "Extensão"  Ensino - XE "Ensino"  Distância  XE "Distância"

B063

MUTAÇÃO PRO115GLN DO GENE DO PPAR(2 E resistência insulínica

Juliana Nogueira Castro de Barros (Bolsista PIBIC/CNPq), Marcia R. Messaggi Dias e Profa. Dra. Laura Sterian Ward (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O projeto tem como objeto de estudo a mutação Pro115Gln do gene PPAR( (Receptor Gama Ativado Proliferador Peroxissomo) que é um fator implicado na diferenciação dos adipócitos e no metabolismo de lipídeos e glicose. Alguns estudos sugerem que essa mutação possa contribuir em parte para resistência insulínica, desenvolvimento de DM2 e apresentar uma associação com obesidade. A fim de correlacionar tal mutação com a resistência à insulina e a obesidade, comparamos DNA extraído de sangue periférico de 38 indivíduos magros normais (IMC 21,5 ( 2 Kg/m2, 13 M/25 F, 24,6 ( 5,5 anos) com 36 indivíduos obesos sem outras doenças (IMC 39,9 ( 12 Kg/m2, 9 M/27 F, 36 ( 10,3 anos). A digestão enzimática do produto de PCR, encontrou 4 indivíduos com a mutação sendo todos heterozigotos. Dos 4 indivíduos com a mutação, apenas 1 apresentava resistência insulínica, como definido pelo HOMA R P>90, enquanto os outros 3 não apresentavam tal característica ( F; p =0.29). Não houve diferença entre os grupos com ou sem a mutação considerando a avaliação antropométrica, bioquímica e a calorimetria. Esses dados preliminares sugerem que a mutação estudada não possui relação com a resistência insulínica em nossa população.

Gene PPAR( XE "Gene PPAR("  - Resistência Insulínica XE "Resistência Insulínica"  - Obesidade XE "Obesidade"

B064

Tempo decorrido entre o nascimento e o início de tratamento nas crianças com hipotireodismo congênito acompanhadas nos ambulatórios de pediatria do HC - UNICAMP

Ana Raquel Gouvêa de Oliveira (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Lilia de Souza Li (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A glândula tireóide é responsável pela secreção de dois hormônios, a triiodotironina (T3) e a tiroxina (T4). Estes são essenciais ao desenvolvimento e metabolismo normal humano, sendo de fundamental importância para o processo de maturação cerebral, principalmente na primeira infância. No hipotireoidismo congênito, a glândula tireóide da criança não consegue produzir adequadamente seus hormônios. Apesar das diferentes etiologias: agenesia da glândula, tireóide ectópica, defeitos de síntese dos hormônios tireoidianos e hipoplasia da tireóide, o tratamento é a reposição hormonal. Laboratorialmente, a criança apresenta concentrações séricas altas de TSH e baixas de T4L. Devido à sua extrema importância, a triagem neonatal (TNN), para a sua imediata detecção, é feito através do exame do pezinho. O objetivo deste trabalho é identificar o tempo de início de tratamento nas crianças acompanhadas nos ambulatórios de pediatria do HC ? UNICAMP e quantas realizaram TNN. Dos 58 pacientes já analisados, 27% não realizaram TNN. A idade no início do tratamento variou entre 20 dias e 1 ano, mediana 58. O índice de pacientes que não realizam triagem neonatal parece ser bastante alto e o tempo de início de tratamento ainda está acima do desejável. Como consequencias muitas dessas crianças apresentam sequela, que poderiam ser evitadas, no desenvolvimento referentes à falta de hormonios tireodianos.

Hipotireoidismo Congênito XE "Hipotireoidismo Congênito"  ? Tratamento XE "Tratamento"  - Triagem Neonatal XE "Triagem Neonatal"

B065

Frequência de falência ovariana precoce em mulheres com Lúpus Eritematoso Sistêmico tratadas com ciclofosfamida e possíveis fatores de risco relacionados

Paula Fraiman Blatyta (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lilian Tereza Lavras Costallat (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP)

A ciclofosfamida é um dos medicamentos escolhidos para a terapêutica do Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), especialmente quando a manifestação é renal ou do sistema nervoso central, e pode ser utilizada pelas vias oral ou endovenosa, em pulsos. Esta droga causa vários efeitos colaterais, dentre eles a falência ovariana precoce (FOP), decorrente da lise de óvulos por alteração do DNA celular. Este projeto determina a frequência deste efeito colateral em grupo de pacientes atendidas no ambulatório de Reumatologia do HC-Unicamp, e possíveis fatores relacionados ao seu desenvolvimento. Cinqüenta e oito mulheres diagnosticadas com LES, com idades entre 18 e 40 anos, usando métodos anticoncepcionais apenas de barreira ou laqueadura, sem doenças crônicas, cirurgias ou radioterapia pélvicas (dentre outros fatores de inclusão) foram avaliadas quanto ao uso de ciclofosfamida e a ocorrência de alteração da função ovariana, através de questões sobre ciclo menstrual e períodos de amenorréia. Pacientes com amenorréia superior a 12 meses seriam submetidas a dosagem laboratorial de FSH, LH e prolactina séricas, caracterizando FOP conforme os valores obtidos. Nenhuma das pacientes avaliadas apresentou perda definitiva da função ovariana, entretanto seis pacientes (10,3%) referiram períodos de amenorréia transitórios. Os fatores que influenciaram estes resultados (idade da paciente, tempo de uso da droga e dose acumulada) foram estudados, comparando-se a população que usou ciclofosfamida com aquela que apresentava somente a doença de base (LES). Para a análise foram utilizados o teste T de Student, Quiquadrado e regressão logística.

Lúpus Eritematoso Sistêmico XE "Lúpus Eritematoso Sistêmico"  - Ciclofosfamida XE "Ciclofosfamida"  - Falência Ovariana Precoce XE "Falência Ovariana Precoce"

B066

AVALIAÇÃO DA HIDRONEFROSE E DAS ALTERAÇÕES DO LÍQUIDO AMNIÓTICO NO MODELO EXPERIMENTAL INDUZIDO PELA DOXORRUBICINA EM FETOS DE RATAS

Anderson Gonçalves (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lourenço Sbragia Neto (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O modelo experimental utilizando doxorrubicina promove várias alterações morfológicas no feto, especialmente a atresia de esôfago e as alterações gênito-urinárias, sendo a hidronefrose a anomalia urinária mais comum. No presente estudo, procurou-se identificar a incidência e as alterações microscópicas da hidronefrose fetal e sua correlação com o volume do líquido amniótico (LA). Para tanto, ratas Spreague-Dawley grávidas receberam doxorrubicina 2,2 mg/kg intra-peritoneal nos dias 8 e 9 da gestação (termo = 22 dias) e seus fetos (Grupo Dox) foram comparados com fetos controles (Grupo Controle), cujas mães receberam solução salina 0,9%. No dia 20,5 da gestação as ratas foram submetidas à cesárea, o saco amniótico foi retirado e o volume do LA foi mensurado. A seguir os fetos foram coletados, sacrificados e examinados quanto às alterações macro e microscópicas dos rins e ureteres. A hidronefrose ocorreu em 70 dos 74 fetos do Grupo Dox (95%) e nos 21 fetos do Grupo Controle ela não ocorreu. O LA estava aumentado no Grupo Dox em relação ao Grupo Controle (p<0,001). Esses resultados sugerem que a causa da hidronefrose tem um componente obstrutivo, levando à dilatação do ureter e da pelve renal, mas permitindo o fluxo urinário, uma vez que existe aumento do LA.

Hidronefrose XE "Hidronefrose"  - Doxorrubicina XE "Doxorrubicina"  - Líquido amniótico XE "Líquido amniótico"

B067

AVALIAÇÃO MACROSCÓPICA E HISTOLÓGICA DE FÍGADOS DE FETOS DE RATAS SPREAGUE-DOWLEY SUBMETIDOS A GASTROSQUISE EXPERIMENTAL INTRA-ÚTERO

Bárbara Fonseca Nogueira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lourenço Sbragia Neto (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Gastrosquise é definida como a herniação das alças intestinais na parte lateral direita do umbigo devido ao não fechamento da parede abdominal. Como consequência as alças intestinais entram em contato com o líquido amniótico durante a vida intra-uterina e o neonato nasce com as vísceras abdominais expostas. A incidência de gastrosquise é de 1 a cada 5000 nascidos vivos e apesar da baixa mortalidade (10%), os portadores de gastrosquise possuem alta morbidade (45%). Uma vez que, a presença de reação inflamatória, macro e microscópica no intestino delgado vem sendo descrita na gastrosquise clínica e experimental, interessa saber se há extensão dessa reação inflamatória para o fígado, com intuito de buscar fatores prognósticos que diminuam a morbidade. Para tanto, utilizando o modelo experimental de gastrosquise em fetos de ratas Spreague-Dowley com idade gestacional de 20 dias, foram estudados parâmetros macroscópicos e histológicos hepáticos. Os resultados indicam que ocorre uma diminuição do peso corporal e do comprimento intestinal assim como aumento do peso intestinal, mas sem causar aumento do peso hepático. Os achados histológicas não evidenciaram processo inflamatório hepático (HE e reticulina). Concluimos que o fígado na gastrosquise experimental não possui alteração no peso e na histologia que possam trazer informações quanto ao prognóstico do defeito.

Gastrosquise experimental XE "Gastrosquise experimental"  - Cirurgia fetal XE "Cirurgia fetal"  - Fígado XE "Fígado"

B068

Expressão das proteínas p53, c-erbB-2 e bcl-2 como biomarcador de risco da progressão do carcinoma ductal in situ da mama

Anna Leticia de Oliveira Cestari (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luis Carlos Zeferino (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Este estudo teve como objetivo verificar se as proteínas p53, c-erbB-2 e bcl-2, pesquisadas através da imunoistoquímica, podem ser biomarcadores de risco da transformação do carcinoma ductal in situ (CDIS) em carcinoma invasivo da mama. Foram incluídas 56 mulheres que apresentaram na mesma mama carcinoma in situ associado com carcinoma invasivo e 53 mulheres que apresentavam apenas CDIS. A prevalência da expressão da proteína p53 foi de 9% e 17%, respectivamente, no CDIS com e sem associação com o carcinoma invasivo e esta diferença não foi estatisticamente significativa. A prevalência da expressão da proteína c-erbB-2 foi de 46% e 68%, respectivamente, para o CDIS com e sem associação com o carcinoma invasivo e a diferença observada foi estatisticamente significativa (OR=0,41; IC95%=0,19-0,89). A prevalência da expressão da proteína bcl-2 foi de 69% e 47%, respectivamente, no CDIS com e sem associação com o carcinoma invasivo e a diferença foi estatisticamente significativa (OR= 2,57; IC95%= 1,17-5,63). Estes resultados permitiram inferir que o CDIS associado ao carcinoma invasivo apresenta expressão maior da proteína bcl-2 e menor da proteína c-erb-B2 em relação ao CDIS sem carcinoma invasivo, o que subsidia a realização de estudos mais ajustados para testar sua utilidade como marcador da transformação do CDIS em carcinoma invasivo.

Câncer mama XE "Câncer mama"  - Genes -  XE "Genes" Imunoistoquímica XE "Imunoistoquímica"

B069

DISTRIBUIÇÃO DOS PACIENTES COM HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA DE ACORDO COM A NOVA PROPOSTA DE CLASSIFICAÇÃO DE INSUFICIÊNCIA CARDÍACA.

Paula de Moura Piovesana (Bolsista FAPESP), Profa. Dra. Maria Cecília Bueno Jayme Gallani (Orientadora), Profa. Dra. Roberta Cunha Rodrigues Colombo (Co-Orientadora) e Prof. Dr. Kleber Gomes Franchini (Co-Autor), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Este estudo descritivo em andamento tem como objetivo classificar os pacientes hipertensos, de um Centro de Saúde de acordo com a proposição da ACC/AHA(2001).Foram arrolados. Os dados obtidos junto a 55 pacientes (idade média=62,2 (12,8 anos) através de entrevista semi-estruturada, exame físico, eletrocardiograma - ECG e registro de dados disponíveis, permitiram classificar, 24 dos 55 sujeitos:- Estágio A: 41,6% ; Estágio B (pacientes sem sintomas de IC, mas com hipertrofia ventricular esquerda - HVE): 29,2% - Estágio C: 29,2% - Estágio D: nenhum paciente. Embora as características clínicas dos sujeitos com e sem HVE tenham sido semelhantes, em geral, houve maior prevalência do uso de medicamentos naqueles com HVE (IECA: 83,3% x 50,0%; diurético: 100,0% x 90,0%; beta-bloqueador: 16,7% x 20,0%; bloqueador canal de cálcio: 16,7% x 20,0%; vasodilatadores: 41,7% - no grupo com HVE somente), freqüência inferior à recomendada pela ACC/AHA. Recomenda-se a ampliação da amostra, para o valor mínimo calculado de 81 sujeitos, que, em conjunto com a análise de todos os ECGs, deve permitir uma melhor compreensão dos fatos observados. É provável que os dados deste estudo ratifiquem a importância da utilização do ECG padrão no acompanhamento de sujeitos hipertensos.

Hipertensão arterial XE "Hipertensão arterial"  - Insuficiência cardíaca XE "Insuficiência cardíaca"  - Enfermagem XE "Enfermagem"

B070

SONOLÊNCIA DIURNA EXCESSIVA EM IDOSOS NO PÓS INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO

Dayana F. Haddad (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria F. Ceolim (orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Buscou-se identificar se idosos, internados em Unidade Coronariana devido a infarto agudo do miocárdio (IAM), que apresentavam queixas de sonolência diurna excessiva (SDE) anterior ao evento isquêmico, bem como características antropométricas indicadoras de síndrome da apnéia do sono (SAS). Participaram 18 homens e seis mulheres (idade média de 69,8 (6,4 anos), clinicamente estáveis e que assinaram Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os instrumentos utilizados foram: Escala de Sonolência de Epworth (ESE) e Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI). Foram aferidas: circunferência do pescoço e da cintura; pressão arterial; Índice de Massa Corporal (IMC). Os dados foram submetidos a estatística descritiva e testes estatísticos para verificar associação e correlação entre variáveis. Dez idosos (42%) apresentavam SDE anterior ao IAM, e 16 (67%) referiam sono noturno de má qualidade, verificando-se associação significativa entre má qualidade do sono noturno e circunferência do pescoço acima de 40 cm. Embora a maior parte dos idosos apresentasse características antropométricas e fatores de risco cardiovascular indicadores de SDE e SAS, não se observou associação significativa entre a pontuação obtida na ESE e quaisquer dessas variáveis.

Sono XE "Sono"  - Idoso XE "Idoso"  - Infarto do miocárdio XE "Infarto do miocárdio"

B071

PADRÕES DE SONO DE IDOSOS HIPERTENSOS

Fernanda P. Ramos (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Maria Filomena Ceolim e Prof. Dr. José Luiz Tatagiba Lamas (Orientadores), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O envelhecimento acarreta modificações nos padrões de sono, que podem resultar em prejuízo da qualidade do mesmo. Nesta pesquisa, buscou-se identificar padrões de sono e relatos de sonolência diurna em idosos hipertensos, bem como possíveis diferenças entre sujeitos com peso normal e obesos. Foram coletados: dados sócio-demográficos, antecedentes de saúde e estilo de vida (Ficha de Identificação); padrões habituais e qualidade do sono (Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh ? PSQI, no qual escores mais altos indicam sono de pior qualidade, e Diário de Sono); sonolência diurna (Escala de Sonolência de Epworth ? ESE, na qual escores mais elevados indicam maior sonolência). Participaram 16 mulheres e 6 homens, com idade média de 67,3 (+4,0), que assinaram Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Dez sujeitos tinham peso normal (Índice de Massa Corpórea ? IMC<25kg/m2) e 12 eram obesos (IMC>25kg/m2); 19 sujeitos referiam sono de má qualidade (10 obesos e 9 com peso normal) e 11, sonolência diurna excessiva (7 obesos e 4 com peso normal). Observou-se correlação negativa significativa entre a pontuação obtida no PSQI e o IMC (Spearman R=-0,5622, p<0,01), sugerindo que os obesos tinham sono de melhor qualidade, e correlação positiva significativa entre a pontuação da ESE e a circunferência do pescoço (SpearmanR=-0,5147, p<0,05). Os achados estão parcialmente de acordo com a literatura a respeito, apontando a necessidade de ampliação do número de sujeitos estudados.

Sono -  XE "Sono" Hipertensão  XE "Hipertensão" - Idoso XE "Idoso"

B072

O sono de hipertensos obesos e não obesos

Jaqueline Araújo Rabelo (Bolsista SAE/PRG), Profa. Dra. Maria F. Ceolim (Orientadora) e Prof. Dr. José Luiz Tatagiba Lamas (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O objetivo deste estudo foi identificar padrões de sono de um grupo de hipertensos, incluindo qualidade do sono e sonolência diurna, bem como possíveis diferenças entre sujeitos obesos e não obesos. Participaram 22 homens e 26 mulheres, com idade média de 43 (+8) anos, que assinaram Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. As características sócio-demográficas, antecedentes de saúde e estilo de vida; padrões de sono (Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh ? PSQI) e sonolência diurna (Escala de Sonolência de Epworth - ESE) foram coletados por meio de entrevista. Os sujeitos preencheram o Diário de Sono por 18 dias. Os valores pressóricos médios habituais referidos foram 138(+22)/93(+15)mmHg. Segundo o PSQI, 22 sujeitos apresentaram sono de má qualidade; segundo a ESE, 12 apresentaram sonolência diurna excessiva, 8 deles com sono de má qualidade. Verificou-se correlação positiva significativa entre a pontuação do PSQI e da ESE (Spearman R=0,3377, p<0,05), sugerindo associação entre pior qualidade do sono e sonolência diurna excessiva. Não se observaram diferenças significativas entre obesos e não obesos quanto à qualidade do sono e aos valores pressóricos habituais (teste de Mann-Whitney). Os resultados encontrados foram esperados devido ao maior número de obesos na amostra. Entretanto, o estudo foi válido pela descrição que faz dos padrões de sono de hipertensos.

Sono XE "Sono"  - Hipertensão XE "Hipertensão"  - Obesidade XE "Obesidade"

B073

QUALIDADE DO SONO EM IDOSOS CARDIOPATAS

Yara D. A. Taveira (bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria F. Ceolim (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Buscou-se avaliar a qualidade subjetiva do sono de idosos com cardiopatia isquêmica (CI) e os fatores que influenciam o sono, segundo seu ponto de vista. Participaram 23 homens e 20 mulheres (idade média de 70,4 (6,5 anos), clientes há pelo menos um ano do ambulatório de CIs de um hospital universitário, que assinaram Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Utilizaram-se instrumentos construídos pelas autoras e validados por juizes (fatores de risco cardiovascular; mudança da qualidade do sono após CI; fatores relacionados à qualidade do sono), bem como o Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI). Os dados foram submetidos a estatística descritiva, testes estatísticos (associação e correlação entre variáveis), e análise de regressão logística multivariada (fatores que discriminavam os sujeitos segundo boa ou má qualidade do sono). Verificou-se que 54% dos sujeitos referiam sono de má qualidade e 63% relatavam mudança na qualidade do sono, predominantemente negativa, após início da CI. À análise de regressão logística multivariada, observou-se associação significativa entre sono de má qualidade e os fatores idade (mais baixa) e mudança (negativa) na qualidade do sono após início da CI. Não se observou associação significativa entre qualidade do sono e outros fatores de risco cardiovascular. Segundo os sujeitos, fatores que contribuem para sono de boa qualidade são: saúde, tranqüilidade, silêncio e pouca claridade.

Idoso XE "Idoso"  - Sono XE "Sono"  - Cardiopatia XE "Cardiopatia"

B074

Prevalência de incontinência urinária entre estudantes de Educação Física

Estelamares Silva dos Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Helena Baena de Moraes Lopes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

Incontinência urinária (IU) tem sido tradicionalmente lembrada como um problema que afeta, primordialmente, mulheres mais velhas e multíparas e de fato, a correlação entre IU, multiparidade e idade tem sido bem estabelecida. Assim, pequena atenção tem sido dada para identificar a IU em grupos mais jovens ou nulíparas. O presente estudo verificou a prevalência da IU e as características da perda urinária entre mulheres jovens e nulíparas, estudantes de Educação Física de uma universidade pública paulista. Os dados foram coletados através de um questionário respondido por estudantes do 3° e 4° anos dos períodos diurno e noturno do curso em questão. De um total de 95 estudantes, 58 (61%) responderam ao questionário. A média de idade foi de 21.4 anos. 20.6% (12) afirmaram já ter apresentado perda involuntária de urina. Dentre estas, em 75% dos casos a perda de urina ocorreu apenas durante as atividades esportivas e em 25%, fora dessas atividades. As estudantes que tiveram perda urinária quantificaram, em média, o problema com a nota 2 (variando de 0 a 6), numa escala de zero a dez, onde zero significava nenhum problema e dez, problema grave. Conclui-se que a perda urinária durante a prática esportiva embora seja relativamente freqüente, não é considerada um problema relevante para as estudantes de Educação Física.

Incontinência urinária XE "Incontinência urinária"  - Saúde da mulher XE "Saúde da mulher"  - Exercício físico XE "Exercício físico"

B075

Como os profissionais de saúde identificam e tratam a mulher com incontinência urinária

Sara da Silva Barbosa (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Maria Helena Baena de Moraes Lopes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Com o aumento da expectativa de vida da população brasileira, problemas de saúde que até então não tinham grande expressividade passaram a ganhar destaque no campo de pesquisa da saúde. Dentre esses se destaca a incontinência urinária (IU), tida até há pouco tempo como mero sintoma e hoje reconhecida como uma doença. O presente estudo se propôs a investigar como os profissionais de saúde (enfermeiros, médicos da família, clínicos gerais e ginecologistas), que atuam na área de saúde da mulher da rede básica de Campinas, SP, Brasil, abordam e manejam os casos de incontinência urinária. Foram enviados por correio 413 questionários a 43 centros de saúde. Houve retorno de 56 questionários preenchidos. Os dados foram inseridos em um banco de dados, utilizando-se o programa EPI-INFO 6.0. Os dados dos respondentes foram revisados quanto à consistência e completitude antes de se proceder à análise. As variáveis de caracterização da amostra e as respostas às perguntas fechadas foram analisadas descritivamente, calculando-se a freqüência relativa e absoluta, quando pertinente. As respostas às perguntas abertas foram categorizadas e apresentadas em tabelas. A análise dos dados nos permite concluir que os profissionais têm abordado as mulheres sobre o problema de IU, porém algumas vezes não sabem que conduta adotar ou desconhecem as alternativas de manejo e tratamento.

Incontinência urinária  XE "Incontinência urinária" - Diagnóstico  XE "Diagnóstico" - Saúde da mulher XE "Saúde da mulher"

B076

CAPACIDADE PARA O TRABALHO DE DONAS DE CASA ? CAMPINAS

Giselli Luciano (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Maria Inês Monteiro Cocco (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O trabalho doméstico constitui-se uma importante referência para a família e a sociedade. Apesar disso, ao longo dos anos vem sendo, por sua invisibilidade, cada vez mais desvalorizado, até mesmo pela própria pessoa que o executa. Por ele, as donas - de - casa também estão expostas ao desgaste físico e mental que o trabalho pode causar. O objetivo deste estudo transversal é avaliar a capacidade para o trabalho de donas-de-casa de um bairro em Campinas. Utilizou-se como instrumentos dois questionário com questões abertas e fechadas: o Índice de Capacidade para o Trabalho ? ICT (Tuomi et. al. 1997) e um questionário com dados sociodemográficos e de trabalho . A média do ICT foi de 35,35. 6% das entrevistadas tinham menos de 20 anos, 42% tinham de 20 a 59 anos e 42% mais de 60. 16% não possuem filhos, 58% possuem até 3, e 26% mais de 4.10% são analfabetas,42% estudaram 4 anos ou menos e 35% 8 anos ou mais. 32% das mulheres começaram a trabalhar com menos de 10 anos e 40% na faixa de 10 a 15 anos. 51% nunca estiveram desempregadas. 24% desenvolvem atividade informal remunerada e dentre elas 37,5%, por mais de 3 horas. 27% são tabagistas. 39% praticam atividade física regularmente. Por fim, vários aspectos da vida cotidiana dessas mulheres apontam para a necessidade da atuação dos profissionais da saúde no sentido de promoverem a saúde através de grupos educativos.

Trabalho doméstico XE "Trabalho doméstico"  ? Saúde do trabalhador XE "Saúde do trabalhador"  ? Capacidade para o trabalho XE "Capacidade para o trabalho"

B077

CAPACIDADE PARA O TRABALHO DE RECREACIONISTAS DE UMA CRECHE UNIVERSITÁRIA

Maria Carolina Salmora Ferreira (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Maria Inês Monteiro Cocco (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A avaliação da capacidade para o trabalho de recreacionistas é importante devido ao tipo de trabalho realizado e sua relação com saúde e qualidade de vida. O contato diário com crianças demanda a responsabilidade de educar e cuidar levando esse trabalhador a um esforço físico e mental importante, interferindo em suas atividades diárias dentro e fora do ambiente de trabalho. Esse estudo tem por objetivo caracterizar essa população quanto ao estilo de vida e a Capacidade para o Trabalho (ICT). Trata-se de um estudo tipo transversal. A análise dos resultados nos conferiu dados significativos como: 28,6% da amostra têm mais de 40 anos de idade, 54,3% são casadas, 42,9% concluíram o ensino médio, 51,5% trabalham há mais de 10 anos na empresa, 97,2% realizam alguma atividade de lazer, 77,2% realizam algum tipo de exercício físico, 25,8% dessas trabalhadoras têm sobrepeso ou obesidade leve a moderada. A média do ICT foi de 39,65.Concluímos que a promoção à saúde no trabalho é de grande importância, tanto para o trabalhador, quanto para a empresa, visando a capacidade para o trabalho.

Capacidade para o trabalho XE "Capacidade para o trabalho"  ? Creche XE "Creche"  ? Saúde e trabalho XE "Saúde e trabalho"

B078

PERFIL DOS IDOSOS COM AFECÇÃO CARDIOCIRCULATÓRIA ATENDIDOS NO PRONTO-SOCORRO DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Evelin Juliana Dias (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria José D?Elboux Diogo (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Considerando-se a alta demanda de idosos particularmente no Pronto-Socorro, a prevalência das doenças cardiocirculatórias nesta faixa etária, o estudo teve por objetivo caracterizar os idosos atendidos no pronto-socorro de um hospital universitário no ano de 2000, com diagnóstico de doença cardiocirculatória, quanto à faixa etária, sexo, procedência e o próprio diagnóstico.Os sujeitos do estudo foram selecionados a partir do banco de dados da instituição e classificados de acordo com o CID-10. Os atendimentos concentraram-se na faixa etária do 60-70 anos, de indivíduos da cor branca procedentes da zona urbana de Campinas vindos das suas casas acompanhados pelos filhos. Não observou-se diferenças quanto ao sexo. Quanto ao horário de chegada a maior concentração foi no período entre 12 e 20 horas. Os diagnósticos de maior incidência foram a hipertensão, a insuficiência cardíaca e o acidente vascular cerebral. Os dados obtidos nesta amostra correspondem aos achados na literatura, o que aponta para a necessidade de adotar medidas de prevenção destas afecções na população idosa além da formação de profissionais capacitados para atender a esta demanda.

Idosos -  XE "Idosos" Doenças cardiocirculatórias -  XE "Doenças cardiocirculatórias" Urgência XE "Urgência"

B079

Doenças respiratórias na velhice: caracterização dos idosos atendidos em serviço de emergência de um hospital universitário

Marcela Zanatta Ganzarolli (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria José D?Elboux Diogo (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

INTRODUÇÃO: O crescimento da população idosa, associado às alterações fisiológicas decorrentes da senescência e senilidade tem favorecido o aumento da procura desses indivíduos por serviços de emergência devido a doenças do aparelho respiratório. OBJETIVO: caracterizar os idosos atendidos no ano de 2000 no pronto-socorro do HC-UNICAMP, com essas doenças, quanto às características sociodemográficas e de saúde. MÉTODO: Inicialmente, foram identificados 1182 idosos diagnosticados com doenças do aparelho respiratório, de acordo com o capítulo X do CID-10. Por amostragem sistemática, foram selecionadas 291 fichas para estudo. Dessas, 79 foram excluídas da amostra por não apresentarem condições para pesquisa. Assim, foram analisadas 212 fichas de atendimento e os dados obtidos foram processados eletronicamente. RESULTADOS: 52% dos idosos eram do sexo masculino e a faixa etária predominante foi de 60 a 70 anos. A maior parte dos indivíduos era moradora da cidade de Campinas , vindos de casa e não utilizou o serviço de ambulância. Os grupos diagnósticos de doenças do aparelho respiratório predominantes foram: doenças crônicas das vias aéreas inferiores e infecções agudas das vias aéreas superiores. Após o atendimento, a maioria dos idosos foi para casa. CONCLUSÕES: não houve diferença significativa entre os quatro principais grupos diagnósticos e sexo.

Idoso XE "Idoso"  ? Emergência XE "Emergência"  ? Afecções respiratórias XE "Afecções respiratórias"

B080

MORTALIDADE POR HOMICÍDIOS NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS: ANÁLISE ESPACIAL DO PADRÃO EPIDEMIOLÓGICO NO DISTRITO SUDOESTE

Hugo Vasques Rodrigues (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Marilisa Berti de Azevedo Barros (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O presente projeto, que se propõe a analisar o fenômeno espacial da criminalidade urbana, visa através do estudo do padrão espacial de ocorrências de óbitos por homicídios no Distrito Sudoeste do Município de Campinas, fornecer subsídios a uma proposta de monitoramento e vigilância e o estabelecimento de uma política de controle das mortes por violência. Para tanto procurou-se caracterizar o padrão espacial de ocorrência através do georeferenciamento de residências de vítimas de homicídio, concomitantemente a uma comparação destes resultados aos dados populacionais e sócio-econômicos do Censo demográfico de 2000. Em suma, o que se pode destacar é que o monitoramento dos locais de ocorrência dos homicídios pode significar uma nova fase dentro do processo de ampliação do conhecimento sobre as circunstâncias dos eventos, contribuindo para a redução das altas taxas de mortalidade por violência dentro do Distrito Sudoeste, que assim como o Distrito Noroeste, possui as mais elevadas taxas de homicídios. Após obtidos os primeiros resultados desta análise, realizada com o auxílio dos programas Arcview e MapInfo, pôde-se visualizar uma concentração na distribuição espacial das residências de vítimas de homicídios em áreas mais ao Norte do Jd. São Cristóvão e DIC III.

Georeferenciamento XE "Georeferenciamento"  ? Homicídios XE "Homicídios"  ? Campinas XE "Campinas"

B081

LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO E GRAVIDEZ: EVOLUÇÃO CLÍNICA, ALTERAÇÔES PLACENTÁRIAS E RESULTADOS PERINATAIS

Ema Yonehara (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Fernanda G. C. Surita (Orientadora) e Profa. Dra. Mary Angela Parpinelli (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O lupus eritematoso sistêmico é uma doença auto-imune de etiologia desconhecida que pode acometer vários órgãos e sistemas. A gravidez pode alterar o curso da doença, principalmente quando ativa, resultando comprometimento do resultado perinatal, possivelmente por alterações placentárias. Este trabalho teve como objetivo identificar as complicações gestacionais, os resultados perinatais e as alterações placentárias mais freqüentes nessas mulheres. Trata-se de um estudo retrospectivo descritivo, através da análise dos prontuários de uma amostra de 76 gestantes lúpicas admitidas no serviço de Pré-Natal Especializado do CAISM entre 1995 e 2002. Os dados coletados foram introduzidos num arquivo de dados e analisados através do programa Epi-Info 6.04. Dois grupos foram determinados para a análise dos dados através dos critérios de SLEDAI: mulheres com ou sem atividade do LES na gestação. Dentre as 68 pacientes em que foi possível avaliar essa variável, apenas 10 não apresentavam nenhuma evidência de doença ativa. As alterações determinantes de atividade mais encontradas foram os distúrbios imunológicos, cutâneos e 31 gestantes apresentavam comprometimento renal. Do total de pacientes, 9 evoluíram com pré-eclâmpsia, 6 para abortamento, 3 para óbito fetal e 36 para parto prematuro. O peso médio ao nascimento foi de 2226g para o grupo com atividade e 2867g para o grupo sem atividade (p=0,038). Em 45 placentas analisadas, os infartos foram as alterações mais encontradas. Em 16 casos os anticorpos da síndrome antifosfolípide estavam presentes. Concluiu-se que o LES afeta o curso da gestação e que a doença em atividade associa-se com baixo peso ao nascimento.

Lupus eritematoso sistêmico XE "Lupus eritematoso sistêmico"  - Gravidez de alto risco XE "Gravidez de alto risco"  - Patologia placentária XE "Patologia placentária"

B082

Estudo da atividade antitumoral do extrato da Curcuma longa Linn

Ana Flávia Portilho Ferro (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Mary Luci de Souza (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A significância da Curcuma longa Linn. mudou consideravelmente desde a descoberta das propriedades antioxidantes de compostos fenólicos naturalmente encontrados nesta planta, os curcuminóides. Atualmente, seu uso na prevenção e tratamento do câncer tem sido objeto de intensas pesquisas. Trabalhos recentes vêm demonstrando a atividade adjuvante do curcumim no tratamento do câncer por meio de uma ação imunoestimuladora. O tumor de Ehrlich, por ser capaz de produzir alterações severas no sistema hematopoiético do hospedeiro, tem sido amplamente utilizado como modelo experimental para estudo dos mecanismos imunológicos envolvidos no desenvolvimento de tumores e resultados encorajadores vêm sendo obtidos em nosso laboratório com o uso deste modelo. Neste trabalho investigamos os efeitos do extrato da planta Curcuma l. L. sobre o crescimento e diferenciação das células precursoras da medula óssea e do baço de animais portadores de tumor de Ehrlich. Para tanto, avaliamos a sobrevida de animais portadores do tumor e tratados com diferentes doses da droga. A dose de 30mg/kg foi a mais eficaz. Imagina-se que a ineficácia das doses acima de 40mg/kg se deva a uma provável imunotoxidade apresentada pela droga. Além disso, foi feita a cultura clonal de precursores hematopoiéticos da medula óssea e do baço (CFU-C) de camundongos portadores do tumor e tratados com a droga, mas os resultados obtidos ainda são inconclusivos.

Antitumoral XE "Antitumoral"  - Curcuminóides XE "Curcuminóides"  - CFU-C XE "CFU-C"

B083

Estudo das relações entre os acadêmicos de enfermagem e a morte

Maria Gabriela Bortotto (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Mauro Antônio Pires Dias da Silva (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A atuação do enfermeiro frente ao paciente terminal e seus familiares é de extrema importância. Faz-se necessário, portanto, que os profissionais de saúde reflitam sobre a morte, e que este tema seja discutido durante (e após) a formação dos mesmos. Este trabalho analisou as concepções dos acadêmicos do primeiro e do último ano do curso de graduação em enfermagem da UNICAMP sobre a morte, relacionando-as com a forma de abordagem deste tema durante o curso. Foi feita uma pesquisa qualitativa, com trabalho de campo realizado por meio de entrevistas semi-estruturadas. Além disso, foram solicitados e analisados programas de disciplinas da graduação. A análise dos discursos dos acadêmicos se deu pela categorização em representações sociais. Desta forma, foram formuladas seis categorias que representam as relações entre os acadêmicos de enfermagem e a morte: concepções de morte, o ?cuidar? em pacientes terminais, o preparo do corpo morto, o tema da morte na graduação, percepções adquiridas durante o curso e influências do curso nas concepções sobre morte. A temática da morte foi encontrada nos programas de apenas 7 das 56 disciplinas que compõem o bacharelado. A abordagem sobre este tema na graduação, segundo os próprios alunos, não supre as necessidades para o preparo de profissionais, mostrando-se deficiente tanto no aspecto técnico como no psicológico. Pretendemos, através deste estudo, fornecer contribuições para um ensino de enfermagem mais abrangente.

Morte XE "Morte"  - Educação XE "Educação"  - Graduação em enfermagem XE "Graduação em enfermagem"

B084

Avaliação do estado emocional e características cronobiológicas dos profissionais de enfermagem

Cláudia Margarida Vieira (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Milva Maria Figueiredo De Martino (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Existem diferenças individuais encontradas na alocação dos ritmos circadianos que permite que os indivíduos sejam classificados segundo cinco cronótipos diferentes. Os objetivos do estudo foram: descrever as características de matutinidade/vespertinidade em um grupo de profissionais de enfermagem de um hospital de ensino do Estado de São Paulo e identificar possíveis correlações entre cronótipo, turno de trabalho e estado emocional. Foram abordados profissionais de enfermagem (enfermeiros, técnicos e auxiliares) dos diferentes turnos na enfermaria de Oncologia. Para a determinação do cronótipo utilizou-se o Questionário de identificação de Matutinos e Vespertinos e para a determinação do estado emocional, a Lista de Estados Emocionais Presentes, ambos preenchidos pelos sujeitos no início do plantão. Observou-se, através do Teste exato de Fisher (p( 0,05), locuções significativas com intensidade forte quando comparadas com o cronótipo do tipo matutino e, quanto ao turno de trabalho encontrou-se resultados também significativos quando comparados aos estados emocionais presentes.Concluímos que os sujeitos do tipo matutino mostraram estados emocionais de intensidade forte e o tipo indiferente somente uma locução sem intensidade, com locuções aparecendo ou deixando de aparecer nos diferentes turnos de trabalho.

Estado emocional presente XE "Estado emocional presente"  XE "Estado emocional presente"  ? Cronótipo XE "Cronótipo"  - Turno de trabalho de enfermagem XE "Turno de trabalho de enfermagem"

B085

APLICAÇÃO DE UM MÉTODO FLUORIMÉTRICO NA DETERMINAÇÃO DO ÓXIDO NÍTRICO EM MODELOS DE RESISTÊNCIA À INSULINA

Maria Weber Guimarães Barreto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Nelci Fenalti Höer (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O Óxido Nítrico (NO) é um radical livre, de meia vida curta e fácil difusão, produzido endogenamente pelas NO sintases (NOS), dentre as quais, NOS neuronal, NOS endotelial e NOS indutível. Além de sua importância na modulação de diversos sinais bioquímicos, o NO tem também papel fundamental como neurotransmissor, destacando-se sua capacidade de estabelecer redes neuronais, permitindo respostas adaptativas mais rápidas. Por estas características especiais, tem-se procurado determinar a participação do NO na regulação do sinal de insulina, definindo os mecanismos moleculares envolvidos na resistência a este hormônio. O objetivo deste estudo é determinar, por método fluorimétrico, os níveis de NO em tecidos muscular, adiposo e hepático. Esta determinação é realizada de forma indireta, através da reação do composto não-fluorescente DAN (diaminonaftaleno) com um agente N-nitrosante derivado do NO, tendo como produto o composto altamente fluorescente NAT (2,3 naftotriazol). A quantificação do NAT por espectroscopia de fluorescência indica serve como indicador dos níveis de NO. Os resultados obtidos nas dosagens do NAT revelam queda na concentração de NO nos tecidos de ratos submetidos à dieta hiperlipídica, sugerindo uma relação dos níveis de NO com a transmissão do sinal de insulina, já que neste modelo resulta uma relativa resistência à insulina.

Óxido Nítrico XE "Óxido Nítrico"  ? Fluorimetria XE "Fluorimetria"  ? Resistência à Insulina XE "Resistência à Insulina"

B086

AVALIAÇÃO DOS RISCOS ERGONÔMICOS DURANTE A MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE PACIENTES EM DIFERENTES UNIDADES HOSPITALARES

Cristiane Helena Gallasch (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Neusa Maria Costa Alexandre (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A ocorrência dos distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT) vêm crescendo nas últimas décadas. Os procedimentos de movimentação e transporte de pacientes requerem grande esforço físico e estão associados a problemas músculo-esqueléticos em trabalhadores da área da saúde. O presente estudo teve como objetivo mapear os riscos ergonômicos durante os procedimentos de movimentação e transporte de pacientes em diferentes unidades hospitalares de um hospital universitário. Para coleta de dados foi utilizado um instrumento denominado ?Escala de avaliação do risco na movimentação e transferência?, que apresenta propriedades psicométricas confiáveis e foi desenvolvido tendo como referencial teórico a ergonomia. Os resultados foram obtidos através de uma análise estatística descritiva e demonstrou que a Unidade de Terapia Intensiva é a que apresentou o maior percentual de pacientes que oferecem ?muito risco? ergonômico aos trabalhadores de enfermagem. As unidades envolvidas com cirurgia apresentaram pacientes oferecendo ?médio risco?. Os pacientes que ofereceram ?pouco risco? ergonômico estão localizados, em sua maior parte, em unidades de clínica médica. Com esses dados, as unidades de internação terão condições de planejar programas ergonômicos de prevenção com a introdução de equipamentos e materiais auxiliares, considerando suas particularidades.

Ergonomia XE "Ergonomia"  - Transporte de pacientes XE "Transporte de pacientes"  - Dor lombar XE "Dor lombar"

B087

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE SIMULAÇÕES CLÍNICAS PELA INTERNET NO ENSINO MÉDICO BASEADO EM PROBLEMAS (PBL)

Josie Naomi Iyeyasu (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Renato Marcos Endrizzi Sabbatini (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A educação biomédica, que por tanto tempo se baseou somente em métodos de ensino tradicionais, apresenta, atualmente, dois importantes recursos: a informática e o PBL (Problem-Based Learning), que têm se mostrado extremamente úteis para a renovação do ensino médico. O objetivo deste trabalho é a união destes dois recursos através do desenvolvimento de simulações clínicas interativas baseadas na WWW, e a sua disponibilização aos alunos do curso médico. A linguagem de programação utilizada é o HTML. Os casos clínicos são estruturados de modo a estimular a formação construtiva dos estudantes do curso médico e o desenvolvimento do raciocínio clínico. Além disso, são disponibilizados links sobre o contexto apresentado, que permitem uma busca mais aprofundada dos estudantes sobre o caso, e testes de múltipla escolha, que permitem aos alunos testar os seus próprios conhecimentos. Inicialmente foram desenvolvidos três casos clínicos em neurologia, os quais foram disponibilizadas para livre acesso através da Internet para utilização experimental pelos estudantes. Um teste em condições reais de sua utilização por estudantes de Medicina da UNICAMP está sendo realizado. Espera-se que os alunos, ao consultarem o software, tenham mais contato com a clínica médica, maior facilidade de fazer diagnósticos em situações reais e desenvolvam também a capacidade de auto-aprendizado.

Simulações clínicas XE "Simulações clínicas"  - Internet XE "Internet"  - PBL XE "PBL"

B088

Efeitos da administração de Testosterona na Modulação da Expressão gênica de IFN-(, IL-12 e IL-10 em cultura de células esplênicas de Camundongo Nod (Non Obese Diabetic)

Letícia Sewaybricker (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo de Lima Zollner (Orientador), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A influência dos hormônios sexuais nas respostas imunes tem sido estudada principalmente no que se refere a algumas doenças auto-imunes onde podem ser observados níveis altos de estrógeno e baixos de andrógeno. Assim, é lícito pensar que a alteração na proporção entre estrógeno e andrógeno possa, associado a outros fatores, acarretar em condições favoráveis para o desenvolvimento de doenças autoimunes. No presente trabalho, estudamos a modulação da expressão gênica de citocinas (RT-PCR) de testosterona adicionada em diferentes concentrações (5, 10, 20 e 30nM) as culturas de células esplênicas de camundongos fêmeas da linhagem Nod (modelo experimental autoimune espontâneo) e analisadas nos tempos 24, 48 e 72 horas do estímulo. Os resultados sugerem efeito proliferativo da testosterona nas primeiras 24 horas na concentração de 20 nM avaliadas através do teste de viabilidade celular. A expressão mRNA de IFN-( e IL-12 estavam aumentadas nas culturas de 24 horas nas concentrações de 20 nM e 30 nM. Por outro lado, a expressão de IL-10 estava diminuída ou ausente nas concentrações estudadas de testosterona. Assim, os resultados obtidos sugerem efeito modulatório (+) dose dependente da Testosterona para expressão de IL-12 e IFN-( e (-) para IL-10, nas presentes condições experimentais.

Testosterona XE "Testosterona"  - Citocinas XE "Citocinas"  - Nod-mice XE "Nod-mice"

B089

Hospitalização de Pacientes com Insuficiência Cardíaca Descompensada: Fatores Desencadeantes.

Gláucia Margoto (Bolsista FAPESP), Profa. Dra. Roberta Cunha Rodrigues Colombo (Orientadora) e Profa. Dra. Maria Cecília Jayme Bueno Gallani (Co-Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Este estudo descritivo tem por objetivos, caracterizar o perfil sociodemográfico e clínico, história de hospitalização atual/pregressa por IC, acompanhamento clínico e adesão ao tratamento dos pacientes que internam por descompensação da IC, entre 24 e 48 horas, em um hospital escola. Os dados preliminares obtidos através de método de auto-relato, de avaliação bio-fisiológica e consulta ao prontuário hospitalar, demonstraram que dos 36 sujeitos estudados, 55,6% (20/26) eram homens, com média de 56,8 (±16,1) anos. A maioria deles, 72,2% (26/36) relatou hospitalizações prévias, média de 2,46 (±0,8) internações, e 77,8% (28/36) referiram acompanhamento clínico da IC; destes, somente 22 (78,6%) relataram fazê-lo regularmente. A dispnéia foi o evento precipitante da hospitalização atual em 86,1% (31/36) dos casos. Dentre os sinais/ sintomas, constatou-se edema de membros inferiores em 86,1% (±31/36) dos sujeitos e estertores finos. Embora se recomende a ampliação da amostra é possível inferir que os achados corroboram com os da literatura com relação aos fatores contribuintes para hospitalizações recorrentes. Estes achados contribuirão para otimizar o seguimento clínico, reduzir custos de re-hospitalizações e manter a qualidade de vida dos sujeitos.

Insuficiência Cardíaca Descompensada  XE "Insuficiência Cardíaca Descompensada" - Hospitalização XE "Hospitalização"  - Enfermagem XE "Enfermagem"

B090

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA DESCOMPENSADA: FATORES DE PIORA IDENTIFICADOS PELO PACIENTE HOSPITALIZADO

Roberta Ferreira de Camargo Yabu-uti (Bolsista FAPESP), Profa. Dra. Roberta Cunha Rodrigues Colombo (Orientadora) e Profa. Dra. Maria Cecília Bueno Jayme Gallani (Co-orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

Com vistas a fornecer subsídios para o estabelecimento de intervenções de enfermagem que contribuam na estabilização do quadro clínico de pacientes com Insuficiência Cardíaca (IC), este estudo, não-experimental do tipo exploratório, objetiva identificar os sinais/sintomas que pacientes hospitalizados por descompensação da IC reconhecem como representativos de piora; as condutas por eles adotadas nesta situação e os fatores desencadeantes identificados. São apresentados os resultados preliminares, obtidos junto a 12 pacientes internados por descompensação da IC, em até 48 horas de internação no HC-Unicamp. Os dados foram obtidos por entrevista semi-estruturada e consulta ao prontuário. Empregou-se as análises descritiva e qualitativa para as respostas, possibilitando as seguintes conclusões: os principais sinais/sintomas reconhecidos pelo paciente como evidência de piora são: falta de ar, inchaço e cansaço, As condutas adotadas na piora são: uso de terapia ou procura pelo médico. Foram identificados poucos fatores desencadeantes de piora, alguns referindo o esforço. A piora foi considerada como súbita e inexplicável. A análise preliminar permite destacar pontos importantes para delinear intervenções educativas.

Enfermagem XE "Enfermagem"  - Insuficiência Cardíaca Descompensada XE "Insuficiência Cardíaca Descompensada"  - Hospitalização XE "Hospitalização"

B091

CITOMEGALOVÍRUS EM TRANSPLANTADOS HEPÁTICOS: COMPARAÇÃO ENTRE ANTIGENEMIA E NESTED-PCR NO SANGUE PERIFÉRICO E NO SORO.

Everton Luiz Rodrigues do Patrocínio (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Sandra Cecília Botelho Costa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O CMV é um agente infeccioso de alta prevalência na população e na maioria dos casos causa um quadro de infecção subclínica. Contudo, nos indivíduos imunossuprimidos ele causa complicações, sendo a maior causa de morbidade e mortalidade em pacientes transplantados. Neste projeto comparamos três métodos de diagnóstico para o CMV: a Antigenemia, o N-PCR das células do sangue (leucócitos) e do soro, em pacientes transplantados hepáticos. Acompanhamos 20 pacientes, a antigenemia foi negativa para todos doadores e receptores no momento do transplante. A N-PCR em células foi positiva em um receptor e em um doador. A N-PCR nas amostras de soro foi negativa em todos os pacientes analisados. No pós-transplante, sete pacientes apresentaram pelo menos um resultado de antigenemia positivo; 18 pacientes apresentaram pelo menos um resultado de N-PCR positivo em células do sangue, um paciente apresentou apenas resultado de antigenemia positivo; 12 pacientes apresentaram apenas resultado de N-PCR positiva; a positividade da antigenemia antecedeu a da N-PCR em apenas um paciente, foi concomitante em 2 casos, e posterior nos 3 restantes. Assim podemos concluir que a antigenemia e a N-PCR em células do sangue são métodos eficazes de detecção do CMV, entretanto, para determinação de seus valores preditivos é necessário acompanhamento de um maior número de pacientes por um tempo mais prolongado, o que faz parte de nossos objetivos futuros. A N-PCR do soro apresentou-se um método duvidoso até o momento.

Citomegalovírus XE "Citomegalovírus"  ? Antigenemia XE "Antigenemia"  ? PCR XE "PCR"

B092

DETECÇÃO DA CO-INFECÇÃO POR HCMV E HHV-7 EM TRANSPLANTADOS HEPÁTICOS E CORRELAÇÃO COM O IMPACTO CLÍNICO

Juliana C. Camargo Giordano (Bolsista PIBIC/CNPq), Ronaldo L. Tomasini (PG), Sandra Helena Alves Bonon (PG) e Profa. Dra. Sandra Cecília Botelho Costa (Orientadora), Faculdade de Ciencias Médicas - FCM, UNICAMP

O HHV-7 vem sendo reconhecido como um co-fator importante para que haja progressão da doença ocasionada pelo citomegalovírus em humanos. Este trabalho visa analisar a prevalência do HHV-7 e HCMV em complicações após o transplante hepático. A monitorização da infecção ativa pelo HCMV foi feita utilizando-se a detecção de antígenos virais em células do sangue periférico, pelo método de Antigenemia, e a detecção de fragmentos de DNA virais pela sua amplificação a partir de células do sangue periférico, utilizando a NESTED-PCR (dupla PCR). Foram analisados 21 transplantados e a detecção de infecção ativa por HCMV foi feita em 7 pacientes (35% do total) pela antigenemia e em 18 pacientes (85,7%) pela N-PCR. A detecção da presença do DNA do HHV-7 foi padronizada utilizando como controle positivo amostra de saliva de paciente infectado. A PCR está sendo realizada nas mesmas amostras de DNA utilizadas para o CMV-PCR e em soro e/ou plasma dos pacientes, para verificar a positividade do vírus HHV-7 em relação à infecção concomitante com o HCMV e o impacto clínico nesse grupo de pacientes transplantados.

HCMV XE "HCMV"  - HHV-7 XE "HHV-7"  - Transplantados hepáticos XE "Transplantados hepáticos"

B093

Monitorização da co-infecção pelo CMV e HHV-6 em pacientes receptores de transplante hepático

Marcelo Naoki Soki (Bolsista PIBIC/CNPq), Fernanda Costa (PG), Sandra Helena Alves Bonon (PG) e Profa. Dra. Sandra Cecília Botelho Costa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

O Citomegalovírus Humano (CMV) e o Herpes Vírus Humano 6 (HHV-6), são vírus pertencentes à subfamília dos betaherpesvírus. São de alta prevalência na população permanecendo latentes em adultos saudáveis. No entanto, em indivíduos imunocomprometidos como os pacientes transplantados hepáticos, a presença de infecção ativa pelo CMV e pelo HHV-6 aumentam as chances de complicações no pós-cirúrgico desses pacientes, tanto nas manifestações da doença causada pelo CMV quanto no aumento da mortalidade desses pacientes. Nosso trabalho monitorizou a infecção ativa causada pelo CMV e pelo HHV-6 num grupo de pacientes, submetidos ao transplante hepático no Hospital das Clínicas da UNICAMP, utilizando-se de amostras de sangue periférico colhidas antes e periodicamente após a cirurgia. Para a detecção de infecção ativa foram utilizados os métodos de Reação em cadeia da Polimerase (PCR) e de Antigenemia (AGM) para a detecção do CMV, e a PCR para o HHV-6. De 12 pacientes inclusos em nossa casuística até o momento, 3 (25%) apresentaram antigenemia positiva para o CMV, em média 143,5 dias após o transplante; 8/12 (67%) apresentaram mais de uma detecção de CMV-DNA por PCR em média 84,5 após o transplante. Em 3 (25%) pacientes que apresentaram PCR e antigenemia positivos para CMV, foi detectado também a presença do HHV-6-DNA.

CMV XE "CMV"  ? HHV-6 XE "HHV-6"  ? Transplante Hepático XE "Transplante Hepático"

B094

ANTIGENEMIA E NESTED PCR NA DETECÇÃO PRECOCE DE INFECÇÃO ATIVA POR CITOMEGALOVÍRUS, REPERCUSSÕES CLÍNICAS E HISTOPATOLÓGICAS

Vagner Antonio Rodrigues da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq), Sandra Helena Alves Bonon (PG), Luis Sérgio Leonardi, Profa. Dra. Ilka de Fátima Santana Ferreira Boin e Profa. Dra. Sandra Cecília Botelho Costa (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

A infecção por citomegalovírus (CMV) é uma das mais importantes causas de morbi-mortalidade em pacientes transplantados de fígado. Utilizamos dois métodos para detecção de infecção ativa por CMV: Antigenemia (AGM) e ?Nested? PCR (NPCR) a partir de sangue periférico coletado por 1(um) ano a partir do dia do transplante. Também realizamos NPCR de biópsias a fresco (coletadas no dia do transplante) e de parafinadas (coletadas após o transplante). Consideramos infecção ativa por CMV um resultado de AGM positivo ou pelo menos dois resultados consecutivos positivos de NPCR de sangue periférico. Neste período reunimos informações clínicas dos pacientes bem como resultados de exames anatomo-patológicos (AP) das biópsias parafinadas. Todos os pacientes apresentaram pelo menos um resultado de NPCR de sangue periférico positivo e 50% com pelo menos um resultado de AGM positivo. Detectamos infecção ativa por NPCR por CMV em 75% dos pacientes. Não evidenciamos a presença do DNA do CMV em biópsias a fresco (falta ainda o resultado das parafinadas e a correlação com o AP).

Citomegalovírus XE "Citomegalovírus"  - Transplante Hepático XE "Transplante Hepático"  - Antigenemia XE "Antigenemia"

B095

Caracterização de Interações do Domínio SH3 da ?-Espectrina Humana

Camila Vicente Bonfim e Profa. Dra. Sara T. O. Saad (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

As espectrinas são proteínas amplamente expressas, com isoformas encontradas em células eritróides e não eritróides. A ?-espectrina eritróide (SPTA1) é o componente predominante do citoesqueleto e está implicada em várias funções celulares. As isoformas da espectrina contêm vários domínios de interação como o domínio SH3 (SRC homology 3). Este domínio são seqüências de 60 aminoácidos que estão presentes em muitas proteínas de sinalização e do citoesqueleto. Apesar da pequena homologia, a estrutura tridimencional é muito conservada. As interações protéicas mediadas pelo domínio SH3 têm sido implicadas na regulação do funcionamento de receptores, na localização subcelular de proteínas e na reorganização do citoesqueleto. Eles medeiam interações protéicas pela ligação a seqüências curtas ricas em prolina contendo o ?motif? PXXP. Neste estudo utilizamos o domínio SH3 da ?-I-espectrina, como isca no sistema duplo híbrido para rastrear proteínas da medula óssea humana que interagem com o SH3. Foram obtidos 11 clones, dos quais três continham domínios protéicos. Entre estes, o domínio A2?M121 da galectina-1(LGALS1) destaca-se por esta ser uma lectina ligante à ?-galactosideos e fator de apoptose que está envolvido na regulação do ciclo celular e em vários processos de adesão celular. Nossos resultados demostraram que existe interação física entre a galectina-1 e o domínio SH3 ?-?I-espectrina na levedura e sugerimos que a galectina-1 pode utilizar o domínio SH3 da ?-I-espectrina para iniciar seu processo de externalização celular na membrana da célula eritróide em diferenciação.

Espectrina  XE "Espectrina"  - Domínio SH3  XE "Domínio SH3" - Galectina1 XE "Galectina1"

B096

Clonagem e Caracterização de Um Novo Gene Humano Relacionado à Família das Anquirinas

Iara Campos de Carvalho (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Sara T. O. Saad (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

O projeto Genoma Humano do Câncer do Instituto Ludwig gerou uma vasta gama de seqüências nucleotídicas denominadas ESTs (?expression sequence tags?) que podem representar genes humanos desconhecidos. A busca em banco de dados nos conduziu à EST RC3-CT0255-200100-024-c05 homóloga à família das anquirinas, proteínas globulares que unem o citoesqueleto à membrana plasmática, além de promover o ligamento entre o mesmo e membranas de organelas intracelulares. A anquirina caracteriza-se por apresentar repetições altamente conservadas, constituída por: -G-TPLH-AA?GH---V/A?LL?GA---N/D----. O projeto visa à obtenção da seqüência completa do cDNA da EST estudada, através de RACE, análise computacional e PCR e seqüenciamento e também à análise do padrão de expressão do mRNA . Determinamos o padrão de expressão do mRNA da EST em diferentes tecidos humanos através da utilização da técnica de Nothern Blotting multi-tecidual, que identificou um mRNA de aproximadamente 8Kb e um de aproximadamente 2,2 Kb .As isoformas são expressas na maioria dos tecidos analisados, sendo mais abundantes na musculatura esquelética, placenta, HeLa e HL60. A obtenção da seqüência completa da EST revelou que a mesma se encontra na porção 5? da seqüência da isoforma maior de 8 Kb, está no cromossomo 5 e contém 10 repetições de anquirina .Outro estudos encontram-se em andamento para identificar o papel desta nova proteína na fisiologia celular.

Anquirina XE "Anquirina"  - EST - XE "EST,"  Novo gene XE "Novo gene"

B097

ANÁLISE DA ÁREA DE SUPERFÍCIE DE RETICULÓCITOS EM PACIENTES COM ESFEROCITOSE HEREDITÁRIA

Maria Lúcia Chiattone (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sara T. O. Saad (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A esferocitose hereditária (EH) é um tipo comum de anemia hemolítica, causada por alterações nas interações das proteínas de membrana das hemácias. Decorre disto, perda de superfície de membrana dos eritrócitos acometidos. Embora outras doenças cursem com formação de esferócitos, o que se observou é que diferenças temporais na perda de membrana conduzem a diferentes aparências de reticulócitos. Desta forma, só pacientes com EH devem ter volume e área de superfície de reticulócitos diminuídos. Os objetivos deste estudo foram: avaliar a área de superfície dos reticulócitos em sujeitos normais, portadores de EH e portadores de cirrose hepática; e comparar a perda de superfície em indivíduos com a mutação banda 3 Montefiore. Para o estudo foram selecionados indivíduos com as características citadas. As amostras de sangue obtidas foram diluídas em soluções salinas de concentrações variáveis, sendo submetidas, após 30 min de incubação, à análise de volume corpuscular médio de reticulócitos. Os valores obtidos foram transformados em medida de superfície e comparados entre os grupos. Os resultados mostraram área de superfície diminuída nos indivíduos com EH, quando comparados aos controles e dados similares àqueles encontrados nos sujeitos normais, em portadores da banda 3 Montefiore.

Esferocitose XE "Esferocitose"  - Reticulócitos XE "Reticulócitos"  - Banda 3 Montefiore XE "Banda 3 Montefiore"

B098

CLONAGEM E CARACTERIZAÇÃO DE UM NOVO GENE HUMANO RELACIONADO À FAMÍLIA DAS FORMINAS

Samuel de Souza Medina (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Sara Teresinha Olalla Saad (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP

As forminas são proteínas envolvidas em diversos processos celulares relacionados às funções do citoesqueleto. A partir de uma EST (expressed sequence tag) gerada pelo Projeto Genoma do Câncer e utilizando técnicas moleculares aliadas a análise computacional, identificamos um novo gene humano que codifica uma proteína da família das forminas, a Formina Leucocitária Humana, de 1100 aminoácidos. O cDNA desse novo gene tem 3959 pb e apresenta um open reading frame de 3303 pb. A análise computacional sugere que o referido gene está localizado no cromossomo 17, banda 17q21.31, sendo composto por 27 exons. A técnica de Northern Blotting revelou uma forte expressão desse gene em leucócitos de sangue periférico, timo, baço e na linhagem celular MOLT-4 de leucemia linfoblástica, além de uma expressão significativa em várias linhagens celulares cancerígenas humanas. Em outros tecidos humanos normais, contudo, não foi observada expressão desse RNAm, o que sugere que esta formina é específica do tecido linfóide, mas sua maior expressão ocorre em células neoplásicas. Outros estudos encontram-se em andamento para verificar qual o papel desta nova proteína em tecidos humanos normais e neoplásicos.

Forminas XE "Forminas"  ? Citoesqueleto XE "Citoesqueleto"  ? Projeto Genoma do Câncer XE "Projeto Genoma do Câncer"

B099

DETECÇÃO DA MUTAÇÃO P250R NO GENE FGFR3 NA SÍNDROME DE SAEHTRE-CHOTZEN

Joyce Zimmermann (Bolsista SAE/PRG), Sandra R. D. Nascimento, Profa. Dra. Maricilda P. de Mello e Profa. Dra. Vera L. G. S. Lopes (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM e Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética ? CBMEG, UNICAMP

O objetivo deste trabalho foi verificar a presença da mutação P250R em indivíduos com quadro clínico da Síndrome de Saethre Chotzen (SSC). Trata-se de uma entidade de transmissão autossômica dominante com expressividade variável. O quadro clínico clássico inclui craniossinostose, implantação baixa dos cabelos na fronte, orelhas dismórficas, assimetria facial, blefaroptose, braquidactilia e sindactilia cutânea, preferencialmente entre 2º e 3º dedos. Contudo, em portadores apenas de manifestações clínicas secundárias este quadro pode ser subdiagnosticado, tornando sua real incidência desconhecida. Atualmente, as alterações moleculares associadas a SSC envolvem predominantemente o gene TWIST, tendo sido descritas também mutações nos genes FGFR2 e FGFR3. Nesse último, a mutação P250R presente no exon 7 parece ser responsável pela maioria dos casos. Neste estudo, rastreou-se essa mutação em 14 famílias com quadro clínico compatível com o diagnóstico de SSC. Utilizou-se técnica de reação em cadeia da polimerase e digestão pela enzima NciI do fragmento de 483 pares de bases (pb). A digestão com esta enzima produz fragmentos com 123 e 360 pb no alelo normal. No caso da mutação P250R, os fragmentos formados serão de 123, 151, 209 e 360 pb, devido a heterozigose. A mutação P250R foi detectada em apenas 1 das famílias estudadas. Conclui-se a mutação P250R está também presente em famílias brasileiras portadoras de sinais sugestivos de SSC. O rastreamento desta mutação em outros membros desta família poderá identificar portadores com pouca manifestação clínica, permitindo seguimento clínico adequado e aconselhamento genético dos interessados. Nas demais famílias, outros genes envolvidos deverão ser investigados.

Síndrome de Saethre-Chotzen -  XE "Síndrome de Saethre-Chotzen" Gene FGFR3 XE "Gene FGFR3"  - Mutação P250R  XE "Mutação P250R"

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação

B100

SIMULAÇÃO DO CAMPO ACÚSTICO GERADO POR TRANSDUTOR ULTRA-SÔNICO NÃO-DIFRATIVO DE ONDAS X

Caroline Campos Frossard (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Vera Lúcia da Silveira Nantes Button (Orientadora), Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - FEEC, UNICAMP

Muitos dos aperfeiçoamentos na qualidade de imagens obtidas por ultra-som têm ocorrido devido aos progressos em diminuir ou contornar o efeito difrativo do campo acústico. Neste trabalho, através de estudos já realizados no Laboratório de Ultra-Som (DEB/FEEC e CEB - Unicamp) sobre o Método do Espectro da Diretividade e sobre Apodização de Cerâmicas Piezoelétricas, foi desenvolvido um programa em ambiente Matlab para simular o campo acústico gerado pelos transdutores de ondas X (arrays anelares) não-difrativos. O programa também foi utilizado para a simulação de transdutores do tipo PWO (Plane Wave Only), que só gera ondas planas; EDO (Edge Wave Only), que só gera ondas de borda, e transdutores apodizados. Verificou-se que o transdutor de ondas X Gaussiano e o transdutor apodizado foram os que apresentaram os melhores resultados em relação à diretividade do campo. A simulação dos transdutores PWO e EWO produziu resultados conforme o esperado. Os resultados obtidos poderão ser utilizados em simulações que antecedam a montagem de transdutores de ultra-som, para verificar as características dos campos acústicos, antes da montagem final, em aplicações tanto para geração de imagens médicas, quanto em ensaios não-destrutivos de materiais.

Transdutor de Ultra-som XE "Transdutor de Ultra-som"  - Campo Acústico XE "Campo Acústico"  ? Difração acústica XE "Difração acústica"

B101

Interface de tradução de textos em Código Braille para caracteres alfanuméricos: desenvolvimento de programas para pré-processamento e segmentação da imagem de texto Braille digitalizado

Rodrigo de Passos Barros e Profa. Dra. Vera Lúcia da Silveira Nantes Button (Orientadora), Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação - FEEC, UNICAMP

O Código Braille é um sistema de comunicação tátil utilizado por deficientes visuais para leitura e escrita. A cela do sistema Braille consiste de seis pontos em alto relevo em que as diferentes combinações dos pontos na cela formam 63 caracteres diferentes com os quais podem ser representadas as letras do alfabeto, os algarismos decimais, símbolos matemáticos, etc. Neste trabalho foi considerado o uso do Braille no grau um, ou seja, sem contração. Buscou-se como objetivo neste projeto, a facilitação da comunicação entre deficientes visuais e pessoas videntes não-alfabetizadas em Braille. Após a digitalização, através de scanner de mesa, do texto produzido em papel no sistema Braille, foram estudados e aplicados algoritmos de limiarização, h basin e rotulação, objetivando a eliminação de ruídos e definição dos pixels de interesse. Após essa etapa, a aluna Adriana Keiko Kawai desenvolveu os algoritmos de separação das celas Braille e identificação dos caracteres representados, para posterior apresentação na tela do microcomputador dos caracteres traduzidos, compondo um texto legível, em português, por pessoas que desconhecem o Braille. Como resultado final, foi obtido um programa que traduz em média 700 caracteres em menos de um minuto, e cuja porcentagem máxima de erro (5%) depende do estado de conservação do relevo e da rotação do texto original.

Braille XE "Braille"  ? Reconhecimento de Padrão XE "Reconhecimento Padrão"  ? Pré-processamento XE "Pré-processanto"

Faculdade de Educação Física

B102

Treinamento progressivo com atividades aquáticas: conquistas singulares a partir de intervenção realizada no Jardim São Marcos, Campinas - SP

Ana Paula Martins Vicentin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Aguinaldo Gonçalves (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

A partir da teoria do treinamento desportivo procedeu-se a elaboração de programa de atividade física sistemática e orientada a 30 mulheres sedentárias. Seguindo modelo de estudo experimental, elegeu-se como variável independente a participação em programa de hidroginástica e variáveis dependentes peso, índice de massa corporal, flexibilidade, imagem corporal, medida de VO2 e índice de qualidade de vida, sendo realizado controle pelo monitoramento da freqüência cardíaca. Além dos resultados adaptativos gerados, acrescentam-se os referentes a inclusão social do grupo considerado, com ações individuais e coletivas que proporcionaram conquistas nos respectivos padrões dos agires e fazeres, além da aplicação do procedimento científico na Extensão Universitária. Registraram-se também avanços expressados em apresentações ao VII Congresso da Associação Brasileira de Pós Graduação em Saúde Coletiva, ao Simpósio de Atividades Físicas Adaptadas do Serviço Social do Comércio e ao XXVI Simpósio Internacional de Ciências do Esporte.

Atividade física XE "Atividade física"  ? Hidroginástica XE "Hidroginástica"  - Estudo experimental XE "Estudo experimental"

B103

Integrando Pesquisa e Extensão: análise de demandas do Projeto Aprender a Nadar

Carla Cristina Cuoco Léo (Bolsista PIBIC/CNPq), Aguinaldo Gonçalves (Orientador), Prof. Dr. Enori Galdi (Co-Orientadora) e Carlos R. Padovani (Co-Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

Tendo em vista a importância da Extensão universitária brasileira, principalmente quanto às suas contribuições para o desenvolvimento das pesquisas aplicadas, procurou-se identificar as principais características do Projeto Aprender a Nadar (PAN) que se realiza há sete anos na Faculdade de Educação Física/FEF, Unicamp, atingindo 3220 pessoas nos últimos quatro anos de existência. Através de estudo de retro-análise pretendeu-se: i) determinar o perfil dos usuários do PAN, segundo variáveis epidemiológicas descritivas correntes; ii) explorar suas motivações específicas para a freqüência ordenada em atividades no meio liquido; iii) identificar antecedentes relacionados a saúde e hábitos pessoais conformadores de correspondentes estilos de vida; iv) recolher apreciações dos responsáveis pela aplicação das atividades pedagógicas (monitores e auxiliares) sobre as mesmas. Tais objetivos foram plenamente atingidos com respectivos resultados apresentados ao XXV Simp. Intern. de Ciências do Esp., ao III Cong. Intern. de Ed. Física e Motric. Humana e ao V Cong. Nac. da Rede Unida e 2ª Mostra Paranaense de Produção em Saúde da Família. Conclui-se, assim, que os dados sistematizados proporcionam o aprimoramento da atividade acadêmica e o planejamento da oferta dos serviços adequados à demanda analisada.

Extensão comunitária XE "Extensão comunitária"  - Natação XE "Natação"  - Educação XE "Educação"

B104

Lesões em bailarinos: estudo de sua cotidianeidade em uma companhia profissional de dança

Melina Scialom (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Aguinaldo Gonçalves (Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

A dança como arte do movimento traduz a poesia através do corpo. Além do lado sutil, também existe o seu lado perverso: o bailarino lesionado pelas demandas da profissão. Neste trabalho propõe-se conhecer a rotina de uma companhia de dança profissional, com foco em aspectos epidemiológicos das lesões da dança aí incidentes. O estudo foi realizado no ?Balé da Cidade de São Paulo?, companhia escolhida pelo número infrequentemente elevado de bailarinos que compõe seu corpo de baile (40), bem como pela constante produção e apresentação de trabalhos artísticos que exigem alta performance técnica e corporal. Através de metodologia observacional transversal retroanalítica de base populacional, foram obtidos três conjuntos de dados, a saber: i) distribuição de freqüências das categorias de resposta consideradas relevantes para identificação das respectivas rotinas de trabalho; ii) caracterização das variáveis relacionadas à última lesão relatada por cada um dos bailarinos; iii) comparação das distribuições de tais variáveis quanto à lesão apurada como mais freqüente (articular) em relação às demais registradas. Tais informações estão sendo submetidas aos procedimentos estatísticos descritivos de posição e variabilidade e analíticos de contraste dentro e entre populações multinomiais. As conclusões alcançadas permitirão contribuir com subsídios aplicados para prevenção e controle de tais agravos.

Dança XE "Dança"  ? Lesões XE "Lesões"  ? Epidemiologia XE "Epidemiologia"

B105

A CRIATIVIDADE NAS COREOGRAFIAS DE GINÁSTICA GERAL

Gabriela Laky Redondo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Elizabeth Paoliello (Orientadora), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

A criatividade é uma característica humana que depende de estímulos sociais, ambientais e educacionais, sendo unânime entre seus teóricos contemporâneos que ela não ocorre sem o estudo prévio do problema. A presença da criatividade na Ginástica Geral(GG) motivou esta pesquisa, pois pela sua característica de livre criação e expressão em que diversas formas de manifestação da cultura corporal podem ser assimiladas, a GG é um espaço permanente de possibilidades criativas.A pesquisa objetiva mostrar a criatividade como característica metodológica essencial do Grupo Ginástico Unicamp(GGU), e como seu desenvolvimento, demonstrado através de algumas características da GG, aparece nas coreografias do grupo. A metodologia da pesquisa deu-se por meio da revisão e análise bibliográfica e de vídeos das coreografias do GGU. Pôde-se concluir que a criatividade é um aspecto relevante da GG na concepção do GGU, visto que o grupo tem nela um de seus eixos fundamentais, sendo amplamente identificada no uso de materiais alternativos, movimentos e formações, e na criação coletiva das coreografias, baseada na exploração das possibilidades dos materiais, do espaço disponível, do número de ginastas e suas experiências anteriores, o que amplia e enriquece o processo de criação e o resultado final expresso nas coreografias apresentadas.

Criatividade XE "Criatividade"  - Ginástica Geral  XE "Ginástica Geral" - Grupo Ginástico UNICAMP XE "Grupo Ginástico UNICAMP"

B106

DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO DOS EXERCÍCIOS BÁSICOS DA RODA GINÁSTICA

Heber Teixeira Pinto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jorge Sergio Pérez Gallardo (Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

A roda ginástica é um aparelho gímnico alemão que surgiu no início do século XX e que hoje é muito difundida como modalidade esportiva na Europa. Esse aparelho permite uma gama muito grande de evoluções dentro ou fora dele, em linha reta, espiral, ou realizar saltos, por isso não tem sido utilizado apenas como uma modalidade esportiva, mas também em apresentações de dança, teatro, circos internacionais (como no caso do circo canadense Cirque du Solei) e apresentações gímnicas, utilizada pelo Grupo de Rodas Ginásticas (GRG) da Unicamp. O trabalho tinha como objetivo desenvolver uma seqüência pedagógica dos exercícios básicos da roda ginástica, no entanto, o trabalho aborda não apenas os exercícios básicos, mas também, exercícios que podem ser executados a partir destes e a utilização dos mesmos em apresentações coreográficas. Pela dificuldade de encontrar livros sobre esta prática, este estudo foi realizado com base em vídeos e sites e contou com duas turmas como grupo de pesquisa: o GRG (turma que foram aplicados os exercícios mais elaborados) e uma turma de extensão (turma que foi trabalhado os exercícios menos elaborados). Faz parte do conteúdo deste trabalho informações gerais sobre as modalidades e sobre os exercícios. Além disso, o trabalho apresenta também variações destes exercícios e algumas outras possibilidades de execução.

Desenvolvimento Pedagógico XE "Desenvolvimento Pedagógico"  - Roda Ginástica XE "Roda Ginástica"  - Educação Física XE "Educação Física"

B107

UMA METODOLOGIA DE ENSINO DE TÉCNICAS CIRCENSES

Marcelo Cazarim Macedo (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Jorge Sergio Pérez Gallardo (Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

Pesquisamos 2 técnicas de cada um dos 4 grandes grupos das Técnicas Circenses: Malabares (bolinhas e claves), Aéreos (tecido e trapézio estático), Equilíbrios (perna-de-pau e monociclo) e as Acrobacias (?cama elástica? e ginástica acrobática). Através da observação e da vivência, pretendemos criar o nosso método de ensino dessas Técnicas Circenses, em três níveis de interesses diferentes, sendo eles: vivência, prática e treino; com o intuito de leva-las ao universo da Educação Física, que traduzimos como Cultura Corporal. Mas após a pesquisa de campo onde tivemos a oportunidade de inserir-nos no universo do Circo Contemporâneo, percebemos que seria inviável criar um método de ensino das 8 técnicas nos três níveis de interesse, pois nos grupos de prática e treino deve haver a presença de um especialista, sendo estes, gerenciados por um profissional de Educação Física, ou seja, necessitaríamos de muito mais tempo para analisar todas essas técnicas. Com isso nos concentramos mais no ambiente escolar, com o intuito de levar o circo à escola. Criando, portanto, um método de ensino das 8 Técnicas Circenses em forma de vivência, possibilitando assim aos professores de Educação Física o uso deste método.

Técnicas Circenses XE "Técnicas Circenses"  - Método de ensino XE "Método de ensino"  - Vivência XE "Vivência"

B108

REFLEXÕES E DEFINIÇÃO DOS OBJETIVOS E MÉTODOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE FORÇA PARA PESSOAS PORTADORAS DE ESCLEROSE MÚLTIPLA

Otávio Luis P. C. Furtado (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria da Consolação G.C.F. Tavares (Orientadora), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

A Esclerose Múltipla é uma doença neurológica crônica que é responsável por lesões na bainha de mielina do sistema nervoso central, provocando falhas ou bloqueios na condução dos impulsos nervosos. A diminuída eficiência na ativação das unidades motoras e o aumento da fadiga central parecem ser fatores que influenciam o desenvolvimento de atividades motoras. A prática de exercícios resistidos tem demonstrado promover ganhos de força em seus praticantes regulares, sejam eles saudáveis ou com necessidades especiais. Neste trabalho, buscamos estabelecer os objetivos e métodos para o desenvolvimento de força para pessoas portadoras de Esclerose Múltipla. A metodologia consistiu de revisão bibliográfica através da base de dados Medline abrangendo o período de 1992 a 2002. Encontramos escassa literatura que abordasse o tema Esclerose Múltipla e fortalecimento muscular. Sugestões de atividades para fortalecimento muscular e exemplo de ganho de força através de atividade aeróbica são destacados. Concluímos que o conhecimento dos aspectos específicos da atividade física voltada para pessoas com Esclerose Múltipla, garante a inclusão destas pessoas em ambientes ricos em experiências motoras e sociabilizantes como academias, clubes e outros locais para prática de atividades motoras, permitindo melhora de sua qualidade de vida.

Esclerose Múltipla XE "Esclerose Múltipla"  - Fortalecimento Muscular XE "Fortalecimento Muscular"  - Atividade Física XE "Atividade Física"

B109

Levantamento do Perfil dos Consumidores de Suplementos Alimentares nas Academias de Campinas

Pablo Christiano Barboza Lollo (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Maria da Consolação Gomes Cunha F. Tavares (Orientadora), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

É notável atualmente a ampla difusão dos suplementos alimentares e vitamínicos pela sociedade. O consumo destes suplementos também é observado em freqüentadores de academias de ginástica. Objetivamos, levantar o perfil dos consumidores de suplementos alimentares nas academias de ginásticas de Campinas, SP, Brasil. Para tal aplicamos um questionário por nós construído e previamente validado. O questionário do tipo autopreenchido foi aplicado em uma amostra casual simples constituída por 29 das 189 academias listadas no Conselho Regional de Educação Física (CREF) ?seccional Campinas- no ano de 2002. Nos resultados observamos que: 292 dos 621 voluntários declararam ter consumido suplementos alimentares no último ano, o consumo pelos homens foi de 68,15% contra 31,85% das mulheres; a faixa etária de consumo mais freqüente foi de 23 a 28 anos situando 35,18% dos homens e 38,71% das mulheres; 74,32% dos consumidores eram solteiros; 65,07% concluíram ou cursavam nível superior; 94,18% dos consumidores declararam praticar musculação. Concluímos que os consumidores de suplementos alimentares típicos das academias de Campinas, SP, Brasil no primeiro trimestre de 2003 são: homens com idade entre 23 e 28 anos, solteiros, com nível superior e praticantes de musculação.

Suplemento alimentar XE "Suplemento alimentar"  - Academias de ginástica XE "Academias de ginástica"  - Perfil dos consumidores XE "Perfil dos consumidores"

B110

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO FÍSICO SOBRE OS ASPECTOS DA APTIDÃO FÍSICA

Simone de Camargo Alem (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Mariângela Gagliardi Caro Salve (Orientadora), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Este projeto de pesquisa tem por objetivo avaliar os graus de desenvolvimento dos componentes relacionados à aptidão física, antes e após a prescrição de um programa de ginástica aeróbica e localizada. Para tal, foram selecionadas 40 mulheres com idade entre 18 e 30 anos. O programa teve duração de 4 meses. As variáveis estudadas foram: perfil das voluntárias, capacidade cardiorespiratória, composição corporal e resistência muscular. Todas as variáveis foram tabuladas. As comparações foram feitas através de gráficos box plot do programa de computador S-Plus. A probabilidade de significância considerada foi *p<0.05 em todas as comparações efetuadas.

Atividade física XE "Atividade física"  - Saúde XE "Saúde"  - Qualidade de vida XE "Qualidade de vida"

B111

ESPORTE-ESPETÁCULO, MEIOS DE COMUNICAÇÃO E PEDAGOGIA DO ESPORTE: REFLEXÕES SOBRE INFLUÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL - 5º A 8ºSÉRIE

Eduardo Fantato Rodrigues (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Paulo Cesar Montagner (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

Da evolução do esporte até chegar ao Esporte-Espetáculo, baseando-se nas suas relações com o desenvolvimento histórico e transformações dos fenômenos da sociedade, desenvolvemos o eixo deste estudo para compreender através de quais elementos o Esporte-Espetáculo influência e interfere no cotidiano dos alunos do ensino fundamental participantes de aulas de Educação Física de 5º a 8º série. Com o objetivo de identificar esse processo utilizamos a metodologia de análise do conteúdo, tendo como instrumentos: entrevistas gravadas compostas por 5 questões realizadas com 16 alunos, questionários com 9 questões semi- estruturadas com 48 alunos e observação dos conteúdos do programa esportivo de televisão mais assistido, Globo Esporte, no decorrer de uma semana. Confirmamos a vocação da televisão como meio de comunicação com grande participação no cotidiano dos alunos, e através da analise de seus conteúdos relacionados ao esporte, observamos significativos indicadores entre o que é percebido, isto é como os alunos identificam e se manifestam em relação ao Esporte - Espetáculo com os conteúdos e mensagens produzidas pelo mesmo fenômeno. Com isso pudemos construir elementos inicias de estudo e atuação para a pedagogia do esporte considerando essa relação Esporte-Espetáculo, Meios de Comunicação e alunos (agentes participantes da pedagogia do esporte.)

Esporte-Espetáculo XE "Esporte-Espetáculo"  - Meios de Comunicação XE "Meios de Comunicação"  - Pedagogia do Esporte XE "Pedagogia do Esporte"

B112

ESTRESSE EM CRIANÇAS NAS COMPETIÇÕES DE KARATÊ

Fabio Augusto Pucineli (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Pedro José Winterstein (Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

A competição é uma das características mais marcantes da sociedade atual. Ela está presente em diversas manifestações humanas, dentre elas o esporte. Cada vez mais, por influências diversas (mídia, família, escola etc.), a prática esportiva se inicia mais cedo. O problema da competição esportiva infantil surge quando são valorizados somente os fins: o desempenho em detrimento da possibilidade educativa da prática, sendo o estresse (processo caracterizado basicamente por um desequilíbrio entre determinadas demandas e as capacidades em responder a elas), um resultado desta condição. Assim, o objetivo deste trabalho é identificar se a competição de Karatê pode ser um fator de estresse para as crianças e como os pais e técnicos podem influenciar no processo. Para isso, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas em cinco campeonatos da modalidade, onde foram entrevistadas 27 crianças, 16 técnicos e 24 pais. As respostas foram agrupadas em categorias de acordo com a aproximação de seus conteúdos, possibilitando a identificação de estresse nas crianças e demonstrando que este processo pode estar acontecendo por influências de terceiros. Desta forma, nota-se a necessidade de uma melhor preparação dos técnicos e dos pais para a competição infantil no Karatê.

Estresse  XE "Estresse" - Competição infantil  XE "Competição infantil" - Karatê XE "Karatê"

B113

Motivação na prática dos esportes radicais

Rafael Augusto Aragon Rodrigues (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Pedro José Winterstein (Orientador), Faculdade de Educação Física - FEF, UNICAMP

O trabalho avaliou hipóteses dos possíveis motivos, que impulsionam algumas pessoas, a praticarem os chamados esportes ?radicais?. O estudo foi motivado, pela carência de dados na psicologia do esporte, que procuram explicar esses motivos.Os esportes que foram considerados pelo estudo foram: paraquedismo, rafting, rapel e escalada. Os indivíduos selecionados para o estudo, foram pessoas que não eram profissionais do esporte, de ambos os sexos e com mais de 18 anos de idade. Para a constatação desses motivos, foi ministrada uma entrevista estruturada para as pessoas selecionadas. As entrevistas exploravam algumas hipóteses possíveis que orientavam esses indivíduos a praticarem esses esportes. Com a análise dos resultados das entrevistas, foi observada uma grande participação da busca de sensações e da motivação para a realização, entre os motivos que influenciam esses indivíduos a praticarem esses esportes. A motivação extrínseca e a busca da auto-estima também foram observadas nesses indivíduos, mas em níveis mais baixos que a motivação para realização e a busca de sensações. Apesar da eficiente coleta de dados realizada pelas entrevistas estruturadas, outras metodologias devem ser utilizadas para um desenvolvimento multilateral do tema.

Motivação XE "Motivação"  - Esportes Radicais XE "Esportes Radicais"  - Entrevista entruturada XE "Entrevista entruturada"

B114

CARACTERIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS DAS COSTELAS DURANTE A RESPIRAÇÃO EM ADULTOS NORMAIS DO SEXO FEMININO E MASCULINO A PARTIR DE VIDEOGRAMETRIA

Amanda Piaia Silvatti (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Ricardo Machado Leite de Barros (Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

Partindo da premissa de que as costelas influenciavam nos movimentos respiratórios, este projeto teve como objetivo a caracterização dos movimentos realizados pelas costelas durante a respiração em adultos normais do sexo feminino e masculino a partir de videogrametria. Utilizamos como metodologia o sistema Dvideow, que visa a análise cinemática tridimensional. Foram realizadas filmagens de voluntários entre 18 e 25 anos, que realizaram seis ciclos respiratórios em Volume Corrente (VC), seis ciclos respiratórios em Capacidade Vital (CV), na posição sentada. O modelo de marcação utilizado para representar a caixa torácica consiste de 100 marcadores posicionados sobre o tronco (posições geométricas e anatômicas). Foram selecionados alguns pontos com maior variação de posição e calculada a distância entre eles na região torácica e na região abdominal. Para isso, foram utilizados os marcadores no esterno, na região lateral de cada costela, na cicatriz umbilical e nas vértebras. Para cada sujeito, analisou-se a correlação entre a distância entre os marcadores na região torácica (DT) e a distância entre os marcadores na região abdominal (DA) obtendo-se, desta forma, uma caracterização do padrão respiratório. Os padrões identificados foram comparados entre os grupos.

Respiração XE "Respiração"  - Movimentos de Costelas XE "Movimentos de Costelas"  - Videogrametria XE "Videogrametria"

B115

Desenvolvimento e Avaliação de Formas de Análise de Ações de Jogadores de Futebol

Clodoaldo José Dechechi (Bolsista PIBIC/CNPq)) e Prof. Dr. Ricardo Machado Leite de Barros (Orientador), Faculdade de Educação Física, FEF, UNICAMP

O presente trabalho objetiva o desenvolvimento de formas de análise de ações dos jogadores de futebol durante a partida. A aquisição de dados foi realizada em um sistema de análise cinemática de movimentos humanos - Dvideow. A coleta de dados foi feita no estádio do Guarani Futebol Clube, tendo sido analisados os deslocamentos dos jogadores das duas equipes, do juiz e da bola, além das ações dos jogadores. A filmagem da partida foi realizada mediante a utilização de seis câmeras digitais. Os processos de aquisição de imagens, medição automática e transformação imagem-objeto-imagem foram realizados segundo Barros et al (1999). Em uma interface do software especialmente desenvolvida para esta aplicação são registradas e arquivadas as ações dos jogadores. Para registrar uma ação, o operador deve selecionar o jogador, a ação e seu resultado em barras de ferramentas do Sistema Dvideow. Foram desenvolvidas as seguintes formas de análise: visualização de ações por jogador, conjunto de jogadores ou por equipe; em um dado intervalo de tempo ou de todo o jogo; visualização por região do campo; analisar por resultado da ação. As formas propostas através desta interface para análise das ações de jogadores mostraram-se eficientes para sumariar os dados permitindo análises quantitativas e qualitativas de aspectos técnicos e táticos do jogo tanto individual quanto coletivamente.

Futebol XE "Futebol"  - Ações XE "Ações"  - Formas de análise XE "Formas de análise"

B116

ANÁLISE CINEMÁTICA DAS TRAJETÓRIAS DOS JOGADORES DE FUTEBOL

Rafael Pombo Menezes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo Machado Leite de Barros (Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

O objetivo deste trabalho foi o desenvolvimento de formas de análise das trajetórias dos jogadores de futebol durante uma partida. Para isso foi utilizado um sistema de análise cinemática de movimentos humanos, o Sistema Dvideow, em desenvolvimento no Laboratório de Instrumentação para Biomecânica (LIB), da Faculdade de Educação Física. A coleta de dados foi feita no estádio do Guarani Futebol Clube, na cidade de Campinas, sendo realizada com a utilização de seis câmeras digitais. Os processos de calibração, aquisição de imagens, medição automática e transformação imagem-objeto-imagem foram realizado segundo metodologia proposta por Barros et al (1999). Algumas funções foram desenvolvidas em ambiente MATLAB para que os dados coletados fossem processados de forma a possibilitar a visualização dos gráficos. Essas funções permitem ao operador selecionar o jogador a ser analisado, o intervalo de tempo e o parâmetro de filtragem. Os dados finais são apresentados tanto graficamente (demonstração da trajetória do jogador, apresentação das curvas de velocidade), quanto quantitativamente (totalização da distância percorrida pelo jogador). Essas variáveis analisadas servem de ferramentas para que preparadores físicos e treinadores de equipes de futebol tenham valores reais das distâncias percorridas e distribuições de velocidades que o atleta adota durante a partida.

