Livro – Dicionario de Termos Medicos e de Enfermagem

106 VISUALIZAÇÕES DOWNLOAD
Cursos Online - Cursos 24 Horas
Ferrari Red Power Masculino Baner Horizontal(728x90)
106 VISUALIZAÇÕES DOWNLOAD

EXPEDIENTE Editor Responsável Coordenadora de produção editorial Assistente Editorial Organização Colaboração na Atualização Preparação Projeto Gráfico Revisão

Diagramação Italo Amadio Katia F. Amadio Edna Emiko Nomura Deocleciano Torrieri Guimarães Eduardo Mokagel Guimarães Kimie Imai Jairo Souza Kimie Imai Sandra Garcia Cortez Art Feita Designer Gráfico

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Dicionário de termos médicos e de enfermagem / organização Deocleciano Torrieri Guimarães. – 1. ed. – São Paulo : Rideel, 2002.

ISBN 978-85-339-0525-2 02-6302 CDD-610.3 Índices para catálogo sistemático: 1. Dicionários : Termos médicos e de enfermagem : Ciências médicas 610.3 2. Termos médicos e de enfermagem : Dicionários : Ciências médicas 610.3

© Copyright – todos os direitos reservados à: Av. Casa Verde, 455 – Casa Verde Cep 02519-000 – São Paulo – SP www.rideel.com.br – e-mail: sac@rideel.com.br

Apresentação Com a contínua evolução e a complexidade dos termos da área da saúde os estudantes, enfermeiros, técnicos de enfermagem e pro?ssionais assemelhados necessitam de uma obra de referência rápida, disponível, Com o objetivo de esclarecer e simpli?car a linguagem da área das ciências da saúde, elaboramos o Dicionário de Termos Médicos e de Além da explicação milhares de termos da área da saúde, uma introdução sobre alimentação, hábitos saudáveis e tudo o que merece a atenção de pro?ssionais que valorizam a qualidade de vida e investem na O Editor

Acessos – Ver Convulsão…………………………………………………… 128

Afogamento………………………………………………………………………. 28

Ver Respiração arti?cial ………………………………………………. 395

As?xia ……………………………………………………………………………… 65

Ataque do coração – Ver Trombose coronária………………………. 444

Choque elétrico ……………………………………………………………….. 107

Ver Respiração arti?cial ………………………………………………. 395

Coma ……………………………………………………………………………… 123

Ver As?xia …………………………………………………………………… 65

e Respiração arti?cial………………………………………………….. 395

Concussão ………………………………………………………………………. 124

Convulsão ………………………………………………………………………. 128

Ver Epilepsia ……………………………………………………………… 187

Desmaio …………………………………………………………………………. 150

Engasgo ………………………………………………………………………….. 181

Ver As?xia …………………………………………………………………… 65

Escaldaduras – Ver Queimaduras ……………………………………….. 386

Fratura ……………………………………………………………………………. 223

Ver Choque………………………………………………………………… 106

Mordida de cachorro ………………………………………………………… 315

Morte ……………………………………………………………………………… 316

Ossos quebrados – Ver Fratura …………………………………………… 223

e Choque …………………………………………………………………… 106

Overdose – Ver Coma ……………………………………………………….. 123

e Envenenamento ……………………………………………………….. 183

Parto ………………………………………………………………………………. 346

Queimaduras …………………………………………………………………… 386

Ver Choque………………………………………………………………… 106

Respiração arti?cial …………………………………………………………. 395

Sangramento …………………………………………………………………… 406

Sufocação ……………………………………………………………………….. 422

Ver Respiração arti?cial ………………………………………………. 395

e As?xia ……………………………………………………………………… 65

Trombose coronária …………………………………………………………. 444

INTRODUÇÃO Vida Saudável É melhor prevenir que remediar. O conhecimento moderno, principal- mente as medidas para a saúde pública, tem nos ensinado a prevenir muitas doenças, e, se esse conhecimento fosse aplicado em nossa vida diária, a saúde da comunidade seria melhor. Infelizmente, as condições atuais estão sempre em con?ito com o ideal de uma vida saudável. Ainda assim, muito pode ser feito para se ter um organismo saudável, e dar-lhe condições no O corpo humano é um mecanismo extremamente delicado. Para traba- lhar com e?ciência, ele requer um constante abastecimento de combustível, que pode ser ajustado às necessidades do organismo; ele requer um descanso regular e pode sofrer muitas in?uências — ataques de pequenos organismos vivos, conhecidos como micróbios (bactérias e vírus), calor ou frio excessivo, violência, ar inadequado e outros fatores. Antes de discutir doença, tentaremos indicar os principais fatores de manutenção da saúde. As regras na verdade são tão simples que parece perda de tempo repeti-las, mas observamos — como médicos — muitos problemas de saúde causados por negligência. A saúde é o seu mais precioso bem, e essa preciosidade geralmente não é percebida, até o momento em que talvez seja tarde demais. Proteja-a.

Dieta O alimento é o combustível do organismo, e é necessário não só uma quantidade su?ciente, mas também um equilíbrio adequado entre os seus vários tipos para manter o organismo saudável. Todos os alimentos têm um potencial de energia conhecido, geralmente medido em calorias. Falando de um modo geral, os alimentos podem ser divididos em cinco categorias, as quais devemos examinar rapidamente, a ?m de podermos entender o que signi?ca uma dieta balanceada.

a) Carboidratos São os alimentos com açúcar e amido, cuja principal função é fornecer energia ao organismo. O amido é digerido até o açúcar, antes de ser absorvido pelo sangue. O açúcar é encontrado nos doces, bolos, biscoitos, sucos de frutas e vários alimentos enlatados e em conserva. O açúcar é chamado às vezes de “calorias inúteis”, pois não contém vitaminas ou microelementos. Atualmente, recomenda-se para uma alimentação saudável reduzir

os alimentos doces, mas aumentar a quantidade de alimentos com amido, principalmente as variedades com farinha integral, que são ricas em ?bras. As ?bras não são absorvidas e ajudam no bom funcionamento do intestino.

b) Gorduras A maioria das pessoas está familiarizada com vários tipos, tais como gordura animal, manteiga, margarina e óleo. No entanto, existem gorduras escondidas em alimentos, como biscoitos, batata frita, amendoim e salsicha. As gorduras são a forma mais concentrada de calorias e os principais alimen- Para manter o coração saudável, evite gorduras animais e utilize óleo rico em poliinsaturados, como o óleo de milho ou de girassol. O óleo de peixe é também bené?co.

c) Proteínas Alimentos que sustentam o organismo. Elas são vitais durante o período de crescimento; são necessárias aos adultos para reparar e repor os tecidos do organismo. As proteínas também são necessárias para manter a defesa do organismo contra infecções e produzir substâncias (anticorpos) que combatam os micróbios invasores. As principais fontes de proteínas em muitas regiões são carnes, peixes, aves, ovos e queijos; leguminosas, como o feijão, também contêm boa proteína.

d) Sais inorgânicos Esse termo indica certas substâncias minerais de que o organismo O sal de cozinha (cloreto de sódio) é um exemplo. Ao mesmo tempo em que é essencial para a vida, ele está presente em tantos alimentos que a maioria de nós o ingere mais do que o necessário. Para algumas pessoas, isso pode ocasionar um aumento da pressão arterial; nesse caso é aconselhável que se reduza a quantidade de sal colocada na comida. O cálcio é necessário para ossos e dentes saudáveis; leite desnatado é uma excelente fonte. O ferro é necessário para a produção de hemácias; é encontrado nas carnes vermelhas — principalmente de fígado —, na gema do ovo e nas verduras.

e) Vitaminas Essas importantes substâncias são freqüentemente mal compreendidas, sendo consideradas como uma espécie de supertônico para curar todos os males. As vitaminas são substâncias químicas complexas, utilizadas pelo

organismo para algumas funções importantes, mas são necessárias somente em quantidade minúscula. O organismo não pode funcionar sem as vitaminas, e a falta delas pode trazer sérias conseqüências. Uma vez que o organismo já tenha uma quantidade su?ciente de uma determinada vitamina, ele não a utiliza mais. Não há, portanto, razão em acumular vitaminas no organismo desde que as exigências básicas já estejam cumpridas. Algumas vitaminas quando tomadas em excesso podem ser prejudiciais. Uma dieta boa e variada, contendo proteínas (carne, frango, peixe, queijo), leite, pão, cereais, frutas, verduras e legumes, reúne todas as vitaminas necessárias para se permanecer Nas farmácias podem ser encontradas vitaminas em gotas e comprimi- dos para crianças, mulheres grávidas e que estejam amamentando.

Alimentação Saudável Para uma boa saúde é importante manter um peso razoável. Um número muito grande de pessoas tem excesso de peso, e esse é um sério problema de nutrição, em certas regiões. As pessoas com excesso de peso são mais suscetíveis a desenvolver doenças cardíacas, pressão alta, doenças Não há nenhum remédio milagroso para emagrecer. Regimes rápidos rara- mente produzem efeitos duradouros. É muito melhor tentar perder de 1/2 kg a 1 kg semanalmente, fazendo uma dieta de 1.200 a 1.500 calorias por dia. Isso incluiria alimentos com proteínas, como carne, ovos, queijo, peixe, muitas frutas, verduras e legumes frescos, pão integral, arroz, massas e batatas. As Uma vez obtido o peso desejado, pode-se incluir mais calorias, desde que se siga o mesmo padrão de alimentos, isso irá proporcionar uma dieta As crianças geralmente passam por um estágio de querer “novidades alimentares”. Quando estiverem rejeitando carnes, estas poderão ser subs- tituídas por outros alimentos protéicos, como leite ou ovos; esses alimentos poderão facilmente passar por “pudins”. O feijão é uma valiosa fonte de As mães preocupadas com as pequenas quantidades de alimentos “saudáveis” que seus bebês comem podem ?car tranqüilas, pelo fato de que um ou dois pedaços de laranja, cereais com bastante leite, um ovo “disfar- çado” e feijão satisfazem as necessidades diárias da criança. Os alimentos protéicos menos aceitos devem continuar a ser oferecidos — sem insistência

— e dessa forma serão aceitos gradualmente. Nesse meio tempo, não haverá As pessoas mais idosas, que criaram o hábito de viver de pão com manteiga, xícaras de chá e biscoitos, também devem ser incentivadas a comer verduras, legumes e frutas frescas, e a tomar sucos de frutas. As dentaduras podem se tornar um problema; dessa forma, deve-se procurar um dentista se Leguminosas como a lentilha são ótimas fontes de proteínas secundárias e, apesar de a soja ser mais famosa que os outros alimentos protéicos, na Essa forma de alimentação vegetal pode ser muito saudável, mas é necessária uma grande variedade de alimentos para satisfazer as necessidades protéi- cas, minerais e vitamínicas. Todas as pessoas que queiram seguir uma dieta vegetariana devem consultar livros especiais sobre o assunto.

O Sono O sono é essencial e permite que o organismo reponha as perdas do dia e se reabasteça de energia. As necessidades variam de pessoa para pessoa, mas, geralmente, o mínimo satisfatório é de oito horas para um adulto; as crianças necessitam de um sono mais longo, e os idosos precisam talvez de A insônia é comum, mas tem geralmente causas simples. Em primeiro lugar, veri?que se sua cama é confortável. O gasto com um bom colchão é bem restituído. As roupas de cama devem ser quentes, mas não pesadas; nesse caso, é útil um edredom — é mais fácil de arrumar para quem sofre de dor nas costas, e reduz a poeira da casa para os asmáticos. O quarto deve ser arejado, nunca exposto a correntes de ar, e o mais silencioso possível. Tente relaxar quando for dormir. Não adianta levar as preocupações do dia para a cama e esperar pelo sono. Deixe as preocupações de lado, acomode- se, concentre-se para relaxar. Aqueles com problemas de insônia devem evitar, à noite, comidas pesadas e bebidas estimulantes, como chá ou café. A insônia causada por preocupação geralmente pode ser curada levantando-se, comendo-se um biscoito ou tomando-se leite, e dessa forma voltando mais confortável para a cama. Uma longa caminhada no ?nal da tarde é uma boa As pessoas necessitam de menos tempo de sono conforme vão ?cando mais velhas; portanto, não devem ?car preocupadas se acharem que estão dormindo menos. Winston Churchill (ex-primeiro ministro inglês) é exemplo

de um homem que dizem ter dormido pouco, mas apesar disso realizou coisas importantes e chegou a uma idade avançada. Se a a?ição ou a ansiedade estão fazendo com que as horas de insônia sejam um tormento, procure um médico, que poderá tratar a causa fundamental ou receitar um calmante suave, que não o torne dependente. Os aposentados geralmente gostam de descansar uma ou duas horas depois do almoço e depois ?cam acordados até mais tarde. Em certos casos, a preocupação com uma insônia pode ter conseqüências mais sérias que a própria doença! (V. Insônia.) Exercícios Físicos Qualquer máquina criada para um determinado propósito requer uso regular para se manter em bom funcionamento. O corpo humano é semelhante; mas infelizmente, hoje em dia, as pessoas cada vez mais elas sentam-se curvadas numa cadeira o dia todo, voltam para casa de carro ou ônibus e ?cam largadas numa poltrona em frente da televisão até a hora de dormir. É alguma novidade o fato de que, sob essas condições, o corpo ?que enfermo e se torne vítima dos milhões de micróbios que estão esperando para atingi-lo? A energia vinda dos alimentos não é aproveitada, e, em vez de serem queimados, muitos dos alimentos são armazenados, sobrecarregando o organismo de quantidades crescentes de gordura. Ele ?ca preguiçoso, de forma a estabelecer um ciclo vicioso. Quanto menos exercícios, menor a tendência de praticar algum, e mais ?ácido e fora Todas as pessoas devem procurar fazer algum tipo de exercício físico pelo menos uma vez por dia. Aqueles que trabalham na cidade devem re- servar um tempo extra em seu trajeto e caminhar pelo menos uma parte do caminho na ida e volta do trabalho. Deve-se aproveitar os ?ns de semana e feriados para entregar-se a um hobby ao ar livre, como natação, ou outros jogos adequados, ou uma caminhada vigorosa. O cooper pode ajudar, porém Caminhe como um soldado: cabeça erguida, queixo e barriga enco- lhidos. O quadril, segundo o Dr. Bill Tucker — uma autoridade mundial em osteoartrite —, deve ser mantido numa posição de nádegas à prova de beliscões. Os joelhos devem ?car levemente ?exionados, pois assim você usa os músculos e não os ligamentos. Tente de vez em quando lembrar-se desses pontos favoráveis à saúde. Uma série de exercícios deve durar alguns minutos só para começar, e ser repetida em intervalos de cinco minutos, em períodos de meia hora. Escolha algo que lhe agrade, e assim a sua paciência

Ar Fresco As mesmas circunstâncias que resultam no fato de se fazer pouco exercício tendem a limitar o uso do ar fresco. O ar pode estar inadequado para o organismo por várias razões. Ele pode conter impurezas prejudiciais; apesar das manifestações contra a poluição, o ar nas cidades ainda contém substâncias tóxicas, como o anidrido sulfuroso e o chumbo (da gasolina). O ar pode estar úmido demais, o que indica que está carregando muito vapor d’água, e isso interfere no trabalho normal das glândulas sudoríparas. Ele pode conter pouco oxigênio; normalmente, o organismo consome o oxigênio do ar e libera um outro gás, chamado gás carbônico. Quando muitas pessoas estão num espaço limitado, o oxigênio tende a ser reduzido e o gás carbônico O outro perigo que resulta da superlotação e pouca ventilação é a pro- pagação de micróbios. Estes estão sempre presentes, mas o número é muito maior quando as pessoas estão aglomeradas e, assim, há o risco da propagação de doenças contagiosas. Quase todo mundo sabe como um resfriado, trazido por uma pessoa a um escritório, se espalha até que quase todos os ocupantes O ar fresco é desejável sob vários aspectos. A maioria de nós não pode escolher seu trabalho, mas podemos pelo menos olhar se as janelas estão abertas no escritório e nos ônibus em que andamos, desde que sejam evitadas as correntes de ar e as objeções das outras pessoas! Não seja relapso, pois as correntes de ar podem fazer mal; porém, deve haver uma ventilação su?ciente para trocar o ar do ambiente várias vezes por dia, sem que haja uma agitação excessiva. Com bebês e pessoas de mais de 65 anos, deve-se tomar cuidado para evitar que a temperatura do local não baixe mais que 20 oC – 21 oC (68 oF – 70 oF). Essas pessoas não conseguem manter com facilidade a temperatura do corpo e correm o risco de uma hi- potermia (um dano ao organismo causado por excesso de frio). Todavia, os bebês necessitam do ar em circulação — nunca se deve enrolá-los de forma apertada em muitas camadas de manta.

O Fumo O fumo é um tipo de vício, dependendo do efeito sedativo da nicotina no cérebro e no sistema nervoso. Não há dúvida de que o cigarro é nocivo e prejudica os pulmões, o coração, as artérias, os olhos e o sistema digestivo. Os pulmões são envolvidos pelo alcatrão, provocando falta de ar, bronquite e

o pior de tudo — o câncer de pulmão. O fumo é também um fator importante no desenvolvimento das doenças coronárias e da obstrução das artérias nas pernas. As úlceras pépticas são mais comuns nos fumantes, e podem ocorrer O cachimbo traz um risco menor, embora haja o perigo de câncer labial e de língua. Os charutos são menos nocivos e, quando um fumante de cigarros achar que não consegue (ou não irá) acabar totalmente com o vício, podem ser uma boa alternativa. Usar uma marca de cigarro com menos alcatrão não é uma forma de abandonar o vício. (V. Vício.) Como Parar de Fumar Trata-se de ter força de vontade. A primeira semana sem o tabaco pode ser desagradável, mas acho que cortar aos poucos só prolonga a agonia. A solução Algumas pessoas acham que chupar balas ou mascar chicletes ajudam durante os primeiros estágios. Outras acham úteis as gomas de mascar de nicotina. Depois de uma ou duas semanas, a vontade de fumar desaparece. Essas tentativas de passar sem o tabaco podem ajudar, contanto que a pessoa seja perseverante. Ao contrário de outros vícios, esse pode ser abandonado sem um tratamento especial, porque você pode parar. Trabalhar num lugar onde se estabelece a regra de não fumar é útil, assim como manter-se o mais ocupado possível. Pesquisas feitas na Inglaterra indicam que os grupos de renda alta e média têm deixado bastante o vício, mas parece que entre as pessoas de renda mais baixa o vício aumenta à medida que sobe o seu padrão de vida. O mais sensato a fazer é nunca começar a fumar, ou nunca tragar. Se você precisa de algo para se acalmar, limite o fumo às ocasiões sociais, ou siga uma regra de nunca fumar antes do café da tarde ou apenas à noite ou apenas em festas. Em alguns lugares existem clínicas especializadas que oferecem tratamentos contra o fumo.

Bebidas Alcoólicas O uso do álcool é comum nas comunidades civilizadas. O álcool é um tanto venenoso; por isso, quanto mais consumido, mais prejudicial ele se torna. Se tomado em grandes quantidades e durante um período prolongado, ele irá causar um dano insidioso e permanente ao cérebro e ao fígado.