Futebol XE "Futebol"  - Análise cinemática XE "Análise cinemática"  - Formas de análise XE "Formas de análise"

B117

Pedagogia do esporte: teorias e práticas da iniciação do basquetebol

Rachel Ciaco Nunes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Roberto Rodrigues Paes (Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

Existem diversas metodologias possíveis de serem aplicadas ao ensino do basquetebol. Algumas delas restringem o aprendizado das crianças aos aspectos técnicos, táticos e físicos. Outras metodologias possibilitam aos alunos adquirirem um conhecimento amplo sobre o esporte, em todas as suas dimensões. Neste contexto, o ensino da modalidade tem como foco o desenvolvimento integral do aluno, ampliando suas possibilidades através de atividades que estimulem a cooperação e o prazer pela prática. Levando em consideração as necessidades específicas de crianças na faixa etária dos sete aos nove anos de idade, o estudo se justifica por atribuir à iniciação esportiva um significado educativo, pois para nós o esporte pode ser um facilitador do processo educacional. Este estudo elenca as diversas possibilidades metodológicas e analisa em campo como as práticas são aplicadas. A pesquisa é qualitativa e os métodos utilizados são: pesquisa bibliográfica, observação das aulas coletando dados através de um diário de campo e uma análise videográfica, e entrevista semi-estruturada com os professores responsáveis. Os resultados obtidos evidenciam que há uma incoerência entre o discurso metodológico e a sua prática, mas também evidenciam que é necessário buscar novas propostas metodológicas para dar conta do esporte como fenômeno, e possibilitar as crianças praticar o basquetebol desenvolvendo todas as suas competências.

Basquetebol XE "Basquetebol"  ? Metodologia XE "Metodologia"  ? Pedagogia XE "Pedagogia"

B118

ATIVIDADES FÍSICAS COMBINADAS (AFC) PARA MULHERES MENOPAUSADAS ATIVAS

Luciana Paula Brugliato (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Vera Aparecida Madruga Forti (Orientadora), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

Introdução: O aumento da expectativa vida leva-nos a buscar novas formas de melhorar a qualidade de vida em mulheres menopausadas e a prática regular de atividades físicas têm sido indicada por propiciar benefícios fisiológicos nessa fase. Objetivo: verificar como um programa de ATF (atividades aeróbias e de resistência muscular localizada na água e no solo) pode melhorar: a composição corporal, o condicionamento cardiorrespiratório e a flexibilidade em mulheres menopausadas. Matérias e Métodos: Foram avaliadas 22 mulheres, antes e após 16 semanas de AFC. Realizamos: avaliação antropométrica (Dobras Cutâneas, Peso, Altura), avaliação cardiorrespiratória (Teste de 2400m) e testes de flexibilidade. Resultados: Mostraram redução nos valores: do Peso Corporal, do Índice de Massa Corporal e do Percentual de Gordura Corporal e um aumento da Densidade Corporal, sendo que nas duas ultimas variáveis as diferenças foram estatisticamente significantes. Também ocorreu uma redução nos valores da Freqüência Cardíaca de Repouso e no Tempo utilizado para percorrer os 2400m, e um aumento do VO2máx, diferenças estatisticamente significantes. Os valores da flexibilidade de Elevação de Ombro, da Coluna Inferior e da Extensão de Tronco aumentaram, porém apenas a ultima foi estatisticamente significante. Conclusão: O programa de AFC proporcionou melhoras fisiológicas significativas em mulheres já condicionadas, sendo que estas ocorreram devido ao aumento da freqüência semanal e à continuidade da prática.

Mulher XE "Mulher"  - Menopausa XE "Menopausa"  - Atividades Físicas XE "Atividades Físicas"

Faculdade de Odontologia

B119

Análise clínica da aplicação do gel de doxiciclina à 10% em sítios que não responderam ao tratamento periodontal

Ana Maria Jacomazzi (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Prof. Dr. Antonio Fernando Martorelli de Lima (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

Proposição: O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos clínicos da aplicação do gel de doxiciclina a 10% em sítios que não responderam de forma ideal ao tratamento periodontal. Materiais e Métodos: O estudo foi conduzido em 12 pacientes que receberam tratamento periodontal pelo menos noventa dias antes deste estudo. Cada paciente contribuiu com um sítio que permaneceu com profundidade de sondagem > 5,0 mm. Os sítios foram divididos aleatoriamente em: grupo teste tratados com nova instrumentação periodontal e a aplicação do gel de doxiciclina a 10%, e grupo controle tratados com instrumentação periodontal. Os pacientes foram avaliados com os parâmetros clínicos de profundidade de sondagem (PS), nível clínico de inserção (NCI) e nível da margem gengival (NMG) nos exames inicial, 30, 60, 90 e 180 dias após o tratamento. Resultados: Os resultados obtidos entre os exames inicial e 180 dias mostraram redução na PS de 3,03 mm para o grupo teste e 2,76 mm para o controle (p < 0,05). Houve ganho no NCI nos grupos teste (2,93 mm) e controle (2,67 mm), com diferença estatística significativa apenas para o grupo teste. Não houve diferença estatística significativa no NMG entre os grupos sendo a recessão gengival de 0,44 mm no grupo teste e 0,14 mm no grupo controle. Conclusão: A evolução dos parâmetros PS e NCI sugere melhor resposta clínica para sítios tratados com instrumentação periodontal associada a aplicação do gel doxiciclina a 10%.

Doxiciclina XE "Doxiciclina"  - Tratamento periodontal XE "Tratamento periodontal"  - Nível clínico de inserção XE "Nível clínico de inserção."

B120

Estudo in vitro da atividade antimicrobiana de protocolos utilizados para descontaminação do campo operatório em endodontia

Frederico Marques Lima dos Santos (Bolsista SAE/PRG), Profa. Dra. Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes (Orientadora) e Jacinto R.C. (Co-orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

Agentes antimicrobianos tópicos têm sido estudados como protocolos de descontaminação da coroa dental e câmara pulpar previamente ao tratamento endodôntico. O objetivo deste estudo foi investigar in vitro a atividade antimicrobiana das soluções de H2O2 (3%, 30%), hipoclorito de sódio (NaOCl 5,25%, 2,5%) e iodo 5% frente a alguns microrganismos possíveis de serem isolados da cavidade oral. Cilindros de aço inox foram colocados sobre meio de cultura ágar contendo microrganismos e dentro destes foram inoculadas as soluções. As placas foram deixadas em condições gasosas apropriadas. Após o período de incubação, as zonas de inibição do crescimento ao redor do cilindro de aço inox foram medidas e os resultados analisados estatisticamente (Teste Kruskal-Wallis, p<0,05). A atividade antimicrobiana in vitro das soluções descontaminantes em ordem decrescente foi: H2O2 30%, H2O2 3%, NaOCl 5,25%, NaOCl 2,5% e iodo 5%. H2O2 30% apresentou média dos halos de inibição significantemente maior (25,01 mm) que as demais soluções (p<0,05). Iodo 5% apresentou a menor média dos halos de inibição (0,98mm). E. faecalis foi o microrganismo mais resistente (6,85 mm)(p<0,05). Todas as soluções apresentaram atividade antimicrobiana. Apoio Fapesp 00/13609-7 CNPq 520277/99-6 PIBIC

Descontaminação XE "Descontaminação"  - Antimicrobianos XE "Antimicrobianos"  - Tratamento endodôntico XE "Tratamento endodôntico"

B121

ENSAIO DE RUGOSIDADE SUPERFICIAL E SOLUBILIDADE EM RESINAS ACRÍLICAS ATIVADAS TERMICAMENTE POR ENERGIA DE MICROONDAS E BANHO DE ÁGUA, ASSOCIADO AO POLIMENTO QUÍMICO E CONVENCIONAL

Morgana Nicoleti Gabriotti (Bolsista PIBIC/CNPq), Cristiane Machado (Colaboradora) e Profa. Dra. Célia Mariza Rizzatti-Barbosa (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

O objetivo deste trabalho foi realizar testes de solubilidade e rugosidade superficial em amostras confeccionadas com resina termopolimerizável processadas por: 1) energia de microondas 500 Watts/3 min. e 2) banho de água à 73ºC ± 1ºC/ 9 horas. As amostras foram polidas por dois métodos: polimento químico e polimento mecânico convencional. Foram confeccionadas 40 amostras, de acordo com a especificação nº 12 da A.D.A, reunidas aleatoriamente em 4 grupos, com 10 repetições para cada um :GI: energia de microondas e polimento químico, GII: energia de microondas e polimento convencional, GIII: banho de água e polimento químico e GIV: banho de água e polimento convencional. As amostras foram submetidas aos testes de solubilidade e rugosidade superficial. Os resultados para solubilidade, em mg/cm², foram: GI: 0,00016; GII:0,0001; GIII: 0,00013; GIV: 0,00008. Resultados de rugosidade superficial, em (m: GI: 0,4918; GII: 0,1084; GIII: 0,4190; GIV: 0,1011. De acordo com os resultados concluiu-se que: 1) amostras polimerizadas por banho de água e polidas mecanicamente apresentaram menor grau de solubilidade e 2) amostras polidas mecanicamente apresentaram menor rugosidade superficial.

Resinas XE "Resinas"  - Polimento XE "Polimento"  - Polimerização XE "Polimerização"

B122

Efeito dose-resposta da reatividade do fluoreto com o esmalte dental

Rodrigo Alex Arthur (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Cínthia Pereira Machado Tabchoury (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP,UNICAMP

Os modelos de avaliação da reatividade do fluoreto (F) com o esmalte dental devem comprovar relação dose-resposta. Assim, o presente trabalho objetivou avaliar a relação dose-efeito entre concentração de F em solução aquosa e sua incorporação pelo esmalte bovino hígido e com lesão cariosa artificial. Para isso, blocos dentais hígidos e com lesão cariosa artificial foram distribuídos aleatoriamente nos seguintes grupos de tratamento: água destilada deionizada (G1), solução de 50 ppm F (G2), solução de 100 ppm F (G3), solução de 200 ppm F (G4) e solução de 400 ppm F (G5). Cada grupo recebeu 12 blocos hígidos e 12 cariados, que foram tratados com 2 mL de solução para cada mm2 de área exposta de esmalte, sob agitação constante por 10 min. F presente no esmalte foi determinado removendo-se 2 camadas de esmalte com HCl 0,5 M seguido de análise em eletrodo íon específico. Os resultados (média±dp) de F no esmalte ((g/g) na 1a camada para blocos hígidos foram: G1: 76,9±49,9; G2: 78,9±24,9; G3: 98,5±49,8; G4: 104,1±31,9; G5: 172,7±39,9 (R2=0,974; p<0,00001); para blocos cariados: G1: 146,8±40,1; G2: 425,7±73,7; G3: 560,7±98,3; G4: 680,1±116,1; G5: 837,7±92,9 (R2=0,929; p<0,00001); e na 2a camada: G1: 142,7±60,3; G2: 499,6±33,9; G3: 491,7±94,2; G4: 710,4±146,1; G5: 814,3±173,3 (R2=0,878; p<0,00001). Os resultados mostram que o modelo usado apresenta relação dose-efeito entre a concentração de F e sua incorporação pelo esmalte dental hígido e com lesão cariosa artificial, sugerindo seu uso tanto em pesquisa básica como na avaliação de produtos fluoretados para higiene bucal.

Fluoreto XE "Fluoreto"  - Dose resposta XE "Dose resposta"  - Esmalte dental XE "Esmalte dental"

B123

EFEITO DOS PARABENOS NA INCORPORAÇÃO DE FLUORETO PELO ESMALTE DENTAL

Vanessa Silva Tramontino (Bolsista FAPESP), Profa. Dra. Cínthia Pereira Machado Tabchoury (Orientadora) e Prof. Dr. Jaime Aparecido Cury (Co-Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

Trabalhos anteriores têm mostrado que enxaguatórios bucais fluoretados, comerciais ou não, contendo o conservante metilparabeno (MP) apresentam aumento na incorporação de fluoreto (F) pelo esmalte dental. Este efeito pode ser simplesmente devido ao menor pH da solução ou à capacidade do MP facilitar a difusão do F para o interior do esmalte. Assim, as soluções foram tamponadas e propilparabeno (PP) foi usado como controle por ser mais difusível. Blocos de esmalte dental bovino com lesão cariosa artificial foram aleatoriamente distribuídos nos seguintes grupos (n=12) de tratamentos com NaF (200 ppm F): (G1) NaF - controle positivo; (G2) NaF e MP 13 mM; (G3) NaF e PP 13 mM em propilenoglicol 35% (usado para solubilizar o PP); (G4) NaF em propilenoglicol 35%. Todas as soluções continham tampão cacodilato 0,1 M e o pH foi ajustado para 6,27. Os blocos foram tratados com 2 mL de solução/ mm2 de área exposta de esmalte, sob agitação constante por 10 min. F incorporado foi determinado removendo-se 2 camadas de esmalte com HCl 0,5 M, seguidas de análise com eletrodo específico. Os resultados (média±dp) de F no esmalte (?g/g) presente na 1a camada foram: (G1) 1327,0±178,2a; (G2) 1316,9±112,7a; (G3) 1209,1±205,2a; (G4) 1055,7±95,8b; F total nas 2 camadas: (G1) 2718,2±270,8ab; (G2) 2729,7±117,7a; (G3) 2515,9±249,9b; (G4) 2298,1±154,8c. Tratamentos seguidos por letras distintas diferem entre si pelo teste de Newman-Keuls (p<0,05). Os resultados sugerem que o propilparabeno pode aumentar a reatividade do fluoreto com o esmalte dental.(Fapesp 02/14064-6)

Flúor XE "Flúor"  - Parabenos XE "Parabenos"  - Esmalte dental XE "Esmalte dental"

B124

AVALIAÇÃO ELETROMIOGRÁFICA DO M. MASSÉTER EM CRIANÇAS EM DENTIÇÃO MISTA

Francine Petrecca (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Fausto Bérzin (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

O objetivo desse estudo foi avaliar o padrão de atividade elétrica do músculo masseter, bilateralmente, em 15 crianças com idade entre 06 e 11 anos em fase de dentição mista, oclusão dentária e postura da cabeça normais. A avaliação eletromiográfica do músculo masséter foi realizada com eletromiógrafo de 12 canais e Software para apresentação simultânea de todas as coletas adquiridas e janelamento dos sinais, além da realização do processamento do sinal mioelétrico - Myosystem. Os registros eletromiográficos foram obtidos através de eletrodos ativos de superfície fixados na pele sobre os músculos masséter direito e esquerdo, durante o repouso, contração voluntária máxima( isometria) e mastigação ( isotonia). Os resultados foram avaliados a partir dos valores de RMS ((V) e freqüência mediana (Hz) do sinal processado, sugerindo ser padrões para os músculos estudados. Os resultados finais encontram-se tabelados abaixo :

REPOUSO

ISOTONIA

ISOMETRIA

Masséter

RMS

F. mediana

RMS

F. mediana

RMS

F. mediana

Direito

2,803

113,691

69,716

153,487

110,278

171,779

Esquerdo

3,032

124,537

65,110

170,308

116,366

177,989

Eletromiografia  XE "Eletromiografia" - Músculo Masséter  XE "Músculo Masséter" - Dentição Mista XE "Dentição Mista"

B125

AVALIAÇÃO DA VARIABILIDADE EM ESTUDOS ENVOLVENDO ANESTESIA ODONTOLÓGICA

Patrícia Maria Wiziack Zago (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Ranali (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

O objetivo deste trabalho foi analisar os coeficientes de variação (CV) da latência da anestesia (LA), duração da anestesia pulpar (AP) e duração da anestesia em tecidos moles (TM) em estudos de eficiência anestésica em odontologia. Foram analisados 143 artigos científicos (base de dados MEDLINE, de 1963 a 2001), dos quais 59 forneciam o CV ou permitiam calculá-lo. Os dados foram classificados segundo a variável estudada, número de tratamentos e delineamento experimental. Classificação geral dos CV: LA: baixo (CV(22,52%), médio (22,52%141,19%); AP: baixo (CV(23,39%), médio (23,39%113,13%); AM: baixo (CV(16,86%), médio (16,86%84,67%). Também foi realizada a classificação dos CV de acordo com cada parâmetro estudado (técnica, solução anestésica, arcada anestesiada, método de avaliação da anestesia). A classificação dos coeficientes de variação, para cada variável, apresentada neste estudo deve servir de parâmetro para estudos semelhantes. Para ter resultados validados, um estudo deverá apresentar coeficientes de variação dentro das classes baixo ou médio aqui calculadas.

Coeficiente de variação XE "Coeficiente de variação"  - Anestesiologia XE "Anestesiologia"  - Odontologia XE "Odontologia"  XE "Odontologia"

B126

Avaliação da intensidade de dor em anestesia local: comparação entre escalas.

Paula Cristina Brunetto (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. José Ranali (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

Não há consenso na literatura sobre a eficiência dos métodos para medir sensibilidade dolorosa. Avaliou-se neste estudo a eficiência de 5 escalas (Escala Analógica Visual (EAV), Escala numérica de 101 pontos (E101), Escala de 11 pontos em caixa (E11), Escala verbal de 4 pontos (EV4) e Escala verbal de 5 pontos (EV5)( em medir a sensibilidade dolorosa produzida pela anestesia local em 119 voluntários submetidos a tratamento odontológico. As escalas foram aplicadas por um único pesquisador e em ordem aleatória. Foram aplicados os testes de correlação de Spearman e de McNemar para avaliação da correlação entre as escalas e de incidência de respostas incorretas. Verificou-se correlação altamente significativa entre as 5 escalas em relação à intensidade de dor (E101 e E11: r= 0,83; E101 e EV4: r= 0,68; E101 e EV5: r= 0,62; E101 e EAV: r= 0,76; E11 e EV4: r= 0,74; E11 e EV5: r= 0,57; E11 e EAV: r= 0,80; EV4 e EV5: r= 0,63; EV4 e EAV: r= 0,67; EV5 e EAV: r= 0,61). Quanto à incidência de respostas incorretas (E101= 1; E11= 0; EV4= 3; EV5= 8; EAV= 17), verificou-se diferença estatisticamente significante entre E11 e EAV (p= 0,0001) e E11 e EV5 (p= 0,01). Não houve diferença significante entre E101 e E11 (p= 1) e E11 e EV4 (p= 0,25). Nas condições deste experimento, pode-se concluir que a E11 é a escala que apresenta o melhor desempenho e a EAV a que causa maiores problemas de entendimento pelos voluntários.

Anestesia local XE "Anestesia local"  ? Escalas de dor XE "Escalas de dor"  - Sensação dolorosa XE "Sensação dolorosa"

B127

AVALIAÇÃO IN VITRO DA RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DE BRÁQUETES RECICLADOS E NOVOS RECOLADOS

Patrícia D? Almeida Baldinotti (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

O objetivo deste estudo foi avaliar a resistência ao cisalhamento de 3 tipos de bráquetes reciclados e novos colados com resina Concise Ortodôntico. Foram utilizados 150 pré-molares nos quais foram colados bráquetes (Morelli, Dentaurum e Abzil-Lancer) com resina Concise Ortodôntico. Após a fixação, obteve-se 50 dentes fixados com cada tipo de bráquete. As amostras foram divididas em 5 grupos I, II, III, IV e V, de 10 cada. Em seguida, os bráquetes dos Grupos II, III IV e V foram removidos com alicate e a superfície do dente limpa. Nos grupos II, III e IV foram recolados os mesmos bráquetes reciclados por jateamento com óxido de alumínio 90 (m, remoção com pedra de carboneto de silício e industrialmente e no grupo V recolados bráquetes novos. Em seguida, foram armazenados em água destilada à 37oC, por 24 horas e submetidos ao teste de cisalhamento numa Instron a velocidade de 0,5 mm/min.. Os resultados foram submetidos a análise de variância e ao teste de Tukey (5%) e mostraram que os bráquetes Abzil-Lancer e Dentaurum apresentaram valores estatisticamente superiores em relação aos bráquetes Morelli, dentro dos tratamentos. Para as três marcas comerciais de bráquetes, o grupo Controle mostrou valores estatisticamente superiores em relação aos tratamentos com óxido de alumínio 90 (m, pedra abrasiva, empresa e novos reciclados.

Bráquetes XE "Bráquetes"  - Reciclagem XE "Reciclagem"  - Ortodontia XE "Ortodontia"

B128

Efeito da aplicação DO PERÓXIDO DE CARBAMIDA COM ADIÇÃO DE FLÚOR E CÁLCIO sobre a resistência intrínseca do ESMALTE.

Alessandra Peres da Silva (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Marcelo Giannini (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

Este estudo avaliou a resistência a tração (RT) do esmalte tratado com peróxido de carbamida a 10% (PC10) com ou sem adição de Ca++ ou F-. Sobre a superfície oclusal de 15 molares hígidos foram confeccionados blocos de resina de 4 mm de altura, após condicionamento ácido e aplicação de adesivo (Single Bond - 3M/ESPE). Secções seriadas foram realizadas obtendo fatias com 0,7 mm de espessura. Na região central de cada fatia e abaixo da interface de união foi realizada uma constrição com área aproximada de 0,8 mm2 em esmalte. Seis tratamentos foram propostos (n = 20): controle (C - sem clareamento); PC10 (W10 - Whiteness); PC10 com adição de F- 0,2%, com F- 0,5%, com Ca++ 0,05% e com Ca++ 0,2%. Os grupos foram submetidos à aplicação das soluções clareadoras por 6 horas diárias por 14 dias e no restante do período foram mantidos em saliva artificial a 37ºC. Após o clareamento, os espécimes foram submetidos ao ensaio de microtração em máquina de ensaio universal (0,5 mm/min - Instron 4411). Os resultados foram submetidos a ANOVA (fator único) e teste de SNK (p < 0,05). As médias de RT foram (MPa): C: 38,11+ 4,09 a; PC 10: 26,60+ 4,81 b; PC10 F- 0,2%: 29,17+ 6,14 b; PC10 F- 0,5%: 31,68+ 7,5 ab; PC10 Ca++ 0,05%: 29,78 + 5,77 b; e PC10 Ca++ 0,2%: 34,68+5,37 ab.Os resultados sugerem que o esmalte tratado com agentes clareadores com adição de F-0,5% ou Ca++0,2% não reduziram a RT.

Clareamento XE "Clareamento"  - Esmalte XE "Esmalte"  ? Microtração XE "Microtração"

B129

Efeito do peróxido de carbamida fluoretado em lesões iniciais de cárie in vitro

Cristiane Franco Pinto (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Marcelo Giannini (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito do peróxido de carbamida fluoretado em lesões iniciais de cárie através de um modelo de ciclagens de pH. Blocos de esmalte humano (n=6) foram aleatoriamente divididos em dois tratamentos: gel placebo não fluoretado, pH 7,0 (GP) e gel de peróxido de carbamida a 10% fluoretado (GF), 0,11% F, pH 6,8. Blocos de esmalte com dureza de superfície conhecida foram desmineralizados utilizando solução de tampão acetato 0,05 M, 50% saturada de pó de esmalte humano durante 16h a 37oC. Os blocos foram submetidos às ciclagens de pH durante 12 dias consistindo de 4 fases diárias: (1) tratamento com suspensão de dentifrício fluoretado (1100 ppm F como NaF) 2x/dia simulando escovação; (2) entre os tratamentos com dentifrício, os blocos foram individualmente imersos em saliva artificial a 37oC; (3) para simular desafios cariogênicos, os blocos foram individualmente imersos em solução desmineralizante durante 2h a 37oC; (4) para simular o tratamento diário com agente clareador, os blocos foram submetidos aos tratamentos GF ou GP durante 8h a 37oC. A dureza de superfície foi determinada nos blocos de esmalte antes, após desmineralização e após as ciclagens de pH. Os resultados (médias ± dp) da % de recuperação de dureza de acordo com os tratamentos GP e GF foram respectivamente: 2,8 ± 2,1a e 19,7 ± 4,6 b (p<0,05, teste t ). Os resultados preliminares sugerem que o tratamento GF foi mais eficaz que o GP na remineralização de lesões iniciais de cárie.

Clareamento dental XE "Clareamento dental"  - Peróxido de carbamida XE "Peróxido de carbamida"  - Cárie XE "Cárie"

B130

Relação entre grau de ansiedade e intensidade de dor em anestesia local e cirurgia periodontal

Andrea M. Paulo de Siqueira (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Maria Cristina Volpato (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP

A sensação dolorosa influencia a ansiedade ao tratamento odontológico. Avaliou-se a relação entre ansiedade ao tratamento odontológico e sensação dolorosa em 15 voluntários. Duas sessões de atendimento foram realizadas: 1) Anestesia local (AL1) e raspagem periodontal (RP); 2) Anestesia local (AL2) e cirurgia periodontal (CP). O grau de ansiedade (GA) foi avaliado pela Escala de Ansiedade dental de Corah (EADC), aplicada antes das sessões e a sensibilidade dolorosa (SD), pela Escala Analógica Visual (EAV), no fim das sessões. Foram aplicados os testes de Wilcoxon (para GA e SD) e o de correlação de Spearman (correlação entre GA e SD). Não houve diferença significativa no GA entre sessões (p=0,72), sendo a maioria levemente ansiosa. Para SD observou-se diferença significativa entre procedimentos na 2a sessão (X(SD:AL2= 1,66(1,60; CP=0,75(1,18; p= 0,04), mas não na 1a sessão (X(SD:AL1= 1,26(0,83; RP=0,69(1,16; p=0,08). Não houve diferença de SD entre sessões para anestesia local (X(SD:AL1= 1,26(0,83; AL2=1,66(1,60; p= 0,59) e procedimento periodontal (X(SD:RP= 0,69(1,16; CP=0,75(1,18; p= 0,68). Não houve correlação entre GA e SD em nenhum dos procedimentos (AL1 e GA: p= 0,58; AL2 e GA: p= 0,20; RP e GA: p= 0,87; CP e GA: p= 0,43). Conclui-se que a dor sentida na anestesia local foi superior à do procedimento periodontal e que, no nível de ansiedade dos voluntários, a expectativa de dor não influenciou o grau de ansiedade.

Ansiedade/dor XE "Ansiedade/dor"  - Anestesia local XE "Anestesia local"  - Tratamento periodontal XE "Tratamento periodontal"

B131

AVALIAÇÃO DA VARIABILIDADE EM ESTUDOS ENVOLVENDO PARÂMETROS CARDIOVASCULARES

Débora Gaiotto Alves (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Cristina Volpato (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

O objetivo deste trabalho foi analisar os coeficientes de variação (CV) das pressões arteriais sistólica (PAS), diastólica (PAD) e média (PAM) e da freqüência cardíaca (FC) em estudos de anestesia odontológica. Foram analisados 179 artigos científicos (base de dados MEDLINE, de 1958 a 2002), dos quais 32 forneciam o CV ou permitiam calculá-lo. Os dados foram classificados segundo a variável estudada, número de tratamentos e delineamento experimental. Classificação geral dos CV: PAS: baixo (CV(3,77%), médio (3,77%< CV<11,33%), alto (11,33%15,10%); PAD: baixo (CV«5,53%), médio (5,53%19,64%); PAM: baixo (CV«3,75%), médio (3,75%11,73%) alto (11,73%15,72%); FC: baixo (CV«5,79%), médio (5,79%21,50%). Foram realizadas as classificações dos CV para cada parâmetro estudado (solução anestésica, pacientes normotensos e cardíacos). Para ter resultados validados, um estudo deverá apresentar coeficientes de variação dentro das classes médio ou baixo aqui calculadas a partir dos resultados da literatura.

Coeficiente de variação XE "Coeficiente de variação"  - Parâmetros cardiovasculares XE "Parâmetros cardiovasculares"  - Anestesia odontológica XE "Anestesiologia odontológica"

B132

EFEITO DO MÉTODO DE FOTOATIVAÇÃO E DA UNIÃO À PAREDE CAVITÁRIA NA CONTRAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO DE UM COMPÓSITO RESTAURADOR

Lídia Santarsieri (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Mário Alexandre Coelho Sinhoreti (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

Este estudo verificou o efeito de métodos de fotoativação sobre a contração de polimerização do compósito Z100, unido ou não às paredes cavitárias. Foram confeccionadas 64 matrizes circulares metálicas de 2,5 mm de espessura e 6 mm de diâmetro. As matrizes foram separadas em quatro grupos de 16 amostras, de acordo com o método de fotoativação: (LC) Luz contínua; (DI) ? Dupla intensidade de luz; (PX) ? Arco de plasma de xenônio; e (LD) ? LED. Metade das amostras teve a aplicação prévia do sistema adesivo SBMP plus nas paredes internas da cavidade e metade não. As cavidades foram preenchidas com o compósito Z100 e fotoativadas com um dos quatro métodos. Após 24 horas, foram levadas a um microscópio eletrônico de varredura com baixo vácuo e a fenda entre metal e compósito mensurada. Os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey (5%). As médias de fenda formada para cada grupo, com e sem a aplicação do adesivo, foram, respectivamente: LC ? 5,8mm e 13,3mm ; DI ? 5,6mm e 11,2mm; PX ? 5,6mm e 10,8mm; e LD - 5,6mm e 13,4mm. Não houve diferença estatística entre os métodos quando se usou ou não o adesivo. Para todos os métodos, o uso do adesivo promoveu menor formação de fenda na interface metal-compósito. O método de fotoativação não influenciou o nível de formação de fendas, mas o uso do adesivo reduziu significativamente a formação destas.

Compósito XE "Compósito"  - Método de fotoativação XE "Método de fotoativação"  - Contração de polimerização XE "Contração de polimerização"

B133

AVALIAÇÃO ELETROMIOGRÁFICA DOS MÚSCULOS POSTURAIS EM POSIÇÃO DE TRABALHO EM ESTUDANTES DE DIFERENTES CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS

Luciana Bianchi, CASARIN,C.A.S., ASSUMPÇÃO, C. O. e Prof. Dr. Paulo Henrique Ferreira Caria, Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

Postura é toda e qualquer posição que o corpo pode assumir em relação ao ambiente em que se encontra. A postura do dentista, tem sido a causadora de dores e disfunções durante o trabalho odontológico. Os maiores fatores de riscos estão no prolongado período da postura sentada, pelo limitado espaço de movimentação e pela contração isométrica criada pelo trabalho executado. O trabalho teve como objetivo investigar através da Eletromiografia de Superfície, o ponto de Fadiga Referida e o comportamento eletromiográfico dos músculos Deltóide (p. Medial), Trapézio (p. Superior) e dos músculos Cervicais, que são posturais na posição de trabalho Odontológico. Foram avaliados 30 estudantes de Odontologia em posição de trabalho, divididos em 3 grupos em duas diferentes especialidades e um grupo não Odontólogo. Os músculos mais ativos e que apresentaram sinais de Fadiga foram o M. Trapézio e o M. Deltóide respectivamente. Os músculos Cervicais se apresentaram menos ativos em relação aos outros e não apresentaram sinais de fadiga. Concluímos que a manutenção da má postura por períodos muito prolongados leva a fadiga e a dores musculares podendo levar à uma lesão crônica. Como forma de prevenção e tratamento sugere-se pequenas pausas durante o trabalho com alongamentos e correções posturais.

Postura XE "Postura"  - Ergonomia XE "Ergonomia"  - Eletromiografia XE "Eletromiografia"

B134

Efeito do clareamento com peróxido de carbamida sobre a microbiota oral

Michelle F. Montan (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Pedro L. Rosalen (Orientador), José A. Rodrigues, Juliana C. Ramacciato, Giselle M. Marchi e Prof. Dr. Francisco C. Groppo, Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

A atividade antimicrobiana do peróxido de carbamida (PC) 37% e a 10% foi avaliada. Foram estudados o clareamento com gel de PC a 37% (Whiteness Super-FGM) aplicado em consultório (W37); gel a 10% (Whiteness Perfect-FGM) aplicado em casa (W10); gel placebo aplicado em casa (PlaC) e em consultório (PlaCon). 32 voluntários foram divididos em 4 grupos: G1=W37+W10; G2=W37+PlaC; G3=PlaCon+W10 e G4=PlaC+PlaCon. Durante 3 semanas, 4 colheitas de saliva/semana foram feitas: antes (C1), 5 min (C2), 30 min (C3), 12 horas (C4) e 3 semanas após aplicação (C5). UFC/mL foram obtidas após diluição, dispersão em MSB (grupo mutans ? GM) e ágar sangue (microrganismos totais - MT). Foram incubados em microaerofilia durante 48 horas. O teste de Kruskal-Wallis (alfa=0,05) comparou as contagens microbianas. Para o GM (médiax103 ± DPx103), foi observada redução (80,7%) de 2,4(1,9) para 0,47(0,48) após 3 semanas para G1; redução (70,3%) de 1,2(1,0) para 0,35(0,18) para G2; redução (73,2%) de 1,2(1,4) para 0,33(0,6) para G3; redução de (46,2%) de 1,5 (0,8) para 0,82(0,32) para G4. Para MT (médiax107 ± DPx107), foi observada redução (96,6%) de 1,7(4,3) para 0,05(0,03) após 3 semanas para G1; redução (17,1%) de 0,15(0,16) para 0,13(0,01) para G2; redução (66,5%) de 0,16(0,14) para 0,05(0,04) para G3; redução de (46,8%) de 0,29(0,44) para 0,15(0,2) para G4. O PC foi eficaz em reduzir tanto GM quanto MT, nas concentrações e formas de uso estudadas.

Antimicrobiano XE "Antimicrobiano"  - Microbiota Oral XE "Microbiota Oral"  - Clareador Dental XE "Clareador Dental"

B135

Análise "in vitro" da produção de polissacarídeos extracelulares e capacidade de aderência de "Streptococcus mutans" e "Streptococcus sobrinus"

Rafael Nobrega Stipp (Bolsista SAE/PRG), Flávia Martão (Doutoranda), Prof. Dr. José Francisco Höfling (Co-Orientador) e Prof. Dr. Reginaldo Bruno Gonçalves (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

O objetivo deste estudo foi analisar a expressão de fatores virulência in vitro por cepas de estreptococos grupo mutans isoladas de diferentes microambientes da cavidade oral de indivíduos com cárie ativa e cárie paralisada. O isolamento e identificação bioquímica das espécies de S. mutans (SM, 280 cepas) e S. sobrinus (SS, 36 cepas) foram realizados através de amostras coletadas de oito voluntários (6 anos DP±1), de três sítios distintos (saliva, superfície oclusal com lesão e superfície lisa hígida). As análises in vitro da capacidade de aderência sacarose dependente e produção de polissacarídeos extracelulares insolúveis em água (PEI) foram executadas em triplicata em cada intervalo de tempo pré estabelecido de 12, 18 e 24 horas, em meio BHI com 1% de sacarose (pCO210%/37°C) com inóculo em fase logarítmica previamente padronizado por espectrofotômetro. Os dados obtidos mostraram que espécies isoladas de superfícies hígidas e cariadas no grupo carie-ativa apresentaram valores de aderência maior do que aquelas presentes em saliva no tempo de 18 horas (p<0.05). A espécie SS mostrou valores de aderência superiores as de SM, independentemente do grupo ou sítio analisado (p<0.05), existindo forte correlação positiva entre a produção de PEI e a capacidade de aderência celular das diferentes cepas (p<0.001). Conclui-se que há diversidade na capacidade de aderência in vitro e produção de polissacarídeos extracelulares insolúveis nas cepas isoladas nos diferentes microambientes bucais.

S. mutans XE "S. mutans"  - Polisacarídeos extra-celulares XE "Polisacarídeos extra-celulares"  - Aderência XE "Aderência"

B136

AVALIAÇÃO DA DUREZA DA RESINA ACRÍLICA QUANDO EM CONTATO COM METAL

Sabrina Barbosa de Barros (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra Renata Cunha Matheus Rodrigues Garcia (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

O objetivo deste estudo foi avaliar a dureza da resina acrílica fotopolimerizável quando em contato com metal. Foram confeccionadas 30 amostras com 30mm de diâmetro x 4mm de espessura, contendo uma barra metálica de cobalto-cromo exposta em uma das faces. Dez amostras foram confeccionadas com resina para microondas (grupo 1), dez com resina fotopolimerizável (grupo 2) e as restantes com resina convencional (grupo 3). As avaliações da dureza Knoop foram realizadas em microdurômetro Shimadzu modelo 2000. Cada corpo-de-prova foi avaliado a 50, 100, 200, 400 e 800?m da barra metálica, com carga de 25g durante 10 segundos, e calculada a média. Os resultados foram submetidos à análise de variância e Teste de Tukey. Quando da comparação entre os grupos a resina fotopolimerizável apresentou o maior valor de dureza (p<0,05) em todas as distâncias (50?m=16,48Kg/mm; 100?m=17,1648Kg/mm; 200?m=17,2948Kg/mm; 400?m=17,8748Kg/mm e 800?m=17,9848Kg/mm). Quando da comparação entre as distâncias, os resultados não apresentaram diferenças significantes (p>0,05) para todos os grupos. Conclui-se que a presença de metal não interferiu na dureza das resinas, e que a resina fotopolimerizável apresentou maior valor de dureza Knoop em relação às demais.

Dureza Knoop XE "Dureza Knoop"  - Resina Acrílica XE "Resina Acrílica"  - Métodos de Polimerização XE "Métodos de Polimerização"

B137

INVESTIGAÇÃO DE POLIMORFISMO NA REGIÃO PROMOTORA DO GENE BMP-4 EM INDIVÍDUOS COM AGENESIA DENTAL

Carina dos Santos Ribeiro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sérgio Roberto Peres Line (Orietador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

A hipodontia é a ausência congênita de um a seis dentes permanentes e/ou decíduos. Esta é uma das mais freqüentes alterações da dentição humana, que, embora não represente um problema de saúde pública, pode causar disfunções mastigatórias e da fala, além de problemas estéticos. Trabalhos recentes mostraram que mutações no gene Msx1 estão associadas com hipodontia de segundos pré-molares e terceiros molares em humanos. A proteína BMP-4 tem sido identificada como um sinal indutivo do epitélio na formação dos dentes. É produzida no epitélio dental (lâmina dental) e regula a expressão de genes mais diretamente envolvidos na odontogênese presentes no mesênquima dental, incluindo o Msx1. O objetivo deste trabalho foi investigar a presença de polimorfismos na região promotora do gene BMP-4 em indivíduos com formas isoladas de agenesia dental (formas não sindrômicas e sem padrão mendeliano de transmissão). Através do DNA obtido de células epiteliais (em processo de descamação) da mucosa bucal de 50 indivíduos com agenesia nos segundos pré-molares ou terceiros molares e de 50 indivíduos controle, a região promotora do gene BMP-4 foi amplificada pela técnica de PCR. Os produtos de PCR purificados foram então submetidos à técnica de seqüenciamento automático e não revelaram alterações na região do gene estudado. Estes resultados indicam que outros genes, ou outras regiões do gene BMP-4, devem estar envolvidos na etiologia da hipodontia.

Polimosrfismo XE "Polimosrfismo"  - Agenesia dental XE "Agenesia dental"  - Fator de crescimento XE "Fator de crescimento"

B138

EFEITO DAS TEMPERATURAS DE CICLAGEM TÉRMICA SOBRE A RESISTÊNCIA DE UNIÃO DE COMPÓSITOS À DENTINA

Karen Juliana Bortoletto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Simonides Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? FOP, UNICAMP

O desenvolvimento dos sistemas de união entre resina e substrato dental permitiu a utilização em grande escala da técnica adesiva pelos profissionais. Este estudo verificou o efeito da variação de temperatura sobre os valores de resistência ao cisalhamento da união dentina-compósito restaurador, em vista da problemática flutuação térmica encontrada na cavidade bucal. Foram utilizados 50 dentes incisivos bovinos devidamente preparados e com a dentina condicionada para receber o sistema de união Single Bonde e o compósito restaurador Z-250 ambos fabricados pela 3M. O sistema de união foi aplicado em duas camadas, cada uma fotoativada por 10 segundos. O compósito foi inserido em três camadas fotoativadas por 20 segundos cada uma, com o propósito de construir sobre a dentina um cilindro de resina composta de 4mm de diâmetro por 5mm de altura. As amostras foram separadas em 5 grupos (n=10): 1- sem ciclagem térmica; 2- ciclagem com 5(-37(-55(C; 3- com 5(-37(C; 4- com 37(-55(C; 5- com 5(-55(C antes do teste de resistência ao cisalhamento. Os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey (5%). A resistência da união ao cisalhamento foi estatisticamente menor nos grupos de amostras submetidas à ciclagem fria (5(C).

Ciclagem térmica XE "Ciclagem térmica"  ? Resistência ao cisalhamento XE "Resistência ao cisalhamento"  ? União resina-dentina XE "União resina-dentina"

Instituto de Biologia

B139

Biologia populacional de duas espécies de borboletas do gênero Heliconius (Nymphalidae: Heliconiinae)

Rafael Barreto de Andrade (Bolsista SAE/PRG) e André V. L. Freitas (Orientador), Museu de História Natural, UNICAMP

Um estudo populacional de duas espécies de Heliconius (H. erato phyllis e H. ethilla narcaea) foi feito por 17 meses na Mata da Santa Genebra, Campinas, SP. O estudo foi feito com metodologia de CMLR, com cada indivíduo recebendo uma marca individual nas asas. Dados de tamanho, sexo, localização e história natural foram registrados individualmente. Um total de 59 indivíduos de H. erato e 158 de H. ethilla foram marcados ao longo do estudo. A razão sexual em ambas espécies foi diferente de 1:1, com excesso de machos em quase todos os meses. A permanência máxima foi de 59 dias para uma fêmea de H. erato e 107 dias para um macho de H. ethilla. Os indivíduos se deslocam por até 650 metros, quase sempre seguindo as manchas de recursos (flores). As populações de ambas as espécies apresentaram seus picos nos meses de fim de verão e início de outono, com queda acentuada no inverno, se mantendo muito baixas na primavera. O padrão registrado difere daquele documentado em outros estudos com Heliconius em regiões tropicais, onde a população se mantém estável ao longo do ano. Estudos adicionais (uso de recursos, tabelas de vida e taxas de sobrevivência) devem revelar padrões importantes para a compreensão da estrutura populacional de insetos tropicais em ambientes sazonais.

Borboletas XE "Borboletas"  - Heliconius XE "Heliconius"  - Populações XE "Populações"

B140

Levantamento florístico e descrição das espécies da família Melastomataceae Juss. ocorrentes nos estados de Goiás e Tocantins

Rita Cristina Seco (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Angela Borges Martins (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A família Melastomataceae é constituída por 166 gêneros (68 com representantes no Brasil). Apesar de amplamente distribuída no território nacional, esta família encontra-se especialmente bem representada no cerrado e nos campos rupestres. Os estados de Goiás e Tocantins, localizados na região centro-oeste do Brasil, possuem grande parte de seus territórios cobertos pela vegetação de cerrado (onde, no topo das montanhas mais altas, são encontrados os campos rupestres). Este trabalho teve como objetivo ser parte integrante da Flora destes estados, que está em processo de elaboração, sob coordenação do Prof. J. A. Rizzo, da Universidade Federal de Goiás. Para tanto, propôs-se a identificar, descrever, relacionar e elaborar chaves para as espécies de Melastomataceae da coleção Rizzo, provenientes de Goiás e Tocantins. As análises basearam-se em dados da literatura e em materiais herborizados. É importante ressaltar que excluem-se deste trabalho os gêneros Miconia, Microlicia e Tibouchina, que estão sendo analisados por outros especialistas. Foram relacionadas cerca de 50 espécies de Melastomataceae, dentre os 17 gêneros estudados, ocorrentes na região em questão. Este estudo possibilitou um conhecimento mais amplo da distribuição geográfica da família Melastomataceae e da vegetação do centro-oeste brasileiro.

Florística XE "Florística"  ? Melastomataceae XE "Melastomataceae"  ? Goiás XE "Goiás"

B141

BUSCA DE NOVOS MEDICAMENTOS POTENCIALIZADORES DA SECREÇÃO DE INSULINA: IMPORTÂNCIA PARA O TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS TIPO 2

Márcio Silva Chaves (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Boschero (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A procura de novos medicamentos para o controle da glicemia de indivíduos com diabetes tipo 2 faz-se necessária frente à crescente incidência dessa síndrome na população mundial. Compostos imidazólicos foram, recentemente, incorporados ao arsenal de drogas potencializadoras da secreção de insulina. Estudamos os efeitos morfofisiológicos do EFAROXAN, derivado imidazólico de nova geração, sobre ilhotas de Langerhans isoladas de ratos adultos. Para isso, ilhotas isoladas por digestão do pâncreas com colagenase foram cultivadas em meio RPMI contendo ou não EFAROXAN (100 (M) por 3 dias. A seguir, grupos de 5 ilhotas foram incubadas em solução KREBS-bicarbonato contendo 2,8 ou 16,7 mM de glicose por 1 h sendo a insulina secretada avaliada por RIA. A expressão do mRNA da insulina, PKC( e GLUT-2 nessas ilhotas foi avaliada por RT-PCR semi-quantitativo, utilizando-se o RNA ribossomal como controle interno. O tratamento por 3 dias com EFAROXAN aumentou a secreção de insulina induzida por glicose comparado as ilhotas controles. O EFAROXAN também aumentou a expressão dos genes da insulina e da PKC( mas não do GLUT-2. Concluindo, estes resultados indicam que o efeito potencializador do EFAROXAN sobre a secreção de insulina depende de uma maior disponibilidade de insulina nas células ?-pancreáticas envolvendo, ainda, a participação da PKC(.

Secreção de insulina XE "Secreção de insulina"  - Efaroxan XE "Efaroxan"  - Expressão gênica XE "Expressão gênica"

B142

Expressão de proteínas formadoras de microtúbulos e microfilamentos em ilhotas de Langerhans de ratos: Efeitos da glicose e prolactina

Mariangela Naldinho de Matos (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Antonio Carlos Boschero (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

Diabetes mellitus é uma síndrome de grande incidência que acomete cerca de 7-8% da população mundial. Assim, defeitos na secreção de insulina podem levar à insuficiência de insulina circulante. Um dos componentes mais importantes da secreção consiste na extrusão dos grânulos de insulina que envolve diferentes proteínas do sistema de microtúbulos e microfilamentos das células (. Neste trabalho analisamos os efeitos da prolactina (PRL) e da glicose (G) sobre a expressão dos genes da ?-Tubulina e S100A1, envolvidas na extrusão dos grânulos. Para tal, ilhotas isoladas de ratos neonatos foram cultivadas por 3 dias em meio RPMI contendo: 5,6 mM G; 5,6 mM G + 100 (g/ml PRL; 22,2 mM G e; 22,2 mM G + 100 (g/ml PRL. A expressão do mRNA da (-tubulina e da S100A1 nessas ilhotas foi avaliado por RT-PCR semi-quantitativo, utilizando-se o RNA da (-actina como controle interno. A associação entre altas concentrações de glicose e prolactina provocou um aumento significativo da expressão de ambos os genes comparadas aos respectivos controles (P < 0,05). Concluindo, esses resultados indicam que PRL, frente a uma concentração adequada de G, participa na maturação do processo secretorio de insulina induzindo aumento da expressão de várias proteínas que participam do mecanismo de secreção, inclusive de algumas que fazem parte das etapas finais do processo. Interessante notar que, em mamíferos, altas concentrações de PRL são encontradas no plasma da mãe e dos fetos durante a fase final da gestação e nos primeiros dias pós-parto quando o amadurecimento do processo secretorio é mais intenso.

Extrusão dos grânulos de insulina XE "Extrusão dos grânulos de insulina"  ? Prolactina XE "Prolactina"  - Glicose XE "Glicose"

B143

Identificação dos epítopos de proteínas recombinantes do vírus da tristeza dos citros reconhecidos por anticorpos monoclonais

Márcio Lorencini (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Dagmar Ruth Stach-Machado (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Perdas significativas em plantações citrícolas decorrem da ação de um patógeno distribuído em diversas regiões do mundo, o vírus da tristeza dos citros (CTV). Uma eficiente detecção do CTV é necessária para a adoção de medidas de controle adequadas. Para um imunodiagnóstico mais rápido e seguro, este projeto visa caracterizar os epítopos de proteínas de isolados brasileiros do CTV reconhecidos por quatro anticorpos monoclonais. A metodologia proposta baseia-se no tratamento de proteínas recombinantes do capsídeo viral com enzimas proteolíticas para um ensaio posterior de reconhecimento com os anticorpos monoclonais. A identificação dos epítopos é feita através da espectrometria de massa. Os resultados até então obtidos referem-se à purificação satisfatória de proteínas recombinantes e anticorpos monoclonais, além da confirmação do padrão de reconhecimento específico dos anticorpos por ELISA. Quanto à identificação dos epítopos, os primeiros ensaios de digestão da proteína CB-22 com tripsina revelaram uma provável interação do anticorpo 30.E.09 com um peptídeo de aproximadamente 1846 Da. Um maior detalhamento das regiões de interação entre os anticorpos monoclonais e as proteínas do capsídeo viral será possível após a conclusão dos experimentos com as demais enzimas proteolíticas.

Vírus da tristeza dos citros (CTV) XE "Vírus da tristeza dos citrus (CTV)"  - Epítopo XE "Epítopo"  - Espectrometria de massa XE "Espectrometria de massa"

B144

Estudo da expressão da enzima óxido nítrico sintase iNOS na fase inicial da doença periodontal induzida, sob influência da nicotina

Taís Nitsch Mazzola (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Dagmar Ruth Stach-Machado (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A doença periodontal promove a destruição progressiva dos tecidos periodontais, através de uma resposta inflamatória crônica à placa bacteriana, induzindo a migração e ativação de células, expressão de citocinas e síntese de óxido nítrico (NO), gerado pela enzima óxido nítrico sintase induzível (iNOS). O consumo de nicotina no tabaco constitui um fator de risco para a progressão e severidade da doença. O objetivo deste trabalho foi estudar a expressão de iNOS através de imunohistoquímica, avaliando a ação da nicotina no periodonto de ratos, após 3, 5 e 7 dias da indução da doença pela inserção de uma ligadura ao redor do primeiro molar do animal. O grupo I recebeu diariamente 2(l/g de peso de solução salina via intraperitoneal, o grupo II, 2(l/g de peso de solução de nicotina 0,365 g/L, sendo que ambos não receberam a ligadura; o grupo III, 2(l/g de peso de solução salina e o grupo IV, 2(l/g de peso de solução de nicotina 0,365 g/L, e estes dois últimos receberam a ligadura. Através de coloração de rotina com HE, uma inflamação crescente com desorganização do tecido conjuntivo da mucosa oral foi observada nos grupos III e IV. A contagem das células positivas na imunohistoquímica (células endoteliais ou com características macrofágicas) indicou um aumento gradual na expressão da enzima iNOS.

Doença periodontal XE "Doença periodontal"  - Óxido nítrico sintase XE "Óxido nítrico sintase"  - Nicotina XE "Nicotina"

B145

ANÁLISE DE BIOMARCADORES DE ESTRESSE OXIDATIVO EM JOGADORES DE FUTEBOL

Fernando Oliveira Catanho da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Denise Vaz de Macedo (Orientadora), Instituto de Biologia-IB, UNICAMP

O futebol caracteriza-se como uma atividade intermitente, alternando atividades em alta intensidade com períodos em baixa intensidade, exigindo níveis elevados de performance física. O propósito deste trabalho foi monitorar a intensidade de treinamento durante o período preparatório para o Campeonato Paulista de Futebol Sub-20, através de marcadores de estresse oxidativo e metabólico e danos musculares, com o propósito de estabelecer o limiar de estresse individual, além de parâmetros de performance, como a velocidade máxima, o número de sprints e o limiar anaeróbio. Onze jogadores juniores (categoria sub-20) foram analisados em quatro momentos distintos do período preparatório. Os biomarcadores sanguíneos analisados foram: atividade enzimática antioxidante em hemácias (Catalase e Glutationa Redutase), produtos plasmáticos da oxidação de lipídios e proteínas (TBARS e Proteínas Carboniladas), concentração plasmática de uréia e creatinina como marcadores de estresse metabólico e atividade plasmática da creatina quinase refletindo alterações musculares. O limiar anaeróbio foi medido pelo protocolo de Tegtbur e para individualizar as respostas relacionadas à velocidade máxima e ao número de sprint, utilizamos o seguinte protocolo: cada atleta executou sprints de 30m, com 20 segundos de pausa entre os sprints, até alcançar um decréscimo de 10% na velocidade máxima, utilizando-se de cinco fotocélulas dispostas a cada 7,5m. Nossos resultados mostram que a equipe obteve resultados muito homogêneos dos marcadores bioquímicos durante o período preparatório, além de uma melhora nos parâmetros de performance analisados.

Estresse Oxidativo XE "Estresse Oxidativo"  ? Futebol XE "Futebol"  ? Capacidades Físicas XE "Capacidades Físicas"

B146

ANÁLISE DA DETERMINAÇÃO DE LIMIAR ANAERÓBICO, RESISTÊNCIAS DE ?SPRINT? E DE SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE BASQUETEBOL

Lucas Samuel Tessutti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Denise Vaz de Macedo (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

O perfil da modalidade basquetebol apresenta um ritmo muito variado em suas intensidades de esforço. Devido ao pequeno espaço, visto em relação ao futebol, os esforços de curta duração são constantemente visualizados, sendo caracterizados por uma combinação força-velocidade. Arranques rápidos, paradas bruscas e crescimentos de precisão nos arremessos são as principais capacidades exigidas, tendo como fonte de energia um predominante envolvimento do metabolismo glicolítico. O desenvolvimento de outras capacidades como resistência aeróbia, força, velocidade, flexibilidade e coordenação também são consideradas bastante significativas na preparação destes atletas. Nosso objetivo neste estudo é auxiliar a comissão técnica da equipe (11 atletas) de basquetebol masculino, categoria juvenil (Sub 20) do Clube Jundiaiense na temporada 2003, realizando testes de limiar anaeróbio (técnica espirométrica com velocidade programada em esteira), resistência de ?sprint? (protocolo Labex-Test, desenvolvido pelo Labex) e altura de salto vertical (proposto por Bosco, 1990). Os níveis de capacidade aeróbia, velocidade máxima e resistência de ?sprint? permanecem menores que os visualizados em jogadores de futebol, porém a capacidade de saltabilidade é evidentemente maior nos atletas de basquetebol.

Basquetebol XE "Basquetebol"  - Capacidades Físicas XE "Capacidades Físicas"  - Força-Velocidade XE "Força-Velocidade"

B147

DETERMINAÇÃO DOS FATORES DE VIRULÊNCIA EM AMOSTRAS DE Escherichia coli ISOLADAS DE SUÍNOS COM BACTERIÚRIA.

Marcelo Schäfer (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Domingos da Silva Leite (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

As Escherichia coli podem ser responsáveis por infecções intestinais e extra-intestinais. Estando presentes no trato urinário de suínos provocam bacteriúria, a qual é causa principal da mortalidade de animais adultos e de matrizes em produção. Este trabalho visou determinar os fatores de virulência (FV) em 91 amostras de E. coli isoladas de 25 matrizes com bacteriúria. A Reação da Polimerase em Cadeia (PCR) foi utilizada para verificar a presença dos genes para os fatores de colonização: pap, sfa e afa; e para as toxinas: cnf1, cnf2, e stxe. Além disso, foi analisada a expressão fenotípica de hemolisina. Dentre as 91 amostras de E. coli estudadas, 17 amostras (18,7%) amplificaram o gene para o FV pap, 12 amostras foram sfa+ (13,2%), 4 amostras foram cnf1 (4,3%) e três cnf2 (3,3%). Não foram encontrados os genes para afa e stxe. A hemolisina foi expressa por 17 amostras (18,7% ). A associação dos FV foi observada: 4 amostras (4,3%) apresentaram pap, cnf1 e hemolisina, 2 amostras (2,2%) apresentaram associação entre pap, cnf2 e hemolisina. Em outras 4 amostras observamos a associação de sfa com cnf1 e hemolisina, outras 2 amostras foram sfa+, cnf2+ e hemolisina. Outros ensaios deverão ser realizados a fim de complementar o estudos dos FV destas amostras para melhor caracterizar os mecanismos envolvidos na infecção do trato urinário de suínos.

Escherichia coli - XE "Escherichia coli"  Fator de virulência XE "Fator de virulência"  - Suínos XE "Suínos"

B148

ESTUDO DA PREVALÊNCIA DOS FATORES DE COLONIZAÇÃO K99, 987P, F41 E F18 EM CEPAS DE Escherichia coli DE ORIGEM SUÍNA E ASSOCIAÇÃO COM ENTEROTOXINAS (LT E ST)

Patrícia Regina Kitaka (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Domingos da Silva Leite (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A diarréia causada por E.coli enterotoxigênica (ETEC) em leitões neonatos e pós desmamados é uma doença mediada por fatores de colonização (FC) e produção de enterotoxinas. Os FC predominantes em ETEC de origem suína são K88, K99, 987P, F41 e F18 associados ou não enterotoxinas termo-lábil do tipo I (LT-I) e termo-estável dos tipos I e II (ST-I e ST-II). O objetivo deste trabalho foi determinar a incidência dos genes dos fatores de virulência (FV) K99; 987P; F41; F18; LT-I; ST-I e ST-II em 321 cepas de E.coli isoladas de fezes diarréicas de leitões, por Reação da Polimerase em Cadeia (PCR). Detectou-se 9 cepas f41+(2,8%); 6 f18+(1,9%); 5 987p+(1,6%); 4 k99+(1,3%); 69 est-II+(21,5%); 7 elt-I+(2,2%) e 6 est-I+(1,9%). As associações observadas foram: K99/ST-I, K99/ST-II, K99/F41/LT-I, K99/F41/ST-I, 987P/ST-II, 987P/LT-I, LT-I/ST-II e ST-I/ST-II. As cepas f18+ não apresentaram associação com outro FV estudado. Estes resultados mostram a prevalência de est-II no grupo de cepas estudadas e sugerem que novos devem ser realizados a fim de determinar a associação desta toxina com um FC desconhecido.

Escherichia coli - XE "Escherichia coli"  Fatores de Virulência  XE "Fatores de Virulência" - Suíno XE "Suíno"

B149

CONSUMO ALIMENTAR E VARIAÇÃO DO PESO CORPORAL DE RATOS SUBMETIDOS AO TREINAMENTO FÍSICO E DIETA HIPERLIPÍDICA.

Rodrigo Gonçalves Dias (Bolsista SAE/PRG), Profa. Dra. Regina Célia Spadari-Bratfisch (co-Orientadora) e Profa. Dra. Dora Maria Grassi-Kassisse (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A prática regular de exercício físico contribui para a manutenção e redução do peso corporal. Estudos relatam tanto um aumento quanto uma redução da ingestão alimentar em animais submetidos a um período de treinamento físico. Este estudo teve o objetivo de analisar as variações no peso corporal e na ingestão alimentar em ratos com dieta normolipídica ou hiperlipídica, submetidos ou não a um programa de treinamento físico. Ratos Wistar (6 semanas de idade) foram divididos em 4 grupos (n = 6 a 10): sedentários (S) e treinados (T) com ingesta normolipídica (N) ou ingesta hiperlipídica (H), ?ad libittum?. Os grupos treinados exercitaram-se durante 4 semanas com 5 sessões semanais de natação (50 min.) em água a 34(1oC. A ingestão alimentar e o peso corporal foram quantificados diariamente antes de cada sessão (ANOVA seguida de Tukey). Os grupos NT e HT apresentaram um ganho de peso inferior a seus respectivos controles. Os animais dos grupos T ingeriram quantidades de ração semelhantes em Kcal, porém inferiores à quantidade ingerida pelos animais dos grupos S. Os dados mostraram que o treinamento físico por quatro semanas promoveu um menor ganho de peso corporal levando ainda a uma supressão da ingestão alimentar, independente da dieta.

Ingestão Alimentar XE "Ingestão Alimentar"  ? Peso Corporal XE "Peso Corporal"  ? Treinamento Físico XE "Treinamento Físico"

B150

EFEITOS DE INFUSÕES INTRA-HIPOCAMPAIS DO ANTAGONISTA DO RECEPTOR AMPA, DNQX, NO FREEZING AO CONTEXTO DO CONDICIONAMENTO SOM-CHOQUE.

Bruno Vieira Scarpim (Bolsista SAE/PRG), Luís Otávio Siqueira (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Elenice Aparecida de Moraes Ferrari (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

O hipocampo tem um papel essencial na aprendizagem e memória contextual. Infusões intra-hipocampais do MK-801, um antagonista não-competitivo do receptor de glutamato NMDA, prejudicam a memória contextual. Neste trabalho, investigou-se os efeitos da infusão intra-hipocampal do bloqueador do receptor AMPA, DNQX, na memória contextual aversiva em pombos. Utilizou-se 12 pombos C. livia divididos em Grupos Controle-Sham Aquisição (GS, n=6) e Experimental Aquisição (GE, n=6). Foram implantadas microcânulas hipocampais para infusão do DNQX. Uma semana após, os animais GE, receberam 0,5(l da solução contendo 0,8(g/(l de DNQX e nos animais GS foi infundido apenas o veículo (salina com 2% de dimetilsulfóxido). O treino foi realizado 20 minutos após a infusão, com três associações som (1000Hz, 83dB, 1s) e choque (10mA, 1s). No quinto dia após o treino os pombos foram testados quanto à ocorrência do comportamento de freezing ao contexto, durante 20 minutos, sem apresentação de estímulos. A ANOVA indicou diferença significativa entre os grupos (F10,1=28,93; p<0,001), referente a uma menor ocorrência de freezing ao contexto no GE. Os dados sugerem uma interferência do DNQX na memória contextual aversiva em pombos e a participação dos receptores AMPA nos processos de condicionamento clássico aversivo.

Condicionamento Clássico Aversivo XE "Condicionamento Clássico Aversivo"  - Hipocampo XE "Hipocampo"  - Pombos XE "Pombos"

B151

ESTUDO DA ESQUISTOSSOMOSE NA REGIÃO DE CAMPINAS ? SP: SUSCETIBILIDADE DO HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO E ÍNDICE DE INFECÇÃO DO FOCO DURANTE UM ANO DE OBSERVAÇÃO

João Carlos Reinné Yokoda (Bolsista SAE/PRG), André Ricardo Ribas de Freitas, Profa. Dra. Eliana Maria Zanotti-Magalhães (Orientadora) e Prof. Dr. Luiz Augusto Magalhães (Co-orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A região estudada tem apresentado casos autóctones de esquistossomose, a maioria assintomáticos, alguns associados a sinais de hipertensão portal, e até mesmo casos de neuroesquistossomose medular. Analisamos a suscetibilidade do hospedeiro intermediário, isolando a linhagem a partir de um caso autóctone e estabelecendo grupos experimentais de infecção. Para o grupo com 10 miracídios/molusco, 2,5% dos moluscos eliminaram cercárias, a taxa de mortalidade foi de 40% em 70 dias de observação, e o período pré-patente à liberação de cercárias foi de 49 dias, o que indicou uma baixa suscetibilidade à infecção e uma adaptação fisiológica parasito-hospedeiro em fase inicial. Acompanhamos um foco da região no período de um ano: 318 moluscos foram coletados, sendo que 0,9% eliminaram cercárias, correspondendo a um baixo índice de infecção natural. Fica certo que mesmo em áreas de baixos índices de infecção natural e suscetibilidade do hospedeiro intermediário, pode haver um bom número de indivíduos parasitados e ocorrência de casos graves.

Esquistossomose XE "Esquistossomose"  - Linhagem XE "Linhagem"  - Suscetibilidade XE "Suscetibilidade" .

B152

ANÁLISE QUANTITATIVA DO EFEITO HEMOLÍTICO DE SURFACTANTES DA SÉRIE C12Em SOBRE ERITRÓCITOS HUMANOS

Hayda Josiane Alves (Bolsista SAE/PRG), Ms. Paulo Sérgio Castilho Preté (Co-Orientador) e Profa. Dra. Eneida de Paula (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

Neste trabalho nós estudamos a interação de surfactantes não-iônicos da série dos polioxietileno aquil éter (C12E4, C12E6, C12E8, C12E10) com as membranas de eritrócitos humanos. O efeito hemolítico, sob condições isosmóticas, foi avaliado pela determinação fotométrica da hemoglobina liberada no sobrenadante. O t-octylphenoxypolyethoxyethanol (Triton X-100) foi usado como controle. Num primeiro trabalho nós mostramos que, dentro da série de CnEm, o efeito lítico aumenta proporcionalmente ao aumento da porção hidrofóbica da molécula, de C10E8 até C18E8 (Preté et al, Biophys.Chem. 97:45, 2002). Aqui nós estudamos o efeito da porção hidrofílica da molécula, através de homólogos com um comprimento cauda - 12 carbonos - do alquil fixo. Como resultado observamos que as concentrações de surfactante para induzir a hemólise foram próximas à concentração micelar crítica (CMC). Diferentemente do trabalho anterior, neste trabalho não detectamos nenhuma relação entre o efeito lítico e o comprimento do grupo da cabeça do polioxietilenoglicol. A relação molar efetiva de surfactante:lipídio na membrana para a hemólise era aproximadamente de 0.4:1 para todos homólogos estudados (C12E4, C12E6, C12E8, C12E10). Estes resultados indicam que: i) os polioxietileno aquil eter são potentes solubilizadores de membrana quando comparados a outros surfactantes não-iônicos como o Tritom X-100 ii) a formação de micela coordena o processo de solubilização ii) as mudanças na porção hidrofílica da molécula não são tão importantes na alteração do efeito hemolítico quanto as mudanças na porção alquil.

Projeto financiado por CAPES, SAE e FAEP/UNICAMP

Hemólise XE "Hemólise"  - Surfactantes XE "Surfactantes"  - Membrana XE "Membrana"

B153

CARACTERIZAÇÃO E TESTE IN VIVO DE FORMULAÇÕES ANTI-SCHISTOSSOMAIS DE LIBERAÇÃO CONTROLADA

Marcelo Bispo de Jesus (Bolsista FAPESP), Luciana de M. A. Pinto, Profa. Dra. Eliana M. Zanotti-Magalhães, Prof. Dr. Luiz A. Magalhães e Profa. Dra. Eneida de Paula (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A Esquistossomose, Malária e Tuberculose, são as principais doenças infecciosas do mundo. Só no Brasil temos cerca de 6 milhões de pessoas infectadas pela esquistossomose. Para seu tratamento o Praziquantel (PZQ) é empregado, utilizado tanto no tratamento clínico humano como veterinário devido sua ampla ação antihelmíntica. Carreadores de medicamentos vêm sendo muito empregados visando aumentar a biodisponibilidade de fármacos, além de permitir a liberação controlada destes ? de forma a garantir níveis plasmáticos constantes no organismo e efeitos terapêuticos mais prolongados. Como o PZQ tem uma baixa solubilidade aquosa, preparamos um sistema que aumenta a solubilidade do mesmo, visando aumentar sua biodisponibilidade. A ?-ciclodextrina (?-CD) foi o carreador utilizado, por acomodar moléculas lipofílicas em sua cavidade. Testes de Ressonância Magnética Nuclear (RMN) nos possibilitou obter informações detalhadas sobre a interação molecular entre o PZQ e a ?-CD. Testes in vitro e in vivo foram realizados com o intuito de comparar a formulação preparada com PZQ comercial e indicam vantagens da primeira, em termos de eficácia.

Esquistossomose XE "Esquistossomose"  - Praziquantel XE "Praziquantel"  - Ciclodextrina XE "Ciclodextrina"

B154

Análise Quantitativa da Hemólise Induzida pelas Drogas Surfactantes Prometazina e Hidroxizina

Veruska F. R. A. C.Fonseca (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Eneida de Paula (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Analisamos o fenômeno hemolítico quantitativamente (método de Lichtenberg) induzido pelas drogas prometazina e hidroxizina com membrana de eritrócitos. A hemólise hipotônica foi realizada no hematócrito 0,15% para determinação do Cprot (concentração de droga que induz máxima proteção contra choque hiposmótico). A hemólise isotônica foi mensurada em 5 hematócritos para determinação de Csat (concentração de droga na qual a hemólise se inicia) e de Csol (menor concentração de droga na qual ocorre hemólise total). Com os quais a Re (razão efetiva droga-lipidio tanto para saturação quanto para solubilização) pode ser determinada. Para prometazina: Resat = 7,08, Resol = 7,66, Kb = 1450, e Cprot = 0,05mM. Para a hidroxizina: Resat = 0,98, Resol = 0,99, Kb = 662,5 e Cprot = 0,10mM. Os valores de Resat e Resol estão bastante coerentes com resultados já descritos (Malheiros et al., 2000), embora os valores obtidos para a prometazina estejam mais altos do que o esperado. Os valores de CMC coincidindo com Csat e Csol sugerem que a ação destas drogas na membrana pode estar relacionada a agregação destes compostos. A análise do Kb (Kbhidroxizina < Kbprometazina) relaciona-se à hidrofobicidade destes compostos, a qual parece determinar não somente a agregação como a interação com a membrana.

Hemólise XE "Hemólise"  - Prometazina XE "Prometazina"  - Hidroxizina XE "Hidroxizina"

B155

TAURINA COMO POSSÍVEL MARCADOR MOLECULAR PARA O DESENVOLVIMENTO DE DIABETES MELLITUS EM CAMUNDONGOS NOD

Cláudia T.T. Ramos (Bolsista SAE/PRG), Marcos H. Toyama, Luiz F. Stoppiglia, Prof. Dr. Antonio C. Boschero e Prof. Dr. Everardo M. Carneiro (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A taurina (T) reduz a incidência de Diabetes mellitus (DM) em animais de experimentação No presente estudo, foi avaliado o perfil plasmático de taurina e de outros aminoácidos em camundongos NOD. Objetivos e metodologia: A avaliação teve por objetivo verificar a presença de algum marcador molecular para o desenvolvimento de DM tipo 1. Foram utilizadas fêmeas NOD e BALB/c (controle). Os níveis plasmáticos de glicose, ácidos graxos livres, insulina e aminoácidos foram mensurados mensalmente durante os quatro primeiros meses de vida. Os níveis de T foram mensurados pelo método de cromatografia reversa de alta performance (HPLC). Resultados: O conteúdo de T plasmática do grupo NOD sofreu significativo decréscimo no terceiro mês de vida, em comparação com o grupo BALB/c (NOD: 0%; BALB/c: 1,5%). Quando avaliado o conteúdo de T em ilhotas pancreáticas, observou-se o mesmo comportamento do grupo NOD em relação às ilhotas controle (NOD: 0%; BALB/c: 2%). Conclusão: A redução nos níveis de T coincide com o aumento da incidência de DM em camundongos NOD. Esses resultados sugerem que a taurina possa ser considerada como um possível marcador molecular da gênese da doença nesse modelo experimental.

Taurina XE "Taurina"  - NOD XE "NOD"  - Diabetes XE "Diabetes"

B156

COMPORTAMENTO ALIMENTAR E SELEÇÃO DE HABITAT EM PERACÁRIDOS ASSOCIADOS A Sargassum filipendula (PHAEOPHYTA, FUCALES), NA PRAIA DA FORTALEZA, UBATUBA, SÃO PAULO

Karina Yumi Degaki (Bolsista SAE/PRG), Giuliano Buzá Jacobucci (Co-Orientador) e Profa. Dra. Fosca Pedini Pereira Leite (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

Os crustáceos peracáridos anfípodos e isópodos do fital selecionam o habitat de acordo com a disponibilidade de recursos oferecidos. A seleção de habitat por duas espécies de herbívoros: Cymadusa filosa (anfípodo gamarídeo) e Cymodoce brasiliensis (isópodo) foi estudada em relação à presença de algas macroscópicas epífitas sobre Sargassum filipendula. Para esta finalidade foram realizadas coletas em julho e dezembro de 2002 quando foram obtidas aleatoriamente 20 frondes de S. filipendula, com quantidades variadas de epífitas, em cada período. Em julho, C. filosa apresentou correlação negativa em relação à seleção de habitat, observando-se que quanto maior a biomassa de epífitas nas frondes de S. filipendula menor foi a presença do gamarídeo, enquanto que em dezembro a correlação foi positiva. Esta diferença pode estar relacionada à baixa densidade de C. filosa na coleta de julho. Não foram coletados isópodos nos dois períodos. O comportamento alimentar de C. filosa e C. brasiliensis foi observado em experimentos nos quais foram oferecidos pedaços de S filipendula e das algas epífitas mais conspícuas. Sargassum filipendula foi a alga mais consumida pelas duas espécies.

Pericaridos XE "Pericarido"  - Comportamento alimentar XE "Comportamento alimentar"  - Seleção de habitat XE "Seleção de habitat"

B157

TESTOSTERONA AUMENTA A ATIVIDADE DA PROTEÍNA DE TRANSFERÊNCIA DE COLESTERIL ÉSTER E DA LIPASE HEPÁTICA EM CAMUNDONGOS TRANSGÊNICOS

Laura L. S. Teixeira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Helena C. F. Oliveira (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Homens apresentam maior razão entre lipoproteínas (LP) de baixa densidade (LDL) e de alta densidade (HDL) quando comparados às mulheres. Essas diferenças estão associadas com maior risco de aterosclerose nos homens mas desaparecem após a menopausa. Neste trabalho estudamos o efeito da testosterona sobre o perfil de LP e enzimas associadas em camundongos que expressam a CETP e tem deficiência parcial de receptores de LDL (CETP/R1), de modo a apresentarem um perfil de LP mais semelhante ao dos humanos. O tratamento crônico com testosterona (1ug/g/dia, 3 semanas) induziu aumento significativo nas concentrações plasmáticas de colesterol total (14%, p<0.04) e de triglicérides (37%, p<0.05). A atividade da CETP também aumentou (23%, p<0.01) enquanto a da lipase hepática (LH) diminuiu (19%, p<0.03) depois do tratamento. O colesterol da HDL do grupo tratado tendeu a ser maior que o do placebo: 66.0(3.2 vs. 58.1(3.9 mg/dL, respectivamente. O efeito oposto de aumentar a atividade da CETP e diminuir a LH sugere que o transporte indireto do colesterol das LP que contém apoB para o fígado é estimulado pela testosterona. Estes efeitos podem ser devido a testosterona per se ou aos seus metabólitos ativos, dihidrotestosterona e estradiol.

Testosterona -  XE "Testosterona" Lipoproteínas -  XE "Lipoproteínas" Colesterol XE "Colesterol"

B158

ANÁLISE DA EXPRESSÃO DE RECEPTORES PARA O VEGF NOS ESPERMATOZÓIDES E NO TRATO GENITAL FEMININO DE RATOS

Alexandre Iscaife (Bolsista SAE/PRG), Helene Peters e Prof. Dr. Hernandes F. Carvalho (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A angiogênese é a formação de vasos a partir de outros pré-existentes, está presente na fisiologia normal e em diversas patologias, como no desenvolvimento de tumores. Um dos principais fatores que estimulam a angiogênese é o VEGF, uma glicoproteína produzida por diversos tipos celulares que age por meio de receptores de membrana com atividade tirosina-quinase. No trato reprodutor masculino, a próstata e a vesícula seminal são os principais produtores de VEGF e no trato reprodutor feminino foram encontrados seus receptores no endométrio. Procurando entender melhor a fisiologia prostática e sua influência sobre a eficiência espermática e fertilidade, neste estudo investigamos a presença dos receptores para o VEGF nos espermatozóides e no trato genital feminino. Analisamos cortes de testículo, epidídimo, vagina e útero por meio de imunocitoquímica para microscopia óptica, comparando animais adultos com animais jovens (21 dias). A marcação nos espermatozóides pode estar associada com a promoção da maturidade e motilidade espermática, sendo que na literatura já esta descrita a relação do VEGF com a taxa de fertilidade masculina. No útero a presença dos receptores para VEGF relacionam-se não só com as irrigação durante o ciclo estral/menstrual, mas também podem ter papel fundamental na implantação e nutrição do embrião durante a gestação.

Fertilidade XE "Fertilidade"  - Angiogênese XE "Angiogênese"  - VEGF XE "VEGF"

B159

COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE DUAS ESPÉCIES DE PEIXES BENTÍVOROS

Arlaine Francisco Giannelli (Bolsista SAE/PRG), Profa. Dra. Virginia Sanches Uieda (Co-Orientadora), IB - UNESP, Botucatu e Prof. Dr. Ivan Sazima (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

O acará Geophagus brasiliensis (Cichlidae) e o carapicu Eucinostomus melanopterus (Gerreidae), são espéçies bentívoras, coexistindo em áreas estuarinas. Embora usem o mesmo substrato para se alimentar, este estudo pretende demonstrar que diferem na forma de forragear. O estudo foi feito em riacho na região de Ubatuba (litoral norte de SP). O registro das táticas alimentares e do ritmo de alimentação (número de investidas sobre o substrato/tempo) foi feito com observações subaquáticas e de superfície. Ambas as espécies abocam porções do substrato arenoso, selecionadas na cavidade bucal e parte é expelida pelos opérculos e boca. O acará aboca porções variáveis, deixando escavações crateriformes com bordas definidas. Seu ritmo de alimentação é de 5,52 ± 2,7 investidas/min. O carapicu aboca porções menos variáveis e menores (relacionadas à menor dimensão relativa da abertura bucal), deixando escavações mais superficiais e com bordas menos definidas. Seu ritmo de alimentação é de 0,74 ± 0,96 investidas/min. O acará é mais versátil, porém, a menor freqüência com que o carapicu aboca o substrato indica maior seletividade na escolha do local escavado. As semelhanças na tática alimentar usada por G. brasiliensis e E. melanopterus podem indicar sobreposição no uso de recursos alimentares, porém as diferenças encontradas poderiam diminuir a presumível sobreposição e favorecer a coexistência.

Comportamento alimentar XE "Comportamento alimentar"  - Peixes XE "Peixes"  - Alimentação XE "Alimentação"

B160

DISPERSÃO SECUNDÁRIA DE SEMENTES DE Ricinus communis L. (EUPHORBIACEAE): MIRMECOCORIA

Valéria Forni Martins (Bolsista SAE/PRG: 08 a 10/2002; Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. João Semir (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

Algumas sementes apresentam apêndices carnosos altamente atrativos a formigas, que, ao transportarem-nas até seus ninhos, atuam como importantes agentes no processo de dispersão. Ricinus communis possui sementes com carúncula, e os objetivos deste estudo foram testar se esse apêndice é atrativo às formigas e descrever o comportamento desses insetos em relação às sementes. Foram realizados dois experimentos em quatro áreas de estudo. No primeiro, foi testado se a carúncula é atrativa às formigas. Para isso, foram dispostos trinta papéis-filtro (4cm x 4cm) com duas sementes, uma íntegra e outra sem carúncula. As formigas removeram preferencialmente as sementes com carúncula, levando-as íntegras até seus ninhos, onde o apêndice era retirado e retido para a alimentação da colônia, sendo a semente descartada. No segundo experimento, foi verificado se ocorria predação de sementes. Foram dispostos quinze papéis-filtro (4cm x 4cm) com duas sementes íntegras, intercalados com outros quinze papéis-filtro (4cm x 4cm) com duas sementes sem carúncula. Não houve predação. As interações envolvendo a remoção das sementes e/ou a retirada da carúncula pelas formigas podem beneficiar R. communis por promover o escape das sementes da predação e/ou por aumentar o sucesso na germinação, e conseqüentemente o sucesso na dispersão destas.

Carúncula XE "Carúncula"  ? Formigas XE "Formigas"  ? Predação XE "Predação"

B161

Plantas hospedeiras de Phloea subquadrata (Spinola, 1837) (Heteroptera: Pentatomoidea: Phloeidae) na Serra do Japi, Jundiaí, SP

Adriana Trevizoli Salomão (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. João Vasconcellos Neto (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

O número de espécies de plantas utilizadas por uma população de insetos é um importante componente do nicho. Vários estudos têm demonstrado que o uso de hospedeiros é inconstante ao longo do tempo e no espaço, mas a maioria dos insetos herbívoros é relativamente especialista. Este trabalho teve como objetivo principal determinar se a presença de Phloea subquadrata em caules de Myrtaceae representa uma relação hospedeiro-específica. Em 15 parcelas de 30x10m, plantas com altura igual ou superior a 2m foram identificadas em Myrtaceae ou não-Myrtaceae e tiveram o diâmetro a 1,3m (DAP) medido. Indivíduos de P. subquadrata e possíveis predadores foram registrados. Nas parcelas, foram amostradas 3598 plantas, sendo 1501 (41,72%) mirtáceas, distribuídas em 12 morfo-espécies. P. subquadrata foi registrado em 44 dessas plantas, pertencentes a oito morfo-espécies de Myrtaceae. Dessas, sete (42 indivíduos) possuíam caule descamante. O diâmetro (DAP) das plantas hospedeiras nas parcelas variou entre 3,83 e 14,96 cm, com maior freqüência de ocupação nas classes intermediárias. A população de P. subquadrata da Serra do Japi ocupa especificamente mirtáceas, havendo preferência por árvores com caule descamante, que devem conferir maior cripticidade aos fleídeos.

Interação inseto-planta XE "Interação inseto-planta"  - Phloea subquadrata XE "Phloea subquadrata"  - Myrtaceae XE "Myrtaceae"

B162

ANÁLISE BIOMECÂNICA DE TENDÃO DE FRANGOS EM DIFERENTES IDADES

Adriano Biancalana (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Laurecir Gomes (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Os tendões fazem a ligação do músculo ao osso atuando na transmissão da força motora. A organização estrutural dos tendões é reflexo do arranjo supramolecular das fibras colagênicas, conferindo ao tendão propriedades biomecânicas para transmitir e suportar forças de tensão. Durante o envelhecimento os tendões sofrem variações na composição da matriz extracelular, disposição de fibras de colágeno e na celularidade. A proposta deste trabalho é analisar a biomecânica do tendão do músculo flexor superficial digital de frangos da linhagem Hy-sex com 10, 30, 90 e 150 dias. Os tendões inteiros estavam unidos ao músculo correspondente e as falanges ou dividido em três regiões: proximal (sp), intermédia (si) e distal (sd). Os tendões apresentaram resultados diferentes entre as idades com relação aos testes mecânicos de tensão, força e deslocamento. O tendão dos animais de 150 dias apresentou força máxima, deslocamento e área de secção transversa maiores, e nos aves jovens somente a tensão foi maior. No teste de intumescimento as diferentes regiões apresentaram maiores valores na presença do ácido acético do que com a água devido a presença de colágeno. A região sd apresentou um aumento gradual no intumescimento enquanto as demais apresentaram um decréscimo, com o envelhecimento.

Tendão XE "Tendão"  - Aves XE "Aves"  - Biomecânica XE "Biomecânica"

B163

ULTRAESTRUTURA DA CARTILAGEM TRAQUEAL DE AVE COM DIFERENTES IDADES

Frances Lilian Lanhellas Gonçalves (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Laurecir Gomes (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

A traquéia faz parte do sistema respiratório dos animais. Morfologicamente, ela apresenta um epitélio prismático pseudo-estratificado ciliado com glândulas, o pericôndrio e a cartilagem hialina. Os condrócitos se apresentam isolados ou em grupos isogênicos mergulhados numa matriz extracelular que é composta por colágeno, proteoglicanos e proteínas não-colagênicas. Este estudo visa mostrar a distribuição dos componentes da matriz extracelular em traquéia de aves em diferentes idades. As traquéias, das aves com 1 dia, 30, 60 e 90 dias, foram tratadas com vermelho de Rutênio e azul de Cuprolínico e analisadas em microscopia eletrônica de transmissão. O material mostrou uma forte marcação da matriz territorial e interterritorial, evidenciando grande quantidade de glicoproteínas quando tratado com vermelho de Rutênio, e com azul de Cuprolínico evidenciou os proteoglicanos da cartilagem. Os proteoglicanos foram evidenciados ligados às fibrilas de colágeno e também houve marcação nas vesículas de secreção na superfície e/ou na membrana celular. Nas células caficiformes foram evidenciadas vesículas de secreção com diferentes densidades. Nessas células ainda foi possível observar microvilosidades, diferente das células ciliadas, que apresentam microvilosidades e cílios. Pelos tratamentos utilizados não foi observada nenhuma diferença entre as diferentes idades analisadas.

Traquéia XE "Traquéia"  - Aves XE "Aves"  - Morfologia XE "Morfologia"

B164

ANÁLISE MORFOLÓGICA DA FORMAÇÃO DOS ANÉIS DA TRAQUÉIA DE FRANGO APÓS O NASCIMENTO

Roberta Barbizan (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Laurecir Gomes (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A traquéia é uma estrutura que compõe o sistema respiratório. Está localizada da cartilagem cricóide até onde ocorre uma bifurcação para formar os brônquios primários. É formada por vários anéis, de cartilagem hialina de diferentes tamanhos, que variam de 108 até 126. Estudos anteriores mostraram que com 30 dias, essas estruturas estão formadas, porém o que acontece do nascimento até essa idade pouco se sabe. Este trabalho visa mostrar como ocorre essa formação. Animais de 0 dia até 30 dias de idade, tiveram suas traquéias retiradas, fixadas, preparadas para cortes seriados, coradas com H/E, analisadas e documentadas. Nos primeiros dias, a traquéia apresenta nódulos de tecido cartilaginoso que se juntam formando os diferentes semi-anéis, onde se observam células se multiplicando para formar o final do semi-anel. Também se observa com freqüência a presença de uma malha onde se encontram muitas células, porém não se pode dizer se essas células estão migrando do anel pré-formado ou do pericôndrio. Essa malha pode ser composta por fibronectina, ácido hialurônico ou colágeno, que são componentes importantes para a migração celular. Até 30 dias é possível observar que a estrutura do anel já está definida.

Desenvolvimento XE "Desenvolvimento"  - Cartilagem XE "Cartilagem"  - Aves XE "Aves"

B165

MODULAÇÃO DA NEURITE PERIFÉRICA AUTOIMUNE ATRAVÉS DA ADMINISTRAÇÃO ORAL DE PEPTÍDEO DE HEAT SHOCK PROTEIN PPD (180-196).

Fabiano R. Castro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Leonilda M.B. Barbosa (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

O papel de agentes infecciosos na gênese de doenças autoimunes é amplamente reconhecido, por outro lado, as heat shock proteins de agentes infecciosos, tais como antígenos Mycobacteriais, podem, no entanto, ser beneficiais e, em certos casos, melhorar doenças autoimunes experimentais, como por exemplo a Neurite Experimental Autoimune (EAN). A EAN induzida em ratos Lewis serve como modelo de neuropatias inflamatórias desmielinizantes. A administração oral de antígenos próprios e não próprios tem sido identificada como uma ferramenta para impulsionar mecanismos fisiológicos imunoregulatórios de maneira antígeno-específica. No presente estudo, a severidade da EAN, induzida através da imunização com um peptídeo neuritogênico (P2), foi reduzida através da administração do peptídeo de uma heat shock protein PPD (180-196).Linfócitos regulatórios induzidos oralmente através da administração do peptídeo da heat shock protein melhoraram a EAN peptídeo-induzida através de mecanismos bystander.

Tolerância oral XE "Tolerância oral"  - Doença desmielinizante XE "Doença desmielinizante"  - EAN XE "EAN"

B166

Estudo da função supressora das células CD4+CD25+ presentes na mucosa intestinal, na indução de tolerância oral à proteína básica de mielina

Juliana Contin Moraes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Leonilda M.B. Santos (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

As subpopulações de linfócitos CD4 são essenciais para a manutenção da tolerância central e periférica aos auto-antígenos. Uma população recentemente identificada, a de linfócitos T CD4+ CD25+ mostraram ter função imunossupressora por impedir o desenvolvimento de doenças autoimunes em ratos e camundongos. Utilizando o modelo da encefalomielite experimental autoimune (EAE) e a tolerância oral induzida com a proteína básica de mielina (MBP), verificamos o aumento da expressão dessas células nas placas de Peyer da mucosa intestinal e no baço de camundongos SJL, para um maior entendimento de sua participação diante da doença e da tolerização. Testamos também, o papel da citocina IL 2 na tolerância oral, pois trabalhos realizados recentemente mostram que essa interleucina é eficaz na indução dessa tolerância,quando administrada concomitantemente com o antígeno de interesse.Os resultados mostraram uma diminuição dessa população (CD4+ CD25+) nos animais que foram imunizados para desenvolverem a doença, um aumento nos animais que receberam o tratamento oral com a MBP, além de observarmos uma tolerância oral eficaz com a IL2. Sugere-se então que a administração oral de MBP induz uma população de células supressoras na mucosa intestinal podendo explicar a redução da gravidade da EAE.

Célula CD4+ CD25+ XE "Célula CD4+ CD25+"  - Tolerância XE "Tolerância"  - Autoimunidade XE "Autoimunidade"

B167

AÇÃO DE ANTÍGENOS DE Paracoccidioides brasiliensis SOBRE TIMO DE CAMUNDONGOS BALB/C

Jacy Gameiro (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Liana Verinaud (Orientadora),.Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

O Paracoccidioides brasiliensis é um fungo termodimórfico, causador de uma doença granulomatosa crônica denominada Paracoccidioidomicose (PCM) que apresenta alta incidência no Estado de São Paulo, constituindo a principal micose sistêmica desta região. Trabalhos anteriores realizados em nosso laboratório revelam o acometimento do timo e sua atrofia em animais experimentalmente infectados. No presente estudo avaliamos a ação de antígenos derivados deste fungo sobre timo de camundongos. Foram utilizadas duas preparações antigênicas, o CFA (Cell Free Antigen), que representa principalmente antígenos da parede do fungo e o exoantígeno, que são os antígenos liberados pelo P. brasiliensis quando cultivado em meio líquido. A análise das preparações antigênicas, através de Eletroforese em Gel de Poliacrilamida na presença de SDS (SDS-PAGE), revelou a presença de várias proteínas, sabidamente importantes para a patogenicidade do P. brasiliensis. Os animais inoculados com as preparações antigênicas tiveram, após o sacrifício, seus timos coletados, pesados e submetidos à análise histopatológia. Marcantes alterações como aumento de apoptose no córtex tímico e presença de infiltrado inflamatório capsular foram observadas. Estes resultados sugerem um papel importante para os antígenos fúngicos durante o processo de atrofia tímica e conseqüentemente no desenvolvimento e estabelecimento da doença.

Paracoccidioides brasiliensis XE "Paracoccidioides brasiliensis"  - Antígenos XE "Antígenos"  - Timo XE "Timo"

B168

Determinantes da Variação Morfológica na Borboleta Chlosyne lacinia (Nymphalidae)

Laura Helena Hafner da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq), Dr. André Victor Lucci Freitas (Co-Orientador) e Prof. Dr. Louis Bernard Klaczko (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

Chlosyne lacinia é uma borboleta neotropical que ocorre em matas, mas também é uma praga de cultura de girassol. Ela apresenta uma conspícua variação de coloração e tamanho. As fêmeas colocam os ovos agrupados, que se desenvolvem em larvas formando coortes de irmãos. O objetivo deste trabalho é verificar as influências genética, da temperatura e do sexo sobre a variação de tamanho e coloração em adultos de C. lacinia. Coortes de ovos e larvas foram coletadas no campo (Mata Santa Genebra) em dois experimentos e criadas em laboratório sob temperaturas controladas. A partir de imagens das asas dos adultos, foram tomadas uma medida de tamanho (área da asa posterior) e uma de coloração (área da banda laranja mediana/área da asa). Para o primeiro experimento, a ANOVA indicou que temperatura, sexo e coorte têm efeito significativo tanto para o tamanho quanto para a coloração, sendo que para esta as interações temperatura*sexo e temp*coorte também foram significativas. No segundo experimento, houve efeito significativo de temperatura, sexo, coorte, temp*sexo e temp*coorte para tamanho, mas apenas de coorte e temperatura para a coloração. Nossos resultados indicam que o tamanho e a coloração sofrem influência genética, do sexo e do ambiente, e sugerem a presença de interação entre estes fatores.

Plasticidade fenotípica XE "Plasticidade fenotípica"  ? Lepidoptera XE "Lepidoptera"  ? Nymphalinae XE "Nymphalinae"

B169

MORFOLOGIA DAS ANTERAS, PADRÃO DE ESPESSAMENTO DE PAREDE CELULAR DO ENDOTÉCIO E TAXONOMIA DE DICHORISANDRA MIKAN (COMMELINACEAE)

Erika Ikemoto (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria do Carmo Estanislau do Amaral (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

O gênero Dichorisandra apresenta cerca de 25 espécies com centro de distribuição no Brasil. Sua delimitação está sendo investigada, já que a última revisão do gênero data de 1881 e traz algumas incertezas. O objetivo deste trabalho foi, então, buscar caracteres que auxiliassem a delimitação entre as espécies e entre Dichorisandra e os gêneros próximos, e para isso, foram investigadas características da micromorfologia das anteras, especialmente os padrões de espessamento do endotécio. O material analisado foi obtido a partir de espécies em cultivo em casa de vegetação, de material fixado em solução de FAA e de material herborizado. Para exame das anteras, estas eram clarificadas em solução de hipoclorito de sódio e coradas com solução de fucsina ou safranina. Sabe-se que as anteras de Dichorisandra apresentam deiscência poricida, ou pelo menos funcionalmente poricida, enquanto que, nos demais gêneros da subtribo Dichorisandrinae, a deiscência das anteras é rimosa. Os padrões de espessamento encontrados nas 31 espécies (ou morfoespécies, quando a identificação não foi possível) analisadas foram divididos em três categorias básicas: em espiral, residual e ausente; cada um destes, no geral, pôde ser associado a cada um dos três mecanismos básicos de deiscência: longitudinal, biporada e uniporada, respectivamente. Apenas D. thyrsiflora fugiu a esse padrão dentre as espécie analisadas; embora uniporadas, o endotécio não é ausente. Apresenta o mesmo de padrão de espessamento ? residual ? que os indivíduos chamados de D. aff. thyrsiflora, de anteras biporadas. Isso reforça a proximidade entre estes indivíduos e D. thyrsiflora, já sugerida pelo hábito e morfologia floral gerais semelhantes, e evidencia a relevância de características relativas aos estames na delimitação de espécies próximas Os dados serão incorporados na revisão taxonômica do gênero.

Anteras XE "Anteras"  - Taxonomia vegetal XE "Taxonomia vegetal"  - Dichorisandra XE "Dichorisandra"

B170

ELABORAÇÃO DE UMA CHAVE DE IDENTIFICAÇÃO INTERATIVA PARA FAMÍLIAS DE MONOCOTILEDÔNEAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

Jucemary Simplício de Araújo (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria do Carmo E. do Amaral (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A natureza das chaves de identificação impressas podem tornar a identificação de espécies vegetais bastante trabalhosa, pois geralmente estabelecem um caminho único a ser seguido e não apresentam qualquer forma de adaptação às necessidades do usuário. Como alternativa existem chaves interativas de identificação, com auxílio de computadores. Essas chaves interativas oferecem maior flexibilidade na trajetória a ser percorrida durante o andamento do trabalho, podem apresentar ilustrações acompanhando os itens das questões referentes aos caracteres utilizados e permitem uma margem de erro. Contudo, a disponibilidade de chaves de identificação interativas é ainda bastante escassa. O projeto tem como objetivo a elaboração de uma chave interativa ilustrada para a identificação de famílias de monocotiledôneas nativas e subespontâneas do Estado de São Paulo. Foi realizado um levantamento das famílias e respectivos gêneros de ocorrência no Estado. Foram elaboradas descrições para as famílias e feito o levantamento dos caracteres específicos desses gêneros, para definir uma lista de caracteres relevantes para a identificação das famílias. Foram produzidas ilustrações de caracteres e das espécies encontradas. Os dados obtidos estão sendo inseridos no programa LUCID para a construção da chave.

Chave interativa de identificação XE "Chave interativa de identificação"  - Monocotiledôneas do Estado de São Paulo XE "Monocotiledôneas do Estado de São Paulo"  - Taxonomia vegetal XE "Taxonomia vegetal"

B171

ALTERAÇÕES DA PERMEABILIDADE DA FIBRA MUSCULAR DISTRÓFICA DURANTE O DESENVOLVIMENTO DA JUNÇÃO NEUROMUSCULAR

Cíntia Yuri Matsumura (Bolsista FAPESP), Humberto Santo Neto e Profa. Dra. Maria Júlia Marques (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Durante o desenvolvimento normal da junção neuromuscular, terminais nervosos em excesso são eliminados nas duas primeiras semanas de vida pós-natal. Camundongos mdx apresentam ausência de distrofina e eliminação sináptica acelerada, o que pode ser devido ao aumento do influxo de cálcio observado nestes animais. Para verificar se na primeira semana de vida pós-natal ocorre lesão sarcolemal sub-letal e aumento da permeabilidade da fibra muscular distrófica utilizamos o corante azul de Evans (AE), em camundongos mdx e controle C57Bl/10 com 07, 21 e 90 dias de vida pós-natal (n=4/idade). As fibras musculares marcadas com AE foram quantificadas em cortes congelados dos músculos esternomastóide (STN), gastrocnêmio (GTC) e tibial anterior (TA), sob microscópio de fluorescência. Nos mdx 7 dias, as fibras musculares não foram permeáveis ao AE. Nos mdx 21 dias, 1,6% das fibras do STN apresentaram alteração da permeabilidade. Nos mdx 90 dias, cerca de 6% das fibras do STN e do GTC foram permeáveis ao AE. Esses resultados indicam que não há lesão sarcolemal no início do desenvolvimento do mdx, que pudesse ser detectada com AE. Isto sugere que outros fatores possam contribuir para a aceleração da eliminação sináptica vista nos animais distróficos.

Azul de Evans  XE "Azul de Evans"  - Distrofia  XE "Distrofia"  - mdx XE "mdx"

B172

MORTE CELULAR EM CÉLULAS MAMÁRIAS HUMANAS EM CULTURA

Adriana Brombini dos Santos (Bolsista SAE/PRG), M. H. Lareef, J. Russo e Profa. Dra. Maria Luiza S. Mello (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

As células epiteliais mamárias humanas MCF-10F constituem-se em ferramenta importante para estudos experimentais sobre a ação de drogas, incluindo-se carcinógenos. O conhecimento de suas condições ótimas de desenvolvimento deve, portanto, ser cuidado, como garantia de que se configurem como células-controle confiáveis. Pressupondo-se que o substrato sobre o qual tais células são cultivadas pudesse afetar seu desenvolvimento e o seu índice de morte por apoptose, buscou-se investigar tal índice, bem como o da morte celular catastrófica (MCC), originada por quebras cromossômicas, em células cultivadas sobre lâminas-câmara de vidro e de plástico. Neste último caso testou-se a variação no volume operacional da câmara. Concluiu-se que, para câmaras de igual tamanho, o substrato plástico apresentava pequenas vantagens sobre o de vidro, permitindo que um número ligeiramente maior de apoptoses se expressasse. Câmaras com um volume operacional de 0,2-0,4 ml sobre plástico, no entanto, mostraram-se inadequadas e não recomendadas, dado a grande variabilidade em resultados. Isto se confirmou embora o número de células plaqueadas fosse proporcional ao volume operacional por câmara e o tempo de cultivo o mesmo para todos os experimentos (96 h). Quanto à MCC, concluiu-se ser esta pouco frequente nas células MCF-10F, independente do substrato de seu cultivo.

Apoptose XE "Apoptose"  - Células mamárias humanas XE "Células mamárias humanas"  - Cultura XE "Cultura"

B173

SÍNDROMES DE POLINIZAÇÃO EM UMA ÁREA DE CERRADO NA REGIÃO DE ITU, SP.

Andréa da Costa Marques Tavares (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Marlies Sazima (Orientadora), Instituto de Biologia - IB ? UNICAMP

Síndromes de polinização são conjuntos de caractéres das flores que determinam o agente polinizador de determinada espécie de planta. Este trabalho foi desenvolvido num fragmento de cerrado na cidade de Itu / SP, de 23 de abril a 05 de junho de 2003. Foram observados os atributos florais tais como formato e coloração da flor, disposição dos elementos reprodutivos, tipo de recurso oferecido (néctar, pólen, óleo) e os animais visitantes das flores. Foi coletada amostra dos materiais para análise em laboratório e identificação das plantas. Foram encontradas oito espécies de Asteraceae, três de Rubiaceae, uma de Araliaceae, Caesalpinaceae, Convolvulaceae, Dilleniaceae, Malpighiaceae, Melastomataceae, Myrsinaceae, Myrtaceae, Sapindaceae, Styracaceae e Vochysiaceae. No total foram registradas 22 espécies em flor, o que é um número razoável considerando que a época de pico de floração no cerrado, geralmente, compreende os meses de agosto a outubro e a área de observação se restringiu a uma trilha de 300m. Foram observadas visitas de abelhas, vespas, borboletas, mariposas, besouros, moscas, de várias espécies. Foi inferido que a maioria das espécies (12) apresenta síndrome de melitofilia (polinização por abelhas), seguida de psicofilia (borboletas) em 7 espécies, uma espécie apresentou síndrome mista de miiofilia/cantarofilia (moscas/besouros) e duas espécies são generalistas com polinização por diversos pequenos insetos. O recurso mais abundante é néctar, seguido de pólen e uma espécie oferece óleo. Abelhas, borboletas e moscas foram considerados como principais agentes polinizadores dessa área, sendo insetos fundamentais para a manutenção das espécies de plantas desse fragmento de cerrado e para a conservação desse ecossistema.

Síndromes XE "Síndromes"  ? Polinização XE "Polinização"  ? Cerrado XE "Cerrado"

B174

Influência do pH nas Propriedades Surfactantes e na Interação de Fenotiazínicos com Membranas

Erika Mitie Uchiyama (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Nilce Correa Meirelles (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

As seguintes propriedades físico-químicas dos agentes surfactantes tioridazina e prometazina em diferentes valores de pH (entre 5 e 10,5) foram determinadas: solubilidade, ?cloud point?, CMC e coeficiente de partição membrana/água. A CMC foi medida por condutividade, fluoerescência e EPR. A solubilidade aquosa foi determinada por espectrofotometria de absorção, enquanto o ?cloud point?, visualmente. Já o coeficiente de partição das drogas entre as diversas membranas (microssoma, ?ghost? de eritrócitos e lipossomas multilamelares de fosfatidilcolina de ovo) e água foi obtido por separação de fases. Tioridazina e prometazina apresentaram mudança brusca de solubilidade em torno do pH 6,0 e 7,0, respectivamente. Em ambas as drogas, o aumento do pH resultou na diminuição do ?cloud point? e da CMC, embora os valores de CMC obtidos fossem sempre menores ou coincidentes com os de ?cloud point?. É possível considerarmos que a turbidez observada seja um fenômeno micelar, pois a mudança de solubilidade não parece estar sendo influenciada pela protonação das drogas (pK(9,0). Tanto a tioridazina quanto a prometazina apresentaram afinidade por microssoma muito maior que pelas outras membranas, sugerindo uma interação entre estes compostos e proteínas de membranas.

Fenotiazínicos XE "Fenotiazínicos"  - Membrana Eritrocitária XE "Membrana Eritrocitária"  - Agregação XE "Agregação"

B175

PURIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO CITOCROMO P450 NO ANELÍDEO Eudrilus eugeniae: PERSPECTIVA DE UTILIZAÇÃO COMO BIOMARCADOR DE POLUIÇÃO DE SOLO

Juliana Minardi Nascimento (Bolsista SAE/PRG), Profa. Dra. Maria Eleonora Feracin da Silva (Co- Orientadora) e Profa. Dra. Nilce Correa Meirelles (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Nos últimos anos houve um aumento das pesquisas visando a avaliação dos efeitos de xenobióticos (como pesticidas, PAHs, PCBs, dentre outros) na fauna de solos. As minhocas, por seu tamanho e grande biomassa, são organismos indicados para o teste de toxicidade de químicos no solo, servindo como bioindicadores da poluição ambiental. No presente trabalho, realizamos a parcial purificação do citocromo P450, cujo sistema é muito utilizado para biomonitoramento de áreas contaminadas. Observamos que os microssomas totais de minhocas obtidos possuíam grande contaminação com hemoglobina gigante, uma molécula presente em anelídeos. Após cromatografia de troca iônica (coluna Sepharose 4B em FPLC) e hidrofobicidade (coluna C18 em HPLC) ainda havia contaminação com subunidades da hemoglobina em todos os picos de eluição. A atividade de NCR, outra enzima do sistema microssomal hepático, foi aumentada em três vezes após a cromatografia de troca iônica. Apesar da interferência contínua da hemoglobina, caracterizamos a massa molecular do citocromo P450 de E. eugeniae em 46 e 58 KDa, equivalentes a isoformas diferentes. Utilizando o anticorpo Mab1-12-3 (anti-scup) específico para CYP1A, não verificamos reatividade em Western-Blot.

Minhocas XE "Minhocas"  - Citocromo P450 XE "Citocromo P450"  - Purificação XE "Purificação"

B176

PROPRIEDADES SURFACTANTES DO ANTIHITAMÍNICO HIDROXIZINA E SUA INTERAÇÃO COM MEMBRANAS EM FUNÇÃO DO pH

Raquel Moutinho Barbosa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Nilce Correa Meirelles (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

As seguintes propriedades físico-químicas do composto surfactante antihistamínico hidroxizina foram caracterizadas considerando a influência do pH e sua interação com membranas: coeficiente de extinção molar ((), solubilidade, ?cloud point?, CMC (concentração micelar crítica) e coeficiente de partição (P) em membranas (lipossoma de EPC, ?ghost? de eritrócitos e microssoma) e água. A solubilidade aquosa e o ( foram determinados por espectrofotometria de absorção. ?Cloud point? foi verificado visualmente e a CMC através das técnicas de tensão superficial, fluorescência e ESR. Os valores de P foram obtidos por separação de fases. Verificou-se o ( = 0,611mM e uma mudança brusca de solubilidade em pH 6,7. A CMC obtido por tensão superficial, pH 5,5 = 40 mM, e em pH 7,4=2,0mM. Os valores de CMC medidos por ESR e fluorescência mostraram valores próximos àqueles determinados pela técnica clássica. O ?cloud point? diminui com o aumento do pH. PLipossoma < P?Ghost? < PMicrossoma. Conclui-se que ?cloud point? é um fenômeno micelar. A CMC obtida por tensão é 20 vezes menor em pH 5,5 do que em pH 7.4. A CMC por ESR e fluorescência mostrou valores concordantes aos anteriores. O P em membrana microssomal/água sugere maior afinidade por proteínas de membrana do que pelos lipídios.

Hidroxizina XE "Hidroxizina" - Agregação XE "Agregação" - Membrana XE "Membrana"

B177

CARACTERIZAÇÃO DO PADRÃO DE CRESCIMENTO DE CÉLULAS OSTEOBLÁSTICAS HUMANAS

Flávia Oliveira Pinho (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Paulo Pinto Joazeiro (Orientador) e Prof. Dr. Arnaldo Rodrigues dos Santos Jr. (Co-Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A biologia do reparo do tecido ósseo após um trauma mecânico é um processo complexo que envolve proliferação de células osteoblásticas, síntese de matriz óssea neoformada e reabsorção de porções de matriz pré-existente. Como estratégia para substituição temporária de porções teciduais danificadas, vem sendo investigado o transplante de diferentes tipos de células cultivadas em substratos bioabsorvíveis. Estudamos morfologicamente a interação de células hFOB 1.19 (linhagem osteoblástica humana estabelecida, adquirida junto a ATCC) com fragmentos de matriz óssea desmineralizada (MOD) de 4mm de diâmetro, extraídos de calota craniana de ratos rowett nude; e lamínula de vidro. As amostras foram processadas e observadas em microscopia de luz e eletrônica de varredura. A avaliação da expressão de moléculas da matriz extracelular e do citoesqueleto de hFOB 1.19, cultivadas em lamínula, foi realizada em ensaio imunocitoquímico. A linhagem hFOB 1.19 apresentou emissão de filopódios, projeções celulares para o interior da MOD, crescimento em monocamada, deposição de material reticulado, multiplicação celular na lamínula e padrão de adesão não exponencial. Os resultados mostraram que a MOD é um biomaterial que promove a adesão e diferenciação de osteoblastos humanos in vitro.

Osteoblastos XE "Osteoblastos"  ? Cultura de Células XE "Cultura de Células"  ? MOD XE "MOD"

B178

Células do ligamento interpúbico do camundongo (Swiss): variação da citoarquitetura e inter-relação com componentes do sistema elástico da matriz extracelular durante a etapa final da prenhez

Ivan Carlos de Moraes Ferreira (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Paulo Pinto Joazeiro (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, unicamp

O relaxamento da sínfise púbica de camundongo durante a prenhez é resultante de alterações da composição da matriz extracelular e do fenótipo de células. Nosso objetivo foi investigar aspectos da modulação fenotípica de células semelhante a fibroblastos, na sínfise de camundongos virgens e a termo, buscando identificar componentes celulares e da matriz que poderiam participar do processo desta modulação. Empregamos marcação imunohistoquímica para identificar a expressão de (-actina de músculo liso ((-SMA) em cortes histológicos da sínfise de animais virgens e prenhes. A imunomarcação foi quantificada pela densidade ótica e comparada estatisticamente. Utilizamos também coloração seletivas para identificação de fibras elásticas. O estudo imunohistoquímico mostrou um aumento da expressão de (-SMA nas células semelhantes a fibroblastos do ligamento interpúbico no final da prenhez. As colorações seletivas permitiram correlacionar o fenótipo celular com a histoarquitetura das fibras elásticas. O conjunto dos resultados aponta para ampliação da capacidade das células suportarem o estresse mecânico e aparentemente transmiti-lo ao sistema elástico da sínfise durante a etapa final da prenhez.

Imunohistoquimica  XE "Imunohistoquimica" - Sínfise  XE "Sínfise" - Citoesqueleto XE "Citoesqueleto"

B179

AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO DE CÉLULAS OSTEOBLÁSTICAS HUMANAS SOBRE BLENDAS DE POLI(CAPROLACTONA/NAFION)

Mirella Abrahão Crevelaro (Bolsista PIBIC/CNPq), Arnaldo Santos Jr. (Colaborador) e Prof. Dr. Paulo Joazeiro (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A engenharia de tecidos oferece perspectivas promissoras para reparo ósseo, uma vez que materiais porosos servem como suportes e moldes para regeneração óssea. Neste sentido, vem sendo desenvolvidos e testados materiais biocompatíveis e biodegradáveis Tendo em vista que células ostoeoblásticas h.FOB1.19 constituem-se em ferramenta extremamente útil para a avaliação biológica de biomateriais, este trabalho teve como proposta a avaliação, in vitro, da interação destas células com blendas do poliéster poli(caprolactona/nafion) em diferentes proporções, utilizando microscopia eletrônica de varredura e de transmissão. No estudo das interações celulares, empregando-se proporções 7/3 e 9/1 (caprolactona/nafion/v:v), pôde-se observar, ao microscópio eletrônico de varredura, aspectos ultra-estruturais que são indicativos de que os materiais permitem o metabolismo, a adesão e a comunicação celular sendo, dessa forma, não citotóxicos e biocompatíveis. Notou-se também indícios de que a colonização celular ocorra de modo diferenciado nas duas blendas. Uma avaliação qualitativa nos permitiu identificar com maior freqüência a presença de células na superfície do material 9/1, enquanto em 7/3 elas ocupam preferencialmente os poros. Nos materiais processados para a microscopia eletrônica de transmissão, também foi possível observar indícios de colonização celular.

Engenharia de Tecidos XE "Engenharia de Tecidos"  ? Biomateriais XE "Biomateriais"  ? Cultura de Células XE "Cultura de Células"

B180

MORFOLOGIA E ANATOMIA DO FRUTO DE Anacardium humile A. St. -Hil. (Anacardiaceae) DO CERRADO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Juliana L. Sacoman (Bolsista Biota/FAPESP) e Profa. Dra. Sandra M. Carmello-Guerreiro (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

O presente estudo tem como objetivo o estudo morfológico e anatômico do fruto de Anacardium humile, também chamado cajuzinho do cerrado. O fruto verdadeiro é uma noz, acinzentada e reniforme e o pseudofruto é vermelho e claviforme, com polpa alva e suculenta. O ovário possui uma epiderme externa unisseriada, com grossa cutícula; o mesofilo é parenquimático e epiderme interna unisseriada, com fina cutícula. O fruto jovem possui exocarpo unisseriado e grossa cutícula; mesocarpo parenquimático, com feixes vasculares e os canais secretores dispersos e endocarpo unisseriado com células alongadas radialmente e cutícula fina. No fruto maduro, o exocarpo (sensu stricto) é lignificado, recoberto por cutícula grossa e com estômatos; abaixo do exocarpo delimita-se uma hipoderme tanífera. As células do mesocarpo têm aspecto colenquimatoso com evidentes protuberâncias pécticas e feixes vasculares associados a canais secretores. O endocarpo é composto por duas camadas celulares, derivadas da epiderme interna, ambas lignificadas e alongadas radialmente. O pseudofruto apresenta epiderme unisseriada (às vezes bisseriada), com fina cutícula e tricomas tectores; hipoderme tanífera e região interna parenquimática com feixes vasculares e canais secretores dispersos.

Cerrado XE "Cerrado"  ? Fruto XE "Fruto"  ? Anacardiaceae XE "Anacardiaceae"  ? Anatomia XE "Anatomia"

B181

MORFOLOGIA E ANATOMIA DOS FRUTOS DE MICONIA ALBICANS (SWARTZ) TRIANA (MELASTOMATACEAE) DO CERRADO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Priscila Andressa Cortez (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sandra Maria Carmello-Guerreiro (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A espécie Miconia albicans é característica de cerrados e savanas, sendo amplamente distribuída pela América Latina. Neste trabalho, a morfologia e a anatomia dos frutos desta espécie foram analisadas e descritas. Flores e frutos em diferentes fases de desenvolvimento foram coletados, fixados em FAA, incluídos em historesina e corados com Azul de Toluidina. O ovário é trilocular glabro, semi-ínfero; as epidermes externa e interna da porção livre são unisseriadas e recobertas por cutícula. A epiderme externa da porção ínfera é recoberta por tricomas tectores; o mesofilo é parenquimático, com feixes vasculares e drusas. No ápice ovariano os septos apenas encostam suas margens, fundindo-se apenas na porção ínfera. Os frutos, bagas suculentas originadas do desenvolvimento do ovário livre e ínfero, foram divididos em imaturos1 e 2, e maduros. Os imaturos apresentam exocarpo com tricomas tectores na porção ínfera e endocarpo unisseriados, mesocarpo parenquimático com feixes vasculares, drusas e idioblastos taníferos. Estômatos e células papilosas são evidentes no exocarpo dos frutos imaturo2. Esclereídes constituindo feixes, grupos esparsos ou células isoladas aparecem em frutos imaturo2 e maduros. Com o amadurecimento há aumento no número e tamanho das células parenquimáticas do mesocarpo.

Melastomataceae XE "Melastomataceae"  - Anatomia XE "Anatomia"  - Frutos XE "Frutos"

B182

ESTUDO COMPARATIVO DOS INIBIDORES DE TRIPSINA DAS SEMENTES DE Lagenaria vulgaris e Chenopodium quinoa

Bruno Menezes de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sérgio Marangoni (Orientador), Instituto de Biologia - IB ? UNICAMP

Inibidores de serino proteases de plantas têm sido amplamente estudados devido a sua diversidade de funções, como exercer um papel protetor contra agentes patogênicos, pragas e herbívoros em plantas. LvTI foi purificado das sementes de Lagenaria vulgaris. Este inibidor mostrou alta homologia em sua estrutura primária com outros inibidores da família Squash. Ele apresenta um valor de Ki igual a 7,2.10-9M. CqTI foi purificado das sementes de Chenopodium quinoa e revelou uma fraca inibição para tripsina quando compara do a LvTI, apresentando um valor de Ki igual a 4,11.10-7M. Os perfis de ambos inibidores em cromatografia de exclusão molecular, em coluna S-200, revela tempos de exclusão similares, indicando para eles uma baixa massa molecular. Gel de tricina SDS PAGE mostrou para LvTI uma banda em torno de 7kDa e para CqTI duas bandas, uma de 8 kDa e outra de 4 kDa, dado confirmado por espectrometria de massa, indicando que este inibidor seria composto por duas subunidades. O objetivo deste estudo é entender alguns dos mecanismos de ação de certos inibidores e relacioná-los às suas aplicações biológicas específicas.

Inibidor XE "Inibidor"  - Tripsina XE "Tripsina"  - Sementes XE "Sementes"

B183

Estudo Estrutural de CqL, Lectina Isolada das Sementes de Chenopodiun quinoa

Marcelo Augusto Portugal Mattioli (Bolsista PIBIC/CNPq), Silva, J.A., Camillo, J.N. e Prof. Dr. Sérgio Marangoni (Orientador), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

Após a purificação da lectina de sementes de Chenopodiun quinoa (CqLec) amostras desta proteína foram submetidas a ensaios que visaram uma melhor compreensão de sua estrutura e buscaram uma possível aplicação biológica. A utilização da técnica de dicroismo circular mostrou que esta lectina possui grande quantidade de porções (-hélice, poucas regiões com formação do tipo folha (-pregueada, e que a estrutura secundária da proteína não é alterada pela presença de carboidratos. A atividade de CqLec sobre o processo de agregação plaquetária também foi avaliada, porém a lectina não teve qualquer efeito sobre este processo pois não o estimulou nem o inibiu. Já a ação da lectina sobre culturas de Xanthomonas axonopodis pv. Passiflorae foi bem evidente, CqLec foi capaz de inibir completamente o crescimento bacteriano.

Lectina XE "Lectina"  - Chenopodiun quinoa XE "Chenopodiun quinoa"  - Xanthomonas XE "Xanthomonas"

B185

ESTRUTURAÇÃO E VARIABILIDADE INTRAPOPULACIONAL EM PALMITEIRO JUÇARA

Claudemir R. Dias Filho (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Vera Solferini (Orientadora) e Fernando Martins (Co-Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Estudos em plantas têm evidenciado que as populações não apresentam uma distribuição genotípica aleatória, mas padrões de estruturação espacial e temporal. Este estudo visou caracterizar a variabilidade genética (VG) e sua estruturação no espaço e ao longo da ontogenia numa população natural de Euterpe edulis. Utilizando 33 locos isoenzimáticos, estimaram-se as freqüências alélicas e genotípicas nos estádios não reprodutivos. Os valores FST médio e entre os estádios (par-a-par) sugerem uma pequena diferenciação genética ao longo da ontogenia. Há estruturação espacial em pequena escala para as plântulas e em escala ligeiramente maior para jovem I. As plântulas apresentaram a menor VG e estruturação em menor escala e os imaturos, a maior VG e ausência de estruturação espacial. Este aumento de VG pode ser explicado pelo acúmulo progressivo de indivíduos de diferentes eventos reprodutivos ao longo do desenvolvimento, ou seja, a VG de um estádio ontogenético seria proporcional ao tempo de sua duração. Deste modo, o efeito do acúmulo progressivo de coortes supera o efeito da redução do número de indivíduos ao longo do crescimento das mesmas. A redução na densidade populacional pode gerar um efeito de escala na estruturação espacial desta espécie.

Estruturação genética XE "Estruturação genética"  - Estádio ontogenético XE "Estádio ontogenético"  - Isozima XE "Isozima"

B186

EFEITO DA FRAGMENTAÇÃO AMBIENTAL NA VARIABILIDADE GENÉTICA DE Hermeuptychia hermes (NYMPHALIDAE, SATIRINAE)

Renato Fernandes (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Vera Nisaka Solferini (Orientadora), Instituto de Biologia ? IB, UNICAMP

A ação humana no meio ambiente tem alterado em grande escala o habitat de muitos animais e plantas. Algumas das principais modificações devem-se à fragmentação ambiental, que tem sido acelerada nos últimos anos. Esse processo afeta de várias formas as populações que vivem nessas áreas, podendo levar à extinção de espécies. Insetos, em especial borboletas, são bons indicadores de perturbação ambiental, devido à sua grande sensibilidade a alterações no sistema, assim como a características inerentes ao grupo que facilitam sua observação e estudo. Populações de Hermeuptychia hermes (Nymphalidae) foram estudadas em três fragmentos de mata no município de Campinas, S.P., para verificar efeitos da fragmentação ambiental sobre sua variabilidade genética. Para isso, foi utilizado o método da eletroforese de isoenzimas. A mais alta variabilidade foi encontrada na população que habitava o fragmento mais isolado e de maior tamanho, enquanto os fragmentos menores e menos isolados apresentaram baixa variabilidade. Isso indica que a fragmentação ambiental pode comprometer o patrimônio genético da espécie, porque fragmentos menores submetem populações de H. hermes à deriva genética e outros efeitos limitadores da variabilidade.

Fragmentação Ambiental XE "Fragmentação Ambiental"  - Variabilidade Genética XE "Variabilidade Genética"  - Isoenzimas XE "Isoenzimas"

B187

VARIABILIDADE GENÉTICA EM Oncidium BENTHAM (ORCHIDACEAE)

Suzana de Fátima Alcantara (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Vera Nisaka Solferini (Orientadora), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

O gênero Oncidium é um dos mais derivados da família Orchidaceae, apresentando adaptação à polinização por abelhas antoforídeas e grande variação morfológica entre as espécies. Neste trabalho realizou-se uma estimativa de variabilidade genética em populações naturais de Oncidium com o método de eletroforese de isoenzimas. As quatro espécies estudadas são restritas a regiões de altitude, sendo que as populações podem ser consideradas naturalmente fragmentadas. Os resultados obtidos apontam para uma baixa variabilidade genética nas quatro espécies (He variando de 0,0602 a 0,114), baixa diferenciação entre as populações de O. hookeri (FST= 0,0570) e alta diferenciação interespecífica (distância genética média = 0,697). Estudos realizados em ambientes fragmentados mostraram que outras espécies também polinizadas por abelhas (Asteraceae e Cactaceae) apresentaram baixa variabilidade genética, o que sugere o papel representado por polinizadores em populações vegetais naturais, influenciando o padrão de variabilidade das mesmas. A baixa estruturação populacional, também observada em orquídeas polinizadas por moscas, pode ser relacionada à eficiente dispersão das sementes na família Orchidaceae.

Orchidadceae XE "Orchidadceae"  - Variabilidade Genética XE "Variabilidade Genética"  - Polinizadores XE "Polinizadores"

Instituto de Física

B188

Mapeamento da Atividade Cerebral através de Ressonância Magnética Funcional

Denis Cocuroci (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Roberto J. M. Covolan (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? ? IFGW, UNICAMP

A técnica de geração de neuroimagens funcionais denominada Ressonância Magnética Funcional (RMF) é um dos principais métodos de monitoramento da atividade cerebral atualmente existentes. Neste trabalho foram estudados os fundamentos físicos para a geração de imagens digitais através da excitação de spins nucleares e do fenômeno de ressonância magnética, detalhando-se como esses processos são empregados no caso específico da RMF. Tal técnica consiste essencialmente da rápida aquisição de imagens cobrindo todo o volume do cérebro enquanto um indivíduo submetido a exame recebe estímulos motores e/ou sensoriais ou executa alguma tarefa motora e/ou cognitiva. As zonas de ativação cerebral são determinadas através de um meticuloso trabalho de pós-processamento das imagens digitais obtidas durante o experimento. Esse trabalho consiste de diferentes etapas de preparação das imagens para que, ao final, procedimentos estatísticos sejam a elas aplicados, resultando em mapas, que correspondem às regiões do cérebro ativadas durante o experimento. Além de se discutir as diferentes etapas desse processo, desde os princípios físicos envolvidos na geração de imagens até os algorítmos utilizados para a obtenção de mapas funcionais, são apresentados resultados obtidos com experimentos de ativação motora.

Ressonância Magnética XE "Ressonância Magnética"  ? Neuroimagem Funcional XE "Neuroimagem Funcional"  ? Ativação Motora XE "Ativação Motora"

B189

Biofísica da Resposta Hemodinâmica em Ressonância Magnética Functional

Felipe Modenese (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Roberto J. M. Covolan (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? ? IFGW, UNICAMP

A técnica de neuroimagens por Ressonância Magnética Funcional (RMF) permite detectar as regiões do cérebro que estão ativas quando uma determinada tarefa é executada ou um estímulo é percebido. Essa técnica baseia-se em tênues alterações da hemodinâmica cerebral localizadas nas regiões de ativação, que podem ser detectadas devido às propriedades magnéticas da hemoglobina, proteína componente do sangue e responsável pelo transporte de oxigênio às células. Um dos principais elementos explorados para a geração de imagens via RMF denomina-se efeito BOLD, de Blood Oxygenation Level Dependent effect. Neste trabalho são discutidos os principais aspectos biofísicos envolvidos na geração de imagens funcionais do cérebro através do efeito BOLD. Para isso, apresenta-se um modelo teórico que procura descrever detalhes da resposta hemodinâmica e da geração do sinal BOLD através de um sistema de equações diferenciais acopladas envolvendo as principais variáveis neurofisiológicas responsáveis pela dinâmica desse processo. São apresentados também resultados de experimentos de ativação motora em que se obtém, via RMF, a região ativada no córtex motor. Dessa região ativada, extrai-se a resposta hemodinâmica, que é, então, comparada ao modelo teórico.

Ressonância Magnética XE "Ressonância Magnética"  ? Neuroimagem Funcional XE "Neuroimagem Funcional"  ? Resposta Hemodinâmica XE "Resposta Hemodinâmica"

LNLS - Laboratório Nacional de Luz Síncroton

B184

ESTUDOS ESTRUTURAIS DA PROTEÍNA HEMOLÍTICA STICHOLISINA II

Aline Lima de Oliveira (Bolsista FAPESP) e Dra. Thelma de Aguiar Pertinhez (Orientadora), Laboratório Nacional de Luz Síncrotron ? LNLS

Sticholisina II (St II) é uma citolisina produzida pela anêmona Stichodactyla helianthus que promove a lise de membranas através da formação de poros. Com o objetivo de compreender o mecanismo de interação da proteína com a membrana, neste trabalho foram realizados estudos estruturais e dinâmicos, através das técnicas de Dicroísmo Circular (CD) e Ressonância Magnética Nuclear (RMN), do fragmento correspondente aos resíduos 16-35 da St II (VLDKVLEELGKVSRKIAVGI-NH2), St II (16-35). Esse fragmento está envolvido na interação da proteína St II com a membrana e, quando incubado com eritrócitos inibe a atividade hemolítica da proteína. Os resultados de CD mostam que com a variação da concentração o peptídeo não sofre mudança conformacional significativa. Porém, na presença de SDS alcança 80% de conformação (-hélice. Visando a importância da interação do peptídeo com a membrana, os estudos estruturais foram realizados na presença de micela de SDS. Os resultados de 1H-RMN mostram que o fragmento St II (16-35) apresenta conformação em (-hélice com um elevado caráter anfipático, que se estende da Leu17 a Ala32 e se orienta paralelamente a superfície da micela de SDS. Esse resultado confirma a hipótese de que o fragmento St II (16-35) recobre a superfície do eritrócito, impedindo que a proteína St II lise a célula, inibindo a atividade hemolítica desta proteína.

Sticholisina II XE "Sticholisina II"  ? Ressonância Magnética Nuclear XE "Ressonância Magnética Nuclear"  ? Estrutura e Dinâmica XE "Estrutura e Dinâmica"

PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS

CEPAGRI - Centro de Pesq. Meteriológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura

E299

Correção radiométrica de imagens digitais em videografia aérea

Andrés Leandro Gumiero. Jaime (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Rubens Augusto Camargo Lamparelli (Orientador), Centro de Ensino e Pesquisa em Agricultura - CEPAGRI e Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Cada dia mais, a correta previsão de safra com o menor erro possível de uma determinada cultura, está se tornando uma informação estratégica e vital para o mercado no mundo globalizado de hoje. O Brasil possui uma das maiores contribuições mundiais na exportação de produtos agrícolas. O monitoramento por avião (SRNO), como uma das alternativas para o acompanhamento de culturas, fornece imagens digitais que podem ser trabalhadas por algoritmos específicos fornecendo importantes informações. Dentro deste contexto, este trabalho teve o objetivo de buscar minimizar a interferência de fatores externos, neste caso o efeito ?vignetting? na aquisição das imagens, para melhorar a análise dos dados. A partir das imagens obtidas em 2001/2002, foram extraídos e analisados os valores de Níveis de Cinza(NC) de uma placa de madeira pintada de branco. Estes valores foram analisados sob a ótica da estatística e posteriormente foi verificado se à medida que se afastavam do centro da imagem tiveram comportamento de acordo com o cos4(, metodologia porposta por EDIRISINGHE et al. 2001 para correção do efeito ?vignetting ?. Os resultados mostraram que foi possível à medida que os valores de NC se afastam do centro da imagem constatar que seguem a regra do cos4(, tornando-se assim um meio de correção para o efeito ?vignetting?.

Previsão de Safra XE "Previsão de Safra"  - Sensoriamento Remoto XE "Sensoriamento Remoto"  - Correção Radiométrica XE "Correção Radiométrica"

CPQBA - Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas

E190

Avaliação do teor e da composição química do óleo essencial de Calendula officinalis L. submetida a processos de secagem e armazenamento

Marina Pozitano (Bolsista SAE/PRG), Pedro Melillo Magalhães (Pesquisador), Franceli Silva Amorim (Pós-graduação) e Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O emprego terapêutico de plantas medicinais está cada vez mais difundido. Empresas utilizam matéria-prima vegetal na elaboração de seus medicamentos, o que torna indispensável o cultivo comercial e o beneficiamento destas espécies. Neste trabalho foram realizados a propagação, plantio, colheita, beneficiamento e armazenamento pós-colheita da espécie Calendula Officinalis L. Isotermas de dessorção foram determinadas através do método gravimétrico para as três temperaturas (30, 45 e 60ºC) para determinar a influência da temperatura na atividade de água. As curvas experimentais foram ajustadas usando modelos matemáticos comumente encontrados na literatura. A equação que melhor se ajustou aos dados experimentais foi o modelo PELEG. As curvas de secagem foram obtidas em um secador convectivo vertical para as três diferentes temperaturas (30, 45 e 60ºC) a uma velocidade do ar de 1m/s. Verificou-se que a difusividade efetiva aumentou com o aumento da temperatura. A extração do óleo essencial foi realizada pelo método de arraste por vapor d?água e correlacionada com a massa seca da planta.

Difusividade efetiva XE "Difusividade efetiva"  - Isotermas XE "Isotermas"  - Extração XE "Extração"

CTL - Colégio Técnico de Limeira

E191

PORTABILIDADE PARCIAL DO MATHEMATIC PLOTTING PACKAGE (PARA WINDOWS)

Carlos Henrique da Silva Santos (Bolsista SAE/PRG), Profa. MSc. Rosa Maria Machado (Orientadora), Colégio Técnico de Limeira ? CTL, UNICAMP e Prof. Dr. André Franceschi de Angelis (Co-Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica ? CESET, UNICAMP

O objetivo deste software educacional matemático é a apresentação de gráficos das derivadas de funções reais com uma variável real. Contribui para a construção continuada do conhecimento de alunos e professores do ensino Médio e Superior, além de incentivar o ensino e aprendizagem da Matemática através de exemplos gráficos. O software foi desenvolvido seguindo as premissas de facilidade de uso, precisão nos resultados, bom desempenho e facilidade de manutenção. Em conseqüência destes pressupostos, escolheu-se a linguagem de programação C++, que é orientada a objetos, tem excelente integração com o ambiente do sistema operacional utilizado, é confiável em suas rotinas matemáticas e permite fácil manutenção de código fonte. Além disto, é uma linguagem bastante difundida e conhecida pela maior parte dos programadores, o que facilita futuras ampliações do projeto. O menu de ajuda que acompanha o software é desenvolvido em Hyper Text Markup Language (HTML), assim os usuários poderão adequá-lo as suas necessidades, agregando valor ao aplicativo. A aceitação do trabalho por parte dos usuários foi boa, visto as qualidades e resultados apresentados. O programa é distribuído gratuitamente, eliminando o problema concreto do ainda alto custo de licenças de softwares educacionais.

Informática na Educação XE "Informática na Educação"  - Software Educacional Matemático XE "Software Educacional Matemático"  - Engenharia de Software XE "Engenharia de Software"

Faculdade de Engenharia Civil

E192

Subsídios para a solução de conflitos relativos a enchentes e uso da terra. Estudo de caso: A APA Municipal de Campinas (SP)

João Fasina Neto (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Rozely Ferreira dos Santos (Orientadora) e Prof. Dr. Antonio Carlos Zuffo (Co-Responsável), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Os centros urbanos, nas últimas décadas, vêm tendo grandes problemas com as enchentes devido ao processo de degradação do meio ambiente, causado pela ocupação desordenada do solo e pela exploração irracional dos recursos ambientais. Objetivando encontrar o melhor equacionamento para o conflito sobre o problema das enchentes na região da APA Municipal de Campinas, criou-se uma estratégia para a conscientização da comunidade sobre os impactos que o processo de ocupação da terra e exploração dos recursos ambientais causaram sobre os recursos hídricos e suas margens. Foram realizadas pesquisas fotográficas, entrevistas com os moradores, pesquisas em hemerotecas, bibliotecas, museus, subprefeitura de Sousas e jornais. Esse material foi sistematizado e resumido em uma cartilha, que será distribuída à comunidade em palestras ministradas por lideranças de associações e organizações não governamentais. Através desse trabalho inferiu-se que o crescimento e os tipos de atividades antrópicas no decorrer do processo de ocupação estão diretamente relacionados à ocorrência de enchentes na região da APA. Dessa forma, a convivência com o processo natural de inundação dos rios, sem maiores transtornos para a comunidade, somente será atingida quando houver uma fiscalização rigorosa sobre o uso da terra e da água e as administrações públicas preocuparem-se com o planejamento ambiental do município, solucionando os problemas das populações ribeirinhas e evitando novas ocupações em APPs.

Enchentes XE "Enchentes"  - Impactos Ambientais XE "Impactos Ambientais"  - Planejamento Ambiental XE "Planejamento Ambiental"

Instituto de Computação

E193

ATIFS ? AMBIENTE DE TESTES POR INJEÇÃO DE FALHAS POR SOFTWARE: VALIDAÇÃO UTILIZANDO APLICAÇÕES ESPACIAIS

Anderson Nunes Paiva Morais (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eliane Martins (Orientadora), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

O ATIFS (Ambiente de Testes por Injeção de Falhas por Software) é uma plataforma que possui um conjunto de ferramentas que testam implementações de protocolos de comunicação, apoiando as atividades de geração, execução e análise de resultados dos testes. A ferramenta de testes FSofist (Ferry-clip with Software Fault-Injection Support) é a parte do Sistema de Suporte a Execução (SSE) da arquitetura ATIFS, capaz de realizar testes nos protocolos de comunicação, injetando falhas por software. Neste trabalho apresentamos uma descrição da ferramenta e seu uso em dois estudos de caso. O primeiro caso é uma aplicação real da área espacial, o Software de Recepção e Armazenamento em Solo dos Dados de Telemetria do Telescópio MASCO - MAScara Codificada. O segundo caso é um Protocolo de Conferencia. O principal objetivo foi aplicar os testes por injeção de falhas nas duas aplicações para dar suporte à validação desses protocolos.

Testes por injeção de falhas XE "Testes por injeção de falhas"  ? Protocolos de comunicação XE "Protocolos de comunicação"  - Arquitetura para Testes XE "Arquitetura para Testes"

E194

VALIDAÇÃO DE UMA PLATAFORMA DE TESTES UTILIZANDO PROJETO-PILOTO DA ÁREA AEROESPACIAL

Deisy Christine Mazzini (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eliane Martins (Orientadora), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Todos os tipos de sistemas implementados são passíveis de falhas, principalmente quando se trata de um sistema reativo, ou seja, inter-relacionado fornecendo ou recebendo dados. Uma fase muito importante no desenvolvimento de um sistema refere-se aos testes aplicados a este sistema. A reação deste sistema deve ser avaliada e os resultados advindos de determinados testes devem ser comparados a um modelo formal. Neste contexto, a finalidade da ferramenta é de eliminar e prever erros, validando assim a ferramenta em desenvolvimento.Abordaremos neste estudo métodos de geração de falhas a partir de um modelo formal de um sistema, utilizando para isso o conceito de Autômatos Finitos e propriedades das Máquinas de Estado. A plataforma ATIFS (Ambiente de Testes para Injeção de Falhas por Software), será o ambiente para implementação dos testes a serem aplicados.O projeto-piloto utilizado é um sistema da área aeroespacial desenvolvido pelo INPE (Instituto de Pesquisas Espaciais). O MASCO (Máscara Codificada) é responsável pela verificação de integridade e ordenação dos frames recebidos pelo satélite de mapeamento do céu. A ferramenta de testes a ser validada é denominada CONDADO e está inserida no Ambiente ATIFS (Ambiente de Testes e Injeção de Falhas em Software).

Testes XE "Testes"  - Máquinas de Estados XE "Máquinas de Estados"  - Sistemas Reativos XE "Sistemas Reativos"

E195

Validação do ATIFS

Leonardo Pondian Tizzei (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eliane Martins (Orientadora), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

O ATIFS (Ambiente integrado de Testes baseado em Injeção de Falhas por Software) tem por objetivo permitir ao usuário a aplicação semi-automática de testes de tolerância à falhas, conformidade e interoperabilidade para sistemas reativos a partir de uma especificação. A especificação deve ser dada na forma de máquina finita de estados estendida (MFEE), que permite descrever tanto o aspecto controle (ordem temporal das interações de entrada e saída) quanto o aspecto de dados (variáveis locais e de parâmetros das interações). Para validar o ATIFS será feito um estudo comparativo deste com as ferramentas desenvolvidas no projeto Côte de Resyste, que foi realizado pelas universidades de Twente e a de Tecnologia de Eindhoven. Entretanto, as ferramentas utilizadas nos dois projetos são diferentes e, por isso, os testes realizados pelo ATIFS precisaram ser adaptados. Como o ATIFS não lida com as guardas da especificação de protocolo, o modelo precisou ser achatado (unfolding) para se tornar equivalente. Para que a comparação pudesse ser realizada, foi desenvolvido um estudo sobre como ocorre a geração de testes pelo método T implementado pelo ATIFS, utilizando diferentes especificações. Para a geração dos testes serão usados mutantes disponíveis pelo projeto Côte de Resyste. Os resultados da comparação nos permitirão analisar o potencial de detecção de falhas apresentado pelos casos de testes gerados pelo ATIFS.

ATIFS XE "ATIFS"  - Testes XE "Testes"  - Computação XE "Computação"

E196

AMBIENTE PARA VISUALIZAÇÃO DE PROTOCOLOS DE CHECKPOINTING

Raphael Marcos Menderico (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Islene Calciolari Garcia (Orientadora), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

Soluções para vários problemas em sistemas distribuídos, em particular problemas relacionados a monitorização e recuperação por retrocesso de estado, estão baseadas na utilização de checkpoints. No entanto, entender o comportamento de um protocolo de checkpointing pode ser uma tarefa bastante complexa visto que o seu funcionamento pode depender da interação entre vários processos. Para facilitar a compreensão, muitas vezes as descrições dos protocolos presentes são acompanhadas de diagramas espaço-tempo. Neste trabalho, apresentamos um ambiente que permite a visualização gráfica de protocolos para checkpointing, ilustrando o resultado da execução de um algoritmo. Nesta fase do projeto implementamos o protocolo quase-síncrono proposto por Briatico, Ciuffoletti e Simoncini utilizando a linguagem C++ e o LAM/MPI para permitir a comunicação entre os processos. O ambiente gráfico foi implementado utilizando-se a linguagem Python. O código-fonte desenvolvido para o ambiente será disponibilizado de acordo com a filosofia de software-livre.

Checkpointing XE "Checkpointing"  ? Protocolo XE "Protocolo"  - Visualização XE "Visualização"

E197

DONNER: SIMULADOR DO PROCESSADOR DLX EM ARCHC

Marcio Rogério Juliato (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Paulo Cesar Centoducatte (Orientador), Instituto de Computação ? IC, UNICAMP

Atualmente o desenvolvimento de sistemas computacionais tem utilizado linguagens como C/C++ pelos engenheiros de sistemas e software, enquanto engenheiros de hardware trabalham em VHDL e Verilog, causando dessa forma problemas de integração e depuração. Torna-se assim interessante a utilização de uma linguagem única, como SystemC, a qual é uma biblioteca em C++ voltada para descrição de sistemas. Como extensão de SystemC está-se desenvolvendo no LSC ? IC, ArchC, cujo propósito é servir como uma linguagem de descrição de processadores com nível de abstração suficientemente alto para poder guiar ferramentas de software no redirecionamento automático do back end de um compilador e gerar simuladores com precisão de ciclos (cycle-accurate). Para verificar as funcionalidades dessa biblioteca desenvolveu-se um modelo comportamental do processador DLX em ArchC, com o intuito de servir como referência para modelos mais apurados, sejam eles estruturais ou com precisão de ciclos. Modelou-se em seguida o DLX com precisão de ciclos, referenciando-se nos modelos em SystemC e ArchC anteriormente desenvolvidos. Além disso, foram iniciados os trabalhos de modelamento de arquiteturas mais complexas como as VLIW, tomando como base o DSP TMS320C62x. Esse trabalho teve como objetivo a proposição novas características de modelagem e a depuração da biblioteca.

Arquitetura de Computadores XE "Arquitetura de Computadores"  ? Compiladores XE "Compiladores"  - Simuladores XE "Simuladores"

E198

Integração de uma infra-estrutura de chaves públicas ao SLM.

Eduardo Fernandes Piva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo Lício de Geus (Orientador), Instituto de Computação - IC, UNICAMP

O IPSec é um protocolo que tem como objetivo prover segurança através de dois cabeçalhos, o AH e o ESP. Esta segurança é realizada através do estabelecimento de associações de segurança através do protocolo IKE, utilizando políticas pré-estabelecidas na configuração do IPSec. Estes parâmetros de segurança são complexos de serem mantidos e por isso surgiu o projeto SLM, que visa simplificar a manutenção e configuração de uma rede utilizando uma base LDAP para o armazenamento das políticas de segurança e alguns módulos de traduções de políticas de alto nível para políticas de baixo nível. Para que o sistema se torne mais seguro, é necessário que haja uma autenticação das máquinas. Tal autenticação pode ser obtida de forma segura e confiável através de uma infra-estrutura de chaves pública, que pode ser integrada na mesma base LDAP que o SLM, centralizando ainda mais a configurão do sistema. Através desta integração, foi possível garantir uma maneira mais eficiente e mais escalável de autenticação, visto que a confiança entre as máquinas deixou de ser através de um segredo pré-compartilhado.

PKI XE "PKI"  - LDAP XE "LDAP"  - IPSEC XE "IPSEC"

E199

Aritmética de Corpos Finitos Otimizada para Criptografia de Curvas Elípticas

Alberto Alexandre Assis Miranda (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo Dahab (Orientador), Instituto de Computação ? IC, UNICAMP

A criptografia de chave pública é uma tecnologia imprescindível no provimento de requisitos de segurança em áreas como comunicação pessoal, comércio eletrônico e mais recentemente validade de documentos eletrônicos. Dentre os métodos existentes, um dos mais importantes é o baseado no grupo aditivo dos pontos de uma curva elíptica definida sobre corpos finitos GF(p^n). A eficiência das implementações de tal sistema depende diretamente do desempenho dos algoritmos da aritmética do corpo sobre o qual ele é definido. Este projeto implementou uma biblioteca em C para corpos finitos otimizada para criptografia de curvas elípticas. Como são poucas as restrições na escolha do corpo sobre o qual a curva é definida, há um grande grau de liberdade para se otimizar as implementações em determinadas classes de corpos. As aritméticas das seguintes classes de corpos finitos, interessantes do ponto de vista computacional, foram implementadas: - Corpos com características pouco menores do que a palavra do processador. - Corpos cujo grau n seja pouco menor do que uma potência de 2, para métodos Karatsuba e FFT. - Corpos cuja característica tenha raízes 2^k-ésimas de 1, k=log(n), para possibilitar o uso da FFT. As implementações obtidas fazem parte de um pacote completo de criptografia de curvas elípticas que está sendo implementado por este bolsista, o que inclui procedimentos para escolha de curvas e protocolos de ciframento e assinaturas digitais.

Criptografia XE "Criptografia"  - Curvas elípticas XE "Curvas elípticas"  - Implementação eficiente XE "Implementação eficiente"

Instituto de Física

E201

Medidas de Condutividade in situ em Filmes Finos Intercalados II

David A. Cusmovas (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Annette Gorenstein (Orientadora), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

Filmes finos de óxido metálico quando submetidos ao processo eletroquímico de intercalação/deintercalação podem sofrer uma modificação de várias ordens de grandezas em sua condutividade eletrônica. Esta característica torna a condutividade um parâmetro muito relevante para o desenvolvimento de dispositivos eletrônicos que exploram os processos de intercalação, como microbaterias e dispositivos eletrocrômicos, sendo que a eficiência do processo é comandada pela disponibilidade tanto de sítios iônicos na estrutura cristalina como de níveis eletrônicos na estrutura de bandas. Este projeto dá continuidade ao projeto anterior, com o propósito de aprimorar a técnica de medida de condutividade in situ. A necessidade de uma mudança na técnica surgiu devido à condutividade dos filmes, que não se alterava após o processo eletroquímico de intercalação/deintercalação dos íons. A mudança ocorreu na arquitetura do substrato da amostra que foi construída utilizando a técnica de litografia. Desta forma, garantimos uma melhor intercalação dos íons em uma região de interesse da amostra. Os filmes utilizados foram óxido de níquel, depositados pela técnica de sputtering. Os resultados obtidos serão discutidos e analisados.

Filmes Finos -  XE "Filmes Finos"  Condutividade -  XE "Condutividade"  Intercalação XE "Intercalação"

E202

FÍSICA COMPUTACIONAL E APLICAÇÕES

Giovani Manzeppi Faccin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edison Zacarias da Silva (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

A física computacional tem se desenvolvido como ferramenta útil para a verificação de teorias e sua comparação com dados experimentais, assim como para a previsão de resultados inteiramente novos. Neste trabalho são estudados alguns problemas de física e biofísica utilizando métodos de otimização e controle, amplamente empregados na literatura tanto para a solução de problemas de física como de pesquisa operacional. Dos métodos utilizados, o principal foi o de Monte Carlo. Foram estudados problemas ligados à difusão e o crescimento de aglomerados fractais; o modelo de Ising da mecânica estatística, o problema da dobra de proteínas e o de reconhecimento de padrões através de redes neurais. A programação foi feita principalmente em Fortran 95. Cada programa possui uma interface gráfica para entrada de dados e visualização de resultados. Foi desenvolvida uma página na internet contendo um resumo do projeto e seus principais resultados, localizada no seguinte endereço: http://www.ifi.unicamp.br/~gfaccin

Monte Carlo XE "Secagem"  - Física Computacional XE "Desenvolvimento de Modelo"  - Simulação XE "Simulação"

E203

Análise Da Eficiência Energética Da Produção De Hidrogênio Através De Um Sistema Eólico Isolado

Antonio José Marin Neto (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Ennio Peres da Silva (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? ? IFGW, UNICAMP

As fontes renováveis alternativas de energia têm aumentado sua participação nos mercados mundiais, e deixado de restringir o suprimento de energia elétrica às comunidades isoladas, seu principal nicho no passado. Com o sensível crescimento do mercado a favor da energia eólia, o custo zero de seu ?combustível?, a real necessidade de novas fontes de energia que respeitem a qualidade do meio ambiente e o enorme potencial eólico brasileiro, este trabalho buscou analisar as principais variáveis presentes no acoplamento de um aerogerador de pequeno porte a um eletrolisador desenvolvido no próprio LH2, para a produção de hidrogênio. Com os resultados desse projeto, conhecidos os parâmetros relacionados a este acoplamento, o hidrogênio, armazenado durante o período de disponibilidade de energia e ausência de demanda total da energia empregue na eletrólise, pode ser re-convertido em energia elétrica através do uso de células a combustível, complementação que já se encontra em vias de realização. O acoplamento realizado indiretamente, devido à impossibilidade de instalação do aerogerador junto ao prédio do LH2, foi realizado através de uma montagem representativa do aerogerador e uma simulação através dos dados disponibilizados por uma estação meteorológica instalada junto ao aerogerador, que permitiu a quantificação do hidrogênio produzido para as condições do presente trabalho além de possibilitar também a validação dos dados do Atlas do Potencial Eólico Brasileiro, dados resolvidos na escala de 1 km2 e suscetíveis a erros de subescala.

Energia Eólica -  XE "Energia Eólica" Eletrólise da água -  XE "Eletrólise da água" Hidrogênio XE "Hidrogênio"

E204

PRODUÇÃO E PURIFICAÇÃO DE HIDROGÊNIO OBTIDO A PARTIR DA REFORMA DO ETANOL ? SEGUNDA ETAPA: PROJETO DE PROTÓTIPO

Iaponira Rando Carolino (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ennio Peres da Silva (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

Na primeira etapa foram estudadas as condições e características do processo e obtidos dados relativos à composição do gás de saída, antes e após a sua purificação, além de resultados experimentais a respeito do uso de um catalisador suportado. A segunda etapa do trabalho consiste em projetar um protótipo completo de um sistema de reforma vapor de etanol que alimente uma célula a combustível de 1 kW. Além do projeto do sistema é de interesse o estudo mais aprofundado dos catalisadores suportados em alumina. Para se projetar o sistema proposto, tem-se as condições de operação do reformador (obtidas na primeira etapa). Além do reformador, faz parte do sistema completo as células a combustível, que trabalham em condições determinadas pelo fabricante, tais como a vazão de entrada de hidrogênio e a qualidade deste gás, etc.. Com isto é possível desenvolver-se o projeto do sistema, através do estudo termodinâmico completo do processo considerando as reações e transformações mássicas e energéticas que ocorrem em cada etapa envolvida (balanços de massa e energia gerais). Os resultados da análise termodinâmica mostraram ser possível a obtenção de eficiências superiores a 40% o que, conforme a análise do custo da geração de eletricidade, levando-se em conta apenas o preço dos combustíveis, é suficiente para obter-se a viabilidade econômica destes sistemas frente aos processos tradicionais de pequeno porte (gasolina e óleo Diesel).

Reforma de Etanol XE "Reforma de Etanol"  ? Célula a combustível XE "Célula a combustível"  ? Análise Termodinâmica XE "Análise Termodinâmica"

E205

CONSTRUÇÃO DE UM CALORÍMETRO PARA HE3 - FASE II

Marilia Pozzi Loverso (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Flávio Guimarães Gandra (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

O grupode Metais e Ligas vem realizando o estudo de compostos metálicos baseados em Ce, Yb e U, visando a determinação das propriedades físicas desses sistemas. Os compostos são preparados em forno de arco e posteriormente são caracterizados utilizando as técnicas de resistividade eletríca, magnetização e calorimetria, em função da temperatura. Em etapa anterior, foi projetado e construído um calorímetro para operar entre 0.5K e 5K, em um criostato comercial de He3. Entretanto, foram previstas dois suportes de amostra para medida de resistividade, que se mostraram muito frágeis (o que dificultava a montagem do experimento), e um para calorimetria. Neste trabalho, foi projetado e construído um novo calorímetro afim de eliminar deficiências apresentadas no protótipo anterior. O suporte de amostra foi padronizado (o mesmo para as duas medidas), sendo possível realizar duas medidas de calorimetria ou de resistividade. As peças novas receberam um banho de ouro, afim de eliminar óxidos que poderiam atrapalhar o contato térmico. Com estas mudanças, obtivemos um desempenho mais satisfatório do sistema, e ainda com a vantagem de ser possível realizar duas medidas para calorímetria com uma mesma preparação. Como parte deste trabalho, além do calorímetro, também foi projetado e construído um novo forno de arco para preparação das amostras, já que o forno que era utilizado anteriormente apresentava alguns problemas quanto à sua concepção e ao seu funcionamento.

Calorimetria XE "Calorimetria" - Baixas temperaturas XE "Baixas temperaturas" - Sistemas metálicos XE "Sistemas metálicos"

E206

PESQUISA EM HOLOIMAGENS ELETRÔNICAS

Marcelo de Freitas Rigon (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Joaquin Lunazzi (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

A holografia nos revela uma nova maneira de se ver as imagens registradas para o futuro e a pesquisa em holoimagens eletrônicas facilitaria a implementação da televisão holográfica num futuro próximo. A proposta funciona por meio de um processamento eletrônico de imagem e uma montagem óptica composta por uma rede de difração, uma lente objetiva, um projetor de imagens, um motor de passo controlado por computador e tela difrativa. Neste trabalho, desenvolvemos métodos mais eficientes de processar as holoimagens eletrônicas na tela difrativa desenvolvida pelo Prof. Dr. J. J. Lunazzi(1). O projeto engloba o desenvolvimento de novos programas otimizados para o processo, bem como novas formas de geração de holoimagens eletrônicas para torná-las cada vez mais acessíveis a qualquer pessoa que saiba o básico sobre modelagem tridimensional e o funcionamento da tela difrativa. Atualmente, também estamos trabalhando em um sistema que utiliza uma câmera de vídeo para capturar imagens que são exibidas simultaneamente na tela holográfica, o que justifica plenamente o nome de HoloTV.

(1)  http://www.geocities.com/doctorlunazzi/protTV/protTV.htm

Holoimagens XE "Holoimagens" - Holografia XE "Holografia" - Cinema Holográfico XE "Cinema Holográfico"

E207

PROPRIEDADES ESTRUTURAIS DE MELANINAS: ESTUDO POR MICROSCOPIA DE VARREDURA POR SONDA

Gabriela Simone Lorite (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Mônica Alonso Cotta (Orientadora), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? ? IFGW, UNICAMP

As melaninas são uma classe de pigmentos biológicos amplamente presentes na natureza. A eulamelanina, uma subclasse da melanina, desperta um interesse especial, pois está relacionada diretamente com a pigmentação da pele humana e patologias relacionas com o vitiligo, albinismo e câncer de pele e também por uma aparente correlação com o mal de Parkinson. No entanto, pouco se sabe sobre suas propriedades físicas e estruturais. Neste trabalho, utilizando uma das técnicas de microscopia de varredura por sonda (SPM), a microscopia de força atômica (AFM), realizamos uma caracterização topográfica dos filmes de melanina sintética. Um aspecto importante estudado foi a formação de estruturas tipo filme bidimensional de melanina, um resultado que havia sido obtido pelo grupo de pesquisa do Prof. Dr. Carlos F. Oliveira Graeff (FFRCLRP/USP). Os filmes utilizados foram obtidos por três processos: síntese em água, síntese em solvente DMSO (dimetil óxido de enxofre) e síntese em DMSO seguida de hidratação com água. Para a caracterizar a formação do filme foram utilizadas técnicas para quantificar a dimensão fractal das estruturas observadas. Os resultados indicam uma relação entre a presença da água ou umidade durante o processo de síntese e as estruturas presentes no filme formado.

AFM XE "AFM SPM"  - Melanina XE "Melanina"  - Dimensão fractal XE "Dimensão fractal"

E208

Nanolitografia e Fabricação de Materiais Semicondutores

Priscila de Lima Furtado (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Mônica Alonso Cotta (Orientadora), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

Nos últimos anos, a microscopia de varredura por sonda tornou-se uma poderosa ferramenta para a nanolitografia devido a excelente resolução espacial. Em particular, o microscópio de força atômica (AFM) tem permitido fabricar estruturas de dimensões nanométricas em semicondutores, estruturas essas utilizadas em ?ships? de microcomputadores, por exemplo. Nosso trabalho consiste na utilização da litografia com AFM para gravar padrões com escala nanométrica em filmes de resiste composto sobre amostras de InP/InAs. Neste processo a ponta do AFM penetra na camada de resiste (no caso, um polímero macio) e fisicamente remove o material ao longo de um padrão determinado com o ?software? de escrita (PSI nanolithography). Após a remoção física do resiste, temos o padrão desejado gravado no resiste. Podemos utilizar este padrão como máscara para deposição de dielétricos ou metais. No nosso caso fabricamos nanocontatos metálicos para observar o comportamento de condução de corrente elétrica nas nanoestruturas semicondutoras presentes em nossas amostras.

Nanolitografia XE "Nanolitografia"  - Materiais Semicondutores XE "Materiais Semicondutores"  - AFM XE "AFM"

E209

ESTUDOS DA EVOLUÇÃO E RELAXAÇÃO DE ESTRUTURAS DE PLASMAS MAGNETIZADOS II

Carlos Eduardo Scussiatto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo Hiroshi Sakanaka (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

É observado que muitos sistemas contínuos e abertos se desenvolvem através de estados que exibem alguma forma ordenada. Podemos citar a formação de vórtices bi-dimensionais devido à existência de cisalhamento no fluxo, configurações estruturais de campos magnéticos reversos em laboratórios de plasma, fenômenos que ocorrem em estruturas solares como por exemplo o caso dos arcos solares. Todos esses fenômenos são produtos de processos não-lineares em sistemas abertos. Vemos assim que a dinâmica de fluidos não-linear contém uma variedade de fenômenos complexos. Resolver problemas de auto-organização em plenitude é um estudo complexo, porém podemos simplificar os cálculos supondo, com certa confiabilidade, que tal estado seja de mínima energia, vinculada a certas constantes físicas. No projeto anterior foi desenvolvido um código no software Mathematica que possibilita encontrar soluções para um magnetoplasma, minimizando a energia e mantendo a helicidade fixa, a partir da equação de Beltrami com rotacional duplo ((x(xB=(B). Neste projeto discutimos novas soluções estendendo o código para resolver o problema de Beltrami com rotacional triplo (s(x(x(xB + p(x(xB + q(xB + rB = 0). Diferentemente do resultado anterior, essa nova equação permite acoplar a solução da velocidade do plasma v com o campo magnético B e a pressão p. Em colaboração com a aluna de pós-doutourado Ana Márcia Taveira foram obtidas soluções que caracterizam estados relaxados em plasmas de positron-eletron. Além desse último trabalho também está sendo desenvolvido um novo modelo, com base na equação de Beltrami-Triplo, para descrever o fenômeno de ?Ball Lighting? (ou ?Bola de Fogo?).

Plasma XE "Plasma"  - Estado Relaxado de Taylor XE "Estado Relaxado de Taylor"  - Simulação da Equação de Beltrami XE "Simulação da Equação de Beltrami"

E210

Estudo de Um Detetor Tipo Plane Plate Electron Multiplier, Sua Fabricação e Teste - II

Alexandre Pancotti (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Richard Landers (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

O objetivo deste projeto de iniciação é a fabricação e teste de um detetor de elétrons tipo Channeltron plano ou multiplicador de elétrons plano .Um detetor tipo Channeltron convencional geralmente consiste de um tubo capilar de vidro onde se cria sobre sua superfície interna uma camada altamente resistiva e boa emissora de eletrons secundários. Através de aplicação de uma diferença de potencial da ordem de 3000V entre as extremidades aparece um gradiente de potencial que faz com que qualquer elétron que se choque com a superfície interna próximo ao extremo negativo, com energia suficiente para emitir elétrons secundários dará início a uma cascata que irá se multiplicando ao longo do tubo por ação da diferença de potencial aplicado, gerando um pulso de corrente na saída tubo. A construção deste tipo de dispositivo é muito difícil e apenas duas ou três indústrias o fazem mundialmente. Num channeltron plano os processos de fabricação são mais simples. Nosso arranjo que esta em fase de testes foi montado no modo de operação analógico, o elétron primário entrará em uma das extremidades de duas placas paralelas, revestidas por duas camadas de filmes finos, uma camada de 50 nm de silício amorfo (Fonte de elétrons primários) e outra camada de 6 nm de óxido de alumínio (Fonte de elétrons secundários), criando elétrons secundários que irão sendo multiplicados ao longo de choques com ambas as placas. A aceleração dos elétrons ao longo do conjunto acontece em função do gradiente de potencial criado ao longo do filme ativo. O ganho teórico de um dispositivo deste tipo chega a 3.1010 . Para testar o dispositivo foi necessário construir um sistema de vácuo capaz de chegar a pressões de 10-9 torr utilizando uma bomba difusora e mecânica, o flangeamento do sistema foi todo com selos metálicos (conflat)... Também foi instalado um uma fonte de elétrons para testar o ganho do instrumento.

Channeltron XE "Channeltron"  - Multiplicador XE "Multiplicador"  - Física de Superfície XE "Física de Superfície"

E211

Projeto e Construção de um Sistema de Controle para um Espectrômetro de Massa via Computador

Gustavo Lorencini Martins Pereira Rodrigues (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Richard Landers (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

A motivação deste trabalho é controlar um espectrômetro de massa via computador, e para isso é preciso construir uma interface para computador, e para isso é importante transferir as informações necessárias do barramento do computador para um chassi externo, este funcionará como uma extensão dos slots do computador com sua própria alimentação externa. Isso garantirá uma ampliação de 6 vezes na utilização de um slot do computador e ainda evitar ruídos que podem ser prejudiciais ao barramento do computador. E como o interesse é aplicá-lo em um espectrômetro de massa, serão necessários, ainda, um conversor digital-analógico(DAC) de 16 bits que utilizou um CI AD7546, para a programação de massa através de um potencial analógico de 0 a 10V (massa de 0 a 300), e um conversor analógico-digital(ADC) de 14 bits, utilizando-se um CI ICL7115, para a leitura dos valores de massa a ser detectada. Para controle dos conversores utiliza-se um CI 8255 que possui 24 saída ou entrada que podem ser combinadas de diversas maneiras e programadas em três modos de operação diferentes. O chassi externo demonstrou ser muito eficiente, com endereçamentos precisos, o conversor DAC teve um passo de 10V/6536 e o conversor ADC teve um passo de 10/16384, com ambos funcionando perfeitamente.

Automação XE "Automação"  - Espectrômetro de Massa XE "Espectrômetro de Massa"  - Conversor XE "Conversor"

E212

Estudo do efeito magnetocalorico no composto MnAs0,9Sb0,1

Bráulio Uehara Trava (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sergio Gama (Orientador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? - IFGW, UNICAMP

O efeito magnetocalórico corresponde ao aumento de temperatura quando um corpo magneticamente ordenado é submetido adiabaticamente a um campo magnético. O efeito é mais intenso ao redor da temperatura de Curie. De grande interesse são os materiais que apresentam transições magnéticas de primeira ordem, em geral acopladas a transições estruturais. Dentre estes, destacam-se os compostos do tipo MnAs1-xSbx para os quais o efeito magnetocalórico é gigante e que apresentam temperatura de Curie ao redor de 300 K para x = 0,1. O presente projeto propõe a síntese deste composto através da técnica de encapsulamento em cadinho de nióbio primeiramente, mas os resultados ficaram longe do esperado, assim mudamos o método utilizando um forno de resistência de grafite de alta pressão e com máxima temperatura de 1600ºC. Para a síntese do material, cada composto é pesado e colocado dentro de um cadinho de alumina, e o mesmo é coberto com óxido de boro, para minimizar a evaporação do As e para que consiga reagir com o resto da amostra, e assim é levado ao forno. A fusão se dá em atmosfera de argônio. A temperatura do forno é aumentada até 850ºC para a reação do As líquido com Mn e o Sb, em seguida ela é aumentada lentamente até 1300ºC para fusão total do composto. As amostras assim obtidas foram submetidas a caracterização estrutural (utilizando metalografia e difração de raios-X), magnética e magnetocalórica (utilizando o magnetômetro SQUID). Obtivemos uma amostra heterogênea, contendo duas fases, verificado na análise metalográfica, mas por outro lado, a fase desejada na amostra apresenta-se muito mais homogênea.

Síntese de compostos intermetálicos XE "Síntese de compostos intermetálicos"  - Composto MnAsSb XE "Composto MnAsSb"  - Efeito Magnetocalórico XE "Efeito Magnetocalórico"

IF - UNESP - Instituto de Física da UNESP

E200

ABSORÇÃO ÓPTICA DE MINERAIS TRATADOS TERMICAMENTE

Rafael A. Rubo (UNICAMP), Ricardo A. P. de Carvalho e Rosa M. Fernandes Scalvi (Orientadora), UNESP/Bauru

A utilização de técnicas espectroscópicas na caracterização de minerais tem possibilitado muitas informações a respeito desses materiais. Este trabalho trata da investigação das propriedades ópticas de quartzo natural utilizando a técnica de absorção óptica, na faixa espectral de 200 a 700 nm, em função de tratamentos térmicos consecutivos, variando-se tempo e temperatura de tratamento, de 15 a 300 minutos e de 200 a 12000C, respectivamente. Após cada um dos tratamentos térmicos, são realizadas as medidas de absorção óptica, que permitem estudar as propriedades ópticas de materiais influenciadas pela presença de impurezas na rede hospedeira. O quartzo é encontrado com diferentes colorações, sendo este fato explicado pela presença de átomos de impurezas ocupando sítios de Si na rede (substitucional) ou sítios intersticiais. Após os primeiros tratamentos térmicos, nenhum efeito sobre os espectros de absorção foi observado. Entretanto, com a determinação da composição química parcial,obtivemos indícios da presença de Fe em uma das amostras. Novas medidas estão sendo realizadas para posterior análise dos resultados.

Quartzo XE "Quartzo"  - Propriedades Ópticas XE "Propriedades Ópticas"  - Tratamentos Térmicos XE "Tratamentos Térmicos"

Instituto de Geociências

E213

Caracterização geomorfológica e avaliação da fragilidade do meio em área do Município de Itirapina, S.P. Fase II

Felipe Barozzi Seabra (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Archimedes Perez Filho (Orientador) ? Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

A avaliação das transformações ocorridas na superfície terrestre, assim como a análise da integração dos vários elementos dos Geossistemas, pode orientar para um uso das terras que evite a degradação generalizada do ambiente. O estudo das relações dos vários elementos do Geossistema nos orientou para o entendimento dos processos erosivos, no caso a arenização presente na área de estudo. Assim, a categoria analítica desse projeto é a vertente e cujo entendimento pode ser adquirido pelo método da topossequência. Verificou-se que as áreas mais suscetíveis a tais processos são principalmente as de pastagem onde as gramíneas são plantadas em substituição da vegetação nativa da região. A formação superficial é, para objetivos desse trabalho, o elemento fundamental do Geossistema. Comprovamos que as diferentes feições fisionômicas do Cerrado variam em função da textura de cada tipo de solo em que se encontram, onde, quanto mais argiloso maior a retenção de água e nutrientes para a planta e, conseqüentemente, maior a densidade e porte do tipo de Cerrado encontrado. Assim, constatamos que os locais mais suscetíveis a tal processo dinâmico erosivo são os que apresentam uma cobertura vegetal mais pobre, conseqüentemente em solos de textura mais arenosa.

Geossistema XE "Geossistema"  ? Topossequência XE "Topossequência"  ? Arenização XE "Arenização" .

E214

Considerações Preliminares Sobre a Fragilidade Ambiental de Terras Paulistas

Marcel Aparecido Milani (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Archimedes Perez Filho (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

A avaliação das transformações ocorridas na superfície terrestre, assim como a análise da integração dos vários elementos dos geossistemas, pode orientar um uso da terra de forma que evite a degradação generalizada do ambiente. Visando o entendimento da morfodinâmica atual em terras suscetíveis a processos erosivos e de extrema fragilidade ambiental, o presente trabalho tem como objetivo a identificação das terras no Estado de São Paulo, onde ocorrem solos classificados como Areia Quartzosa (Neossolos Quartzarênicos) e possuem cobertura vegetal original de cerrado, em seus vários estádios de desenvolvimento. Assim tem-se como objetivos específicos à análise e interpretações dos diferentes compartimentos geomorfológicos associados as diferentes características e propriedades do solo, cobertura vegetal e ação antrópica. Levantou-se então, material cartográfico, imagens orbitais e não orbitais e foi realizada uma caracterização climática, além de vários trabalhos de campo. Delimitando assim, áreas de solos denominados Areias Quartzosas localizadas no Estado de São Paulo e feita a transposição do delineamento de tais áreas para o mapa base do IBGE na escala 1:50. 000. Como resultado tem-se a elaboração da carta de Classificação de Terras baseada no Sistema de capacidade de Uso, conforme metodologia proposta por LEPSCH (1991), assim como elaboração da carta de Fragilidades de Terras com tendência dependendo do uso e manejo (ação antrópica), a processos de desertificação em áreas no Estado de São Paulo.

Fragilidade XE "Fragilidade"  ? Geossistemas XE "Geossistemas"  - Terras XE "Terras"

E215

UTILIZAÇÃO DA SÍSMICA COMO DERIVA EXTERNA NO CÁLCULO DO VOLUME DE ÓLEO DE UM RESERVATÓRIO DE PETRÓLEO

João Paulo Borges Gomes (Bolsista ANP) e Prof. Dr. Armando Zaupa Remacre (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O nível de detalhe necessário para o desenvolvimento de reservatórios, excede o requerido para encontra-lo, devido a isso se tem observado um grande aumento na utilização pela industria do petróleo dos dados sísmicos 3-D. O uso deste dado como deriva externa foi a solução encontrada para realizar a integração da informação sísmica com os dados de poços existentes num reservatório. Utilizando técnicas geoestatísticas de simulação seqüencial gaussiana e simulação com deriva externa, o objetivo deste trabalho é evidenciar as diferenças resultantes, quando se utiliza uma informação complementar no cálculo de volume de óleo de um reservatório de petróleo. O método geoestatístico de simulação foi aplicado para quantificar as relações entre dados de poços, com os dados de tempo duplo obtido da sísmica, nos intervalos interpoços. Foram geradas 100 imagens para o topo e 100 imagens para a base utilizando as técnicas mencionadas, obteve-se como resultado duas curvas de probabilidade acumulada, para o volume de óleo. Essas curvas foram comparadas e assim pode-se observar a influência da utilização de uma informação adicional, como a sísmica na obtenção de valores de volume de óleo para um campo de petróleo.

Sísmica XE "Sísmica"  - Deriva Externa XE "Deriva Externa"  - Volume XE "Volume"  - Simulação Seqüencial Gaussiana XE "Simulação Seqüencial Gaussiana"

E216

COMPOSIÇÃO MINERALÓGICA E QUÍMICA DE GRANADA-BIOTITA-GNAISSES DE ALTO GRAU METAMÓRFICO NA REGIÃO DE BOTELHOS/MG, E SEU POSSÍVEL PROTÓLITO.

César Kazzuo Vieira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Asit Choudhuri (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O metamorfismo é um conjunto de processos pelos quais uma rocha formada originalmente em ambiente ígneo ou sedimentar é submetida, por tectônica, a novas condições de pressão e temperatura. O produto resultante desses processos é a rocha metamórfica que na maioria das vezes, retêm algumas das características do material parental ou protólito, como composição química e mineralógica, acamamento ou até texturas reliquiares. Devido ao pouco conhecimento adquirido sobre o tipo de protólito de rochas metassedimentares, granada-biotita-ganisses, de alto grau metamórfico na região de Botelhos/MG, esta pesquisa possui o objetivo aprofundar os estudos de metamorfismo nestas rochas por meio de análises petrográficas, e química de elementos terras raras, elementos maiores e traço. Tal método de análise por elementos terras raras tem sido útil para o estudo de rochas sedimentares e metassedimentares pré-cambrianas, no que diz respeito a sua composição química e a compreensão da origem e fonte do protólito. Esta pesquisa é uma iniciativa inédita que poderá contribuir por fornecer informações interessantes no contexto de metamorfismo de fácies granulito do Maciço de Guaxupé.

Granada-biotita ganisses XE "Granada-biotita ganisses"  - Mineralogia XE "Mineralogia"  - Química XE "Química"

E217

MONITORAMENTO DA QUALIDADE DE ÁGUA DO RIO RIBEIRA DE IGUAPE PARA ARSÊNIO E METAIS PESADOS

Anne Yuri Takamori (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Bernardino Ribeiro Figueiredo (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

No período de março/2001 a abril/2003 foram realizadas 5 campanhas de monitoramento da qualidade de água do rio Ribeira de Iguape e afluentes, entre Iporanga e Eldorado (SP), onde ocorre uma anomalia geoquímica de As e metais base (solos e sedimentos), denominada Faixa Piririca. Descartes de antigas minerações do Alto do Ribeira (Pb-Zn-As) também contribuíram para a contaminação fluvial. Nas dez estações estabelecidas para coleta de amostras de água filtrada e não filtrada, realizou-se determinações in situ dos parâmetros pH, Eh, turbidez, oxigênio dissolvido, temperatura, condutividade e alcalinidade da água. As concentrações de As foram determinadas pela técnica de geração de hidretos e espectrofotometria de absorção atômica (HG-AAS), Fe, Pb, Cu e Zn por AAS, dos cátions por ICP-OES e dos ânions por cromatografia iônica. As águas apresentaram pH no intervalo de 5,9 a 8,5 e Eh entre 110 e 430 mV. Concentrações mais elevadas de As foram obtidas, consistentemente, no rio Piririca que corta a anomalia. As concentrações mais altas de metais foram em períodos de estiagem. Em geral, os parâmetros físicos e químicos da qualidade de água estão dentro dos limites estabelecidos pelo CONAMA para águas de classe II, e as concentrações de arsênio estão abaixo do limite da OMS, 10(g/l para água potável.

Vale do Ribeira XE "Vale do Ribeira"  - Arsênio XE "Arsênio"  - Qualidade de água XE "Qualidade de água"

E218

PROCESSAMENTO E INTERPRETAÇÃO DE DADOS AEROGEOFÍSICOS DO EXTREMO SUL DO CRÁTON SÃO FRANCISCO

Carolina Miethke (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Roberto de Souza Filho (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

A porção sul do Cráton São Francisco (CSF), Minas Gerais, é uma área de grande importância para a Geologia, devido às suas riquezas minerais e aos seus terrenos geológicos complexos, incluindo rochas de idades Eoarqueanas a Neoproterozóicas. No entanto, a escassez de exposições de rochas e contatos litológicos em superfície representam um grande entrave para o mapeamento e a interpretação da geologia regional. O objetivo desta pesquisa consiste no mapeamento de uma área piloto no extremo sul do CSF através da utilização de dados aerogeofísicos (magnetométricos e gamaespectrométricos) pré-processados, visando avaliar a utilidade do método para revelar tanto domínios litológicos, quanto estruturas. O processamento dos dados geofísicos envolveu análise da presença de inconsistências (spikes) pela aplicação dos testes diferença quarta e parâmetro 'P', para a melhoria da relação sinal/ruído, bem como etapas de interpolação e micronivelamento. Os métodos de pré-processamento, processamento e realce aplicados aos dados magnetométricos e gamaespectrométricos foram bastante efetivos no sentido de gerar produtos para interpretação geológica ? incluindo a discriminação de corpos e domínios litológicos, bem como padrões de dobramentos complexos, mostrando boa concordância com mapas publicados e feições ainda não descritas na literatura. Futuramente, a metodologia desenvolvida será estendida para todo o levantamento, com o objetivo de gerar produtos similares como suporte ao mapeamento geológico desta região, ainda carente de estudos na escala 1:100.000.

Aerogeofísica XE "Aerogeofísica"  ? Processamento Digital de Imagens XE "Processamento Digital de Imagens"  ? Mapeamento Geológico XE "Mapeamento Geológico"

E219

ANÁLISE DE SITES EM GEOCIÊNCIAS E DIFUSÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA INTERNET SOBRE A REGIÃO DE JUNDIAÍ-ATIBAIA

André Henrique (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Celso Dal Ré Carneiro (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

Atualmente a Internet constitui importante ferramenta na busca de aplicativos, dados e auxílio pedagógico em todas as áreas do conhecimento, no intuito de enriquecer o conteúdo de aulas e pesquisas, por educadores e alunos. Com essa referência, buscou-se analisar sistematicamente os websites ligados a Educação em Geociências. Essa área é ainda pobre, no Brasil, dificultando o acesso a conceitos básicos ou a informações regionais; existe, ademais, baixo aproveitamento didático da informática. A avaliações, armazenadas em banco de dados, e sua interpretação visam ao aperfeiçoamento da homepage do Projeto Jundiati, iniciativa que disponibiliza informações geológicas, geomorfológicas e de ocupação territorial da região entre os municípios de Jundiaí e Atibaia (SP). A análise de websites propicia uma visão crítica da acuidade visual, qualidade do conteúdo informativo e utilização de diferentes formas de exibição de dados e conceitos. Um bom website deve associar ferramentas que estimulem a interatividade e a curiosidade, utilizando-se de gráficos, animações e hipertextos, além de permitir navegação fácil e agradável. Assim, o Banco Analítico de Dados construído ? que contemplou mais de 80 sites até junho de 2003 ? funciona como um guia a educadores e alunos para acesso aos mais interessantes websites de Geociências, enfatizando-se os recursos mais bem aproveitados em cada um deles.

Análise de sites XE "Análise de sites"  ? Internet XE "Internet"  ? Geologia XE "Geologia"

E220

ESTUDO E INTERPRETAÇÃO DE DADOS SOBRE ÁGUAS SUPERFICIAIS DA REGIÃO DE JUNDIAÍ ? ATIBAIA, SP

Miguel Douglas de Oliveira Martins (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Celso Dal Ré Carneiro (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O estudo dos recursos hídricos superficiais da região de Jundiaí-Atibaia tem por finalidade mostrar de que modo uma análise sistemática, baseada em diferentes linhas de pesquisa (estudos geomorfológico, geológico, hidrológico, clinométrico etc.), pode oferecer apoio às decisões políticas e direcionar de forma mais segura os investimentos a serem feitos pelo Poder Público. Pretende-se auxiliar um uso racional, capaz de dar sustentabilidade às novas atividades que venham a consumir água, e ao mesmo tempo permitir a recuperação de recursos hídricos afetados pela falta de planejamento de ocupação e uso da terra. O principal elemento de estudo é a bacia hidrográfica do rio Jundiaí, dividida em sub-bacias hidrográficas, as quais foram agrupadas em compartimentos. Foram definidos sete compartimentos, que abrangem 84 sub-bacias. A delimitação tem por finalidade oferecer meios mais seguros para se avaliar os diversos componentes do ambiente e avaliar como esses componentes se comportam diante da ação antrópica. Uma aplicação direta dos estudos de águas superficiais dessa região, como também para quaisquer outras, é a tentativa de obter respostas para fenômenos observados na superfície terrestre (como por exemplo o padrão de drenagem, processos erosivos, e enchentes) e, com isso, ajudar na identificação das melhores áreas a serem ou não ocupadas.