A principal função dos intestinos é a de eliminar do organismo as substâncias inaproveitadas. Estas são na maioria derivadas dos alimentos que comemos e produtos residuais da digestão. Geralmente, grande quantidade de ?bras de cereais e vegetais e ?uidos devem garantir que os intestinos funcionem com e?ciência. Os laxantes, que em muitos casos agem ativando os intestinos, devem ser evitados o máximo possível. Qualquer mudança É importante para a saúde que os intestinos funcionem normalmente, e é comum — nas condições da civilização atual — que eles não funcionem bem. (V. Prisão de ventre.) CONSIDERAÇÕES GERAIS Muitos itens importantes para uma vida saudável estão sendo conside- rados, mas é óbvio que isso não é tudo. O estresse é um importante fator de doença no estilo de vida moderno. O organismo está sob um domínio muito grande da mente e, se esta não estiver em bom estado, o funcionamento do organismo pode ser abalado, resultando em algum dano à saúde. É inútil advertir as pessoas para que não ?quem preocupadas. Todos nós temos preocupações e, de fato, a vida é em grande parte cercada por elas. O perigo existe não por considerarmos nossos problemas, mas por permitirmos que eles nos afetem de forma negativa. Não deixe que suas preocupações o ator- mentem, de forma que você as leve para a cama, as reexamine cada manhã e, ?nalmente, chegue a um estado em que a vida parece não ter mais nenhuma alegria. Mantenha suas preocupações sob controle, e você verá que até os Se você percebe que está constantemente matutando sobre problemas, prejudicando seu trabalho, seu sono ou sua vida familiar, pode ser que você precise de ajuda por esse estado de ansiedade. Discutir os problemas com o marido ou a esposa, ou com um amigo íntimo, às vezes ajuda a descobrir, ou talvez diminuir a causa do estresse. Se isso não resolver, você deve procurar ajuda de seu médico. (V. estado de Ansiedade.) Uma outra consideração a ser feita é a atitude mental em relação à saúde. O homem possui apenas um corpo que agüenta a sua vida toda e, se descuidar dele até que não haja mais conserto, nada poderá substituí-lo. A moral da história é óbvia: se você quer permanecer com saúde, não ignore os avisos do organismo. Leve seu corpo ou a sua mente a um médico, para uma É igualmente descabido ir ao extremo oposto e imaginar que cada dor- zinha ou indisposição é um grande distúrbio. O organismo é um conjunto de

mecanismos delicado e pode facilmente ?car abalado. Todos nós sofremos de indisposições temporárias, de um ou de outro tipo, mas isso não tem grande importância e passa logo. As condições em que devemos procurar ajuda são muitas para serem enumeradas, mas devemos ?car atentos ao menor sinal de alguma doença que persista ou se repita regularmente. Assim, uma dor de cabeça casual atinge todos nós, mas não tem um signi?cado especial; contudo, se você acorda com uma dor de cabeça horrível todas as manhãs, durante uma semana ou dez dias, sem que haja uma causa aparente, estaria Os hipocondríacos são pessoas cujas doenças são em grande parte ima- ginárias. Nos últimos anos, tem aumentado o número desses doentes, trazendo sofrimentos a suas famílias, que em parte são in?uenciadas pela crescente informação médica transmitida pela mídia — onde geralmente se enfatiza mais a catástrofe do que a esperança. No decorrer desta obra trataremos de Não é difícil viver uma vida saudável. Cuidado com as excentricidades e modas; utilize uma dose generosa de bom senso em sua vida diária; use a moderação — até mesmo ao obedecer às regras —, pois nada é mais prejudicial que o tédio e, quando estiver em dúvida, consulte um especialista — seu médico.

ABO ABO

não ter condições de vitalidade; dar ABORTO – Este termo é usado quando a gravidez é interrompida antes da 28a semana. A partir daí é Algumas mulheres, mesmo estando grávidas, perdem um pouco de sangue na época da menstruação no primeiro mês de gravidez. Afora isso, não deve haver nenhuma perda de sangue durante a gravidez e, se houver, signi?ca que alguma coisa está errada, e um aborto pode ocor- rer. São necessárias providências Às vezes, durante os três primei- ros meses, em geral sem nenhum motivo aparente, a gestante perde um pouco de sangue. Ela pode até mesmo ter alguma dor lombar in- Ela deve ser levada para a cama imediatamente e ?car aquecida, e o médico deve ser chamado com urgência. Ela pode ir ao banheiro acompanhada, caso precise de Qualquer sangue ou tecido expelido deve ser guardado para o médico examinar (um urinol ou penico de Os tampões internos devem ser evitados por causa do risco de in- fecção. Nesse momento, é melhor Geralmente, o sangramento se in- terrompe bem rápido e, depois de descansar alguns dias em casa, a

ABR ABS

O aborto pode ser espontâneo ou provocado. É espontâneo quando é resultado de uma anormalidade no crescimento do feto ou interferência externa involuntária. E provocado Ocorre quando há desligamento dos tecidos que unem o embrião à parte interna, o que é geralmente entre a 7a e 12a semana de gestação, porque nesse período o embrião ainda não está totalmente aderido ao útero e muda com freqüência a estrutura e circulação. 10% a 18% dos embriões são expulsos por O abortamento espontâneo não decorre, em geral, de exercícios excessivos ou de acidente (queda), por doença infecciosa ou distúrbio glandular. Causas de abortamento: intoxicação por chumbo, mercúrio ou zinco; falta de vitamina, espe- cialmente E e K; exposição ex- cessiva aos raios X ou radiação do elemento rádio. E, ainda, anomalias da constituição no desenvolvimento do útero, in?amação de seus tecidos de revestimento; a sí?lis, quando a gestação, em geral, é interrompida ABRASÃO – Lesão super?cial exter- na da pele, por atrito ou raspagem, terapêutica ou acidental, deixando expostas as camadas internas. Essas esfoladuras são comuns, princi- palmente nas crianças, e não são graves. Pode sangrar ligeiramente;

essa secreção sanguinolenta ao se- car forma uma crosta. O principal perigo é a infecção. Minúsculos organismos vivos (micróbios) podem penetrar nos tecidos, onde produzem inflamação e pus, ou supuração. As escoriações devem ser limpadas com água fervida, fresca, à qual se adiciona algum anti-séptico. Quando não se tem água limpa disponível, a saliva – que possui algumas propriedades antimicrobianas – é útil, embora seja uma alternativa rude. No caso de uma escoriação pequena, é melhor Se for grande, deve ser coberta com um curativo não adesivo. Se criar pus, apesar desse tratamento, consulte o médico, pois podem ser necessários antibióticos. Odonto- logia – Desgaste das superfícies dentárias ou de revestimento do ABRUPÇÃO – Separação, ruptura ou desligamento. Assim, entende-se por abrupção de placenta (abruptio placentae) o desprendimento pre- Quando as bactérias entram no organismo, há uma luta entre elas e as defesas do organismo, e, geral- mente, se forma o pus. O abscesso contém micróbios mortos, células sangüíneas mortas e fluido que Muitos dos abscessos localizam-se perto da superfície, por causa das

ABS ACE

ACE ACI

tração de 5% na solução de Burow em compressas úmidas destinadas ao tratamento de afecções da pele, furúnculos e erisipela. Proporciona também alívio na fase inicial do eri- tema solar, lesão da pele que pode chegar a queimaduras graves, por causa de raios ultravioletas do Sol ACETESTE – Nome comercial de um pequeno aparelho, com o qual os diabéticos podem comprovar, por si mesmos, a presença de acetona na urina. A presença dessa substância ACETICOLINA – Derivado da colina, podendo ser produzida endogena- mente em certas reações antíge- no-anticorpo. É responsável pela transmissão dos impulsos da ?bra pré-ganglionar, estimulando os neurônios pós-ganglionares; age também diretamente sobre as célu- las da musculatura lisa; participa na transmissão dos impulsos na placa ACETONA – Solvente incolor e volátil. Forma-se no organismo, no diabetes e em outros distúrbios do metabolismo. Líquido incolor e volátil, presente em pequenas Como qualquer aumento de sua pre- sença no sangue é perigoso para os diabéticos, é preciso realizar nesses doentes exames regulares para sua detecção, da mesma maneira que ACIANOBLEPSIA – Cegueira para ACIDEMIA – Aumento de acidez do ACIDENTES – Ocorrências traumá- ticas ou provocadas por doença, as primeiras constituindo grave problema social em nações de- senvolvidas. Exemplos: quedas na assoalhos excessivamente encera- queimaduras; fios e dispositivos elétricos avariados; automobilísti- cos; escapamento de gás. Caseiros: são muito freqüentes as quedas, das quais resultam fratura de osso, hemorragia ou contusão. Corpos estranhos: são objetos que aciden- talmente penetram por qualquer orifício do corpo humano, os quais Exemplos: criança que engole um pequeno objeto; corpo estranho ou um inseto que se aloja no ouvido, pedaço de vidro ou al?nete que a criança engole. Feridas: implica em ruptura da pele. Para tratá-la, o encarregado do socorro deve lavar bem as mãos com água e sabão e, se possível, com álcool; a gaze ou o pano para bandagem deve estar esterilizado. Queimaduras: entre as causas estão a água fervente, ferros quentes, eletricidade, a chama de fósforo, vela ou fogão. Se a quei- madura atingir mais da metade da superfície corpórea, é considerada

ACI ÁCI

mortal. Elétricos: há duas causas principais, o contato eventual com uma corrente elétrica e o raio. Deve- se afastar o acidentado da origem da corrente elétrica e cortar o ?o con- dutor; quem prestar socorro deve manejar a vítima cuidadosamente com o auxílio de material isolante, para proteger-se do choque que pode receber através do corpo do ACIDENTE DO TRABALHO – Even- to ocorrido durante o exercício laboral (ou em algumas situações específicas, fora dele), do qual resultam danos para a saúde do ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL – Episódio agudo de distúrbio neurológico secundário a doença dos vasos cerebrais; pode ser hemor- rágico ou isquêmico. Ocorre por ruptura ou bloqueio de uma artéria no cérebro; mais freqüente em pessoas cujas artérias estão com- prometidas pela idade ou pressão arterial elevada. Nas pessoas jovens é devido em geral à obstrução de um vaso cerebral por um coágulo Pode apresentar-se de várias ma- neiras: nas pessoas idosas, durante o sono noturno regular, sem causa externa aparente; ou associado a uma crise emocional, um esforço intenso repentino ou uma tensão aguda. Uma conseqüência típica é a paralisia parcial, independente da causa.

ACIDIMETRIA – Mensuração do ÁCIDO – Composto contendo hi- drogênio e que forma sais com a Os ácidos tornam vermelho o papel azul de tornassol. Alguns são pro- duzidos naturalmente no corpo, que Entre os ácidos minerais estão o entre os orgânicos, os ácidos cítrico, ÁCIDO ACÉTICO – Líquido incolor que constitui a base ácida do vina- gre. Ácido acético glacial ou ácido anidro puro: usados como cáustico para eliminar verrugas. Em con- centrações fracas o ácido acético é empregado para extirpar as lêndeas ÁCIDO ACETILSALICÍLICO – No- me que se dá à aspirina. Empregado contra febres e dores diversas. Não deve ser usado em pessoas com dengue, porque pode causar graves ÁCIDO ASCÓRBICO – Vitamina C. Composto orgânico presente em sucos e frutas cítricas, nas couves, Essencial para o desenvolvimento dos dentes, ossos e das paredes dos vasos capilares. Combate infecções ÁCIDO AZÓTICO – Ácido nítrico, ÁCIDO BARBITÚRICO – Maloni-

ÁCI ACI

luréia. Composto do qual derivam centenas de sedativos e hipnóti- ÁCIDO BÁSICO (EQUILÍBRIO) – Proporção de ácidos e bases no metabolismo necessária para conservar o sangue neutro ou ligeiramente alcalino, num pH de ÁCIDO BÓRICO – Substância que se apresenta em forma de escamas ou cristais incolores, ou pó branco e cristalino dissolvido em água. Usa- se como anti-séptico. Exemplo: usado em pequenas quantidades externamente, misturado após seda- tivos, por sua propriedade de deter ÁCIDO BUTÍRICO – Produto de fermentação das substâncias gra- xas, como manteiga, banha, suor, ÁCIDO CIANÍDRICO – Ácido prús- ÁCIDO CÍTRICO – Não tem valor vitamínico e não pode substituir os frutos cítricos. (V. Ácido as- córbico.) ÁCIDO CLORÍDRICO – (V. Ácido muriático.) ÁCIDO DIACÉTICO – Ácido aceto- acético que aparece na urina em ÁCIDO FÊNICO – Fenol, ácido ÁCIDO FÓLICO – Componen- te do complexo vitamínico B, Essencial para todas as células, colabora na síntese dos ácidos nucléicos, colina e em todas as enzimas indispensáveis para multi- plicação celular. Ele regula também o desenvolvimento das células neurológicas do feto; seu uso tem mostrado redução da incidência de lesões no tubo neural. É indispen- sável para a maturação do glóbulo vermelho associado à vitamina B12, assim como na construção dos ÁCIDO INORGÂNICO – Ácido que não contém carbono em sua ÁCIDO MÁLICO – Ácido que existe na maçã e em outros frutos quando ÁCIDO MURIÁTICO – (V. Ácido clorídrico.) ÁCIDO NICOTÍNICO – Também chamado “vitamina PP” (preven- tivo da Pelagra); é um componente do complexo B, e sua falta produz ÁCIDO ORGÂNICO – Ácido cuja molécula contém um grupo carbo- ÁCIDO PÍCRICO – Outrora usado nas queimaduras; também conhe- cido por ácido amargo, amarelo ÁCIDO RESISTENTE – Diz-se de bactérias que não descoram pelos ácidos, como os bacilos da tuber-

ÁCI ACO

ACO ACU

pescoço. Aparecem pequenos vasos dilatados nas zonas eritematosas e formam-se abscessos diminutos, mais super?ciais do que os da acne, ACOLIA – Ausência de bílis no intestino, resultando cor esbran- ACOLÚRIA – Ausência de pigmento ACOMODAÇÃO – Propriedade que tem o globo ocular de acomodar-se ACRO – Pre?xo que indica extre- ACROASFIXIA – As?xia das extre- ACROCEFALIA – Cabeça de forma ACRODINIA – Dor nas extremidades inferiores dos membros. Enfermi- dade que ocorre geralmente entre Sintomas: edema doloroso das mãos e pés, dores musculares que di?cultam o movimento, perda de energia com lentidão física e men- tal. Não é contagiosa e atribui-se a ACROMEGALIA – Doença com de- senvolvimento exagerado das mãos Liga-se a distúrbios da hipó?se. (V.

Gigantismo.) ACTÍNICO – Relativo à ação química ACTINOMICETO – Bactéria que causa a actinomicose no gado bo- ACTINOMICOSE – Infecção produ- zida pela bactéria actinomiceto, da ACTINOTERAPIA – Emprego, em Medicina, das radiações luminosas AÇÚCAR DE AMIDO – V. Gli- AÇÚCAR DE CARVÃO DE PEDRA AÇÚCAR DE FRUTA – V. Levu- AÇÚCAR NO SANGUE – Determi- nada porcentagem de glicose no sangue. Normalmente é de 80 a 120 mg por 100 ml. Passando disso é ACUPUNTURA – Arte medicinal antiga dos chineses de inserir pequenas agulhas em pontos espe- cí?cos do corpo, de acordo com os É freqüentemente usada como anes- tesia para aliviar alguma dor e, em

ADÃ ADE

certos locais, parece ser mais e?cien- te no tratamento de dores crônicas, como a neuralgia e a dor lombar inferior. Tem sido usada também no Na China são realizadas cirurgias importantes com o paciente cons- ciente, usando-se a acupuntura como anestésico. Laxantes e outros remédios podem ser dados ao mes- Os médicos do Ocidente começam a ter maior esclarecimento sobre os efeitos da acupuntura, embora na maioria das vezes pareça ser usada para aliviar dores, é possível que ela inter?ra na passagem das sensações Muitos pensam que esse fato seja causado pelo condicionamento psi- cológico do paciente. A acupuntura não vai deter nenhuma doença em estado progressivo como o câncer, e não deve ser considerada como um tratamento alternativo em tais Os chineses negam a influência psicológica e, entre outras coisas, afirmam que as agulhas ajudam a drenar as energias negativas do corpo, para recuperar o equilíbrio ADÃO (POMO DE) – Proeminência ADDISON (DOENÇA DE) – Doença causada por insu?ciência da porção cortical das glândulas supra-renais, acarretando modi?cações importan- tes no organismo, como perda de sal, água e diminuição progressiva do líquido circulante. O nome re- corda o médico inglês que identi?- cou a afecção. Sintomas: manchas bronzeadas na pele, manchas nas mucosas, grande astenia, dores lombares, pressão baixa, vômitos, perda de peso, diminuição do ?uxo ADENITE – In?amação dos gânglios linfáticos, especialmente do pesco- ço. Pode ser provocada por in?ama- ção da garganta, ou amidalite, assim como uma infecção no braço ou na mão pode afetar os gânglios linfá- ticos da axila e da perna e produzir ADENOCARCINOMA – Adenoma ADENOFLEIMÃO – Adenite su- ADENÓIDE – Massa de tecido linfóide em forma de lóbulos, no fundo das fossas nasais, no ponto em que estas desembocam na gar- ganta. Atuam como barreira contra ADENOIDECTOMIA – Extirpação ADENOIDIANA (FACIES) – Aspecto especial da ?sionomia dos que so- frem de vegetações adenóides: boca entreaberta, olhar sem expressão, ADENOIDITE – Infecção das ade- nóides que se in?amam, aumentam de tamanho e obstruem a passagem

ADE ADU

do ar das fossas nasais para a gar- ganta. Pode também obstruir as aberturas das trompas de Eustáquio e di?cultar a passagem de ar para os ouvidos, que é a causa mais comum de infecção do ouvido e da sinusite nas crianças. Nas crianças provoca sono agitado e micções noturnas ADENOMA – Tumor produzido no tecido celular de uma glândula, que ADENOMA PLEOMÓRFICO – Tumor benigno mais freqüente das ADENOPATIA – In?amação crônica ADERÊNCIA – Nome dado à ade- são de órgãos adjacentes ou de superfícies que são normalmente ADESIVO – Medicamento que adere bem. O esparadrapo é o adesivo ADIANOCINESIA – Impossibilidade de fazer movimentos rápidos alter- nados. Ex.: com dois dedos, girando ADINAMIA – Grande fraqueza ADIPOSE – Acumulação excessiva de gordura no organismo, em geral ADJUVANTE – Ingrediente secun- dário numa preparação farma- ADOÇANTE – Substância não nutri- tiva utilizada em pequenas quanti- dades para conferir sabor doce aos alimentos. Chamado também de edulcorante, classi?cado ou divi- ADOLESCÊNCIA – Período da vida humana que ocorre entre o ?nal da infância e a chegada ao Com modi?cações glandulares e o amadurecimento dos órgãos sexu- ais, a puberdade se dá aos 12 anos nas meninas e aos 14 nos meninos: menstruação, aparecimento dos seios, arredondamento do corpo nas meninas; pilosidade facial, transformações ligadas ao desen- Algumas manifestações normais na conduta do adolescente: sublimação do herói, paixões súbitas e vivo ADRENALECTOMIA – Extirpação de uma ou de ambas as glândulas ADRENALINA – Hormônio pro- duzido pela porção medular das glândulas supra-renais, isolado em 1901 pelo cientista japonês Jokicoi Takamine. (V. Epinefrina.) Estimu- la a ação cardíaca, eleva a pressão sangüínea e tem ação relaxadora dos músculos ligados aos brôn- quios, auxiliando no tratamento de

AER AGA

ADRENOCORTICOTRÓFICO – Hormônio ACTH do córtex supra- ADSORÇÃO – Aderência de uma ADUÇÃO – Mover para o centro ou ADUTOR – Músculo que movimenta uma parte do corpo em direção ao AEDES AEGYPTI – Mosquito trans- missor da febre amarela e da den- gue. (V. Dengue.) AERAÇÃO – Mudança do sangue venoso em arterial no interior dos AERÓBIO – Microorganismo que AEROCOLIA – Acúmulo de gases no AEROCOLPOS – Distensão da va- AEROFAGIA – Deglutição voluntária ou não de ar em quantidade acima do normal e que se acumula no es- tômago. Mais comum em crianças AEROGASTRIA – Presença de ar no AEROTITE MÉDIA – Afecção dolo- rosa provocada por in?amação do ouvido médio, que afeta pessoas Sintomas: congestão e in?amação, às quais podem seguir-se perturba- ções temporárias ou permanentes AFAGIA – Impossibilidade de de- Afeção orgânica causada por lesão no córtex cerebral. Produz a perda ou a diminuição da faculdade de usar palavras para expressar AFECÇÃO – Conjunto de fenôme- nos que dependem de uma mesma AFERENTE – Que conduz para um AFINIDADE – O mesmo que AFLUXO – Vinda para determinado AFOGAMENTO – O afogamento ocorre quando não chega oxigênio su?ciente nos pulmões devido à submersão. As?xia provocada den- tro da água ou outro líquido. Sem que haja um fornecimento contínuo de ar, os tecidos do corpo morrem rapidamente. No afogamento, por- tanto, é vital recobrar a respiração normal, se houver a mínima chance de recuperação. (V. Respiração arti?cial.) AFRODISIA – Exagero mórbido do

AGA ÁGU

AFRODISÍACO – Preparado ou agen- Toda droga que anule as inibições AFTA – Úlcera super?cial da mu- AFUSÃO – Aspersão. Jato de água sobre o corpo para abaixar a tem- AGALACTIA – Ausência de secreção de leite das glândulas mamárias AGALACTORRÉIA – Supressão da AGAMAGLOBULINEMIA – Síndro- me que se caracteriza pela redução ou ausência de síntese de imuno- globulinas; em geral, manifesta-se ÁGAR – Alga malaia que a Medi- cina usa como laxante, graças à sua propriedade de aumentar o volume dos materiais de excreção ÁGAR-ÁGAR – Gelose, polissaca- rídeo usado em Microbiologia como meio de cultura, com acrés- AGENESIA – Ausência de desenvol- AGLUTINAÇÃO – Atividade que leva determinadas células, como bactérias ou glóbulos sangüíneos, em suspensão, a aglomerar-se ou a aglutinar-se quando se trata essa suspensão com soro imune.

Esta propriedade é básica para alguns testes biológicos ou provas laboratoriais para o diagnóstico de AGLUTININA – Substância encon- trada em certos soros e que tem a propriedade de aglutinar micróbios AGNOSIA – Ausência da faculdade de percepção ou reconhecimento em um ou mais de um dos sentidos AGONIA – Período que precede a AGORAFOBIA – Sensação mórbida de grande angústia quando se está em espaços abertos. Diz-se também do medo patológico de abrir apo- sentos fechados. Opõe-se a claus- trofobia (V. Claustrofobia.) AGRAFE DE MICHEL – Pequeno grampo metálico usado nas suturas AGRAFIA – Impossibilidade de traduzir os pensamentos por meio AGRANULOCITOSE – Ausência de leucócitos granulosos polimorfo- nucleares (glóbulos brancos) no Coexiste geralmente com lesões ulceradas na garganta (angina AGRIPINO (PARTO) – Parto com ÁGUA – Essencial para a vida, está presente na maior parte dos ali-

ÁGU AID

mentos e serve para o transporte de Composto químico de hidrogênio e oxigênio (H O), representa dois 2 terços do corpo humano e cerca de 75% do protoplasma, que envolve o núcleo da célula. Eliminada como resíduo pelo sistema urinário, glândulas sudoríparas, pulmões e intestinos. Pode ser veículo de bactérias patogênicas: febre tifóide, ÁGUA DESTILADA – Hidrolato ÁGUA DE JAVEL – Solução de hipo- ÁGUA DE LABARRAQUE – Solução ÁGUA FORTE – (V. Ácido azótico.) ÁGUA LAXATIVA VIENENSE – In- ÁGUA OXIGENADA – Peróxido de ÁGUA VEGETOMINERAL – Solu- ção de acetato de chumbo e álcool AGUARDENTE ALEMÃ – Tintura de AGUARRÁS – Essência de tere- AGULHA DE REVERDIN – Agulha AIDS (Síndrome de de?ciência imu- nológica) – Atualmente é a mais séria doença sexualmente transmis- sível. Os primeiros casos reconhe-

AID AID

se desenvolve realmente. Ela pode se manifestar com uma grande variedade de sintomas, que vão de uma simples perda de peso e diar- réia até um câncer de pele ou uma No ?nal de 1988 foram registrados mais de 130.000 casos de Aids em 142 países. A OMS estima que pelo menos 5 milhões de pessoas estejam infectadas com o HIV atualmente. No Reino Unido, até dezembro de 1988, foi registrado um total de 1.982 casos Ainda não há cura, apenas um processo de prolongamento da vida do aidético, com vários labo- ratórios produzindo remédios que Mas, com o uso indiscriminado de drogas antiaids (coquetéis), os cien- tistas advertem que o HIV está-se tornando mais resistente a qualquer tratamento. A cidade de Genebra, na Suíça, é a sede do primeiro Fundo Global de Luta Contra a Aids, Malária e Tuberculose, com ação independente da OMS e dispõe de recursos da ordem de 700 milhões Formas de transmissão do vírus: sangüínea (transfusão, uso de dro- gas injetáveis); sexual (esperma e secreção vaginal), e de mãe para ?lho (dentro do útero, na hora do parto e no aleitamento). Há uma forma acidental de contágio: a do pro?ssional de saúde infectado pelo sangue ou secreções de um pacien-

AIN ALC

carga viral; 3) escolher parto cesa- riano em vez de parto normal; 4) não amamentar o bebê no peito. Os médicos são obrigados a fornecer o exame às pacientes que o solicita- rem. Outra campanha desenvolvida pelo Governo é o fornecimento de seringa aos viciados em drogas, pois o uso de seringas contaminadas é o que mais difunde a Aids nesse grupo. Há uma busca permanente por uma vacina capaz de deter o avanço da doença. O Brasil ganhou prêmio internacional como o país que oferece o melhor tratamento aos doentes. Por acordo ?rmado pelos Ministérios do Trabalho e o da Saúde com representantes sin- dicais de empregados e de patrões, em 26/04/02, o preservativo será um dos itens da cesta básica de alimentos entregue mensalmente a 7,5 milhões de trabalhadores brasileiros. A distribuição será acompanhada de um programa de AINHUM – Afecção caracterizada pela queda espontânea dos dedos ALARÉM (OU CLOROQUINA) – O produto antimalárico de grande ALASTRIM – Doença transmissível semelhante à varíola, porém mais ALBINISMO – Ausência de colo- ração na pele e em outras partes do corpo (pêlos), por carência de melanina, pigmento escuro que dá cor à pele, ao cabelo e a uma parte do olho, a íris. A falta de pigmento no olho afeta a visão e produz extrema sensibilidade à luz; os albinos devem evitar a exposição direta da vista ao sol. Não constitui doença e é hereditário, se mãe e pai possuem genes albinos, o ?lho ALBINO – Pessoa afetada de albi- ALBUMINA – Proteína do soro sangüíneo, dissolve-se em água e coagula com o calor. É o principal alimento da maioria dos tecidos animais e vegetais, e também a parte principal do soro sangüíneo ou plasma. Abundante na clara ALBUMINÍMETRO – Instrumento para medir a quantidade de albu- ALBUMINÓIDE – Semelhante à ALBUMINÚRIA – Presença de albumina na urina, sinal precoce Aparece também após dieta rica em proteínas ou de exercício físico ALCALEMIA – Alcalinidade anormal ÁLCALI – Os álcalis são quimicamen- combinados com ácidos formam os sais com reação alcalina, que

ALC ALC

tornam azul o papel vermelho de tornassol; com as gorduras transfor- mam-nas em sabões solúveis. São álcalis: o bicarbonato de sódio, a potassa (de cujo equivalente árabe se deriva o nome), o amoníaco, e o carbonato de sódio. Os dois úl- timos podem provocar irritação na pele pelo uso freqüente, por serem ALCALIMETRIA – Dosagem dos ALCALINO – Que tem as proprie- dades de um álcali; o pH é acima ALCALÓIDE – Substância orgânica nitrogenada com propriedades alcalinas; alguns desses compostos são derivados de animal ou vegetal, e usados como drogas: morfina, ALÇA DE HENLE – Em Nefrologia, é parte do néfron, unidade fundamen- tal do rim, que ?ca entre os túbulos proximal e distal, e é dividida no mínimo em duas partes: descenden- ALCALOSE – Excessiva alcalinidade dos líquidos orgânicos. Considera- ALÇA SIGMÓIDE – Porção en- curvada do cólon, em forma da ALCATRÃO DA NORUEGA – Al- ÁLCOOL – O álcool etílico é um lí- quido incolor obtido por destilação de soluções fermentadas de açúcar, cereais ou substâncias que contêm amido, e obtido também por um processo arti?cial. Também conhe- cido como “espírito de vinho”. Pode atuar como medicamento: aplicado à pele produz efeito refrescante; em soluções a 70% ou mais é emprega- ALCOOLISMO – As bebidas alco- Pesquisas anulam o conceito de que o álcool seja um estimulante para o cérebro. Ele enfraquece as principais funções, de modo que a pessoa ?ca menos inibida, menos ciente de seus defeitos e apresenta um espírito de boa vontade para com outros. Quando consumido em excesso, ou apenas regularmente, o álcool pode viciar. Beber excessi- vamente é um sinal de fraqueza e Os danos ao fígado podem acon- tecer muito antes de tornarem-se óbvios os efeitos sociais. Os jovens e ocupados executivos envolvidos em almoços e viagens ao exterior ?cam freqüentemente surpresos ao saber que seus testes de fí- gado dão anormais nos exames Nesse estágio, uma abstinência absoluta de bebidas alcoólicas pode fazer com que as funções do fígado voltem ao normal. Se o perigo for ignorado, os danos ao fígado podem se tornar permanentes, desenvol-

ALD ALE

vendo uma cirrose. Essa situação pode estar associada a uma doença crônica, precedendo uma icterícia, um coma, seguindo-se eventual- Pode-se dizer que se trata de alco- olismo se o hábito de beber estiver trazendo um efeito desfavorável no trabalho, na vida familiar ou social do indivíduo. Deve-se procurar ur- gentemente a ajuda de um especia- lista, pois a situação é progressiva, e pode ocorrer tanto a desintegração da personalidade como danos ao cérebro e outros sistemas do orga- nismo. A organização Alcoólicos Anônimos é de grande ajuda para a maioria dos sofredores, e sua organização irmã, Al Anon, para os parentes angustiados, também O delírio alcoólico é um estado grave comumente visto em pessoas, geralmente jovens, que têm o hábito de beber. O paciente ?ca delirando, tremendo e tem alucinações fortes e desagradáveis. O estado é tão a?itivo que a pessoa geralmente implora por algum sedativo. É, com freqüência, seguido de uma parada cardíaca ou pneumonia, sendo ne- O álcool barato, como o cirúrgico, o industrial e o metilado, é ex- tremamente perigoso, pois contém álcool metílico, que pode causar cegueira e morte. Têm ocorrido tragédias entre jovens, em festas, em que se misturam bebidas com álcool industrial ou metilado. Tal comportamento é considerado Outras tragédias resultam do gran- de volume de bebidas alcoólicas consumido por jovens como um desa?o. Em tais circunstâncias, a morte por intoxicação aguda ocorre rapidamente. Não se deve esquecer de que até em quantidades mode- radas o álcool é um veneno. Ele também reage com certas drogas, causando desgraças. No Brasil, a lei proíbe a venda de álcool líquido, (V. Bebida e Vício.) ALEITAMENTO MATERNO – A criança alimentada ao seio, segundo pesquisas modernas, terá vantagens sobre uma outra amamentada com mamadeira, sendo sempre o método mais indicado. Com o leite materno evitam-se muitas doenças, e a crian- ça cresce mais saudável. Aceita-se, porém, o aleitamento com mama- deira quando a mãe tiver problemas que a impedem de amamentar seu ?lho. (V. Alimentação infantil.) ALÉRGENO – Substância que sen- sibiliza o organismo, podendo provocar estado de alergia, desen- cadeando, em contato com o orga- nismo sensibilizado, manifestações ALERGIA – Estado de sensibilidade anormal do organismo a certas in?uências externas e a substâncias

ALE ALI

como: pó, polens, alimentos, caspa animal, cosméticos, tintas, pêlos, tecidos, produtos químicos, etc. Ini- cialmente, dava-se a esse fenômeno Sintomas: dor de cabeça, febre do feno, asma, diarréia, eczema, urti- cária, di?culdade para respirar. Essa Algumas pessoas são alérgicas a certos gêneros alimentícios, como, por exemplo, mariscos, castanhas, ovos, etc. Nesses casos, pode ocorrer uma inchação do rosto ou da língua, ou uma erupção na pele, parecendo urticária espalhada. Uma reação alérgica semelhante pode ocorrer com antibióticos, especial- Em certos casos, principalmente nas alergias a picadas de insetos ou a remédios, a reação pode se tornar mais acentuada a cada ocorrência, até que possa, eventualmente, pro- vocar di?culdade de respiração e É importante observar e informar ao médico sobre qualquer reação anormal a remédios e sobre aler- gias comprovadas, e evitar tais substâncias. As pessoas devem sempre ter consigo um cartão (em alguns lugares usa-se um bracelete) com informações sobre alergias e dados médicos, o que pode ser valioso numa emergência quando, por alguma razão – como a perda da consciência -, não estiverem em condições de dar verbalmente tais Ao mesmo tempo em que evitar substâncias a que se tem alergia seja o melhor preventivo, existem remédios – receitados pelo médico Injetar na pele minúsculas doses de substâncias suspeitas pode ser uma forma proveitosa de se identi?car os alérgenos. A informação obtida pode ser utilizada para preparar séries de vacinas dessensibilizantes, por meio das quais uma exposição regular a doses progressivas de substâncias alérgicas provoca a redução da reação alérgica. Es- sas injeções podem causar sérias reações e hoje em dia são dadas ALEXIA – Forma de afasia em que a vítima não reconhece nem com- preende palavras escritas. Pode decorrer de alteração do cérebro por doença ou lesão. É chamada, às ALGÉSICO – O mesmo que do- ALGIDEZ – Resfriamento das ex- tremidades com tendência ao co- ALGODÃO ABSORVENTE – Al- godão desengordurado e puri?ca- do, que absorve rapidamente os líquidos.

ALI ALI

ALI ALO

semana, um bebê de 2,6 kg precisa de 544,5 g de leite, divididos em cinco ou seis amamentações, ou seja, 93 g aproximadamente de cada vez. O bebê vai tomar quantidades variadas nas diferentes vezes, mas Os bebês ganham de 124 g a 217 g, aproximadamente, por semana, nos primeiros meses. Se ele falhar consistentemente nisso, signi?ca que alguma coisa pode estar errada, e é necessário o conselho de um médico. Fora a causa comum, que é um problema de alimentação, existem outras, como uma infecção – em especial no sistema hidráulico – e, raramente, defeitos congênitos, Os alimentos sólidos, como os cereais, não devem ser oferecidos Depois disso, pode-se começar com legumes e frutas passados na peneira e, ?nalmente, a carne pode ser introduzida aos poucos. O bebê provavelmente vai ter caprichos e preferências, mas não se preocupe com isso, pois o leite completado com vitaminas é o alimento mais importante para os primeiros nove ou dez meses. Quando os dentes começam a nascer – por volta dos seis meses -, ele vai, é claro, querer morder alguma coisa um pouco mais dura, como um biscoito, mas é improvável que ele coma mais da metade. O valor nutricional de um biscoito é semelhante ao do Uma mãe tranqüila provavelmente tem menos problemas com ama- dessa forma, ela deve procurar guardar um tempinho, diariamente, para os seus interesses e para um ALIMENTO – Substância ingerida pela boca que mantém a vida e o crescimento, fornecendo ener- gia, construindo e substituindo ALIMENTOS CONSTRUTORES – Responsáveis pela manutenção e crescimento do organismo, assim como renovação de tecidos e cé- lulas. São as proteínas, fornecidas ALIMENTOS ENERGÉTICOS – Res- ponsáveis pela energia do organis- mo. São os carboidratos fornecidos pelo açúcar, massas, pães, farinhas, raízes e tubérculos, e os lipídios, fornecidos pelas gorduras, mantei- ALIMENTOS REGULADORES – Responsáveis pela regulação das atividades no organismo, garantin- do o bom funcionamento por meio da água, das ?bras, sais minerais e vitaminas, fornecidos pelas verdu- ALIMENTOTERAPIA – Tratamento ALOÉS – Pó amarelo-pardacento obtido do suco desidratado das

ALO AMB

folhas do aloé, planta natural da África e das Antilhas. É usado na constipação crônica, por exercer efeito estimulante sobre o intestino grosso. Tomado em doses muito elevadas e demasiado freqüentes ALOPATA – Médico que trata pela ALOPATIA – Método de tratamento que emprega medicamentos que agem sobre os sintomas e causas da ALOPECIA – Perda de cabelos e ou- tros pêlos, ocasionada por diversas doenças. Pode ser parcial ou total, prematura ou senil. Se localizada em zonas isoladas é chamada “Pe- lada” (alopecia areata) e se provém de desnutrição geral, alopecia caquética. (V. Calvície.) ALOPLASTIA – Prótese. Substituição de uma parte do corpo por material ALUCINAÇÃO – Condição em que se observa alguma coisa que não existe. Pode referir-se a qualquer um dos sentidos, de modo que as alucinações podem ser vistas, sentidas ou ouvidas. Elas podem ocorrer em momentos de febre ou delírio, mas são geralmente um sintoma de doença mental – como a esquizofrenia – ou o resultado do uso de drogas – como o L. S. D. Às vezes, uma alucinação é confundida com uma delusão, que é a interpre- Um paciente que olha para uma parede branca e vê ?guras dançando está sofrendo uma alucinação. Um homem que escuta a mulher tele- fonando para o açougueiro e ?ca absolutamente convencido de que ela está combinando um encontro com o amante, provavelmente está sofrendo uma delusão. (V. Delírio e Doença mental.) ALUME – (Pedra ume) Substância cristalina, incolor e inodora, solúvel em água. Atua como emético e?caz nas intoxicações, mas raramente é administrado por via oral. O alume AlK (SO ) 12H O – P.M. = 474,39 42 2 é o sulfato duplo de alumínio e po- tássio, muito usado também como adjuvante, com determinados tipos de vacinas, como a anatoxina tetâ- nica ou diftérica, a ?m de se obter ALVAIADE – Carbonato de chum- ALVEOLITE – In?amação do alvéolo ALVÉOLO PULMONAR – Fundo de saco que determina as últimas AMÁLGAMA – Liga metálica em AMARGOS – Medicamentos que estimulam a secreção do suco gás- AMARÍLICO – Referente à febre

AMB AME

AMARILLA – Nome internacional AMAUROSE – Cegueira total ou AMBIDESTRO – Pessoa que tem a mesma habilidade em ambas as AMBIVALÊNCIA – Coexistência, em uma mesma pessoa, de sentimentos opostos e contraditórios. Aplica-se o termo a impulsos, conscientes ou inconscientes, que podem constituir sintomas de esquizofrenia. (V. Es- quizofrenia.) AMBLIOPIA – Diminuição da agu- AMBULATÓRIA (FEBRE) – Moda- lidade de infecção em que o doente mesmo febril apresenta bom estado AMBULATÓRIO – Consultório médico onde se examinam doentes AMEBA – Organismo microscópico, monocelular, dotado de movimentos ditos amebóides. Algumas espécies AMEBÍASE – Infecção causada pelo parasito Entamoeba histolyti- ca. Esta doença causa, em geral, disenteria amebiana, e, quando alcança o fígado, abscesso amebia- no. A doença é adquirida através da ingestão de água ou alimentos contaminados com fezes contendo a forma cística madura do parasi- to, podendo também ocorrer pela transmissão sexual, em indivíduos homossexuais, pelo contato fecal- Sob ação de estímulos ainda não definidos no trato intestinal, o cisto se rompe, formando oito trofozoítos por divisão nuclear e citoplasmática. Ao atingir a posi- ção terminal do intestino delgado se dá o desencistamento, que pode ser influenciado pelas enzimas intestinais, bactérias ou a baixa tensão de hidrogênio. O desencis- tamento ocorre por uma fenda ou poro existente na parede cística, colocando em liberdade uma massa com quatro núcleos que originam trofozoítos metacísticos. Estes migram para o intestino grosso, promovendo a colonização, com crescimento e multiplicação, ali- Os trofozoítos são a forma móvel do parasito e contêm um núcleo único e pseudópode. Os trofozoítos são os agentes causais da doença colônica e invasiva, que em alguns casos é acompanhada por disseminação no fígado, resultando em abscesso amebiano hepático. Os trofozoítos multiplicam-se por divisão biná- ria e não desempenham papel na transmissão da doença, porque degeneram-se rapidamente fora do organismo humano, além de serem AMEBÓIDE – Com aparência de ameba.