Recursos hídricos XE "Recursos hídricos"  - Bacia hidrográfica XE "Bacia hidrográfica"  - Jundiaí-Atibaia XE "Jundiaí-Atibaia"

E221

Análise e tratamento de dados de estruturas rúpteis da região de Jundiaí-Atibaia

Ricardo Ramos Spreafico (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Celso Dal Ré Carneiro (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O estudo e a análise das estruturas dúcteis e rúpteis fornecem importantes informações para se interpretar a sucessão de eventos formadores de dobramentos superpostos. O presente trabalho, na área compreendida entre Jundiaí e Atibaia, Estado de São Paulo, determinou, em uma primeira etapa, domínios homogêneos que auxiliassem a descrição dos padrões estruturais presentes. A hipótese inicial, não confirmada, indicara que as feições foram originadas por mais de um evento de deformação. Diante da complexidade estrutural da área, prosseguiu-se a pesquisa nesta etapa focalizando-se estritamente os padrões de juntas, como uma aproximação para problemas mais complexos sobre a geometria das estruturas dúcteis. Os dados estruturais obtidos das juntas foram representados em diagramas de projeção estereográfica de igual área. Analisaram-se os padrões que foram comparados com a orientação predominante obtida por meio de diagrama de rosácea de fotolineamentos. A análise dos diagramas permite identificar com clareza duas famílias de juntas com direção NE, sendo uma com mergulho para SE e outra com mergulho para NW. Os demais planos dispersam-se em todo o diagrama. O diagrama de rosácea confirma a tendência de direção predominante entre N30E e N40E dos planos analisados. Na fotointerpretação observaram-se famílias de juntas com direção NW que correspondem às juntas de tração na faixa norte da área desde a cidade de Jundiaí até Atibaia. Nas demais áreas, na faixa sul, as estruturas são controladas por zonas de cisalhamento, que também controlam as juntas e os limites dos domínios homogêneos.

Análise estrutural XE "Análise estrutural"  - Domínio homogêneos XE "Domínio homogêneos"  - Eventos deformacionais XE "Eventos deformacionais"

E222

Análise da expansão das manchas urbanas da região de Jundiaí-Atibaia

Victor Vanin Sewaybricker (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Celso Dal Ré Carneiro (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

A expansão desordenada de manchas urbanas é fonte de preocupação intensa no país, fato que induz a um aumento na demanda por estudos que possam diagnosticar tendências e orientar esse crescimento. Neste trabalho, utilizando-se técnicas de sensoriamento remoto, tem-se buscado compor um quadro temporal para retratar a evolução das manchas urbanas da região Jundiaí-Atibaia (SP). Para tanto, foram fixados três períodos como objeto de análise: 1962, 1970 e 2000. Com base na interpretação de fotografias aéreas escala 1:25.000 foi construído o diagrama referente a 1962; o relativo a 1970 foi produzido a partir de cartas topográficas escala 1:10.000 e o diagrama de 2000 será finalizado por meio de interpretação de imagens de satélite. Constitui objetivo do projeto representar todos os resultados obtidos em ambiente SIG, para compor o banco de dados do projeto principal e produzir mapas que reflitam a versatilidade do ambiente digital. O projeto inicial não pôde ser executado conforme planejado, sobretudo devido às dificuldades técnicas do bolsista para interpretação das imagens de satélite. Uma futura análise dos limites urbanos representados em cada um desses diagramas permitirá interpretações espaciais quanto à expansão urbana na área em questão. Espera-se que o projeto tenha continuidade na etapa de renovação de bolsa, para culminar na elaboração do terceiro cartograma, relativo a 2000.

Análise de expansão urbana XE "Análise de expansão urbana"  ? Geologia Urbana XE "Geologia Urbana"  ? Cartogramas XE "Cartogramas"

E223

Granito rapakivi de Curralinho: evidência de tectônica extensional no Domínio Canindé da Faixa Sergipana

Juliano José de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Elson Paiva de Oliveira (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

Granitos rapakivi caracterizam-se pela presença de feldspato potássico manteado por plagioclásio e são importantes marcadores petrogenéticos da evolução da crosta terrestre. Geralmente estão associados a magmatismo pós-tectônico a anorogênico, formado em ambientes extensionais. Granitos com textura rapakivi foram identificados no Domínio Canindé da Faixa Sergipana (NE do Brasil). Para conhecer melhor esta ocorrência foram realizados mapeamento de semi-detalhe, caracterização petrográfica e geoquímica. Os litotipos mapeados encontram-se pouco deformados mas metamorfizados em fácies xisto verde. Consistem em microgabros/diabásios com injeções de monzodiorito a quartzo-monzonitos porfiríticos, todo o conjunto cortado por leucogranitos róseos. Os microgabros/diabásios são melanocráticos com granulação fina, enquanto as injeções porfiríticas são leucocráticas e, pelas relações de campo, aparentam ser líquidos residuais da cristalização dos microgabros. Quartzo-monzonitos exibem textura rapakivi e assinatura geoquímica de granitos tipo-A, sendo tardi a pós-tectônico à deformação principal no domínio Canindé, porém anterior à colisão final com os domínios tectônicos adjacentes, visto que são intrudidos por leucogranitos correlacionáveis a granitos sin-colisionais encontrados nos limites desses domínios.

Granitos rapakivi  XE "Granitos rapakivi" - Mapeamento geológico  XE "Mapeamento geológico" - Petrografia XE "Petrografia"

E224

Pluviosidade Diária em Campinas e Implicações no Meio Ambiente Urbano

Victor Begeres Bisneto (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Lucí Hidalgo Nunes (Orientadora), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O município de Campinas é lugar freqüente de inúmeros problemas ambientais, muitos deles deflagrados pelas chuvas. Assim, o trabalho consiste na análise das precipitações diárias no município de Campinas em confronto com a ocorrência de episódios de inundações. São avaliados dois períodos distintos, de maneira a averiguar se em anos recentes a maior ocorrência de inundações se associa ao aumento dos totais de chuva ou a desestruturação ambiental motivada pela ocupação do espaço territorial sem planejamento. Deste modo, o que se busca constatar é que a quantidade de problemas ambientais deflagrados pelas chuvas se mostram mais suscetíveis a montantes de precipitação diários moderados no período mais recente. Para isso, utilizamos dados pluviais diários de dois períodos não subseqüentes de 10 anos (1972-1981 - PI e 1990-1999 - PII) de dois postos pluviométricos: IAC (Instituto Agronômico de Campinas) e DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica). A partir dos volumes observados, classificamos os montantes pluviais em fracos, moderados e fortes usando o método empírico, ou seja, com base no comportamento pluvial dos períodos nesses locais. Em seguida, com o auxílio de levantamentos em jornais (?Folha de São Paulo? e ?O Estado de São Paulo?) e outros meios de informação que relatem acontecimentos de episódios catastróficos, fazemos uma correlação espaço-temporal entre chuva e problemas como deslizamentos e inundações no meio ambiente urbano. Observa-se que no PI verificou-se uma maior quantidade de dias com chuva, porém com totais de precipitação menores que o período seguinte. Ainda, nos anos recentes observou-se maior incidência de inundações. Estas informações expõem usos e ocupações irregulares do solo pela sociedade, comprometendo, dessa forma, o limiar de estabilidade e, assim, a sua segurança.

Precipitação pluviométrica XE "Precipitação pluviométrica"  - Inundações XE "Inundações"  - Problemas ambientais XE "Problemas ambientais"

E225

FLUIDOS ASSOCIADOS À FORMAÇÃO DO DEPÓSITO POLIMETÁLICO BREVES, PROVÍNCIA MINERAL DE CARAJÁS (PA): EVIDÊNCIAS DO ESTUDO DE INCLUSÕES FLUIDAS

Carlos Eduardo Ganade de Araújo (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Roberto Perez Xavier (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O depósito de Cu-Au (Mo-W-Bi-Sn) Breves é o único, de uma série de depósitos de Cu-Au importantes na Província Mineral de Carajás, a demonstrar claramente a relação espacial e genética com intrusões graníticas Paleoproterózoicas (1.88 Ga). Devido a essa relação geológica, o projeto tem como meta principal definir os regimes de fluidos envolvidos na gênese desse depósito e o grau de participação de fluidos magmáticos, com base em estudos de inclusões fluidas por microtermometria e micro-espectroscopia Raman. A mineralização ocorre disseminada em metarenitos grossos do Grupo Rio Fresco/Formação Águas Claras e veios, que cortam as rochas graníticas e as unidades siliciclásticas. Os resultados da pesquisa demonstram que fluidos envolvidos na formação dos veios mineralizados são soluções aquosas de salinidades variadas (próximas de 0 a >25 % peso eq.NaCl), constituídas por NaCl, KCl, CaCl2, MgCl2, FeCl2 e CO2(CH4 subordinados. Aos veios não mineralizados associam-se fluidos aquosos com NaCl e KCl e salinidades < 22,8 % peso eq.NaCl. Os veios mineralizados representam possivelmente uma mistura de fluidos magmáticos e meteóricos, processo que pode ter sido eficiente na precipitação dos metais. Os veios estéreis teriam sido formados por um regime de fluidos dominantemente aquosos, possivelmente de origem meteórica.

Carajás XE "Carajás"  ? Magmatismo Granítico XE "Magmatismo Granítico"  - Inclusões Fluidas XE "Inclusões Fluidas"

Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica

E226

RELATIVIDADE ESPECIAL E GEOMETRIA DE MINKOWSKI

Eder Santana Annibale (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Alberto Saa (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica -IMECC, UNICAMP

A Relatividade Especial (RE) pode ser conveniente descrita associando-se os eventos físicos a um ponto num espaço vetorial quadri-dimensional munido da pseudométrica Lorentziana: o espaço-tempo de Minkowski. O estudo das propriedades geométricas do espaço-tempo de Minkowski tem, portanto, grande relevância para o entendimento profundo da (RE). De fato, todos os fenômenos físicos pertinentes à (RE) estão associados a problemas geométricos do espaço-tempo. Nesta primeira parte do projeto nos concentramos na formulação matemática da (RE). Inicialmente estudamos a geometria do espaço-tempo e a separação entre eventos. Estudamos então o uso de diagramas espaço-tempo e passamos para a formulação e a descrição matemática das Transformações de Lorentz (TL). Vimos que estas transformações se constituem de uma rotação e uma translação neste espaço. Conseguimos então chegar, para um caso particular mais muito importante, nas famosas fórmulas de (TL). Na segunda parte do projeto estudamos inicialmente o Eletromagnetismo clássico. Vimos que o desenvolvimento da (RE) está diretamente relacionada com o eletromagnetismo. Estudamos então a dinâmica de partículas relativísticas e campos eletromagnéticos. Analisamos a dinâmica do movimento de partículas carregadas em campos eletromagnéticos externos e finalmente, nos concentramos no estudo de campos. Nosso próximo objetivo é estudar a Geometria dos Espaços de Rindler (ER). Para isso, utilizaremos todos os conceitos estudados neste projeto, notadamente a eletrodinâmica relativística, a fim de estudar os observadores acelerados em (RE).

Relatividade XE "Relatividade"  ? Geometria de Minkowski XE "Geometria de Minkowski"  ? Transformação de Lorentz XE "Transformação de Lorentz"

E227

Empacotamento em Paletes e Contêineres e Bin Packing

Juliana Rodrigues Geraldo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Moretti (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

A busca de uma maneira para armazenar e transportar produtos de uma forma ótima tem recebido grande atenção por parte de empresas. Produtores e transportadores procuram o melhor modo de organizar seus produtos ao longo da cadeia logística, aproveitando ao máximo o espaço disponível, e para isso freqüentemente utilizam a carga com o uso de contêineres e paletes. O problema de carregamento de contêineres ou paletes consiste em encontrar uma forma de carregar todo um conjunto de caixas retangulares dentro de contêineres ou sobre paletes, de modo a minimizar o espaço sem uso, ou equivalentemente, maximizar o uso daquele espaço disponível. Neste problema, outros fatores também podem ser levados em conta como a orientação da caixa dentro do contêiner, número de caixas que podem ser empilhadas umas sobre as outras, restrição no manuseio das caixas, etc.Foram estudados os principais artigos da literatura sobre o problema em questão, dentre eles George & Robinson (1980), Morabito e Arenales (1994,1999) e Pisinger (2002). Realizamos a implementação de um modelo analítico em linguagem AIMMS que nos permitiu validar a formulação matemática proposta com exemplos numéricos. Resultados obtidos através de implementação de heurísticas podem ser comparados com soluções apresentadas pelo modelo analítico, em termos de tempo de execução versus qualidade da solução obtida.

Otimização Combinatorial XE "Otimização Combinatorial"  - Programação Inteira XE "Programação Inteira"  - Heurísticas XE "Heurísticas"

E228

Geometria Elíptica e Geometria Esférica

Bruna Lammoglia (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Claudina Izepe Rodrigues (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica ? IMECC, UNICAMP

A partir das tentativas de provar o postulado das paralelas como um teorema utilizando os restantes nove axiomas e postulados de Euclides, descobriu-se que substituindo-o criam-se novas geometrias, tão consistentes quanto a Euclidiana. Os matemáticos Bolyai (1832), Lobachevsky (1829), Gauss (1800), Legendre (1794), Lambert (1770), Saccheri (1733) e Riemann (1851) lançaram as bases das outras geometrias. Em nossa pesquisa estudamos a geometria elíptica que foi lançada por Riemann, na qual a reta não é infinita e substitui-se o postulado das paralelas pelo de Riemann, que diz que quaisquer duas retas em um plano têm um ponto de encontro. Estudamos a geometria elíptica utilizando o modelo da esfera, pensando assim na superfície esférica, onde ?retas? seriam os círculos máximos ou geodésicas dessa superfície. Vimos conceitos tais como: distâncias entre dois pontos, pontos opostos, isometria na esfera e teoria angular; além dos triângulos esféricos, que são formados pelos arcos de círculos máximos que unem (dois a dois) três pontos distintos e não colineares sobre uma esfera. A Terra possui o formato aproximado de uma esfera, sendo então a geometria esférica de grande utilidade quando pensamos na superfície terrestre, por exemplo na navegação marítima.

Geometria não-euclidiana XE "Geometria não-euclidiana"  ? Geometria Elíptica XE "Geometria Elíptica"  ? Geometria Esférica XE "Geometria Esférica"

E229

UM ESTUDO COMPARATIVO DE 3 CLASSES DE MODELOS ESTATÍSTICOS PARA ANÁLISE DE DADOS DE PROPRIEDADES DO SOLO AO LONGO DE TRANSECTS

Daniel Takata Gomes (Bolsista, PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Emanuel Pimentel Barbosa (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica ? IMECC, UNICAMP

Este projeto aborda a relação de variáveis que representam propriedades químicas do solo, um assunto de grande interesse em experimentação agrícola. As medições destas variáveis são tomadas ao longo de linhas denominadas ?transects?. No caso deste projeto, o objetivo é avaliar a relação entre as variáveis nitrogênio total e carbono orgânico com dados coletados na estação experimental da EMBRAPA (Jaguariúna, SP, Brasil). Nota-se que possivelmente as medidas destes dados tendem a ser correlacionadas ? e, dessa forma, não há independência para que se realize uma análise padrão, como um modelo de regressão. Também pode haver heterogeneidade do sistema sob análise ao longo do espaço. Estes fatores são levados em consideração na análise feita. Foi feito um estudo comparativo entre três classes de modelos estatísticos, tanto em termos de ajuste quanto, principalmente, de predição: modelos de regressão (padrão, com erros autocorrelacionados, ARX e VAR), modelos de redes neurais (feedforward e recorrentes) e modelos de espaço de estado (padrão e regressão dinâmica). Os resultados mostram que os modelos com maior capacidade preditiva são os modelos que possuem variáveis latentes: os não lineares (redes neurais) e os de espaço de estado.

Dados de Solo XE "Dados de Solo"  - Modelos Estatísticos XE "Modelos Estatísticos"  - Predição XE "Predição"

E230

DIAGNÓSTICO NOS MODELOS DE GRUBBS T-STUDENT

Luiz Fernando Molinari Zerbinatti (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Filidor Edilfonso Vilca Labra (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

A comparação de instrumentos ou métodos de medição aparece constantemente em vários ramos da ciência e a escolha do método depende de uma série de fatores, tais como custo, tempo e qualidade de medição. Neste trabalho, o estudo de comparação de instrumentos é baseado no modelo de Grubbs, que é uma classe particular de modelo com erros nas variáveis. Neste contexto, a avaliação dos instrumentos é feita considerando a precisão e a acurácia. Muitas destas comparações são realizadas com base em modelos normais. No entanto, se os dados apresentam uma distribuição com caudas mais pesadas, o modelo normal pode não ser o mais adequado. Uma alternativa é considerar o modelo t-Student, que permite obter resultados mais robustos.Na análise estatística, é importante fazer um estudo de diagnóstico com o intuito de identificar observações que controlem propriedades importantes nos resultados estatísticos. No entanto, existem poucos estudos de diagnóstico para este modelo. A principal proposta deste trabalho é desenvolver um método de diagnóstico para o modelo de Grubbs t-Student aplicando o método de influência local, considerando a ponderação de casos como esquema de perturbação. A aplicação da metodologia depende dos estimadores de máxima verossimilhança, que são obtidos através do algoritmo EM. Uma aplicação a dados reais é apresentada.

Diagnóstico XE "Diagnóstico"  ? Modelo de Grubbs XE "Modelo de Grubbs"  ? Algoritmo EM XE "Algoritmo EM"

E231

Otimização de recursos em cursos de graduação

Ricardo de Oliveira Lopes Júnior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Francisco Assis Magalhães Gomes Neto (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica ? IMECC, UNICAMP

Um problema freqüentemente enfrentado pelos alunos do curso de matemática aplicada diz respeito às quais disciplinas estes irão se matricular no período de matrícula, já que a sugestão do catálogo mostra-se inadequada aos alunos que estão ?fora de fase?. Apesar de a coordenação do curso estar disposta a ajudar estes alunos, existem muitas variáveis envolvidas nesse problema. Um segundo problema enfrentado pela coordenação do curso de matemática aplicada está associado à distribuição semestral da carga didática entre seus professores. Este projeto tem por objetivo ajudar a coordenação do curso nestas duas situações. Para ambos os problemas foram elaborados modelos matemáticos que simulam tais situações e posteriormente, esses modelos foram implementados no programa computacional AIMMS. Uma interface gráfica foi desenvolvida, também no AIMMS, de tal modo que no problema de seleção de disciplinas, o aluno entra com as disciplinas já cursadas e com o ano de ingresso, e o programa retorna quais disciplinas ele deve cursar em cada semestre de modo a terminar o curso no prazo previsto. Já para o problema de alocação de disciplinas, a entrada consiste das matérias que serão oferecidas pelo departamento e uma matriz com as preferências dos professores, e o programa retorna a atribuição didática ótima.

Otimização XE "Otimização"  - Problema de Atribuição XE "Problema de Atribuição"  - Programação Inteira XE "Programação Inteira"

E232

Estudo de ondas planas, cilíndricas e esféricas em meios acústicos

Rafael Moura (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Jörg Wilhelm Dietrich Schleicher (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica- IMECC, UNICAMP

Os estudos de ondas, bem como o de seu comportamento são muito importantes para o entendimento de vários fenômenos observados em diversos ramos da ciência. É fundamental para a construção e análise da sub-superfície, principalmente em profundidades de difícil acesso, área de atuação da sísmica. A pesquisa desenvolvida parte de um estudo detalhado das propriedades físicas da onda plana, verificando e aplicando conceitos como velocidade aparente e da frente de onda, assim como sua reflexão e transmissão, para em seguida resolver tais situações de ondas mais complexas, tais como as esféricas e cilíndricas, em uma, duas e três dimensões. Com o entendimento dos efeitos ocorridos na propagação dessas ondas em meios homogêneos e outros não contínuos, foram criados programas em MatLab que simulam a propagação dessas ondas em tais meios. Através das simulações, é possível visualizar e verificar os resultados abordados na parte teórica do projeto, observando fenômenos de transmissão total, decaimento da amplitude em relação aos coeficientes de reflexão e transmissão, cálculo do tempo de trânsito, entre outros. Os parâmetros usados para a propagação da onda nos meios podem ser alterados, possibilitando uma maior versatilidade na abordagem de problemas e facilitando o entendimento dos problemas relacionados à propagação de ondas.

Ondas XE "Ondas"  - Análise XE "Análise"  - Acústica XE "Acústica"

E233

TEORIA DE ESTABILIDADE DE EQUAÇÕES DIFERENCIAIS ORDINÁRIAS E TEORIA DE CONTROLE

Lien Kuan Min (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Luiz Boldrini (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Quer-se estudar tópicos importantes da Teoria de Controle tomando como base a análise do chamado Problema do Estudante Preguiçoso (The Lazy Student Problem). De forma simplificada, este problema é o de um estudante cujo objetivo fundamental é o de passar no exame com um gasto mínimo de esforço de aprendizagem (estudo individual). Modelamos o problema supondo que a absorção de conhecimento pelo estudante por unidade de tempo (uma semana) é proporcional à raiz quadrada do esforço de aprendizagem e que mesmo período o estudante perde uma fração do esforço por esquecimento. Devemos achar uma função de descreve o esforço a ser realizado ao longo do tempo e que minimiza o esforço total despendido (funcional custo dado pela integral dessa função no tempo total). Usamos o Princípio de Máximo de Pontryagin para mostrar que, nestas condições a melhor estratégia é a de estudar mais intensamente próximo do dia de exame (?supreendentemente? esta é a estratégia utilizada por muitos estudantes reais). Embora este problema tenha um caráter mais lúdico do que realista, ele permite que, pelo seu estudo, se introduzam vários conceitos sobre estratégias e que se façam várias generalizações da situação da aprendizagem.

Equações Diferenciais XE "Equações Diferenciais"  ? Teoria de Controle XE "Teoria de Controle"  ? Otimização XE "Otimização"

E234

EQUAÇÕES INTEGRAIS LINEARES: TEORIA E APLICAÇÕES.

Mariana Maria Rodrigues Aiub (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lúcio Tunes dos Santos (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Equações Integrais (EI) são equações nas quais a incógnita é uma função que aparece dentro de uma integral definida. Elas estão intimamente relacionadas com as mais famosas Equações Diferenciais (ED). Muitas aplicações que resultam na solução de equações diferenciais, podem ser melhor modeladas através do uso de integrais. Além disso, algumas aplicações interessantes também podem ser facilmente modeladas como EI e analisadas conjuntamente com alguns algoritmos de resolução numérica. Este projeto consiste no estudo da estrutura das EI lineares, na análise de algumas de suas propriedades e duas distribuições fundamentais: Delta de Dirac e Degrau de Heaviside, na aplicação um algoritmo numérico para sua resolução aproximada e no estudo três aplicações das EI lineares. Aplicando os algoritmos de resolução, obtivemos os resultados esperados para a convergência das soluções nos exemplos estudados, caracterizando e concluindo as diferenças entre os casos Volterra e Fredholm, e verificando, também, as propriedades fundamentais das EI e as aplicações da teoria estudada.

Integral -  XE "Integral"  Volterra - XE "Volterra"  Fredholm XE "Fredholm"

E235

Introdução às Álgebras de Lie

Michele Calefe (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luiz Antonio Barrera San Martin (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica ? IMECC, UNICAMP

A Teoria de Lie teve sua origem por volta de 1870, com Sophus Lie, a partir da idéia de se estudar equações diferenciais sob o mesmo enfoque adotado por Galois com relação às equações algébricas. Este trabalho consiste no estudo das Álgebras de Lie, que são suporte básico para a Teoria de Lie. Uma introdução a este estudo significa entender as Álgebras de Lie, que são espaços vetoriais g, munidos de um produto, isto é, uma aplicação de gxg a valores em g, com propriedades especiais. As classes principais de Álgebras de Lie são as álgebras solúveis, as álgebras nilpotentes e as álgebras semi-simples. Segundo o Teorema de Lie, os elementos das duas primeiras podem ser colocados na forma triangular simultânea, porém apenas as nilpotentes podem ser escritas na forma de Jordan. Já as álgebras semi-simples podem ser vistas como subálgebras de transformações lineares. O estudo das álgebras nilpotentes, através do Teorema de Engel, serve de base para as subálgebras de Cartan, que é essencial para a classificação das Álgebras semi-simples, uma das grandes conquistas da Teoria de Lie.

Matemática XE "Matemática"  - Álgebra XE "Álgebra"  - Álgebras de Lie XE "Álgebras de Lie"

E236

Introdução aos métodos multigrid para resolução de sistemas lineares e não lineares

Gabriel Haeser e Profa. Dra. Márcia Aparecida Gomes Ruggiero (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica ? IMECC, UNICAMP

A proposta deste trabalho é analisar a eficiência computacional das técnicas multigrid aplicadas à resolução de sistemas lineares e não lineares originados da resolução numérica de problemas de valor de contorno. A resolução numérica de tais problemas requer a discretização do espaço domínio, usando um espaçamento h, e o problema discretizado consiste num sistema de equações lineares ou não lineares que envolve um número de variáveis que aumenta à medida que a discretização é realizada com espaçamentos menores. Neste trabalho consideramos o processo de discretização por diferenças finitas. Escolhido o método iterativo para resolver o sistema resultante da discretização, a técnica multigrid consiste em realizar um número de iterações em uma determinada malha, com espaçamento h, e em seguida corrigir esta solução, realizando iterações em uma malha mais grossa, com espaçamento 2h. Apresentaremos resultados computacionais comparativos entre vários esquemas de algoritmos onde as técnicas multigrid são empregadas. Os resultados obtidos demonstram que a técnica multigrid é bastante eficiente tanto em sistemas lineares como em sistemas não lineares ocorrendo aceleração da convergência do método iterativo e redução do esforço computacional.

Multigrid XE "Multigrid"  - Sistemas Lineares XE "Sistemas Lineares"  - Sistemas Não Lineares XE "Sistemas Não Lineares"

E237

Estratégias para controle de passo no método de máxima descida

Momoe Sakamori e Larissa O. Xavier (Bolsistas FAPESP), Prof. Dra. Márcia A. Gomes-Ruggiero e Profa. Dra. Sandra A. Santos (Orientadoras), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Os algoritmos de minimização irrestrita compreendem dois elementos essenciais: escolha de uma direção de descida e o tamanho do passo ao longo desta direção. Neste trabalho foi realizado um estudo teórico-prático de estratégias para controle de passo no método de máxima descida, uma direção clássica baseada no gradiente da função a ser minimizada. Para o tamanho do passo, além do método puro (passo completo) e do passo ótimo no caso de problemas quadráticos, analisamos o desempenho do passo espectral de Barzilai-Borwein, passos aleatórios uniformemente gerados entre 0 e 1 e de passos propostos pelas alunas bolsistas. Esta última escolha possibilitou que cada aluna exercesse sua criatividade dentro da elaboração deste projeto. Os testes computacionais foram realizados usando o MatLab, iniciando-se com uma análise gráfica do desempenho do processo em problemas bidimensionais. Um extenso conjunto de testes com problemas quadráticos permitiu a comparação das diferentes escolhas para o tamanho do passo.

Minimização irrestrita XE "Minimização irrestrita"  - Método de máxima descida XE "Método de máxima descida"  - Gradiente espectral XE "Gradiente espectral"

E238

Método de Newton e Método de Newton Inexato-Discreto: fractais e aplicações

Yu Jun (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Márcia Aparecida Gomes Ruggiero (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

A proposta deste trabalho é o estudo de métodos para resolução de sistemas não lineares e a análise de desempenho computacional destes métodos em algumas aplicações. Foram escolhidos os seguintes métodos: método de Newton e estudo das condições de convergência, com análise gráfica das regiões de convergência através da geração de fractais; variantes do método de Newton com o objetivo de simplificar a resolução do sistema linear resultando no conhecido método de Newton-Inexato; variantes do método de Newton com o objetivo de simplificar o cálculo das derivadas parciais, resultando no método de Newton-Discreto, com as derivadas aproximadas por diferenças centrais; método de Newton-Inexato-Discreto, no qual as duas variantes descritas acima são incorporadas no mesmo algoritmo. O desempenho destes métodos foi analisado na resolução de sistemas não lineares clássicos da literatura e em algumas aplicações. Estas últimas, centradas na resolução de sistemas não lineares resultantes da discretização por diferenças finitas de problemas de valor de contorno bidimensionais. Os testes computacionais comprovam a eficiência do método de Newton, e demonstram também que os métodos: Newton-Inexato, Newton-Discreto e Newton-Inexato-Discreto são bastante competitivos.

Método de Newton XE "Método de Newton"  - Método de Newton-Inexato-Discreto XE "Método de Newton-Inexato-Discreto"  - Fractais XE "Fractais"

E239

APLICAÇÕES À ROBOTICA DA MECÂNICA DE CALIBRE

Giancarlo Miragliotta (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcio Antonio de Faria Rosa (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica ? IMECC, UNICAMP

Um dos grandes desenvolvimentos da Matemática em nossos tempos é o estudo da ação de Grupos de simetrias em variedades simpléticas, fortemente impulsionado pelo trabalho seminal de Marsden e Weinstein (1974) sobre a generalização do conceito clássico de momentum, substituido pela aplicação momentum, definida no fibrado cotangente e com valores na álgebra de Lie do grupo de simetrias do sistema. Nos últimos anos tem sido desenvolvida uma versão Lagrangeana do enfoque Hamiltoneano dado pelas variedades simpléticas ao problema do estudo de sistemas mecânicos com simetria, tal acaba por ser uma teoria de calibre (gauge) da mecânica onde uma conexão num fibrado principal cujo espaço total é o espaço de configurações do sistema faz o papel da aplicação momentum de Weinstein e Marsden. Este enfoque, segundo os professores Marsden e Weinstein (2001), ?was used to great effect in, for example, Guichardet (1984), Iwai (1987), and Montgomery (1984,1990,1991)". Este trabalho de Iniciação Científica tem o objetivo de introduzir o estudante neste ramo de pesquisa. Com essa finalidade, será estudado o artigo: Iwai, T., (2002), Geometric mechanics of many-body systems, Journal of Computational and Applied Mathematics 140, 403-422.

Teoria de Calibre XE "Teoria de Calibre"  ? Fibrados Principais XE "Fibrados Principais"  ? Sistemas de Vários Corpos XE "Sistemas de vários corpos"

E240

MECÂNICA DE CALIBRE E APLICAÇÕES A ROBÓTICA

Pedro Valladão Ferraz (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Marcio Antônio de Faria Rosa (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica ? IMECC, UNICAMP

Um dos grandes desenvolvimentos da Matemática em nossos tempos é o estudo da ação de grupos de simetrias em variedades simpléticas, fortemente impulsionado pelo trabalho seminal de Marsden e Weinstein (1974) sobre a generalização do conceito clássico de momentum, substituído pela aplicação momentum, definida no fibrado cotangente e com valores na álgebra de Lie do grupo de simetrias do sistema. Nos últimos anos, tem sido desenvolvida uma versão Lagrangeana do enfoque Hamiltoneano dado pelas variedades simpléticas ao problema do estudo de sistemas mecânicos com simetria, que acaba por ser uma teoria de calibre (gauge) da mecânica onde uma conexão num fibrado principal cujo espaço total é o espaço de configurações do sistema faz o papel da aplicação momentum de Weinstein e Marsden. Este enfoque, segundo os professores Marsden e Weinstein (2001), "was used to great effect in, for example, Guichardet (1984), Iwai (1987), and Montgomery (1984,1990,1991)". Este trabalho de Iniciação Científica tem o objetivo de introduzir o estudante neste ramo de pesquisa.

Teoria de Calibre (Gauge) XE "Teoria de Calibre (Gauge)"  ? Fibrados Principais XE "Fibrados Principais"  ? Sistemas de Muitos Corpos XE "Sistemas de Muitos Corpos"

E241

Introdução à Robótica: Fundamentos Matemáticos

Rodrigo Silva Lima (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Margarida Pinheiro Mello (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

O estudo de robótica tem atraído atenção de profissionais do mundo acadêmico e da indústria. O primeiro grupo é convocado a resolver os inúmeros problemas que surgem no desenvolvimento desta tecnologia, incentivado pelo segundo grupo, em busca da economia e maior eficiência trazidas pela automação dos processos de manufatura. Neste trabalho, utilizando ferramentas de álgebra linear, cálculo e física, construímos os elementos necessários para a compreensão e simulação de modelos simples de braços-robôs. Conhecendo as características físicas do braço em estudo, podemos deduzir as equações que regem seu movimento. A partir destas equações podemos, por exemplo, investigar a região de trabalho do braço no espaço, determinar a velocidade de seu terminal efetuador e os ângulos das juntas em um determinado instante de tempo, considerando as limitações da amplitude de giro dos segmentos que o constituem. Podemos também fazer considerações sobre a força e torque que podem ser aplicados ao braço, quando levamos em conta a massa dos seus elementos. A realização de simulações de movimentação do robô nos permite detectar a presença de singularidades na sua configuração e nos auxilia a intuir maneiras de contorná-las. Para produzí-las utilizamos os softwares MATLAB e Mathematica.

Robótica XE "Robótica"  - Cinemática XE "Cinemática"  - Simulação XE "Simulação"

E242

RESOLVENDO PROBLEMAS DE MATEMÁTICA NO ENSINO MÉDIO

Ana Carolina Camargo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Zoraide M. C. Soares (Orientadora), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Nos últimos anos, as conclusões das pesquisas em Ensino de Matemática, juntamente com o impacto social causado pelo desenvolvimento da tecnologia, fortalecem a tendência para o ensino da Matemática baseada na resolução de problemas. Depois dos anos 90, surgem múltiplas recomendações de organizações nacionais e internacionais, que pretendem dar respostas aos grandes desafios do Ensino de Matemática. Assim, este projeto nasceu da intenção de traduzir em atividades algumas dessas recomendações. O ensino baseado na resolução de problemas supõe dotar os alunos da capacidade de aprender a aprender, no sentido de habituá-los a encontrar por si mesmos respostas às perguntas que os inquietam ou que precisam responder, ao invés de esperar uma resposta já elaborada por outros e transmitida pelo livro texto ou pelo professor. Este projeto foi constituído de três partes. Duas delas foram desenvolvidas simultaneamente: leitura e reflexão teórica sobre a resolução de problemas; e a busca e a organização de problemas com diferentes graus de dificuldades. Optamos por problemas que desenvolvem a capacidade de raciocínio, e que permitem estabelecer ligações, de modo informal e espontâneo, entre conteúdos matemáticos habitualmente tratados no ensino médio. A última etapa do projeto foi a preparação de um livro para publicação dos problemas.

Matemática XE "Matemática"  - Ensino Médio XE "Ensino Médio"  - Resolução de Problemas XE "Resolução de Problemas"

E243

CONTROLE ÓTIMO E APLICAÇÕES

Juliana Cervelati (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Marko Antonio Rojas-Medar (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

A teoria de controle ótimo estuda a obtenção de soluções ótimas de sistemas que evoluem com o tempo, suscetíveis a decisões externas. Neste caso, a melhor decisão a tomar depende do horizonte temporal do problema em questão. No projeto de iniciação científica, estudamos condições de otimalidade, necessárias e suficientes, para problemas de controle ótimo onde a dinâmica é dada por equações diferenciais ordinárias, bem como algumas aplicações em problemas de biologia e economia. O resultado principal da teoria de controle ótimo é o chamado Princípio de Otimalidade de Pontryaguin, o qual nos fornece condições necessárias de otimalidade para que um par (x,u) seja solução do problema em questão, mas que em nenhum caso são suficientes, sem hipóteses suplementares. Assim sendo, temos que impor algumas restrições para que possamos concluir que esta é, ou não, de fato uma solução ótima para o problema. Nos últimos anos tem aparecido na literatura vinculada à programação matemática a noção de função invexa e suas generalizações, as quais vem sendo muito eficientes na obtenção de condições suficientes de otimalidade. Nosso objetivo essencial é obter novas condições suficientes de otimalidade para problemas no caso diferencial, assim como fazer algumas simulações numéricas.

Controle Ótimo XE "Controle Ótimo"  - Funções Invexas XE "Funções Invexas"  - Equações Diferenciais Ordinárias XE "Equações Diferenciais Ordinárias"

E244

Introdução à Geometria Computacional com aplicações ao Processamento Sísmico

Lucas Batista Freitas (Bolsista PIBIC/CNPq), e Prof. Dr. Martin Tygel (Orientador), Instituto de Matemática Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Uma importante ferramenta no processamento sísmico é a óptica geométrica, na qual os eventos sísmicos são estudados separadamente considerando o seu percurso através do meio em que se propaga. Este percurso, conhecido como raio, é regido por um sistema de equações diferenciais ordinárias, derivado da equação da onda. Na sísmica de reflexão, ondas são produzidas pelo homem e em seguida são registradas por sensores. Os dados registrados são o insumo para a localização de possíveis reservatórios de hidrocarbonetos. Embora o problema principal seja inverter os dados sísmicos para se conhecer a geologia do local pode-se produzir dados sísmicos sintéticos usando o modelo geológico obtido da inversão para confronta-los com os dados reais, a fim de avaliar o resultado da inversão. Na primeira parte deste trabalho estudamos a trajetória de raios em meios multi-camadas homogêneas separadas por interfaces suaves, representadas por splines cúbicas. Estes meios constituem uma boa aproximação para modelos geológicos, onde cada camada representa na média uma rocha com propriedades distintas. Em seguida, estudamos ferramentas da geometria computacional que auxiliam na determinação das quantidades necessárias para se construir um sismograma sintético.

Geometria Computacional XE "Geometria Computacional"  ? Sísmica XE "Sísmica"  ? Traçamento de raios XE "Traçamento de raios"

E245

TRABALHANDO O TEMA ?ÁGUA? INTERDISCIPLINARMENTE.

Mariana Feiteiro Cavalari e Profa. Dra. Otília T. W. Paques (Orientadora), Instituto de Matemática Estatística e Computação Científica ? IMECC, UNICAMP

Este trabalho foi realizado com o intuito de auxiliar as professoras de matemática e geografia da escola Professor Cyro de Barros Rezende, na cidade de Valinhos, a trabalhar o tema água, com os alunos do segundo ano do ensino médio, interdisciplinarmente. Primeiramente, foi realizada uma pesquisa sobre quais assuntos poderiam ser trabalhados, em geografia e matemática e o tema escolhido foi o Aqüífero Guarani. A próxima etapa foi pesquisar como este assunto poderia ser trabalhado em matemática e geografia. Em matemática os alunos estudaram a vazão do aqüífero, notação cientifica e estatística e em geografia foram estudadas as formações rochosas e o relevo da região onde se encontra o aqüífero. Este trabalho resultou em um maior interesse dos alunos nas aulas de geografia e matemática, além de uma maior motivação dos professores destas disciplinas (atualmente, o tema água está sendo trabalhado, também nas aulas de química, biologia e física). Pudemos observar que este trabalho interdisciplinar muito contribuiu no aprendizado destas disciplinas.

Ensino XE "Ensino"  ? Água XE "Água"  - Interdisciplinaridade XE "Interdisciplinaridade"

E246

MÉTODOS NUMÉRICOS PARA PROBLEMAS DE ADVECÇÃO DOMINANTE

Vanessa Rennó Frota Moraes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Petrônio Pulino (Orientador), Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica - IMECC, UNICAMP

Este projeto tem por objetivo despertar o interesse na investigação de problemas relacionados com a teoria das Equações Diferenciais Parciais e com os Métodos de Diferenças Finitas (MDF) para obtenção de soluções numéricas para problemas de Advecção-Difusão. Estudamos modelos de Advecção-Difusão unidimensionais, considerando o transporte difusivo muito menor que o advectivo. Tais modelos têm aplicações em transporte de pesticidas em meios porosos, que é um tema de grande interesse na atualidade, com a constante preocupação da contaminação das águas subterrâneas. No Estado de São Paulo, 34% dos municípios são totalmente abastecidos por água subterrânea, sendo o Aqüífero Guarani o principal manancial subterrâneo. Visando analisar o risco de contaminação dessas águas pela utilização de diferentes pesticidas nas diversas áreas agrícolas, estudamos modelos de Advecção-Difusão de pesticidas em uma coluna de solo saturada, em condições nas quais as propriedades físicas do solo podem ser controladas em laboratório. Para simular uma situação mais próxima da realidade, escolhemos os parâmetros físicos e o comprimento da coluna de forma a obter uma situação de domínio infinito. Obtivemos as soluções numéricas desses modelos por MDF tais como, esquema implícito de Crank-Nicolson e esquema Upstream & Downstream, para discretização no tempo e no espaço, respectivamente.

Métodos de Diferenças Finitas XE "Métodos de Diferenças Finitas"  - Dispersão de Pesticidas XE "Dispersão de Pesticidas"  - Simulação Numérica XE "Simulação Numérica"

Instituto de Química

E247

QUANTIFICAÇÃO DE TETRACICLINAS COM MEDIDAS FOTOMÉTRICAS EM DISPOSITIVO PORTÁTIL

Martha Maria Andreotti Favaro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Adriana Vitorino Rossi (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Tetraciclinas representam um grupo de antibióticos de amplo espectro, que atuam em vários tipos de processos infecciosos, do qual a Clorotetraciclina (CTC), isolada da Streptomyces aureofaciens, é um exemplo. Em diferentes pHs, tetraciclinas interagem com cátions metálicos formando compostos de interação coloridos com máximos de absorção de 368 a 408 nm, que podem servir para quantificá-las em medicamentos nos quais dificilmente estão presentes em associações. Testou-se o efeito da variação do pH (de 1,0´10-6 a 7,5´10-2 mol L-1 de OH-) e da presença de cátions (soluções 2,0´10-2 mol L-1 de Mg2+, Ca2+, Fe2+ e 4,0´10-2 mol L-1 de Al3+) em soluções de CTC 2,0´10-2 mol L-1 para estabelecer condições para quantificar CTC em medicamentos. Estudos univariados indicaram que o pH ideal para a formação do composto é 1,0´10-2 mol L-1 e, dentre os cátions estudados, que o composto de interação CTC/Mg2+ apresenta maior absorbância (A) em 408 nm. Variando-se a concentração de CTC (CCTC) construiu-se a curva de calibração para medidas em 408 nm: A = 6,64´10-2 + 34,5´CCTC, com coeficiente de correlação linear = 0,9912. Procede-se à adaptação das condições para a obtenção da curva de calibração com medidas fotométricas em dispositivo portátil de baixo custo, com detector baseado em resistor foto-sensível.

Tetraciclina XE "Tetraciclina"  - Medidas Fotométricas XE "Medidas Fotométricas"  - Dispositivo Portátil XE "Dispositivo Portátil"

E248

CORRELAÇÃO ENTRE BIOMARCADORES E MICROORGANISMOS DOS PETRÓLEOS DA BACIA DE CAMPOS

Liliane Girotto Cabrini (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Anita J. Marsaioli (Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Estudos relacionados à investigação da biodiversidade de comunidades microbianas associadas a depósitos petrolíferos são de grande relevância, uma vez que permitem um melhor entendimento da estrutura e dinâmica das populações nesta comunidade, além da caracterização putativa de funções que possam desempenhar. A aplicação de métodos de isolamento e cultivo é importante para a caracterização da diversidade de comunidades de bactérias e Arqueas (microorganismos anaeróbios) associadas a reservatórios de petróleo no Brasil, permitindo obter informações detalhadas sobre a composição dessas comunidades, e sobre seu envolvimento potencial na biodegradação do petróleo e implicação para etapas futuras de exploração, armazenamento e refino, como biocorrosão de equipamentos e biotransformação. O estudo concomitante dos biomarcadores poderá enriquecer o conhecimento atual sobre os ambientes deposicionais das geradoras dos óleos da Bacia de Campos, situada no estado do Rio de Janeiro sendo uma das principais produtoras de petróleo do Brasil. Portanto, este projeto estuda a biotransformação de biomarcadores sintetizados em laboratório como o fitano (isoprenóide acíclico), o colestano (esterano) e o e biomarcador linear, derivado do ácido oléico.

Petróleo XE "Petróleo"  ? Biomarcador XE "Biomarcador"  ? Biodegradação XE "Biodegradação"

E249

DESENVOLVIMENTO DA REAÇÃO DE HECK DE ENOLÉTERES ACÍCLICOS COM SAIS DE DIAZÔNIO

Luiz Fabricio da Silva Azevedo (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Carlos Roque Duarte Correia (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A reação de Heck constitue-se atualmente em uma das mais poderosas ferramentas utilizadas em síntese orgânica. A reação funciona bem para um leque variado de olefinas eletro-deficientes ou inativadas. Entretanto, com olefinas ricas em elétrons tais como enoléteres e enaminas, misturas de regio-isomeros limitam a aplicabilidade da metodologia em síntese. Este trabalho iniciou o desenvolvimento de um método capaz de empregar a reação de Heck com enoléteres utilizando sais de diazônio como agente arilante. O método de trabalho consistiu de encontrar as melhores condições experimentais com base na otimização do rendimento para a reação tomada como modelo de estudo entre o vinilbutiléter e o sal de diazônio. Os resultados obtidos são da maior importância, pois revelam uma metodologia simples, limpa e eficiente para síntese de uma classe de compostos de interesse químico e/ou industrial e, ainda trazem evidências experimentais interessantes sobre aspectos mecanísticos propostos na literatura para a reação.

Reação de Heck XE "Reação de Heck"  - Catalise Heterogênea XE "Catalise Heterogênea"  - Sais de Diazôno XE "Sais de Diazôno"

E250

DETERMINAÇÃO DE VISCOSIDADE MOONEY DE BORRACHA NATURAL ATRAVÉS DA ESPECTROSOCPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO (NIR).

Fernanda Crivelari Figueiredo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Célio Pasquini (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

O controle de qualidade da borracha natural é baseado na medida de Viscosidade Mooney. Para fabricação de pneus, este parâmetro deve estar entre 75 e 85 unidades. O objetivo deste trabalho é a obtenção de um método analítico baseado em reflectância no NIR e na calibração multivariada para determinar a Viscosidade Mooney da borracha natural. 100 amostras, com valores de viscosidade pré-determinados pelo método padrão, foram medidas no instrumento Free-Space da Brimrose a fim de obter seus espectros de reflectância na faixa de 1000 a 2500 nm. A faixa de viscosidade para estas amostras foi de 62 a 94 unidades. Cada espectro foi composto por uma média de 300 varreduras efetuadas em cerca de 25 s. Utilizou-se um conjunto de calibração (70 amostras) e um de validação (30 amostras). Regressão por Mínimos Quadrados Parciais (PLS) foi utilizada para construir um modelo que previsse a Viscosidade da borracha natural. O RMSEP foi de 3,5 unidades e a correlação de 0,698 entre os valores previstos e de referência obtidos para o conjunto externo A reprodutibilidade do método padrão é cerca de 2,0 unidades. Estes resultados demonstram que a Espectroscopia NIR possui potencial para a determinação rápida e precisa da Viscosidade Mooney da borracha natural.

Borracha Natural XE "Borracha Natural"  - Viscosidade Mooney XE "Viscosidade Mooney"  - Espectroscopia de Reflectância NIR XE "Espectroscopia de Reflectância NIR"

E251

Três diferentes modos de ancoramento da molécula 5-amino-1,3,4-tiadiazol-2-tiol em sílica gel para adsorção de níquel

Fernando José Volpi Eusébio de Oliveira, José A. A. Sales (PQ) e Prof. Dr. Claudio Airoldi, Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O desenvolvimento de novos silanos organofuncionais tem despertado grande interesse em química tecnológica nos últimos anos. Uma das propriedades marcantes destes novos materiais híbridos inorgânico-orgânicos é a associação da estabilidade química da matriz inorgânica com as propriedades da molécula ancorada covalentemente no suporte. Este trabalho enfoca três distintos modos de ancoramento da molécula 5-amino-1,3,4-tiadiazol-2-tiol na superfície do suporte sílica gel e a correspondente adsorção de cátions níquel. A molécula 5-amino-1,3,4-tiadiazol-2-tiol foi imobilizada em sílica gel através dos métodos homogêneo (SiCTT) e heterogêneo (SiATT), além de ser ancorada através do processo sol-gel, resultando em sílica mesoporosa (MCTT). Os espectros de absorção na região do infravermelho confirmam a efetiva reação de imobilização do ligante tiazol na superfície da sílica com bandas características na região de 2750 cm-1. Através da análise elementar de nitrogênio através do método de Kjeldhal, foram obtidos os seguintes resultados: 0,65±0,04, 0,73±0,04 e 1,65±0,06 mmol g-1. As medidas de área superficial através do método BET deram: 360±10; 277±9 e 613±30 m2 g-1, para a seqüência acima dos compostos ancorados. Para o processo de adsorção por batelada foram preparadas soluções de níquel de concentração inicial 0,050 mol dm-3 para as devidas diluições. Foram suspensas amostras em frascos plásticos, contendo 25,0 mg de cada tipo de sílica (SiCTT, SiATT e MCTT) em 10,0 cm3 de soluções, variando de 0,10 a 5,0 mmol dm-3. As suspensões foram agitadas em banho termostatizado a 298 ± 1 K, durante 5 h. Após este período, transferiu-se alíquotas de 50,0 mL do sobrenadante para balões volumétricos de 50.0 cm3 e o menisco foi completo. Após a acidificação com uma gota de HNO3 concentrado em cada balão e fez-se as medidas do teor de níquel, através de ICP. A partir dos resultados foram calculados a concentração do sobrenadante (Cs) e o número de moles fixos ( nf ). Cs foi calculado diretamente dos resultados obtidos das medidas de ICP. Os valores do número de moles fixos foram obtidos através da expressão: nf = (Ci - Cf)/m, sendo m a massa de sílica organofuncionada em cada operação de adsorção. Os resultados da capacidade de adsorção encontrados foram: 0,36; 0.45 e 0.56 mmol g-1 para as sílicas SiATT, SiCTT e MCTT, respectivamente. Nota-se pelos valores que o poder de adsorção segue o teor de nitrogênio existente nas cadeias pendentes. Estes dados comprovam a maior disponibilidade de centros básicos de Lewis, dispostos sobre a matriz inorgânica modificada quimicamente. Os efeitos de extração de metais, a partir de soluções diluídas tornam-se mais efetivos. Este comportamento infere que estes diferentes tipos de materiais modificados quimicamente servem para extrair trações de cátions existentes em soluções diluídasOs dados de adsorção mostram uma estreita dependência do teor de grupos pendentes existentes ligados no esqueleto inorgânico da matriz. Desta forma, a seqüência obtida é MCTT > SiCTT > SiATT. Os resultados inferem que este tipo de matriz modificada pode ser utilizada na retirada de traços de metais poluentes, a partir de soluções aquosas.

Imobilização XE "Imobilização"  - Sílica Gel XE "Sílica Gel"  - Isotermas de Adsorção XE "Isotermas de Adsorção"

E252

Aspectos estruturais e termoquímicos da intercalação de monoaminas alifáticas no polissilicato lamelar magadeíta

Maurício A. Meirinho (Bolsista PIBIC/CNPq), Giovanni C. Petrucelli e Prof. Dr. Cláudio Airoldi (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O polissilicato lamelar magadeíta na forma sódica foi obtido por síntese hidrotérmica, através do tratamento desta forma com HCl 0,10 mol dm-3 obteve-se a forma ácida que foi intercalada com 0,50 mol dm-3 de monoaminas alifáticas de fórmula geral CH3(CH2)nNH2 em que n varia de 0 a 5. Os resultados de raios X confirmaram as estruturas e revelaram que as aminas menores de n 0 e 1 entram de forma perpendicular na matriz, já as aminas com n variando de 2 a 5 entram de forma inclinada no espaço interlamelar. A quantidade intercalada foi determinada por isotermas de adsorção pelo método de Langmuir e revelam que a intercalação diminui com o aumento de n nas aminas. Os dados termoquímicos foram obtidos por calorimetria e revelam uma diminuição do valor da entalpia exotérmica com o aumento das aminas, já a energia livre exotérmica e a entropia endotérmica aumentam sua grandeza com o aumento do tamanho das aminas.

Magadeita XE "Magadeita"  - Intercalação XE "Intercalação"  - Termoquímica XE "Termoquímica"

E253

Abordagem fitoquímica de Acosmium dasycarpum

Camila Colombo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eva Gonçalves Magalhães (Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

O gênero Acosmium reúne cerca de 16 espécies de árvores dentro da tribo Sophorea na subfamília Papilonoideae pertencente à família Leguminosae. O estudo fitoquímico consistiu em preparar extratos das raízes da planta por diferentes métodos e analisar os resultados obtidos por cromatografia em camada delgada, visando ao isolamento da principal substância encontrada. A primeira extração foi feita utilizando-se metanol, enfocando principalmente o isolamento de alcalóides. Conseguiu-se desse extrato o isolamento da substância sweetinina (alcalóide). Seguiu-se o projeto realizando uma extração etanólica da qual pôde-se obter, até o momento, uma substância de cor amarelada a qual foi enviada para a obtenção de espectros de RMN1H e 13C, cujos dados correspondem à substância 4-metoxi-6-(p-hidroxi-esteril)-(-pirona. Com relação ao teste de letalidade com ovos de Artemia salina realizado com os extratos metanólico, etanólico e com a fração de alcalóides do extrato metanólico verificou-se, a partir da análise do resultado do programa computacional estatístico que todos esses três extratos apresentaram uma dose efetiva inferior a 1000 (g/mL o que os torna interessantes a respeito de uma possível atividade inseticida e anti-tumoral. Para efeitos comparativos, notou-se que o extrato etanólico foi o que apresentou maior atividade (30,2713 (g/mL), seguido pelo extrato metanólico (78,6708 (g/mL) e, com menos intensidade a fração alcaloídica (284,8009 (g/mL).

Acosmium dasycarpum XE "Acosmium dasycarpum"  XE "Acosmium dasycarpum"  - Alcalóide XE "Alcalóide"  - Artemia salina XE "Artemia salina"

E254

Abordagem fitoquímica de Acosmium subelegans

Flávia Rossin Caetano (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Eva Gonçalves Magalhães (Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

A espécie Acosmium subelegans, também chamada de Sweetia subelegans, pertence à família Leguminosas e subfamília Lotoideae, árvore da região do cerrado brasileiro, conhecida pelo nome popular de ?perobinha? ou ?perobinha do campo?. O estudo fitoquímico consistiu em preparar extratos das raízes da planta e analisar os resultados obtidos por cromatografia em camada delgada, visando ao isolamento da principal substância encontrada. A extração foi realizada, por maceração em etanol, de uma amostra do cerne das raízes (104,7 g), obtendo-se 4,75 g de extrato etanólico. Após ressuspensão em uma solução hidroalcolica, procedeu-se extrações sucessivas com hexano, clorofórmio e acetato de etila. Cromatografia em coluna de síilica gel do extrato clorofórmico levou ao isolamento de 4-metoxi-6-(p-hidroxi-esteril)-(-pirona, identificada após analise dos espectros de RMN1H e 13C. Outra substância cristalina, também foi isolada e a analise dos espectros de RMN1H e 13C sugerem tratar-se de uma 6-aril-(-pirona.Análise das demais frações da coluna por cromatografia em camada delgada revelada com reagente Drangdorf apresentou dois grupos de frações compostas por alcalóides. Análise subseqüente por cromatografia de camada delgada preparativa, resultou no isolamento de um alcalóide cujos dados de RMN(1H e 13C) estão sendo analisados.

Acosmuim XE "Acosmuim"  - Estirl pironas XE "Estirl pironas"  - Alcalóides XE "Alcalóides"

E255

Encapsulação de hidroquinona em ciclodextrinaS para uSO no tratamento dermatológico de hipercromias

Monica Sanches Almeida de Oliveira (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Francisco B.T. Pessine (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Hidroquinona (HQ, p-dihidroxibenzeno) é uma das substâncias mais utilizadas em Dermatologia para o tratamento de hipercromias. É importante sua encapsulação em veículos inertes que sejam capazes de promover sua liberação controlada, maximizando sua biodisponibilidade na pele e favorecendo o efeito despigmentante, com menores efeitos colaterais. As ciclodextrinas (CDs), que são oligossacarídeos cíclicos com uma cavidade central hidrofóbica e com superfície hidrofílica em forma de cone truncado, constituem um dos tipos de carregadores importantes para a encapsulação e liberação controlada de fármacos in vivo. O tamanho de sua cavidade e sua hidrofobicidade constituem, ao lado das características da substância a ser encapsulada, os fatores determinantes através dos quais são utilizadas para complexar outras moléculas. Investigou-se a encapsulação da Hidroquina em (-, (- e (-CD. Foram preparadas as misturas físicas de HQ com CDs (evidenciando que não há encapsulação) e os compostos de inclusão (pelo método do "freeze-drying"). Ambos foram analisadas por difração de raios-X, ressonância magnética nuclear (RMN), calorimetria diferencial de varredura (DSC), espectroscopia na região IV e espectroscopia de absorção nas regiões V/UV.

Encapsulação XE "Encapsulação"  - Ciclodextrinas XE "Ciclodextrinas"  - Hidroquinona XE "Hidroquinona"

E256

Avaliação de perda protéica do cabelo induzida pelo uso de chapa para alisamento

Cristiane Regina Carnelos (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Inés Joekes (Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Este estudo objetivou avaliar a perda protéica causada pelo uso de chapas alisadoras, em cabelos sem e com tintura permanente. Ensaiaram-se mechas castanho escuro, castanho claro e loiro, e cabelo tingido de loiro. As medidas de perda protéica foram feitas utilizando-se o método de Lowry. Após a exposição das mechas à chapa quente (temperaturas de 172,50C a 147,20C) por tempos de 2 e 30 minutos, as amostras foram imersas em água 30 minutos. Observou-se que: a) a quantidade de proteína perdida depende do tempo de aplicação da chapa; b) em média, os cabelos alisados perdem de 3 a 5 vezes mais proteína que as mechas não alisadas; c) dentre as mechas de diferentes tonalidades a que possui maior perda protéica é a loiro claro, mais de 2 vezes maior que os cabelos de outras tonalidades; d) mechas tratadas com tintura permanente perdem mais proteína que as não tingidas, e são muito mais sensíveis ao tempo de aplicação da chapa. Estes resultados complementam trabalho anterior, em que mostramos grande variação de cor ao aplicar a chapa. Pode se deduzir, então, que a perda protéica demonstra que o cabelo é degradado ao alisar por este método.

Perda protéica XE "Perda protéica"  - Chapas quentes XE "Chapas quentes"  - Alisamento XE "Alisamento"

E257

propriedades mecânicas de tensão ? deformação do cabelo

Cynthia Amália Cardoso Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Inés Joekes (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Diariamente os cabelos são expostos a água com temperatura média de 40°C. A influência da temperatura da água em alterações de propriedades do cabelo foi pouco estudada até hoje. Neste trabalho a água quente está sendo estudada como um agente deteriorante da fibra capilar a partir do estudo das modificações ocorridas nas propriedades de cor e propriedades de tensão ? deformação do cabelo, após a exposição desse a água em diferentes temperaturas (4ºC, 25ºC, 40ºC e 70ºC). As alterações nas propriedades de cor do cabelo foram verificadas por espectrofotometria de refletância difusa através das coordenadas de cor: L* (luminosidade), a* (vermelho-verde), b* (amarelo-azul) e coordenadas de diferença de cor: Da*, Db*, DL* e DE* (diferença total de cor). As modificações nas propriedades mecânicas de tensão ? deformação do cabelo estão sendo avaliadas a partir da comparação entre as curvas de tensão ? deformação dos cabelos antes e após o contato com a água, sendo as curvas obtidas com o uso de uma máquina universal de ensaios usando cela de carga apropriada para baixas tensões. O cabelo quando colocado em água escurece, sendo que a região da ponta do cabelo possui maior luminosidade do que a haste. Os valores de DL* obtidos após 24 horas de contato com a água são sempre menores do que os valores obtidos ao final de período de 120 horas, indicando que os cabelos ficam mais claros após o escurecimento inicial. Quanto maior a temperatura, menor a diferença de luminosidade entre a amostra e sua referência.

Cabelo XE "Cabelo"  ? Água XE "Água"  ? Temperatura XE "Temperatura"

E258

DETERMINAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE EXTRAÇÃO DE PMOS e PMODS DE FASES ESTACIONÁRIAS IMOBILIZADAS TERMICAMENTE.

Allan Moreira Xavier (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Isabel Cristina Sales Fontes Jardim (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A Cromatografia Liquida de Alta Eficiência (CLAE) teve um grande avanço com o surgimento das fases estacionárias quimicamente ligadas. Entretanto estas fases estacionárias (FE) apresentam alguns inconvenientes tais como preparação trabalhosa e presença de silanóis residuais. Para sanar estas dificuldades surgiram as FE imobilizadas termicamente, que consistem na sorção dos polímeros poli(metiloctilsiloxano) ? PMOS ? ou poli(metiloctadecilsiloxano) ? PMODS ? sobre a sílica e imobilização por aquecimento a 120 ºC por 16 h para o PMOS e a 100 ºC por 8 h para o PMODS. Contudo para aumentar a eficiência e a reprodutibilidade destas FE é necessário realizarem extrações com solvente, antes do recheio das colunas, para remoção do excesso de polímero. Com intuito de investigar a etapa de extração variou-se o tempo de extração (3, 4 e 5 horas), alem de realizar a extração simultânea ao enchimento da coluna, utilizando hexano como solvente extrator. Verificou-se que as melhores condições de extração para as FE obtidas com extração por 3 horas para o PMOS (63.000 pratos m-1) e para o PMODS com extração simultânea ao enchimento (63.000 pratos m-1).

Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE) XE "Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE)"  - Fase Estacionária XE "Fase Estacionária"  - Extração XE "Extração"

E259

ESTUDOS PRELIMINARES DO MODELO DE UM SISTEMA DE ENCHIMENTO DE COLUNAS POR CENTRIFUGAÇÃO

Cíntia Cristina Reis (Bolsista FAPESP), Profa. Dra. Isabel Cristina Sales Fontes Jardim (Orientadora) e Prof. Dr. Kenneth E. Collins (Co-Orientador) - Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Há na literatura vários métodos de enchimento de colunas cromatográficas e, como nenhum deles é padrão, capaz de gerar colunas reprodutíveis com o mesmo nível de eficiência cromatográfica, propomos um novo procedimento de enchimento por centrifugação. O seu sucesso tornaria o enchimento de colunas mais acessível e econômico, dispensando a bomba de alta pressão. Desta forma, testou-se um modelo de sistema de enchimento que consiste de um reservatório para a suspensão (10% m/v) da fase estacionária (FE) (YMC?Gel 10-20 (m), na qual se adapta a coluna (60x4di)mm e um reservatório inferior para recolher o solvente de suspensão (clorofórmio). Para este sistema adotou-se um enchimento de 30 min e uma programação de aumento de velocidade a cada minuto, o qual possibilitou o recheio total da coluna. Obteve-se eficiência de 6500 pratos, bem inferior a conseguida para a mesma coluna e FE no enchimento a alta pressão feito a 3000 psi (23000 pratos). Para solucionar este problema, no futuro deve-se otimizar as condições experimentais de enchimento, tal como tempo e programação da velocidade de centrifugação. Entretanto, os resultados promissores mostraram que o sistema projetado é simples, de fácil construção e adequado para enchimento por centrifugação.

Sistema de enchimento XE "Sistema de enchimento"  ? Enchimento por centrifugação XE "Enchimento por centrifugação"  ? CLAE XE "CLAE"

E260

DESENVOLVIMENTO DE UM OPTODO PARA A DETERMINAÇÃO DE IODETO EM UM SISTEMA DE ANÁLISE EM FLUXO

Giovanna C. de Carvalho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ivo M. Raimundo Jr. (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A determinação de haletos vem tendo grande importância devido a sua aplicação em campos como a medicina e fármacos. Neste trabalho, foi desenvolvido um optodo baseado em uma membrana de PVC contendo a metaloporfirina cloro-tetrafenilporfirinato de manganês (III), para a determinação de íons iodeto, empregando-se um sistema de análise em fluxo. As membranas foram preparadas a partir de 10 e 20 (L de uma solução contendo PVC, a metaloporfirina e 2-nitrofenil-octil éter como plastificante. As medidas foram realizadas em fluxo, empregando-se como carregador uma solução de tampão fosfato 0,1 mol L-1, a uma vazão de 1,0 ml min-1. O optodo apresentou melhor sensibilidade e resposta linear a iodeto (2,0 ? 8,0 x 10-5 mol L-1) quando as medidas foram efetuadas em tampão fosfato pH 4,2. A seletividade do optodo foi estudada frente a vários interferentes, realizando-se medidas no comprimento de onda de máxima sensibilidade (500 nm) e empregando-se soluções na concentração de 1,0 x 10-3 mol L-1. O optodo apresentou uma maior resposta analítica para iodeto, seguido de cloreto > nitrato > acetato = salicilato = brometo. Os resultados obtidos mostram que o sensor desenvolvido pode ser empregado em um sistema de análise em fluxo para a determinação de iodeto em fármacos.

Optodo  XE "Optodo" - Cloreto  XE "Cloreto" - Porfirinas XE "Porfirinas"

E261

DESENVOLVIMENTO DE UM SENSOR ÓPTICO PARA A DETERMINAÇÃO DE UMIDADE RELATIVA EM AR

Silvia C. L. Pinheiro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ivo M. Raimundo Jr. (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Nos últimos anos, a necessidade de sensores de umidade tem aumentado devido às suas aplicações no controle da qualidade do ar em vários processos de indústrias têxteis, químicas, alimentícias e farmacêuticas. Estruturas como as das porfirinas e metaloporfirinas têm sido empregadas no desenvolvimento de sensores eletroquímicos e ópticos, devido as suas propriedades, tais como seletividade e sensibilidade. Neste trabalho, foi sintetizada uma matriz de SiO2/TiO2/SbO5 através do processo sol-gel, à qual foi incorporada tetrametil-piridil-porfirina (TMPyP), para ser empregada como fase sensora de um optodo para umidade. Para otimizar o sensor, estudou-se diferentes concentrações de TMPyP e granulometria da matriz, concluindo-se que a melhor concentração foi de 1,0 x 10-3 mol L-1 e a granulometria de 150- 250 ?m. Simulou-se diferentes valores de umidade, misturando-se ar seco e úmido para a verificação da melhor faixa de resposta para o sensor, que compreendeu de 0 ? 15 % de umidade relativa. Este resultado mostra que o sensor pode ser empregado para o monitoramento de ambientes cuja umidade deva ser mantida em níveis bastante baixos.

Sensores ópticos XE "Sensores ópticos"  - Umidade relativa XE "Umidade relativa"  - Porfirinas XE "Porfirinas"

E262

DETERMINAÇÃO DE PARÂMETROS DE QUALIDADE DE ÓLEO DIESEL UTILIZANDO ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO

Márcia Cristina Breitkreitz (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jarbas J. Rodrigues Rowhedder (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

As especificações do óleo diesel brasileiro são praticamente as mesmas adotadas internacionalmente e dentre os principais parâmetros controlados estão a densidade e temperaturas de destilação das várias frações. Este trabalho propõe um método rápido e não destrutivo, baseado em espectroscopia NIR e calibração multivariada para a determinação destes parâmetros. Foram construídos modelos de calibração multivariada empregando PCR e PLS em associação com diferentes formas de pré-tratamento de dados (correção de linha base e primeira derivada) Foram avaliados dois caminhos óticos (1 e 10 mm) para avaliar a melhor região espectral para a determinação de cada parâmetro. Os espectros foram obtidos com um espectrofotômetro BOMEM, na faixa espectral de 14000 a 4000cm-1 (resolução de 8cm-1). No caminho óptico de 10mm foram registrados 323 espectros de amostras de diesel e para o caminho de 1mm foram registrados 169 espectros e, em ambos os casos, a temperatura foi controlada a 20°C. Para o tratamento de dados utilizou-se o programa quimiométrico UNSCRAMBLER 7.5. Os resultados obtidos com os modelos construídos foram então comparados com as Técnicas ASTM normalmente empregadas para a quantificação destes parâmetros. A análise dos resultados obtidos indica que a calibração por PLS, empregando-se os dados na forma de primeira derivada e caminho óptico de 1mm (que abrange a região de 6000 a 4000cm-1), fornece os melhores resultados, ou seja, menor RMSEP para o conjunto de previsão e a maior correlação no gráfico de valores previstos vs valores de referência, para todos os parâmetros estudados. Entretanto, como os valores de RMSEP ficaram abaixo dos valores de reprodutibilidade das técnicas de referência, os dois caminhos ópticos poderiam ser empregados para a determinação destes parâmetros.

NIR XE "NIR"  - Quimiometria XE "Quimiometria"  - Óleo diesel XE "Óleo diesel"

E263

AVALIAÇÃO DO MÉTODO DE GRAN PARA A DETERMINAÇÃO DE BICARBONATO, CLORETO E NITROGÊNIO INORGÂNICO EM EXTRATOS AQUOSOS DE SUBSTRATOS

Lívia Maria Andrekowisk Fioravanti (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. João Carlos de Andrade (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Substratos são meios em que se desenvolvem as raízes das plantas fora do solo, sob ambiente protegido. São utilizados pelas indústrias na obtenção de mudas vegetais de qualidade e para tal, há a necessidade de se fazer testes para a avaliação da disponibilidade dos nutrientes. Neste trabalho foi avaliado o Método de Gran para a determinação das concentrações de bicarbonato (importante para a estabilização do pH da solução nutritiva) e de alguns nutrientes, como o cloreto e o nitrogênio inorgânico. O Método de Gran consiste na titulação potenciométrica das amostras de extratos aquosos dos substratos devidamente tratadas, onde os valores medidos de pH ou de potencial (mV) correspondentes a cada adição de titulante (base forte para a determinação de bicarbonato e de nitrogênio inorgânico e nitrato de prata para a determinação de cloreto) são utilizados como variáveis na função de Gran, que é colocada em um gráfico contra o volume do titulante. Desse modo, obtém-se uma reta que, por extrapolação, indica o volume de equivalência. As curvas de Gran representam um meio de detecção rigorosa do ponto final de uma titulação e o método apresenta as vantagens de ser rápido (por necessitar apenas de 4 ou 5 pontos antes do ponto de equivalência) e de baixo custo, podendo ser aplicado para análises de rotina.

Método de Gran XE "Método de Gran"  - Substrato XE "Substrato"  - Determinação de nutrientes XE "Determinação de nutrientes"

E264

PREPARAÇÃO E BIORREDUÇÃO DE CRÔMIO TRICARBONILA COMPLEXADO A CARBONILAS FENÍLICAS

Eduardo Hideki Yamanaka (Bolsista SAE/PRG), Cleber V. Ursini (Pesquisador) e Prof. Dr. José Augusto Rosário Rodrigues (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Reações enantiosseletivas catalíticas, em especial a catálise enzimática biológica, são uns dos mais importantes estudos em síntese orgânica atualmente. Reduções de substratos carbonílicos constitui uma das mais fundamentais operações neste sentido, podendo gerar álcoois opticamente ativos. A otimização dos processos de redução microbiológica de cetonas pró-quirais é de grande interesse e uma alternativa é a ativação de substratos aril-cetonas pelo fragmento organometálico de tricarbonilcrômio. Este trabalho visa a síntese e biorredução de organometálicos do tipo [((6-aril-cetona)]Cr(CO)3 com fermento de pão (Saccharomyces cerevisiae). O objetivo é desenvolver um método alternativo mais eficiente para a obtenção de produtos quirais, aproveitando-se da capacidade de coordenação de arenos ao centro metálico de cromo, o qual aumenta a reatividade da carbonila ligada ao anel. As arilcetonas estudadas até o presente foram a 1-feniletanona (1) e a 1-fenilpropanodiona (2). A rota sintética consistiu na proteção das cetonas através dos respectivos dioxolanos, os quais foram submetidos à reação de complexação com crômiohexacarbonil seguido de posterior restauração da função cetônica (esta última etapa ainda não conseguida para 2). Com a preparação do Tricarbonil[((6-fenil)etanona]crômio a partir de 1 e a sua posterior biorredução, foi conseguido um ganho muito significativo na eficiência cinética mantendo-se o maior excesso enantiomérico possível (>99% do (S)-1-feniletanol) - quando comparada ao composto reduzido nas mesmas condições, porém sem a coordenação ao crômio.

Biorredução XE "Biorredução"  - Saccharomyces cerevisiae XE "Saccharomyces cerevisiae"  - Crômio-carbonila XE "Crômio-carbonila" .

E265

Determinação do volume específico de sílicas cromatográficas por adsorção/condensação de vapor de água usando celas de fluxo contínuo

Dione Rodrigues Amgarten (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Kenneth Elmer Collins (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

A determinação dos volumes específicos das sílicas porosas hidroxiladas é normalmente feita por adsorção de N2 nas superfícies em temperatura e pressão baixa, usando o procedimento BET. O volume específico também pode ser determinado por adsorção de água em temperatura e pressão ambiente, mas o procedimento envolvendo somente difusão na fase gasosa é muito lento. Este projeto tem como objetivo avaliar o procedimento de adsorção de vapor de água com ar umidificado constante, próximo a 100%, para obtenção de valores mais precisos de volumes específicos de sílicas cromatográficas, tipo HPLC. Para a obtenção de valores quantitativos, realizaram-se experimentos armazenando amostras em um ambiente com umidade controlada a 100%, sendo estas pesadas em balança analítica para a obtenção dos valores de massa adsorvida. Utilizando um fluxo forçado de ar úmido através da amostra, a velocidade de adsorção deve ser muito maior do que a com somente difusão. Desta maneira, resultados de boa exatidão devem ser disponíveis em tempo reduzido.

Adsorção XE "Adsorção"  ? Sílica cromatográfica XE "Sílica cromatográfica"  ? Volume específico XE "Volume específico"

E266

ESTUDO FITOQUÍMICO COMPARATIVO DO ÓLEO ESSENCIAL DAS FOLHAS DE PAU-ROSA (Aniba rosaeodora Ducke) DE CULTIVOS E DA FLORESTA AMAZÔNICA

Karen Fulan Discola (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Lauro Euclides Soares Barata (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

O óleo essencial de Pau-rosa tem usado por décadas de modo não sustentável para a produção de Linalol e fragrâncias para a indústria de perfumaria internacional. Uma vez que a árvore é destruída para a extração do óleo da madeira, e a exploração foi feita sem preocupação de replantio, o Pau-rosa se tornou uma das espécies ameaçadas de extinção em 1992. Nossas experiências mostraram que o óleo originado das folhas e de galhos finos é equivalente ao da madeira, e que por destilação produz Linalol. Assim o óleo essencial de folhas de Pau-rosa poderia se uma alternativa ecológica e economicamente viável para o mercado. O objetivo deste projeto é a análise cromatográfica comparativa entre os óleos de folhas de Pau-rosa originados da floresta Amazônica e de cultivos. Também foi estudada a água residual (o chamado Hidrolato) da destilação por arraste a vapor. Para a caracterização e comparação de óleos e hidrolatos, foram feitas análises de rotação óptica, índice de refração, destilações fracionadas com ou sem vácuo, Cromatografia em Camada Delgada (CCD) e análises por GC-MS (cromatógrafo a gás acoplado à espectrometria de massas). Os principais componentes dos óleos das folhas foram determinados por GC-MS.

Amazônia XE "Amazônia"  ? Pau-rosa XE "Pau-rosa"  ? GC-MS XE "GC-MS"

E267

DETERMINAÇÃO DE HEPARINA EM FÁRMACO POR SENSOR POTENCIOMÉTRICO

Bárbara de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Lauro Tatsuo Kubota (Orientador) e Karin Y. Chumbimuni-Torres (Colaboradora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

A heparina tem grande importância na medicina, seu poder anticoagulante é explorado para uso em tratamento de tromboses e hematomas. Neste trabalho, estuda-se um método alternativo de baixo custo para a determinação de heparina em fármacos. O método é baseado em medidas potenciométricas em fase estacionária com uso de eletrodo íon seletivo (ISE). O uso do ISE permite a análise direta, sem tratamento prévio da amostra. A membrana sensível do eletrodo é constituída basicamente de cloreto de polivinila (PVC), tetrahidrofurano (THF), orto-nitro-fenil octil-éter (ONPE) como plastificante e o trocador iônico cloreto de tricaprilmetilamônio (Aliquat( 336) que permite a interação com os sítios negativos da heparina, a membrana foi colocada sobre um suporte sólido de grafite/epóxi. As medidas de diferença de potencial foram feitas em tampão fosfato 1x10-3 mol L-1, pH 6,3, obtendo-se uma resposta do eletrodo com sensibilidade de 26,5 mV por década de concentração, faixa linear entre 0,02 a 0,42 U mL-1 e um tempo de resposta de 10 segundos. Na determinação de heparina no fármaco Venalot( H, utilizado para melhorar a circulação periférica venosa e linfática, uma diferença aproximada de 14% em relação ao valor nominal foi encontrado. O método aqui proposto mostra-se satisfatório pela rapidez e simplicidade que oferece.

Determinação em Fármaco -  XE "Determinação em Fármaco" Heparina -  XE "Heparina" ISE  XE "ISE"

E268

Estudos para transformações de dióis em hetero-amino derivados

Alessandra Prando (IC) e Profa. Dra. Lúcia Helena Brito Baptistella (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Estudos recentes relatam que os antígenos de superfície do vírus da gripe são constituídos de duas proteínas, a hemaglutinina (HÁ) e a neuraminidase (NA), que funcionam no reconhecimento do vírus pelo hospedeiro. As células hospedeiras principais são as células do epitélio do trato respiratório, cujas superfícies são constituídas de glicoproteínas, glicolipídios e oligossacarídios com ácidos siálicos (carboidratos acídicos de 9 carbonos, sendo o principal o ácido N- acetilneuramínico) em suas extremidades. Como todo esse processo se baseia no reconhecimento do ácido N- acetilneuramínico, surgiram proposições de que uma droga eficiente contra a gripe poderia ser um inibidor de NA. No entanto, antes que estudos para preparação de análogos do ácido N- acetilneuramínico fossem iniciados, decidiu-se por explorar metodologias para a preparação de aziridinas a partir de dióis em modelo. Para isso, o derivado 4,6-O-benzilideno (-D-glucopiranosídio de metila foi preparado e, a partir dele, realizou-se testes para as transformações do 2,3-diol em grupos (-amino álcoois ou diamino. Para essas transformações, reações de substituição nucleofílica tipo-Mitsunobu para introdução das funções nitrogenadas foram testadas. Uma outra rota estudada envolveu a preparação de um epóxido no anel carboidrato a partir da reação do diol com N-p-toluenossulfonil imidazol e posterior tratamento com hidreto de sódio em DMF.

Síntese Orgânica XE "Síntese Orgânica"  ?Aziridinas XE "Aziridinas"  - Dióis XE "Dióis"

E269

Preparação de derivados sesquiterpênicos bromo-tetraidrofuranos e bromo-tetraidropiranos

Ana Paula Rogieri (IC) e Profa. Dra. Lúcia Helena Brito Baptistella (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Tetraidrofuranos e tetraidropiranos.são resíduos encontrados em compostos com importantes atividades biológicas. Podem ser obtidos por vários métodos, entre eles as haloeterificações, que são reações de ciclização entre hidroxilas e olefinas ativadas por eletrófilos (J. Org. Chem. 1978, 52, 4062). O ((-)-bisabolol, um sesquiterperno natural extraído de óleos essenciais, possui em seu esqueleto uma hidroxila duplamente (,( insaturada. No presente trabalho, ele foi utilizado como material de partida para uma reação de bromoeterificação com N-bromossuccinimida. A análise dos dados espectroscópicos dos produtos indicou a formação majoritária de derivados tetraidrofurânicos halogenados, em proporção aproximada de 6:1 em relação a derivados tetraidropirânicos, o que indica reação altamente regiosseletiva, com ciclização preferencial no carbono menos substituído da olefina.

Tetraidrofuranos - XE "Tetraidrofuranos"  Tetraidropiranos - XE "Tetraidropiranos"  Bisabolol XE "Bisabolol"

E270

ESQUELETOS ESTIRIL LACTÔNICOS INÉDITOS A PARTIR DO ÁCIDO QUÍNICO

André de Carvalho Jorge (Bolsista IC) e Profa. Dra. Lucia Helena B. Baptistella (Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Esqueletos furanóides estão entre as mais comuns unidades oxaciclicas encontradas na natureza, sendo objetivo de muitos estudos. Como parte de nosso trabalho com o ac quínico como precursor quiral para síntese de produtos naturais, relatamos a transformação de um acetal quinídio em derivados olefinicos, numa reação de Wittig assistida por microondas. O sistema insaturado furano-furona formado é a base do esqueleto de estiril lactonas. Alguns membros dessa classe de compostos possuem uma impressionante atividade citotóxica contra carcinomas humanos (Tetrahedron, 1999, 55, 2493), portanto decidimos investigar a obtenção de sistemas inéditos de estiril lactonas substituídas para testes biológicos. Visando transformar o sistema lactonico insaturado em outros derivados heterociclicos, vários métodos foram aplicados para a clivagem da unidade cetal. Entre eles: tratamento com HOAc aquoso, uso de p-tsOH adsorvido em sílica, ambos em reações assistidas por microondas, ou não, uso de alguns ácidos de Lewis, e Ph3P/CBr4 em condições neutras. Para a preparação do diol desejado, o melhor resultado, foi obtido quando o sistema insaturado furano-furona foi tratado em microondas com quantidades catalíticas de p-tsOH adsorvido em sílica. Por outro lado, a reação com Ph3P/CBr4, levou a um derivado halohidrina interessante. Sobre o tratamento com os ac de Lewis CuSO4 e FeCl3,o sistema se manteve intacto.

Ácido quínico XE "Ácido quínico"  - Reações em microondas XE "Reações em microondas"  - Estiril-lactonas XE "Estiril-lactonas"

E271

SíNTESE DE HIDROXIAMIDAS SELETIVAMENTE PROTEGIDAS: REAÇãO EM MICROONDAS

Carlos A. Caressato Jr. e Profa. Dra. Lúcia Helena Brito Baptistella (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O ácido quínico, encontrado na maioria das plantas e isolado em alto grau de pureza enantiomérica, tem-se mostrado útil como material de partida para síntese estereocontrolada de substâncias naturais e compostos relacionados. Ele vem sendo utilizado em nosso laboratório há algum tempo, com a finalidade de se produzir moléculas biologicamente ativas que atuem como inibidores de enzimas e agentes antitumorais. Recentemente, apresentamos alguns resultados preliminares para a transformação do ácido quínico em sistemas (-lactâmicos fundidos, visando a formação de intermediários de peptídeo miméticos conformacionalmente restritos. Neste trabalho, descrevemos a preparação de um derivado seletivamente protegido, utilizando reações de síntese ativadas por microondas. Assim, reação em microondas, a 300-350 W, entre um derivado acetal diacetilado e solução HOAc 75% forneceu, em 2 minutos, o produto esperado de desproteção do acetal (65%). Com o aumento do tempo de reação para 4 min ou mais, houve formação de outro produto, muito próximo por CCD ao diol. Após identificação espectroscópica, este foi identificado como o derivado 1,4-diol, com rendimento de 50%. Estes resultados indicam uma lenta migração intramolecular do grupo acila após a hidrólise do acetal. Este intermediário é interessante em novas aplicações sintéticas do ácido quínico.

Ácido quínico XE "Ácido quínico"  - Reações em microondas XE "Reações em microondas"  - Acetilações seletivas XE "Acetilações seletivas"

E272

FORMAÇÃO DE TETRAIDROFURANOS SESQUITERPÊNICOS ALTAMENTE SUBSTITUÍDOS

Lucas Drezza Hardy (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lúcia Helena Brito Baptistella (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Por anos, a preparação de heterociclos oxigenados altamente substituídos tem atraído considerável atenção dos químicos orgânicos, em especial as sínteses de estruturas complexas de tetraidrofuranos e tetraidropiranos, importantes sistemas em processos biológicos. O (-(-)-bisabolol, um sesquiterpeno natural, apresenta em sua estrutura um grupo hidroxila duplamente (,(-insaturado e pode ser considerado um substrato interessante para a preparação desses fragmentos. Assim, foram exploradas rotas para a síntese de heterociclos a partir do bisabolol pela ativação de suas hidroxi olefinas por eletrófilos. Inicialmente, o iodo foi escolhido como eletrófilo e após uma reação bastante rápida (I2, NaHCO3, éter etílico:água, 0o C), uma mistura inseparável de produtos iodados foi isolada. Análise espectroscópica indicou formação majoritária dos diastereoisômeros tetraidrofurânicos (1:1,2), junto a uma pequena quantidade (9:1) de um derivado tetraidropirânico. Objetivando estender o potencial sintético destes esqueletos, a mistura foi submetida a tratamento para eliminação (DBU, THF, ta). Pelos produtos isolados, propôs-se um intermediário alquilideno que levou à formação de um derivado hemicetal tetraidrofurânico e a um outro produto, identificado como um tetraidrofurano tricíclico em ponte. Neste caso também foi possível o isolamento do tetraidropirano anteriormente formado.

Tetraidrofuranos XE "Tetraidrofuranos"  - Alquilideno XE "Alquilideno"  - (-(-)-bisabolol XE "(-(-)-bisabolol"

E273

CALIBRAÇÃO MULTIVARIADA E ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS ISÔMEROS DO XILENO

Danilo Santos Ortiz (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Márcia Miguel Castro Ferreira (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Da necessidade de extrair as informações relevantes a um conjunto de dados, desenvolveu-se a quimiometria, nova área da química que utiliza a estatística multivariada na interpretação de dados. Este trabalho dedicou-se ao estudo da quimiometria, pela sua aplicação e interpretação, sendo que este estudo se deu da seguinte forma: simulação de misturas dos isômeros do xileno utilizando planejamento fatorial, elaborando as matrizes de dados de espectros de massas dos compostos em estudo extraídos de bancos de dados, construção e comparação de modelos de calibração multivariada (NIPALSPLS, SIMPLS, PCR) na determinação do teor dos compostos em misturas simuladas.Os modelos portaram-se bem, separando os isômeros, antes não separados pela espectroscopia de massas e fazendo predições para novos conjuntos de dados, assim como a análise exploratória, que pode ser usada tanto na separação de padrões quanto na identificação de outlier. Conclui-se que os métodos quimiométricos são em geral boas ferramentas de análise, uma vez que, análises antes impossível tornaram-se possíveis com estes métodos. Contudo esta deve ser mantida em estudos, uma vez que alguns algoritmos utilizados não foram totalmente entendidos, como o PLS.

Calibração Multivariada XE "Calibração Multivariada"  - Análise Exploratória XE "Análise Exploratória"  - Simulação XE "Simulação"

E274

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DA DECOMPOSIÇÃO DE AMOSTRAS DE FITOTERÁPICOS COM O EMPREGO DE MINI-FRASCOS PARA A DETERMINAÇÃO DE Cd

Marcel Luis Brancalion (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Marco Aurélio Zezzi Arruda (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O tratamento de amostras tem fundamental importância em análises químicas, já que esta etapa é fonte de erros e sua eficiência esta relacionada ao tempo de análise, à qualidade e à confiabilidade dos resultados obtidos. Assim, esse trabalho visou a decomposição de amostras fitoterápicas com mini-frascos de polipropileno-PP aquecidos por microondas (MW) e posterior determinação de Cd. Foram avaliados diversos parâmetros: massa de amostra, proporção dos oxidantes (HNO3 + H2O2), tempo de aquecimento, potência da radiação MW na otimização das condições de decomposição no forno de MW tipo cavidade. Desta forma, determinou-se por análise elementar-CHN a % de C residual nas amostras, a qual variou entre 0,2 e 0,5, comprovando a eficiência do processo de decomposição. O teor de Cd (0,00-0,80 (g L-1) foi determinado por espectrometria atômica (TS-FF-AAS), e as amostras avaliadas foram: cavalinha, levedo de cerveja, espinheira santa, quebra-pedra e o material certificado ?bovine liver? (BCR 1577b). A decomposição dos fitoterápicos por MW com o emprego dos mini-frascos se demonstrou eficiente, rápida (ca. 2 min), com resultados analíticos confiáveis (adição de analito), e se aproximou da idéia do ?frasco único?. Desta forma, foi possível o trabalho com amostras em pequenas quantidades (5 mg), com pouco gasto de reagentes (400 (L) e, ainda, a quantidade de frascos no interior do forno de MW foi incrementada de 4 vezes.