AME AMI

AMÊNCIA – Desenvolvimento subnormal da mente. Equivale a doença mental ou idiotia. Pode ser congênita ou começar na infância AMENORRÉIA – A cessação da menstruação normal – das regras da mulher. A menstruação geralmente acaba entre 44 e 54 anos, na época da menopausa – depois da qual a Uma causa temporária comum da amenorréia antes da menopausa é a gravidez. Muitas doenças comuns, principalmente as prolongadas e que enfraquecem, também estão às vezes, a menstruação falha numa mulher saudável sem nenhum motivo aparente. A preocupação também pode causar a amenorréia, e a mulher pode ?car tão preocu- pada pela possibilidade de uma gravidez, que a menstruação chega a falhar. O rompimento da rotina e a saudade podem provocar falha da menstruação. As enfermeiras, estudantes e novatas das Forças Armadas, geralmente sofrem desse distúrbio nos primeiros meses. As pílulas anticoncepcionais diminuem a menstruação e, ocasionalmente, Na falta de outros sintomas, uma menstruação que falhou uma vez não deve ser motivo de alarme, mas se falhar uma segunda vez, procure um médico. Menos comumente, a amenorréia pode ser indício de que o ovário está deixando de produzir normalmente óvulos, e isso ocorre de vez em quando em alguns dis- A amenorréia é também um sintoma importante da anorexia nervosa e indica que um regime exagerado tenha provocado um distúrbio hor- Ataques freqüentes de amenorréia em mulheres saudáveis, em outros aspectos, podem estar associados à subfertilidade, e essas pacientes provavelmente não devem usar pílulas anticoncepcionais, que Anorexia.) AMICROBIANO – Não causado por AMÍDALA – O nome passa a ser Tonsila palatina, conforme nova terminologia cientí?ca, a ?m de evitar confundi-la com a outra Massas de tecido linfóide esponjo- so, em ambos os lados da gargan- ta, na entrada das vias digestiva e respiratória. Infectam-se com freqüência, com in?amação, dor, irritação, di?culdade para deglutir, aumento dos gânglios linfáticos do pescoço, febre, pulso rápido e mal- estar generalizado. Considera-se bené?ca a extirpação das amídalas em crianças no caso de crises repe- tidas, com in?amação dos gânglios

AMI ÂMN

cervicais. A operação chama-se AMIDALECTOMIA – Extirpação AMIDALITE – As amídalas fazem parte do sistema de gânglios lin- fáticos, e capturam micróbios que entram pela boca. Normalmente, elas próprias são atacadas com freqüência; a in?amação resultante é chamada amidalite. O primeiro sintoma é uma garganta irritada e, quando examinada, descobre-se que está in?amada. A temperatura do corpo se eleva, o paciente ?ca indis- posto, com di?culdade de deglutir Enquanto a in?amação se desenvol- ve, as amídalas ?cam inchadas; em geral podem ser observadas peque- nas bolhas de pus (pontos brancos) sobre elas. O paciente deve procurar logo um médico, pois pode precisar de antibiótico. Ataques periódicos de amidalite e glândulas do pescoço persistentemente dilatadas indicam que as amídalas não estão mais trabalhando, e pode ser melhor removê-las. (V. Glândulas). A mais grave das amidalites é a tonsilar séptica, causada em geral pelo Streptococcus pyogenes. O perigo mais imediato é a formação de AMIDALOTOMIA – Extirpação das AMIDALÓTOMO – Instrumento para extirpação das amídalas.

AMIDALOTRIPSIA – Extirpação das amídalas por meio de trituração ou esmagamento com aparelho AMIDOPIRINA – O mesmo que AMILÁCEO – Que tem amido. Que AMILASE – Qualquer enzima que decompõe o amido em substâncias composto orgânico que intervém na formação das proteínas; utilizado para substituir as proteínas que são destruídas e eliminadas; forma mais simples das proteínas. Presente em carnes, ovos, peixes, queijo, leite, aves. Exemplos de aminoácidos: histidina, leusina, metionina, nilala- AMINOACIDÚRIA – Presença de AMINOFILINA – Pó de sabor amar- go, branco ou amarelado, utilizado geralmente em doenças de impli- cações cardíacas, na congestão Administra-se por injeção intra- venosa, lenta, e em determinados AMINOPTERINA – Droga sintética usada contra leucemia aguda, que impede o aumento anormal de

AMN ANA

glóbulos brancos. Usada ainda no tratamento de algumas formas de Pode-se perder a memória depois de um ferimento na cabeça, e essa per- da permanece durante um período variável, depois do trauma. Em ou- tros casos, a perda da memória pode ser sintoma de uma doença mental ou de um estresse. Essa situação exige um auxílio especializado, mas, felizmente, a memória é quase sempre recobrada. Alguns pacien- tes ?ngem ter perdido a memória Doença mental.) ÂMNIO – Membrana interior da bolsa que circunda e protege o em- brião. Nela está o líquido amniótico AMNIOCENTESE – Punção trans- abdominal da câmara âmnica, com agulha adequada para retirada de AMÔNIA – Hidróxido de amônio. É AMONÍACO – Solução aquosa de hidróxido de amônio, usado am- plamente em medicina no lar, sob a forma de sais odoríferos em casos de desmaio, graças à sua proprieda- de de enérgico estimulante. Na in- toxicação por amoníaco costuma-se usar como antídotos o óleo de oliva por via oral, com grande quantidade de água, e o vinagre ou suco de AMPOLA – Qualquer dilatação de AMPUTAÇÃO – Ablação de um membro, ou segmento de um membro, ou de um órgão. Ex.: am- putação do colo uterino, amputação Transformação do material alimen- ANAEROBIOSE – Vida sem oxi- ANAFIA – Diminuição ou perda da ANAFILAXIA – Conjunto de sinais e sintomas observados em alguns animais e, às vezes, no homem, após introdução de determinado antígeno, com o qual o organismo foi previamente sensibilizado. Exal- tação sucessiva da sensibilidade do organismo à ação de determinada ANAFORESE – Diminuição da ativi- ANAFRODISÍACO – Que suprime o ANALBUMINEMIA – Falta de albu- ANALÉPTICO – Tônico restaura- dor.

ANA ANE

ANALÉRGICO – Que não produz ANALGESIA – Falta de sensibili- dade à dor; é causada por drogas, Para grandes dores usam-se anes- tésicos fortes como a mor?na, o ópio e a codeína, sob vigilância de controle médico porque causam ANALGÉSICO – Que suprime a ANÁLISE – Separação de um corpo ANAMNESE – História pessoal do ANA NÉRI – A patrona da enfer- magem brasileira; viveu de 1814 ANASTOMOSE – Conjunção de um ANATOMIA – Parte da Medicina que estuda o corpo humano em todas as ANATOMIA PATOLÓGICA – Estu- do das doenças por métodos morfo- lógicos. É comum o emprego do termo patologia como sinônimo de anatomia patológica, o que é correto somente quando, além dos métodos morfológicos, necessitamos para a compreensão dos fenômenos básicos da doença, ou para seu diag- nóstico de dados fornecidos pela clínica, bioquímica, bacteriologia, ANATOXINA – Toxina microbiana privada de seu poder tóxico e con- ANAVACINA – Vacina desinto- ANCILOSTOMÍASE DUODENAL – Infestação intestinal produzida pelo Ancylostoma duodenale, que se de- senvolve principalmente no homem ou outros animais. Constitui-se no Brasil, junto com o Necator ameri- canus, em doença endêmica de signi?cativa importância pela sua freqüência, especialmente em zonas rurais. (V. Lombrigas.) ANDROGÊNICO – Substância que estimula ou produz os caracteres ANDRÓGENO – Hormônio masculi- no produtor e regulador dos carac- teres sexuais secundários do ho- mem, como a barba, a musculatura e a voz. O andrógeno primário é a testosterona, hormônio sexual mas- ANDROGINIA – Malformação con- gênita em que os órgãos sexuais externos se parecem com os de um sexo, ao passo que as gônadas cor- respondem ao sexo oposto; também se dá o nome de pseudo-hermafro-

ANE ANE

ANDRÓGINO – Indivíduo com características ao mesmo tempo ANDRÓIDE – Semelhante ao mas- ANDROMORFO – Com forma de ANDROSTERONA – Hormônio ANEMIA – O corpo humano possui, em média, 4,5 litros de sangue, que é bombeado pelo coração e alimenta os tecidos. Grande parte do sangue é composta de pequenas partículas conhecidas como hemácias. Elas levam o oxigênio dos pulmões até os tecidos, e o oxigênio é necessário para mantê-los vivos. Na anemia, o número de hemácias (ou cor- púsculos) é reduzido, e o organismo O paciente ?ca geralmente pálido, pois a quantidade de pigmentos Fica facilmente cansado, com falta de ar, e pode ter dor de cabeça e dor no peito. A anemia é mais comum nas mulheres do que nos homens, pois a menstruação provoca a perda de hemácias. São várias as causas da anemia, mas a mais comum é a falta de ferro na alimentação, já que o ferro é necessário para a produção de hemoglobina – o pig- mento contido nas hemácias – no Na gravidez, há um risco ainda maior de se desenvolver uma anemia, pois tem-se que obter A mulher grávida precisa de ferro adicional tanto quanto de ácido fólico (outro fator essencial no de- A anemia pode também ser provo- cada pela falta da vitamina B12, vitamina C e hormônios de tiróide, e pelo desarranjo ou perda excessiva de hemácias. Esta última ocorre em hemorragia aguda ou sangramentos freqüentes por causa de hemor- Uma alimentação rica em carne, ovos, fígado, verduras e frutas frescas deve equilibrar a maioria das pequenas de?ciências. Com- plementos de ferro e vitaminas B e C podem ajudar. Se não derem resultado, pode ser que haja uma causa mais complexa para a anemia, sendo necessário, então, um exame médico mais completo. (V. Anemia perniciosa.) ANEMIA FERROPRIVA – Falta de glóbulos vermelhos por carência ANEMIA PERNICIOSA – Enquanto muitas anemias ocorrem devido à falta de ferro, a anemia perniciosa ocorre devido à falta de vitamina B12, também essencial para a produção de hemácias. É causada mais por uma má absorção do estô- mago do que por uma alimentação inadequada, e ocorre nas pessoas

ANE ANE

mais idosas, em que o revestimento do estômago ?ca ?no e incapaz de A falta de vitamina B12 (cianocoba- lamina) também provoca danos às células nervosas, de modo que, assim como os sintomas da anemia (cansaço, falta de ar, etc.), o pacien- te pode ter distúrbios de sensação (formigamento, adormecimento, Como o paciente é incapaz de ab- sorver vitamina B12 do estômago, o tratamento é feito por meio de injeção regular. Quando a condição é diagnosticada, as injeções podem No entanto, depois de uma ou duas semanas, elas devem ser reduzidas Uma condição semelhante surge se a alimentação estiver de?ciente em vitamina B12 (rara em alguns países), ou depois de uma cirurgia para úlcera péptica – quando uma parte do estômago é removida. Para o primeiro caso, é aconselhado um consumo maior de fígado, e para o (V. Anemia.) ANERGIA – Desaparecimento do ANERÓIDE – Que funciona sem ANESTESIA – Ausência de sensação dolorosa com ou sem perda de consciência, durante cirurgias,

ANE ANF

tipo de anestesia, conhecida como “epidural”, pode ser utilizada em partos. Ela requer uma habilidade especializada, e não são todas as mulheres que não querem sentir nada num momento tão emocio- nante. Muitos dos benefícios da cirurgia moderna só são possíveis por causa dos recentes progressos ANESTESIOLOGIA – Estudo dos procedimentos anestésicos usados em medicina, uma especialidade ANESTESIOLOGISTA – O médico que se especializou em anestesia e ANESTESISTA – O que administra o anestésico; ele executa um trabalho de alta especialização que exige rigoroso treinamento. Em colabo- ração com o cirurgião o anestesista determina o tipo de anestésico ou a combinação deles convenientes em cada operação. Também faz transfusões de sangue e soluções endovenosas quando o estado do paciente o exige. O anestesista participa da operação veri?cando a freqüência e força do pulso e a ANESTRO – Período de repouso ANEURINA – Vitamina B1, clori- ANEURISMA – Dilatação de uma artéria ou de uma veia, causada por dano local das paredes de um vaso sangüíneo. Um tipo de aneurisma pode se desenvolver em pessoas mais idosas, no grande vaso san- güíneo (a aorta) que está ligado ao coração. Pode formar-se em ANEURISMA ARTERIOVENOSO – Aneurisma em que uma artéria e ANEURISMA DE AORTA – Dilata- ção mais ou menos localizada da parede da aorta causada geralmente ANEURISMECTOMIA – Ablação de ANEURISMECTOMIA DO VENTRÍ- CULO ESQUERDO – Ressecção ou remoção de áreas do músculo cardíaco do ventrículo esquerdo, que se tornam dilatadas ou aneuris- máticas por causa da perda de sua capacidade contráctil conseqüente a cicatrização ?brótica da necrose do músculo cardíaco ocasionada pelo ANEURISMORRAFIA – Sutura de ANEURISMOTOMIA – Incisão de ANEXITE – In?amação da trompa e ANEXOPEXIA – Operação de ?xa- ção dos anexos do útero (trompas ANEXOS – Partes adjacentes de qualquer órgão, como a trompa de falópio e os ovários, que são anexos

ANG ANG

ANFETAMINA – Estimulante ad- ministrado por via oral (pílula) e algumas vezes por injeções; exerce poderoso efeito sobre o cérebro e Sob forma mais branda, o efei- Quando ocorre ingestão excessiva ou intoxicação crônica surgem os seguintes sintomas: nervosismo, apreensão, tremores, insônia, hi- Como seqüelas psicóticas podem ocorrer alucinações e delírios do ANFIARTROSE – Articulação que se movimenta muito pouco. Ex.: ANFÓRICO (SOPRO) – Variedade de sopro análogo ao ruído que se obtém soprando numa ânfora ou ANGEÍTE – In?amação de um vaso, ANGIECTASIA – Dilatação anormal ANGIECTOMIA – Extirpação ci- rúrgica de um vaso, sangüíneo ou ANGINA PECTORIS (Angina do peito) – Um tipo de doença cardí- aca, na qual o suprimento de sangue Conforme o organismo envelhece, os vasos sangüíneos se tornam mais rijos e grossos, de forma que trans- portam menos sangue para o cora- ção. O coração é um músculo que bombeia o sangue e, se as artérias coronárias – que nutrem o músculo do coração – ?cam enrijecidas, não consegue trabalhar com eficiên- cia. Quando o sofredor tenta um esforço exagerado para o coração, como, por exemplo, escalar uma montanha, surge no meio do peito uma dor (que passa depois de um pequeno repouso). Os sofredores necessitam do conselho de um mé- dico, pois existem vários remédios que podem ser úteis. O objetivo é tornar acessível a circulação nas artérias não afetadas e reduzir o O paciente pode colaborar parando de fumar, reduzindo o excesso de peso, fazendo uma alimenta- ção com pouca gordura animal e desenvolvendo, aos poucos, uma atividade física – dentro do limite de sua angina. O exercício mais adequado para se começar é cami- nhar num lugar plano, e isso pode ser aumentado gradativamente, conforme não haja mais dor. Mui- tas pessoas vivem trinta anos, ou mais, depois de um diagnóstico de angina. Então, não desanime nunca e mexa-se! ANGINA PULTÁCEA – Faringite com formação de camada mucosa ANGIOCOLITE – Inflamação das vias biliares.

ANG ANI

ANI ANO

ANILINA – Líquido que se obtém do alcatrão de hulha, benzeno ou índigo, oleoso e incolor que a indús- tria utiliza para elaborar produtos químicos, como o azul-de-metileno e outros corantes anti-sépticos. É muito venenosa e pode provocar intoxicação. Fenilamina usada para ANIMA MOBILE (IN) – Expressão latina que signi?ca “experiência em ANIMA VILI (IN) – Expressão latina que signi?ca “experiência em ani- ÂNIO – A mais interna das mem- branas fetais e que forma a bolsa d’água. (V. Âmnio.) ANIOCENTESE – Punção do ânio e Amniocentese.) ANISO – Pre?xo que signi?ca de- ANISOCITOSE – Desigualdade no ANISOCORIA – Desigualdade das ANISOCROMIA – Desigualdade da ANISOMELIA – Desigualdade de um par de órgãos. Ex.: as duas pernas, ANISOMETROPIA – Desigualdade ANÓDINO – Que faz cessar a dor.

ANÓDIO – Eletrodo com carga ANOMALIA ANO-RETAL – Altera- ção congênita em que o ânus e o reto estão ausentes, com exteriorização ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS – (V. Aberrações cromossômicas.) ANOPERINEAL – Referente ao ânus ANOREXIA – Inapetência, aversão aos alimentos. Nome cientí?co para ANOREXIA NERVOSA – Estado que se caracteriza por profunda aversão aos alimentos, devido a transtorno histérico. Acontece geralmente em mulheres (neuróticas) jovens que fazem regimes exagerados e pode, Pode ser difícil reconhecer e tratar o caso, pois essas garotas são peritas em disfarçar seu peso e a falta de alimentação. Em primeiro lugar, elas nem sempre têm excesso de peso e, apesar da anorexia signi?- car, literalmente, perda de apetite, essas pacientes podem estar contro- lando um ávido apetite com força de vontade. As fases de regime podem se alternar com bebedeiras, nas quais a sofredora bebe secreta e indiscriminadamente. Depois de uma bebedeira, a garota pode provocar o vômito, colocando o

ANQ ANT

dedo na garganta. Num determi- nado ponto, essas fases são inter- rompidas, e esse é um importante sintoma da anorexia. Esse estado pode representar um fracasso ao se tentar chegar a um acordo com o desenvolvimento da sexualidade, e a garota geralmente tem outros É necessário um tratamento urgente ANORQUIDIA – Falta de testí- ANORRETAL – Referente ao ânus ANOSMIA – Diminuição ou perda completa do olfato, transitória ou ANOVULATÓRIO – Que faz cessar ANOXEMIA – Falta de oxigênio no ANOXIA – Redução de oxigênio no Hipoxia e As?xia.) ANQUILOGLOSSIA – Freio lingual ANQUILOSE – Diminuição ou supressão total dos movimentos de uma articulação. Perda total da Óssea: por fusão dos ossos que formam uma articulação; Fibrosa: por retração ou aderência das partes moles articulares ou periar- ANSERINO – Semelhante ao pato.

Marcha anserina é aquela em que o ANSIEDADE – Qualidade de emoção vinculada ao medo e à expectativa (o sujeito pode ou não perceber a apreensão), associada por de?nição a um estado emocional negativo ou aversivo, isto é, descrita como desagradável e, em geral, sempre acompanhada de sintomas físicos inespecí?cos associados à excitação autonômica, como: palpitações, sudoreses, tremores, respiração ofe- gante, sensação de sufocação, entre outros. Desta forma, a ansiedade se diferencia de outros estados de ex- pectativa, não associados à vivência emocional aversiva, como a ?ssura presente em distúrbios de controle do impulso. Ela pode ser conside- rada normal ou patológica, a partir da relação entre os seus fatores desencadeantes e a intensidade das manifestações. A ansiedade é tônica ou generalizada quando é mantida ao longo do tempo; fásica, quando ocorre em surtos (ou “ataques”, como no transtorno do pânico); situ- acional, quando relativa a estímulos particulares (como nas fobias); ou ANSIEDADE (NEUROSE DE) – Medo e apreensão dominando todo ANTAGÔNICO – Que tem efeito ANTE CIBUM – Expressão latina

ANT ANT

que significa “antes das refei- ANTE MORTEM – Que ocorre antes ANTE PARTUM – O período que precede o parto. O mesmo que ANTEVERSÃO DO ÚTERO – Des- vio do útero em que o fundo desse órgão se dirige para diante e o colo ANTIÁCIDO – Substância que impe- de ou neutraliza o desenvolvimento ANTIASTÊNICO – Que restaura as ANTIBACTERIANO – Que impede o ANTIBIÓTICOS – Remédios pode- rosos que combatem as infecções através da destruição do agente causador, originalmente obtidos de organismos vivos como os levedos (muitos podem agora ser sintetiza- dos quimicamente). A penicilina é o mais antigo deles. Hoje em dia, são usados com muita freqüência os derivados da penicilina: tetraciclina e eritromicina. As sulfonamidas desempenham um papel semelhan- te, mas não são obtidas de tecidos vivos e, portanto, não são – rigo- Os antibióticos estão à venda nas farmácias sob prescrição médica, e o tratamento deve sempre ser concluído. O uso abusivo de antibi- óticos pode tornar mais resistentes ANTIBRÔMICO – O mesmo que ANTICITOTÓXICO – Que faz di- minuir ou cessar a destruição das células e por isso, teoricamente, ANTICOAGULANTE – Que retarda ANTICOLINÉRGICO – Antagonista ANTICONCEPCIONAL – Medi- camento que inibe a ovulação, ANTICONVULSIVANTE – Que ANTICORPO – Proteína de na- tureza gamaglobulina que reage especi?camente com determinado Pode ser protetor ou neutralizante (vacinas e soros), ou sensibilizar o organismo. Agente de imunidade, substância que se forma no or- ganismo após a injeção ou ingestão de germes e toxinas, que tem a pro- priedade de agir sobre esses germes ANTIDEPRESSIVO – Psiq. Substân- cia heterogênea que, comparada ao placebo, apresenta e?cácia na remissão de sintomas caracterís- ticos da síndrome depressiva, em pelo menos um grupo de pacientes

ANT ANT

com transtorno depressivo de, no mínimo, moderada intensidade. As substâncias que se mostram efetivas somente em sintomas inespecí?cos da depressão (por exemplo, insônia ou ansiedade) não se consideram antidepressivos. Não existe con- senso se uma substância de e?cácia superior a placebo, porém inferior a um antidepressivo padrão (por exemplo, um antidepressivo tricí- clico) deva ser chamada de anti- depressivo. Algumas substâncias antidepressivas podem ser e?cazes em outros transtornos mentais, ANTÍDOTO – Contraveneno. Agente que previne ou anula o efeito de ANTIEMÉTICO – O mesmo que ANTIESCORBÚTICO – Vitamina C ou ácido ascórbico. Agente Escorbuto.) ANTIESPASMÓDICO – Que comba- ANTIFEBRIL – Antipirético, que faz ANTIFLOGÍSTICO – Que combate ANTÍGENO – Toda proteína estranha que, inoculada ou ingerida, vai pro- Substância que estimula a formação ANTI-HELMÍNTICO – Contra os ANTI-HISTAMÍNICO – Substância usada para neutralizar a ação da ANTILACTAGOGO – Que supri- me ou faz diminuir a secreção de ANTILUÉTICO – Contra a lues ou ANTIMICÓTICO – Contra as mico- ANTIMICROBIANO – Que impede ANTIONEOGENES – Genes normal- mente envolvidos no controle da ANTIPRURÍDICO – Que combate ANTIPSICÓTICOS – Em Psiquiatria: Chamados também “neurolép- ticos”, são medicamentos usados especialmente no tratamento de psicoses, visando reduzir ou ali- viar sintomas tais como delírios e alucinações. Não curam a doença, mas controlam seus sintomas. O primeiro antipsicótico posto em uso foi a clorpromazina (1952), que revolucionou o tratamento das psicoses, sobretudo da esquizo- frenia. Outros, como haloperidol, fuflenazina, tioredazina foram descobertos, tendo como processo básico de ação o bloqueio de um neurotransmissor cerebral chamado

ANT ANT

ANT APA

náusea e vômito. O tratamento pode ser feito com antibióticos antes A contaminação por inalação é a mais perigosa: se não for tratada, a morte é certa. Existe vacina contra o antraz e são necessárias seis doses para imunizar o organismo. Muitas das vítimas receberam cartas conta- ANTRO – Uma cavidade no osso da face que se comunica com o nariz, Os mais importantes espaços ocos nos ossos da cabeça são os dois antros, um em cada lado do rosto, e as duas cavidades acima das sobrancelhas. Infelizmente, em especial depois de um resfriado, os micróbios podem penetrar nesses Isso resulta numa secreção nasal crônica e numa dor local, condição conhecida como sinusite. Se o antro estiver atacado, o rosto ?ca dolorido e sensível. Se a cavidade frontal estiver atacada, há dor acima das sobrancelhas, e geralmente uma dor de cabeça que vai subindo, e desaparece durante o dia. Nessa condição, o nariz deve permanecer limpo, para deixar o seio, ou antro, escoar. As inalações de vapor são úteis. Se o estado não melhorar rapidamente, deve-se consultar um ANTROSCÓPIO – Instrumento para ANTROSTOMIA – Operação de ANTROTOMIA – Incisão de um ANTRÓTOMO – Instrumento des- tinado a abrir uma cavidade, espe- ANÚRIA – Ausência de secreção AORTA – A maior artéria do organis- mo, que sai do ventrículo esquerdo do coração e distribui o sangue oxigenado a todo o corpo, pelas AORTALGIA – Sensação dolorosa AORTOMALACIA – Amolecimento AORTOPTOSE – Deslocamento da AORTOSCLEROSE – Esclerose da AORTOSTENOSE – Estreitamento APARELHO – Conjunto de órgãos constituído de tecidos diferentes, Ex.: aparelho digestivo, aparelho APARELHO CIRCULATÓRIO – Atinge todas as células do orga-

APA APA

nismo, transportando o sangue com as substâncias vitais desde os órgãos onde são produzidas até os tecidos que delas necessitam. O coração bombeia o sangue através dos vasos sangüíneos, os quais oferecem ao sangue duas grandes rotas: a circulação sistêmica e a pulmonar. O sangue também trans- porta os rejeitos do organismo até os órgãos nos quais são separados em seus componentes, voltando a Existem outras duas circulações: a portal, que leva sangue ao fígado e APARELHO DIGESTIVO – Atu- almente denomina-se “sistema digestório”. O termo aparelho é utilizado para designar dois ou mais sistemas; na digestão apenas um está envolvido, daí a mudança de nome. Compõe-se de duas partes: tubo digestivo, formado por boca, faringe, esôfago, estômago, intesti- no delgado, intestino grosso, reto e ânus; e glândulas anexas, que são: glândulas salivares, fígado, pâncre- as. A digestão começa na boca, onde as glândulas salivares preparam a saliva, suco digestivo que contém a ptialina ou amilase salivar. São três pares de glândulas salivares: as sublinguais, as submaxilares e as parótidas. O fígado produz a bile, que contém sais biliares com função digestiva. O pâncreas contém dois grupos de células excretoras: um deles produz o suco pancreático, o mais importante dos sucos digesti- vos, que é lançado no duodeno; o outro produz hormônios lançados no sangue, por isso o pâncreas é considerado célula mista. Dos hormônios, o mais importante é a insulina, que regula o teor de APARELHO REPRODUTOR – No homem, consta dos seguintes ór- gãos: testículos, dois órgãos ovais, formados por um sistema de tubos, chamados “tubos seminíferos”, onde milhões de espermatozóides são produzidos e armazenados. En- tre eles ?cam as células de Leydig, que produzem testosterona, hormô- nio que desenvolve as característi- cas sexuais secundárias, com pêlos, engrossamento da voz, aumento dos músculos no rapaz; epidídimos, dois tubos muito torcidos sobre os testículos, por onde passam os espermatozóides; canal deferente, tubo que leva espermatozóides de cada testículo à uretra; vesículas seminais, duas bolsas que fabricam líquido denso e leitoso, com o ?m de facilitar a viagem dos esperma- próstata, glândula atravessada pela uretra; produz líquido semelhante ao das vesículas seminais; uretra, pequeno canal procedente da be- xiga por onde a urina passa, assim como o esperma; os dois nunca são eliminados ao mesmo tempo; pênis, órgão de forma cilíndrica, percor- rido interiormente pela uretra, que leva ao exterior a urina e o esperma.

APA APE

APE APG

intes tino) que ?ca enrolado dentro do abdome. Numa extremidade há uma pequena rami?cação lateral – o apêndice – que dá numa ponta sem saída. Em animais mais baixos, ele é maior e desempenha um papel na digestão, mas, no homem, ele Apendicite signi?ca in?amação do apêndice (todos os termos médicos terminados em “ite” signi?cam in- ?amação, como, por exemplo, cis- tite, etc.). O alimento parcialmente digerido pode penetrar no apêndice e, como há sempre micróbios nos intestinos, isso pode resultar numa Isso pode provocar uma dilatação do apêndice, do mesmo modo que a pele em torno de um furúnculo se dilata, de forma que o pus não possa sair do canal fechado. Desenvolve- se, então, a apendicite e, se esta não for tratada, o apêndice pode se rom- per e espalhar a infecção por todo o interior do abdome, provocando a Conteúdo da cavidade abdominal: A – Fígado F – Estômago B – Vesícula biliar G – Pâncreas C – Duodeno H – Intestino delgado D – Apêndice I – Cólon (in- tes- t i n o grosso) E – Baço J – Reto A apendicite começa com uma dor no meio do abdome, ao redor do umbigo, e pode haver náusea ou uma pequena diarréia. O mais Há geralmente febre; a temperatura sobe para 37,5 oC mais ou menos (de 99 oF a 100 oF); pouco depois, a dor desce para o lado direito e se torna mais forte. Deve-se colocar o paciente na cama e procurar um médico, pois se for apendicite o tratamento é retirar o apêndi- ce. O médico deve ser chamado logo, antes que haja o perigo de o apêndice se romper e espalhar a infecção. Existe uma regra da qual todos devem se lembrar: no caso de uma dor de estômago, prin- cipalmente numa criança, nunca dê um laxante sem instrução médica. Se for apendicite, a ação violenta dos intestinos, causada pelo purgante, pode fazer com que o apêndice se rompa, provocando resultados fatais. Se não houver febre e houver suspeita de prisão de ventre, pode-se seguramente usar APENDICÓLISE – Destruição do APENDICOLITÍASE – Presença de APEPSIA – Falta de suco gástrico no APERIENTE – Que abre. Diz-se das APERITIVO – Que estimula o APETITE – Desejo natural de alimen- tos no intervalo entre duas refeições

API APN

normais. O apetite pode estar sujeito a impulsos desregrados, constituindo-se em compensação por perdas ou frustrações, para A diminuição ou perda de apetite acompanha estados anormais, po- dendo ser sintoma de tuberculose ou anemia. A recusa sistemática de ingerir alimentos é conhecida como anorexia nervosa. (V. Anorexia nervosa.) APGAR, BOLETIM DE – Sistema de avaliação dos recém-nascidos, usando-se critérios respiratórios, circulatórios e neurológicos, e Crianças com notas menores do que oito são consideradas deprimidas e ÁPICE – O ponto mais alto de uma APICECTOMIA – Remoção cirúrgica APINEALISMO – Ausência de glân- APIOGÊNICO – Que não produz APISTEIRO – Vasilha especial pela qual se dá de beber ao doente.

APN APO

que garante a passagem do ar. Tam- bém a obesidade, com acúmulo de gordura na região do pescoço, deixa esse canal mais estreito, obstruindo a respiração. Resultado: falta de oxigênio, déficit energético, que causam sonolência, irritabilidade, aumento da pressão sangüínea, parada cardíaca e até a morte. Para corrigir o mal há um aparelho in- traoral, feito de aço inox e resina, que reposiciona a mandíbula e deixa o ar passar; a respiração volta porém esse tratamento é indicado para portadores da doença em níveis leve e moderado, isto é, quando o exame identifica no máximo 40 Para casos mais graves o tratamento é o aparelho CPAC (que, em inglês, signi?ca “pressão contínua de ar nas vias aéreas”). Ele é elétrico e força a entrada do ar, mantendo as vias superiores abertas. O único alívio para os apnéicos, no passado, era a traqueostomia, descartada atual- mente devido ao alto risco de infec- É difícil curar-se; os que se livraram da síndrome submeteram-se a cirur- gias que deslocam inteiramente o APNÉIA OBSTRUTIVA DO SONO – Síndrome que se caracteriza por episódios de diminuição e/ou ausência de ?uxo aéreo durante o sono ocasionando desaturação de oxigênio. (V. Apnéia.) APÓFISE MASTÓIDE – Uma pro- jeção do osso temporal atrás da orelha. Igual aos vários ossos da cabeça, ela é oca (V. Antro.), e contém pequenos espaços cheios de ar. Esses espaços comunicam-se com a parte interna do ouvido; se houver descuido numa infecção do ouvido médio, a apó?se mastóide pode ser envolvida. A condição, atualmente rara, é conhecida como “mastoidite”. O tratamento imedia- to da dor de ouvido deve eliminar APOFISITE – Inflamação de uma APONEURORRAFIA – Sutura de Membrana que protege os mús- APONEUROSITE – In?amação de APONEURÓTOMO – Instrumento APOPLEXIA – Falando de um modo geral, a metade direita do corpo é controlada pela metade esquerda do cérebro e vice-versa. Uma apoplexia geralmente provoca a Ocorre devido a um dano na metade oposta do cérebro e quase sempre resulta de alguma interferência no abastecimento de sangue. Uma das

APO AQU

AR ARS

APTIALISMO – Falta de secreção AQUILES (TENDÃO DE) – Forte tendão que liga o músculo da pan- AQUILIA – Falta ou de?ciência de formação de quilo. É doença rara na qual se registra a ausência de todos os componentes do suco gástrico que as glândulas do estômago re- AQUILODINIA – Dor no tendão de AR RESIDUAL – Ar que ?ca no pul- mão, mesmo após uma expiração ARACNIDISMO – Envenenamento ARACNITE – In?amação da membra- ARACNODACTILIA – Anomalia considerada de tendência hereditá- ria na qual os dedos das mãos e, às vezes, dos pés são anormalmente ARACNÓIDE (MEMBRANA) – Leptomeninge, uma das três mem- ARCO SENIL – Ou gerontóxon, opacidade branca circular ou acin- zentada ao redor da córnea das AREJAMENTO – Renovação do ar ARÉOLA – Pigmentação disposta AREÔMETRO – Instrumento para ARGILOFAGIA – Geofagia, vício de ARGIRIA – Descoloração da pele ARGIRISMO – Envenenamento ARGYLL-ROBERTSON (PUPILA DE) – Pupila pequena que reage Encontrada na tabes dorsales e em ARITENÓIDE – Em forma de ARITENOIDITE – Inflamação da ARMAMENTÁRIO – Conjunto de medicamentos, aparelhagem e livros do médico para uso da ARREFLEXIA – Abolição dos re- ARRENOBLASTOMA – Tumor ova- riano constituído de células mas- culinas e que produz na paciente o

ARS ART

aparecimento de caracteres sexuais ARRINIA – Falta congênita do na- ARRITMIA – Irregularidade e desi- gualdade das contrações do cora- ção. Ele possui atividade elétrica própria que consiste na geração e transmissão de estímulos. Distúr- bios destas propriedades resultam em alterações do ritmo cardíaco ou arritmia cardíaca. Entre nós, a causa mais comum de arritmia cardíaca é ARSENICISMO – Envenenamento ARSENOTERAPIA – Tratamento ARSONVALIZAÇÃO – Tratamento pelo aparelho de Arsonval, baseado ARTERECTOMIA – Extirpação de ARTÉRIA – Vaso sangüíneo de paredes grossas que transporta o sangue vindo do coração. Depois de o sangue ter sido distribuído para os tecidos do organismo, ele é recolhido em vasos sangüíneos de paredes ?nas – as veias – que o levam de volta ao coração. (V. Co- ração e Doenças cardíacas.) ARTÉRIA RADIAL – Artéria em que se toma o pulso, situada no prolon- gamento da linha do polegar, junto ao osso rádio.