Mini-frascos XE "Mini-frascos"  - Microondas XE "Microondas"  - Fitoterápicos XE "Fitoterápicos"

E275

TRATAMENTO SUPERFICIAL DE FIBRAS CURAUÁ PARA REFORÇO DE COMPÓSITOS COM POLÍMEROS

Karen K. G. Fermoselli (Bolsista FAPESP), Dra. Márcia A. Silva Spinacé (Co-orientadora) e Prof. Dr. Marco-A. De Paoli (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP, Msc. Carlos L. Salles (Colaborador), Instituto de Física ?Gleb Wataghin? ? IFGW, UNICAMP

A utilização de fibras naturais como reforço em compósitos com matrizes poliméricas é crescente, devido sua biodegradabilidade, menores custo, densidade e abrasão aos equipamentos de processamento. No entanto, as fibras naturais possuem uma fraca adesão na interface fibra-matriz polimérica, devido à natureza hidrofílica da fibra e hidrofóbica do polímero. Neste trabalho modificou-se a superfície da fibra de Curauá (Ananas lucidus Miller) através de lavagem com água quente, com solução de hipoclorito de sódio ou com plasma frio, a fim de aumentar sua adesão com a matriz polimérica e posteriormente obter compósitos poliméricos por extrusão. Os tratamentos superficiais não interferiram na estrutura química, densidade ou estabilidade térmica das fibras, apenas aumentaram a rugosidade superficial e diminuíram o teor de umidade, o que deverá aumentar a adesão com a matriz polimérica. A lavagem das fibras com água promoveu uma diminuição dos valores de tensão na ruptura e módulo de rigidez. O tratamento com plasma ocorre em uma única etapa e não gera resíduo. A fibra de Curauá apresentou propriedades mecânicas específicas comparáveis à fibra de vidro, com a vantagem de possuir menor densidade e custo cerca de cinco vezes menor. Ela é uma alternativa econômica e ambientalmente viável como agente de reforço em compósitos poliméricos.

Fibra natural XE "Fibra natural"  - Fibra Curauá XE "Fibra Curauá"  - Tratamento superficial XE "Tratamento superficial"

E276

RECICLAGEM DE MISTURAS DE BORRACHA DE PNEU MOÍDA E POLI(TEREFTALATO DE ETILENO) (PET) PÓS-CONSUMO

Sara Estevão Cobra, Dra. Márcia A. Silva Spinacé (Co-Orientadora) e Prof. Dr. Marco-A. De Paoli (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Em 1999 foi criada a Resolução 258 do CONAMA a qual define que os fabricantes e importadores de pneus no Brasil devem dar uma destinação ambientalmente correta para o rejeito de pneu. O Brasil produz 35 milhões de pneus/ano, onde a maior parte deles vão parar em lixões gerando um grave problema ambiental. O PET também é descartado de forma incorreta. O PET pós-consumo (PETpc) foi separado do resíduo sólido municipal, lavado, moído e seco e obtido na forma de flocos. A borracha de pneu (BP) também é separada dos outros componentes do pneu e moída. Foram obtidas misturas de PETpc com até 20 % massa de BP por mistura mecânica. Posteriormente foram confeccionadas placas por termoformagem que foram utilizadas para realização de caracterização térmica (medidas de calorimetria diferencial de varredura e análise termogravimétrica), mecânica (ensaios de tração). Através das análises térmicas e mecânicas foi possível verificar que tanto as transições de fase quanto o módulo de rigidez e tensão na força máxima do PETpc não variam em função da incorporação da BP. Concluindo, o material obtido pode ser utilizado em aplicações na área automotiva, construção civil ou em eletrodomésticos podendo representar uma solução viável tanto para o cumprimento da resolução CONAMA 258, quanto para reduzir a disposição de pneus e garrafas de refrigerantes em aterros sanitários e até em céu aberto.

Borracha de pneu XE "Borracha de pneu"  - Poli(tereftalato de etileno) XE " Poli(tereftalato de etileno "  - Reciclagem mecânica XE "Reciclagem mecânica"

E277

ELETRÓLITO POLIMÉRICO PARA APLICAÇÃO EM CÉLULA SOLAR DE ESTADO SÓLIDO

Thiago Costa Ferreira Gomes (Bolsista SAE/PRG), Dra. Claudia Longo (Co-Orientadora), Prof. Dr. Marco-Aurélio De Paoli (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

As células solares regenerativas de TiO2 / corante (RDSC) são dispositivos constituídos de um eletrodo de TiO2 modificado com um corante fotossensibilizador, um contra-eletrodo de platina (CE) e um eletrólito contendo o par redox I3/I. O objetivo deste trabalho consiste em investigar a condutividade iônica de um novo eletrólito sólido preparado a partir do copolímero poli(óxido de etileno-co-dietileno glicol glicidil metil éter), P(EO-DGME), estudar suas propriedades térmicas, e sua aplicação em dispositivos fotoeletroquímicos. Para a determinação da condutividade iônica, filmes com diferentes concentrações de NaI e 0,005 g de I2, foram depositados por evaporação sobre a superfície de eletrodos de aço inoxidável, e caracterizados por espectroscopia de impedância eletroquímica (EIE). Estes eletrólitos tiveram suas propriedades térmicas investigadas por DSC e TGA. A condutividade destes eletrólitos é da ordem de 10-5 Scm-1. O copolímero investigado é termicamente estável até 230oC. Aplicou-se este eletrólito em uma RDSC. Sob luz de 100 mWcm-2, a célula solar apresentou corrente de curto circuito Isc = 3 mAcm-2 e potencial de circuito aberto, Voc=0,66 V, e eficiência de conversão de energia (=1%. A célula apresentou melhor eficiência sob 10 mWcm-2: obteve-se Isc = 0,51 mAcm-2, Voc = 0,59 V e ( = 2,1%.

Eletrólito Polimérico XE "Eletrólito Polimérico"  - Célula Solar XE "Célula Solar"  - Conversão de Energia XE "Conversão de Energia"

E278

Determinação Turbidimétrica Direta de Potássio em Soro Sangüíneo Através de Método FIA

Adriana Visnardi Veríssimo (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador), Instituto de Química, Profa. Dra. Nelci F. Hoehr (Co-Orientadora), Laboratório de Patologia Clínica, Hospital das Clínicas, UNICAMP

Neste trabalho foi desenvolvido um método analítico quantitativo direto, para análise de potássio em soro humano, por turbidimetria, em sistema FIA. Precipita-se os íons potássio com tetrafenilborato diretamente na matriz, eliminando, assim, a necessidade de diluição desta. Para evitar a diluição da matriz, foi desenvolvido, para uso em sistema FIA, uma cela de fluxo de caminho óptico muito pequeno, da ordem de 1mm, construída em nosso laboratório. Para a otimização do método, foram realizados estudos de vazão, comprimento da bobina de reação e volume de amostra. Obteve-se uma freqüência analítica de cerca de 70 determinações por hora. As condições ótimas encontradas foram: volume de amostra 62 (L; vazão total 3,34 mL min-1; comprimento da bobina de reação 150 cm. A concentração do reagente, TPB, é de 3% em solução aquosa com 2% de glicerina. Para ajustar o pH em 9 usa-se uma solução 1,0 × 10-3 mol L-1 de tetraborato de sódio. Os resultados foram comparados com outros obtidos com eletrodo específico de potássio sendo estatisticamente coincidentes. O método apresentou alta reprodutibilidade e exatidão, ao lado de simplicidade operacional, rapidez e baixo custo.Em vista dos resultados o método é recomendado para uso em laboratório de análises clínicas.

Potássio XE "Potássio" - Análise em fluxo XE "Análise em fluxo" - Soro humano XE "Soro humano"

E279

DETERMINAÇÃO DE ÁCIDO ACETILSALICÍLICO EM MEDICAMENTOS POR DETECÇÂO CONDUTIVIMÉTRICA EM SISTEMA DE INJEÇÃO EM FLUXO

Alvino Rodrigues Junior (Bolsista FAPESP), Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador) e Dra. Marta Maria D.C. Vila (Co-Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Membranas de difusão/permeação gasosa apresentam excelente desempenho em sistemas FIA, com alta seletividade, sensibilidade, facilidade na automação e no manuseio. O ácido acetilsalicílico, ao ser hidrolisado, em meio alcalino, fornece salicilato e acetato. O acetato pode facilmente ser transformado em ácido acético que permeia a membrana de separação, colocada no sistema. Ao ser recebido em água deionizada, modifica a condutividade desta, o que é medido e registrado. O sinal analítico é proporcional à concentração de ácido acético e, portanto, de ácido acetilsalicílico. Estudou-se uma série de parâmetros que influenciam na análise, tais como vazão dos fluidos, concentração do NaOH e do H2SO4 e volume de amostra inserido no sistema.Os valores considerados ideais para a análise foram vazão de cada solução 2,0 mL min-1, concentração do hidróxido de sódio em 0,5 Mol L-1, concentração do ácido sulfúrico em 0,2 Mol L-1 e volume de amostra de 150 (L. Os valores encontrados no sistema proposto foram comparados com o método analítico da Farmacopéia para doseamento de ácido acetilsalicílico.Considerando os resultados experimentais pode-se concluir que o método proposto pode ser aplicado na análise de medicamentos contendo ácido acetilsalicílico.

Ácido acetilsalicílico XE "Ácido acetilsalicílico"  - Sistema de injeção em fluxo XE "Sistema de injeção em fluxo"  - Condutividade XE "Condutividade"

E280

Desenvolvimento de método analítico em fluxo para análise de catecol em pó de semente de guaraná

Ana Lúcia Siqueira Malagodi (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador) e Dra. Adriana Magna (Co-Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Em função do crescente emprego de produtos naturais, particularmente os da flora, abrangendo plantas medicinais, tem aumentado o interesse no desenvolvimento de métodos analíticos para a determinação de seus princípios ativos. Assim, esse trabalho tem por objetivo o desenvolvimento de um método em fluxo para a determinação quantitativa de catecol em sementes de guaraná em pó, usando 4(aminofenol como reagente. Visa-se possibilitar o seu emprego por laboratórios de análises para controle de qualidade. O sistema em fluxo usado é simples: três vias, uma contendo o carregador que recebe a amostra, a outra o reagente e a terceira a solução de NaOH 1% m/v, confluem para a ocorrência da reação e formação da espécie colorida que absorve em 586nm. A monitoração é feita espectroscopicamente. A alça de amostragem é de 180 (L e a bobina de reação é de 70 cm. A curva analítica obtida é descrita pela equação: h = 0,2539 + 0,4726 x 105 C, r = 0,9905, onde h é a altura do sinal (cm) e C a concentração do catecol em mol L-1. A análise de cinco amostras foi feita utilizando esta curva analítica e os resultados obtidos (n=3) foram: (6,67±0,21) x 10-4; (6,27±0,11) x 10-4; (6,93±0,24) x 10-4; (6,84±0,01) x 10-4 e (6,92±0,01) x 10-4 mol L-1, ou, respectivamente, 7,34 mg/g , 6,90 mg/g, 7,60 mg/g, 7,53 mg/g e 7,62 mg/g de catecol em de pó de guaraná.

Guaraná XE "Guaraná"  - Catecol XE "Catecol"  - 4-aminofenol XE "4-aminofenol"

E281

BIOSSORÇÃO DE METAIS PESADOS EM LODO ATIVADO

Kelly Fabiane Spier Wittmann (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Nelson Durán (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

A crescente preocupação da contaminação do meio ambiente por metais pesados é devido aos numerosos riscos à saúde de animais e seres humanos. Neste trabalho, foi feito um estudo da capacidade de biossorção de metais pesados, mais especificamente, chumbo e cromo, utilizando como material biossorvente a microbiota bacteriana presente na biomassa do processo de lodo ativado, de uma estação de tratamento de esgoto doméstico, bem como isolamento e identificação macroscópica das bactérias resistentes para cada tipo de metal estudado.O uso de biomassa para biointeração com metais pesados tem ganhado importância nas últimas duas décadas em função de sua boa performance e baixo custo. O processo de biossorção possui reconhecidas vantagens sobre os métodos convencionais: a biomassa pode ser reutilizada; os metais podem ser removidos da solução independentemente do grau de toxidez; tempos de operação pequenos quando o equilíbrio é alcançado; não produção de compostos secundários com toxicidade; e pode ser altamente seletivo. A biossorção de metais segue mecanismos complexos que quantitativamente e qualitativamente diferem de acordo com as espécies usadas, a origem da biomassa e seu processamento. As amostras analisadas por espectrometria de absorção atômica demonstraram que a microbiota bacteriana presente no lodo ativado possui considerável capacidade de sorção e os resultados obtidos para determinadas concentrações, pH e tempos de retenção chegaram próximos a 100%, para ambos os metais. Foram isoladas e identificadas seis culturas puras de bactérias para chumbo e três para cromo.

Metais Pesados XE "Metais Pesados"  ? Biossorção XE "Biossorção"  ? Lodo Ativado XE "Lodo Ativado"

E282

VARIAÇÃO DA MICROBIOTA NO SISTEMA DE LODOS ATIVADOS

Lívia Cordi (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Nelson Durán (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A implementação de leis e normas ambientais cada vez mais restritivas e a criação de mercados cada vez mais competitivos vêm exigindo que as empresas aliem o aumento da produção a um menor gasto de insumos e menor geração de poluentes. Um dos processos mais utilizados para o tratamento de efluentes industriais é o sistema de lodos ativados por ser um processo que requer pouco espaço físico e grande potencial de degradação. Dentre a população biológica presente no sistema de lodo ativado encontramos bactérias, protozoários e micrometazoários. A presença da microbiota é um importante indício de funcionamento do processo, sendo um bom indicador biológico. O presente trabalho teve por objetivo avaliar as alterações da microbiota do lodo ativado nas quatro estações do ano. As amostras do lodo ativado são provenientes da Estação de Tratamento de Esgoto Doméstico Santa Rosa, SANASA - Campinas, SP. Os protozoários e micrometazoários foram avaliados por microscopia de luz, em Microscópio Olimpus Vanox modelo AH2 durante as quatro estações do ano. A amostra de verão apresentou grande quantidade de anelídeos que são indicativo de excesso de oxigênio dissolvido no meio e nemátodas que indicam podre sedimentabilidade. O Filo Tardigrada somente foi encontrado na estação do verão. Na amostra de outono observou-se predominância de rotíferos, ciliados livres e ciliados pedunculados fixos. As coletas no período de inverno e primavera foram muito similares, sendo que na de inverno observou-se muitos ciliados livres e a Amoeba proteus somente foi encontrada na amostra de primavera, assim como o ciliado fixo Podophyra fixa.

Microbiota  XE "Microbiota" - Variação Sazonal XE "Variação Sazonal"  -Lodo Ativado XE "Lodo Ativado"

E283

PLANEJAMENTO FATORIAL DA SEMI-PURIFICAÇÃO DA ENZIMA LACASE POR SISTEMAS AQUOSOS BIFÁSICOS

Luciana Zanella (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Nelson Durán (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Lacase é uma fenol oxidase que catalisa a oxidação de várias substâncias, particularmente fenóis ? presentes em efluentes industriais, com a simultânea redução de oxigênio para água. A extração de proteínas em sistemas aquosos bifásicos (SAB?s) é um procedimento rápido e tem sido muito utilizado na purificação parcial de polifenoloxidases. Neste trabalho foi estudada a aplicação de SAB?s do tipo polietileno glicol (PEG)/sal na purificação da lacase produzida por Trametes versicolor (CCT-4521), para sua posterior utilização no tratamento de efluentes papeleiros. A produção da lacase em meio líquido por T. versicolor foi induzida por 0,8 mmol L-1 de 2,5-xilidina. A atividade específica no final do cultivo foi de 2,82 U mg-1. Os SAB?s foram compostos de polietileno glicol 3350 (PEG 3350) e tampão fosfato 2,0 mol L-1, pH 7,0. Sua avaliação foi feita por um planejamento fatorial 22 com ponto central, onde os fatores variados foram ?concentração de PEG? e ?atividade inicial da lacase? e a resposta avaliada foi o aumento da atividade específica da enzima. O melhor resultado obtido foi um fator de purificação da enzima de duas vezes. Foi verificada interação entre os fatores: ao se aumentar o nível de atividade de lacase mantendo-se o nível de PEG baixo, a resposta diminui; ao se manter o nível de PEG alto, a resposta aumenta.

Sistemas Aquosos Bifásicos XE "Sistemas Aquosos Bifásicos"  - Planejamento Fatorial XE "Planejamento Fatorial"  - Purificação Enzimática XE "Purificação Enzimática"

E284

PREPARAÇÃO ENANTIOSSELETIVA DE INTERMEDIÁRIOS PARA A SÍNTESE DE EPINEFRINA E ANÁLOGOS

Heidi Antunes (Bolsista SAE/PRG), Lucídio C. Fardelone (Doutorando IQ/FAPESP) e Prof. Dr. Paulo José Samenho Moran (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Os aminoálcoois (R)-(-)-epinefrina (adrenalina), (R)-(-)-norepinefrina e (R)-(-)-isoproterenol fazem parte de uma importante classe de compostos com atividade biológica que atuam no sistema nervoso simpático. Este trabalho tem como objetivo produzir intermediários quirais para a síntese de epinefrina e análogos. Os resultados obtidos nas reduções de 1-(1,3-Benzodioxol-5-il)-1-etanonas (-substituídas (Cl; Br; N3; dibromo e dicloro) por Rhodotorula glutinis CCT 2182 em meio de crescimento, utilizando YM (yeast-malt-extract) como meio nutriente, forneceram bons rendimentos químicos (57-99%) e excessos enantioméricos de 76-99%. A redução do 2-azido-1-(1,3-benzodioxol-5-il)-1-etanol com H2/Pd-C forneceu o (R)-2-amino-1-(1,3-benzodioxol-5-il)-1-etanol ([(]D25 = -38,7 (c 2, CHCl3); literatura [(]D25 = -38.7 (c 2, CHCl3), configuração R). As demais configurações foram atribuídas comparando-se os espectros de dicroísmo circular do 2-azido-1-(1,3-benzodioxol-5-il)-1-etanol com as haloidrinas (efeito Cotton negativo com forte absorção do anel aromático em 203-217 nm) atribuindo-se a configuração R. As haloidrinas (Cl; Br) e o azidoálcool obtidos das biorreduções podem ser utilizados como precursores quirais para a síntese dos aminoálcoois (R)-(-)-epinefrina, (R)-(-)-norepinefrina e (R)-(-)-isoproterenol.

Biorredução XE "Biorredução"  - 1-(1,3-Benzodioxol-5-il)-1-etanonas (-substituídas XE "1-(1,3-Benzodioxol-5-il)-1-etanonas (-substituídas"  - Rhodotorula glutinis XE "Rhodotorula glutinis"

E285

Estudo sobre a síntese do eperuol, a partir do ácido copálico isolado do óleo de copaiba

Fernanda do Carmo Egídio (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo Mitsuo Imamura (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Os ácidos copálico e hardwickiico são os principais constituintes da fração ácida do óleo de copaíba. O ácido copálico é um diterpeno utilizado como matéria-prima quiral na síntese dos compostos ent-eperuol e ent-13-epi-eperuol. A partir do tratamento da fração ácida do óleo de copaíba obteve-se uma mistura de ésteres copalato de metila e hardwickato de metila que foi submetida a uma reação de ozonólise. Desta reação obteve-se uma dicetona derivada do copalato de metila. Esta dicetona, quando foi submetida a reação de condensação aldólica com etóxido de sódio/etanol e, posterior desidratação com metóxido de sódio/metanol, forneceu um intermediário da síntese, uma enona. Esta enona será tratada com cloreto de acetila seguida de hidrogenação catalítica com subseqüente reação de Grignard que deverá fornecer os produtos desejados. Bons rendimentos foram obtidos desde a extração da matéria-prima até a produção da enona. Rotas alternativas para a obtenção do ent-eperuol e de seu isômero em C-13 estão em curso. A estereoquímica do carbono C-13 dos isômeros será analisada por métodos espectroscópicos para determinação da configuração absoluta do produto natural.

Óleo de copaíba XE "Óleo de copaíba"  XE "Óleo de copaíba"  - Eperuol XE "Eperuol"  - Estereoquímica XE "Estereoquímica"

E286

ALCALÓIDES INDÓLICOS DAS RAÍZES DE Rauvolfia weddeliana (Apocynaceae)

Ludmila de Carvalho Fidale (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Raquel Marques Braga (Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Plantas do gênero Rauvolfia, pertencentes à família Apocynacease, são usadas há tempos como fonte de agentes terapêuticos. Cerca de 70 espécies de Rauvolfia já foram estudadas quimicamente, sendo que destas, poucas são brasileiras. No Brasil existem cerca de 17 espécies deste gênero, sendo que até o momento somente 5 foram estudadas com o objetivo de isolamento de alcalóides. Este projeto visa o isolamento dos alcalóides indólicos contidos no cerne da raiz da espécie Rauvolfia weddeliana, coletada no Estado do Mato Grosso, nas cidades de Rondonópolis e Buritis. O material vegetal, depois de seco e moído, foi extraído com etanol em extrator Soxhlet. O extrato etanólico foi submetido a um tratamento ácido-base, resultando em dois extratos: clorofórmico ácido e básico. O extrato CHCl3 ácido foi purificado por cromatografia em coluna de sílica gel utilizando como fase móvel CHCl3- MeOH, variando a polaridade de 0 a 25% de MeOH. Foram obtidas 59 frações que foram reunidas por comparação em cromatografia de camada delgada. As frações reunidas foram repurificadas por cromatografia em camada preparativa. Foi isolado e identificado um alcalóide indólico, ainda não conhecido, que foi caracterizado por RMN-1H e 13C e as técnicas bidimensionais COSY, DEPT e HSQC e por Espectrometria de massas.

Alcalóides indólicos XE "Alcalóides indólicos"  ? Apocynease XE "Apocynease"  ? Rauvolfia weddelliana XE "Rauvolfia weddelliana"

E287

ESTUDO FITOQUÍMICO DAS PARTES SUBTERRÂNEAS DE Rauvolfia weddelliana (Apocynaceae)

Renato Pimentel dos Santos (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Raquel Marques Braga (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O gênero Rauvolfia pertence à família Apocynaceae, que está largamente distribuída entre os trópicos e possui cerca de 180 gêneros e 1500 espécies. Os alcalóides encontrados em plantas do gênero Rauvolfia são usados, principalmente, como sedativos e anti-hipertensivos. O trabalho teve como objetivo o estudo fitoquímico das partes subterrâneas de Rauvolfia weddelliana, visando o isolamento, a purificação e a identificação de alcalóides indólicos. As plantas desta espécie foram coletadas nos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A raspa da raiz foi seca, moída e submetida à extração etanólica em Soxhlet. O extrato etanólico foi submetido à extração ácido-base e deu origem aos extratos clorofórmicos (CHCl3 ácido e CHCl3 básico) que foram concentrados separadamente. O extrato CHCl3 ácido foi fracionado por cromatografia em coluna de sílica-gel obtendo-se 60 frações, que foram purificadas por CCP (Cromatografia em Camada Preparativa). Do extrato clorofórmico ácido isolou-se um alcalóide indólico, ainda não descrito na literatura, com estrutura similar à da rescinamina, que foi identificado por espectroscopia de RMN 1H e 13C (1D e 2D: DEPT,COSY e HSQC). Além deste isolou-se outros compostos que estão sendo analisados.

Rauvolfia weddelliana XE "Rauvolfia weddelliana"  - Alcalóide XE "Alcalóide"  - Apocynaceae XE "Apocynaceae"

E288

Epoxidação de álcoois alílicos catalisada por complexos de vanádio(IV) imobilizados em matrizes de sílica através do processo sol-gel

Rodolfo Bojo Pellegrino (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Buffon (Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

O processo sol-gel propicia a obtenção de vidros e cerâmicas com diferentes propriedades e, em sua estrutura, podem ser incorporados diferentes tipos de compostos, como complexos de metais de transição. A reação de epoxidação de álcoois alílicos pode ser catalisada por diferentes compostos, sendo os complexos de vanádio uma opção neste processo. Neste projeto, um complexo de vanádio foi encapsulado em matrizes de sílica, vítreas ou híbridas (utilizando 1,4-bis(trimetoxissililbenzeno) como agente de co-condensação) para a epoxidação de álcoois alílicos em meio heterogêneo. Todos os sistemas foram testados na reação de epoxidação do álcool 1-octen-3-ol e os resultados foram comparados com aquele efetuado com o mesmo complexo em meio homogêneo. O catalisador vítreo foi triturado e usado em grãos de 1mm de diâmetro, sendo efetuadas observações quanto à lixiviação do vanádio e à desativação dos catalisadores após reciclagens.

Epoxidação XE "Epoxidação"  - Sol-gel XE "Sol-gel"  - Vanádio XE "Vanádio"

E289

Seleção de Sistemas Líquidos Bifásicos para a Reciclagem de Catalisadores Homogêneos de Hidroformilação de Olefinas

Rodrigo Giatte Angarten (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Buffon (Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

O uso de catalisadores homogêneos, altamente eficientes e seletivos para uma dada reação, pode reduzir custos com energia e substrato. Entretanto, a catálise homogênea apresenta o problema da separação do catalisador, muitas vezes um metal caríssimo, no final do processo. A utilização de um sistema bifásico é uma estratégia que vem ganhando muito destaque nos últimos anos, permitindo a seleção de um sistema de solventes, ou de um sistema solvente/polímero miscíveis nas condições reacionais, mas bifásico em determinadas condições, levando à segregação do catalisador numa das fases. Neste projeto, quantidades e variedades de polímeros (PEG e PEO) e de solventes (éteres e álcoois) foram testados para obtenção de um sistema bifásico para a reação de hidroformilação de 1-deceno, utilizando um complexo de ródio como catalisador. Acompanharam-se os resultados da atividade para diversos sistemas, os quais apresentaram-se próximos a 93% de conversão e seletividade n/i = 2,4 na primeira corrida. Estes mesmos sistemas apresentaram conversões menores do que 30% após 2 a 4 corridas, dependendo do sistema, enquanto que a seletividade permaneceu aproximadamente constante. As quedas das atividades são reflexos da ineficiente recuperação do metal após segregação de fases. Novos polímeros e solventes são necessários para tornar esta reação interessante industrialmente.

Sistemas bifásicos XE "Sistemas bifásicos"  - Reciclagem de catalisadores XE "Reciclagem de catalisadores"  - Hidroformilação XE "Hidroformilação"

E290

ESTUDO DA RELAÇÃO ESTRUTURA-EFICIÊNCIA DE FOTOSSENSIBILIDADORES PARA TERAPIA FOTODINÂMICA

Thais Proença Gorzalka (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Renato Atílio Jorge (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

O tratamento de tumores através da terapia fotodinâmica (PDT) envolve a administração de um fotossensibilizador seguida de sua ativação pela luz. O estado triplete do fotossensibilizador interage com uma molécula de oxigênio, gerando espécies reativas de oxigênio (ROS) que são responsáveis pelo ataque às células do tumor. O objetivo deste trabalho foi avaliar, in vitro, a relação estrutura-atividade de alguns fenotiazínios [Azul de Metileno (AM), Azul de Toluidina (AT) e Tionina (Ti)], através da comparação das constantes de velocidade de fotoxidação do triptofano e da albumina. As soluções de análise (3(M de corante e 50(M da biomolécula em tampão PBS pH 7.4) foram irradiadas por lâmpada de halogênio (100W), medindo-se a fluorescência a cada de 5 minutos. A ordem das constantes de velocidade de fotoxidação do triptofano (AM: 3,52.10-4.s-1;AT: 2,32.10-4. s-1; Ti: 4,746.10-4. s-1) foi inversa à ordem das constantes de dimerização da literatura, indicando que a agregação pode ser o fator mais importante na fotoxidação deste aminoácido, em que as propriedades fotoquímicas dos fotossensibilizadores são alteradas, encurtando-se o tempo de vida do estado triplete. No caso da albumina, esta ordem foi modificada (AM: 3,4.10-4 s-1; AT 1,769.10-4 s-1; Ti 2,09.10-4 s-1). Isto pode ter ocorrido devido à alteração conformacional ocorrida quando o fotossensibilizador se liga a proteína

Terapia fotodinâmica XE "Terapia fotodinâmica"  - Câncer XE "Câncer"  - Azul de metileno XE "Azul de metileno"

E291

ESTUDO DO ISOMERISMO ROTACIONAL EM HALODESIL DERIVADOS

Daniela Regina Antonicelli (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Roberto Rittner (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

No presente trabalho foram realizados os estudos do isomerismo rotacional, empregando a espectroscopia no infravermelho juntamente com os cálculos teóricos de orbitais moleculares, para dois haloderivados da deoxibenzoina, a clorodesil e a bromodesil. Os cálculos mostraram que tanto a clorodesil como o bromodesil apresentam três rotâmeros estáveis (cis, gauche-1 e gauche-2) na fase vapor, porém dois deles (gauche-1 e gauche-2) apresentam praticamente a mesma energia. Os espectros na região do infravermelho em solventes de diferentes polaridades para o estiramento do grupo carbonila, apresentaram duas bandas, quando era esperado três, pois existem três formas estáveis. Cálculos de frequência vibrational para cada um dos rotâmeros foram realizados, e foi constatado que dois dos rotâmeros (gauche-1 e gauche-2) apresentam frequências de estiramento do grupo carbonila praticamente iguais. Ou seja, não é possível distinguir estes dois rotâmeros em solução, e portanto, a analise conformacional foi realizada admitindo que gauche-1 e gauche-2 são iguais e portanto o sistema apresenta apenas duas formas estáveis cis e gauche. Para a clorodesil as formas gauche estão presentes no equilíbrio com cerca de 80% em todos os solventes estudados ao passo que para a bromodesil esta quantidade aumenta para 85 em CCl4, 90% em CHCl3 e 100% em CH2Cl2 e CH3CN.

Isomerismo rotacional XE "Isomerismo rotacional"  - Infravermelho XE "Infravermelho"  - Cálculos teóricos XE "Cálculos teóricos"

E292

ESTUDO CONFORMACIONAL DE (-HALOTETRALONAS POR RMN E CÁLCULOS TEÓRICOS

Paulo Raphael dos Santos Ferro (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Roberto Rittner (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Compostos carbonílicos (-heterossubstituídos são de grande importância em sínteses orgânicas, bem como em sistemas biológicos. O fragmento C(O)-CX (X=heteroátomo) apresenta propriedades aparentemente anômalas devido a interações dipolo-dipolo, estéricas e de orbitais entre o heteroátomo e o grupo carbonila. Este trabalho apresenta estudos sobre o equilíbrio conformacional em (-halo-1-tetralonas (halo=cloro e bromo) utilizando a constante de acoplamento 3JHH em diferentes solventes, cálculos teóricos e a teoria de solvatação. Foi realizado uma otimização das geometrias e das energias dos confôrmeros axial e equatorial utilizando o método HF/6-311+g(d,p) com o programa GAUSSIAN98. Essas geometrias foram introduzidas no programa MODELS, o qual forneceu os parâmetros necessários para obtenção das energias de solvatação. Obteve-se os espectros de RMN de 1H em diferentes solventes, verificando-se que o acoplamento 3JHH apresenta uma variação significativa com o solvente, a qual foi atribuída à mudança na população dos confôrmeros com o solvente. Os valores do acoplamento 3JHH juntamente com os parâmetros da teoria de solvatação foram introduzidos no programa BESTFIT, obtendo-se os valores de diferença de energia na fase vapor e os melhores valores de 3JHH para os rotâmeros individuais e as populações dos confôrmeros em diferentes solventes.

Análise conformacional XE "Análise conformacional"  - RMN XE "RMN"  - Halotetralonas XE "Halotetralonas"

E293

DETERMINAÇÃO DA VISCOSIDADE DE ÓLEOS LUBRIFICANTES USADOS UTILIZANDO ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO MÉDIO E CALIBRAÇÃO MULTIVARIADA

Juliana de Lima Paschoal (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Ronei Jesus Poppi (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

A viscosidade de um óleo tem importância fundamental na lubrificação hidrodinâmica sendo o atrito interno associado às forças de coesão entre as moléculas relativamente próximas. A espectroscopia na região do infravermelho médio com transformada de Fourier tem sido utilizada para monitorar a composição química dos óleos e sua degradação. No entanto, devido às numerosas bandas de absorção sobrepostas, os espectros necessitam, na maioria dos casos, de tratamento por métodos quimiométricos, como o PCA, MSC, PLS e iPLS. Nesse trabalho desenvolveu-se uma metodologia analítica para a determinação da viscosidade de óleos lubrificantes utilizando-se espectroscopia na região do infravermelho médio e calibração multivariada. A viscosidade desses lubrificantes foi obtida segundo os procedimentos ASTM 445 e 2270. Utilizou-se o PCA para verificar a existência de amostras anômalas e quatro componentes principais foram necessárias para explicar 92% da variância do modelo. Aplicou-se o MSC para a correção do espalhamento multiplicativo. Através dos métodos de regressão PLS e iPLS foi possível estabelecer uma correlação entre a viscosidade e o espectro dos óleos lubrificantes, com erros de previsão menores que 5% e boa reprodutibilidade.

Viscosidade XE "Viscosidade"  ? Infravermelho Médio XE "Infravermelho Médio"  - Quimiometria XE "Quimiometria"

E294

ESPECTROSCOPIA DE FLUORESCÊNCIA DE BRANQUEANTES ÓPTICOS ADSORVIDOS EM FIBRA DE CELULOSE REGENERADA

Camila Martins Garcia (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Tereza Dib Zambon Atvars (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

Branqueamento de fibras sintéticas e naturais se constituem em processos tecnológicos importantes. Neste trabalho estudamos: a interação do branqueante óptico tinopal CBS com três tipos de fibras de viscose; sem alvejamento, sem acabamento e com acabamento. Estudamos, também, a eficiência do branqueamento com base nas interações específicas entre a molécula de branqueante óptico e as fibras de viscose, que foram avaliadas por espectroscopia de refletância difusa, determinação dos índices de cores e por espectroscopia de fluorescência. Os dados mostram diferentes comportamentos espectrais do tinopal CBS, em solução aquosa, no estado sólido e adsorvido nas fibras e que as interações entre o branqueante e as fibras são fortes. Além disso os espectros de fluorescência mostram esse está ordenado na superfície da fibra diferentemente do seu ordenamento em soluções diluída e no estado sólido. Obtivemos a relação de massa de tinopal CBS adsorvido por massa de fibra, sendo que essa relação difere nas fibras submetidas a diferentes tratamentos, sugerindo alterações na sua estrutura superficial. Estudos por microscopia óptica de fluorescência mostram um comportamento totalmente distinto da fibra antes e depois da adsorção do branqueante óptico, sendo que esse efetivamente branqueia a fibra.

Branqueante óptico XE "Branqueante óptico"  - Viscose XE "Viscose"  - Fluorescência XE "Fluorescência"

E295

INTERAÇÃO DO CORANTE VERMELHO DO CONGO COM FIBRA DE CELULOSE REGENERADA (VISCOSE): UM ESTUDO ESPECTROSCÓPICO

Priscila Socoloski (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Teresa Dib Zambon Atvars (Orientadora), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

A viscose é um tipo de fibra de celulose regenerada, formada a partir de fibras de celulose naturais. O coramento com corantes diretos é baseado na afinidade do corante pela fibra (substantividade) o que depende do tipo de cromóforo e pode ser influenciada por uma série de parâmetros: proporção de componentes no banho, eletrólito (normalmente cloreto ou sulfato de sódio), pH, temperatura, tempo de coramento, etc. Neste trabalho foi realizado o estudo do coramento direto com o azocorante vermelho do Congo de fibras de celulose, e determinação das interações corante-fibra. A partir de espectros eletrônicos de absorção no UV/Visível observou-se que a principal interação corante-solvente é através de ligações de hidrogênio e que sua absorção apresenta pequena dependência com a natureza do solvente: o aumento da polaridade produz um pequeno solvatocromismo negativo. Estudos da adsorção do corante nas fibras, realizados por reflectância difusa após o coramento, mostrou que as interações corante-solvente e corante-fibra são diferentes: quando está adsorvido na fibra o corante apresenta energias de transição menores, o que mostra que o corante se mantém aderido à fibra por interações eletrostáticas. Foi constatado também que a adição de sais aumenta a adsorção, o que pode, qualitativamente, ser explicado pelo efeito ?salting-out?.

Viscose XE "Viscose"  ? Corante XE "Corante"  ? Espectroscopia XE "Espectroscopia"

E296

Epoxidação de cicloocteno com Nb-MCM-41 sintetizada a temperatura ambiente

Jean Marcel Ribeiro Gallo (Bolsista FAPESP), Icaro Sampaio Paulino (Doutorado) e Prof. Dr. Ulf Schuchardt (Orientador), Instituto de Química ? IQ, UNICAMP

Um método eficiente e simples para preparar Nb-MCM-41 foi desenvolvido. Os materiais mesoporosos Nb-MCM-41 foram sintetizados à temperatura ambiente usando tetraetilortosilicato (TEOS), hidróxido de tetrametilamônio (TMAOH), brometo de cetiltrimetilamônio (CTMABr) como agente direcionador, e NH4[NbO(C2O4)2(H2O)2](H2O)3 como fonte de nióbio. Os materiais foram caracterizados por difração de raios-X, espectroscopia no infravermelho e espectroscopia eletrônica na região do UV-vis usando reflectância difusa. Os resultados da caracterização mostraram que a maior parte do nióbio está incorporado na estrutura de MCM-41. A Nb-MCM-41 foi testada na epoxidação de cis-cicloocteno usando terc-butilidroperóxido como o oxidante e razão molar catalisador:cicloocteno de 1:1000. A atividade da Nb-MCM-41 aumenta com a temperatura da reação. Obtivemos o óxido de cicloocteno em bom rendimento a 363 K, sem formação de qualquer subproduto.

MCM-41 XE "MCM-41"  - Nióbio XE "Nióbio"  - Epoxidação XE "Epoxidação"

E297

Estudo Físico Químico de Sistemas Líquidos Bifásicos Contendo Polímeros

Juliana da Silva Bernardes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Watson Loh (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

O poli(óxido de etileno)-PEO é um polímero formado de grupos oxietileno, EO, que possui estrutura geral HO(-CH2-CH2-O-)nH. Este polímero é bastante hidrofílico, porém, ele pode ser extraído de uma solução aquosa para uma fase orgânica contendo clorofórmio ou diclorometano, devido ao possível aumento de entropia associado à liberação das moléculas de água que solvatam o PEO. Neste trabalho estudou-se a partição de PEO em sistemas aquosos - orgânicos, analisando alguns efeitos que influenciam este processo.Verificou-se a que a extração do polímero para a fase orgânica aumenta com o aumento da temperatura, indicando uma diminuição da solubilidade do PEO em água. Constatou-se também que a migração do polímero para a fase orgânica é favorecida à medida que a massa molar aumenta, pois as contribuições dos grupos terminais de polímeros de massas molares maiores tornam-se desprezíveis. O último efeito analisado foi a concentração inicial de PEO, verificou-se um aumento da partição para a fase orgânica com o aumento da concentração, indicando que interações polímero-polímero favorecem a extração para esta fase.

Equilíbrio de fases XE "Equilíbrio de fases"  - Partição XE "Partição"  - Poli (óxido de etileno) XE "Poli (óxido de

etileno)"

E298

ESTUDO DA SÍNTESE E PROPRIEDADES DE ADERÊNCIA DO CLORETO DE 2-AZONIA, 4-AZABICICLO[2.2.2]OCTANO-N-PROPILSILSESQUIOXANO SOBRE CEL/AL2O3

Gislene Splendore (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Yoshitaka Gushikem (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP

A produção de polieletrólitos com propriedades de formação de filmes finos sobre substratos orgânicos ou inorgânicos é de grande interesse, principalmente quando grupos funcionais estão presos ao esqueleto do polímero. Neste trabalho é descrita a preparação da matriz Celulose/Al2O3 (CelAl) e a síntese de um polieletrólito cloreto de 2-azonia,4-azabiciclo[2.2.2]octano-n- proprilsilsesquioxano (DAbCl) sobre a superfície da matriz, obtendo um compósito denominado CelAlDabCl. O compósito obtido foi utilizado no estudo das isotermas de adsorção dos haletos metálicos CuCl2, FeCl3 e ZnCl2 de soluções etanólicas. A análise das isotermas apresentou informações sobre a capacidade de adsorção do material e através do ajuste não linear da equação de Langmuir, determinaram-se os valores das capacidades de adsorção, t(Q), e das constantes de equilíbrio, ?, sobre a superfície do compósito. Através do estudo, obteve-se que a capacidade de adsorção dos haletos metálicos por CelAlDabCl de uma solução etanólica aumenta na ordem ZnCl2< CuCl2< FeCl3. As constantes de equilíbrio obtidas mostram que a matriz apresenta uma elevada afinidade pelas espécies metálicas.

Ce//Al2O3 XE "Ce//Al2O3"  - Polieletrólito XE "Polieletrólito"  - Adsorção XE "Adsorção"

PROJETOS DA ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS

CMU - Centro de Memória

H316

MERCADÃO, SUAS IMAGENS E VIVÊNCIAS. Análise do Mercado Municipal de Campinas enquanto local de intensa convivência sociocultural a partir do acervo do fotógrafo V-8

Alessandra De Falco Brasileiro (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Olga R. de Moraes V. Simson (Orientadora), Centro de Memória da UNICAMP - CMU, UNICAMP

Em 2001, o acervo do fotógrafo Aristides Pedro da Silva (V-8) foi adquirido, pelo Centro de Memória da Unicamp (CMU). A coleção de V-8 - fotos do século 19 até os dias atuais - integra aproximadamente 2000 documentos imagéticos. O acervo tem uma seqüência de fotos do Mercado Municipal (Mercadão), o que despertou o interesse para a realização desse projeto. A partir dessas fotos pode se ter, inclusive, uma dimensão da cidade daquela época, que revela o Mercado Municipal enquanto local de intensa convivência social. Foram feitas visitas ao Mercadão para a identificação dos depoentes ? permissionários mais antigos do Mercado que estão atuando. Essas entrevistas foram importantes para uma melhor compreensão do perfil do local. A fotografia foi utilizada como decisivo meio de pesquisa. A riqueza das fotos de V-8 e a produção de fotos que retratam a realidade atual do Mercadão permitiram uma análise comparativa para melhor compreensão do local. A associação de diversas fontes de dados pôde enriquecer o trabalho e permitir a apreensão da realidade da forma mais objetiva possível. Com base nessas considerações é que se decidiu associar o emprego de relatos orais, a análise de fotos e estudo de documentos nesta pesquisa. A bibliografia adequada também ofereceu elementos para melhor compreensão do valor do Mercado Municipal enquanto local de convivência de Campinas e também enquanto peça importante na história e cultura da cidade. Como resultado do trabalho foi feita uma exposição de fotos com imagens produzidas por V-8 e pela postulante nos dias atuais, legendadas com trechos dos depoimentos colhidos.

Mercado Municipal de Campinas XE "Mercado Municipal de Campinas"  ? História Oral XE "História Oral"  ? Fotografia XE "Fotografia"

Faculdade de Ciências Médicas

H300

Contação de histórias para crianças com necessidades educativas especiais

Aline Beatriz Silva Feltrin (Aprimoranda, FUNDAP), Gustavo S. Rolim (Aprimorando, FUNDAP), Cecília Guarnieri Batista (Orientadora), Letícia Enya Horino (Aprimoranda, FUNDAP) e Sylvia da Silveira Nunes (Aprimoranda, FUNDAP), CEPRE ? FCM, UNICAMP

O ato de contar histórias se constitui em importante recurso educacional, e pode ter lugar em instituições formais e não formais de ensino. Dessa forma, busca-se incluir a contação como uma das oportunidades de convívio social e de ensino a serem oferecidas a quaisquer crianças, e, dentre elas, crianças com necessidades educativas especiais.Nesse sentido, foi proposta a realização de nove sessões de contação de histórias para um grupo de 6 crianças de 7 a 10 anos, no contexto de um projeto de pesquisa e intervenção educacional do Cepre. As sessões foram filmadas e analisadas de acordo com os seguintes aspectos: o texto apresentado (autor, época, resumo, estilo, tipo); a estratégia de contação (planejamento do modo como seria narrado); a dinâmica da contação; categorias relativas ao modo de participação das crianças; e participação de cada criança na contação. Os resultados indicaram que as crianças mantiveram uma interação com o narrador através de comentários e/ou participações que se referiam, ou não, à história narrada. O modo de contação foi uma estratégia que possibilitou e ajudou na compreensão da história, bem como na aquisição de novos conceitos, além de ter despertado um maior interesse das crianças pela história. Assim, foi possível que elas relacionassem a história apresentada com fatos de suas vidas, havendo uma constante re-alimentação de conceitos e significados. A contação de histórias revelou-se uma interessante possibilidade para a ampliação da visão do mundo, para a aquisição de conhecimento e de significados culturais, para o estímulo à imaginação, à fantasia e ao sonho.

Contação de histórias  XE "Contação de histórias"  - Crianças com necessidades especiais XE "Crianças com necessidades especiais"  - Crianças com deficiência visual XE "Crianças com deficiência visual"

H301

A importância da contação de histórias para o desenvolvimento humano: uma experiência envolvendo crianças com deficiência visual

Aline Rodrigues Solovijovas (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Cecília Guarnieri Batista (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas ? FCM, UNICAMP

A literatura vem destacando a contação de histórias como importante meio para a promoção do desenvolvimento humano, assim como vem enfatizando a importância de experiências variadas e significativas para o desenvolvimento de crianças com deficiência visual. Nesse sentido, objetivou-se a realização de quatro sessões de contação de histórias, seguidas da apresentação do livro adaptado e de atividades para crianças com deficiência visual pertencentes a dois grupos de um projeto de pesquisa e intervenção (Prodevi) do Programa Infantil DV do CEPRE ? Unicamp. Pudemos presenciar: um grande envolvimento das crianças nas histórias; apresentação de relações entre fatos presentes nas histórias anteriores e com fatos pessoais; representação de personagens e cenas das histórias; grande interesse pelas figuras e pelo conteúdo escrito do livro adaptado. Concluiu-se que esta atividade mostrou ser interessante para a maioria das crianças, podendo ser observados comentários pertinentes sobre as histórias meses após a contação. A exposição das crianças à literatura infantil envolveu vivências com diferentes temas (afeto, medo, autonomia, ajuda mútua) e representou contribuição a seu desenvolvimento cognitivo, lingüístico e afetivo.

Contação de Histórias XE "Contação de Histórias"  ? Deficiência Visual XE "Deficiência Visual"  ? Desenvolvimento Humano XE "Desenvolvimento Humano"

H302

Contação de histórias para crianças com necessidades educativas especiais

Aline Beatriz Silva Feltrin (Aprimoranda, FUNDAP), Gustavo S. Rolim (Aprimorando, FUNDAP), Profa. Dra. Cecília Guarnieri Batista (Orientadora), Letícia Enya Horino (Aprimoranda, FUNDAP) e Sylvia da Silveira Nunes(Aprimoranda, FUNDAP), CEPRE ? FCM, UNICAMP

O ato de contar histórias se constitui em importante recurso educacional, e pode ter lugar em instituições formais e não formais de ensino. Dessa forma, busca-se incluir a contação como uma das oportunidades de convívio social e de ensino a serem oferecidas a quaisquer crianças, e, dentre elas, crianças com necessidades educativas especiais.Nesse sentido, foi proposta a realização de nove sessões de contação de histórias para um grupo de 6 crianças de 7 a 10 anos, no contexto de um projeto de pesquisa e intervenção educacional do Cepre. As sessões foram filmadas e analisadas de acordo com os seguintes aspectos: o texto apresentado (autor, época, resumo, estilo, tipo); a estratégia de contação (planejamento do modo como seria narrado); a dinâmica da contação; categorias relativas ao modo de participação das crianças; e participação de cada criança na contação. Os resultados indicaram que as crianças mantiveram uma interação com o narrador através de comentários e/ou participações que se referiam, ou não, à história narrada. O modo de contação foi uma estratégia que possibilitou e ajudou na compreensão da história, bem como na aquisição de novos conceitos, além de ter despertado um maior interesse das crianças pela história. Assim, foi possível que elas relacionassem a história apresentada com fatos de suas vidas, havendo uma constante re-alimentação de conceitos e significados. A contação de histórias revelou-se uma interessante possibilidade para a ampliação da visão do mundo, para a aquisição de conhecimento e de significados culturais, para o estímulo à imaginação, à fantasia e ao sonho.

Contação de histórias XE "Contação de histórias"  - Crianças com necessidades especiais XE "Crianças com necessidades especiais"  - Crianças com deficiência visual XE "Crianças com deficiência visual"

Faculdade de Educação

H303

PSICOLOGIA E DILEMAS DOCENTES: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR

Tamara Abrão Pina (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Ana Maria Falcão de Aragão Sadalla (Orientadora), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

Os dilemas são situações problemáticas que os professores enfrentam, tendo que tomar alguma decisão. Ao explicitar os confrontos presentes nestas situações, o professor pode identificar as crenças e os valores subjacentes, e ainda, alterá-los caso não estejam contribuindo na resolução destes dilemas. Nesse sentido, o presente estudo buscou analisar, sob o olhar da Psicologia, os dilemas cotidianos vivenciados por uma professora, identificando como a Psicologia pode contribuir para a compreensão e enfrentamento destes. Para tanto, realizou-se 2 entrevistas semi-estruturadas com uma professora da Rede Municipal de Campinas. Pela Análise de Conteúdo, indentificou-se os dilemas da professora , organizando-os em 2 conjuntos:1. Dilemas referentes ao contexto de sala de aula e 2.Dilemas referentes ao contexto institucional. Partindo destes dilemas, fez-se uma discussão de como a Psicologia, orientada para a compreensão dos fenômenos educativos, tem possibilitado contribuições à formação docente, podendo-se dizer que esta ciência passa ser encarada como um ?produto vivo? na intervenção da esfera educativa, auxiliando o professor, por meio da reflexão, na identificação e resolução dos dilemas que vivencia bem como, na (re)elaboração e (re)significação de sua prática e na (re)construção de seus saberes.

Psicologia XE "Psicologia"  - Dilemas XE "Dilemas"  - Formação Docente XE "Formação Docente"

H304

Nas terras de Tio Sam: os bolsistas brasileiros da área de humanidades nos Estados Unidos (1970-2000)

Marina Minussi Franco (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Maria Fonseca Almeida (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Este projeto de pesquisa tem por objetivo, na primeira parte do trabalho, estudar o fluxo de bolsistas brasileiros do CNPq, CAPES e FAPESP para os Estados Unidos entre 1970 e 2000. Mais especificamente, pretende identificar os bolsistas que realizaram toda ou parte da sua formação científica nos Estados Unidos, apontando: as áreas de conhecimento a que estiveram vinculados; as universidades e centros de pesquisa de origem e de destino. Na segunda parte do trabalho, será feita uma restrição à área de Humanidades (referente nas agências de financiamento às áreas de Ciências Humanas, Ciência Social Aplicada e Lingüística, Letras e Artes) para verificar os orientadores dos ex-bolsistas, os temas das teses que defenderam, a sua inserção na volta ao Brasil. O objetivo principal é identificar o padrão desse fluxo e as suas transformações ao longo do período estudado.

Internacionalização XE "Internacionalização"  - Fluxo de bolsistas XE "Fluxo de bolsistas"  - Estados Unidos XE "Estados Unidos"

H305

O ENSINO DA PSICOLOGIA NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR E A INTERAÇÃO PROFESSOR-ALUNO: O DIÁRIO COMO ESTRATÉGIA DIALÓGICA ? A RELAÇÃO TEORIA-PRÁTICA

Maria Lígia Pompeu (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ângela Fátima Soligo (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Este estudo está sendo desenvolvido a partir de algumas preocupações originadas em uma pesquisa já concluída na qual, buscamos por meio da análise de conteúdo de diários, as formas de compreensão de alunos de Pedagogia sobre alguns conceitos psicológicos relacionados cinco temáticas: inteligência, apego, jogo, indisciplina e linguagem. Após esta análise, vimos a necessidade de não apenas discutir quais os conteúdos mais enfatizados nos escritos dos diários, mas também de analisar como estes conteúdos estavam organizados no discurso. Deste modo, foi objetivo desta pesquisa investigar a estrutura discursiva dos diários elaborados pelos professores em formação, ou seja, se tendem a repetir/relatar informações recebidas do professor, ou se levantam questionamentos, propõem reflexões, estabelecem relações com situações vividas por outros ou por ele mesmo . A análise levou-nos a identificar alguns núcleos que compreendem a estrutura dos diários: relato; comentário; questionamento; relação e reflexão. Pudemos notar que uma grande parte dos escritos dos diários está organizado, em comentários, sendo uma parte significativa expressa em reflexões sobre a educação e prática do aluno de Pedagogia.

Psicologia XE "Psicologia" - Formação de Professores XE "Formação de Professores" - Diário XE "Diário"

H306

Ambiente e cultura tecendo-se no processo de produção histórica dos currículos dos Cursos de Licenciatura em Biologia e GEOGRAFIA

Tatiana Souza de Camargo (Bolsista SAE/PRG), Prof. Dr. Antonio Carlos R. Amorim (Orientador), Prof. Dr. Guilherme do Val Toledo Prado (Orientador) e Prof. Dr. Wencesláo M. de Oliveira Junior, Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

Questões ambientais têm sido culturalmente destacadas como problemáticas e merecedoras de atenção. Da preocupação essas questões e como elas são trabalhadas nos cursos de formação de professores surgiu esta pesquisa, que faz parte de uma rede internacional - Rede ?Ambientalización em Estudios Superiores?. O objetivo do projeto foi verificar como e quanto as questões ambientais se arranjam nos currículos dos cursos de Geografia e Biologia, através da análise de vários documentos, como nome das disciplinas, suas ementas e planos, segundo 10 características estabelecidas pela Rede. Notamos que ao analisar as disciplinas através de seus nomes, ambos os currículos apresentam um número reduzido de disciplinas que consideramos como ?ambientalizadas?. No entanto se o critério de seleção forem as ementas destas disciplinas, o curso de Geografia destaca-se quantita e qualitativamente. Entrevistamos professores à procura de discussões a respeito da necessidade de que temas ambientais seriam trabalhados, e quais foram as resoluções tomadas em relação à sua inclusão nos currículos.A partir desta investigação serão organizadas e realizadas ações de intervenção na forma de atividades educativas, a serem realizadas na Reserva de Mata Santa Genebra, Campinas.

Ambiente XE "Ambiente"  ? Currículo XE "Currículo"  ? Cultura XE "Cultura"

H629

?-POR QUE NÃO PODEMOS ENTRAR LÁ DENTRO??: AS IMAGENS DE UMA RESERVA FLORESTAL URBANA E AS PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

André F. M. Monteiro (Estagiário Programa ALFA), Prof. Dr. Antonio C. R. de Amorim (Orientador), Prof. Dr. Wencesláo M. O. Júnior (Orientador) e Prof. Dr. Guilherme V. T. Prado (Orientador), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

Muitas são as estratégias e os sujeitos envolvidos na materialização do desejo de conservar o que restou do ?Mato Grosso? das Campinas. No interior da reserva da Mata de Santa Genebra ocorrem quase diariamente visitas monitoradas com escolas e comunidade. Pretendemos pela observação participante apresentar imagens (sensações, percepções e representações sociais) que os visitantes constroem nas relações entre si e com a Mata quando estão no interior dela. As imagens são marcadas por valores, desejos, sentimentos expressos nas falas e atitudes de sujeitos quando estão em um espaço ?natural?. Muitos foram os estranhamentos no meio dos caminhos da mata. As pessoas viveram com animais e plantas silvestres reais e imaginários as mais variadas emoções como carinho, admiração, asco e medo. Elas nos movem nas relações hierárquicas ou igualitárias com outros expressas em atos de dominação, de indiferença ou de curiosidade. Elas estão no começo de todo o conhecimento dos visitantes. O estar em um ambiente ?natural? costura fios de memória, permitindo o resgate de muitas narrativas que re-encantam o mundo. Estes poemas vivos vivenciados, muito mais que explicados, são realidades humanas capazes de engendrar novos valores. Alguns de seus versos podem apontar para novos sentidos na construção de alternativas de ações futuras de educação ambiental na reserva.

Percepção XE "Percepção"  - Observação Participante XE "Observação Participante"  - Educação Ambiental XE "Educação Ambiental"

H308

ENSINO DE TECNOLOGIA PARA O NIVEL ESCOLAR FUNDAMENTAL

Altemir Antônio Pereira Júnior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Dirceu da Silva (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Estamos vivendo um momento de novas demandas para a formação de futuros profissionais e necessidades diferentes daquelas que se apresentavam, sobretudo com respeito às visões de tecnologia. Se por um lado temos uma gama elevada de informações, por outro a preocupação internacional recai sobre a necessidade de se analisar e transforma-las em conhecimento de forma crítica e consciente para que os futuros cidadãos não estejam à mercê de poucos ou possam tomar decisões mais conscientes. Neste sentido, desenvolvemos um conjunto de atividades para os alunos do ensino fundamental (3ª e 4ª séries) com tecnologia. Essas atividades, construídas de forma lúdica dentro de um contexto do cotidiano das crianças, solicitavam aos alunos a soluções de problemas envolvendo uma heurística. Dessa forma nos distanciamos da simples apresentação de artefatos tecnológicos e portanto de usuários de ?caixas pretas? sem a desmistificação dos seus processos, que em essência seria a tecnologia. Testamos uma das atividades com uma turma de alunos. Os dados formam coletados através dos escritos dos mesmos (textos explicativos e desenhos). Iremos apresentar as condições que a atividade foi realizada e os resultados prévios obtidos. Constatamos por fim, que a atividade se mostrou muito estimulante e permitiu o desenvolvimento de novas habilidades dentro do universo de pensamento infantil.

Ensino de Ciências XE "Ensino de Ciências"  ? Ensino de Tecnologia XE "Ensino de Tecnologia"  ? Ensino Fundamental XE "Ensino Fundamental"

H309

NARRANDO RELAÇÕES ENTRE TEMÁTICAS AMBIENTAIS E FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA E BIOLOGIA

Priscila Augusta Brígitte (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Guilherme do Val Toledo Prado (Orientador), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

Os espaços universitários são perpassados por movimentos da nossa cultura em relação às temáticas ambientais, que também expressam-se por meio dos currículos dos cursos de graduação e pós-graduação. Este projeto compõe o trabalho de um grupo de investigação, a partir da criação da Rede ?Ambientalización Curricular e Estudios Superiores?, convênio Faculdade de Educação - Universitat de Girona/Espanha, com presença de seis países. Orientando-se pelos objetivos propostos, a partir de entrevistas com discentes e docentes dos cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas e Geografia, nas disciplinas de Prática de Ensino, procurou-se reconhecer as relações entre as questões ambientais e as atividades curriculares. Foram realizadas entrevistas, aproximando-se de metodologias investigativas que buscam nas práticas discursivas reconhecer facetas das produções culturais. Foi identificado o grau de interesse e conhecimento em relação às temáticas ambientais trabalhadas em atividades disciplinares ou não. Estas apontam para um tratamento diferenciado pelos professores; e os discentes constróem essa compreensão a partir das relações estabelecidas com a disciplina e com as atividades ambientais produzidas no campus.

Temáticas Ambientais XE "Temáticas Ambientais"  ? Formação de Professores XE "Formação de Professores"  ? Currículo XE "Currículo"

H310

A Higiene no discurso pedagógico da Associação Brasileira de Educação

Daniela Cristina de Menezes Cosso (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Heloísa Helena Pimenta Rocha (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

A criação e participação em fóruns de discussão constituiu-se numa das estratégias acionadas pelos intelectuais brasileiros, nas décadas iniciais do século XX. No afã de produzir uma nova realidade social, calcada em padrões de eficiência e racionalidade, criaram diversas entidades, dentre as quais a Associação Brasileira de Educação. Fundada em 1924, no Rio de Janeiro, a ABE foi a primeira entidade a assumir as preocupações e responsabilidades pelos assuntos educacionais em âmbito nacional, reunindo as figuras mais expressivas dentre os intelectuais do período. Tomando como fontes as teses apresentadas nas Conferências Nacionais de Educação, promovidas pela ABE, esta pesquisa teve como objetivo compreender o processo de escolarização no Brasil, por meio da investigação das estratégias de higienização, que perpassaram as propostas divulgadas nesse fórum. Como metodologia, procedeu-se ao levantamento, catalogação, organização e análise das teses que versam sobre a temática da higiene, fontes que permitem compreender o papel atribuído à higiene na produção de um novo modelo escolar. A catalogação das teses permitiu observar que a temática da higiene, concebida como um dos grandes problemas sociais do período, aparece como uma das grandes preocupações dos conferencistas, a maioria dos quais acreditava que os grandes problemas da sociedade brasileira resultavam da ignorância do povo, constituindo-se a imposição de uma ?educação higiênica e eugênica na escola e no lar? como única forma de garantir a ?prosperidade individual, da família, da sociedade e da espécie?.

Educação XE "Educação"  - História XE "História"  - Higiene XE "Higiene"

H311

A EDUCAÇÃO NO DISCURSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO

Maria Cecília Sperancini Augusto (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Heloísa Helena Pimenta Rocha (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

A educação e a saúde apresentam-se, a partir das primeiras décadas do século XX, como questões indissociáveis, objeto da atenção de profissionais de formações diversas que, reunidos em diferentes fóruns de discussão, propõem uma remodelação do país e uma ?regeneração? da população. Projeto esse que coloca em foco a preocupação com a disciplinarização da população, desdobrando-se em uma ampla campanha de educação sanitária, articulada aos propósitos de garantir a ordem e a disciplina social. Nesse empreendimento, em que se uniram médicos-higienistas, educadores e engenheiros, este projeto procurou analisar o papel da Sociedade Brasileira de Higiene (SBH), como instância de produção e difusão de propostas de higienização da escola e seus impactos sobre a constituição de um novo modelo escolar, pautado nos objetivos de civilização da infância. Fundada em 1923, a SBH tinha como propósito orientar as autoridades no tratamento das questões de saúde pública, constituindo-se num dos espaços privilegiados para a discussão de uma política sanitária que respondesse aos anseios de ?regeneração? do povo, considerado como doente e improdutivo. Tomando como fontes os Anais dos Congressos Brasileiros de Higiene, a pesquisa procurou investigar como, no processo de consolidação da SBH, a questão da educação foi sendo tematizada. Para tanto, procedeu-se ao levantamento, catalogação, organização em banco de dados e análise das teses. O cruzamento com os resultados da pesquisa desenvolvida por Daniela Cristina Menezes Cosso, tendo em vista mapear a difusão do discurso higienista nas conferências promovidas pela Associação Brasileira de Educação no mesmo período, possibilitou o aprofundamento da análise da presença e importância do discurso médico-higienista na configuração da educação no período.

Educação XE "Educação"  ? História XE "História"  ? Higiene XE "Higiene"

H312

DESCARTES E OS FUNDAMENTOS DE UMA EDUCAÇÃO RACIONALISTA

Marcos Eliezer Cruz Kohls (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Lidia Maria Rodrigo (Orientadora), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

Esta pesquisa, de caráter teórico, enfocará os fundamentos de uma educação racionalista com base no pensamento de René Descartes (1596-1650). O trabalho procurará responder como esse ideal educativo se estabelece e identificar os princípios que lhe dão sustentação com base na leitura sistemática e estrutural de obras selecionadas do autor. Para tanto, trabalha-se com a hipótese de que, embora Descartes não tenha chegado a elaborar uma reflexão pedagógica stricto sensu, seu pensamento responde pela formulação de uma concepção de homem e de conhecimento fundamentada na razão, no cognitivo, que constitui a matriz teórica dessa concepção pedagógica tão marcante na cultura ocidental. Elegendo a questão educativa como perspectiva de análise do pensamento cartesiano, a pesquisa examina a crítica do autor ao ensino livresco e dogmático da tradição escolástica, o estabelecimento da ?dúvida metódica? como ponto de partida para a apreensão da verdade, a formulação e justificativa do ideal racionalista de educação, bem como os referenciais antropológicos que o fundamentam.

Descartes XE "Descartes"  - Educação racionalista XE "Educação racionalista"  ? Filosofia XE "Filosofia"

H313

A falta de Formação Pedagógica dos professores do Ensino Básico na Guiné-Bissau: estudo no período 1975 a 1986

Cristina Mandau (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luís Enrique Aguilar (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

Este estudo focaliza o sistema educacional guineense, um sistema novo sujeito às constantes mudanças econômicas e políticas do pais. Considerado um sistema estável no ensino Básico Elementar (EBE) e Complementar (EBC) no período deve considerar-se uma acentuada expansão das matrículas no ensino secundário e seus posteriores desdobramentos. Apontamos suas deficiências de meios na rede física e agentes de ensino, nos recursos financeiros destinados ao setor no contexto dos limites da execução do Programa de Ajustamento Estrutural. Não há quadro normativo geral de referência que disciplinasse a estrutura do sistema educativo afetada pela implementação simultânea de reformas e inovações. A partir da implantação do programa de ajuste em 1986, na Guiné-Bissau, verifica-se uma baixa qualidade generalizada do sistema de ensino. Entre os indicadores salienta-se: a) os fracos resultados obtidos em testes de língua portuguesa e matemática, seja qual for o nível de escolaridade, seja à saída do curso regular de formação de professores para o ensino básico elementar; b) a baixa produtividade do sistema bem evidenciada nos 14,4 anos-aluno em média para obter o diploma de 4a classe a que acresce 4,3 anos-aluno em média para vencer a 6a classe e 14,6 anos-aluno para completar os cinco anos curriculares que constituem o ensino secundário.O fator considerado responsável pela baixa qualidade no ensino é a deficiente preparação do pessoal docente. Segundo dados referentes a professores do ensino básico elementar, apenas 2% eram docentes profissionalizados com o curso de Magistério Primário, sediados em Bissau capital; dos restantes 16% eram professores de posto diplomados, 41% eram monitores escolares com a freqüência de curtos estágios de formação pedagógica e 41% não tinham qualquer preparação para o ensino, sendo uma proporção significativa constituída por alunos do ensino secundário. As ações desenvolvidas para superação destes problemas têm uma eficácia reduzida considerando-se a heterogeneidade da clientela, carências de conhecimentos de base em que avultava o próprio domínio da língua portuguesa e elevada evasão dos professores docentes. Se analisam neste trabalho as relações entre as Escolas de Formação e Superação de Professores (EFSP) com sede em Bissau e Bolama e sua capacidade de equacionar quantitativa e qualitativamente a demanda existente do ponto de vista da qualidade da formação. Analisam-se também as condições de desenvolvimento: as características físicas do espaço; a inadequação dos conteúdos; a falta de materiais didáticos e o agravamento dos problemas econômicos locais e nacionais. Identificam-se outros fatores decisivos na configuração deste quadro, como o idioma português e mais de 20 dialetos guineenses que se desenvolve em paralelo com a diversidade étnica.

Educação XE "Educação"  - Formação XE "Formação"  - Qualidade  XE "Qualidade" - Guiné-Bisau XE "Guiné-Bisau"

H314

Parceria escola empresa no contexto da política educacional paulista

Sheila Ap. Nascimento Rios (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Luís Enrique Aguilar (Orientador), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

O contexto político e econômico do sistema educacional vem se caracterizando por um forte enxugamento de recursos públicos provenientes do Estado, o que tem imposto às escolas públicas ininterruptos e penosos percursos de degradação com graves conseqüências para o cumprimento de suas finalidades. O impacto destas mudanças na gestão do sistema estatal público de educação tem gerado novas e variadas manifestações, mobilizando outros atores sociais. A pesquisa em tela sistematiza o conhecimento teórico sobre a origem, o desenvolvimento e os resultados de parceria escola-empresa, no contexto das atuais políticas públicas de educação e do cenário político educacional que regulava o sistema público de ensino até o início do novo governo em 2003. A discussão conceitual entre a bibliografia existente - orientada para a busca de informações e discussões que transitam o espaço macro e micro das análises desta temática e três experiências de parceria escola-empresa no Estado de São Paulo forneceram os indicadores de viabilidade e sustentabilidade dos processos, uso do termo parceria e estabelecimento de semelhanças e diferenças entre os processos educacionais nas empresas frente aos mediatizados por estas e a escola. Os sujeitos das análises são: 03 empresas; 02 escolas públicas; 06 alunos; 02 professores e 01 ONG. Apresentamos conclusões sobre experiências pesquisadas.

Parceria XE "Parceria"  - Escola-empresa  XE "Escola"  - Educação XE "Educação"

H315

ATITUDES E CRENÇAS EM RELAÇÃO À MATEMÁTICA E A OPÇÃO PELO CURSO DE PEDAGOGIA

Tânia Montanhana Teixeira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Márcia Regina Ferreira de Brito (orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

A pesquisa em Educação Matemática é uma área que se encontra em contínuo desenvolvimento e processo de estruturação e, embora incipiente no Brasil, tem-se registrado avanços expressivos em relação ao processo ensino-aprendizagem. Nesta área observa-se que, o estudo de atitudes e crenças em relação à Matemática tem merecido destaque, uma vez que estão relacionadas à motivação e ao desempenho dos alunos.Tendo em vista a possível influência das atitudes e crenças em relação à Matemática na escolha profissional, bem como no processo ensino-aprendizagem, o presente estudo foi elaborado com o objetivo de estudar a relação destas e a opção pelo curso de Pedagogia, procurando contribuir com a literatura disponível sobre os problemas relacionados às atitudes e preparação em relação à Matemática, de futuros profissionais da educação. Foram sujeitos desta pesquisa 123 alunos do curso de Pedagogia de uma Universidade pública. A coleta de dados foi feita a partir da aplicação de quatro instrumentos: um questionário pessoal, duas escalas de atitudes em relação à Matemática e uma Autobiografia Matemática. A análise em relação à preferência por disciplina apontou para a disciplina Física como a menos preferida (43,9% dos sujeitos), seguida por Química (17,88%) e em terceiro, Matemática (17,07%). Já em relação à preferência por disciplina, os resultados revelam que a de maior preferência é História (33,33%); contudo a Matemática é apontada como a quinta disciplina preferida por 8,94% dos sujeitos. A razão pela qual optou-se pelo curso de Pedagogia é atribuída por 67,47% dos alunos como primeira opção; os alunos que atribuem à escolha à outras razões, somam 21,95%, no entanto não atribuem à Matemática como fator determinante na escolha.

Psicologia XE "Psicologia"  - Educação Matemática XE "Educação Matemática"  - Atitudes XE "Atitudes"

H317

A química através dos textos

Murilo Chales Pereira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Pedro da Cunha Pinto Neto (Orientador), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

O objetivo inicial da pesquisa era selecionar um conjunto de textos que pudessem ser usados em aulas de química no ensino médio. A busca dos textos foi feita na revista ?Superinteressante?, publicada no período de junho de 1999 a julho 2002, num total de 37 exemplares, e na revista ?Galileu?, publicada no período de junho de 2002 a maio de 2003, num total de 12 exemplares. Essas revistas foram escolhidas devido sua presença no meio escolar, sendo encontradas em escolas privadas e publicas. Os textos e trechos selecionados foram agrupados e um catálogo analítico foi montado visando facilitar a localização e utilização dos mesmos. Pudemos observar que a quantidade de textos e trechos que se relacionam com a química é pequena. Já a leitura e análise dos mesmos, mostrou que abordam de forma superficial o conteúdo químico, na maior parte dos casos não são escritos por químicos, mas sim, pelos articulistas das revistas. Observou-se também que os textos apresentam o conhecimento químico de uma forma muito próxima aos livros didáticos, o que torna seu uso escolar, enquanto um elemento inovador, questionável.

Química Ensino XE "Química Ensino"  - Divulgação Científica XE "Divulgação Científica"  - Leitura XE "Leitura"

H318

INTERFACE UNIVERSIDADE-ESCOLA VISTA A PARTIR DOS TRABALHOS DE TITULAÇÃO NA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO PSICOLOGIA EDUCACIONAL DA FE/UNICAMP

Ana Paula Américo da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Roberta Gurgel Azzi (Orientadora), Faculdade de Educação- FE, UNICAMP

A produção realizada na universidade muito tem a contribuir com o cenário educativo e, conseqüentemente com a realidade social. A partir disto, esta pesquisa teve como objetivo, identificar e analisar os trabalhos de titulação da Área de Concentração Psicologia Educacional da FE/ UNICAMP que estabelecem interface com as escolas de nível básico, buscando: os sujeitos das pesquisas; instrumentos usados para coletar os dados; a apresentação dos resultados das pesquisas; as razões da escolha das escolas; a relação entre universidade e escola; e o tipo de pesquisa utilizada. Como instrumento de coleta de dados foram elaboradas planilhas, nas quais realizou-se a categorização dos dados. A partir da análise dos dados, pode-se dizer que os trabalhos trazem os sujeitos e as instituições a que estes pertencem, mas grande parte não argumenta a escolha destas e não evidencia as contribuições das pesquisas. Constatou-se que a maioria dos titulados realizaram pesquisas do tipo estudo de caso, e fizeram uso principalmente de entrevistas, no que se refere aos recursos metodológicos; e de tabelas, gráficos e quadros na apresentação dos resultados das pesquisas. Os resultados desta pesquisa mostram que uma articulação mais evidente entre os conhecimentos acadêmicos e a escola de nível básico é necessária.

Pós-Graduação XE "Pós-Graduação"  - Psicologia Educacional XE "Psicologia Educacional"  - Escola XE "Escola"

H319

AS FACES DA INSTITUIÇÃO UNIVERSITÁRIA QUE EMERGEM NAS TESES E DISSERTAÇÕES PRODUZIDAS PELOS TITULADOS NA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO PSICOLOGIA EDUCACIONAL DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA UNICAMP

Sandreilane Cano da Silva (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Roberta Gurgel Azzi (Orientadora), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

A Psicologia da Educação, dentro do seu campo epistemológico, produz conhecimento a respeito da educação abordando diversas questões. Literaturas recentes trazem a preocupação com a problemática do ensino dos conteúdos psicológicos aos futuros docentes, pois a LDB (9394/96) traz no Artigo 67 que ?a formação do profissional da educação...será feita em cursos de graduação...garantida nesta formação, a base comum nacional?. Mesmo tendo clareza que a Psicologia Educacional contribui para compreensão de fenômenos educativos, não se encontra com freqüência estudos sobre a universidade. É dentro destes conjuntos de aspectos que este estudo tem como objetivo identificar e analisar os trabalhos de titulação defendidos na FE/UNICAMP, na Área de Concentração Psicologia Educacional, que contemplaram a universidade em seus estudos. Com a análise dos dados foi observado que a maioria dos trabalhos foram realizados em universidades públicas e com alunos porém, poucos são aqueles que justificam suas escolhas e explicitam a contribuição da pesquisa. Com isto os resultados mostram que os estudos carecem de melhor explicitação das decisões tomadas para escolha de sujeitos e instituição, além de não apontarem as contribuições decorrentes do estudo para o cenário universitário.

Pós-graduação XE "Pós-graduação"  - Psicologia Educacional XE "Psicologia Educacional"  - Análise documental XE "Análise documental"

H320

Psicologia e Burnout: uma contribuição à formação do professor de Educação Física

Thiago de Aragão Escher (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Roberta Gurgel Azzi (Orientadora), Faculdade de Educação ? FE, UNICAMP

A importância dos estudos da Psicologia do Esporte tem sido alvo de diversas pesquisas, mas os estudos em relação ao Burnout no Esporte ainda estão em fase inicial, sendo difícil encontrar trabalhos em relação ao tema. O presente estudo busca contribuir para a superação desta lacuna, na medida em que pretende demonstrar a importância dos estudos sobre a Síndrome do Burnout e também contribuir, indiretamente, com a discussão sobre seu conhecimento na formação do professor de Educação Física. Por meio da entrevista semi-estruturada, que foi realizada com atletas de diversas modalidades, buscou-se saber os fatores que estariam influenciando negativamente o rendimento destes. Foi feita a relação entre as respostas obtidas nas entrevistas com os fatores que foram observados anteriormente na literatura e, assim, pudemos observar semelhanças e particularidades de cada atleta. Percebeu-se também que dependendo do tipo de esporte realizado (individual ou coletivo), tínhamos relações diferentes de Burnout. Concluiu-se que não basta apenas informar futuros e atuais professores/treinadores acerca da possibilidade da ocorrência de Burnout em seus alunos/atletas. É preciso que se estude a ocorrência desta síndrome, bem como o que pensam os esportistas, para que se possa trabalhar não só na direção da prevenção de problemas, mas, principalmente, na promoção do desenvolvimento global da criança e do adolescente envolvidos em atividades competitivas.

Burnout XE "Burnout"  ? Psicologia XE "Psicologia"  - Esporte XE "Esporte"

H321

Internet na escola: avaliação da relação aluno-tecnologia-conhecimento pelos professores

Mariana Cristina de Almeida Vieira (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Sergio Ferreira do Amaral (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

A incorporação da tecnologia, no caso a internet, nas escolas deve estar focalizada na necessidade de repensar estratégias de ensino e de aprendizagem, pois seu uso reorganiza, modifica e promove a construção de novas estruturas cognitivas. No espaço escolar ocorreria assim, a oportunidade de integrar um elemento constitutivo da vida diária e do conhecimento experimental. A pesquisa teve como objetivo a avaliação de um grupo de professores e equipe pedagógica de uma escola pública de 1ª a 4ª série sobre os usos da internet no espaço educativo. Realizamos uma investigação na proposta metodológica de observação participante para estarmos sempre em contato com os sujeitos procurando compreender o contexto das ações e a forma como elas são encaradas por eles. Verificamos que alguns componentes extra-escolares como: a imagem da tecnologia no imaginário social, o sistema educacional público e a comunidade em questão; e componentes intra-escolares (o projeto político-pedagógico da escola, e as relações interpessoais da equipe escolar) são elementos que influenciam nos modos de utilização da internet no dia-a-dia. Sua inserção nas escolas estará baseada nos valores e práticas já antes utilizadas por professores e alunos podendo implementá-las ou contribuir para a modificação dos valores e paradigmas dos profissionais da escola.

Tecnologia Educacional XE "Tecnologia Educacional"  - Formação de Professores XE "Formação de Professores"  - Internet XE "Internet"

H322

Evasão no Ensino Superior: Análise da Literatura Nacional (1996 a 2002)

Ruth Garcia Freaza (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Soely A J. Polydoro (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP

O estudo da evasão no ensino superior tem se configurado como preocupação de pesquisadores, de universidades e do governo. Em 1995, uma comissão foi composta para sistematizar o conceito e a análise desse fenômeno. Paralelo a esse movimento, estudos internacionais sobre o impacto do ensino superior na formação do estudante passaram a ser referidos nas pesquisas brasileiras. Por meio de uma pesquisa de natureza bibliográfica junto a publicações nacionais de 1996 a 2002, indexados em bases de dados on-line, objetivou-se caracterizar a produção sobre evasão no ensino superior. Identificou-se 30 publicações, das quais 60% foram analisadas. Os resultados indicam uma concentração de trabalhos com um único autor 77,77% , publicados em São Paulo, especialmente artigos 38,8 % e teses ou dissertações 38,8%. Os estudos procuravam principalmente identificar as variáveis envolvidas na evasão 17,5%, por meio de análises de documentos focalizavam IES públicas 78,57% e se referiam a um período de 2 a 25 anos. Todos os autores consideraram a evasão de curso, definindo-a principalmente como a interrupção da graduação sem a sua conclusão, medida a partir de suas modalidades 50%. Este estudo indica a atualidade e a importância do tema, assim como, a necessidade de seu desenvolvimento de forma mais global e integrada, a fim de se estabelecer um corpo de conhecimento relevante para a intervenção e pesquisas.

Evasão XE "Evasão" - Estudante Universitário XE "Estudante Universitário" - Ensino Superior XE "Ensino Superior"

Faculdade de Educação Física

H323

O Conceito de Corporeidade presente nas áreas de Educação e Saúde junto a graduandos da UNICAMP

Michele Viviene Carbinatto (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Wagner Wey Moreira (Orientador), Faculdade de Educação Física ? FEF, UNICAMP

O presente trabalho de iniciação científica buscou identificar a concepção de corpo, mais precisamente do fenômeno corporeidade, presentes nos discursos de graduandos dos cursos de Educação Física, Pedagogia e Medicina, na Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP. Para tanto, fez-se um breve histórico das concepções de corpo existente na história para adentrarmos na discussão de corporeidade, sua inter-relação com a saúde e educação, bem como procedemos a análise de discurso realizada segundo a proposta de Bardin (1977), numa variação da Técnica de Análise de Avaliação Assertativa. Confrontando a produção teórica e os discursos, observamos que as concepções de corpo são diversas, freqüentemente enraizadas no dualismo cartesiano que por tanto tempo marca a história ocidental. Assim, as áreas de educação e saúde realizam um diálogo não convergente, impossibilitando, por ora, o caminhar na direção do ser humano enquanto ser uno e existencial.

Corpo XE "Corpo"  - Educação XE "Educação"  - Saúde XE "Saúde"

Instituto de Artes

H324

A noção de coleção e de antigo na série Campinas Antiga de V8

Camila Antonino Pinto (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Iara Lis Schiavinatto (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP

A pesquisa buscou compreender a atuação do fotógrafo e colecionador Aristides Pedro da Silva, o V8, dentro de uma série específica denominada Campinas Antiga. As noções do que foi eleito como antigo e de como foi elaborada a coleção permearam o estudo. Foi feito um levantamento quantitativo e temático das imagens agrupadas por V8 dentro da série determinada. Nesse caso, tentou-se perceber o tratamento que o fotógrafo e colecionador dava às fotografias, no sentido de tentar elaborar uma autoria. Tal noção culmina na criação de um selo, intitulado V8 e que vai estampar não só imagens produzidas por Aristides, mas também outras que ele vai acumulando durante sua trajetória e em sua coleção. Posteriormente, tentou-se perceber de que forma essas fotografias apareceram publicamente em Campinas. Para tanto, utilizou-se a análise de jornais que trouxeram cadernos especiais sobre a história da cidade (Correio Popular e Diário do Povo). Ainda na forma jornalística, procurou-se reportagens acerca da comemoração do Bicentenário de Campinas (1974), época em que foi elaborada uma exposição de fotos denominada ?Campinas Antiga? na Biblioteca Municipal. Outra entrada de observação dos usos das imagens de V8 foi na atualidade. Nesse sentido, elegeu-se alguns locais que exibem fotografias de V8: Cine Clube Paradiso, supermercado Pão de Açúcar, Café Regina e Shopping Parque Dom Pedro.

Fotografia XE "Fotografia"  - Coleção XE "Coleção"  - Antigo XE "Antigo"

Instituto de Biologia

H307

Inventário florístico das Praças da Paz e do Ciclo Básico

André F. M. Monteiro (Estagiário DUMA, Prefeitura do Campus) e Prof. Jorge Y. Tamashiro (Orientador), Instituto de Biologia - IB, UNICAMP

Os ambientes metropolitanos modernos, devido a alterações que impõem aos ciclos naturais e aos fluxos de energia, tendem a ser menos saúdaveis, seguros e agradáveis às pessoas. Para fornecer bases para planejamento ambiental, principalmente no que concerne a troca ou recuperação da cobertura vegetal do Campus, foram realizados inventários florísticos nas áreas replantadas da Praça da Paz e da Praça Central da Cidade Universitária ?Zeferino Vaz?. Esse inventário revelou as espécies mais representativas nessas áreas de lazer e de convívio, bem como o estado de conservação de cada árvore e se eram compatíveis com o meio construído. Também foram documentadas fotograficamente algumas de suas espécies para compor um material que contribua para a divulgação do conhecimento da flora do campus. Registramos medidas de perímetro à altura do peito, do fuste e da altura total de cada individuo que foram cadastrados por um número de registro e plotados em um mapa. Isso permite o monitoramento deles nos próximos anos e facilita a localização de plantas para eventuais podas e substituições. Esse trabalho pode subsidiar a formulação de um plano diretor de desenvolvimento urbano da cidade Universitária ?Zeferino Vaz?. Nele a comunidade pode incluir a criação de áreas de interesse ecológico e cultural para assegurar a manutenção do patrimônio histórico do campus.

Levantamento florístico XE "Levantamento florístico"  - Áreas verdes XE "Áreas verdes"  - Planejamento Ambiental XE "Planejamento Ambiental"

Instituto de Economia

H325

ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DE RESÍDUOS DE CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL

Carlos Eduardo Schuch Pinto (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Ademar Ribeiro Romeiro (Orientador), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

As vantagens da produção de eletricidade a partir da biomassa ? inclusive a venda de excedentes de eletricidade por cogeradores ? já foram estudados em inúmeros trabalhos, que analisam seus benefícios para os setores envolvidos e para a sociedade em geral, principalmente os aspectos ambientais e estratégicos. No entanto, ainda não se verificou a implementação de um programa amplo de cogeração no setor sucro-alcooleiro, devido à existência de inúmeras barreiras no país. Diante desse cenário, pretende-se com esse estudo dar uma contribuição no que tange à produção de energia elétrica a partir de resíduos de biomassa ? no caso, da cana-de-açúcar ? mostrando que esta é viável economicamente, apesar dos entraves comerciais e institucionais, e da própria natureza de risco que um investimento nesse tipo de negócio implica. O estudo foi dividido em duas etapas. Na primeira, foi realizada uma caracterização do setor sucro-alcooleiro brasileiro, destacando o levantamento total da quantidade de resíduos disponível nesta lavoura. Na segunda, foi realizado um estudo de caso com uma usina de porte médio paulista, onde foi aplicado o cálculo econômico da viabilidade de se implementar este tipo de cogeração de eletricidade, destacando também os impactos ambientais deste processo.

Biomassa XE "Biomassa"  ? Cogeração XE "Cogeração"  ? Energia Elétrica XE "Energia Elétrica"

H326

Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Economia Internacional: economias em desenvolvimento

Cristiana Fernandes Villas Boas (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Macedo e Silva (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O acompanhamento conjuntural dos condicionantes internacionais da economia brasileira dentro do Centro de Conjuntura e Política Econômica (CECON) do Instituto de Economia da UNICAMP constituiu o centro da pesquisa. Procurou-se identificar a evolução contemporânea da economia de modo a elaborar cenários sobre as suas possíveis trajetórias futuras. Para isso foram utilizadas publicações de órgãos multilaterais, como a Unctad e a CEPAL, e de instituições oficiais das principais economias em desenvolvimento, além dos principais periódicos econômicos nacionais e internacionais. Foram desenvolvidas reuniões semanais para a análise dos principais pontos da conjuntura econômica corrente em conjunto dos orientadores e estagiários que fazem parte da equipe do CECON. Ademais, foi iniciada a montagem de um banco de dados com as principais séries de pesquisa e está sendo elaborado, junto à equipe de professores e pesquisadores do CECON um boletim quadrimestral sobre conjuntura econômica cujo primeiro número será publicado em agosto de 2003. Além disso, foi elaborado um paper cujo tema se refere aos fluxos de Investimento Direto Estrangeiro para as economias latino-americanas ao longo da última década e do início da década corrente, inserindo os fluxos para América Latina no contexto da economia mundial e no contexto das economias emergentes.

Conjuntura econômica XE "Conjuntura econômica"  ? Setor Internacional XE "Setor Internacional"  ? IDE para AL XE "IDE para AL"

H327

Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil - Economia Internacional: países desenvolvidos

Frederico Quaresma Madureira (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Antonio Carlos Macedo e Silva (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O acompanhamento conjuntural da economia internacional dentro do Centro de Conjuntura e Política Econômica (CECON) do Instituto de Economia da UNICAMP constituiu o centro da pesquisa. Procurou-se identificar a evolução contemporânea da economia e política econômica de modo a elaborar cenários sobre as suas possíveis trajetórias futuras. Para isso foram utilizadas publicações de órgãos internacionais, como o Fundo Monetário Internacional, Federal Reserve e European Central Bank, além dos principais periódicos econômicos nacionais e internacionais. Foram desenvolvidas reuniões semanais para a análise dos principais pontos da conjuntura em conjunto dos orientadores e estagiários. Ademais, foi iniciada a montagem de um banco de dados com as principais séries de pesquisa, contendo um menu de operações estatísticas. Além disso, está sendo elaborado um boletim quadrimestral, cujo primeiro número será publicado em agosto de 2003. No relatório final, constará um paper cujo tema será a dinâmica de crescimento da economia norte-americana a partir da segunda metade da década de 90. Neste período houve um rápido crescimento econômico pautado por déficits privados crescentes, sendo estes estimulados por ciclos de ativos, crédito e endividamento. O encadeamento de tais ciclos e sua reversão geraram graves desequilíbrios na economia norte-americana de difícil digestão.

Conjuntura econômica XE "Conjuntura econômica"  ? Economia norte-americana XE "Economia norte-americana"  ? Dinâmica de crescimento XE "Dinâmica de crescimento"

H328

Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Setor Produtivo:inserção comercial

Rafael Rezende Brigolini (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Macedo e Silva (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O acompanhamento conjuntural dos condicionantes do setor produtivo da economia brasileira dentro do Centro de Conjuntura e Política Econômica (CECON) do Instituto de Economia da UNICAMP constituiu o centro da pesquisa. Procurou-se identificar a evolução contemporânea da economia e política econômica de modo a elaborar cenários sobre as suas possíveis trajetórias futuras. Para isso foram utilizadas publicações de órgãos institucionais, como o CNI, IBGE, Fiesp, MDIC .Ademais, prosseguiu-se na montagem de um banco de dados de artigos, publicações, séries temporais e sites relacionados à economia brasileira e internacional disponibilizado na intranet do IE/UNICAMP. Foram desenvolvidas reuniões semanais para a análise dos principais pontos da conjuntura econômica corrente em conjunto dos orientadores e estagiários que fazem parte da equipe do CECON. Além disso, está sendo elaborado um boletim quadrimestral sobre conjuntura a ser publicado o primeiro número no mês de agosto cujos temas foram fonte de debates dentro no Centro de Conjuntura. No relatório final constará um paper referente à evolução da produção industrial brasileira e seus determinantes relacionados à dinâmica da economia,como crescimento do produto,emprego,massa salarial, câmbio,exportação .