ARTERIALIZAÇÃO – Transformação ARTERIOECTASIA – Dilatação de ARTERIOGRAFIA – Exame das arté- rias aos raios X, depois da injeção de uma substância rádio-opaca para ARTERIOGRAFIA CEREBRAL – Radiogra?a do crânio obtida após injeção de contraste nas artérias ARTERIOGRAMA – Traçado de ARTERIÓLITO – Cálculo no interior ARTERIOMALACIA – Amolecimen- ARTERIOPATIA – Toda afecção de ARTERIOPLASIA – Falta de desen- ARTERIOPLASTIA – Cirurgia repara- ARTERIOSCLEROSE – Doença degenerativa das artérias, carac- terizada pelo espessamento das paredes, por acúmulo de material depositado, principalmente cristais de colesterol e cálcio, quando elas Esse endurecimento das artérias coronárias causa a angina, en- quanto que a arteriosclerose nas pernas causa uma dor intermitente

ART ART

na panturrilha quando a pessoa anda. Essa condição é mais co- mum nos fumantes e naqueles com uma tendência a ter colesterol elevado. Deve-se parar de fumar e pode-se tomar remédio para bai- xar o colesterol. É prudente uma Descobriu-se que cebola, alho e óleo de peixe são bons para redu- zir taxas de gordura no sangue, e isso pode ser útil quando não se tolera remédios ou quando estes não são encontrados. As formas mais graves de arteriosclerose apresentam-se quando estão afeta- (V. Aterosclerose.) ARTERIOTOMIA – Incisão cirúrgica ARTERIÓTOMO – Instrumento para ARTERITE – In?amação da parede de uma artéria. Um caso importante é aquele que ocorre na artéria das têmporas, pois pode estar asso- ciado a uma perda de visão. Uma irritabilidade persistente acima da região das têmporas, numa pessoa geralmente acima de 65 anos, re- quer cuidados médicos urgentes, pois o tratamento pode preservar a visão. A falta desses cuidados pode resultar numa cegueira repentina ARTICULAÇÃO – Junta entre dois ou mais ossos. As articulações movem-se e se reforçam por meio Luxações, in?amações, lesões na rótula, cotovelo e ancilose, além de rompimento de ligamentos, são ARTICULAR – Relativo a uma junta ARTRECTOMIA – Retirada parcial ARTRITE – In?amação articular, que se caracteriza por dor, aumento de temperatura, vermelhidão, aumento do volume do local afetado e di- minuição da mobilidade. É mais Existem muitas variedades. Às vezes, uma ou mais juntas são afe- tadas durante alguma outra doença, como, por exemplo, a rubéola. Esse tipo de artrite aguda geralmente sara por completo. (V. Estado agudo.) A febre reumática está também associada à in?amação aguda das Os tipos de artrite comuns, no entanto, são crônicos e se desen- volvem lentamente, podendo durar anos. A forma mais comum é a os- teoartrite, que pode ser vista como resultado de um desgaste. Pode ser também o resultado atrasado de um ferimento ou fratura. Ocorre em grupos de idade mais avançada e, geralmente, nas juntas sujeitas a maiores esforços, como quadril, joelhos e espinha dorsal. As juntas devem permanecer em movimento

ART ART

o maior tempo possível e, a não ser que estejam muito in?amadas ou quentes, o exercício é vital. Pode- se dizer que ele é tão essencial que o divertimento e a vida futura de alguém dependem dele. Normal- mente 10 minutos por dia devem ser su?cientes. As juntas maiores, como o quadril e o joelho, têm uma tendência de ?car encurvadas e entrevadas; os exercícios visam endireitar essas juntas até o limite e manter a mobilidade. Exercícios em casa podem evitar que se chegue além de uma simples dor. Um médi- co pode esquematizar os exercícios necessários. Uma proteção (joelhei- ra, cotoveleira, tornozeleira) pode ser usada nessas juntas, trazendo um alívio extraordinário. Deve ser durante poucos dias, cada vez, pois o seu uso regular enfraquece A artrite reumatóide atinge os mais jovens – mais freqüentemente, as mulheres. A causa é incerta, apesar de que pode ocorrer devido à reação alterada a uma infecção. Ela come- ça nas pequenas juntas das mãos e pulsos, e pode estar associada a uma enfermidade geral. As juntas tendem a ?car mais quentes e in?a- Durante os estágios menos agudos, os sofredores de ambas as formas de artrite podem ser ajudados com exercício, massagem nos múscu- los circundantes, aquecimento ou hidroterapia. Quando o exercício ativo não é possível, o ?sioterapeuta pode colocar passivamente a junta Isso é para evitar a ancilose e a deformidade, que podem se desen- volver rapidamente nas juntas que não são usadas. Todas as formas de artrite podem ser tratadas com com- primidos para reduzir a in?amação e a dor, e a artrite reumatóide pode Algumas requerem tratamento com As modernas cirurgias de reposição das juntas têm trazido bastante alívio para os sofredores. O alívio da dor e uma melhor mobilidade, especialmente no quadril, são conseguidos num espaço de tempo surpreendentemente curto. O maior empecilho são as longas listas de Existe uma forma de artrite reuma- tóide que se dá em crianças. Esta requer tratamento num centro especializado. Há muitos outros tipos, mas as prioridades gerais de tratamento são as mesmas. (V. Dor lombar e Exercício.) ARTRITISMO – Nome popular dado a qualquer doença das arti- ARTROCLASIA – Operação de fra- turar uma articulação anquilosada ARTRODESE – Intervenção cirúrgica

ART ASF

ARTROPATIA – Toda afecção de ARTROPLASTIA – Intervenção ci- rúrgica pela qual se deseja restituir ou aumentar a mobilidade de uma articulação, cujos movimentos estão abolidos ou limitados por causas diversas (traumáticas, in?a- ARTRÓPODE – Animal de patas Processo degenerativo localizado nos elementos que constituem uma ARTROTOMIA – Incisão de uma ASBESTOSE – Doença que afeta os pulmões; manifesta-se entre os que inalam pó ou outros materiais procedentes do asbesto. A inalação de suas ?bras produz modi?cações ?brosas nos pulmões; estes reagem especialmente ao silício, dando ASCARICIDA – Que mata os áscaris ASCARIDÍASE – Infestação pelos ÁSCARIS – Verme parasita longo e cilíndrico que infesta o intestino, Fixam-se no intestino e alimen- tam-se do quimo intestinal. (V.

Lombrigas.) ASCHOFF (NÓDULOS DE) – Nó- dulos reumáticos nos músculos e órgãos. Consistem em tecido colá- geno destruído. Este tipo de nódulo ASCITE – Edema localizado na ca- vidade peritonial (abdome), com ASCLÉPIOS – Ou Esculápio, o deus ASCOLE (REAÇÃO DE) – Reação de precipitação utilizada no dia- gnóstico do carbúnculo hemático ASFIXIA – É a condição de sufocação, na qual o organismo ?ca privado de ar ou, mais especi?camente, de oxi- gênio. (V. Anemia.) A as?xia pode acontecer de várias formas. As pas- sagens de ar podem ser bloqueadas, como num estrangulamento – quan- do a traquéia é comprimida -, ou ao ?car com algum alimento ou outro objeto entalado na garganta. Ela pode ocorrer ao se respirar gases com falta de oxigênio – como numa casa repleta de fumaça, durante um incêndio. Pode resultar de um choque elétrico – quando os mús- culos que movem o tórax e levam o ar para dentro dos pulmões ?cam paralisados, ou pode acontecer num afogamento – quando a água penetra nos pulmões. Qualquer que seja a causa, deve-se começar uma respi- ração normal assim que possível, para evitar a morte.

ASM ASP

Se uma criança engasga e ?ca com o rosto roxo, com algo entalado na garganta, deve-se pegá-la pelas pernas, virá-la de cabeça para bai- xo e bater vigorosamente em suas costas, para expulsar o objeto. Um socorro médico deve ser chamado com urgência e, se a providência citada acima não desobstruir a passagem de ar, deve-se en?ar um dedo na garganta, até onde se con- seguir, na tentativa de acabar com a obstrução. Se isso não adiantar, uma pancada forte bem abaixo do (V. Sufocação.) Se, depois de uma intoxicação por vapores ou gás de carvão, choque elétrico ou afogamento, a respiração não voltar imediatamente, deve-se fazer respiração arti?cial sem de- mora. (V. Respiração arti?cial.) ASMA – A asma é uma condição de constrição periódica e reversível dos tubos respiratórios, e resulta É, geralmente, hereditária e ocorre devido a uma sensibilidade anormal Alergia.) Também se pode dizer que é um processo in?amatório crônico das vias aéreas caracterizado por hiper-responsividade a estímulos broncoconstritores, com episódios de limitação ao fluxo aéreo que revertem espontaneamente ou com Os pacientes com asma devem ser examinados para se identi?car

ASP ATA

ATA ATR

Pode ocorrer de modi?cações na curvatura da córnea ou por pressão sobre as pálpebras que pode desviar ATADURA – Bandagem constituída de faixa de pano. Pode ser de gaze, cambraia, morim, linho, algodão, ATADURA GESSADA – Atadura de ATAQUE – Termo usado vulgar- mente para designar epilepsia, apoplexia e até mesmo acesso cardíaco. Acesso repentino e grave de uma doença, seguido ou não de ATAVISMO – Reprodução dos caracteres físicos e ?siológicos dos ATAXIA – Incoordenação moto- ra. Perturbação da coordenação muscular em que o movimento é Exemplos: Doença de São Vito, mal de Parkinson, paralisia cerebral. A ataxia é mais um sintoma do que ATAXIA LOCOMOTORA PRO- GRESSIVA – A infecção da medula por sí?lis é a causa da grave afecção Pode aparecer a qualquer momento, dos cinco aos quinze anos, depois da infecção inicial. É chamada Ta- bes dorsalis a in?amação da medula ATELECTASIA – Expansão incom- pleta ou colapso parcial de um

ATR AUT

de duodeno. Fechamento de um ATROFIA – Falta de desenvol- vimento, desnutrição. Redução normal ou anormal das dimensões de um órgão ou célula que tenham alcançado, previamente, o tamanho próprio da maturidade. A atro?a patológica pode ser seguida de degeneração dos tecidos ATROPINA – Princípio ativo da AUDIOGRAMA – Grá?co mos- trando a percepção do ouvido a AURA – Sensação subjetiva e pas- sageira que precede uma crise (de AURÍCULA – Cada uma das duas cavidades do coração, que recebem sangue das veias, a da direita é a da circulação geral, e a da esquerda, o AURICULAR – Referente à orelha, AURISMO – Intoxicação crônica AURISTA – Especialista em doen- AUROTERAPIA – Tratamento AUSCULTAÇÃO – Método de exame em que o médico escuta os ruídos internos do organismo e AUTISMO – Uma forma lastimosa de doença mental em crianças. A criança é emocionalmente indife- rente e não se relaciona com a fa- mília e com o ambiente. Pode estar 69 ou não associada a outras formas de retardamento. Requer tratamento AUTO – Pre?xo que signi?ca “de si AUTO-ANTICORPO – Anticorpo dirigido contra qualquer constituin- AUTOCATETERISMO – Passa- gem de uma sonda pelo próprio AUTOCLAVE – Aparelho esterili- zador com base no vapor d’água sob AUTO-EROTISMO – Mastur- AUTÓGENA (VACINA) – Vacina preparada com germes do próprio AUTÓGENO – Produzido dentro AUTO-HEMOTERAPIA – Trata- mento pelas injeções de sangue do próprio doente (por via intramus- AUTO-INFECÇÃO – Infecção por germes existentes no próprio AUTO-INTOXICAÇÃO – Intoxi- cação por toxinas produzidas no AUTOLISADO – Produto de au- AUTÓLISE – Digestão das células ou dos tecidos por fermentos exis- AUTOMATISMO – Estado em que ações são praticadas sem cons- ciência.

AUT AZU

AUTÓPSIA (OU NECRÓPSIA) – Exame macro e microscópico do cadáver. A autópsia é dita médica quando não há suspeita de morte violenta. Porém quando se tratar de morte violenta ou criminosa, a autópsia é médico-legal, e deve ser realizada no IML – Instituto Médico Legal. A autópsia médica é realiza- da por patologista, e a médico-legal por médico legista, abrangendo o exame dos órgãos, para ?ns de AUTO-SOROTERAPIA – Trata- mento pela reinjeção do soro san- AUTO-SUGESTÃO – Sugestão a si próprio, usada no tratamento de AUTOVACINA – Vacina preparada com germes retirados do próprio AUXOGRAMA – Sistema de coor- denadas que, utilizando os dados de idade cronológica, idade/altura, idade/peso, idade óssea, idade mental e idade genital, contribui para o diagnóstico dos distúrbios

70 AVASCULAR – Sem vasos, sem AVITAMINOSE – Estado mórbido AVULSÃO – Retirada de um órgão AXILA – Região debaixo dos bra- ços. Não use nunca sovaco, que é AXIS – A segunda vértebra cer- AZIA – Um tipo de indigestão, no qual se sente um ardor no meio do peito. Pode estar associada à hérnia do hiato. (V. Hérnia do hiato.) ÁZIGOS – Ímpar. Sem par. Nome AZOOSPERMIA – Ausência de AZOTEMIA – Uremia, excesso de AZOTÚRIA – Aumento da uréia AZUL (DOENÇA) – Doença con- gênita, defeito circulatório ou no coração que faz os sangues veno- so e arterial se misturarem.

BAC cessivas do microorganismo com o Bactéria gigante: Em 16 de abril de 2000, a revista Science divulgou a descoberta de uma bactéria visível a olho nu na costa da Namíbia, sul da África, pela cientista alemã Heide Schultz. Chamada Thiomargarita numibiensis, ela tem quase um milí- metro de diâmetro, volume cem ve- zes maior do que o das maiores bac- térias conhecidas. Como se alimen- ta de poluentes (nitratos e sulfetos), estuda-se a possibilidade de ser usa- Seqüenciamento: Cientistas brasi- leiros da Rede Nacional do Projeto Genoma Brasileiro completaram o seqüenciamento de uma bactéria de vida livre (não causa doenças) em ambiente tropical. Trata-se da Chromobacterium violaceum, típi- ca das margens do Rio Negro, no Estado do Amazonas. A bactéria tem grande potencial biotecnoló- gico, podendo fornecer moléculas para utilização na indústria e na Medicina. A violaceína, pigmento produzido pela bactéria, pode com- bater doenças como o Mal de Cha- gas e a Leishmaniose; outras molé- culas atuam contra tumores. Ela produz, ainda, um polímero que pode ser aproveitado para a produ- ção de plástico biodegradável. O DNA é composto de 5 milhões de BACTERICIDA – Substância que mata as bactérias.

BAL BACTERIEMIA – Presença temporá- ria de bactérias no sangue. Na sep- ticemia há proliferação delas na corrente sangüínea, com graves si- BATERIÓFAGO – Vírus que pode BACTERIOLOGIA – Ramo da Mi- BACTERIOSCOPIA – Exame mi- BACTERIOSTÁTICO – Agente que BACTERIOTRÓPICO – Que é atraí- BAGASSOSE – Doença causada pela BAIXA ESTATURA – Quando o per- BAL – Dimercaprol, antídoto do en- venenamento por metais pesados. O nome deriva das iniciais de British Anti-Lewisite. Lewisite era um gás BALANITE – Inflamação que resulta de uma infecção sob o bálano (prepúcio), nos garotos e nos ho- mens. Uma vez solto, geralmente por volta dos 4 anos de idade, o prepúcio deve ser retraído por com- pleto para poder ser lavado. Dessa forma, o problema pode ser evita- do. Pode ser produzida também pelo vírus do herpes simples, se acompanhada de infecção secundá- ria. (V. Circuncisão e Fimose.)

BAL BALANOPOSTITE – Inflamação da BALANTIDIOSE – Infecção causada Recebe o nome de colite balanti- diana, às vezes caracterizada por BALNEOTERAPIA – Tratamento pe- BALSÂMICO – Medicamento aro- BÁLSAMO – Nome de variadas subs- tâncias que só têm em comum a na- tureza ungüentácea, tais como po- BANCO DE ESPERMA – Local nas empresas que fazem inseminação artificial, onde o esperma é arma- BANCO DE LEITE – O Governo im- plantou no Brasil um programa de aleitamento materno, contando já com 120 bancos de leite humano em 22 Estados, uma das maiores estru- turas do mundo. O leite armazena- do destina-se a bebês prematuros, a recém-nascidos com baixo peso e a crianças cujas mães não podem BANCO DE PELE – Local onde são conservados enxertos de pele por BANCO DE SANGUE – Depósito de sangue para transfusão, que existe (ou BANDAGEM – Enfaixe, atadura, ligadura.

BAR BANDAGEM EM T – Tipo de atadu- BANHO ÁCIDO – Banho com água BANHO ALCALINO – Banho em água adicionada de um carbonato BANHO ALCOÓLICO – Banho em água adicionada de álcool. Diz-se BANHO DE AREIA – Usado em la- boratório para se obter altas tempe- BANHO DE BRAND – Banho frio a BANHO DE FARELO – Banho a que BANHO DE LAMA – Banho com certas lamas medicinais, como a de BANHO FRIO – Banho à tempera- BANHO-MARIA – Aquecimento por imersão da vasilha em água ferven- BANHO TÉPIDO – Banho entre 21 BARBEIRO – Inseto Triatoma me- gista, que transmite o Trypanosoma Também chamado “chupão” ou “chupança”.

BAR BARBITURATO – Sal do ácido BARBITÚRICOS – Usados em Me- dicina como hipnóticos ou sedati- vos, são derivados do ácido barbi- túrico. Embora existam medica- mentos mais modernos, alguns ain- da são usados, por exemplo, em me- dicação secundária na epilepsia. O uso prolongado de barbitúricos pro- voca no usuário dificuldade de ra- ciocínio e de efetuar cálculos sim- ples, perde a capacidade de avaliar distâncias, torna-se infantil, chora com facilidade e chega a desejar a morte. Do ponto de vista puramen- te físico, os barbitúricos são piores BÁRIO – Metal rádio-opaco usado Escorbuto infantil, Raquitismo e Vi- BARTHOLIN (GLÂNDULAS DE) – Glândulas vulvovaginais em núme- BARTHOLINITE – Inflamação das BASE – Em Química: substância al- calina que se combina com ácidos BASEDOW (DOENÇA DE) – Doen- ça de Graves, Doença de Flaiani, in- suficiência da tireóide ou bócio BASIÓTRIBO – Instrumento para es- magar a cabeça do feto.

BEB BASÓFILO – Que se cora facilmen- BAUDELOCQUE (DIÂMETRO DE) – Em Obstetrícia: diâmetro sacro- púbico externo, diâmetro antero- BEBÊ DE PROVETA – (V. Inferti- lidade.) – A técnica do bebê de pro- veta foi planejada para superar o problema de trompas totalmente obstruídas, devido à apendicite. Pla- nejou-se um método para calcular o tempo de ovulação e retirou-se um óvulo do ovário nesse momento. A pequena cirurgia feita sob anestesia geral foi realizada através do laparoscópio, de forma que foi ne- cessária apenas uma incisão minús- cula. O óvulo foi misturado com o sêmen fresco do marido, num tubo, e depois reimplantado no reves- timento do útero à noite (aparen- temente melhor hora para uma “tomada”). A partir daí, a gravidez continuou do seu jeito normal. Esta é a mais extrema forma de inse- minação artificial com sêmen do Em casos menos extremos, o gine- cologista pode colocar o sêmen do marido diretamente no colo do útero – com uma seringa -, onde há algum tipo de problema, como posição incomum do colo do útero, proble- ma de impotência, etc. Quando há uma contagem baixa de espermato- zóides, pode-se centrifugar várias amostras de sêmen do marido e in- serir um líquido mais concentrado.

BEB Consideremos um pouco mais o as- pecto masculino. Um exame sim- ples do sêmen feito pelo médico da família pode mostrar algo que vai de um número satisfatório e vigo- roso de espermatozóides a até pou- cos espermatozóides, ou uma con- dição que precise de tratamento. Às vezes, até os espermatozóides sau- dáveis ficam indolentes no contato com o muco contido no colo do úte- ro da mulher. Isso pode ser confir- mado com um exame na mulher al- Até mesmo a ausência total de espermatozóides no fluido seminal pode simplesmente indicar uma obstrução em algum lugar dos tu- bos que coletam o esperma, enquan- to que a produção deste pelo testí- culo está normal. Isso pode ser tra- tável com uma cirurgia. Às vezes, Se nada mais puder ser feito para ajudar os problemas do homem, ao passo que a fertilidade da esposa está normal, surge a questão da inseminação artificial com sêmen de doador. Geralmente, o casal quer ter uma criança que seja pelo menos parte de sua própria carne e sangue. Se ambas as partes concor- darem, a técnica é semelhante à da inseminação com sêmen do mari- do. O doador voluntário é sempre jovem e saudável; em certos lu- gares, ela é feita geralmente com um estudante de Medicina. É mantido sigilo total quanto à sua identidade.

BEB brancos, saudáveis e com menos de um ano disponíveis, existem bebês de raças misturadas, alguns com problemas, e também crianças mais BEIJO DA VIDA – Respiração boca- BELADONA – Planta Atropa bella- donna, que produz a atropina. Cau- BELL (PARALISIA DE) – Paralisia dos músculos de um ou de ambos os la- dos da face, podendo ser afetados outros órgãos do corpo. As causas permanecem indeterminadas. Antes da paralisia ocorre ligeira dor nos olhos, nos ouvidos ou no rosto. Em poucas horas, o olho da parte atin- gida parece mais aberto do que o outro, não fecha e ocorre abundan- te lacrimejação; a boca é torcida para um lado e a fala se torna difí- BENIGNO – Diz-se do tumor que não BENIQUÉ (VELA DE) – Cateter de estanho com dupla curvatura desti- nado a acomodar-se no trajeto da uretra masculina e empregado no tratamento das estenoses. Tem ta- BERKFEELD – Filtro no qual os líqui- dos são forçados a passar através de uma preparação de algas diato- BESTIALIDADE – Cópula com animais.

BIC BETA – A segunda letra do alfabeto grego, muito empregada em termi- BEXIGA – Órgão muscular oco, re- servatório musculomembranoso, com capacidade de 250 cm3 (pode aumentar), que armazena a urina até BEXIGA, DOENÇAS DA – A bexiga e a uretra são suscetíveis de muitas doenças e acidentes, como inflama- ções ou infecções; podem também formar-se cálculos (pedras). A bexiga tambem pode sofrer um choque e desprender-se. Chama-se “cistite” a inflamação da bexiga, mais comum na mulher; está quase sempre relacionada com uma infec- ção prévia acima ou abaixodesse órgão, sendo muito rara a infecção da bexiga apenas. Sintomas: estre- ma freqüência do desejo de urinar, sensação de queimadura e, às vezes, Em geral infecções da bexiga não BEXIGA NEUROGÊNICA – Sob este diagnóstico, enquadram-se as dis- funções de natureza neurológica e muscular da bexiga e esfíncter urinário. As causas mais importan- tes são os traumatismos graves de BEZOAR – Bola de cabelos engoli- dos, que pode causar obstrução in- BICARBONATO DE SÓDIO – Pó branco, cristalino, que tomado

BÍC como antiácido suprime o excesso de acidez do suco gástrico e do cor- po em geral. Em caso de acidose produzida por diabete ou outra en- fermidade pode ser tomado em BÍCEPS – Nome que se dá ao grande músculo anterior e superior do bra- ço. Esse nome foi-lhe dado por ter duas cabeças, uma longa e outra curta, que se unem à omoplata em BÍCEPS CRURAL – Grande músculo BICLORETO DE MERCÚRIO – Substância constituída por dois áto- mos de cloro e um de mercúrio, também chamado sublimado corro- sivo; em soluções fracas é usado como germicida. Sendo muito venenoso, quando ingerido provo- ca inflamação grave no fígado e in- toxicação dos nervos periféricos causando paralisia das pernas BICÓRNEO – Com dois cornos e duas cavidades. Anomalia não rara BICÚSPIDE (PRÉ-MOLAR) – Den- te de duas pontas, com total de oito num homem, dois entre cada cani- no e o primeiro molar correspon- dente. Assim chamado por se colo- BIERMER (DOENÇA DE) – V. Ane- BIFOCAL – Com dois focos. A lente bifocal serve para perto e para longe.

BIM BILE – Solução aquosa produzida no fígado, que inclui os sais biliares (os únicos que têm função digestiva, funcionando como um detergente), fundamentais no metabolismo das lípides por meio da transformação inicial das gorduras em partículas menores (micelas). A secreção da bile pelo fígado é contínua, mas fica armazenada na vesícula biliar e so- mente é lançada no duodeno quan- do ali chega o bolo alimentar. A bilirrubina é o principal pigmento biliar excretado pela bile e sua de- gradação gera os radicais heme, substratos imprescindíveis para a formação da molécula de hemo- globina. (V. Bilis.) BILIOSIDADE – Distúrbio digestivo, seguido de dor de cabeça, náusea, constipação (prisão de ventre), lín- BILIOSO – Ligado à bílis. Nauseoso BILIRRUBINA – Um dos pigmentos biliares, pigmento amarelo alaran- jado resultante da decomposição dos glóbulos vermelhos do sangue, metabolizado no fígado e ex- cretado pelas vias biliares para o BILIVERDINA – Um dos pigmentos BIMANUAL – Com as duas mãos.

BIN BINET-SIMON, PROVA DE – Des- tinada a medir a capacidade mental das crianças, idealizada por Alfred Binet em colaboração com Theo- dore Simon. Consiste em submeter grupos de crianças a testes com questões adequadas à sua idade mental, podendo determinar se ela (V. Inteligência, QI.) BINOCULAR – Relativo aos dois BINÓCULO – Enfaixe dos dois BINOVULAR – Bivitelino. Gravidez BIOFÍSICA – A Física aliada à Bio- BIOGÊNESE – Nascimento da maté- BIOLOGIA – Ciência que estuda a BIOMETRIA – Aplicação da Mate- BIÓPSIA – Remoção de um pequeno pedaço de tecido para exames de la- boratório. Retirada de fragmento ou de todo o tumor para a avaliação BIÓPSIA ENDOMIOCÁRDIA – Consiste na retirada por punção ve- nosa de um pequeno fragmento de miocárdio para ser analisado em nível de microscopia óptica e/ou eletrônica. A biópsia endomiocár- dica é empregada no seguimento de BIÓ

pacientes submetidos a transplante cardíaco e no diagnóstico e acom- panhamento das endomiocardio- BIÓPSIA PLEURAL – Obtenção de um fragmento da pleura parietal a BIÓPSIA PULMONAR – Obtenção de um fragmento de tecido pulmo- BIÓPSIA PULMONAR A CÉU ABERTO – Obtenção de um frag- mento de tecido pulmonar através BIÓPSIA PULMONAR TRANS- BRÔNQUICA – Obtenção de um fragmento de tecido pulmonar com auxílio de broncoscópio e uma pin- ça de biópsia que atravesse a pare- BIÓPSIA PULMONAR TRANSTO- RÁCICA – Obtenção de um frag- mento de tecido pulmonar com au- xílio de uma agulha de biópsia rea- BIOQUÍMICA – Ramo da Química que trata das reações passadas nos organismos vivos; química biológi- BIOQUÍMICO – Especialista em BIOS – Palavra grega que significa BIÓTIPO – Grupo de indivíduos que

BÍP apresentam as características fun- cionais geneticamente iguais, em Biologia, tipo constitucional em Medicina. No Brasil a pronúncia BÍPARA – Mulher que já teve dois BISSEXUAL – Hermafrodita, que apresenta características dos dois BISSINOSE – Inalação de partículas de BISTURI ELÉTRICO – Eletródio de aço inoxidável ligado a um apare- BLASTODERMA – Membrana ger- BLASTOMICOSE – Nome pelo qual se designa toda micose, geralmen- te profunda, causada por blasto- micetos, isto é, fungos que se re- BLEFARITE – Inflamação contagiosa das bordas das pálpebras, mais fre- qüente nas crianças, principalmen- te depois de alguma doença. Sua ca- racterística é a formação de peque- nas pústulas nas raízes das pesta- nas. Se a infecção não é combatida, toda zona afetada fica vermelha, incha e cobre-se de lesões. Deve-se evitar o uso das mesmas toalhas ou roupa de cama, por causa do risco BLEFAROPLASTIA – Cirurgia plás- tica que elimina rugas profundas nas pálpebras ou bolsas na pele. A BLO

blefaroplastia é uma intervenção simples que remove o excesso de pele e sulcos acima e abaixo da pál- BLEFAROPLEGIA – Paralisia das pál- BLEFAROPTOSE – Queda das pál- BLEFAROSPASMO – Espasmo do BLEFAROSTATO – Instrumento para manter as pálpebras afastadas du- rante as intervenções cirúrgicas ou BLEFAROSTENOSE – Estreitamento BLEFAROTOMIA – Incisão da pál- BLENOFTALMIA – Secreção mucosa BLENORRÉIA – Infecção purulenta das membranas mucosas, especial- mente da vagina e uretra. Também chamada blenorréia, gonorréia, e, BLENÚRIA – Presença de muco na BLOCO CIRÚRGICO – Centro ci- rúrgico. A sala de operação e as sa- BLOQUEIO CARDÍACO – Condi- ção em que os impulsos elétricos do átrio para o ventrículo são bloque- ados por uma doença no tecido con- dutor. As causas são as mesmas das

BOC doenças cardíacas. Esses impulsos regulam o ritmo das batidas do co- ração e, se bloqueados, o coração bate devagar demais para uma cir- culação eficiente. Os remédios aju- dam, mas pode ser necessária a in- BOCA – Orifício para ingestão de ali- mentos ou cavidade que contém o sis- tema mastigatório. Compreende o espaço entre as maçãs do rosto e os dentes e a cavidade bucal propriamen- te dita, limitada na parte superior pela abóbada palatina, na parte anterior pelos lábios e na posterior pelo pálato e faringe. Nela se situam as glându- las salivares (parótidas) e muitas ou- tras glândulas pequenas que secretam a saliva, a qual serve para umedecer a boca, transformar os alimentos em massa e lubrificá-los, assim como limpar a boca das bactérias e partícu- las de alimentos. É uma das regiões do corpo mais sujeita ao ataque de Estomatite.) BÓCIO – Hipertrofia da glândula tireóide, que se situa na parte supe- rior do pescoço, num dos lados da traquéia, e produz a tiroxina – um hormônio que ela despeja no san- gue. A tiroxina controla a rapidez Com o seu excesso, o organismo se acelera – o coração bate mais rápi- do, perde-se peso, etc.; e com a sua falta ele se torna mais lento. Uma tireóide dilatada pode estar associ- ada ao excesso ou à falta de tiroxina.

BOL Se for excesso, diz-se que o bócio é tóxico, e a condição pode ser cha- mada de “tireotoxicose”. Se for fal- ta, o paciente fica sempre cansado, o corpo fica gordo e preguiçoso, e a condição é conhecida como “mixedema”. Para o bócio tóxico, pode ser necessário operar e remo- ver parte da glândula, mas, às ve- zes, a cirurgia pode ser evitada com o uso de remédios que são capazes de diminuir a ação da tireóide. Para a condição de mixedema, é neces- sário dar tiroxina ao paciente pela boca, para recuperar o funciona- mento normal do organismo. Às vezes, o bócio ocorre devido a uma insuficiência de iodo na dieta, e ten- de a ocorrer em regiões onde falta iodo na água. O uso regular de sal iodado (produzido por todos os principais produtores de sal) pode evitar esse tipo de bócio. (V. Glân- dulas e Hormônios.) BÓCIO EXOFTÁLMICO – Molés- tia causada por superprodução de hormônio da tireóide, acompanhada do aumento de volume desta glân- dula. Caracteriza-se pelo surgi- mento de bócio, papo, atividade cardíaca acelerada, globos oculares salientes, excitabilidade nervosa, leve tremor involuntário, perda de peso, debilidade muscular, e ten- dência a crises nervosas. Também chamada “Doença de Graves.” BOLHA – Deslocamento da camada superficial da pele. Contém líquido originado do plasma. As bolhas po-

BOL dem ser produzidas por doenças como eczema, herpes, impetigem, varicela, ou por lesões como esco- riações e queimaduras. A exposição ao sol pode também causar bolhas BOLO – Massa grande e arredonda- da. Ex.: o bolo alimentar antes de BOLSA – Pequeno saco contendo um fluido que protege parte do corpo contra ferimentos. É geralmente en- contrada acima de algum osso sali- BOLSA DE ÁGUA – Este nome de- signa vulgarmente o âmnio, mem- brana que envolve o feto durante a gravidez. No parto pode preceder BOMBA DE COBALTO – Fonte de BORBORIGMO – Saída de gases do BORBULHA – Nome de uma erup- ção na pele. Existem vários tipos, todos com nomes especiais: Erite- ma: vermelhidão espalhada na pele – como um rubor. Pode seguir uma exposição ao sol ou uma queima- dura leve. Máculas: pequenas man- Uma sarda pode ser descrita como uma mácula marrom. As máculas vermelhas ocorrem em certas doen- ças de pele. Pápulas: pequenas erup- ções na pele. A brotoeja do saram- po geralmente consiste de uma mis- BOT

BRA causa debilidade e paralisia, inclu- indo a dificuldade de deglutir, falar e enxergar. Em grande número dos casos (65%) os distúrbios respira- BRADICARDIA – Diminuição das BRAILLE – Sistema de escrita para ce- gos, sendo os caracteres e letras re- presentados por pontos gravados em relevo sobre papel resistente, o que os faz sobressair na superfície e se- rem facilmente identificáveis ao tato. Aperfeiçoado em 1837 por Louis Braille, é hoje usado univer- BRAQUIAL – Que diz respeito ao braço; são chamadas assim as arté- rias que se estendem ao longo da BRAQUIDACTILIA – Qualidade de pessoa que tem os dedos das mãos e dos pés anormalmente curtos. Do BREGMA – Junção das suturas BROMATOLOGIA – Estudo dos ali- BROMETOS – Combinações de bromo, elemento químico não me- tálico, venenoso e cáustico, com ou- tros elementos. São usados em Me- dicina, entre outros os brometos de potássio, cálcio, ferro, amônio e sódio, que produzem em geral efei- BRO

to sedativo e diminuem a tensão nervosa. Tomados por um período longo e ultrapassado determinado nível ocorre a intoxicação por brometo (V. Bromismo.) BROMISMO – Envenenamento pelo bromo, cujos sintomas são: dor de cabeça, frio nas extremidades, so- nolência, apatia, delírio, alucina- BROMO-HIPERIDROSE – Sudação BROMOMENORRÉIA – Menstrua- BRONCODILATADOR – Medica- ção utilizada para obtenção do re- BRONCOGRAFIA – Radiografia dos brônquios após instilação de uma substância rádio-paca, como meio BRONCOPNEUMONIA – Um tipo de pneumonia no qual a infecção se espalha dos tubos respiratórios – ou Constitui perigo em qualquer épo- ca do ano e, sob as suas diversas formas, ataca pessoas de qualquer idade. (V. Pneumonia.) BRONCOPULMONAR – Referen- BRONCORRAGIA – Hemorragia BRONCORRÉIA – Escoamento exa- gerado de muco pelos brônquios.

BRO BRONCOSCOPIA – Procedimento em que o especialista utiliza um tubo iluminado para olhar dentro dos tubos respiratórios grandes, e com o qual pode detectar certas doenças e retirar amostras para BRONCOSCÓPIO – Instrumento de luz que se introduz nos brônquios BRONCOSPASMO – Espasmo nos BRONCOSTENONE – Esteno de um BRONCOTOMIA – Incisão do BRONCOVESICULAR – Referente BRONQUIOCELE – Dilatação par- BRONQUIOECTASIA – Infecção crônica do pulmão, causada pela fraqueza e distorção dos tubos res- Pode, às vezes, ser remediado com uma cirurgia para remover a parte afetada do pulmão. Pode ser um efeito retardado da coqueluche, e é um bom motivo para vacinar as cri- BRONQUIOLITE – Infecção grave dos tubos respiratórios menores nos bebês. Qualquer bebê com dificul- dade respiratória necessita de assis- tência médica urgente. O ar úmido e quente pode ajudar temporaria- mente. (V. Crupe.) BRO

BRONQUIÓLITO – Cálculo num BRONQUÍOLO – Pequeno brônquio BRÔNQUIOS – São duas ramifica- ções da traquéia, direita e esquer- da, que penetram nos pulmões, onde se ramificam em tubos cujo diâme- tro vai diminuindo à proporção que eles se subdividem, reduzindo-se fi- nalmente a finíssimos canais cha- mados bronquíolos. Estes, por sua vez, terminam nos alvéolos pulmo- nares. Responsáveis pelo transpor- BRONQUITE – Enfermidade provo- cada pela inflamação ou infecção dos brônquios. Começa em forma de catarro que persiste e provoca tosse crônica. Pode ocorrer após o sarampo, coqueluche, gripe ou in- vasão de germe que ataca a cavida- de nasofaríngea. Também os vírus podem provocar bronquite, assim como o fumo e a aspiração de ga- ses, fumaça ou pós nocivos. É do- ença que ocorre principalmente no inverno, e que acompanha sempre um resfriado. Os fumantes e os que trabalham em ambientes empoei- rados e poluídos são os mais atin- gidos. Nos bebês, a bronquite pode ser uma doença passageira, facil- mente curável; nos adultos, a bron- quite crônica tende a ser um pro- Ela pode não ser perceptível de co- meço, a não ser por uma tosse ma- tinal, mas, depois do ataque adicio-

BRO nal de uma infecção virulenta, o re- vestimento dos tubos respiratórios fica inchado e inflamado. Há, ge- ralmente, dor no peito, temperatura alta, tosse e produção de escarro. O paciente fica melhor na cama, num ambiente quente. A mistura de li- mão e mel é um sedativo e, se hou- ver febre, pode-se tomar aspirina ou paracetamol. Um inalante é um bom remédio, mas é necessário o conse- lho de um médico, pois pode ser preciso usar antibióticos. Pare defi- nitivamente de fumar, pois essa do- ença tende a voltar se os brônquios ficarem irritados repetidamente. O resultado final de ataques repetidos pode ser uma extrema falta de ar, até mesmo em repouso, e isso pode ser evitado. (V. Fumo.) Além de parar de fumar, peça a seu médico um conselho sobre injeções contra gripe, e avise-o mesmo quan- do estiver com um pequeno resfria- do. Ele pode querer que você come- ce com os antibióticos no primeiro sinal. (Isso não se aplica à grande maioria das pessoas saudáveis, que raramente precisam de antibióticos.) Fique de cama quando estiver com bronquite, se houver risco de pneu- monia. Faça movimento com as per- nas enquanto está na cama. Não saia BRONQUITE ASMÁTICA – Uma das manifestações alérgicas mais freqüentes, em que ao lado de fe- nômenos inflamatórios se desenvol- vem outros de origem alérgica. O BUB

alérgeno é representado, em geral, por germes que acarretam infecções das vias aéreas superiores, do que resulta num espasmo da muscula- tura brônquica, diminuição do cali- bre dos brônquios e dificuldade para BRONQUITE CRÔNICA – Tosse e expectoração por mais de três me- BROWNIANO (MOVIMENTO) – Movimento de trepidação das par- tículas infinitamente pequenas, vis- BRUCELLA MELITENSIS – Bacilo da BRUCELOSE – Infecção contraída pelo contato com gado contaminado ou seu leite; é caracterizada por febre, aflição e dores intermitentes. Como os sintomas são vagos, é difícil diagnosticá-la; deve-se considerá-la toda vez em que houver uma febre persistente e inexplicada. As pessoas das áreas rurais devem evitar beber leite não pasteurizado. É importante que haja inspeção veterinária e exa- me do gado freqüentemente, para a BUBÃO – Tumefação de gânglio lin- fático, mais freqüente na região inguinal. É característico da peste BUBÃO INDOLENTE – Bubão indolor e duro, que não mostra ten- BUBÃO SIFILÍTICO – Adenite que