Conjuntura econômica XE "Conjuntura econômica"  - Setor produtivo XE "Setor produtivo"  - Determinantes da produção industrial XE "Determinantes da produção industrial"

H329

Pobreza e Política Social: Indicadores e Resultados

Carolina Veríssimo Barbieri (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Cláudio Salvadori Dedecca (Orientador), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

Muito se tem ouvido e discutido sobre pobreza e seus indicadores. Ela está presente e se impõe com a urbanização acelerada das sociedades e a conseqüente dificuldade de criar novos empregos em número suficiente para atender a demanda. Essa Iniciação Científica busca responder as seguintes questões: O que é pobreza? Como medir a pobreza? Que variáveis utilizar para formular tal medida, objetivas ou subjetivas? Como essa medida induziria ou impactaria as decisões tomadas pelos gestores de políticas públicas?

Pobreza XE "Pobreza"  - Desigualdade de Renda XE "Desigualdade de Renda"  - Políticas Públicas XE "Políticas Públicas"

H330

DEMANDA EFETIVA E INVESTIMENTO: A INTERPRETAÇÃO PÓS-KEYNESIANA DA TEORIA DO EMPREGO DE KEYNES

Leonardo Luís Calixto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. David Dequech Filho (Orientador), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

A determinação do nível de emprego tem sido uma das preocupações centrais da teoria macroeconômica desde seu surgimento. Esta pesquisa examinou a interpretação pós-keynesiana da teoria original de Keynes sobre a determinação do emprego, através da consideração de dois aspectos centrais da macroeconomia: a demanda efetiva e em particular o investimento. A economia pós-keynesiana procura resgatar e desenvolver os elementos antineoclássicos da obra de Keynes, promovendo a revolução que Keynes havia anunciado e que teria sido abortada pela síntese neoclássica. Sua interpretação de Keynes contém diversas idéias importantes que foram negligenciadas na interpretação dominante, a neoclássica. O trabalho começa pela reconstituição do arcabouço de oferta e demanda agregadas originalmente desenvolvido por Keynes. Em seguida, esclarece-se e destaca-se a importância da demanda agregada e em particular do investimento para a determinação do emprego. A partir daí, examina-se em detalhe a determinação do investimento, primeiro num caso particular com apenas 3 tipos de ativos e depois no caso geral com diversos tipos de ativos. Finalmente, apontam-se as principais implicações da teoria de escolha de ativos e investimentos sobre a teoria da determinação do emprego de Keynes.

Nível de emprego XE "Nível de emprego"  - Economia XE "Economia"  - Keynes XE "Keynes"

H331

ASPECTOS DA TRAJETÓRIA OCUPACIONAL DOS CHEFES DE FAMÍLIA DA RMSP NOS ANOS 90

Priscila Honório Evangelista (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Eugenia Trancoso Leone (Orientadora), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

A ausência da mobilidade numa sociedade é reflexo de uma estrutura social estagnada em que não se nota progresso social nem ascensão social. Tendo essa constatação em mente, esse projeto objetiva fazer um estudo da trajetória ocupacional dos chefes de família da Região Metropolitana de São Paulo na década de 90 como um indicador de mobilidade social a fim de se entender alguns aspectos do mercado de trabalho brasileiro nesse período. A análise das condições de mobilidade desses chefes foi realizada com base nas variáveis idade, escolaridade e ocupação. Esse estudo foi feito por meio da construção de grupos homogêneos de chefes de família para os anos de 1992 e 1999 a fim de traçar o perfil da estrutura ocupacional. Complementando essa construção, fizemos o estudo da mobilidade intra e intergeracional desses chefes. A fonte de dados utilizada foi a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) para os anos de 1992, 1996 e 1999. Feito isso, tivemos condições de sintetizar um complexo de mudanças que ocorreram no sistema ocupacional e nos indivíduos ao longo do tempo como fruto e determinante do desenvolvimento. Pôde ser revelado, dessa forma, o ritmo e a natureza das transformações que ocorrem no mercado de trabalho brasileiro na década de 90.

Trajetória Ocupacional XE "Trajetória Ocupacional"  - Chefes de Família XE "Chefes de Família"  - RMSP XE "RMSP"

H332

O SISTEMA BANCÁRIO E A SITUAÇÃO CAFEEIRA APÓS A CRISE DE 1929

Cammile Duarte Públio (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Ricardo Barbosa Gonçalves (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

Na primeira república as atividades bancárias de São Paulo estavam relacionadas com a economia mercantil agrário - exportadora, cuja produção cafeeira alavancava o conjunto das atividades econômicas paulistas. A crise de 1929 impossibilitou a prática das políticas que vinham garantindo a renda do setor cafeicultor. Por meio da análise de um banco que atuava no setor cafeeiro este estudo objetivou proporcionar subsídios para pensar os efeitos das políticas adotadas pelo governo sob o impacto da crise. Com base em documentação do Banco do Comércio e da Indústria de São Paulo (Centro de Memória da Unicamp) e em fontes bibliográficas, este estudo buscou relacionar a ação dos bancos à recuperação do desenvolvimento de São Paulo. Foram arrolados e sistematizados documentos de 1928 a 1947, tais como relatórios financeiros e correspondências comerciais dos diretores do banco. A bibliografia possibilitou situar as atividades bancárias no contexto da crise cafeeira. Observou-se que o Comind tinha um forte vínculo com as políticas de recuperação da economia paulista na década de 30, na medida em que mediou o principal empréstimo contratado pelo Estado de São Paulo junto a banqueiros estrangeiros. Ainda, conclui-se que diante da crise econômica e política da época os bancos que operavam no complexo econômico cafeeiro mantiveram seus interesses e diversificaram o crédito estendendo-o a outros setores produtivos em consonância com a dinâmica de consolidação da industrialização.

Sistema bancário XE "Sistema bancário"  XE "Sistema bancário"  - Cafeicultura XE "Cafeicultura"  - Indústria XE "São Paulo"

H333

A situação do trabalhador bancário num contexto de reestruturação econômica

Sheila Heuser (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. José Ricardo Barbosa Gonçalves (Orientador), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

As transformações econômicas ocorridas nos anos 90, centradas nas políticas de abertura financeira e de estabilização, levaram a um processo de reestruturação na esfera financeira nacional. A necessidade de adaptação dos bancos diante do acirramento da concorrência externa bem como a exigência de implantação de inovações tecnológicas e a consolidação do uso de sistemas informatizados requereu a implementação de novas estratégias de mercado que tiveram repercussões no emprego bancário. O estudo dos impactos da reestruturação econômica na década de 1990 sobre o emprego bancário concretizou-se, nesse trabalho, por meio da análise quantitativa de dados disponibilizados pela RAIS (Ministério do Trabalho), e pelos microdados da PNAD (IBGE). Utilizaram-se ainda os depoimentos de lideranças do setor bancário cujas análises colaboraram para a qualificação dos indicadores. A análise revela o crescimento da funções de chefia e liderança e a restrição à alocação das funções tradicionais de operação tais como caixas e acessores em um cenário de redução do número absoluto de trabalhadores no setor bancário na década de 90.

Reestruturação econômica XE "Reestruturação econômica"  ? Inovação tecnológica XE "Inovação tecnológica"  ? Emprego bancário XE "Emprego bancário"

H334

A TRANSIÇÃO DO TRABALHO E O PROJETO NACIONAL

Andréa Bertelli Peres (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Lígia Maria Osório (Orientadora), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

Em fins do século XIX o Brasil aboliu o trabalho escravo e, para substituí-lo, recebeu milhões de imigrantes. Tal influxo populacional não foi de todo espontâneo. Tanto o financiamento da viagem, como a hospedagem e a alocação das pessoas constituíam uma política oficial de promoção, legitimada porque vista como indispensável ao progresso nacional. Contudo, o processo de transição do regime de trabalho não foi uniforme a todo país. Esteve a cargo de imigrantes apenas no sudeste, sobretudo em São Paulo, enquanto nas outras áreas coube aos nacionais, brancos e negros. O estudo apresentado teve como objetivo identificar as características fundamentais desta transição, abordando dois aspectos da questão. Primeiro, a investigação deteve-se sobre os fatores reais, ou seja, tentou esclarecer sobre as condições da produção agrária em diferentes áreas, quais alternativas se apresentavam ao trabalho escravo na época e os interesses que cada uma delas privilegiaria. Daí identificou-se que a imigração em larga escala atendeu exclusivamente às necessidades dos cafezais paulistas mais produtivos, o que implicou no abandono das demais regiões. Em seguida, foi abordado o contexto político e ideológico. Disto ficou evidente como teorias e ideologias estrangeiras influenciaram a escolha imigrantista. Em especial, foi observado como o Partido Republicano Paulista defendeu-a, construindo um ideário liberal de progresso. Por fim, as partes se complementam para esclarecer as conseqüências da escolha feita.

Imigração XE "Imigração"  ? Trabalho XE "Trabalho"  ? Ideologia XE "Ideologia"

H335

Pax Britannica e Revolução Industrial nos Estados Unidos

Eduardo Roberto Zana (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lígia Maria Osorio Silva (Orientadora), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

Este projeto busca elucidar o papel do impulso externo na industrialização dos Estados Unidos no séc. XIX sob o contexto da Pax Britannica, evidenciando a sua problemática. Segundo este estudo, entende-se que, numa primeira etapa, os Estados Unidos adotaram uma estratégia de acoplagem, composta de medidas como atração de capital e mão-de-obra. Isto foi possível devido à atuação positiva por parte do Estado, como na participação dos estados e municípios para a construção de canais e ferrovias, respectivamente, na promulgação da Lei de Terras, etc. Estas medidas tinham um caráter dialético, ou seja, num momento posterior resultaram numa desacoplagem na segunda metade do séc. XIX, expressa: na Guerra Civil, pois a interligação econômica entre Oeste e Nordeste propiciada pela ferrovia e pela colonização do Oeste redundou na aliança ?ferro e centeio?, vindo a derrotar o Sul escravista, cujo modelo econômico estava assentado na exportação de algodão, sobretudo para a Inglaterra. Ou seja, era um modelo de acoplagem não dialético, pois não criava as condições para uma seguinte desacoplagem, ficando o Sul enjaulado numa divisão internacional do trabalho; na oligopolização da economia engendrada pela ferrovia, via unificação dos mercados e revolução organizacional, gerando ganhos de produtividade, e permitindo a reversão do saldo comercial a partir de 1873, que anteriormente era deficitário.

Estados Unidos XE "Estados Unidos"  - Pax Britannica XE "Pax Britannica"  - Industrialização XE "Industrialização"

H336

O Complexo Canavieiro: dos Engenhos Centrais ao Instituto do Açúcar e do Álcool

Gutemberg Claver de Lira Fragoso (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ligia Maria Osório Silva (Orientadora), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

È reconhecida por todos a importância do complexo canavieiro na formação da sociedade brasileira. Seja na organização da vida política, econômica, social, ou cultural, o açúcar sempre desempenhou um papel fundamental. Este trabalho de iniciação científica analisa um aspecto deste complexo: os primeiros dispositivos legais criados no governo Getúlio Vargas, a saber, o CPDA e o IAA, seus objetivos e desdobramentos. Estes organismos foram criados para intervir no setor e propor alternativas na tentativa de tirá-lo da situação difícil na qual se encontrava desde o final do século XIX e que fora agravada pela crise de 29. Para alcançar tais objetivos, o trabalho se reporta a distintos períodos da história brasileira, importantes para a compreensão do assunto como um todo, a saber, a Colônia, o Império e a República Velha. Começa, portanto, na plantation, passa pela criação dos Engenhos Centrais, primeiros esforços de modernização e finalmente analisa a formação da usina de açúcar. O trabalho teve por objetivo mostrar como as políticas públicas podem ser imprescindíveis para certos setores da economia. No caso do complexo canavieiro, o Estado esteve presente de diversas maneiras, não sendo de somenos importância o fato de que muitos donos de engenhos e usinas sempre tiveram acesso privilegiado às esferas de poder, seja na Colônia, na Monarquia ou na República. A pesquisa desenvolveu-se através da bibliografia especializada, dos anuários açucareiros e dos sites pertinentes.

Açúcar  XE "Açúcar" - IAA XE "IAA"  - Engenhos Centrais XE "Engenhos Centrais"

H337

Evolução recente do trabalho no setor energético brasileiro

Paula Marun Lyrio (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcio Pochmann (Orientador), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

Tomando como referência a problemática da privatização e seus impactos sobre o mercado de trabalho, este estudo enfoca as mudanças ocorridas na segunda metade da década de 1990, período no qual a transformação verificada neste setor foi alvo de intenso debate. Para isso, é realizada uma rápida apresentação dos impactos da política de liberalização econômica sobre o mercado de trabalho brasileiro, na década de 1990, e do processo de privatização do setor elétrico, abordando algumas críticas referentes ao modo como tal processo foi realizado. Também é mostrado como as publicações especializadas ? sobretudo os boletins do Dieese e do Sinergia ? avaliaram as modificações percebidas no mercado de trabalho, no emprego, nas condições de trabalho e no perfil do trabalhador após a privatização. Por fim, são analisados dados da RAIS para os anos de 1995 e 2000 referentes aos trabalhadores do setor elétrico, por grandes regiões, procurando verificar se houve mudanças no perfil dos que permaneceram empregados nas empresas do setor. O estudo confirma que a reestruturação do setor elétrico, no Brasil, marcada pelo processo de privatização de empresas estatais, acarretou terceirização de atividades, redução drástica no nível de emprego, elevação dos rendimentos médios, mudanças nas condições de trabalho e poucas alterações no perfil dos trabalhadores. Além disso, enfatiza que houve uma reestruturação da ação sindical no setor, que se tornou mais organizada e eficiente.

Privatização ?  XE "Privatização"  Setor Elétrico ?  XE "Setor Elétrico" Mercado de Trabalho. XE "Mercado de Trabalho"

H338

Importância e funcionalidade da gestão do conhecimento como inovação organizacional

Humberto F. A. J. Bettini (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Carolina A. F. Souza (Orientadora), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

A despeito de o conhecimento sempre ter tido elevada funcionalidade em diversas esferas da vida econômica dos agentes, apenas recentemente sua importância foi ressaltada, o que veio a fomentar as proposições a respeito da ?Gestão do Conhecimento? (GC). Isso parece coincidir com a transição da fonte da lucratividade elevada e sustentável, que aparenta deslocar-se da detenção de ativos tangíveis para ativos intangíveis, o que faz da GC uma inovação organizacional. A crescente percepção de que a GC cumpre essa funcionalidade explica sua difusão, embora ainda restrita. Apresentam-se as definições que se aplicam a conhecimento e gestão do conhecimento, buscando diferenciá-los de informação e sua gestão. Delimitam-se os elementos que evidenciam a funcionalidade da GC aos objetivos das empresas. É por meio do compartilhamento que a caracteriza, que conhecimentos detidos individualmente podem ser apropriados pela empresa. Como ilustração, apresentam-se algumas ações que vêm sendo desenvolvidas por um grupo de empresas ligadas à indústria da aviação (Grupo Lufthansa) que o aproximam do que se pode chamar de prática da GC. O aprofundamento sobre o tema, assim como a análise do conjunto de informações relativas à empresa, permitiram relevar algumas evidências que sinalizam que, embora a GC venha se difundindo como uma fonte de vantagem competitiva, ainda são incertas as condições para a avaliação de seus impactos nos resultados da empresa.

Gestão do Conhecimento XE "Gestão do Conhecimento"  - Conhecimento tácito XE "Conhecimento tácito"  - Compartilhamento XE "Compartilhamento"

H339

BARREIRAS NÃO-Tarifárias e as disputas na OMC: o caso do frango

Daniel Pereira Barbosa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Mario Ferreira Presser (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

A carne de frango é um dos principais produtos da pauta de exportações brasileira - as exportações estão na ordem de 800 milhões de dólares. Além disso, o frango tem se apresentado como um produto bastante dinâmico das exportações, crescendo a aproximadamente 11% a.a. durante a década de 90. Apesar disso, houve perda da participação brasileira no comércio internacional, o que mostra o enorme potencial de expansão do produto se identificados os entraves a uma maior expansão. Em especial, cabe estudar as Barreiras Não-Tarifárias (BNTs), existência e a proliferação dos acordos preferenciais e como esses assuntos têm sido tratado pela OMC, pois apenas a partir das regras e decisões do órgão máximo do comercio internacional é que se pode tomar medidas concretas visando diminuir as limitações das exportações brasileiras. Neste trabalho foram utilizados dados e estudos de diversas organizações, como a UNCTAD, a OMC, FAO, USDA, entre outros. A pesquisa mostrou que as restrições impostas pelas BNTs são muitos maiores e de difícil superação em relação as Barreiras Tarifárias (BTs). As BNTs se mostraram de difícil identificação, devido a enorme complexidade de exigências das normas e padrões, em especial, os sanitários e fitosanitários. A superação destas exigências é essencial a coordenação sistêmica entre empresas, governos e laboratórios (públicos e privados). No caso especifico do frango constatou-se, além das BNTs, a importância de um tipo especial de BT, as quotas tarifárias. Nas quotas tarifárias há duas tarifas, as dentro das cotas, com um valor tarifário baixo, e as fora das cotas, com uma taxa tarifária elevada, que muitas vezes impede que haja a exportação do produto.

Barreias comerciais  XE "Barreias comerciais"  - Frango  XE "Frango"  - OMC XE "OMC"

H340

Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Mercado de Trabalho: Distribuição de Renda

Christiane Martins Yano (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo de Medeiros Carneiro (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O acompanhamento da conjuntura econômica brasileira nas áreas de Mercado de Trabalho e Preços constituiu o núcleo da pesquisa realizada no Centro de Conjuntura e Política Econômica (CECON) do Instituto de Economia da UNICAMP. Procurou-se identificar a evolução contemporânea da economia e política econômica de modo a elaborar cenários sobre as suas possíveis trajetórias futuras. Para isso, foram utilizadas publicações de órgãos governamentais, como o Banco Central do Brasil, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, além dos principais periódicos econômicos nacionais e internacionais. Foram desenvolvidas reuniões semanais para a análise dos principais temas da conjuntura econômica em conjunto dos orientadores e estagiários que fazem parte da equipe do CECON. Ademais, foi iniciada a montagem de um banco de dados com as principais séries sobre a área de pesquisa, contendo um menu de operações estatísticas. Além disso, está sendo elaborado um boletim quadrimestral sobre conjuntura, cujo primeiro número será publicado em agosto de 2003. Como atividade final, foi elaborado um paper cujo tema é a análise da composição e movimento dos preços após a desvalorização cambial e sua comparação com a eficácia da política monetária de metas inflacionárias adotadas no período.

Conjuntura econômica XE "Conjuntura econômica"  - Preços XE "Preços"  - Política monetária XE "Política monetária"

H341

Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Finanças Públicas

Lucas Ferraz Vasconcelos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo de Medeiros Carneiro (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O acompanhamento conjuntural das finanças públicas dentro do Centro de Conjuntura e Política Econômica (CECON) do Instituto de Economia da UNICAMP constituiu o centro da pesquisa. Procurou-se identificar a evolução contemporânea da economia e política econômica de modo a elaborar cenários sobre as suas possíveis trajetórias futuras. Para tal foram utilizadas publicações de órgãos governamentais, como o Banco Central, Tesouro Nacional e Ministério da Fazenda, além dos principais periódicos econômicos nacionais e internacionais. Foram realizadas reuniões semanais para a análise dos principais pontos da conjuntura econômica corrente em conjunto dos orientadores e estagiários que fazem parte da equipe do CECON. Ademais, foi iniciada a montagem de um banco de dados com as principais séries sobre a área de pesquisa, contendo um menu de operações estatísticas. Além disso, será elaborado um boletim quadrimestral sobre conjuntura, cujo primeiro número será publicado em agosto de 2003, o qual foi fonte de debates no Centro de Conjuntura. Também foi elaborado um paper tratando da proposta de Reforma Tributária em tramitação na Câmara dos Deputados: seus efeitos sobre a arrecadação, a guerra fiscal entre os estados e a experiência internacional de realização da reforma.

Conjuntura econômica XE "Conjuntura econômica"  XE "Conjuntura econômica"  ? Política fiscal XE "Política fiscal"  ? Reformas estruturais XE "Reformas estruturais"

H342

Liberalização, estabilidade e crescimento: o acompanhamento da economia e da política econômica no Brasil ? Sistema Financeiro

Marina Oliveira Moraes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo de Medeiros Carneiro (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

O acompanhamento conjuntural dos condicionantes do sistema financeiro da economia brasileira dentro do Centro de Conjuntura e Política Econômica (CECON) do Instituto de Economia da UNICAMP constituiu o centro da pesquisa. Procurou-se identificar a evolução contemporânea da economia e política econômica de modo a elaborar cenários sobre as suas possíveis trajetórias futuras. Para isso foram utilizadas publicações de instituições oficiais, tais como Bovespa, BM&F, CETIP e Andima, além do Banco Central do Brasil e dos principais periódicos econômicos nacionais. Também foi iniciada a montagem de um banco de dados de séries temporais, contendo um menu de operações estatísticas. Foram desenvolvidas reuniões semanais para a análise dos principais pontos da conjuntura econômica corrente em conjunto dos orientadores e estagiários que fazem parte do CECON, assim como a elaboração de um boletim quadrimestral, cuja primeira edição sendo publicada em agosto de 2003, em que os temas foram fontes de debates dentro do Centro de Conjuntura. Como atividade final, foi elaborado um paper sobre a evolução do volume de crédito nacional, procurando analisar as causas de sua pequena porcentagem em relação ao PIB (tal como a elevada taxa de juros real) e seus efeitos sobre a economia.

Conjuntura econômica XE "Conjuntura econômica"  - Setor financeiro XE "Setor financeiro"  - Crédito XE "Crédito"

H343

Emprego Doméstico na Região Metropolitana de São Paulo (1995-1999)

Sílvia Antunes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Waldir José de Quadros (Orientador), Instituto de Economia ? IE, UNICAMP

O trabalho aborda a questão do emprego doméstico na Região Metropolitana de São Paulo na segunda metade da década de 90, analisando o crescimento dessa atividade como um reflexo da precarização do mercado de trabalho decorrente das políticas macroeconômicas do período. O projeto analisa também as condições da mulher no mercado de trabalho visto que a atividade emprego doméstico é fortemente ligada à atividade feminina. Para a análise do emprego doméstico na RMSP no período proposto foram tabulados dados da PNAD para as variáveis jornada de trabalho, rendimento médio, formalização do vínculo empregatício, grau de instrução, dentre outras. Além disso, uma extensa revisão bibliográfica sobre o assunto foi realizada com o objetivo de relacionar o tema central do projeto, emprego doméstico na RMSP, à conjuntura nacional de mudanças econômicas refletindo sobre o mercado de trabalho. O estudo revelou que houve considerável crescimento da participação do emprego doméstico no mercado de trabalho e presença de maior número de homens nessa categoria. Essas evidências corroboram o processo de precarização por que passa o mercado de trabalho já que, apesar de se ter verificado aumento do rendimento médio e da formalização do vínculo empregatício, o emprego doméstico ainda é um importante reduto de precariedade e informalidade no mundo do trabalho.

Emprego doméstico XE "Emprego doméstico"  - Emprego feminino XE "Emprego feminino"  - Informalidade XE "Informalidade"

H344

Sistemas Produtivos Locais na Indústria Calçadista Brasileira: Avaliação e Sugestões de Políticas

Ana Paula Munhoz Cerrón (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Wilson Suzigan (Orientador), Instituto de Economia - IE, UNICAMP

Os sistemas locais de produção (SLPs), aglomerações geográficas e setoriais de produtores de bens ou serviços diferenciados, cooperando entre si e com outros agentes, destacam-se por sua rede de interações econômicas e sócio-culturais que permite que as empresas presentes adquiram vantagens competitivas que não estariam disponíveis caso atuassem apenas como empresas isoladas. A presença de tais SLPs é de elevada importância para o desenvolvimento local já que constituem centros de criação de externalidades positivas. Este trabalho visa estudar as instituições públicas e privadas de apoio às empresas em SLPs a fim de compreender sua contribuição para o desenvolvimento e a competitividade do sistema local. Com tal intuito investigam-se aglomerações industriais bem sucedidas, assim como as respectivas instituições que tiveram importância para a consolidação de seu desenvolvimento. A experiência internacional mostra como tais instituições influenciaram o incremento da capacidade competitiva das empresas aglomeradas. Analogamente a esse estudo, verifica-se que os SLPs brasileiros ainda têm muito a desenvolver quanto à maior interação dos agentes e à formação de instituições mais sólidas que possam trazer impulsos à geração de externalidades positivas para aglomerações menos maduras.

Sistemas Locais de Produção XE "Sistemas Locais de Produção"  - Instituições de Apoio XE "Instituições de Apoio"  - Economias Externas XE "Economias Externas"

Instituto de Estudos da Linguagem

H345

NARRATIVA E SOCIEDADE: DESCREVENDO AS DIFERENTES RECEPÇÕES DA TELENOVELA BRASILEIRA

Cássia Michela Alves Nogueira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Anna Christina Bentes da Silva (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Os novos meios de comunicação têm proporcionado aos receptores diferentes formas de interação e de produção de conteúdo simbólico. Neste aspecto, merece posição de destaque a televisão, que desde de seu surgimento passou a fazer parte do cotidiano de sujeitos pertencentes aos mais distintos grupos sociais. Neste trabalho, por meio de pesquisa etnográfica, buscamos observar, compreender e descrever como sujeitos de um determinado grupo social (de renda familiar de até seis salários mínimos) consomem, nos dizeres de Certeau (1990), um produto da mídia televisiva, a saber, a telenovela. Para isso, ao longo da pesquisa foram entrevistados, visitados e observados quatro núcleos familiares. A pesquisa etnográfica realizada durante sete meses resultou em, (i) descrições detalhadas sobre o comportamento destes sujeitos em relação aos conteúdos simbólicos apresentados na/pela telenovela e (ii) o levantamento de algumas hipóteses a respeito de como determinados valores sociais influenciam na recepção deste produto televisivo e de como os conteúdos simbólicos presentes nestas narrativas midiáticas influenciam a vida cotidiana dos sujeitos.

Narrativa XE "Narrativa"  ? Mídia XE "Mídia"  - Recepção XE "Recepção"

H346

A INFLUÊNCIA DA TÉCNICA VOCAL SOBRE A EMISSÃO CANTADA NO VERNÁCULO

Antônio Carlos Silvano Pessotti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Eleonora C. Albano (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem ? IEL, UNICAMP

As técnicas de canto desenvolvidas durante os séculos e pelos diversos países envolveram preferências ligadas às suas respectivas línguas. Tais técnicas possuem o embasamento cultural e a influência da produção da fala sobre a voz cantada, que pode refletir ideais estéticos na pedagogia vocal. Os eventos articulatórios, tomados de um ponto de vista funcional, não podem ser construídos somente sobre bases técnicas, pois envolvem bases fisiológicas resultantes da formação de hábitos durante o processo de aquisição da língua falada. Investigou-se, com auxílio das técnicas de fonética acústica, a possibilidade de existir alguma influência da técnica na produção vocal através de certos traços, alterando a emissão e inteligibilidade do texto. Através da literatura demonstra-se que tais traços já foram detectados no passado. O foco das análises foi o estudo dos róticos em posição V[r]# do segmento nin[ar]# da Cantiga de Ninar de Francisco Mignone. Mediu-se a duração das vogais, dos róticos, dos fechamentos e aberturas orais desses róticos, freqüências dos formantes F1, F2 e F3, bem como as larguras de banda desses formantes, tanto das vogais quanto dos róticos. Tomou-se como parâmetro de comparação à postura da fala de cantoras e verificou-se que há diferenças com relação a sua emissão do português brasileiro.

Canto XE "Canto"  ? Fonética Acústica XE "Fonética Acústica"  - Róticos XE "Róticos"

H347

O prefácio dos prefácios

Carlos Augusto Bonifácio Leite (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jonas de Araújo Romualdo (Orientador), Instituto de Estudos da Linguagem, IEL ? UNICAMP

A análise efetuada ocorreu sobre um corpus tradicionalmente esquecido na literatura do campo, não obstante, de interesse revelado diante das conclusões alcançadas ao longo dos estudos. A pesquisa procurou encontrar nos prefácios características compartilhadas e responder à seguinte questão: o prefácio faz parte ou não da unidade da obra? Diante desta dúvida, mobilizou-se teóricos como Foucault, Perelman e Derrida, de posse de suas abordagens teóricas distintas, para dar uma resposta ao questionamento ocasionado. Após comparar as posturas destes pesquisadores e com o surgimento de outras tantas novas questões, a pesquisa propôs a hipótese de que o prefácio faz parte da obra, formando, com a parte da exposição da teoria ou com o romance, uma dicotomia que não pode ser totalmente dissociada, já que qualquer das duas partes exerce certas influências (quanto à linguagem, ao auditório e ao caráter do orador) em sua contra-parte, que não devem ser sublimadas. O projeto de pesquisa desenvolveu-se, então, sobre relatar as características que diferenciam essas duas partes da obra (muitas vezes de caráter funcional) e também propor uma razão convincente que impediria a dissociação deste termos dicotômicos: a caracterização do ethos.

Prefácio XE "Prefácio"  - Unidade XE "Unidade"  - Ethos XE "Ethos"

H348

ANÁLISE DO DISCURSO DO SEDUTOR

Lucas Kiyoharu Sanches Oda (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jonas de Araújo Romualdo (Orientador), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Os discursos sedutores podem ser analisados através de duas teorias fundamentais: da Análise do Discurso francesa (AD) ? na qual o sujeito é assujeitado e seus discursos reproduzem pré-construídos de uma formação discursiva; ou da Retórica ? em que o sujeito é a fonte dos sentidos de seu discurso. No entanto, apesar de dicotômicas, essas teorias convivem em diversas análises atuais da AD, mesmo quando contrariam suas bases teóricas. Alguns teóricos da AD admitem um indivíduo moderno, ao mesmo tempo em que sustentam a existência de um sujeito assujeitado. Nos discursos sedutores, a questão do sujeito coloca-se como fundamental para a análise, pois é o sujeito, assujeitado ou fonte de sentido, que tenta seduzir, que produz discursos. Fez-se necessária então a discussão sobre as concepções de sujeito ao longo da história ? desde sua gênese no século XII, até a atualidade, e como ela se confunde em algumas épocas, com a concepção de indivíduo. Com as teorias de Foucault, podemos repensar a concepção de sujeito através dos processos de subjetivação. O sujeito, antes de ser assujeitado por uma ideologia, ou ser fonte de sentidos, vai, através de vários processos, se sujeitar a um grupo com o qual se identifique. Na sedução, talvez sujeitos subjetivados expliquem melhor os discursos que apresentam tanto pré-construídos de uma formação discursiva, quanto marcas de subjetividade.

Análise do Discurso XE "Análise do Discurso"  - Sujeito XE "Sujeito"  - Sedução XE "Sedução"

H349

A EXPLORAÇÃO DO DESENHO NA CONSTRUÇÃO DA IRONIA: EMERGÊNCIA E EVOLUÇÃO DE UM TRAÇO ESTILÍSTICO

Adriana de Paula (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria Bernadete Marques Abaurre (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem ? IEL, UNICAMP

O presente trabalho está inserido no âmbito do Projeto Integrado CNPq Subjetividade, alteridade e construção do estilo: pode o estilo individual ser transgenérico?, coordenado pela Profª. Drª. Maria Bernadete Marques Abaurre e em desenvolvimento no Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp. Tem por objetivo apresentar dados que permitam discutir a hipótese segundo a qual o desenho pode eventualmente ser utilizado como espaço para a emergência e evolução de um estilo individual. Desse modo, a partir de dados representativos do processo de aquisição da linguagem escrita de um sujeito, serão traçadas considerações acerca do papel do desenho na construção da ironia enquanto marca estilística do trabalho desse sujeito com a linguagem. Os dados a serem apresentados são de M.L., sujeito de pesquisa longitudinal cuja produção textual, da pré-escola ao final do Ensino Médio, integra o banco de dados do referido Projeto Integrado. Com base na noção de estilo defendida por Possenti (1988) e nos trabalhos de Abaurre (1999, 2001 e 2003) sobre a emergência e evolução do estilo de M.L. pretende-se mostrar, a partir dos dados selecionados, a maneira como o desenho é explorado por esse sujeito na construção de um efeito irônico, bem como o modo como essa marca estilística vai evoluindo ao longo de suas produções.

Estilo XE "Estilo"  - Ironia XE "Ironia"  - Desenho XE "Desenho"

H350

O Discurso da Moral no Livro Didático de Português (Ensino Fundamental II)

Érica Rodrigues Vieira (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria José Coracini (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Como parte do Projeto Integrado ?Interdiscursividade e Identidade no Discurso Didático-Pedagógico?, o presente trabalho tem como objetivo rastrear traços do discurso da moral que atravessa os livros didáticos de Português como língua materna. Para tanto, foram examinados os textos e as questões de compreensão de duas coleções de livros destinados para alunos de 5ª. a 8ª. séries. Com o apoio teórico da abordagem discursiva apresentada por Nietzsche e Foucault, percebe-se que o material didático funciona como uma forte base para que os professores não enfrentem questionamentos em sala de aula, já que apresentam textos que não geram polêmica nem suscitam questionamentos. Isso pode ser observado pela acentuada presença de fábulas ? que trazem a ?moral da história? de forma clara e direta ? seguidas de questões cujas respostas se resumem a cópias de partes do texto ou são iniciadas por alguma afirmação, solicitando somente ao aluno que ele explique ou comente a sentença colocada. Isso aponta para a tentativa de definição ou sugestão de um padrão de comportamento para os alunos-adolescentes. Além disso, a interpretação do texto, a resposta às questões, a assimilação da mensagem e, conseqüentemente, a linha de raciocínio podem conduzir à uniformização das respostas e, possivelmente, à homogeneização dos alunos.

Livro Didático XE "Livro Didático"  - Análise do Discurso XE "Análise do Discurso"  - Discurso da Moral XE "Discurso da Moral"

H351

Estereótipos e mídia televisiva na formação identitária do professor

Michele Barbosa Marcelino (Bolsista/CNPq) e Profa. Dra. Maria José Coracini (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Nosso objetivo é investigar, através de uma abordagem discursiva, como a identidade do professor é perpassada pelo discurso da mídia. Para isso, foram gravados e transcritos episódios dos programas ?Malhação?e ?Sandy e Junior?, em que privilegiamos as cenas ambientadas em sala de aula, pois nos interessa investigar que discursos se imbricam ao discurso televisivo do/sobre o professor, da/sobre a escola, e que efeitos de sentido são provocados por esses atravessamentos discursivos. Foi observado através das análises que as representações do sujeito-professor giram em torno de sua autoridade. As personagens são estereotipadas, apresentam uma caracterização psicológica superficial e simplificada, que promove uma tipificação do sujeito em questão. O efeito de sentido provocado por essa simplificação é o de que o professor é sempre visto como uma autoridade, superior aos alunos, que educa, conscientiza, pune e, assim, moraliza. Essa autoridade moralizante é construída através dos estereótipos - representações sociais - que não parecem formas de discurso, mas de realidade, e, assim, simplificam e transformam uma realidade complexa em algo simples. Por essa razão, independentemente do leque de imagens que representam o professor na mídia televisiva, é preponderante o seu papel orientador e moralizante, que serve como exemplo e parâmetro tanto para os jovens, como para os profissionais da educação e a própria sociedade.

Identidade do Professor XE "Identidade do Professor"  - Mídia Televisiva XE "Mídia Televisiva"  - Estereótipos XE "Estereótipos"

H352

?A escola de quatro paredes?: pensando a escola e a educação escolar no interior de comunidades ?orais?

Thaisa Marilia Coelho Tiba (Bolsista IC/CNPq) e Profa. Dra. Marilda do Couto Cavalcanti (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Neste projeto de pesquisa, ora em andamento, tenho a instituição escolar como foco das reflexões.

Há,inicialmente, uma breve reflexão acerca de sua formação histórica, abrindo então, um diálogo entre alguns pensadores da sociologia da educação e da antropologia. Através desse diálogo, procuro a tecer algumas considerações acerca da inserção da escola no interior das comunidades ditas ?orais?- dado um ?profundo enraizamento numa ideologia ocidental e grafocêntrica? (SOUZA,2001)-, atentando às especificidades de tais contextos. A pesquisa realizada tem um cunho teórico.

Instituição escolar  XE "Instituição escolar" - Educação escolar  XE "Educação escolar" - Comunidades ?orais? XE "Comunidades ?orais?"

H353

A crônica de Julia Lopes de Almeida na Gazeta de Campinas no final do século XIX (1882-1884)

Eliane Paula Malagutti Prado (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Orna Messer Levin (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem ? IEL, UNICAMP

Esta pesquisa propôs localizar, recolher e transcrever as crônicas, comentários e artigos de circunstância de Julia Lopes de Almeida publicados no jornal Gazeta de Campinas no período de 1882 a 1884. A metodologia resume-se, basicamente, na leitura, fotocópia e transcrição do material encontrado em microfilmes disponíveis no Arquivo Edgard Leuenroth (AEL) na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os textos de Julia Lopes presentes na Gazeta de Campinas são, em geral, de estilo jornalístico voltado para a leitura leve. A temática trata basicamente da preocupação com os temas cotidianos, isto é, o ambiente familiar, o universo infantil e, sobretudo, o universo feminino. Esta riqueza temática e o aspecto singular da condição de escritora mulher de Julia Lopes de Almeida com trânsito numa sociedade ainda escravocrata, patriarcal e masculina aponta o surgimento de diversas vertentes de análise, uma vez que está estampado nas crônicas o ambiente da época no que se refere a atitudes sociais e temas literários abordados naquele momento. A autora contribuiu com jornais de todo o país após mudar-se de Campinas, cidade onde passou grande parte da infância e estreou como escritora.

Crônica XE "Crônica"  XE "Crônica"  ? Julia Lopes de Almeida XE "Julia Lopes de Almeida"  ? Literatura brasileira XE "Literatura brasileira"

H354

ECOS DA PEÇA ?OS LAZARISTAS? NO BRASIL

Vanessa Cristina Monteiro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Orna Messer Levin (Orientadora), Instituto de Estudos de Linguagem ? IEL, UNICAMP

Esta pesquisa apresentou duas fases: a primeira teve como objetivo realizar uma reconstituição histórica das polêmicas geradas pela censura da peça portuguesa ?Os lazaristas? no Brasil, em 1875, através de jornais e revistas; a segunda propôs a localização e a digitação do texto integral do drama, por ocasião de sua divulgação no periódico ?Gazeta de Notícias?, no mês de outubro do mesmo ano, afim de preparar uma edição brasileira, já que, até então, só se tinha notícia da existência de uma edição portuguesa. O drama luso ?Os lazaristas? chegou ao Brasil em meados de junho de 1875, tendo suas representações proibidas por ordem do Conservatório Dramático Brasileiro, que alegou ser o texto anticlerical, imoral e indecente. Tal fato desencadeou discussões envolvendo o Partido Clerical (o qual apoiava a censura) e o Partido Liberal e Republicano (o qual protestava contra a censura). Os debates foram registrados nos periódicos da época em forma de artigos, textos humorísticos, protestos, caricaturas. Mesmo tendo sido interditada a encenação, o texto chegou a público em formato de folhetim, através da ?Gazeta de Notícias?. Na verdade, o que se constatou, no decorrer da investigação, é que a proibição da récita se dera, principalmente, por motivos políticos, devido à forte presença de idéias liberais no texto, Esta constatação mostrou a importância do teatro no meio social brasileiro, em fins do século XIX, funcionando como grande foco propagador e defensor das idéias liberais e republicanas, o que fez do palco uma arena de debates ideológicos.

Peça XE "Peça"  ? Teatro XE "Teatro"  - Polêmica XE "Polêmica"

H355

AS CONCEPÇÕES DE ESTILO EM CONTEXTO ESCOLAR

Lucas Vinício de Carvalho Maciel (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Raquel Salek Fiad (Orientadora), Instituto de Estudos da Linguagem - IEL, UNICAMP

Este projeto está inserido no âmbito do Projeto Integrado CNPq Subjetividade, alteridade e construção do estilo: pode o estilo individual ser transgenérico?, tendo como uma das pesquisadoras principais a Profª Drª Raquel Salek Fiad, minha orientadora. Busco observar quais são as concepções de estilo que circulam em ambiente escolar, para, a partir disso, fazer uma reflexão sobre a relação escola/estilo. A partir dos estudos já realizados no PI, que têm como preocupação a emergência do estilo em diferentes corpora (tanto longitudinais, como transversais), foi feita uma primeira seleção de dados, buscando exemplos de textos que tivessem marcas estilísticas. Tal seleção foi realizada com base no paradigma indiciário de Ginsburg (1968), buscando-se, assim, nos textos selecionados marcas idiossincráticas que revelassem a construção do estilo. A concepção de estilo que norteia o presente trabalho é a de Possenti (1988), segundo o qual o estilo pode ser entendido como as escolhas lingüísticas que o sujeito opera ao escrever seu texto. Os textos selecionados serviram de apoio a entrevistas semi-estruturadas com professores de Língua Portuguesa de Ensino Fundamental (de escolas públicas e particulares), nas quais buscou-se depreender as concepções de estilo que circulam na escola.

Aquisição da linguagem escrita XE "Aquisição da linguagem escrita"  - Estilo XE "Estilo"  - Escola XE "Escola"

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

H356

Reestruturação produtiva e controle dos trabalhadores: um estudo de caso

Juliana Vieira Araujo (Bolsista FAPESP), Profa. Dra. Angela Maria Carneiro Araújo (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

Este projeto faz parte de um projeto internacional que visa examinar e comparar novas estratégias gerenciais e as respostas dos trabalhadores na indústria de eletrodomésticos de linha branca. Como parte deste estudo, temos como foco observar de que forma os trabalhadores reagem às novas formas de controle industrial sobre seu trabalho, a partir da comparação dos discursos de gerentes e trabalhadores. Buscamos apreender como as novas tecnologias e mudanças organizacionais, que acompanham o processo de reestruturação produtiva, são percebidas pelos trabalhadores de uma empresa do setor de linha branca, através de diversas técnicas de pesquisa, tais como: entrevistas qualitativas com gerentes do alto e do médio escalão e trabalhadores; pesquisa quantitativa com questionário padronizado com trabalhadores da produção e gerentes; observação do processo de trabalho no chão de fábrica. Neste estudo de caso, privilegiamos as respostas qualitativas de gerentes e, principalmente, dos trabalhadores, como a principal forma de entender a percepção dos trabalhadores sobre os novos mecanismos de controle associados à implantação de novos métodos gerenciais.

Trabalho XE "Trabalho"  - Reestruturação produtiva XE "Reestruturação produtiva"  - Controle XE "Controle"

H357

Reestruturação produtiva e a percepção dos trabalhadores no setor de linha branca

Rafael Gustavo de Souza (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Angela Maria Carneiro Araújo (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

O trabalho aqui proposto tem como intuito discutir o processo de reestruturação produtiva que se aprofunda nos anos 90 na indústria de linha branca e analisar as mudanças nos métodos de gestão do trabalho e no cotidiano dos trabalhadores através da percepção dos próprios trabalhadores. Analisando quais foram as mudanças ocorridas e como elas foram recebidas e respondidas no chão das fábricas. O esforço desta proposta de contribuição, portanto, é o de analisar e ?... sistematizar as percepções de trabalhadores sobre as alterações verificadas no trabalho cotidiano, em função da introdução de inovações produtivas e organizacionais nas empresas onde trabalhavam? (Lonbardi, 1997; p: 73). A hipótese mais geral que sustenta a pesquisa é de que as inovações técnicas e organizacionais tendem a não afetar da mesma forma todos trabalhadores. As mudanças são recebidas e vistas diferentemente de acordo com às várias clivagens existentes entre eles. Estas variáveis podem afetar o modo como os trabalhadores percebem as mudanças no ambiente fabril e seus impactos sobre suas condições de trabalho. Nesta pesquisa iremos priorizar entre essas diferenças, principalmente, as que dizem respeito à idade, escolaridade e postos de trabalho, que seráo tomadas como variáveis chaves. Para isso, a pesquisa se utilizará de dados de duas empresas do setor de linha branca da região de Campinas, através da analise quantitativa de questionários padronizados com 50 trabalhadores de cada uma das empresas, para efeito de comparação das diferenças e similitudes encontradas em cada processo/fábrica.

Reestruturação XE "Reestruturação"  ? Trabalhadores XE "Trabalhadores"  - Percepção XE "Percepção"

H358

Investimentos Portugueses no Brasil: Além da ?lógica? do mercado

André Luiz Martini (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Bela Feldman-Bianco (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

À partir da década de 90, assistimos a um grande crescimento das relações econômicas entre Brasil e Portugal, que se tornou o terceiro maior investidor internacional direto em nosso país. Concomitantemente, os discursos sobre as relações diferenciadas entre os dois países são intensificados, evocando uma suposta ?história compartilhada?, ?afinidades culturais? e ?língua comum?. Estes fatores influenciariam os incentivos do Estado Português e também a escolha dos investidores, cujos investimentos, a princípio, se realizariam através das maiores possibilidades de lucro. Isso revela mecanismos simbólicos que também atuam no mercado internacional. Minha pesquisa analisa como o discurso nacionalista das elites dirigentes em Portugal se apropria política e simbolicamente dessas relações econômicas para construir a idéia de um Estado europeu desenvolvido. Este discurso visa inserir Portugal no capitalismo global e, ao mesmo tempo, manter seu vínculo com a história imaginada do antigo Império Português - através da manutenção de sua presença na ex-colônia por meio deste fluxo de capitais - ligando o ?passado mítico? ao futuro promissor de um Portugal pós-colonial. A análise deste discurso político e simbólico se deu através do acompanhamento de periódicos da mídia portuguesa - especialmente jornais diários ?, da seleção e análise de dados econômicos e estatísticos, de entrevistas com empresários portugueses, da participação em eventos que trataram dos investimentos portugueses no Brasil e, posteriormente, através do trabalho com histórias de vida.

Identidades XE "Identidades"  ? Nação XE "Nação"  ? Investimentos Internacionais XE "Investimentos Internacionais"

H359

POLÍTICAS DE IMIGRAÇÃO NO PORTUGAL PÓS-COLONIAL

Cristiane Spadacio (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Bela Feldman-Bianco (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

O presente trabalho se propõe a examinar a emergência de novas políticas imigratórias implementadas pelo atual governo português, tendo em vista uma perspectiva transnacional do fenômeno da imigração, num momento de redefinição do papel dos Estados-nação, frente a uma maior ?flexibilidade das fronteiras? no atual processo de globalização. Assim, ao considerar o imigrante enquanto um elemento social que estabelece uma relação simbólica entre o país receptor e o de saída, a presente pesquisa ressalta a importância dos movimentos migratórios como elemento fundamental na elaboração de políticas nacionais. Dessa maneira, ao levar em conta a imbricação entre elementos tais como as migrações internacionais, a (re)estruturação do conceito de nação e o surgimento de novas bases governamentais que tentam se adequar ao panorama social mundial, pôde-se perceber uma certa sintonia entre as tendências políticas de Portugal e os interesses políticos da União Européia quanto ao fechamento das fronteiras, constituindo uma ?fortaleza européia?. Cabe ressaltar que esse discurso promovido pelo Conselho Europeu para movimentos migratórios, que serve de parâmetro para os países da Europa, está pautado na necessidade de promover a 'segurança' do território, ao mesmo tempo que legitima, ao categorizar o 'outro' que vem de 'fora' enquanto o propulsor da violência, reações xenofóbicas e racistas.

Nação XE "Nação"  ?Imigração XE "Imigração" -Políticas de imigração XE "Políticas de imigração"

H360

EXPANSÃO E CHOQUE ? A IURD E AS REAÇÕES QUE PROVOCA EM PORTUGAL: UMA ANÁLISE ATRAVÉS DA MÍDIA PORTUGUESA

Guilherme Mansur Dias (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Bela Feldman-Bianco (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Esse estudo é uma análise das reações provocadas na sociedade portuguesa devido ao estabelecimento da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Portugal. Essa instituição começou sua expansão pela Europa e pelo mundo através desse país da península ibérica. As estratégias adotadas pela IURD para se expandir (aluguel de horários em emissoras portuguesas, compra de rádios, impressão de material jornalístico, ataque a outras crenças e religiões, etc.) não foram, entretanto, plenamente aceitas pela sociedade civil portuguesa. Houve, então, uma série de reações à igreja e a seus fiéis por parte da população e mídia portuguesas. O trabalho pretendeu analisar como ocorreram essas reações, principalmente através da análise do material jornalístico português e das publicações acadêmicas sobre o assunto no país. Pretendeu também ver qual foi a importância dos debates suscitados pela IURD para a formulação da Nova Lei de Liberdade Religiosa de Portugal, e como essa lei contemplou ou não as diversas religiões minoritárias presentes em Portugal. Foi verificado que as reações à IURD na mídia portuguesa se deram de forma bastante virulenta. Toda essa reação se vincula a uma sociedade (portuguesa) simultaneamente católica e anticlerical e ao fato da IURD ser uma instituição brasileira que incomoda por tomar o lugar de Portugal numa (re)conquista dos países lusófonos, haja visto que a IURD se faz presente senão em todos, pelo menos na maioria dos países de língua portuguesa. Todos esses elementos são recorrentes nas reportagens veiculadas pela mídia de Portugal a partir de 1992. A IURD teve bastante influência mesmo para a geração dos debates que culminaram na Nova Lei de Liberdade Religiosa de Portugal, apesar de não ter sido contemplada com os benefícios dessa lei.

Migrações Internacionais XE "Migrações Internacionais"  - Igreja Universal do Reino de Deus XE "Igreja Universal do Reino de Deus"  - Lusofonia XE "Lusofonia"

H361

(RE)CONFIGURAÇÕES IDENTITÁRIAS DE IMIGRANTES HOLANDESES NA CIDADE DE HOLAMBRA ? SP

Janaína Welle (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Bela Feldman-Bianco (Orientadora), Instituto de Filosofia de Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

Tendo como pano de fundo a imigração de agricultores holandeses para o Brasil, a partir de 1948 à Fazenda Ribeirão, hoje município de Holambra, a pesquisa em questão buscou compreender como estes imigrantes e seus descendentes (re)constróem sua identidade nacional e uma suposta ?holandesidade?. Com esse objetivo, a coleta de histórias orais e histórias de vida possibilitou resgatar memórias pessoais da Sra. Wagemaker e de alguns de seus descendentes. A imigração, a família e a memória perpassam todo seu discurso. Sua narrativa enaltece os pioneiros, sua persistência, luta e vitória numa nova terra ? o Brasil. Esta trajetória é por ela registrada como uma maneira de transmitir à seus descendentes seu aprendizado diante dos difíceis anos iniciais. O cultivo desta memória é feito para seus descendentes, para sua família, como uma forma de transmitir a ?holandesidade? no Brasil. Para além de resgatar as memórias pessoais, a coleta de histórias orais e histórias de vida possibilitou em última análise, o resgate da memória compartilhada, reiterada recorrentemente nas narrativas colhidas. Como a imigração se deu em grupos e os imigrantes se organizaram em forma de cooperativa, criou-se então um laço estreito entre os membros da comunidade. Dessa forma, a memória pertence também à toda comunidade, é compartilhada por todos e, sobre ela são (re)configurados os símbolos de uma ?holandesidade?.

Antropologia XE "Antropologia"  ? Identidade XE "Identidade"  ? Imigração XE "Imigração"

H362

ARGENTINOS EM SÃO PAULO: REPRESENTAÇÕES IDENTITÁRIAS DE DUAS GERAÇÕES DE IMIGRANTES ARGENTINOS

Liliana Lopes Sanjurjo (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Bela Feldman-Bianco (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

O presente trabalho analisa as (re)configurações identitárias e as representações acerca de imaginários de Nação, especificamente, entre argentinos imigrantes no Brasil, tendo em vista dois diferentes contigentes imigratórios de argentinos no país: o primeiro refere-se a argentinos vindos na década de 70 e início de 80, período da ditadura de Rafael Videla, contigente migratório formado em grande parte por exilados políticos; e o segundo contigente de argentinos vindos a partir do ano de 2000, e intensamente no ano de 2002 após a crise econômica desencadeada no país. O trabalho tem como objetivo desenvolver uma análise comparativa entre estas duas diferentes gerações de argentinos no Brasil, a fim de interpretar as diferenças e as semelhanças de representações que estes imigrantes fazem de si próprios, de seu país de origem e do contexto ao qual estão inseridos. Sobretudo, interessa-me verificar como os imigrantes, destas duas gerações, (re)configuram uma argentinidade, tendo em vista o processo de redefinições dos papéis destes Estado-Nações no contexto da globalização, e de que maneira estas populações migrantes participam ativamente no processo de (re)invenção da nação e nos fluxos de signos, símbolos e capitais, enfatizando, assim, a relação entre cultura e poder. A metodologia utilizada refere-se à coleta de histórias de vida, acompanhamento de material de imprensa e análise bibliográfica.

Nação XE "Nação"  ? Identidade XE "Identidade"  - Migração XE "Migração"

H363

Portugal no cinema brasileiro - uma análise das representações sobre Portugal e portugueses na recente produção cinematográfica nacional.

Renata Miranda de Oliveira (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Bela Feldman-Bianco (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

O filme Carlota Joaquina ? Princesa do Brasil, emblemático do processo de retomada da produção cinematográfica nacional na década de 1990, aborda um tema que se repete em outros filmes do período: as relações entre Brasil e Portugal. A partir deste e de mais dois filmes lançados recentemente ? Brava Gente Brasileira e Terra Estrangeira ? analiso como atualmente são veiculadas idéias sobre nossa história e formação nacional. Para tanto, utilizo como referencial teórico principalmente os autores do pensamento social clássico brasileiro, notadamente Gilberto Freyre e seus debatedores. Gilberto Freyre desenvolve uma espécie de ?mito de origem? da nação, sempre exaltando o caráter empreendedor e a plasticidade do povo português nos trópicos. Os filmes escolhidos dialogam com estas idéias por refuta-las através da critica ao sistema de colonização do Brasil e à retórica de irmandade entre os dois países, com a constante reafirmação de estereótipos negativos sobre os portugueses, idéia já corriqueira em nossa cultura. Temos portanto a negação de uma concepção de nossa história, que creio possa ser considerada como um projeto de construção da identidade nacional brasileira.

Antropologia visua XE "Antropologia visua" l ? História XE "História"  ? Identidade Nacional XE "Identidade Nacional"

H364

A ?Questão Social? e o jornal A Epoca (1912-1919)

Cristiane Regina Miyasaka (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Cláudio Henrique de Moraes Batalha (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Durante o segundo ano de desenvolvimento dessa pesquisa, realizamos um recorte mais preciso acerca do objeto de estudo. A princípio, através da leitura do jornal A Epoca, publicado entre 1912 e 1919, procuramos investigar os diversos clubes e sociedades aos quais os trabalhadores do Rio de Janeiro associaram-se. Como o nosso objetivo foi entender a construção de identidades entre esses agentes históricos, pesquisamos desde associações de caráter sindical até as relacionadas às atividades carnavalescas, esportivas e dançantes. Contudo, ao longo da pesquisa, interessamo-nos mais especificamente sobre as condições de vida da população suburbana do Distrito Federal, que foram abordadas pela fonte e que será o tema de nossa monografia de final de curso. Nesse sentido, realizamos diversas leituras de bibliografia secundária com o intuito de conhecer a historiografia já existente e de dar suporte teórico às informações encontradas no jornal. Além disso, cabe destacar que nossa pesquisa contribuiu com o Projeto Integrado desenvolvido pelo CECULT ? Centro de Pesquisa em História Social da Cultura (IFCH/UNICAMP), intitulado ?Cultura e diversidade no Brasil: para além da história da identidade nacional (séculos XIX e XX)?, através da alimentação de um banco de dados coletivo sobre clubes e sociedades de trabalhadores.

História Social XE "História Social"  - Movimento Operário XE "Movimento Operário"  ? Rio de Janeiro XE "Rio de Janeiro"

H365

As rupturas urbanas de Campinas através da fotografia de Aristides Pedro da Silva

Eduardo Augusto Costa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Cristina Meneguello (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

Este projeto propõe um estudo das rupturas urbanas sofridas pela cidade de Campinas ao longo do século XX através da análise de documentos iconográficos recém adquiridos pelo Centro de Memória (CMU) ? Unicamp e que pertenciam ao fotógrafo Aristides Pedro da Silva, conhecido como V8. Este trabalha visa primeiramente auxiliar o CMU na catalogação da parte das imagens dessa coleção, sendo essas pertencentes às caixas; despedida dos bondes, retirada dos trilhos, Igreja do Rosário e Aquidabã. Também tem como objetivo, difundir esse acervo por toda a comunidade de pesquisadores e pela comunidade num âmbito geral e ainda gerar um pequeno acervo comparativo de imagens comparando os registros urbanos feitos por Aristides e a situação contemporânea da cidade de Campinas. Para a catalogação dessas imagens, foram utilizados os descritores icônicos desenvolvidos pelas historiadoras Solange Ferraz de Lima e Vânia Caneiro Carvalho. Quanto ao levantamento de informações a respeito da prática fotográfica de Aristides, foram realizadas entrevistas com o Aristides e outros fotógrafos de Campinas e pesquisa nos jornais da cidade, além das pesquisas bibliográficas. A pesquisa revelou a importância desse fotógrafo e colecionador na estruturação da memória urbana de Campinas, sendo que a partir dessas imagens é possível compreender momentos importantes da história da cidade. Ela ainda vem ressaltar a importância da fotografia como documento histórico dos aspectos urbanos.

Fotografia XE "Fotografia"  ? Cidade XE "Cidade"  ? Aristides Pedro da Silva XE "Aristides Pedro da Silva"

H366

MEMÓRIA DA DIVERSÃO: lembranças do circuito cinema-baile-teatro na cidade de Pindorama das décadasde 1950 e 60

Mariana Figueiredo Gallo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Cristina Meneguello (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

O presente estudo consiste no registro de memórias de indivíduos, moradores da pequena cidade de Pindorama situada no interior paulista, que frequentavam o único cinema da cidade e dois diferentes clubes - seus espaços de lazer e sociabilidade. Isso ocorreu nas décadas de 1950 e 60, nas quais se confirmaria o auge do cinema como entretenimento e uma grande difusão de bailes com orquestras, não somente na capital, mas em todo o estado de São Paulo. Sendo assim, buscou-se relembrar como se davam os modos de diversão, a relação do espectador com o espetáculo e o convívio social promovido por esses divertimentos entre os pindoramenses. O registro das memórias pessoais também se mostra como registro de uma memória social. Assim, os métodos de pesquisas utilizados foram o da história oral, com entrevistas, e a análise de artigos publicados pela imprensa local na década de 1950-60. Frisa-se que o relato oral não foi utilizado como apoio factual ou ilustração, mas sob uma perspectiva teórico-metodológica em que as fontes documentais os complementam, Tem-se, então uma gama de informações que permitem ressaltar o uso dos espaços de diversão como ambientes em que o ver e ser visto ? inspirados pelas produções cinematográficas hollywoodianas ? ganham muita importância quanto ao sucesso pessoal e social de cada indivíduo, assim como uma aguda demarcação social dos mesmos.

Memória e história XE "Memória e história"  - Diversão XE "Diversão"  - Sociabilidade XE "Sociabilidade"

H367

Novos caminhos entre serras e águas: duplicação da rodovia Fernão Dias e implicações socioambientais na região de Bragança Paulista ? Parte II

Isa Gama (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Daniel Joseph Hogan (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

O projeto analisou o processo de transformação social e econômica da região de Bragança Paulista a partir da duplicação da rodovia Fernão Dias e suas implicações em termos ambientais, sobretudo com relação aos recursos hídricos, tendo em vista a importância ambiental da região que abriga as nascentes dos rios formadores da bacia Piracicaba/Capivari/Jundiaí, de fundamental importância para o abastecimento das regiões metropolitanas de Campinas e São Paulo. O estudo realizado através de leitura e análise bibliográfica e também por pesquisa de campo, analisa as alocações populacionais e atividades econômicas que configuram as modificações do espaço geográfico, sempre acompanhando as implicações sobre os recursos hídricos. Além disso, apresenta uma análise dos discursos dos agentes locais e regionais que tem relação direta com o tema e que são agentes interventores no que diz respeito às principais modificações constatadas. Verificou-se como principais preocupações a ocupação do solo sem planejamento e a dificuldade de conciliar o crescimento populacional com a necessidade de aumentar a captação de água para a região, em função da grande demanda para abastecimento das regiões metropolitanas. Outro fato é a dificuldade de estruturar a política de proteção de recursos hídricos de forma a atender a diversidade e complexidade que esta proteção requer.

Recursos Hídricos XE "Recursos Hídricos"  - Rodovia XE "Rodovia"  - Meio Ambiente XE "Meio Ambiente"

H369

AS REPRESENTAÇÕES LITERÁRIAS DO RIO: DO ROMANCE HISTÓRICO À HISTORIOGRAFIA

Marcela Marrafon de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edgar Salvadori de Decca (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Esta pesquisa vincula-se a um projeto maior que trabalha na fronteira entre História e Literatura e dedica-se a estudar as representações literárias do rio e suas margens ligadas à questão da nacionalidade, tendo como fontes quatro grandes obras: O Guarani, de José de Alencar; Capítulos de História Colonial, de Capistrano de Abreu; À margem da História, de Euclides da Cunha; e, Monções, do historiador Sérgio Buarque de Holanda. Os critérios de escolha das obras baseiam-se nos entrecruzamentos dos discursos históricos com os literários e vice-versa, como bem mostram as quatro fontes, e também por serem eles textos que constroem fortes imagens e metáforas em torno da figura do rio. O objetivo maior da pesquisa, no entanto, é entender como a idéia de nacionalidade está atrelada à natureza. É um trabalho diferente do que se tem feito na historiografia, que toma as fontes literárias como documentos para a história e busca nas imagens construídas a expressão da nacionalidade. A periodização da pesquisa vai da fundação do romance histórico no século XIX à historiografia em meados do século XX com Sérgio Buarque de Holanda. No entanto, é preciso esclarecer que, como a pesquisa é ampla, durante a iniciação científica, concentrarei meu estudo apenas nas obras O Guarani e Capítulos de História Colonial.

Rio e margens XE "Rio e margens"  ? Nacionalidade XE "Nacionalidade"  ? Representações literárias XE "Representações literárias"

H370

A IGREJA CATÓLICA POPULAR NO BRASIL A PARTIR DOS DOCUMENTOS (1960-1980)

Sara Cristina de Souza (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Eliane Moura da Silva (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

A Ditadura Militar, de 1964 a 1985, foi um dos períodos cruciais da história brasileira. Muitos pesquisadores procuram estudá-la e, assim, responder possíveis dúvidas. Nessa pesquisa, tentamos entender como alguns setores da Igreja Católica atuaram nesse período. Verificamos que a Igreja, através da organização e participação nos movimentos populares, teve, em grande parte, uma posição contrária ao Regime Militar. Essa oposição tornava-se presente nas muitas obras sociais que realizava a favor dos menos favorecidos, de acordo com a Teologia da Libertação. Catalogando documentos da época localizados no Arquivo Edgard Leuenroth, observamos que o trabalho nas Comunidades Eclesiais de Base incomodava à ordem militar estabelecida pois conscientizava, com palestras, grupos de estudo e reflexão, as populações marginalizadas de seus direitos políticos e sociais. Além disso, muitos bispos influentes do país, como dom Paulo Evaristo Arns e dom Aloísio Lorscheider, trabalharam a favor das pessoas perseguidas pelo regime, entre as quais se encontravam tanto cidadãos comuns quanto membros do clero e de pastorais católicas. Apesar da forte repressão ditatorial, vimos que, por ter a Igreja como respaldo, esses movimentos puderam sobreviver e ajudar, a sua maneira, a amenizar os malefícios trazidos pelo sistema militar imposto ao país.

História XE "História"  - Igreja Católica XE "Igreja Católica"  - Teologia da Libertação XE "Teologia da Libertação"

H371

OSWALD DE ANDRADE E O PCB NA DÉCADA DE 1930: AS TENSÕES DA PRÁXIS

Felipe Guilherme Gava Cardoso (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Élide Rugai Bastos (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

A pesquisa aborda as práticas políticas e a produção teatral do escritor Oswald de Andrade durante a década de 1930, à luz dos processos histórico concretos da sociedade brasileira. Primeiramente, privilegiamos o estudo de métodos de análise em pensamento social e da história política dos intelectuais no Brasil, além de textos biográficos sobre o autor. Em seguida, realizamos a revisão bibliográfica sobre o PCB (Partido Comunista do Brasil), ao qual o escritor está filiado no período em questão, bem como análise de comentadores e de fontes primárias disponibilizadas no CEDAE-IEL. Por fim, foi feita a releitura de ?O rei da vela? (1933), ?O homem e o cavalo? (1934) e ?A morta? (1937), peças que sintetizam a reorientação da intenção básica do autor, o qual, sem abandonar questões estéticas ? predominantes na década de 1920 ? enfatiza os problemas políticos nacionais. A tensão entre estética ?antropofágica? e temática predominantemente política toma forma nas relações ente o autor e a orientação obreirista do PCB. Sinteticamente, é nessa dinâmica complexa que Oswald de Andrade procura conferir um novo sentido para a arte e para o intelectual, seja quanto à renovação do teatro brasileiro ou às injunções políticas de seu tempo.

Oswald de Andrade XE "Oswald de Andrade"  ? Pensamento Social Brasileiro XE "Pensamento Social Brasileiro"  - Literatura XE "Literatura"

H372

A GUARDA MUNICIPAL DE CAMPINAS

Taniele Cristina Rui (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Eliezer Rizzo de Oliveira (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

Este projeto tem como objeto de estudo a Guarda Municipal de Campinas ? sua formação, organização e atuação, levando em conta a atual crise de Segurança Pública que assola o país e a cidade. A Guarda Municipal de Campinas foi criada com o propósito de auxiliar na proteção dos bens públicos municipais, mas teve sua função aumentada de acordo com as dificuldades enfrentadas pelos organismos policiais no combate à violência e à criminalidade, cada vez mais crescentes. O estudo relaciona questões estruturais da Segurança Pública (por exemplo, a divisão de funções da Guarda Municipal, Polícia Civil e Polícia Militar) com a ampliação da autonomia municipal neste domínio, por vezes mais de fato do que de Direito. A cidade de Campinas, e sua Guarda Municipal, podem ainda ser equiparadas a outras cidades do país que também se viram obrigadas a agir estrategicamente na Segurança Pública. A pesquisa busca analisar tal situação, e ao mesmo tempo, a estrutura da Guarda Municipal de Campinas, formação de seus profissionais, sua atuação e perspectivas.

Guarda Municipal de Campinas XE "Guarda Municipal de Campinas"  ? Guardas Municipais XE "Guardas Municipais"  ? Segurança Pública XE "Segurança Pública"

H373

Juventude e Violência - (representações sobre a violência entre adolescentes moradores do Parque Oziel, Campinas)

Patrícia Curi Gimeno (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Emília Pietrafesa de Godoi (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Esta pesquisa, realizada entre adolescentes com idades de 13 a 18 anos moradores do Parque Oziel, bairro da periferia de Campinas, teve como objetivo a compreensão do modo como esses adolescentes representam a violência que lhes é, normalmente, imputada, tanto na condição de algozes como de vítimas preferenciais. Para tanto, partimos das imagens correntes que associam automaticamente a vivência de adolescentes pobres na família, no trabalho, na escola, suas perspectivas de futuro, seus desejos de consumo e das influências de seus bairros de moradia na construção de suas relações com o mundo com a criminalidade. Tendo, pois, estas imagens como pano de fundo, procuramos entender de que modo os próprios adolescentes vivenciam essas experiências e, assim, problematizar a relação anteriormente referida entre pobreza, juventude e criminalidade. Este trabalho foi realizado por meio da confrontação entre a bibliografia levantada e os dados coletados nas situações de campo através do acompanhamento da rotina de alguns adolescentes atendidos pelo Externato São João, - instituição pertencente à ordem Salesiana da Igreja Católica ? em sua Unidade no Parque Oziel, da realização de algumas entrevistas semi-estruturadas e de diversas conversas informais com esses adolescentes, seus familiares e funcionários da entidade. Por fim, os resultados deste trabalho apontam, entre outras coisas, para a necessidade urgente de um refinamento dos debates em torno da violência através da inclusão das imagens construídas pelos próprios adolescentes acerca de uma realidade social nem sempre generosa, mas que, nem por isso, pode ser vista como determinante para sua inserção no mundo do crime.

Pobreza XE "Pobreza"  - Juventude XE "Juventude"  - Violência XE "Violência"

H374

CIRCULARIDADE E RESISTÊNCIA CULTURAL NO CARNAVAL PAULISTANO (1920-1945)

Guilherme Ramalho Arduini (Bolsista FAPESP) e Jefferson Cano (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

Existe já uma vasta bibliografia referente à história social da cultura que trabalha o tema das festas como uma forma de manifestação de conflitos e diferenças sociais ? dois bons exemplos são: um artigo de Thompson intitulado ?Rough Music?, presente na coletânea Costumes em Comum ou o livro de Maria Clementina Cunha, Ecos da Folia. Este projeto insere-se nessa perspectiva de pesquisa com uma análise, a partir de periódicos da época, das tensões e conflitos referentes ao Carnaval paulistano entre 1920-1945. O principal periódico a ser pesquisado será O Estado de S.Paulo, mas outras fontes tanto da grande imprensa como da operária e negra também serão contempladas. A hipótese de trabalho é que do cotejamento entre as fontes com orignes sociais bem diversas surgirá a possibilidade de estudo dos conflitos sociais. A pesquisa se inciou em 1º de maio de 2003.

Carnaval XE "Carnaval"  ? São Paulo XE "São Paulo"  ? História Social da Cultura XE "História Social da Cultura"

H375

O TERROR NOS CAUSOS EM CONCEIÇÃO DA APARECIDA: UM ESTUDO ANTROPOLÓGICO DE FOLCLORE REGIONAL

Wellington Aldo de Souza (Bolsista SAE/PRG), Prof. Dr. John Manuel Monteiro (Orientador, IFCH) e Profa. Dra. Anna Christina Bentes (Co-Orientadora, IEL), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Contar causos de assombração é uma prática comum entre os membros de comunidades rurais no Brasil. O conteúdo desta prática pode revelar uma série de informações a respeito da cultura na qual se insere, sendo seu estudo importante não só como registro cultural, mas também como meio para compreender a dinâmica da sociedade com a qual se relaciona. Neste projeto, foi coletada uma grande quantidade de relatos de aparições sobrenaturais (muitas datadas e localizadas com precisão), junto à população do município de Conceição da Aparecida, MG. Estes relatos foram analisados à luz de pesquisas sobre a história do local e sobre a ?cultura rústica?, incluindo aí o estudo de contos populares e do mundo rural objetivo e subjetivo, utilizando a soma das contribuições das disciplinas da Antropologia, Sociologia, História e Lingüística. Nas estórias contadas, as aparições são sempre motivadas pela ruptura com algum preceito desejado e a identificação daqueles preceitos, que com maior freqüência nas estórias se repetiram como regras a serem observadas, permitiu apontar para uma ética social que está sendo defendida pelos contadores de estórias. Esta ética social é constituída por um conjunto de valores ou regras de proceder que batem de frente com a ética da sociedade urbana e industrial e, não por acaso, o número de estórias aumentou com o processo de migração para as cidades e a penetração do capitalismo no campo, o que indica que a prática de contar causos de assombração é não só um elemento constitutivo da ?cultura rústica?, como também uma manifestação de resistência deste tipo de cultura.

Cultura Popular XE "Cultura Popular"  ? Assombração XE "Assombração"  ? Literatura Oral XE "Literatura Oral"

H376

A inserção do jovem no mercado de trabalho através dos patrulheiros em cidades de médio porte: o caso de Indaiatuba

Marcos Roberto Mesquita (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Josué Pereira da Silva (orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

A inserção do jovem no mercado de trabalho é um processo difícil que afeta não só o jovem, mas também a sua família, pois o jovem pobre necessita ajudar no orçamento doméstico. Uma das formas de facilitar essa inserção é o patrulheirismo, que funciona como uma política pública não estatal. Neste trabalho, estudamos a inserção do jovem no mercado de trabalho quando ele é patrulheiro em uma cidade de médio porte, Indaiatuba, que se localiza na Região Metropolitana de Campinas. Uma das fontes de dados para esse estudo foram as entrevistas com três segmentos de patrulheiros (futuro patrulheiro, patrulheiro e ex-patrulheiro) e com a assistente social do Campi (Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Indaiatuba), entidade que forma os jovens patrulheiros No patrulheirismo o jovem faz um curso de três meses, onde aumenta sua especialização. Depois do curso ele é encaminhado para o estágio, após o estágio ele pode ser efetivado pela empresa.

Primeiro emprego XE "Primeiro emprego"  - Política pública XE "Política pública"  - Juventude XE "Juventude"

H377

RAPARIGAS E MEGANHAS NO CAMPO DE SANTANA: ELEMENTOS PARA UMA HISTÓRIA SOCIAL DA PROSTITUIÇÃO (1903-1907)

Lerice de Castro Garzoni (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria Clementina Pereira Cunha (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

O projeto visa investigar a prostituição existente em torno da Praça de República, antigo Campo de Santana, nos primeiros anos do século XX. Essa praça fica próxima da região do Mangue e recebe as prostitutas expulsas da freguesia de Sacramento, por conseqüência do policiamento e das campanhas moralizadoras. Entre os objetivos, pretende-se observar a relação entre essas mulheres e os policiais, assim como entre elas e as demais pessoas, homens e mulheres, que habitam, trabalham ou estão de passagem pela referida praça. Para isso, serão analisados livros de ocorrências policiais, processos criminais, imprensa e literatura. Essas leituras ajudarão a entender como a atuação das autoridades muda com o decorrer do tempo e em relação a diferentes regiões da cidade. O início da pesquisa mostrou a necessidade de refletir sobre a maneira como as mulheres poderiam ser identificadas, quais os significados e as negociações no momento de registrá-las como ?meretrizes? ou ?vagabundas? quando estavam no interior de uma delegacia. O projeto mantém relação com o Projeto Temático Santana e Bexiga - cotidiano e cultura de trabalhadores urbanos em São Paulo e Rio de Janeiro, entre 1870 e 1930, financiado pela FAPESP e integrado por pesquisadores do Centro de Pesquisa em História Social da Cultura.

Mulheres XE "Mulheres"  - Rio de Janeiro XE "Rio de Janeiro"  - República XE "República"

H379

Documentos e Memórias da Ditadura Militar (1964-1985)

Mário Augusto Medeiros da Silva (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria Lygia Quartim de Moraes (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

O projeto de pesquisa integrado sobre Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)e Memória Política têm como foco a análise dos dados obtidos com projeto Brasil Nunca Mais acerca da atuação da repressão no estado de SP Utilizou-se os tomos do Brasil Nunca Mais, processos guardados no Arquivo Edgard Leurenroth (AEL/UNICAMP), bem como com a memória de ex-militantes da esquerda armada, registrada em livros e depoimentos em contraste com a história oficial conhecida sobre o período. Procura-se entender como funcionava a repressão no estado de SP, saber quem foram as vítimas, quantas foram e quem eram seus algozes. Construiu-se um banco de dados a partir dessas informações, que foram analisadas e evidenciadas em página na internet. Objetiva-se com isso a reconstituição da memória daqueles que pegaram em armas, a rediscussão do assunto e, principalmente, informar aqueles que o desconhecem para que nunca mais aconteça

Memória XE "Memória"  - Brasil (1964-1985) XE "Brasil (1964-1985)"  - Esquerda Armada XE "Esquerda Armada"

H380

Sobre a inserção da Maçonaria na sociedade brasileira contemporânea: aspectos sociológicos

Ana Paula Belon Lima (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Suely Kofes (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP

Esta pesquisa visa realizar uma análise sociológica da atuação da maçonaria contemporânea na sociedade brasileira, a partir de uma investigação em um município do estado de São Paulo, denominado Porto Feliz, através, sobretudo, de entrevistas e análise do material maçônico (sites, periódicos, livros). Os objetivos são: compreender a interação da maçonaria com outras instituições sociais, tais como Igreja católica e Rotary Club, partindo da investigação da manutenção de entidades caritativas; mapear as trajetórias dos maçons desde o período anterior ao seu ingresso na associação até os dias atuais, identificando a profissão e a posição social de cada um; investigar a lógica simbólica e o princípio da igualdade do discurso da maçonaria a fim de entender a relação firmada entre maçons e não maçons tanto no âmbito interno da associação quanto no contexto externo.

Maçonaria no Brasil XE "Maçonaria no Brasil"  - Política e Assistencialismo XE "Política e Assistencialismo"  - Igreja católica e Rotary Club XE "Igreja católica e Rotary Club"

H381

PRIVATIZAÇÃO E TERCEIRIZAÇÃO DO TRABALHO NO SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES: UM ESTUDO DA EMPRESA TELEFÔNICA S.A.

Sávio Machado Cavalcante (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo L. C. Antunes (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

O objetivo deste trabalho é discutir o processo de reestruturação produtiva no setor de telecomunicações brasileiro, tendo como ponto de partida as transformações advindas com a privatização do sistema Telebrás, em 1998, em especial a crescente prática de terceirização do trabalho neste setor. Para tal, propomos uma discussão a respeito das principais metamorfoses do mundo do trabalho contemporâneo, verificadas, principalmente, após a crise da década de 1970 em diversos países. Interagindo com a reestruturação produtiva do capitalismo mundializado em vários segmentos da produção, as transformações nas esferas tecnológica, econômica e institucional das telecomunicações têm desempenhado um importante papel de suporte às novas estratégias de produção e comunicação. Tendo em vista essas mudanças, passamos a discutir sobre os principais contornos do processo de privatização e terceirização na empresa em questão, através da leitura de publicações, jornais e demais trabalhos especializados. Por um lado, procuramos mostrar as conseqüências da nova lógica mercadológica que sustenta o setor, relegando à população o caráter de consumidores. Por outro, verificamos o crescimento das terceirizações aliado a um processo de deterioração das condições gerais de trabalho, em um contexto de altos índices de desemprego e desregulamentação dos mercados de trabalho.

Privatização  XE "Privatização" -Terceirização XE "Terceirização"  - Telecomunicações XE "Telecomunicações"

H384

O MUNDO DE SOFIA: MACHADO DE ASSIS E AS LEITORAS DE QUINCAS BORBA

Deborah Quiney Katsuragawa (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Sidney Chalhoub (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

O objetivo principal desta pesquisa é analisar, do ponto de vista histórico, a relação existente entre o romance Quincas Borba, de Machado de Assis, e o jornal de modas A Estação (destinado a um público essencialmente feminino), onde foi publicado pela primeira vez, em folhetins. Em outras palavras, partindo da hipótese de que o conteúdo do jornal auxiliou o autor no processo de escrita, uma vez que se sabe que o romance foi produzido conforme foi sendo publicado, trata-se de tentar compreender em que medida isto ocorreu, tomando justamente o público leitor em questão como nexo principal da relação entre o romance e o periódico. No desenvolvimento deste trabalho, ainda em curso, foi feita a leitura dos exemplares de A Estação, a fim de cruzar evidências encontradas no periódico com o conteúdo presente nos folhetins. Esta tarefa seria complementada por bibliografia sobre periódicos do gênero de A Estação, sobre Machado de Assis e o público de literatura no século XIX e sobre outros temas pertinentes à discussão.

História do Brasil XE "História do Brasil"  ? Machado de Assis XE "Machado de Assis"  ? Século XIX XE "Século XIX"

H385

?RIDENDO CASTIGAT MORES?: A SEMANA ILLUSTRADA DE HENRIQUE FLEIUSS E A FORMAÇÃO DA IMPRENSA ILUSTRADA NO BRASIL. RIO DE JANEIRO 1860-1876

Karen Fernanda Rodrigues de Souza (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Sidney Chalhoub (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

Este projeto tem por objetivo analisar a trajetória do periódico Semana Illustrada, produzido pelo alemão Henrique Fleiuss na cidade do Rio de Janeiro entre 1860 e 1876. Busca com isso evidenciar novos elementos que colaborem com o estudo da formação da imprensa ilustrada no Brasil. Adotando uma perspectiva de análise em história social, procura-se desvendar o contexto em que foi produzida a revista, seus criadores e objetivos com tal gênero, as interpretações suscitadas nos leitores, e o tratamento dispensado ao aspecto cômico na vida cotidiana da sociedade brasileira a partir da segunda metade do século XIX.

História XE "História"  - Imprensa XE "Imprensa"  - Caricatura XE "Caricatura"

H386

Cenas de trabalho: carregadores negros na iconografia de viajantes (Riode Janeiro: 1808-1850)

Paulo Cruz Terra (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Silvia Hunold Lara (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas ? IFCH, UNICAMP

Esta pesquisa visou fazer uma leitura das imagens dos carregadores negros presentes na iconografia de viajantes estrangeiros que estiveram no Rio de janeiro entre 1808 e 1850. Um dos objetivos era estudar as múltiplas dimensões da produção imagética desses viajantes, pesquisando as intenções dos artistas e a veiculação das imagens, entre outros temas. Ao seguir todas essas etapas de análise pretendia-se inquirir as fontes e perceber até que ponto elas podem nos informar sobre os sujeitos sociais ali retratados. Foi encontrada uma grande série de imagens relativas aos carregadores, muitas delas semelhantes em vários aspectos da representação. As analogias nos informam, por um lado, da constituição de um certo padrão iconográfico compartilhado entre viajantes provenientes de diferentes partes da Europa. Por outro lado, as mesmas semelhanças encontradas nos informam também sobre os carregadores negros ali retratados. A iconografia mostra a diversidade entre eles quanto às suas formas de organização, aos meios de trabalho e aos grupos étnicos. Uma importante conclusão deste trabalho é que vários signos presentes na experiência de trabalho dos carregadores foram registrados, porém não desvendados pelo olhar opaco dos viajantes estrangeiros. Sendo assim, essas fontes levantam importantes aspectos sobre os carregadores negros, mas que para interpreta-los é necessário também a utilização de outros tipos de fontes.

Negros -  XE "Negros"  Viajantes -  XE "Viajantes" Carregadores XE "Carregadores"

Instituto de Geociências

H387

AGLOMERAÇÕES INDUSTRIAIS:O SEGMENTO DE CONFECÇÃO INFANTIL DE AMPARO

Ricardo Yasukazu Nakamatu (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. André Tosi Furtado (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O Município de Amparo abriga um aglomerado de pequenas e médias empresas de confecção infantil. O objetivo da pesquisa consiste em mapear as relações inter-industriais e de transferência de conhecimento que dão sustentação ao que a literatura define como um distrito industrial. Essa pesquisa contou com o apoio e a colaboração direta da Prefeitura Municipal de Amparo. Ela iniciou-se, através da elaboração de um questionário, respondido por um grupo composto de 15 empresas. O questionário tem perguntas sobre recursos humanos, relação com clientes e fornecedores, características dos produtos e dos processos produtivos, estrutura de mercado e indicadores econômico-financeiros das empresas. Terminadas as entrevistas, utilizou-se o programa Excel, tabulando-se os resultados obtidos. Definindo assim, as seguintes conclusões: 40% dos empresários possuem o terceiro grau completo, 56,5% dos empregados têm até o primeiro grau completo e 86,7% destes nunca participaram de treinamentos; porém 84% das costureiras possuem experiência profissional anterior e grau de qualificação satisfatório; 60% das empresas utilizam programas de softwares em sua produção; em 2001 produziram 4 290 000 de peças, faturando um total de 9 milhões de reais.

Confecção infantil XE "Confecção infantil"  - Aglomerado industrial XE "Aglomerado industrial"  - Distrito industrial XE "Distrito industrial"

H388

CARTOGRAFIA DAS UNIDADES DE PAISAGEM NOS MUNICÍPIOS DE SUMARÉ E VALINHOS, REGIÃO ADMINISTRATIVA DE CAMPINAS (SP), COMO SUBSÍDIO A GESTÃO DA PAISAGEM

Thelma Maria Ferreira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Vitte (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

O objetivo da pesquisa é cartografar e analisar as unidades de paisagem nos municípios de Sumaré e Valinhos, Região Metropolitana de Campinas (SP). Quanto ao método trabalhou-se com o conceito de ?fragilidade ambiental da paisagem? (Ross, 1996). O município de Sumaré foi dividido em 143 bacias de drenagem, e o município de Valinhos foi dividido em 324 bacias de drenagem, onde foram mapeados os seguintes índices: hierarquia fluvial, densidade de nascentes, densidade de drenagem, comprimento de vertentes, dissecação horizontal, compartimentação topográfica, além da confecção de mapa de declividade e de modelo digital do terreno . Para cada município montou-se um banco de dados a partir do cálculo da ?baixa?, ?média? e ?alta? ?fragilidade potencial? de acordo com a média ponderada dos índices supracitados na área de cada bacia hidrográfica, os quais, receberam peso de 1 a 5 em função da sua relevância na dinamização da fragilidade da paisagem. Com isto, construiu-se o ?mapa síntese? da fragilidade potencial de cada município.

Fragilidade Ambiental XE "Fragilidade Ambiental"  - Cartografia Ambiental XE "Cartografia Ambiental"  - Morfometria XE "Morfometria"

H389

GÊNESE E EVOLUÇÃO DE VERTENTES NA BACIA DO RIBEIRÃO JUNCAL, MUNICÍPIO DE SALTO DE PIRAPORA (SP)

Wagner da Silva Amaral (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Antonio Carlos Vitte (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O objetivo deste projeto de pesquisa foi compreender a gênese e a evolução das vertentes por meio das características e propriedades das rampas de colúvio. Essas, constituem-se em feições deposicionais geradas pela dinâmica da erosão e sedimentação em cabeceiras de drenagem e intensificadas pelas variações climáticas. A área pesquisada foi a bacia do Ribeirão Juncal, situada no município de Salto de Pirapora, que marca o contato entre a Bacia Sedimentar do Paraná e o Planalto Atlântico. Metodologicamente, assume-se que as vertentes no sudeste do Brasil apresentam uma origem complexa, em função das alternâncias entre biostasia e resistasia ao longo do Quaternário. Por meio de análises sedimentológicas, químicas e micromorfológicas, pretendeu-se caracterizar a propriedade dos colúvios, permitindo assim estabelecer uma cronologia relativa da fase ou fases de morfogênese em uma região de contato entre duas províncias geomorfológicas, problemática esta pouco estudada atualmente na geomorfologia.

Geomorfologia XE "Geomorfologia"  - Vertentes XE "Vertentes"  - Morfogênese XE "Morfogênese"

H390

O PAPEL DESEMPENHADO PELA CARTOGRAFIA NA DISCIPLINA DE GEOGRAFIA, NO 3º CICLO DO ENSINO FUNDAMENTAL ? PROPONDO ATIVIDADES DIDÁTICAS

Gabriela R. Caldeira Pereira Lima (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Alberto Lobão da Silveira Cunha (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

Esta pesquisa objetivou buscar formas alternativas para o trabalho do professor com a Cartografia em sala de aula, após analisar, em pesquisa anterior denominada Projeto Cartografia no Ensino Fundamental ? ano de 2001, os usos da Cartografia nas 5ª e 6ª séries, em escolas púbicas e privadas do município de Campinas; onde se pôde levantar as dificuldades e deficiências de professores e alunos de Geografia em relação ao conteúdo de Cartografia. O trabalho com mapas pode e deve ser mais valorizado durante todo o ensino de Geografia, pois desenvolve nos aprendizes o raciocínio lógico, permitindo correlacionar informações, visualizando dados que ficam muito abstratos e distantes quando representados apenas por tabelas. Realizou-se levantamento bibliográfico, bem como em sites, em busca de sugestões de trabalho e atividades que auxiliassem o professor no ensino da Cartografia. Com base nos referenciais novas atividades foram criadas para que, a partir da 5ª série, o aluno trabalhe em dois eixos com a representação cartográfica. No primeiro eixo, o trabalho deve se dar com produtos cartográficos prontos, tendo no final um aluno leitor crítico de mapas. No segundo eixo, o aluno deve participar do processo de construção de mapas para se tornar um aluno mapeador consciente.

Cartografia XE "Cartografia"  - Geografia XE "Geografia"  - Ensino XE "Ensino"

H391

O Papel do Fixo Público na Dinamização e Cientifização do Território Paulista

Bruno Santiago Mastrocola e Prof. Dr. Márcio Antonio Cataia (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

A conformação do território nacional é coerente com a intelectualização da vida social e econômica do país. Ao longo do tempo, o ensino superior manifesta-se de forma distinta, sempre atenta aos reclames do período que a engendra; ao mesmo tempo, as universidades são as grandes produtoras de conhecimentos de técnicas e informações específicas necessárias à constituição do território em crescente construção. A partir dela, propõe-se captar a evolução do território paulista e seu respectivo uso, até chegar ao período atual: o período técnico-científico-informacional. Percebe-se a participação da universidade em diversos momentos da integração nacional: o Brasil como arquipélago da mecanização incompleta; na mecanização da produção e do território até a integração das redes materiais e imateriais, constantemente renovada e seletiva subserviente aos ditames internos e externos à nação. Nesses termos, emerge a possibilidade de analisar a distribuição geográfica das Universidades pelo território paulista, focando a consolidação da Região Concentrada e sua importância para a nação como um todo. Desta maneira, propõe-se a discussão sobre o papel do fixo público na consolidação de uma nova proposta de integração do território nacional em detrimento ao novo período que se configura.