BUB acompanha o cancro sifilítico ou cancro duro (nada tem a ver com BUBÔNICA (PESTE) – Doença in- fecciosa produzida por um bacilo e transmitida ao homem pelas pulgas originárias de ratos acometidos da moléstia. Também se diz simples- BUCOFARÍNGEO – Referente à BUCONASAL – Referente à boca e BUFTALMIA – Aumento de volume do olho, lembrando o olho de um BULBAR – Que diz respeito ao bul- bo raquidiano ou medula oblonga BULBO – Ou medula alongada, é um centro nervoso essencial, regula a circulação e a respiração, além de BULIMIA – Ataca principalmente mu- lheres de 20 a 40 anos que querem manter o seu peso. As vítimas, tam- bém preocupadas com a estética, sentem culpa quando comem demais e acabam provocando o vômito após as refeições ou tomando laxantes e diuréticos. As bulímicas têm crises de compulsão alimentar em que che- gam a ingerir a média de 2.000 a 5.000 calorias de uma só vez. A BUR

BURETA – Tubo graduado usado em BURSITE – Inflamação de uma bolsa sinovial. Isso ocorre com mais fre- qüência nos pés, cotovelos e joe- lhos. Existe uma pequena bolsa na base de cada dedão do pé, do lado interno. Ela fica comumente infla- mada com o uso de sapatos muito apertados, e isso é conhecido como joanete. Se for protegido da pres- são, com o uso de sapatos folgados ou chinelos, ele irá diminuir. Uma pequena proteção ao redor do joa- nete pode ajudar. Quando os sinto- mas atribuídos ao joanete forem, na realidade, causados pela rigidez da junta do dedo (hallux rigidus), os exercícios com o pé – como levan- tar bolas de gude ou saquinhos de arroz com os dedos do pé – podem Num joanete verdadeiro, a bolsa O tratamento consiste em descan- Uma cirurgia pode ser a melhor maneira de evitar maiores proble- mas. Os resultados finais são geral- mente bons, apesar de que a pessoa terá que suportar uma longa conva- lescença, mancando com muletas durante várias semanas. Os joane- tes são um tormento – pior que dor de dente. Aqueles que usam sapa- tos apertados terão, provavelmen- te, que pagar um preço doloroso.

BUT Toda criança tem que ter espaço suficiente para que o pé cresça den- tro do sapato. Os pais devem ficar atentos para ver se os dedos não fi- No joelho há uma bolsa, acima da rótula, que pode inflamar se a pes- soa ficar muito de joelhos (inflama- ção da bolsa sinovial). Isso melho- ra com repouso, e pode ser neces- BUT

sário que a pessoa evite ajoelhar- se. Exercitar essa região – não a pon- to de extrema dor – pode ajudar a dissipar a coalescência e a evitar uma recaída. Usar joelheira ou cotoveleira durante um ou dois dias (não regularmente, por causa do efeito de enfraquecimento dos mús- BUTIRÓIDE – Semelhante à manteiga.

CÂI lóide encontrado no café, no chá e CÂIMBRA – Condição que se deve a um espasmo muscular dolorido, ge- ralmente associado a uma exposi- ção ao frio. Ela pode atacar os na- dadores que permanecem muito tempo na água. Trate dela endirei- tando a parte que está com câimbra e esfregando com força o músculo atingido, para aquecê-lo e fazer vol- tar a circulação. Nos climas quen- tes, a câimbra pode ocorrer devido à falta de sal. Fazer uma alimenta- ção contendo mais sal pode ser im- portante; em alguns lugares existem pastilhas de sal especiais à venda com esse propósito. A câimbra ame- dronta nadadores, mas há uma chance menor de ela acontecer se a pessoa só entrar na água depois de uma hora e meia das refeições. (É mais seguro ficar numa profundi- dade não maior que a sua altura.) As câimbras na perna, durante a noite, estão geralmente associadas a uma má circulação que reage bem a comprimidos de bissulfato de qui- nina, os quais devem ser tomados somente com indicação médica, por CALAFRIO – Ataque de tremor que ocorre quando a temperatura se ele- va. Quando o organismo quer au- mentar sua temperatura, uma das formas de fazer isso é por meio de tremores. Isso faz com que os mús- culos trabalhem em movimento de CÁL

CÁL rativas. Representa entre 1.000 a Participa na coagulação do sangue, na geração e transmissão de impul- sos nervosos, na contração das fi- bras musculares, e na ativação de sistemas enzimáticos assim como É necessária a vitamina D para CÁLCULO – O termo médico para “pedra”. São pequenas massas de substância composta de colesterol, sais inorgânicos e pigmento biliar. As pedras podem se formar em órgãos como a vesícula biliar, os rins ou a bexiga, provocando dor e outros dis- túrbios, desde uma cólica suave até a ruptura da vesícula, peritonite e mesmo infecção do pâncreas. Quan- do uma pedra se forma e causa al- gum problema, geralmente é neces- sária a sua remoção por meio de ci- rurgia. Alguns cálculos renais podem ser tratados com ondas de choque externas. Já existem remédios que dissolvem os cálculos biliares, mas a recaída depois da interrupção do Atualmente, trata-se também com emissão de raio laser. (V. Vesícula biliar, Doenças do rim e Pedras.) CÁLCULO RENAL – Nefrólito, pe- CALIBRAR – Graduar um instrumento CÁLICE (NOS RINS) – Cavidade em forma de taça.

CAL CALISTENIA – Prática de movimen- tos rítmicos para dar graça e desen- CALMANTE – Sedativo que diminui CALOMELANO – Protocloreto de mercúrio. Usado antigamente como CALOR, PERIGOS DO – Da exposi- ção excessiva ao calor decorrem três anormalidades: 1) insolação ou ata- que, cujos sintomas são enjôos, dor de cabeça, secura da boca e da pele e náuseas. Pode seguir-se de perda da consciência, até a morte; 2) esgota- mento, que tem como sintomas: ros- to pálido, sudorese abundante, corpo pegajoso, pulso débil, respiração su- perficial e, às vezes, extrema fraque- za; também ocorrem náuseas, vômi- to, enjôo e insegurança; 3) câimbras, que afetam os músculos dos braços, CALORIA – É a unidade de medida do metabolismo. O ser humano gas- Equivale à quantidade de calor ne- cessária para elevar de um grau a temperatura de um centímetro cú- CALORÍMETRO – Instrumento para medir a quantidade de calor gasta com a combustão de determinada CALOS – Pequenas regiões dolori- das da pele, achatadas e grossas, geralmente nos dedos do pé e, na

CAL maioria das vezes, causados por sa- patos que não se ajustam bem. As proteções para calos e compressas de água e sal aliviam a dor, mas o melhor é fazer um tratamento com um quiropodista, especialista em Quiropodia, ramo da Medicina que CALOSIDADE – Espessamento de- CALVÍCIE – Perda de cabelo. A cal- vície comum está quase que total- mente confinada aos homens, e é geralmente de família. Até pouco tempo atrás, não havia cura. No entanto, já existe um novo tratamen- to (Regaine), que estimula o cres- cimento de novos fios. Esfrega-se o produto no couro cabeludo duas vezes ao dia e ele produz um cres- cimento satisfatório do cabelo em quase 30% das pessoas. Custa caro e deve ser usado sempre, pois, se o tratamento for interrompido, perde- se o cabelo novamente. É mais fácil dar resultado em pessoas jovens que A perda total do cabelo da cabeça e do resto do corpo (Alopecia totalis) é uma condição rara, que ocorre em ambos os sexos. Existem à venda perucas para os casos de alopecia total, ou onde a calvície estiver cau- Os transplantes de cabelo podem ser feitos em algumas clínicas particu- lares. Fragmentos de pele com ca- belo são transferidos da parte de trás do pescoço para a cabeça (um pou- CAN

co por vez). O procedimento é de- morado e caro, mas geralmente fun- Um outro tipo que atinge os dois sexos é a Alopecia Areata, em que o cabelo cai em chumaços. Isso pode ser resultado de uma doença Nesse tipo de calvície, o cabelo cresce novamente, embora isso pos- sa demorar meses. O processo pode ser acelerado com aplicações de cortisona e com um tratamento para CAMA FOWLER – Cama articulada em que se modifica a posição do do- ente mediante o acionamento de CAMPÍMETRO – Aparelho para me- CANAL ALIMENTAR – Tubo diges- CANAL ANAL – Espaço entre o reto CANAL AUDITIVO – Canal do CANAL CÍSTICO – Canal que traz bílis da vesícula e que se junta ao canal hepático para formar o canal CANAL COLÉDOCO – Canal que CANAL DEFERENTE – São dois ca- nais, um de cada lado, que condu- zem a secreção testicular para as CANAL DE VIGILÂNCIA PARA

CAN ALTA ESTATURA – Quando o percentil da estatura localiza-se en- CANAL DE VIGILÂNCIA PARA BAIXA ESTATURA – Quando o percentil da estatura localiza-se en- CANAL DE WIRSUNG – Canal que traz o suco pancreático do pâncre- CANAL EJACULADOR – Canal que só entra em função no ato da cópu- la, fazendo sair o sêmen com forte CANAL GALACTÓFORO – Nume- rosos canalículos que conduzem a secreção láctea da glândula mamá- ria para o mamilo, onde é sugada pela criança ou aspirada mecanica- CANAL INGUINAL – Canal que vai do anel inguinal interno ao exter- no. No homem, dá passagem ao cordão espermático. Na mulher, ao CANAL TORÁCICO – O maior vaso linfático. Recebe a linfa da maior parte do corpo. Lança-se na união da veia jugular com a veia sub- CÂNCER – Essa condição é muito comum e é a segunda causa mortis mais freqüente. O termo “câncer” engloba um grupo de distúrbios aparentados, que têm em comum o crescimento desenfreado de alguma

CÂN sos de tratamento como a radiote- rapia, drogas antitumores e certos hormônios. Pesquisas indicam que alguns tipos de câncer são causa- dos por substâncias químicas do ambiente. A maior esperança talvez seja a prevenção. Métodos para de- tectar e identificar as substâncias causadoras do câncer estão sendo desenvolvidos e irão ajudar a lim- par o meio ambiente; as fontes são os resíduos industriais, o escapa- mento dos carros e a fumaça dos Os novos tratamentos que estão sen- do desenvolvidos incluem alta ra- diação energética, como os raios de nêutrons. Novas drogas e novas combinações de antigas drogas es- tão prometendo a cura para alguns A doença não é comum antes dos 40 anos, e a incidência aumenta de acordo com a idade. Talvez, acima dessa idade, as células se tornem menos eficientes para lidar com os danos causados pelos irritadores. A chave do sucesso é o tratamento logo no começo. Qualquer pessoa, apresentando um sintoma que não desaparece dentro de algumas se- Os sinais de perigo são: um caroço na mama (V. Mama.), nos testícu- los, etc; uma tosse persistente (mais de três semanas); uma mudança persistente no funcionamento do intestino; uma perda de peso; uma dor persistente ou periódica e o apa- recimento de sangue, por exemplo, CÂN

do intestino, da urina, da boca (de- pois de tossir ou vomitar), do ma- milo ou da vagina (depois da me- nopausa ou entre os períodos de menstruação). Existe a possibilida- de de haver outras explicações para esses fatos, e o seu médico poderá acertar isso. Se o médico estiver com suspeitas, ele poderá solicitar exames para estabelecer o diagnós- tico. (V. Leucemia e Colo do útero.) O físico alemão Jorrit de Boer, da Universidade de Munique, apresen- tou no Instituto de Física da USP uma nova técnica para tratamento do câncer, que utiliza feixes de prótons em vez de raio X. A vanta- gem é que esta técnica não apresen- ta efeitos colaterais nos tratamen- tos da doença. Também está em uso em São Paulo o remédio alemão Tamoxifena, indispensável contra o Cientistas nos Estados Unidos cri- aram uma bactéria geneticamente modificada que, em estudos com ratos, destruiu tumores do câncer de cólon em 24 horas. A bactéria, da espécie C. novyi, sobrevive apenas em ambientes livres de oxigênio, como o de tecidos mortos no inte- CÂNCER DE COLO DE ÚTERO – É câncer comum e pode ocorrer em pessoas relativamente jovens, mas é uma forma de câncer, nas mulhe- res, que se pode prevenir. Um teste fácil é usado para detectar as pri- meiras mudanças. O procedimento

CÂN demora alguns segundos e não é mais desagradável que um exame interno. A mancha é examinada num laboratório, e as células alte- radas podem ser identificadas an- tes de terem invadido outros teci- dos (isto é, antes de se tornarem A doença no começo pode ser tratada removendo-se parte do colo do útero (conização). Em outros ca- sos, a histerectomia (remoção do útero) é realizada, e a paciente é Parto, Prevenção da gravidez e Infertilidade.) CÂNCER DE PELE – É Uma doença perigosa, muito comum e causada por um motivo muito simples: a ex- posição ao sol. A luz do sol contém um tipo de radiação muito nociva à nossa pele, chamada ultravioleta, uma das principais responsáveis pelo câncer de pele. Ela causa uma transformação nas células da pele, que começam a multiplicar-se desordenadamente, formando o te- cido cancerígeno. O câncer de pele atinge principalmente pessoas de pele branca, que se queimam com facilidade e bronzeiam-se com di- ficuldade. Cerca de 90% das lesões localizam-se nas áreas da pele que ficaram expostas ao sol. Os sinto- mas do câncer de pele são manchas escuras ao longo do corpo, com for- mato irregular, tonalidades de cor diferentes e diâmetro maior que 6 milímetros. Sinais de alerta nessas CAN

manchas são o aumento de tama- nho, sangramento, coceira e infla- mação. Pode ser curado se desco- CÂNCER DE PULMÃO – Prolifera- ção anormal e sem limites das cé- lulas originárias dos pulmões levan- CÂNCER DOS FUMANTES – Epite- lioma cancróide localizado nos lá- CÂNCER NA PRÓSTATA – Uma for- ma de câncer comum, mas facil- mente tratável, que provoca uma di- ficuldade em urinar. O tumor pode se espalhar da próstata para dentro dos ossos. O tratamento é por meio de cirurgia e do uso de comprimi- CANCERIFORME – Em forma de CANCERÍGINOS QUÍMICOS – Substâncias cuja absorção pelo or- ganismo, seja pela pele, por inala- ção ou por ingestão, levam à pro- dução de mutações que provocam CANCERISMO – Tendência à cance- CANCERIZAÇÃO – Transformação CANCEROFOBIA – Temor mórbido CANCRO – Úlcera de evolução rá- pida que aparece na pele e em ou- tros lugares, como na boca, consti- tuindo o chamado cancro duro.

CAN Cancro mole.) Nada tem a ver com CANCRO MOLE – Úlcera de Du- crey. A doença começa com dor na virilha e inflamação dos gânglios linfáticos que se tornam, aos pou- cos, massa dolorosa e cheia de ma- téria infectada, os bubões podem CANCRÓIDE – Semelhante ao cân- cer. Epitelioma mergulhante na pele CANCRUM ORIS – Ulceração da CANDIDÍASE – Ou monilíase vagi- nal; provoca corrimento espesso tipo nata de leite e geralmente acompanhado de coceira ou irrita- ção intensa. Candida ou Monília é um fungo e a candidíase é, portan- to, uma micose. A candida aparece quando a resistência do organismo cai ou quando a resistência vaginal está diminuída. Alguns fatores são causadores da micose: antibióticos, gravidez, diabetes, infecções, defi- ciência imunológica, medicamentos como anticoncepcionais e corti- cóides. Eventualmente o parceiro sexual aparece com pequenas man- chas avermelhadas no pênis. O di- agnóstico é clínico, através de exa- O tratamento é à base de anti- micóticos mas deve-se tentar tratar as causas da candidíase para evitar as recidivas.

CAP miné para o exterior, em laborató- rio, para se trabalhar com gases tó- CAPELINA – Bandagem em capuz para a cabeça ou para cotos de am- CAPILARES – Vasos finíssimos, mais finos que um fio de cabelo (daí seu nome) e que estabelecem a ligação entre as arteríolas e as vênulas, conectando a circulação arterial CAPILARIDADE – Força natural que CÁPSULA – 1) Membrana sacular que envolve um órgão ou parte de um órgão. 2) Recipiente de amido CÁPSULA ARTICULAR – Tecido conjuntivo que envolve as articu- CÁPSULA DE GLISSON – A cápsu- CAPSULOLENTICULAR – Relativo CAPSULOTOMIA – Incisão de uma CAPSULÓTOMO – Instrumento CAPURRO, MÉTODO DE – Siste- ma de avaliação da idade gesta- cional do recém-nascido, baseado em critérios físicos e neurológicos CAQUEXIA – Adiantada desnutrição, que pode provir de várias causas, CAR

CAQUEXIA ESTRUMIPRIVA – CARAMELIZAR – Transformar o CARBOGÊNIO – Mistura de oxigê- nio e gás carbônico usada contra as CARBOIDRATO – V. Hidrato de car- CARBÓLICO (ÁCIDO) – Fenol, áci- CARBONATADO – Impregnado CARBONIZAÇÃO – Transformação CARBOXI-HEMOGLOBINA – Com- posto que se forma pela combinação do monóxido de carbono com a hemoglobina nos envenenamentos CARBÚNCULO – Doença infeccio- sa causada pelo Bacillus anthracis, que ataca animais, como vacas e ovelhas, e através deles se transmite ao homem, por ferida, arranhão, pi- cada de inseto ou inalação. Também chamado de “pústula maligna”, o primeiro sintoma é um prurido do- loroso; horas mais tarde aparece no corpo uma lesão que se torna dura, vermelha no centro e rosada ao re- dor; aumentando a lesão, produz-se pus sanguinolento no meio e infla-

CAR mam-se os gânglios linfáticos e vei- as adjacentes. Outros sintomas: fra- queza geral, calafrios, inapetência, náuseas e febre elevada. Semelhan- te ao furúnculo, só que este supura através de uma única abertura; o Para um carbúnculo pequeno, o tra- tamento é semelhante (V. Furúncu- lo.); mas se for grande, procure um CARCINOGÊNICO – Substância que predispõe à formação de carci- CARCINÓGENO – V. Carcino- CARCINOMA – Câncer do tecido CARCINOMA PAPILÍFERO – Tu- mor maligno mais freqüente da glândula tireóide, normalmente de CARCINOMATOSE – Aparecimen- to de várias metástases carcino- (V. Coração e Doenças Cardíacas.) CARDIOCENTESE – Função do co- CARDIOECTASIA – Dilatação do co- CARDIO-ESFIGMÓGRAFO – Apa- relho que registra ao mesmo tempo CAR

106 VISUALIZAÇÕES DOWNLOAD