Espaço Geográfico XE "Espaço Geográfico"  ? Integração do Território Brasileiro XE "Integração do Território Brasileiro"  ? Fixos Públicos XE "Fixos Públicos"

H392

AVIÕES E AEROPORTOS EM FAZENDAS DO CENTRO-OESTE REGULADOS POR SÃO PAULO: ELEMENTOS DO CIRCUITO ESPACIAL DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA

Fabrício Gallo (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Márcio Cataia (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

A difusão do meio técnico-científico-informacional possibilitou que o Brasil, mais especificamente a região Centro-Oeste e partes do cerrado nordestino, praticasse uma agricultura científica globalizada. Contudo, mesmo com a dispersão das atividades produtivas o comando da economia permaneceu centralizado, delegando à cidade de São Paulo, centro da Região Concentrada, a função de controle econômico e administrativo dada sua intensa densidade informacional. A fluidez que caracteriza os novos processos produtivos da economia mundializada, passa a ser também um dado das políticas empresariais influenciando no deslocamento dos agentes responsáveis pela produção. Assim, na região Centro-Oeste onde a densidade dos transportes terrestres é relativamente baixa, o sistema de movimentos aéreos, do qual também fazem parte os aviões de pequeno porte, surge como elemento para suprir tal carência de fluidez, vindo a justificar o elevado percentual de aeroportos localizados em fazendas nessa região. Tal deslocamento, tendo que ser feito regularmente para a cidade de São Paulo, evidencia que as decisões acerca do processo produtivo não mais se encontram na arena de produção, sugerindo que o atual modelo agrícola adotado no território brasileiro corrobora a idéia da alienação territorial dada pelo seu uso.

Alienação territorial XE "Alienação territorial"  - Sistema de movimentos aéreos XE "Sistema de movimentos aéreos"  - Uso do território XE "Uso do território"

H393

O Papel dos Fluxos na Instituição, Consolidação e Expansão da Região Metropolitana de Campinas (RMC)

Flávio Renato Nascimento dos Santos e Prof. Dr. Márcio Antônio Cataia (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

Os fluxos são importantes fatores na dinâmica da Economia. Os custos de transporte material e imaterial estão dentre os responsáveis pela variação nos preços dos produtos. Neste sentido, a Logística desponta como promessa na consolidação das relações comerciais estabelecidas neste século. Garantir a fluidez do Sistema Geral é responsabilidade daqueles que gerenciam o Sistema Circulatório (as vias de fluxo). Mediando a necessidade de acelerar e integrar ações cotidianas e os problemas delas decorrentes, está a possibilidade de alcançar eficácia através do planejamento aliado às Novas Tecnologias da Informação. A RMC representa quase 5% do PIB brasileiro, assim, é primaz compreendermos os porquês das impedâncias no funcionamento de seus fluxos. A análise geográfica é de suma importância para a contextualização da problemática social e das possíveis soluções levantadas para a mesma.

Redes de Fluxos XE "Redes de Fluxos"  - Logística XE "Logística"  - Transporte Coletivo XE "Transporte Coletivo"

H394

O USO DO HELICÓPTERO NA ACELERAÇÃO DOS FLUXOS HEGEMÔNICOS NA METRÓPOLE DE SÃO PAULO

José de Barros Pinto Filho (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Márcio Cataia (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

A Metrópole de São Paulo no atual período técnico-científico e informacional é marcada pela busca incessante de fluidez na circulação dos fluxos hegemônicos. Um indicador desta fluidez está no uso do helicóptero como meio de transporte que mais se adapta ao ritmo de aceleração do período contemporâneo, sendo um dos elementos reveladores da densidade dos negócios executados pelo circuito superior da economia urbana na metrópole. O helicóptero torna-se de extrema importância para o funcionamento da metrópole em razão de suas possibilidades de uso tanto de caráter público, no policiamento, transporte aeromédico, quanto no atendimento aos anseios dos homens do tempo rápido na necessidade de transposição dos desafios impostos pela urbanização A Metrópole de São Paulo ocupa a primeira posição no mundo em horas de vôo de helicópteros e a segunda em número de helicópteros, atrás somente de Nova Iorque, além de possuir cerca de 300 helipontos - áreas no solo ou elevadas, utilizada para pousos e decolagens ? concentrados nas frações do território com alta densidade técnica. Neste sentido, o helicóptero, objeto técnico, detentor e transportador de informação sobrevoa a metrópole impondo a ideologia da rapidez e segurança, elementos precisos e preciosos para os círculos de cooperação corporativos.

Fluidez do território XE "Fluidez do território"  - Helicópteros XE "Helicópteros"  - Metrópole de São Paulo XE "Metrópole de São Paulo"

H395

EMPRESAS RETICULARES: INCENTIVOS TERRITORIAIS, USO E ALIENAÇÃO DO TERRITÓRIO

Marianna Lamas Ramalho (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Márcio Cataia, Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

No período atual, caracterizado pela globalização econômica e por densidades técnicas e informacionais cada vez maiores e seletivas, torna-se importante compreender como se dá a atuação das empresas reticulares, e como estas se valem do poder político do Estado. Nesta pesquisa adotou-se como objeto empírico a franquia da rede de refrigerantes Pepsi-Cola, com destaque para a fábrica localizada no município de Jundiaí. Com isso, buscou-se compreender a atuação de uma empresa reticular, cujo funcionamento da produção lato sensu (produção, distribuição, circulação e consumo) tem como suporte fluxos materiais e imateriais, que conformam um verdadeiro circuito espacial de produção. A política territorial das grandes empresas tem como característica submeter o poder político do Estado aos seus interesses unicamente corporativos. Para tanto, o Estado busca viabilizar todo o conjunto do território para o funcionamento eficaz dessas empresas, o que acaba por produzir um território alienado, normatizado pela política dessas empresas. O município de Jundiaí torna-se, então, um exemplo de como o poder público municipal viabiliza seu território, através de incentivos territoriais, para o funcionamento eficaz da empresa de refrigerantes Pepsi-Cola.

Empresa reticular XE "Empresa reticular"  - Política territorial das empresas XE "Política territorial das empresas"  - Território alienado XE "Território alienado"

H396

OS PEDÁGIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO E SUAS INTERVENÇÕES NA FLUIDEZ DAS REDES TERRITORIAIS

Marina Moreto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Márcio Cataia (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

A pesquisa a ser realizada pretende compreender como os pedágios, após a concessão das rodovias a empresas privadas, se distribuem pelo estado de São Paulo constituindo-se em entraves à fluidez territorial, tomando as redes como sistemas técnicos e sociais do território pelo qual se dá o movimento de fluxos materiais e imateriais.O objeto empírico da pesquisa, ou seja, os pedágios, pode oferecer dados e conclusões concretos ao estudo teórico, embasado no método geográfico, analisando-se as ?economias territoriais? desenvolvidas pelas concessionárias das rodovias paulistas a fim de cumprirem sua função no sistema capitalista. Tais economias se constituem num grande negócio às concessionárias visto que a densidade técnica e intelectual presente no estado de São Paulo satisfaz interesses hegemônicos do capital, porém, esse jogo econômico e político das empresas privadas desagrega a sociedade a partir da produção de solidariedades organizacionais.

Redes XE "Redes"  ? Pedágios XE "Pedágios"  ? Concessionárias XE "Concessionárias"

H397

O Papel dos Macrossistemas Técnicos (rodoviário e enérgico) na Fragmentação do Território Brasileiro

Silvana Cristina da Silva e Prof. Dr. Márcio Cataia (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

Esta pesquisa propõe-se estudar como a implantação dos macrossistemas técnicos (rodoviário e energético) no território brasileiro é fundamental para guerra dos lugares e para a fragmentação do território. Pretende-se mostrar como a incorporação desigual destes sistemas aprofunda a fragmentação do território (criação de novos municípios), pois em função da existência destes elementos nos lugares há movimentos por maior autonomia. Nos lugares onde há pouca densidade técnica também existe movimentos por emancipação política como forma destes lugares serem efetivamente incorporados à modernização que pressupõe a existência daquelas infra-estruturas fundamentais. Além disso, a privatização desses macrossistemas acaba por acirrar a guerra dos lugares, isto porque o Estado, o grande provedor e regulador dos macrossistemas técnicos, esta perdendo a capacidade de organização do território com o processo de privatização ou de concessões à iniciativa privada, que por sua vez não apresenta interesses em tentar diminuir as desigualdades de densidades entre os lugares; pelo contrário, transporte e energia são vistos pela iniciativa privada como mercadorias como outras quaisquer. Isto só agrava os conflitos entre os lugares.

Território Brasileiro XE "Território Brasileiro"  - Macrossistemas Técnicos XE "Macrossistemas Técnicos"  - Fragmentação do território XE "Fragmentação do território"

H399

Pólos Tecnológicos na perspectiva do território usado: o caso de Campinas

Hélio Caetano Farias (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Tereza Paes Luchiari (Orientadora), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O progresso técnico-científico das últimas décadas, concomitante as novas formas de organização e gestão do trabalho, redefiniu a configuração territorial das atividades produtivas no mundo. Os pólos tecnológicos surgem nesta esteira como novos espaços produtivos, fundados na associação entre o conhecimento desenvolvido por universidades, institutos e centros de pesquisa com as empresas de alta tecnologia. Parte-se de uma nova lógica de acumulação, na qual a pesquisa e o conhecimento ganham força na dinâmica da sociedade e, por conseguinte, do espaço geográfico. A busca pela competitividade guia as relações entre capital-trabalho e, em termos territoriais, redefine a organização e a lógica da produção, que agora vive sobre a égide da velocidade. O território é, dessa forma, moldado para dar mais fluidez e responder aos imperativos deste atual período técnico-científico-informacional. A crença que a produção de alta tecnologia impulsionaria o desenvolvimento regional fez com que no Brasil, sobretudo nas décadas de 80 e 90 surgisse uma série de iniciativas como as descritas, no entanto, poucas ou quase nenhuma lograram em obter resultados contundentes. Considerando estas particularidades, Campinas apresenta-se como um dos exemplos nacionais mais bem sucedidos, todavia muitas são as perversidades que esta experiência demonstra, mormente no que se refere ao uso do território.

Pólo Tecnológico XE "Pólo Tecnológico"  - Território XE "Território"  - Campinas XE "Campinas"

H400

A PRAÇA NO LUGAR. UMA FORMA-CONTEÚDO NA SOCIABILIDADE DA RAZÃO COTIDIANA

Shanti Nitya Marengo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Tereza Luchiari (Orientadora), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

Esta pesquisa faz uma reflexão sobre um tipo de espaço público específico, a praça, analisando-o à luz das quatro categorias geográficas: forma, função, processo e estrutura (Santos, 1985). A praça como forma, surgida a partir de um processo histórico que lhe imprime conteúdo por meio das funções que lhe são atribuídas pela estrutura social. Forma-conteúdo, espaço social do cotidiano, a praça é capaz de possibilitar a sociabilidade entre os indivíduos, e de contribuir na construção do lugar. Partindo desta concepção, realizou-se um trabalho empírico nas praças da área central de Barão Geraldo, distrito de Campinas, São Paulo, baseado em fotografias e entrevistas. Para explicar o caráter muito específico das praças em Barão Geraldo, teve-se que recorrer a análise do tecido sócio espacial do entorno, suas redes de circulação mais próximas e a algumas formas específicas, como os condomínios fechados. Tudo no sentido de se entender as sinergias entre as praças de Barão Geraldo e a sua população, compondo o lugar, recorte geográfico foco desta pesquisa.

Praça XE "Praça"  - Lugar XE "Lugar"  - Espaço público XE "Espaço público"

H401

ÁREAS DE DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE SANTA BÁRBARA D?OESTE-SP: IMPACTO AMBIENTAL E LEVANTAMENTO DE ALTERNATIVAS SOB ABORDAGEM GEOLÓGICA E GEOGRÁFICA

Cristiano Nunes Alves (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Pedro Wagner Gonçalves (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

O trabalho analisa a relação dos aspectos sócio-territoriais e a questão do lixo em Santa Bárbara D?Oeste (SP), nos últimos 30 anos. Constata a mudança do lixo em termos de geração, coleta e disposição final. Dessa forma, caracteriza a dinâmica e a configuração territorial do município e a maneira como este reage às pressões ao longo do tempo. Levantou-se informações sobre o município: crescimento populacional, taxa de urbanização, condições sanitárias, taxa de imigração, locais e formas utilizados para disposição do lixo. Interpreta-se que as mudanças nos procedimentos (do lixão existente até 1989 ao aterro municipal) revela pressões demográficas, técnicas e normativas. Elaborou mapa dos locais utilizados para disposição final de lixo. Observa-se tendência para maior rigor de funcionamento, diminuição de impacto ambiental e de gastos operacionais. Apesar disso, o aterro opera abaixo dos requisitos ambientais legais. Existe, ainda, cooperativa de moradores realizando reciclagem de resíduos em pequena escala. Mais do que qualquer outro aspecto técnico a questão dos resíduos é regida por contradições de nossa sociedade bem como inúmeros problemas sociais ou econômicos. Pois nota-se que a melhoria ambiental não traduz as intencionalidades em torno do problema.

Geografia XE "Geografia"  ? Resíduos sólidos XE "Resíduos sólidos"  ? Dinâmica sócio-territorial XE "Dinâmica sócio-territorial"

H402

ANÁLISE DAS MODIFICAÇÕES NO CONTEÚDO MUDANÇAS CLIMÁTICAS POR MEIO DE QUESTÕES DE AVALIAÇAÃO FORMAL (1973-1999)

Mariana Cabral Medina (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Pedro Wagner Gonçalves (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

Pioneiro na área de geociências e educação o trabalho seguiu duas orientações combinadas. Primeira, abordou o conteúdo referente a mudanças climáticas abrangido pelas questões. Segunda, abordou objetivos educacionais identificados pelos verbos de ação. Foram selecionadas questões de provas aplicadas em disciplinas de Geologia Introdutória. Perguntas que estavam conectadas aos processos formadores e ou influenciadores do sistema climático, já que percebemos a falta de especificidade do tema na ocorrência das questões. Provavelmente devido às bibliografias mais utilizadas pelos professores elaboradores das questões não tratarem do assunto. O tópico mudanças climáticas só foi incluído na literatura mais moderna destinada ao Ensino de Geologia Introdutória, apesar de controvérsias sobre o mesmo estarem presentes em bibliografias mais especializadas. Portanto, significativas alterações do modelo científico só foram observadas em questões a partir de 1998. A análise educacional baseou-se em dividir as questões selecionadas em dois critérios: primeiro, são questões que serviram de ferramenta auxiliar das aulas (provinhas) e segundo, questões que foram avaliações efetivamente (provas). Nas avaliações analisou-se o conteúdo educacional conforme Bloom, 1979, guiando-se pelos verbos de ação.

Ensino de geociências XE "Ensino de geociências"  - Avaliação Educacional XE "Avaliação Educacional"  - Climatologia XE "Climatologia"

H403

A GUERRA FISCAL COMO MANIFESTAÇÃO DA CRISE DO PACTO FEDERATIVO.Uma análise geográfica a partir do movimento do ICMS-QN

Alcides Manzoni Neto (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Ricardo A. Castillo (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

Propomos analisar as conseqüências sócio-espaciais da disputa entre os entes federativos pela atração de investimentos produtivos para dentro de suas fronteiras, utilizando-se da renúncia fiscal/tributária, a qual se dá através da manipulação e do movimento do ICMS-QN. Este mecanismo, chamado de guerra fiscal, é um componente da guerra dos lugares e ocorre porque no federalismo os estados desfrutam de algum grau de autonomia tributária/fiscal. A partir dessa análise, propomos interpretar o pacto federativo como um pacto territorial, condição fundamental para uma reforma tributária conseqüente e socialmente mais justa. Com isso objetivamos classificar a guerra fiscal como um desperdício de recursos públicos e como uma manifestação da substituição da política dos Estados pela política das empresas. Para tanto se propõe a elaboração de quadros referentes às renúncias fiscais pelos Estados e ainda classificá-los quanto a sua sustentabilidade financeira frente à União. Tendo em vista os dados adquiridos analisamos a guerra dos lugares como uma desordem que se instala no território nacional proveniente do enfraquecimento do papel regulador do Estado e o conseqüente fortalecimento do poder das empresas, as quais leiloam os lugares e provocam uma situação de conflito na Federação, despertando a necessidade de se estabelecer um novo pacto federativo e ainda uma reforma tributária que considere o papel ativo do território.

Território XE "Território"  - Guerra dos lugares XE "Guerra dos lugares"  - Pacto federativo XE "Pacto federativo"

H404

Tecnologias de informação e política territorial da montadora FIAT e suas concessionárias automobilísticas no Brasi

Josimar Martins Dias (Bolsista PIBIC/NPq) e Prof. Dr. Ricardo Abid Castillo (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

As mudanças nos paradigmas produtivos e de mobilidade, a partir dos anos 1970 têm provocado significativas alterações na organização e no uso dos territórios. A incorporação das tecnologias de informação às redes geográficas é um aspecto básico das novas exigências do período atual, marcado pela globalização de mercados e a flexibilização do crédito. Essa pesquisa interpreta a nova política territorial das empresas mundiais no Brasil através da análise de redes corporativas de comunicação de dados. Escolhemos o setor automobilístico e em particular o grupo FIAT, por ser muito representativo da nova organização produtiva voltada ao gerenciamento racional de distribuição de seus produtos pelo território, formando redes que utilizam tecnologias avançadas na transmissão de informações. A FIAT é uma corporação italiana que ordena verticalmente uma extensa rede geográfica de fluxos materiais e imateriais em 61 países. No Brasil possui duas montadoras em Minas Gerais e 570 concessionárias em todos os estados. Todas as informações e normas dessa rede no Brasil são transmitidas instantaneamente e simultaneamente através do sistema Frame Relay de transmissão de informações. A partir dessa análise empírica, objetivamos contribuir para a elaboração de uma teoria substantiva da organização, do uso e da regulação do território brasileiro por meio da análise das condições materiais e normativas de mobilidade geográfica.

Território XE "Território"  - Redes Geográficas XE "Redes Geográficas"  - Tecnologia XE "Tecnologia"

H405

Redes telemáticas corporativas e organização do território: a política territorial da companhia brasileira de distribuição

Júnior César Pinheiro (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Ricardo Abid Castillo (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

As possibilidades de ação oferecidas pelos sistemas técnicos atuais (aqueles imbuídos de tecnologia e informação) propõem um novo uso, uma nova organização e uma nova regulação do território brasileiro. O setor da grande distribuição em geral, e a Companhia Brasileira de Distribuição (holding do grupo Pão de Açúcar) em particular, têm nelas um novo instrumento para suas estratégias. Através destas novas possibilidades, a rede CBD conecta suas 499 lojas e 8 centros de distribuição dispersos por 11 estados brasileiros, à sua matriz em São Paulo. Devido aos altos níveis organizacionais alcançados, as novas possibilidades técnicas podem ser encaradas como instrumento de organização em escala nacional e desorganização em escala local. Afinal, com um total controle do que se passa em cada uma de suas lojas, a matriz CBD pode, através de informações qualitativas e quantitativas colhidas localmente, tecer suas estratégias de nível nacional. A ameaça à sobrevivência do pequeno comércio e do pequeno produtor locais são algumas desorganizações notadamente observadas. Examinar a relação da rede CBD e o território nacional é o objetivo deste trabalho.

Redes telemáticas corporativas XE "Redes telemáticas corporativas"  - Território brasileiro XE "Território brasileiro"  - Logística de distribuição XE "Logística de distribuição"

H406

RACIONALIDADE E CONTROLE DOS FLUXOS MATERIAIS NO TERRITÓRIO BRASILEIRO: o sistema de rastreamento e monitoramento de veículos por satélite

Leandro Trevisan (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo Abid Castillo (Orientador), Instituto de Geociências ? IG, UNICAMP

Os sistemas técnicos atuais, imbuídos de ciência e informação, tornaram-se elementos primordiais para compreender os mecanismos de funcionamento do território, pois conduzem a um uso corporativo deste, atendendo aos interesses dos agentes hegemônicos da economia e da política. O GPS, que está entre os sistemas técnicos que incorporam as NTI?s, possui diversas aplicações e sob a óptica do monitoramento e rastreamento de veículos no transporte rodoviário de cargas, constitui-se num elemento de grande importância para as novas formas de organização do território, frente ao crescente aumento de roubo dos bens transportados e concomitantemente aos novos paradigmas de produção que necessitam de uma grande racionalização e cronometrização dos fluxos materiais no território brasileiro. Buscou-se não apenas compreender o aparato tecnológico que envolve o sistema mas sobretudo o papel que este novo componente da logística empresarial exerce no uso e na organização do território. Face à configuração geográfica brasileira (tamanho, diversidade natural e desigual distribuição de densidades técnicas), temos então que o sistema de monitoramento e rastreamento por satélite torna-se componente da competitividade, racionalidade e fluidez territorial brasileira.

Monitoramento de Veículos XE "Monitoramento de Veículos"  ? Uso Corporativo do Território XE "Uso Corporativo do Território"  ? Logística de Transporte XE "Logística de Transporte"

H407

MODERNIZAÇÃO SELETIVA DO SISTEMA RODOVIÁRIO BRASILEIRO COMO BASE DA COMPETITIVIDADE TERRITORIAL: pedágios e densidades de movimentação de fluxos materiais

Rodrigo Spadari (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Ricardo Abid Castillo (Orientador), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

O período atual tem como marca a competitividade territorial e uma conseqüente busca incessante por fluidez e mobilidade, tendo como base as redes (de fluxos materiais e imateriais). O modal que dá base aos fluxos materiais no território brasileiro é o rodoviário; hoje, com as novas tecnologias de informação, há possibilidade de comunicação em qualquer ponto do território, entretanto nem todos os pontos são servidos por um sistema rodoviário eficiente, o que leva esses pontos a serem excluídos pelo capital seletivo, ocorrendo um descompasso entre fluxos materiais e imateriais. Atualmente, as concessões marcam uma nova fase do sistema rodoviário brasileiro, pois alem de serem base da expansão e modernização do modal rodoviário, as rodovias deixam de ser apenas suporte para um uso do território para serem, com o advento dos pedágios, um elemento de lucratividade. Os pedágios são evidenciadores de um uso seletivo do território, por localizarem-se em pontos estratégicos - concentram-se em áreas com maior densidade técnica e maior aprofundamento da divisão territorial do trabalho (Brasil: 183 praças, São Paulo: 101 praças). A modernização e expansão do sistema rodoviário são suporte das novas políticas territoriais das grandes empresas, seguindo uma lógica alienígena de divisão territorial do trabalho. Assim, há uma correlação entre investimentos na expansão e modernização do sistema rodoviário, concentração de pedágios e concentração produtiva.

Sistema rodoviário XE "Sistema rodoviário"  - Competitividade territorial XE "Competitividade territorial"  - Pedágios XE "Pedágios"

H408

ESTUDO HIDROLÓGICO E HIDROGEOLÓGICO DA CAVERNA DE SANTANA E REGIÕES ADJACENTES

Fernando de Mattos Coelho (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Sueli Yoshinaga Pereira (Orientadora), Instituto de Geociências - IG, UNICAMP

A elevada permeabilidade secundária de relevos cársticos, produto da dissolução das rochas carbonáticas, torna regiões cársticas um reservatório de grande potencial de água subterrânea, porém, vulneráveis à contaminação, em função da baixa capacidade de filtragem de impurezas solúveis e dos rápidos fluxos da água subterrânea. O conhecimento avançado sobre aqüíferos cársticos é importante para a implementação de projetos de manejo e conservação do patrimônio espeleológico na Região do Alto Vale do Ribeira - SP. Neste trabalho amostraram-se águas em 5 pontos diferentes na Região do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) sendo: (1) ressurgência Caverna de Santana; (2) ressurgência Lago do Bairro da Serra; (3) ressurgência Gruta do Laboratório; (4) área de captação de água para abastecimento do Bairro da Serra, Córrego do Macaquinho; e (5) estação de tratamento de água da SABESP. Foram coletadas amostras para análises em laboratório de cátions, ânions, metais pesados e alcalinidade, e executadas medidas in situ, como a condutividade da água, pH e temperatura. Os resultados das análises in situ indicaram águas diferentes nos Sistemas Cársticos e na água usada no Bairro da Serra, separando-as em dois grupos: (1) águas com alta concentração mineral e pH básico; (2) água com baixa concentração mineral e pH tendendo a ser ácido, respectivamente.

Cárste XE "Cárste"  ? Hidrogeologia XE "Hidrogeologia"  - Hidroquímica XE "Hidroquímica"

NEPAM - Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais

H409

Em Direção a Sustentabilidade: o caso da AMAI

Anaisa de Oliveira Pinto (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Lucia da Costa Ferreira (Orientador), Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais ? NEPAM, UNICAMP

Neste estudo, vinculado ao projeto temático ?Floresta e Mar: Usos e Conflitos no Vale do Ribeira e Litoral Sul de São Paulo?, buscou-se apreender as estratégias de ação elencadas por diversos atores sociais como eficazes na busca da sustentabilidade do uso dos recursos naturais. O principal ator estudado foi a Associação dos Monitores Ambientais de Iguape ? AMAI, com o caso da atividade de ecoturismo exercida na Estação Ecológica Juréia-Itatins: a Trilha do Imperador. A importância de tal caso reside na característica da unidade de conservação ? cuja atividade de ecoturismo é proibida por lei ?, além do caráter reivindicatório acerca de direitos diferenciados para a categoria social ?morador?. Os outros atores estudados para o entendimento da concepção da ação sustentável seriam a SMA, o SENAC e diversos autores com publicações sobre Sustentabilidade, Desenvolvimento Sustentável, Ecoturismo, Planejamento Turístico, Educação Ambiental e outras temáticas relacionadas. Os conflitos e dificuldades encontradas na implementação de ações em direção a sustentabilidade foram refletidos nas modificações sofridas pelo projeto por força de acontecimentos na realidade do trabalho em campo ? fechamento ao público da Trilha do Imperador etc.

Conflitos XE "Conflitos"  - Usos Recursos XE "Usos Recursos"  - Conservação XE "Conservação"

NEPO - Núcleo de Estudos da População

H368

METRÓPOLES E RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL: O CASO DE RECIFE

Maira Rodrigues (Bolsista IC/CNPq), Prof. Dr. Daniel Joseph Hogan (Orientador) e Prof. Dr. Roberto Luiz do Carmo (Co-Orientador), Núcleo de Estudos de População - NEPO, UNICAMP

Essa pesquisa tem o intuito de conhecer as relações entre o desenvolvimento urbano e o uso dos recurso hídricos na Metrópole do Recife. O levantamento do histórico da dinâmica demográfica e dos recursos hídricos, fornece informações para analisar como a ação humana afeta esses recursos e como os grupos humanos são afetados por esses recursos. A metodologia se baseou, por um lado, na leitura de jornais e acompanhamento de noticiários, para identificação de como essas questões aparecem na mídia, que representam um tipo de percepção local sobre os problemas. Por outro lado, na obtenção de informações demográficas, através principalmente dos dados censitários do IBGE, e informações ambientais junto a órgãos e instituições que tratam os problemas ? especialmente dos órgãos responsáveis pelos recursos hídricos. Como conclusões preliminares apontamos que no Recife a degradação dos recursos hídricos está relacionada com as dificuldades de implementação efetiva de um planejamento urbano e com o reduzido número de políticas públicas voltadas para a população de menor poder aquisitivo. A expansão da área metropolitana é marcada pela ocupação de áreas de risco ambiental por populações de baixa renda. Esse tipo de ocupação acaba provocando impactos ambientais significativos, além do perigo que representa para as populações envolvidas.

Recursos hídricos  XE "Recursos hídricos" - Metrópoles  XE "Metrópoles" - Políticas Sociais XE "Políticas Sociais"

H378

DA FOFOCA À AUTONOMIA, BRIGAS, INTRIGAS E TITITI: o masculino e o feminino entre jovens mulheres de camadas médias paulistanas

Camilo Albuquerque de Braz (Bolsista CNPq), Gláucia dos Santos Marcondes (Co-Autora) e Profa. Dra. Maria Coleta F. A. Oliveira (Orientadora), Núcleo de Estudos da População ? NEPO, UNICAMP

Esta é uma análise das representações sobre o masculino e o feminino presentes nas falas de 14 jovens solteiras, de 18 a 24 anos, de camadas médias paulistanas. O objetivo é perceber o que pensam dos homens, de forma geral, e do relacionamento que estabelecem com eles, de forma específica, em diversas esferas da vida social. A partir deste exercício qualitativo, percebeu-se como pensam a diferença, senão entre homens e mulheres objetivamente, ao menos entre universos distintos: o masculino e o feminino, valorizando ou desvalorizando cada um dos pólos contextualmente. O ?feminino? é valorizado sobretudo no que diz respeito ao espaço doméstico-familiar e aos relacionamentos afetivo-sexuais, enquanto o ?masculino? no que tange às relações de amizade e aos universos do trabalho. Ambigüidades à parte, é ao ?feminino? que essas jovens atribuem a possibilidade de mudança.

Gênero XE "Gênero"  - Antropologia XE "Antropologia"  - Sexualidade XE "Sexualidade"

H382

CRESCIMENTO DAS CIDADES,REGIONALIZAÇÃO E REESTRUTURAÇÃO URBANA NO EIXO DA HIDROVIA TIETÊ-PARANÁ

Graciella Dalla Torre (Bolsista Assistente Técnico/CNPq), Luis Gustavo Rovere Albanez (Bolsista de Iniciação Científica/CNPq) e Profa. Dra. Rosana Baeninger (Orientadora), Núcleo de Estudos de População-NEPO e Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH,UNICAMP

O estudo objetiva aprofundar o conhecimento a respeito da dinâmica demográfica, econômica, urbana e ambiental dos Municípios da Área de Influência da Hidrovia Tietê-Paraná vis-a-vis os processos recentes de reestruturação produtiva e seus impactos territoriais.. A base de dados utilizada baseia-se nos resultados do Censo Demográfico de 2000, bem como em entrevistas qualitativas e análises regionais. O cenário das migrações interestaduais e intra-estaduais determinam parte da dinâmica do crescimento das cidades paulistas. Além dessas dinâmicas, o processo de reorganização da população no espaço está marcado pelos crescentes deslocamentos intra-regionais. Nesse contexto, quais os possíveis impactos da Hidrovia Tietê-Paraná no crescimento das cidades? A partir da caracterização sociodemográfica das cidades e suas inserções na regionalização do Eixo da Hidrovia foi realizado visitas a campo em 15 cidades do Eixo que indicaram a complexidade e os nexos existentes entre as distintas localidades, ora relacionados com os impactos da reestrutruração urbana, ora com as transformações no meio rural das localidades.

Migração XE "Migração"  ? Urbanização XE "Urbanização"  ? Hidrovia Tietê-Paraná XE "Hidrovia Tietê-Paraná"

H383

MUNICÍPIOS PEQUENOS NO PROCESSO DE ESTRUTURAÇÃO DOS ESPAÇOS REGIONAIS: O EIXO DA HIDROVIA TIETÊ-PARANÁ

Maria Teresa Manfredo (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Rosana Baeninger (Orientadora), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas e Núcleo de Estudos de População ? UNICAMP

As migrações recentes e o processo de reorganização da população no espaço vêm contribuindo para a nova etapa da urbanização paulista. Neste contexto, este projeto tem como objetivo principal analisar a importância dos fenômenos demográficos e urbanos das últimas três décadas nos municípios pequenos da Hidrovia Tietê-Paraná, identificando possíveis impactos urbanos. Os dados utilizados baseiam-se nos resultados dos Censos Demográficos de 1970 a 2000, bem como em entrevistas qualitativas e análises regionais. A partir da caracterização sociodemográfica das cidades e suas inserções na regionalização do Eixo da Hidrovia foram realizadas visitas a campo nas cidades, com menos de 20 mil habitantes, de Arealva, Borborema, Boracéia, Cafelândia, Elias Fausto, Guarantã, Sabino, Santa Maria da Serra e Tabatinga. A reestruturação vivenciada nesses espaços apontam um novo cenário urbano, principalmente pela transformação no rural das localidades; ou seja, os nexos existentes entre as cidades passaram a assumir características não ligadas necessariamente com a industrialização dos espaços; a busca por vocações locais ou regionais vem impulsionando a inserção dos pequenos municípios no processo de reestruturação dos espaços regionais.

Crescimento das cidades XE "Crescimento das cidades"  ? Pequenos municípios XE "Pequenos municípios"  ? Hidrovia-Tietê-Paraná XE "Hidrovia-Tietê-Paraná"

PAGU - Núcleo de Estudos de Gênero

H398

Ciências e Feminismos no Início do Século ?Atuação política de Bertha Lutz e a sociedade brasileira de 1918 a 1932

Lia Gomes Pinto de Sousa (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Maria Margaret Lopes (Orientadora), Núcleo de Estudos de Gênero - PAGU, UNICAMP

Integrada ao projeto Feminismos, anfíbios, políticas ? a trajetória de Bertha Júlia Maria Lutz (1894-1976) nas ciências naturais, esta pesquisa investiga a atuação da naturalista e líder feminista. Focalizou-se com maior ênfase sua trajetória política, principalmente através da Federação Brasileira Pelo Progresso Feminino (FBPF), cujo principal objetivo foi a conquista do direito ao voto. A periodização proposta é marcada pela volta de Lutz ao Brasil em 1918, formada em Biologia na França, e pela reforma eleitoral que estendeu o direito de voto às mulheres, em 1932. Objetivou-se a percepção da integração, em Lutz, entre política e carreira científica, a despeito da comum separação entre os dois aspectos na bibliografia. Esta integração foi constatada na sua atuação no Museu Nacional (Rio de Janeiro), através de inúmeros documentos em que se explicitam seus ideais de profissionalização da mulher nas ciências. Juntamente com seus discursos veiculados pela FBPF, analisou-se também sua concepção de feminismo, de caráter marcadamente internacional, que dialoga com outros ?feminismos? da sociedade brasileira. A pesquisa envolveu extenso levantamento documental, contextualização conjuntural do período, e embasamento teórico para o estudo de relações de gênero e ciências.

Bertha Lutz XE "Bertha Lutz"  ? Feminismos XE "Feminismo"  ? Ciências XE "Ciência"

PROJETOS DA ÁREA TECNOLÓGICA

CESET - Centro Superior de Educação Tecnológica

T410

OS IMPACTOS DO DECRETO LEI Nº 10.267 DE AGOSTO DE 2001 DO MINISTÉRIO DO ESTADO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO NOS LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS RURAIS E SEUS REGISTROS IMOBILIÁRIOS

Agnaldo Vieira dos Santos e Prof. Dr. Edison Roberto Poleti (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

O Decreto Lei 10.267 de 28 de Agosto de 2001 do Ministério do Estado de Desenvolvimento Agrário na adoção do Sistema Geodésico Brasileiro único e na aplicação das novas tecnologias de posicionamento e georreferenciamento para imóveis rurais foram as principais alterações de impacto nos trabalhos topográficos tradicionais. As transformações de sistemas de coordenadas a partir de datum diferente e uma sugestão de mudança de origem de topocêntrico para geocêntrico podem melhorar as precisões requeridas. Os resultados também revelaram que as atribuições técnicas para a execução dos levantamentos topográficos, assim como o controle técnico dos registros imobiliários terá uma fiscalização permanente do INCRA.

SGB XE "SGB"  - Registro imobiliário XE "Registro imobiliário"  - INCRA XE "INCRA"

T411

AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO E ATUAÇÃO DAS LEIS DE ACESSIBILIDADE A DEFICIENTES NO MUNICÍPIO DE LIMEIRA

Fernanda Souza Carvalho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edison Roberto Poleti (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

O acesso às edificações e espaços públicos é imprescindível para a integração social das Pessoas Portadoras de Deficiência física - PPDs. A cidade de Limeira conta com uma lei que estabelece a supressão de barreiras e obstáculos que impeçam esse acesso nos projetos a serem aprovados e prevê a eliminação das já existentes. O trabalho diagnosticou se as condições impostas satisfazem as exigências de acessibilidade autônoma e segura conforme a NBR 9050. Através do estudo da legislação pertinente no país, coleta de depoimentos e verificações “in loco”, a avaliação permitiu direcionar quais os locais mais utilizados e de maior necessidade de adequação que, proporcionariam uma equiparação de oportunidades aos PPDs. A grande maioria dos locais visitados não tem ou não cumpre corretamente as condições de adaptação e isto mostra que a proteção legal que deveria amparar a integração social do PPD é falha, e ainda não atende a realidade do município. Notou-se ainda que, mesmo tendo uma legislação específica sobre o assunto, a cidade de Limeira está longe de alcançar a acessibilidade idealizada e requisitada pelos PPDs. Esta constatação mostra o quanto é limitado o acesso do PPD ao comércio e outros, e assim como a paridade das diferenças está longe de ser conseguida.

NBR 9050 XE "NBR 9050"  - Deficiente XE "Deficiente"  - Acessibilidade XE "Acessibilidade"

T412

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO MUNICIPAL E REGISTRO IMOBILIÁRIO DE PROJETOS EM ENGENHARIA ? UM ESTUDO DE CASO

Francys Evelyn Ribeiro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edison Roberto Poleti (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica ? CESET, UNICAMP

É importante que os profissionais na área de construção civil tenham orientações de como deve ser realizado o encaminhamento de documentações necessárias para a aprovação do projeto de engenharia e todas as documentações que levam a legalidade da construção diante dos órgãos competentes. Mas o que se percebe através de analises nos departamentos competentes é muito desconhecimento tanto do profissional da área como da população referente as condições irregulares que o imóvel se encontra, desconhecimento dos locais corretos a serem procurados, das leis, decretos, documentos, registros e todos emolumentos que acompanham o processo, que torna lento e oneroso os passos para conclusão do projeto de construção e regularização, causando a clandestinidade de muitos imóveis.Pensando nisso foi realizado esta pesquisa diante da cidade de Limeira, através de informações adquiridas nos departamentos competentes como devem ser realizados os procedimentos passo a passo para auxiliar os interessados na conclusão desses atos sem muitas dores de cabeça.Foi feito um manual informando por que construção tem habite-se, por que regularização não tem, onde deve ser considerado como área demolida em um projeto ou se deve ser considerado como reforma interna e outras dúvidas que é importante serem esclarecidas, pois na graduação não somos informados e/ou preparados adequadamente para realizarmos essa tarefa tão importante e também sobre os prejuízos que o proprietário do imóvel terá por desconhecimentos, com isso pensará duas vezes antes de construir ilegalmente.

Aprovação de plantas XE "Aprovação de plantas"  - Registro imobiliário XE "Registro imobiliário"  - Encaminhamento de projetos XE "Encaminhamento de projetos"

T413

GEORREFERENCIAMENTO DE RÉGUAS LINIMÉTRICAS NO MONITORAMENTO DE BACIAS HIDROLÓGICAS

Jaury de Toledo Júnior e Prof. Dr. Edison Roberto Poleti (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

O estudo da capacidade dos mananciais hidrológicos e o seu monitoramento tem sido uma preocupação dos governos municipais, estaduais e federal. O município de Limeira, através da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos voltado para este controle tem direcionado estudos de monitoramento das vazões mínimas das suas bacias de captação. Através de leituras periódicas em pontos de medições (réguas linimétricas) é possível acompanhar e avaliar a vazão em seus períodos críticos, possibilitando também direcionar o uso disciplinado das águas em seu percurso natural. O georreferenciamento destes pontos possibilita localizar espacialmente as suas posições, assim como estabelecer geograficamente as redes hidrológicas em seus níveis verdadeiros. Diante deste referencial as medidas efetuadas das vazões nos mananciais possibilitarão estabelecer subsídios necessários para avaliar os potenciais hídricos existentes e conduzir para um programa de Gestão Municipal de Recursos Hídricos.

Georreferenciamento XE "Georreferenciamento"  - Medições de vazões XE "Medições de vazões"  - Recursos Hídricos XE "Recursos Hídricos"

T414

MÉTODOS DE RESTAURAÇÃO E DO USO DE DETERMINADOS MATERIAIS NA REVITALIZAÇÃO DE CONSTRUÇÕES HISTÓRICAS

Pedro Roberto da Silva Neto (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Edison Roberto Poleti (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

A recuperação do patrimônio edificado deixou, ha muito tempo, de ser um ação voluntarista, baseada em abordagens impressionistas dos monumentos históricos para se afirmar como um processo complexo de aplicações interdisciplinares de saberes. A história, a arquitetura, a engenharia, a geologia, a tecnologia, a conservação e restauro e a química entre muitos outros, servidos ainda de levantamentos sistemáticos das estratigrafias de parâmetros, das técnicas atuais e dos materiais de construção vem contemplar os trabalhos de restauro e revitalização. Estudaram-se os conceitos de restauro em comparação com as técnicas atualmente empregadas e a utilização de materiais na revitalização de edificações históricas junto ao Instituto Tecnológico ITESP - Projeto Oficina Escola de Artes e Ofícios do Departamento de Memória, Patrimônio Cultural e Natural de Santana de Parnaíba. A necessidade de procedimentos científicos que subsidiassem implementação de decisões na manutenção da autenticidade de matéria prima e sua preservação foi o objetivo desta pesquisa. As obras estudadas em Santana do Parnaíba contribuíram na comparação com as técnicas que poderão ser aplicadas no patrimônio histórico de Limeira.

Patrimônio histórico XE "Patrimônio histórico"  - Restauração XE "Restauração"  - Materiais de construção XE "Materiais de construção"

T415

CONTROLADOR MICROPROGRAMADO SÍNCRONO PARA FINS DIDÁTICOS

Thiago Vaz Teodoro (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Francisco José Arnold (Orientador), Centro Superior de Educação Tecnológica - CESET, UNICAMP

Um controlador é um sistema seqüencial que fornece os comandos apropriados na seqüência correta para execução de operações predefinidas. Neste trabalho foi desenvolvido um controlador seqüencializador microprogramado síncrono ? projeto e implementação, como ferramenta de apoio para a compreensão do princípio de funcionamento de computadores digitais, com enfoque em controladores. No procedimento de projeto foi utilizada uma variação da modelagem PC-PO (Parte de Controle ? Parte Operativa), com a Parte Operativa já definida, sendo esta uma adaptação de arquitetura SISD (Single Instruction Single Data). Optou-se no projeto por um controlador microprogramado, equilibrando em seu desenvolvimento o compromisso didático com o enfoque de uma máquina de razoável capacidade. O usuário do sistema seleciona através de chaves uma certa instrução e em seguida, com uma sucessão de pulsos de relógio, é possível a visualização, através de indicadores luminosos leds, da seqüência de comandos gerados pelo controlador à arquitetura. A microprogramação revelou-se muito adequada para os propósitos do trabalho, apresentando as seguintes vantagens: sistematização de projeto, clareza de operação, flexibilidade com o conjunto de instruções, e muito propícia à implementação. A limitação na velocidade de operação e o maior emprego de hardware não foram fatores críticos neste projeto.

Controlador XE "Controlador"  ? Microprogramação XE "Microprogramação"  ? Ensino XE "Ensino"

T416

Aplicação de Cromatografia Gasosa em Análise de Reações de Oxidações de Cicloexano Catalisadas por Rutênio porfirinas

Laila Cocheo (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Maria Aparecida Carvalho de Medeiros (Orientadora), Centro Superior de Educação Tecnológica ? CESET, UNICAMP

Dentre as inúmeras moléculas estudadas nas diversas publicações encontradas na literatura sobre oxidação de compostos orgânicos, o cicloexano tem sido muito pesquisado, devido ao interesse não apenas científico mas também tecnológico. Metaloporfirinas têm sido sintetizadas e utilizadas como catalisadores para reações de epoxidação, mimetizando o ciclo catalítico curto do citocromo P-450. O objetivo deste trabalho é investigar o comportamento de rutênio (II) porfirinas (RuOCTCO e RuTPPCO) frente às reações de oxidação do cicloexano, utilizando o iodosobenzeno (?IO) como doador de oxigênio. As reações catalíticas foram realizadas em condições anaeróbias e na ausência de luz, utilizando-se como solvente a acetonitrila. Os produtos das reações de oxidação foram caracterizados por cromatografia gasosa (CG), utilizando-se a padronização externa. Os resultados das reações catalíticas de oxidação do cicloexano demonstraram que a melhor proporção de ?IO/RuTPPCO foi igual a 30 e ?IO/RuOCTCO foi igual a 20. Houve conversão do cicloexano em cicloexanol e/ou cicloexanona.

Oxidação XE "Oxidação"  - Metaloporfirinas XE "Metaloporfirinas"  - Cromatografia gasosa XE "Cromatografia gasosa"

T417

Aplicação de Cromatografia Gasosa em Análise de Poluentes Orgânicos, Através de Monitoramento de Reações de Epoxidações Catalisadas por Ferroporfirina Fluorada

Renata Maria Salvador (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Maria Aparecida Carvalho de Medeiros (Orientadora), Centro Superior de Educação Tecnológica ? CESET, UNICAMP

Atualmente, existe uma necessidade de busca de diferentes métodos alternativos e eficazes para a redução do impacto ambiental de efluentes industriais contaminados. Neste sentido, a epoxidação de poluentes orgânicos é sem dúvida uma área de pesquisa importante na área de Saneamento Ambiental. Metaloporfirinas têm sido sintetizadas e utilizadas como catalisadores para reações de epoxidação, mimetizando o ciclo catalítico curto do citocromo P-450. O objetivo deste trabalho é investigar o comportamento de ferro (III) tetrapentafluorofenilporfirina (FeTPFCl) frente às reações de epoxidação do cis-cicloocteno, utilizando o iodosobenzeno (?IO) como doador de oxigênio. As reações catalíticas foram realizadas em condições anaeróbias e na ausência de luz, utilizando-se como solvente a acetonitrila. Os produtos das reações de epoxidação foram caracterizados por cromatografia gasosa (CG), utilizando-se a padronização externa. Os resultados das reações catalíticas de epoxidação do cis-cicloocteno demonstraram que a melhor proporção de ?IO/FeTPF foi igual a 10. A concentração do epóxido após 24 horas ficou constante em 0,02027 mols/L. A estabilidade catalítica da FeTPFCl após a reação foi confirmada por espectrofotometria UV-vis.

Epoxidação XE "Epoxidação"  - Metaloporfirinas XE "Metaloporfirinas"  - Cromatografia gasosa XE "Cromatografia gasosa"

Faculdade de Engenharia de Alimentos

T418

CARACTERIZAÇÃO DE COMPOSTOS DE DEGRADAÇÃO TÉRMICA DA BIXINA

Lidiane Brito de Medeiros (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Adriana Zerlotti Mercadante (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

Os carotenóides, assim como a maioria dos corantes naturais, são susceptíveis à degradação com conseqüente perda do poder corante. A indústria busca alternativa para essa situação, como por exemplo o uso de carotenóides de urucum que privilegia, ainda, a indústria nacional, uma vez que o Brasil é um dos maiores produtores de urucum, cujo pigmento majoritário é a bixina. Neste trabalho, ao invés de investigar compostos de degradação após aquecimento da bixina, como previsto no projeto, foram estudados os compostos de degradação formados por ação de oxigênio singlete, utilizando um sistema de foto-oxidação com rosa de bengala como sensitizador, fonte de luz de 150 W e filtro laranja. Cristais de bixina foram preparados no laboratório com 97% de pureza, verificada por cromatografia liquida de alta eficiência (CLAE). Os compostos formados foram separados por cromatografia semi-preparativa em camada delgada (CCD) de sílica-gel. Entretanto, análise por CLAE mostrou que estes compostos não estavam puros. Com o intuito de purificar estes compostos, novos testes em CCD foram realizados modificando as fases estacionária e móvel. Entretanto, nenhum sistema foi eficiente para a purificação. Desta forma, não foi possível caracterizar através de derivatizações químicas os compostos de degradação.

Carotenóides XE "Carotenóides"  ? Urucum XE "Urucum"  - Isolamento XE "Isolamento"

T419

Valor Nutricional da Proteína de Soja comparado com Proteína de Alto Valor Biológico

Ana Carolina A. Guimarães (Bolsista SAE/PRG), Prescyla Aksamitas (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Débora Q. Tavares (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Pesquisas sobre qualidade nutricional de proteína de soja são contínuas porque esta já conquistou o mercado de alimentos. O objetivo é comparar in vivo a qualidade protéica do formulado Soymilke com a qualidade da caseína, a qual o rato metabolisa com alta eficiência. Para reanalisar a eficiência da caseína comercial utilizamos mais dois controles: o Caseinato de cálcio e o Caseinato de sódio. Aplicou-se o produto da Digestibilidade verdadeira (Dv) pelo escore de aminoácidos (sAA), este define a qualidade de qualquer proteína e se chama PDCAAs. Quatro grupos de ratos receberam dietas similares; apenas as frações protéicas provinham de cada tipo de caseína e do Soymilke. A Dv foi avaliada pela retenção corpórea do Nitrogênio da dieta. As três caseínas obtiveram valores próximos, sendo 90,7% a média. A Dv do Soymilke foi 85,4%. Finalmente, um PDCAAs só mantém o alto valor da Dv se os aminoácidos essenciais (sAA) estão pareados com as necessidades do rato ou por extensão, dos humanos. Efetuado o PDCAAs = Dv x sAA, resultou 93% para as caseínas e 77% para o Soymilke. É um valor considerado bom e foi alcançado pelo fato de o Soymilke ser fortificado em metionina, elevando, portanto, seu sAA. Verifica-se em relação a outros trabalhos que a digestibilidade dos produtos de soja tem aumentado, porém, há necessidade de compor as dietas de soja com aportes de metionina de fontes naturais ou por fortificação.

Proteína XE "Proteína"  - Soja XE "Soja"  - Digestibilidade XE "Digestibilidade"

T420

Solubilidade de óleo de peixe em dióxido de carbono supercrítico

Thiago Yuzo Matsuo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fernando Antonio Cabral (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

Recentemente descobriu-se a importância da ingestão de certos tipos de ácidos graxos polinsaturados conhecidos como EPA (ácido eicosapentaenóico, C20:5 (-3) e DHA (ácido docosahexaenóico C22:6 (-3). Estas substâncias são benéficas ao sistema circulatório, pois auxiliam na redução do ?mau colesterol? (LDL). Sabe-se que certos animais marinhos, em especial os de águas frias, são ótimas fontes de (-3. O principal objetivo deste projeto foi verificar a possibilidade de se obter frações de óleo de peixe com triglicerídeos mais ricos em ácidos graxos (-3, para tanto mediu-se a solubilidade de uma amostra de óleo de peixe (amostra padrão ROCHE() em diversas condições de temperatura e pressão e analisou-se o extrato obtido quanto à sua composição em ácidos graxos. A solubilidade e composição foram medidas nas condições entre 80 a 300 Kgf/cm2 de pressão e de 28 a 50oC, utilizando o CO2 supercrítico como solvente. O sistema de extração supercrítico foi operado pelo método dinâmico, sendo constituído de um cilindro com CO2 líquido que alimenta o sistema, banhos termostatizados, uma bomba de HPLC, um extrator recheado de esferas de vidro contendo uma amostra de óleo de peixe. Os maiores valores de solubilidade foram obtidos nas condições de maior pressão e temperatura, porém com menor poder de separação (seletividade). Para o óleo rico em ácidos graxos polinsaturados a separação (fracionamento) mais eficiente foi obtida nas condições de 80 Kgf /cm2 e 28oC.

Extração supercrítica XE "Extração supercrítica"  ? Solubilidade XE "Solubilidade"  ? Ácidos graxos Polinsaturados XE "Ácidos graxos Polinsaturados"

T421

Influência do método de extração em algumas propriedades funcionais das proteínas de Amaranto (Amaranthus cruentus)

Cathia dos Reis (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Flávia Maria Netto (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

O presente trabalho teve como objetivo estudar diferentes métodos de extração de proteínas e avaliar a sua influência nas propriedades funcionais das proteínas de Amaranto. Foram produzidos quatro tipos de concentrados, variando-se as condições da etapa da extração alcalina: pH 8,0, pH 9,0, pH 8,0 + 0,4M de NaCl e pH 9 + 0,4M de NaCl, os dois últimos foram dialisados após a etapa de precipitação e neutralização, para eliminação do excesso de NaCl adicionado. Tanto a farinha de Amaranto quanto os concentrados obtidos foram caracterizados em relação ao teor de umidade, proteínas, lipídeos e cinzas. O perfil das proteínas foi avaliado pela técnica SDS-PAGE. As propriedades funcionais estudadas foram solubilidade e emulsificação. A farinha apresentou 9,75% de umidade, 2,33% de cinzas, 7,07% de lipídeos e 15,62% de proteínas. A extração em pH 9,0 sem NaCl foi a que apresentou maior recuperação de proteína, 23,39%, e em pH 8,0 + NaCl foi a de menor rendimento, 11,29%. Os concentrados obtidos apresentaram entre 60 e 63% de proteína. O perfil eletroforético mostrou diferenças em função do pH de extração e da concentração de NaCl. A solubilidade em pH 3 variou de 37,55% (pH 8,0) a 52,55% (pH 8,0 + NaCl) e em pH 7 de 31,66% (pH 9,0) a 45,75% (pH 8,0 + NaCl). No estudo das propriedades emulsificantes, obteve-se para a capacidade de emulsificação em mL óleo/ g proteína: 98,14 (pH de extração 8,0), 107,14 (pH 8,0 + NaCl), 81,17 (pH 9,0) e 106,04 (pH 9,0 + NaCl). As diferentes condições de extração resultaram em diferentes rendimentos bem como em diferenças nas propriedades funcionais estudadas.

Amaranto XE "Amaranto"  ? Extração Proteína XE "Extração Proteína"  - Propriedades Funcionais XE "Propriedades Funcionais"

T422

SELEÇÃO DE MICRORGANISMOS PRODUTORES DE LIPASE ALCALINA E PRODUÇÃO DE LIPASE ALCALINA MICROBIANA

Patrícia Daiane Marques (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Gláucia Maria Pastore (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

Lipases são enzimas que catalisam a hidrólise de ligações ésteres de triglicerídeos liberando mono-, di-glicerídeos, ácidos graxos e gliceróis. Uma interessante aplicação industrial de lipases está na formulação de detergentes, para remoção de resíduos gordurosos com maior eficiência, reduzindo o tempo e a temperatura de lavagem. Este trabalho visou selecionar microrganismos produtores de lipases ativas em meios alcalinos a partir de amostras de solo e frutas do Nordeste Brasileiro. Dos 273 microrganismos isolados, 90 foram pré-selecionados em meio de cultura sólido contendo Rhodamina B, onde halos fluorescentes de hidrólise indicaram a presença de lipase. Estes microrganismos foram inoculados em meio de cultura líquido (pH 9, 30oC, 160 rpm) para produção de lipase extracelular. Após 72 h de incubação, a suspensão do meio de cultura foi utilizada para determinar a atividade lipolítica alcalina a pH 9,0, 37oC, 160 rpm, 20 min. Os microrganismos 160A1 e 152B foram selecionados como bons produtores de lipase nestas condições. Para otimizar a produção de lipase alcalina extracelular, os microrganismos foram inoculados em dois meios de cultura, contendo ou peptona ou água de maceração de milho e farinha de soja, em diferentes temperaturas e pHs. A produção de lipase alcalina foi mais acentuada no meio com peptona a 30oC e pH 6,0.

Lipase -  XE "Lipase" Alcalina -  XE "Alcalina" Hidrólise XE "Hidrólise"

T423

Determinação da doçura ideal, doçura equivalente, aceitação e perfil sensorial de chá mate quente com diferentes edulcorantes

Juliana Maria Porto Cardoso (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Helena Maria André Bolini Cardello (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Este trabalho procurou determinar a equivalência de doçura de diferentes edulcorantes em relação à sacarose, verificando diferenças nas potências edulcorantes e nos perfis sensoriais dos mesmos, analisando a aceitação das substâncias em chá mate quente (45oC). Determinou-se a concentração ideal de 8,15 % de sacarose a ser adicionada ao chá mate quente, através de um teste de aceitação utilizando escala do ideal. A doçura equivalente dos edulcorantes foi determinada pelo método de estimação de magnitude, e o perfil sensorial por análise descritiva quantitativa. Os termos descritores levantados foram avaliados em fichas com escalas de 9 centímetros, com extremos "fraco", ou "nenhum" à esquerda e à direita "forte". Selecionou-se uma equipe com base no poder de discriminação entre amostras, repetibilidade e concordância entre os provadores, verificadas através de análise de variância. As concentrações equivalentes para os edulcorantes foram: Aspartame (0,05%), Ciclamato/Sacarina 2:1 (0,03%), Estévia (0,07%) e Sucralose (0,012%). Verificou-se, através de teste de aceitação que dentre os edulcorantes, o aspartame é significativamente superior e que o extrato de estévia foi o menos apreciado, por seu gosto amargo característico. Os termos descritores do chá mate quente foram: cor marrom, translucidez, corpo, aroma de chá mate e de açúcar queimado, sabor de chá mate, amargo, amargo residual, doçura e doçura residual.

Edulcorantes XE "Edulcorantes"  - Doçura XE "Doçura"  - Sensorial XE "Sensorial"  - Análise XE "Análise"

T424

Equivalência de doçura, aceitação e perfil sensorial de edulcorantes em bebida de chá mate gelada

Juliana Rosa Battochio (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Helena Maria André Bolini Cardello (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

Este trabalho teve por objetivo comparar sensorialmente bebida de chá mate gelada (6 ( 2 ºC), adoçada com diferentes edulcorantes (aspartame, extrato de folhas de estévia, mistura ciclamato/sacarina, sucralose e acessulfame-K) e sacarose. Em primeiro lugar foi realizado um estudo para se obter a doçura considerada como ideal para a bebida de chá mate gelada, utilizando-se escala-do-ideal, sendo 8,31% o resultado obtido. Para a determinação da doçura equivalente de cada edulcorante em relação à sacarose foi utilizado o método de estimação de magnitude, o qual proporciona a medida quantitativa direta da intensidade subjetiva de doçura. As concentrações obtidas para cada edulcorante equivalentes a 8,31% de sacarose foram: 0,03% para aspartame, 0,025% para mistura ciclamato/sacarina, 0,1% para estévia, 0,015% para sucralose e 0,03% para acessulfame-K. Após a determinação da equivalência de doçura, foi feito um teste de aceitação com as amostras de chá adoçadas com os edulcorantes estudados, os quais foram avaliados em relação aos atributos de aroma, sabor, cor e impressão global, através da escala hedônica de nove centímetros. Foi verificado que a sacarose é o adoçante mais bem aceito e, dentre os edulcorantes não calóricos, a sucralose ficou em primeiro lugar e a estévia em último, quanto à aceitação global. Para a Análise Descritiva Quantitativa (ADQ), os candidatos pré-selecionados fizeram o levantamento dos termos descritores sensoriais do chá mate gelado adoçado com os diferentes edulcorantes através do método rede. Com os termos descritores gerados, foi elaborada a ficha de avaliação, com escalas não estruturadas de 9 centímetros, ancoradas nos pontos extremos, à esquerda pelo termo "fraco" ou "nenhum" e à direita "forte".

Edulcorantes XE "Edulcorantes"  - Doçura XE "Doçura"  - Sensorial XE "Sensorial"

T425

ANÁLISE TEMPO-INTENSIDADE, TESTES AFETIVOS E ATITUDE DO CONSUMIDOR EM RELAÇÃO AO CHOCOLATE COMERCIAL ADOÇADO COM SACAROSE E COM EDULCORANTE

Michelle Andriati Sentanin (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Helena Maria André Bolini Cardello (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

O objetivo do presente estudo foi avaliar sensorialmente três amostras comerciais de chocolate em barra, sendo um ao leite tradicional e outros dois dietéticos. Foi realizada análise de aceitação através de equipe de consumidores e determinação do perfil sensorial, através de Análise Descritiva Quantitativa, para a qual foi realizada a seleção, treinamento e determinação dos termos descritores dos chocolates. Foi possível verificar a atitude de compra dos consumidores em relação aos chocolates adoçados com sacarose (tradicional), com aspartame (dietético) e com maltitol (dietético). Os edulcorantes, como aspartame e maltitol, vem sendo largamente utilizado na indústria alimentícia, devido à exigência dos consumidores por alimentos de baixa caloria ou com teor de açúcar reduzido. Em chocolates, verificou-se aceitação significativamente superior para os adoçados com sacarose , seguidos pelos adoçados com aspartame e com maltitol . Além disso, o chocolate tradicional apresentou maciez superior, enquanto o dietético adoçado com aspartame apresentou maior resistência ao corte.

Análise sensorial XE "Análise sensorial"  - Chocolate XE "Chocolate"  - Edulcorante XE "Edulcorante"

T426

ANÁLISE SENSORIAL DE NÉCTAR DE PÊSSEGO (Prunus persica L.) COMERCIAL ADOÇADO COM SACAROSE E COM EDULCORANTE

Mirtes Ujikawa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Helena Maria André Bolini Cardello (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

O objetivo do presente estudo foi comparar a aceitação e a atitude do consumidor, e traçar o perfil sensorial de néctar de pêssego comercial, sendo um adoçado com sacarose (tradicional), e o outro com edulcorantes (aspartame e acessulfame-K). As amostras foram servidas aos provadores através de apresentação monádica em cálices formato tulipa transparentes e codificados, cobertos com vidros de relógio que eram retirados no momento do teste, para análise de cor, aroma, sabor e impressão global. As análises de aceitação foram realizadas por uma equipe composta por 81 provadores representativos do público alvo, utilizando escala hedônica não estruturada de nove centímetros. A análise Descritiva Quantitativa foi realizada por uma equipe de 10 provadores selecionados e treinados. Os resultados foram avaliados por análise de variância e Testes de médias de Tukey. Foram realizados também análise de histogramas da distribuição das notas dadas em relação à escala hedônica e em relação à atitude de compra. O néctar de pêssego adoçado com sacarose obteve médias de aceitação significativamente superiores (p(0,05) em relação à cor, ao aroma, ao sabor, à textura e impressão global, quando comparado com o mesmo produto em sua versão ?light?.

Néctar de Pêssego XE "Néctar de Pêssego"  - Edulcorante XE "Edulcorante"  - Análise sensorial XE "Análise sensorial"

T427

Produção de glicosiltransferase de Erwinia sp D12 e estudo da conversão de sacarose em isomaltulose

Eiric Manrich (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Hélia Harumi Sato (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

A isomaltulose é um dissacarídeo redutor, de baixo potencial cariogênico, utilizada comercialmente na produção de doces, confeitos e chocolates, sendo obtida por conversão enzimática da sacarose. Estudou-se a otimização do meio de cultivo de Erwinia sp D12, para a produção de glicosiltransferase intracelular, em frascos agitados, utilizando-se metodologia de planejamento experimental e análise de superfície de resposta. Foi obtida maior produção de enzima em meio de cultivo 1, composto de melaço de cana (160 g/L), peptona bacteriológica Biobrás (20 g/L) e extrato de levedura Prodesa Prodex Lac SD( (15 g/L), sendo que o meio de cultivo 2, composto de melaço de cana (100 g/L), água de maceração de milho (60 g/L) e extrato de levedura Prodesa Prodex Lac SD( (8 g/L), apresentou um custo cerca de 78 vezes menor que o meio de cultivo original. Estudou-se a cinética de crescimento celular e produção enzimática em fermentador de 5 litros. Obteve-se maior produção de glicosiltransferase após 10 horas de fermentação a 26ºC. Estudou-se também a conversão enzimática de sacarose em isomaltulose, utilizando-se células de Erwinia sp D12 imobilizadas em alginato de cálcio, em reator de leito fluidizado e em frascos agitados. Obteve-se melhor conversão de sacarose em isomaltulose utilizando-se, alginato de sódio Synth( na concentração de 2,0% (p/p) e células de Erwinia sp D12 na concentração de 40% (p/v).

Isomaltulose XE "Isomaltulose"  - Otimização de meio de cultivo XE "Otimização de meio de cultivo"  - Imobilização celular XE "Imobilização celular"

T428

CARACTERIZAÇÃO DO TAMARINDO (tamarindus indica) E ESTUDO DA EXTRAÇÃO E ESTABILIDADE DA POLPA

Bruna Mendes de Vasconcellos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Hilary Castle de Menezes (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O tamarindo (tamarindus indica) é um fruto originário da África, amplamente explorado na Índia, devido suas propriedades nutricionais e medicinais, ele mostra-se como uma cultura de grande interesse e futuro comercial. Entretanto, no Brasil acha-se pouco explorado, uma vez que existe pouco aproveitamento tecnológico da parte comestível do fruto e quase nenhum estudo, realizado recentemente, direcionado a sua caracterização. Os poucos trabalhos que existem, provenientes da Índia, não apresentam dados sobre o processo de extração e estudo da estabilidade da polpa. Portanto este trabalho científico, visa o estudo da caracterização físico-química do fruto in-natura, otimização da extração da polpa e estudo de sua estabilidade, durante armazenamento a - 20(C. Para conseguirmos extrair a polpa deste fruto é necessário uma etapa de maceração, assim foram feitos testes em escala pequena para avaliar o tempo, temperatura e diluição ideal para se obter um maior rendimento do processo, porém sem que ocorresse contaminação microbiológica. Feita esta avaliação foram selecionados quatro tipos de processamento, dos quais dois se mostraram mais adequados depois do processamento em despolpadeira horizontal. Foi realizada uma pasteurização lenta das polpas selecionadas e a partir de então se iniciou as analises para o estudo da estabilidade da polpa, e ambos os processamentos obtiveram resultados satisfatórios.

Tamarindo XE "Tamarindo"  ? Extração da polpa XE "Extração da polpa"  - Estabilidade XE "Estabilidade"

T429

Desenvolvimento de um Suco de Capim Cidreira (Cymbopogon citratus)

Marco Antonio Lefevre Gragnani (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Hilary Castle de Menezes (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

O Cymbopogon citratus é uma planta mundialmente conhecida como Lemongrass (Capim Limão) e muito utilizado na medicina popular em casos de: inchaços abdominais, dores de estômago, doenças infecciosas, estado de pirexia, distúrbios nervosos e gastrointestinais, insônia e depressão. Em paises da África é utilizado como bebida tônica; no Brasil na forma de chá. Industrialmente é aplicado em perfumes, sopas, cosméticos e fármacos. Esse projeto estudou a produção de uma formulação de um suco de Capim Cidreira através de testes de aceitação, utilizando uma equipe não treinada, partindo de uma formulação caseira. Além disso foram estudadas as diversas possibilidades de conservação do mesmo, para aumentar sua vida de prateleira, verificando o desenvolvimento de microrganismos através de testes microbiológicos para coliformes totais e fecais. Obteve-se uma formulação com boa aceitação. Verificou-se que o fator doçura interfere muito na análise do consumidor por se tratar de uma bebida com um sabor sutil. Além disso, a temperatura de consumo deve ser observada, já que influencia diretamente na doçura do suco. Dentre os métodos de conservação estudados, apenas a pasteurização se mostrou eficiente para o suco.

Cymbopogon citratus XE "Cymbopogon citratus"  - Suco XE "Suco"  - Capim Cidreira XE "Capim Cidreira"

T430

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE ÁGUA DE COCO INDUSTRIALIZADA POR PASTEURIZAÇÃO E ENCHIMENTO A QUENTE

Daniele Cintra Malpelli (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José de Assis Fonseca Faria (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

A comercialização de água de coco, além de sua forma in natura, está sendo também a industrializada e acondicionada em vários sistemas de embalagens. Esta pesquisa avaliou a qualidade da água de coco processada termicamente por pasteurização a 90ºC / 15 segundos e posterior acondicionamento asséptico e por enchimento a quente, ambas em garrafas de vidro. Efetuaram-se os testes de esterilidade comercial nos produtos e avaliou-se a estabilidade para amostras refrigeradas (4ºC) e deixadas à temperatura ambiente. Durante a estocagem, analisaram-se amostras da água de coco quanto ao pH, acidez, medidas de cor e avaliação sensorial. Não houve diferença significativa quanto à aceitação sensorial do produto obtido pelos dois processos, porém, o enchimento a quente apresentou melhor estabilidade da cor, provavelmente, devida seu maior efeito na inativação enzimática. Também, houve uma maior taxa de não esterilidade comercial para o produto oriundo do sistema asséptico, indicando a necessidade de mais avaliações para ajustes dos parâmetros de processos.

Água de coco XE "Água de coco"  - Tratamento térmico XE "Tratamento térmico"  - Estabilidade XE "Estabilidade"

T431

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DA IRRADIAÇÃO ULTRAVIOLETA NA ESTERILIZAÇÃO DE TAMPAS PARA A SELAGEM DE GARRAFAS PLÁSTICAS

Fernanda Antunes Alexandre (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José de Assis Fonseca Faria (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

Vários processos vêm sendo desenvolvidos para a esterilização de materiais de embalagens destinados ao acondicionamento asséptico de alimentos. Esta pesquisa teve seu objetivo centrado na avaliação da eficiência da radiação ultravioleta a 254nm, aplicada na esterilização de superfícies de tampas utilizáveis na selagem de garrafas plásticas. Utilizou-se uma câmara de irradiação equipada com 4 lâmpadas tubulares, cuja irradiação projetou-se sobre uma esteira contendo as amostras a serem testadas. O planejamento experimental consistiu na variação da intensidade e no tempo de exposição das tampas contendo suspensão de Bacillus subtilis (105), para a obtenção do número de reduções decimais. Verificou-se que a eficiência da fonte utilizada dependeu da intensidade de irradiação e do tempo de exposição. As reduções decimais obtidas foram 0,60, 2,05 e 2,47, para os tempos de 5, 10 e 15 segundos, respectivamente. Verificou-se, também, que uma exposição superior a 30 segundos foi suficiente para obter a recomendação mínima de 4 reduções decimais, como exigência para os sistemas de acondicionamento asséptico em escala industrial.

Esterilização uv XE "Esterilização uv"  - Tampas XE "Tampas"  - Garrafas XE "Garrafas"

T432

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO PARA PROCESSAMENTO E ACONDICIONAMENTO ASSÉPTICO DE ÁGUA DE COCO

Luiz Artur Spagnoli Delben (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr.José de Assis Fonseca Faria (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Essa pesquisa foi conduzida com o objetivo de implantar as Boas Práticas de Fabricação ao acondicionamento asséptico de água de coco, visando estabelecer procedimentos para obtenção de um produto de boa qualidade e em conformidade com a legislação vigente. O sucesso dos sistemas assépticos depende de processos adequados e que produzem alimentos comercialmente estéreis e dentro dos preceitos das BPF. Foram realizados dois testes, sendo o primeiro utilizando água de coco refrigerada; com o objetivo de avaliar o layout da planta asséptica e a conduta dos operadores, no qual foi montado um documento constando os procedimentos operacionais padronizados. No segundo teste a verificação do processo foi completa, possibilitando a avaliação do processo e a conclusão do Manual de BPF para envase asséptico de água de coco. Concluiu-se, portanto, que embora a característica experimental da Planta Piloto do Departamento de Tecnologia da Faculdade ofereça algumas limitações técnicas ao cumprimento das normas de fabricação, os procedimentos corretivos e a conduta dos operadores podem ser controlados, de modo a evitar os possíveis pontos que oferecem risco à qualidade e segurança do produto.

Acondicionamento asséptico XE "Acondicionamento asséptico"  - Boas Práticas de Fabricação XE "Boas Práticas de Fabricação"  - Água de coco XE "Água de coco"

T433

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ENZIMÁTICA DE ÁGUA DE COCO PROCESSADA EM SISTEMA ASSÉPTICO E POR ENCHIMENTO A QUENTE

Rachel de A. T. Gonçalves (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José de Assis Fonseca Faria (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O consumo de água de coco na forma in natura tem aumentado, consideravelmente, entretanto, sua comercialização apresenta restrições por ser muito perecível devido às reações enzimáticas e pela ação de microrganismos. A industrialização da água de coco pelo tratamento térmico, aliado à redução do pH, vem sendo utilizada para o controle desses dois fatores de deterioração, tornando possível a comercialização em diversos sistemas de embalagens. Este projeto visou o estudo da atividade enzimática (peroxidase e polifenoloxidase), antes e após o processamento térmico e adição de ácidos á água de coco. Mediu-se a absorbância e analisou-se a atividade enzimática da água de coco in natura, depois da adição de ácidos (ácido ascórbico e ácido cítrico), pasteurizada (90ºC / 15 segundos) e acondicionada assepticamente e por enchimento a quente em garrafas de vidro. Verificou-se, também, o efeito residual das enzimas, durante teste de estocagem do produto engarrafado e exposto à temperatura ambiente. A redução enzimática foi de 91,3 e 100%, para o enchimento a quente e pasteurizada, respectivamente. Entretanto, o efeito remanescente das enzimas foi maior para a pasteurizada, pois apresentou maior coloração rosada ao longo dos 30 dias de avaliação.

Peroxidase XE "Peroxidase"  - Polifenoloxidase XE "Polifenoloxidase"  - Água de coco XE "Água de coco"

T434

Processamento de queijo tipo quark por ultrafiltração: efeito da pressão transmembrana e da velocidade de escoamento

Raquel Fontana Capalbo (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Luiz Antônio Viotto (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

Leite desnatado pasteurizado foi fermentado por cultura láctica mesofílica, a 30o C, até atingir pH 4,45. O material coagulado foi termizado a 60o C por 2 minutos, resfriado até 40o C e ultrafiltrado em membrana cerâmica multitubos de alumina (diâmetro de poro 0,1 ?m; área de permeação 0,241 m2) até fator de concentração 3,5. Foram estudados os efeitos da pressão transmembrana e da velocidade de escoamento sobre o fluxo de permeado e retenção protéica, variando-se a pressão de 1,0 a 2,0 bar e a velocidade de 2,5 a 5,0 m/s, a 40o C. Os teores de sólidos totais, nitrogênio total e não protéico foram analisados no leite, na massa coagulada, no permeado e no retentado. Os valores absolutos de fluxo de permeado médio foram relativamente altos e variaram entre 80,1 e 112,8 kg/h.m2 enquanto que o rendimento protéico esteve entre 93,4 e 95,5%. A análise estatística demonstrou que os efeitos da pressão transmembrana e da velocidade de escoamento sobre o fluxo de permeado e rendimento protéico não foram significativos. O concentrado obtido, denominado quark, foi adicionado de polpa de fruta, açúcar e creme para a formulação de ?petit suisse? e analisado sensorialmente quanto a: aparência, cor, sabor, acidez e intenção de compra. Os dados obtidos demonstraram resultados próximos às amostras comerciais.

Ultrafiltração XE "Ultrafiltração"  ? Queijo Quark XE "Queijo Quark"  ? Membranas XE "Membranas"

T435

PRODUÇÃO DE CONCENTRADOS PROTÉICOS DE LEITE DE CABRA POR ULTRAFILTRAÇÃO

Sandra Regina Yaginuma (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luiz Antonio Viotto (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Leite em pó integral de cabra foi reconstituído à temperatura de 500C e ultrafiltrado a fator de concentração (FC) 4 em unidade piloto, utilizando membrana de fibra oca de polissulfona Romicom ?Hollow Fiber?, PM 10.000 Daltons, ?Fiber 43?, área efetiva de aproximadamente 1,3 m2, resultando em produtos com cerca de 40% de proteína total, em base seca. Para pressão transmembrana na faixa de 0,2 a 1,2 bar e vazão volumétrica entre 1,8 e 4 m3/h, foi possível verificar, através do planejamento experimental, o efeito combinado destes parâmetros sobre o fluxo de permeado. O aumento da vazão volumétrica melhorou sensivelmente o fluxo de permeado, sendo que na vazão volumétrica de 4m3/h e pressão transmembrana de 1,2 bar foi obtido o maior fluxo de permeado (51,51 kg/h.m2) a Fator de Concentração (FC) 4 e a melhor relação Proteína/Lactose (Pt/Lac), 3,93. O modelo de Kuo e Cheryan (1983) aplicado para a curva de fluxo de permeado apresentou boa concordância com os dados experimentais.

Ultrafiltração XE "Ultrafiltração"  - Concentrado Protéico XE "Concentrado Protéico"  - Leite de cabra XE "Leite de cabra"

T436

Análise e monitoramento de dados em tempo real do processamento térmico de alimentos

Cezar Yoo Geun Shin (Bolsista SAE/PRG), Claudia R. G. Pinho (Bolsista Mestrado/CNPq) e Prof. Dr. Marcelo Cristianini (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

O monitoramento e controle em tempo real de processos térmicos tornam possíveis as correções em linha que podem ser ocasionados por desvios de temperatura decorrentes de falhas de equipamentos. Este projeto teve por finalidade o desenvolvimento de um software para monitoramento contínuo das temperaturas de alimentos envasados sujeitos a processamento térmico em autoclaves. O programa foi desenvolvido em Visual Basic 5 e a sua elaboração foi feita em quatro módulos, cada um com uma função especifica. O primeiro módulo foi elaborado para uso em situações reais de processamento em autoclaves. Este módulo permite adquirir as temperaturas em tempo real, calcular a letalidade acumulada e fornecer o gráfico tempo versus temperatura. O segundo foi formulado para a calibração de termopares utilizando regressão linear de dados adquiridos a temperaturas conhecidas. O cálculo dos parâmetros de penetração de calor (fh, fc, jh, jc) foi desenvolvido no terceiro módulo, sendo este um módulo estritamente de análises de dados previamente adquiridos pelo primeiro módulo. O último módulo é utilizado somente para a documentação de dados referentes ao processamento (dia, hora, produto, temperaturas, tipo de processo, embalagem, etc). Os módulos foram desenvolvidos e unidos em uma única interface gráfica. As validações dos módulos foram realizadas em situações reais em autoclave na esterilização de alimento condutivo infantil embalado em recipiente de vidro.

Processamento Térmico XE "Processamento Térmico"  ? Esterilização XE "Esterilização"  ? Letalidade XE "Letalidade"

T437

Estudo da Inativação de L.frutiverans em água de coco e L. plantarum em suco de laranja pelo Processo de Homogeneização a Ultra Alta Pressão

Patrícia Levy (Bolsista FAPESP), Mark A. Franchi (Doutorando FEA) e Prof. Dr. Marcelo Cristianini (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

O Processo de Homogeneização a Ultra Alta Pressão surge como uma alternativa aos processos tradicionais de pasteurização em produtos termossensíveis, pelas vantagens que apresenta ao minimizar perdas organolépticas e nutritivas. Este projeto teve como por objetivo estudar a eficiência do processo de homogeneização a alta pressão para a inativação de L. plantarum em suco de laranja e de L.frutiverans em água de coco. As amostras foram esterilizadas em autoclave, inoculadas com o microrganismo alvo e em seguida tratadas a ultra alta pressão. A inativação microbiana foi avaliada pelo número de reduções decimais. Foram utilizadas pressões entre 100 e 300 MPa com até 3 passagens consecutivas pelo homogeinizador. Para L. plantarum , a 150 MPa obteve-se após a terceira passagem 1,6 ciclos logarítmicos de redução microbiana, 2,3 ciclos a 175 MPa e acima de 7 ciclos (destruição da carga inicial total- 109 UFC/mL) a 200 MPa. Inativação total também foi observada a 250 MPa já na 1a passagem pelo homogeinizador. Para L.frutiverans, após a terceira passagem a 150 MPa houve uma redução de 1,4 ciclos logarítimicos e a 250 MPa destruição total da carga inicial do microrganismo (109 UFC/mL) já na 1a passagem.

Ultra alta pressão XE "Ultra alta pressão"  - Sucos de frutas XE "Sucos de frutas"  - Inativação microbiana XE "Inativação microbiana"

T438

DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA CÁLCULO DE PROPRIEDADES TERMODINÂMICAS ATRAVÉS DA EQUAÇÃO DE ESTADO DE PENG-ROBINSON

Marcelo de Campos Franco Leal (Bolsista PIBIC/CNPq), Lucinewton S. Moura (Doutorando), Raul N. C. Junior (Doutorando) e Profa. Dra. Maria Ângela A. Meireles (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

A determinação das propriedades termodinâmicas de substâncias puras, na indústria de alimentos, química e farmacêutica, é de muita importância para o desenvolvimento de projetos de equipamentos e controle de processos, porém suas determinações experimentais exigem um estudo específico de cada propriedade e isto representa tempo e custo. O objetivo deste trabalho foi desenvolver um software em linguagem de programação Visual Basic 6, ambiente Windows 98/2000/XP, para calcular propriedades termodinâmicas de substancias puras, utilizando como dados de entrada as propriedades criticas e o fator acêntrico. As propriedades a serem calculadas são: pressão de vapor, volume, densidade, fator de compressibilidade, fugacidade, entalpia, entropia, capacidade calorífica a volume constante, capacidade calorífica a pressão constante e coeficiente de Joule-Thonson. O software também gera diagramas PVT e PHT.

Software XE "Software"  ? Termodinâmica XE "Termodinâmica"  ? Diagramas PVT e PHT XE "Diagramas PVT e PHT"

T439

Caracterização da inulinase de Kluyveromyces sp., nas formas livre e imobilizada, em meio orgânico

Fábio Rodolfo Miguel Batista (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Isabel Rodrigues (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

Os oligossacarídeos melhoram a qualidade dos alimentos, promovendo uma modificação no ?flavour? e nas características físico-químicas, apresentando propriedades nutricionais, adoçantes e fisiológicas, sendo assim considerados alimentos funcionais. Os frutooligossacarídeos são os principais oligossacarídeos da classe dos bifidogênicos, os quais podem ser obtidos através de síntese a partir da sacarose ou através da hidrólise da inulina. As enzimas utilizadas para a produção de frutooligossacarídeos são a invertase, a inulinase e a frutosiltransferase. Este trabalho visa caracterizar a enzima inulinase, na sua forma livre e imobilizada, produzida pela cepa NRRL Y 7571 e pela cepa Kluyveromyces, ATCC 16045, determinando-se as temperaturas ótimas e de estabilidade, em meio orgânico, nas presenças de 25%, 50%, e 70% do solvente acetato de butila. Para a cepa ATCC 16045, tanto na sua forma livre como imobilizada, obtivemos com resultado uma temperatura ótima de 55ºC e uma temperatura de estabilidade de 50ºC para as três porcentagens de solvente utilizada. Enquanto que para a cepa NRRLY 7571 na sua forma livre e imobilizada, obtivemos uma temperatura de estabilidade de 50ºC para as três porcentagens de solvente, sendo essa também a temperatura ótima observada para enzima livre nas mesmas condições. A temperatura ótima para enzima imobilizada, variou de acordo com a porcentagem de solvente utilizada, apresentando-se em 40ºC para 25%, 60ºC para 50% e 55º para 70%.

Inulinase XE "Inulinase"  - Meio orgânico XE "Meio orgânico"  - Kluyveromyces XE "Kluyveromyces" .

T440

PRODUÇÃO DE LIPASE UTILIZANDO RESÍDUOS INDUSTRIAIS COMO FONTE DE NITROGÊNIO

Rafael Resende Maldonado (Bolsista PIBIC/CNPq), Janaína Fernandes Medeiros Burkert e Profa. Dra. Maria Isabel Rodrigues (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

Lipases apresentam um grande interesse comercial devido ao vasto campo de aplicação que apresentam. Um dos grandes problemas na produção de enzimas são os elevados custos envolvidos no processo.Assim, foi realizado um estudo da otimização da composição do meio de fermentação para produção de lipase por Geotrichum candidum NRRLY-552 com a substituição da peptona por Prodex-lac® ou água de maceração de milho como fonte de nitrogênio. O estudo foi realizado em frascos agitados a 30ºC, 250rpm, pH inicial =7,0. O inóculo foi obtido com meio sintético utilizando 5,0% de peptona, 0,1% de NaNO3, 0,1% de MgSO4 e 1,0% de óleo de soja, após incubação de 15 horas nas mesmas condições citadas acima. Foram obtidos dois meios de cultura otimizados ? 3,5% de Prodex-lac® e 0,7% de óleo de soja; 8,0% de água de maceração de milho e 0,6% de óleo de soja. A máxima atividade lipolítica obtida ficou próximo a 20 U/mL, resultado semelhante ao obtido anteriormente com meio sintético (3,58% de peptona e 0,64% de óleo de soja) e cerca de 4 vezes superior a valores citados na literatura. Os meios complexos apresentaram uma redução de custos em relação ao meio sintético superior a 95%.

Água de maceração de milho XE "Água de maceração de milho"  - Prodex-lac ® XE "Prodex-lac ®"  - Lipase XE "Lipase"

T441

IDENTIFICAÇÃO DOS COMPOSTOS VOLÁTEIS DA GRAVIOLA E DE SUA IMPORTÂNCIA AO AROMA DA FRUTA

Priscila Aparecida Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq), Gisele Letícia Alves (Doutoranda, Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Maria Regina Bueno Franco (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

O sabor, uma resposta integrada das sensações de gosto e aroma, é um fator decisivo na escolha e aceitação de alimentos e bebidas. Neste trabalho foram estudados os compostos voláteis da graviola, uma fruta tropical bastante apreciada por seu sabor único. Para isso, foi utilizado como método de isolamento a técnica de ?Headspace? Dinâmico, enquanto a separação dos voláteis foi efetuada através de cromatografia gasosa de alta resolução. A identificação foi realizada através de Índices de Kovats e cromatografia gasosa-espectrometria de massas (GC-MS). A importância odorífera dos voláteis foi verificada através de uma moderna técnica olfatométrica denominada OSME (GC-OSME). Nesta técnica, 4 provadores previamente treinados avaliaram os compostos eluídos da coluna cromatográfica, registrando a sensação em uma escala tempo-intensidade e simultaneamente descrevendo verbalmente a qualidade do aroma percebido, gerando desta maneira um aromagrama. Foram detectados 39 compostos voláteis no aroma do headspace da graviola pelo detector de ionização de chama, porém a avaliação olfatométrica revelou que 23 compostos efetivamente contribuem para o aroma da fruta. Os 5 compostos mais importantes, determinados por GC-MS e GC-OSME, foram: 2-metil-4-pentenal (verde), linalol (mamão, floral), 2,4-hexadienoato de metila (doce, fruta), 2-hexenoato de metila (fruta, chá e menta) e 2-bornanona (pano molhado).

Aroma XE "Aroma"  ? Graviola XE "Graviola"  ? Compostos voláteis XE "Compostos voláteis"

T442

Estudo sobre a qualidade do extrato de café torrado e moído

Mariana Ussami Fuzeto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Roberto Hermínio Moretti (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

O café é uma bebida culturalmente estabelecida. Brasileiros amam café e sabem produzi-lo, tanto que o país é uma das potências mundiais nesse setor. Isso leva a uma preocupação cada vez maior com a qualidade. O extrato de café é utilizado, principalmente, na produção de café solúvel. Neste projeto, objetiva-se estudar o comportamento qualitativo do extrato de café quando resfriado e armazenado. Para tanto, foram utilizadas análises microbiológicas, além de testes de acidez, pH e brix. Por meio delas, é possível chegar a conclusões acerca de aspectos objetivos e tangíveis no tocante à qualidade do café. Para uma melhor definição de aspectos subjetivos, foram realizadas análises sensoriais, que complementam o estudo e ajudam a fornecer informações úteis em relação a aspectos de mercado, inclusive. Os estudos quantitativos e qualitativos em questão, aliados à revisão da literatura, possibilitam uma melhor compreensão do extrato de café (que, se comprovada a demanda, ser vendido antes de passar pelo processo de secagem), o que abre caminhos para melhoras efetivas em sua qualidade, agradando mais às exigências de consumidores tão apaixonados por café de boa qualidade.

Extrato de café XE "Extrato de café"  - Café solúvel XE "Café solúvel"  - Qualidade em bebidas XE "Qualidade em bebidas"

T443

INTERAÇÕES ENTRE PROTEÍNA DE SOJA E GOMA XANTANA COM ADIÇÃO DE KCl

Aline Azevedo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Rosiane Lopes da Cunha (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

A proteína de soja vem sendo utilizada em larga escala em produtos alimentícios devido ao seu alto valor nutricional e suas propriedades funcionais. Em produtos protéicos, a adição de polissacarídeos ou de sal pode influenciar diretamente o desenvolvimento e estabilidade da textura. A xantana é um polissacarídeo amplamente utilizado na indústria de alimentos como espessante, gelificante ou estabilizante, devido à sua alta estabilidade em diferentes condições de temperatura e pH. Neste trabalho estudou-se a interação entre os ingredientes de géis formados por isolado protéico de soja (IPS), xantana e KCl, entendendo-se o efeito destes sobre a capacidade de retenção de água e as propriedades mecânicas dos géis. A proteína de soja foi isolada a partir da farinha de soja e a solução de xantana foi preparada a 80oC/1 h. Os géis foram formados em moldes cilíndricos, a 90oC/30 minutos, e os ensaios de compressão uniaxial foram realizados no texturômetro TA.XT2i Texture Analyser. A capacidade de retenção de água foi determinada a partir da quantidade de água liberada após a centrifugação dos géis a 4000g/10 minutos. Os resultados mostraram que quanto maior a concentração de IPS maior a retenção de água dos géis. No entanto, o aumento da concentração de IPS levou a uma maior tensão e menor deformação na ruptura, o que é característico de um produto mais rígido e de menor elasticidade. A concentração de KCl apresentou um efeito negativo sobre as propriedades mecânicas avaliadas. Com o aumento da força iônica, o acréscimo de xantana causou uma redução na tensão de ruptura, o que foi explicado pelas mudanças na conformação molecular complexa da xantana que ocorrem com o tipo de solvente.

Proteína de soja XE "Proteína de soja"  ? Xantana XE "Xantana"  ? Propriedades mecânicas XE "Propriedades mecânicas"

T444

Inibição de Escherichia coli por Bifidobacterium longum, Lactobacillus acidophilus e Streptococcus thermophilus em bebida láctea

Chmielewska, D. (Bolsista FAPESP), Zacarchenco, P.B. e Prof. Dr. Salvador Massaguer-Roig (Orientador), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

O consumo de leites fermentados data de muitos séculos. Estes produtos, devido a fermentação lática têm importância pelo seu alto valor nutricional e boa digestibilidade de lactose e proteínas. A bebida láctea deste estudo, por conter probióticos e fibras, pode ser definida como alimento funcional. Entre os contaminantes típicos dos leites fermentados pode-se ter a Escherichia coli, pertencente ao grupo dos coliformes fecais, a qual pode ser inibida por Bifidobacterium longum e bactérias láticas devido a seus metabólitos. Este projeto avaliou o efeito inibitório de Streptococcus thermophilus, Lactobacillus acidophilus e Bifidobacterium longum sobre E. coli inoculada em bebida láctea elaborada com leite fermentado por Str.thermophilus adicionado de L.acidophilus e Bif. longum, fibra de aveia, aspartame, corante e aromatizante. A avaliação foi realizada durante 28 dias de estocagem a 4oC. Foram realizadas contagens seletivas de Str.thermophilus em ST agar a 30oC/48h, L. acidophilus em Bile-MRS agar a 37oC/72h em aeobiose e Bif. longum em LP-MRS agar 37oC/72h em anaerobiose, determinações do número de coliformes totais e fecais pelo método do Número Mais Provável e verificação da presença de E. coli utilizando-se Fluorocult(. Os resultados mostraram que, na estocagem, o produto adicionado de probióticos e inoculado com E. coli apresentou redução do número de coliformes totais e fecais.

Escherichia coli XE "Escherichia coli"  - Inibição XE "Inibição"  - Probióticos XE "Probióticos"

T445

CARACTERIZAÇÃO DA pós-acidificação de bebida láctea funcional a diferentes temperaturas de estocagem

Leandro de Barros Teixeira (Bolsista PIBIC/CNPq), Zacarchenco, P.B. e Prof. Dr. Salvador Massaguer-Roig (Orientador); Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

Bebida láctea fermentada adicionada de probióticos e fibras é um alimento funcional, que tem despertado o interesse dos consumidores e pesquisadores. Os objetivos desta pesquisa foram avaliar os efeitos da temperatura de estocagem (4, 7 e 10°C), da presença de probióticos (Lactobacillus acidophilus, 107 UFC/g, e Bifidobacterium longum, 107 UFC/g) e demais ingredientes (0,005g/L de corante; 0,02% de aroma; 1,3 % de fibra de aveia; 0,06% de aspartame) no pH e acidez de quatro formulações de bebida láctea ao longo de 21 dias de estocagem. Leite reconstituído (12% sólidos solúveis) foi tratado a 90ºC/5 min., resfriado, inoculado com 2% de Streptococcus thermophilus e incubado a 45ºC até pH 4,8. A seguir foi resfriado a 20°C, dividido em 4 frações, adicionados dos demais ingredientes e batido, dando origem a quatro formulações, respectivamente: F1 - sem probióticos; F2 - com probióticos; F3 - com fibra, aroma, aspartame e corante; e F4 - igual a F3 mais probióticos. As formulações foram estocadas em frascos plásticos sanitizados a 4, 7 e 10°C. Foram realizadas nos dias 1, 7, 14 e 21 as avaliações de pH e acidez titulável (titulação potenciométrica até pH 8,2). Observou-se que quanto maior a temperatura e o tempo de estocagem, menor é o pH e maior a acidez das formulações não havendo diferenças em relação à acidez e pH.

Bebida láctea funcional XE "Bebida láctea funcional"  - Probióticos XE "Probióticos"  - Pós-acidificação XE "Pós-acidificação"

T446

USO DE CULTURAS ADJUNTAS PARA MELHORIA DE SABOR E TEXTURA DE QUEIJO PRATO COM REDUZIDO TEOR DE GORDURA

Carla Gomes da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Walkiria Hanada Viotto (Orientadora), Faculdade de Engenharia de Alimentos - FEA, UNICAMP

O uso de cultura adjunta foi avaliado em relação à composição, proteólise e propriedades sensoriais do queijo prato com reduzido teor de gordura, visando à melhoria do sabor e textura. Três tratamentos diferentes foram realizados: no primeiro adicionou-se apenas cultura láctica Flora Dânica (composta por Lactococcus lactis subsp. lactis, Lactococcus lactis subsp. cremoris, Lactoccocus lactis subsp. lactis biovar. diacetylactis, Leuconostoc mesenteroides subsp. Cremoris), no segundo adicionou-se Flora Dânica e Micrococcus (cultura adjunta) e no terceiro,além da Flora Dânica adicionou-se Lactobacillus casei (cultura adjunta). O experimento foi realizado em duplicata. A composição dos queijos foi determinada no quinto dia após a fabricação. O acompanhamento da proteólise foi feito nos dias 5, 25 e 45 após a fabricação, através da determinação dos índices de extensão e profundidade de proteólise. As amostras de queijo foram avaliadas sensorialmente através de teste de aceitação. Não houve diferença significativa (p>0,05) na composição dos queijos. O uso da cultura adjunta não influenciou a extensão da proteólise, mas a profundidade foi significativamente maior (p<0,05) no final do tempo de maturação para os queijos produzidos com a cultura adjunta. Em relação aos testes de aceitação sensorial, houve diferença significativa (p<0,05) entre as amostras.

Queijo Prato XE "Queijo Prato"  - Cultura adjunta XE "Cultura adjunta"  - Reduzido teor de gordura XE "Reduzido teor de gordura"

T447

FATORES QUE AFETAM A PRODUÇÃO DE ?-GLICOSIDASE FÚNGICA CONVERSORA DE ISOFLAVONAS GLICOSILADAS

Carla N. Suzuki (Bolsista), Cláudio L. Aguiar (Orientador) e Prof. Dr. Yong K. Park (Coordenador), Faculdade de Engenharia de Alimentos ? FEA, UNICAMP

Os benefícios da soja para a saúde humana são atribuídos às isoflavonas agliconas, que exercem diferentes atividades biológicas. No entanto, a soja contém em sua maioria isoflavonas conjugadas que podem ser convertidas por processos físicos e enzimáticos às suas formas agliconas. Este trabalho buscou otimizar a produção da enzima ?-glicosidase que transforma isoflavonas glicosiladas em suas formas agliconas utilizando Aspergillus oryzae, por fermentação submersa a 30ºC. Foram empregadas diferentes fontes de carbono (papel de filtro, Solka Floc®, glicose e carboximetil celulose) como indutores de ?-glicosidase. A maior atividade enzimática foi observada entre 48 e 72 h (0,016 UI/mL) para Solka Floc® e a menor atividade para carboximetil celulose (0,01 UI/mL; 96h). Os valores de proteínas totais para estas fontes de carbono foram de 0,54 e 0,48 mg/mL, respectivamente. Em glicose não houve atividade enzimática durante 96 h de fermentação. Papel de filtro teve sua atividade de ?-glicosidase crescente, atingindo um valor de 0,015 UI/mL (96 h), e pelo perfil apresentado durante a fermentação, demonstra ser um potencial indutor. O valor de proteína total para papel de filtro foi de 0,46 mg/mL. O crescimento fúngico, em meio de cultura contendo glicose, apresentou um comportamento exponencial, e após 96 h obteve-se 0,15 g do fungo, em base seca. A enzima ?-glicosidase produzida em papel de filtro mostrou-se capaz de transformar isoflavonas glicosiladas em agliconas, após 20 min de reação enzimática a 40ºC e pH de 5,4.

?-Glicosidase XE "?-Glicosidase"  ? Isoflavonas XE "Isoflavonas"  ? Fontes de Carbono XE "Fontes de Carbono"

Faculdade de Engenharia Agrícola

T448

DETERMINAÇÃO DA UMIDADE DA CASTANHA DE CAJU ATRAVÉS DE MÉTODO DIELÉTRICO E CONVENCIONAL

Fausto Vinícius Martin de Araújo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos de Oliveira Ferraz (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

A castanha de caju é importante economicamente para a região Nordeste do Brasil. Cada vez mais, as empresas beneficiadoras têm necessidade de conhecer melhor a castanha e com isso melhorar a qualidade e segurança do seu produto. Um dos parâmetros importantes na caracterização da castanha de caju é o teor de água. O presente trabalho tem por objetivo comparar os níveis de umidade da casca e da amêndoa obtidas pelo método gravimétrico e por método dielétrico. As castanhas utilizadas foram da variedade CCP76, autoclavadas a 110(C por 10 minutos, com umidades pré-estabelecidas de 5, 9, 13, 17 e 21% b.u. e castanhas submersas em água por um período de 72 horas. Os resultados preliminares mostraram que as umidades obtidas através do método dielétrico, para as castanhas com 9 e 13% de água, apresentaram-se muito próximas aos valores obtidos pelo método gravimétrico e que amêndoas e cascas absorveram água em proporções iguais. No lote autoclavado, a diferença da umidade média entre casca e amêndoa foi de 6,62% b.u. enquanto que no lote submerso foi de 6,66% b.u..

Castanha de caju XE "Castanha de caju"  - Umidade XE "Umidade"  - Dielétrico XE "Dielétrico"

T449

RESPOSTA RESPIRATÓRIA DURANTE O ARMAZENAMENTO DO FIGO ROXO DE VALINHOS (Ficus carica L.) SUBMETIDO À VIBRAÇÃO

Franciane Colares Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos de Oliveira Ferraz (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Figos ?Roxo de Valinhos? são altamente perecíveis em condições ambientais. Por esta razão, o período de comercialização fica reduzido, diminuindo as oportunidades de negócio. O transporte de figos até os centros de distribuição é realizado em caminhões abertos, expondo os frutos à vibração, resultando em perdas pós-colheita. Estudos sobre os efeitos de vibrações durante o transporte comprovam a necessidade de melhorias no acondicionamento de frutas. Não existem dados na literatura sobre a resposta do figo ?Roxo de Valinhos? à vibração. Neste trabalho avaliou-se a qualidade de figos maduros submetidos a vibrações e armazenados à temperatura ambiente. Acelerações similares àquelas obtidas durante o transporte foram simuladas utilizando-se uma mesa vibratória. Os frutos foram armazenados em recipientes de vidro sob fluxo contínuo, durante quatro dias. Para avaliar a qualidade, mediu-se a atividade respiratória através de cromatografia gasosa, perda de líquido intracelular através da variação de condutividade elétrica dos tecidos, perda de massa e injúrias superficiais. A vibração influencia a respiração e a qualidade de figos diminui mais rapidamente quando submetidos a maiores acelerações. A condutividade não foi um bom parâmetro para medir a qualidade.

Transporte XE "Transporte"  - Vibração XE "Vibração"  - Injúria XE "Injúria"

T450

VARIAÇÃO NA TAXA RESPIRATÓRIA E PRODUÇÃO DE ETILENO EM FIGOS DEVIDO À VIBRAÇÃO

Pedro Esteves Duarte Augusto (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Antônio Carlos de Oliveira Ferraz (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O presente estudo teve por objetivo conhecer a resposta do figo ?Roxo de Valinhos? à vibração através de medidas da variação das taxas respiratórias e de produção de etileno. Os experimentos finais foram realizados com figos da safra de verão, no mês de janeiro de 2003, os quais foram colocados individualmente em recipientes herméticos, parcialmente imobilizados por almofadas de algodão para diminuir a incidência de injúrias mecânicas e, utilizando-se uma mesa vibratória, submetidos aos níveis de aceleração de 1, 2 e 3g (g=9,8ms-2 ,aceleração gravitacional) por períodos contínuos de 2, 5 e 10min. Amostras gasosas foram retiradas do interior do recipiente e analisadas por cromatografia gasosa para a determinação de CO2. Devido à resultados de experimentos anteriores, optou-se pela não medição da taxa de produção de etileno, medindo-se somente a taxa respiratória. Os resultados obtidos indicam que a taxa respiratória do figo ?Roxo de Valinhos? tende a diminuir logo após submetidos à vibração. Concluiu-se que a medida da taxa respiratória logo após vibração não se mostrou um método confiável como indicação da perda de qualidade em figos submetidos à vibração

Ficus carica XE "Ficus carica"  - Qualidade XE "Qualidade"  - Transporte XE "Transporte"

T451

Blocos vazados fabricados com argamassa de cimento, areia e casca de arroz

Antoniane Arantes de Oliveira Roque (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Ludovico Beraldo (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Trabalhos anteriores indicaram a potencialidade do uso da casca de arroz como um substituto ao agregado mineral graúdo, para a confecção de pisos e blocos vazados. A casca de arroz, no entanto, mesmo após sofrer o beneficiamento, ainda pode apresentar resíduos que se tornam perturbadores da pega e do endurecimento do cimento Portland. Este trabalho foi dividido em duas etapas, na primeira etapa foram utilizados tratamentos da casca de arroz em água fervente e em solução diluída de soda cáustica e de cal, buscando alcançar maior compatibilidade química entre esse resíduo vegetal e o aglomerante. Corpos-de-prova cilíndricos produzidos com argamassa de cimento, areia e casca de arroz foram moldados em fôrmas metálicas, desmoldados após 24 h e mantidos durante toda a execução do projeto em câmara úmida. Realizaram-se os ensaios de compressão axial e compressão diametral dos corpos-de-prova aos 3, 7, 14, 21 e 28 dias. A lavagem da casca de arroz em soluções alcalinas forneceu os melhores resultados nos ensaios mecânicos. A velocidade de propagação da onda ultra-sônica através dos corpos-de-prova foi capaz de indicar a evolução no processo de endurecimento das misturas. A segunda etapa visou à fabricação dos blocos vazados com a utilização da casca de arroz tratada com solução alcalina (que apresentou melhores resultados na primeira etapa), utilizando-se da máquina de blocos Permaq MBM050, com modificações físicas que a tornou vibro-compactadora.

Casca de arroz XE "Casca de arroz"  ? Compósitos XE "Compósitos"  - Resíduos vegetais XE "Resíduos vegetais"

T452

ESTUDO EXPERIMENTAL PARA A CARACTERIZAÇÃO DO PROCESSO DE RESFRIAMENTO RÁPIDO DE GOIABA NUM SISTEMA COM AR FORÇADO

Luis Guilherme Queiroz Odinino (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Bárbara Teruel Mederos (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Goiabas (Psidium guajava L) com polpa branca, variedade Kumagai, foram resfriadas num sistema com ar forçado ( EMBED Equation.3 =1,55 m3/s,T=7ºC) e colocadas em embalagens plásticas e de papelão, para estudar a influência da área efetiva de abertura e do posicionamento da fruta dentro da embalagem, no tempo de resfriamento. As caixas plásticas tinham uma área efetiva de abertura de 24,8% enquanto as caixas de papelão apresentavam uma área efetiva para o passo do ar de 5,6%. A temperatura da polpa das frutas foi medida aproximadamente no centro, com termopares ligados a um sistema de aquisição de dados. As frutas acondicionadas nas embalagens plásticas atingiram o tempo de sete-oitavos do resfriamento (T7/8) em 58 min, enquanto as frutas resfriadas nas caixas de papelão atingiram o T7/8 em 94 min. Observou-se uma diferença de 62% no tempo de resfriamento das frutas acondicionadas nos dois tipos de embalagens, e esta diferença é, basicamente, devida à área efetiva de passo do ar nas embalagens. Observou-se também, uma diferença de 4 min, em média, entre os tempos de resfriamentos (T1/2 e T7/8) de goiabas posicionadas próximas à entrada do ar e goiabas posicionadas próximas à saída do ar. As perdas de massa após o resfriamento rápido foram da ordem de 0,6%.

Tempo de resfriamento XE "Tempo de resfriamento"  - Área efetiva de abertura XE "Área efetiva de abertura"  - Embalagem XE "Embalagem"

T453

Leito cultivado de fluxo vertical no pós-tratamento de efluente de reator anaeróbio compartimentado

Naila Costa Von Zuben (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Denis Miguel Roston (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Este trabalho avaliou o desempenho de um Reator Anaeróbio Compartimentado (RAC) de duas câmaras em série e de três leitos cultivados no tratamento de 25% das águas residuárias da FEAGRI - UNICAMP. O volume total do reator foi de 2,3 m3, sendo projetado para operar com vazão afluente diária de 4,6 m3. O efluente do RAC é tratado por três leitos, dois foram cultivados com macrófitas (gêneros Typha sp. e Eleocharis sp.) e um foi utilizado como controle (não cultivado). Os leitos operaram com fluxo vertical por batelada. O meio suporte utilizado foi brita #2. Os tempos de reação para cada ciclo (enchimento ? reação ? drenagem) dos leitos foram de 24, 48, 72 e 96 h. O desempenho do reator anaeróbio foi avaliado analisando-se os parâmetros sólidos sedimentáveis, sólidos suspensos totais e DQO que apresentaram remoções de 93, 80 e 39%, respectivamente. Pode-se concluir para o RAC que houve uma tendência de estabilização indicada pela maioria dos parâmetros analisados (pH, alcalinidade, ácidos voláteis, sólidos sedimentáveis e suspensos totais), porém os índices de remoção de DQO mantiveram-se muito baixos. Nos leitos cultivados, o aumento do tempo de reação (até 72h) foi acompanhado pelo aumento dos índices de remoção dos parâmetros turbidez, DQO, fósforo e nitrato. Foram obtidos no leito vegetado com Typha sp os maiores índices de remoções de fósforo total para os tempos de 72 e 96h.

Leitos cultivados XE "Leitos cultivados"  ? Reator anaeróbio compartimentado XE "Reator anaeróbio compartimentado"  ?Tratamento de água residual XE "Tratamento de água residual"

T454

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE SISTEMAS MODULARES NO TRATAMENTO DE ESGOTO

Anna Carolina Menta (Bolsista PIBIC/CNPq), Antonio Javarez Junior e Prof. Dr. Durval Rodrigues de Paula Junior (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Tratar águas residuárias é uma questão de saúde pública e bem estar da população, além de necessário à preservação dos recursos naturais, e deve possibilitar o reuso do produto final, mantendo o equilíbrio natural do ambiente. Este trabalho avalia o tratamento de esgoto por meio de dois sistemas modulares, constituídos de reatores UASB (Reator Anaeróbio de Manta de Lodo) e RAC (Reator anaeróbio compartimentado), um em cada linha, seguidos por Filtros Anaeróbios, implantados no Campo Experimental da FEAGRI-Unicamp. A avaliação dos sistemas é feita através da eficiência de remoção dos parâmetros estudados. Semanalmente foram realizadas análises químicas na entrada e saída de cada sistema para caracterização dos efluentes. Após 182 dias, ainda em período de ?partida?, os resultados obtidos são insuficientes para uma avaliação definitiva do desempenho dos Sistemas Modulares. Entretanto, foram encontrados valores da ordem de 50% de remoção de Coliformes Totais nos dois sistemas, de 74% para o UASB e de 83% para o RAC de E.Coli, e remoção de DQO da ordem de 56% para o UASB e 51% para o RAC. Comparando-se esses índices, pode-se concluir que os resultados se apresentaram dentro do previsto para o período de partida dos reatores, que não receberam inoculação, portanto, os sistemas estão operando adequadamente para o período estudado.

Sistemas modulares XE "Sistemas modulares"  - Tratamento de esgotos XE "Tratamento de esgotos"  - Reatores anaeróbios XE "Reatores anaeróbios"

T455

Estabilização de lodos de estações de tratamento de esgotos utilizando reatores anaeróbios seqüenciais: avaliação da biodegradabilidade anaeróbia, através de medidas de volume de metano produzido, em testes de bancada

Cinthia Reis Cascardo (Bolsista SAE/PRG), Luciana de Mattos Moraes (Co-Orientador) e Prof. Dr. Durval Rodrigues de Paula Junior (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

Como objetivo principal, pretende-se avaliar a biodegradabilidade anaeróbia de lodos de Estações de Tratamento de Esgotos, através do monitoramento do volume acumulado de metano produzido em testes simplificados de bancada. O projeto propõe-se a realização de testes de biodegradabilidade utilizando, como substrato, as amostras de lodo extraídas de cada um dos reatores anaeróbios seqüenciais (sistema RAS) estudados no âmbito do PROSAB (Programa de Pesquisa em Saneamento Básico) combinados com dois tipos de biomassa (lodo de inóculo). Os ensaios foram montados em baterias, utilizando-se frascos de 250 ml preenchidos com diferentes quantidades de substrato e biomassa, de forma a propiciar relações Substrato/Biomassa de 0,5 a 5,0. Os frascos foram vedados e colocados no ?Shaker?, com agitação de 150 rpm num ciclo de 30 minutos a cada hora. Diariamente foram efetuadas medidas de pressão utilizando equipamento digital específico visando monitorar o volume de biogás produzido ao longo do tempo, através da equação dos gases perfeitos e também a composição de metano no gás utilizando cromatografia gasosa. Foram obtidos resultados que permitem a avaliação comparativa da biodegradabilidade anaerábia dos diversos lodos estudados através do volume de metano produzido.

Estabilização de Lodos XE "Estabilização de Lodos"  - Lodo XE "Lodo"  - Biodegradabilidade XE "Biodegradabilidade"

T456

AVALIAÇÃO DO reuso agrícola de efluente proveniente DE dois SISTEMAS MODULARES de TRATAMENTO DE ESGOTO

Jonathan Gazzola, M.Sc. Antônio Javarez Júnior e Prof. Associado Durval Rodrigues de Paula Junior (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O pós-tratamento do efluente complementa a eficiência do tratamento de esgoto, diminuindo os impactos sobre o meio ambiente. O reuso agrícola pode se tornar uma forma econômica de pós-tratamento para a área rural, fornecendo água e nutrientes para as culturas. Contudo, os impactos causados pela disposição de um efluente no solo devem ser avaliados. Neste trabalho verificou-se os efeitos do reuso do efluente produzido por dois sistemas de tratamento anaeróbio de esgoto na fertilidade em um Latossolo vermelho distroférrico e na produtividade da cultura de milho, comparado-se as médias dos tratamentos de sequeiro (T1); irrigação com água (T2); reuso de efluente do sistema B, constituído de reator anaeróbio compartimentado seguido de filtro anaeróbio (T3); e do sistema A, constituído de reator UASB seguido de filtro anaeróbio (T4). Os resultados obtidos referem-se ao período de ?partida? dos reatores, sendo insuficientes para determinar com clareza os impactos envolvidos na produtividade e na química do solo. No entanto, verificou-se que, nesta período, o efluente não influiu significativamente na fertilidade do solo, comparando-se as médias entre os tratamentos e destes com os valores iniciais de fertilidade. A produtividade do milho foi próxima de 8000 Kg/ha, não havendo diferença significativa entre os tratamentos.

Reuso de efluente XE "Reuso de efluente"  - Fertilidade do solo XE "Fertilidade do solo"  - Cultura do milho XE "Cultura do milho"

T457

AVALIAÇÃO DO REUSO AGRÍCOLA DE EFLUENTE PROVENIENTE DE DOIS SISTEMAS MODULARES DE TRATAMENTO DE ESGOTO

Luciana Miura Nakauti (Bolsista SAE/PRG), Antônio Javarez Júnior (M.Sc.) e Prof. Dr. Durval Rodrigues de Paula Junior (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O crescimento populacional gerou um grande aumento nos resíduos produzidos, contribuindo para a potencialização dos riscos de poluição e contaminação dos recursos naturais. Os avanços tecnológicos no tratamento sanitário e o reuso das águas residuárias surgem como uma proposta para a redução dos impactos sobre o meio ambiente. Neste sentido, propõe um modelo alternativo de tratamento através de sistemas modulares, de baixo custo e de fácil instalação e manutenção, e aplicação de seu efluente em solo agrícola, promovendo assim o aprimoramento dos sistemas de tratamento de esgotos e permitindo o reuso dos efluentes na irrigação de culturas. Contudo, os impactos causados pela disposição dos efluentes devem ser avaliados. Neste trabalho, estão sendo avaliadas os efeitos do reuso agrícola de efluentes em alguns atributos físicos do solo e no desenvolvimento da cultura do milho. Foram coletadas e comparadas amostras em 4 tratamentos diferenciados para a cultura de milho: sistema de sequeiro, sistema com irrigação suplementar, sistema com efluente proveniente do reator UASB (Reator anaeróbio de fluxo ascendente e manta de lodo) e sistema com efluente proveniente do sistema RAC (Reator Anaeróbio Compartimentado) seguido de filtro anaeróbio .

Reuso de água residuária XE "Reuso de água residuária"  - Sistemas modulares XE "Sistemas modulares"  - Física do solo XE "Física do solo"

T458

AVALIAÇÃO DA SONDA COAXIAL DE TDR PARA O MONITORAMENTO DA UMIDADE DO SOLO EM VOLUME DE SOLO VARIÁVEL

Hugo Shigueyuki Watanabe (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Edson Eiji Matsura, Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

Os sistemas de irrigação por gotejamento enfrentam grandes desafios. Um deles é o controle da umidade dos volumes parciais molhados. Atualmente, as informações da água no solo são obtidas frequentemente por medidas de um único volume irrigado ao longo de todo ciclo da cultura. Uma nova sonda coaxial de TDR (Reflectometria do domínio do tempo) é capaz de fazer medições do armazenamento total da água do solo dentro de volumes bem definidos de solo (citados como a sonda coaxial de volume variável ? VVCP). A medida do volume é determinada pelo arranjo de condutores conectados em diferentes configurações que consistem no afastamento dos condutores internos e externos, determinando o índice médio de água dentro dos volumes concêntricos do solo. O VVCP foi testado em laboratório sob condições de campo e comparado com a sonda de 3-hastes convencional. Os resultados das estimativas de umidade do solo foram consistentes durante a comparação, independentemente da configuração da VVCP utilizada. A VVCP, também, estimou o balanço da água em volume integral e parcial do solo, demonstrando excelente concordância com o volume de água aplicado.

Irrigação por gotejamento XE "Irrigação por gotejamento"  - Sonda de TDR XE "Sonda de TDR"  - Umidade do solo XE "Umidade do solo"

T459

DETERMINAÇÃO DA INFLUÊNCIA DO AMBIENTE NOS NÍVEIS DE RUÍDOS EM DOIS TIPOS DE CRECHE DE SUÍNOS

Carlos Eduardo Bites Romanini (Bolsista CNPq) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Nääs (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

A produção de suínos representa significativa parcela da economia nacional. Importantes trasnformações estão atingindo a suinocultura brasileira e mundial nos últimos anos, sendo uma das mais evidentes, a preocupação em atingir níveis desejáveis de Bem-Estar do animal e do trabalhador envolvido com a atividade. Em condições tropicais, o desconforto térmico é permanente, constituindo-se ainda em um dos principais problemas da moderna suinocultura. No presente trabalho objetivou-se verificar a influência das condições ambienatsi nos níveis de ruído em dois diferentes sistemas de creche de suínos. O estudo foi conduzido em uma granja comercial de suínos na região de Campinas-SP e consistiu em avaliar durante dois dias, os níveis de ruídos gerados em salas de creche com gaiolas e em piso semi-ripado, no período de trabalho dos funcionários da granja (7:00 ? 17:00 hrs). As medidas de níveis de ruído foram efetuadas utilizando-se medidor de nível de pressão sonora Quest 2900 que registrou dados médios de nível normal e de pico. Espera-se determinar com os resultados relações existentes entre os níveis de ruídos e condições ambientais, capazes de dar suporte a estudos na linha do Bem-Estar animal e e segurança do trabalhador. Análises estatísticas estão sendo realizadas para que as relações fiquem evidenciadas e as conclusões sejam extraídas.

Suinocultura XE "Suinocultura"  ? Ambiência animal XE "Ambiência animal"  ?Nível de ruído XE "Nível de ruído"

T460

Análise Estatística dos resultados de avaliação dos níveis de Amônia em granjas comerciais de frangos de corte

Melissa Brandão Figueiroa de Sousa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Nääs (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Doenças respiratórias são uma das principais causas de condenação de caraça de frango no Estado de São Paulo. A amônia, normalmente presente em altas concentrações nos aviários, é um agente conhecido como irritante de mucosas dos olhos e do trato respiratório. Experimentos têm avaliado o efeito da exposição contínua dos animais às diferentes concentrações deste gás sobre a saúde do animal. Foram avaliados dois sistemas produtivos em granja comercial de frangos de corte, sendo um com densidade de 13 aves/m2 e ventilação convencional, e outro com 18 aves/m2 com ventilação tipo túnel. Foram coletados dados quanto às condições climáticas internas, a concentração e emissão de amônia nas idades de 141, 28 e 39 dias de cada lote de produção, ao longo de 3 lotes, dados produtivos (mortalidade, ganho de peso, conversão alimentar, índice de eficiência produtiva e ganho de peso diário) e dados de condenação de caraça no abatedouro local, seguindo metodologia dos SIF - Serviço de Inspeção Federal. O estudo teve como objetivo a análise estatística destes resultados, que forneceram maiores conhecimentos ao produtor sobre a emissão de amônia e suas relações com a produção, a saúde animal e a qualidade sanitária do produto final, e permitiu estabelecer as principais diferenças entre os dois sistemas.

Estatística - XE "Estatística"  Amônia - XE "Amônia"  Frangos XE "Frangos"

T461

COMPARAÇÃO DO USO DE IDENTIFICAÇÃO ELETRÔNICA VERSUS CONVENCIONAL NA RASTREABILIDADE DE SUÍNOS

Samantha Gil de Souza Campos (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Nääs, Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

A identificação individual do animal é um importante pré-requisito para modernas práticas de gerenciamentos na produção industrial de suínos, para que se tenha a rastreabilidade da carne, atingindo assim o mercado externo e interno. As formas utilizadas atualmente apresentam algumas falhas. A Identificação Eletrônica (IDE) pode ser uma ferramenta indispensável neste processo, onde se exige total segurança. Porém, para que o sistema de IDE seja implantado é necessário também facilidade operacional e rapidez. Este trabalho comparou o sistema usado atualmente (manual) com o sistema de IDE. A fim de otimizar este processo, foi estudada também, a melhor forma de rastrear o suíno, individualmente ou em grupos. Implementou-se o sistema eletrônico em uma das fases da granja, para que pudesse ser comparado com o sistema já usado, levando em consideração os seguintes parâmetros: tempo de operação, segurança (confiabilidade) e praticidade de uso, utilizando o Método do AHP (Analytic Hierarchy Process) e testes estatísticos dos dados de tempo coletados. O tempo de operação do sistema eletrônico foi muito menor que o do sistema manual, e através do Método do AHP, concluiu-se que é também o mais seguro e o mais prático de ser utilizado.

Identificação Eletrônica XE "Identificação Eletrônica"  - Rastreabilidade XE "Rastreabilidade"  - Comparação XE "Comparação"

T462

Desenvolvimento de um software aplicado À rastreabilidade nA produção de suínos

Tatiana de Paula Orofino Silva (Bolsista PIBIC/CNPq), Késia O. da Silva (Bolsista Doutorado FAPESP) e Profa. Dra. Irenilza de A. Nääs (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A área da pecuária de corte vive, atualmente, uma realidade focalizada em rastreabilidade animal. Há exigência de um controle rígido da produção, do manejo sanitário, reprodutivo e nutricional desses animais. O consumidor preocupa-se com produtos de alta qualidade e sanitariamente livres de zoonoses; esta é a nova demanda do mercado. A segurança alimentar tem, hoje, como uma das principais exigências, o rastreamento animal. Face à crescente preocupação dos consumidores com a saúde e com a qualidade dos alimentos, é necessário definir uma estratégia de segurança alimentar e estimule produtores e empresários a implantar controles de qualidade que permitam fazer o rastreamento ao longo de toda a cadeia produtiva. O setor agroindustrial brasileiro precisa se conscientizar de que a segurança alimentar é um assunto que doravante vai ser um fator obrigatório para competir no mercado e que cada vez mais será preciso dar transparência aos procedimentos de produção e industrialização para que os consumidores possam certificar-se da qualidade dos alimentos que consomem. O objetivo deste projeto é o desenvolvimento de um software que viabilize a implementação da rastreabilidade utilizando identificação eletrônica de animais. O modelo desenvolvido será usado para avaliar a eficiência do método adotado, comparativamente ao método convencional já implementado no controle da produção suína de uma granja.

Rastreabilidade XE "Rastreabilidade"  - Identificação Eletrônica XE "Identificação Eletrônica"  - Software XE "Software"

T463

ESPACIALIZAÇÃO E ANÁLISE DA DINÂMICA DA POPULAÇÃO COMO SUBSÍDIO À GESTÃO AMBIENTAL MUNICIPAL

Lídia Sanches Bertolo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jansle Vieira Rocha (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Este projeto foi desenvolvido com a finalidade de caracterizar e espacializar os dados populacionais que retratam a dinâmica populacional relativa às áreas ocupadas no entorno dos Parques Tanguá, Tingui, Jd. Botânico, São Lourenço e Bacacheri, situados no município de Curitiba (Paraná). Embora, nas últimas décadas, tenha sido expressiva a implantação de parques na cidade de Curitiba, pouco se sabe quanto aos efeitos desta política sob a ótica de um sistema integrado de áreas verdes e a efetiva mudança nas características da população. Sabe-se que os índices de áreas verdes por habitantes, embora sejam indicadores bastante utilizados na determinação da qualidade ambiental das áreas urbanas, por si só não são suficientes para garantir este objetivo. Assim sendo, além desse índice foram considerados outros fatores, como a dinâmica populacional em relação à distribuição dessas áreas. Os dados obtidos no IBGE (anos de 1991 e 2000) foram organizados em um banco de dados. A distribuição espacial desses dados foi processada em um Sistema de Informações Geográficas (software ArcView GIS 3.2). Como resultado desse processo foi obtido o mapeamento das principais características da população no entorno desses parques e conseqüentemente a identificação das mudanças ocorridas nesse período.

Distribuição populacional XE "Distribuição populacional"  - Sistema de Informações Geográficas XE "Sistema de Informações Geográficas"  - Dinâmica populacional XE "Dinâmica populacional" .

T464

Metodologia para Composição de Imagens NOAA-AVHRR para Mapear Áreas de Produção de Cana-de-açúcar no Estado de São Paulo

Michael Luiz Johannes Daamen (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jansle Vieira Rocha (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Com a importância da produção de cana-de-açúcar no Estado de São Paulo, torna-se fundamental monitorar sua evolução ao longo dos anos e obter estimativas e levantamentos de produção. Estimativas tradicionais, baseadas em amostras e questionários, são mais imprecisas, possuem alto custo e demandam mais tempo. Justificando assim, se criar uma metodologia para utilização de sensoriamento remoto orbital para geração de mapas de produção de cana-de-açúcar para o Estado de São Paulo. O sensor AVHRR dos satélites meteorológicos TIROS-NOAA possui grande potencial na geração de composições de imagens periódicas que mostram a distribuição espacial das produções agrícolas. Suas bandas espectrais permitem a obtenção de índices de vegetação, que são bons indicadores da produção de biomassa vegetal. Um problema inerente ao uso de imagens de satélite diz respeito à cobertura de nuvens, que interferem na reflectância de alvos na superfície. Uma das maneiras de se contornar estes problemas é a realização de composição de imagens multitemporais, de forma a selecionar pixels livres de nuvens. Este trabalho pretende aplicar técnicas de processamento digital e gerar composições periódicas de imagens de índice de vegetação, a partir de dados gerados pelo sensor AVHRR, de forma a permitir o acompanhamento e monitoramento das áreas ocupadas com cana-de-açúcar no Estado de São Paulo.

Cana-de-açúcar XE "Cana-de-açúcar"  - Estimativa de Safra XE "Estimativa de Safra"  - Sensoriamento Remoto XE "Sensoriamento Remoto"

T465

Secagem e Armazenagem na Qualidade de Sementes de Trigo comum e duro

André do Nascimento Bolpetti (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. João Domingos Biagi (Orientador) e Luciana M. T. A. Carneiro (Doutoranda), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

O trigo é de grande importância para a economia do Brasil, mas a produção nacional não tem sido suficiente para atender a demanda. Alguns cultivares de trigo podem germinar na espiga no período de colheita, o que inviabiliza o uso dos grãos e a produção de sementes. Este trabalho avaliou a antecipação da colheita, secagem artificial e armazenagem na qualidade fisiológica de sementes de trigo comum e duro. Os experimentos de campo foram instalados no IAC, onde as sementes de Triticum durum L. (IAC-1003) foram colhidas em 3 fases: 1a colheita com 19,90%, 2a colheita com 16,90% e 3a colheita com 10,24%. As sementes de Triticum aestivum L. foram colhidas com 8,24% (IAC-289) e 8,44% (IAC-24). Após a 1a e 2a colheita, as sementes do IAC-1003 foram secas a temperatura de 40, 60 e 80ºC. Após a secagem natural e artificial, as sementes foram armazenadas em sacos de polietileno e mantidos em câmara fria à 20ºC por 6 meses. Para avaliação da qualidade foram realizados testes de germinação, vigor, peso de mil sementes, sanidade e atividade de água. A armazenagem de 6 meses não diminuiu a qualidade das sementes do IAC-24, IAC-289 e IAC-1003, com exceção das sementes do IAC-1003 secas a 80ºC, pois a temperatura de secagem afetou a qualidade das sementes. Durante a armazenagem, houve pouca infestação de fungos e uma pequena variação na atividade de água.

Germinação XE "Germinação"  ? Sanidade XE "Sanidade"  ? Atividade de Água XE "Atividade de Água"

T466

INFLUÊNCIA DA CLORAÇÃO NA EFICIÊNCIA DE FILTRO DE DISCO NO TRATAMENTO DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO LOCALIZADA QUANDO SE UTILIZA A FERTIRRIGAÇÃO

Anna Leticia Montenegro Turtelli Pighinelli (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Euclides Stipp Paterniani (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

A irrigação localizada é uma prática muito utilizada devido a sua eficiência e uniformidade de distribuição de água, podendo ser utilizada juntamente com aplicação de fertilizantes. Além do uso de filtros, comumente os de discos, recomenda-se o tratamento químico com cloração, quando se emprega a fertirrigação a fim de evitar o entupimento dos gotejadores por partículas sólidas originadas a partir da combinação dos compostos de fertilizantes orgânicos. A partir de ensaios, procurou-se avaliar a eficiência de filtros de disco (120 mesh) com e sem tratamento químico (cloro) na remoção de sólidos suspensos e turbidez da água. As análises de turbidez e de concentração de sólidos suspensos foram realizados a partir de amostras coletadas antes e depois dos filtros. As médias de turbidez, obtidas nas parcelas de irrigação que não receberam cloro foram de 9,92 NTU (DP = 1,66 NTU e CV = 16,75%). Para o sistema com cloro as médias dos valores encontrados foram de 9.98 NTU (DP = 2,75 NTU e CV = 27,53%). Nesta etapa conclui-se que o efeito do cloro não teve um resultado significativo com relação à diminuição da turbidez da água dos efluentes dos filtros. A média das medidas das concentrações de sólidos suspensos sem cloração foi de 19,90 mg*L-1 (DP = 2,88 mg*L-1 e CV = 14,50%) e com cloração 19,15 mg*L-1 (DP = 3,38 mg*L-1 e CV = 17,62%).Portanto a eficiência da cloração da água de irrigação não mostrou resultados significativos com relação aos parâmetros físicos da água dos efluentes com e sem cloro.

Fetirrigação XE "Fetirrigação"  ? Gotejamento XE "Gotejamento"  ? Filtro de disco XE "Filtro de disco"

T467

ESTUDO DE SECAGEM DE CAQUI GIOMBO

Christiane Tanigawa Tuboni (Bolsista SAE/PRG), Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador) e Dr. Fernando Pedro Reis Brod (Co-Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O mercado internacional para frutas secas é muito amplo. No entanto, o consumo nacional dessas passas é viabilizado pela importação. Tem-se a necessidade de desenvolver tecnologias para a produção de passas a partir de frutas tropicais, como alternativa aos produtos importados, bem como para reduzir perdas pós-colheita e aumentar o valor agregado das mesmas. Em geral, caqui-passa ainda é produzido pelo método tradicional de secagem pela exposição direta ao sol. Visando o desenvolvimento de novas técnicas adequadas, neste trabalho realizou-se a secagem de caqui da variedade Giombo pelos métodos tradicional e artificial. Em ambos métodos foram analisados os encolhimentos durante o processo de secagem e estudos da cinética. A secagem solar foi realizada de acordo com os procedimentos tradicionais. Na secagem artificial utilizaram-se secadores convectivos de fluxo vertical para diferentes temperaturas e velocidades do ar de secagem, de acordo com o planejamento experimental fatorial. A secagem solar demora cerca de dez dias enquanto que a secagem em secador convectivo leva dois dias.

Caqui-passa XE "Caqui-passa"  - Fruta seca XE "Fruta seca"  - Encolhimento XE "Encolhimento"

T468

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DO AMBIENTE INTERNO DE DOIS SISTEMAS DE PRODUÇÃO COMERCIAL DE FRANGOS DE CORTE, COM VENTILAÇÃO E DENSIDADE POPULACIONAL DAS AVES DIFERENCIADOS

Fabiano Silva Chiste (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

Os fatores bioclimáticos, os níveis de ruído e os poluentes aéreos interferem na produtividade da avicultura. As diversas publicações sobre este assunto mostram pesquisas realizadas em condições diferentes das condições do ambiente interno nos trópicos. Assim, torna-se necessário a avaliação das condições do ambiente interno dos sistemas de criação utilizados no Brasil. Para tanto, foram estudados dois sistemas de produção comercial de frangos de corte, com ventilação e densidade populacional diferenciados. Foram avaliados os seguintes parâmetros: concentração dos gases CO, CO2, NO, NH3 e CH4; temperatura; umidade do ar e da cama; velocidade do ar e variáveis produtivas. O ganho de peso das aves foi obtido através de pesagem semanal juntamente com a coleta de cama para análise do teor de umidade. Os dados de temperatura, umidade e velocidade do ar eram coletados por um HTA 4200 ? Pacer USA e os gases por um Multilog 2000 ? Quest. Houve maior concentração de gases próxima aos exaustores, no galpão de alta densidade, porém neste setor ocorreu menor mortalidade. A influência na morte das aves depende de outros fatores e não só da concentração de gases. O índice de eficiência produtiva foi maior para o galpão de baixa densidade, porém consegue-se uma menor quantidade de carne por metro quadrado.

Avicultura XE "Avicultura"  ? Poluentes aéreos XE "Poluentes aéreos"  ? Variáveis produtivas XE "Variáveis produtivas"  XE "Variáveis produtivas"

T469

Comparação entre galpões de Frango de corte

Fernando Ferraz do Nascimento (Bolsista-SAE/PRG) e Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Este estudo consiste em comparar galpões de frango de corte, com ventilação e densidade populacional diferenciados. O primeiro estudo consiste em comparar concentração de monóxido de carbono e concentração de oxigênio no ar. Foram comparados 3 galpões com densidades de 13, 15 e 18 aves/m2. O galpão com densidade de 15 aves/m2 foi o único que não foi dividido em 3 setores.Também foram coletados dados de Temperatura do bulbo seco e umidade relativa do ar. O objetivo deste primeiro estudo é avaliar qual o grau de conforto de cada um dos galpões, ou seja, aquele que oferece melhores condições para a criação de frango. Para fazer a comparação usou-se o teste de médias de Fisher, e assim foram detectadas quais diferenças são significativas entre os galpões. Após as análises, chegou-se a conclusão que o galpão com 15 aves/m2 teve as melhores condições climáticas, ou seja, umidade e temperatura, mas este galpão foi o que apresentou a pior qualidade do ar, embora os 3 galpão tiveram altas taxas de O2 e CO2. O segundo estudo consistiu em avaliar as condições bioclimáticas dentro de um galpão, avaliando qual região do galpão apresenta as melhores condições. O galpão foi dividido em 30 partes, com 6 faixas horizontais e 5 faixas verticais, fazendo uma análise espacial do galpão. Foram coletadas variáveis de temperatura, umidade e velocidade do ar. Chegou-se a conclusão que as posições centrais do galpão apresentaram melhores condições bioclimáticas de produção. O terceiro estudo consiste em avaliar o peso médio de frango de dois galpões com densidades de 12 e 18 aves/m2. Este estudo tem como objetivo avaliar se há diferença de peso entre os galpões pelo fato do galpão de alta densidade pode causar piores condições de produção.

Frango - XE "Frango"  Galpões - XE "Galpões"  Densidade XE "Densidade"

T470

OBTENÇÃO DE DADOS E ANÁLISES PRELIMINARES DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA EM ATIVIDADES LIGADAS À AVICULTURA.

Julio Cappellato Neto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luiz Antonio Rossi (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

Nas ultimas décadas, todas as áreas do setor primário têm passado por profundas transformações. Umas das principais transformações foi a incorporação de novas tecnologias importadas de países com características climáticas diferentes das do Brasil. Especificamente para o segmento avícola e nos aspectos relacionados ao conforto térmico, as novas tecnologias dependem muito de energia e, principalmente, da elétrica. Assim, o estudo das grandezas relacionadas ao consumo de eletricidade, tanto das instalações quanto dos equipamentos elétricos de aviários e do custo associado da energia elétrica dentro do segmento avícola são importantes no momento atual em que os avicultores de todo o país estão diante de um mercado altamente competitivo. Neste trabalho, foram instalados medidores para quantificar as variáveis elétricas correspondentes aos equipamentos instalados nos em dois galpões avícolas, sendo estes concebidos com diferentes tecnologias. Desta forma, foi possível monitorar o consumo em KWh de cada um. Notou-se que o fator de potência, principalmente de comedouros, ventiladores e silos está abaixo do exigido por norma ( 0,92), implicando em multas ao produtor, além da perda energética. Relacionando valores de conforto térmico com valores de potência elétrica, obteve-se uma aproximação de custo de energia por fator térmico (temperatura e umidade) e, tendo os valores totais de energia, foi possível quantificar o custo de energia elétrica por quilo de frango.

Avicultura XE "Avicultura"  - Conforto Térmico XE "Conforto Térmico"  - Conservação e Uso Racional de Eletricidade XE "Conservação e Uso Racional de Eletricidade"

T471

Descoberta de Perfil de Consumo de Produtos Hortifrutigranjeiros com o Uso de Técnicas de Mineração de Dados (?Data Mining?)

Carla Rocha Gaspar (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luiz Henrique A. Rodrigues (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

As constantes mudanças nos hábitos alimentares, estilo de vida da população e a exigência cada vez maior por produtos alimentares saudáveis e de qualidade, justificam o desenvolvimento de técnicas para se determinar o perfil de compra desses consumidores. Tendo como ponto de partida os conceitos de CRM que visa à satisfação do cliente e aplicando a tecnologia de mineração de dados com descoberta de conhecimento, foi desenvolvido um esquema de organização da estrutura e agrupamento de dados para uma posterior análise de dados de transações de compra em supermercados. Foi aqui explorado o programa minerador de dado DM II ? CBA e os conceitos de classificação e associação, bem como a sua relação com o projeto desenvolvido. Ainda foi elaborada minuciosamente a descrição dos atributos que podem ser analisados e também a divisão destes em dimensões. Uma analise prévia e manipulação dos dados já adquiridos também foi realizada. Por fim, para uma melhor elucidação, exemplos referentes ao assunto tratado foram criados e analisados dentro do programa minerador escolhido. Infelizmente não foi possível dar continuidade ao projeto de pesquisa devido à ausência de cooperação dos estabelecimentos comerciais.

Descoberta de Conhecimento XE "Descoberta de Conhecimento"  - Perfil de Consumo XE "Perfil de Consumo"  - Hortifrutigranjeiros XE "Hortifrutigranjeiros"

T472

COLETA E ORGANIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS DE ACESSO ÀS FUNÇÕES DO CLIPS EM AMBIENTE WINDOWS PARA MELHORIA DA INTERFACE COM O USUÁRIO DE SISTEMAS ESPECIALISTAS

Fábio Luiz Usberti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luiz Henrique Antunes Rodrigues (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Sistemas especialistas (SE) são programas computacionais que emulam a lógica de um especialista humano frente a um problema de seu domínio. Esses sistemas contêm três componentes: base de conhecimento, mecanismo de inferência e interface com o usuário. A aceitabilidade, efetividade e validação de um SE dependem da qualidade dessa interface, justificando sua implementação. O CLIPS é um ?shell? muito utilizado na construção de SE, devido à gratuidade, vasta documentação e facilidade na representação do conhecimento. A interface do CLIPS é precária quanto ao aspecto visual e mecanismos de assistência e, devido à importância que ela apresenta, torna-se objetivo deste trabalho aperfeiçoá-la. Para isso, foi utilizado uma biblioteca das funções do CLIPS (clipshll.dll) e, a partir do Visual Basic (v. 5.0), foi feito o acesso dessas funções, documentando e exemplificando os procedimentos necessários para seus usos, organizando-os em um manual explicativo. Esse manual facilitará a construção de SE com melhores interfaces, ampliando sua utilização por usuários leigos em informática. Foi feita a implementação da interface do SE desenvolvido em um trabalho de Pós-Graduação na FEAGRI.

Sistemas Especialistas XE "Sistemas Especialistas"  - Interface XE "Interface"  - CLIPS XE "CLIPS"

T473

Avaliação das Câmaras Frigoríficas do Entreposto Terminal de São Paulo (CEAGESP)

Josué Ferreira Neto (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Marcos David Ferreira (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

O tempo de vida pós-colheita de produtos hortifrutícolas está diretamente relacionado à temperatura de armazenamento do produto. Quando controlada a temperatura e a umidade relativa do ar, as reações metabólicas são retardadas sem causar danos, tem-se, portanto um produto com a qualidade prolongada. Assim, diminui-se as perdas na pós-colheita e aumenta-se as oportunidades de venda. No presente estudo foi realizada uma avaliação das câmaras frias destinadas ao armazenamento de frutas e hortaliças no Entreposto terminal de São Paulo, um dos maiores centros distribuidores de frutas e hortaliças do país, com o intuito de se conhecer a atual situação das câmaras frias da CEAGESP. As condições de armazenamento dos produtos foram avaliadas através dos seguintes parâmetros: temperatura, umidade, isolamento, equipamento frigorífico: condensador, compressor, evaporador, válvula de expansão e acessórios, número de trabalhadores, piso, iluminação, dimensões da câmara e da porta. A partir dos dados levantados, realizaram-se comparações com sistemas ideais. Foi verificada que as câmaras em sua maioria estão em condições inadequadas, cujas operações devem ser revistas. Todavia, existem boas perspectivas, pois está ocorrendo a instalação de novas câmaras com tecnologia apropriada.

Câmaras frigoríficas XE "Câmaras frigoríficas"  - Avaliação XE "Avaliação"  - Hortifruti XE "Hortifruti"

T474

Estudo do sistema computacional ?SPRING? para familiarização e posterior uso na análise de dados úteis na Engenharia Agrícola

Rita Tiemi Matsubara Karasawa (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Mariângela Amendola (Orientadora) e Vanildo Pereira (Co-Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

O setor agrícola se encontra em constante evolução. No que se refere à agricultura de precisão, visa-se o incremento da eficiência no manejo da agricultura pelo desenvolvimento ou uso de ferramentas e tecnologias que possam auxiliar na tomada de decisão e implementação do manejo adequado. Dentre outras ferramentas para este fim, ressaltam-se os sistemas de informação geográfica (SIG?s). Neste sentido, este trabalho tem por objetivo difundir, entre pesquisadores não especialistas, os procedimentos básicos necessários para o uso potencial do SPRING, que é um SIG de domínio público onde se pode contar tanto com um tutorial quanto com a assessoria via internet, desenvolvido pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Para tanto, foi necessária uma adequação deste tutorial, somente segundo o qual foi possível, tanto a inclusão de dados, que neste caso são os disponibilizados de um experimento de campo sobre o estudo de infiltração de pesticida no solo, quanto a posterior realização de uma análise preliminar. Esta análise refere-se à elaboração de mapas de infiltração de pesticida para diferentes profundidades do solo, o que envolveu o estudo de aspectos matemáticos em processos de interpolação.

Sistemas de Informação Geográfica XE "Sistemas de Informação Geográfica"  - SPRING XE "SPRING"  - Simulação Matemática XE "Simulação Matemática"

T475

DESIDRATAÇÃO OSMÓTICA DE BERINJELA

Sergio Zanetoni Junior (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Marlene Rita de Queiroz (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Considerando a grande importância da conservação de alimentos, um destaque especial pode ser dado às pesquisas na área de desidratação osmótica, que é uma técnica útil para a eliminação de água em frutas e vegetais, realizada pela imersão dos alimentos sólidos, inteiros ou em pedaços, em soluções açucaradas ou salgadas de pressão osmótica maior que a do produto, promovendo um aumento na sua vida de prateleira, com poucas alterações em suas características sensoriais e nutritivas. Como um objetivo geral, analisamos o comportamento da berinjela frente ao processo sendo influenciado pelos seguintes parâmetros: tipo do soluto (sal ou sal e açúcar), concentração da solução (2 níveis), temperatura da solução (40ºC e ambiente) e geometria de corte das amostras (3 geometrias). Durante todo o processo de desidratação osmótica, em intervalos de tempo de 1 hora, as berinjelas passavam por uma drenagem e eram pesadas. De cada amostra foi determinado o teor de umidade, conteúdo de sólidos solúveis e quantidade de sal na berinjela. Com os dados obtidos das análises foram calculados indicadores para a avaliação do processo de desidratação osmótica. Após tratamento dos dados, observou-se que uma solução osmótica com temperatura mais alta promove maior perda de água das amostras. Também, as soluções que possuíam sacarose possibilitaram uma maior perda de massa.

Desidratação Osmótica XE "Desidratação Osmótica"  - Alimento XE "Alimento"  - Qualidade XE "Qualidade"

T476

EFEITO DA VELOCIDADE DE ROTAÇÃO E DA POSIÇÃO VERTICAL NO DESEMPENHO DE VARREDURA DE UM ROTOR COM FACAS OSCILANTES EM DOIS PLANOS

Fernanda Idalgo (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Oscar A Braunbeck (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O estudo em questão avalia o desempenho de varredura de um rotor com facas oscilantes em dois planos como função de sua velocidade de rotação e de seu posicionamento em altura sobre o solo. O objetivo do trabalho é identificar condições operacionais favoráveis para reduzir as perdas de matéria-prima, o excessivo consumo de potência e melhorar a qualidade da cana-de-açúcar reduzindo a incorporação de fragmentos de solo e bactérias. O mecanismo foi modelado e avaliado em termos do índice de varredura do conjunto segmento-faca, operando sobre uma placa de nylon. Foram usadas na unidade experimental para a validação do modelo de simulação duas alturas do centro do rotor até a superfície (120 e 130 mm) duas velocidades de rotação do rotor (400 e 600 rpm) e duas inclinações do rotor (10 e 12º).Os resultados simulados foram validados com dados obtidos em uma unidade piloto experimental. Pode-se verificar que a melhor varredura foi de 88,03º para a condição de inclinação 12º, com 600 rpm e altura de 120 mm. Obteve-se assim a altura de trabalho, a inclinação e a rotação que conduzem a melhor varredura.

Cortador de base XE "Cortador de base"  - Cana-de-açúcar  XE "Cana-de-açúcar" - Simulação XE "Simulação"

T477

DESPALHAMENTO MECÂNICO DE COLMOS INTEIROS DE CANA-DE-AÇÚCAR UTILIZANDO ROLOS RASPADORES COM TALISCAS MONTADAS SOBRE RAIOS ELÁSTICOS

Márcia Eiko Atarassi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Oscar Antônio Braunbeck (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

O melhor rendimento das colhedoras em canaviais previamente queimados induz à prática da queima, causando vários impactos negativos e reduzindo a produtividade da área. Esta pesquisa está inserida em uma proposta de colheita de colmos inteiros de cana-de-açúcar, sem queima prévia, com o objetivo principal melhorar o desempenho do despalhador idealizado por TANAKA (1996). A variação existente entre o maior diâmetro do pé e o menor diâmetro da ponta do colmo torna o despalhamento menos eficiente na proximidade do ponteiro e ocorrem maiores danos mecânicos na proximidade do pé do colmo. Foi feita uma alteração nos rolos do despalhador, visando uma maior continuidade de contato entre as taliscas raspadoras e os colmos inteiros. Estes novos rolos possuem 8 raios elásticos, compostos por um feixe de três chapas de aço mola, sustentando as taliscas no extremo livre. Os raios elásticos de três feixes mantêm a carga variando entre 400 e 320N, acompanhando a variação de diâmetro de 15mm da base ao topo do colmo.

Colhedoras XE "Colhedoras"  - Cana inteira XE "Cana inteira"  - Cana crua XE "Cana crua"

T478

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA BANANA ?PRATA ANÃ? ATRAVÉS DE ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS E SENSORIAIS

Adriana Chaves (Bolsista SAE/PRG), Prof Dr. Paulo A. M. Leal (Orientador) e MSc. Ana Flávia Santos Coelho (Co-orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

A banana é a fruta mais consumida in natura, porém é altamente perecível e por isso cuidados devem ser tomados ao longo de toda a cadeia produtiva. Apesar do Brasil ser o 3º produtor mundial de bananas, a fruta comercializada tanto no mercado interno como externo ainda não alcançou a qualidade desejada, isto explica o fato da exportação brasileira de bananas não chegar a 1%. Por isso, o Ministério da Agricultura e Reforma Agrária desenvolveu o ?Programa para Modernização da Horticultura?, que visa criar padrões mensuráveis de qualidade para frutas e hortaliças e a melhoria das embalagens. Este projeto teve como objetivo avaliar a qualidade pós-colheita da banana Prata anã, submetida a duas temperaturas (ambiente e 13ºC) e três embalagens distintas (papelão, madeira ½ torito e plástica). Para isto foram realizadas análises físicas (Forma, Massa fresca, Relação polpa/casca e textura), químicas (Sólidos solúveis totais, Acidez total titulável, pH, Açúcares totais, Açúcares redutores, Teor de tanino, e Relação sólidos solúveis/acidez titulável) e sensorial. Espera-se que os resultados reproduzam a mesma resposta observada na primeira parte do experimento em que, a embalagem que conservou as bananas por mais tempo, de acordo com as mesmas análises descritas anteriormente, foi a de madeira (na temperatura ambiente) e de papelão (na temperatura de 13ºC).

Pós-Colheita XE "Pós-Colheita" - Qualidade XE "Qualidade" - Perecíveis XE "Perecíveis"

T479

AVALIAÇÃO DE DOIS MÉTODOS DE RESFRIAMENTO RÁPIDO PARA CONSERVAÇÃO PÓS-COLHEITA DE PIMENTÃO AMARELO

Ana Maria de Magalhães (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Paulo A. M. Leal (Orientador) e Silvia Antoniali (Co-Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

A temperatura é um fator ambiental muito importante e afeta diretamente nos processos fisiológicos das hortaliças. A refrigeração é o primeiro passo para a conservação das hortaliças pós-colheita. Quanto mais rapidamente a hortaliça for resfriada, maior será sua vida de prateleira e menores serão as perdas durante sua comercialização. Este trabalho tem como objetivo específico verificar a melhor conservação pós-colheita do pimentão amarelo cultivar ZARCO HS Comercial, utilizando dois métodos de resfriamento rápido (ar forçado e água) combinado com a melhor temperatura de estocagem, embalagem contentora. Os tratamentos foram submetidos aos dois tipos de resfriamento rápido e armazenados em câmara frigorífica a uma temperatura de 5oC (1. Para a verificação dos processos os frutos foram avaliados quanto à: resistência à compressão, perda de peso, teor de umidade, sólidos solúveis, acidez, pH, vitamina C e análise sensorial. Durante a estocagem observou que as propriedades químicas dos pimentões amarelos evoluíram com o seu amadurecimento e a resistência à compressão diminuiu. Observou para o resfriamento rápido com ar forçado que os pimentões amarelos apresentaram uma vida útil de 30 dias, ainda está sendo estudado o uso de resfriamento rápido com água para verificar a vida útil do produto.

Pimentão Amarelo XE "Pimentão Amarelo"  ? Pós-colheita XE "Pós-colheita"  ? Resfriamento Rápido XE "Resfriamento Rápido"

T480

ESTRUTURA DE PROTEÇÃO DE PLANTAS CONSTRUÍDAS COM BAMBU

Claudio Sadao Kenmochi (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Paulo Ademar Martins Leal (Orientador) e Eng. Agron. MS. Wellington Mary (Co-Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Diversas empresas comercializam estruturas de proteção de diferentes modelos e custos, porém, o pequeno produtor não adaptado à tecnologia e que não possui condições financeiras para iniciar na atividade, necessita de uma estrutura que possibilita a utilização de materiais alternativos de baixo custo e de fácil aplicação de maneira que possa evoluir em compasso com a sofisticação das estruturas e a tecnologia do cultivo protegido. Dessa maneira optou-se pelo bambu como elemento construtivo por ser de fácil aquisição e resistência mecânicas. A estrutura será baseada em vigas e colunas feitas com três colmos de bambu, utilizando um espaçador com a função de união dos colmos. Será avaliada a resistência da estrutura em função de diferentes espaçamentos entre os pórticos (2,0; 2,5 e 3,0 m) através de carregamentos distribuídos nos pontos mais críticos da estrutura. Será possível avaliar a melhor disposição dos espaçamentos entre pórticos para que seja possível a construção de uma estrutura de proteção de plantas com o mínimo de resistência aos ensaios estáticos e posteriormente a ser oferecida aos agricultores.

Casa de vegetação XE "Casa de vegetação"  - Bambu XE "Bambu"  - Construção XE "Construção"

T481

ADAPTAÇÃO DE UM Dispositivo para retirar amostras indeformadas de solo ao trator, com sistema de geo-referenciamento

Glauco Puccinelli Monte (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo Sérgio Graziano Magalhães (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

Para se planejar uma atividade de produção agrícola temos sempre que recorrer a amostras de solo para estudar a sua estrutura a sua composição química e avaliarmos a necessidades de complementação de nutrientes. Retirar estas amostras pelo método manual tradicional é uma tarefa difícil de ser realizada onde nem sempre é possível de se garantir a sua qualidade e representatividade, ou muitas vezes é inviável do ponto de vista econômico. Neste trabalho, foi projetada a adequação de um amostrador para retirada de amostras indeformadas de solos existente no departamento, para um trator comum, acoplando-o aos três pontos do trator e movimentando através de um dispositivo hidráulico, cilindro e motor hidráulico, acionados pela bomba hidráulica do trator. Os desenhos do amostrador de solos e suas adaptações foram realizados no programa computacional Mechanical Desktop. Foram adotados elementos de construção já existentes no Laboratório de Protótipos da Faculdade de Engenharia Agrícola e usinados no laboratório também. Através de testes de campo pode-se verificar o desempenho do amostrador acoplado ao trator, obtendo-se bons resultados. Os pontos de amostragem foram geo-referênciados, utilizando um sistema de DGPS.

Amostrador de solos XE "Amostrador de solos"  ? Hidráulico XE "Hidráulico"  - Trator XE "Trator"

T482

Desenvolvimento de uma ferramenta computacional para análise geo-estatística baseada na Internet

Simone Mariko Nakata (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Paulo Magalhães (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP, Laurimar Gonçalves Vendrusculo (Orientadora), EMBRAPA - Informática

O estudo da variabilidade espacial e temporal dos atributos de solo no domínio agrícola é importante para a tomada de decisão no processo de gerenciamento. Com os avanços de rede Internet é possível que a análise espacial torne-se disponível a um número crescente de potenciais usuários na área de ciências naturais. Este projeto tem como objetivo projetar e desenvolver um sistema computacional, para acesso via Web, que implemente os conceitos geoestatísticos. O sistema aplicativo desenvolvido para o ambiente Web utiliza Rotinas geo-estatísticas previamente desenvolvidas por Vieira et al. (1983) e nele é possível manipular os dados dos arquivos enviados pela Internet. A partir dos dados sobre os atributos de solo enviado pelo usuário no sistema aplicativo na Web, é possível fazer a análise estatística descritiva e gerar gráficos para juste aos modelos clássicos (Exponencial, Esférico, Gaussiano), possibilitando uma melhor compreensão da variabilidade dos atributos de solo numa propriedade. A velocidade de reposta ao usuário e a facilidade na manipulação e compressão da análise estatística foram relevantes, tornando essa ferramenta disponível a um grande numero de usuários.

Geo-estatística XE "Geo-estatística"  - Aplicação Web XE "Aplicação Web"  - Manipulação de Dados XE "Manipulação de Dados"

T483

DESPALHAMENTO DE COLMOS DE CANA-DE-AÇÚCAR INTEIRA UTILIZANDO ROLOS COMPOSTOS DE ESCOVAS DE AÇO

Verusa Alvim Castaldim (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Paulo Graziano Magalhães (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A cana-de-açúcar é uma cultura importante para o Brasil, e a mais antiga a ser cultivada e explorada economicamente. Contudo em termos de tecnologia de colheita ainda é bastante atrasada e apresenta um alto índice de perdas no campo, cerca de 10%. Para reduzir estas perdas a FEAGRI trabalha no desenvolvimento de um sistema alternativo para a colheita de cana crua e inteira. Neste trabalho busca-se a análise da eficiência de um dispositivo de despalhe de cana que possa ser adaptado a uma colhedora que está sendo desenvolvida com potencial de limpeza de 70 Mg h ?1; bem como seu equacionamento matemático para que possamos realizar uma otimização do sistema de limpeza e melhorar a sua eficiência. O dispositivo é composto por um par de rolos rotativos de escovas de aço para limpeza que trabalham com diferencial de velocidade. Resultados obtidos em ensaios preliminares realizados no Laboratório da FEAGRI durante o primeiro semestre desse estudo se mostraram que a porcentagem de remoção de folhas deste dispositivo antes de ser otimizado é de 68%, em média. O equacionamento deste dispositivo permitiu estudar dimensões alternativas para melhorar esta eficiência.

Cana-de-Açúcar XE "Cana-de-Açúcar"  - Eficiência de Limpeza XE "Eficiência de Limpeza"  - Equacionamento XE "Equacionamento"

T484

PARÂMETROS DE USINAGEM DA MADEIRA DE REFLORESTAMENTO

Patrícia Dias Barboza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Raquel Gonçalves (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

A utilização da madeira de reflorestamento e de produtos industrializados à base de madeira no Brasil tem sido bloqueada pela falta de tecnologia dos setores madeireiros, principalmente aqueles ligados à transformação ou processamento. Durante a usinagem da madeira é imprescindível que se considere as propriedades que determinam a natureza da ruptura. Essas propriedades estão relacionadas à madeira e ao processo de corte. A eficiência do corte poderá ser aumentada se, no processamento da madeira forem observadas as especificidades da espécie e os parâmetros de corte que afetam diretamente o custo da operação, o rendimento de madeira serrada e a qualidade do produto final. Para que se conheça o comportamento da madeira, um dos parâmetros fundamentais a se estudar são as forças de corte geradas durante o processo. Essa pesquisa tem por objetivo a determinação de parâmetros básicos ligados à transformação da madeira de espécies de reflorestamento de maneira a cobrir e associar com as classes de resistência da norma NBR 7190/97. Para isso foram determinadas as forças de corte paralela e normal no corte ortogonal 90-0 e 90-90 com a espécie Pinus taeda. Com a força paralela foi determinada a pressão específica de corte e com a força normal o ângulo de saída ideal. As forças foram medidas utilizando-se dinamômetro de anéis ortogonais acoplado a uma carta de aquisição de dados. Espera-se poder contribuir para a complementação de dados de forças de corte relativas às madeiras de reflorestamento crescidas no Brasil e, com isso, possibilitar o repasse de tecnologia ao setor madeireiro.

Madeira XE "Madeira"  ? Usinagem XE "Usinagem"  ? Corte XE "Corte"

T485

VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DE ONDAS DE ULTRA-SOM NA MADEIRA PARA DIFERENTES CONDIÇÕES DE UMIDADE

Rafael Antonio Costa (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dra. Raquel Gonçalves (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola ? FEAGRI, UNICAMP

A madeira, sendo um material higroscópico, tem suas propriedades mecânicas e elásticas afetadas por condições ambientais (temperatura, umidade relativa do ar etc). As relações de dependência de propriedades da madeira com a variação do teor de umidade têm sido amplamente estudadas por muitos pesquisadores e, um dos grandes avanços obtidos nos últimos anos, tanto do ponto de vista mecânico quanto de qualidade, é a aplicação de métodos não destrutivos destacando se entre eles o uso do ultra-som. Neste projeto, o objetivo principal foi estudar o comportamento da velocidade de ondas de compressão (longitudinais) na madeira maciça em função da umidade. Paralelamente foi também estudado o comportamento anisotrópico da madeira por meio da avaliação da velocidade em diferentes direções (longitudinal, radial e tangencial). As espécies estudadas foram o Pinus sp, Eucalipto sp, Embuia, Cupiúba e Pinho do Paraná. Primeiramente foram realizadas leituras da velocidade de propagação da onda de ultra-som nas diferentes direções, para diferentes condições de umidades da madeira, variando-se desde saturada até 0% de umidade. Posteriormente foram traçados gráficos de Umidade x Velocidade para as três direções consideradas e para cada espécie separadamente. Além dos gráficos, que visaram visualizar o comportamento, se buscou modelos que se adaptassem aos resultados obtidos na experimentação e o modelo que melhor se adequou foi o logarítmico.

Madeira XE "Madeira"  ? Ultra-Som XE "Ultra-Som"  - Umidade XE "Umidade"

T486

Estudo da taxa respiratória do figo

Flavia Rocha (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Sylvio Luís Honório (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Existem dúvidas quanto ao modelo respiratório pós-colheita do figo ´Roxo de Valinhos`ser ou não ser climatérico, impedindo melhor adequação tecnológica para essa fruta. Neste trabalho, quantificou-se a taxa respiratória do figo proveniente da região de Valinhos /SP no estádio de maturidade rami, durante o período da safra 2002/2003. No intuito de conhecer o padrão respiratório do figo, foi determinada a taxa respiratória da fruta armazenada a 25(C e também foram coletados dados do figo resfriado rapidamente e armazenado a 1(C. A taxa respiratória dessa fruta foi quantificada através de cromatografia gasosa pela medição de CO2, acompanhada de avaliações de sólidos solúveis, acidez total titulável, perda de peso e características sensoriais. Os resultados permitem esclarecer que o modelo respiratório apresentado pelo figo ´Roxo de Valinhos`, corresponde ao das frutas climatéricas Percebeu-se com o tempo a tendência crescente em relação aos sólidos solúveis e a tendência decrescente em relação a acidez titulável, que são responsáveis pela qualidade intrínseca ao mesmo tempo que observou-se a tendência crescente de perda de peso, responsável pela qualidade extrínseca da fruta. Portanto, entender o comportamento respiratório, permite melhor orientação sobre o ponto de colheita e orientação sobre as atividades pós-colheita (beneficiamento, transporte e comercialização) mais adequadas para este cultivar.

Figo Roxo de Valinhos XE "Figo Roxo de Valinhos" - Taxa respiratória XE "Taxa respiratória" - Cromatografia XE "Cromatografia"

Faculdade de Engenharia Civil

T487

CÁLCULO DAS FREQUÊCIAS NATURAIS E MODOS DE VIBRAÇÃO LIVRE EM PÓRTICOS PLANOS

Anderson Carlos Gatti (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Aloísio Ernesto Assan (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Atualmente, com o advento de novas tecnologias e novos materiais cada vez mais leves e resistentes empregados nas estruturas, a análise de vibrações é de fundamental importância sendo um campo muito extenso para pesquisa. Uma vibração mecânica consiste no movimento de um ponto material ou de um corpo que oscila em torno da sua posição de equilíbrio. Porém, a maioria delas são indesejáveis nas estruturas, pois existe um aumento de tensões além de criar perdas de energia que as acompanham. Nesse trabalho foi desenvolvido um modelo para a determinação das freqüências naturais e modos de vibração livre de estruturas planas com ou sem articulações através do método dos elementos finitos baseado no método generalizado de Jacobi. Toda parte computacional foi desenvolvida em DELPHI 5.0 (linguagem orientada a objeto). O programa resultante, intitulado de P.E.F. ? Pórticos por Elementos Finitos (Análise Estática e Dinâmica), que consiste em uma implementação do projeto anterior criado para a parte estática, permite a visualização gráfica dos modos de vibração livre para as diferentes freqüências que a estrutura pode estar sujeita. Com as opções oferecidas pelo programa o usuário pode criar uma grande quantidade de exemplos de maneira rápida, já que a entrada dos dados e alterações dos mesmos no programa não oferece maiores dificuldades, sendo feita através de tabelas.

Pórticos XE "Pórticos"  ? Visualização Gráfica XE "Visualização Gráfica"  - Análise Dinâmica XE "MEF"

T488

IMPLEMENTAÇÃO DA COMPUTAÇÃO GRÁFICA E WWW NA TRANSMISSÃO DE CONCEITOS SOBRE A GEOMETRIA ESPACIAL

Daniel da R. C. Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Lúcia N. de C. Harris (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

O ensino de geometria espacial e suas representações bidimensionais são fundamentais para a formação de profissionais da área de Construção Civil. Com o desenvolvimento e a abrangência cada vez maior de novas tecnologias de informação e comunicação (NTIC), como por exemplo a computação gráfica tridimensional e a Internet, é possível hoje, preparar e utilizar um material didático com conteúdo mais dinâmico e interativo. Neste trabalho, elaborou-se um material didático em dois formatos, CD-ROM e website, utilizando principalmente animações, modelos tridimensionais virtuais e exercícios interativos. O objetivo deste projeto é disponibilizar aos alunos um material didático, onde ele poderá estudar, de modo interativo, além do horário de aula curricular. Foram utilizados programas atuais de animação como o Discreet plasma, o Macromedia Flash e o Aliaswavefront Maya, além de linguagens como o XML e o Macromedia Actionscript como suporte ao produto final.

Geometria Espacial XE "Geometria Espacial"  ? Animações XE "Animações"  ? 3D XE "3D"

T489

Índices de Produtividade do Processo de Preparação de Armaduras para Estruturas de Concreto em Edifícios Verticais

Alceu Justus Filho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. André Munhoz de Argollo Ferrão (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

Os processos que promovem o gerenciamento, inovação, otimização, qualidade e economia são imprescindíveis para o sucesso na construção civil. As estruturas pré-fabricadas visam garantir esse sucesso, reduzindo problemas relacionados à má execução, atrasos no cronograma, desperdício, entre outros. No que diz respeito a armaduras para concreto, existe o processo tradicional (corte, dobra e montagem no canteiro), e o processo industrializado (corte e dobra industrializados e montagem no canteiro). O modelo proposto possibilita estabelecer uma comparação entre estes dois processos através do dado final ?Custo Unitário (por Kg) para Preparação de Armaduras?. Para tanto foram selecionadas duas obras, cada uma utilizando um dos processos. Os dados relevantes foram coletados e inseridos no PCIPA-1.0 (CHAIM, PEREIRA e ARGOLLO FERRÂO, 2001), conjunto de planilhas eletrônicas responsável pela compilação dos dados coletados e pela estruturação da análise de custos para os dois processos. O programa fornece também alguns índices relativos à produtividade dos serviços e sub-serviços utilizados nos processos. Neste trabalho encontram-se ainda dados relativos ao processo de fabricação da armadura pré-cortada e pré-dobrada.

Armaduras XE "Armaduras"  ? Comparação de Processos XE "Comparação de Processos"  - Produtividade XE "Produtividade"

T490

MÉTODO PARA ESTIMACÃO DE VAZÃO DE UMA SUB-BACIA DO RIBEIRÃO DAS ANHUMAS

Márcia Heuser (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antônio Carlos Zuffo (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

As enchentes urbanas são um problema cada vez mais crônico no cenário das grandes cidades. O fenômeno de crescimento desordenado e acelerado das cidades brasileiras, com ocupação de áreas perigosas e o aumento da taxa de impermeabilização do solo, aumentam consideravelmente a parcela de água das chuvas que escoa superficialmente, causando inundações e o caos urbano. Sabendo desses efeitos, gerados pelo sistema ineficiente e subestimado de drenagem, o objetivo do trabalho foi propor um método de cálculo de vazões para pequenas bacias urbanas, que possuam dados pluviométricos, mas não possuam dados fluviométricos, mais acurado que os métodos utilizados atualmente nos projetos de drenagem, e que seja de fácil aplicação. O objeto de estudo foi uma sub-bacia do Ribeirão das Anhumas localizado em zona nobre da cidade de Campinas. Propõe-se a associação de dois métodos: o método determinístico de Santa Bárbara que gera os hidrogramas necessários para a aplicação do método GRADEX, método probabilístico utilizado para previsão de vazões extremas. Assim, pôde-se estimar vazões de projeto para a sub-bacia, com períodos de retorno utilizados na construção de obras de drenagem, que sejam mais seguros que os empregados na construção atual e comprovar a validade do método.

Vazões para pequenas bacias urbanas XE "Vazões para pequenas bacias urbanas"  - Método HU de Santa Bárbara XE "Método HU de Santa Bárbara"  - Método GRADEX XE "Método GRADEX"

T491

ANÁLISE DO EFLUENTE DE FILTRO DE AREIA APÓS DESINFECÇÃO ? DETECÇÃO DE PROTOZOÁRIOS E HELMINTOS

Camilla Cristina Okano São Pedro e Prof. Dr. Bruno Couracci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC,UNICAMP

A manutenção da qualidade do efluente liberado em corpos receptores tem merecido destaque devido ás complicações que podem ocorrer se este não for tratado de forma segura e eficiente. A proposta é pesquisar a presença de formas resistentes de protozoários e helmintos (ovos, cistos e oocistos) e larvas de parasitas ou de vida livre provenientes de amostras dos filtros de areia de uma ETE (Estação de Tratamento de Esgoto): afluentes, efluentes e esgoto bruto. Este efluente passará por um tratamento biológico seguido de desinfecção por cloro e ultra-violeta. As formas parasitas serão identificadas e contadas em todas as amostras para efeito de comparação, tendo maior incidência de ovos e larvas nematóides no esgoto bruto e nos filtros com profundidade de leito menores.Os principais patógenos que o esgoto pode conter são bactérias, vírus, protozoários e helmintos, responsáveis por doenças de veiculação hídrica como giardíase,verminoses,tifo,hepatite,entre outras;as quais afetam o homem e/ou animais causando doenças.É necessário verificar a qualidade do efluente tratado, dentro dos padrões exigidos pela legislação, para que este possa ser reutilizado em agricultura, irrigação entre outros. Portanto, monitorar sua qualidade e a confiabilidade é de fundamental importância.

Efluente XE "Efluente"  ? Patógenos XE "Patógenos"  - Desinfecção XE "Desinfecção"

T492

AVALIAÇAO DO PROCESSO DE DESINFECÇAO DO EFLUENTE PÓS-TRATADO EM SISTEMA DE CHICANAS UTILIZANDO HIPOCLORITO DE CÁLCIO

Kelly Cristina Passarini (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

Devido à precariedade do saneamento básico de paises em desenvolvimento, tem-se a necessidade de otimização dos processos de tratamento de esgoto: baixo custo, implantação, manutenção e operação que sejam eficientes na remoção de organismos patogênicos, servindo como estratégia para a prevenção de doenças de origem hídrica. Este trabalho visa a desinfeccão do efluente proveniente do pós-tratamento anaeróbio de valas de filtração, com 0,50m de camada filtrante (areia grossa) para reuso em agricultura. Neste sistema, os resultados de coliformes totais e Escherichia coli , quantificados pelo método do substrato cromogênico, (107 e 106 NMP/100mL respectivamente) ficaram acima dos parâmetros microbiológicos da Legislação brasileira (1000 NMP/100mL de coliformes fecais). A desinfecção é feita a partir de uma solução saturada de hipoclorito de cálcio, nas doses de 0,2; 0,4 e 0,6mg/L Cl, passando por uma câmara de reação onde o efluente percorre internamente uma caixa em forma de chicanas, formadas por placas de alteração de direção e altura de fluxo, com tempo de detenção de 30 minutos. Verificou-se significativa diminuição de coliformes totais e fecais na dose 0,4mg/L Cl para este tipo de efluente (103 e 102 NMP/100mL respectivamente). Podendo assim, ser utilizado em irrigações irrestritas sem causar danos ao ambiente e a saúde pública.

Desinfecção XE "Desinfecção"  - Hipoclorito de Cálcio XE "Hipoclorito de Cálcio"  - Efluente XE "Efluente"

T493

DESINFECÇÃO DE EFLUENTES SANITÁRIOS PARA FINS PRODUTIVOS NA AGRICULTURA, AQÜICULTURA E HIDROPONIA: Cloraminas

Marcio Domingues (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

O trabalho em questão tem como proposta o reuso de um efluente sanitário para fins produtivos na agricultura, aqüicultura e hidroponia. O efluente utilizado é resultante do tratamento de um efluente doméstico que passou por filtros anaeróbios de fluxo ascendente e pós-tratamento por filtros de areia e vala de filtração. Foi aplicado um processo alternativo de desinfecção, cloraminas (processo químico), a fim de remover organismos patogênicos. A quantificação de coliformes totais e E.coli e verificada através do método cromogênico, que utiliza o Colilert como substrato. Serão utilizados como parâmetros de qualidade de água, organismos do tipo coliformes totais e Escherichia coli no processo de desinfecção. Tem-se como principal objetivo avaliar a eficiência desse sistema de desinfecção do efluente visando contribuir de maneira adequada do ponto de vista sanitário e agronômico à produção de colheitas e à proteção de aqüíferos subterrâneos.

Agricultura XE "Agricultura"  - Aqüicultura XE "Aqüicultura"  - Desinfecção XE "Desinfecção"

T494

DESINFECÇÃO SOLAR NO LODO DE ESGOTO: ANÁLISE DE COLIFORMES E PATÓGENOS

Tatiana Prado (Bolsista SAE/PRG), Marta S. Guilherme Pires (Doutoranda) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

Uma das alternativas para a disposição do lodo de esgoto é sua aplicação no solo. Porém, o lodo de origem de esgoto doméstico contém uma grande variedade de organismos, que podem ser de vida livre ou patogênicos, como bactérias, vírus, protozoários e helmintos. Estes organismos são responsáveis pela disseminação de doenças e podem ser transmitidos através do contato direto com o lodo, água e solo. Para que o reuso do lodo possa ser feito com segurança, é preciso promover sua desinfecção antes deste reuso. Uma alternativa para promover a desinfecção é a utilização de luz solar, pois é um método prático e econômico se comparado aos métodos mais tradicionais de desinfecção como o cloro e ultravioleta que é um método caro. Para testar o efeito da desinfecção dos patógenos pela radiação solar foram montados doze recipientes plásticos de 20L(preenchidos com solo) e cobertos com telas tipo sombrite de 40, 60 e 80% para simular sombreamento e verificar a eficiência da luz solar na desinfecção. Os resultados para coliformes, helmintos e protozoários vêm mostrando que além da taxa de incidência luminosa, a temperatura também é um fator importante na desinfecção. Quanto maior forem essas taxas, maior é a desinfecção dos patógenos, sendo que o sombrite de 80% apresenta as maiores taxas por receber menos luz solar.

Lodo de esgoto XE "Lodo de esgoto"  - Desinfecção XE "Desinfecção"  - Luz solar XE "Luz solar"

T495

CONTROLE DO DIÓXIDO DE CARBONO PRODUZIDO APÓS APLICAÇÃO DE LODO DE ESGOTO DOMÉSTICO NO SOLO ATRAVÉS DE ANÁLISES RESPIROMÉTRICAS.

Tatila Fernanda Martins (Bolsista SAE/PRG) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil - FEC, UNICAMP

O lodo de esgoto, resultante do processo de tratamento de esgoto necessita de uma disposição final adequada sem causar danos ao meio. Uma das alternativas estudada é sua aplicação no solo. O projeto está sendo desenvolvido na cidade de Limeira ? CESET-UNICAMP, em área externa sofrendo as variações do meio. Foram desenvolvidas 18 cubas de fibra de vidro com dimensões de 1,05 metros (m) de diâmetro por 1,20 m de altura com volume total de 1000 litros cada. As cubas foram preenchidas com 1,0m de solo, com uma superfície livre de 0,20 m para segurança na aplicação de lodo. Em cada cuba foram aplicadas diferentes doses de lodo: 0,0(controle), 2,5 toneladas de sólidos secos por hectare (tds/ha), 5,0 tds/ha e 7,5 tds/ha, e 0,0 tds/ha e 5,0 tds/ha com o pH do solo neutro, todas em triplicatas. Na última amostra de cada dose, parou-se a aplicação do lodo há 18 meses, para avaliação dos solos quanto à degradação do lodo. O biossólido, aplicado é proveniente de uma estação de tratamento de esgoto doméstico de São Bernardo do Campo ? SP. O projeto consiste na avaliação do processo de degradação do lodo através da produção de dióxido de carbono produzido pelos microrganismos presentes, pela análise respirométrica. Os resultados apresentados demonstram que a degradação do lodo de esgoto doméstico no solo se apresenta eficiente em todas as doses aplicadas.

Respirometria XE "Respirometria"  - Dióxido de carbono XE "Dióxido de carbono"  - Tratamento de esgoto XE "Tratamento de esgoto"

T496

Sistematização de dados coletados em pesquisa realizada em ambientes escolares

Amanda Pietro Petter (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Doris C. C. K. Kowaltowski (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

A pesquisa visa à unificação das informações e resultados obtidos durante a realização da pesquisa de campo do projeto: ?Melhorias do Conforto Ambiental em Edificações Escolares Estaduais de Campinas - SP" finalizada no ano de 2001, com Apoio da FAPESP no Programa de Ensino Público (97/02563-8). O objetivo desta sistematização dos dados é divulgar o material pesquisado e disponibilizá-lo como referência para as futuras e/ou necessárias intervenções e melhorias arquitetônicas no espaço escolar. Nesta área faltam atualmente referências específicas e relacionadas a realidade local. A metodologia adotada baseou-se na revisão bibliográfica referente ao tema proposto, o ambiente escolar, e a organização gráfica do material existente no Relatório Científico da pesquisa original. Organizaram-se os dados, adicionaram-se novas avaliações e ilustrações bem como se verificou e ampliou-se a bibliografia. Houve a complementação das possíveis soluções apresentadas para a melhoria do conforto ambiental nas escolas verificadas, otimizando futuras intervenções e melhorias de caráter construtivo, sempre focalizando o conforto do usuário e a durabilidade da construção. O resultado obtido foi a criação de uma nova referência para apoiar projetos e pesquisas do ambiente escolar. Este material deve contribuir também de modo geral para o bem estar da população, através da melhoria da qualidade de vida no ambiente construído.

Ambiente Escolar XE "Ambiente Escolar"  - Conforto Ambiental XE "Conforto Ambiental"  - Avaliação Pós-Ocupação XE "Avaliação Pós-Ocupação"

T497

TRADIÇÃO E ARQUITETURA AUTOCONSTRUÍDA: A VARANDA

Danielle Skubs (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Doris C.C.K. Kowaltowski (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

A presente pesquisa investiga o significado e a presença da varanda na autoconstrução de moradias na região de Campinas. A varanda é um elemento arquitetônico tradicional da casa brasileira de fundamental importância no conforto da moradia, principalmente nos países de clima tropical como o nosso. Observou-se: se a varanda ainda faz parte da moradia autoconstruída na região de Campinas-SP; por que é construída; como é utilizada e se a população de autoconstrutores entrevistada tem conhecimento sobre sua influência no conforto térmico interno da casa. Foram feitas duas análises específicas: pesquisa de campo com questionário aplicado em bairros de autoconstrução e avaliação de plantas baixas, de estudo anterior, com levantamento de 64 casas autoconstruídas em Campinas. A análise dos dados obtidos em pesquisa de campo mostrou que a varanda aparece no programa arquitetônico de 50% das casas da população de autoconstrutores. A população reconhece a importância da varanda em amenizar altas temperaturas. Nas casas com presença de varanda, ela é definida como um local de lazer e de serviços. As dimensões da varanda e o mobiliário presente nela, no entanto, não são adequados para acomodar as atividades de lazer. A pesquisa de campo também revelou que nenhum dos entrevistados pretende fecha-la para dar-lhe outro uso.

Tradição XE "Tradição"  - Autoconstrução XE "Autoconstrução"  - Varanda XE "Varanda"

T498

REAPROVEITAMENTO DO GESSO DE CONSTRUÇÃO

Fernanda Moraes dos Santos (Bolsista SAE/PRG) e Profa. Dra. Gladis Camarini (Orientadora), Faculdade de Engenharia Civil ? FEC, UNICAMP

O gesso tem grande importância na construção civil, pois é ele o principal material utilizado em forros e r